Tópicos Recentes
Destaques
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Últimos assuntos
Página 1 de 1
Ryoma
Ver perfil do usuário
Imagem : a
Créditos : 13
Localização : Sirarossa
RyomaAvaliador
https://www.allbluerpg.com/t308-hany-g-drezat https://www.allbluerpg.com/t316-art-1-forget
Annabelle Petit Barozzi Seg 10 Maio 2021, 01:25



Annabelle Petit Barozzi








Sobre o Personagem


Nome: Annabelle Petit Barozzi
Idade: 23
Género: Feminino
Mão Predominante: Ambidestra
Risada: Ha! Yahaha! *oink* Yahaha! *oink*
Altura: 1,75
Peso: 62kg
Raça: Humana - Três Olhos
Origem: East Blue - Shells
Localização: East Blue - Shells
Grupo: Marine

Complementos



Aparência:
Annabelle é uma humana alta, a sua pele tem um leve tom de bronzeado, quase que não se nota, apenas em comparação a zonas escondidas do sol, onde é possível ver o quão branca a pele da jovem pode ser. O corpo de Annabelle é bem esculpido, com curvas não muito exageradas e com o peso bem distribuído entre ele, sendo levemente musculoso mas sem grandes relevos.

Os cabelos da garota são de uma cor ruiva, levemente dourados e se misturando até mesmo com tonalidades cor avelã; eles são lisos chegam até até à sua cintura, em público Annabelle usa uma franja para esconder o máximo possível do seu terceiro olho, já em um lugar mais privado e seguro, a garota tira o cabelo da frente do olho. Já os dois olhos da garota são azuis bem claros, enquanto que o terceiro olho tem uma coloração da íris vermelha bem forte. Normalmente a garota esconde esse terceiro olho, mantendo-o fechado e com a franja do cabelo na frente.

A garota carrega consigo sempre duas pulseiras com um certo valor sentimental, a última memória física da sua irmã perdida. Carrega elas consigo para que um dia, quando voltar a encontrar a sua irmã, poder devolver para ela.

Personalidade:
Annabelle tem uma personalidade que podemos dizer ser, no mínimo, “forte”. Ela se esconde atrás de sarcasmos e ofensas, de ironias e ignorâncias, infelizmente foi assim que aprendeu a se defender. Mesmo sendo uma pessoa genial, ou até mesmo um prodígio, Annabelle não é muito inteligente na hora de interagir com outras pessoas. Por ter perdido as duas pessoas que mais amava no mundo muito cedo, Annabelle teme perder aqueles que ainda lhe restam. Para não passar novamente pela dor, a garota evita criar laços novos sem necessidade.

O tratamento abusivo de sua mãe ao longo dos anos, fez com que Annabelle fizesse experiências em pequenas criaturas como ratos que entravam no seu quarto. As constantes brigas com esses animais e a sua saúde frágil, fez com que Annabelle se acostumasse a se sentir com dores ou a provocar a dor, desenvolvendo um pequeno perfil sadomasoquista. Onde infligir dor e sentir dor dá para a garota uma sensação de lucidez e um pouco de prazer, se for na medida certa.

Embora tenha uma carcaça hostil, Annabelle consegue ser bem emotiva, sensível, carinhosa e dócil com aqueles que já estabeleceu um laço de confiança, claro que ela ainda pode não expressar corretamente os seus sentimentos, podendo parecer agressiva mesmo se estiver tentando elogiar alguém. Ela tem o costume de ser mais soft com Eric, alguém que ela não consegue se ver sem, o jovem é o farol da noite dela, o fogo do seu inverno e a brisa de verão. A garota sabe que ele gosta dela da mesma forma, contudo é normal ela sentir ciúmes graças à extrema beleza do loiro. Na frente do garoto, ela tenta se controlar, mas é normal ela assustar as outras mulheres que tentam se aproximar dele, especialmente se tiverem claramente segundas intenções. Annabelle confia em Eric, mas infelizmente não confia nas outras pessoas.

Ciumenta, violenta, insegura com a sua aparência, um prodígio intelectual e sem qualquer tipo de habilidade social, Annabelle torna-se uma pessoa bem protetora e possessiva nas suas relações e amizades, tentando sempre manter aqueles que ela gosta por perto a todo o custo. Infelizmente ela pode acabar passando dos limites se ninguém der uma trava na garota. Normalmente fazer novas amizades é algo bem complicado para Annabelle, tornando-se até mesmo exaustivo.

Mas por mais que ela possa amar alguém, por mais que ela possa inspirar ou assustar os outros, por mais que ela se possa proteger de danos externos, Annabelle tem noção de que vive numa corrida contra o relógio. A sua vida, infelizmente, tem os seus dias contados, é por isso que o sonho está acima de todas as outras coisas. Ser a maior cientista que o mundo já viu, ser a mulher mais forte e respeitada do mundo, ser aquela que vai elevar as capacidades humanas até outro nível. Mesmo que a sua tosse esteja carregada de sangue, mesmo que a febre seja a sua eterna companheira, mesmo que a visão possa cansar ocasionalmente, Annabelle nunca se dá por vencida até ao dia que cumprir o seu sonho de deixar uma marca no mundo. A mesma se recusa a morrer antes de deixar algo significativo para trás.

Após perder a sua irmã, a sua única e melhor amiga, Annabelle teve dificuldades em confiar nas outras pessoas, especialmente em adultos graças à sua mãe. A sua própria mãe era preconceituosa com Annabelle, tratando-a com desdém, felizmente o pai de Annabelle parecia ser o seu anjo da guarda. Mas quando ele também se foi, Annabelle não conseguia confiar nos outros, começando a criar em sua mente uma amiga imaginária: Lilith.

Esta figura toma normalmente a imagem de uma mink cabra de pelagem azul, contudo a mesma pode mudar de aparência (afinal é imaginação de Annabelle). Ela é bem simpática e energética, sempre tentando motivar Annabelle e fazer com que ela veja o melhor nas pessoas. Lilith é a representação da vontade de Annabelle conseguir confiar nas pessoas, a vontade dela de ser mais extrovertida, a vontade dela de contar piadas em vários momentos. Lilith é o tubo de escape psicológico que Annabelle mais usa em momentos de stress e tristeza, tendo conversas longas e demoradas, às vezes uma de acordo com a outra, às vezes uma contra a outra.

História:
 Deus… Universo… Destino… Ou mero acaso. Cada pessoa tem um nome diferente para dar, mas independentemente daquilo que chamem, nunca foi muito gentil com Annabelle. Embora tivesse um pai que a amasse, Annabelle sempre sofreu preconceito entre as outras crianças, o seu terceiro olho era algo bem incomum entre as pessoas de ShellsTown. Mas mesmo assim, sendo deixada de lado e zuada constantemente, Annabelle podia contar com a sua irmã gémea que, para a sua sorte, era uma humana normal. As suas eram muito unidas, sempre dispostas para ajudar uma a outra, era elas contra o mundo.

Mesmo não tendo muitos amigos, Annabelle era uma criança sorridente e alegre, seu pai e sua irmã eram aqueles que a tornavam mais feliz e segura, já a sua mãe parecia ter um certo grau de decepção com a garota, ela não sabia o real motivo e por vezes parecia até mesmo que ela sentia nojo da garota. Enquanto o seu pai trabalhava como sargento e a mãe cuidava das tarefas domésticas, as gémeas brincavam nas ruas normalmente sozinhas e raramente com outras crianças que não maltratavam Annabelle. Os Barozzi nunca foram cheios de dinheiro, a própria mãe era uma mulher com bastante domínio nas lâminas mas a vida no limite já não era para ela, o patriarca da família dava dinheiro suficiente para serem saudáveis e ocasionalmente ganharem presentes.

Annabelle e Catherine não eram santas, as duas causavam algumas confusões que acabavam por cair em cima da mãe para resolver, no que resultava numa bronca e castigo sempre mais severo e ríspido para o lado de Annabelle, e se ambas fossem culpadas a mãe dava um jeito de fazer Annabelle mais culpada que Catherine. Mas a garota não ligava muito para isso, na sua cabeça ainda achava que a sua mãe fazia aquilo para ela ser mais forte.

A vida de Annabelle era bem simples, sem complicações além do bullying ocasional, ela tinha o seu pai e a sua irmã. Ela não precisava de mais nada para ser feliz. Mas aquela força superior que muitos chamam de universo ou destino, acabou por cair sobre os Barozzi. Catherine e Annabelle decidiram brincar de esconde esconde numa floresta em ShellsTown, como de costume Annabelle era a primeira a contar e procurar. Contou até 100, algo padrão na brincadeira delas e, quando terminou, começou a procurar por Catherine. Ela chamava pela irmã, rindo e correndo pela floresta, mas a garota havia se escondido muito bem, tão bem que após 10 minutos Annabelle não havia encontrado a garota. Rapidamente começou a ficar preocupada, começando a entrar em pânico Annabelle começou a gritar desesperada pela irmã por mais meia hora, dizendo que não queria mais jogar o jogo e que Catherine havia ganhado mas… Nada parecia fazer a irmã desistir e sair do seu esconderijo.

Annabelle correu até ao QG da marinha, atrás do seu pai que certamente ajudaria a encontrar a irmã. Passou por todos os soldados numa velocidade incrível, indo diretamente até ao seu pai, chorando e sujando a farda dele com baba e ranho. Após alguns segundos para se acalmar, Annabelle explicou tudo para o seu pai que rapidamente ordenou que alguns dos seus homens o ajudassem a encontrar a garota. A busca se estendeu por mais 4 horas, mas não havia nenhum sinal de Catherine por toda a ilha, era como se tivesse sido apagada da face da terra. A única coisa que Annabelle conseguiu encontrar jogado no chão da floresta foi uma pulseira que Catherine usava, uma pulseira que Annabelle havia feito para ela.

Por algum motivo, a mãe de Annabelle achava com todas as forças que a garota era responsável pelo desaparecimento da irmã, mas nunca havia admitido isso na frente do pai da garota, já haviam problemas suficientes no ambiente familiar e ser considerada louca era a última coisa que ela precisava. As duas viveram numa guerra fria por dois anos, até ao sombrio dia que o pai da garota acabou por falecer, aquele que era o único protetor restante de Annabelle. Após a sua morte, a mãe de Annabelle se viu forçada a voltar a trabalhar, tomada por pensamentos insanos, a mulher começou a trancar a garota no quarto, dando o mínimo de comida para que ela não morresse.

Annabelle começou a nutrir um desprezo pela sua mãe tão grande, que inúmeras vezes ela sonhou com a mãe morrendo colocando um sorriso no rosto da garota. Claro que ela nunca teve real vontade de tirar a vida da sua mãe, apenas queria ver ela bem longe. Fechada dia e noite num quarto com o mínimo de luz, Annabelle começou a brincar com os ratos que entravam no quarto dela, no início ela brigava com eles sendo mordida várias e várias vezes, até que começou a aprender a usar o pouco alimento que ela tinha para domesticar eles para apenas poder matar eles lentamente fazendo experimentos seguindo as instruções no livros que a garota roubava do escritório do pai nas poucas ocasiões que conseguia sair do quarto.

As únicas fontes de entretenimento da garota eram brigas com ratos, livros sobre ciência e histórias sobre energias sobrenaturais e a sua nova amiga, Lilith. Uma garota que aparecia por vezes debaixo da cama de Annabelle, que se escondia sempre que a mãe entrava no quarto. A relação das duas parecia ser bem fluída e natural, a nova amiga sabia bem como Annabelle se sentia e como podia ajudar ela a esquecer a dor. Mas no final Lilith não era uma criança de verdade, apenas fruto da imaginação de Annabelle tentando mantê-la sã e não passar a linha que tornava ela humana.

Mesmo após a sua morte, o pai de Annabelle parecia continuar protegendo ela, após alguns meses da sua morte, um marinheiro e alguns empregados bateram na porta da casa de Annabelle. Tratava-se de um velho amigo do seu pai, um homem que devia um grande favor para os Barozzi, o Capitão Flamesguard. Ele era um marine de sucesso e riquezas, acolhendo Annabelle e a sua mãe.

Os Flamesguard eram bem ricos, mas o patriarca quase nunca estava em casa, era um homem bastante ocupado. O capitão era pai de um garoto um pouco mais velho que Annabelle chamado Eric. Era um garoto muito educado e simpático, mas infelizmente Annabelle parecia já ter começado a desenvolver bastante dificuldade fazendo novas amizades. Os dois recebiam aulas dos empregados da casa, mesmo convivendo todos os dias juntos, Annabelle demorou quase um ano para começar a falar por vontade própria com Eric, e tudo graças a Lilith que incentivava Annabelle a se abrir mais para o garoto.

Mesmo após 4 anos do desaparecimento, a mãe de Annabelle não havia parado de buscar por Catherine na ilha, aceitando que a garota não estava na ilha e se recusando a acreditar que ela estava morta, decidindo partir para o mar em busca da sua filha. A única pessoa que a mulher avisou foi o patriarca da casa, contudo Annabelle escutou tudo na noite de partida da sua mãe. Pela primeira vez em muito tempo, Annabelle finalmente se sentia segura e motivada para seguir algum caminho promissor para o futuro, mas não havia sido capaz de se desprender da sua amiga imaginária.

Parecia que os livros que a garota havia roubado do escritório do seu pai também estavam na casa dos Flamesguard, tendo mais volumes e conteúdos, fazendo a garota desenvolver um grande amor pela ciência e ocultismo. Ela sentia que poderia ser uma grande cientista e investigadora sobre os assuntos, aplicando-se imenso nos assuntos em questão.

Infelizmente, aos 15 anos acabou por descobrir que tinha uma doença degenerativa herdada pelo seu pai. Em vez de ficar triste ou desanimada, Annabelle decidiu que, não importava quanto tempo ela ainda tinha de vida, ela faria o seu nome como cientista, almejando ser a mulher mais inteligente e detentora de conhecimento do mundo.

Desde que a garota começou a se abrir para Eric, ela sentia um tipo de conexão com ele, como se ele a fizesse sentir segura e querida. Em segredo, a garota começou a gostar da presença do jovem, desejando mais e mais passar tempo com ele, mas ver ele com outras garotas deixava ela com um sentimento ruim no peito, um sentimento que ela não sabia explicar. Quando fez 16 anos, a garota confrontou Eric, confessando o seu amor por ele e pedindo para que ele aceitasse os seus sentimentos. O garoto não só aceitou como também parecia sentir o mesmo pela garota, fazendo-a se sentir a mulher mais sortuda do mundo.

A pedido do patriarca da casa, Annabelle e Eric decidiram entrar para a marinha, começando a treinar estilos de luta. Parecia que a garota tinha uma certa facilidade em usar adagas e espadas, para alguém com um corpo com uma saúde frágil, a garota parecia ter uma boa força bruta. Quando finalmente estavam confiantes de suas habilidades de luta, entraram na marinha, fazendo trabalho administrativo por um ano para se acostumarem a serem disciplinados e acatarem ordens de superiores. Certo dia, enquanto estava limpando a biblioteca do QG, Annabelle encontrou um pequeno furão machucado e com fome, por algum motivo ele a lembrava de si mesma, sentindo rapidamente compaixão pelo animal e levando ele até a um veterinário que pudesse cuidar dele. O animal parecia não ter para onde ir, então a garota decidiu domesticá-lo.


Características



Qualidades:
Prodígio (2 Pontos)Você é mais inteligente do que a média e tem facilidade em adquirir novos conhecimentos, em termos mecânicos, é capaz de aprender uma proficiência extra a cada nível ímpar, além de ter termos menos rígidos para tal aprendizado.
Mestre em Haki (4 Pontos)Assim que você desbloquear a especialização do Haki da Observação ou do Haki do Armamento, você pode escolher seguir dois caminhos de especialização simultaneamente. Nesse caso, os efeitos narrativos se acumulam, mas os bônus de atributo concedidos não. Nessa hipótese, o melhor atributo entre os dois será considerado sempre.
Ambidestro (1 Ponto)Você possui uma destreza elevada, sendo capaz de dominar igualmente a coordenação de ambos os lados do corpo.
Três Olhos (Racial)Você detém um terceiro olho funcional localizado em sua testa. Devido a esse fator, você tem um campo de visão mais amplo e preciso que um ser humano comum, em termos mecânicos, funciona como uma versão aprimorada da visão aguçada.
Sensibilidade (Racial)Independentemente do caminho de Kenbunshoku Haki que você escolher, ao ter a experiência necessária para adquirir a voz de todas as coisas, adquirirá a habilidade em questão.

Defeitos:
Apegado (2 Pontos)Eric é a pessoa mais importante para Annabelle, sem ele a garota não sabe o que fazer. Viver num mundo sem a pessoa que lhe é mais querida, é um mundo que ela não quer fazer parte. Por conta disso, Annabelle pode acabar por ser bem ciumenta, mesmo confiando 100% em Eric.
Doença degenerativa (3 Pontos)Você tem uma doença incurável ou de tratamento extremamente complexo que muito provavelmente vai vir a ser a causa de sua morte, isso é, se algo não acontecer antes. Você deve frequentemente tomar remédios fortes para controlar os sintomas da doença e/ou desacelerar a sua progressão, tendo de fazer isso ao menos 1 vez a cada 2 páginas. Caso não o faça, virá a sentir os sintomas de sua doença, como febre e tosse, e receberá a condição de Exausto II. Os sintomas irão durar até que você venha a ingerir seus remédios e passe ao menos um post descansando.
Ambição (2 Pontos)Annabelle tem o sonho de se tornar a maior cientista do mundo, a mulher que vai elevar a evolução para um novo nível, transcender o limite humano e criar algo formidável. Algo além da mortalidade do corpo. Seja através de armas, meios de transporte ou até mesmo máquinas parte humana e parte máquina, ou até mesmo apenas máquina. A garota quer ser um grande marco no ramo científico.
Louca (2 Pontos)Annabelle tem uma amiga imaginária que apenas existe na sua cabeça. Ela é cheia de energia e felicidade, acompanhando Annabelle por todo o lado e motivando-a a ser a melhor versão de si mesma. Annabelle por vezes esquece que Lilith é apenas fruto da sua imaginação, mas estando ciente ou não da realidade, Annabelle não consegue se desprender da sua amiga.
Aberração (Racial)Você pode esconder seu terceiro olho com o próprio cabelo ou acessórios, entretanto, todos que verem o seu terceiro olho podem lhe considerar uma aberração e uma parcela considerável da população certamente sentirá nojo ou desprezo em relação a sua figura apenas por conta disso. É importante frisar que nem todos terão esse pensamento e compactuam com essas ideias.
Valioso (Racial)Sua raça é extremamente rara e possui um alto valor no mercado de escravos, dessa forma, é comum que você seja perseguido constantemente se descobrirem a sua real identidade.


Atributos


Nível: 1
Experiência: 20

PdV: 140
STA: 100

Força: 7 + 2 [Raça] + 2 [EDC] = 11 [Regular]
Destreza: 0  [Incompetente]
Acerto: 5 + 4 [Raça] + 2 [EDC] = 11
Reflexo: 7 + 2 [Raça] + 2 [EDC] = 11 [Regular]
Constituição: 1 [Regular]

Agilidade: 11
Oportunidade de Ataque: 3
Redução de Dano: 0

Conhecimentos



Proficiências:
Mecatrônica
Mecânica
Doma
Física
Cirurgia

Cientista:
Os cientistas são mestres do conhecimento e da tecnologia. O maior objetivo de um cientista é expandir o horizonte da tecnologia atual e revolucionar o nosso modo de vida. Podem trabalhar para fazer engenhocas complexas, ou se juntar com outros profissionais para criar armas e navios tão avançados em relação aos outros que parecem mágicos aos olhos de um leigo.

Bônus: Jogadores cientistas podem usar o sistema de criação para criarem compostos químicos complexos, capazes de aplicar condições, além disso, podem usar o mesmo sistema para criar mecanismos e apetrechos inovadores.

Mascote


Newton
Animal:Furão.
Altura: 38 cm (sem cauda)
Peso: 2kg
Porte: Pequeno.
Raridade: Comum.
Aparência: Aparência
Personalidade: Newton é um animalzinho muito serelepe e agitado, gostando de atenção constante da sua dona e contato com a mesma. Sempre que pode, ele se enrola no seu pescoço ou entra nas suas roupas, ficando confortável e seguro. Sempre que sente Annabelle triste, o furão tenta brincar com ela para a distrair do que estiver a incomodando. Ele é um animal bem inteligente, conseguindo saber quando que a sua dona gosta ou não de alguém apenas pelo comportamento da mesma.
Atributos: Reflexo, Acerto, Destreza.

Comandos:
Lista de Comando complexos que foram ensinados ao seu mascote

Estilos de Combate



Espadachim:
Espadachins são especialistas em combates de curta distância, as formas de se manejar uma espada variam muito de acordo com quem a empunha, utilizam katanas, montantes, rapieiras, sabres e similares.

Ladina:
Ladinos são especialistas em combates de curta distância, fazem uso de lâminas curtas e escusas para pegar seus oponentes desprevenidos e realizar movimentos letais. Utilizam adagas, punhais e similares.


Técnicas


Nenhuma por enquanto.

Haki da Obervação


Não despertado.

Haki do Armamento


Não despertado.

Haki do Rei


Não despertado.

Berries: 5.125.000 ฿S

Itens



Cabeça:
- X -

Pescoço:
- X -

Tronco:
- X -

Braços:
- X -

Mãos:
- X -

Pernas:
- X -

Pés:
- X -

Armas:
Piquer (Adaga) :

Annabelle Petit Barozzi 8cf698e91fecdd3c19dc521750019508

Arma: Piquer (Ferrão)
Descrição: Trata-se de uma faca Butterfly simples, com a cor predominantemente preta e detalhes em branco. Possui alguns dragões entalhados no seu cabo. Infelizmente a arma foi comprada em segunda mão, estando cheia de arranhões e e até mesmo partes gastas. A lâmina ainda corta.
Tipo da Arma: Acuidade
Qualidade: Gasta
Durabilidade: Baixa
Dano: +1

Estado: Nova



Inventário


Trata-se dos itens carregados pelo que não estão equipados em seu corpo.

10 U

Nome do Item:
Espaço:
Descrição:

Embarcações


Nenhuma por enquanto.

Menções no Jornal


Nenhuma por enquanto.

Photoplayer



Photoplayer:

Annabelle Petit Barozzi XCYFJrh

Relações



Players:
[url=Link da Ficha do Player]Nome do Personagem[/url] - Relação com o Player

NPCs:
[url=Link com a Apar%C3%AAncia se existir]Nome do NPC[/url] - Relação com o NPC

NPCs Importantes:
[url=Link com a Apar%C3%AAncia se existir]Nome do NPC[/url] - Relação com o NPC



Última edição por Ryoma em Sab 15 Maio 2021, 22:46, editado 1 vez(es)
Skÿller
Ver perfil do usuário
Imagem : ALOU TESTANDO O TESTE TESTADOR DE TESTES TESTADOS
Créditos : 15
SkÿllerSoldado
https://www.allbluerpg.com/t272-annabelle-petit-barozzi https://www.allbluerpg.com/t303-voice-of-the-soul#875
Re: Annabelle Petit Barozzi Sab 15 Maio 2021, 21:29
Mi dá din din 5kk

https://www.allbluerpg.com/t357-evento-de-abertura-little-cow#1478

Código:
[spoiler="Piquer (Adaga) "]

[center][img(200px,200px)]https://i.pinimg.com/564x/8c/f6/98/8cf698e91fecdd3c19dc521750019508.jpg[/img][/center]

[b]Arma:[/b] Piquer (Ferrão)
[b]Descrição:[/b] Trata-se de uma faca Butterfly simples, com a cor predominantemente preta e detalhes em branco. Possui alguns dragões entalhados no seu cabo. Infelizmente a arma foi comprada em segunda mão, estando cheia de arranhões e e até mesmo partes gastas. A lâmina ainda corta.
[b]Tipo da Arma:[/b] Acuidade
[b]Qualidade:[/b] Gasta
[b]Durabilidade:[/b] Baixa
[b]Dano:[/b] +1

[b]Estado:[/b] Nova

[/spoiler]
Aproveita e arruma a minha arma bugada

_________________

Annabelle Petit Barozzi O0yljIK

Annabelle Petit Barozzi WhdRXxk

Fala Annabelle
Pensamento Annabelle
Fala Lilith
Ryoma
Ver perfil do usuário
Imagem : a
Créditos : 13
Localização : Sirarossa
RyomaAvaliador
https://www.allbluerpg.com/t308-hany-g-drezat https://www.allbluerpg.com/t316-art-1-forget
Re: Annabelle Petit Barozzi Sab 15 Maio 2021, 22:46
Atualizado.