Bem-vindo ao

All Blue

É com muito prazer que lhes damos os comprimentos ao nosso RPG. All Blue se trata de um RPG narrativo com o ambiente principal centrado em One Piece, obra de Eiichiro Oda.
Se divirta nessa nova aventura e se torne o novo rei pirata... Se puder!

Últimos assuntos
Criação de AventurasHoje à(s) 4:40 pmporShioriIV - You'll never see me cryHoje à(s) 4:38 pmporShiori[FP] Nino QueijadinhaHoje à(s) 4:19 pmporYamiNino Queijadinha *Hoje à(s) 4:19 pmporYami[FP] Gauss LedgermaineHoje à(s) 4:13 pmporYamiGauss Ledgermaine *Hoje à(s) 4:12 pmporYamiNoites em HoxterHoje à(s) 4:03 pmporTerry[FP] MilarepaHoje à(s) 3:58 pmporYamiCap 3 - Uma gloriosa evoluçãoHoje à(s) 3:47 pmporRex四 - Morte e SangueHoje à(s) 3:39 pmporJean Fraga

四 - Morte e Sangue

Página 7 de 8 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8  Seguinte
Achiles
Imagem :
四 - Morte e Sangue - Página 7 Bf3w3iH
Créditos :
20
Localização :
Lvneel - North Blue
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1735-caitlyn-g#18385 https://www.allbluerpg.com/t1725-iii-death-or-paradise#18382
Achiles
Pirata
四 - Morte e Sangue Qua Abr 20, 2022 10:33 am
Relembrando a primeira mensagem :

四 - Morte e Sangue

Aqui ocorrerá a aventura do(a) Civil Johnny Jersen. A qual não possui narrador definido.

Aki
Imagem :
四 - Morte e Sangue - Página 7 EiDhlj8
Créditos :
00
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1779-aki-kurosawa#18957 https://www.allbluerpg.com/t1586p30-morte-e-sangue#18995
Aki
Civil
Re: 四 - Morte e Sangue Sex Jul 15, 2022 11:11 am


morte e sangue

Sobre a cobertura da joalheria mais rica, ela se move em silêncio taciturno


Houve o brilho dos olhos cor de carmim quando saíram no encalço do vulto tenebroso que o moribundo se tornou.  Aki sentiu o prazeroso peso de suas facas ao tensionar os dedos, ela estava prestes a arremessá-las.

Ele foi mais rápido, porém.

Uma explosão de velocidade impossível de ser acompanhada. Obrigando a ladra a se perguntar como aquilo era possível. Como um homem naquele estado é capaz de agir de maneira tão súbita?

Se a face de Aki não estivesse encoberta pelas sombras, ela demonstraria, por alguns segundos, seu espanto.

Mas então, do mesmo modo que o moribundo agiu, ele parou. Simplesmente parou. E as duas mulheres naquele porão testemunharam a paralisação fulminante do homem. Em seguida, ele caiu. Estava morto.

Os olhos da gatuna captaram o momento, e sua mente filtrou as últimas reações do moribundo: os movimentos derradeiros de seus músculos. Agora ela havia registrado tais informações em sua memória, e seria capaz de reconhecê-las em eventos futuros.

Mas ainda havia com o que se preocupar.

Embora a circense estivesse escandalizando, Aki escutou estalos de chão de madeira: passos no pavimento superior. Então sentiu a necessidade automática de interromper o show de Ophelia.

A Kurosawa emergiu da escuridão às costas da boba da corte. Desarmou uma das mãos para, em seguida, tapar a boca de Ophelia.

Shhh... — sussurrou Aki ao pé do ouvido da circense. Aproximou seu corpo do dela, e notou as curvas da mulher. — Se o cenário não fosse tão pútrido, até que poderíamos nos divertir um pouco.

Ao conseguir o silêncio necessário, a gatuna soltou Ophelia. Em seguida esquadrinhou o cenário mais uma vez, até que reconheceu a única fonte de luz que havia ali: uma lamparina. Porém, não era qualquer lamparina, ela carregava opulência em seus detalhes.

Aki suspirou. É... melhor que nada.

Em poucos segundos, a ladra já teria apanhado o item aparentemente valioso com suas mãos leves. Restava sair dali. Mas pelo mesmo lugar por onde entraram? Seria seguro? Era o que Aki se questionava, visto que havia mais pessoas lá em cima.

Segure minha mão, me siga e permaneça em silêncio — instruiu Aki, dando a mão desocupada para Ophelia.

Ela apagaria o fogo da lamparina, e todo o ambiente mergulharia na escuridão. Porém, aqueles olhos vermelhos seguiriam capazes de enxergar.

A ladra perscrutaria o ambiente em busca de alguma outra saída. Caso não encontrasse, sairia por onde entraram, mas mantendo sua furtividade intacta e guiando os passos de Ophelia.


Considerações
Tudo tentativa.

O resultado da personalização da roupa/disfarce foi este aqui.

Objetivos:
  • Conseguir dois punhais
  • Adquirir as proficiências Anatomia e Psicologia
  • Roubar umas joias
  • Matar marinheiros

Ganhos:
  • Chave desconhecida [Roubo] - (Turno 1 individual, Turno 9 em grupo)
  • Colar de Brilhantes [Roubo] - (Turno 03 Individual, Turno 11 em grupo)
  • Livro de Anatomia [Roubo] - (Turno 05 Individual, Turno 13 em grupo)
  • 2 facas (talher) de metal [Roubo] - (Turno 05 Individual, Turno 11 em grupo)
  • Proficiência Anatomia - (Turno 06 Individual, Turno 14 em grupo)




pdv: 2.480

sta: 100

ilhas organ





_________________

Aki Kurosawa
Nekkyoto
Imagem :
四 - Morte e Sangue - Página 7 200
Créditos :
05
Localização :
Las Camp - West Blue
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1493-maramune-nekkyoto-robin-son https://www.allbluerpg.com/t1496p45-cidade-do-pecado#21227
Re: 四 - Morte e Sangue Ter Jul 19, 2022 12:19 am


Estavam as duas, Aki apagou a luz do lugar, e precisavam passar pela única entrada do lugar. Cobertas pelo véu da noite, subiram por uma escada pequena que ligava o lugar até a pequena portinha que levava até a casa de madeira. No entanto, se viram pegas em algo extremamente perigoso, quando notaram que aquelas vozes eram vozes de diversos soldados da marinha, um inclusive, parecia se impor com um cargo mais alto do que seus subordinados.

Não sabiam muito bem a estrutura organizacional daquela instituição, mas de qualquer forma, se viram numa situação ainda pior quando Aki, segurando Ophelia pelas mãos, sabotou a própria furtividade. Assim que passaram pela porta, escolheram vivenciar o inferno.

Foram jogadas contra a parede por um homem de pequena estatura, tinha em média trinta centímetros, mas sua força era avassaladora. No processo, no entanto, não sofreram muito, se não a bagunça na casa, e a fúria de quem quer que seja. Vocês estão vindo da onde? Estamos investigando o sumiço de diversos animais pela região. Aqui, é crime o sequestro de animais. Se por um acaso, eu notar bichinhos em cativeiro, eu juro por tudo que é sagrado, as duas, vão viver um belo período na cadeia.

Tinham no entanto a vantagem de estarem num lugar apertado, com cerca de cinco marinheiros num espaço minúsculo. Mas aquele pequeno ser que parecia extremamente violento estava no encalço. O que poderiam fazer? Seria melhor explicar a situação? Tentar lutar, ou quem sabe tentar a fuga do lugar? Qual que fosse a suas tentativas, deviam agir antes de que os marinheiros pudessem ver aquele mar vermelho por baixo daquela pacata casa de madeira.

Num beco qualquer

Mal tiveram tempo de reação, quando aquela mira laiser se tornava num projétil que vinha em direção ao peito do homem roxo. Quando notaram, foi jogado ao chão pelo coice do tiro no seu peito. Jhonny teve a oportunidade perfeita de tiro quando notou o disparo, viu um atirador de elite no topo de um prédio logo de frente com o beco e tentou o alvejar a tiros. O fez recuar, e se tivesse a percepção necessária, notaria que provavelmente, teria acertado o maldito.

Zayn levantou no entanto depois daquele coice, e se posicionou a frente da sua backline. Um bloqueio e um golpe com duas mãos sobre o estômago do maldito, o mandou voando por cerca de cinco metros. Não forte o suficiente para o fazer desacordar, mas o suficiente para deixa-lo no chão durante um período de tempo. Jhonny aproveitou, e atirou contra sua cabeça, deixando o primeiro cadáver ali, de frente para a única entrada daquele maldito beco.

A estratégia era boa, na verdade. Afunilar dentro de um lugar menor para ter que tratar seus oponentes um a um. A única coisa que tinham esquecido de botar na ponta do lápis, é que estavam cercados. Logo apareciam três dos seis combatentes restantes atrás dos dois. Chutaram a porta lateral do comércio que fazia parede com aquela alameda comercial, e estavam completamente cercados, três na frente, três atrás. Um atirador com uma submetralhadora chegando pela frente do local e um atirador de elite qual desconheciam a localização. As coisas não podiam ficar piores.

Zayn chutou o chão e fez com que pequenas pedras subissem e as lançou contra dois daqueles lutadores, o suficiente para abrir uma abertura para que pudesse cuidar daquele pequeno grupo de quatro pessoas (se fosse do seu interesse). Jhonny teve que se virar quando dois daqueles três combatentes encurtaram a distância, tentando arrancar sua cabeça com um pé de cabra e um taco de beiseboll.


Históricos:

_________________

四 - Morte e Sangue - Página 7 DxdTgnc
Ex-Panda
Imagem :
四 - Morte e Sangue - Página 7 13992c4e51a6ce1e4300d4e366dd4e4a
Créditos :
08
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1611-zayn#17239 https://www.allbluerpg.com/t1586-morte-e-sangue#16916
Re: 四 - Morte e Sangue Qua Jul 20, 2022 1:51 am
Zayn



O tiro em meu peito não havia de fato doido, mas eu sabia que eu estava machucado, afinal tinha sido forte o suficiente para me derrubar o que era preocupante, as vezes não sentir dor direito pode ser um problema.

— Jhonnyyy eu vou precisar de um beijinho na minha ferida mais tarde, pra sarar e tudo mais, talvez alguns pontos também mas principalmente o beijinho!

Tudo parecia ir bem já que Jhonny conseguia meter balas nos vagabundos que eu derrubava e dava a chance para ela atirar, mas não parecia que a situação ia ficar tão fácil assim, nós éramos rapidamente cercados o que ia complicar bastante a situação.

Três homens na frente e mais três atrás, um estava armado com uma submetralhadora e também entrava no beco em minha reta, agora minha cabeça começava a fritar para pensar em um plano em segundos antes que fossemos fuzilados, e uma ideia vinha a minha mente.

As pedras de antes haviam sido um sucesso e agora eu tinha uma oportunidade de ataque contra os que estavam em minha frente, mas ainda não podia deixar de ficar preocupado com Jhonny, mas o mais correto seria cuidar do atirador para ela não ser baleada.

— Eu pego esses quatro Jhonny! Qualquer coisa corre para mim!

Depois de minha fala corria em direção dos meus inimigos em disparada visando chegar perto do que estava armado.

四 - Morte e Sangue - Página 7 55537b30ce23f07018df3a9e0ec7a250

Se eu visse que ele iria atirar antes de eu chegar correria pelas paredes do beco estreito e então pularia de uma para a outra para desviar dos tiros, quando estivesse próximo o suficiente, saltaria concentrando a água do ambiente em meu pé para dar um chute com meu karate do tritão.

— CHUTE TUBARÃO MARTELO!

Meu plano era acertar sua cabeça, mas se eu visse que ele iria esquivar tentaria mirar em sua arma para desarma-lo ao menos, quando caísse colocaria minhas duas mãos no chão e começaria a girar com força em bananeira chutando a cara de todos que estivessem ao meu redor.

— CHUTE BREAK!

Bom era quase uma dança então era daí o nome, quando os afastasse de perto eu me levantaria rapidamente, contraria minhas costas com todas as minhas forças, puxaria meus braços para trás e então puxaria muito oxigênio.

四 - Morte e Sangue - Página 7 Bnha-punch

Com meus quatro braços socaria todos os homens em meu caminho os empurrando para fora do beco, aguentaria seus golpes da melhor maneira possível, esse era um golpe de tudo ou nada, já que ficava exposto, mas cada soco era como uma bomba.

Se estivesse tudo bem ou tivesse um tempo para ajudar olharia e gritaria para Jhonny porque havia pensando em uma estratégia.

— CORRE AQUI AGORA!!

Se ela obedecesse a lançaria para cima com toda a minha força, e lá de cima ela poderia atirar em todos os homens que estavam no beco, eu me protegeria para não levar nenhuma bala perdida.

四 - Morte e Sangue - Página 7 NWk9Qsj

Histórico :

_________________

四 - Morte e Sangue - Página 7 XaxriMi
AoYume
Imagem :
四 - Morte e Sangue - Página 7 Thumb-10
Créditos :
05
Localização :
Flevance - North Blue
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1578-jhonny-jersen https://www.allbluerpg.com/t1586-morte-e-sangue
Re: 四 - Morte e Sangue Qua Jul 20, 2022 1:47 pm







If it's not about me...


18
E, como eu tinha pré-suposto e tentando analisar anteriormente em alguns breves vislumbres, a possibilidade de tentarem nos encurralar era realizada um som estrondoso sucedia o ápice do combate por trás. Um, talvez dois haviam caído nos primeiros disparos e ainda restava um grupo considerável pela afrente além do galante loireto que não sabia ao certo se ia participar do combate ou não enquanto outros três entrava por uma porta.

A estratégia em si não era perdida e ainda havia um certo afunilamento, já que por trás ainda era um beco da toda forma, mas, o número de eventos para lidar agora era pareado. Ergo minha arma assim que o movimento começa buscando atirar no que estivesse mais próximo para comprar tempo, direto na cabeça, pescoço ou uma área letal desprotegida sendo eu capaz de ter essa informação em um vislumbre. Seguiria inclusive minha própria "intuição" para aferir qual seria o mais perigoso e a melhor forma de como lidar com aqueles três com uma única ação para cada me poupando tempo para ajudar o grandalhão que lançava-se contra a maioria.

Se ele era destrutivo, rodopiando e não sei mais o que, eu era a precisa. Após o primeiro tiro, conforme eles iriam aproximando-se com armas brancas, buscaria utilizar de minha velocidade e maestria com artes marciais para desviar do primeiro enquanto bateria com a ponta livre dos dedos contra sua garganta por baixo de seu braço alto que buscava desferir um ataque por cima, na cabeça. Desta forma, penetrando com precisão ou ao menos cortando o fluxo de sangue em uma importante artéria, se acertasse, ele não conseguiria mover-se e morreria em instantes, se errasse parcialmente mesmo assim ainda seria muito difícil para ele conseguir ir muito além com seus golpes.

O outro teria um espaço ainda mais restrito para atacar com nossos corpos tão próximos usando uma arma grande como um taco, e, com isso sendo aproveitado provavelmente devia ter tempo de executar a luta anterior antes de buscar um avanço para trás evitando sua investida, parando de frente com a arma apontada para sua cabeça. A de cima? Não, não. Diferente do que ia com pé de cabra e seria difícil utilizá-lo defensivamente um taco é grande e já estava golpeando por cima e poderia entrar na rota de colisão do disparo, a cabeça alvo era a de baixo, com um tiro em suas genitálias buscando incapacitá-lo.

Se as tentativas dessem certo, teria dado conta dos três e poderia focar em observar como estaria o lado de Zayn. - Como está aí? Já é hora de ser babá de peixe? Se desse errado, mas eu tivesse conseguido esquivar, apesar da fala, ainda teria que lidar com aqueles que sobreviveram e manteria em guarda alta para ver suas próximas investidas buscando manter minha percepção e intuição sempre afiada.

Tentaria me manter recuando na direção de Zayn calmamente, sem me aproximar de mais já que ele parecia estar fazendo todo um espetáculo aoe. Quando ele chamasse, considerando que eu estivesse em condições e ele também de executar até este ponto, avançaria em sua direção. Ele, pela organização física, parecia querer me jogar pra cima e até que havia utilidade, principalmente, além de ganhar uma posição vantajosa, a de tentar observar se eu havia conseguido lidar com o atirador ou não já que não havia certeza até então.

Resumo simplificado:
Histórico:

Just die, i don't care!


_________________

四 - Morte e Sangue - Página 7 Thumb-1920-1219366
Milabbh
Imagem :
四 - Morte e Sangue - Página 7 Cartas
Créditos :
00
Localização :
Ilhas Organ - East Blue
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1609-ophelia-jester#17229 https://www.allbluerpg.com/t1586-morte-e-sangue#16916
Milabbh
Civil
Re: 四 - Morte e Sangue Qui Jul 21, 2022 11:07 am
Quem disse sangue?!... Pera, era meu?!
Dezenove
Andando sobre os ossos de mãos dadas com a alva assassina, me perguntava se ela realmente queria dizer o que eu havia entendido... Nos divertir como? Será que nós tínhamos a mesma ideia sobre diversão? Bom, deixemos os pensamentos sórdidos para outro momento, afinal, estávamos chegando.

Uma luz fraca banhava nossos rostos quando emergiamos do buraco no chão e era nesse momento que minha feição, antes confusa, agora era tomada por ódio. Avistava o uniforme azulado e branco, reconhecendo-o imediatamente, bem como as patentes de quem os usava, era fácil distinguir os porcos quando eu havia crescido para ser uma.

Era quase involuntário que nos levantássemos mais, mas esse era nosso erro. Rapidamente éramos avistadas, e um pequeno marinheiro nos empurrava e começava a nos interrogar. Com as mãos para frente e buscando toda a minha força interior, assumia um novo papel, a inocente Matilda.

- Oh senhor, como é forte! - Olhava para Aki como quem dizia: segue a deixa. - Não acha que ele é forte, Alice? - Cobrindo a boca como se estivesse envergonhada, seguia a atuação. - Bichinhos desaparecidos...? - Meus olhos esmeralda se enchiam de lágrimas e então eu apontava para o porão. - Eles estão lá dentro! Viemos nos encontrar em segredo nessa velha cabana já que nossos pais não aprovam nossa amizade.

Ainda chorosa, continuava encarando o porão, agora simulando terror intenso. - E-Ent-Então... Nós vimos... Um monte de esqueletos la embaixo, muito pequenos para serem de gente. - Encarando os marinheiros com a maior inocência que podia fingir, dizia em tom quase sussurrado. - E tinha um homem lá com elas... Saímos correndo, não sabemos o que aconteceu com ele. - Me punha a chorar como se estivesse traumatizada, dando a deixa para que Aki complementasse se quisesse.

No fim, o objetivo seria prende-los lá dentro, e uma vez que eles entrassem, trancaria a porta atrás dos homens ou colocaria algo muito pesado sobre a entrada, para que não pudessem sair. E uma vez que estivessem seguros lá dentro, diria em alto e bom som. - Parece que novos animais foram capturados, não é porquinhos...? Ophelia e Aki terão certeza de pagar suas multas depois HIHIHIHAHAHAHAHA.

Olhando para Aki, estendia minha mão de forma galante, quase que fazendo uma reverência. - O que me diz, "Alice", devemos fazer um churrasco...? - Apontando para a lamparina com um sorriso macabro, esperava sua resposta.

DetalhesFalas
*Histórico:
Ganhos:
-100 B$ (esmolas)
- Chicotin
Perdas: N/A
Ferimentos:
HP: 2600/2500    
Escoriação de Bala (Raspão - 2/2) [Não precisa de tratamento] - Desconto de 100 HP.
- Hemorragia interna no estômago [4/4]
- Deslocamento da articulação Temporo Mandibular [3/3]

*Objetivos:
- Roubar uma arminha tops
- Sair em uma aventura
- Aprender Proficiência Armadilhas
- Aprender Proficiência Avaliação
- Me divertir <3

@mm
Aki
Imagem :
四 - Morte e Sangue - Página 7 EiDhlj8
Créditos :
00
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1779-aki-kurosawa#18957 https://www.allbluerpg.com/t1586p30-morte-e-sangue#18995
Aki
Civil
Re: 四 - Morte e Sangue Qui Jul 21, 2022 3:37 pm


morte e sangue

Sobre a cobertura da joalheria mais rica, ela se move em silêncio taciturno


Parece que não adiantou muito calar a boca de Ophelia... pensou Aki, recuando até sentir o toque frio da parede em suas costas.

O olhar carmim ficou um tempo fixo nos brasões daqueles soldados. Gente da marinha. Ela os desprezou de imediato. Seu ódio por agentes como aqueles era latente. Vê-los a fazia se lembrar de todo o seu passado: de seu pai, o brilhante vice-almirante Kurosawa.

Os dedos coçaram para agarrar as facas, enquanto os olhos, vidrados, contavam as cabeças.

Todavia, Ophelia mudou o rumo da trama.

A atuação primorosa da circense fez até mesmo Aki se surpreender num primeiro momento. E a ladra notou, então, a deixa da dramaturga. Posso não saber atuar, mas seduzir...

Nossa, muito forte... — disse Aki com a voz aveludada.

Aquele mesmo olhar carmim tornou-se tênue e brilhante, como se fosse capaz de enfeitiçar qualquer homem dos quatro oceanos. A gatuna então se aproximou, e seu corpo adotava uma postura que salientava suas curvas.

Inclinou-se um pouco a fim de exibir o busto avantajado. E tomou a iniciativa de se aproximar mais ainda do líder daquele grupo, abaixando-se para se comparar a ele em estatura, e tocou-lhe os braços.

Desculpe-me, mas você não faz ideia de como eu adoro homens fardados — continuou Aki, fitando o homem nos olhos.

Aki esperava que seu encanto tivesse sido lançado, e que isso tornassem os homens, principalmente o líder deles, mais suscetíveis ao plano de Ophelia.

A ladra então se afastou, dando espaço para que os marinheiros fossem averiguar o porão, enquanto tomou seu lugar ao lado da circense que agora atuava um baita choro. Aki não seria capaz de acompanhar tal nível de atuação, porém ela faria o possível, como se tentasse consolar uma amiga triste.

Quando cruzassem a porta, Aki a fecharia junto de Ophelia. Sacaria sua faca e, num movimento rápido e preciso, a fincaria na margem da fechadura para emperrar a porta.

Mas é claro, minha querida — responderia Aki, com um sorriso sádico estampado no rosto.

Ela logo acenderia a lamparina e jogaria por cima da porta do porão, e deixaria as chamas se alastrarem enquanto daria o fora dali pela janela, puxando Ophelia para que a palhaça não perdesse tempo com suas piadas.


Considerações
Tudo tentativa.

O resultado da personalização da roupa/disfarce foi este aqui.

Objetivos:
  • Conseguir dois punhais
  • Adquirir as proficiências Anatomia e Psicologia
  • Roubar umas joias
  • Matar marinheiros

Ganhos:
  • Chave desconhecida [Roubo] - (Turno 1 individual, Turno 9 em grupo)
  • Colar de Brilhantes [Roubo] - (Turno 03 Individual, Turno 11 em grupo)
  • Livro de Anatomia [Roubo] - (Turno 05 Individual, Turno 13 em grupo)
  • 2 facas (talher) de metal [Roubo] - (Turno 05 Individual, Turno 11 em grupo)
  • Proficiência Anatomia - (Turno 06 Individual, Turno 14 em grupo)





pdv: 2.480

sta: 100

ilhas organ





_________________

Aki Kurosawa
Jean Fraga
Imagem :
四 - Morte e Sangue - Página 7 FaqI0wB
Créditos :
15
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1620-liu-feng#17327 https://www.allbluerpg.com/t2047-ii-deuses-entre-nos#21998
Re: 四 - Morte e Sangue Seg Ago 01, 2022 11:01 pm


Aki e Ophelia

Dentro os cinco marinheiros naquele espaço pequeno, quatro eram soldados e um era cabo, sendo ele o anão que comandava aquela investigação.

A principio tomando uma resolução mais pacifica, os homens de mente fraca caiam como gotas d’agua naquela história que Ophelia ia criando, problemática que só piorava mais conforme Aki ia seduzindo aqueles novatos.

Já esperado de alguém com mais experiencia, o pequeno gigante, mantinha seu rosto fechado e a passos curtos se afastava da aproximação de Aki.

— Guahahahahah... Ao menos as crianças acreditam nessas suas mentiras? ‘Nossos pais não aprovam nossa amizade’, vocês têm o que doze anos?

Vendo que seus homens já tinham caído naquela lábia, ele batia o pé com força no chão e gritava numa altura surpreendente para um ser pequeno como ele.

— Recomponham-se homens!! – Eles pareciam acordar e logo se afastavam das moças, pegando novamente em suas armas – Zero dois, zero três e zero quatro, fiquem com as moças aqui em cima enquanto vasculhamos o porão.

Talvez não como esperado, dos cinco homens, dois haviam descido, o cabo e um soldado, ficando três marinheiros com elas, um deles, mantinha um rosto sério depois do grito, enquanto os outros dois, já não conseguiam disfarçar a atração por Aki, bobos pelo amor eram pressas fáceis, jovens novatos que pouco sabiam desse mundo.

Jhonny e Zayn

Puxando a pressão para segurar os mafiosos a frente, Zayn partia como um rinoceronte para cima deles, para seu porte físico, o espaço não dava brechas para aquela movimentação complexa.

O homem armado parecia se assustar com aquela postura agressiva de Zayn, errando o ferrolho da arma, não conseguindo atirar, o homem peixe chutava a cabeça do assustado, que voava metros e mal se mexia.

Os Mafiosos a volta não perdiam tempo e com socos e chutes respondiam os danos no polvo, ainda que fracos em sua percepção de dor, Zayn sentia seu corpo mais duro em locais onde foi acertado.

Como uma besta, ele devolvia os golpes, socos rápidos e potentes iam derrubando aqueles mafiosos, até que um caminho a sua frente se abria, o problema era, a reta a sua frente era justamente o campo onde o franco atirador tinha visão completa, mesmo que desaparecido depois da resposta de Jhonny, não se sabia se ele havia sido morto ou não.

Falando na moça, ela tinha convicção de que o atirador já não era mais um problema, deixando que o armário cuidasse dos quatro, ela derrubava o primeiro dos três com um tiro bem centralizado entre as sobrancelhas do homem.

A distancia dos outros dois diminuía rapidamente e eles não davam brechas para que ela conseguisse atirar, forçando-a lutar de outras formas.

Ela desviava dos primeiros golpes que tinha pouca precisão naquele beco mais fechado, ela acertava com uma velocidade surpreendente o pescoço do primeiro, gritando a seco, ele caia entrando num estado de paralisia.

O ultimo dos seus inimigos, fingia um golpe com o taco, fazendo com que a moça se afastasse, ele chutava a cabeça do seu aliado com impulso e pegava a mulher pelo pescoço, batendo-a contra a parede.

Dando um soco em seu rosto e por fim, jogando-a para o lado contrario ao que Zayn estava, o mafioso parecia estar com suas emoções a flor da pele, tomado pelo ódio após a morte de seus companheiros, ele sequer pensava em pegar o taco, partindo com as mãos nuas.


Históricos:

_________________

四 - Morte e Sangue - Página 7 OAKySZI
Ex-Panda
Imagem :
四 - Morte e Sangue - Página 7 13992c4e51a6ce1e4300d4e366dd4e4a
Créditos :
08
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1611-zayn#17239 https://www.allbluerpg.com/t1586-morte-e-sangue#16916
Re: 四 - Morte e Sangue Ter Ago 02, 2022 2:46 pm
Zayn



Minha estratégia parecia funcionar mesmo que eu em geral também recebesse alguns golpes, o problema de não sentir muita dor é que eu não sei se foi realmente grave ou não, mas eu não ligava agora, eu precisava deitar esses homens na porrada.

Depois de muitos socos sem parar eles caiam por fim, ofegante eu olhava para meus inimigos caídos, eles não eram marinheiros, mas o novo deveria ser trago por mim, eu os matava um por um com suas próprias armas ou minhas mãos nuas.

Enquanto fazia isso olhava para trás Jhonny parecia estar bem então precisava achar o ultimo atirador vivo para completar meu ritual, tentava lembrar da localização de onde o lazer tinha vindo quando tomei o tiro.

— Jhonny vou pegar o ultimo que ainda está vivo, se eu não matar ele o novo não florescera! Eu já volto fique bem!

Se me recordasse sairia do beco com cautela, pegaria um dos corpos e o colocaria de pé, depois o jogaria para fora do beco, se ele levasse um tiro saberia que o atirador ainda estava ali, e tentava identificar aonde pelo disparo feito no corpo.

四 - Morte e Sangue - Página 7 Dc434cef8f982830b0cc9bfd5bb2484d

Pegaria mais dois corpos e então seguraria com meus braços na minha frente e correria em zigue e zague pela área aberta até o prédio ou local que o atirador estivesse, se eu finalmente o achasse gritaria para ele.

— Vamos apareça! Eu já matei todos os seus amigos e agora está na sua vez, eu e você, um contra um, vamos deixar nossos punhos e corpos dançarem!

Se ele não largasse a arma eu jogaria um dos corpos em sua direção e o outro seguraria em minha frente enquanto corria em uma investida desenfreada, se conseguisse chegar próximo o suficiente me livraria do cadáver que eu segurava e então desferiria um soco bem em seu maxilar.

— SOCO DOS MIL TIJOLOS!

Usando uma técnica de karate do tritão o soco provavelmente ficaria muito mais poderoso do que um comum, antes que ele caísse ou saísse voando eu o seguraria com dois de meus braços e então o puxaria novamente para perto de mim.

四 - Morte e Sangue - Página 7 C5e0ccb621622ae124e6e3b2dc8818d9

— Para onde você acha que vai? Nós estamos apenas começando!

O seguraria pelos membros superiores o retirando do chão e então começaria a socar com meus outros dois braços livres, se ele tentasse me chutar pararia os socos e seguraria seu golpe, quebraria seu tornozelo e então o jogaria no chão com todas as minhas forças, e pisaria em sua cabeça para quebrar seu maxilar e arcada dentaria.

— हे विनाश के देवता, नए की शुद्धि लाने के लिए इस बूढ़े आदमी को मारने में मेरी मदद करो! (Oh deus da destruição, me ajude a matar esse velho homem para trazer a purificação do novo!)

— चिंता न करें, मैं आपके द्वारा दिए गए शॉट को बहुत खराब तरीके से वापस कर दूंगा ओक्टोपासपास
(Não se preocupe, eu vou devolver o tiro que você me deu de uma forma muito pior! Oktopaspaspas)


Até me esquecia que estava falando na língua dos escravos de Marijoah, mas bom, não ia fazer muita diferença para alguém que logo mais não estaria mais entre nós.

Se de fato conseguisse matar o atirador me lembrava de Jhonny e corria novamente para o beco onde estávamos antes para ver se eu poderia ajuda-la ou talvez até mesmo salva-la, e claro procuraria o farmacêutico que ela havia mencionado, ele estava junto com os homens então via se ele ainda estava ao redor.

四 - Morte e Sangue - Página 7 NWk9Qsj

Histórico :


Última edição por Ex-Panda em Ter Ago 02, 2022 10:13 pm, editado 1 vez(es)

_________________

四 - Morte e Sangue - Página 7 XaxriMi
Aki
Imagem :
四 - Morte e Sangue - Página 7 EiDhlj8
Créditos :
00
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1779-aki-kurosawa#18957 https://www.allbluerpg.com/t1586p30-morte-e-sangue#18995
Aki
Civil
Re: 四 - Morte e Sangue Ter Ago 02, 2022 4:38 pm


morte e sangue

Sobre a cobertura da joalheria mais rica, ela se move em silêncio taciturno


Embora nem tudo tivesse ocorrido conforme o planejado, Aki enxergou algumas possibilidades que emergiam na situação a princípio não tão favorável. Ela era uma ladra e assassina, portanto deveria se acostumar a correr riscos — afinal, quanto maior o perigo, maiores são as recompensas.

Mas Aki não procurava por uma briga justa. Ela nunca procuraria por uma. "Nunca encare seu alvo de frente", a voz de seu pai ecoava em sua mente.

Me esconder não é mais uma opção, disse Aki para si mesma, admitindo menos uma arma em seu arsenal. Por outro lado, o teatrinho ao lado de Ophelia ainda não acabou.

Os olhos de carmim observaram os três homens que permaneceram ali. Aki reconheceu o quanto dois deles continuavam caidinhos pelo seu encanto. Já o outro, esse ela teria de confiar que Ophelia seria capaz de conter.

Olhou de relance para a circense. Deu uma piscadela discreta.

Virou-se para os dois rapazes apaixonados e os estudou: o tamanho dos músculos, a altura, as armas que empunhavam e qual mão usavam. Foi uma análise rápida, pois bastava uma olhada sutil para que Aki gravasse todos os dados em sua mente.

Ei, vocês dois. — A voz de Aki soava encantadora, um sussurro travesso. — Venham cá, rapazes... Por que a gente não se diverte um pouco enquanto o mandante tá lá embaixo?

Ela foi andando calmamente para um dos quartos do lugar, e seu olhar era como um rastro a ser seguido por aqueles dois corações apaixonados.

Vamos, vai ser rapidinho — disse Aki, afiando um sorriso. — Ficarei esperando. Fechem a porta quando entrarem.

Assim que entrasse, a gatuna começaria a se despir, até ficar completamente nua. Usaria das próprias vestes para acobertar os pertences roubados, deixando-os no canto do cômodo. E aproveitaria de sua perícia em disfarce para usar as facas em um penteado tradicional: um coque preso por palitos.

Estaria sobre a cama — se tivesse uma — em uma posição bastante provocativa, aguardando a chegada dos homens.


Considerações
Tudo tentativa.

O resultado da personalização da roupa/disfarce foi este aqui.

Objetivos:
  • Conseguir dois punhais
  • Adquirir as proficiências Anatomia e Psicologia
  • Roubar umas joias
  • Matar marinheiros

Ganhos:
  • Chave desconhecida [Roubo] - (Turno 1 individual, Turno 9 em grupo)
  • Colar de Brilhantes [Roubo] - (Turno 03 Individual, Turno 11 em grupo)
  • Livro de Anatomia [Roubo] - (Turno 05 Individual, Turno 13 em grupo)
  • 2 facas (talher) de metal [Roubo] - (Turno 05 Individual, Turno 11 em grupo)
  • Proficiência Anatomia - (Turno 06 Individual, Turno 14 em grupo)





pdv: 2.480

sta: 100

ilhas organ





_________________

Aki Kurosawa
Milabbh
Imagem :
四 - Morte e Sangue - Página 7 Cartas
Créditos :
00
Localização :
Ilhas Organ - East Blue
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1609-ophelia-jester#17229 https://www.allbluerpg.com/t1586-morte-e-sangue#16916
Milabbh
Civil
Re: 四 - Morte e Sangue Ter Ago 02, 2022 5:24 pm
Quem disse sangue?!... Pera, era meu?!
Vinte
Maldição... O porco do governo parecia ter um cérebro dentro daquela cabeça. Por sorte, era fácil disfarçar o que eu sentia, ainda mais por trás de toda a pintura pesada que adornava meus traços faciais. Percebia o movimento discreto de Aki. Uma piscada? Ela estava pensando em flertar agora?! Ahh, não, ela quis dizer isso.

Encarava a bela assassina guiando sua presa como gado para o quarto, mas isso poderia dar errado, e se o outro resolvesse intervir?! Precisava lhe dar a chance de tirar os marinheiros de la para que continuasse seu plano maléfico.

- O senhor não pode estar realmente desconfiando de mim, não é?! - Dizia com a voz afetada, simulando profunda ofensa, tentava chamar sua atenção enquanto caminhava pelo cômodo. O observava com o rosto em choque, como se estivesse sem acreditar. - Sim, eles não aprovam nossa amizade, pois Alice vem de uma nobre família e eu sou filha de um reles comerciante falido... Dono de um circo ainda por cima! - Exclamava apontando meu rosto pintado. - O senhor parece nobre, caro marinheiro... Diga-me, deixaria sua preciosa filha andar com qualquer gentalha como eu? - Escondia o rosto como se estivesse envergonhada e complementava. - Ela tem um espirito aventureiro, como pode ver, e só pode ser ela mesma comigo, por isso saímos escondidas! Mas isso não é importante, o homem lá embaixo parece perigoso, aqueles marinheiros fracos não darão conta!

Esperava tê-lo convencido, mas nunca foi um costume meu deixar as coisas para a sorte, afinal, não tive muita dela em minha vida. Sem mesmo esperar que ele me respondesse, bolava um rápido plano em minha mente, precisava convencê-lo com provas "concretas".

Com isso definido, iniciava minha ação. Com auxílio de um fonte de luz, talvez alguma outra lamparina ou mesmo um fósforo que tivesse encontrado. Me posicionaria atrás do homem, como se estivesse amedrontada, e com as mãos à frente da luz, fazia formas com elas, habilmente produzindo sombras amedrontadoras no porão, quando ele estivesse distraído, afastaria meus lábios o máximo possível dele e simularia os distantes gritos de terror de seus homens, esperava que a ilusão fosse suficiente para convencê-lo a descer.

- S-Senhor marinheiro... O que está acontecendo lá embaixo? - O profundo terror em minha voz era quase crível para mim, que sabia se tratar de uma mentira. Esperava pacientemente a decisão do marinheiro, no entanto demonstrava apenas pânico em meu rosto.

Aproveitando o possível momento de dúvida que havia plantado em seu coração, chutava suas costas com toda minha força em direção ao porão. Sacava meu chicote e observava cautelosamente o trajeto que seu corpo faria após a inércia e, se ele não caísse lá dentro, desviaria de um possível golpe com acrobacias ágeis. No entanto, se conseguisse, iria correr até o buraco para trancar a pequena porta atrás dele, colocando algo pesado em cima e seguindo para o quarto em que Aki estava.

DetalhesFalas
*Histórico:
Ganhos:
-100 B$ (esmolas)
- Chicotin
Perdas: N/A
Ferimentos:
HP: 2600/2500    
Escoriação de Bala (Raspão - 2/2) [Não precisa de tratamento] - Desconto de 100 HP.
- Hemorragia interna no estômago [4/4]
- Deslocamento da articulação Temporo Mandibular [3/3]

*Objetivos:
- Roubar uma arminha tops
- Sair em uma aventura
- Aprender Proficiência Armadilhas
- Aprender Proficiência Avaliação
- Me divertir <3

@mm


Última edição por Milabbh em Qua Ago 03, 2022 4:28 pm, editado 1 vez(es)
AoYume
Imagem :
四 - Morte e Sangue - Página 7 Thumb-10
Créditos :
05
Localização :
Flevance - North Blue
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1578-jhonny-jersen https://www.allbluerpg.com/t1586-morte-e-sangue
Re: 四 - Morte e Sangue Ter Ago 02, 2022 5:37 pm







If it's not about me...


19
Aquela era uma batalha de atrito bastante conturbada do tipo que eu preferiria evitar se fosse possível, mas, ali não era. Com as "costas" contra a outra, eu e Zayn precisávamos manter uma linha de combate de poucos recuos tendo ao nosso favor apenas o beco, e, até certo ponto aquilo parecia continuar tendo alguma funcionalidade.

O primeiro dos que eu precisava manter em linha caía sobre um disparo que lançava-o ao chão enquanto o segundo caía sobre o golpe. O terceiro porém não tinha um desfecho tão favorável, truncando em um combate que começava desgostoso. Conseguia sentir o peso do golpe e do choque contra a parede. Eu não esvaía por isso, ao contrário, sorrio de forma macabra enquanto lembranças de cenas tão semelhantes rodeiam minha mente.

Meus olhos alcançam o homem e sua face far-se-á tal qual a de meu pai quando este ainda tinha vida. Transtornado por um motivo ou outro, dos quais eu já nem ligo mais. Meus olhos frios permeiam os deles em ódio enquanto meu corpo se move em resposta ao troncho que nem sequer pega de volta o seu taco inerte à suas capacidades de raciocinar diferente de mim que o via como um verme que devia ser mosto tal qual o único rosto que conseguia ver sobre o seu.

- Não esqueça o farmaceutico Zayn, tem algumas coisas que eu queria e ele não me deu, será que negociar agora é mais fácil? Termino cuspindo sangue, caso houvesse, e saliva para o lado. Moveria meu corpo perto da parede tentando usar a própria raiva do homem contra ele. Ele golpeou antes frontalmente com seu corpo em um agarrão e soco e com seu humor, provavelmente buscaria algo do tipo novamente.

Se ele tentasse dar um soco, tentaria me esquivar lateralmente para que seu golpe alvejasse com força a parede atrás de mim para machucar a sua mão, se ele tentasse agarrar provavelmente não haveria guarda nesse momento e utilizando da minha versatilidade em combate físico e com armas tentaria saltar se fosse por baixo, ou, me abaixar se fosse por cima conectando um ataque com a arma. Se fosse por baixo enquanto saltasse tentaria dar uma coronhada para lançá-lo ainda mais baixo e passar por cima dele. Se fosse por cima, daria um disparo a queima roupa para cima tentando alvejar seu queixo provavelmente desprotegido para matá-lo ou causar um dano severo.

Caso não conseguisse e ele me pegasse, ou, me pegasse parcialmente, buscaria ceder em peso para rotacionar meu corpo com destreza de modo que trouxesse alguma parte importante dele para perto do meu rosto buscando uma mordida animalesca na área para arrancar um pedaço ou até matar. Não havia regras em uma luta de beco. Se por outro lado, o atirador fosse interferir, perto da parede como estaria já iria dificultar sua interferência, e, caso eu sentisse com minha intuição que não seria o suficiente iria fazer os movimentos de antes enquanto tentaria ao máximo manter em uma linha de combate em que o homem em minha frente limitasse parte da zona de tiro.

Se o matasse, pegaria o taco do chão que ele deixou e usaria para garantir que o do pé de cabra estava realmente morto antes de ir ver se Zayn estava bem e se ele tinha pego o farmacêutico.


Histórico:

Just die, i don't care!



Última edição por AoYume em Sex Ago 05, 2022 3:08 pm, editado 1 vez(es)

_________________

四 - Morte e Sangue - Página 7 Thumb-1920-1219366
Jean Fraga
Imagem :
四 - Morte e Sangue - Página 7 FaqI0wB
Créditos :
15
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1620-liu-feng#17327 https://www.allbluerpg.com/t2047-ii-deuses-entre-nos#21998
Re: 四 - Morte e Sangue Qua Ago 03, 2022 5:56 pm


Aki e Ophelia

Aki era astuta e os poucos segundos eram necessários para que ela marcasse seus alvos, os dois soldados que não tiravam os olhos dela eram magros e altos, uma musculatura que ainda estava se construindo, ambos armados com carabinas.

A moça, nem precisava se estender muito, os dois jovens iam acenando com o rosto, conforme se aproximavam dela e sua sorte surgia quando todo seu convite era silenciado pelas falas espalhafatosas de Ophelia.

O soldado que havia sobrado começava a se irritar com toda aquela gritaria e batia sua carabina contra o chão, olhando-a com um rosto sério e claramente estressado ele sequer notava o sumiço da outra menina e seus companheiros.

Tudo era bem escuro e fascinados pela beleza, eles iam aos poucos retornando à consciência, mas era aquele olhar, aquele maldito olhar que brilhava quando os feixes da lua apareciam entre as frestas mofadas e úmidas do telhado.

Caminhando para a morte sem sequer ter ideia, os dois homens jovens perdiam a razão ao ver provavelmente a primeira e última mulher pelada de suas vidas.

O cômodo era o mais iluminado daquela casa abandonada, seu telhado estava aberto e a lua cheia iluminava o palco de Aki, deitando sobre a cama que parecia ser o único móvel intacto de lá, o primeiro marinheiro animado e bobo ia tirando a camisa, deixando o rifle sobre a quina do quarto, ele tomava a frente.

Já o segundo parecia apreensivo, mas não podia perder uma oportunidade daquelas, então encostando a porta, ele ainda vestido ia caminhando com sua arma em mãos, duvidando se tudo aquilo poderia ser realmente verdade.

Deixando os apaixonados de lado, voltávamos para aquele dueto mais conflitante, ele ia se irritando com as tentativas da maluquinha em ficar atrás dele, dando passos para trás quando quase perdia o equilíbrio, por pouco não caindo no porão.

Ele voltava seu olhar furioso para a moça e estava prestes a começar a dar ordens quando o chute leve e sutil era suficiente para tira-lo do seu estado de equilíbrio, caindo e batendo a cabeça durante a queda, o barulho era alto.

Fechando com pressa, ela empurrava um armário pesado que rangia com o atrito ao chão, presos e agora incapacitados de sair, os gritos sequer se espalhavam pela casa, o som era abafado pelas madeiras maciças e velhas da construção.

Jhonny e Zayn

Zayn tinha feito seu papel, sabendo das capacidades de sua aliada, não perdia muito tempo, logo partindo atrás do atirador de elite, ele tentava checar se o atirador estava com a mira cravada e ao jogar o corpo, nada acontecia.

Ele pegava mais dois corpos e partia para dentro do campo inimigo, era quando ele notava a sua frente, cerca de 100 metros a frente, um homem agachado, que atirava exatamente na perna direita de Zayn quando ele corria para a direita.

Porém após isso era difícil acertar mais tiros, apesar do seu tamanho, o homem peixe tinha uma agilidade significativa, assim, o franco atirador não ficava parado, ele ia correndo e mantendo uma distância boa.

Era quando Zayn sentia-se mais lento, um dos corpos que ele carregava, parecia ter um resquício de vida, o homem prendia seus pés no chão, dando brecha para que fosse acertado novamente, agora sendo acertado na barriga, aos poucos o sangue ia escorrendo pelo seu corpo.

O sniper não esperava que em seguida e como se não tivesse sentido o tiro, o brutamontes arremessasse um dos corpos em direção a ele, não chegava a acerta-lo.

Mas dava espaço para que Zayn fizesse o que melhor sabe, matar, era uma sequencia poderosa contra aquele inimigo que sequer tinha uma carcaça para aguentar tudo.

Pego em sua tentativa de se afastar, a morte ia se tornando mais real para ele, até que ele parava de responder aos estímulos, sua barriga? Perfurada completamente depois de todos aqueles socos, a luz da lua chegava a passar pelo buraco.

Com aquele eliminado, ele ia voltando até sua companheira, se dando conta do farmacêutico, até tentava acha-lo, mas a essa hora, o mesmo já estava muito longe dali.

Enquanto tudo isso ia acontecendo, uma batalha tão sanguinária quanto estava prestes a começar, o homem podia estar em um estado de besta naquele momento, mas Jhonny era o próprio demônio.

— Como vocês podem matar meus homens como se não fosse nada?! Esses malucos deviam ser exterminados como baratas pela marinha, mas não...

— Eles têm o pulso fraco, porém não se preocupe, eu cuido de você de depois de seu amigo.


Ainda que com tantas lembranças voltando, Jhonny mantinha uma pose fria, aquele combate não era nem um pouco justo, uma pena para o homem que ainda não sabia disso.

Ele socava a parede com força suficiente para alguns tijolos racharem e com sua mão presa, ele ficava à mercê das garras da jovem, que agora no ar após ter saltado acertava um tiro a queima roupa que acertava o queixo do homem, esperto o suficiente para tirar seu corpo da reta, não sendo perfurado de novo.

— Sua baratinha inútil, pare de fugir e venha brigar comigo!! – Tirando seu braço da parede de tijolos, ele ia na sombra e sumia, apenas era possível ouvir o som de uma tampa de bueiro, poucos segundos demoravam para que ele aparecesse do chão emergindo de outra tampa, uma que estava a poucos metros à frente da moça.

Pegando-a pelo pescoço ele até pensava em continuar o ataque, mas como uma cobra ela puxava seu braço e mordia com força o antebraço do homem que logo estourava, sentindo uma fraqueza nos tendões, vindo da mordida, ele a soltava.

Históricos:

_________________

四 - Morte e Sangue - Página 7 OAKySZI
AoYume
Imagem :
四 - Morte e Sangue - Página 7 Thumb-10
Créditos :
05
Localização :
Flevance - North Blue
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1578-jhonny-jersen https://www.allbluerpg.com/t1586-morte-e-sangue
Re: 四 - Morte e Sangue Qui Ago 04, 2022 11:30 am







If it's not about me...


20
O homem tinha uma força bastante considerável pelo estrondo que tinha acontecido na parede, mas, isso devia tê-lo custado mais do que apenas uma imobilização temporária. Mas, não era só isso, apesar de parecer um tanto "berzeker" ele era mais inteligente do que aquele ao qual foi comparado. Se movia como uma ratazana entrando no esgoto para um movimento surpresa que acabava com o gosto de sangue novamente em minha boca.

Com o braço enfraquecendo e meus braços provavelmente para baixo pela posição, e, não tendo soltado a arma até então, abaixo o cano dessa depois de arquear-me para tomar algum espaço mirando em sua genitália onde daria um disparo impiedoso que provavelmente dificultaria ainda mais sua movimentação. Com isto buscaria dar um passo para tomar alguma distância enquanto meu olhar novamente passeia o meio em busca de possíveis entradas ou saídas para não deixar o homem fugir. Se não conseguisse ângulo para atirar com perfeição, atiraria buscando a perna ou sua barriga no contato ou bateria minha cabeça contra seu nariz para conseguir o mesmo.

Minha língua degusta o líquido rubro deslizando por meus lábios enquanto eu ergo novamente a minha arma. - Não é gostoso, parece o sangue de um rato. E logo depois de eu experimentar o da palhacinha... Se ele corresse, iria me afastar enquanto ergueria a arma em busca de das outros dois disparos alvejando seu pescoço para fazê-lo sufocar em seu próprio sangue. Àquela altura eu não queria um tiro limpo, queria um que o derrubasse e o deixasse morrendo em agonia enquanto engasgava em seu próprio sangue. Se em vez de seguir ele corresse para longe manteria a mesma linha de disparo mas não o seguiria, mantendo sempre uma margem caso precisasse desviar.

Se Zayn chegasse apenas falaria em um tom duro. - Não interfira. Antes que tudo estivesse acabado. Se ele morresse, ajeitaria a arma na cintura apenas para ver que ele não teria alcançado o farmacêutico. Ele buscaria mais gente? A marinha? Meu ódio irradiava em meu olhar enquanto pondero formas de ir atrás dele ainda mantendo a impassividade de raciocínio. Eu queria a cabeça daquele loiro e também queria os compostos para fazer venenos, mas, talvez minha vingança precisaria de uma construção mais fria.

- Droga! Car**ho! Desg**ça! Poderíamos queimar os corpos para tirar evidências, mas, considerando que ele fugiu não teríamos tanto tempo. - É melhor meter o pé dessas ilhas antes que sejamos encurralados e cerco tá se fechando de mais... Balbuciaria se chegasse até ali com o roxão pegando as coisas do chão de volta. - Hey, qual arma o atirador que viu usava? Eu quero aquelas armas, a shotgun e a dele. Digo em passos duros de uma corrida ritmada até onde os corpos estaria para pilhar elas se fosse possível antes de sair à procura de algum lugar escondido para ver como as movimentações mais imediatas ao redor aconteceriam.


Histórico:

Just die, i don't care!



Última edição por AoYume em Sex Ago 05, 2022 3:09 pm, editado 1 vez(es)

_________________

四 - Morte e Sangue - Página 7 Thumb-1920-1219366
Milabbh
Imagem :
四 - Morte e Sangue - Página 7 Cartas
Créditos :
00
Localização :
Ilhas Organ - East Blue
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1609-ophelia-jester#17229 https://www.allbluerpg.com/t1586-morte-e-sangue#16916
Milabbh
Civil
Re: 四 - Morte e Sangue Qui Ago 04, 2022 1:38 pm
Quem disse sangue?!... Pera, era meu?!
Vinte e Um
Uma vez que constatava o sucesso de meu plano, encostava em uma parede e suspirava enquanto revirava os olhos. - Bem... Nem todos apreciam uma performance de qualidade. Claro que porcos da marinha não o fariam. - Recompondo-me, batia a possível poeira que havia ficado em minhas mãos e começava a andar em direção ao quarto.

Notava o silêncio ensurdecedor que caía sobre o lugar. Será que Aki já havia matado todos...? Não, ela parecia ser do tipo que apreciava um bom espetáculo antes do clímax final, logo, com certeza ainda se deleitava na agonia dos ingênuos que a seguiram.

Vagarosamente abria a porta, que produzia um rangido macabro. Um sorriso sedutor surgia em meu rosto enquanto encarava a alva assassina despida na cama e banhada pela luz da lua. De fato, ela poderia matar quem quisesse quando estivesse nessa vantagem.

- Vejo que ainda estão para começar... O que dizem, posso me juntar a vocês? - Acariciava meu corpo, fazendo o caminho até o chicote em minha cintura. - Mas sabem... Eu gosto mais da brutalidade. - Mordendo o lábio inferior, me aproximava do segundo homem, aquele que ainda carregava a arma. Pretendia enrolar o chicote em seu pescoço sem que ele percebesse como ameaça.

Com leveza sutil, passeava meus dedos pela pele do marinheiro desconfiado, aproximando minha boca de seu ouvido. - Do que tem medo? É sua primeira vez? - Soltava uma risadinha suave e virava seu rosto para o meu. - Não se preocupe, vou te ensinar tudo. - Assim que nossos lábios se tocassem, daria início a um beijo lento e "apaixonado", enquanto minhas mãos subiam discretamente em posse do chicote, prontas para enrolar a arma no pescoço do marinheiro.

Se conseguisse, me moveria para suas costas e começaria a puxar o couro com força, usando seu corpo como alavanca para minha perna, tentando enforca-lo ou quebrar seu pescoço. Se falhasse, no entanto, ou se ele conseguisse se libertar, saltaria para longe, olhando para Aki e checando como ela e seu animalzinho estavam.

DetalhesFalas
*Histórico:
Ganhos:
-100 B$ (esmolas)
- Chicotin
Perdas: N/A
Ferimentos:
HP: 2600/2500    
Escoriação de Bala (Raspão - 2/2) [Não precisa de tratamento] - Desconto de 100 HP.
- Hemorragia interna no estômago [4/4]
- Deslocamento da articulação Temporo Mandibular [3/3]

*Objetivos:
- Roubar uma arminha tops
- Sair em uma aventura
- Aprender Proficiência Armadilhas
- Aprender Proficiência Avaliação
- Me divertir <3

@mm
Ex-Panda
Imagem :
四 - Morte e Sangue - Página 7 13992c4e51a6ce1e4300d4e366dd4e4a
Créditos :
08
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1611-zayn#17239 https://www.allbluerpg.com/t1586-morte-e-sangue#16916
Re: 四 - Morte e Sangue Qui Ago 04, 2022 5:52 pm
Zayn



Eu levava mais alguns tiros e sentia meus membros ficando cada vez mais “duros” e pesados, o que era ruim, bem ruim, eu precisava logo de um tratamento e rezava para que Jhonny estivesse bem, ou eu teria que levar nos dois a um médico.

Para estancar o sangramento dos buracos das balas eu colocava meus indicadores em minhas feridas, quase que tampando o vazamento, ia andando de volta ao beco lentamente enquanto procurava o farmacêutico que pelo visto já estava bem longe dali.

Se conseguisse chegar sem mais problemas olharia a situação que Jhonny se encontrava, não sei se conseguiria lutar tão bem mas poderia tentar.

四 - Morte e Sangue - Página 7 5f559ce11a6261fdefbcef287ea213e3

— Jhonny precisa de ajuda? Ou quer que eu fique de fora? Afinal ele é sua presa oktopaspaspaspas, de toda forma mate ele logo, preciso de suas belas mãos para me ajudar aqui, eu to com vazamentos.

Mostrava todos os buracos de bala que eu tinha no meu corpo, se ela aceitasse a minha ajuda eu iria a caminho de seu inimigo com a maior velocidade que eu podia correr e então o derrubava no chão com meu peso e deixava ela fazer o resto, estava cansado demais para pensar.

四 - Morte e Sangue - Página 7 03b685eb7434dddca259f8d48612b5c6

— Jhonyyy mata logo ele vai vai, eu quero meu tratamento, vamos, eu to machucado, eu vou morrer logo logo...

Ficava fazendo manha ajudando ela ou não, se a situação saísse muito do controle eu interviria de toda forma para não deixar ela se machucar mais do que já estava e se tudo acabasse pegaria as coisas do chão e responderia sua pergunta.

— Sinceramente eu não percebi qual era a arma, mas vamos para lá e como provavelmente eles viriam para cá primeiro nós podemos sentar um pouco enquanto você me trata e verifica o cadáver do atirador...

Não estava muito bem para andar muitas distancias então queria sentar logo, mas não queria preocupar ela, então andava lentamente e pacientemente até o local onde estava o corpo do atirador, deixava ela pegar o que queria e então iria com ela para um local escondido.

No local eu me escorava na parede e deslizava para sentar no chão, estava exausto, talvez fosse a perda de sangue, mas me sentia zonzo, abria meus braços com um sorriso no rosto, não tinha porque a deixar preocupada.

— Vamos Jhonny quero suas mãos sobre meu corpo, quer dizer, quero meu tratamento médico!

Eu não estava sentindo dor, mas podia sentir que ficava fraco a cada segundo que passava, eu já tinha perdido sangue demais, então me encostaria na parede e daria um longo suspiro.

— Pelo visto o farmacêutico fugiu.... Sinceramente eu estou preocupado com aquelas duas, estranho já que a gente se conheceu hoje, mas foda-se elas são legais e não me trataram que nem merda por ser um tritão, você também no caso...

四 - Morte e Sangue - Página 7 Ba726b1132624c75e3e04576c8d54d4c

Pensativo por alguns segundos em silencio olhando para cima eu me decidia, eu não queria ficar preso nessa ilha, queria navegar o mundo a fora, trazer a mudança, o novo amanhã! Mas precisaria de mais pessoas comigo nessa jornada. E eu sabia muito bem quem eu queria ao meu lado.

Olhava para ela gentilmente e segurava uma de suas mãos então fazia meu convite.

— Ei Jhonny, seja minha mulher! Vamos viajar o mundo juntos! Eu poderia usar a suas ideias, eu a força bruta e você a minha cabeça e médica, claro que as outras duas também seriam minhas mulheres, mas ta tudo bem! Eu vou cuidar de todas vocês!

— Mas bem a minha parte seria ter você comigo, você seria minha! Mas o que você quer? Eu posso te dar tudo! Talvez não agora, mas um dia com certeza, se você aceitar faremos um pacto, eu pego a minha parte do acordo e eu vou cumprir o que eu devo mesmo que eu morra, esse sou eu...


Desde que nos conhecemos talvez era a primeira vez que ela poderia me ver com uma feição realmente “seria” no rosto, era um convite genuíno e eu esperava que ela aceitasse.

四 - Morte e Sangue - Página 7 B14894b0dff4f0faf17e62742c019a0c


四 - Morte e Sangue - Página 7 NWk9Qsj

Histórico :

_________________

四 - Morte e Sangue - Página 7 XaxriMi