Tópicos Recentes
Destaques
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Últimos assuntos
II - Sombras em SteveltyHoje à(s) 5:45 ampor  KerigusVoice of the SoulHoje à(s) 1:38 ampor  YamiOperação T.N.C.T.O.N.I.Hoje à(s) 12:17 ampor  VincentMary Van TasselOntem à(s) 11:57 pmpor  KerigusSharp Teeth and Hard Fists.Ontem à(s) 11:25 pmpor  ÀsManae LiebeOntem à(s) 8:42 pmpor  RyomaCatherine Petit Barozzi Nero BellarosaOntem à(s) 8:36 pmpor  RyomaHizumy Mizushiro MayanOntem à(s) 8:35 pmpor  RyomaPedidos de CargosOntem à(s) 7:56 pmpor  Arthur LancasterAs Crônicas dos Scavenger: A Leoa, o Louco, e o MudoOntem à(s) 7:45 pmpor  Arthur Lancaster
 :: Oceanos :: Blues :: East Blue :: Shells Town
Página 5 de 6 Página 5 de 6 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6  Seguinte
Kenshin
Ver perfil do usuário
Imagem : Porradaria, confusão e fuga. [1] - Página 5 XqxMi0y
Créditos : 20
KenshinDesenvolvedor
https://www.allbluerpg.com/t360-agatha-harkness https://www.allbluerpg.com/t386-prologo-frenesi-da-raposa#1165
Porradaria, confusão e fuga. [1] Sab Jun 26, 2021 9:23 pm
Relembrando a primeira mensagem :

Porradaria, confusão e fuga. [1]

Aqui ocorrerá a aventura do(a) Civil Joe Sins. A qual não possui narrador definido.

_________________

Porradaria, confusão e fuga. [1] - Página 5 J09J2lK

Formiga
Ver perfil do usuário
Créditos : 2
FormigaEstagiário
https://www.allbluerpg.com/t766-takeshi-isamune https://www.allbluerpg.com/t768-capitulo-i-o-espetacular-takeshi-isamune
Re: Porradaria, confusão e fuga. [1] Seg Ago 30, 2021 9:45 pm




Rua P Sherman, 42 Wallaby Way, Shells.

E vamos de recuperação


Dia 01 || Shells Town - Baixa || Clima: Quente || Manhã
N° de Postagens do Narrador: 09



O grupo continuava sua jornada pelas ruas da baixa Shells, aos fundos puderam escutar sons de desmoronamento, parecia que a frágil estrutura da Taberna havia cedido de vez. Aquilo vinha como um movimento divino, talvez a sorte estivesse sorrindo e apoiando aquele grupo de desajustados que acabara de ser formado. Em meio aos seios de Viola, o grupo partiu rumo ao “ah” chamativo, na esperança que fosse um hospital, visando tratar os ferimentos mais sérios de alguns membros. Não demorou para que tão claro como o dia, eles percebessem que o edifício se tratava de um hospital.

Porradaria, confusão e fuga. [1] - Página 5 Images?q=tbn:ANd9GcRlExVWH082hEPTTSBBIq1Kf9WOXG4jTS3u3w&usqp=CAU

O lugar era grande e contava com uma pequena escada que dava acesso ao portão principal. O lugar contava com algumas dezenas de janelas, algumas estavam fechadas e outras aparentavam ter hóspedes, principalmente nos andares superiores, onde um pequeno comitê de idosos tomavam o banho de sol rotineiro. O lugar aparentemente não contava com seguranças, pelo menos na área externa, o vídeo fosco da entrada impedia a recente tripulação pirata de terem uma visão privilegiada do interior do recinto.

Não parando por aí, aquela rua contava com outros edifícios que valem a narrativa. Em frente ao hospital existia uma pequena loja de itens variados, desde roupas a pequenas bijuterias simplórias. Ao lado desse lugar um outro edifício grande – não tanto quanto o hospital -, mas, aparentava ser uma pequena mercearia e contava com um senhorzinho careca varrendo a porta, ele parecia reclamar consigo mesmo e em alguns momentos parecia que estava em um debate com alguém a sua frente, contudo, apenas ele estava ali. Ao lado do hospital um pequeno estacionamento com cerca de quinze metros quadrados, a placa indicava que ele era pago e contava com um homem barrigudo em uma espécie de portaria, ele estava sentado de maneira relaxada enquanto lia um pequeno livro vermelho. Ao lado do estacionamento existia uma série de galpões, alguns estavam repleto de trabalhadores e outros totalmente vazios. Um deles – o mais chamativo – contava com uma série de carroças na frente e também – ao que aparentava – no interior.
Por último, era possível ver o final do corredor onde estavam. Ele tinha uma única saída que era para direita, contava com uma pequena praça que por sinal, se encontravam algumas crianças brincando.



Histórico Geral:
Joe Sins:
Número de POST:09
Dependência: 01/10
Compulsão: 05/10
Dinheiro: 250.000 B$
Ganhos:

  1. Nada por enquanto.


Perdas:

  1. Nada por enquanto.


Boris Skalovski:
Número de POST: 09
Dependência: 02/10
Dinheiro: 100.000 B$
Ganhos:

  1. Maço de Cigarro 07/10 - POST 01
  2. Isqueiro 02/02 - POST 01


Perdas:

  1. 150.000 B$ - Compra do Maço de Cigarro - POST 01


Matthew Carter Williams:
Número de POST: 07
Compulsão: 04/10
Dinheiro: 250.000 B$
Ganhos:

  1. 0 ganhos meu parceiro


Perdas:

  1. Nada por enquanto


Viola Altamira:
Número de POST: 06
Dinheiro: 250.000 B$
Ganhos:

  1. Zero itens


Perdas:

  1. Nada ainda


Legendas:
NPC's Específicos
Velho do Terraço - Aparência


NPC's Aleatórios
Personagens Simples: Atendentes | Garçons | Pessoas encontradas nas Ruas | Vendedores | Moradores | Entre outros.

Integrantes da Marinha
Galera da Mesa

Aparência dos NPC's "Comuns"
Ajin - Aparência
Teresa - Aparência
Homem de Dreads - Aparência
Fortão que arrumou o cabelo - Aparência
Marinheiro Bernardes - Aparência
Nogg

Log de combate e Considerações:

Joe
Ferimentos:

  1. 02 Perfurações no Abdômen - Lado Esquerdo - 00/04 [Necessário Tratamento]
  2. Pequenas Escoriações pelo Rosto - 02/02 [CURADO]
  3. Escoriações e Hematomas pelo corpo - 02/04 (Devido a queda da Taberna)
  4. Perfuração na Região da Clavícula Esquerda - 00/04 [Necessário Tratamento]
  5. Corte Mediano na Testa (Vertical) - 00/03 [Necessário Tratamento]
  6. Escoriações - Hematomas - Cortes/Perfurações superficiais pelo corpo - 01/05


Considerações:
Tá fudido menó, se meus cálculos não estão errados, você perde incríveis 88HP por POST. Uma hora tu morre!

Categoria I: Perda de 2% dos PdV por post com limite de perda de 1.000 PdV.

Danos

    -88 Sangramento


HP Atual: 4.223

Boris
Ferimentos:

  1. Perfuração na Coxa Direita - 03/05 [TRATADO]
  2. Escoriações e Hematomas pelo corpo - 03/04 (Devido a queda da Taberna)
  3. Corte na Testa (Horizontal) - 00/03 [Necessário Tratamento]


Considerações:
-

Matthew
Ferimentos:

  1. Escoriações no Rosto 02/02 [CURADO]


Considerações:
-


Viola
Ferimentos:

  1. Ferimento simples na testa, tá sangrando de leves. Nada que importe para uma Deusa - 01/01 [CURADO]


_________________

Certificurso:
Curso Narrador AB, 2021
Porradaria, confusão e fuga. [1] - Página 5 EBEAdF4X4AYyK13[/center]
Magma
Ver perfil do usuário
Imagem : Porradaria, confusão e fuga. [1] - Página 5 Q4frd31
Créditos : 00
MagmaCivil
https://www.allbluerpg.com/t622-joe-sins#3874 https://www.allbluerpg.com/
Re: Porradaria, confusão e fuga. [1] Qua Set 08, 2021 12:37 pm
Gallantry





Ufff. — Joe puxaria o ar, ele deslizaria para fora dos seios de Viola e seus dois pés tocariam o chão de maneira pesada, sua presença ali não poderia ser mais assustadora, já que o capitão pirata estava coberto de ferimentos.

Ele olharia na direção de Boris e sinalizaria com a cabeça na direção do hospital, como se suas palavras estivessem implícitas, caminharia com seus passos pesados e subiria as escadas, esbanjando sua corpulência, a cada passo que o Wrestler dava ele sentia como se diversas agulhas pontiagudas estivessem penetrando em seu corpo ao mesmo tempo, apesar da hipoalgia, o acûmulo de ferimentos e o ritmo frenético da situação combativa o colocou em uma situação onde a dor já era bem grande.

Fios vermelho carmesim deslizavam pela sua pele e roupas com certa constância, se observassem Sins como uma montanha, a sangue que escorria dele eram como as nascentes dos rios, repleto de ferimentos caminharia na direção da entrada do Hospital e os olhos saltariam no ar e se fixariam no porteiro por poucos segundos, a expressão de raiva, afetada pela saliva, sangue e sujeira não poderia deixá-lo menos assustador do que ele queria.

Preciso de tratamento... — Indagaria, com sua voz áspera devido a falta de água, que se resolveria logo mais.

A mão esquerda levaria o barril de cerveja na direção dos lábios e ele daria mais um longo gole.

Arrrr. — Ele saboreou a cerveja com todo o prazer possível e estalou os dedos da mão direita nos ossos do queixo.

Boris, eu não sei o que devo pegar lá dentro, pode me ajudar? — Diria, e caminharia para dentro do hospital, ignoraria a reação do porteiro.

Assim que sua presença fosse sentida dentro do recinto ele bradaria.

Certo, onde estão os remédios? eu já bati em muita gente hoje.

Caso lhe fosse apontado por alguém o depósito do hospital, ele faria um sinal para Boris e iria na direção apontada, abrindo porta por porta até achar o local onde haviam os remédios e outras coisas mais para ajudar na sua recuperação.

Então, o que precisamos Boris? — Indagaria.
Assim que estivesse em posse de tudo o apontado por Boris voltaria até Viola e mostraria para ela.

Isso foi tudo o que conseguimos, você disse que poderia me ajudar com meus ferimentos não é grandona?


To be Continued.



Joe Sins
PDV:4311 (:wing:)
STA:40

Vício:01/10
Compulsão:00/10

Posts:10
Surrados:13.


Ganhos:
02 Perfurações no Abdômen - Lado Esquerdo - 00/04 [Necessário Tratamento]
Pequenas Escoriações pelo Rosto - 02/02 [CURADO]
Escoriações e Hematomas pelo corpo - 02/04 (Devido a queda da Taberna)
Perfuração na Região da Clavícula Esquerda - 00/04 [Necessário Tratamento]
Corte Mediano na Testa (Vertical) - 00/03 [Necessário Tratamento]
Escoriações - Hematomas - Cortes/Perfurações superficiais pelo corpo - 01/05



Perdas:


OBJETIVOS:
1. Ser foda.
2. Conhecer o Boris
3. NPC ACOMPANHANTE.
4. Brigar no Bar, porque eu quero.
5. Arrumar mais confusão enquanto a rapaziada chega.
6. Conhecer o resto da futura tripulação.
7. Descer o cacete em uns almofadinhas de um dojo aew.
8. Fugir depois de descer o cacete neles.
9. Pegar um barco "emprestado" pra ralar peito.
10. Despistar a marinha de um jeito doido.
11. Ir pra Loguetown pra descer o cacete em mais gente.
Van
Ver perfil do usuário
Imagem : Porradaria, confusão e fuga. [1] - Página 5 Q4frd31
Créditos : 00
VanCivil
https://www.allbluerpg.com/t641-boris-skalovski#4055 https://www.allbluerpg.com/t623-porradaria-confusao-e-fuga-1#4138
Re: Porradaria, confusão e fuga. [1] Qui Set 09, 2021 1:44 pm

Saúde


O destino atual acabou por ser um hospital, exatamente o que precisavam para dar prosseguimento em sua longa e próspera jornada. Descobrir que aquele mulherão possuía capacidades médicas só aumentavam as expectativas para a viagem além de melhorar as chances de êxito em todas as suas tentativas. Com um Carpinteiro na tripulação, o navio estaria medicado e agora faltavam poucas funções para ter um bando pirata funcional. As peças do quebra-cabeça estavam se encaixando perfeitamente.

Tsc, preciso me esforçar ainda mais!

Pensou nas habilidades que lhe faltavam para ser um exímio Navegador e talvez a parte prática fosse o principal. O loiro sabia pilotar e sabia navegar, mas ter um fogão e ingredientes não era o mesmo que ter um bom prato. Saber como fazer, o tempo e principalmente lidar com fatores inesperados era o que tornava um cozinheiro um verdadeiro chef, assim como um piloto de barcos um verdadeiro navegador. Ciente disso, estava um passo avançado na solução do problema.

— Boris, eu não sei o que devo pegar lá dentro, pode me ajudar? —

Aye Aye, Captain...  

Acompanharia o capitão andando lado a lado até chegar no recinto. Caso estivesse fumando, jogaria o cigarro fora antes de entrar por respeito. Carregaria a nova katana pela bainha com a mão esquerda, mostrando-a para todos os presentes como um sinal leve de intimidação ao mesmo tempo em que facilitaria seu manejo se preciso. Na hipótese de alguém tentar interromper, o furto se transformaria em assalto com lesão corporal grave, pois Boris puxaria a sua lâmina e utilizando a parte sem fio, atacaria qualquer um que entrasse no caminho do seu capitão, causando danos contundentes visando o nocaute dos insistentes. Utilizaria golpes simples, porém rápidos e simples para derrotar os alvos com o máximo de eficiência possível. Portanto, seriam cortes descendentes diagonais ou verticais, aproveitando a gravidade e o peso da arma para potencializar o dano.

— Então, o que precisamos Boris? —

Só o básico!  

Utilizando o seu conhecimento em Primeiros Socorros, o espadachim tinha alguma noção do que precisa para se tratar de ferimentos simples e alguns mais problemáticos. Buscou maletas com kit prontos, soros, bandagens, bisturi e remédios. Pegaria o que conseguisse carregar usando a própria blusa como bolsa ao amarrar a gola e mangas. Sairia com os suprimentos e os entregaria para a grande doutora. Pediria por uma consulta pois ainda estava com o sangue quente e não tinha ideia do quanto tinha sofrido no bar. Por fim, esperaria todos serem devidamente medicados, sentado encostado em algum lugar, até que o futuro Rei dos Piratas passasse o próximo objetivo. Aproveitaria o momento para fechar os olhos e meditar - dormir, se possível.

Boris Skalovsk:
PDV:2800
STA:100

Posts:10

Ganhos: Maço de cigarros (02/10)

Perdas: 150k (cigarro)

OBJETIVOS: Encontrar Joe Sins
Encontrar Silent
Encontrar Mizzu
Encontrar Vini

Aprender Geografia
Aprender profissão Navegador
Aprender Psicologia
Ter um NPC acompanhante

Matthew
Ver perfil do usuário
Imagem : Porradaria, confusão e fuga. [1] - Página 5 120x120
Créditos : 05
MatthewCivil
https://www.allbluerpg.com/t649-matthew-c-williams#4163 https://www.allbluerpg.com/t623-porradaria-confusao-e-fuga-1#4353
Re: Porradaria, confusão e fuga. [1] Sab Set 11, 2021 1:20 am

A cena do seus companheiros se apresentando causava em Matthew uma sensação que há um bom tempo não sentia – pertencimento. Inevitavelmente, desde que perdeu seus pais, teve que procurar aliados e confiar neles, na medida do bom senso, para continuar sobrevivendo. Ainda que todos ali parecessem bem peculiares, principalmente a gigante, tudo parecia estar se encaixando muito bem. “É, esses caras são diferentes, shi re re!”. Ele esboçava um leve sorriso, enquanto ouvia a gigante falando sobre como era uma reencarnação de um deus do trovão, ou algo assim, afinal, Matt não conseguia entender muito bem, mas “Cada um com suas crenças!”, raciocinava o jovem de cabelos rosados.

Mas enfim, ali naquele momento, o mais importante era cuidar de Joe. Matthew sabia que os marines provavelmente continuariam os perseguindo, então seria essencial que o moreno se tratasse e começasse a se recuperar para os próximos embates. Ouvi-lo falando que seria acima do Rei dos Piratas também acendia no jovem uma chama que estava fraca – a da liberdade, das aventuras e do poder. Ele estaria disposto a dividir sua força e seus serviços em prol do sucesso de Joe e de seus companheiros, principalmente porque acreditava que isso o ajudaria a ter os melhores momentos da sua vida. Sua teimosia e sua convicção só mudariam se em algum momento fosse desconsiderado por Joe, aquele que mais considerava ali até então. “Até não ser respeitado, minha lealdade será a Joe Sins”. Seu pensamento reafirmava sua vontade de continuar lutando com seus aliados.

Enfim, como Joe contava com a presença do loiro e da gigante, que sabiam o que fazer com os ferimentos dele, Matthew pensou que poderia ser mais útil se ficasse na contenção, evitando que fossem pegos de surpresa pelos marines. Ele confiava que o loiro e a gigante dariam conta de fazer a proteção do moreno, que também parecia ainda estar bem disposto a lutar se necessário. Desse modo, Matt avisaria aos demais. – Aí galera, vou ficar aqui perto da entrada, ver se os marines estão chegando, tá ligado, ficar de vigia. Se precisarem de mim, bem... só a Viola quebrar alguma parede que eu vou saber do que se trata e chego na hora! – Diria, apresentando um sorriso e uma tentativa de ser engraçado, enquanto buscaria ficar próximo a escada que dava na entrada do hospital.

De todo modo, o jovem ficaria de olhos atentos ao caminho pelo qual vieram, alternando com a única saída que tinham para quando fossem sair do hospital, que aparentemente sairia numa praça. Fora do hospital, estaria atento, mas buscaria também caminhar com tranquilidade e quem sabe, conseguir algo na sua ronda. Observando que havia uma marcenaria, o jovem pensou que poderia até comprar alguns equipamentos, mas a situação em que estavam de fuga, sem sequer ter um navio, não eram oportunos para carregar uma caixa de ferramenta. E ainda que quisesse muito aprender mais coisas sobre a parte mais de arquitetura em relação a criação de móveis e ambientes, ele não achava que teria tempo hábil para aprender o que aquele velho, aparentemente bem experiente, poderia ensiná-lo.

Logo, Matthew apenas buscaria andar rapidamente pela rua, buscando mapear alguns pontos estratégicos e caminhando até a possível única rota de fuga. Veria os trabalhadores, as carroças e a praça ao fim da rua, sem deixar de prestar atenção ao que acontecia na sua retaguarda. Após analisar tudo ou assim que percebesse alguma movimentação estranha próxima a entrada do hospital, retornaria ao seu posto, ao lado da escada, enquanto aguardaria ansiosamente pra que algum tipo de confusão estivesse acontecendo e para que pudesse entrar na briga. – E lá vamos nós de novo! – Falaria, rangendo os dentes e estralando os dedos. Se Matthew ouvisse alguma confusão dentro do hospital, adentraria o local e, encontrando seus aliados, se colocaria à disposição para lutar.


Matthew:
PDV:4200
STA:100

Posts:08

Ganhos:

Perdas:

OBJETIVOS: - Conhecer a galera do bando;
- Aprender a proficiência Arquitetura.
- Aprender a proficiência Forja.
- Conseguir/comprar/arranjar algumas ferramentas úteis, algo como uma caixa de ferramentas (martelo, serrote, pregos, cordas, trenas e afins).
- Se possível, conseguir uma soqueira através de meios ilícitos.
- O resto é "Porradaria, confusão e fuga".

Silent
Ver perfil do usuário
Imagem : Porradaria, confusão e fuga. [1] - Página 5 Q4frd31
Créditos : 00
SilentCivil
https://www.allbluerpg.com/t669-viola-altamira#4474 https://www.allbluerpg.com/
Re: Porradaria, confusão e fuga. [1] Dom Set 12, 2021 10:49 pm


Lean on Me




Viola ouvia os planos do grupo e permanecia sentada próximo a entrada na espera do retorno do bando, mas logo ficava entediada. Matthew provavelmente estava por perto rondando o local, mas não sabia como interagir com ele no momento e ele parecia ocupado com algo, talvez, como qualquer pessoa normal, atento ao fato de que até instantes atrás estavam sendo perseguidos por uma quantidade considerável do contingente marinheiro da ilha. Mas a gigante não ligava muito pra isso, pelo contrário, achava curioso o fato daqueles pequenos mundanos estarem atrás dela tão vigorosamente. ”Hmm...Huh? Com quem aquele humano ta falando?” um senhor não muito distante chamava a atenção da mulher. Não pela aparência ou algo do tipo, mas sim porque aparentemente o homem estava conversando sozinho e a chicoteadora, sendo alguém que passou, bem… Praticamente sua vida adulta toda sozinha, sentia algo ao perceber aquilo. A jovem tinha sim uma mente conturbada e que possivelmente se resolveria com boas sessões de terapia, um quanto tanto irônico considerando o fato de que ele mesma tinha conhecimento sobre psicologia, mas tinha algo que até mesmo ela, uma autoproclamada deusa, tinha medo: A solidão. Esse era um infortúnio que assolava todas as formas de vida, independente de mortal ou imortal. Sendo alguém tão solitária por tanto tempo, por um instante a gigante inclinar-se-ia em algum lugar próximo, fitando o céu como um cantor de blues buscando inspiração para escrever sobre a infidelidade de uma meretriz que não merecia mais o seu amor.

”Companheiros, huh…? Bom, talvez seja hora de deixar alguém me acompanhar nessa jornada. Esses problemas de confiança só podem ser superados quando eu voltar a confiar em alguém novamente. Ah, a ironia da existência mundana… A solução da maioria dos problemas que atormentam a mente daqueles que vivem é errar novamente, kikiki. Parece que aqueles mortais que se dedicaram a estudar a psique humana de fato não desperdiçaram seu tempo, interessante…

Refletia brevemente, perdendo-se em meio a lembranças de quando ainda estudava para se tornar uma médica com sua mãe, fechando os olhos e fazendo um sorriso bem discreto, quase imperceptível para aqueles que não prestassem atenção, motivado pela nostalgia daquela que até então foi uma das duas únicas pessoas que mantiveram o lado “bom” da garota ainda respirando. Caso seus companheiros voltassem até ela, voltaria rapidamente a sua expressão normal, desfazendo-se rapidamente daquele sorriso que insistia em surgir em seu rosto, afinal, não queria parecer frágil perante seus possíveis companheiros e, no momento, Viola ainda tinha a ideia errônea de que felicidade era sinal de fraqueza, algo que, no fundo, ela esperava que seus novos acompanhantes pudessem curar e fazer com que apreciasse a felicidade como a emoção positiva que é, e não um sinal de fraqueza.

-Foram rápidos, hein? Bom, acho que não temos muito tempo até aqueles mortais nos alcançar, então vamos fazer alguns reparos rápidos na carcaça de vocês, pode ser?

Apesar de utilizar o termo “carcaça”, um sorriso simpático preenchia seu rosto, apenas mais uma das ambiguidades da gigante, nada fora do normal. -Mas antes, melhor a gente ir até algum lugar um pouco mais afastada, talvez aquela praça ali. Considerando o estado que vocês estão, o hospital vai ser provavelmente o primeiro lugar que iram procurar. Sem perceber, a gigante novamente mostraria que apesar de toda sua loucura, sua mente ainda era bem afiada, como alguém que havia se tornado médica com tão pouca idade e que a lógica ainda se escondia nos entre cantos desse abismo abstrato que havia se tornado sua cabeça. Seguiria então na direção da praça, tomando em mãos quaisquer que fosse os suprimentos que os rapazes tivessem trago e iniciaria o procedimento assim que eles chegassem por lá também e, caso ficassem para trás, apenas o tomaria pelas mãos e diria para o restante do grupo. -Vocês ainda conseguem caminhar por si só, certo? Venham, eu levo ele. Utilizando de seus conhecimentos em primeiros socorros, trataria primeiro do que fosse mais grave e que pudesse tratar sem precisar gastar muito tempo. Começaria por Joe, analisando seu corpo através da anatomia e, após perceber os pontos mais graves, prosseguiria com o tratamento, pedindo para o loiro que emprestasse seu cigarro, pois precisaria dele para parte do tratamento. Caso, por algum motivo, ele se recusasse a lhe dar o item, apenas fitaria em sua direção com um olhar tão severo quanto o inverno russo. -Eu devolvo quando acabar, mortal. Não se preocupe… Costuraria onde precisasse com seus conhecimentos de cirurgia, usando o auxílio do isqueiro para ajudar a fechar a ferida junto ao álcool caso tivesse algum em meio aos suprimentos que os dois trouxeram. Julgou que o mais importante no momento era tratar dos sangramentos excessivos do rapaz, então começaria por eles. Além, claro, de higienizar propriamente os instrumentos antes de começar o procedimento, pois não queria infeccionar o corpo já desgastado do rapaz.

”Tsk. Esse corpo mortal é tão frágil… Bom, pelo menos esse aqui cuida bem do dele, já é algo.

Sem perceber e, claro, apenas pensando nisso, a garota fazia um elogio indireto à fisionomia do lutador. Após fazer o que fosse possível no curto espaço de tempo que tinha com o rapaz, prosseguiria para tratar do loiro, passando pelo mesmo processo, mas notava que um ferimento em sua perna já tinha passado por um breve tratamento, algo que algum militar provavelmente faria como primeiros socorros. -...Você é médico também? Questionaria o loiro, curiosa sobre o tratamento. Todavia, caso por algum motivo os dois não retornassem do hospital após um tempo, colocaria sua cabeça próxima a entrada do local e falaria em tom mais elevado, buscando ecoar pelo local. -Hooooy, mortaaais! Tá tudo bem ai? Porque a demora? e aguardaria pela resposta, mantendo-se atenta a qualquer resposta utilizando-se de sua audição aguçada. Também havia a possibilidade dos marinheiros os alcançarem, se esse fosse o caso e eles já estivessem retornado, responderia -Claro, posso tratar de você, mas precisamos resolver isso aqui primeiro… Vai ser meio complicado te operar e ter que lidar com esses inferiores. Apontando na direção dos marinheiros. Se, ainda, utilizando de sua audição percebesse a chegada dos marinheiros, que provavelmente estaria num contingente considerável e talvez por isso o barulho fosse mais perceptível, e a dupla ainda não tivesse retornado, gritaria na portaria do hospital novamente. -Hey Joe, temos companhia! e ficaria de prontidão esperando o parecer do líder e capitão do bando.

Legenda
-Fala-
”Pensamento”

Histórico:

Viola Altamira, 21 anos, Feminino, 6,1m de altura, pesando 927kg, atualmente em Shells Town - East Blue.

Chicoteador(1) // Bárbaro(1)

Médica (Primeiros Socorros; Diagnose; Cirurgia; Anatomia; Psicologia)

401 For(Levanta até 502kg) ; 0 Dex; 180 Acc; 1 Reflexo; 298 Con; Agilidade 90; Red. Dano 5%

HP 5960
STA 100

Condição atual: Ilesa

Pertences:
$250.000

Perdas:
-X-



Relações:
-X-

Posts: 07 (1 páginas)

Objetivos:
*Conseguir uma arma
*Se encontrar com todos
*Aprender proficiência Ameaça
*Conseguir suprimentos médicosbagulho caro da porr*
*Tentar não ferir fatalmente alguém do bando
*Resto é estória
Formiga
Ver perfil do usuário
Créditos : 2
FormigaEstagiário
https://www.allbluerpg.com/t766-takeshi-isamune https://www.allbluerpg.com/t768-capitulo-i-o-espetacular-takeshi-isamune
Re: Porradaria, confusão e fuga. [1] Ter Set 14, 2021 9:58 pm




Rua P Sherman, 42 Wallaby Way, Shells.

E vamos de recuperação


Dia 01 || Shells Town - Baixa || Clima: Quente || Manhã
N° de Postagens do Narrador: 10



O exterior do hospital passava a sensação que era um lugar com certos requintes, arquitetura bem trabalhada e a ampla área, engavam a maioria dos clientes que buscavam por auxílio naquela instituição. Por dentro o lugar mostrava a real situação precária que a instituição sofria. Caos, creio que essa seja a melhor definição para situação no interior do hospital, amontoados de doentes em macas pelos corredores, outros estavam no chão em cima de pequenos lençóis velhos. Gemidos e gritos de dor eram algo rotineiro, reclamações de parentes e também de doentes pela espera, fora é claro, o odor fétido das feridas abertas e a iminente necrose de algumas, em resumo, a podridão. Algumas pessoas passavam correndo de um lado para o outro, carregando itens médicos e trajando vestes que indicavam que elas trabalhavam ali.

Em meio a busca, Joe e Boris não demoraram a encontrar por eles mesmos um pequeno cômodo em um dos corredores do lugar, ao entrarem perceberam que a situação beirava o colapso: poucos itens usáveis existiam naquela sala, repleta de caixas vazias e duas “geladeiras”, sendo que uma delas estava quebrada – O que? Saiam daqui! – Uma mulher surgiu subitamente ao lado de Joe, entretanto, foi recepcionada pela espada de Boris, que cortou seu esguio corpo, levando-a ao chão banhada em seu próprio sangue. O loiro após ser indagado pelo seu capitão buscou por itens, conseguindo uma pequena grande lista: 05 “Packs” de Soro Fisiológico 0,9% - 07 Bandagens – 2 Bisturis (01 Estéril e outro não) – Kit com 05 Seringas – 02 Ampolas de Dipirona – 02 Ampolas de Diprospan – 01 Ampola com Morfina – 01 Ampola de Heparina – 01 Seringa com o rótulo “Efedrina” -.

Na saída do lugar deram de cara com um homem forte, careca, que os encarava com um olhar sanguinário. A encarada durou poucos segundos e um sorriso apareceu em seu rosto de orelha a orelha – Ketchupppp – Gargalhou apontando para a mulher caída, era notável que sua mente não estava mais em boas condições. Conseguiram sair sem muitos problemas , o Loiro entregou os itens para gigante que era experiente na costura dos seres vivos, mesmo que em sua concepção a fragilidade dos mortais fosse algo ruim. Enquanto isso do lado de fora a dupla permaneceu em seus ”mundinhos”, Matt buscava identificar possíveis rotas de fuga, particularidades daquela rua onde eles estavam, ele sabia que em algum momento a cavalaria chegaria para cobrar os danos causados pelo grupo. Como dito anteriormente a rua era um imenso corredor, entre alguns estabelecimentos existiam algumas brechas que ele ou Boris conseguiriam passar, Joe teria que forçar e ter um pouco de sorte, por conta da sua musculatura avantajada se tornaria algo problemático.

A praça contava com algumas pessoas, mães e pais com suas respectivas crianças e alguns animais de estimação, como cães. A rota de fuga por ali era simples, um segundo corredor que acabava em uma espécie de área circular, na qual ligava outras ruas. Naquela área circular o comércio era mais vivo, quitandas e barraquinhas com frutas e outros itens que ele só poderia ver quando chegasse mais perto. Era notável a presença de marinheiros, uma única dupla de homens estavam ali parados fazendo a segurança da grande área.

Enquanto tudo isso acontecia com o rapaz de cabelo Rosa, a gigante utilizava todo seu conhecimento, junto com os itens a sua disposição para realizar o melhor tratamento no frágil corpo de Joe. Costurou o rapaz da devida maneira, o mesmo ainda sentiria um incômodo em movimentos bruscos e podia até mesmo abrir todos os pontos novamente, mas, ele não parecia ser um homem que ligaria para coisas simples como essa. Antes que pudessem ter uma real interação, Matt alertava a presença de inimigos, ao fundo do corredor onde ficava localizado o hospital, um grupo de incontáveis marinheiros vinham em disparada na direção dos homens. Mesmo que tentassem ter uma estimativa era difícil saber ao certo a quantidade de pessoas que vinham.



Histórico Geral:
Joe Sins:
Número de POST:10
Dependência: 01/10
Compulsão: 06/10
Dinheiro: 250.000 B$
Ganhos:

  1. Nada por enquanto.


Perdas:

  1. Nada por enquanto.


Boris Skalovski:
Número de POST: 10
Dependência: 03/10
Dinheiro: 100.000 B$
Ganhos:

  1. Maço de Cigarro 07/10 - POST 01
  2. Isqueiro 02/02 - POST 01


Perdas:

  1. 150.000 B$ - Compra do Maço de Cigarro - POST 01


Matthew Carter Williams:
Número de POST: 08
Compulsão: 05/10
Dinheiro: 250.000 B$
Ganhos:

  1. 0 ganhos meu parceiro


Perdas:

  1. Nada por enquanto


Viola Altamira:
Número de POST: 10
Dinheiro: 250.000 B$
Ganhos:

  1. Zero itens


Perdas:

  1. Nada ainda


Legendas:
NPC's Específicos
Velho do Terraço - Aparência


NPC's Aleatórios
Personagens Simples: Atendentes | Garçons | Pessoas encontradas nas Ruas | Vendedores | Moradores | Entre outros.

Integrantes da Marinha
Galera da Mesa

Aparência dos NPC's "Comuns"
Ajin - Aparência
Teresa - Aparência
Homem de Dreads - Aparência
Fortão que arrumou o cabelo - Aparência
Marinheiro Bernardes - Aparência
Nogg

Log de combate e Considerações:

Joe
Ferimentos:

  1. 02 Perfurações no Abdômen - Lado Esquerdo - 01/04 [TRATADO]
  2. Pequenas Escoriações pelo Rosto - 02/02 [CURADO]
  3. Escoriações e Hematomas pelo corpo - 03/04 (Devido a queda da Taberna)
  4. Perfuração na Região da Clavícula Esquerda - 01/04 [TRATADO]
  5. Corte Mediano na Testa (Vertical) - 01/03 [TRATADO]
  6. Escoriações - Hematomas - Cortes/Perfurações superficiais pelo corpo - 02/05


Considerações:
TA remendado

Danos

    -


HP Atual: 4.223

Boris
Ferimentos:

  1. Perfuração na Coxa Direita - 04/05 [TRATADO]
  2. Escoriações e Hematomas pelo corpo - 04/04 (Devido a queda da Taberna) [CURADO]
  3. Corte na Testa (Horizontal) - 01/03 [TRATADO]


Considerações:
-

Matthew
Ferimentos:

  1. Escoriações no Rosto 02/02 [CURADO]


Considerações:
-


Viola
Ferimentos:

  1. Ferimento simples na testa, tá sangrando de leves. Nada que importe para uma Deusa - 01/01 [CURADO]



_________________

Certificurso:
Curso Narrador AB, 2021
Porradaria, confusão e fuga. [1] - Página 5 EBEAdF4X4AYyK13[/center]
Magma
Ver perfil do usuário
Imagem : Porradaria, confusão e fuga. [1] - Página 5 Q4frd31
Créditos : 00
MagmaCivil
https://www.allbluerpg.com/t622-joe-sins#3874 https://www.allbluerpg.com/
Re: Porradaria, confusão e fuga. [1] Sab Set 18, 2021 6:04 pm
Hot Blood





Obrigado pelo tratamento. — Assentiria na direção de Viola.

Esticaria os braços devagar e alongaria o corpo vagarosamente enquanto se esforçava para ouvir a horda de marinheiros que se aproximava.

As pontadas de dor provenientes de seus ferimentos ainda existiam, porém um pouco mais leves do que antes, isso o permitia respirar tranquilamente por aquelas meias respirações na qual ele relaxou.

Depois de estalar os dedos das duas mãos ele se ergueria e alongaria as costas, recolocaria as roupas caso alguma tivesse sido retirada para o tratamento de Viola e seus olhos se deslocariam pelos membros do grupos.

Eu ainda não estou com todo o gás, mas eu lhes garanto que, quando eu voltar ao meu estado máximo, ninguém irá me parar nesta ilha. — Um sorriso selvagem sombrio se abriu de orelha a orelha e a postura de Joe se inflaria conforme ele dava um giro de trezentos e sessenta graus, observaria os arredores como um verdadeiro gorila chefe e avaliaria as rotas de fuga antes disponíveis.

Mas agora eu realmente preciso me recuperar antes de enfrentarmos esse probleminha. — Balbuciaria, os olhos cruzariam o ar e ele olharia na direção do caminho mais aberto que ia em direção aos comércios.

É melhor nós irmos não acham? essa confusão não vai acabar tão cedo, o que é ótimo, porque assim que eu me recuperar voltamos para finalizarmos isso. — O sorriso permanecia em seu rosto conforme ele entreolhava sua futura tripulação.

Além do sentimento de fome que nascia vagarosamente e começava a tomar conta de seu estômago ele ainda tinha alguns pontos que o deixavam confuso na sua cabeça, tais como aquele grupo que ele tivera enfrentado antes que parecia também uma tripulação pirata na sua própria concepção, e aquela figura velha que surgiu no confronto com o marinheiro maluco.

Ambos misteriosos e duas figuras que chamaram a atenção de Sins, que devido a situação em que se encontrava não foi capaz de se focar em caçá-los, afinal estava constantemente descendo o cacete em quem estivesse ao seu redor.

Agora ele tinha uma curta respiração de tempo para conseguir formular alguma coisa sobre eles na sua cabeça, mas ainda era pouco tempo, ele daria um passo na direção dos comércios e diria.

Vamos lá? assim que a poeira baixar podemos parar e conversar um pouco, eu também quero falar com vocês sobre uma coisa que me incomodou antes. — A expressão se fecharia aos poucos e ficaria séria no curto espaço da frase, os olhos novamente se voltariam para a direção de onde eles teriam chegado e Joe apertaria os lábios e se viraria.

Corram. — Avançaria na direção dos comércios depois de fazer um sinal com a mão para eles, e não se esqueceria de carregar Boris consigo se ele ainda não conseguisse andar.

To be Continued.



Joe Sins
PDV:4223 (:wing:)
STA:40

Vício:01/10
Compulsão:00/10

Posts:11
Surrados:13.


Ganhos:
02 Perfurações no Abdômen - Lado Esquerdo - 01/04 [TRATADO]
Escoriações e Hematomas pelo corpo - 03/04 (Devido a queda da Taberna)
Perfuração na Região da Clavícula Esquerda - 01/04 [TRATADO]
Corte Mediano na Testa (Vertical) - 01/03 [TRATADO]
Escoriações - Hematomas - Cortes/Perfurações superficiais pelo corpo - 02/05

Perdas:
Pequenas Escoriações pelo Rosto - 02/02 [CURADO]

OBJETIVOS:
1. Ser foda.
2. Conhecer o Boris
3. NPC ACOMPANHANTE.
4. Brigar no Bar, porque eu quero.
5. Arrumar mais confusão enquanto a rapaziada chega.
6. Conhecer o resto da futura tripulação.
7. Descer o cacete em uns almofadinhas de um dojo aew.
8. Fugir depois de descer o cacete neles.
9. Pegar um barco "emprestado" pra ralar peito.
10. Despistar a marinha de um jeito doido.
11. Ir pra Loguetown pra descer o cacete em mais gente.
Van
Ver perfil do usuário
Imagem : Porradaria, confusão e fuga. [1] - Página 5 Q4frd31
Créditos : 00
VanCivil
https://www.allbluerpg.com/t641-boris-skalovski#4055 https://www.allbluerpg.com/t623-porradaria-confusao-e-fuga-1#4138
Re: Porradaria, confusão e fuga. [1] Dom Set 19, 2021 4:35 pm

Run

A aventura passava pelo momento de transição pós-climax onde precisavam se reestabelecer antes de passar por uma nova escalada de problemas. Não chegava a ser a calmaria antes da tempestade, porém, a monotonia era equivalente. Boris tinha seu próprio entendimento quanto à fuga, onde a evitava ao máximo. Fugir bagunçava a roupa e o fazia suar, o que também era incômodo. Lutar era mais empolgante, gerava picos de adrenalina além de resolver a situação mais rápido, dando-lhe tempo para se recuperar e é claro, ficar arrumado. Era a vantagem natural do preguiçoso, a capacidade de encontrar uma maneira mais rápida e eficiente de executar algo visando sobrar tempo para poder ficar sem fazer nada.

Confiarei em Sins… Mesmo um mar violento possui correntes serenas.

Lembrou de algumas aulas sobre navegação, mas sentia falta de alguns conhecimentos para ser um navegador mais completo. Entender o tipo de terreno e a melhor maneira de usá-los era fundamental para o sucesso em suas navegações. Por hora, seguiria o capitão e os companheiros por terrenos terrestres imprevisíveis. Não estava familiarizado com a ilha e cada esquina era uma nova surpresa. Contudo, a fé inabalável em seu líder era a determinação necessária para desbravar os territórios sem a menor hesitação.

Vamos lá...

Por uma questão de organização natural do espadachim, posicionou-se ao lado de Joe para repassar possíveis ordens e ajudá-lo caso precise de um ombro muleta. Sua postura, no entanto, não era a de um servo e sim de alguém confiante e respeitável, um igual. Não envergonhou o moreno deixando claro sua ajuda, mas era importante estar lá para causar uma sensação de segurança no wrestler.

"você pode não precisar, mas saiba que estou aqui!"

Diria com um olhar seguido de um aceno positivo com a cabeça. Uma rápida troca de informações sem o uso de uma única palavra sequer. Por fim, acompanharia os companheiros observando o seu redor com bastante atenção, sempre pronto para reagir e proteger seus companheiros quando preciso. No momento, ele era a arma de ataque do bando pois Joe precisava de algum tempo após o tratamento médico e Skalovski forneceria o Maximo de tempo possível ao seu capitão, mesmo que o preço seja sua própria vida.

Na hipótese de surgir algum ataque externo, pegaria a bainha da katana com a mão destra e a apertaria com força, facilitando a remoção e ataque seguinte. Utilizar-la-ia também como bloqueio de projéteis e outros ataques físicos colocando-se na frente do grupo como um verdadeiro guardião. Se encontrasse brechas, atacaria com cortes diagonais simples,contudo, o foco absoluto seria a proteção dos nakamas!
Boris Skalovsk:
PDV:2800
STA:100

Posts:11

Ganhos: Maço de cigarros (02/10)

Perdas: 150k (cigarro)

OBJETIVOS: Encontrar Joe Sins
Encontrar Silent
Encontrar Mizzu
Encontrar Vini

Aprender Geografia
Aprender profissão Navegador
Aprender Psicologia
Ter um NPC acompanhante

Matthew
Ver perfil do usuário
Imagem : Porradaria, confusão e fuga. [1] - Página 5 120x120
Créditos : 05
MatthewCivil
https://www.allbluerpg.com/t649-matthew-c-williams#4163 https://www.allbluerpg.com/t623-porradaria-confusao-e-fuga-1#4353
Re: Porradaria, confusão e fuga. [1] Seg Set 20, 2021 4:48 pm

A ronda de Matthew havia fornecido à ele um bom panorama de onde poderiam fugir. Além disso, avistar aquelas crianças com seus pais na praça trouxeram ao rapaz as memórias que tinha de seus pais “Eu serei livre, honrarei vocês. Podem ter certeza disso!”. Pensava, enquanto olhava para os céus, imaginando a lembrança que tinha de seus falecidos progenitores. Sua vida desde então havia se tornado um caos, mas também uma forma de se tornar mais forte e prevalecer sobre os demais. Ainda que sua reação e sua vontade fossem de sempre lutar, o jovem sabia que se aquela horda de marinheiros viesse contra eles e o cercassem ali, naquele corredor estreito, a emboscada seria fatal para eles. Tão logo terminou o reconhecimento do local, pode ouvir e presenciar os seus perseguidores chegando. Instintivamente tratou de avisar Joe e os demais.

Tinham que sair dali depressa. O rapaz havia notado que aparentemente seus companheiros haviam sido tratados, mas ainda não estavam em condições de lutar no auge de suas forças. A estratégia de antes, da gigante ter pego eles e ajeitado entre seu busto e em seu ombro, talvez agora fosse uma boa também, afinal, seus passos eram enormes. Enfim, Matthew iria conversar com Viola. – Eae, não rola a carona de novo não? – Diria, apresentando de novo um sorriso bem espontâneo.

Caso ela decidisse que os levaria de novo em seu corpo, o jovem de cabelos rosa apenas se certificaria de manter sua visão voltada para os marinheiros que os perseguiam. Evitaria que, se alguém fosse maluco o suficiente de tentar uma investida contra a retaguarda da gigante, ela fosse atacada sem estar ciente. Para isso, estar de novo em seu ombro seria o melhor lugar para fazer essa vigilância. Enfim, se nada acontecesse e notasse que haviam deixado os marinheiros para trás, Matt relaxaria. "Se a gente continuar nessa ilha vai ser ser difícil ficarmos tranquilos. Precisamos de um barco!". Embora estivesse apenas pensando, Matthew buscaria formar um plano melhor antes de comentar aos demais, afinal, precisariam de um barco que abrigasse Viola, o que não seria fácil de arrumar - muito menos de roubar.

Entretanto, se decidissem que todos seguiriam a pé, Matthew buscaria se manter entre Joe e o mais avançado dos marinheiros. Defender o moreno de um ataque surpresa seria a principal preocupação de Matthew, caso não conseguissem despistar os marinheiros. Faria isso não apenas como a retribuição de um favor, mas também como prova de sua lealdade. Além disso, se os dois marinheiros que faziam patrulha na praça tentassem os impedi-lo, Matthew sequer hesitaria em avançar furiosamente contra eles. Buscaria deixa-los no chão com uma investida, mas sem finalizá-los, afinal, poderia ficar para trás ou atrasar seus amigos. – Move bitch, get out the way! – Bradaria, caso conseguisse derrubar os dois marinheiros da praça, se necessário, enquanto buscaria se desvencilhar deles e voltar para perto de seus companheiros no auge de sua velocidade.


Matthew:
PDV:4200
STA:100

Posts:09

Ganhos:

Perdas:

OBJETIVOS: - Conhecer a galera do bando;
- Aprender a proficiência Arquitetura.
- Aprender a proficiência Forja.
- Conseguir/comprar/arranjar algumas ferramentas úteis, algo como uma caixa de ferramentas (martelo, serrote, pregos, cordas, trenas e afins).
- Se possível, conseguir uma soqueira através de meios ilícitos.
- O resto é "Porradaria, confusão e fuga".

Silent
Ver perfil do usuário
Imagem : Porradaria, confusão e fuga. [1] - Página 5 Q4frd31
Créditos : 00
SilentCivil
https://www.allbluerpg.com/t669-viola-altamira#4474 https://www.allbluerpg.com/
Re: Porradaria, confusão e fuga. [1] Qua Set 22, 2021 7:08 pm


A lot




A gigante expirava ar de forma chateada. Não ligava para confusão, mas também queria aproveitar seus momentos de paz. Considerando o grupo com qual havia se afiliado, aquela parecia ser a maior das utopias… Cada um ali parecia ser um imã gigantesco para confusão, ela inclusa. Levantar-se-ia, ficando atrás do grupo ao perceber que os outros dois se colocavam de forma a proteger Joe, logo, se eles protegeriam Joe, ela ficaria responsável por proteger todos, sendo um escudo de carne ambulante. Antes de começar sua marcha, porém, checaria as solas de seus sapatos por um breve momento. -Será que pisei num formigueiro humano e não vi? Santo Eu, nunca vi tanto inseto junto, parece até que sou doce, tsk… Certificando-se de que não havia nenhuma “formiga” grudada em sua sola (leia-se humano/mortal) ela era questionada sobre o método anterior de transporte, mas dessa vez resolvia deixar cada um caminhar por si mesmo, não por incômodo, mas mesmo sem perceber, lentamente, algo crescia dentro dela, um sentimento de cuidado para com aqueles quase conhecidos, algo que a fazia… Querer cuidar deles. Sendo assim, achou melhor que todos caminhassem, pois seria mais fácil para ela mantê-los seguro assim do que se tivesse carregando os rapazes. -Acho melhor irmos andando dessa vez, Matthew. Não quero ver aquele ali sangrando no meu peito de novo, já foi nojento o suficiente da primeira vez. Claro, ela até podia pensar que era para protegê-los, mas dificilmente falaria isso para eles, um orgulho bobo que persistia em seu ser e não a deixava se colocar em pé de igualdade com outros, mesmo aqueles que abertamente aceitaram ajudá-la.

”Me pergunto se mãe também sentia isso… Ela nunca me disse o que quanto era quista, mas sempre senti isso por meio de suas ações… Talvez isso que seja ser o progenitor de alguém? Fazer algo sem esperar nada em troca, apenas almejando o melhor para o futuro de alguém que não é você… Ugh. Melhor parar de pensar nisso, ta me dando enjôo só de pensar que colocaria alguém a frente de mim mesma. Tsk. Como se existisse alguém importante assim nesse plano…

Conflitante, a gigante seguiria o grupo após sua autoanálise inesperada, se colocando atrás de todos para que qualquer possível disparo ou ataque atingisse ela primeiro e não o resto do grupo. Inconscientemente ela já zelava pelo bando, só não havia percebido isso. -Continuem, não importa o que aconteça, deixa que eu seguro o que quer que esses inferiores tentem fazer pelas costas. Você, humano… Me disse ter a grandeza de ser algo maior que um rei, então me prove. Um rei não para por nada, algo maior que um rei… Bem, faz de tudo e todos sua vontade. Hihihi. Finalizaria sua fala com um comentário para Joe, indicando de forma indireta e do jeito Viola de falar que iria ajudar o rapaz a realizar seu sonho, seja ele qual fosse. Caso fosse efetuado alguma ofensiva contra o grupo, colocar-se-ia na direção do projétil, soco, ou seja lá o que fosse que viesse direcionado a eles, não faria nenhum movimento exuberante, até porque não era nenhuma artista marcial, apenas colocaria seu corpo em frente ao golpe, utilizando seu corpo como um muro de carne para amortecer o golpe ou parar completamente o golpe.

Legenda
-Fala-
”Pensamento”

Histórico:

Viola Altamira, 21 anos, Feminino, 6,1m de altura, pesando 927kg, atualmente em Shells Town - East Blue.

Chicoteador(1) // Bárbaro(1)

Médica (Primeiros Socorros; Diagnose; Cirurgia; Anatomia; Psicologia)

401 For(Levanta até 502kg) ; 0 Dex; 180 Acc; 1 Reflexo; 298 Con; Agilidade 90; Red. Dano 5%

HP 5960
STA 100

Condição atual: Ilesa

Pertences:
$250.000

Perdas:
-X-



Relações:
-X-

Posts: 08 (1 páginas)

Objetivos:
*Conseguir uma arma
*Se encontrar com todos
*Aprender proficiência Ameaça
*Conseguir suprimentos médicosbagulho caro da porr*
*Tentar não ferir fatalmente alguém do bando
*Resto é estória