Bem-vindo ao

All Blue

É com muito prazer que lhes damos os comprimentos ao nosso RPG. All Blue se trata de um RPG narrativo com o ambiente principal centrado em One Piece, obra de Eiichiro Oda.
Se divirta nessa nova aventura e se torne o novo rei pirata... Se puder!

四 - Morte e Sangue

Página 10 de 11 Anterior  1, 2, 3 ... , 9, 10, 11  Seguinte
Achiles
Imagem :
四 - Morte e Sangue - Página 10 Bf3w3iH
Créditos :
38
Localização :
Farol - Grand Line
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1735-caitlyn-g#18385 https://www.allbluerpg.com/t2060-iv-you-ll-never-see-me-cry#22235
Achiles
Pirata
四 - Morte e Sangue Qua Abr 20, 2022 10:33 am
Relembrando a primeira mensagem :

四 - Morte e Sangue

Aqui ocorrerá a aventura do(a) Civil Johnny Jersen. A qual não possui narrador definido.

Milabbh
Imagem :
四 - Morte e Sangue - Página 10 Cartas
Créditos :
00
Localização :
Ilhas Organ - East Blue
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1609-ophelia-jester#17229 https://www.allbluerpg.com/t2189-zayn-suas-gostosas#24172
Milabbh
Pirata
Re: 四 - Morte e Sangue Qua Ago 24, 2022 6:39 pm
Quem disse sangue?!... Pera, era meu?!
Vinte e Sete
Zayn prontamente atendia meu pedido enquanto habilmente brincava com o corpo de Aki. Um poderoso tapa me acertava, fazendo-me estremecer e arfar, ainda sentindo suas fortes estocadas, mais um pouco daquilo e o clímax rapidamente seria alcançado. No entanto, não podia ser egoísta, a assassina também precisava de diversão.

Como se adivinhasse nossos pensamentos, Zayn resolvia mudar a posição e logo estava com o rosto entre as pernas da alva moça. Como se precisasse pedir, ele me conduzia até o mesmo local, e com um sorriso, provava o gosto da dama da noite.

Zayn parecia formar uma ótima dupla comigo, ou era isso que os gemidos satisfeitos de Aki apontavam. Dentre lambidas e semi beijos, eu e o tritão nos deliciávamos com a bela moça até o ponto que nenhum de nós podia mais aguentar, era chegada a hora.

O tritão nos colocava em decúbito dorsal, nos encarando com nenhum pudor e rapidamente penetrando a mulher ao meu lado. Ouvir a doce sinfonia de arfadas e gemidos misturados às estocadas do homem que nos satisfazia era de levar qualquer um à loucura, e bem, comigo não foi diferente.

Seus dedos firmes passeavam pelo meu busto e ventre, acariciando e maltratando, por vezes. Como se isso já não fosse suficiente, éramos os protagonistas de uma sequência incessante de beijos ardentes.

Aki não ficava para trás e se unia a Zayn durante as carícias. Quando me penetraram com os dedos, porém, sentia minhas costas arquear e o ar faltar. Retomando o fôlego, gemia alto. Naquele momento nós éramos insaciáveis, e ali percebi que depois de provar tal noite, jamais outra qualquer poderia se igualar, apenas aqueles dois poderiam me fazer sentir assim.

Em meio a beijos, carícias e penetrações, veio a ordem do tritão. Sorrindo, ouvia a fala de Aki e respondia em seguida. - Parece que vai ter trabalho, peixão! - Puxava ambos para mais um beijo ardente, segurando firmemente seus cabelos.

Quando achava que aquele era o fim, Zayn novamente nos surpreendia. Como se pesássemos menos que os travesseiro da cama, ele nos erguia, colocando-me sobre o corpo quente de Aki. Prontamente entendia seu plano, pois sentia seu membro avantajado sobre nossas peles. Olhava para a dama sob mim com desejo e sensualmente mordia seu lábio inferior.

Gemendo, agarrava seu seio e sentia Zayn brincar conosco, sem parar de estocar um só segundo. Antes mesmo que ele falasse que o clímax se aproximava, eu já o sentia espreitando. Como em uníssono, todos arfavam e sentiam os corpos estremecerem.

Sorrindo ofegante, aceitava o beijo do tritão, assim como seu braço, onde me aconchegava confortavelmente. Dava um beijo em sua bochecha e um selinho em Aki, voltando para o conforto musculoso do tritão. - Boa noite brijela, boa noite xerosa! - Com um sorriso no rosto, sentia como se finalmente pertencesse. Pela primeira vez não me acharam estranha ou maluca, não esperavam nada a mais do que eu pudesse dar e isso era o mais perto que cheguei da paz. Com isso em mente, senti minha consciência se esvair até que finalmente tivesse adormecido.

DetalhesFalas
*Histórico:
Ganhos:
-100 B$ (esmolas)
- Chicotin
Perdas: N/A
Ferimentos:
HP: 2600/2500    
Escoriação de Bala (Raspão - 2/2) [Não precisa de tratamento] - Desconto de 100 HP.
- Hemorragia interna no estômago [4/4]
- Deslocamento da articulação Temporo Mandibular [3/3]

*Objetivos:
- Roubar uma arminha tops
- Sair em uma aventura
- Aprender Proficiência Armadilhas
- Aprender Proficiência Avaliação
- Me divertir <3

@mm
Jean Fraga
Imagem :
四 - Morte e Sangue - Página 10 FaqI0wB
Créditos :
00
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1620-liu-feng#17327 https://www.allbluerpg.com/t2047-ii-deuses-entre-nos#21998
Re: 四 - Morte e Sangue Qui Ago 25, 2022 11:01 pm


Todos


Como esperado, o marinheiro era cordial até o final, permitia que Jhonny pegasse sua arma e por enquanto, fizesse o que planejava sem interrupções.

Era ardilosa e com sutileza bolava um plano, a pólvora era dispersa no ar e quando começava a correr, Jhonny disparava, a camada de pólvora explodia as partes mais debilitadas do concreto e o homem sumia naquela bagunça toda.

Não dava para saber se ele havia sido atingido, ou se estava bem, mas a verdade era, a moça conseguia comprar tempo, mas aos poucos, conforme olhava para trás, ia notando o marinheiro mais e mais perto, como se Jhonny estivesse caminhando e ele correndo.

A distancia ia diminuindo consideravelmente e era possível notar um sangue escorrendo do supercilio direito do marinheiro, assim como seus óculos que tinha as duas lentes quebradas depois da explosão.

Tentando prever pontos de contato do homem, ela conseguia atrasar em alguns segundos a chegada dele, forçando-o a ir pelas rotas mais difíceis, pulando por cima de bancos e lixos.

A altura era quase nula, as ilhas Organ não eram montanhosas na costa e o que separava o cais da água, era uma queda de 60 centímetros.


O mar estava agitado, mas ainda assim, ela pulava vendo a cada milésimo a água mais perto de seu contato. Mas sentia algo ou alguém a segurando.

O sargento a segurava e a empurrava para o cais, por poucos segundos ela agora não estava no mar e o que a separava do mar era o próprio oficial.

Ele disse em um tom quase nulo, mas suficiente para que Jhonny escutasse.

— Soru... – Ele desaparecia e aparecia na frente dela, a levantando com um agarram forte sobre o pescoço, ele a carregava apertando com força sobre sua traqueia.

— Você queria ir para o mar certo? – Jogava os óculos quebrado na água – Que tal procurar para mim? – Dizia com um sádico sorriso, só então botaria Jhonny de barriga no cais e afundaria sua cabeça dentro da água.

Com a perna direita sobre as pernas da moça e com a mão vaga segurando seu braço preso as costas, ela estava imobilizada e ao menos, seu rosto estava molhado naquele momento.

Mas ele era brincalhão, então tiraria o rosto dela d’agua, dizendo, — E aí? Achou? Não? Busque melhor. – Voltando o rosto da moça ao mar.

A brincadeira havia acabado e agora os três estando relaxados, Zayn dormia com suas mulheres, sentindo falta de uma ultima peça naquele quebra cabeça, mas o cansaço geral era tanto que o sumiço de Jhonny até agora passava quase que despercebido.

Os três adormeciam e em especifico Zayn, não demorava muito para que entrasse em esquisitos sonhos, ele no fundo do mar acordando e então, não conseguindo respirar, ainda que tritão, ele só ia se afogando mais e mais, ao fim daquele pesadelo breve, ouviria a fina voz de sua companheira desaparecida, despertando do sono suado e um pouco perturbado com aquele pesadelo.

A noite era silenciosa e ao fim, ouvia uma voz vindo da rua, — Vocês sabem onde está o sargento?! E a assassina? – Uma chuva fina dificultava que Zayn conseguisse ouvir o resto da fala.

Seu corpo já estava muito melhor, mas ainda estava levemente perfurado e machucado, talvez pudesse buscar ajuda com suas noivas.

Fato era, caso ele ou até mesmo Ophelia e Aki decidisse ir atrás de Jhonny, sua companheira, eles não demorariam muito até que notassem duas pessoas em um dos cais e se aproximando, entenderia toda a situação, Jhonny estava sendo afogada pelo possível sargento citado anteriormente. Ela ia se mexendo menos e menos, como se estivesse aos poucos, perdendo a consciência.

De costas para a entrada do cais e gargalhando bastante, ele parecia estar completamente fixado no que fazia naquele momento, pouco se importando com o ambiente a sua volta.


Históricos:

_________________

四 - Morte e Sangue - Página 10 OAKySZI
Ex-Panda
Imagem :
四 - Morte e Sangue - Página 10 13992c4e51a6ce1e4300d4e366dd4e4a
Créditos :
23
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1611-zayn#17239 https://www.allbluerpg.com/t1586-morte-e-sangue#16916
Ex-Panda
Pirata
Re: 四 - Morte e Sangue Dom Ago 28, 2022 9:04 pm
Zayn



Finalmente podia dormir, mas não era exatamente o que acontecia, eu ia para o fundo do mar em meus sonhos mais profundos, mas era estranho, um local que era sempre tão tranquilo para mim agora era desesperador.

Eu não conseguia respirar por mais que tentasse, eu ia me afogando a cada segundo que passava, estava mais e mais fundo, e finalmente a voz de Jhonny ecoava por minha cabeça e então eu finalmente acordava.

四 - Morte e Sangue - Página 10 9b85d47656e1c59eaef3f1e94c903f29

Acordava em desespero, puxando o ar para os pulmões, me arrastava ao canto da cama deixando as duas ainda dormindo.

— Arf arf... Jhonny onde você está, porque me grita até em meus sonhos?

Uma conversa ao fim da rua me despertava de meus pensamentos, olhava para a janela, assassina? Com certeza estavam atrás de Jhonny, um flash rápido de minhas memorias me mostravam o meu tempo de prisioneiro.

— Merda é culpa minha ela ainda estar lá fora!

Pegava a minha arma e das duas e então as abraçava as tirando da cama, chutaria a janela a quebrando com meus pês nus não me importando se iria me cortar ou qualquer coisa do tipo, provavelmente estaríamos os 3 pelados, mas não era tempo de me importar com roupas.

— MENINAS ACORDEM, ESTÁ NA HORA DE AJUDAR A JHONNY!

Saltava da janela carregando as duas e as armas, cairia em pé se possível, olharia ao redor para ver se achava Jhonny, mas se não correria em disparada para onde eu havia ouvido a conversa usando a água da chuva como ajuda nas minhas técnicas de karate do tritão não seria qualquer um que poderia me parar nesse momento.

Se visse o marinheiro tentando afogar minha companheira ainda não gritaria, tentaria usar o elemento surpresa, quando estivesse bem próximo soltaria Aki enquanto a entregava suas armas perto de Jhonny para ajudá-la a não se afogar.

Quando estivesse a um metro de distância do marinheiro gritaria para Ophelia e Aki enquanto me preparava para meu golpe.

— OPHELIA VAI! AKI SALVA ELA!

A lançava por cima do homem com seu chicote esperando que ela pudesse fazer algo, arrumava minha posição enquanto tentava deslizar pelo chão molhado, ficava na posição básica do caratê do tritão e acumulava toda a minha força em um golpe.

四 - Morte e Sangue - Página 10 D7877744a223c7b1c472365f2542ed3f

— SINO DAS MIL ONDAS!

Daria uma cabeçada com a área de minha testa na dele com toda a minha força, não me importando se me cortaria, só queria que ele fosse para longe delas, aproveitaria o golpe que talvez Ophelia acertasse ou pelo menos distrairia o homem para me aproximar mais uma vez.

Minha força e mobilidade não estava as melhores, na verdade eu sentia que o cansaço quase me dominava, meu corpo estava pesado, mas eu não podia parar, não ainda!

— Então você estava tentando matar minha amiga seu verme, eu odeio vocês fardados, me dá vontade de matar todos!

Algo não estava certo, meu instinto animal não me deixava quieto, era o mesmo que eu sentia com alguns guardas da minha antiga prisão, e a conversa que eu havia escutado antes me provava que com certeza haviam muitos marinheiros por perto.

Se visse um golpe na minha direção saltaria para trás com uma bananeira tomando uma grande área entre nós dois, mas caso não fosse rápido o possível apenas tentaria me defender com meus 4 braços.

— CORRAM! SAIAM DAQUI!

Girando e usando meu pé eu jogaria água em seus olhos, pegaria Ophelia que provavelmente estaria perto de mim e correria para as duas, as puxando ou carregando também como desse, precisávamos sair dali, não poderíamos ser presos, eu não podia ser preso de novo!

Se ele fosse muito rápido e fosse me pegar lançaria as meninas para longe dando uma chance de elas correrem ou talvez acertar um golpe no homem, usando toda a força que eu tinha em minha perna o chutaria para longe.

— CHUTE QUEBRA PEITO!

Se conseguisse voltaria a correr com elas para longe tentando despistar aquele marinheiro, tínhamos que sair daquela ilha então tentaria correr para o porto caso soubesse o caminho ou estivéssemos por perto.

四 - Morte e Sangue - Página 10 NWk9Qsj

Histórico :

_________________

Zayn & suas gostosas!
四 - Morte e Sangue - Página 10 YTpeD1K
Milabbh
Imagem :
四 - Morte e Sangue - Página 10 Cartas
Créditos :
00
Localização :
Ilhas Organ - East Blue
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1609-ophelia-jester#17229 https://www.allbluerpg.com/t2189-zayn-suas-gostosas#24172
Milabbh
Pirata
Re: 四 - Morte e Sangue Dom Ago 28, 2022 9:41 pm
Quem disse sangue?!... Pera, era meu?!
Vinte e Oito
thwack! - O chicote estalava, ensurdecedor e ardente. O líquido quente e carmesim escorria pela translúcida pele de uma jovem Ophelia. Lágrimas rolavam sem freio pelo rosto alvo e repleto de veias azuladas. - QUANTAS VEZES PRECISO REPETIR?! - Esbravejava o Comodoro Jester. - Menina inútil... Deveria ter lhe entregado para o circo assim que nasceu, só serve para fazer macaquices! - Ahhh sim, Ophelia a macaquinha de circo, a deficiente, a filha não desejada do grande Comodoro... Ophelia, a mais....

{...}

Antes que pudesse concluir meu pensamento no sonho, sentia um puxão e meu corpo era erguido. Abria os olhos cor de esmeralda em um susto e notava o que acontecia. Estava sendo carregada por um Zayn de aparência desgrenhada que quebrava a janela, e ele estava nu... Espera, eu também estou nua!!!!

Sentia o frio do exterior arrepiar meus pelos do braço, e arregalava os olhos enquanto íamos de encontro ao chão. Involuntariamente, me protegia com os membros superiores mas, por sorte, o tritão era bem alto, o que parecia amortecer um pouco nossa queda. - Ei, grandão, salvar a Jhonny de quê?! - Sem entender muito bem o que estava acontecendo, tentava arrancar alguma informação, mas não me debatia, afinal, ele parecia ter um motivo legítimo, ainda que ele fosse esquizofrenia.

Chegando perto da cena, finalmente entendia o desespero. A pobre caolha deprimida era afogada por um porco da marinha. Meu semblante imediatamente se tornava hostil e logo entendia o plano de Zayn. - Vai?!?!?! - Entendia porra nenhuma! Ele queria me arremessar?!... Bom, não só queria como o fez. Lá estava ela, Ophelia, a macaquinha de circo sendo lançada nua sob a chuva noturna, indo salvar alguém que sequer conhecia tão bem... Ahhh, as escolhas que fazemos.

Em posse de meu chicote, tentava pousar de alguma forma que pudesse enrolar o couro da arma em seu pescoço ou pernas, afim de incapacitá-lo ou, preferencialmente, derrubá-lo, mesmo que fosse por um curto período, dando uma brecha para Aki e Zayn agirem. Caso não fosse bem sucedida, porém, aterrissaria da melhor forma que conseguisse, tentando evitar grandes ferimentos e assumiria uma postura de combate, pronta para esquivar de prováveis ataques, mas já desferindo alguns golpes para mantê-lo ocupado.

Pelo seu porte e uniforme só havia uma certeza em minha mente, não poderíamos ganhar. Ele nos superava em todos os sentidos, e o melhor a fazer era fugir. - Zayn, hoje não é dia de comer suíno, sebo nas canelas! - Encarava o tritão com olhar preocupado, e ele parecia entender meu recado. Rapidamente ele corria em nossa direção, pegando as meninas pelo caminho. Tentava correr com minhas próprias pernas, mas acredito que o tritão venceria minha velocidade, por isso, deixaria que ele me carregasse novamente, no momento, o importante era fugir.

Durante a fuga, continuaria olhando nossos arredores, e estalaria meu chicote em qualquer um que ousasse avançar contra nós, assim como papai querido me ensinou anos atrás. Gritaria direções para que Zayn pudesse desviar também. Aproveitando algum momento oportuno, usaria qualquer coisa próxima como caixas, tecidos ou mesmo lixo para atrapalhar o caminho dos marinheiros que estivessem em nosso encalço.

DetalhesFalas
*Histórico:
Ganhos:
-100 B$ (esmolas)
- Chicotin
Perdas: N/A
Ferimentos:
HP: 2600/2600    
Escoriação de Bala (Raspão - 2/2) [Não precisa de tratamento] - Desconto de 100 HP.
- Hemorragia interna no estômago [4/4]
- Deslocamento da articulação Temporo Mandibular [3/3]

*Objetivos:
- Roubar uma arminha tops
- Sair em uma aventura
- Aprender Proficiência Armadilhas
- Aprender Proficiência Avaliação
- Me divertir <3

@mm
Aki
Imagem :
四 - Morte e Sangue - Página 10 EiDhlj8
Créditos :
00
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1779-aki-kurosawa#18957 https://www.allbluerpg.com/t1586p30-morte-e-sangue#18995
Aki
Pirata
Re: 四 - Morte e Sangue Seg Ago 29, 2022 1:03 pm


morte e sangue

Sobre a cobertura da joalheria mais rica, ela se move em silêncio taciturno



Aki abriu os olhos.

Sentiu, sob a palma da mão e a lateral da face, o peitoral de lavanda se encher e esvaziar: a respiração lenta de Zayn, adormecido. Observou, logo à frente de si, o rosto relaxado da circense, também adormecida.

Aki se moveu feito um felino, em silêncio taciturno. Saiu do colo do tritão, deixando o envolvimento dos braços arroxeados. Passou as pernas pelo lado da cama, pousou os pés no piso frio e seguiu até seus pertences; ao pé da cama, onde se despira.

Os passos eram mudos. Os olhos, vermelho-luzentes, enxergavam com clareza mesmo no ambiente completamente sombreado pela noite. A mão lívida aterrissou por entre as vestes jogadas no chão e retirou de lá o colar de brilhantes.

Aki ergueu a pedraria na altura do rosto. Os lábios emitiram um sorriso ligeiro e travesso. O olhar também sorriu, fitando com prazer o delicioso brilho que as pedras refletiam com o menor sinal de luz que atravessava a escuridão, um brilho que apenas joias são capazes de produzir.

Ela trouxe a pedraria lustrosa para o colo, sentiu o toque gélido de cada pedra, e as esfregou até o rosto.

Mais algumas passadas silenciosas e chegou até a janela. Descortinou o vidro e lançou o olhar à lua. Sentou-se apoiada sobre o peitoril, e viu como as pedras reagiam aos raios diretos do astro prateado.

Aki namorava aquele colar de brilhantes com um amor que não era capaz de descrever.

Após banhar as pedras com o luar, foi até o banheiro. De frente para o espelho, vestiu a peça de joias. Então admirou a si através do reflexo: a escultura que era o próprio corpo nu, de pele pálida, coroado pela joia de vários brilhante e emoldurado pelos feixes preto-azeviche de seu cabelo.

Ela penteava mecha a mecha do mar de fios escuros com os dedos.

Logo eu terei muito — ela sussurrou —, muito mais.

Ainda vestida com o precioso colar, Aki voltou para a cama, novamente se aconchegando nos braços de Zayn. Então se entregou a um sonho repleto de brilhantes.

[...]

Aki, de solavanco, acordou por uma força que ultrapassou o sonhar e se revelou algo concreto, real. Ao abrir os olhos, despertou para a cena caótica de milhares de cacos de vidro estilhaçados. Percebeu-se contida nos braços de pele roxa, varreu o recinto e viu que Zayn a segurava, fugindo noite afora.

Ajudar a Jhonny? — ela indagou, tentando entender o rumo que as coisas tomaram.

O quatro-braços era forte, alto... quase um gigante. Sem qualquer explicação a mais, Aki foi carregada por alguns quarteirões até chegarem a um cais.

Estava chovendo, e a sensação fria das gotas batendo na pele reforçaram a lembrança de seu corpo nu. Droga, essa chuva vai acabar com o meu penteado, pensava ela já se irritando com a situação. Apalpou o pescoço a fim de averiguar se o colar de brilhantes ainda estava consigo, e suspirou de alívio ao sentir as peças da joia.

Foi então que, mais à frente, Aki vislumbrou a cena de um oficial da marinha segurando alguém contra o mar. Até que ela reconheceu a vítima: era Jhonny.

Então ela está mesmo em apuros... Como Zayn soube disso?

Mas a resposta para sua pergunta, naquele momento, pouco importava. Algo falava mais alto em sua mente. O ódio que sentia por aqueles oficiais era indiscutível. Ainda que a atiradora caolha não fosse exatamente uma aliada, observar as cenas de crueldade da marinha faziam os olhos escarlate pulsarem com o sentimento mais vívido que a última Kurosawa era capaz de sentir...

A vingança.

Aki sequer olhou para Zayn, apenas sentiu o peso saindo de sua cintura. A assassina havia marcado seu alvo. O olhar carmesim estava mirado. Outra vez munida das facas, ela contornou a área com o silêncio de seus passos leves. Esgueirava o perímetro, caminhando sorrateiramente feito um víbora que se pretendia a dar o bote final.

Buscou os componentes do ambiente: qualquer objeto que pudesse servir de esconderijo para que ela fosse se aproximando a medida que permanecia oculta. Até que ela chegasse a uma distância ideal para o ataque.

As lâminas projetavam de seus dedos como presas salientes. Semicerrou o olhar, fitando bem o marinheiro. Ela mirou diretamente na articulação do braço que segurava Jhonny. E então disparou uma das facas contra o cotovelo dele.

E logo saltou sobre a água, já aterrissando numa corrida na direção da atiradora. Aki tentaria tirá-la dali, afastá-la do oficial enquanto Zayn e Ophelia trabalhavam com mais ofensivas.

E nos encontramos de novo, hein? — diria a Kurosawa, enquanto ajudava Jhonny. — Não confunda as coisas, eu adoraria vê-la morrer. Mas meu ódio pela marinha é bem maior do que por você.

Desse modo, com o sucesso das ações do grupo, a fuga se iniciaria. Todos ali sabiam que não tinham condições de lutar contra o possível exército da marinha — que carregava a fama de sempre estar à postos.


Considerações
Tudo tentativa.

O resultado da personalização da roupa/disfarce foi este aqui.

Objetivos:
  • Conseguir dois punhais
  • Adquirir as proficiências Anatomia e Psicologia
  • Roubar umas joias
  • Matar marinheiros


Ganhos:
  • Chave desconhecida [Roubo] - (Turno 1 individual, Turno 9 em grupo)
  • Colar de Brilhantes [Roubo] - (Turno 03 Individual, Turno 11 em grupo)
  • Livro de Anatomia [Roubo] - (Turno 05 Individual, Turno 13 em grupo)
  • 2 facas (talher) de metal [Roubo] - (Turno 05 Individual, Turno 11 em grupo)
  • Proficiência Anatomia - (Turno 06 Individual, Turno 14 em grupo)




pdv: 2.480

sta: 100

ilhas organ





_________________

Aki Kurosawa
AoYume
Imagem :
四 - Morte e Sangue - Página 10 Thumb-10
Créditos :
10
Localização :
Flevance - North Blue
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1578-jhonny-jersen https://www.allbluerpg.com/t1586-morte-e-sangue
Re: 四 - Morte e Sangue Seg Ago 29, 2022 3:19 pm







If it's not about me...


27
Vislumbres sórdidos de fogo e água remetiam as lembranças da construção daquela aventura e seu desenrolar. O som dos tiros ecoava em minha enquanto os flashs dos incêndios pelo caminho e o mergulho naquela banheira iam entrelaçando-se entre os mergulhos esporádicos e as bolhas na água que surgia. A dor do afogamento era tão presente quando poderia ser e a dor da imobilização também, o suficiente para que meus dentes rangessem, mas, entre cada breve intervalo ignoro as palavras do homem com uma frieza quase impessoal para retraçar o caminho até ali.

Sua velocidade provinha de alguma técnica balbuciada? Ele detinha alguma falta de acuidade visual em decorrência da falta de seus óculos? Era difícil supor quando ele agiu tão relapso sobre eles estarem quebrados. Dentre os pensamentos, em sua retirada da água tendo um vislumbre das ações dos demais se fosse o caso por intuição com uma feição ríspida cuspiria na cara do homem clamando toda a atenção dele. Ainda que não visse, faria isso no breve tempo falando em um tom de certo sarcasmo abafado pela falta de força de água na boca e nariz. - Mi degolga gogo gra gua(me devolva logo pra agua)

Se funcionasse e ele se distraísse um pouco, ou, mesmo não sendo o caso, mas, eles conseguissem fazer algo que o fizesse me soltar, buscaria me mover me afastando tão breve quanto poderia arfando. Meu rosto provavelmente estaria uma bagunça, entre lágrima e um olho vermelho, talvez coriza deslizando por meus lábios com algum sangue e um grande inchaço pelo osso fraturado, mas, francamente, eu não ligava para essas coisas de aparência como a outra que devia se importar até com coisas como seus cabelos sendo molhados. Sorriria sem limpar o rosto de uma forma tão macabra quanto cansada.

Ele não havia me desarmado quando me imobilizou, mas, molhadas eu não tinha tanta certeza sobre a funcionalidade delas que tinham, provavelmente, sangue escorrendo por elas pela reação até então nem percebida de pressioná-las com avidez e certo desespero causado pelo afogamento. Os itens em água e rubro óleo seriam guardados enquanto o olhar incerto passeava pelas ações dos outros. Eu consigo correr? Bom, era mais do que conseguir, eu precisava. Ao menos, quando o afogamento em si tornar-se-á mais brando a falta de ar anterior em si ia se esvaindo enquanto ainda sobre sobrava aquela tontura. Eu devia ficar feliz por ter um olho só agora? Anatomicamente falando, como eu não possuo dois pontos perspectiva, ao menos o efeito que fica é apenas a troca de eixo rotativa e desfoque múltiplo não é bem o meu caso já que não há "múltiplo" desde o começo.

Tentaria novamente correr, novamente levando uma munição da arma mais pesada na boca, mas, desta vez não uma, mas, duas. Se ele me focasse mesmo com os outros tentaria desviar em corrida com alguma dificuldade correndo na direção dos outros para ter alguma interferência. Se conseguisse manter em movimento, abriria uma cápsula e então lançaria de novo a pólvora em sua direção com uma feição segura novamente forçando-o a agir de acordo, ainda mais agora que talvez ele tivesse alguma dificuldade sem os tais óculos. Todavia, não haveria explosão dessa vez, apenas um blefe para retardá-lo. Todos pareciam querer correr em fuga afinal.

Não havia muito mais que eu pudesse ou quisesse fazer. Mesmo transpassar à frente dos outros à esta altura não era uma boa escolha considerando que eu devia estar entre as mais lentas. Mesmo se fosse jogada, continuaria apenas tentando seguir em fuga para algum local, talvez até os esgotos novamente.

Se eles não conseguissem me soltar de imediato, por outro lado, tentaria me debater ou cuspir, até morder ou aranhar, se alcançasse tentando eventualmente conseguir uma brecha para sair e prosseguir com as demais ações já citadas anteriormente. Se mesmo assim não conseguisse me livrar, seria difícil realizar alguma ação completamente imobilizada esperando a brecha para fazer o restante possivelmente criada por eles.


Histórico:


Just die, i don't care!



_________________

四 - Morte e Sangue - Página 10 Thumb-1920-1219366
Jean Fraga
Imagem :
四 - Morte e Sangue - Página 10 FaqI0wB
Créditos :
00
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1620-liu-feng#17327 https://www.allbluerpg.com/t2047-ii-deuses-entre-nos#21998
Re: 四 - Morte e Sangue Ter Ago 30, 2022 12:26 pm


Todos


Acordando perturbado por aquele terrível sonho, quase que um pesadelo, Zayn ainda que bem cansado, não podia deixar sua companheira ser pega pelos marinheiros.

Ele se levantava sentindo algo viscoso em seu peitoral direito, por um pequeno e fundo buraco, escorria sangue, talvez uma bala que não havia sido tratada? A dor era insignificante, mas a hemorragia que podia começar por ali era preocupante.

Deixando isso de lado, ele pegava as duas e suas armas. Todos ainda pelados partiam pulando pela janela e correndo atrás de Jhonny, o tritão seguia o caminho das vozes que antes havia ouvido, marinheiros olhavam para aquela cena estranha sem entender muito, deixando que eles passassem ainda que estivessem apreensivos por estarem entrando num ambiente fechado por causa do incêndio.

Zayn encontrava sua aliada, tal qual era afogada pelo marinheiro que gargalhava pouco se preocupando com o seu a volta. Soltando Aki, que logo desaparecia nas sombras e tomava seu rumo até Jhonny.

Já Ophelia e Zayn tinha uma ideia mais agressiva, partindo para cima do marinheiro. A circense era jogava por cima do homem que ainda não se importava com os arredores.

Tal despreocupação permitia que Aki, A Dama da Noite, conseguisse acertar as adagas nos locais planejados, a faca perfurava o antebraço do marinheiro, ele sentia fraqueza e soltava a cabeça de Jhonny.

Dando um passo para trás, o espaço para o pouso de Ophelia se abria, que velozmente prendia o pescoço do marinheiro, puxando-o com força, ainda que não saísse do lugar, ele estava brevemente incapacitado com a faca que em sequência fincava em sua panturrilha.

Jhonny estava muito exausta e por pouco não havia desmaiado, mas com a ajuda de Aki, elas conseguiam se afastar para fora do cais, sem antes de ir embora, cuspir no rosto do marinheiro.

E como um combo que parecia completamente planejado, Zayn vinha com tudo, a raiva tirava seu cansaço e ele se sentia jovem, forte e capaz de aguentar aquela besta a sua frente.

Antes mesmo de completar sua fala, o marinheiro a frente de Zayn destruía o chicote que o acorrentava e então, sumia, pouco esperando isso, quem receberia aquele forte golpe não seria o inimigo.

Ophelia era atingida com uma forte cabeçada que fazia sua mente tontear por completo e para piorar tudo, era arremessada para dentro da água de correnteza forte, logo puxando-a para o fundo.

Zayn ficava na beira do cais e era quando virava para a saída do cais que notava, Aki e Jhonny essa hora já estavam bem longes, vendo somente o contorno de seus corpos.

E a sua frente, estava lá o porco nojento, — Baratas gostam de andar juntas não é mesmo... – Limpava o rosto do cuspe de antes – Mas eu sou o inseticida que vai erradicar vocês!

四 - Morte e Sangue - Página 10 Giphy

Ele fechava o punho esquerdo e projetando uma perna direita a frente girava o tronco trazendo seu punho lá de trás, a presença assassina do homem dominava o ambiente e a cada instante Zayn sentia a morte mais perto.

四 - Morte e Sangue - Página 10 VwnJ97b

Não tinha reação para aquele golpe e recebia-o com toda a potencial sobre o meio de seu peitoral, sentindo seu coração momentaneamente parar com o forte impacto que fazia tudo tremer. Com o seco som dos ossos quebrando, ele era arremessado também para dentro da água.

Afundando rapidamente na água, ele tinha uma dificuldade inicial para respirar, sentia seu peitoral latejando e muito inchado, logo soltando um pouco de sangue pela boca conforme respirava.

Talvez fosse o fator de estar na água que o deixava-o a beira da morte, mas não morto e por isso, restavam-lhe forças para uma última ação.

A água era escura e o marinheiro não tinha visão deles, coisa contraria para Zayn, que notava ele partindo lentamente do cais, imaginando ter matado o tritão. Mais abaixo, estava Ophelia que por causa da cabeçada estava agora afogando conforme afundava.

Zayn sabia que suas aliadas em terra talvez teriam conseguido fugir, tendo sua atenção focada em sobreviver e salvar Ophelia.

Aki ajudava inicialmente Jhonny que aos poucos ia ficando menos tonta e recobrindo a respiração, logo correndo sem a ajuda da dama, elas se afastavam, mas o cenário não era o melhor de todos, uma tropa de cinco soldados corria atrás delas e logo um era alvejado por uma bala de Jhonny, em seguida a arma falhava, a água havia travado a arma naquele momento.

Sobrando quatro, elas iam se afastando e ganhando distancia conforme como ratos iam sumindo no labirinto formado pelos becos e ruas apertadas.

Corriam e corriam muito, até que despistavam os marinheiros, ficando momentaneamente sozinhas, sem ter noção da localização do oficial ou de Zayn e Ophelia.


Históricos:


Última edição por Jean Fraga em Qua Ago 31, 2022 12:11 am, editado 1 vez(es)

_________________

四 - Morte e Sangue - Página 10 OAKySZI
AoYume
Imagem :
四 - Morte e Sangue - Página 10 Thumb-10
Créditos :
10
Localização :
Flevance - North Blue
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1578-jhonny-jersen https://www.allbluerpg.com/t1586-morte-e-sangue
Re: 四 - Morte e Sangue Ter Ago 30, 2022 8:20 pm







If it's not about me...


28
A sensação do cuspe era tão satisfatória quanto poderia ser, o suficiente para eu sequer prestar atenção nas provocações da putiane que ia correndo comigo. Tudo que foquei dela por aquele momento foi o vislumbre de seus disparos sobre o homem, alvejando com uma exatidão notável pontos anatômicos que demonstravam seu conhecimento no assunto tal qual eu também os possuía. Os passos, inicialmente confusos, tornavam-se uma corrida, e, a incerteza da funcionalidade da arma tornava-se um disparo por reflexo, e, um segundo depois disso que confirmava as suspeitas de eu mal ter idealizado o primeiro que apenas ia.

Os quatro peixes que nos perseguiam nos perdiam e logo estaríamos em algum lugar, mas, não só os peixes estavam longe de nossas vistas, mas, também o tubarãosinho, a palhaça e o shiva sabor uva. Sorrio de forma meio confusa em um engasgo balbuciando algumas palavras em um tom baixo de forma psicótica. - Que bagunça. Jhonny, se fizer bagunça... Uma mão toca a parte interna da minha coxa apertando-a com as unhas antes de balançar a cabeça. - Bem, poderia estar pior... Digo limpando o rosto com um pedaço da roupa que ainda estava no meu corpo antes de levar a mão no cabelo molhado e desgrenhado.

Era um instinto de cobrir o rosto que teria que ser deixado para outra hora. Naquele momento, o olho enrubescidos pela situação anterior ergue-se em confronto da mulher com certa rispidez. Já não sendo o ápice do conforto visual ter apenas um olho, e, considerando o momento atual e a chuva, quase poderia dizer que gosto mais do borrão ardio em minha frente agora do que meus vislumbres anteriores. - Uns goles de cachaça e ele quase seria uma figura paterna pra mim, aquele tubarãozinho adorável lá atrás... Bem, acho que é mais carinho do que o original me deu... Eu deveria retribuir alguma hora... Digo com certo nervosismo arrancando uma lasca de unha entre os dentes. - Já que gosta tanto dos peixinhos, acho que deixo um pedaço pra você quando for a hora, em agradecimento. Ainda que você lembre a puta da minha mãe, entre o pai e a mãe, matar o pai vem primeiro neh.... São tantos "pais" pra matar... Sorrio arrancando um outro pedaço de unha de forma sistemática e raivosa.

Todavia, não havia muito tempo para aquela reunião tão "amorosa", se ficássemos de mais iam nos alcançar. - Mas pra isso, a gente devia fugir primeiro... Digo retomando a frieza em um longo arfar para retomar minha "racionalidade" de forma mais impassível e arquitetada. - Faça as honras, você é melhor em se esgueirar que eu pelo que pude observar. Assim eu também poderia ficar de olho nela. - E se mais peixes surgirem, eu não estou em condições de fazer quase nada. Preciso secar minhas armas, preciso recuperar meu corpo e preciso de um capuz. E pelo que tinha visto ela não podia me ajudar com nenhuma dessas coisas. Quem são os médicos dos médicos nesse mundo se não eles próprios.

Se ela falasse alguma merda, iria ignorar por hora. Ela só conseguiria lembrar ainda mais a pessoa citada, e, tal qual como matei os dois, aquele cuja figura me proporcionou maiores lembranças repulsivas tinha prioridade. Agora ela era um borrão, apenas, de passado e presente de uma persona desgostosa que fica para mais tarde. Se ela seguisse algum caminho de fuga, à seguiria, se não, buscaria eu mesma algum lugar para me esconder tão rápida quando pudesse. Uma casa, esgoto, qualquer lugar que pudesse ter uma pausa mais prolongada. Ficaria sempre de olho no que ela pudesse fazer considerando que já havia sido atacada por ela antes.

Se parássemos em uma casa, procuraria roupas para me trocar depois de invadir para me trocar e secar as armas, se não, torceria as próprias roupas comigo para então utilizá-las para secar as armas. No caso de não ser um lugar com roupas, não conseguiria resolver o problema do meu rosto à mostra, mas, isto ficaria sob prioridade menor. Havia o problema dos outros dois e de nem saber se estavam vivos, qualquer sinal poderia chamar atenção indesejada e só complicar as coisas, então, possivelmente não faria ainda nada sobre isso. Dedilharia os meus próprios ferimentos no rosto e no pescoço em busca de sentir o local, e, apesar dos pesares, parecia que os ossos estavam no lugar.

Com o kit médico, um tanto molhado, estenderia a faixa e começaria a enrolá-la de modo que ficasse grossa em torno do meu pescoço imobilizando os movimentos até certo ponto, funcionando como uma espécie de colete cervical improvisado. Se necessário, faria pequenos cortes com o bisturi aliviando a pressão local e estes ferimentos seriam cobertos pela própria faixa. Quanto ao ferimento próximo ao olho, acho que a parte boa é que eu já não enxerga com ele mesmo. Igualmente com o bisturi aliviaria a pressão caso precisasse, colocando algodão com esparadrapo para conter o sangramento feito por isto, e de resto, deixar o corpo recuperar-se por si. Com meu conhecimento, estes eram todos procedimentos que eu poderia fazer e qualquer intervenção além ia ser apenas merda arriscada. Pego um termômetro e coloco em baixo do braço quando estivesse razoavelmente seca, apenas para ter certeza sobre minha temperatura. Alguma febre era esperada com tantos ferimentos, só esperava que não fosse nada que me causasse uma convulsão a qualquer instante.


Histórico:


Just die, i don't care!



_________________

四 - Morte e Sangue - Página 10 Thumb-1920-1219366
Milabbh
Imagem :
四 - Morte e Sangue - Página 10 Cartas
Créditos :
00
Localização :
Ilhas Organ - East Blue
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1609-ophelia-jester#17229 https://www.allbluerpg.com/t2189-zayn-suas-gostosas#24172
Milabbh
Pirata
Re: 四 - Morte e Sangue Qua Ago 31, 2022 12:31 am
Quem disse sangue?!... Pera, era meu?!
Vinte e Nove
Sucesso! Bem como esperado da brilhante Ophelia. Pousava com facilidade e prendia o marinheiro com meu chicote, enquanto isso, notava a faca fincada no braço do homem. Apesar de não mais poder vê-la, sabia que Aki estava por ali, espreitando com os olhos no alvo. Mas o importante agora era manter aquele cara preso e...

Antes que eu pudesse fazer qualquer força para imobilizá-lo um pouco mais, sentia a tensão do couro ceder e, por conta da inércia, meu corpo era jogado para trás. Levemente atordoada, não notava o avanço do inimigo, que me atacava ferozmente com um soco. A violência era tanta que via estrelinhas e era arremessada em direção ao mar.

Não bastasse a agressão ao meu belo rosto, ainda tinha que ir procurar o nemo de forma forçada. A correnteza me puxava para o fundo, e por mais que soubesse que deveria fazer algo, meu corpo não respondia. Minha mente estava em transe, minha visão ficando cada vez mais escura, as mãos e pés perdiam a sensibilidade enquanto que o pulmão aos poucos queimava. Quanto mais fundo, mais pesada ficava minha cabeça, e minha vida passava diante de meus olhos. Então esse era o fim da magnífica Ophelia? Esquecida no fundo do mar como um baú pirata qualquer? Seria pedir muito um fim mais digno? Como ser explodida por fogos de artifício, ou talvez morrer de transar, quem sabe até no trapézio... Mas afogada? Um triste fim para a palhacinha.

Enquanto lutava contra a evasão de minha consciência, notava algo diferente. Por que será que uma enorme berinjela nadava loucamente em minha direção? Talvez fosse um pepino do mar ou algum animal marinho muito estranho... Ser devorada por um tubarão é mais glamouroso do que um afogamento, pelo menos os espectadores verão um pouco de ação e sangue né? Mas pera... que tipo de tubarão é roxo? Seria engraçado se fosse o Zayn heheheh.

Perdida em devaneios pós concussão, não sabia mais diferenciar realidade de desejo, e naquele momento apenas sentia meu cérebro gelando, bem como uma mão firme me segurar e me puxar com rapidez para cima. Era uma bela visão, os cardumes em nado sincronizado, corais coloridos, pequenas bolhas que dançavam ao meu redor e Zayn no meio de tudo isso, banhado pela luz da lua, que era refratada pela água turva. Um sorriso bobo invadia meu rosto até que finalmente alcançava a superfície.

O ar frio da noite invadia meus pulmões, que expulsavam desesperadamente toda a água que ali havia ficado. Minha visão ainda não estava boa, tudo ao meu redor girava, mas conseguia distinguir meu salvador mesmo naquela situação. - Zayn!!!!! Você veio me salvar!! - Acho que em toda minha vida, jamais havia sentido tamanha alegria. Ninguém nunca moveu um dedo para me ajudar, quem dirá salvar minha vida. - Por quê não me contou que tinha 2 irmãos gêmeos?! A gente podia ter chamado eles pra cama ontem também... Sua mãe deve ter sido muito fértil né? - Enquanto seguia cambaleante o tritão, continuava meu monólogo sem muito sentido. - Zayn, eu nunca vi tanto braço junto. Você seria incrível no circo sabia? MALABARISTA! - Erguia as mãos exclamando com excitação, ele devia ser uma estrela!!!! - UMA ESTRELA ZAYN!

DetalhesFalas
*Histórico:
Ganhos:
-100 B$ (esmolas)

Perdas:
- RIP chicotin

Ferimentos:
HP: 2600/2600    
Escoriação de Bala (Raspão - 2/2) [Não precisa de tratamento] - Desconto de 100 HP.
- Hemorragia interna no estômago [4/4]
- Deslocamento da articulação Temporo Mandibular [3/3]
- Tontura (1/3)
- Contusão (1/3)

*Objetivos:
- Roubar uma arminha tops
- Sair em uma aventura
- Aprender Proficiência Armadilhas
- Aprender Proficiência Avaliação
- Me divertir <3

@mm
Aki
Imagem :
四 - Morte e Sangue - Página 10 EiDhlj8
Créditos :
00
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1779-aki-kurosawa#18957 https://www.allbluerpg.com/t1586p30-morte-e-sangue#18995
Aki
Pirata
Re: 四 - Morte e Sangue Qua Ago 31, 2022 9:06 pm


morte e sangue

Sobre a cobertura da joalheria mais rica, ela se move em silêncio taciturno



E a chuva que caía começava a irritar a gatuna de olhos carmesim.

A fuga inflamava a adrenalina, aquecendo o corpo molhado de Aki e fazendo-a, em alguns momentos, esquecer-se dos pés descalços pisoteando o chão encardido daquele lugar. Até que ela se percebeu correndo não apenas para se livrar da marinha; também corria para encontrar um lugar onde pudesse se secar.

Escutou de Jhonny o convite cordial — e bem estranho, vindo dela — para que fizesse as honras. O que, naquele momento, significava encontrar um rumo para a fuga.

Ah! Com certeza eu irei — respondeu Aki.

Olhou de relance para trás, fez uma ligeira contagem das cabeças dos homens que desbravavam a chuva no encalço delas. Cinco, ela afirmava para si. Ou melhor: quatro, corrigia-se ao notar que a atiradora caolha havia, com sua pederneira, abatido um.

A voz do bem-visto senhor Kurosawa ecoou novamente. "Nunca encare uma briga justa. Uma assassina encurralada é uma assassina morta." Foi como um estalo.

Aki rapidamente analisou a situação. Restava apenas uma faca na mão. Era, de fato, melhor se esgueirar, despistar os oficiais a fim de ganhar tempo e armar o cenário para uma possível emboscada.

Nunca encare uma briga justa, não é, velhote?

Fez um sinal com a cabeça, um breve menear, indicando para Jhonny a direção a ser seguida. Aki buscaria uma rua comercial, um lugar que é comumente cheio de objetos diversos espalhados pela rua.

Lá, ela poderia encontrar uma boa finalidade para a sua última faca.

Fosse um poste de luz, uma pilha de barris ou caixotes... qualquer coisa que o arremesso da lâmina pudesse fazer desabar, com a finalidade de obstruir a rua com obstáculos sólidos ou com as sombras da noite.

Puxaria Jhonny pelo pulso para guiá-la e, com ela, tentaria encontrar um estabelecimento para invadir ou simplesmente entrar — caso esteja aberto. Estava em primeiro plano encontrar uma loja de roupas, mas talvez não estivesse com tanta sorte...

Uma vez dentro do lugar, Aki buscaria roupas novas. Tecidos soltos como de cortinas também poderiam ser suficientes para a elaboração de um novo disfarce. Porém, primeiro, iria dar um jeito de se secar, livrando-se de toda a sujeira trazida junto da chuva e do chão ensopado.

Observaria Jhonny também se preparando.

Ei, atiradora — diria Aki. — Você tem mais alguma faca ou viu alguma por aí?

A gatuna também vasculharia o local a fim de encontrar alguma coisa que pudesse usar como arma. E, obviamente, seus olhos estariam prontos para captar qualquer objeto de valor.


Considerações
Tudo tentativa.

Objetivos:
  • Conseguir dois punhais
  • Adquirir as proficiências Anatomia e Psicologia
  • Roubar umas joias
  • Matar marinheiros


Ganhos:
  • Chave desconhecida [Roubo] - (Turno 1 individual, Turno 9 em grupo)
  • Colar de Brilhantes [Roubo] - (Turno 03 Individual, Turno 11 em grupo)
  • Livro de Anatomia [Roubo] - (Turno 05 Individual, Turno 13 em grupo)
  • 2 facas (talher) de metal [Roubo] - (Turno 05 Individual, Turno 11 em grupo)
  • Proficiência Anatomia - (Turno 06 Individual, Turno 14 em grupo)




pdv: 2.480

sta: 100

ilhas organ





_________________

Aki Kurosawa
Ex-Panda
Imagem :
四 - Morte e Sangue - Página 10 13992c4e51a6ce1e4300d4e366dd4e4a
Créditos :
23
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1611-zayn#17239 https://www.allbluerpg.com/t1586-morte-e-sangue#16916
Ex-Panda
Pirata
Re: 四 - Morte e Sangue Qua Ago 31, 2022 9:16 pm
Zayn



Merda! Eu errei a cabeçada e ainda por cima acertei Ophelia que foi jogada ao mar, rezava para que ela não tivesse apagado com meu golpe, olhava para longe, Jhonny e Aki corriam, pelo menos isso havia dado certo.

四 - Morte e Sangue - Página 10 85ff466705d033f3a46009f31972cbbf

Sorria ao marinheiro que ia desferir um soco em meu peito, era rápido demais para eu me defender então apenas me preparava psicologicamente para ele, mas não era possível era forte demais para mim.

四 - Morte e Sangue - Página 10 9b720257b311f781f512a45fdd7414ab

Podia sentir minhas costelas se partirem e era lançado ao mar com uma força tremenda, minhas costas batiam na água com força o que me faziam perder o folego por um segundo, mas por sorte eu podia respirar de baixo d’água.

Eu podia ver que os marinheiros deixavam o cais, sorte a nossa, espero que as duas não sejam pegas, mas agora precisava fazer algo mais importante, abria todos os meus olhos e olhava para o fundo do mar procurando Ophelia.

Tentava nadar, mas pela primeira vez em muito tempo sentia realmente dor, não era tão forte mas sentia, tentava me mexer mas parecia que meu corpo não me obedecia, merda, merda, merda!

— SE MEXE PORRA! VAMOS! VAMOS! VAMOS! VAMOS!

Pouco a pouco com muita força eu tentaria começar a nadar com minhas pernas, já que mexer os braços era difícil demais por causa dos ossos quebrados.

— Meus amigos do oceano por favor me ajudem a salvar minha amiga! Os homens de merda que sujam nosso lar a machucaram e a colocaram para morrer no fundo do mar, ela não pode respirar como nos POR FAVOR ME AJUDEM!

Gritava para todos os seres marítimos que estivessem por perto, nadava na maior velocidade possível e quando finalmente chegasse em Ophelia, transferiria oxigênio para ela dando um beijo salva vidas.

Pisaria no chão e o usaria de impulso para me projetar para cima com força, a cada segundo que passava sentia que estava mais fraco ainda.

Quando chegássemos na superfície a tiraria d’água e a deixaria respirar, concordava com a cabeça com sua primeira fala, sinceramente era difícil respirar agora, as minhas costelas e externo estavam quebrados, qualquer movimento naquela região era ruim.

Se os animais viessem nos ajudar eu falaria com eles.

— Ajudem a gente a chegar em um local seguro, pode ser onde os navios atracam aqui na ilha, por favor!

Se caso nos fossemos levados apenas tentaria não deixar Ophelia afogar enquanto descansava mas se precisássemos ainda andar tentava me levantar devagar.

— Ophelia você deve ter bebido muita água do mar, respira e tenta não falar muito e fica perto de mim.

— Como assim irmãos gêmeos? Sou só eu assim mulher, circo? Do que você está falando merda arf arf...

Me apoiava nas paredes do que encontrasse e lentamente com dor e desconforto andava para onde as meninas iam, e se visse algum marinheiro me esconderia em latas de lixo, becos, e qualquer coisas do gênero.

Se ficasse muito difícil andar olharia para minha companheira enquanto recobrava o ar.

— Vou precisar da sua ajuda arf arf, temos que encontrar as duas e sair dessa ilha de merda!

Rezava para नाश Naash que desse tudo certo, e as encontrássemos rapidamente para que de algum jeito conseguíssemos sair dessa ilha, mas agradecia o sonho que eu tinha tido, já que ele havia me dado uma visão me alertando do futuro, obrigado Naash!

四 - Morte e Sangue - Página 10 NWk9Qsj

Histórico :

_________________

Zayn & suas gostosas!
四 - Morte e Sangue - Página 10 YTpeD1K
Jean Fraga
Imagem :
四 - Morte e Sangue - Página 10 FaqI0wB
Créditos :
00
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1620-liu-feng#17327 https://www.allbluerpg.com/t2047-ii-deuses-entre-nos#21998
Re: 四 - Morte e Sangue Sex Set 02, 2022 9:24 pm


Aki e Jhonny

A fuga se concluía quando Aki conseguiu obstruir o caminho atrás delas, assim, interrompendo os marinheiros remanescentes que as  perseguiam.

Elas iam desacelerando conforme entravam numa área mais residencial, onde o barulho naquela hora era quase nulo, não sendo pelo uivo de alguns cachorros e obviamente o trote da dupla que ecoava pelos corredores longos entre os prédios.

Aki encontrava um bloco de apartamentos com a portinhola aberta, assim puxando Jhonny pelo pulso, elas entravam e saindo momentaneamente da chuva, subindo alguns andares e vasculhando entre os apartamentos, encontrando um com a porta aberta.

Aquele local onde haviam se metido era mais um subúrbio da ilha, muitos drogados e bêbados caminhavam pelos corredores sem rumo, nenhum chegando a se demonstrar agressivo, no máximo ficando os olhos em Aki, já que faltava vestimentas nela.

Passando pela porta semi aberta e a fechando, elas tinha um espaço de paz, vasculhando o quarto, notariam que tirando as cortinas das janelas, tudo havia sido varrido, com certeza não eram as primeiras a fazer uma pilhagem pelo local.

Ao menos, com as cortinas Aki conseguia se cobrir, ficando menos fria conforme seu corpo ia se aquecendo e Jhonny finalmente encontrava pano suficiente para cobrir seu rosto.

Mas antes disso, tinha que cuidar dos ferimentos, a adrenalina era sua amiga e apesar de sentir um pouco da dor, ela conseguia imobilizar o pescoço, limpar o sangue derramado e cuidar dos machucados no rosto.

Por hora, não sabiam quais seriam as condições da circense e do homem peixe, com a noite quase se pondo e o sol começando a surgir entre as casas mais perto do mar, talvez sair neste momento não seria a melhor opção.

Ophelia e Zayn

Quase que desmaiando ali mesmo, Zayn era naquele instante movido unicamente pelo seu instinto de proteção, não podia deixar que as coisas acabassem ali e com suas últimas forças pedia por ajuda.

Mas quem ajudaria ele? Naquelas correntezas fortes de um porto vazio de peixes depois da caça, ele teria que resolver as coisas sozinho.

Os braços tinham a movimentação bem reduzida, então com as pernas e a inclinação que fazia, conseguia mergulhar, ele ia chegando até Ophelia com facilidade, seu habitat primário era um lugar de conforto para ele.

Não tão confortável naquele momento, as dores mexiam com a cabeça do homem peixe que não sentia nada a muito tempo.

Já Ophelia, havia mergulhado de cabeça como Alice no país das maravilhas, ela delirava, vendo peixes que sequer existiam e corais tão coloridos quanto as maquiagens que usava.

Era salva naquele momento por um beterraba, roxo e inchado dos machucados, Zayn era confundido com um vegetal, mas o que importava era, ele havia conseguido chegar até ela.

Rapidamente e sendo mais fácil que a descida, ele começava a subir, enchendo os pulmões por mais que doesse, ele ia chegando mais perto do raso, a linha de chegada para a circense que estava a poucos segundos de desmaiar com a falta de ar no corpo.

As correntezas os afastaram do porto que haviam lutado contra o marinheiro, emergindo num lugar bem vazio e inóspito.

Ophelia conseguia respirar e aos poucos sua consciência já ia voltando, diferente de Zayn, que devido seu estado, começava a delirar conforme a febre proveniente dos machucados aumentava.

A contusão ia diminuindo e logo ela entenderia que era seu aliado e não uma beterraba, rapidamente notando seu estado grave e quase de morte, Ophelia tinha uma opção, fazer algo.

Num local tão esquisito quanto as outras docas, pessoas de rostos ruins passavam alertas como gatos ariscos.

Ate que um encapuzado e mascarado aparecia na doca, ele não falava nada, pegaria Zayn botando-o no ombro e só então falando.

四 - Morte e Sangue - Página 10 FTRTCcLaQAA2vbL?format=jpg&name=900x900

— Melhor fazermos algo antes que ele morra… Venha comigo.

Tomando o seu rumo, eles adentravam naquele cais que ia se iluminando com o sol que surgia, esse que batia com força no rosto de Zayn.


Históricos:

_________________

四 - Morte e Sangue - Página 10 OAKySZI
AoYume
Imagem :
四 - Morte e Sangue - Página 10 Thumb-10
Créditos :
10
Localização :
Flevance - North Blue
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1578-jhonny-jersen https://www.allbluerpg.com/t1586-morte-e-sangue
Re: 四 - Morte e Sangue Sex Set 02, 2022 9:55 pm







If it's not about me...


29
Após nos desvencilharmos entramos por algum tipo de subúrbio. Haviam olhares inicialmente e nada mais, o suficiente até para que eu estranhe, mas, apesar de alerta me aproveito da continuidade mais linear enquanto as demais coisas não estavam ainda tão bem. A adrenalina ajudava e logo estava ali, sentada com a cabeça coberta pelos restos de uma cortina que servia de capuz encostar contra a parede tendo meu primeiro repouso em algum tempo.

- Tendo ou não tendo, aquelas foram todas as facas que pegou de mim. Digo brincando com o bisturi nas mãos. - Ah não ser é claro que queira que eu enfie em você... Sem muitas forças mantenho passividade suficiente para ao menos concluir de forma a não começar outra briga. - Cirurgicamente, é claro, você fica pra depois como eu disse, mas, minha faca fica comigo... O metal toca o curativo sem me mover muito pra não sair do respouso, esperando que ela fosse inteligente o suficiente vendo minha auto operação e a anterior no roxão que era melhor não começar uma confusão do lado dela sobre isso.

Sorrio meio sem energia olhando pra ela naqueles farrapos depois de tanto glamour, pensando se ela ia começar uma espécie de conto de fadas tentando melhor o visual de se vestir com uma cortina ou se ia ficando daquele jeito mesmo. Com sua vaidade, provavelmente o primeiro. O sol pairava e eu não tinha certeza sobre dormir com ela ali me sentindo consideravelmente exausta. Arfo em certa infelicidade de olhos pesados encarando-a pensando que por seus olhos neutros apesar de tudo pra ela houve algum sono. Eu deveria ir embora? Não, sair dali não era uma boa, e, eu não deveria me mexer um tempo se quisesse me recuperar. Me restava como de costume, suportar.

四 - Morte e Sangue - Página 10 Imagem12

Histórico:


Just die, i don't care!



_________________

四 - Morte e Sangue - Página 10 Thumb-1920-1219366
Ex-Panda
Imagem :
四 - Morte e Sangue - Página 10 13992c4e51a6ce1e4300d4e366dd4e4a
Créditos :
23
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1611-zayn#17239 https://www.allbluerpg.com/t1586-morte-e-sangue#16916
Ex-Panda
Pirata
Re: 四 - Morte e Sangue Sex Set 02, 2022 10:18 pm
Zayn



Eu conseguia salvar ela! Mas saíamos em um local onde eu não fazia ideia de onde era, mas aquele era meu limite pelo visto, meu corpo começava a tremer de frio, sentia minha temperatura aumentar e eu ficar fraco, muito fraco.

Tudo começava a girar e eu ficava tonto, as coisas não faziam muito sentido, eu só pensava se talvez as meninas estivessem bem, o sono batia na porta, eu estava cansado, exausto para falar a verdade.

Começava a adormecer e minha audição ficava abafada, me sentia sendo carregado, Ophelia era tão forte assim? Abria um olho por um momento para verificar, mas não conseguia ver muita coisa, mas só de ele não estar usando uma farda já me tranquilizava e finalmente dormia deixando meu futuro nas mãos da palhaça.

Sentia o calor da pessoa que me carregava e o sol em meu rosto e finalmente caia no mundo dos sonhos...

Era uma lembrança de minha infância, a prisão a minha casa era um local onde se você quiser escuta e aprende todos os tipos de coisas, conheci tantas pessoas gigantescas aqui fora, mas lá dentro passavam fome.

Lembrava de minha infância lá dentro trabalhando dia após dia para sobreviver, mas a noite as histórias que os piratas me contavam, os mares que navegavam, as lindas mulheres que cortejavam e as bebidas e aventuras que viviam.

Me lembrava do porque não podia morrer e sentia meu corpo arder, por mais que estivesse ferido não podia morrer, não ainda, mas agora... Eu apreciava as minhas “doces” lembranças de casa.

四 - Morte e Sangue - Página 10 NWk9Qsj

Histórico :

_________________

Zayn & suas gostosas!
四 - Morte e Sangue - Página 10 YTpeD1K
Aki
Imagem :
四 - Morte e Sangue - Página 10 EiDhlj8
Créditos :
00
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1779-aki-kurosawa#18957 https://www.allbluerpg.com/t1586p30-morte-e-sangue#18995
Aki
Pirata
Re: 四 - Morte e Sangue Sex Set 02, 2022 11:11 pm


morte e sangue

Sobre a cobertura da joalheria mais rica, ela se move em silêncio taciturno



O corpo nu de Aki, atravessando as sombras de um prédio do subúrbio, à margem da sociedade das Ilhas Organ, captou a atenção dos indigentes que vagavam por ali. Ela não só sentia como reconhecia o sorriso adocicado que despertou nos semblantes mais sórdidos ao passar pelos corredores.

As curvas da escultura viva de marfim, o corpo nu de Aki, valiam mais do que o colar de brilhantes, a única peça que vestia, aos olhos daqueles homens.

Devem estar tão acostumados com a sarjeta que sequer conseguem reconhecer o brilho de uma joia.

No quarto isolado que a gatuna conseguiu encontrar, ajeitava-se com um tecido improvisado: as cortinas do apartamento. A habilidade que possuía com disfarces lhe rendeu um vestido de simples corte reto e feito em camadas, sobreposições da dobradura bem instintiva da cortina.

Já estava terminando os últimos ajustes, passando a ajeitar os cabelos ainda úmidos, quando ouviu as respostas ácidas e sarcásticas da atiradora.

Mas é claro. É claro que ela não me entregaria a faca...

Aki revirou os olhos antes de responder. — Ora, como você é generosa.

Varreu o ambiente com o olhar. Suspirou de tédio. Não há nada de valor aqui, pensou. Então os olhos de carmim concentraram-se na janela, na luz que começava a ganhar espaço sobre os telhados das casas.

Está amanhecendo. A assassina sabia que desbravar as ruas claras do dia era uma péssima opção para duas fugitivas da marinha. Até que ela se deu conta de que estava pensando no plural. Essazinha do meu lado entrou nos meus planos. Quem diria, Aki, que em algum momento você se juntaria a um grupo...

Bom, por enquanto, eles têm valor.

E eles realmente tinham um valor para ela. Significavam duas coisas muitos importantes em sua vida: sobrevivência e vingança. Aki experimentou um arrepio, sentiu as linhas do destino se enlaçando, tramando sua jornada.

Ela reconhecia: estava amarrada a eles.


Considerações
Tudo tentativa.

Objetivos:
  • Conseguir dois punhais
  • Adquirir as proficiências Anatomia e Psicologia
  • Roubar umas joias
  • Matar marinheiros


Ganhos:
  • Chave desconhecida [Roubo] - (Turno 1 individual, Turno 9 em grupo)
  • Colar de Brilhantes [Roubo] - (Turno 03 Individual, Turno 11 em grupo)
  • Livro de Anatomia [Roubo] - (Turno 05 Individual, Turno 13 em grupo)
  • 2 facas (talher) de metal [Roubo] - (Turno 05 Individual, Turno 11 em grupo)
  • Proficiência Anatomia - (Turno 06 Individual, Turno 14 em grupo)




pdv: 2.480

sta: 100

ilhas organ





_________________

Aki Kurosawa