Tópicos Recentes
Destaques
Klaus
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Últimos assuntos
Ren na Grand LineHoje à(s) 3:06 ampor  TerryProjetinho Fellas: O Vasco Sobe, Volta RibamarHoje à(s) 2:38 ampor  Masques[ Tumba - 1º Andar] Minks do BarulhoHoje à(s) 2:24 ampor  TerryCréditosHoje à(s) 1:47 ampor  PepeWorld Legacy ScarsHoje à(s) 1:45 ampor  Pepe I - Fool me onceHoje à(s) 1:23 ampor  Lyosha[ Tumba - 1º Andar] Os bons de guerraHoje à(s) 12:52 ampor  Kira[Tumba - 1º Andar] Casal da pohaHoje à(s) 12:03 ampor  Deep1º Caneco - Bottoms Up!Ontem à(s) 11:55 pmpor  MakaOperação G.R.E.T.A.Ontem à(s) 11:44 pmpor  Vincent
 :: Oceanos :: Blues :: South Blue :: Petra Yuni
Página 10 de 19 Página 10 de 19 Anterior  1 ... 6 ... 9, 10, 11 ... 14 ... 19  Seguinte
Kenshin
Ver perfil do usuário
Imagem : Cabras da Peste, vol 3- Velozes e furiosos: Desafio marítimo - Página 10 XqxMi0y
Créditos : 44
KenshinDesenvolvedor
https://www.allbluerpg.com/t360-agatha-harkness https://www.allbluerpg.com/t985-capitulo-i-cuidado-com-a-meia-noite
Relembrando a primeira mensagem :

Cabras da Peste, vol 3- Velozes e furiosos: Desafio marítimo

Aqui ocorrerá a aventura dos(as) Piratas Subaé, Deep Scaleback,  Blade Sharptree A qual não possui narrador definido.

_________________

Cabras da Peste, vol 3- Velozes e furiosos: Desafio marítimo - Página 10 J09J2lK

Deep
Ver perfil do usuário
Imagem : Deep Scaleback
Créditos : 10
DeepNovato
https://www.allbluerpg.com/t1116-deep-cutt#10446


Após uma discussão com meu capitão, apenas tomava a dianteira e entrava no barco, a humana etão se jogava no água sem saber nadar o que fazia ficar sem saber o que estava acontecendo, Subaé então se jogava atrás dela para a salvar, mas estando mal pela doença não conseguia nadar e começava a se afogar, nisso de dentro do barco saía um velho e indesejado conhecido, o porra do Monoliso, macaco chato do caralho que apareceu do nada.

Ele se jogava na água e começava a se afogar também, mar  3 x 0 Cabras da peste.

Cabras da Peste, vol 3- Velozes e furiosos: Desafio marítimo - Página 10 Ryan-gosling-face-palm

Eu esfregava meu rosto com as mãos enquanto o lobo tirava todos da água e no fim das contas Monoliso só estava fingindo se afogar para imitar o capetão, era um puxa saco profissional esse filha da puta… Algum tempo atrás eu havia assistido uma peça de teatro e ver meus colegas se matando em meio metro de água, por algum motivo me trouxe lembranças de seu cartaz.

Cabras da Peste, vol 3- Velozes e furiosos: Desafio marítimo - Página 10 297682

Bem, pelo menos não parecia que tinham inimigos ali, era apenas o barco do Monoliso ao lado do nosso, mas não tardou para aparecerem oponentes.

Eram os reforços do homem que esfaqueou o Blade antes, era agora, eu não permitiria que os cabras fossem dispersados nunca mais, teriam  de passar por cima de mim para nos parar.

O filho de Blade perguntava se eram inimigos, uma pergunta que me forçava a responder com certo desdém.

-Não, eles tão aqui para te dar um beijo de boa noite... Pergunta burra hein novato…  Todos pro barco, tirem essa joça do porto que eu seguro eles… Capetão eu alcanço a nado, pode preparar o lamento para sair tranquilo…


Com minha fala já aproveitava para falar para todos prepararem o barco que eu me viraria com os inimigos e falava pro capetão não me esperar e já sair, já que alcançar o barco a nado era algo que eu poderia fazer tranquilamente. No entanto, se eles saíssem e pegassem muita distância eu teria dificuldade de os achar, então não podia enrolar, assim como aquele filha da puta que gerou a morte de Blade não podia continuar vivo hoje, não podia pegar leve.

Pularia para terra firme com uma expressão de seriedade e fúria em minha face, minhas veias saltando da testa e pescoço.

Correria em direção aos inimigos mirando socos no mais próximo de mim e sempre que um tentasse passar por mim, tentaria o socar, fazer o grupo me focar, ser incapaz de avançar contra meus colegas sem me derrotar antes.
Se algum inimigo tentasse passar por mim, ficando longe dos meus socos, largaria os outros para o atacar, não me importando com golpes levados e agindo como se nem os sentisse, tentaria agarrar o inimigo e o jogar para longe
Sabia que alguns ali, principal o trigêmeo, podiam querer aguentar meus socos, então socaria sempre usando um punho rotativo para direcionar a força do soco para o interior da carne do alvo

Se eu errasse socos ou golpes, sempre tentaria manter o ataque para acertar, chão ou paredes para gerar estilhaços e destruição do cenário da luta para atrapalhar a movimentação dos inimigos e chamar sua atenção para mim como sendo uma ameaça que precisa ser lidada em grupo, a qual não poderiam ignorar para ir atrás do resto do bando.

Se eu tomasse algum ataque, doendo, sendo forte, ferindo muito ou não, me manteria firme, sempre com a base de karatê nas pernas para evitar ser jogado para fora de posição e sempre me movendo para cima deles com mais e mais golpes, me atacar seria apenas um momento no qual não estavam se defendendo e usaria isso contra eles.

Se algum inimigo conseguisse se aproximar da água, correria para cima dele tentando chamar o mar em uma onda para o jogar em minha direção, o qual agarraria e jogaria de cabeça contra os outros inimigos se o mar o jogasse para mim.

Se em algum momento eu acabasse socando o “trigêmeo” e ele fosse ser jogado para longe por isso, agarraria seu braço em um movimento de agarrão e arremesso karateka, o jogando com toda minha força contra o chão para lhe socar a cara, esse homem precisava morrer.


Histórico:
Nome: Deep Scaleback
Posts:20
Ganhos: jujutsu
Perdas:pochete(e conteúdos)
Players conhecidos:
NPC's:
Extras:


_________________

Legenda:

-Fala do Deep

-Voz da entidade

Cabras da Peste, vol 3- Velozes e furiosos: Desafio marítimo - Página 10 9ictvtN
Jupges
Ver perfil do usuário
Imagem : Cabras da Peste, vol 3- Velozes e furiosos: Desafio marítimo - Página 10 E15c6d7c739cc36e59ee7e583a39a3ae
Créditos : 02
Beowulf respiraria profundamente, tentando se acalmar. Mas o lobo ainda estaria nervoso com seu pelo, se não fosse pela garotinha agarrando sua perna, a ação da garota desarmou a postura agressiva de Beowulf.

O lobo então voltava ao seu estado de mente normal, dando tapinhas nas costas da garota enquanto ela chorava, ainda assim estando meio apressado com a situação.

Em seguida ele perguntaria para Subaé:

-Aqueles homens no morro. Eles são inimigos?

Beowulf ignorava a resposta de Deep, e ouvia a de Subaé. E após ouvir ficaria preocupado, o grupo estava indo atrás deles, e Beowulf estava no meio pra variar. Beowulf então rapidamente olharia para Mono e perguntaria, -Mono! Necessita de ajuda para levantar o mastro?

Beowulf então faria qualquer coisa que Mono pedisse além disso, e se fosse necessário tentaria ajudar a levantar o mastro. Ignorando as ordens reforçadas de Subaé apressando ele.

Após terminar de fazer o que fosse pedido, Beowulf correria em direção ao corpo de seu pai. Se algum inimigo avançasse contra Beowulf nesse meio tempo, o lobo pegaria seu machado e usaria de defesa, para repelir o ataque inimigo, em seguida contra-atacaria dando uma carga de ombro em direção ao oponente, tentando derrubar ele.

O lobo então pegaria o corpo de seu pai caído no chão e correria em direção ao barco que fosse partir, apesar de não gostar da ideia de entrar no barco, era melhor do que ficar e morrer.






objetivos:

-Ir pro farol
-Tentar não morrer no processo
Atributos, vantagens e perícias:
Hp:5980
Sta:100

Força: 401
Destreza:200
Acerto:180
Reflexo:40
Constituição:179
perícias:

• Primeiros Socorros
• Anatomia
• Cirurgia
• Diagnose
• Farmácia
Vantagens e coisas ruins:

Qualidades:
 
Experiência em Combate (3 pontos) Você inicia o jogo com um Estilo de Combate Básico adicional.

Hipoalgia (2 Pontos) Você tem uma tolerância alta a dor, essa qualidade não o torna incapaz de sentir dor, mas o torna extremamente capaz de resistir a ela. Em situações onde outras pessoas simplesmente desmaiariam, você é capaz de resistir. Essa qualidade não o torna de qualquer forma resistente aos danos, no entanto você se torna capaz de aguentar muito bem a dor e pode passar a idéia de ser muito mais resistente do que verdadeiramente é. Em termos mecânicos, você não reduz de forma alguma o dano que recebe.

Duro de Matar (2 Pontos) Você continua consciente mesmo ao atingir uma porcentagem negativa de PdV, entretanto, ainda morrerá normalmente ao alcançar -21% de seus PdV.

Garras e presas (Racial) Minks caninos possuem presas e garras afiadas que podem ser utilizadas como armas naturais.

Alpha (Machos) (Racial) Você naturalmente se destaca como um líder dentro do seu círculo de amigos. Não quer dizer que você seja um líder nato, mas aqueles que confiam em você sentem quase que uma aura de liderança vinda de você. Infelizmente, devido a sua natureza, quando outro Mink Canino (especialmente de outra “raça”) entra no seu círculo de amigos vocês têm a tendência a ter uma pequena rivalidade saudável nos primeiros momentos.

Idioma Silvestre (/Racial) Você é capaz de se comunicar com criaturas mamíferas através de certo esforço. É importante frisar que essa qualidade garante apenas a capacidade de comunicar-se com as criaturas, não controlá-las.



Defeitos:
Atípico (Racial) Devido ao fato dos Minks não serem tão comuns e não se tratar de uma raça tão populosa, eles têm um alto preço no mercado de escravos, o que sempre pode vir a ser um problema.

Preconceito (Racial) Você tem uma aparência incomum quando comparado aos humanos e alguns podem lhe achar repugnante, assustador ou até mesmo uma aberração. Alguns humanos podem lhe destratar e serem hostis simplesmente pelo fato de você ser diferente deles, entretanto, é importante notar que nem todos pensam e agem desse jeito.

Sensíveis ao calor (Racial) Devido a sua pelagem, os Minks são mais suscetíveis a sofrer efeitos adversos relacionados ao calor e altas temperaturas.

Forma Sulong (Racial) Como parte da tribo Mink seu corpo tem uma interação muito única com a lua que nenhuma outra raça tem, uma vez que você tenha contato visual com a lua, desperta-se em eu interior os instintos mais primitivos, selvagens e violentos fazendo com que você perca a sua razão agindo como uma besta furiosa que ataca tudo e todos ao seu redor com uma fúria sanguinária, suas características físicas selvagens mostram-se mais aparentes e justifica-se o medo e o preconceito que existem contra os minks, pois aqueles incapazes de dominar a besta anterior, dificilmente serão vistos como algo além disso.
Durante a transformação passada ao se ter o contato visual direto com a lua, você sentirá uma espécie de sede de sangue imensa, atacando a todos ao seu redor que não sejam Minks, sendo assim todas as noites você terá de ser cauteloso pois a sua razão pela noite estará sempre em cheque. Mecanicamente a fúria dura três turnos e após o término, do quarto turno até o momento em que você possa tratar da condição, você estará sobre o efeito de Exausto I.

Extravagante (1 Ponto) Você chama atenção por onde quer que passe, seja pela sua aparência ou seus hábitos, você causa uma impressão difícil de esquecer.

Sincero (2 Pontos) Você é incapaz de mentir, simplesmente não faz parte da sua natureza. Mesmo que seja prejudicial para você, você sempre diz a verdade.

Teimoso (2 Pontos) Quando você acredita em algo, nada e nem ninguém pode convencê-lo do contrário, mesmo que provas e evidências sejam mostradas, você se recusa a mudar sua opinião.

Obediente (2 Pontos) Você nunca desobedece os seus superiores, mesmo que discorde dos seus valores e modos de agir. Para você ordens são absolutas e devem ser seguidas a qualquer custo.

Histórico:
Nome: Beowulf
Posts: 6
Ganhos:
Perdas:
Players conhecidos:
NPC's:
Extras:
Formiga
Ver perfil do usuário
Imagem : Cabras da Peste, vol 3- Velozes e furiosos: Desafio marítimo - Página 10 CsHkSDy
Créditos : 64
FormigaDesenvolvedor
https://www.allbluerpg.com/t766-takeshi-isamune https://www.allbluerpg.com/t768-capitulo-i-o-espetacular-takeshi-isamune




Cabras da Peste

Vol 03 - Velozes e Furiosos - Desafios Marítimo


Dia 03 ||Reino Sobert - South Blue || Clima: Frio ||
N° de Postagens do Narrador: 20



Todos


O grupo pirata estava novamente imerso no caos, novos e velhos inimigos surgiam no território do porto, prontos para vingar a morte dos seus companheiros. Do outro lado, os criminosos pareciam ter a mesma vontade, principalmente o imediato, que tomava a frente da defesa dos seus aliados, seria essa uma maneira de redenção pela morte do seu aliado? Talvez a vontade de proteger os seus falou mais alto? Não, ele sempre teve esse ímpeto de se colocar à frente do perigo, como um gigante muro entre os inimigos e seus aliados. De qualquee modo, o restante do grupo ficou responsável por outra parte extremamente necessária: arrumar a passagem para fora dali.

Monoliso era uma peça importante naquele plano, o homem-macaco ordenava algumas coisas, como prender correntes e cordas em um dos outros navios existentes no porto, como dito anteriormente, seu plano era inteligente. O lamento era algo importante para Subaé, principalmente agora que seu subordinado havia perdido a vida, as lembranças das viagens e as peripécias de Blade viviam naquela embarcação, ela não poderia ser deixada para trás daquela maneira. Beowulf auxiliava da maneira que podia, por fim, pegava o corpo já sem vida do teu pai e levava para o barco, ele ainda merecia um funeral digno, coisa que naquele momento não tinha tempo hábil para isso. Niix estava animada, principalmente ao encontrar Monoliso, que ficava um tanto quanto assustado com as reações da mulher, tendo uma afirmativa por parte do mesmo, mas era unicamente para se livrar da jovem.

Tudo parecia estar pronto, mas, o homem-peixe estava no porto pronto para enfrentar os seus inimigos. A princípio eles focaram no tritão, esquivando dos seus movimentos com facilidade enquanto pareciam analisar aquele estilo de combate, exceto por um, que correu direto em direção ao barco, flexionando suas pernas momentos antes de saltar em direção ao barco – um brigue – que seria responsável por levar o lamento por aí. Deep enfrentava o grupo no porto, alguns dos seus ataques passavam raspando na dupla que ficava ali, logo sendo composta pelo único dos três irmãos ainda com vida. Bil continuava a mirar, mas não era no gigante à sua frente, mas sim nas duas embarcações com membros dos Cabras, buscando de alguma forma conseguir uma brecha para acertar algum dos seus membros. O homem-peixe continuava a receber os golpes, mas que não parecia ser tão forte assim, os inimigos estavam brincando? Apenas tomando tempo para que mais alguém chegasse? Ou eles eram simplesmente fracos? Aquela dúvida certamente surgiria na mente do tritão.

Enquanto ele estava enfrentando o trio, o pequeno gêmeo tentou investir em direção ao barco, mas rapidamente – antes de conseguir pular – recebeu uma espécie de onda vinda do mar, a água parecia que não deixaria ele passar. Seu corpo foi lançado para trás e o tritão estava a sua espera, para agarrá-lo e ceifar sua vida naquele mesmo mento, entretanto, em um súbito movimento, um dos homens de antes surgia ao resgate do homem, segurando-o no meio do ar e se movendo tão rápido quanto chegou ali. Os homens conversavam entre si, pareciam bolar uma estratégia para enfrentar aquela muralha de banha, no entanto, disparos efetuados da embarcação o obrigaram a se mover lateralmente, se afastando do lugar inicial com velocidade. Bil respondeu os disparos, uma espécie de guerra entre atiradores se iniciava, mas por algum motivo, parecia que os inimigos estavam recuando de maneira tão repentina que chegaram ali, aquilo certamente estava soando estranho.

Não demorou muito para que sumissem em meio a cidade, o clima estava estranho, parecia que algo ruim estava se aproximando. Em outro ponto, o inimigo que havia pulado em direção a embarcação dava de cara com o capitão pirata, ele olhava o convés, como se procurasse por alguma coisa naquela embarcação que era usada como “guia”. No canto do barco, uma pequena caixa metálica reluzia com o brilho do astro rei, no momento que investiu em direção à mesma, o Bode resolveu lutar, mesmo que estivesse em um estado deplorável. Seus movimentos eram lentos e totalmente ineficientes, sua doença se agravava e a força se esvaiu do seu corpo, suas pernas ficavam bambas e sua cabeça girava, afinal, a falta da sua dependência também estava presente. O homem teve tempo hábil para pegar a caixa de valor, pulando entre os barcos e partindo pela lateral do porto com velocidade, uma velocidade tão grande que quiçá os membros não pudessem nem mesmo vê-lo com clareza.

A viagem começava, o lamento era rebocado com certa facilidade, por conta dos fortes ventos que embalavam ambos os navios. O homem-peixe precisava voltar rapidamente para o navio, se não ficaria para trás e seria necessário arrumar seu próprio método de sair dali. A sensação de estranheza continuava dominando seu corpo, aquelas ações dos inimigos eram algo totalmente fora do normal, investir e depois recuar de maneira rápida? Ele sabia que deveria tomar cuidado, o que estava por vir não poderia ser tão agradável assim.




Histórico Geral:


Beowulf:
Número de POST: 06

    Ganhos
  1. Nada

  2. Perdas
  3. Dignidade


Ferimentos

  1. Nada


Deep:
Número de POST: 20

    Ganhos
  1. Suprimentos para Viagem - POST 03
  2. Cantil com Beserker - 05/05 usos - POST 14
  3. 07 Ampolas de Analgésico - POST 15

  4. Perdas
  5. Pochete com todos os Projetos e guloseimas - POST 04


Ferimentos

    Cortes Leves pelo Tronco - 03/03
    Ferimento a Bala no Antebraço Esquerdo - 01/05 [TRATADO]


Subaé:
Número de POST: 20

    Ganhos
  1. Livro de Armadilhas - POST 03
  2. Livro de Geografia - POST 03
  3. 02 Cantil Metálicos - Cheio de Beserker 02/02 Usos - POST 03
  4. 02 B$ - POST 03

  5. Perdas Dignidade


Dinheiro Atual: 3.645.000 B$
Dependência: 15/15
Doença Degenerativa: 10/10
Ferimentos:

    Corte no Supercílio Direito - 04/04
    Dor na região das Costas - 02/02
    Dores pelo Corpo - 03/03
    Exausto 2 - Motivo: Doença Degenerativa
    Intoxicado II - Motivo: Dependência



Niix:
Número de POST: 06

    Ganhos
  1. Nada

  2. Perdas
  3. Dignidade


Ferimentos

  1. Nada



Legendas:
NPC's Específicos
Subas Júnior

NPC's Aleatórios
Personagens Simples: Atendentes | Garçons | Pessoas encontradas nas Ruas | Vendedores | Moradores de Petra | Civis em Geral
Caçadores de Recompensa

Aparência
Homem de Cabelo longo e Amarelo
Mulher Loira
Homem magro
Homem de Chapéu
Monoliso - NPC ACOMPANHANTE DO SUBAÉ


_________________

Cabras da Peste, vol 3- Velozes e furiosos: Desafio marítimo - Página 10 Fi6WMX7


Certificurso:
Curso Narrador AB, 2021
Cabras da Peste, vol 3- Velozes e furiosos: Desafio marítimo - Página 10 EBEAdF4X4AYyK13
Subaé
Ver perfil do usuário
Imagem : Cabra da Peste
Créditos : 10
Localização : Nos bares de então
SubaéCriador de Conteúdo
https://www.allbluerpg.com/t354-subae?highlight=subaé https://www.allbluerpg.com/t348-cabras-da-peste-vol-1-amanhecer-do-sul#1033

21: CHECK


song:

Quando o humano pulou na minha frente, a minha reação foi  unicamente me preparar para um combate inevitável, mas pelo visto o Deep estava certo e meu corpo está tão util nesse estado quando uma canoa cheia de furos.

-EI GURIA, ATIRE NESSE LADRÃO!!não deixe ele roubar o nosso saque!!!

Pelo menos a minha mente ainda está relativamente bem, o suficiente para nos tirar daqui.

Lamento rebocado, CHECK.
Cabras a bordo, CHECK.
Deep a bordo...

-DEEEEEEP VEM LOGO!! DEIXA ESSES BOSTAS PRA LÁ! TO COM FOME!!! E AINDA TEMOS QUE CUIDAR do corpo DO BLADE!!! - Gritei para que me ouvisse.

...CHECK.

Começaria a cantarolar uma musica que estava em minha cabeça, mas ao perceber que mais ninguém estava com vontade de cantar, apenas cantarolei. Depois, olharia para Beowulf com um olhar cordial e diria.

-Ei Lobo, faremos o funeral de seu pai ao anoitecer.

Com a atenção de volta ao leme, ajustaria a direção do navio rumo a noroeste, em direção a Barerilla. Mas algo me preocupava, algo que precisava ser verificado imediatamente, eu zarpei sem ao menos parar para verificar o que tem na cozinha deste navio, afinal, o Lamento está vazio. Deep retornaria ao navio, já dando as ordens necessárias para fazer todos trabalharem com mais fervor, aquela atitude arrancou um sorriso em meu rosto. Alguma parte distante de mim, mesmo depois de discutir calorosamente com o tritão, reconhecia que havia escolhido bem meu imediato.

-Mantenha tudo em ordem por cinco minutos, vou ver o que tem aqui em baixo

Observaria o Lamento de Caronte sendo lamentavelmente rebocado por um outro navio sem nome importante, mas mesmo tal infortúnio me trouxe alegria. Ainda existe vida no Lamento e os Cabras da Peste estão voltando com tudo.

Adentraria a câmara mais próxima em busca por mantimentos. Gravaria cada coisa que encontrasse para poder pedir para o Deep fazer. Caso encontrasse alguma fruta, pegaria a mesma e daria uma bela mordida. Bússolas, relógios, astrolábios, moedas, jóias e notas de belly também estariam sob meu radar ambicioso. Pegaria todos que encontrasse e guardaria em meus bolsos. Se encontrasse uma garrafa vazia, levaria para entregar ao Deep depois.

Continuaria bisbilhotando câmara após câmara em busca de uma coisa em especial, bebida. Não importa se for rum, conhaque, cachaça ou vodka. o que importa é que eu precisava encontrar algumas garrafas, ou pelo menos algum barril, afinal, devemos fazer um brinde já que temos novos companheiros a bordo!

Caso encontrasse bastante bebida, daria alguns goles diretamente na garrafa ou do barril para testar a qualidade do produto - ZeBeBeBe!! Depois do funeral isso aqui vai cair bem.

Caso encontrasse alguém desconhecido, Fitaria o mesmo de maneira intimidadora ao indagar
-Quem é você e o que faz aqui?

Inspecionar o navio de reboque, CHECK.

Retornaria ao leme do navio sem nome, puxaria o livro de Geografia de dentro de minha calça e abriria o mesmo depois do capítulo de introdução.

POST DE APRENDIZADO
Geografia

De início aquela leitura me pareceu muito chata. Uma hora gasta lendo sobre os biomas e os diversos tipos de solo. Uma chatice! quem se importa em saber se o chão é arenoso ou não?

Já estava convencido a fechar o livro e arremessá-lo ao mar quando li a afirmação de um geógrafo cujo não lembro o nome, dizia que as características geográficas de um lugar, a paisagem e o território da região influenciam diretamente na sua cultura e história, e, consequentemente, até mesmo em sua culinária.

Aquela frase resplandeceu em minha mente de uma forma tão clara que eu até me senti estupido. Aquilo fazia sentido, me lembrei de cada lugar que visitei; Lembrei de  Mandacari Vis seca, da Petra Yuni escaldante e da fria Sorbet… cada lugar tem suas mulheres, bebidas, comidas e costumes característicos. Quem diria que boa parte disso se relaciona com a geografia!

Caso eu tivesse encontrado a bebida mais cedo, voltaria até onde a deixei depois de me certificar que o barco estava no rumo certo, daria mais alguns goles na bebida e voltaria para o leme.

Caso Deep tenha feito alguma comida, eu montaria um PF e levaria comigo para comer lendo ao lado do leme.

Lá eu leria o restante do livro até que o céu começasse a ficar rosado, anunciando o crepúsculo.


POST DE APRENDIZADO
CHECK


info.:
Histórico:
Página: 4
Posts: 21

Inventário & Armas:


- Caneleira de Taekwondo
- Espada de Petra Yuni

- Chapéu de cangaceiro
- Bussoleta da Peste
- Livros (Condução / Navegação / Astronomia / História dos Mares)
- Frasco de Remédios (vazio)


3.645.000 ฿S


Ganhos e Perdas:

Ganhos:
Livro de Armadilhas - POST 03
Livro de Geografia - POST 03
02 Cantil Metálicos - POST 03



Perdas:

NPC´s:


Combate:

Corte no Supercílio Direito - 04/04
Dor na região das Costas - 02/02
Dores pelo Corpo - 03/03
Exausto 2 - Motivo: Doença Degenerativa







Proficiências:
- Acrobacia
-Ameaça
-Atletismo
-Briga
-Lábia
-Condução
-Navegação
-Astronomia

Qualidades:
-Carismático
-Prodígio
-Talentoso
-Destemido
-Electro
-Idioma silvestre
-Chifres curvos
-Cabeça dura

Defeitos:
-Doença degenerativa
-Sadista
-Cabeça quente
-Dependente (15 posts)
-Extravagante
-Apegado (ao chapéu)
-Feio
-Preconceito
-Atípico
-Sensível ao calor
-Forma sulong.


-Chegar em Sorbet e reabastecer o brigue
-Pegar remédios
-Pegar 2 cantis com alça
-Chegar em Baterilla
-Partir para a Grande Rota
-Chegar no Farol

-Aprender proficiência: História
-Aprender proficiência: Criptografia
-Aprender proficiência: Armadilhas

-continuar a desenvolver liderança

15.760/15.760280/4000/1015/15

_________________

"Sobrou meia garrafa, meia palavra e o meio-fio"


Jean Fraga
Ver perfil do usuário
Imagem : Cabras da Peste, vol 3- Velozes e furiosos: Desafio marítimo - Página 10 I7Pk1V9
Créditos : 02
Jean FragaEstagiário
https://www.allbluerpg.com/t951-nix#8224 https://www.allbluerpg.com/t837p60-cabras-da-peste-vol-3-velozes-e-furiosos-desafio-maritimo


Velozes e furiosos: Desafio marítimo


- Insuficiente -

Inimigos apareciam, mas eu sequer tinha agilidade para acerta-los, um deles ainda conseguia nos roubar e ser tão inútil a cada momento me deixava mais nervosa, com o grito de Subaé eu entrava em um certo desespero.

— Matar... Vai mate! Mate! MATE!! – A voz de minha mãe invadia minha cabeça e sobrecarregada eu atirava sem parar para a ultima localização a qual havia visto o ladrão.

— Arghhhh!! – Gritava em desespero e percebendo que ele já havia sumido eu caia de joelhos ao chão, chorando e gritando com muita raiva, socando seguidamente o chão da embarcação.

Com Deep abordo, levantava e de cabeça baixa ia até ele, com algumas lagrimas ainda escorrendo pelo meu rosto, — Desculpa... eu fui inútil... Vou ajudar Monaliso no possível... – Secando as lagrimas, caminhava em direção ao mamaco.

Chutando o vento durante o caminho, a raiva me consumia, mas apertando as mãos e fechando os olhos com ódio, respirava me recompondo.

Queria uma vez ser reconhecida pelos outros e agora em um bando não pretendia passar vergonha, — Mono, teria algo que eu poderia fazer para te ajudar? Estou à disposição sua!!

Ouvindo suas possíveis ordens, a seguiria, fazendo ao máximo para segui-las e executa-las com perfeição.


HistóricoInfo
Nº de Posts: 07
Ferimentos

  • N/A

Ganhos:

  • N/A

Perdas

  • N/A




_________________

Cabras da Peste, vol 3- Velozes e furiosos: Desafio marítimo - Página 10 3dtLmqd
Deep
Ver perfil do usuário
Imagem : Deep Scaleback
Créditos : 10
DeepNovato
https://www.allbluerpg.com/t1116-deep-cutt#10446


A luta começava e eu quase conseguia matar meu principal alvo, no entanto um dos oponentes passava por mim e pegava algo do navio ao lado do nosso. Após isso, fugiram tão rápido quanto chegaram. Eu queria matar aquele trigêmeo, também queria reaver minha pochete, mas ir atrás deles ou andar pela ilha em busca de qualquer um dos dois me separaria do bando e nos colocaria em perigo, algo que eu não estava disposto a deixar eles correr.

Conforme o barco iniciava seu movimento, eu iria pular na água e subir a bordo do navio que rebocava o lamento já dando ordens para que todos ficassem atentos e prontos para ordens do capitão ou um possível combate.

-Rápido seus macacos de convés... Icem as velas... Amarrem a carga... Preparem o barco para a viagem... Esse é um barco pirata e não de turismo...

Pegaria então a âncora do barco e puxaria sua corda ou corrente a enrolando largamente no convés a disposição para uso, assim numa necessidade a âncora estaria solta e facilmente a disposição, não podendo travar.

O capetão então me falava para manter tudo em ordem enquanto ele ia dar uma olhada no que tinha naquele barco.

-Aye capetão... Não precisa verificar muito a fundo... Vou olhar tudo em detalhes depois, precisamos de você ao leme...

Diria e então iria verificar se as cordas das velas estavam bem esticadas, não sabia bem o por que, mas é sempre pedido em barcos para olhar essas coisas para evitar que o barco se quebre, então estava apenas fazendo a checagem básica.

A jovem humana vinha então de cabeça baixa para mim, falava algo de ter sido inútil, eu não era a pessoa mais indicada para uma conversação desse tipo, mas o Subaé provavelmente tentaria engravidar ela se pegasse uma conversa mais longa… Não era meu estilo, mas se ela ia andar com a gente precisava ter um pouco de coragem para prosseguir, afinal de contas fazia muito pouco tempo que estava conosco para já ter provado ser forte, fraca, útil ou inútil.

- Calma pequena, você terá sua hora de mostrar serviço…

Meio sem saber como o fazer, afagaria a cabeça da moça como um pai confortando sua filha, não era algo que eu sabia como fazer, tinha costume ou grande capacidade, mas já o vi fazerem antes e me parecia o correto naquela hora.

Assim que Subaé voltasse para o leme, iria entrar no barco e vasculhar ele inteiro em busca de mantimentos de comida, água, munições, toda e qualquer coisa que fosse útil.

Se encontrasse alguma porta trancada que não fosse um banheiro, socaria a porta tentando a abrir para ver o que se escondia ali.
Em seguida, mergulharia e iria até o lamento, onde pegaria o filho amarrado do capitão e o levaria até o mesmo.


Histórico:
Nome: Deep Scaleback
Posts:21
Ganhos: jujutsu
Perdas:pochete(e conteúdos)
Players conhecidos:
NPC's:
Extras:





_________________

Legenda:

-Fala do Deep

-Voz da entidade

Cabras da Peste, vol 3- Velozes e furiosos: Desafio marítimo - Página 10 9ictvtN
Jupges
Ver perfil do usuário
Imagem : Cabras da Peste, vol 3- Velozes e furiosos: Desafio marítimo - Página 10 E15c6d7c739cc36e59ee7e583a39a3ae
Créditos : 02
Beowulf agia rapidamente naquela situação, conseguindo fazer o que lhe foi pedido, e ainda por cima conseguia pegar o corpo de seu pai, o lobo teria um funeral digno.

Beowulf então colocaria o lobo encostado no mastro do navio, sentado de uma maneira que aparentasse confortável, ouviria Subaé falando sobre fazerem o funeral de noite e acenaria com a cabeça em afirmação.

Logo em seguida procuraria por um lugar calmo no navio, ao caminhar seria possível ouvir as tábuas rangendo devido ao peso do lobo branco. Se encontrasse um lugar do lado de fora seria melhor, mas se encontrasse um lugar no lado de dentro serviria.

Ao achar o lobo se ajoelharia, colocando as mãos na base de seus joelhos e respirando fundo. Em seguida em sua mente começaria a falar, *Me perdoe, eu vi homens sendo mortos na minha frente e não movi um músculo, homens bons, médicos como eu e ainda sim não movi um músculo. Não sei se foi medo, covardia ou confusão, mas eu falhei.*

Em sua mente o lobo só poderia ver a imagem de Ângelo, e o peso da culpa descia por seus ombros, diferente de seu pai, aqueles homens não teriam um funeral, ninguém se lembraria deles, e a culpa era de Beowulf.

Beowulf então se levantaria e pegaria seu machado, e com ponta de seu machado começaria a fazer um símbolo na madeira do barco, começaria formando um círculo, então em seguida faria pontos em diversos lugares do círculo, passaria a ponta do machado conectando esses pontos e quando terminasse, o desenho rudimentar de uma figura que lembrava um pássaro era formado. Beowulf guardaria o machado, morderia seu polegar para realizar um pequeno furo, e passaria o sangue de seu polegar no desenho.

Beowulf então se afastaria e iria até o centro do barco, sussurrando palavras que aparentavam não fazer sentido, com a cabeça baixa em uma postura retraída.

objetivos:

-Ir pro farol
-Tentar não morrer no processo
Atributos, vantagens e perícias:
Hp:5980
Sta:100

Força: 401
Destreza:200
Acerto:180
Reflexo:40
Constituição:179
perícias:

• Primeiros Socorros
• Anatomia
• Cirurgia
• Diagnose
• Farmácia
Vantagens e coisas ruins:

Qualidades:
 
Experiência em Combate (3 pontos) Você inicia o jogo com um Estilo de Combate Básico adicional.

Hipoalgia (2 Pontos) Você tem uma tolerância alta a dor, essa qualidade não o torna incapaz de sentir dor, mas o torna extremamente capaz de resistir a ela. Em situações onde outras pessoas simplesmente desmaiariam, você é capaz de resistir. Essa qualidade não o torna de qualquer forma resistente aos danos, no entanto você se torna capaz de aguentar muito bem a dor e pode passar a idéia de ser muito mais resistente do que verdadeiramente é. Em termos mecânicos, você não reduz de forma alguma o dano que recebe.

Duro de Matar (2 Pontos) Você continua consciente mesmo ao atingir uma porcentagem negativa de PdV, entretanto, ainda morrerá normalmente ao alcançar -21% de seus PdV.

Garras e presas (Racial) Minks caninos possuem presas e garras afiadas que podem ser utilizadas como armas naturais.

Alpha (Machos) (Racial) Você naturalmente se destaca como um líder dentro do seu círculo de amigos. Não quer dizer que você seja um líder nato, mas aqueles que confiam em você sentem quase que uma aura de liderança vinda de você. Infelizmente, devido a sua natureza, quando outro Mink Canino (especialmente de outra “raça”) entra no seu círculo de amigos vocês têm a tendência a ter uma pequena rivalidade saudável nos primeiros momentos.

Idioma Silvestre (/Racial) Você é capaz de se comunicar com criaturas mamíferas através de certo esforço. É importante frisar que essa qualidade garante apenas a capacidade de comunicar-se com as criaturas, não controlá-las.



Defeitos:
Atípico (Racial) Devido ao fato dos Minks não serem tão comuns e não se tratar de uma raça tão populosa, eles têm um alto preço no mercado de escravos, o que sempre pode vir a ser um problema.

Preconceito (Racial) Você tem uma aparência incomum quando comparado aos humanos e alguns podem lhe achar repugnante, assustador ou até mesmo uma aberração. Alguns humanos podem lhe destratar e serem hostis simplesmente pelo fato de você ser diferente deles, entretanto, é importante notar que nem todos pensam e agem desse jeito.

Sensíveis ao calor (Racial) Devido a sua pelagem, os Minks são mais suscetíveis a sofrer efeitos adversos relacionados ao calor e altas temperaturas.

Forma Sulong (Racial) Como parte da tribo Mink seu corpo tem uma interação muito única com a lua que nenhuma outra raça tem, uma vez que você tenha contato visual com a lua, desperta-se em eu interior os instintos mais primitivos, selvagens e violentos fazendo com que você perca a sua razão agindo como uma besta furiosa que ataca tudo e todos ao seu redor com uma fúria sanguinária, suas características físicas selvagens mostram-se mais aparentes e justifica-se o medo e o preconceito que existem contra os minks, pois aqueles incapazes de dominar a besta anterior, dificilmente serão vistos como algo além disso.
Durante a transformação passada ao se ter o contato visual direto com a lua, você sentirá uma espécie de sede de sangue imensa, atacando a todos ao seu redor que não sejam Minks, sendo assim todas as noites você terá de ser cauteloso pois a sua razão pela noite estará sempre em cheque. Mecanicamente a fúria dura três turnos e após o término, do quarto turno até o momento em que você possa tratar da condição, você estará sobre o efeito de Exausto I.

Extravagante (1 Ponto) Você chama atenção por onde quer que passe, seja pela sua aparência ou seus hábitos, você causa uma impressão difícil de esquecer.

Sincero (2 Pontos) Você é incapaz de mentir, simplesmente não faz parte da sua natureza. Mesmo que seja prejudicial para você, você sempre diz a verdade.

Teimoso (2 Pontos) Quando você acredita em algo, nada e nem ninguém pode convencê-lo do contrário, mesmo que provas e evidências sejam mostradas, você se recusa a mudar sua opinião.

Obediente (2 Pontos) Você nunca desobedece os seus superiores, mesmo que discorde dos seus valores e modos de agir. Para você ordens são absolutas e devem ser seguidas a qualquer custo.

Histórico:
Nome: Beowulf
Posts: 7
Ganhos:
Perdas:
Players conhecidos:
NPC's:
Extras:
Formiga
Ver perfil do usuário
Imagem : Cabras da Peste, vol 3- Velozes e furiosos: Desafio marítimo - Página 10 CsHkSDy
Créditos : 64
FormigaDesenvolvedor
https://www.allbluerpg.com/t766-takeshi-isamune https://www.allbluerpg.com/t768-capitulo-i-o-espetacular-takeshi-isamune




Cabras da Peste

Vol 03 - Velozes e Furiosos - Desafios Marítimo


Dia 03 ||Reino Sobert - South Blue  || Clima: Frio ||
N° de Postagens do Narrador: 21



Todos


A tripulação pirata estava livre do perigo, pelo menos por enquanto. Monoliso estava imerso no reparo do navio, utilizando suas próprias ferramentas ele começava a analisar o problema, fazendo os cálculos e observando quais ações tomariam para que pudesse restaurar o mastro – Hum... você pode observar a região? Ainda estou vendo como posso ajeitar isso. – Falou o macaco com a mão no queixo. Subaé, por outro lado, bradava ordens aos seus tripulantes, realizando ações visivelmente desnecessárias dado o seu estado atual. Enquanto procurava por espólios no interior do navio, sentiu algo diferente acometendo o interior do seu corpo: O cansaço aumentava exponencialmente, assim como a dor, que agora parecia que iria quebrar seu corpo no meio; além de tudo isso, algo ainda mais grave aconteceu, seu corpo começava a esquentar gradativamente e com isso o líquido rubro da vida começava a vazar pelo seu nariz e orelhas. Suas pernas falharam, fazendo-o cair no interior do lugar enquanto procurava e por alguns momentos sua consciência deixava de existir, causando alguns apagões na mente do capitão.

O navio utilizado para reboque estava tão ruim quanto o lamento, não em sua estrutura, mas nós itens existentes em seu interior. A única coisa encontrada pelo grupo eram algumas roupas, cerca de cinquenta mil berries e alguns alimentos mais simples, como frutas, água e um barril de cerveja, com aparência velha. Quando recobrou sua consciência, Subaé conseguiu pegar alguns desses itens, mas novamente voltou a ir de encontro com o chão, quebrando a garrafa que estava guardando para o segundo no comando do grupo pirata. Para sua infelicidade, quando puxou o livro para realizar a leitura o homem notou que sua visão não estava normal, as palavras não conseguiam ser lidas com clareza e uma forte dor de cabeça começava a atingir sua cabeça, parecendo que a qualquer momento ela iria explodir.

Um estado deplorável, era essa a situação do caprino. Que ao retornar pro convés mostrava a todos os presentes a sua situação, exceto pelo tritão, que ao ver seu capitão retornando começava a caminhar para o interior do barco, procurando e achando as mesmas coisas citadas anteriormente – exceto pelo dinheiro, que já está com o Subaé – encontrando algumas frutas, legumes no armário e uma lata de ervilha escondida embaixo de uma bancada. Por fim, a situação se resumia na cena final, Subaé desmaiando no meio do convés, deixando o barco navegar pela própria sorte. Parecia que Beowulf precisaria rezar muito para que não desse uma merda grande com aquele grupo. Já o tritão, após mergulhar e chegar ao lamento, acharia o filhote do capitão ainda marrado, deitado e extremamente fraco. Não se sabe do ocorrido, entretanto, parecia que o mesmo havia sido acertado na cabeça, já que um hematoma era visível. Sem muito mais informações, catou o pequeno bode, retornando até a outra embarcação e vendo o estado em que seu amigo de longa data estava.

Obs: Subas já pode acordar no próximo POST



Histórico Geral:


Beowulf:
Número de POST: 07

    Ganhos
  1. Nada

  2. Perdas
  3. Dignidade


Ferimentos

  1. Nada


Deep:
Número de POST: 21

    Ganhos
  1. Suprimentos para Viagem - POST 03
  2. Cantil com Beserker - 05/05 usos - POST 14
  3. 07 Ampolas de Analgésico - POST 15

  4. Perdas
  5. Pochete com todos os Projetos e guloseimas - POST 04


Ferimentos

    Cortes Leves pelo Tronco - 03/03Ferimento a Bala no Antebraço Esquerdo - 01/05 [TRATADO]



Subaé:
Número de POST: 21

    Ganhos
  1. Livro de Armadilhas - POST 03
  2. Livro de Geografia - POST 03
  3. 02 Cantil Metálicos - Cheio de Beserker 02/02 Usos - POST 03
  4. 02 B$ - POST 03
  5. 50 Mil Berries - POST 21

  6. Perdas Dignidade


Dinheiro Atual: 3.645.000 B$
Dependência: 02/15
Doença Degenerativa: 10/10
Ferimentos:

    Corte no Supercílio Direito - 04/04Dor na região das Costas - 02/02Dores pelo Corpo - 03/03Exausto 3 - Motivo: Doença Degenerativa Sangramento II - Motivo: Doença Degenerativa



Niix:
Número de POST: 06

    Ganhos
  1. Nada

  2. Perdas
  3. Dignidade


Ferimentos

  1. Nada



Legendas:
NPC's Específicos
Subas Júnior

NPC's Aleatórios
Personagens Simples: Atendentes | Garçons | Pessoas encontradas nas Ruas | Vendedores | Moradores de Petra | Civis em Geral
Caçadores de Recompensa

Aparência
Homem de Cabelo longo e Amarelo
Mulher Loira
Homem magro
Homem de Chapéu
Monoliso - NPC ACOMPANHANTE DO SUBAÉ

_________________

Cabras da Peste, vol 3- Velozes e furiosos: Desafio marítimo - Página 10 Fi6WMX7


Certificurso:
Curso Narrador AB, 2021
Cabras da Peste, vol 3- Velozes e furiosos: Desafio marítimo - Página 10 EBEAdF4X4AYyK13
Deep
Ver perfil do usuário
Imagem : Deep Scaleback
Créditos : 10
DeepNovato
https://www.allbluerpg.com/t1116-deep-cutt#10446


Eu fazia algumas coisas no barco para ajudar com a viagem, assim que percebia o capetão subindo ao convés, eu descia e dava uma olhada no barco,nada muito útil além de comida, cerveja, àgua, o básico do básico, então lembrava do moleque amarrado no lamento, ia então o buscar e chegando lá notava que ele havia recebido uma pancada na cabeça, provavelmente de algum invasor no barco, me importei tanto que o larguei no chão do barco como um saco de batatas perto do leme onde presenciava Subaé passando mal.

-Eu falei que tu tava mal, que não precisa ir em lugar algum... Humph… Vou preparar algo para te por pra cima…

O capetão então falava coisas que não tinham nada a ver com a realidade, obviamente um delírio, então eu decidi usar a isca mais clássica para chamar a atenção daquele velho com bafo de pinga e bordel.

-Ih rapaz, o cara tá delirando... Hein Subaé... Tem uma gostosa trazendo uma pinga pra tu... Acorda ae…

Funcionava como um relógio, sempre na hora certa, a cabra fica acordada rapidinho.

-Ai tu acorda né cabra safado... Tenta manter saporra no caminho pra Baterilla, vou preparar algo para te manter em pé...

Ouvia o lobo branco falando do corpo de Blade, aparentemente o capetão também queria fazer algum funeral, não era algo que eu achava necessário, não tinha nenhuma crença à respeito disso, para mim morreu, morreu… Podíamos ter posto fogo no prédio que ele morreu e estaríamos livres desse problema, mas se eles querem fazer algo, é bo que ai não fazem merda enquanto isso.

-Beleza, vê se acha uma canoa, coloca ele dentro e mete fogo, não sei pq esse alarde todo com um morto…

Dizia Já olhando para Subaé que parecia impaciente em não ver a gostosa com pinga que usei de isca.

-Se tu continuar se esforçando à toa quando passa mal... Ela vai enfiar um tridente no teu cu lá no inferno…

Respondi para cortar o papo sobre a gostosa e para puxar a orelha do capitão à respeito dessa incapacidade dele de ficar quieto.

-Tenta manter esse cara acordado ai... Vou fazer alguma sopa que faça bem pro corpo ou sei lá... Normalmente iriam dizer pra cuidar da alma que o corpo já era.... Mas nem isso salva, né capetão…

Dizia para o lobo cutucando a cabra novamente. Obviamente o lobo tinha a capacidade pensativa de um animal, talvez herança de seu dna canino, pois ele falava que uma sopa não ia salvar o capitão.

-AH VA… Porra eu achei que ia curar até os piolho dele com a sopa... Meu deus... Claro que não vai salvar ele, mas vai melhorar o corpo e o nutrir para aguentar melhor até pegar remédio…

Minha resposta foi bruta e rude, a pergunta me soou muito fora de hora e sem pensar no que estava ocorrendo, não era possível que ele me achasse burro de pensar que uma sopa curária uma doença grave, tenho também grande confiança que ele não teria a audácia de e achar burro nesse nível.


A próxima pergunta do canino era mais plausivel, mas eu já estava tão puto com toda a situação, assim como a pergunta anterior, que dei um coice até maior perante a pergunta sobre o que o capitão tinha.

-Ele comeu muito cu de curioso... Sei lá... Se tu q é o medico não sabe, porra... Se ele tivesse um molho de macarronada eu entenderia, agora doença eu não sei po…

Nisso Subaé tentava explicar qual era sua doença, explicava que era alguma síndrome, eu já me ajeitando para sair do local para fazer algo, não aguentava ouvir sem dar minha opinião e simplesmente metia um comentário do nada.

-Você sofre com a síndrome da cabeça dura, já tefalei pra pegar leve…

Iria para a cozinha onde pegaria alguns legumes como batata, nabo e abóbora, os picarias em cubo e colocaria na maior panela disponível com muita água e as ervas de tempero que achasse no local, tudo isso precisava cozinhar para fazer um caldo rico em nutrientes, mas não tínhamos carne no navio, então eu precisa de alguma.

Nisso então lembraria da fala de Nix, a humana que queria ser mais útil, talvez pudesse me ajudar, iria até perto de onde eles conversavam e olhando para Nix, a chamaria.

- Chega mais pequena, sabe pescar?


Diante da negativa, riria e diria meu plano.
]b]
-Kukuku,, também não sei pescar... Vou ter que pegar na raça... No caso vou  precisar que cuide do fogão pra mim, vou por uns legumes para cozinhar, preciso que mecha com a colher eles para não colarem no fundo enquanto arranjo alguma carne... Só não faça movimentos muito rápidos ou vai se queimar... Quando eu voltar vou precisar de mais ajuda, mas por enquanto é só…[/b]


Não sabia se dava para confiar plenamente nela nessa tarefa, mas era uma tarefa extremamente simples de apenas girar uma colher numa panela com água, nem tinha segredo ou técnica nos movimentos de colher. Colocaria então a grande panela sobre o fogão acendendo todas as bocas que ficassem abaixo da panela, estenderia a colher para Nix e então iria para o convés para mergulhar no mar.

Nadaria ao redor do barco, visando avistar algum grande tubarão, sei muito bem que sua carne é gostosa e sua barbatana é conhecida por dar ensopados muito bons para fortalecer o corpo de doentes.

Se eu avistasse algum grande tubarão, nadaria em sua direção mirando socar sua cabeça até o matar, sempre tentando controlar a água ao seu redor para tentar atrasar sua fuga o máximo possível com meu controle ainda incompleto do meu elemento.
Se o tubarão ao invés de fugir, tentasse me atacar ou revidar, não me afugentaria por isso e apenas reagiria mirando socos em seu nariz mole aproveitando de sua velocidade para aumentar o dano de meu golpe.

Se conseguisse matar o tubarão, voltaria para o barco e subiria no mesmo com o tubarão em meus ombros, se visse os rapazes no convés, apenas soltaria um: -Eae… Pois era apenas mais um dia na vida de um pirata, não?

Cabras da Peste, vol 3- Velozes e furiosos: Desafio marítimo - Página 10 Xofcpd3

Com o tempo que ficou cozinhando, o caldo base já deveria estar pronto, então retiraria a panela do fogão, cortaria com uma faca a barbatana dorsal do tubarão, tiraria o couro da mesma e a cortaria em cubos de um cm de lado, a barbatana funciona como uma gelatina quando aquecida no fogão, então engrossaria um pouco de caldo pro capitão e suas enzimas e nutrientes reforçariam o corpo do mesmo.  Colocaria então a barbatana em cubos numa panela pequena com o suficiente para um prato de sopa de caldo, ligaria o fogo alto para derreter a barbatana e começaria a descarnar o tubarão. Tiraria toda a carne de sua barriga, laterais, cauda e bochechas, tiraria também todas espinhas e “ossos” para a carne estar limpa, cortando então a mesma em cubos de quatro centímetros de lado. Procuraria um tacho no local, no qual jogaria oito cebolas descascadas e picadas em cubinhos. Assim que as cebolas estiverem douradas, jogaria a carne de tubarão no tacho para iniciar um selamento e dar um dourado na carne, uma vez que isso ocorresse, jogaria cinco tomates picados em cubos para se misturar nas cebolas, carne e formar um molho grosso o qual eu jogaria cerveja para trazer um sabor mais potente, quando esse sofrito grosso com carne de tubarão estivesse pronto, o caldo de barbatana do capitão deveria estar pronto, então o retiraria para esfriar, assim como iria tirar o tacho do fogão e voltar a grande panela na qual viraria o tacho fazendo uma enorme “moqueca” improvisada de tubarão com um toque pessoal de molho de cerveja, se eu tivesse sal e pimenta, experimentaria como estava a mistura, acertaria o sal e colocaria pimenta para ficar com um sabor delicioso.

Deixaria a moqueca cozinhando mais um pouco enquanto amassaria os vegetais na panela do capitão para fazer um creme de fácil digestão e textura grossa, seu gosto não seria tão bom quanto a moqueca, o prato era meio amargo devido a barbatana e nabo, mas era um prato para melhorar o corpo e não para se deliciar.

Colocaria a comida do capitão numa tigela com uma colher e levaria a ele.

-Tá ai, capetão, uma tigela de creme para tu... É para comer sem fazer bico, talvez isso te segure em pé mais um pouco.

Voltaria à cozinha e separaria cinco tigelas e cinco colheres de madeira e pediria a Nix para as levar para mim.

-Aqui pequena, leva essas tigelas e colheres para mim, vamos levar a comida pros outros…


Desligaria então a panela, pegaria ela com algum guardanapo nas mãos e levaria comigo a panela fumegando de moqueca para o convés onde me serviria de uma tigela farta e comeria avidamente já repetindo a tigela umas três vezes sem nem mesmo avisar que a janta tava pronta. Tinha uma panela enorme de comida e tigelas para todos, os espertos já estariam convidados.

Histórico:
Nome: Deep Scaleback
Posts:22
Ganhos: jujutsu
Perdas:pochete(e conteúdos)
Players conhecidos:
NPC's:
Extras:


_________________

Legenda:

-Fala do Deep

-Voz da entidade

Cabras da Peste, vol 3- Velozes e furiosos: Desafio marítimo - Página 10 9ictvtN
Jean Fraga
Ver perfil do usuário
Imagem : Cabras da Peste, vol 3- Velozes e furiosos: Desafio marítimo - Página 10 I7Pk1V9
Créditos : 02
Jean FragaEstagiário
https://www.allbluerpg.com/t951-nix#8224 https://www.allbluerpg.com/t837p60-cabras-da-peste-vol-3-velozes-e-furiosos-desafio-maritimo


Velozes e furiosos: Desafio marítimo


- Insuficiente -

Subaé morria... Eu agachava e então começava a chacoalhar ele, — NÃO!! CAPITÃO!! Não morra... como eu vou te contar tudo sobre minha pistola?! Nã- Quando ele acordava, se despedia de Deep e de fato morria.

Eu batia contra o chão triste, porém ele começava a falar, mesmo supostamente morto, escondendo-me atrás do imediato após ele comentar sobre uma gostosa com pinga, só podia ser eu.

— Nã- não... eu jamais enfiaria um tridente em você... – Cochichava para mim mesmo.

Subaé então comentava sobre sua doença e alguns detalhes, mas pera... todos os buracos?!

— Todos? – Perguntava ao capitão, sua resposta confirmava minha ideia, abaixava a cabeça triste por ele... logo, ele buscava convencer o lobinho a adentrar no bando, mas ele era fresco de mais, ouvindo o chamado de Deep, ia me afastando, cantarolando, — Pau mandado...

Caminhando até o imediato, meio acanhada e triste por ter feito nada, parecia finalmente ter chegado meu momento de gloria, — N-Não... ME ENSINA?!

Porém ele também não sabia, contudo, meu trabalho seria mais difícil do que pescar, mexer a panela no fogo e proteger os legumes de um fim queimado.

— Ta… eu acho que consigo, acho que já mexi uma panela com comida quando tinha 5 anos… - chacoalhava a cabeça tirando o medo para escanteio - Deixa comigo amigo!!! - levantando o dedão fazia um joinha para Deep. Pegava a colher e cautelosamente mexia.

Assim que meu melhor amigo voltasse, eu estaria suando nervosa com a tarefa difícil que havia sido passada para mim, entregava a colher para ele e ficaria concentrada vendo tudo que era feito, como um novato prestando atenção em uma aula de culinária.

Concordando com o rosto, pegava as colheres e tigelas, seguindo com ele, ficava ao seu lado e servia para mim também, era uma explosão de sabores, alguns que nunca havia sequer sentido, era perfeito, — Deep... isto está maravilhoso!!! – Não perdia mais tempo conversando e começava a comer bastante.


HistóricoInfo
Nº de Posts: 08
Ferimentos

  • N/A

Ganhos:

  • N/A

Perdas

  • N/A




_________________

Cabras da Peste, vol 3- Velozes e furiosos: Desafio marítimo - Página 10 3dtLmqd