Tópicos Recentes
Destaques
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Últimos assuntos
Mazushi: Por um punhado de berriesHoje à(s) 11:02 ampor  2MiausOs Monarcas - I Efeito BorboletaHoje à(s) 10:35 ampor  AoYumeDesventura na Terra dos Sonhos - Grupo 8Hoje à(s) 9:55 ampor  ripperI - Desventuras em SirarossaHoje à(s) 9:46 ampor  PepeI - Florescer improvávelHoje à(s) 8:02 ampor  VrowkCapítulo 1 - Dois homens e meio.Hoje à(s) 1:00 ampor  gmasterXLivro I - A CaminhadaHoje à(s) 12:38 ampor  Faktor1º Chapter - Wild HuntOntem à(s) 11:28 pmpor  HollydayRango[Tutorial] VanOntem à(s) 11:25 pmpor  VanDesventura na Terra dos Sonhos - Grupo 11Ontem à(s) 11:07 pmpor  Narrador De Eventos
Página 1 de 1
Skÿller
Ver perfil do usuário
Imagem : ALOU TESTANDO O TESTE TESTADOR DE TESTES TESTADOS
Créditos : 15
SkÿllerSoldado
https://www.allbluerpg.com/t272-annabelle-petit-barozzi https://www.allbluerpg.com/t303-voice-of-the-soul#875
Maka Jabami Seg Maio 10, 2021 9:58 pm



Maka Jabami








Sobre o Personagem


Nome: Maka Jabami
Idade: 19
Género: Feminino
Mão Predominante: Direita
Risada: Puffhahahaha
Altura: 1,90
Peso: 80 kg
Raça: Humano
Origem: Sirarossa - West Blue
Localização: Sirarossa - West Blue
Grupo: Civil

Complementos



Aparência:

Maka Jabami é uma garota alta tendo um 1,90 de altura, tendo um corpo forte e atlético para uma mulher comum, e isso é devido aos seus anos de treino e lutas que passou quando vivia com a organização Sakura. De cabelos longos e com algumas pontas onduladas, o que mais chama atenção é a sua coloração alaranjada, tendo um tom bem forte e vibrante. Além de seus fios ruivos, seus cílios carregam a mesma coloração.

Maka não chega à vaidade em pessoa, no entanto, gosta de manter uma maquiagem na cor vermelha para marcar e destacar seus olhos esmeralda. Seus lábios são bem finos, o que dá um destaque para algo um tanto diferente em seus dentes, pois o dente canino de Maka é um pouco maior que o de um ser humano normal, mas nada que a faça ter a mordida de um mink, sendo apenas uma leve “deformidade” em seus dentes.

Maka Jabami tem um tom de pele claro, e em suas costas uma marca feita pela organização Sakura, marca essa que é dada a todos que integram o grupo mercenário e aceitam as regras e condições da organização. Maka veste uma blusa branca sem mangas ou alças, apenas o suficiente para cobrir seus seios (famoso “tomara que caia?”). Além de uma calça branca onde a barra segue até quase o meio de sua canela. Em seus pés, veste uma bota marrom escura, com uma abertura dourada ao centro.

Sobre suas roupas, Maka usa uma capa azul de manga comprida na cor azul com vários detalhes dourados na borda da manga, porém Maka costuma deixar as mangas dobradas até o cotovelo. A gola dela é alta e aberta, com os mesmos detalhes dourados das pontas das mangas, mas seguem uma linha continua pela abertura da capa. E em sua cintura, Maka usa um lenço vermelho que ela usa como cinto para manter a capa fechada na cintura.

Personalidade:

Maka é uma garota que apesar de ser muito linda, não chega a ser tão feminina quanto se poderia esperar. Desde cedo sempre foi valentona no orfanato em que viveu 14 anos de sua vida, brigando com qualquer criança. Principalmente com John White seu maior alvo de bullyngs.

O fato de ser valentona e agressiva vem de seu temperamento explosivo, algo provavelmente herdado de sua mãe, mas que talvez nunca fosse saber. No entanto, Maka tem um outro lado mais tranquilo, otimista e alegre quando está próxima de alguém que ela goste muito, agindo certas vezes de forma não tão feminina, mas sim de forma muito abusada e provocativa, principalmente quando está com seus maiores parceiros, Kani e Kou.

Foi nesse mesmo orfanato que Maka desde cedo criou uma grande paixão por felinos, pois Klein, um dos responsáveis pelo cuidado dos órfãos de lá, desde cedo presenteou a jovem com uma pelúcia de um leão, fazendo com que Maka fosse muito apegado aquele brinquedo, se tornando então uma grande paixão para a garota. Também nesse orfanato, a garota desenvolveu um grande respeito por Arthur Lancaster, sendo ele a única pessoa capaz de encará-la de frente naquele lugar, tanto que, após muitas brigas, os dois acabaram por respeitar um ao outro e criando laços de amizade, fazendo com que Maka fosse uma pessoa leal aos objetivos de Arthur, e prometendo ajudá-lo a realizá-los assim que chegasse a hora.

Por esse jeito valentão de ser, Maka por muitas vezes age como se fosse um homem brutão e amante do álcool, vício que desenvolveu nos anos em que viveu seus treinamentos marciais com a organização Sakura. Foi nesses anos inclusive que Maka aumentou a sua paixão por felinos, pois o líder da organização que havia lhe adotado, tinha em sua guarda, duas feras maravilhosas, sendo duas panteras negras, uma espécie de felino não tão simples de se ver, mas que enchiam os olhos da garota.

Mas, o que mais assustava nas atitudes de Maka, eram suas ações em batalha. Mesmo no orfanato, Maka já era uma menina que passava dos limites em suas brigas, algo que fora constantemente controlado e educado por Ada, a dona do orfanato. Maka sempre sorria e ria enquanto brigava, mas não era um sorriso qualquer, e mesmo quando terminava com sua “presa”, ela sempre queria mais, no entanto, ela nunca entendia o porquê de aquilo acontecer e o porquê era sempre punida por tais ações. Mas tudo mudou quando Maka foi adotada por Yoshindo Yoshihara, o líder da organização Sakura. Em sua vivência na organização, Maka sempre teve liberdade para se expressar em suas ações contra seus inimigos, passando a mostrar de vez o seu lado sadista, não terminando uma briga enquanto não visse um olho para fora, um dedo arrancado, ou até coisas ainda piores. Maka agora passava a agir como uma fera, não perdoando suas presas enquanto não lhe tirasse pedaços.

História:

Essa é a minha história... e como ela começa!? Ah, começa quando alguém bate na porta do orfanato, e a minha querida e eterna “mãe” Ada me pega no colo e instintivamente pensa “Essa vai dar trabalho.” Em minha vida eu tenho dois e distintos períodos, sendo 14 anos convivendo com meus “irmãos” no orfanato, e outros 5 liberando o meu lado sadista e mais violento possível com toda a liberdade que tive ao ser adotado por Yoshindo para fazer parte da organização Sakura.

ORFANATO

Cheguei ao orfanato recém-nascida, deixada em um cesto com apenas um pedaço de papel em meu colo, e o que estava escrito? Nunca quis saber, se a pessoa que havia me deixado lá não se importava o bastante para me criar e cuidar, porque eu me importaria em ler o que ela escreveu!? Dediquei minha vida a amar aqueles que estavam no orfanato, principalmente Ada, aquela que é a verdadeira mãe para mim.

Bom, sobre a parte de “amar aqueles que estavam no orfanato”, não era bem assim também, até porque eu sou muito forte, então não tinha tempo pra ficar aturando uns bundas moles por aí não, principalmente moleque medroso, e eis aí que tenho a minha vítima favorita... John White. Mesmo que ele fosse mais velho do que eu, sempre fora um medroso, sem coragem alguma pra me enfrentar, então era um garoto que eu me divertia bastante surrando dia após dia. A verdade é que eu comandava aquele orfanato, ninguém tinha coragem de brigar comigo, e mesmo que tivesse não tinha a mínima força pra me parar. Só existiam duas pessoas que poderiam me fazer parar, ou ao menos repensar na surra, que eram Kou e Kani.

Kou era uma garota que assim como eu, também havia chegado no orfanato recém-nascida, porém dois anos mais tarde do que eu, e eu sempre tive esse instinto em mim de cuidar e me aproximar daqueles que chegavam cedo e fossem mais novos que eu, e Kou não era diferente, sempre a amei e a tratei com muito carinho, até demais talvez, principalmente quando chegamos na nossa puberdade HAHAHA, FOCO, FOCO, FOCO!!! Voltando a história, Kou era muito próxima de mim, e eu gostava dela principalmente por ser pacífica, ou seja, totalmente o oposto em mim, e isso me atraia nela. E além de Kou, o meu querido Kani era outro que eu amava muito e sempre tinha um sentimento de proteção com ele, sempre achei ele fofo e muito bonito, então era impossível pensar em ficar longe daquele garoto. Resumindo, eram os meus dois protegidos dentro do orfanato.

Kani e Kou eram bem próximos de mim, porém, havia uma criança que era como um irmão pra mim, e esse era Lee. Um garoto com uma personalidade um tanto quanto pacífica. Sempre gostei muito dele, menos é claro quando vinha com seu medo estúpido por borboletas... Aff isso me irritava.

Ada sempre dizia que eu deveria agir diferente, não ser assim... violenta demais só porque eu começava a bater e nunca mais parava? Isso quase me fez ser expulsa por duas vezes do orfanato. Muito disso mudou pra mim depois que Ada resolveu nos contar que éramos irmãos, pois mesmo que Lee havia chegado 1 ano depois de mim, as cartas deixadas junto com a gente tinham a mesma escrita, e assinaturas iguais. Sabendo disso, começamos a nos tornar ainda mais próximos, e então resolvemos nos dar um sobrenome que nos aproximasse ainda mais, e por fim agora somos os irmãos Jabami! E você se pergunta “Porque Jabami?” Ora, nem eu sei, apenas veio na cabeça e a gente achou legal, então é isso, bora seguir...

Nos últimos anos dentro do orfanato, minha vida sofreu uma mudança, principalmente com a chegada de Arthur Lancaster, um aparente filho fracassado sabe-se lá de onde. Como sempre, quando ele chegou eu fui logo mostrar quem é que mandava ali, até porque era o meu pedaço, mas pra minha surpresa, o garoto era forte e não tinha tanto medo de mim, bancando até o herói com a minha vítima preferida e o protegendo. No começo nós não nos dávamos muito bem, mas depois de muitas brigas comecei a respeitá-lo, e até criei certa amizade, e aos poucos ele foi nos unindo ali dentro, fazendo com que nos tronássemos irmãos, sendo Eu, Lee, Kani, Kou, Arthur, e o chorão do John. Crescemos com fortes laços de amizade, respeitando e cuidando um dos outros, até o momento em que cada um foi saindo de lá, sendo adotados por pessoas totalmente diferentes, porém com uma grande promessa, de que voltaríamos a nos encontrar, e foi a partir daí que jurei lealdade para Arthur, havia alguma coisa nele que me fazia confiar e querer ajudá-lo a tingir seus objetivos.

Não posso esquecer do meu lindo amor por felinos, que foi me dado quando tinha maus 3 ou 4 anos, não me lembro ao certo. No orfanato, havia um homem chamado Klein... quer dizer, um homem? Tá mais pra criatura mesmo, porque ele era horrendo, porém super carinhoso, e tinha uma voz encantadora, seus cânticos nos faziam chorar. Aaaaaaaahhhh que saudade do Klein, ele me dera um leão de pelúcia muito lindo e que eu amava muito, não largava aquele brinquedo por nada, pelo menos até os meus 10 anos, depois tive que jogar fora, até porque eu tinha que manter minha imagem dentro do orfanato é claro. Mas cresci nutrindo essa paixão forte por felinos, e um dos meus sonhos era poder vê-los de verdade, poder tocá-los, acariciar, conhecer seus hábitos, quem sabe até virar um, por que não!?

Pois bem, pode se dizer que essa foi minha vida dentro do orfanato, foram belos e inocentes 14 anos vivendo ao lado de crianças que hoje considero como irmãos pra mim, mas a próxima parte da história, era bem diferente do que eu imaginava, pois tudo mudou quando Yoshindo Yoshihara, o líder de um grupo mercenário chamado Sakura me adotou. Mas é claro que ele não revelou quem era, pois provavelmente o orfanato não me entregariam assim, mas como ninguém nunca se propôs a me adotar, principalmente pelo meu jeito nem um pouco feminino, com certeza não pensaram duas vezes antes de aceitar.

SAKURA

Uma viagem que me tirou de Sirarossa, minha antiga morada, local de vivência do orfanato para ir até o País de Kano, uma ilha do West Blue. Aquele tal País de Kano era um lugar bem montanhoso, e não sei bem como dizer por onde eu passei até chegar lá, pois em toda minha viagem, fui mantida em barcos fechados. Eu não podia sair para fora e nem mesmo olhar ou saber o que estava acontecendo, e quando me dei conta, estava em um pedaço de terra, com muitas rochas em volta, e após caminhar um pouco por entre elas, chegamos em um templo, onde do lado de fora eu poderia ouvir gritos, e quando finalmente entrei, eram várias pessoas ao centro de um pátio gritando após fazerem diferentes tipos de movimentos marciais. Foi aí que aquele homem finalmente falou comigo após me adotar. – Maka Jabami, esses agora são seus irmãos, e você é mais um de meus filhos. Espero que você não me decepcione. – E assim, ele sumia daquele lugar. E isso acontecia repetidas vezes, Yoshindo sumia por meses, e depois aparecia novamente, e nunca sabíamos quais eram os motivos dos sumiços dele.

Yoshindo poderia até sumir, mas quando ele aparecia também, aaaaaah eu endoidava. Ele tinha consigo duas panteras negras lindas, mas claro que eu nunca tive a chance de chegar perto delas, mas me encantava sempre que as vias, era doido pra poder acariciá-las. Foram as únicas vezes que vi um felino de verdade, e todo aquele mistério de quando eu os veria novamente me deixava muito excitada, e me fez apaixonar ainda mais por felinos.

Foi nesse grupo de mercenários que minha vida mudou muito. Foram 5 anos de árduos treinamentos com dezenas de pessoas. O grupo mercenário é chamado de Sakura por conta de seu líder, Yoshindo Yoshihara, um homem poderoso e amante de flores de cerejeira, tanto que, todos que integram a organização recebem uma marca em suas costas que simboliza uma flor de cerejeira, para identificar que aquela pessoa pertence a organização e assumiu um grande compromisso com ela.

Lá, fui treinado diariamente com dois mestres da organização, sendo eles o bárbaro Wu Bjorn, e o mestre em taekwondo, Date Yuuma. Os grupos eram divididos, onde cada um treinava com um mestre diferente, apenas em casos muito raros alguém acabava por ser indicado ao treinamento em duas artes marciais, e assim foi comigo, um desses casos raros. Desde pequena sempre fui uma garota que, apesar de ser valentona, sempre tive muita facilidade para aprender, e em combate não foi diferente, pois após alguns meses treinando no uso de machados e outras armas mais com Wu Bjorn, o líder Yoshindo viu certo potencial em mim, e pediu para que treinasse também com Date Yuuma. Em 2 anos, eu já dominava as duas diferentes artes marciais, e isso fez com que Yoshindo me desse ainda mais possibilidades de aprendizado.

Para melhorar minhas capacidades em batalha, Yoshindo me deu livros onde pude estudar sobre estratégia e anatomia. Com esses dois conhecimentos teóricos, fui capaz de desenvolver uma forma inteligente de lutar, usando do conhecimento em anatomia para direcionar meus golpes em regiões do corpo humano que pudessem causar ainda mais dor, ou até mesmo ser ainda mais letal. Com estratégia me tornei capaz de avaliar tudo que pudesse estar ao meu redor e usar como vantagem em combate, e não só isso, sua intenção era que eu tivesse esse tipo de conhecimento para que um dia pudesse liderar grupos dentro da organização.

E claramente, meu treinamento foi árduo não só por conta dessas coisas, mas também pelo desgaste físico que sofri em todos os anos, pois cada um dos membros da organização era submetido a extensos treinos físicos, onde o objetivo era nos dar corpos atléticos e habilidades acrobáticas, sendo preparados para a ação.

Bom, eu talvez tenha esquecido de dizer antes, acabei atropelando a fala, mas, a organização Sakura como você já deve ter percebido, é um grupo que atua no submundo, e bem, é apenas o que eu sei dizer. Com o que eles trabalham exatamente eu não sei, também não tenho ideia de qual é o objetivo de Yoshindo ao recrutar muitas pessoas para trabalhar com ele, pois, nesses anos que eu passei treinando, e não foram só os 2 que havia dito antes, mas sim 5 anos, longos e pesados 5 anos treinando para me tornar uma máquina bruta de matar. Por mais que Yoshindo ainda quisesse me dar alguns privilégios como adquirir conhecimentos que os outros recrutas não conseguiam, eu sempre preferi ficar mais próximo da “ralé”, porque era assim que eu me sentia também.

Por conta disso, as coisas que me faziam esquecer que “porra, fui adotada mesmo sendo um problema no orfanato, mas no fim, o cara me adotou só pra ser a merda de um guerreiro pau mandado dele?” Isso me irritou bastante no começo, tanto que tive problemas demais porque nunca fui fácil de se controlar, mas as marcas internas de dor em meu corpo me calejaram com o tempo, e isso me fez criar um foco, pois tinha feito uma promessa para o Arthur de que voltaria a me encontrar com ele e todos os meus irmãos do orfanato, e eu era leal a ele, não ia voltar atrás com minha promessa de ajudá-lo a atingir seus objetivos. Foi aí que usei todo aqueles anos de árduos treinos para adquirir habilidades e força pra voltar uma pessoa que não era só a valentona do grupo, mas sim a mais forte para proteger meus irmãos. E a minha anestesia daqueles anos de treino eram a bebida “sim! Eu sou alcoólatra” e as brigas.

Internamente, nós que nos considerávamos a “ralé” da organização, fazíamos pequenos torneios entre nós, onde lutávamos, porém, ali não tinha regra, valia de tudo. Dedo no olho, mordida na cara, garrafa quebrada, tudo que você poderia imaginar, e é claro que eu passei a incorporar isso no meu combate.

Após 4 anos vivendo naquele lugar fechado, os dois mestres que nos treinavam chegaram com a notícia de que mudaríamos. Agora nós estávamos prontos e finalmente realizaríamos o trabalho que Yoshindo tinha pra gente, e esse trabalho era na Grand Line “Aquele lugar existe mesmo?” Pensava comigo, e mesmo que fosse interessante ir pra lá, eu tinha uma promessa a cumprir, mas não fazia ideia de como eu voltaria para Sirarossa para me encontrar com meus irmãos.

FUGA PARA O REENCONTRO

Quando chegou o dia de sairmos, eu não havia planejado como fugir. Todos vestimos um capuz marrom para que escondêssemos nossos rostos, e fomos então até um barco, e mais uma vez, mas agora junto com todos, ficamos em uma parte fechada do barco, para que não víssemos nada.

Após algumas horas, atracamos em terra firme novamente, e quando saímos, pude ver que o lugar era bem pobre, e seja lá quem for o líder de Kano, ele provavelmente não era bem-vindo ali, porque com certeza não dava a mínima pro lugar.

Andamos por alguns minutos até chegarmos a um porto, onde estavam vários barcos ali, e então pude ouvir duas pessoas conversando próximo a um dos barcos, dizendo que ele iria para Sirarossa, e vi então minha chance de fuga. Aproveitei-me do local que estava carregado de gente, e então no momento que a aglomeração estava um pouco maior, sai tentando não ser percebida, e até mesmo tirei o capuz, mas é obvio que perceberam, porque eu não sou uma pessoa muito boa em me esconder né. Wu Bjorn até pediu para que uma das “ralés” tentasse me parar, mas eu consegui impedir, e quando vi que o barco estava saindo, corri sem pensar duas vezes e pulei no barco para que pudesse escapar, deixando-os para trás.

Sabia que dali pra frente provavelmente seria perseguido pela organização, mas não me importei com isso no momento, apenas queria reencontrar meus irmãos. Passei algumas semanas naquele barco por que bem... Eu invadi sem dinheiro algum HAHAHA, mas me deixaram limpar o navio pra que eu meio que pagasse pela minha passagem. No entanto, quando atracamos em Sirarossa, eu queria fugir novamente, mas queria agradecer aqueles canalhas de alguma forma por não terem tentado me matar e sim me dado uma chance de fugir e viver, então perguntei a eles se poderia conseguir dinheiro em algum lugar, e eles me levaram naquela noite para um lugar bem afastado do porto onde havia uma competição clandestina de briga de rua, e eu poderia pegar uma parte da grana com as apostas, então, resolvi participar, e adivinha só... eu consegui muita grana, então paguei os caras e fiquei com uma sobra pra que eu pudesse me sustentar é claro, pelo menos por um tempo.

Por fim, segui para o reencontro... nosso querido orfanato!

Características



Qualidades:
Versátil (Racial)Você pode somar até 9 pontos de defeito, conseguindo dessa forma gastar 9 pontos de qualidade em vez de 7.
Destemido (1 Ponto)Você tem uma coragem distinta e não se deixa abalar diante de grandes desafios ou provações, mesmo que tudo esteja contra você e as condições não sejam favoráveis você ainda é capaz de enfrentar seus desafios de cabeça erguida, sem se sentir intimidado. Em termos mecânicos, a aplicação da condição amedrontado em você sempre é reduzida em uma categoria.
Prodígio (2 Pontos)Você é mais inteligente do que a média e tem facilidade em adquirir novos conhecimentos, em termos mecânicos, é capaz de aprender uma proficiência extra a cada nível ímpar, além de ter termos menos rígidos para tal aprendizado.
Prontidão (2 Pontos)Você está sempre pronto para agir ou reagir, alcançando o ápice da sua velocidade ou força em questão de poucos instantes. Mecanicamente, reduz a condição lento em uma categoria, SE a condição aplicada for categoria III ou inferior.
Mestre em Haki (4 Pontos)Assim que você desbloquear a especialização do Haki da Observação ou do Haki do Armamento, você pode escolher seguir dois caminhos de especialização simultaneamente. Nesse caso, os efeitos narrativos se acumulam, mas os bônus de atributo concedidos não. Nessa hipótese, o melhor atributo entre os dois será considerado sempre.

Defeitos:
Dependente - Álcool (1 Ponto)Você é viciado em alguma substância e precisa fazer uso contínuo da mesma para manter sua sanidade. Caso não sacie sua dependência no tempo estipulado, você começa a sentir os efeitos da abstinência, equivalente ao estado da condição Intoxicado II. Você deverá então se atentar a boa interpretação de seu personagem em abstinência, que durará até que você faça uso de seu objeto de dependência. Ignorar completamente os efeitos da abstinência em sua narração poderá acarretar em consequência a sua nota da página em questão. Você precisa saciar sua dependência uma vez a cada três páginas.
Sadista (2 Pontos)Você sente a necessidade de infligir dor aos outros e sente algum prazer com isso, você sempre é desnecessariamente cruel com suas vítimas e seus atos podem causar repulsa.
Furioso (2 Pontos)Após sofrer um grande dano físico ou mental (em termos mecânicos de jogo 30% de seus PdV em 1 ataque), você entra em um estado de frenesi até a ameaça ser eliminada e perde por instantes o senso da realidade, agredindo todos que estão ao seu redor, inclusive aliados.
Leal (2 pontos)Maka sempre foi uma valentona no orfanato em que vivia, e por ser assim, ninguém tinha coragem de bater de frente com ela. Isso até Arthur chegar e ser o único que não teve medo, e ainda por cima sempre aguentou as porradas.

Após muitas brigas, os dois criaram um grande respeito um pelo outro, consequentemente se tornando irmãos no orfanato, jurando então lealdade a ele após dizer quais seriam seus objetivos, e como cada um de seus irmãos resolveram seguir ele, Maka também optou por assim fazer, mesmo que custasse agora ser perseguida pela organização Sakura ao qual passou 5 anos.
Inimigo (2 pontos)
Organização Sakura

A organização Sakura é um grupo mercenário que atua no submundo. Antes seus trabalhos eram feitos no West Blue, porém, agora se mudaram para a Grand Line.

Maka nunca soube com o que exatamente no submundo o grupo Sakura trabalhava, e nem mesmo pra quem, pois foi treinada junto com várias outras pessoas durante 5 anos, e isso era a única coisa que acontecia lá treino e treino todos os dias. Até onde ela sabe, a organização tem três pessoas de muito poder e que comandam o que acontece lá, sendo eles o líder do grupo, chamado de Yoshindo Yoshihara. Além dele, o grupo ainda tem 2 mestres que trabalham diretamente para Yoshindo.

Date Yuuma, um mestre marcial em Taekwondo, e Wu Zhao, um Pugilista marcial que também é mestre em combate.

Atributos


Nível: 1
Experiência: 400

PdV: 2800
STA: 100

Força: 10 (+160 Racial) = 170 - Regular
Destreza: 0 - Incompetente
Acerto: 341 (+60 Edc)   = 401 - Hábil
Reflexo: 29 (+60 Edc) = 89 - Regular
Constituição: 20 - Regular

Agilidade: 245
Oportunidade de Ataque: 3
Redução de Dano: 0

Conhecimentos



Proficiências:
• Anatomia
• Atletismo
• Acrobacia
• Estratégia
• Briga

Profissão:
N/A

Mascote


Nome do Mascote
Animal: Raça e especificações de seu mascote.
Altura: Altura de seu mascote.
Peso: Peso de seu mascote.
Porte: Porte do seu mascote.
Raridade: Raridade do seu mascote.
Aparência: Aparência do seu mascote.
Personalidade: Personalidade do seu mascote.
Atributos: Foco de atributo de seus personagens.

Comandos:
Lista de Comando complexos que foram ensinados ao seu mascote

Estilos de Combate



Bárbaro:
Bárbaros são especialistas em combates de curta distância, que se baseiam em força bruta e superioridade física para lutar, utilizam armas como machados, clavas, maças, martelos, mangual e similares.
Taekwondo:
Usuários de taekwondo são especialistas em combates de curta distância, fazem de seu próprio corpo uma arma para lutar, mais especificamente suas pernas. Utilizam botas, joelheiras e similares.

Técnicas


Nenhuma por enquanto.

Haki da Observação


Não despertado.

Haki do Armamento


Não despertado.

Haki do Rei


Não despertado.

Berries: 250.000 ฿S

Itens



Cabeça:
- X -

Pescoço:
- X -

Tronco:
- X -

Braços:
- X -

Mãos:
- X -

Pernas:
- X -

Pés:
- X -

Armas:
- X -

Inventário




10 U

Nome do Item:
Espaço:
Descrição:

Embarcações


Nenhuma por enquanto.

Menções no Jornal


Nenhuma por enquanto.

Photoplayer



Photoplayer:
Maka Jabami Ct7Q9FX

Relações



Players:
[url=Link da Ficha do Player]Nome do Personagem[/url] - Relação com o Player

NPCs:
[url=Link com a Aparencia se existir]Nome do NPC[/url] - Relação com o NPC

NPCs Importantes:
[url=Link com a Aparencia se existir]Nome do NPC[/url] - Relação com o NPC


_________________

Maka Jabami O0yljIK

Maka Jabami WhdRXxk

Fala Annabelle
Pensamento Annabelle
Fala Lilith
Maka
Ver perfil do usuário
Imagem : Maka Jabami LtBcCyp
Créditos : 00
Localização : Mundo dos Sonhos
Re: Maka Jabami Seg Maio 31, 2021 11:15 am
Pedido de atualização antes do post 10.

Atualização nos atributos.

Código:
[b][color=#5ad07d]PdV:[/color][/b] 2800
[b][color=#7d5ad0]STA:[/color][/b] 100

[b]Força:[/b] 10 [b][color=#99cc00](+160 Racial)[/color] [/b] = 170 - Regular
[b]Destreza:[/b] 0 - Incompetente
[b]Acerto:[/b] 341 [b][color=#ff6600](+60 Edc)[/color]  [/b] = 401 - Hábil
[b]Reflexo:[/b] 29 [color=#ff6600](+60 Edc)[/color] = 89 - Regular
[b]Constituição:[/b] 20 - Regular

[b]Agilidade:[/b] 245
[b]Oportunidade de Ataque:[/b] 3
[b]Redução de Dano:[/b] 0

Alteração no EDC:

Trocar PUGILISTA por BÁRBARO.

Alteração em Qualidade e Defeitos:

Trocar Qualidade - AMBIDESTRO por DESTEMIDO

Alteração na História por conta da mudança de Edc:

História:
Essa é a minha história... e como ela começa!? Ah, começa quando alguém bate na porta do orfanato, e a minha querida e eterna “mãe” Ada me pega no colo e instintivamente pensa “Essa vai dar trabalho.” Em minha vida eu tenho dois e distintos períodos, sendo 14 anos convivendo com meus “irmãos” no orfanato, e outros 5 liberando o meu lado sadista e mais violento possível com toda a liberdade que tive ao ser adotado por Yoshindo para fazer parte da organização Sakura.

ORFANATO

Cheguei ao orfanato recém-nascida, deixada em um cesto com apenas um pedaço de papel em meu colo, e o que estava escrito? Nunca quis saber, se a pessoa que havia me deixado lá não se importava o bastante para me criar e cuidar, porque eu me importaria em ler o que ela escreveu!? Dediquei minha vida a amar aqueles que estavam no orfanato, principalmente Ada, aquela que é a verdadeira mãe para mim.

Bom, sobre a parte de “amar aqueles que estavam no orfanato”, não era bem assim também, até porque eu sou muito forte, então não tinha tempo pra ficar aturando uns bundas moles por aí não, principalmente moleque medroso, e eis aí que tenho a minha vítima favorita... John White. Mesmo que ele fosse mais velho do que eu, sempre fora um medroso, sem coragem alguma pra me enfrentar, então era um garoto que eu me divertia bastante surrando dia após dia. A verdade é que eu comandava aquele orfanato, ninguém tinha coragem de brigar comigo, e mesmo que tivesse não tinha a mínima força pra me parar. Só existiam duas pessoas que poderiam me fazer parar, ou ao menos repensar na surra, que eram Kou e Kani.

Kou era uma garota que assim como eu, também havia chegado no orfanato recém-nascida, porém dois anos mais tarde do que eu, e eu sempre tive esse instinto em mim de cuidar e me aproximar daqueles que chegavam cedo e fossem mais novos que eu, e Kou não era diferente, sempre a amei e a tratei com muito carinho, até demais talvez, principalmente quando chegamos na nossa puberdade HAHAHA, FOCO, FOCO, FOCO!!! Voltando a história, Kou era muito próxima de mim, e eu gostava dela principalmente por ser pacífica, ou seja, totalmente o oposto em mim, e isso me atraia nela. E além de Kou, o meu querido Kani era outro que eu amava muito e sempre tinha um sentimento de proteção com ele, sempre achei ele fofo e muito bonito, então era impossível pensar em ficar longe daquele garoto. Resumindo, eram os meus dois protegidos dentro do orfanato.

Kani e Kou eram bem próximos de mim, porém, havia uma criança que era como um irmão pra mim, e esse era Lee. Um garoto com uma personalidade um tanto quanto pacífica. Sempre gostei muito dele, menos é claro quando vinha com seu medo estúpido por borboletas... Aff isso me irritava.

Ada sempre dizia que eu deveria agir diferente, não ser assim... violenta demais só porque eu começava a bater e nunca mais parava? Isso quase me fez ser expulsa por duas vezes do orfanato. Muito disso mudou pra mim depois que Ada resolveu nos contar que éramos irmãos, pois mesmo que Lee havia chegado 1 ano depois de mim, as cartas deixadas junto com a gente tinham a mesma escrita, e assinaturas iguais. Sabendo disso, começamos a nos tornar ainda mais próximos, e então resolvemos nos dar um sobrenome que nos aproximasse ainda mais, e por fim agora somos os irmãos Jabami! E você se pergunta “Porque Jabami?” Ora, nem eu sei, apenas veio na cabeça e a gente achou legal, então é isso, bora seguir...

Nos últimos anos dentro do orfanato, minha vida sofreu uma mudança, principalmente com a chegada de Arthur Lancaster, um aparente filho fracassado sabe-se lá de onde. Como sempre, quando ele chegou eu fui logo mostrar quem é que mandava ali, até porque era o meu pedaço, mas pra minha surpresa, o garoto era forte e não tinha tanto medo de mim, bancando até o herói com a minha vítima preferida e o protegendo. No começo nós não nos dávamos muito bem, mas depois de muitas brigas comecei a respeitá-lo, e até criei certa amizade, e aos poucos ele foi nos unindo ali dentro, fazendo com que nos tronássemos irmãos, sendo Eu, Lee, Kani, Kou, Arthur, e o chorão do John. Crescemos com fortes laços de amizade, respeitando e cuidando um dos outros, até o momento em que cada um foi saindo de lá, sendo adotados por pessoas totalmente diferentes, porém com uma grande promessa, de que voltaríamos a nos encontrar, e foi a partir daí que jurei lealdade para Arthur, havia alguma coisa nele que me fazia confiar e querer ajudá-lo a tingir seus objetivos.

Não posso esquecer do meu lindo amor por felinos, que foi me dado quando tinha maus 3 ou 4 anos, não me lembro ao certo. No orfanato, havia um homem chamado Klein... quer dizer, um homem? Tá mais pra criatura mesmo, porque ele era horrendo, porém super carinhoso, e tinha uma voz encantadora, seus cânticos nos faziam chorar. Aaaaaaaahhhh que saudade do Klein, ele me dera um leão de pelúcia muito lindo e que eu amava muito, não largava aquele brinquedo por nada, pelo menos até os meus 10 anos, depois tive que jogar fora, até porque eu tinha que manter minha imagem dentro do orfanato é claro. Mas cresci nutrindo essa paixão forte por felinos, e um dos meus sonhos era poder vê-los de verdade, poder tocá-los, acariciar, conhecer seus hábitos, quem sabe até virar um, por que não!?

Pois bem, pode se dizer que essa foi minha vida dentro do orfanato, foram belos e inocentes 14 anos vivendo ao lado de crianças que hoje considero como irmãos pra mim, mas a próxima parte da história, era bem diferente do que eu imaginava, pois tudo mudou quando Yoshindo Yoshihara, o líder de um grupo mercenário chamado Sakura me adotou. Mas é claro que ele não revelou quem era, pois provavelmente o orfanato não me entregariam assim, mas como ninguém nunca se propôs a me adotar, principalmente pelo meu jeito nem um pouco feminino, com certeza não pensaram duas vezes antes de aceitar.

SAKURA

Uma viagem que me tirou de Sirarossa, minha antiga morada, local de vivência do orfanato para ir até o País de Kano, uma ilha do West Blue. Aquele tal País de Kano era um lugar bem montanhoso, e não sei bem como dizer por onde eu passei até chegar lá, pois em toda minha viagem, fui mantida em barcos fechados. Eu não podia sair para fora e nem mesmo olhar ou saber o que estava acontecendo, e quando me dei conta, estava em um pedaço de terra, com muitas rochas em volta, e após caminhar um pouco por entre elas, chegamos em um templo, onde do lado de fora eu poderia ouvir gritos, e quando finalmente entrei, eram várias pessoas ao centro de um pátio gritando após fazerem diferentes tipos de movimentos marciais. Foi aí que aquele homem finalmente falou comigo após me adotar. – Maka Jabami, esses agora são seus irmãos, e você é mais um de meus filhos. Espero que você não me decepcione. – E assim, ele sumia daquele lugar. E isso acontecia repetidas vezes, Yoshindo sumia por meses, e depois aparecia novamente, e nunca sabíamos quais eram os motivos dos sumiços dele.

Yoshindo poderia até sumir, mas quando ele aparecia também, aaaaaah eu endoidava. Ele tinha consigo duas panteras negras lindas, mas claro que eu nunca tive a chance de chegar perto delas, mas me encantava sempre que as vias, era doido pra poder acariciá-las. Foram as únicas vezes que vi um felino de verdade, e todo aquele mistério de quando eu os veria novamente me deixava muito excitada, e me fez apaixonar ainda mais por felinos.

Foi nesse grupo de mercenários que minha vida mudou muito. Foram 5 anos de árduos treinamentos com dezenas de pessoas. O grupo mercenário é chamado de Sakura por conta de seu líder, Yoshindo Yoshihara, um homem poderoso e amante de flores de cerejeira, tanto que, todos que integram a organização recebem uma marca em suas costas que simboliza uma flor de cerejeira, para identificar que aquela pessoa pertence a organização e assumiu um grande compromisso com ela.

Lá, fui treinado diariamente com dois mestres da organização, sendo eles o bárbaro Wu Bjorn, e o mestre em taekwondo, Date Yuuma. Os grupos eram divididos, onde cada um treinava com um mestre diferente, apenas em casos muito raros alguém acabava por ser indicado ao treinamento em duas artes marciais, e assim foi comigo, um desses casos raros. Desde pequena sempre fui uma garota que, apesar de ser valentona, sempre tive muita facilidade para aprender, e em combate não foi diferente, pois após alguns meses treinando no uso de machados e outras armas mais com Wu Bjorn, o líder Yoshindo viu certo potencial em mim, e pediu para que treinasse também com Date Yuuma. Em 2 anos, eu já dominava as duas diferentes artes marciais, e isso fez com que Yoshindo me desse ainda mais possibilidades de aprendizado.

Para melhorar minhas capacidades em batalha, Yoshindo me deu livros onde pude estudar sobre estratégia e anatomia. Com esses dois conhecimentos teóricos, fui capaz de desenvolver uma forma inteligente de lutar, usando do conhecimento em anatomia para direcionar meus golpes em regiões do corpo humano que pudessem causar ainda mais dor, ou até mesmo ser ainda mais letal. Com estratégia me tornei capaz de avaliar tudo que pudesse estar ao meu redor e usar como vantagem em combate, e não só isso, sua intenção era que eu tivesse esse tipo de conhecimento para que um dia pudesse liderar grupos dentro da organização.

E claramente, meu treinamento foi árduo não só por conta dessas coisas, mas também pelo desgaste físico que sofri em todos os anos, pois cada um dos membros da organização era submetido a extensos treinos físicos, onde o objetivo era nos dar corpos atléticos e habilidades acrobáticas, sendo preparados para a ação.

Bom, eu talvez tenha esquecido de dizer antes, acabei atropelando a fala, mas, a organização Sakura como você já deve ter percebido, é um grupo que atua no submundo, e bem, é apenas o que eu sei dizer. Com o que eles trabalham exatamente eu não sei, também não tenho ideia de qual é o objetivo de Yoshindo ao recrutar muitas pessoas para trabalhar com ele, pois, nesses anos que eu passei treinando, e não foram só os 2 que havia dito antes, mas sim 5 anos, longos e pesados 5 anos treinando para me tornar uma máquina bruta de matar. Por mais que Yoshindo ainda quisesse me dar alguns privilégios como adquirir conhecimentos que os outros recrutas não conseguiam, eu sempre preferi ficar mais próximo da “ralé”, porque era assim que eu me sentia também.

Por conta disso, as coisas que me faziam esquecer que “porra, fui adotada mesmo sendo um problema no orfanato, mas no fim, o cara me adotou só pra ser a merda de um guerreiro pau mandado dele?” Isso me irritou bastante no começo, tanto que tive problemas demais porque nunca fui fácil de se controlar, mas as marcas internas de dor em meu corpo me calejaram com o tempo, e isso me fez criar um foco, pois tinha feito uma promessa para o Arthur de que voltaria a me encontrar com ele e todos os meus irmãos do orfanato, e eu era leal a ele, não ia voltar atrás com minha promessa de ajudá-lo a atingir seus objetivos. Foi aí que usei todo aqueles anos de árduos treinos para adquirir habilidades e força pra voltar uma pessoa que não era só a valentona do grupo, mas sim a mais forte para proteger meus irmãos. E a minha anestesia daqueles anos de treino eram a bebida “sim! Eu sou alcoólatra” e as brigas.

Internamente, nós que nos considerávamos a “ralé” da organização, fazíamos pequenos torneios entre nós, onde lutávamos, porém, ali não tinha regra, valia de tudo. Dedo no olho, mordida na cara, garrafa quebrada, tudo que você poderia imaginar, e é claro que eu passei a incorporar isso no meu combate.

Após 4 anos vivendo naquele lugar fechado, os dois mestres que nos treinavam chegaram com a notícia de que mudaríamos. Agora nós estávamos prontos e finalmente realizaríamos o trabalho que Yoshindo tinha pra gente, e esse trabalho era na Grand Line “Aquele lugar existe mesmo?” Pensava comigo, e mesmo que fosse interessante ir pra lá, eu tinha uma promessa a cumprir, mas não fazia ideia de como eu voltaria para Sirarossa para me encontrar com meus irmãos.

FUGA PARA O REENCONTRO

Quando chegou o dia de sairmos, eu não havia planejado como fugir. Todos vestimos um capuz marrom para que escondêssemos nossos rostos, e fomos então até um barco, e mais uma vez, mas agora junto com todos, ficamos em uma parte fechada do barco, para que não víssemos nada.

Após algumas horas, atracamos em terra firme novamente, e quando saímos, pude ver que o lugar era bem pobre, e seja lá quem for o líder de Kano, ele provavelmente não era bem-vindo ali, porque com certeza não dava a mínima pro lugar.

Andamos por alguns minutos até chegarmos a um porto, onde estavam vários barcos ali, e então pude ouvir duas pessoas conversando próximo a um dos barcos, dizendo que ele iria para Sirarossa, e vi então minha chance de fuga. Aproveitei-me do local que estava carregado de gente, e então no momento que a aglomeração estava um pouco maior, sai tentando não ser percebida, e até mesmo tirei o capuz, mas é obvio que perceberam, porque eu não sou uma pessoa muito boa em me esconder né. Wu Zhao até pediu para que uma das “ralés” tentasse me parar, mas eu consegui impedir, e quando vi que o barco estava saindo, corri sem pensar duas vezes e pulei no barco para que pudesse escapar, deixando-os para trás.

Sabia que dali pra frente provavelmente seria perseguido pela organização, mas não me importei com isso no momento, apenas queria reencontrar meus irmãos. Passei algumas semanas naquele barco por que bem... Eu invadi sem dinheiro algum HAHAHA, mas me deixaram limpar o navio pra que eu meio que pagasse pela minha passagem. No entanto, quando atracamos em Sirarossa, eu queria fugir novamente, mas queria agradecer aqueles canalhas de alguma forma por não terem tentado me matar e sim me dado uma chance de fugir e viver, então perguntei a eles se poderia conseguir dinheiro em algum lugar, e eles me levaram naquela noite para um lugar bem afastado do porto onde havia uma competição clandestina de briga de rua, e eu poderia pegar uma parte da grana com as apostas, então, resolvi participar, e adivinha só... eu consegui muita grana, então paguei os caras e fiquei com uma sobra pra que eu pudesse me sustentar é claro, pelo menos por um tempo.

Por fim, segui para o reencontro... nosso querido orfanato!

Prova: Aqui.

_________________

Maka Jabami 94sfShl
Ryoma
Ver perfil do usuário
Imagem : a
Créditos : 13
Localização : Sirarossa
RyomaAvaliador
https://www.allbluerpg.com/t308-hany-g-drezat https://www.allbluerpg.com/t316-art-1-forget
Re: Maka Jabami Seg Maio 31, 2021 4:39 pm
Atualizado.

Maka Jabami ZbnQSBs

Você esqueceu de dizer qual mão será a predominante agora que perdeu ambidestro. Eu não atualizei a história já que você simplesmente a colocou inteira, não quero ler sua história novamente, apenas coloque os trechos que vão ser alterados e eu direi se pode ou não. Da forma que está não tem como eu saber se foram pequenas correções ou não sem ler ela novamente. Se quiser colocar o code dela inteira, até pode, mas ainda quero saber tudo que foi alterado e irei checar se foi apenas isso.
Maka
Ver perfil do usuário
Imagem : Maka Jabami LtBcCyp
Créditos : 00
Localização : Mundo dos Sonhos
Re: Maka Jabami Seg Maio 31, 2021 11:55 pm
Perdão Ryoma  Maka Jabami 1f613

Mão predominante: Direita

Alteração da História.

Trecho Antigo:
Lá, fui treinado diariamente com dois mestres da organização, sendo eles o pugilista Wu Zhao, e o mestre em taekwondo, Date Yuuma. Os grupos eram divididos, onde cada um treinava com um mestre diferente, apenas em casos muito raros alguém acabava por ser indicado ao treinamento em duas artes marciais, e assim foi comigo, um desses casos raros. Desde pequena sempre fui uma garota que, apesar de ser valentona, sempre tive muita facilidade para aprender, e em combate não foi diferente, pois após alguns meses treinando para ser pugilista com Wu Zhao, o líder Yoshindo viu certo potencial em mim, e pediu para que treinasse também com Date Yuuma. Em 2 anos, eu já dominava as duas diferentes artes marciais, e isso fez com que Yoshindo me desse ainda mais possibilidades de aprendizado.

Trecho Atualizado:
Lá, fui treinado diariamente com dois mestres da organização, sendo eles o bárbaro Wu Bjorn, e o mestre em taekwondo, Date Yuuma. Os grupos eram divididos, onde cada um treinava com um mestre diferente, apenas em casos muito raros alguém acabava por ser indicado ao treinamento em duas artes marciais, e assim foi comigo, um desses casos raros. Desde pequena sempre fui uma garota que, apesar de ser valentona, sempre tive muita facilidade para aprender, e em combate não foi diferente, pois após alguns meses treinando no uso de machados e outras armas mais com Wu Bjorn, o líder Yoshindo viu certo potencial em mim, e pediu para que treinasse também com Date Yuuma. Em 2 anos, eu já dominava as duas diferentes artes marciais, e isso fez com que Yoshindo me desse ainda mais possibilidades de aprendizado.

Alteração apenas no Nome pela coerência:
Andamos por alguns minutos até chegarmos a um porto, onde estavam vários barcos ali, e então pude ouvir duas pessoas conversando próximo a um dos barcos, dizendo que ele iria para Sirarossa, e vi então minha chance de fuga. Aproveitei-me do local que estava carregado de gente, e então no momento que a aglomeração estava um pouco maior, sai tentando não ser percebida, e até mesmo tirei o capuz, mas é obvio que perceberam, porque eu não sou uma pessoa muito boa em me esconder né. Wu Zhao até pediu para que uma das “ralés” tentasse me parar, mas eu consegui impedir, e quando vi que o barco estava saindo, corri sem pensar duas vezes e pulei no barco para que pudesse escapar, deixando-os para trás.

Nome Correto:
Andamos por alguns minutos até chegarmos a um porto, onde estavam vários barcos ali, e então pude ouvir duas pessoas conversando próximo a um dos barcos, dizendo que ele iria para Sirarossa, e vi então minha chance de fuga. Aproveitei-me do local que estava carregado de gente, e então no momento que a aglomeração estava um pouco maior, sai tentando não ser percebida, e até mesmo tirei o capuz, mas é obvio que perceberam, porque eu não sou uma pessoa muito boa em me esconder né. Wu Bjorn até pediu para que uma das “ralés” tentasse me parar, mas eu consegui impedir, e quando vi que o barco estava saindo, corri sem pensar duas vezes e pulei no barco para que pudesse escapar, deixando-os para trás.

_________________

Maka Jabami 94sfShl
Ryoma
Ver perfil do usuário
Imagem : a
Créditos : 13
Localização : Sirarossa
RyomaAvaliador
https://www.allbluerpg.com/t308-hany-g-drezat https://www.allbluerpg.com/t316-art-1-forget
Re: Maka Jabami Ter Jun 01, 2021 3:37 pm
Atualizado.

Maka Jabami ZbnQSBs