Tópicos Recentes
Destaques
Klaus
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Akira
Sasha
Ás
Shiori
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Últimos assuntos
Perpétuos I - Malfeito FeitoHoje à(s) 9:02 ampor  MakaRegistro de PhotoplayerHoje à(s) 5:40 ampor  RyomaRenHoje à(s) 5:30 ampor  Ryoma[Criações] - RenHoje à(s) 5:29 ampor  RyomaZaynHoje à(s) 5:26 ampor  RyomaAgatha HarknessHoje à(s) 5:20 ampor  RyomaAnnabelle Petit BarozziHoje à(s) 5:17 ampor  Ryoma''Sir'' Douglas WhitefangHoje à(s) 5:04 ampor  Ryoma[Criações] - ''Sir'' Douglas WhitefangHoje à(s) 5:04 ampor  RyomaJoe SinsHoje à(s) 5:01 ampor  Ryoma
Página 10 de 10 Página 10 de 10 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10
Kenshin
Ver perfil do usuário
Imagem : A sailor who enlisted because she didn't want to get married - Página 10 XqxMi0y
Créditos : 26
KenshinDesenvolvedor
https://www.allbluerpg.com/t360-agatha-harkness https://www.allbluerpg.com/t1510-capitulo-ii-sonho-de-uma-noite-de-verao
Relembrando a primeira mensagem :

A sailor who enlisted because she didn't want to get married

Aqui ocorrerá a aventura do(a) Civil Rael Kronin. A qual não possui narrador definido.

_________________

A sailor who enlisted because she didn't want to get married - Página 10 J09J2lK

"Ah, mas eu não quero ter dois caminhos ou ah, mas eu não quero ter caminho nenhum. Ué, você já pode porra, a única coisa que te impede de fazer isso é ser zé metinha e querer ficar comparando o tamanho do pau com o coleguinha pra compensar o ego frustrado." - Luquinhas, 2022

Scylla
Ver perfil do usuário
Imagem : A sailor who enlisted because she didn't want to get married - Página 10 NFaEX9G
Créditos : 05
Localização : Las Camp
ScyllaSoldado
https://www.allbluerpg.com/t1207-luciferanna-von-brilliant#11238 https://www.allbluerpg.com/t1004-a-sailor-who-enlisted-because-she-didn-t-want-to-get-married

Admito que a ousadia do pequenino em tentar virar o jogo contra mim me surpreendeu pela coragem, ficava em silêncio descansando o canto do queixo em cima da mão parcialmente fechada e o cotovelo apoiado no chão. - Eu não vi você recusando ou tentando impedir meu gesto de afeto. - Arqueava uma sobrancelha encarando o anão num ar provocativo como se quisesse questioná-lo sobre quem de nós era o tarado da cena.

Observava o pequetuxo realizando seu breve discurso a respeito de o quão grandioso ele seria no futuro, era difícil não sorrir com ele demonstrando tanta ambição. - Snow-sama é? Kukukun! Então você tem esse tipo de fetiche? Você fica imaginando as outras pessoas eriçadas só com sua presença? NYAAWNN! O Snow-sama é tão legal!! . - Apertava as bochechas com as pontas dos dedos enquanto gemia meio alto ilustrando como os fãs do pequenino deveriam agir para deixá-lo, claro que eu só estava distorcendo suas palavras para provocá-lo ainda mais. - Eu gostei do Snowzinho exatamente como ele é agora, se você ficar muito diferente não vai ser divertido brincar com você. - Depois de mais uma piada eu fazia beicinho cruzando os braços e resmungava daquela decisão.

Mas houve um comentário feito pelo baixinho que deixava no mais puro ódio. - Relaxa Snowzinho, eu decidi que você vai ser meu! E ninguém além de mim vai poder te atormentar! - Apontava com o polegar na direção do busto estufado orgulhosamente, comigo fechando os olhos e sorrindo toda confiante durante a declaração de que iria protegê-lo, bom, não exatamente proteger. - Porque se alguém tentar qualquer coisa eu não hesitaria em fazê-lo sentir toda a dor do expurgo divino. Kukukukun! - Estava praticamente torcendo por essa possibilidade, tudo que eu mais queria era uma desculpa para executar o meu principal propósito nesse plano, a boca salivava só de pensar, um sorriso doentio lentamente ganhava forma em meu rosto conforme a risada se torna a mais cruel, apertava os dedos sobre a face apreciando aquele sentimento único de purificação.

Assim o tempo se passava e para minha breve tristeza o pequenino se mantinha equilibrado. - Ohhhhh! Você não caiu! - Dizia demonstrando estar impressionada pela façanha. - Eu tinha certeza de que o Snowzinho tarado ia pular do balde e tentaria agarrar os meus peitos com a desculpa de que estava tentando não cair na piscina. - Coçava a bochecha agindo como se já o conhecesse a bastante tempo e soubesse de suas estratégias vulgares para tirar proveito da situação. - Mas acho que me enganei. Tehe! - Mostrava a língua no cantinho desviando os olhos num semblante arteiro. - Não fica tão bravo, pensa que foi um treinamento tático em alto mar, os marinheiros fazem algo assim não fazem? . - Acenava duas vezes afirmativamente com a cabeça como se isso fosse capaz de tornar a minha desculpa esfarrapada mais convincente.

Inicialmente olhei feio para o baixinho agora considerando seriamente a idéia de afogá-lo. - Nhmpf! Não me chame de Luci. Tsc! Apelidos assim não combinam comigo. - Cruzava os braços inflando uma das bochechas ruborizadas enquanto olhava enfezada para o lado. Mas como eu poderia negar o pedido daquela criaturinha toda sem jeito e vermelhinha por causa da timidez. Eu já disse que ele é muito fofinho? - Tudo bem. - Prontamente aceitava o pedido sem dizer ou tentar nenhuma gracinha, o que claramente era motivo de desconfiança. - Mas você vai precisar trazer uma toalha até aqui. - Dizia olhando para as toalhas lá nos cabides alguns metros da piscina. - É que a água tá quentinha, e fora da piscina deve estar muito frio… - Nesse momento eu usava os dedos para segurar na borda da piscina e ia afundando até ficar só com o nariz e os olhos de fora, deixando os ombros encolhidos.

Quando o pequenino trouxesse a toalha eu a estenderia no chão, batendo com as mãos em cima do tecido. "Vem aqui." E então pegaria duas pontas da toalha uma com cada mão e começaria a esfregar devagarinho o corpo do anão, passando o tecido por baixo dos braços, em suas costas, na barriga, ao mesmo tempo ia cantarolando uma melodia toda alegre e inocente. Ele havia pedido para enxugar apenas os cabelos, mas Snow recusaria essa gentileza extra?

Antes de esfregar os cabelos do pequetuxo eu enxugaria a mão esquerda na toalha, e a utilizaria para envolver seu corpo. - Coloca os braços ao lado do corpo. - Assim o apertaria com minha mão que estaria mais calorosos em relação ao habitual devido a temperatura da piscina, não tinha força suficiente para machucar, mas o impediria de se mover como se meus dedos fossem correntes o envolvendo além de deixá-lo estável, também inclinava o queixo de Snow com o dedo indicador ligeiramente aberto. - Eu sei o que estou fazendo. - Diria aproximando minha boca de sua orelha caso Snow questionasse a o motivo daquela "prisão", bem, era assim que eu penteava as bonecas quando criança, e também é bem parecido com jeito que passei a segurar certos objetos depois não ser mais criança… A haste do chicote, obviamente. Tendo certeza de que ele ficaria estável com cuidado começaria a esfregar a toalha nos cabelos do Snowzinho, usando a pontinha para enxugar atrás das orelhas, sendo bastante caprichosa no processo.

Porém o diabinho interno era muito incisivo para ser ignorado, e antes de soltá-lo eu pinçava a toalha nos dedos da mão direita e começava a esfregar os cabelos do pequenino de baixo para cima. Pfff! Prontinho. Pff! Eu terminei! Pfff! Kukukun! - Engasgava com a gargalhada tentando concluir aquela simples frase, e mal dava tempo de terminar comigo já apertando a boca para não fazer um escândalo de tanto rir. Se o Snowzinho ficasse confuso com a razão dessa crise de risos eu abaixaria o rosto ficando bem pertinho dele e faria questão de deixar meus olhos radiantes como o sol bem abertos, permitindo-o enxergar o próprio reflexo em minhas orbes, e se meu plano maquiavélico fosse bem sucedido o pequenino estaria com os cabelos todos arrepiados para cima.

Tendo terminado eu ficava de pé na borda da piscina enrolando o lado da toalha que não havia encostado no chão em meu busto e iria correndinho na ponta dos pés fugindo do frio até o local coberto onde havia deixado as roupas. E quando chegasse no quentinho. - Ei Snowzinho! Agora você tá devendo um favor! - Abria um largo sorriso diabolicamente travesso para o anão, logicamente toda aquela prestatividade não sairia de graça, e eu com certeza iria cobrar. - Um honrado homem da justiça tem que pagar suas dívidas, não é mesmo? Kukukun! - Sem remorso algum eu apelava para chantageá-lo diretamente no ego, colocava os dedos na boca para dizer que estava cobrindo o rosto risonho cheio de dentes mas de fato não fazia questão alguma de esconder meu divertimento.

Assim começaria a enxugar as pernas, e quando terminasse logo iria a calcinha seguido do collant puxando-o até a cintura, ainda tá muito para ficar enrolando com o corpo molhado, em seguida enxugaria o tronco e os braços, para trajar o sutiã esportivo, e pronto, amarraria os mangas do collant na cintura estando protinha para retornar o quartel, lembrava de carregar os preciosíssimos cremes hidratantes além de pagar a proprietária pelo banho divertido.


”Histórico”:
Ex-Panda
Ver perfil do usuário
Imagem : A sailor who enlisted because she didn't want to get married - Página 10 31e5da10d4f3dfb7fa2a1d79e251d5f1
Créditos : 08
Ex-PandaCivil
https://www.allbluerpg.com/t1611-zayn#17239 https://www.allbluerpg.com/t1586-morte-e-sangue#16916


Post 15



A SAILOR WHO ENLISTED BECAUSED HE HOPED TO BANG HIS SUPERIOR



Ela brincava até mesmo com as coisas serias que eu dizia, falando que seu eu mudasse não seria divertido, ou fingia ser uma fã minha, essa mulher realmente não batia bem da cabeça.

Quando eu comentava sobre a minha stalker luciferanna parecia ficar incomodada com o fato de outra pessoa querer “brincar” comigo, mas ela não entendia o poder da senhorita Kotaro, dinheiro e força e influência, ela tinha os três.

— Hiehiehiehiehie, você não teria chances contra ela bobinha! Mas não se preocupe ela esta presa, e eu aprecio mesmo que seja de uma forma meio tosca a sua tentativa de me proteger...

Depois dela tentar me derrubar e eu chegava em terra firme estufava o peito orgulhoso, mas ao mesmo tempo ficava um pouco irritado por ela achar que eu era um pervertido como ela.

— Eu já disse que não sou um pervertido! Não como você pelo menos, afinal eu também sou um homem...

Luci ficava irritadinha pelo fato de eu ter dado um apelido a ela, o que era meio engraçado a ver perder a compostura também, eu ainda não iria a chamar assim já que eu iria pedir um favor, mas logo mas eu a atormentaria com isso.

A sailor who enlisted because she didn't want to get married - Página 10 B57a287856ce1ee72c6b03d24bc9245c

Era difícil ver uma mulher como ela se mostrar tanto na minha frente, mas o verdadeiro desafio que estava por vir era muito mais árduo do que apenas a manter os olhos em seu belo rosto.

Após meu favor audacioso que ela aceitava, mas com uma condição, pegar uma toalha, bom isso não era exatamente difícil já que tinha muitos moveis para eu pular caso estivesse em um local alto.

— Vou te mostrar qual a especialidade da nossa raça, mesmo que eu não goste muito disso eu sei que somos bons nisso!

A sailor who enlisted because she didn't want to get married - Página 10 Fd84665a5ddd0fe0796e9fef64665fff

Iria correndo o mais rápido possível até a toalha, pularia em moveis para me esquivar e me mover da melhor forma possível, com saltos e mortais, enquanto isso eu cobria minhas partes intimas no processo já que seria meio estranho estar totalmente nu dando mortais.

Voltaria rapidamente até ela e a entregaria o que tinha me pedido, logo ela parecia começar a me secar, mas não só o cabelo.

— Espera você vai me secar todo?? Você vai tocar em partes estranhas!

Ela novamente não parecia ligar muito e começava a secar cada centímetro de meu corpo, tudo o que eu podia fazer era fechar os olhos e pensar em coisas tristes e me concentrar para não deixar a situação ficar “difícil”.

Quando ela esfregasse minha barriga era o momento em que eu ficaria mais vermelho, respirar fundo e me concentrar enquanto meu corpo ficava completamente rígido pela tensão de onde sua mão tocava.

Mesmo quando ela me pegava como um boneco em suas mãos eu não conseguia fazer nada, não podia abrir os olhos, logo após sentia sua respiração em meu ouvido enquanto ela sussurrava algo, me arrepiava dos pés à cabeça.

Depois de um grande desafio ela me colocava no chão completamente seco enquanto começava a se controlar para não rir, eu ficava confuso por um tempo, então se ela se abaixasse e me mostrasse seus olhos eu entenderia o porquê.

A sailor who enlisted because she didn't want to get married - Página 10 44c2407647d830f3d4df3b5cdebc3c71

— AHH droga por que você fez isso? Meu cabelo é muito sensível, quase como seda, agora vai demorar pra caramba para eu o arrumar!

Enquanto ela saia do banho eu tentava com minhas mãos abaixar meus fios brancos da cabeça, mas não deixava de dar uma espiada discreta no corpo de luciferanna, depois disso ia para a mesma área que ela e me vestia.

Logo ela mostrava suas verdadeiras intenções e queria me cobrar do favor que acabou de prestar, quem diabos cobra favores? Bom, mas eu não podia reclamar eu acho...

— Claro claro, se não for nada ilegal eu posso “pagar” meu favor depois, mas talvez a gente não vá se ver muito, afinal como eu disse eu sou um marinheiro e logo sairei dessa ilha para continuar minha jornada...

Depois de vestido eu olhava para ela provavelmente com suas roupas também e um sorriso maligno aparecia em meu rosto.

A sailor who enlisted because she didn't want to get married - Página 10 B8a1584861b66b947a63d23097f57f5e

— A gente se vê por ai LUCY! Hiehiehiehiehiehiehie

Depois de novamente a chamar por o apelido que ela parecia não ter gostado corria de braços abertos para fora do banheiro e checava a situação, e claro que ficava esperto para caso ela tentasse alguma gracinha como me agarrar ou algo do gênero.

Se ela tentasse usaria minha agilidade para me esquivar sempre que possível, saltando ou mesmo passando por suas pernas a fazendo ficar confusa.

Historico:


Personagem:



Code by Arthur Lancaster



_________________

A sailor who enlisted because she didn't want to get married - Página 10 XaxriMi
Jean Fraga
Ver perfil do usuário
Imagem : A sailor who enlisted because she didn't want to get married - Página 10 0tSpN1S
Créditos : 05
Jean FragaEstagiário
https://www.allbluerpg.com/t1620-liu-feng#17327 https://www.allbluerpg.com/t1586-morte-e-sangue


A sailor who enlisted because the world needs a hero


- É só deixar fluir... -

Sentia uma empolgação preenchendo meu corpo, sorria muito animada ainda que envergonhada, tentaria me concentrar para não fazer tudo errado na frente de Rael.

Seguindo suas instruções iniciais, ficava então de mãos dadas com ela, com a puxada, que então nos colava fisicamente, meu rosto se surpreendia com um sorriso feliz, já mais perto, posicionando meu braço em seu ombro como indicado.

Tentaria imitar a forma como Rael manteria sua postura, para ela poderia ser um pouco mais fácil essa fixação entre nossos olhos, chegava a respirar fundo quando tirava os olhos dela momentaneamente, mas acalmando-me com suas falas, eu voltava meus olhos para Rael, dessa vez mantendo-os naquela direção.

O inicio era do nada e acabaria pisando em falso, mas rapidamente ajeitando minha posição, sorria envergonhada e Rael conseguiria sentir minhas mãos suando, assim como meus ombros ainda bem tensos.

Minha respiração ofegante e ainda assim cortada, era a cereja do bolo dentre os sinais de nervosismo, a cada ida e vinda, passo a passo, senti-a como se me movesse de forma robótica e não natural.

— Fluir... ta, vou tentar... – Inspirando pelo nariz e soltando lentamente pela boca, ia acalmando-me conforme minha concentração iria se potencializando, mas notava que até a concentração em excesso me tirava do ritmo.

Então, tentava seguir os movimentos de forma mais natural, movendo meus pés e tronco com mais leveza e delicadeza, deixando que meu corpo dançasse o ritmo imposto.

Meus ombros iam se abaixando e meu rosto, agora mais calmo do que antes, compartilhava leves sorrisos com Rael, — Waltz Box... vamos! – Chegava a sentir gosto naquela arte, tentando acompanha-la nos movimentos, acelerando com ela, se conseguisse.

Sentia até mais confortável de naquele momento, podermos dançar sem que pessoas no olhassem, o silencio no ambiente completava o pacote para que eu conseguisse me soltar e pelo menos naquele momento, viver aquilo.

Sentia-me apreensiva diante do questionamento, mas naquela altura do campeonato, a resposta já era meio obvio, — Sim! Muito... C- Confio!

Repentinamente era tirada daquela zona de conforto e chegava a sentir um pouco de medo conforme sentia que estava prestes a cair no chão, mas as mãos que naquele momento, ainda que delicadas, traziam a firmeza necessária para que me sentisse segura em seus braços.

Voltando ao ponto de início, tentava não admitir, mas com risadas, tentava manter minha mente calma, — A primeira vez sempre dá um medinho né..., mas quando senti suas mãos pude me soltar para contemplar o momento...

A dança se manteria por mais um tempo e lentamente ia parando de me mexer conforme minha parceira parava, neste instante, olhava a nossa volta rapidamente e quando voltava meus olhos para a moça, tinha maior noção da nossa proximidade, minhas bochechas chegavam a se corar e meus olhos naquele momento viajava entre os olhos e a boca de Rael.

A mão sobre minha cintura me deixava mais envolvida naquele clima que ia se formando, — É só deixar fluir... – Repetia as palavras dela internamente, assim caminhando com minha mão que estava em seu ombro para então, seu rosto.

Ia também aproximando meu rosto, deixando meu corpo naquele momento tomar conta das rédeas, assim, fechando os olhos, sentia poucos segundos após o encontro de nossos lábios.

Ainda que diferente do que havia imagino em como seria a real sensação, era tão gostoso quanto pensava, acariciava o rosto de Rael e assim como na música, deixava fluir.

Porém Rael se afastava e isso criava inseguranças momentâneas na minha mente, entendendo em seguida com sua fala que até ela sentia coisas parecidas com as que sentia.

Sorria e me aproximando, entrelaçava uma de minhas mãos com a dela, enquanto que com a outra segurava seu delicado e macio rosto, — Como você mesmo me ensinou antes... deixe fluir... – Com uma aproximação mais rápida do que na primeira vez, beijaria com mais intensidade, tentando até naquilo encontrar uma harmonia entre nos.


HistóricoInfo
Nº de Posts: 26
Ferimentos
  • N/A

Objetivos
  • Macetar a Rael
  • Macetar a Tenente
  • Fazer uma missão
  • Aprender cirurgia 
  • Aprender física

Ganhos:
  • Par de Soqueiras - Post 06
  • Pistola - Post 06
  • Uniforme da Marinha - Post 06
  • 1.500.000 Berries - Post 10
  • Roupas intimas - Post 13
  • Look casual - Post 14
  • Livro de física - Post 16
  • Livro de cirurgia - Post 16


Perdas
  • 800.000 Berries - Post 14
  • 20.000 Berries - Post 16
  • 20.000 Berries - Post 17



Shiori
Ver perfil do usuário
Imagem : A sailor who enlisted because she didn't want to get married - Página 10 CSDlXWh
Créditos : 05


Trio - Marinheiros



Rael & Ravena

As duas moças começavam a dança do acasalamento, era um ensinamento realmente novo para Ravena, que ia tentando seguir a dica, deixar fluir, claro ela não era proficiente naquilo, então seus passos não eram muito coordenados, entretanto Rael conseguia conduzir a dança de uma maneira, que a moça a seguia.

Mesmo que não fosse com perfeição, Ravena tentava, conseguindo obter alguns resultados, algumas vezes ficando um pouco perdida, e sendo controlada pelos movimentos de Rael, que era quem acabava guiando toda a a situação, de modo a não deixar que a sua parceira de dança ficasse toda perdida.

Mesmo assim, o que acontecia no final mudava um pouco as coisas, elas começavam uma “Dança” diferente, onde dessa vez as línguas eram as protagonistas e guiavam toda a ação é claro.

Snow & Luci

O banho dos dois chegava ao fim, onde ela começava a colocar as roupas, os sons eram gostosos de ouvir, afinal era o algodão passando sobre a pele e no final o elástico batendo sobre ela, quando a moça colocava as roupas íntimas, um Show, que o soldado poderia ficar feliz de presenciar. Mas logo os momentos chegavam ao fim, com uma possível lacuna que era um pedido em aberto da moça.

Yura

A moça logo começou a cobrar de seu fantasminha que acabara de lhe fazer passar vergonha e ele então dizia.-Ow ow ow eu não quero explodir denovo tá aaaawwwaaaaaaa- e ia sendo levado pra dentro dos containers enquanto ela revistava o lugar. Ele ficava assustado e passava através dela algumas vezes dando aquele friozinho e arrepio.

Ela então ia caçando enquanto o fantasminha reclamava.-Vou reclamar pra associação de direitos dos espíritos viu!!- enquanto ele mexia nas caixas, e algumas até caem, parecia que ele tava rebelde naquele dia. Mas no fim eles terminavam todos os containers, não encontrando nada por ali.

O que indicava que estava tudo limpo naquela região, a Tenente terminou também.-Vamos embarcar a galera, parece que os containers estão limpos.- então ela ia até a fila e pedia que as pessoas fizessem duas filas, uma ficaria com a sua subordinada e outra com ela.

A voz da tenente ecoava.-Todos façam duas filas pra embarque e tenham seus documentos em mãos.- disse ela, entregando uma prancheta pra Yura, onde tinha imagens de como os passaportes deveriam se parecer, o selo que devia ter neles autorizando a viagem.-Cheque todos os passaportes, se faltar alguma coisa neles, me avise, pois a pessoa não poderá embarcar.- disse ela com bastante firmeza sobre o que restava da missão.

Histórico:


Legenda:


_________________

A sailor who enlisted because she didn't want to get married - Página 10 YHVeK1M

A sailor who enlisted because she didn't want to get married - Página 10 VYrwji0
Ex-Panda
Ver perfil do usuário
Imagem : A sailor who enlisted because she didn't want to get married - Página 10 31e5da10d4f3dfb7fa2a1d79e251d5f1
Créditos : 08
Ex-PandaCivil
https://www.allbluerpg.com/t1611-zayn#17239 https://www.allbluerpg.com/t1586-morte-e-sangue#16916


 
Post 15

 

 
A SAILOR WHO ENLISTED BECAUSED HE HOPED TO BANG HIS SUPERIOR


 
Depois de uma noite bem agitada eu estava realmente cansado, depois de verificar tudo mais uma vez eu ia logo ao meu quarto para descansar, quando amanhecesse eu teria cumprido a minha primeira missão.

Depois que eu caísse no sono provavelmente não acordaria nem tão fácil então rezava para que tudo ficasse bem, quando amanhecesse eu iria imediatamente a dona do local com um grande sorriso no rosto.

A sailor who enlisted because she didn't want to get married - Página 10 1b1e0e9e28562d2166e328a160321b85

— Bom dia senhorita! Meu trabalho aqui está feito! Por sorte sua estalagem parece bem segura, então é aqui que nos despedimos, mas não se preocupe você ainda vera meus nomes nos jornais um dia hiehiehiehie.

Saia correndo abanando dando tchau com minha mão direita, logo depois assoviava chamando Flake e então partia direito para o QG da marinha, eu ainda precisava tomar café da manhã por lá, minha fome era imensa!
   
Se tudo ocorresse bem no voo eu pousaria perto da cantina e pegaria alguma coisa que fosse fácil de comer e iria correndo para a sala da tenente me apresentar depois de minha missão completa.

A sailor who enlisted because she didn't want to get married - Página 10 B37ece993859d7a4c6df7fee19708529

Bateria em sua porta antes de entrar tentando comer tudo se ainda não tivesse feito isso, se ela me deixasse entrar eu correria para a mesa e então subiria, quando chegasse no topo bateria continência e então daria meu relatório.

— Soldado Snow se apresentando tenente! A missão foi um sucesso, na verdade aquele local era bem seguro e os supostos caras maus que estavam lá eram apenas um casal fetichista que gostava de coisas como abuso...

Era meio vergonhoso ter de falar disso em um relatório, mas era a verdade.

— A noite também não houve nenhum problema então eu voltei agora de manhã como o combinado!

Se depois fosse liberado iria correndo comer mais, um lanchinho não faria nada em minha monstruosa fome, estava feliz por ter completado minha primeira missão, e assim espero que continue.

A sailor who enlisted because she didn't want to get married - Página 10 642eebde98e9b89d9001ee6db2a54d36

Historico:


Personagem:


 
 Code by Arthur Lancaster



_________________

A sailor who enlisted because she didn't want to get married - Página 10 XaxriMi
Milabbh
Ver perfil do usuário
Imagem : A sailor who enlisted because she didn't want to get married - Página 10 D776fa701dbbd5baf79e8a90639230aa
Créditos : 05
Localização : Ilhas Organ - East Blue
MilabbhCivil
https://www.allbluerpg.com/t1609-ophelia-jester#17229 https://www.allbluerpg.com/t1586-morte-e-sangue#16916


   
10

   

   
A SAILOR WHO ENLISTED BECAUSE A GHOST TOLD HER TO DO SO

   
O fantasma não me ajudava, ao invés disso, me dava calafrios passando pelo meu corpo. Com o rosto contorcido em agonia eu exclamava. - Ei! Se não vai ajudar também não atrapalha né? - E terminava outro container.

No fim, ele concordava e até vistoriava algumas para mim, fazendo-me sorrir com seu comentário. - Ahãammm. Mesmo se existisse uma, acho que eles não acreditariam em você. Algo me diz que você deve ter uma fama de mentiroso... E desastrado. KABUM! - Brincava com ele e ria, depois percebendo que os containers já estavam no fim.

Me aproximava da tenente para informar do progresso, ela também parecia não ter encontrado nada. Em seguida, uma nova ordem era dada, formar filas para embarcar as pessoas. Prestando uma continência, respondia. - Sim senhora!

Seguia para a entrada do navio, me posicionando na rampa que dava acesso a ele. Parada ali, recebia a prancheta e outra recomendação. A fila começava a se mexer, e tentava fazer meu trabalho de forma ágil, porém competente. Fitava cada passaporte com afinco, em busca de qualquer discrepância, e apenas desviava o olhar para reconhecer a pessoa em minha frente e lhe desejar uma boa viagem.

A sailor who enlisted because she didn't want to get married - Página 10 38994198991_ba26f26ca6_o

Se por acaso encontrasse qualquer inconcistência, sorriria amigavelmente para a pessoa, fingindo que tudo estava bem, pediria algum outro documento para distraí-la e, quando ela fosse pegá-lo, surpreenderia o meliante com algemas em suas mãos, se falhasse, apenas sairia correndo e gritando para que alguém parasse o fujão, afinal, aquele lugar estava cheio de marinheiros.

No entanto, torcia para que tudo corresse bem e que meu trabalho fosse tranquilo o suficiente para que todos embarcassem sem problemas. Era o início de uma nova aventura, e esperava que fosse com o pé direito... Mas navio não tem pés... Ah, deixa pra lá!

De qualquer forma, após conferir os passaportes de todos na fila, seguiria para o QG, onde procuraria a tenente para receber o feedback da missão que realizei, bem como uns Berries, claro. Por fim, largaria meu corpo em minha cama, sentindo o cansaço pesá-lo contra o colchão e tentando adormecer, mas possivelmente falhando nessa missão.
   
Historico:


Personagem:


   
   Code by Arthur Lancaster




Última edição por Milabbh em Sex Mar 11, 2022 12:55 pm, editado 1 vez(es)
Jean Fraga
Ver perfil do usuário
Imagem : A sailor who enlisted because she didn't want to get married - Página 10 0tSpN1S
Créditos : 05
Jean FragaEstagiário
https://www.allbluerpg.com/t1620-liu-feng#17327 https://www.allbluerpg.com/t1586-morte-e-sangue


A sailor who enlisted because the world needs a hero


- O fim do primeiro dia -

Em um transe quase que magico, minha mente parecia abrir certas portas ainda fechadas, meu corpo queimava, meu rosto se esquentava e todas aquelas novas sensações eram magnificas, sentia-me naquele momento no paraíso.

Lentamente ia me afastando após alguns segundos, descendo minhas mãos até as mãos de Rael, — Está tudo ótimo... só temos um problema... e se a Luci chegar? Você vê problema em ela saber?

— Se bem que ela está naquela personalidade maluca e bom... talvez seja melhor deixar essa informação para mais tarde... – Ficando na pontinha do pé dava um selinho em Rael, agora me afastando.

— Vou arrumar minhas coisas para ir dormir... – O sorriso ainda que feliz, delicado podia demonstrar minha alegria com aquilo tudo.

Contudo, caso meu medo de Luciferanna se concretizasse e ela aparece antes mesmo deu falar com Rael, até mesmo enquanto se beijássemos, assim que a percebesse, me afastaria bruscamente de Rael.

— Ehhhh... – Porem acalmando-me, levantava o rosto e mantinha minha postura bem ereta – É o que você viu! Eu e Rael se beijamos. – Minha fala firme e concreta criava uma segurança dentro de mim.

Virando-me para Rael, daria agora um selinho em sua boca, mesmo que Luciferanna visse, — Vou arrumar minhas coisas pra ir dormir... – Sorria tentando passar parte da minha segurança para Rael.

Pegava o livro de cirurgia que estava sobre minha cama e o guardava no armário junto do livro de física, subindo no beliche, ajeitaria meus lençóis e meu travesseiro.

— Tem problema se eu deixar a janela um pouco abertinha só pra entrar um ventinho? – Caso alguma das duas não concordasse, eu manteria fechado, mas sendo tudo bem, abrir parcialmente a janela.

Subindo no beliche novamente, — Vamos dormir então... que se hoje foi corrido, imagina amanhã... Alguma de vocês pode desligar a luz? Boa noite meninas... – Deitando por debaixo dos lençóis, eu tirava minha roupa, deixando-a apoiada na ponta do beliche, preparando para me dormir então somente de Calcinha e sutiã.

Com as luzes apagadas e cobrindo até a cabeça, esfregava meu rosto no travesseiro, despojando toda minha ansiedade nele, antes agi com uma pose mais firme, mas sentia meu coração bater forte e disparar quando me recordava do beijo.

Tendo Rael em minha noite, levaria um bom tempo até dormir, processando tudo aquilo e digerindo parte por parte, o dia havia sido tão emocional e carregado quanto eu poderia imaginar que seria um primeiro dia.

A missão foi legal apesar de simples, mas tudo após foi maravilhoso, encontrar companheiras que podia considerar minhas amigas, passar por tantas coisas divertidas e emocionantes deixavam o meu primeiro dia como uma perfeita montanha russa.

E Rael com certeza foi a cereja desse bolo, eu não sei exatamente o que aconteceu para essa nossa rápida conexão, por mais que quisesse viver tantas outras coisas, não queria me emocionar também... afinal, foi só um beijo... e se ela só queria dar um beijo e foi isso? Vai acabar dessa forma?...

Deitando de lado, neste caso com as costas na direção da parede, aconchegava minha cabeça sobre o travesseiro e envolvendo parte do lençol entre minhas pernas, iria aos poucos pegando no sono, apesar de estar super animada, o dia também havia sido cansativo, me acalmando até que eu dormisse.


HistóricoInfo
Nº de Posts: 27
Ferimentos
  • N/A

Objetivos
  • Macetar a Rael
  • Macetar a Tenente
  • Fazer uma missão
  • Aprender cirurgia 
  • Aprender física

Ganhos:
  • Par de Soqueiras - Post 06
  • Pistola - Post 06
  • Uniforme da Marinha - Post 06
  • 1.500.000 Berries - Post 10
  • Roupas intimas - Post 13
  • Look casual - Post 14
  • Livro de física - Post 16
  • Livro de cirurgia - Post 16
  • Par de Luvas de Combate - Presente Rael - Post 25


Perdas
  • 800.000 Berries - Post 14
  • 20.000 Berries - Post 16
  • 20.000 Berries - Post 17



Scylla
Ver perfil do usuário
Imagem : A sailor who enlisted because she didn't want to get married - Página 10 NFaEX9G
Créditos : 05
Localização : Las Camp
ScyllaSoldado
https://www.allbluerpg.com/t1207-luciferanna-von-brilliant#11238 https://www.allbluerpg.com/t1004-a-sailor-who-enlisted-because-she-didn-t-want-to-get-married

Meu corpo todo ficava rígido como se uma corrente elétrica estivesse me estremece do, apertava ambos os punhos com força enquanto puxava o ar pelas frestas dos dentes cerrados, ficou óbvio que Snowzinho só me chamou daquele jeito para provocar, mas isso não diminuía a raiva do apelidinho. - Não se preocupe o nosso reencontro será mais breve do que você imagina… - Desabafava me tranquilizando pelo fato de que a vingança era apenas questão de tempo, como ambos compartilhamos da mesma profissão seria bem fácil encontrá-lo no quarto, e talvez isso fosse o mais assustador, porque eu não estava ameaçando nem nada do tipo, apenas tinha bastante certeza de que aquilo iria acontecer. - Kukukukun! - Meus ombros subiam e desciam lentamente conforme eu apreciava a deliciosa risada, comigo baixando ligeiramente a cabeça com a longa franja obscurecendo grande parte de meu semblante alegre e igualmente perturbador. Eram tantas idéias divertidas se passando pela minha cabeça… Eu faria todo trajeto casa de banho até o quartel general caminhando toda serelepe planejando as próximas travessuras.

Sem maiores delongas iria me deslocar até o quarto abrindo a porta sem fazer cerimônias e me deparasse com o beijo melodramático do casal *RavEl" por um instante seria como ganhar na loteria, era uma vasta possibilidade de implicâncias que eu poderia fazer, mas toda a diversão se esvazia com a reação indiferente de Ravena. - Hunpf! Eu sei o que vi. - Esnobava a morena empinando o nariz só porque ela havia estragando minha diversão, e a passos rígidos caminharia até minha cama ficando de costas para a dupla. - Esse é um problema só de vocês. - Tentava dizer num tom arisco, mas era bem difícil meu rosto insistia em sorrir orgulhosa da maturidade demonstrada por Ravena, talvez não ficasse tão claro, mas nas entrelinhas daquelas palavras havia um conselho, somente a opinião delas deveria importar, e não se deixarem levar pelo julgamento alheio. - Mas precisava ser só de calcinha? - Felizmente havia algo naquela cena para ser utilizado como munição para aprontar, o fato delas estarem de pé no meio quarto trajando roupas íntimas, o que me deixava bem intrigada se elas haviam se tocado desse pequeno detalhe.

Porém se eu chegasse no quarto e tudo estivesse em paz. - Ohhh… Eu tinha certeza de que chegaria aqui e vocês estariam praticando atos libidinosos… - Dizia como se estivesse desapontada por elas estarem comportadinhas, mas na verdade isso me iria me tranquilizar bastante, pois era sinal de que o quarto não foi profanado.

Assim iria me preparando para dormir, deixando os creminhos em cima da cabeceira perto da cama, e subitamente girava o pescoço por cima do ombro colocando o braço curvado na frente do rosto no pique do batman igual as poses clichês que os vampiros fazem quando tentam ser misteriosos ou assustadores nos livros de fantasia, nesse momento olhar afiado se moveria bem rápido de um lado para outro analisando ambiente hostil para ter certeza de que Raven e Rael não iriam tomar parte do meu precioso hidratante.

Em seguida iria me despindo e colocando as roupas estendidas em algum móvel do quarto. Antes de dormir havia algo que gostaria de fazer, se houvesse uma escrivaninha com papel, tinta e uma pena para escrever eu pegaria tudo isso me deslocando até a janela aproveitando a luz natural do luar.

"Os anões existem, eles são bem menores do que aqueles que a gente lia nas fábulas, eu encontrei um deles hoje, provavelmente foi alguém dessa raça o responsável pelos roubos na farmácia e no mercado que você investigou hoje cedo, eu acabei me distraindo e não relatei nada para a tenente… Desculpe." Teria escrito a mensagem para que minha outra metade pudesse ler quando acordasse erguendo o papel contra a janela apenas conferindo a mensagem. "Parabéns pela missão." Escrevia essa última frase com uma letra bem pequenininha no cantinho do papel, colocando-o embaixo dos recipientes de creme, obviamente cobrindo a parte que eu congratulo Luci.

E quando estivesse enroladinha na coberta pronta para dormir. - Ei! Até de noite. - Não vão confundir as coisas, eu não falava isso desejando novamente me encontrar com Rael e Ravena, eu só estava sendo educada, só isso, não é como se eu houvesse desenvolvido sentimentos afetivos e carinhos pelas duas só porque elas eram divertidas, simpáticas, fofas, facilmente provocadas e por isso eu acabava gostando de suas companhias, nada haver, como eu poderia gostar de pessoas assim? Até parece, foi apenas uma questão de cordialidade e boa educação, ta ok!? Na verdade eu nem me importaria se elas já estivessem dormindo e não escutassem nada. Hunpf…Ta…Talvez eu me importaria, mas só um pouquinho, porém não digam isso para aquelas duas. u.u


”Histórico”:
Garota Cavalo
Ver perfil do usuário
Imagem : A sailor who enlisted because she didn't want to get married - Página 10 18207c75bc057d17d1e1360e089cd8c4
Créditos : 29
Localização : Las Camp - West Blue

Histórico

Rael Kronin




Post: 32
Objetivos• Fazer missão?
• Macetar a Raven
• Macetar a Tenente
• Aprender Costura

Ganhos• Memórias Póstumas (sabre)
• Manto
• Uniforme de Soldado
• O Espadão Mk.2
• Algemas
• 1.500.000 Berries - Post 15
• Roupas - Post 18
• Perícia Costura- post 29

Perdas• 1.100.000 Berries

Ferimentos

Relações
Senhora UohtaUma senhora que ajudou Rael à escapar de seu lar através de seu restaurante marítimo, por seis dias Rael trocou trabalho por estadia, e muito grata com a senhora, jurou ajudá-la caso algum dia precisa de ajuda em retorno.



Berries: 650.000 ฿S
Ferreira

Inventário



Proficiências• Dança
• Física
• Forja
• Joalheria
• Mecânica

Qualidades• Versátil
• Ambidestra
• Atraente
• Carismática
• Liderança
• Afinidade com Haki

Defeitos• Extravagante
• Altruísta
• Heroico
• Impulsivo
• Ingênuo

Ken no yuusha


    A sensação era de flutuar, como quando você passa o dia inteiro no mar e ao deitar na cama sente seu peso sendo levado pelas ondas e uma leveza gostosa, era como Raven fazia eu me sentir naquele momento, estava tão envolvida que por alguns instantes me esquecia até de respirar.

    Com Ravena se afastando, eu ia vagarosamente sendo puxada de volta ao meu corpo, ficando com a mente vazia mas ainda com um sorriso meio bobo no rosto, não processava as perguntas da morena, pra falar a verdade nem mesmo as consegui ouvir, acordava totalmente no momento de receber o selinho, e ao ver Raven se virando a abraçava pelas costas, envolvendo sua barriga e aconchegando minha bochecha em seu ombro, primeiramente não falava nada, apenas queria ficar juntinha só mais um pouquinho.

    Estava aliviada, não só pelo que tínhamos feito mas também por ter acabado com aquelas preocupações que me circundaram durante a tarde toda. Ela não havia me rejeitado, me chamado de esquisita ou qualquer outra coisa do tipo, ao invés disso parecia, a princípio, ter aceitado aquela sensação, sinceramente não faço ideia de pra onde ir a partir de agora, mas já é algo bem melhor do que o sentimento de perdição de antes.

    Por mais que alguém entre no quarto, agiria da mesma forma, pois minha vergonha de antes de mim mesmo e meus pensamentos, e não o que outros que não estão envolvidos possam achar de mim.

    — Tem razão — Finalmente a respondi, ainda abraçada e de olhos fechados — é melhor a gente dormir antes que fique muito tarde — Meio contra-vontade, soltava Raven e deixava ela ir se aprontar, eu já estava de pijama, então apenas sentava no beliche de baixo, de pernas cruzadas e olhos fechados, já relembrando o momento.

    Se Luci já estivesse no quarto, responderia seu comentário numa entonação convencida — Eu não sei do que está falando, eu estou prontamente vestida — O fato de que minha única peça de roupa era uma camisa muito grande se tornava irrelevante para o meu raciocínio.

    — E como foi o seu banho? Você demorou bastante — redirecionava o foco para a loira — Quem garante que não foi você que saiu por aí praticando atos libidinosos! — Nem sabia o que aquela expressão queria dizer, mas parecia provocante o suficiente para jogá-la de volta.

    Dada a hora de dormir eu me levantava para apagar a luz e então de volta para o beliche, estava com calor então ao invés de utilizar o lençol o enrolava e deitava abraçada nele como um segundo travesseiro — Boa noite — Diria meio baixinho para as duas, e também respondendo Luci.

    Na cama iria me aconchegar com meu rolinho, o apertando bem forte por me sentir bem. Hoje foi um dia incrível, meu primeiro dia como Marinheira, ilha nova, cidade nova, e o principal, pessoas incríveis. Enquanto estava ali num estado de quase sono me lembrava da carta que deixei com Baldur para minha mãe, me pergunto se ela já a leu, e também se cumpri minhas próprias expectativas até agora.

    Querida Mãe, quando estiver lendo esta carta já estarei longe. É uma pena que minha despedida com a senhora tenha que ser via escrita, porém nos últimos dias, é o único meio que consigo imaginar que a senhora vai me ouvir sem me interromper aos berros, e espero que não esteja fazendo isso neste exato instante, gishishishi.
    Enquanto escrevo esta carta, sinto um pesar no meu peito, não queria que as coisas terminassem assim, e de certa forma me sinto insegura com o que vem pela frente, mas quero que entenda que mesmo que dê tudo errado, pelo menos eu tive a oportunidade de seguir um sonho, e isso para mim me parece um destino muito melhor do que o que foi planejado para mim por vocês.
    Sei que minhas ações são egoístas, e também sei que estou magoando à senhora e ao senhor meu pai, que posso estar manchando o nome da família, porém espero que me perdoem dessa vez como o vêm fazendo para as minhas molecagens desde muito tempo.
    Minha fuga, no entanto, não se trata de um ato de rebeldia ou rancor, mas sim de amor próprio. Quero trilhar meu caminho, ser a heroína que sempre sonhei, com pessoas que me apoiem e que posso confiar, talvez encontrar até mesmo uma paixão verdadeira e não arranjada, me pergunto se no momento em que a senhora estiver lendo isso eu já terei realizado alguma dessas ambições, ou mesmo se ainda falta muito.
    Quero que saiba que amo-te mais que tudo no mundo, e que não se preocupe, pois se me conhece sabe que eu ficarei bem. Espero poder lhe escrever mais vezes, com amor,
~ Rael


Shiori
Ver perfil do usuário
Imagem : A sailor who enlisted because she didn't want to get married - Página 10 CSDlXWh
Créditos : 05


Trio - Marinheiros



Rael, Ravena & Luci

As garotas tiveram seu momento de confraternização, onde Ravena por fim escolheu ir descansar, assim, como as outras duas no fim de tudo também foram, algo que realmente estava funcionando. Elas acordariam pela manhã em torno de umas 8:00 e pela janela fechada dava pra ver a chuva caindo.

Snow

Snow, naquele ponto, acordou de manhã onde ele viu a dona do lugar, e logo que a viu ele comentou sobre a finalização dessa tal missão.-Oh, boa sorte com os próximos trabalhos pega esse biscoito pra você-E ela deu um biscoito grandão com gotinhas de chocolate nele, tinha um cheirinho delicioso pra ele devorar.

Enquanto isso ele saia para o lado de fora, onde Flake que estava ali na calçada oferecia as costas para ele subir, fazendo o barulho característico. Eles aproveitavam pra voar até o QG mesmo que a chuva estivesse caindo, era uma boa hora pois as gotas ainda estavam devagar. Então chegando lá ele buscou a sala da Tenente, onde se apresentou e fez seu pequeno relatório.

A mulher deu um leve sorriso, parecia de muito bom humor naquela manhã, e tinha uma pequena marca de mordida na parte exposta do ombro, o que talvez demonstrasse do que se tratava aquela felicidade, já que parecia dentes de uma pessoa… Ou ela só enfrentou algum pirata maluco.-Bem vindo de volta. E que negocio esquisito, mas que bom que não eram mesmo abusadores.- falou ela fazendo um olhar levemente confuso sobre a situação.

Então com tudo concluído ela pegava o envelope, e trazia para o pequenino, entregando ele em suas mãos.-Aqui está o dinheiro pela missão. Está liberado- e assim estava tudo concluído por enquanto. Então ele foi para o refeitório fazer aquela boquinha, aproveitar pra comer bastante.

Yura

Yura ia completando toda a missão, onde apesar de tudo, ela era eficiente, então as coisas tinham se desenrolado o container tinham sido checados e o segundo trabalho do embarque acontecia, levava mais algumas horas até que finalmente ela voltava ao QG com Kat, que tinha ficado com ela, ajudando outras pessoas no local. Quando elas chegavam ali, ela logo conversava com a moça.

A tenente não tinha tanto assim pra falar, ela estava apenas cansada depois de tudo, e comentou.-Missão concluída finalmente, ta aí, o pagamento, foi um bom trabalho.-Disse ela pegando um envelope com 1.500.000 e entregando nas mãos de Yura.

Ela realmente poderia falar mais coisas, mas o bocejo que ela dava revelava bem seu estado, ela precisava de algumas horas de descanso antes de mais nada. E assim, as duas saiam dali, quando a jovem fantasmagórica ia deitar na cama.

Apesar da sensação de cansaço era complicado dormir, pois naquele momento havia uma rave sobre sua cama, os fantasmas dançavam colocando um globo de luz no teto. E se movendo de maneira caótica, tinha até fantasminha se beijando por ali.

Era complicado mas a Rave de fantasma atrapalhou ela de dormir por bastante tempo até que ela até teve um cochilinho, mas acordou poucas horas depois. Vendo a enorme chuva que caía do lado de fora do quartel.

Histórico:


Legenda:



Lyosha escreveu:
INFORMAÇÕES BÁSICAS

Aventura: A sailor who enlisted because she didn't want to get married
Participantes: Snow, Ravena, Rael, Luci, Yura
Localização da Aventura: Reino de Illusia

Rael:

Ravena:

Luci:

Snow:

Yura:

Quantidade de Postagens do(s) Narrador(es):
Shiori (27 Posts contando com a finalização) OK – 5 créditos + 4 créditos de jogadores extras + 2 posts para contagens futuras
Jean (2 Posts) Alterado, foram 2 posts e não 3, fica para o somatório de posts
Deep (3 Posts) OK, fica para o somatório de posts

Narradora e Jogadores:

_________________

A sailor who enlisted because she didn't want to get married - Página 10 YHVeK1M

A sailor who enlisted because she didn't want to get married - Página 10 VYrwji0