Bem-vindo ao

All Blue

É com muito prazer que lhes damos os comprimentos ao nosso RPG. All Blue se trata de um RPG narrativo com o ambiente principal centrado em One Piece, obra de Eiichiro Oda.
Se divirta nessa nova aventura e se torne o novo rei pirata... Se puder!

1º Chapter - Wild Hunt

Página 7 de 9 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9  Seguinte
Kenshin
Imagem :
1º Chapter - Wild Hunt - Página 7 Ahri
Créditos :
00
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t360-agatha-harkness https://www.allbluerpg.com/t2343-capitulo-i-poesia-com-uma-espada
Kenshin
Desenvolvedor
1º Chapter - Wild Hunt Seg Maio 10, 2021 9:56 pm
Relembrando a primeira mensagem :

1º Chapter - Wild Hunt

Aqui ocorrerá a aventura do(a) Civil Às Volkerbäll . A qual não possui narrador definido.

_________________

1º Chapter - Wild Hunt - Página 7 J09J2lK

"Ah, mas eu não quero ter dois caminhos ou ah, mas eu não quero ter caminho nenhum. Ué, você já pode porra, a única coisa que te impede de fazer isso é ser zé metinha e querer ficar comparando o tamanho do pau com o coleguinha pra compensar o ego frustrado." - Luquinhas, 2022

HollydayRango
Imagem :
1º Chapter - Wild Hunt - Página 7 350x120
Créditos :
05
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/
HollydayRango
Criador de Conteúdo
Re: 1º Chapter - Wild Hunt Ter Jun 29, 2021 6:48 pm
As balas curvas!

Aprendendo com o melhor!





Ensinamentos com base em seus conselhos, esse é o meu velho pai como de costume, um homem sábio e turrão, com o coração mais mole que manteiga mais a dureza de um diamante bruto. Quando suas falas acabaram ele fez o que faz de melhor, se preparou para dar um show e era isso que ele faria com minha ajuda.

Peguei a pistola que tinha acesso e entreguei em sua mão, nenhuma palavra, apenas saques e gingados, caçadores não falam, agem, essa é a natureza e observar tornou-se meu ponto forte ali.

Um misto de gingas para saque seguido do puxar no tempo certo que ele já tinha me ensinado, essa era a ideia desse homem, os saques eram mais eficacez e limpos, talvez precisa-se compensar a mira para alvos menores.

Um saque com giga e um rodar de armas foi o que me surpreendeu, o estampido surdo seguido de uma bala curva. Esse era o famoso Tiro Curvo de Teodor Rango, foi apenas ao observar com calma que eu comentei em sequência:


--  Não é uma precisar de velocidade "sor" é de ginga....

Era uma charada matada do nada e foi por isso que me dei ao trabalho de ir até meu pai e pedir a pistola com um estender de mão, precisava testar gingas e saques, precisava ver como me.adaptaria com a reprodução de movimentos antes de tentar o tiro curvo.

Tentaria, caso ele me desse a fazer o movimento inicial, um gingar mais maleável devido ao meu rabo, um saque auxiliado não só pelo gingado anti horário mais pelo pequeno tapa queno rabo daria no coldre antes de a unha principal subir a pistola um milímetro para os dedos e me fazer segurar apontando reto e me fazendo falar:


-- ...mas se acrescentar impulso?

Olhava para o pai busca do aprovação para o movimento antes da execução do próximo passo.



bichaelson




- Falando com animais.
- Pensamento
- Técnica
- Fala Normal

Comentários OFF:

Histórico Rango:

_________________

1º Chapter - Wild Hunt - Página 7 XHHUTWQ
Sasha
Imagem :
Berserker
Créditos :
76
Localização :
Rota 6 - 4ª Ilha Vedde
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t340-sasha-sparks#1002 https://www.allbluerpg.com/
Sasha
Rank B
Re: 1º Chapter - Wild Hunt Qua Jun 30, 2021 3:35 pm


Turma da
Pesada



Às e Akira
Dentro do ambiente que havia ficado muito mais leve, Iris teria aproveitado aquele prato quase como se fosse ser o seu ultimo, havia nela tanta gratidão que um milhão de obrigados não seriam capazes de expressar, ainda que alguns possam subestimar o modo como aquilo lhe dava forças, também dava a esperança e a certeza de que através da melhoria de sua alimentação, ela poderia ter mais recursos para lutar contra a sua condição, era um conjunto de pequenas ações que poderiam melhorar o seu quadro.

Akira por outro lado queria aprender mais, aquilo abriu portas para que ele pudesse entender que porhora, aquilo ocorria com alguém ao qual ele não tinha ainda tanto apego e o seu despreparo, frente a quando realmente precisasse, pesaria, certamente. - Eu posso  te ensinar o que eu sei me ajuda a arrumar tudo aqui na cozinha primeiro. Ela teria dito, era uma mulher vivida e tinha uma gama de conhecimentos para manter a casa que poderia ajudar.

Enquanto isso, Iris após comer muito bem, teria já se mostrado bem assonada, o dia havia sido pra ela puxado e a comida era pesada, ela  deu a mão para Às e se deixou ser guiada, de modo que quando deitou, era quase instantâneo o seu sono, de modo que caso a morena fosse acompanhar, a teria visto tremer e se mexer bastante, algo muito comum em crianças que sofreram de um trauma forte e ela melhor que ninguém saberia reconhecer como era estar em seu lugar.

Sophie parecia estar naquele momento   disposta a ensinar Akira, ajudar a lavar uma louça era um custo pequeno, ainda que levasse sim algum tempo para tal, o que levou a uma separação temporária de caminhos, onde Ás  teria tomado o seu rumo para a guilda novamente, era um caminho longo, um pouco cansativo mas, agora que já sabia como chegar muito mais fácil. O lugar estava vívido, animado, não havia uma música ao vivo  mas, haviam algumas pessoas sobre as mesas conversando e rindo, em um clima boemio , onde saltou a visão uma moça bem alta, grande e loira que vestia uma fantasia com chifres, onde claramente se via que não era humana, tal como sua beleza também não era.

Mizuki teria atendido a Ás com um animado sorriso - Ta vendo aquela moça ali? Hitsumi Hana, uma gigante… Enalteça um pouco suas capacidades e tenho certeza que ela gostaria de ter uma pessoa a chamando de mestra Hitsumi por ai.- Mizuki deu uma piscadela, dando uma excelente dica, o ego era a sua fraqueza e interesses mútuos poderiam ser cumpridos facilmente se ela apertasse os botões certos.



Rango

Ainda era de certo modo um aprendizado silencioso, Teodor era um homem que se comunicava melhor através de suas ações do que através de suas palavras e isso era notável em todo o processo para que ensinasse ao filho alguns de seus velhos truques, algo que ela julgou por muito tempo como seu trunfo, era o seu famoso tiro curvo, algo que para muitos era um mistério, o ultimo mistério de suas vidas.

Onde a resposta de Rango fora justamente o real segredo, não tratava-se unicamente de precisão mas, de uma malemolência, onde Teodor, teria feito um joinha para dizer que o filho estava indo na direção certa, até que algo novo havia vindo… Um impulso?  - Impulso? Me mostra o que você quer fazer. - Ele teria dito não entendendo bem qual era o caminho que o filho seguiria mas, era notável em seu olhar que havia a expectativa de que o filho criasse uma nova versão ou uma versão melhorada do que ele havia visto.

Afinal, Teodor não queria que o filho fosse apenas o mesmo mas,  muito melhor do que um dia foi.

Histórico:

_________________



1º Chapter - Wild Hunt - Página 7 HGWnxh1
Às
Imagem :
1º Chapter - Wild Hunt - Página 7 BcOqz4N
Créditos :
21
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t271-as-e-volkerball#780 https://www.allbluerpg.com/t742-sharp-teeth-and-hard-fists
Às
Designer
Re: 1º Chapter - Wild Hunt Qui Jul 01, 2021 11:26 pm




»» Wild Hunt ««

- Às Volkerbäll -


Ж

Crescer em meio a um ambiente turbulento não era o ideal para criança alguma, compreender isso era o primeiro passo para notar o quão privilegiada havia sido de ter algo tão abstrato como a sorte. Sorte de ter cruzado o caminho de alguém cujo significado extrapola as minhas expectativas, de ser acolhida e de receber algo que provavelmente eu teria tido se o Mundo fosse um lugar ideal e justo para todos. Mas ainda cedo compreendia que a idealização poderia facilmente beirar a irrealidade e que gestos sinceros possuíam impactos tão colossais quanto grandes sonhos que sequer conseguiam sair de um papel ou de um pensamento. Qual era a possibilidade de Íris sonhar com o que aconteceu a ela naquele momento? A ela, minha figura era a de uma completa desconhecida, a mim era como compreender palavras ditas em um período que hoje parecia uma eternidade. Observá-la, era como se voltasse a base de uma árvore resiliente que superou o inverno para contemplar a primavera, era como estar ao lado de minha mãe mais uma vez e recordar de suas palavras acerca de nosso primeiro encontro. - “Quando a tive em meus braços pela primeira vez, seu descanso havia valido em meu coração o equivalente a dezenas de sono…” - o som daquelas palavras havia soado como um exagero na época, mas agora naquele momento, ver Íris se alimentar, saciava-me o apetite, como se aquela imagem me alimentasse o equivalente a cem pratos cheios.

Um obrigado não seria necessário, não havia feito nada aquilo em busca de uma recompensa ou de simples gratidão. Vê-la bem, era uma validação pessoal, era seguir uma corrente de amor que valia e ultrapassava qualquer laço de sangue. - Não precisa ter medo. - suspirava, ao vê-la tremer enquanto caia no sono. Um cobertor quente e um toque seguro talvez fossem necessários para expressar o que não havia dito. Seus medos no fim, seriam seus para enfrentar e sabia bem o quão penoso era libertar-se dos traumas. - Durma bem… - um sussurro ao pé do ouvido antes do quase silencioso caminhar para fora do quarto. Na fazenda ela estaria bem cuidada e a sombra de seu descanso eu agia em prol de meus objetivos, seguindo até a guilda em busca de ajuda para atingir um objetivo próprio. - Que é uma gigante eu percebi… - eu respondia Mizuki em um primeiro instante, após adentrar no local e perceber que o clima animado persistia mesmo com a ausência da voz e da música de Luna, mas a presença de Hana era notavelmente impossível de se evitar ou mesmo ignorar. - Capacidades você diz… - olhava para Hana dos pés a cabeça, imaginando se as capacidades ditas por Mizuki eram as mesmas que pairavam em minha cabeça. - Obrigada...eu espero…. - agradecia, um pouco sem jeito, antes de caminhar a passos largos em direção a mulher.

Aaah olá! - diria de forma simpática, na tentativa de captar a atenção de Hana. - Senhorita Hitsumi?! Eu me chamo Às, é um prazer conhecê-la! - não era boa de fazer charme, mal conseguia enganar alguém e a ideia de mentir me soava uma completa perda de tempo, talvez acabasse sendo muito abrupta com os “botões”, então torcia para que a giganta pelo menos curtisse alguém com mais decisão. - Eu não queria incomodá-la se o assunto não fosse tão importante, mas eu estava a procura de alguém que pudesse me ensinar briga de rua! - coçava a cabeça. - Me informaram que você é a melhor pessoa para isso! A mais qualificada, a mais forte e também a mais bonita Kihaahaha! - bom, não mentia na realidade, ou mentia? Considerava a informação de Mizuki verdadeira, então na ausência de opções aquela mentira era uma bela verdade e bem...ela era de fato a gigante mais bonita que já havia visto na vida, - Eu não sinto tanta confiança para lutar fora das regras que me foram ensinadas e acho que qualquer pessoa simples não seria capaz de me ensinar as coisa do jeito correto. Por isso estou vindo aqui humildemente lhe pedir para que...me aceite como uma discípula! - nossa, como aquilo soaria ridículo dito em voz alta. - Eu estou disposta a fazer o que for preciso, eu topo tudo! - Ou quase tudo, mas se envolvesse somente nós duas talvez a ajuda mútua não seria algo tão ruim.

Fato era, se Hitsumi concordasse em treinar-me, me colocaria a sua disposição inteiramente, olhos e ouvidos atentos para seus ensinamentos e dedicação irrestrita a replicar e compreender fisicamente o que me era ensinado. Com a caça reservada para a noite, teria boa parte do dia livre para aprender e após absorver todo aquele conhecimento, faria questão de retribuir toda minha gratidão da maneira que ela preferisse. - A indicação estava certa, você é a melhor! - a atingiria em seu ego, sempre que possível elogiando e ressaltando seu evidente e óbvio conhecimento em briga de rua antes de voltar ao balcão, para refrescar-me com alguma bebida e questionar Mizuki sobre o horário.






Histórico:






_________________

1º Chapter - Wild Hunt - Página 7 Z0zQdpF

1º Chapter - Wild Hunt - Página 7 ZaT0xpq
Yami
Imagem :
1º Chapter - Wild Hunt - Página 7 Giphy
Créditos :
46
Localização :
Alabasta - 7ª Rota
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t343-shimizu-d-akira#1013 https://www.allbluerpg.com/t2089-hellhounds-6-sands-and-tears
Yami
Avaliador
Re: 1º Chapter - Wild Hunt Sex Jul 02, 2021 12:17 am

Wild Hunt
- Falas | ~ Pensamentos



~ Aprendizado de Farmácia ~

Eram como se meus pés fossem milhos se transformando em pipoca na panela. Saltitava de um lado para o outro, com um sorriso largo enquanto batia palmas de felicidade. Aprender um novo ramo de medicina já era algo incrível, mas aprender com Sophie ainda por cima? Era um sonho! E tudo o que eu precisava fazer era ajudar com a louça. — Xacomigo, mãe! — Com muita velocidade, iria buscando os talheres, panelas e louças e colocando-os na pia, fazendo um pequeno montinho que se acumularia em um dos cantos. — Agora deixe comigo!! — Fingindo arregaçar as mangas, estalaria os dedos para então começar os serviços.

E não era por ser um homem-peixe que eu acabaria me gabando, mas manipular o fluxo da água com a minha mão era praticamente o que eu fazia todos os dias ao treinar o Karatê Tritão, portanto aquilo deveria ser moleza! Com o auxílio de esponja, detergente e bastante água, deixaria as panelas e pratos brilhando em um piscar de olhos! Se não derrubasse nada, é claro. — Tá feito!! Agora, promessa é promessa. — Mesmo sem ter a absoluta certeza se havia feito um trabalho realmente bom, pegaria a mão de minha mãe e arrastaria até seu escritório, onde aquela variedade de livros com certeza teria algo para ser ensinado.

E assim passaria as próximas horas do meu dia. Seria exaustivo, é claro, mas sabia da importância de cada uma das palavras mencionadas. Acabaria por anotar diversas receitas farmacêuticas, fazendo rabiscos e até mesmo desenhos que fossem de fácil compreensão para fixar em minha memória de peixe. Sentia pena de Sophie por diversos momentos, que precisava explicar princípios básicos com muita frequência, mas seu carinho e dedicação eram suas maiores virtudes, seja de ajudar em criar órfãos que haviam parado em sua fazenda, quanto para ensinar um filho com dificuldades na lição de casa.

Vez ou outra acabava saindo da fazenda para buscar alguns ingredientes químicos, essenciais para a produção de receitas mais básicas. Por ser um médico quase completo, tendo conhecimentos com exatidão sobre o corpo e suas funções, veio a facilitar muito a compreensão de cada tipo de substância, seus efeitos e combinações. — Será um pouco mais complexo fazer o tratamento de Íris… Mas estou otimista, confesso. — Meu largo sorriso indicava a realidade de minhas palavras. Estava esperançoso de que, com os princípios recém-adquiridos, de que os remédios que tratavam do Mal do Rei do Mar acabavam encarecidos pela escassez de seus recursos e, claro, para enriquecer uma indústria em alta que lucrava com o preço elevadíssimo dos remédios que nem sempre eram tão custosos para serem fabricados.

Dando um beijo nas bochechas de minha mãe, pegaria minha maleta e, assim como havia voltado para casa animado, iria para a cidade com o coração cheio de esperanças. Um breve pulo na água seria o meu trajeto para agilizar o deslocamento, esperando não tardar para alcançar as lojas do centro. Por lá, buscaria novamente a mesma loja no qual me forneceu os incríveis aparatos médicos que agora eu possuía, mas agora vinha com um mais um pedido para acrescentar na coleção. — Chefia, é hoje que eu farei milagre, GHYAHAHAHAHA! — Sorriria com certo vigor, solicitando ao vendedor um kit de matérias-primas para fabricação de remédios caseiros, no qual acreditava ser capaz de fazer o tratamento ideal para Íris.

Olhando para o céu, sabia que precisaríamos nos preparar o quanto antes para a caçada da noite, então não tardaria demais no procedimento. Caso adquirisse os materiais buscados, partiria de volta para a fazenda, dessa vez por terra, para dar início aos procedimentos que livrariam não apenas a doença de Íris, mas também os fantasmas de seu passado que haviam deixado-a naquele estado deplorável.



  • Posts: 25
  • Ganhos:
    Cargo: Caçador de Recompensas Rank E;
    B$ 1.000.000;
    Cartazes de Serviços da Guilda (Maya e Leon, 1 milhão cada);
    Carta de Contrato para ser lido à Maya;
    Maleta com utensílios médicos:
    Conteúdo na Maleta:

    Treino para adquirir de Ambidestria
    Perícia Farmácia -> Post 25
  • Perdas: B$ 1.500.000
  • Contagem Caçador: B$ 3.000.000
  • Posts Desvantagem: 1/20
  • Players/NPCs:
    Às (irmã)
    Hollyday (irmão)
    Sophie (mãe/NPC)
    Teodor (pai/NPC)
    Mizuki (Caçadora)
    Íris (Órfã)
  • Localização: South Blue - Reino Sorbet



PdV: 4600
STA: 100

Força: 89 +80 +40 +40 = 249 [Regular]
Destreza: 0 [Incompetente]
Acerto: 281 +80 +40 = 401 [Hábil] +5%
Reflexo: 0 +40 = 40 [Regular]
Constituição: 30 +80 = 110 [Regular]

Agilidade: 220
Oportunidade de Ataque: 3
Redução de Dano: 0

Qualidades:

Defeitos:

Primeiros SocorrosVocê sabe tratar ferimentos externos, de gravidade simples ou moderada, além de ser capaz de ministrar o tratamento inicial de qualquer tipo de ferimento. A proficiência primeiros socorros contempla ações como: parar sangramentos, fazer curativos, mitigar danos e similares.

CirurgiaVocê é capaz de tratar ferimentos graves e internos, desde que esteja em posse dos instrumentos apropriados.

AnatomiaVocê conhece o funcionamento e estrutura do corpo dos humanóides, sabendo identificar órgãos, artérias, veias, músculos e todo o resto.

DiagnoseVocê conhece diversas doenças, sabendo identificar seus sintomas e quadro de evolução, além disso, sabe ministrar os tratamentos para frear ou erradicar a doença, se existentes.

AcrobaciaVocê possui um corpo flexível e é capaz de dar saltos elaborados e piruetas, além disso, consegue equilibrar-se em várias superfícies, fazer malabarismo e sabe como amortecer suas quedas.


Profissão:
MédicoOs médicos são especialistas em saúde humana e/ou animal, sabendo preservar a saúde de seus companheiros e sendo capaz de tratar os mais diversos ferimentos.

Bônus: Jogadores médicos são extremos conhecedores do corpo humano, assim sendo, são capazes de aplicar e encerrar condições por meio de tratamentos, criações e técnicas, além disso, podem tratar qualquer ferimento.


Arma: Faixas de MãoDescrição: Um par de faixas de um tecido maleável e resistente, que serve para ser enroscado ao redor dos punhos para dar maior firmeza e capacidade de impacto.
Tipo da Arma: N/A
Qualidade: Clássica
Durabilidade: Baixa
Dano: +40 em Força/LVL
Estado: Nova


Maleta Médica
Kit de Bandagens: Contém 30 bandagens para tratamento de feridos e 10 talas junto deles para caso haja necessidade.
Bisturi: Extremamente afiado e fino, feito para uso cirúrgico.
Kit de Agulha Esterilizada: 10 agulhas pré-esterilizadas para facilitar tratamentos rápidos, são vendidas num pacote lacrado e com envolcrus as separando...
Usos: 10 usos.
Álcool: Uma garrafa de 2l de álcool para fins diversos.
Usos: 20 usos.
Estetoscópio: Um instrumento usado por médicos para ouvir as batidas do coração entre outros barulhos internos.
Medidor de Pressão: Um medidor de pressão arterial para fins médicos.
Remédios: Remédios de uso comum, antigripal, antiinflamatório, remédio para tosse e Soro fisiológico.
Usos: 5 usos. (um uso para cada um)
Espaço no inventário: 0.5 por unidade.
Sedativos: Aqui se encontram sedativos, como morfina e afins. Especifique qual o sedativo na hora da compra. (Morfina)
Usos: 5 usos


_________________

1º Chapter - Wild Hunt - Página 7 V8upj2D

1º Chapter - Wild Hunt - Página 7 YDNzcDa
HollydayRango
Imagem :
1º Chapter - Wild Hunt - Página 7 350x120
Créditos :
05
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/
HollydayRango
Criador de Conteúdo
Re: 1º Chapter - Wild Hunt Sex Jul 02, 2021 3:26 pm
O caminho do meio!

Aprendendo com o melhor!





O questionamento do meu pai me levou a observar em minha mente os movimentos mais uma vez, o gingado, a manobra de saque e claro a técnica de disparo, mas observando eles um outro movimento me surgiu. Sendo um animal eu não sigo padrões humanos a risca, outras coisas me auxiliavam em meus movimentos e acertos, eu sempre fui ágil, mas eu também era articulado, uma calda articulada, mesmo que não forte, me ajudava a manobrar certos movimentos e com a velocidade certa e com a força máxima talvez ela me ajudasse em algo mais.

Ao término das falas do velho homem, meus dedos deslizaram pela arma, um gingado seria feito, um movimento seria elaborado e no momento anteior ao saque minha calda subiria em diagonal direcionando-se até tá base do coldre/arma e batendo para fazer ela subir com mais velocidade e impulso, os dedos soltariam para que ela rodopia-se na palma que acompanharia e pegaria no tempo exato e preciso para ono braço inclinar e o disparo ser feito.

Esperava que funcionasse adequadamente ou do contrário seria o maior papelão da minha vida com arma caindo e disparo não ocorrendo.

Mas se ocorrece olharia o velho homem enquanto falaria de forma prática:


-- Esse impulso !




bichaelson




- Falando com animais.
- Pensamento
- Técnica
- Fala Normal

Comentários OFF:

Histórico Rango:


_________________

1º Chapter - Wild Hunt - Página 7 XHHUTWQ
Sasha
Imagem :
Berserker
Créditos :
76
Localização :
Rota 6 - 4ª Ilha Vedde
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t340-sasha-sparks#1002 https://www.allbluerpg.com/
Sasha
Rank B
Re: 1º Chapter - Wild Hunt Sex Jul 02, 2021 7:12 pm


Turma da
Pesada



Ás


Havia muitos momentos que no dia a dia parecem pequenos como ver alguém com quem você se importa fazer algo que lhe traga conforto ou mesmo prazer mas, tolos seriam aqueles capazes de subestimar essa sensação ou de não valorizar cada um desses momentos pois, neles se encontra o verdadeiro sentido da vida.

As palavras da morena ainda que estivesse frente a pequena dormindo pareceram aos poucos lhe trazer mais conforto, como se com ela ali, Iris sentisse que estava segura, algo que não sentia há muito tempo. As lembranças a fizeram sentir-se no lugar de sua mãe e momentos que antes em sua perspectiva eram simplórios pareceram ganhar forma como brilhantes de maneira muito veloz.

Com a cabeça muito mais cheia de ideias, se fortalecer seria o melhor caminho para evitar que o importante se perdesse pela falta de força e isso a levou a até mesmo quando chegou a guild, após ouvir os conselhos de Mitsuki, abordar a enorme mulher gigante, seria possível a ver colocando uma pesada caneca que mais se poderia descrever como um barril de bebida, onde seu olhar, teria vindo junto a um sorriso - Olá pequenina! Ás, como a carta certo?- Teria sido notável que aquele era seu jeitão e o modo dela se ser simpática, onde ela estendeu sua grande mão na direção da morena, dando o dedo para que cumprimentasse.

- Huh… Então você quer aprender a brigar? Porque eu seria boa pra ensinar a você? - Era notável uma sincera dúvida naquele momento pois, ela acreditava que alguém grande como ela talvez fosse uma professora ruim para alguém pequeno e frente aos elogios Hana teria batido uma das mãos na mesa de modo que até mesmo o chão deu uma tremidinha , onde ela pegou e secou o grande “ barril caneca” e gargalhou Gwahahaha! Muito bom pequena a irmã aqui vai te ajudar, claramente tem bons olhos! - Era notável que seu sangue gigante orgulhoso se acendeu e em seu olhar era notável uma alegria que era linda e até inocente para uma moça tão grande.

- Não é como se eu tivesse preparada ou algo do tipo mas, se vai ser minha discipula tem que estar trajada como tal!- Ela teria dito disfarçando o fato de já ter ser preparado para que alguém fosse pedir para que ela ensinasse algo, quando ela enfiou sua mão em meio ao decote de suas grandes bençãos de modo a procurar por algo que havia ali retirando um traje traje preto, que era todo um conjuntinho onde atrás havia escrito Hitsumiryu em Kanji.

Era excêntrico? Era sim, mas era uma roupa de boa qualidade e a menos que olhassem as costas, era até bem bonita e com isso, ela esperaria Às se trocar, quando fosse o caso ela diria - GWAHAHA você vestiu mesmo! Vamos lá pra fora pequena, não quero tomar uma bronca por quebrar mais do que estou disposta a pagar. - Ela comentou animada onde do momento em que fossem pra fora ela teria se dedicado a ensinar briga de rua, onde ela começaria explicando de modo único a ficar na cabeça.

- O mundo é sua arma pequenina! Um galho? Arma, uma cadeira? Arma! Se limitar pelo óbvio é caminho pra derrota, até mesmo eles! Sim, Eles são uma arma!- ela teria dito enquanto insinuou com suas grandes bençãos em uma posição sugestiva, mostrando que até mesmo o fato de saber da sua sensualidade pode lhe dar vantagens. onde ela certamente era uma professora uma em um milhão e os aprendizes do Hitsumiryu tavam é muito bem instruídos.

No entanto o treino apesar de sim bem chamativo e com vários ângulos legais, era realmente muito construtivo, Ás poderia sentir realmente que suas palavras estavam cravadas em seu corpo, quando pôde enfim entender, o mundo é a sua arma, um conceito tão simplório mas tão libertador que muitos subestimariam.

O treino no entanto levou um tempo, eram três horas de treino intenso e mais pelo menos meia hora para não deixar o queixo cair em meio aos incríveis métodos de Hitsumi, do ponto que fácilmente qualquer um que tenha ouvido o conselho de Mizuki em chamá-la para ensinar, deveria prestar sua gratidão pelo resto da vida.


Akira


Se de um lado haviam grandes jornadas de descoberta pessoal por parte de sua irmã, para Akira era ele que guiava as próprias águas, literalmente no estilo lendário lavador, no passado no presente não havia alguém que o superasse. Sophie certamente teria ficado impressionada com o show, ainda que não fosse o seu primeiro rodeio, onde notou-se até que ela se distraiu um pouco.

O inimigo mortal de todo bom cidadão, o lavar de louça frente ao karatê limpão, pouco pode se fazer frente a educação, caindo rapidamente. Sophie então diria - Me espere na sala, vou pegar algumas coisas pra te ensinar. - Com isso, ela teria deixado Akira seguir a sua direção, enquanto era possível a ver buscar algumas ervas e também um prato de argila, junto a um pequeno bastão, onde ela chegou ali e começou a explicar - Pode ser considerado um método antiquado mas, é bom você aprender, nunca se sabe.- Ela teria começado então a expor cada uma das diferentes plantas que trouxe.

Em seguida explicou para o que serviam e então teria feito o processo extremamente manual de misturar e amassar as ervas de modo a transforma-las em uma pasta, onde até mesmo mostrou como fazer para colocar em uma capsula pequena e fácil de se engolir, tudo através do trabalho manual. Quando terminou ela começou a explicar os conceitos básicos e mais avançados da farmacologia, usando de exemplos que eram conhecidos por Akira, de modo que ele se sentiu ao fim da longa sessão de três horas de estudos intensivos, que sim, que podia dominar muito bem o assunto para criar os remédios.

Sua mãe ao fim estava bem exausta mas, era claro que ela colocou toda a alma no que estava ensinando e isso a desgastou bastante, onde ela teria apenas acenado em sua despedida, Sophie era realmente uma mulher forte, ainda que com a idade, havia nela a perseverança e a inteligência de modo que tolo seria qualquer um que a subestimasse.


Seguindo o seu caminho, fora em direção ao mesmo rapaz que era dono de uma pequena farmácia onde aquilo totalizou um total de 500.000, o rapaz diria o preço - O preço é 500.000 irmãozinho- E com isso a transação foi feita, onde determinado teria levado os materiais até a fazenda, onde teria a segurança para realizar os procedimentos, no entanto seu conhecimento também lhe dava uma lucidez muito grande, para criar um remédio capaz de a estabilizar, não seria processo mais veloz do que o de uma noite inteira de trabalho e naquele momento, ele tinha uma escolha, poderia dedicar-se a criação, era possível que ele terminasse a tempo de ir encontrar Às e realizar o seu plano, no entanto estaria muito mais exausto, ou poderia fazer quando chegasse… Qual seria a escolha do ruivo?


Rango


Confiante na sua tentativa, Rango teria elevado a técnica a um novo nível de modo que fora impressionante até mesmo para o seu velho pai o modo como um simples detalhe havia mudado completamente a perspectiva que ele tinha sobre a técnica. - Oxe rapaz, tu tá é muito bem du esperto. - Comentou bem estupefato.

- Outra coisa que muitos esquecem é, um atirador tem que ser tão perigoso de perto quanto é de longe e ocê tem que lembrar, uma boa coronhada bota um safado pra dormir muito fácil.- Não era um estilo muito refinado mas, Teodor, teria mostrado a Rango bons golpes para que saisse de situações bem desconfortáveis, como exemplos de como lidar quando as mãos estão presas e até emesmo quando o estilo de luta de alguém o impede de atirar pelo perigo de se defletir para algum aliado.

Ao todo, o treino levaria mais umas três horas, onde ele então teria dito - Acho que por hoje é isso que tenho pra ensinar… Bó comer alguma coisa.- ele teria dito já visivelmente cansado, apesar de seu corpo já não ser mais tão jovial, era notável o impeto do ranzinza em ensinar tudo que poderia ao seu filho o deixando guiar o caminho de volta.


Histórico:

_________________



1º Chapter - Wild Hunt - Página 7 HGWnxh1
Yami
Imagem :
1º Chapter - Wild Hunt - Página 7 Giphy
Créditos :
46
Localização :
Alabasta - 7ª Rota
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t343-shimizu-d-akira#1013 https://www.allbluerpg.com/t2089-hellhounds-6-sands-and-tears
Yami
Avaliador
Re: 1º Chapter - Wild Hunt Dom Jul 04, 2021 2:35 am

Wild Hunt
- Falas | ~ Pensamentos



Seria necessário um esforço descomunal para ser capaz de manter a consciência por tanto tempo. Era quase como se estivesse apanhando de Largo novamente, sentindo cada um de seus punhos atingindo minha face e fazendo meus sentidos se dissiparem. Sophie era uma incrível professora, não me entenda mal, mas eu tinha uma particular dificuldade de ficar tempo parado num único lugar, ainda mais fazendo algo que não envolvia atividade física. — Acho… Que preciso resfriar um pouco os miolos. — Diria com fumaça saindo dos ouvidos, tentando juntar todo aquele amontoado de informações em lugar seguro e acessível em minha cabeça.

Apesar disso, sorria ao observar nossa mãe aliviada ao saber que conseguia passar tudo aquilo que havia sido capaz de aprender ao longo dos anos para o seu filho de menor potencial intelectual. — Bem, agora vou até a cidade. A pequena Íris vai precisar de um belo tratamento! E conto com sua ajuda, mãe. — Dando um breve abraço de agradecimento nela, partiria em direção à cidade, onde não tardaria em encontrar a loja no qual já havia me tornado freguês. — Mas é claro!! Toma aqui, meu bom. — Diria, entregando de bom grado minhas economias, sem pensar muito naquilo que tinha reservado. Tinha plena convicção que recuperaria àquilo em pouquíssimo tempo, fora de que era um investimento que não me causava nenhum remorso, tendo em vista a quantidade de pessoas que poderia acabar salvando com aquilo.

Entretanto, meu caminho de volta para a fazenda seria reconsiderado no instante em que havia colocado os pés para fora da loja. Olhando para o céu, faria uns cálculos rápidos e saberia do que estaria arriscando em iniciar um procedimento tão demorado para os remédios de Íris. — Ela estará segura com Sophie… Com aqueles broncodilatadores, irá passar bem durante o dia. Ela pode esperar um pouco mais. — Não me agradava deixar um tratamento para a segunda em minha lista de prioridades, mas sabia que iniciar o procedimento agora ou no dia seguinte, não faria tanto impacto assim na pequena, afinal o seu estado não era tão avançado assim para me causar tamanha preocupação.

Acabaria, por fim, indo até onde eu acreditava que minha irmã estaria, que seria a guilda dos caçadores. Lembrando que não era tão longe dali, correria pelo trajeto mais curto até começar a ouvir os sons de festa e o cheiro de comida gostosa, me atraindo como um ímã natural. — Yooooooooo, família!! — Chegaria já causando um pouco de alvoroço, afinal haviam sido tão receptivos comigo, que duvidava que iriam ficar descontentes com um pouco mais de minha presença.

Com a mão acima dos olhos, como se tentasse tapar um sol imaginário e aprimorar minha visão, tentaria encontrar Às em meio da multidão. Caso não fosse o caso, acabaria perguntando para a senhorita Mizuki, que além de me dever uma dança, deveria ter conhecimento sobre a localização de minha irmã. Se acabasse me deparando com Às se agarrando com alguém, cruzaria os braços e, com uma falta expressão de irritação, balançaria a cabeça negativamente em repreensão. — Eu fazendo remédios e você se agarrando com a moça? — Como papel de bom irmão caçula, estava empenhado em meu serviço integral de envergonhá-la em público.

Entretanto, brincadeiras à parte, acabaria aguardando que ela ficasse livre e terminasse o que tinha que fazer. Nisso, me aproximaria dela com um sorriso largo, demonstrando um pouco da minha típica determinação. — E então, pronta pra briga? Acho que precisamos começar com o planejamento. — Daria alguns tapinhas na maleta que agora carregava comigo. — Depois, irei comemorar preparando os remédios de Íris. Acho que tenho um método eficaz de tratá-la de uma forma econômica. — Com um brilho no olhar, demonstraria a mesma determinação de Às quando ela decidiu ser a nova responsável pela pequena. — Como você disse, não vou desistir dela tão cedo! Mas para isso, temos alguns serviços a fazer. Pronta? — Perguntaria, pronto para discutirmos os detalhes que nos fariam dar o segundo passo em rumo aos nossos futuros naquela organização.



  • Posts: 26
  • Ganhos:
    Cargo: Caçador de Recompensas Rank E;
    B$ 1.000.000;
    Cartazes de Serviços da Guilda (Maya e Leon, 1 milhão cada);
    Carta de Contrato para ser lido à Maya;
    Maleta com utensílios médicos:
    Conteúdo na Maleta:

    Treino para adquirir de Ambidestria
    Perícia Farmácia -> Post 25
  • Perdas: B$ 2.000.000
  • Contagem Caçador: B$ 3.000.000
  • Posts Desvantagem: 2/20
  • Players/NPCs:
    Às (irmã)
    Hollyday (irmão)
    Sophie (mãe/NPC)
    Teodor (pai/NPC)
    Mizuki (Caçadora)
    Íris (Órfã)
  • Localização: South Blue - Reino Sorbet



PdV: 4600
STA: 100

Força: 89 +80 +40 +40 = 249 [Regular]
Destreza: 0 [Incompetente]
Acerto: 281 +80 +40 = 401 [Hábil] +5%
Reflexo: 0 +40 = 40 [Regular]
Constituição: 30 +80 = 110 [Regular]

Agilidade: 220
Oportunidade de Ataque: 3
Redução de Dano: 0

Qualidades:

Defeitos:

Primeiros SocorrosVocê sabe tratar ferimentos externos, de gravidade simples ou moderada, além de ser capaz de ministrar o tratamento inicial de qualquer tipo de ferimento. A proficiência primeiros socorros contempla ações como: parar sangramentos, fazer curativos, mitigar danos e similares.

CirurgiaVocê é capaz de tratar ferimentos graves e internos, desde que esteja em posse dos instrumentos apropriados.

AnatomiaVocê conhece o funcionamento e estrutura do corpo dos humanóides, sabendo identificar órgãos, artérias, veias, músculos e todo o resto.

DiagnoseVocê conhece diversas doenças, sabendo identificar seus sintomas e quadro de evolução, além disso, sabe ministrar os tratamentos para frear ou erradicar a doença, se existentes.

AcrobaciaVocê possui um corpo flexível e é capaz de dar saltos elaborados e piruetas, além disso, consegue equilibrar-se em várias superfícies, fazer malabarismo e sabe como amortecer suas quedas.


Profissão:
MédicoOs médicos são especialistas em saúde humana e/ou animal, sabendo preservar a saúde de seus companheiros e sendo capaz de tratar os mais diversos ferimentos.

Bônus: Jogadores médicos são extremos conhecedores do corpo humano, assim sendo, são capazes de aplicar e encerrar condições por meio de tratamentos, criações e técnicas, além disso, podem tratar qualquer ferimento.


Arma: Faixas de MãoDescrição: Um par de faixas de um tecido maleável e resistente, que serve para ser enroscado ao redor dos punhos para dar maior firmeza e capacidade de impacto.
Tipo da Arma: N/A
Qualidade: Clássica
Durabilidade: Baixa
Dano: +40 em Força/LVL
Estado: Nova


Maleta Médica
Kit de Bandagens: Contém 30 bandagens para tratamento de feridos e 10 talas junto deles para caso haja necessidade.  
Bisturi: Extremamente afiado e fino, feito para uso cirúrgico.
Kit de Agulha Esterilizada: 10 agulhas pré-esterilizadas para facilitar tratamentos rápidos, são vendidas num pacote lacrado e com envolcrus as separando...  
Usos: 10 usos.
Álcool: Uma garrafa de 2l de álcool para fins diversos.
Usos: 20 usos.
Estetoscópio: Um instrumento usado por médicos para ouvir as batidas do coração entre outros barulhos internos.
Medidor de Pressão: Um medidor de pressão arterial para fins médicos.
Remédios: Remédios de uso comum,  antigripal, antiinflamatório, remédio para tosse e Soro fisiológico.
Usos: 5 usos. (um uso para cada um)
Espaço no inventário: 0.5 por unidade.
Sedativos: Aqui se encontram sedativos, como morfina e afins. Especifique qual o sedativo na hora da compra. (Morfina)
Usos: 5 usos
Matéria Prima para Criação de Remédios:
Itens diversos para a produção de fármacos.
Usos: 10 usos.


_________________

1º Chapter - Wild Hunt - Página 7 V8upj2D

1º Chapter - Wild Hunt - Página 7 YDNzcDa
Às
Imagem :
1º Chapter - Wild Hunt - Página 7 BcOqz4N
Créditos :
21
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t271-as-e-volkerball#780 https://www.allbluerpg.com/t742-sharp-teeth-and-hard-fists
Às
Designer
Re: 1º Chapter - Wild Hunt Dom Jul 04, 2021 12:52 pm




»» Wild Hunt ««

- Às Volkerbäll -


Ж

Sim, como a carta… -  dizia com um sorriso simpático à medida que a conversa se desenrolava e Hana de fato parecia sentir-se afetada positivamente pelos elogios a ela direcionados. Suas proporções e seu jeito descontraído quase não parecia compatível com a imagem que muitas pessoas possuíam sobre gigantes, de fato nela o que era impressionante além da beleza era sua força natural. - Bom, disso não tenha dúvidas, eu sei escolher bem! -  brincava, mas ouvir sobre vestir um uniforme de certa maneira me chamou a atenção. - Para quem não tinha nada preparado, você é preparada demais. -  pensava com um olhar desconcertado ao observar as roupas que ela removia por entre os seios. - Pode ser excêntrico...mas pelo menos cheira bem. -  pensava ao ter as roupas em mãos, suspirando em claro sinal de que não conseguiria o que queria se não ‘jogasse dentro das regras’. - Tudo bem então! -  passava a remover minhas roupas para vestir o conjunto, sim ali mesmo sem a necessidade de procurar um local reservado. - Um corpo é um corpo, não estão olhando para nenhuma novidade. -  o pensamento tinha um dedo de aprendizado familiar, vergonha naquele momento não era estar nua na frente de desconhecidos, era tentar e não conseguir aprender nada com Hitsumi por capricho ou vergonha de me colocar em uma situação embaraçosa.

Gostei da roupa. -  dizia, ao finalmente terminar de vestir-me, mantendo somente minhas botas e minhas luvas, as quais sequer havia esboçado reação de tirá-las antes de seguir a giganta para o lado de fora. O treinamento possuía uma parte teórica bem simples e direta, a qual Hitsumi explicou de maneira bem única denotando mais uma vez que até mesmo a sedução poderia ser usada como arma. - Vou levar isso na cabeça, mas não tenho planos de seduzir ninguém. -  pensava com um pouco de desconforto, afinal de contas eu era um poço de objetividade e o simples jogo de sedução facilmente me deixava perdida em minhas próprias tomadas de decisão. - Mas entendi o conceito, talvez seja o momento de ver na prática. -  pensei antes de seguir treinando. Foram três horas seguidas de total intensidade, uma coisa era compreender outra era aplicar com eficácia e nisso o conselho de Mizuki havia sido preciso, Hana era alguém cujo conhecimento e experiência se mostravam enormes durante o processo, fazendo-me entender que não era uma questão de meramente improviso, diferentemente de uma memória muscular, treinada e comprometida a agir de forma automática perante situações repetidas, lutas daquela maneira era um apelo direto a criatividade e ao rápido raciocínio e compreensão de espaço e situação do combate, os vícios me faziam sempre retornar ao que já havia aprendido, enquanto Hana parecia tirar coelhos da cartola como quem tirasse grãos de areia de uma praia, a mim restou somente absorver o que aprendia a medida que buscava encontrar um equilíbrio perfeito entre o tradicional e o imprevisível.

Ouvir as palavras de Akira, quebrava-me momentaneamente a atenção, fazendo-me olhar para ele em dado momento do treino, enquanto arfava sutilmente. - Cada um com seu talento não é mesmo? -  brincava, abrindo um largo sorriso antes de voltar para a conclusão do aprendizado o qual me deixaria cair no chão pelo cansaço. - Isso foi mais difícil do que eu imaginei, mas graças a você as coisas ficaram mais fáceis. -  diria a giganta, com um sorriso claro de satisfação. - Eu nem sei como lhe agradecer, mas por via das dúvidas acho que comida e bebida poderiam ser boas recompensas não é mesmo? -  me levantaria, caminhando até Hana. - Eu e o ruivo pretendemos fazer uma grande celebração, o que acha de fazer parte dela? -  estenderia meu punho para um cumprimento, esperando uma resposta da mulher para que assim pudéssemos retornar para o interior da guilda, onde me deslocaria para perto de Akira e Mizuki.

Uma cerveja! -  diria a Mizuki, no balcão antes de remover a parte de cima do uniforme, jogando-o na cabeça do ruivo. - Estarei logo depois dessa cerveja. -  suspirava de alívio em ter de re-colocar minhas roupas, mas faria questão de manter o uniforme comigo após terminar a troca. Beberia a cerveja, mas só com a menção a Íris que daria uma evidente e clara atenção a Akira. - Você tem? -  a voz quase falhava, perdendo a imponência e altivez para algo mais sutil e carregado de zelo, partilhando com o ruivo o mesmo brilho no olhar, mas trazendo junto um sentimento único de gratidão. - Sim...temos um serviço! -  beberia toda a cerveja, antes de questionar Mizuki. - Teria um mapa da ilha ou do porto para que possamos dar uma olhada? -  seria uma pergunta simples, cujo propósito seria apenas para que pudéssemos nos orientar melhor.

Com ou sem o mapa, olharia para Akira com o dedo a indicar um caminho invisível pelo balcão. - Com as informações que temos, podemos decidir qual o melhor momento para atacar. Fato é, precisamos lidar com ambos os alvos, da maneira mais eficaz possível. -  estalaria os dedos. - Eu não sou uma estrategista, então pra mim é sempre mais fácil chegar com o pé na porta, mas dada a incerteza do navio, acha que é uma boa atacarmos pelo mar primeiro? Podemos interceptar o navio antes do tempo, lidar com um dos alvos e depois desembarcarmos indo de encontro ao segundo alvo que estará o esperando no porto. -  faria uma sugestão direta, embora as possibilidades fossem várias, estava disposta a ouvir a opinião do tritão para que juntos pudéssemos decidir o melhor caminho.






Histórico:






Última edição por Às em Seg Jul 05, 2021 8:22 pm, editado 1 vez(es)

_________________

1º Chapter - Wild Hunt - Página 7 Z0zQdpF

1º Chapter - Wild Hunt - Página 7 ZaT0xpq
HollydayRango
Imagem :
1º Chapter - Wild Hunt - Página 7 350x120
Créditos :
05
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/
HollydayRango
Criador de Conteúdo
Re: 1º Chapter - Wild Hunt Dom Jul 04, 2021 4:13 pm
A volta para casa!

Hora de ver os outros!





A estratégia de movimento parecia ter funcionado bem, o disparo foi feito com excelência e a velocidade era "acima da média" poderia se dizer, mas talvez as coisas fossem mais complicadas do que um treino no campo quando se aplicado a um combate real, mas essa não era a minha maior preocupação naquele momento. Quando o velho ranzinza começou a falar eu me vi na obrigação de concordar, sim ele estava certo, lutar contra os inimigos que eu tinha de lidar implicava em saber fazer o meu corpo a corpo ser adequado, e treinando levemente com ele pude compreender o básico de me defender em meio a briga de rua que já sabia.

Ao ver o mesmo cansado me dei ao trabalho de parar e com um leve sorriso bater uma ou duas vezes em seu ombro da do um sinal de que tínhamos acabado. Sua afirmação dita a seguir do treino foi bastante sensata, ir para casa comer uma bóia e respirar fundo talvez fosse o ideal depois de tantas revelações e afirmações.

E enquanto o acompanhava observava o que me esperava a frente, eu tinha escolhido uma vida de perigos e aventuras, escolhi acumular inimigos e enfrenta-los, mas o quanto eu era capaz? Bem, descobririamos em breve.

E enquanto caminhava falava em um tom amistoso ao homem que eu tanto admirava como pai:


-- Estou confiante de tudo…"diacho" eu tive o melhor "professôr" !




bichaelson




- Falando com animais.
- Pensamento
- Técnica
- Fala Normal

Comentários OFF:

Histórico Rango:


_________________

1º Chapter - Wild Hunt - Página 7 XHHUTWQ
Sasha
Imagem :
Berserker
Créditos :
76
Localização :
Rota 6 - 4ª Ilha Vedde
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t340-sasha-sparks#1002 https://www.allbluerpg.com/
Sasha
Rank B
Re: 1º Chapter - Wild Hunt Seg Jul 05, 2021 6:16 pm


Turma da
Pesada





Akira E Às

Enquanto Akira havia tomado a sua difícil decisão,  apesar do conflito que lá havia, também existia a razão, de que com a cabeça do modo como estava, era muito mais provável que fizesse algo pela metade caso tivesse ido pelo primeiro caminho do que aquele que havia escolhido. Sophie havia lhe respondido de maneira mais simples - Acho que agora que ela esta dormindo, vai ficar bem, ela parecia bem cansada…- Era uma voz que vinha seguida de um olhar na direção do quarto, que deu uma segurança para o ruivo de que ela estaria atenta a tudo que  fosse ocorrer com a pequena.

Enquanto isso, Às se colocaria acima de todos os procurados, todo o dinheiro e até toda a cerveja que havia naquela sala, quando o quesito era atrair olhares, na verdade era possível que um urso malabarista pilotando um monociclo  na sala adentrasse saísse sem que ninguém notasse pelos breves instantes onde todo o charme da segurança em si, do abscesso de um senso de vergonha ao qual outros teriam, aquilo talvez continuasse com assobios ou uma atenção mais desconfortável mas, Mitsuki teria batido por um momento uma caneca de madeira contra o balcão de modo que a ordem logo voltou ao seu rumo natural.

O treinamento em si era único como só ele poderia ser de modo que no momento em que Akira pudesse ver a grande gasosa moça, junto a sua irmã logo acabaram flertando de modo a provocar levemente um  ao outro, sobre suas atividades, onde a gigante diria com sua grande voz - Gwahaha! Uma festa, conta comigo, só me dizer onde e quando, mesmo que eu não estiver por ai na hora, alguém do meu tamanho não é muito difícil de se achar.- Ela comentou com orgulho sobre suas próprias características,  acenando e comentando - Agora vou me indo pequeninos, tenho um bando de canalhas pra derrubar! Gwahaha!- Ela teria dito, onde continuou seguindo até que seus adornos eram a única coisa que se poderia ver a distância.

A conversa os levou então para uma ultima cerveja antes de partir, esta que fora servida pela própria Mitsuki após abrir e fechar o registro de um grande barril, era uma marca mais comum hoje, nada tão incrível como da ultima vez, talvez seja este o motivo também de precisar de novos insumos? A morena quando questionada responderia - De toda a ilha, vou ficar te devendo, mas tenho sim da região portuária. - Ela levantou então o dedo indicando o número 1 e então diria - Um minutinho.-  E com isso, procurando nos balcões e em suas gavetas ela finalmente havia achado um mapa enrolado como um pergaminho, onde ela esticou ali sobre o balcão e colocou dois pesos de papel de modo que pudesse ficar firme ali sem que ela precisasse ficar segurando.

No mapa portuário, havia a disposição dos hangares e a estrada principal, onde não haviam dados novos além do que Akira já havia reunido em sua exploração anteriormente… No entanto, nada melhor do que um mapa para que ele pudesse transmitir melhor sua explicação de maneira mais convincente de modo que concordassem com um plano.

Rango



Para muitos, a jornada estava no exterior, no mundo onde se realizava as maiores viagens,  mas para os dois, voltar ao interior de si e se descobrir de uma nova maneira era tudo que naquele momento eles precisavam, ainda que  talvez, fosse um papo muito mais de ações do que palavras, ambos haviam naquele momento sentido que haviam crescido de algum modo, enquanto com palavras Theodor diria -Cê tá crescido mesmo…- Comentou o homem como um pensamento em voz alta ao qual exibiu, tal como respirar talvez nem ele tivesse notado.

O amadurecimento do filho dava ao homem, outrora ranzinza, um discreto sorriso de canto de rosto ao qual o modo como ele havia se virado, demonstrou o orgulho que ele tinha, mesmo em um ato inconsciente como aquele, onde no momento em que chegassem  em casa, poderiam ver que dado o horário, a mãe já aguardava e um cheiro de pão de queijo fresco e de café já se faziam presentes,  onde ela teria dito -  Comam bem, pular refeições não vai fazer bem pra nenhum dos dois!- Ela deu uma pequena bronca naquele momento mas, era possível denotar que ela mesma estava já mais desgastada, quando juntaria-se a mesa por ali, Teodor apenas abaixou a cabeça levemente,  não por vergonha mas, como modo de não contestar o fato de que ela tinha razão, além do pão de queijo haviam frutas frescas, café e leite de modo que poderiam tomar um bom café para se revigorar por ali.



Histórico:

_________________



1º Chapter - Wild Hunt - Página 7 HGWnxh1
Às
Imagem :
1º Chapter - Wild Hunt - Página 7 BcOqz4N
Créditos :
21
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t271-as-e-volkerball#780 https://www.allbluerpg.com/t742-sharp-teeth-and-hard-fists
Às
Designer
Re: 1º Chapter - Wild Hunt Seg Jul 05, 2021 8:46 pm




»» Wild Hunt ««

- Às Volkerbäll -


Ж

Um gole refrescante de cerveja bastava para sentir-me plenamente disposta outra vez, o sabor embora não fosse tão marcante quanto antes não era um problema, ainda era uma boa bebida e seu objetivo havia sido plenamente alcançado. Com o auxílio do Mizuki, havia conseguido um mapa da região portuária e com auxílio da mesma o abríamos no balcão. - Obrigada! - agradeceria, colocando o caneco de cerveja já vazio no balcão enquanto explicava brevemente a Akira o que tinha em mente, enquanto aguardava o tritão opinar a respeito do que havia descoberto à medida que observava o mapa, em busca de mais informações. - Posso imaginar algumas variações, mas é difícil saber qual seria nossa melhor abordagem. Mas acho que podemos concordar em lidar com ambos os alvos em momentos diferentes. - levava a mão ao queixo, observando Mizuki de soslaio antes de questioná-la. - A carga do navio, seria bom não danificá-la eu presumo?

Uma resposta seria crucial para nossa elaboração, lutar no navio tinha seu valor pelo fato surpresa, mas os danos que poderiam ser causados por um conflito poderiam danificar não apenas a embarcação que serviria posteriormente aos nossos interesses, como também a possibilidade de danificar a carga, algo de interesse do contratante. - Como não temos a certeza da chegada do navio também, acho que lidar com a receptora pode ser mais interessante, a enfrentamos e depois lidamos com o outro procurado, mas se formos por esse caminho...temos que impedir uma fuga. - olharia para Akira. - Mas pegá-la no porto me soa tantas coisas, ao mesmo tempo que é bom pela objetividade, é ruim porque não saberemos de onde ela veio e em qual lugar da ilha se escondem. - tocava o mapa, esperando uma resposta do ruivo para colocar-me em pensamentos e análises.

Ouviria o que o tritão teria a dizer com máxima atenção, além de sua versão do plano a qual analisaria um tempo até perceber que de fato nenhuma opção talvez me agradasse totalmente muito pelo fato de ser uma péssima estrategista. - Quer saber? Vamos até o porto, analisamos a situação e decidimos na hora. Pensamento estratégico é uma bela bosta, ainda mais quando tudo se resume em socos e chutes. - colocaria minha jaqueta, enrolando o mapa e o devolvendo para Mizuki se o tritão não quisesse discutir mais coisas a respeito. - Obrigada pelo mapa! - agradeceria mais uma vez, saindo da guilda e seguindo caminho até o porto, onde procuraria junto do tritão nos aproximarmos do ponto de encontro, onde permaneceria atenta a presença de outras pessoas ou ameaças. - Vamos esperar um pouco e acima de tudo, vamos evitar confrontos desnecessários enquanto não virmos pelo menos um dos alvos. - diria em tom baixo, atenta enquanto procurava um local onde me permitisse ter visão de todo o local.






Histórico:






_________________

1º Chapter - Wild Hunt - Página 7 Z0zQdpF

1º Chapter - Wild Hunt - Página 7 ZaT0xpq
Yami
Imagem :
1º Chapter - Wild Hunt - Página 7 Giphy
Créditos :
46
Localização :
Alabasta - 7ª Rota
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t343-shimizu-d-akira#1013 https://www.allbluerpg.com/t2089-hellhounds-6-sands-and-tears
Yami
Avaliador
Re: 1º Chapter - Wild Hunt Ter Jul 06, 2021 4:28 pm

Wild Hunt
- Falas | ~ Pensamentos



Eu havia escutado festa? Eu tenho certeza que ouvi muito bem. Ignorava por completo minha irmã se agarrando com uma mulher que era pelo menos o dobro de seu tamanho no instante em que ela havia se convidado para uma boa festança. — Às pelo jeito tá se empenhando em fazer os convites da minha festa, GHYAHAHAHAHAHA! — Dizia, rindo de um jeito muito semelhante à giganta que ia se afastando logo após. Olharia para ela indo, dando uns tapinhas no ombro de minha irmã como uma parabenização. Ela saberia pelo que. — A cada dia que passa, sinto que está cada vez mais animada com a grande festa. GHYAHAHAHAHAHA! — Ficava contente em perceber que meus sonhos estavam contagiando outras pessoas ao meu redor, afinal uma boa festa só seria possível com todos em sintonia.

Caminharia juntamente com Às até a senhorita Mizuki, que nos apresentava uma versão simplificada de tudo o que eu já havia visualizado. — É, parece fiel com o que eu vi. Notei que só há um caminho por terra aqui. — Apontaria no mapa, indicando o trajeto que seria necessário para escapar com as mercadorias. Ouvindo um pouco da ideia de minha irmã, notava que estávamos bem perto da linha de raciocínio um do outro. — Com toda a certeza Maya chegará com antecedência e ficará rondando o lugar. Precisamos concluir rápido a caçada dela antes que o navio se aproxime do porto. E então… — Apontaria para a água, fazendo um grande círculo na grande mancha azul do oceano enquanto esboçava um sorriso. — O mar é lugar dos homens-peixe, GHYAHAHAHAHAHA! Podemos interceptar o navio e as encomendas antes mesmo de gritar “terra à vista”. — Tinha total confiança em minhas habilidades na água e, graças ao meu treino com Às de surf-tritão, seria possível alcançarmos juntos o navio ainda em alto mar.

Entretanto, Às pontuava algo que seria necessário realmente uma atenção. Se derrotarmos primeiro Maya, como poderíamos mantê-la presa até que terminássemos com Leon? E mesmo que conseguíssemos restringí-la, como iria garantir que ela não seria capturada por outro oportunista? — Eu até poderia produzir um sonífero potente para tirá-la de jogo por umas boas horas… Mas é arriscado caso ela acorde antes ou alguém apareça e encontre a oportunidade perfeita para fazer dinheiro com uma procurada inconsciente... — Coçava o queixo, concluindo que talvez seria necessário algumas mudanças de planos. — Talvez nossa maior aposta seria inverter os papéis. Talvez interceptar o navio ainda em mar e já capturar Leon e as encomendas seja o plano inicial. Nesse caso, nem precisaremos ficar de olho em Maya, afinal ela vai aparecer no momento que notar o navio chegando. Ela nem vai saber que são caçadores chegando. Um verdadeiro cavalo de Tróia! — Seja lá o que Tróia significasse. Em seguida, olharia para Mizuki, que tinha mais informações do que nós. — Apenas precisamos saber do navio correto, e talvez de qual ilha eles estão vindo. Sabe um pouco mais sobre nosso futuro navio, Mizuki-kun? — Com àquelas essenciais informações, sorriria e agradeceria de maneira energética, guardando o mapa junto a nós enquanto sairia dali junto de minha irmã.

No caminho, tentaria me atualizar um pouco do que havia sido feito nas últimas horas, ainda mais para saber um pouco mais da gigante que iria comparecer em nossa festa. — Aliás, aprendi muito sobre medicamentos. Creio ser capaz de preparar algo eficiente contra a doença de Íris. — Sorriria largamente, demonstrando otimismo e energia para tentar quantas vezes fossem necessárias. — Apenas não comecei os preparativos pois seria necessário muitas horas de execução. Creio que teremos tempo de sobra quando tudo isso acabar. Vamos! Eu te mostro o que eu já vi. — Correndo um pouco mais ágil, tentaria alcançar o porto sem muita demora, indicando para Às com o olhar os locais importantes que eu havia observado.

Evitaria chamar atenção demais, apesar de ser uma tarefa árdua para mim. Ainda assim, tentaria passar como um morador das redondezas, no máximo um curioso pela região e, falando em tom baixo, diria enquanto olharia para cada trecho. — Só há um caminho de saída do Porto H, que é por aquela estrada de terra. — Com o nariz, indicava a direção das estradinhas que ficavam pela parte de trás dos hangares, que acabavam se conectando à única trilha que levaria até o centro da cidade. — Não há muitas opções. É fácil de patrulhar. Mas se fizermos o que eu sugeri… Conseguimos pegar os dois sem deixá-los com muita escapatória. — Riria baixinho, energético pela ação que teríamos durante a noite.

Entretanto, seria necessário aguardarmos devidamente por ali até o momento de nos jogarmos na água e partirmos em busca do navio de Leon. Assim, me apoiaria em um dos casebres de madeira abandonado que pudessem haver pelo porto e, sentando num local onde seríamos capaz de observar tudo com atenção, atentaria-me sempre a qualquer pessoa que fosse semelhante à Maya ou até mesmo ao Leon, sabendo que seria hora de agir antes da hora. Entretanto, não sendo o caso, nos primeiros sinais de ocultação dos raios solares eu já me ajeitava, pronto para mais uma sessão de surf até nosso objetivo entre as ondas.



  • Posts: 27
  • Ganhos:
    Cargo: Caçador de Recompensas Rank E;
    B$ 1.000.000;
    Cartazes de Serviços da Guilda (Maya e Leon, 1 milhão cada);
    Carta de Contrato para ser lido à Maya;
    Maleta com utensílios médicos:
    Conteúdo na Maleta:

    Treino para adquirir de Ambidestria
    Perícia Farmácia -> Post 25
  • Perdas: B$ 2.000.000
  • Contagem Caçador: B$ 3.000.000
  • Posts Desvantagem: 3/20
  • Players/NPCs:
    Às (irmã)
    Hollyday (irmão)
    Sophie (mãe/NPC)
    Teodor (pai/NPC)
    Mizuki (Caçadora)
    Íris (Órfã)
  • Localização: South Blue - Reino Sorbet



PdV: 4600
STA: 100

Força: 89 +80 +40 +40 = 249 [Regular]
Destreza: 0 [Incompetente]
Acerto: 281 +80 +40 = 401 [Hábil] +5%
Reflexo: 0 +40 = 40 [Regular]
Constituição: 30 +80 = 110 [Regular]

Agilidade: 220
Oportunidade de Ataque: 3
Redução de Dano: 0

Qualidades:

Defeitos:

Primeiros SocorrosVocê sabe tratar ferimentos externos, de gravidade simples ou moderada, além de ser capaz de ministrar o tratamento inicial de qualquer tipo de ferimento. A proficiência primeiros socorros contempla ações como: parar sangramentos, fazer curativos, mitigar danos e similares.

CirurgiaVocê é capaz de tratar ferimentos graves e internos, desde que esteja em posse dos instrumentos apropriados.

AnatomiaVocê conhece o funcionamento e estrutura do corpo dos humanóides, sabendo identificar órgãos, artérias, veias, músculos e todo o resto.

DiagnoseVocê conhece diversas doenças, sabendo identificar seus sintomas e quadro de evolução, além disso, sabe ministrar os tratamentos para frear ou erradicar a doença, se existentes.

AcrobaciaVocê possui um corpo flexível e é capaz de dar saltos elaborados e piruetas, além disso, consegue equilibrar-se em várias superfícies, fazer malabarismo e sabe como amortecer suas quedas.


Profissão:
MédicoOs médicos são especialistas em saúde humana e/ou animal, sabendo preservar a saúde de seus companheiros e sendo capaz de tratar os mais diversos ferimentos.

Bônus: Jogadores médicos são extremos conhecedores do corpo humano, assim sendo, são capazes de aplicar e encerrar condições por meio de tratamentos, criações e técnicas, além disso, podem tratar qualquer ferimento.


Arma: Faixas de MãoDescrição: Um par de faixas de um tecido maleável e resistente, que serve para ser enroscado ao redor dos punhos para dar maior firmeza e capacidade de impacto.
Tipo da Arma: N/A
Qualidade: Clássica
Durabilidade: Baixa
Dano: +40 em Força/LVL
Estado: Nova


Maleta Médica
Kit de Bandagens: Contém 30 bandagens para tratamento de feridos e 10 talas junto deles para caso haja necessidade.  
Bisturi: Extremamente afiado e fino, feito para uso cirúrgico.
Kit de Agulha Esterilizada: 10 agulhas pré-esterilizadas para facilitar tratamentos rápidos, são vendidas num pacote lacrado e com envolcrus as separando...  
Usos: 10 usos.
Álcool: Uma garrafa de 2l de álcool para fins diversos.
Usos: 20 usos.
Estetoscópio: Um instrumento usado por médicos para ouvir as batidas do coração entre outros barulhos internos.
Medidor de Pressão: Um medidor de pressão arterial para fins médicos.
Remédios: Remédios de uso comum,  antigripal, antiinflamatório, remédio para tosse e Soro fisiológico.
Usos: 5 usos. (um uso para cada um)
Espaço no inventário: 0.5 por unidade.
Sedativos: Aqui se encontram sedativos, como morfina e afins. Especifique qual o sedativo na hora da compra. (Morfina)
Usos: 5 usos
Matéria Prima para Criação de Remédios:
Itens diversos para a produção de fármacos.
Usos: 10 usos.


_________________

1º Chapter - Wild Hunt - Página 7 V8upj2D

1º Chapter - Wild Hunt - Página 7 YDNzcDa
HollydayRango
Imagem :
1º Chapter - Wild Hunt - Página 7 350x120
Créditos :
05
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/
HollydayRango
Criador de Conteúdo
Re: 1º Chapter - Wild Hunt Qui Jul 08, 2021 12:43 am
Uma refeição de amor!

O descanso de um homem que aprendeu demais!





Quando as palavras daquele velho ranzinza tocaram os meus ouvidos eu pude compreender a sua forma peculiar de amar, meu velho pai era um homem de conselhos, observação e sabedoria, ensinou desde cedo Que cada disparo tinha que ter um objetivo por isso cada palavra sua era direcionada ao ponto certo. Mas me diga como lidar com um homem que demonstra seus sentimentos tão pouco, bem, eu aprendi como lidar aos poucos. Quando chegamos no pasto próximo a casa pude me deparar com bela mulher que chamava de mãe esperando a gente com pão de queijo fresco, café acabado de ser torrado e um leite quentinho, éramos humildes mas felizes, pode passar pelo passa e ver as vacas e touros, cavalos e éguas, patos e marrecos , galinhas e galos, escutar suas conversas foi a primeira coisa que aconteceu, mas a saudade deles vem sequência.

Fazer parte da família Rango sempre era uma experiência curiosa, restaura saber onde está o restante dos meus irmãos, mas algo me dizia que eu ia descobrir logo entre uma explosão, um tiroteio, ou alguém dizendo pegar eles.

Sentado na mesa comeria um belo de um grude vou tentar ia relaxar, eu tive um dia intenso basicamente treinando e estudando, temos alguns dias antes de começar a fazer a nossa maior peleja, ela seria grande demais e não dava para fazer sozinho e nem cansado.

Porém por desencargo de consciência perguntei a minha mãe de forma breve como tão amistoso e inquisitivo:


-- Onde os "cabeça de vento" se meteram ?!

Esperava escutar a resposta para poder me preparar para meus próximos passos, se eles não estivessem ali eu teria que ir na direção deles ou aquelas previsões sobre a confusão poderiam ser só previsões supositivas.


bichaelson




- Falando com animais.
- Pensamento
- Técnica
- Fala Normal

Comentários OFF:

Histórico Rango:


_________________

1º Chapter - Wild Hunt - Página 7 XHHUTWQ
Sasha
Imagem :
Berserker
Créditos :
76
Localização :
Rota 6 - 4ª Ilha Vedde
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t340-sasha-sparks#1002 https://www.allbluerpg.com/
Sasha
Rank B
Re: 1º Chapter - Wild Hunt Qui Jul 08, 2021 6:58 pm


Turma da
Pesada





Akira E Às
Akira e Ás discutiam as diversas e possíveis aproximações que lá haviam para o que eles desejavam fazer, entre as opções discutidas, era possível ver que Mitsuki apesar de sim ser a maior interessada no sucesso de ambos, ainda assim se mostrou bem “ tímida” quando o sentido era de se pronunciar antes que a perguntassem algo diretamente, dando liberdade para que escolhessem o que fazer.

- Uma escuna, um barco com uma proporção respeitável mas, rápido para o transporte de pequenas e médias cargas, o navio principal de Leon tem um grande leão cravado na proa mas, não é certo que ele esteja usando o próprio navio em uma rota perigosa.- Ela nesse momento mostrou-se até muito bem informada, sendo infeliz o fato de que não haveria algo maior do que o tipo de barco para que identificassem, visto que o mais icônico não teria sido utilizado pelo mink naquele momento.

Mitsuki até então, não mais iria interferir até que fosse chamada novamente e dando uma boa olhada do momento em que fossem já partir, ela recolheria e guardaria o mapa afinal, outros aventureiros poderiam precisar. A morena então teria dito a eles - Boa sorte.- Com um sorriso e voz simpáticos e acolhedores ao mesmo tempo.

Partindo até o porto, com moderado tempo antes da chegada, Ás teria tomado uma posição próxima de uma barraquinha que havia sido montada pouco tempo antes da chegada deles, onde haviam majoriariamente tecidos ao qual um homem de idade mais avançada, que tinha olhos que indicavam sinais de cegueira, havia lhe oferecido o assento, com um gesto de mãos.

Com isso de onde estava a garota poderia ter visto a movimentação das pessoas com moderado conforto e sem que chamasse muita atenção, já que dada a diferença de idade e a sua falta de notoriedade, mais parecia ser filha do vendedor do que outra coisa, ou talvez até mesmo a neta.

Enquanto isso, Akira havia começado a esperar em um lugar menos movimentado, atraindo inevitavelmente alguma atenção levando a bochichos, pelo fato de cabelos ruivos não serem comuns de se ver no dia a dia mas, nada que fosse realmente preocupante.

O sol teria começado a se despedir e o clima começara a esfriar bastante, a ideia de entrar na água não era a mais convidativa mesmo para um tritão mas, nada que fosse adoecer ninguém, neste momento, Ás teria visto o senhor apoiar as costas contra a parede atrás dos dois devido ao cansaço, não lhe pedindo o banquinho em momento algum, como um verdadeiro cavalheiro, enquanto contava o dinheiro que havia conseguido da venda de suas mercadorias onde seria visível que logo ele começaria a desmontar a sua barraca.

Quando anoiteceu, a movimentação diminuiu do ponto que mesmo com algumas iluminações que começaram a ser acesas ali existindo, ainda não era um campo perfeito de visão. Ás de seu ponto de vista, poderia notar que havia alguém com vestes muito similares a de uma freira, acompanhada de pelo menos oito rapazes mais fortes, corpulentos que carregavam consigo uma espécie de carrinho de mão grande que normalmente é puxado por cavalos.



Rango





Após um dia exaustivo, o corpo pedia por um descanso maior, o silêncio que havia naquela casa no entanto, poderia ser nostálgico talvez, ao lembrar Rango de dias mais tranquilos mas, talvez também mais solitários, antes de sua família aumentar do modo como aumentou isso havia talvez guiado o mink a pensar sobre onde estariam seus irmãos naquele momento afinal, estavam quietos a algum tempo.

- As meninas até então não deram noticia mas, como elas se cuidam, tenho certeza de que arrumaram algum teto sobre a cabeça...- Ela começou a pensar a respeito das informações que ela tinha sobre o paradeiro de todos ali, de modo que pudesse atualizar Rango de forma apropriada - Akira e Às, pareciam ter um trabalho para resolver ou algo do tipo na guilda… Mas, eu não entendi muito bem, eles trouxeram consigo uma mocinha que esta dormindo lá no quarto, parecia bem fraquinha… - Sophie comentou um pouco do que viu de modo a dar peças o suficiente para que Rango montasse o quebra cabeça em sua cabeça e soubesse como seguir pelos demais ou não, havia tempo a ele o suficiente para que procurasse saber mais.

Histórico:

_________________



1º Chapter - Wild Hunt - Página 7 HGWnxh1
Yami
Imagem :
1º Chapter - Wild Hunt - Página 7 Giphy
Créditos :
46
Localização :
Alabasta - 7ª Rota
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t343-shimizu-d-akira#1013 https://www.allbluerpg.com/t2089-hellhounds-6-sands-and-tears
Yami
Avaliador
Re: 1º Chapter - Wild Hunt Sex Jul 09, 2021 3:22 pm

Wild Hunt
- Falas | ~ Pensamentos



Olhava com tamanha determinação para a face da senhorita Mizuki que ela até poderia imaginar que eu sabia o que era uma escuna. Como tritão, já havia visto centenas de embarcações flutuando por cima de minha cabeça, mas não fazia a menor ideia de suas classificações. Ao menos, a descrição apontava para uma embarcação humilde e menor do que os padrões, podendo filtrar um pouco o que encontraríamos naquela noite. — Você é a melhor, Mizuki-kun! — Após um abraço apertado de despedida, partiria em direção ao porto junto de Às, discutindo no caminho as etapas do plano que havíamos imaginado.

Seria necessário um bom esforço para me manter longe dos holofotes, mas conseguia ficar longe o bastante para ser capaz de enxergar tudo e ainda manter o anonimato. O estômago talvez não fosse tão colaborativo quanto ao plano de furtividade, uma vez que se passariam algumas horas desde a última refeição. Entretanto, antes mesmo de cogitar dar uma volta para buscar algum lanche rápido, acabava por notar o sinal de minha irmã, indicando a presença de uma pessoa de vestes familiares. — Que lugar estranho pra vir rezar… —  E então lembrava o motivo dela ser familiar, me fazendo erguer os olhos. — Aaah, é ela?! — Falava em um sussurro perto do ouvido de Às, ficando um pouco animado pela proximidade com nosso alvo.

Entretanto, o plano ia totalmente por água abaixo com a sua presença tão antecipada ali no porto. Imaginando que iriam demorar ao menos um pouco para que ela aparecesse, nossa ideia era de buscar a escuna pelo mar para então retornar com Leon rendido e interceptar Maya antes que escapasse, mas com ela dando as caras primeiro, precisávamos agir logo... — Bem… Temos duas opções. Ou você vai até lá e vê se é ela mesmo. Se for, você já parte pra ignorância. — E então olharia para a água, tentando visualizar as navegações por perto. — Ou deixamos ela por aqui esperando, vamos até onde está o barco do Leon, capturamos ele e voltamos pra cá. Ela vai nos ver chegando e vai achar que é seu contato. E ao menos ela vai ficar por aqui perto esperando, né? — Cruzaria os braços, pensativo, mas deixando que Às tomasse a decisão naquele instante.

Acabaria acatando a ideia dela, pois apesar de ter uma mente que trabalha bem sob pressão, minha fome deixava meus pensamentos mais instáveis. Caso o plano fosse interceptar a freira naquele instante, iria indicar que ela fosse na frente, enquanto eu ficaria apenas por perto para agir no instante certo. — Primeiro confere se é ela. Não to afim de bater numa freira de verdade. — Nisso, me separaria de Às, contornando o grupo que estava andando juntos com a mulher misteriosa. Numa tentativa furtiva, acabaria por me manter distante deles enquanto seguia por suas costas ao mesmo tempo em que Às poderia intercepta-los de frente.

E no instante em que o primeiro soco fosse deferido, eu dispararia com toda a velocidade nas costas do primeiro que tivesse na minha frente. Usando o carrinho como apoio, pularia por ele num movimento acrobático para já cair com o pé na cara de dois, buscando afundar seus narizes até o interior de seus crânios. — A festa acabou, Maya-chan!! — Diria com um sorriso, pronto para derrubar quantos fossem necessários para que a caçada fosse concluída. Sabendo que não deveríamos machucá-la na face, estaria pronto para revidar da maneira que fosse necessária para incapacitar todos por ali antes mesmo de terem uma boa chance de reação.

Entretanto, se a freira não fosse Maya ou Às acabasse por cogitar de irmos ao mar antes de enfrentarmos a freira, sinalizaria positivamente e me afastaria com cautela de onde estávamos até a beira-mar mais próxima. Dali, iria desabotoar minha camisa para deixar minhas escamas mais expostas, fazendo um sinal convidativo para que Às pulasse em minhas costas. — Chegaremos lá antes que perca o fôlego. Pronta pro mergulho, magrela? ghyahahahaha! — Até mesmo a risada era quase um sussurro em demonstração dos meus esforços em me manter discreto em meio a toda aquela situação.

E, sendo assim, partiria pelo mar junto de Às com o tradicional surf de tritão, cruzando inicialmente submerso até nos afastarmos o bastante da costa, onde não chamaríamos atenção de quem estivesse em terra. E só aí, acabaria por me erguer sentindo o frio travar meus músculos, mas como um bom tubarão branco não iria parar de nadar em momento algum. — Vendo alguma coisa? — Perguntaria com ela em minhas costas, me aproximando de qualquer uma das embarcações que eu julgasse se encaixar nas descrições que nos haviam sido passadas.



  • Posts: 28
  • Ganhos:
    Cargo: Caçador de Recompensas Rank E;
    B$ 1.000.000;
    Cartazes de Serviços da Guilda (Maya e Leon, 1 milhão cada);
    Carta de Contrato para ser lido à Maya;
    Maleta com utensílios médicos:
    Conteúdo na Maleta:

    Treino para adquirir de Ambidestria
    Perícia Farmácia -> Post 25
  • Perdas: B$ 2.000.000
  • Contagem Caçador: B$ 3.000.000
  • Posts Desvantagem: 4/20
  • Players/NPCs:
    Às (irmã)
    Hollyday (irmão)
    Sophie (mãe/NPC)
    Teodor (pai/NPC)
    Mizuki (Caçadora)
    Íris (Órfã)
  • Localização: South Blue - Reino Sorbet



PdV: 4600
STA: 100

Força: 89 +80 +40 +40 = 249 [Regular]
Destreza: 0 [Incompetente]
Acerto: 281 +80 +40 = 401 [Hábil] +5%
Reflexo: 0 +40 = 40 [Regular]
Constituição: 30 +80 = 110 [Regular]

Agilidade: 220
Oportunidade de Ataque: 3
Redução de Dano: 0

Qualidades:

Defeitos:

Primeiros SocorrosVocê sabe tratar ferimentos externos, de gravidade simples ou moderada, além de ser capaz de ministrar o tratamento inicial de qualquer tipo de ferimento. A proficiência primeiros socorros contempla ações como: parar sangramentos, fazer curativos, mitigar danos e similares.

CirurgiaVocê é capaz de tratar ferimentos graves e internos, desde que esteja em posse dos instrumentos apropriados.

AnatomiaVocê conhece o funcionamento e estrutura do corpo dos humanóides, sabendo identificar órgãos, artérias, veias, músculos e todo o resto.

DiagnoseVocê conhece diversas doenças, sabendo identificar seus sintomas e quadro de evolução, além disso, sabe ministrar os tratamentos para frear ou erradicar a doença, se existentes.

AcrobaciaVocê possui um corpo flexível e é capaz de dar saltos elaborados e piruetas, além disso, consegue equilibrar-se em várias superfícies, fazer malabarismo e sabe como amortecer suas quedas.


Profissão:
MédicoOs médicos são especialistas em saúde humana e/ou animal, sabendo preservar a saúde de seus companheiros e sendo capaz de tratar os mais diversos ferimentos.

Bônus: Jogadores médicos são extremos conhecedores do corpo humano, assim sendo, são capazes de aplicar e encerrar condições por meio de tratamentos, criações e técnicas, além disso, podem tratar qualquer ferimento.


Arma: Faixas de MãoDescrição: Um par de faixas de um tecido maleável e resistente, que serve para ser enroscado ao redor dos punhos para dar maior firmeza e capacidade de impacto.
Tipo da Arma: N/A
Qualidade: Clássica
Durabilidade: Baixa
Dano: +40 em Força/LVL
Estado: Nova


Maleta Médica
Kit de Bandagens: Contém 30 bandagens para tratamento de feridos e 10 talas junto deles para caso haja necessidade.  
Bisturi: Extremamente afiado e fino, feito para uso cirúrgico.
Kit de Agulha Esterilizada: 10 agulhas pré-esterilizadas para facilitar tratamentos rápidos, são vendidas num pacote lacrado e com envolcrus as separando...  
Usos: 10 usos.
Álcool: Uma garrafa de 2l de álcool para fins diversos.
Usos: 20 usos.
Estetoscópio: Um instrumento usado por médicos para ouvir as batidas do coração entre outros barulhos internos.
Medidor de Pressão: Um medidor de pressão arterial para fins médicos.
Remédios: Remédios de uso comum,  antigripal, antiinflamatório, remédio para tosse e Soro fisiológico.
Usos: 5 usos. (um uso para cada um)
Espaço no inventário: 0.5 por unidade.
Sedativos: Aqui se encontram sedativos, como morfina e afins. Especifique qual o sedativo na hora da compra. (Morfina)
Usos: 5 usos
Matéria Prima para Criação de Remédios:
Itens diversos para a produção de fármacos.
Usos: 10 usos.


_________________

1º Chapter - Wild Hunt - Página 7 V8upj2D

1º Chapter - Wild Hunt - Página 7 YDNzcDa