Tópicos Recentes
Destaques
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Últimos assuntos
I - Desventuras em SirarossaHoje à(s) 3:13 pmpor  Formiga[TUTORIAL] - ONIHoje à(s) 2:45 pmpor  OniOs Monarcas - I Efeito BorboletaHoje à(s) 2:25 pmpor  O TaverneiroMazushi: Por um punhado de berriesHoje à(s) 11:02 ampor  2MiausDesventura na Terra dos Sonhos - Grupo 8Hoje à(s) 9:55 ampor  ripperI - Florescer improvávelHoje à(s) 8:02 ampor  VrowkCapítulo 1 - Dois homens e meio.Hoje à(s) 1:00 ampor  gmasterXLivro I - A CaminhadaHoje à(s) 12:38 ampor  Faktor1º Chapter - Wild HuntOntem à(s) 11:28 pmpor  HollydayRango[Tutorial] VanOntem à(s) 11:25 pmpor  Van
 :: Oceanos :: Blues :: East Blue :: Dawn
Página 2 de 8 Página 2 de 8 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8  Seguinte
Kenshin
Ver perfil do usuário
Imagem : 1° - Caminhos entrelaçados, o alvorecer da aventura! - Página 2 XqxMi0y
Créditos : 10
KenshinDesenvolvedor
https://www.allbluerpg.com/t360-agatha-harkness https://www.allbluerpg.com/t386-prologo-frenesi-da-raposa#1165
Relembrando a primeira mensagem :

1° - Caminhos entrelaçados, o alvorecer da aventura!

Aqui ocorrerá a aventura dos(as) Civis Diego Kaminari , Chloe Kaminari , Mané , Kuro Tempest e SIlver D Saru. A qual não possui narrador definido.

_________________

1° - Caminhos entrelaçados, o alvorecer da aventura! - Página 2 J09J2lK

ripper
Ver perfil do usuário
Imagem : 1° - Caminhos entrelaçados, o alvorecer da aventura! - Página 2 Mugen-samurai-champloo-gif-9
Créditos : 05
ripperCivil
https://www.allbluerpg.com/t334-mane#985 https://www.allbluerpg.com/t399-1-caminhos-entrelacados-o-alvorecer-da-aventura
Em nome do Pai, do Filho e... LARGA ISSO AÍ MEIA-NOITE!




A minha entrada triunfal havia sido um sucesso. Você precisava que ver a reação daquelas moças com vestidos sem graça, começaram a correr e gritar, mas não ouse julgá-las! Afinal, não é qualquer um que consegue contar a emoção diante de uma manifestação artística tão diferenciada, MAAAAAAAAAAAAAAAAAAHAHAHA!

Eu gostei das primeiras palavras daquele homem de vestido, me lembrou El Jefe, era assim mesmo que ele falava de mim!

Ahn?! Igreja Real?! — eu ainda tentava reconhecer aquele palco, é óbvio que eu já havia ouvido falar de igrejas e que eles adoram alguma coisa que ninguém nunca tocou ou viu, mas não fazia ideia de como elas poderiam ser por dentro, eu achei feio.

Eu não ten... — Parecia que aquele homem não havia entendido o meu objetivo, mas antes que eu pudesse me justificar, fui interrompido pelos seus gestos seguidos de algumas palavras.

Nada ali havia me incomodado até então, até porque a minha estreia havia agradado algumas pessoas, mas me chamar de rato foi demais. Dentro de mim surgiu uma raiva que eu não sentia há algum tempo, certamente um observador mais atento poderia ver uma veia ou duas surgindo na minha testa, ele se arrependeria.

Servicinho, heim? Fale mais... — enquanto o homem falasse, eu iria novamente até o barril, chamando Meia-noite para se juntar a mim, com sinais sutis, mas não sutis o suficiente para que o homem não visse, mas sim para manter o silêncio pedido. Mergulhando metade corpo dentro do barril na companhia do meu amigo, chafurdaria rapidamente as frutas que ali dentro ainda sobravam, buscando uma com um cheiro “especial” que quase havia atrapalhado meu sono. Um caqui pra lá de podre, entregava na pequena mão do Meia, o macaco era esperto, ele não iria comer aquilo, mas certamente iria segurar — Sabe como é quando bate a fome, num é, chefe? Meia, fica aqui em cima quietinho pra não prejudicar o Reverendo — um dos fundamentos do ilusionismo era manter o público focado naquilo que não era importante — Macaco esperto, num é mesmo? — terminava, com um sorriso amarelado em direção ao homem.

Agora voltando a ficar completamente fora do barril, daria pequenos passos pela sala, como se examinasse os detalhes daquela construção, buscando lugares onde possivelmente eu poderia deixar minha veia acrobática fluir. Meus passos também buscariam a circular o tal do “Reverendo”, ficando relativamente próximo dele e colocando ele entre mim e o Meia, que provavelmente ainda estaria em cima do barril, assim, quando estivesse perto o suficiente e uma posição favorável, falaria com o meu companheiro.

JOGA MEIA!! — provavelmente Meia-noite jogaria aquele caqui podre na minha direção, como já fizemos tantas vezes em outras ocasiões com objetos diferentes. Só que agora o homem se encontrava entre nós e o caqui iria em sua direção ou pelo menos perto dele. Meu objetivo com isso era focar atenção do Reverendo para o caqui podre vindo em sua direção, com a distração criada estava na hora do “gran finale”, eu me abaixaria, buscando a barra do vestido, agarrando-a, jogaria para cima toda aquela massa de tecido pesado que ele portava, MAAAAAAAHAHAHA! Quando o tecido passasse da altura de sua cabeça, giraria o mesmo com toda a força que eu pudesse e então...

VAMOS MEIA! — Sairia correndo pela porta a toda velocidade, buscando alguma opção de fuga daquele lugar medonho, mas antes que eu saísse completamente do conhecimento do padre, diria, de forma trinfual:

RATO É O CARALHO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!


fala - #00FF00





Proeficiências/Qualidades utilizadas:


● Destemido
● Ilusionismo
● Adestramento

CONTROLE:

● HP:140/140
● STA: 100/100
● Postagens: 002
● Páginas:001
● Ganhos: N/A
● Perdas:N/A


Última edição por ripper em Dom Maio 16, 2021 4:43 pm, editado 1 vez(es)

_________________

1° - Caminhos entrelaçados, o alvorecer da aventura! - Página 2 Daco_110
Saru
Ver perfil do usuário
Imagem : 1° - Caminhos entrelaçados, o alvorecer da aventura! - Página 2 120x120
Créditos : 00

No mesmo segundo que eu entrava no bar, eu seria recebido por uma festa, eu assobiava de supresa apos ver a festa toda e o animo, eu gostava de uma boa festa e parece que teria vindo ao lugar certo.
-Uauu parece que cheguei no momento certo
Um homem com dreads gritaria para eu festejar com eles e falaria sobre uma parede vermelha.
-Ahh sim bom estou todo de ouvidos.Dizia meio curioso.
Ia caminhando ate ao homem dos dreds mas ouvia uma voz feminina, assim olhava para ela meus olhos descaiam pelo seu cabelo ate ao peito.
-Oi lindaa, bem vindaa eu.Passeava com os meus olhos pelos cabelos vermelhos dela enquanto sorria pra ela.
Um homem magro se aproximava, eu sentia um cheiro de sake ela falava de viagem e se era servido eu olharia para ele e sorria.
-Servido... me serve um pouco desse sake, comida e das suas historias e eu terei um prazer enorme em FESTEJARRRRRRR. Levantava os braços para eles com animo.
Olharia para a ruiva e piscava o olho -Podemos festejar os dois depois tambem. Falava baixo para ela, enquanto todo mundo fazia a festa.


Histórico:
● Postagens: 002
● Pagina:001
● Ganhos: N/A
● Perdas:N/A
● NPC: N/A
● Player Conhecido: N/A
Objetivos:

● Conhecer Novas pessoas ( bando)
● Aprender Proficiência Criptografia
● Aprender Proficiência Acrobacia
● Arrumar um barco e sair para o Mar
Subaé
Ver perfil do usuário
Imagem : Cabra da Peste
Créditos : 02
SubaéCriador de Conteúdo
https://www.allbluerpg.com/t354-subae?highlight=subaé https://www.allbluerpg.com/t348-cabras-da-peste-vol-1-amanhecer-do-sul#1033

Narração, Post 2


Vila Foosha:

Chloe


Quando a mulher interveio na discussão acalorada a conversa parou.
Os dois homens se calaram e olharam para Chloe com cara de quem não quer ser incomodado.

-Ninguém pediu a sua opinião, não se meta!
-Ninguém pediu a sua opinião, não se meta!

A resposta ressoou como um coro ensaiado quando os dois responderam ao mesmo tempo, mas mudaram a postura severa assim que ouviram a real intenção da garota.

-Oh querida, por que não falou de uma vez! Meu nome é Stan Kinshi, prazer! O meu pai tem uma loja de armas logo aqui perto.

-Isso mesmo, as armas que o pai dele vende são as melhores! Pode me chamar de Acerola, Prazer

Ambos falavam com voz meiga enquanto sorrisos pretensiosos estampavam suas faces.

-Tenho certeza que com a sua ajuda nós podemos encontrar uma solução para esse impasse onde todos saiam ganhando. - Acerola falou.  

-Isso ai, vamos lá pro bar da Ana discutir melhor essa ideia. - Propôs Stan.

Os rapazes adentraram a rua principal enquanto guiavam Choe para o bar da Ana.

-Ei lindeza, você que vai pagar a bebida né?




Kuro


Kuro levou as espadas que mais gostou até o vendedor e perguntou-lhe os preços.
O homem pegou as quatro espadas e as avaliou rapidamente, uma por uma.
separou as duas de qualidade inferior e as colocou acima do balcão.

-Olha, essas duas que estão mais gastas custam 125.000 ฿ cada, mas eu estou vendo que você vai comprar mais de uma, nesse caso posso te fazer as duas por 240.000 ฿. - Em seguida, o homem colocou as outras duas espadas no balcão

- já essas duas são espadas de uma qualidade muito superior! Foi o meu pai, o ferreiro Takeru Kinshi, que as forjou muito tempo atrás, e o nome delas são Higari segunda, e Kinshitak terceira. - O homem interrompeu a fala para tossir - Cada uma custa 250.000 ฿. E ai vai querer quais?

Kuro tem diante de si quatro espadas para escolher.
De acordo com o seu orçamento, ele pode aproveitar a promoção e comprar as duas espadas gastas ou uma das espadas forjadas por Takeru Kinshi.
Ou quem sabe ele use de sua criatividade para conseguir as duas espadas que deseja.




Saru


Dão demorou muito até que Saru estivesse se divertindo entre os marujos que festejavam em cantoria.

Song:


Yohohoho, yohohoho
Yohohoho, yohohoho
Yohohoho, yohohoho
Yohohoho, yohohoho

Sempre levo junto a mim
O sake de um tal de Bink,
Navegando, sem temer, as ondas desse mar.
Se a tristeza nos pegar e o sake se acabar,
Olhe pro céu e veja aquela lua de cristal!

Se a festa chegar ao fim, vou então me despedir
Com o peito apertado por te ver partir.
Mas se então você ficar, juntos nós vamos cantar
Festejando e velejando por todo esse mar!

Yohohoho, yohohoho
Yohohoho, yohohoho
Yohohoho, yohohoho
Yohohoho, yohohoho


Aquela altura Saru já estava se engraçando com a mulher de cabelos cor de fogo e decote quente.

-Os seus óculos de dormir são tão bonitinhos, eu acho que quero um pra mim também!- Dizia a mulher, sentada em seu colo, enquanto fazia-lhe um cafuné.

De repente a porta se abriu e Saru viu dois homens e uma garota adentrarem no movimentado bar e sentarem na mesa ao lado.

-Eita que hoje tá animado aqui… ANA TRAZ UMA GARRAFA DE SAKE E TRÊS COPOS!!

Os rapazes  da mesa ao lado conversavam tão alto que Saru não pôde deixar de ouvir.

-Isso mesmo mocinha, você me entrega o dinheiro e aí o Stan vai buscar a sua arma. A gente espera ele aqui.

-Isso mesmo, pode confiar! só me diga qual tipo de arma você quer.





Terminal cinza:

Diego


Diego perguntou se os bandidos não tinham vergonha de atacá-lo daquela forma covarde, mas a  resposta foi simples e direta.

-Quem está na miséria não tem o luxo de pensar em coisas como honra.

Dito isso o homem sibilou um rápido assobio que marcou o início do ataque dos vagabundos.

Todos os quatro foram pra cima de Diego ao mesmo tempo enquanto corriam e gritavam como loucos, reproduziam um velho truque usado pelos bandidos para amedrontar as vítimas.
Aproximaram-se do espadachim, que em sua defesa girou o próprio corpo realizando um corte circular de 360 graus.

Um dos bandidos pulou e conseguiu desviar do corte, outro conseguiu recuar antes de se fuder e o tde dentes podres se jogou no chão e escorregou direto nas pernas de Diego acertando-as com o seu braço, o que fez Diego cair no chão também.
Mas o quarto bandido não conseguiu ser tão sagaz como o seus companheiros e o resultado disso foi o belo corte que levou no estômago -Che-fe Huddy … não se importe comigo… - Depois disso, o homem não levantou mais.

Diego estava caído no chão, relativamente próximo do chefe que ia mancando em sua direção.
Diego procurou algo que pudesse arremessar no inimigo que se aproximava, enfiou a mão no lixo para arremessar chorume nos olhos do oponente mas o que ele sentiu fez com que a sua espinha gelasse pela primeira vez até então.

De dentro dos sacos de lixo uma baratona surgiu e começou a passear pelo braço do rapaz.





Goa, Cidade Alta:

Mané


O reverendo estava caído de quatro, com a bata sob sua cabeça enquanto a cueca estava à mostra. Enquanto isso, Mané e Meia Noite corriam por um largo corredor iluminado  buscando uma fuga daquele local.
Haviam muitas portas e janelas com belos vitrais, ao observar um pouco mais atentamente pelas janelas, Mané percebeu que deveria estar pelo menos no terceiro andar, a uns vinte metros de altura.

-RATO É O CARALHO! -Aquelas palavras eram a cereja no bolo de humilhação que Mané fez o reverendo comer.

-GUARDAS PRENDAM O INVASOR E O ANIMAL!! EU QUERO UM NAS MASMORRAS E O OUTRO EM UMA GAIOLA!! AGORA!!!!

De um lado do corredor estava a porta do salão onde o Reverendo Sheep está, do outro, a uns três metros de distância havia duas escadas, uma para cima e outra para baixo.

Dois guardas armados apareceram, um veio de cada uma das escadas e agora estavam entre Mané e a fuga.
Atrás de Mané, O reverendo já estava de pé e apenas observava a situação enquanto tentava, enfurecido, acender um charuto.

-Vamos fazer da forma mais fácil… Se renda de uma vez.



Stan Kinshi- Aparência
Acerola- Aparência
Sr. Kinshi(vendedor de armas)- Aparência
Gordo- Aparência
Homem de Dreads- Aparência
Homem sem barba- Aparência
Mulher- Aparência
Chefe Huddy- Aparência
Reverendo Sheep- Aparência
Diego:
-Ganhos:
-Perdas:
-NPC:

Chloe:
-Ganhos:
-Perdas:
-NPC:

Mané:
-Ganhos:
-Perdas:
-NPC: Meia noite (pet)

Saru:
-Ganhos:
-Perdas:
-NPC:

Kuro:
-Ganhos:
-Perdas:
-NPC:
240/240100/10010/1015/15

_________________

ripper
Ver perfil do usuário
Imagem : 1° - Caminhos entrelaçados, o alvorecer da aventura! - Página 2 Mugen-samurai-champloo-gif-9
Créditos : 05
ripperCivil
https://www.allbluerpg.com/t334-mane#985 https://www.allbluerpg.com/t399-1-caminhos-entrelacados-o-alvorecer-da-aventura
Uma pirueta, duas piruetas, bravo! Bravo!




MAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAHAHA!

O homem do vestido já não sabia mais aonde estava. Igreja? Serviçozinho? Uma ova! Virei o mundinho dele de cabeça pra baixo, foi um espetáculo! Mas como show não podia parar e ainda estava dentro daquela construção horrenda, não tive tempo de me deliciar.

No final do corredor, dois brutamontes colocavam-se entre mim e a saída. Que ironia, a minha liberdade era ameaçada por aqueles sem ela. Enfim, a distância era boa não foi muito difícil decidir o que fazer. Dispararia em velocidade máxima na direção dos guarda e, logo após os primeiros passos, daria uma rondada*, afim de ganhar mais velocidade naquela curta distância e, quando julgasse estar próximo o suficiente dos guardas, passaria por cima deles, dando um belo mortal, em um movimento de pernas esticadas para cima e corpo estendido. Durante o movimento, quando estivesse passando por cima dos que me ameaçavam, mostraria o dedo médio para o Reverendo, que tinha o privilégio de observar a minha manobra única.

Valeu aê, seus otários! — diria ao pousar.

Em seguida, buscaria ir em direção ao andar de baixo, ainda mantendo a minha velocidade e utilizando-se de minhas habilidades acrobáticas para descer com mais facilidade os degraus. Meu objetivo no próximo andar, seria observar mais atentamente os vitrais, do lado de fora haveria algum tipo de parapeito ou estrutura em que eu poderia me apoiar para pular diretamente para fora da construção? Também levaria a minha atenção a outros elementos do ambiente que pudessem facilitar as minhas futuras manobras.



fala - #00FF00




Rondada:

Rondada é um movimento similar a "estrelinha", só que neste as duas mãos atingem o solo ao mesmo tempo e o movimento continua com os dois pés juntos também encostando o solo.

1° - Caminhos entrelaçados, o alvorecer da aventura! - Página 2 Rondada+1
Proeficiências/Qualidades utilizadas:


● Acrobacia
● Precisão Temporal
● Destemido

CONTROLE:

● HP:140/140
● STA: 100/100
● Postagens: 003
● Páginas:001
● Ganhos: N/A
● Perdas:N/A
Meia-noite:


Animal: Macaco — Macaco-prego
Altura: 50cm
Peso: 3kg
Porte: Pequeno
Raridade: Comum
Aparência: Meia-noite não ganhou seu nome atoa, o macaco possui a pelugem preta como a noite, o único local que foge disso, é a barriga de Meia-noite, que possui uma coloração branca em formato de círculo.
Personalidade: Meia-noite possui um instinto de sobrevivência muito grande, por várias vezes sua vida esteve ameaçada e ele se saiu bem da situação, de forma até inexplicáveis. Por conta disso, ele não confia facilmente em qualquer humano, tirando Mané. Apenas com o seu companheiro que ele se solta completamente, fazendo brincadeiras e carinhos, não que seja impossível, Meia-noite poderia interagir com outras pessoa depois que criasse certa confiança.

Agora, se ele não gostar de alguém, ele certamente irá pensar em uma traquinagem para atrapalhar o indivíduo, com a sua mobilidade assustadora, ele consegue passar até pelos olhos mais atentos. É extremamente apaixonado por manga e talvez essa seja a única coisa que possa tirar a concentração do pequeno macaco.

Meia-noite não aceitaria ser ameaçado por qualquer um, apesar de pequeno, o macaco pode ser muito perigoso se a situação requisitar.
Atributos: Destreza, Acerto e Reflexo


Última edição por ripper em Dom Maio 16, 2021 4:44 pm, editado 1 vez(es)

_________________

1° - Caminhos entrelaçados, o alvorecer da aventura! - Página 2 Daco_110
Diego Kaminari
Ver perfil do usuário
Imagem : 1° - Caminhos entrelaçados, o alvorecer da aventura! - Página 2 Dante-gif-11
Créditos : 00
Localização : Rio de Janeiro
Diego KaminariEstagiário
https://www.allbluerpg.com/t332-diego-kaminari https://www.allbluerpg.com/t399-1-caminhos-entrelacados-o-alvorecer-da-aventura#1216




Apocalipse


Ao soar da sexta trombeta, as portas do inferno então se abrirão




Ao que tudo indicava aqueles trastes não estavam colaborando para minha cena dramática, vieram todos em simultâneo, e tive que usar meu giro que precisar urgentemente ser aperfeiçoado. Meu ataque apesar do esforço so conseguiu acertar um na barriga que caiu e não mais se levantou, enquanto os demais com seu jeito desengonçado conseguiram escapar, um deles inclusive me derrubou no chão com sua queda. Vamos para o plano “B”, eu enchi minha mão em um saco de lixo para poder jogar nos homens, mas o que encontro… Chloe, será que onde se encontrar, esta preparada para receber? Será que me perdoará por não cumprir todos os objetivos? Existem coisas assustadoras no mundo que mesmo sendo o mais forte homem, não conseguiria enfrentar… Isso seria um som de trombeta? Quem diria que minha primeira jornada seria o fim de toda essa saga chamada vida. O quê? Se estou falando dos bandidos? De maneira alguma! Eles são uns pés rapados, estou falando do verdadeiro inimigo que me espreitava a todo momento, mas fui cego por não ver… Sim, se chamam legião, pois são muitos, o ser mais desprezível de toda criação os domínios caminhantes da terra… As baratas!


Quando senti aqueles seres subindo pelo me braço minha espada imediatamente caiu fincada ao chão e em meu rosto o mais puro desespero. – SAAAAAIII SATAAANAASS!!! – Eu ali pulava tentando tirar do meu corpo o verme que queria me matar, arranquei a camisa para que ela não se escondesse, pois, a barata é implacável. Naquele momento não existiam bandidos, existia apenas inimigos sobre minha pele que eu saltava gritando tentando desesperadamente retirar. Imagino que isso deve ter dado um leve abalo na minha pose de confiante, penso que ninguém nem notou. – TE EXORCIÇO FILHA DA PUTA INFERNAL!


Iria me debater até tirar a barata e com alguma sorte iria acertar acidentalmente alguns dos homens, mas nada que eu planeje, afinal meu foco estar em belzebu andando pelo meu braço. Se conseguisse tirar a mesma de meu corpo, meu foco voltaria a ser os bandidos, no entanto, primeiramente iria tentar recuperar minha espada e se conseguisse tal coisa tentaria novamente atacar meus adversários com golpes visando pontos vitais, qualquer defesa seria de preferência para o movimento que melhor me permitisse um contra-ataque. Caso conseguisse eliminar os inimigos, tentaria novamente fazer o final do plano anterior, caso não recuaria alguns passados visando deixar meus inimigos em uma fronte apenas, para então analisar a situação.



Histórico:

Numero de Posts: 3
Paginas: 0
Ganhos: -x-
Perdas: -x-
NPCs: -x-
Players Conhecidos: -x-





Objetivos
● Conseguir um navio (  )

● Conseguir uma tripulação (  )

● Tornar oficialmente um pirata (  )

● Conseguir dinheiro (  )







_________________


1° - Caminhos entrelaçados, o alvorecer da aventura! - Página 2 4nO1oWY
Kuro Tempest
Ver perfil do usuário
Imagem : 1° - Caminhos entrelaçados, o alvorecer da aventura! - Página 2 L4qXuOc
Créditos : 00
THE
LAST
SPARK OF HOPE
A resposta para o meu questionamento veio instantes após me aproximar do balcão com as quatro armas que haviam me interessado. —‌ Hum, entendi. ‌— De fato ele estava me dando um desconto, mas aquelas não eram as armas que eu queria. —‌ Sinceramente, não eram as que eu gostaria. ‌— Meus olhos passearam pelas outras duas lâminas, vendo o homem tocá-las para então responder-me sobre o preço.

Dava para ver o orgulho que o mais velho sentia apenas ao ouvi-lo falar sobre as armas. —‌ Eh, então! ‌— Senti um leve frio na espinha ao descobrir o valor das duas lâminas, levando a destra até o saco de dinheiro para ver o quanto havia em seu interior. —‌ Pelo que parece tudo o que eu tenho me ajuda a pagar somente uma delas, e eu realmente gostaria das duas. ‌— Minhas palavras pausaram por alguns segundos, a medida que meus olhos se voltaram para o mais velho com um semblante pensativo.

Minha mente estava trabalhando em algo, em uma proposta que ele poderia aceitar para que eu conseguisse levar as duas lâminas mais bem feitas. —‌ Olha, assim como seu pai eu também sou um ferreiro, e sei reconhecer uma ótima arma quando a vejo. Lógico, não sou tão habilidoso quanto ele, mas tenho certeza de que chegarei lá algum dia. ‌— Novamente parei de falar por alguns instantes, tomando mais um pouco de fôlego para então voltar a me pronunciar. —‌ Eu tenho uma proposta. ‌—

O pequeno saco de dinheiro foi posto sobre o balcão, enquanto um pequeno sorriso se abriu em meus lábios ao olhar para o senhor a minha frente. —‌ Eu sei lutar, assim como forjar armas. Minha proposta é a seguinte. Eu posso fazer algo por você, para então receber a segunda espada como pagamento. ‌— Era a única coisa que eu poderia fazer no momento, ou imaginava que seria até então. —‌ Só que assim, eu posso fazer qualquer coisa, desde que não seja ferir alguém por pura vontade. ‌— As mãos se colocaram sobre o balcão, apoiadas em sua quina enquanto aguardava pela nova resposta do mais velho, torcendo para que ele aceitasse a proposta.

Considerações:

Informações:
● Numero de Posts: 3
● Paginas: 0
● Ganhos: -x-
● Perdas: -x-
● NPCs: -x-
● Players Conhecidos: -x-
Itens:
Habilidades:

_________________

1° - Caminhos entrelaçados, o alvorecer da aventura! - Página 2 KTTKkRi

Ficha / Template
Saru
Ver perfil do usuário
Imagem : 1° - Caminhos entrelaçados, o alvorecer da aventura! - Página 2 120x120
Créditos : 00

Eu festejava junto com eles, ouvia eles a cantar alegres enquanto festejavam, o ambiente no bar estaria bem animado e isso seria bom, eles eram bem receptivos pareciam ter algumas histórias interessantes de se ouvir.
-Entao sobre a tal parede vermelha, quero saber um pouco do resto fiquei curioso.
Dizia sorrindo enquanto festejava.
A ruiva estaria no meu colo e a mesma falaria sobre minha mascara se dormir.
Eu ria e passava a mal pelo cabelo dela - Talvez possas arrumar uma de futuro, se quizeres vendar os olhos quem sabe se um dia nao te ajudo isso em privado. Continuaria passando a mao no cabelo para ver o pescoço dela e seu decote melhor.
Enquanto isso alguem teria entrado e falariam bem alto, eu notaria de canto que com eles estaria uma outra mulher que teria cabelo vermelho tambem, eu nao conseguiria notar muito bem seu rosto pois ela estaria com os dois homens eu nao sabia bem o assunto, mas eles falaram alto o bastante para se ouvir, e o que eu entenderia  é que eles poderiam estar a tentar dar algum golpe e ficar com o dinheiro, pois dar o dinheiro e eles irem buscar algo nao seria bem confiavel, mas eu poderia estar errado, mantinha meu olhar na ruiva ao colo enquanto festejava mas discretamente manteria os ouvidos nos dois homens.
-Espero que estejas bem confortavel no meu colo, porque eu certamente estou confortavel com a tua companhia. Dizia para a ruiva ao tentar me meter com ela um pouco enquanto a festa acontecia.


Histórico:
● Postagens: 003
● Pagina:001
● Ganhos: N/A
● Perdas:N/A
● NPC: N/A
● Player Conhecido: N/A
Objetivos:

● Conhecer Novas pessoas ( bando)
● Aprender Proficiência Criptografia
● Aprender Proficiência Acrobacia
● Arrumar um barco e sair para o Mar
Chloe Kaminari
Ver perfil do usuário
Imagem : 1° - Caminhos entrelaçados, o alvorecer da aventura! - Página 2 F29b2a4ab51d43b15553ae13727e9e87
Créditos : 00
Chloe KaminariEstagiário
https://www.allbluerpg.com/t374-chloe-kaminari#1140


3º - Trabalho temporário, problemas a vista ?

Chloe Kaminari


As vezes até mesmo um bisbilhoteiro como eu precisa de um chega para lá sabe, mas definitivamente aquele foi o pior até o momento. O uníssono das vozes masculinas foi deveras atormentador naquele curto segundo “mas você pediu por isso” pode ser o que você está pensando nesse exato momento; talvez tenha sido mesmo, mas a grosseria pode ser controlada as vezes, né?

 Puxa vida… não precisam ser grosseiros, só queria ajudar—Disse baixo em resposta ao macabro uníssono. Entretanto, as posturas haviam mudado da água para o vinho, talvez muito mais rápido do que o milagre da divisão. Observei suas mudanças com calma após o primeiro contato e de quebra aquilo era bem… mais estranho.

Eu teria dito… se vocês tivessem deixado e não me tratado tão mal assim — a tentativa de um biquinho infantil era feita, poucas pessoas poderiam cair naquele joguinho, mas ainda sim, usaria de todo o meu charme para aquilo. Ambos os homens se apresentaram — Eu me chamo Seraphine. — Não, eu não daria meu nome verdadeiro para um estranho em um lugar tomado pela marinha, não sou burra. E talvez a marinha pudesse ter ainda algum registro da época do orfanato e meu nome poderia ser perigoso se aquele registro ainda existisse.

Um dos homens havia dito sobre o bar poucos metros no horizonte que havia observado mais cedo, ou seja, essa tal de Ana era a dona. Talvez alguém que pudesse me dar um dinheiro por trabalho temporário. Até porque não apenas de bebida vivem os homens. Caminhei com os homens tentando buscar qualquer rota que pudesse usar para sair daquele lugar caso desse problema, mas ao menos tentaria agir nos conformes da “lei” do lugar.

O bar parecia mais animado do que o costumeiro, entretanto por alguns segundos meu corpo gelou completamente ao entrar naquela esfera festiva. Um homem de cabelos tão brancos quanto a lua estaria sentado frente ao bar junto a uma ruiva não muito descente que sentava sobre seu colo. Uma prostituta talvez? Ignore ela e volte sua atenção para o homem. Porte atlético, cabelos brancos e pele clara, mas os olhos… Os olhos não batiam. — Não é quem eu procuro… — Pronunciei baixo o suficiente para ninguém daquele lugar ouvir. Segui com os homens para a mesa com um sorriso triste nos lábios, por pouco o destino não havia me pregado uma peça das grandes.

Enquanto os homens falavam, cruzei meus braços por baixo dos seios os elevando um pouco — Então senhores, ai está o problema, eu vim a procura de informações antes de comprar as armas, e eu iria juntamente com o senhor na loja de vosso pai, até porque — Dava uma pequena pausa sorrindo para ambos de forma gentil e sensual —  É muito fácil querer enganar alguém nesse mundo torpe e sujo, certo? Mas tenho certeza que os senhores são homes muito honestos e com isso vamos poder um ajudar o outro.

Procuraria a mulher outrora chamada de Ana e sorria para a mesma — Olha, se precisar de alguém para alimentar essa tropa festiva, podemos conversar apenas nós duas. Eu aprendi um quitute ou outro pelo mar e posso fazer algo para esses estômagos cheios de álcool se deliciarem. Mas é por pouco tempo... e por um preço certo, claro.

Histórico:
● Postagens: 003
● Pagina:001
● Ganhos: N/A
● Perdas:N/A
● NPC: N/A
● Player Conhecido: N/A
Objetivos:

● Encontrar Diego Kaminari
● Encontrar Silver D Saru
● Encontrar Mané
● Encontrar Kuro Tempest
● Aprender Proficiência Pesca
● Aprender Proficiência Anatomia
● Comprar ( Ou furtar) uma segunda corrente
● Conseguir um NPC Acompanhante.
Legendas:
- Fala
- Pensamento



_________________

1° - Caminhos entrelaçados, o alvorecer da aventura! - Página 2 U8TTd9b

Ficha
Subaé
Ver perfil do usuário
Imagem : Cabra da Peste
Créditos : 02
SubaéCriador de Conteúdo
https://www.allbluerpg.com/t354-subae?highlight=subaé https://www.allbluerpg.com/t348-cabras-da-peste-vol-1-amanhecer-do-sul#1033

Narração, Post 3


Goa, Cidade alta

Mané


Conforme Mané corria na direção dos guardas, Meia Noite escondeu-se dentro da camisa do artista e tampou os olhos com medo do combate.

Mas não houve combate algum. Ai invés disso Mané deu uma pirueta, e outra, e quando os guardas perceberam o garoto já estava atrás deles

Meia Lua continuou a ofensa de seu companheiro. Para isso, saiu de dentro da camisa pela gola de Mané e se posicionou em seu ombro para poder fazer um “vá se ferrar”  com os braços.

Desceram as escadas em meio a pulos e mais piruetas deixando o reverendo e os guardas para trás. As escadas eram giratórias, talvez Mane estivesse  descendo por uma das torres da igreja.

Em certo ponto, Mane se deparou com outro corredor. Neste, diferente do anterior não havia nenhuma porta ou rota de escape. Tratava-se de uma varanda interna com vista  para o andar térreo onde havia um culto religioso acontecendo.

A varanda estava cheia de pessoas que usavam trajes religiosos e ostentavam jóias e ouro.
Meia Noite não pareceu gostar muito das pessoas ali presentes e apenas as observou com cara de deboche enquanto gemia em tom de desaprovação.

Perto da varanda, pendurado do teto havia um belo lustre feito de ouro com detalhado com muitos anjos talhados em marfim.

Abaixo da varanda, no primeiro andar, também haviam muitas pessoas que assistiam o culto enquanto murmuravam seus próprios louvores.

Haviam também seis esculturas de cinco metros, encontravam-se enfileiradas nas laterais do altar, três de um lado, três do outro.

Mané se encontra no segundo andar, em uma varanda durante um culto.



Terminal cinza:

Diego


Os homens olhavam toda a cena com muita graça, até mesmo interromperam o ataque para dar uma boa risada da situação. Foi quando um dos capangas falou.

-Olha esse marica, nem parece o cara que acabou de matar o mano Walter hahahahahhahha!

-Esse cara é um idiota! - O capanga mais magricela falou -Olha chefinho, peguei a camiseta e as botas dele! - Murdock se aproveitou da triste situação de Diego e roubou com suas mãos leves os sapatos do rapaz e recolheu a camisa que estava no chão.

-Roupas? Era pra ter roubado a espada dele seu idiota! É ela que vale mais! - O chefe fez cara de desaprovação e começou a andar na direção de Diego que se debatia e gritava feito louco; Porém foi parado por Cucu, o outro capanga.

-Deixe que eu pego, chefinho.

Cucu foi até a espada que estava ao lado de Diego e a pegou, mas neste momento foi golpeado por um dos movimentos de Diego e caiu derrubando a espada mais uma vez.

O impacto do golpe assustou a barata que saiu voando e foi embora triste por não poder mais passear em paz.

Agora que a barata se foi, Diego pode voltar a se concentrar na batalha. ao seu lado Cucu está caído, um pouco mais adiante estão Murdock e Wuddy


Vila Foosha:

Kuro


O velho pensativo observou Kuro de cima a baixo, Sua mão coçava o queixo e suas sobrancelhas arquearam enquanto pensava em uma resposta.
O velho tossiu mais uma vez e então falou sério.

-Você quer um serviço que custe 250.000 né? O que acha de trabalhar para mim durante um ano então?

O velho continuou em silêncio durante alguns segundos esperando a resposta de Kuro, mas logo então voltou a falar -É brincadeira! Hahahahahaha!- Ignorando completamente o que  o rapaz estivesse dizendo.

-Já que você ofereceu ajuda, eu vou aceitar. Mas só te entregarei a segunda espada quando o serviço for cumprido, se não se importar. - O homem pegou debaixo do balcão um cinto com espaço para apoiar a espada - Vamos terminar logo esta transação para que eu possa te explicar o que quero que faça. vai querer qual espada? A Higari segunda ou a Kinshitak terceira? - O homem recolheu o dinheiro pela espada e entregou para Kuro o cinto equipado com a espada escolhida.

-Bom, primeiro me deixe explicar a minha situação. Ultimamente tenho sofrido muitos roubos… quer dizer, para ser mais exato são furtos. Todas as noites, quando estou dormindo alguém se aproveita do meu sono pesado e entra aqui para roubar artefatos do meu estoque. Sei que você é um homem justo, eu consigo ver isso em você e por isso te peço, fique de guarda comigo aqui hoje de noite e impeça o ladrão. Se fizer isso eu vou te ajudar.



Bar da Ana

Chloe & Saru


-Aquele paredão vermelho era só podia ser o fim do mundo! Nada mais existia além dele. só o mar revolto, a tempestade e a rocha rubra que se erguia até os céus! - o homem interrompeu a fala e levantou a camisa para mostrar uma cicatriz que cobria toda a sua barriga.- Naquele dia Davi Jones soltou a fúria contra nós, nos levou até aquele rochedo e batemos com tudo na muralha vermelha… o navio foi destruido e meus companheiros morreram.

Saru estava se engraçando com a bela mulher e até fez um convite para uma experiência a dois.

-Talvez eu aceitasse, mas você nem sequer sabe meu nome - A mulher devorava Saru com o olhar, mas não de uma forma sexual, mas sim como uma tigresa devora a alma de suas presas, aquela não era uma mulher qualquer.

Na mesa ao lado, os dois rapazes estavam com Chloe esperando que Ana trouxesse o sakê e os copos.

-Você tem toda a razão, somos honestos e queremos te ajudar, só que o problema é o pai dele

-Isso o problema é … meu pai?- E a,i ele deu um soquinho na própria mão- Isso, é meu pai!

-O pai dele ta meio lelé da cuca e tem atacado os forasteiros que vão pra lá comprar armas.

-É… ele tá doidão, doidão. Super violento. É mais seguro você ficar aqui.

Ana veio até a mesa e serviu os três copos -Fiquem à vontade- falou.

-Você está oferecendo ajuda? Olhe, eu tenho nessa cozinha uma equipe que aguenta qualquer tranco. Mas se você estiver precisando trabalhar, posso testar você.

A mulher virou para voltar para a cozinha e foi quando avistou Saru.

-Ei Saru, Já faz muito tempo que você não aparece aqui! Que coincidência, o seu avô também chegou aqui em Foosha hoje mais cedo! ele está atrás de você viu.


Stan Kinshi- Aparência
Acerola- Aparência
Sr. Kinshi(vendedor de armas)- Aparência
Homem de Dreads- Aparência
Mulher- Aparência
Chefe Huddy- Aparência
Murdock- Aparência
Cucu- Aparência
Reverendo Sheep- Aparência

Diego:
-Ganhos:
-Perdas:sapato, camisa
-NPC:

Chloe:
-Ganhos:
-Perdas:
-NPC:

Mané:
-Ganhos:
-Perdas:
-NPC: Meia noite (pet)

Saru:
-Ganhos:
-Perdas:
-NPC:

Kuro:
-Ganhos: Espada (Clássica)
-Perdas: 250.000 ฿
-NPC:
240/240100/10010/1015/15

_________________

ripper
Ver perfil do usuário
Imagem : 1° - Caminhos entrelaçados, o alvorecer da aventura! - Página 2 Mugen-samurai-champloo-gif-9
Créditos : 05
ripperCivil
https://www.allbluerpg.com/t334-mane#985 https://www.allbluerpg.com/t399-1-caminhos-entrelacados-o-alvorecer-da-aventura
Prefiro macacos a ovelhas!

1° - Caminhos entrelaçados, o alvorecer da aventura! - Página 2 NBjhgry




Você tinha que ver a cara do tal Sheep quando eu passei por cima dos “guardinhas”, parecia que não haviam ensinado a eles outra coisa a não ser golpear e perseguir, ora, hoje eles aprenderam que a imprevisibilidade faz parte do trabalho. Meia noite por sua vez parecia estar se ambientando com o novo local, até completou a minha provocação de uma forma que só ele poderia, MAAAAAAAAAAAAHAHA! Que dia!

Voltando ao que interessa, agora eu me encontrava em um novo andar, várias pessoas de vestido encontravam-se entre mim e o parapeito daquela varanda. Parecia que elas ainda não haviam notado a minha presença, mas certamente aquilo logo mudaria uma vez que os guardas começassem a descer as escadas atrás de mim, então, como eu não podia perder tempo passando no meio do aglomerado, pensei em pegar um atalho.

Usando toda a distância disponível naquele espaço, dispararia em direção ao lustre que estava preso ao teto, pulando e agarrando-o, como tantas vezes fiz na época que precisei ser o trapezista do circo. Enquanto pedia aos céus para que o lustre aguentasse o meu peso, aproveitando o primeiro balanço do lustre, já lançaria me corpo em direção ao parapeito da varanda, buscando pousar em pé em cima deste.

Naquele momento, eu provavelmente já teria uma visão melhor do primeiro andar, assim poderia arquitetar melhor a fuga. De qualquer maneira, eu já tinha ideia do que fazer. Caso julgasse que uma das estátuas estivesse perto o suficiente para que eu a alcançasse com um salto, assim o faria, pousando no local com a maior área de contato plana, ou quase plana, que eu pudesse para então pular para a estátua seguinte, em direção a saída. Se não fosse possível pular nas estátuas, pularia diretamente para o primeiro andar, terminando o movimento com uma cambalhota ou rolamento, uma técnica acrobática comum para amortecer uma queda, essa seria a mesma tática que usaria para descer das estátuas.

A todo momento estaria buscando a saída daquela estrutura horrenda.

fala - #00FF00


Resumo da Ficha:


Atributos:
● Força: 0 [Incompetente]
● Destreza: 1 [Regular]
● Acerto: 10 [Regular]
● Reflexo: 22 [Hábil]
● Constituição: 1 [Regular]

Qualidades:
● Destemido
● Voz Melodiosa
● Precisão Temporal
● Carismático
● Duro de Matar
● Exibido

Defeitos:
● Traumatizado — Situações em que ele possa perder novamente um companheiro, ou qualquer pessoa em eminência de vida afloram este trauma.
● Obcecado — fazer uma apresentação circense em toda ilha que o personagem chegar.
● Cabeça Quente
● Heróico

Proeficiências:
● Acrobacia
● Doma
● Adestramento
● Ilusionismo
● Dança

EDC:
● Espadachim

Pertences:
● Kit de Pincéis
● Roupas Simples
CONTROLE:

● HP:140/140
● STA: 100/100
● Postagens: 004
● Páginas:001
● Ganhos: N/A
● Perdas:N/A
● Defeito Obcecado: Não cumprido
Meia-noite:

1° - Caminhos entrelaçados, o alvorecer da aventura! - Página 2 Jugem_10

Animal: Macaco — Macaco-prego
Altura: 50cm
Peso: 3kg
Porte: Pequeno
Raridade: Comum
Aparência: Meia-noite não ganhou seu nome atoa, o macaco possui a pelugem preta como a noite, o único local que foge disso, é a barriga de Meia-noite, que possui uma coloração branca em formato de círculo.
Personalidade: Meia-noite possui um instinto de sobrevivência muito grande, por várias vezes sua vida esteve ameaçada e ele se saiu bem da situação, de forma até inexplicáveis. Por conta disso, ele não confia facilmente em qualquer humano, tirando Mané. Apenas com o seu companheiro que ele se solta completamente, fazendo brincadeiras e carinhos, não que seja impossível, Meia-noite poderia interagir com outras pessoa depois que criasse certa confiança.

Agora, se ele não gostar de alguém, ele certamente irá pensar em uma traquinagem para atrapalhar o indivíduo, com a sua mobilidade assustadora, ele consegue passar até pelos olhos mais atentos. É extremamente apaixonado por manga e talvez essa seja a única coisa que possa tirar a concentração do pequeno macaco.

Meia-noite não aceitaria ser ameaçado por qualquer um, apesar de pequeno, o macaco pode ser muito perigoso se a situação requisitar.
Atributos: Destreza, Acerto e Reflexo

_________________

1° - Caminhos entrelaçados, o alvorecer da aventura! - Página 2 Daco_110