Bem-vindo ao

All Blue

É com muito prazer que lhes damos os comprimentos ao nosso RPG. All Blue se trata de um RPG narrativo com o ambiente principal centrado em One Piece, obra de Eiichiro Oda.
Se divirta nessa nova aventura e se torne o novo rei pirata... Se puder!

1º Chapter - Wild Hunt

Página 4 de 9 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9  Seguinte
Kenshin
Imagem :
1º Chapter - Wild Hunt - Página 4 Ahri
Créditos :
00
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t360-agatha-harkness https://www.allbluerpg.com/t2343-capitulo-i-poesia-com-uma-espada
Kenshin
Desenvolvedor
1º Chapter - Wild Hunt Seg Maio 10, 2021 9:56 pm
Relembrando a primeira mensagem :

1º Chapter - Wild Hunt

Aqui ocorrerá a aventura do(a) Civil Às Volkerbäll . A qual não possui narrador definido.

_________________

1º Chapter - Wild Hunt - Página 4 J09J2lK

"Ah, mas eu não quero ter dois caminhos ou ah, mas eu não quero ter caminho nenhum. Ué, você já pode porra, a única coisa que te impede de fazer isso é ser zé metinha e querer ficar comparando o tamanho do pau com o coleguinha pra compensar o ego frustrado." - Luquinhas, 2022

Às
Imagem :
1º Chapter - Wild Hunt - Página 4 BcOqz4N
Créditos :
21
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t271-as-e-volkerball#780 https://www.allbluerpg.com/t742-sharp-teeth-and-hard-fists
Às
Designer
Re: 1º Chapter - Wild Hunt Sex Jun 04, 2021 3:56 pm




»» Wild Hunt ««

- Às Volkerbäll -


Ж

Embriagada, era difícil imaginar em qual momento havia de fato apagado de sono, amortecida pela bebida, despertava antes do raiar do dia, ajustada como um relógio, embora meu semblante entregasse com facilidade meu incômodo com a súbita falta de sono, a vontade avassaladora de voltar a dormir esbarrava de maneira conflitante com o ímpeto do corpo em treinar e tudo aquilo culminou no fim em uma estagnação que servia mais para ajustar meu pensamento e minhas sensações do que propriamente me atrasar. O olhar pesado podia identificar a cama e o quarto, sinal de que pelo menos havia tido o discernimento de procurar um local para dormir, mas o cansaço havia me feito dormir sentada em uma cadeira, usada para que pudesse ter apoio para me livrar das botas, ou pelo menos uma delas. - Que fome… -  reclamava, buscando o outro calçado antes de perceber o pote de rapaduras. Havia trazido o que sobrou para o quarto? - Aaarghh, eu não quero pensar nisso agora… -  resmunguei, colocando as mãos na cabeça.

Mantinha-me firme por alguns segundos, afastando a preguiça e a ressaca por alguns minutos antes de levantar-me com forte ímpeto. - Melhor eu treinar logo… -  pensava, antes de notar as rapaduras, tirando os dois últimos pedaços do pote antes de sair do quarto, caminhando pela sala até perceber Akira, apagado no meio do chão. - Francamente… -  suspiraria ao perceber o tritão dormindo no local, aproximando-me dele com cuidado para ter certeza de que ele estaria em um sono pesado. Andaria até a cozinha, onde encheria uma caneca de água, retornando para a sala onde despejava o conteúdo no rosto do ruivo. - Bom dia flor do dia! -  o comentário seria cômico, mas minha expressão se manteria normal, tratando aquilo como uma casualidade. Assim que o tritão despertasse, indicaria a porta. - Precisamos treinar… -  diria, caminhando para o lado de fora da casa, mas estaria atenta as palavras dele, respondendo-o caso se queixasse da maneira que havia sido despertado. - Desculpe, eu fiquei preocupada… -  viraria o rosto em sua direção. - ...pensei que como sendo meio peixe você pudesse morrer de desidratação. -  a expressão séria não se manteria e após alguns segundos deixaria escapar um sorriso pelo rosto, sinalizando que sim, havia jogado a água para implicar com ele.

Do lado de fora, caminharia até o pasto e esperava estar sendo seguida por Akira, para que pudesse partilhar com ele o resto da rapadura. - Isso vai te ajudar com a ressaca e o sono. -  diria, antes de comer minha parte enquanto procurava uma corda para usar no treino. - Logo aquele marinheiro estará aqui e teremos muita coisa para agir, tempo será uma coisa preciosa e por isso precisamos aproveitar cada minuto que tivemos, além disso, preciso da sua ajuda. -  amarraria a corda em um laço, jogando-a no chão e colocando um de meus pés no centro daquele espaço delimitado pela mesma. - Preciso praticar com meu lado esquerdo, embora a luta de ontem tenha sido proveitosa nisso, ainda tenho muito o que melhorar, especialmente se tiver de lutar muito próximo de alguém. -  removeria a jaqueta e indicaria o meu pé. - Vamos lá, coloque seu pé e escolha um dos braços, a regra é simples, você ataca com o braço que escolheu, um dos pés fica dentro do laço e o outro fora, você pode usar seu corpo para empurrar ou esquivar, bloqueios, só com a mão escolhida. O objetivo é fazer o oponente retirar o pé do espaço do laço. -   indicaria minha mão esquerda como opção, mantendo o braço direito colado ao corpo. - Uma melhor de três? -  questionaria antes de começarmos. Assim que iniciássemos, perguntaria. - Além das festas, porque se tornar um caçador de recompensas?  


Quantidade aleatória (1,10) : 6



Histórico:






Última edição por Às em Sex Jun 04, 2021 8:46 pm, editado 2 vez(es)

_________________

1º Chapter - Wild Hunt - Página 4 Z0zQdpF

1º Chapter - Wild Hunt - Página 4 ZaT0xpq
Yami
Imagem :
1º Chapter - Wild Hunt - Página 4 Giphy
Créditos :
46
Localização :
Alabasta - 7ª Rota
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t343-shimizu-d-akira#1013 https://www.allbluerpg.com/t2089-hellhounds-6-sands-and-tears
Yami
Avaliador
Re: 1º Chapter - Wild Hunt Sex Jun 04, 2021 8:09 pm

Wild Hunt
- Falas | ~ Pensamentos



As dores no corpo e a cabeça zonza indicavam o quão bom havia sido aquela festa. Eu tinha memórias vívidas de tudo o que havia ocorrido da noite passada, pois não guardei em minha mente, onde era falha e esquecida, mas sim em meu coração e, de lá, jamais sairia. O sono havia sido pesado e meus sonhos estavam recheados com diversas coisas sem sentido, mas eu ria e me divertia com as loucuras que minha mente conseguia projetar. Acordava, entretanto, com um copo de água na cara, me fazendo beber um belo gole por conta dos roncos intensos.

Acordaria no susto, me debatendo no chão como um peixe enquanto tossia em desespero. — GHYAAAA, TÔ ME AFOGANDO, TÔ ME AFOGANDO… — E, então, parava por um instante, notando o quão estranho eram aquelas palavras saindo de minha boca. — Ah, eu não me afogo, GHYAHAHAHAHAHA! — Levantar-me-ia já de bom humor, olhando minha irmã me oferecendo ainda por cima algum doce. Pegaria com vontade, mordiscando o café da manhã improvisado para levar açúcar ao meu corpo, que estava precisando um pouco. Acompanhado de um copo de água, iria coçar o rosto amassado de sono enquanto ouvia os planos de Às, que como sempre parecia ter acordado com energia máxima.

Quando a ideia dela de treino era me envolver, eu sorriria em animação, batendo um punho contra o outro. — Huuuh, querendo tomar uns cascudos? Tô dentro!! — Acompanharia ela até o lado de fora, onde o sol recuperaria um pouco de minhas forças enquanto afastaria a preguiça que restava. Ouviria com atenção todas as instruções, notando que aquilo parecia ser mais complexo do que parecia. — Não podemos só sair no soco? É mais divertido. — Falaria em tom de desânimo ao notar tantas normas para treinar.

Ainda assim, um desafio era um desafio, portanto não desistiria tão fácil assim. Às era uma lutadora exemplar, e apesar de seu estilo não possuir tanta técnica quanto a minha, ainda assim ela sabia bater bem. Colocando minha mão direita nas costas e o pé direito dentro do círculo, ergueria meu punho esquerdo de forma fluída, como se estivesse deixando escorrer água pelos meus dedos. — Quem sabe você não possa aprender uma coisa ou outra do Gyojin Karate. Vai ver que é bem útil se aperfeiçoar a técnica. — Em animação, acenaria positivamente para confirmar que seria uma melhor de três, pronto para começar a trocação de golpes.

Apesar da pergunta de Às poder ser uma espécie de distração para me pegar desprevenido, ficaria atento aos seus membros superiores e inferiores para qualquer ação ofensiva, mas responderia ela com o peito meio estufado. — Pela liberdade, é claro! Nasci, vivi e provavelmente morrerei no mar, e como ele, quero ser livre! — Irmãos e irmãs de minha raça sentiriam maior o impacto daquelas palavras. Aquele era um mundo cruel, onde apenas pelo fato de nossa origem ser um fator determinante para definir por completo todo o nosso destino. Eu queria mostrar que podia ser diferente, que eu podia alcançar as estrelas e não deixar meu sangue me definir. — Marinheiros e Agentes odeiam Piratas e Revolucionários, e vice-versa. Civis não possuem tantas chances nesse mundo… E Caçadores apenas estão fazendo seus trabalhos. Não precisa se submeter a ninguém, e também não precisa ficar fugindo de ninguém… É ter passagem livre em todo lugar que for e poder fazer amizade com quem quer que seja! — Sorriria, imaginando coisas, até notar que estaria distraído demais em meus devaneios, voltando meu foco ao treino. — E o dinheiro é divertido! Claro que piratas e revolucionários poderão não gostar do que eu faço, mas não pretendo maltratar ninguém que maltrate os outros! Pros que forem legais, quero que sejam convidados da minha festa! GHYAHAHAHAHA!

Sabia o quão bobo eram aquelas palavras. Meus irmãos conheciam bem meus objetivos e sonhos, e apesar de acharem engraçado, nunca debocharam de mim ou tentaram me desmotivar, diferente de muitas outras pessoas que já passaram em minha vida. Um tritão? Amigo de todo mundo? E fazer uma festa ainda por cima? Era mais fácil um homem peixe nunca mais entrar no mar do que algo assim acontecer. Mas, ainda assim, era algo que eu possuía convicção, e relembrando da festa em família ontem de noite me fazia ter certeza de que meu sonho acabaria contaminando outros para torná-lo cada vez mais próximo. — E você, Às? Por que uma Caçadora? Sei que veio até aqui pra conhecer Rango… Mas nunca perguntei exatamente por qual motivo busca esse caminho. — Diria e, logo após sua resposta, sorriria para iniciarmos o treino de verdade com tudo o que tínhamos.

1º Post de Treino contra Às:
Quantidade aleatória (1,10) : 9



  • Posts: 12
  • Ganhos:
  • Perdas:
  • Contagem Caçador: B$ 3.000.000
  • Posts Desvantagem: 0/20
  • Players/NPCs:
    Às (irmã)
    Hollyday (irmão)
    Sophie (mãe/NPC)
    Teodor (pai/NPC)
  • Localização: South Blue - Reino Sorbet



PdV: 4600
STA: 100

Força: 89 +80 +40 +40 = 249 [Regular]
Destreza: 0 [Incompetente]
Acerto: 281 +80 +40 = 401 [Hábil] +5%
Reflexo: 0 +40 = 40 [Regular]
Constituição: 30 +80 = 110 [Regular]

Agilidade: 220
Oportunidade de Ataque: 3
Redução de Dano: 0

Qualidades:

Defeitos:

Primeiros SocorrosVocê sabe tratar ferimentos externos, de gravidade simples ou moderada, além de ser capaz de ministrar o tratamento inicial de qualquer tipo de ferimento. A proficiência primeiros socorros contempla ações como: parar sangramentos, fazer curativos, mitigar danos e similares.

CirurgiaVocê é capaz de tratar ferimentos graves e internos, desde que esteja em posse dos instrumentos apropriados.

AnatomiaVocê conhece o funcionamento e estrutura do corpo dos humanóides, sabendo identificar órgãos, artérias, veias, músculos e todo o resto.

DiagnoseVocê conhece diversas doenças, sabendo identificar seus sintomas e quadro de evolução, além disso, sabe ministrar os tratamentos para frear ou erradicar a doença, se existentes.

AcrobaciaVocê possui um corpo flexível e é capaz de dar saltos elaborados e piruetas, além disso, consegue equilibrar-se em várias superfícies, fazer malabarismo e sabe como amortecer suas quedas.

Profissão:
MédicoOs médicos são especialistas em saúde humana e/ou animal, sabendo preservar a saúde de seus companheiros e sendo capaz de tratar os mais diversos ferimentos.

Bônus: Jogadores médicos são extremos conhecedores do corpo humano, assim sendo, são capazes de aplicar e encerrar condições por meio de tratamentos, criações e técnicas, além disso, podem tratar qualquer ferimento.



Arma: Faixas de MãoDescrição: Um par de faixas de um tecido maleável e resistente, que serve para ser enroscado ao redor dos punhos para dar maior firmeza e capacidade de impacto.
Tipo da Arma: N/A
Qualidade: Clássica
Durabilidade: Baixa
Dano: +40 em Força/LVL
Estado: Nova


Última edição por Yami em Sex Jun 04, 2021 8:47 pm, editado 2 vez(es)

_________________

1º Chapter - Wild Hunt - Página 4 V8upj2D

1º Chapter - Wild Hunt - Página 4 YDNzcDa
HollydayRango
Imagem :
1º Chapter - Wild Hunt - Página 4 350x120
Créditos :
05
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/
HollydayRango
Criador de Conteúdo
Re: 1º Chapter - Wild Hunt Dom Jun 06, 2021 3:06 pm
Animais!

Os estudos que precisei!





Aquela festa foi de longe a mais divertida que participei, mas com tantos problemas para resolver estudar um pouco de veterinária era mais importante, admito foi um desafio não tem dentro daquela linguagem técnica eu trabalho tão armado, e como consequência teve mais desconhecimento. Quando tudo parecia perdido eu escutei a voz de minha mãe doce inteligente, aquela mulher sempre tinha uma boa resposta para esse passada.

Cada palavra que ela dizia me fazer observar o óbvio, eu estava tão focado entender sobre os animais e suas semelhanças que não percebi que era as diferenças que importava. Cada palavra daquele aprendizado me fazia observar com mais afinco o mundo amplo e vasto que tinha na minha frente naqueles livros, uma professora minha mãe deu o norte e apartir daí era eu que tinha que desbravar.

Cada diferenciação tornou-se um novo aprendizado, mamíferos e suas características, anfíbios e as suas qualidades, répteis e sua traiçoeira forma de agir, aquáticos e terrestres, tantas diferenças aglutinadas em tantas semelhanças, mundo começaram a se abrir para mim eu entendia sobre animais, mas não sobre suas anatomias, suas preocupações e suas particularidades. Ler aqueles livros precinho mais as minhas dúvidas, eles abriram um horizonte, e foi quando fechei o livro na metade e que olhei a janela pude ver o sol raiar.

Eu precisava descansar mas eu precisava aprender, o que tem para fazer o que eu sempre fazia enquanto trabalhava de fazer em fazenda, mystic ali na cama e descansei um pouco buscando com isso relaxar um pouco a mente para mais estudo em sequência:


-- Um corpo cansado "num" chega em lugar algum...

Naquele dia talvez meus irmãos vamos vissem. Pois quando meu corpo cansado se levantasse a primeira coisa que eu ia fazer era ler um pouco mais e aprender mas ainda.

Talvez você só depois de algumas horas chegando a conclusões mais objetivas que fecharia o primeiro livro e me disporia ir até a sala de jantar e falar:


-- ...acho que preciso de um "grude'' ...

Após um belo rango me levantar ia agradecendo e seguir novamente para o quarto de estudos aquele dia com toda certeza seria um dia digno de aprendizado pois eu não aprenderia veterinária tão simplesmente assim.



bichaelson




- Falando com animais.
- Pensamento
- Técnica
- Fala Normal

Comentários OFF:

Histórico Rango:


_________________

1º Chapter - Wild Hunt - Página 4 XHHUTWQ
Ex-Panda
Imagem :
1º Chapter - Wild Hunt - Página 4 13992c4e51a6ce1e4300d4e366dd4e4a
Créditos :
23
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1611-zayn#17239 https://www.allbluerpg.com/t1586-morte-e-sangue#16916
Ex-Panda
Pirata
Re: 1º Chapter - Wild Hunt Ter Jun 08, 2021 1:12 am

Wild Hunt


Around the world : Première partie - Kanto [ft. Lise & Shinzo] 506h






Reino de Sorbet – South Blue
05:00h
Dia fresco com céu azul, 23 °C


Antes mesmo do sol raiar, a primeiro que se levantava era Ás e os pais, Teodor já cuidava de tudo já que queria deixar seus filhos descansarem depois de um longo dia de ontem e até a ressaca que provavelmente sentiam

Já a mãe estava na cozinha quase como sempre começando a fazer o café da manhã, até porque não era pouca comida que precisava para saciar os dois glutões daquela casa, então ela já acelerava tudo e começava a cozinhar.

Ás como sempre acordava dentro do mesmo horário, porem hoje ela não ficava feliz com isso, era nítida a sua cara de desconforto e derrota, e ainda teria que treinar mesmo com aquele mal-estar por causa de toda a bebida de ontem.

Ela havia dormido em uma cadeira o que deixava seu corpo duro e desconfortável porem ela logo espantava todas aquelas sensações ruins e se levantava com vigor, ela colocava seu outro calçado e pegava o pote de rapaduras.

Vendo o tritão que dormir tão pesadamente no meio da sala de estar fazia uma ideia brilhante passar na cabeça da mulher, ela ia na cozinha e a mãe já a via e dizia:

— Bom dia minha fia, oce dormiu bem? Logo mais os outros dois devem levantar também, eu vou ajudar o seu irmão hoje a estudar mais um tiquin.

Ela enchia um copo com água e levava até a sala, e despejava tudo na cada do tritão o pobre coitado que estava dormindo tão bem já acordava gritando que ia se afogar.


1º Chapter - Wild Hunt - Página 4 Tumblr_lx6sefoBqp1qa41k6o1_500


Porem ele logo notava as asneiras que gritava logo pela manhã, Ás o acordava com ironia, água gelada e um doce, nada melhor para começar o dia certo? Ela o chamava para ir treinar logo e os dois já iam lá para fora.

Enquanto isso após todos os estudos da noite passada o coiote despertava também, ele havia ficado estudando até o sol raiar então havia descansado apenas cerca de 30 minutos, ele se levantava lentamente tirando toda aquela preguiça de si, mas ele não voltaria a dormir ele estudaria ainda mais!

Ele queria ter conhecimento e aprender tudo de veterinária que pudesse daqueles livros velhos de sua mãe, de vez em quando ela ia lá quando percebia que ele já estava acordado e o ajudava com todas as dúvidas que tinha.

Já lá fora os dois irmãos começavam a treinar da forma que Ás havia explicado, mesmo que Akira apenas preferisse sair no soco, ambos iriam para uma competição amistosa e se preparavam para tal.

Ambos prontos o “duelo” começava enquanto conversavam entre si, Akira explicava para ela o motivo de virar um caçador de recompensas, e enquanto isso eles começavam a lentamente a trocar socos e defesas.

Porem à medida que eles esquentavam tudo ficava ainda mais rápido e cada detalhe era importante, Ás e Akira não ficavam para trás em nenhum momento, porém a defesa fluida do tritão era muito irritante.


1º Chapter - Wild Hunt - Página 4 442aae152546a0c0ac24cee47be273bb78f920b3r1-360-202_hq


Os dois sentiam algumas leves pontadas horas ou outras por conta dos machucados de antes mas nada que os fizessem parar com suas lutas ou treinos, o que talvez deixasse suas feridas mais lentas na recuperação.

Ele sempre redirecionava a força dos ataques dela para o desequilíbrio o que em certo momento forçou mais um pouco a fazendo pisar fora do círculo lhe garantindo um ponto em sua disputa contra sua irmã.

Os dois enquanto treinavam podiam ver que o marinheiro chegava na fazenda e dava um abraço em Teodor e apenas acenava para os dois, e dizia de longe.

— Não se preocupem comigo, terminem o que estão fazendo enquanto eu converso com meu grande amigo aqui!

O café da manhã ficava pronto porem o único que ia comer e bem rapidamente era o coiote que logo voltava para seu quarto para estudar mais, o que deixava sua mãe muito mais do que orgulhosa, afinal ele estava seguindo seus passos.

Ela dizia para ele antes de fechar a porta:

— Qualquer coisa que oce precisar só avisar meu fi, mamãe ta muito feliz que oce decidiu aprender sobre os animalzinho que oce sempre teve tanto contato.


OFF:

Histórico:

Considerações:


_________________

Zayn & suas gostosas!
1º Chapter - Wild Hunt - Página 4 YTpeD1K
Às
Imagem :
1º Chapter - Wild Hunt - Página 4 BcOqz4N
Créditos :
21
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t271-as-e-volkerball#780 https://www.allbluerpg.com/t742-sharp-teeth-and-hard-fists
Às
Designer
Re: 1º Chapter - Wild Hunt Ter Jun 08, 2021 10:13 am




»» Wild Hunt ««

- Às Volkerbäll -


Ж

Acho que o “logo mais” pode ser mais cedo do que imagina. - o comentário pontual servia bem para descrever minha possível intenção antes de despertar Akira com um copo de água, embora suave o comentário na ocasião não me causava muito riso, fato este corrigido somente enquanto preparava a corda para o treinamento. - Não podemos não. - repreendia sua intenção de combater de maneira livre. - Não pretendo treinar minha forma de lutar pura e simplesmente, meu objetivo é aprimorar minha capacidade de lutar e usar minha mão esquerda. Você devia fazer o mesmo por sinal. - explicava antes de começarmos propriamente com o ‘duelo’. Assim, os socos começavam a serem trocados, primeiro num ritmo bem lento e gradativamente alcançado um ritmo maior, o que pouco a pouco elevou o grau de dificuldade, especialmente se considerasse as dificuldade de encontrar um balanço ideal para aplicar meus socos de maneira efetiva.

Você acredita mesmo que como caçador estará livre de perseguição? - em meio aos socos, havia uma oportunidade para conversarmos, ainda que o treinamento exigisse foco, encontrávamos em nosso tempo o momento ideal para perguntas e respostas. - Porque não uma caçadora? - sorria, entre esquivas precisas e uma ponta de irritação pela efetividade das movimentações de Akira, de fato sua forma de lutar parecia efetiva e problemática, lembrar que ambos estávamos privados do uso de nossas destras, não ajudava muito. - Provavelmente eu me vejo mais como alguém ligada a revolução do que ao governo, mas já vivi muita coisa em pouco tempo de vida, o suficiente para compreender que essas definições cabem muito bem somente a pouquíssimas pessoas. - a ferida da luta anterior surgia aos poucos, incomodando como uma forte pontada, mas nada que não fosse impossível de se aguentar. - Justiça, pura e simples. Uma que não tenha bandeira ou lado. O certo, pelo certo como sempre deveria ser. - a pressão de Akira persistia e aumentava aos poucos, forçando-me a sair do círculo, dando-lhe a primeira vitória. - Parece que temos visita. - comentava, arfando levemente enquanto levava a mão direita ao local da ferida.

Acenava a distância, com um sorriso no rosto, o marinheiro não parecia ser má pessoa e de certa maneira, sentia-me culpada por tratá-lo de forma tão seca no dia anterior. - Mas sobre o que falei no início, acha mesmo que está livre de perseguição? - recolocava o pé no local, erguendo somente meu braço esquerdo. - Se um marinheiro é corrupto, mas só você percebeu isso e precisa agir, o que impede de ao final do dia não considerá-lo um criminoso, mesmo que tenha feito o certo? O mesmo vale para revolucionários, ainda que estejam certos em sua luta, o que impede de você ser julgado por sua fama como caçador? Você não precisa tomar um lado, suas ações irão tomar e talvez as pessoas tomem outra completamente diferente baseados no que vêem ou escutam. - retornaria a disputa, atenta aos movimentos de Akira, colocando-me sempre a uma distância e posição desconfortável para aplicação de seus socos, observaria seus movimentos e teria como foco somente encontrar o balanço ideal para aplicar meus socos com a mesma eficiência de quando atacava com meu braço direito. - Derrubar o cartel é algo correto, acho que já compartilhamos dessa opinião. Precisamos estar bem preparados para lidar com eles.


Quantidade aleatória (1,10) : 7



Histórico:






_________________

1º Chapter - Wild Hunt - Página 4 Z0zQdpF

1º Chapter - Wild Hunt - Página 4 ZaT0xpq
Yami
Imagem :
1º Chapter - Wild Hunt - Página 4 Giphy
Créditos :
46
Localização :
Alabasta - 7ª Rota
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t343-shimizu-d-akira#1013 https://www.allbluerpg.com/t2089-hellhounds-6-sands-and-tears
Yami
Avaliador
Re: 1º Chapter - Wild Hunt Ter Jun 08, 2021 6:09 pm

Wild Hunt
- Falas | ~ Pensamentos



Sorria ao notar as dificuldades de Às quando quando veio a ser submetida à experienciar um pouco do Ryūsui Gansai-ken, que por conta de sua fluidez, somado à sua brutalidade, acabava por demonstrar um estilo efetivo contra qualquer tipo de oponente. Minha irmã havia treinado bem ao longo de sua vida e eu já conseguia notar que havia ultrapassado os padrões de sua raça há muito tempo, portanto sua velocidade era algo que me fazia pensar no quanto mais eu ainda teria que evoluir. — E quem está completamente livre disso, Às? Sou caçado desde que vim ao mundo simplesmente por ser quem sou. — Diferentemente do tom alegre e energético que eu costumava dizer, àquela frase vinha carregada de sentimentos reprimidos, o que diminuía o volume de minha voz. — Não quero e nem vou fugir de ninguém. E se você, o Sarnento, Sasha e Shiro puderam me aceitar não apenas por ser quem eu sou, mas também em me aceitar como seu próprio irmão… Eu tenho energias de sobra para enfrentar qualquer doideira! GHYAHAHAHAHAHA! — O brilho nos olhos retornaria, assim como o sorriso e vigor para o prosseguimento do treinamento.

Os golpes tardavam a encaixar e, enquanto Às comentava sobre seus desejos e ambições, buscaria encontrar as brechas necessárias para os golpes que iriam desarmá-la. A tarefa com o braço esquerdo não era simples, mas eu acreditava estar numa vantagem ali. Às, durante toda sua vida, precisou de suas pernas para se locomover para onde quer que quisesse ir, já eu, precisava de todo o meu corpo fluindo em harmonia para me deslocar pelo mar, conseguindo compreender muito melhor de que meu corpo sempre precisava se mover em conjunto, e nunca privilegiar um lado apenas.

A reflexão dela, entretanto, acabava sendo absorvida por mim também… Sabia do quanto os pólos que comandavam o mundo sabiam ser sujos. Governo acoberta barbáries o tempo inteiro e Revolucionários fazem de tudo, até mesmo os métodos antiéticos, para provar suas convicções a todo custo. O mundo nunca era preto e branco, mas lutar contra o injusto através de uma bandeira cinza poderia ser a solução ideal. Quando a vitória veio até a mim, sorria de maneira agitada, dando alguns soquinhos no ar em comemoração, até notar a presença do marinheiro, que provavelmente havia retornado com nosso dinheiro. — Yoooo, Sr. Bigodes!!! Já estamos indo, aguenta aí!! — Acenaria à distância, mas logo em seguida retornaria para o foco do treino ao colocar meu pé de volta no círculo.

Com a retomada da troca de socos, ouviria atentamente o questionamento de Às, o que me fazia refletir por um instante, mas em momento algum abriria minha guarda daquele desafio. — Sinceramente, não ligo pro que as pessoas irão pensar de mim. Posso ser o monstro que as pessoas imaginam ou o irmão que vocês precisam, mas a verdade é que o mundo inteiro terá a chance de saber quem eu sou, e se não gostarem do que irão conhecer, o problema é deles!! Me torno um pirata pra não dar satisfações se esse for o caso, mas nunca irei trair aquele que eu realmente sou. — A convicção de minhas palavras seria transmitida aos meus punhos, que fluíram com maior intensidade como uma maré em tempestade.

1º Post de Treino contra Às:
Quantidade aleatória (1,10) : 6



  • Posts: 13
  • Ganhos:
  • Perdas:
  • Contagem Caçador: B$ 3.000.000
  • Posts Desvantagem: 0/20
  • Players/NPCs:
    Às (irmã)
    Hollyday (irmão)
    Sophie (mãe/NPC)
    Teodor (pai/NPC)
  • Localização: South Blue - Reino Sorbet



PdV: 4600
STA: 100

Força: 89 +80 +40 +40 = 249 [Regular]
Destreza: 0 [Incompetente]
Acerto: 281 +80 +40 = 401 [Hábil] +5%
Reflexo: 0 +40 = 40 [Regular]
Constituição: 30 +80 = 110 [Regular]

Agilidade: 220
Oportunidade de Ataque: 3
Redução de Dano: 0

Qualidades:

Defeitos:

Primeiros SocorrosVocê sabe tratar ferimentos externos, de gravidade simples ou moderada, além de ser capaz de ministrar o tratamento inicial de qualquer tipo de ferimento. A proficiência primeiros socorros contempla ações como: parar sangramentos, fazer curativos, mitigar danos e similares.

CirurgiaVocê é capaz de tratar ferimentos graves e internos, desde que esteja em posse dos instrumentos apropriados.

AnatomiaVocê conhece o funcionamento e estrutura do corpo dos humanóides, sabendo identificar órgãos, artérias, veias, músculos e todo o resto.

DiagnoseVocê conhece diversas doenças, sabendo identificar seus sintomas e quadro de evolução, além disso, sabe ministrar os tratamentos para frear ou erradicar a doença, se existentes.

AcrobaciaVocê possui um corpo flexível e é capaz de dar saltos elaborados e piruetas, além disso, consegue equilibrar-se em várias superfícies, fazer malabarismo e sabe como amortecer suas quedas.

Profissão:
MédicoOs médicos são especialistas em saúde humana e/ou animal, sabendo preservar a saúde de seus companheiros e sendo capaz de tratar os mais diversos ferimentos.

Bônus: Jogadores médicos são extremos conhecedores do corpo humano, assim sendo, são capazes de aplicar e encerrar condições por meio de tratamentos, criações e técnicas, além disso, podem tratar qualquer ferimento.



Arma: Faixas de MãoDescrição: Um par de faixas de um tecido maleável e resistente, que serve para ser enroscado ao redor dos punhos para dar maior firmeza e capacidade de impacto.
Tipo da Arma: N/A
Qualidade: Clássica
Durabilidade: Baixa
Dano: +40 em Força/LVL
Estado: Nova

_________________

1º Chapter - Wild Hunt - Página 4 V8upj2D

1º Chapter - Wild Hunt - Página 4 YDNzcDa
HollydayRango
Imagem :
1º Chapter - Wild Hunt - Página 4 350x120
Créditos :
05
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/
HollydayRango
Criador de Conteúdo
Re: 1º Chapter - Wild Hunt Qui Jun 10, 2021 7:45 pm
Os estudos continuam!

Um homem que entendia da natureza!





Enfurnado dentro do quarto estudei até o meu limite, páginas e mais páginas referente aos estudos mais profundos de cada ser, seus biotipos, suas posturas no reino animal, suas anatomias, suas particularidades, com a compreensão que pouco a pouco foi adquirindo cheguei as conclusões do básico, foi apenas quando me dei conta que precisava descansar que meu cérebro desligou. No dia seguinte pude constatar que a tranquilidade da casa tinha deixado de existir, meus irmãos lutavam e aprendiam mais sobre como duelar fisicamente.

Tom sorrateiro quanto uma cobra arrastando se no deserto peguei meu pão e partir, tendo apenas como visão breve oficial que ia visitar meu pai para uma bela conversa, não importava naquele momento voltei ao meu clausuro, os livros agora apareceu mais fáceis os devorava com a facilidade que devorava carne, entendi a quantas costelas tinha um macaco, com peçonhenta poderia ser cada tipo de cobra, porque existe animais de mais de uma espécie é subespécie, e acima de tudo entendia como a fauna e flora funcionava, eram conhecimentos que eu tinha mas agora a nível técnico. Começar para poder fazer comparativos com os animais da fazenda os animais que vi, consegui compreender até um pouco mais da minha própria sua espécie, a língua dos animais agora parecia ter um pouco mais ampla, mas com toda certeza era o meu conhecimento sobre as particularidades que tornavam aquilo.

Quando me dei por satisfeito foi na direção do homem e meu pai, precisava compreender com ele em qual cenário estávamos, se éramos agora caçadores iniciantes precisava entender como era as regras daquele distrito para tal.

Cheguei com meu chapéu na cabeça, com as roupas um pouco mais desleixadas e com olhos um tanto cansado de tanto estudar, mas ainda estava altivo como sempre foi que solicito com o velho amigo da família:


-- "Dia sor", trouxe o "cascalho"?

O questionamento foi muito velido, queria saber se o pagamento estava à nossa disposição antes de começar ingressar em assuntos mais complexos.

Tem ter apenas em breve mas escutaria tudo que ele tinha dizer, logo depois tentar ia me sentar na cadeira independente se já estivesse havendo mais conversa entre eles e meus irmãos e completaria:


-- "Diacho", to com uma dúvida, mas podemos " dar um corretivo " em um bandido sem recompensas? .

Soltaria o questionamento no ar esperando uma resposta simples para o que eu tinha.



bichaelson




- Falando com animais.
- Pensamento
- Técnica
- Fala Normal

Comentários OFF:

Histórico Rango:


_________________

1º Chapter - Wild Hunt - Página 4 XHHUTWQ
Ex-Panda
Imagem :
1º Chapter - Wild Hunt - Página 4 13992c4e51a6ce1e4300d4e366dd4e4a
Créditos :
23
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1611-zayn#17239 https://www.allbluerpg.com/t1586-morte-e-sangue#16916
Ex-Panda
Pirata
Re: 1º Chapter - Wild Hunt Sex Jun 11, 2021 4:18 am

Wild Hunt


Around the world : Première partie - Kanto [ft. Lise & Shinzo] 506h






Reino de Sorbet – South Blue
05:30h
Dia fresco com céu azul, 23 °C


Ás caia de bunda no chão bem no momento em que o senhor “bigodes” chegava na fazenda, era até estranho ver o pai deles tão amigável e feliz com alguém que não fosse sua mãe, pelo visto eram de fato bons amigos.

Eles iam para a varanda e começavam a conversar entre os dois, enquanto os dois irmãos iam começando a se preparar para lutar novamente, lá dentro o coiote mais uma vez se enfiava nos livros para tentar aprender tudo o que podia sobre os animais que sempre cuidou.


1º Chapter - Wild Hunt - Página 4 736a44a9d1637e6e52b8cec34fc3d3ad


Ás e Akira conversavam sobre o futuro e sobre como eles poderiam se encrencar levando essa vida nova que decidiram, porem o tritão estava confiante que no fim desde que estivessem juntos tudo ficaria mais do que bem.

Eles mais uma vez começavam a trocar golpes, porem desta vez a Volkerball já estava muito mais sagaz, ela começava a compreender e seguir o ritmo do tritão, e cada vez ficava mais difícil para ele defletir seus ataques.


1º Chapter - Wild Hunt - Página 4 Tenor


Enquanto a luta ia se intensificando lá fora, finalmente Hollyday saia de seu quarto e ia lá para onde os dois velhos amigos estava rindo e conversando sobre o passado, quando ele chegava por lá o marinheiro dizia:

— Ora bom dia Hollyday, vejo que não dormiu muito chchchchchchchchchchchch, porem eu tenho uma boa noticia a vocês.

Ele se levantava e tirava um bolão de dinheiro partido em três partes iguais, ele entregava na mão do coiote e dizia.

— Seu pai me pediu para dividir em 1 milhão para cada, então ai está chchchchchchchch, para uma primeira captura vocês foram excelentes tenho que dizer, seu velho aqui pegou um que valia apenas 500 mil berries.

O pai parecia ficar um pouco envergonhado porem não negava o fato ocorrido, Hollyday fazia uma pergunta aos dois e o marinheiro mexia em seu bigode e respondia.

— Bem vocês não são exatamente marinheiros entende, porém dependendo do seu Rank você pode ser perdoado de qualquer coisa praticamente, e eu particularmente não ficaria triste caso vocês ferissem um bandido mesmo que ele não valesse nada, mas acho que vale mais a pena deixar isso para gente como eu chchchchchchchchch, afinal precisamos ter o que fazer no dia a dia ne? Chchchchchchchchchchch

Enquanto os homens conversavam a luta que já estava intensa finalmente chegava em seu fim, e dessa vez a bunda do ruivo que estava no chão, a garota aprendia rápido e conseguiu usar a sua fluidez de seus ataques contra ele, afinal até mesmo a água pode ser agitada.


OFF:

Histórico:

Considerações:


_________________

Zayn & suas gostosas!
1º Chapter - Wild Hunt - Página 4 YTpeD1K
Às
Imagem :
1º Chapter - Wild Hunt - Página 4 BcOqz4N
Créditos :
21
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t271-as-e-volkerball#780 https://www.allbluerpg.com/t742-sharp-teeth-and-hard-fists
Às
Designer
Re: 1º Chapter - Wild Hunt Sex Jun 11, 2021 10:17 am





»» Wild Hunt ««

- Às Volkerbäll -


Ж

Uma disputa acirrada como deveria ser, o estilo com o qual Akira lutava era um desafio particularmente interessante, na ausência de uma genialidade combativa sempre havia sido uma pessoa extremamente focada, disciplina e vontade sempre haviam pautado meu comprometimento e apesar de evitar expor esse lado tão particular, as pessoas que me conheciam certamente me caracterizavam por minha tenacidade. Uma derrota a mais, era um passo a menos para o aperfeiçoamento, cada golpe trocado era razão para avaliar sua postura, sua forma de lutar e reagir, era antecipação e identificação de padrões, tudo tão rápido, tudo com uma margem de erro mínima. - Parece que você já se encontra bem decidido! - respondia-lhe, em uma brecha entre os golpes antes de encaixar uma sequência que me permitia retirá-lo do círculo. - Essa foi por pouco… - suspirava, retomando um pouco do ar enquanto estendia minha mão para que o ruivo pudesse se levantar.

Antes de começarmos, eu queria te pedir uma coisa. - colocava-me novamente em posição de combate, com o braço esquerdo levemente erguido enquanto mantinha o direito colado ao meu corpo. - Aquele lobo de ontem, o extravagante. - visto que dois lobos haviam surgido para reivindicar as recompensas que nós havíamos conquistado, senti-me na necessidade de especificar sobre quem falava, embora não parecesse difícil para Akira saber de imediato qual dos Minks era. - Pode deixá-lo pra mim? - um olhar firme se formava, transparecendo minha real sinceridade no pedido. - Já vi gente daquele tipo na vida, e só de pensar isso faz meu sangue ferver. Eu nunca vou me sentir tranquila sabendo que deixei esse tipo de gente solta por aqui. - aguardava uma resposta da Akira, enquanto ajustava minha respiração e minha postura. - Obrigada. - agradeceria antes de esperar pelo sinal do tritão para retomar a luta.

A decisão não iria demorar dentro de minhas expectativas. Akira parecia sério o suficiente para levar a situação como um real treinamento, ele teria notado minha adaptação e certamente se esforçaria para não me permitir prevalecer, no entanto, motivada pela vitória simples, aproveitaria o momento para pôr em prática uma última vez meus golpes com o braço esquerdo, usando de tudo o que havia acumulado nos dois primeiros ‘rounds’ para antecipar-me, equilibrar-me e assim golpear e desviar de forma efetiva, depositando máximo esforço em cada segundo despendido naquele momento. Perante a incerteza de uma vitória, apenas agradeceria a companhia de Akira, sorrindo em meio ao cansaço e me deixando cair no chão para restabelecer o fôlego. - O café já deve estar pronto e temos que conversar com aquele marinheiro. Vamos? - levantar-me-ia, andando junto do ruivo para a entrada da casa, onde poderia conversar não apenas com Teodor, como também com o marinheiro que o visitava. - Espero que não tenham comido todo o café. - brincaria, mantendo-me em pé junto aos demais.

O coiote já acordou? - questionaria, antes de passar a falar com o marinheiro. - Que bom que veio cedo, gostaríamos de conversar com você sobre algumas coisas relacionadas ao incidente de ontem, especialmente com relação aos homens que levaram os outros dois procurados da gente, mas acho que é melhor falarmos disso durante o café, o que acha? - diria de maneira plenamente casual, esperando uma confirmação para animar-me. - Bom! Então eu vou tomar um banho, não demoro! - com um gesto delicado, me ausentaria da conversa, retornando ao quarto para tomar o banho e trocar as roupas, ainda que fossem exatamente as mesmas, antes de descer para o café da manhã. - A parte boa de treinar logo cedo é que isso abre o apetite! - olharia para Akira com olhos de quem estava em clara vantagem em uma certa disputa, que poderia se tornar em breve uma freguesia.


Quantidade aleatória (1,10) : 9



Histórico:






_________________

1º Chapter - Wild Hunt - Página 4 Z0zQdpF

1º Chapter - Wild Hunt - Página 4 ZaT0xpq
Yami
Imagem :
1º Chapter - Wild Hunt - Página 4 Giphy
Créditos :
46
Localização :
Alabasta - 7ª Rota
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t343-shimizu-d-akira#1013 https://www.allbluerpg.com/t2089-hellhounds-6-sands-and-tears
Yami
Avaliador
Re: 1º Chapter - Wild Hunt Sex Jun 11, 2021 6:16 pm

Wild Hunt
- Falas | ~ Pensamentos



Às tinha uma adaptabilidade impressionante. Por ter dado tanto de mim na primeira tentativa, pegando minha irmã de surpresa, acabava por abaixar a guarda no último instante e havia sido o bastante para que ela vencesse aquela rodada. Com o pé desengonçado saindo do círculo, meu ímpeto era de continuar a competição, até notar minha falha por ignorar um pouco das regras. — Ops, GHYAHAHAHAHA. Até que tá mandando bem, Às-chan! — Já posicionar-me-ia de volta, sabendo que aquela rodada eu precisava dar tudo de mim, até ouvir o pedido vindo de minha irmã.

Seu olhar demonstrava dor quase palpável. Algo naquele Mink havia servido de gatilho para que Às remoesse aquilo desde ontem, e o fato dela estar se abrindo comigo agora, mesmo que de forma indireta, me fazia sorrir. — Não precisa pedir duas vezes. Estarei te dando cobertura quando chegar a hora. — Um olhar determinado era lançado, demonstrando a convicção de que não era questão de capacidade de acabarmos com o Cartel, mas sim de tempo.

Com maior foco em meu olhar, respiraria fundo e tentaria recobrar meus instintos novamente. Ouvia o som do mar ao longe, e tentaria replicar seus movimentos e fludez. ~ Movendo-se como um fluxo tranquilo, apenas para terminá-los com um soco forte o suficiente para esmagar grandes rochas como um rio furioso. A filosofia por trás do meu modo único de combate me relembrava das táticas aperfeiçoadas e, com ele, buscaria fluir pelos golpes de Às, encontrando as brechas necessárias para gerar o golpe de tamanho impacto que desestabilizaria não apenas sua pose de combate, mas iria remexer em todos os líquidos de seu corpo também.

Ainda assim, precisava admitir da capacidade de minha irmã de fazer um bom combate, portanto não ficaria nada surpreso ao vê-la superando meus movimentos, visto que ainda era difícil para mim me manter agarrado às regras daquele treinamento. Caso caísse, me jogaria de bunda no chão e esfregaria a cabeça em sinal de derrota. — GHYAHAHAHAHA! Até que foi divertido!! Melhor de cinco na próxima? — Entretanto, sendo o contrário, me aproximava e a ajudaria a se levantar, apertando forte sua mão em sinal de respeito.

Quando mencionado o café, ficava mais animado do que a ideia da visita do Sr. Bigodes. Lambendo os beiços, começava a andar ao lado de minha irmã de volta para a casa, onde muitas outras novidades nos aguardava. — Esse treino deu uma fome… Será que a mãe preparou aqueles pães?! — Me adiantaria mais adiante, sendo impulsivo como sempre, até visualizar o marinheiro em conversa com nosso pai. Caso ali visualizasse a presença de Holly, o abraçaria ainda meio suado, erguendo-o no ar. — Bora trocar uns socos também?! Às e eu estamos ficando bons nisso!! GHYAHAHAHA! — O soltaria, até me aproximar de meu pai e fazer uma saudação respeitosa.

Com o valor que havíamos adquirido pela captura de Rango, abriria os olhos meio arregalados, contando as cédulas tentando acreditar que eram de verdade. — E o Largo? Ele vai ficar bem? — Por algum motivo, era a primeira pergunta que eu acabava me fazendo após sentir o peso daquelas notas na minha mão. Ele poderia ser um criminoso procurado, mas aquelas notas não iriam resumir a vida dele, portanto esperava de coração que ele estivesse bem e pagasse, proporcionalmente, aos crimes que causou.

Sentando-me na mesa, começaria a devorar alguns petiscos que houvessem por ali, enquanto ouvia a conversa dos demais. Já sabia bem o que os Caçadores faziam e os limites de seus cargos, afinal nosso pai havia comentado conosco em detalhes no dia anterior. — E você teria mais alguns cartazes por aí? Talvez pudéssemos estrear nossos novos cargos com algum serviço pela ilha. — Refletia, pensando no quanto os treinamentos poderiam servir na prática. — Ou até mesmo na caça de algum animal problemático. Afinal, recompensa é recompensa, independentemente se é de um criminoso ou não. — Refletia ao imaginar as possibilidades que haviam. E, de fato, não precisávamos ficar restritos na caça de piratas, afinal muitas pessoas colocavam recompensas por serviços diversos. Quem sabe poderíamos faturar um pouco mais para investirmos no navio que nos levaria para os mares do Paradise!

1º Post de Treino contra Às:
Quantidade aleatória (1,10) : 4



  • Posts: 14
  • Ganhos: Cargo: Caçador de Recompensas Rank E, B$ 1.000.000
  • Perdas:
  • Contagem Caçador: B$ 3.000.000
  • Posts Desvantagem: 2/20
  • Players/NPCs:
    Às (irmã)
    Hollyday (irmão)
    Sophie (mãe/NPC)
    Teodor (pai/NPC)
  • Localização: South Blue - Reino Sorbet



PdV: 4600
STA: 100

Força: 89 +80 +40 +40 = 249 [Regular]
Destreza: 0 [Incompetente]
Acerto: 281 +80 +40 = 401 [Hábil] +5%
Reflexo: 0 +40 = 40 [Regular]
Constituição: 30 +80 = 110 [Regular]

Agilidade: 220
Oportunidade de Ataque: 3
Redução de Dano: 0

Qualidades:

Defeitos:

Primeiros SocorrosVocê sabe tratar ferimentos externos, de gravidade simples ou moderada, além de ser capaz de ministrar o tratamento inicial de qualquer tipo de ferimento. A proficiência primeiros socorros contempla ações como: parar sangramentos, fazer curativos, mitigar danos e similares.

CirurgiaVocê é capaz de tratar ferimentos graves e internos, desde que esteja em posse dos instrumentos apropriados.

AnatomiaVocê conhece o funcionamento e estrutura do corpo dos humanóides, sabendo identificar órgãos, artérias, veias, músculos e todo o resto.

DiagnoseVocê conhece diversas doenças, sabendo identificar seus sintomas e quadro de evolução, além disso, sabe ministrar os tratamentos para frear ou erradicar a doença, se existentes.

AcrobaciaVocê possui um corpo flexível e é capaz de dar saltos elaborados e piruetas, além disso, consegue equilibrar-se em várias superfícies, fazer malabarismo e sabe como amortecer suas quedas.

Profissão:
MédicoOs médicos são especialistas em saúde humana e/ou animal, sabendo preservar a saúde de seus companheiros e sendo capaz de tratar os mais diversos ferimentos.

Bônus: Jogadores médicos são extremos conhecedores do corpo humano, assim sendo, são capazes de aplicar e encerrar condições por meio de tratamentos, criações e técnicas, além disso, podem tratar qualquer ferimento.



Arma: Faixas de MãoDescrição: Um par de faixas de um tecido maleável e resistente, que serve para ser enroscado ao redor dos punhos para dar maior firmeza e capacidade de impacto.
Tipo da Arma: N/A
Qualidade: Clássica
Durabilidade: Baixa
Dano: +40 em Força/LVL
Estado: Nova

_________________

1º Chapter - Wild Hunt - Página 4 V8upj2D

1º Chapter - Wild Hunt - Página 4 YDNzcDa
HollydayRango
Imagem :
1º Chapter - Wild Hunt - Página 4 350x120
Créditos :
05
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/
HollydayRango
Criador de Conteúdo
Re: 1º Chapter - Wild Hunt Sab Jun 12, 2021 6:26 am
Aprendendo a Atirar!

Aprendendo truques de um macaco velho!





Eu já tinha estudado o suficiente, páginas e páginas do comportamento animal, suas anatomias e classificações, medicamentos e tratamentos, alimentos e toxicidade dos mesmos para eles, enfim, tudo que englobava a fauna e flora, mas ainda tinha muito a aprender no entanto eu tinha coisas a perguntar e coisas a aprender. Quando de fato perguntei ao marinheiro sobre alguns pontos eu queria saber o quão longe poderia ir, meu pai tinha dado uma boa explicação mas era bom saber da autoridade local quanta bagunça eu e meus irmãos poderiamos causar, e a resposta foi animadora.

Mas a festa surpresa veio com o dinheiro posto sobre a mesa, uma quantia que fez todos os pelos do meu corpo se arrepiar, e um sorriso se formar no meu rosto canídeos, olhei para a quantia e tirei 500 mil do meu montante apenas e dei 500 mil ao meu pai em um tom generoso, sim, existia uma dívida a ser paga e eu tinha que manter eles com algum dinheiro para as parcelas, não poderia deixar os agiotas do "banco" sentir a maré mudando. Porém só agora em meio a conversa toda que tinha reparado na luta de meus irmãos, eles aprendiam seus estilos e aprimoravam, procuraram mais e mais tornar-se forte de corpo e eu buscava aprender paleativos, bem era hora de mudar esse quadro.

Com um olhar firino resolvi cutucar uma onça com vara curta, Teodor Rango era um velho doente agora que não mais praticava a sua profissão, mas eu me lembrava daquele velho homem me ensinando a atirar, suas balas pareciam ter vida própria, seus conselhos pareciam previsões do futuro e por isso talvez, ele pudesse me dar mais uma dica ou duas para ter na manga.

E aproveitando a deixa do dinheiro falaria ao velho ranzinza:


-- "Ocê" podia dar umas dicas de como dar uns disparos não é mesmo "Ranzinza"? Assim o dinheiro não fica de graça.

A provocada no seu pai era mais para ele ir com tudo do que só dar uma dica, homem orgulhoso que era não aceitaria dinheiro do filho apenas, mas receber por fazer um trabalho poderia dar mais incentivo ao mesmo.

Assim também teríamos tempo para uma conversa sobre o Cartel, pois as coisas ficariam quentes e talvez eu precisasse de mais do que só aulas de tiro para lidar com o que estava por vir e por isso completava em provocativa:


-- Claro, se ainda tiver "tutano" para isso...

E esperando a resposta do pai observava os irmãos e o papo dos dois velhos amigos sobre o que falei.



bichaelson




- Falando com animais.
- Pensamento
- Técnica
- Fala Normal

Comentários OFF:

Histórico Rango:


_________________

1º Chapter - Wild Hunt - Página 4 XHHUTWQ
Sasha
Imagem :
Berserker
Créditos :
76
Localização :
Rota 6 - 4ª Ilha Vedde
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t340-sasha-sparks#1002 https://www.allbluerpg.com/
Sasha
Rank B
Re: 1º Chapter - Wild Hunt Seg Jun 14, 2021 12:45 am


Turma da
Pesada


Após o treino, Ás e Akira resolverem unir-se na varanda, cômodo onde Hollyday, Téo e Tom estavam reunidos, o lobo dava uma cutucada em seu velho pai, ferindo o órgão mais perigoso a se ferir de um homem como ele, o próprio orgulho. Era possível vê-lo olhar para o próprio filho por um momento, onde seu olhar apesar de severo, não exibia um rancor mas, intensidade - Faz um tempo que não empunho uma arma mas, ensinar um truque ou dois, não deve ser tão difícil assim.- Ele comentou de modo que sua voz mostrou que o plano do Mink havia dado certo por completo.

Enquanto isso, o simpático marinheiro de apelido peculiar dado pelo tritão de senhor bigodes, graças ao seu mustache de respeito até o momento em que o ruivo e a morena chegaram para conversar com ele, enquanto Às teria uma maior calma para discutir sobre o assunto que mais lhe interessava o rapaz parecia ter uma gana mais imediata, onde no seu próprio tempo o marinheiro teria respondido - Não penso que minha presença será necessária tão cedo, então podemos sim discutir o assunto com mais calma minha jovem chschschs.- ele respondeu levando uma das mãos até o mustache, puxando ele levemente, olhando agora pro ruivo, enquanto a garota teria tomado o seu rumo para tomar banho, de modo que teria sido a deixa para que pudessem adentrar para tomar o café.

Quando todos já estivessem mais próximos de onde era a cozinha, apesar dela no momento não ter ninguém presente, até que eles chegassem, poderiam notar que haviam pães que não há muito tempo haviam saído do forno, com alguns frios a disposição e três jarras de sucos diferentes, um de coloração rosada, que pelos pequenos grãos mais escuros visíveis a olho nu, seria seguro de se supor que tratava-se de um suco de goiaba, junto a outros dois de tom amarelado, sendo respectivamente um que por compartilhar dos pequenos pontos pretos, era claro que era de maracujá, e o melhor de todos, uma deliciosa jarra de suco de laranja.

Quando estivessem reunidos para tomar o café da manhã, cada um no seu próprio tempo, com a pergunta feita pelo ruivo, o marinheiro responderia - O quadro esta estável até onde eu sei, quando estiver recuperado o suficiente para enfrentar seu julgamento, os procedimentos para o mover serão feitos.- O homem comentou com bastante calma e tranquilidade, de modo que Akira poderia ficar tranquilo de que a justiça seria feita da forma correta.

Ele pausou para se servir de um pedaço de pão ao qual passou um pouco de manteiga , colocando uma mão abaixo da boca de modo a não deixar cair farelo enquanto mastigou, onde quando terminou de comer o pão, respondeu o jovem - Sinto ser portador de más notícias mas, quanto a cartazes e trabalhos, vocês vão ter mais sucesso visitando a guilda de aventureiros, nossa influência não abraça tanto a cidade.- O homem comentou, admitindo que sobre a própria situação da ilha, ele não tinha tantas informações que fossem relevantes a procura de novos trabalhos ao qual havia o interesse, no entanto, ele pareceu estar aberto naquele momento para perguntas.

Quanto a Teodor e Hollyday, seria da escolha do lobo se tomariam primeiro o café da manhã antes do treino ou depois, então a própria presença de ambos na mesa dependeria completamente de qual fosse a escolha de palavras e as ações tomadas por estes naquele momento.

Histórico:


_________________



1º Chapter - Wild Hunt - Página 4 HGWnxh1
Às
Imagem :
1º Chapter - Wild Hunt - Página 4 BcOqz4N
Créditos :
21
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t271-as-e-volkerball#780 https://www.allbluerpg.com/t742-sharp-teeth-and-hard-fists
Às
Designer
Re: 1º Chapter - Wild Hunt Seg Jun 14, 2021 7:13 am




»» Wild Hunt ««

- Às Volkerbäll -


Ж

Um bom café da manhã era a melhor coisa que podia ter após um treinamento produtivo, subjugar Akira no último terço do treino poderia ser um excelente motivador de que estava sim no caminho certo de meu aprimoramento físico, mas apesar da vitória não me rendi a qualquer soberba, ajudando-o a se levantar sem qualquer cerimônia. Entendi bem que as circunstâncias e condições, embora nos colocassem em igualdade não poderia servir de parâmetro para um enfrentamento real, onde a situação se moldava a nossas motivações e mesmo o imponderável poderia ocorrer. - Fico curiosa para saber como você luta no mar, deve ser ainda mais impressionante do que em terra firme. - era preciso reconhecer o valor do karatê tritão, especialmente pela destreza aguçada do ruivo que o permitia adaptar tal estilo em algo próprio. Apesar da derrota, abraçava-o, colocando meu braço sobre seu ombro como o próprio costumava fazer. - Claro, uma melhor de cinco na próxima! - sorria, antes de falarmos com o marinheiro e eventualmente, me ausentar temporariamente da conversa para tomar um banho.

Retornei alguns minutos depois, com a jaqueta debaixo do braço, pendurando-a nas costas da cadeira antes de sentar-me junto aos demais na mesa. O cheiro do pão fresco era sedutor, mas a conversa rapidamente tinha início com o nosso convidado tomando as perguntas de Akira para resposta. - Largo parece ter uma índole muito ingênua, embora tenha cometido crimes, talvez o fato de ter sido coagido por seus companheiros sirva de algo, para aliviar sua sentença. - comentava de maneira deslocada, puxando um pedaço dos frios para comer em pedaços pequenos e incrivelmente comportados. - Alguém comentou a respeito dela quando cheguei na ilha, mas nunca tive a oportunidade de ir até o local, onde fica? - questionava, logo assim que a segunda pergunta do tritão era respondida, tomando o momento de espera para beber um pouco dos sucos. - Esses trabalhos… - bebia um bom gole do suco de maracujá. - ...eles podem necessariamente envolver procurados pela marinha, ou seus pagamentos podem envolver outras pessoas e problemas? - era um questionamento estranho, mas que serviria para trazer o assunto principal.

O que sabe sobre “O Cartel”? - alternava o olhar, de Akira para o marinheiro. - Rango fez uma dívida com eles, mas não preciso ser uma pessoa genial para compreender que nos tornamos caçadores é um flerte para que sejamos vistos como alvos ou mesmo para pessoas cuja dívida seria melhor que nunca se encerre. - parava um pouco de comer, mantendo minha atenção completamente na conversa. - Até onde posso supor, essas pessoas emprestam dinheiro e tendem a agir de maneira violenta para não saírem no prejuízo, além disso, muito provavelmente eles impedem que pessoas abram dívidas com bancos legalizados pelo Governo Mundial ou qualquer instituição local. - mudava meu olhar para Akira. - O Cartel é um perigo e sim, nós vamos derrubá-lo, mas talvez existam pessoas na guilda interessadas em tirá-los do caminho, ainda sim, o fato deles terem levados os corpos ontem, me faz pensar que eles não sejam procurados. - voltava meu olhar. - A marinha sabe desse tipo de atividade? - voltava a comer, buscando preencher a barriga para compensar o tempo que havia gasto falando, enquanto ouvia atenciosamente as respostas de Tom.





Histórico:






_________________

1º Chapter - Wild Hunt - Página 4 Z0zQdpF

1º Chapter - Wild Hunt - Página 4 ZaT0xpq
Yami
Imagem :
1º Chapter - Wild Hunt - Página 4 Giphy
Créditos :
46
Localização :
Alabasta - 7ª Rota
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t343-shimizu-d-akira#1013 https://www.allbluerpg.com/t2089-hellhounds-6-sands-and-tears
Yami
Avaliador
Re: 1º Chapter - Wild Hunt Seg Jun 14, 2021 8:35 am

Wild Hunt
- Falas | ~ Pensamentos



Como eu podia ter dado tanto mole?! Talvez houvesse subestimado Às? Não… Nem em um milhão de anos, minha irmã era realmente a mais dedicada de nós de longe, portanto sua vitória vinha por pura insistência e desempenho. Caído ao chão, olhava para cima até visualizá-la novamente, sorrindo e deslumbrante como poucas vezes era possível de se ver. Se o preço da derrota era de vê-la feliz daquela maneira, eu estava contente em ter sido um bom perdedor. — Mas duvido que vai comer mais do que eu dessa vez!! Vou segurar espaço pra mandar melhor no almoço. — Cada irmão eu lidava de uma forma, e minha sintonia com ela era a nossa saudável e eterna competição por tudo o que era possível. — Ah, no mar eu sou imbatível!! Um dia te levo pra nadar e mostrar uns movimentos, então vá treinando seu fôlego. — Sorrindo, a abraçava de volta até chegarmos na nossa casa.

Com o péssimo hábito de higiene de não ter ido tomar banho após o treinamento, acabava por me sentar na mesa e já ir me antecipando com o café da manhã. Apesar da pouca fome naquele momento, o treinamento sempre acabava abrindo o apetite. Iniciaria já degustando um pouco daquele incrível suco de laranja enquanto ia vendo os outros membros da casa se aproximando também. Quanto ao Sr. Bigodes, por hora apenas o identificaria como uma visita comum até a chegada dos demais e, após meu questionamento, enfim começávamos a entrar no assunto que iria definir o nosso dia.

Limpando a boca com as costas do antebraço, alcançaria mais um pedaço de pão amanteigado enquanto falaria após meus irmãos. — Já vi uns casos de gente que caçava animais selvagens, ou até mesmo iam fazer buscas de artefatos raros… Mas não sei se isso envolve o trabalho oficial de um Caçador de Recompensas. — Complementaria a ideia. Seria interessante termos uma gama maior de opções para nossos serviços, afinal nem sempre seria possível ou interessante viver caçando procurados de ilha em ilha.

Quando mencionado o Cartel, minha expressão congelava. Até mesmo o pão que estava segurando, acabava por apoiá-lo na mesa, prestando total atenção e foco nas palavras do marinheiro. — Na verdade acredito ser difícil qualquer lugar ou grupo que não esteja envolvido diretamente com eles. — Batucava a mesa de forma ritmada, em total demonstração de ansiedade e energia que queria ser extravazada de alguma forma. — Eles… Sabem o que estão fazendo, e acreditam estar na lei, isso é fato. Mas precisamos descobrir suas fraquezas, suas falhas, e saber onde podemos contra-atacar. Tem que existir algo que possamos fazer, certo, Sr. Bigodes? — Um olhar de esperança era lançado ao marinheiro, que com certeza entenderia nossa situação. Sabia que grupos como aqueles viviam na margem do que era considerado correto, na tênue linha entre a ilegalidade e a lei. Mas eles não eram perfeitos… Com certeza tinham suas falhas e precisávamos desvendá-las de alguma forma.

Com ou sem uma pista de onde poderíamos começar, acabaria me levantando e respirando fundo. Apertando minhas faixas de mão, olharia para Holly e para Às, dando um sorriso determinado como eu sempre fazia todas as manhãs. — Prontos para o primeiro dia do resto de nossas vidas? GHYAHAHAHAHAHA! Vamos logo, a Guilda vai acabar falindo se nós resolvermos ficar parados por aqui!! — Com um pouco de ânimo para contagiá-los, começaria os preparativos para a saída em direção à nossa nova rotina de vida.



  • Posts: 15
  • Ganhos: Cargo: Caçador de Recompensas Rank E, B$ 1.000.000
  • Perdas:
  • Contagem Caçador: B$ 3.000.000
  • Posts Desvantagem: 0/20
  • Players/NPCs:
    Às (irmã)
    Hollyday (irmão)
    Sophie (mãe/NPC)
    Teodor (pai/NPC)
  • Localização: South Blue - Reino Sorbet



PdV: 4600
STA: 100

Força: 89 +80 +40 +40 = 249 [Regular]
Destreza: 0 [Incompetente]
Acerto: 281 +80 +40 = 401 [Hábil] +5%
Reflexo: 0 +40 = 40 [Regular]
Constituição: 30 +80 = 110 [Regular]

Agilidade: 220
Oportunidade de Ataque: 3
Redução de Dano: 0

Qualidades:

Defeitos:

Primeiros SocorrosVocê sabe tratar ferimentos externos, de gravidade simples ou moderada, além de ser capaz de ministrar o tratamento inicial de qualquer tipo de ferimento. A proficiência primeiros socorros contempla ações como: parar sangramentos, fazer curativos, mitigar danos e similares.

CirurgiaVocê é capaz de tratar ferimentos graves e internos, desde que esteja em posse dos instrumentos apropriados.

AnatomiaVocê conhece o funcionamento e estrutura do corpo dos humanóides, sabendo identificar órgãos, artérias, veias, músculos e todo o resto.

DiagnoseVocê conhece diversas doenças, sabendo identificar seus sintomas e quadro de evolução, além disso, sabe ministrar os tratamentos para frear ou erradicar a doença, se existentes.

AcrobaciaVocê possui um corpo flexível e é capaz de dar saltos elaborados e piruetas, além disso, consegue equilibrar-se em várias superfícies, fazer malabarismo e sabe como amortecer suas quedas.

Profissão:
MédicoOs médicos são especialistas em saúde humana e/ou animal, sabendo preservar a saúde de seus companheiros e sendo capaz de tratar os mais diversos ferimentos.

Bônus: Jogadores médicos são extremos conhecedores do corpo humano, assim sendo, são capazes de aplicar e encerrar condições por meio de tratamentos, criações e técnicas, além disso, podem tratar qualquer ferimento.



Arma: Faixas de MãoDescrição: Um par de faixas de um tecido maleável e resistente, que serve para ser enroscado ao redor dos punhos para dar maior firmeza e capacidade de impacto.
Tipo da Arma: N/A
Qualidade: Clássica
Durabilidade: Baixa
Dano: +40 em Força/LVL
Estado: Nova

_________________

1º Chapter - Wild Hunt - Página 4 V8upj2D

1º Chapter - Wild Hunt - Página 4 YDNzcDa
Sasha
Imagem :
Berserker
Créditos :
76
Localização :
Rota 6 - 4ª Ilha Vedde
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t340-sasha-sparks#1002 https://www.allbluerpg.com/
Sasha
Rank B
Re: 1º Chapter - Wild Hunt Ter Jun 15, 2021 11:56 am


Turma da
Pesada

O clima dentro daquela cozinha era leve, a comida era boa e havia um coração grande o suficiente para se preocupar com aqueles que haviam lutado a tão pouco, se encontrariam a justiça, onde o senhor marinheiro deu um grande gole do suco de laranja, deixando levemente úmidos os seus bigodes na parte de baixo, que pelo puro branco, denotavam o tom amarelado, enquanto ele respondeu a sua forma o comentário de Ás -Quando isso ocorre, digo, quando um prisioneiro é levado, pelo que eu sei a ideia é sempre de reabilitar a pessoa, então tudo que houver ao favor dele será usado mas, sem deixar de pesar também os seus atos.- Ele deixou de certo modo no ar de que ele não conhecia o processo como um todo mas, tinha fé no sistema, era importante para a sua profissão que tivesse.

Com isso, quando começaram a falar sobre a guilda, ela abraçaria o comentário de ambos ao responder - Sendo honesto, é um caminho longo daqui, então tomem um café da manhã reforçado se planejarem ir e voltar ainda hoje… Deve ser cerca de duas horas se vocês forem ligeiros, encontra-se na região próxima da portuária, há indicações visíveis e é bem provável que toda a população local saiba lhe indicar sem que tenham muitas dificuldades, posso levá-los até lá se quiserem.- Ele comentou dando uma pausa para comer mais um pouquinho, onde o comentário de Akira trouxe um olhar intrigado ao jovem senhor sobre a definição limitada que o jovem tinha sobre caçadores de recompensa, onde ele diria com um sorriso.

- Muito se engana meu jovem, se pensa que caçadores apenas ajudam a nós marinheiros e a população, é muito comum que existam contratos que envolvam outros serviços gerais, como recuperação de bens, buscas por itens de difícil acesso, dentre outras coisas que vocês devem ver quando forem a uma guilda.- Ele explicou, dando espaço para que a conversa pudesse correr e então eventualmente a pergunta de Às viria a tona, sobre o que ele sabia.

- Eu posso dizer que pontas soltas, são mais fáceis de se ver, é difícil chegar a origem, a cabeça do problema mas, frustrar suas ações, em alguns pontos mas… Como um todo, sinto que não tivemos avanços significativos e isso tem sido bem frustrante, admito.- Ele teria dito, demonstrando realmente insatisfação com a sua resposta, onde ele complementou -Talvez, existam sim pessoas que possam se focar, se envolver mais que possam ter ido mais longe mas, se posso adiantar a vocês, Sorbet é apenas a ponta do iceberg, se quiserem ir mais fundo, vão ter de seriamente pensar em não criar raizes.- Seu comentário, dava uma grande pista do motivo pelo qual ele mesmo não havia ido além, havia um limite do quanto era possível de se avançar lá na ilha sobre o que se sabia sobre o Cartel e talvez, por ter uma família ou algo do tipo, ele não havia ido mais a fundo.

Ainda que houvesse essa pegada de realidade, havia ali ainda também ânimo, esperança por encontrar o caminho pelas aventuras que teriam daquele dia em diante, onde caso quisessem, poderiam seguir e explorar por contra própria, poderiam adotar a ideia de serem guiados, era destinada a eles a escolha de como chegar ao seu objetivo e com a liberdade da escolha haviam suas vantagens e desvantagens, aos quais caberiam a eles o dom da escolha.

Histórico:

_________________



1º Chapter - Wild Hunt - Página 4 HGWnxh1