Tópicos Recentes
Destaques
Klaus
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Akira
Sasha
Ás
Shiori
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Últimos assuntos
Operação FireflyHoje à(s) 6:31 pmpor  WeskerO Bando da Rainha CaolhaHoje à(s) 5:18 pmpor  ShiroIII - Death or ParadiseHoje à(s) 5:16 pmpor  Lyosha[P.D.N] Liu Feng - Marciano aceitou narrarHoje à(s) 4:33 pmpor  Jean FragaCabra da Peste, vol 4 - InterlúdioHoje à(s) 4:27 pmpor  SubaéCriação de AventurasHoje à(s) 4:23 pmpor  SashaI - Anjo CaídoHoje à(s) 4:20 pmpor  SashaLiu FengHoje à(s) 3:22 pmpor  Jean FragaCap. 2 - Ascendendo às profundezasHoje à(s) 2:47 pmpor  Van四 - Morte e SangueHoje à(s) 2:37 pmpor  Koji
 :: Oceanos :: Blues :: East Blue :: Shells Town
Página 4 de 6 Página 4 de 6 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6  Seguinte
Sasha
Ver perfil do usuário
Imagem : Mais porradaria, mais confusão e mais fuga. [2] - Página 4 Giphy
Créditos : 17
Localização : Rota 6 - Piutôv
SashaRank B
https://www.allbluerpg.com/t340-sasha-sparks#1002 https://www.allbluerpg.com/
Relembrando a primeira mensagem :

Mais porradaria, mais confusão e mais fuga. [2]

Aqui ocorrerá a aventura do(a) Piratas Joe Sins, Boris Skalovski e Viola Altamira. A qual não possui narrador definido.

_________________



Mais porradaria, mais confusão e mais fuga. [2] - Página 4 WN4Utd7


Van
Ver perfil do usuário
Imagem : Mais porradaria, mais confusão e mais fuga. [2] - Página 4 Q4frd31
Créditos : 22
VanPirata
https://www.allbluerpg.com/t641-boris-skalovski#4055 https://www.allbluerpg.com/t623-porradaria-confusao-e-fuga-1#4138

Calmaria


Mais porradaria, mais confusão e mais fuga. [2] - Página 4 Anime-11


O resultado do combate pareceu incomodar Jones. O tritão questionava alguns aspectos e parecia até mesmo insatisfeito com o desenrolar ao sugerir que Boris não havia dado o seu melhor. Mal sabia ele que o loiro havia se esforçado como nunca e estava deveras satisfeito com o resultado da batalha. Não por ter saído vitorioso ou por sua demonstração cativante para o público e sim pela ausência de algo importante em sua vida.

Vantagem? Ele já a tinha desde o início…  

Sorriu ao lembrar que ele não possuía uma katana consigo. Sim, o futuro maior espadachim do mundo estava desarmado e mesmo assim foi capaz de vencer um artista marcial capaz. Isso era motivo de orgulho e talvez o homem peixe fosse incapaz de perceber o motivo real por trás da felicidade de seu nakama. — JoJo… Eu serei o maior espadachim que esse mundo já viu…   — Diferente do olhar ameaçador de antes, Skalovski agora possuía uma expressão confiante e esperançosa como a de alguém que realmente acreditava em suas próprias palavras e sonhos. Ingênuo, talvez? Só o tempo dirá

HYHUHUHUHU! Que espírito de gladiador, bom samaritano. Aqui está sua grana, eu fiz um bom valor com as apostas também. Se precisar de algo é só falar, fazia tempo que não lucrava tanto assim, acho que merece um bônus, mas lhe dar mais dinheiro seria ruim para os negócios.

Sério?   — Perguntou incrédulo ao receber o valor do homem da melhor idade. Seu avô uma vez tentou lhe ensinar a apostar, mas espadachim não era perspicaz o bastante para entender a importância de variáveis quando se investe em algo. Aquele homem foi capaz de enxergar algo além no navegador e apostar contra a multidão mesmo após ele ter sido derrubado antes. Talvez houvesse algum conhecimento importante ali, pensou.


~Proficiência Estratégia ~


Espera… O que te fez apostar em mim?   — Perguntou engolindo em seco a própria saliva com a ansiedade sobre a possível resposta.

- Estratégia!

Como assim?   — Ainda sem entender, Boris continuava a indagar tentando decifrar a situação.

- Eu calculei as probabilidades e avaliei o risco.

Você pode me ensinar a fazer isso?  

- Você é um rapaz inteligente, HYHUHU… O que eu vou te ensinar é fácil até, basta se esforçar na hora de pensar. Em primeiro lugar, você precisa entender o que é estratégia. Há vários conceitos, mas basicamente tem a ver com habilidades gerenciais.

Neste momento o idoso pegou um papel e começou a escrever alguns tópicos para facilitar o entendimento do aluno. Era importante ler e não só ouvir, pois assim as informações eram mais facilmente absorvidas e esse foi o primeiro ensinamento. Bons estrategistas eram aqueles que aprendiam mais rápido e quanto mais mecanismos de aprendizagem eles dominassem, melhores seriam.

Então era por isso que o velhote escrevia na areia com um graveto.  

- Aposto que ele tinha uma barba branca e gostava de ensinar. Enfim…

O tutor voltou a escrever, desta vez pontuando alguns conceitos administrativos e mostrando a importância de ter um conhecimento amplo, seja de informação ou conhecimento real. Saber que pássaros voam era uma informação simples, mas a velocidade, o tempo de voo, bater de asas, tudo isso era conhecimento e esses detalhes tinham grande importância num todo.

- Não basta saber jogar o jogo. É preciso conhecer todas as regras, exceções e estilos existentes. Um exemplo é um jogo chamado xadrez onde as peças possuem diferentes movimentações no tabuleiro, quase como uma representação da sociedade. Algumas peças podem percorrer o campo todo, mas só em linha reta, ou seja, são diretas e simples. Outras andam para mais de uma direção, mostrando sua complexidade e por fim tem aqueles com movimentação curta… são inúteis na teoria, mas se você as subestimar, elas podem destruir seu jogo.

Hm… Acho que…

- Não, você não tem que achar nada. Você tem que analisar e fazer deduções baseado nos fatos. Eu posso dizer que você é um artista marcial porque te vi lutar, mas sei que você esconde mais habilidades. Talvez algo com empunhadura… Martelo, bastão, espada…

Espada, ISSO! Eu serei o maior espadachim que… esse… mundo… espera, como você…?  

- Os calos… Todo usuário de armas com cabo tem calos nas mãos enquanto lutadores possuem mãos mais grossas na parte externa. Isso não é achar, é deduzir baseado em informações. Ou seja, eu gerenciei as informações e formulei uma estrategia para definir você.

M-Mas… e se eu fosse um carpinteiro? O Jonah também tem calos nas mãos e não é disso…   — Questionou Boris mentindo pois nunca tinha visto as mãos do nakama. O objetivo era tentar pegar algum tipo de mentira do tutor.

- Se fosse o caso, eu teria errado, mas eu levei em conta alguns fatores…

Fatores?

- Sim. Fatores são elementos que ajudam na hora de obter um resultado. Por exemplo, você estava lutando bem, mas parecia ser inexperiente. Entretanto, tinha um corpo ágil e até forte demais para alguém que não era tão técnico. Ou seja, você tinha um corpo treinado de outras artes ou trabalhos. A sua inexperiência e falta de precisão nos pontos vitais me fez pensar que dificilmente faz isso e essa despreocupação com pontos vitais é típico de quem usa armas pois o foco geralmente é em controlar a própria arma e os movimentos do oponente. Quem tem uma espada não se preocupa em acertar queixo ou costelas… Onde atingir…

… vai machucar!

O instrutor continuava a escrever palavras-chave mostrando a importância da análise levando elas em conta: Mudanças,  Desempenho, Posicionamento, Objetivos, Adequação, etc. Era importante levar em conta o máximo de elementos possíveis, mostrou ao explicar algumas palavras-chave.

- Objetivo… Qual a possível finalidade por trás de um ato? Adequar… Essa atitude é compatível com o ambiente ou está exagerada? Desempenho… Esse nível de habilidade está dentro do esperado? Acima? Abaixo? Posicionamento… Há receio? É uma atitude positiva? negativa?

Não tem como aprender isso tudo… — Coçou a cabeça com um riso sem graça.

- HYHUHU… Você não precisa… A maior parte dos conhecimentos é natural. Você já tem, basta prestar atenção e aplicar. Lembra do seu adversário? O que você sabe dele?

Que ele era forte e resistente! — Disse o espadachim respeitosamente.

- Sim. Mas com esse conhecimento, você consegue ampliar seu conhecimento ao gerir as informações disponíveis. Veja bem… Ele é forte, então é possível inferir que ele é alguém treinado e disciplinado pois possui um corpo atlético e bem definido. Isso é fruto de anos de muito esforço. Ele ser resistente significa que ele tem uma mente forte pois a resistência está na capacidade da sua cabeça de lidar com dores, frustrações, limitações, etc.

Uau… Quanta coisa…

- Diga algo mais sobre ele. Como você montaria uma estratégia contra ele?

Boris sentou no chão e terminou de fumar o cigarro aceso anteriormente. Gastou alguns minutos se lembrando de tudo que vira durante a luta para aplicar com os seus conhecimentos próprios. Ele coçava a cabeça e esfregava os olhos, era realmente complicado assimilar tudo, porém, sentia que quanto mais analisava, mais fácil parecia ficar.

A roupa!

- Oh…

Ele estava vestindo um kimono… Ele tinha orgulho de ser um artista marcial. Ele era vaidoso… igual a mim, hehe…

- Um tipo de vaidade, mas sim…

Ele tinha cabelos curtos… Provavelmente para não cair nos olhos ou ser agarrado facilmente…

- Perfeito… Analisar estrategicamente requer…

Ele estava descalço, o que significa que ele está acostumado a treinar em todos os tipos de ambiente e é bruto…  

- Sim… Como eu ia dizendo…

Ele me deu um soco sem esperar eu me preparar, mas o resto da luta ele ficou comedido, então é possível dizer que ele estava ansioso ou excitado…

- Espera… Isso aí já tem a ver com Comportamento Humano, Psicologia… É muito mais complicado. Estratégia tem a ver com elementos palpáveis e factíveis… Emoções, pensamentos e atitudes são outra coisa. Não confunda!

Boris terminou o cigarro e jogou no chão, pisando em cima enquanto ouvia a conclusão.

- Mas você estava certo sobre os cabelos e andar descalço. Ter cabelo curto poderia significar que ele é vaidoso e gosta de estar bem, mas alguém que anda descalço não se encaixa nesse perfil. Entende? Fatores!

Entendi sim… Obrigado pela ajuda…

- Isso vai te custar uma parte do que eu ia te dar…


~ Fim do aprendizado ~


Será que ele poderá me ensinar mais coisas? Pensou Boris após passar um bom tempo aprendendo com o antigo. Sentia que ainda havia mais coisas para aprender e desejava adquirir esse conhecimento.

Pode me ensinar sobre comportamento humano?

O espadachim sabia que com esse conhecimento teria mais facilidades em combates e fora deles. Agora que havia aprendido a formular estratégias e analisar, entender as razões e funcionamento das mentes completaria o quebra cabeça da evolução e estaria um passo na frente rumo ao topo.
Boris Skalovsk:

_________________

Mais porradaria, mais confusão e mais fuga. [2] - Página 4 SV0Tlmo
Magma
Ver perfil do usuário
Imagem : Mais porradaria, mais confusão e mais fuga. [2] - Página 4 Q4frd31
Créditos : 07
MagmaPirata
https://www.allbluerpg.com/t622-joe-sins#3874 https://www.allbluerpg.com/
Idontflinch





Como é que é?! — Sins ergueria a sobrancelha direita, seus olhos acompanhariam a voz dos ratos de azul, fazendo-o bufar, irritado? não, mas depois de tantas lutas que não foram regadas de verdadeira adrenalina ele estava até que um tanto entediado. — Do que você ta falando? — Ele avaliaria cada um dos marinheiros, despreocupado.

Procuraria pelas armas de cada um, arcos, espadas, lanças, pistolas, o que fosse, ele só queria entender como eles poderiam atacá-lo, pela forma como seu futuro adversário tinha falado, eles provavelmente tentariam derrubá-lo com base na força, aquele talvez fosse o maior erro de suas vidas, mas o wrestler estava ficando interessado aos poucos.

Handicaps não eram incomuns na sua vida, ainda mais na arena, enfrentar múltiplos oponentes era nada mais do que uma pequena chance que ele podia conceder a esmo para qualquer adversário.

Ele procuraria por uma parede, um lugar que o deixasse encurralado, era a maneira mais segura de se enfrentar múltiplos inimigos se fosse necessário, afinal, os ataques viriam da mesma direção, e com sua prontidão seria muito mais fácil de administrar a luta como ele quisesse, e por mais que eles tivessem um espaço maior para se movimentar as regiões em que eles conseguiriam penetrar sua guarda seriam muito menores.

Se não fosse capaz de se colocar nessa situação ele simplesmente ficaria parado e permitiria que seus alvos se espalhassem, afinal, isso era o mais comum de se acontecer quando estava se enfrentando um alvo único em grupo, aproveitar-se da vantagem numérica para ganhar terreno.

Além do mais, Sins sabia que, se ele quisesse, nenhum daqueles marinheiros seria capaz de segurá-lo ali.

Certo, certo, não vou ficar de ladainha, me prendam logo, tudo bem? — Suspiraria, e sua mente selvagem trabalharia ao mesmo tempo, ele sabia o alcance de seu físico, criaria um “território” dentro da própria cabeça, qualquer coisa que entrasse em seu alcance seria triturada em uma velocidade alucinante.

Enfrentar todos de uma única vez não parecia nada interessante, era melhor atacá-los em ordem, uma fila mental se formaria na sua cabeça, os marinheiros mais próximos seriam os primeiros alvos, e seriam utilizados como escadas para alcançar os inimigos mais distântes.

Se ninguém se aproximasse de sua guarda ele simplesmente ficaria parado, se tentassem atirar em sua direção ele avaliaria a arma e tentaria se esquivar, movendo-se em zig zague.

Assim que seus sentidos captassem o primeiro intruso de sua “zona” de defesa, Joe ativaria sua absurda prontidão e avançaria na direção do alvo como um demônio sanguinário, entraria em sua guarda, e caso notasse um soco na direção de sua cabeça se aproximando, transformaria a própria testa em um poderoso escudo e tentaria acertar o punho antagônico com ela, Joe sabia que ambas as regiões tinham diferentes resistências por experiências próprias, ele queria inutilizar completamente o punho adversário de uma maneira completamente berserk e surpreendente.

Se o soco não chegasse, mas sim um chute ele abriria os braços, deixaria que a perna adversária adentrasse a guarda, abraçaria ela durante o movimento e giraria o corpo no próprio eixo, transformando o impacto do chute em uma força centrífuga, para girar o corpo do alvo sobre o próprio e injetar toda a pressão do golpe contra a perna do próprio alvo, quase como em um movimento de judô, tentando inutilizá-la com sua força bruta descomunal.

Caso o ataque viésse diante de uma arma branca, ele avaliaria o alvance do objeto, esperaria pelo último segundo e reagiria com sua prontidão, tentaria alcançar o apogeu de sua velocidade, e dessa forma infiltrar-se na guarda do adversário, transformando o próprio ombro em uma lança e arregaçando o estômago do alvo com um poderoso impacto.

"SPEEEEEEEEEAR!"

Mais porradaria, mais confusão e mais fuga. [2] - Página 4 Goldberg-ziggler

Sua sequência seria a mesma em qualquer um dos três casos, suas mãos avançariam rapidamente, tentariam desequilibrar o alvo após seu contragolpe, utilizaria um takedown rápido para lançá-lo de costas no chão.

"DOUBLE LEG TAKEDOWN!"

Mais porradaria, mais confusão e mais fuga. [2] - Página 4 Double%2BLeg%2BTakedown

Um sorriso selvagem brotaria, ele puxaria o alvo pelo tornoze-lo e transformaria o próprio corpo em um poderoso pião, girando no próprio eixo e puxando o adversário consigo, abusaria completamente de sua força descomunal e um grito de selvageria rasgaria sua garganta, denotando toda a brutalidade da besta.

UARGHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH!

"KING OF SWING!"

Mais porradaria, mais confusão e mais fuga. [2] - Página 4 DownrightSpiffyCopepod-max-1mb

Após dar diversas voltas com seu adversário, transformaria-o em uma bola de boliche e realizaria um poderoso lançamento, arregaçando-o contra todos os outros marinheiros, caso estivessem ainda agrupados, se estivessem espalhados o lançaria na direção dos que estivessem mais próximos, ou ainda agrupados, uma dupla, trio, o que fosse.

Em último caso, apenas o lançaria contra o que parecia ser o líder, simplesmente para que ele cuidasse de seus subordinados. — Uff! — Bufaria e limparia o suor da testa após o fim da sequência fulminante de movimentos.

Permaneceria atento, apesar de, é claro, não ligar nem um pouco se eles fossem atacá-lo após tudo aquilo.

Se após toda aquela demonstração de força alguém ainda tentasse atacá-lo fisicamente, ele caminharia na direção oposta ao adversário, recuando de seus golpes, seu intuito era simplesmente comprar tempo e recuperar o fôlego, para que ele pudesse arregaçar todos os outros logo em seguida.




Joe Sins
PDV:11000
STA:140

Vício:07/10
Compulsão:05/10

Posts:13
Surrados:1 - JÁ FOI UM!!!


Ganhos:
~ Hematomas no corpo (2/3 Post) (sem necessidade de tratamento)
Perdas:

OBJETIVOS:
1. Pegar um barco "emprestado" pra ralar peito.
2. Despistar a marinha de um jeito doido.
3. Ir pra Loguetown pra descer o cacete em mais gente.
4. Um npc acompanhante.
5. Uma armadura (você vai entender)
6. Um bom barco.
7. Suprimentos para a viagem.
Silent
Ver perfil do usuário
Imagem : Mais porradaria, mais confusão e mais fuga. [2] - Página 4 6XRDEjm
Créditos : 12
SilentPirata
https://www.allbluerpg.com/t669-viola-altamira#4474 https://www.allbluerpg.com/t1265-mais-porradaria-mais-confusao-e-mais-fuga-2


Crossroads




Viola encontrava seu alvo sem muita dificuldade, apesar do rapaz não parecer nada bem, como ela já havia imaginado. Ignorando temporariamente a confusão ao lado, aproximar-se-ia do corpo ao chão, utilizando de suas habilidades de medicina, analisaria o encrenqueiro, tentando identificar se ele aguentaria o tranco de ser carregado enquanto ela ia ao “resgate” de seu companheiro. ”Porque eu sabia que isso aconteceria…*Sigh*... Ele consegue lidar com aqueles, mas tenho certeza que é apenas a primeira onda do que está por vir. Se a gigante tivesse certeza que fosse apenas aqueles inimigos, ignoraria seu companheiro, pois sabia que o rapaz conseguiria lidar com aquele tanto, o problema era que nem mesmo Viola era tão louca de imaginar que aqueles seriam os únicos inimigos a aparecer. Ela tinha visto as embarcações da marinha no cais, então sabia que tinha bem mais marinheiros por ali do que aquele pequeno grupo. Suspirando enquanto encantava em repetição um mantra sobre arrebentar ela mesmo seu companheiro depois que isso tudo acabar por ter atrapalhado sua paz, caso tivesse avaliado como “ok” sobre carregar seu alvo, o tomaria em mão, deixando-o na mão esquerda e mantendo o braço dobrado com os punhos na altura dos peitos, fazendo uma espécie de concha com a mão como proteção pro rapaz e pegando seu “trovão” com a mão direita, seguiria atrás de Sins. Não pretendia se juntar à luta, até porque sabia do espírito do rapaz e não queria interferir com ele e, por mais que não fosse preguiçosa, era menos trabalhoso não se envolver no momento. Contudo, caso percebesse que reforços da marinha estavam vindo, impediria o avanço desses novos combatentes ficando no caminho deles antes que chegasse até onde Sins estava, deixando seu martelo estender toda seu tamanho até o chão, segurando pelo fim do cabo de forma que a parte superior se chocasse com o chão fazendo um estrondo suficiente para fazer jus ao nome de “Trovão” da arma.

-Esse caminho está bloqueado por intervenção divina, mortais. Melhor darem a volta se não quiserem perder essa existência miserável que chamam de vida.

Dando uma de segurança do capitão do bando, certificar-se-ia que ninguém atrapalharia seu combate por enquanto, além dela mesma, claro. -É melhor que isso acabe rápido, tenho pendências a resolver. Aliás… Porque diabos estou fazendo isso para ele se ele só está me atrapalhando? A gigante sentia a temperatura na área de sua bochecha esquentar levemente, uma indicação do constrangimento que seus próprios pensamentos causavam. Como sempre, até o momento o maior inimigo da deusa era seus próprios sentimentos, tão confusos quanto sua sanidade. Contudo, caso a gigante percebesse que o estado do rapaz era mais crítico do que aparentava após sua breve análise, não teria outra escolha senão ignorar seu companheiro. ”Foi mal, humano… Mas preciso de mais tempo no momento.” Se desculpando mentalmente, óbvio, pois até o momento ela era incapaz de desculpar-se com alguém de qualquer forma se não mental, tomaria o rapaz com cuidado em sua mão esquerda com a mesma estratégia de antes de fazer uma “concha” próximo a seus seios como forma de proteção e seguiria de volta a loja de armas para iniciar seu tratamento e, chegando lá, questionaria a moça se aquele era seu irmão de fato e que não tinha pego algum desconhecido que se encaixava perfeitamente na descrição dada por ela. -É ele? Certo. Me mostre onde estão os suprimentos médicos, iniciarei os tratamentos. Estou com um pouco de pressa no momento, então quão antes terminamos aqui, melhor. Comentaria caso a resposta fosse positiva sobre aquele ser seu irmão, iniciando o tratamento do rapaz assim que tivesse os suprimentos em mãos. Faria todo o necessário, certificando-se de esterilizar os instrumentos antes de iniciar o processo para não causar nenhuma infecção desnecessária. Feito o tratamento, voltaria sua atenção a moça novamente. -Certo, esse mortal vai viver, apesar de possivelmente ficar algumas sequelas marcando seu corpo… Mas talvez saiam com o tempo. Agora, meu chicote? Como disse, estou com um pouco de pressa. Entregaria a moça o valor solicitado já com o suposto desconto, sem se importar muito com a quantia, dando até mesmo todo seu dinheiro caso fosse o caso.

”Hmm, como disse que seria o nome dessa mesmo? Ah! Tempestade!

Das muitas falhas da deusa, aparentemente nomenclatura era uma bem notável. Estando em posse então de seu Trovão e Tempestade, voltaria no local de antes para tentar identificar onde Sins poderia estar, como antes, não acreditava que seria muito difícil encontrar o rapaz, era só seguir o barulho de confusão. Tomaria a mesma estratégia dita anteriormente, não atrapalhando seu combate no momento mas impedindo que reforços se juntem aos que já estavam lá. ”Não Viola, você não tá fazendo isso porque sente algo por ele, é apenas… Apenas… Apenas… Você não quer perder um seguidor! É isso! Ele é um fiel seguidor e crente de sua divindade e por isso você precisa zelar por ele, uhum! Tentando arranjar desculpas para suas ações, a confusa mulher iria ao auxílio de seu estimado companheiro. ”Me pergunto se o loiro venceu a luta… Apesar de não aprovar a atividade, já que ele resolveu participar, no mínimo espero que tenha vencido. Seu orgulho era tamanho que até mesmo aqueles a quem ela escolhia acompanhar parecia ser vítimas dele, estimando o potencial de seus companheiros o mais alto possível, apesar de que nunca admitiria isso verbalmente, sendo mais uma das infinitas coisas que ficariam trancafiadas para sempre no labirinto bizonho que era a mente de Altamira.

Legenda
-Fala-
”Pensamento”

Histórico:

_________________

Mais porradaria, mais confusão e mais fuga. [2] - Página 4 4UyKmNX
Blindao
Ver perfil do usuário
Imagem : Mais porradaria, mais confusão e mais fuga. [2] - Página 4 OdRR37N
Créditos : 47
Localização : North Blue ~ Flevance
BlindaoSargento
https://www.allbluerpg.com/t296-thorkell-dragnar-godheim https://www.allbluerpg.com/t1057-4-capitulo-gigantorines-em-altai

Narração
Aventura


~~ Boris ~~

A conversa entre Boris e Jonas se desenrola de uma forma mais profunda, mostrando que a relação deles estava se tornando um vinculo mais forte. Já que, o tritão havia falado a verdade sobre o que havia achado da luta. De certa forma, o tritão havia curtido o combate, ainda que achasse que Boris estava se contendo, na verdade era apenas uma sensação. Mal sabia ele que a luta havia sido desbravada com unhas e dentes por parte do espadachim, que por sinal, almejava se tornar o melhor do mundo; ainda que estivesse usando mais os punhos que uma espada.

O pirata havia dito em voz alta seu aclamado sonho e em resposta percebia um pequeno sorriso meio sem jeito do tritão. – Ah entendo. Vocês humanos são bastante obstinados quanto a isso. Ele comentava no breve dialogo. Logo não tardando para o negociante vir trazer o dinheiro da luta.

Enquanto Boris era instruído pelo velho homem, Jonas aproveitava para ler um livro que sempre carregava em seu bolso. Nesse meio tempo, Skalovski perguntava se poderia abusar mais um pouco dos conhecimentos do negociante. Hunn, bem... tenho alguns negócios para resolver. Afinal, tempo é dinheiro. Hyhuhuhu. Mas acredito que posso lhe ensinar mais um pouco, já que me fez ganhar uma boa bolada. Ele indagava um tanto curioso pelo fato de nunca ter visto um lutador buscar conhecimento, invés de dinheiro. Apesar de que ambos estão entrelaçados, e lideres tendem a domar ambos.

~~ Joe ~~

Após ser abordado pelo grupo de marinheiros, Sins avaliava a situação ao tentar observar as armas que seus, prováveis, inimigos portariam. O Soldado Cabo portava um par de soqueiras, outros portavam algumas armas com lâmina. Por sorte, ou acaso, esse grupo não possuía armas de fogo; talvez pela sua inexperiência ou pela escassez no arsenal de Loguetown.

O lutador havia se deparado com um final de beco, percebendo que a fuga só poderia ser pulado o muro por volta de 4 metros ou voltando o caminho, qual estava sendo interditado pelos soldados. Os marines pé-por-pé começavam a se distanciar um pouco de cada um para rodear a frente toda de Sins, ou seja, sua rota de fuga mais viável.

Mas para a surpresa dos marinheiros, a reação do homem encurralado era a rendição. – Ei Roger! Pelo jeito hoje é nosso dia de sorte, vamos capturar um meliante bem facinho. Hehehe. Um dos marine diria de forma positiva enquanto o que estava mais a frente, o Cabo, expressava um sorriso largo. – Isso aí mesmo, é melhor assim para todos. Ele diria ao puxar uma corda e caminhar em direção a Joe.

Quando o marine estava prestes a amarrar e prender Sins, o pirata imediatamente atacava de surpresa. Ainda que o Cabo marinheiro não fosse muito experiente, ele conseguia reagir, ainda com pouca maestria, e desferir um chute para afastar o criminoso. Entretanto, já esperando isso e com sua vasta experiência em lutas, Joe utilizava a própria força do oponente contra ele mesmo e ainda tunada com sua proficiência em Wrestler, cravando a cabeça do marinheiro no chão através de um movimento centrifugo.

Sangue começava a escorrer da cabeça do soldado e estava totalmente apagado. – Puta merda! Peguem ele de uma vez! Haviam mais 5 marinheiros e corriam em direção para atacar o meliante. No entanto, ao girar o corpo do Cabo numa espiral, colidia com o avanço dos soldados. Eles haviam sido arremessados pelo impacto, apesar de quem havia sofrido mais seria o marine em posse do criminoso.

Nem se quer poderia ser chamado de luta, pois, Joe havia dominado como um leão em sua selva. – Ora vejam só... um rato tentando ser um leão, não que seja novidade em Loguetown. Isso é engraçado. Um Homemde idade avançada, por volta dos quarenta anos, falava ao estar sentado no muro no final do beco. Ele portava roupas brancas e um bigodinho bastante clássico. – Sargento Shun! O soldado caído e tentando se erguer diria, espantado e debilitado.

O homem saltava do muro, passando por cima de Sins até cair de costas para ele e avaliar o estado dos soldados. – Huffs. Logo hoje que era meu dia de folga, que má sorte. Ele diria notando que o estado não era grave dos homens. – Então me diga, desordeiro... prefere ter qual parte do corpo quebrada? Antes de ser subjugado por mim! Ele virava e olhava para Joe, seus olhos eram silenciosos, mas emitiam uma sagacidade e espirito de luta muito superior aos outros.

Diferente das pessoas inexperiente, Joe era experiente, muito vivido apesar de sua pouca idade. Ele sabia que diante dele, que poderia ser considerado um leão, estava um Tigre Dentes dentes de Sabre prestes a tomar sua vida. – Humm... já que estou de folga, o que acha de fazermos de conta que nada aconteceu? Shun diria, pois, ele possuía uma politica extrema: quando estava desfardado, significava estar fora de serviço. Quando fardado, significava serviço acima de tudo. O marinheiro sabia que nada ganharia em lutar e prender o meliante, apesar de ter força para isso e tempo, ele preferia gastar em outras coisas, já que, era raro ter um dia de folga na cidade mais movimentada do East Blue.

~~ Viola ~~
Alguns momentos antes...

A giganta havia socorrido o arruaceiro, dentro do possível, antes de ir e dar suporte a seu companheiro. A breve avaliação feita pela mulher, poderia notar que o estado do rapaz era mediado, pois, só estava inconsciente e com alguns hematomas. No máximo algumas fraturas, mas nada que infligisse risco a sua vida. Dado este fato, Altamira logo seguia o rastro de seu companheiro com intuito de lhe ajudar, já que, sabia que jamais um grupo marine estaria em minoria.

Ainda que Viola detivesse uma estatura vantajosa para avistar outros grupos marinheiros, sua visão não captava nada. Desta forma, a enorme mulher seguia até o beco onde seu parceiro estaria. Chegando lá, notaria a presença de Joe e um outro homem de terno ocidental branco. – Humm?! Ele sentia os passos da giganta e então olhava para trás e notava a presença da médica. Inclusive, percebeu o estado do humano nas mãos da giganta. – Tsk. Parece que a folga foi pro ralo, malditos piratas. Ele diria ao expressar um rosto mais sério e rancoroso, já que, a situação não poderia ser evitada mesmo após a oferta dele para Sins.


Histórico Boris:

Histórico Viola:

Histórico Joe:

_________________

Mais porradaria, mais confusão e mais fuga. [2] - Página 4 2uAvx3T_d
Van
Ver perfil do usuário
Imagem : Mais porradaria, mais confusão e mais fuga. [2] - Página 4 Q4frd31
Créditos : 22
VanPirata
https://www.allbluerpg.com/t641-boris-skalovski#4055 https://www.allbluerpg.com/t623-porradaria-confusao-e-fuga-1#4138

Entendimento


O tempo gasto aprendendo algo novo nunca será um tempo desperdiçado. Em muitos locais, é mais caro estudar do que viver. A importância do conhecimento o transformou em um negócio lucrativo dando poder para pessoas poderosas num ciclo eterno onde quanto mais poder se tem, mais continuará tendo. É um sistema feito para manter o status quo e continuará assim eternamente por não haver como quebrar o círculo. Somente com muito esforço é possível quebrar essa bolha e fazer parte dela, algo que muitos conhecem como “Meritocracia”. No momento, Boris estava abusando dessa característica tida como um mito por muitos. O seu esforço em combate rendeu a oportunidade de aprender e evoluir. Mas todo esforço é devidamente compensado? Essa é uma pergunta que atormenta a mente das mais variadas pessoas e as respostas dificilmente são as mesmas.

Ah entendo. Vocês humanos são bastante obstinados quanto a isso.

Não posso falar sobre outras pessoas… Apenas por mim e eu sei que conseguirei. Se você me acompanhar, eu darei minha vida para que você também posso realizar seu sonho. Não importa o quão distante ou estranho você o considere. Se você me confiar o seu maior desejo, juntos o alcançaremos… ou morreremos tentando! hahaha

Skalovski não tinha o melhor senso de humor, só ele para cortar uma linha de pensamento tão positiva e inspiradora com uma frase negativa e impactante. Parecia que o espadachim não conseguia fugir de seus desejos inconscientes. Entretanto, sua ambição era forte o bastante para prevalecer. Ele não desistiria mesmo que parecesse impossível ou até mesmo se provocasse sua morte. O loiro vivia no limite e mesmo que tivesse outras opções, provavelmente continuaria a viver desta forma.

- Hunn, bem... tenho alguns negócios para resolver. Afinal, tempo é dinheiro. Hyhuhuhu. Mas acredito que posso lhe ensinar mais um pouco, já que me fez ganhar uma boa bolada.

É um preço baixo, hein… hahaha


~ Proficiência Psicologia ~


Assim como no processo anterior, o tutor voltou a utilizar o bloco de anotações, desta vez iniciando uma nova página para descrever informações importantes ao aluno. O primeiro tópico era “Comportamento Humano”. Ele explicou verbalmente o significado de Psicologia, o qual estudava o comportamento humano e suas profundidades. Era importante pontuar as motivações por trás das ações, emoções e processos.

- Veja, não se trata apenas de saber que tipo de emoção uma pessoa sente. Tem a ver com o que a fez ficar assim e o que ela fará posteriormente. Um sorriso pode significar felicidade, mas também pode ser uma máscara para uma tristeza ou até mesmo um desejo tão forte que escapa do controle humano.

O professor pontuou conceitos como percepção, cognição, atenção, emoção, Inteligência, fenomenologia, motivação, funcionamento do cérebro humano, personalidade, comportamento, relacionamentos interpessoais, incluindo resiliência, entre outras áreas. Era importante mencionar cada uma e sua importância no entendimento geral pois apesar de serem diversos assuntos, era relativamente simples entender. Bastava bastante estudo e uma boa memória. Não era o mesmo que fazer uma cirurgia. A mente humana era muito simples e esta simplicidade a torna muito complexa. Um verdadeiro paradoxo.

- Perceber não é apenas ver algo. Você pode utilizar os cinco sentidos para isso. Sentir o cheiro de alguém pode destacar se a pessoa tem uma boa higiene, se ela veio de algum local específico como o mar - pelo cheiro de peixe e sal - ou floresta - terra molhada, flores, grama, etc. Pelo tato é possível sentir a temperatura; até mesmo pelo paladar você pode saber se a pessoa cozinhou com carinho ou não. São tantas percepções, mas o importante é ter noção que ela existe.

O aluno permanecia em silêncio, viajando em suas próprias memórias e experiências, como se estivesse revivendo cada momento e tendo novas definições de suas lembranças, ressignificando sua própria história com os novos conhecimentos.

- Emoção talvez seja a parte mais difícil pois envolve conhecimento de microexpressões e contextos. Por exemplo, a raiva é bem fácil de notar. Mas pessoas inocentes sendo julgadas costumam ficar enraivecidas pelas acusações ou pessoas justas sentem raiva ao ver injustiças sendo cometidas. Não adianta NADA conhecer emoções se você não souber o contexto. Pessoas riem de nervosismo, choram de felicidade, ficam coradas de vergonha e por aí vai.

O ambidestro via nas anotações desenhos de microexpressões e seus significados, tentando identificar antes do professor revelar qual era. Desta forma ele fazia um simulado onde colocava à prova essa pequena parte do conhecimento, posto que contexto era um assunto muito vago, mas conforme ele aprendia mais sobre essas emoções, mais questões surgiam, nestas com enunciado propondo uma situação hipotética e um suposto contexto.

- Digamos que você veja um homem suando em uma roupa cara diante de uma grande empresa. Ele está de costas, mas dá para ver o suor em sua nuca e cabelos. O que você consegue tirar dessa situação?

Hm… Bem, ele estar bem vestido significa que ele está apropriado para o ambiente… Suado pode ser de nervosismo ou atraso… Se eu tivesse que chutar, diria que ele está indo para uma entrevista de emprego.

Palmas foram ouvidas enquanto seu instrutor parecia bastante satisfeito com a resposta. Ele pegou seu bloco e para a surpresa de Boris haviam diversas respostas possíveis. Sim, não havia uma resposta apenas, o importante era ser capaz de encontrar supostas respostas pois quanto mais informações acerca do cenário se tem, mais fácil analisar um suposto comportamento.

- Ele poderia estar atrasado, poderia ter sido assaltado, calor, demitido, pedindo promoção, e por aí vai… O que vai te garantir o melhor resultado é o contexto geral.

Nossa…

- Há também questões de personalidade. Pessoas podem ter as mais variadas personalidades e reagem de maneiras diferentes para situações iguais. Diante de um tropeço de uma terceira pessoa, alguns riem e outros ajudam. Uns matam animais para se alimentar, outros os defendem com a própria vida. Não é preto e branco. São muitos tons de cinza… Muitos!

O bloco chegava ao fim com todos os exemplos que o navegador era obrigado a aprender e estudar. Para cada ensinamento, pelo menos dois simulados eram feitos e ele os respondia com muita dificuldade, aprendendo aos poucos, mas regularmente. Era muito difícil estimular uma pessoa preguiçosa, então estalar de dedos e palmas aconteciam para que o foco voltasse e Boris prestasse atenção no conteúdo, todavia, eventualmente ele obtinha um resultado satisfatório.

- Minha última dica para você é manter o esforço ao máximo para absorver todas as informações que puder antes de definir algo. Não seja preconceituoso e mesmo quando achar que sabe de tudo, lembre que você não sabe de nada!


~ Fim do aprendizado ~


Com o fim do aprendizado, o espadachim sem espada estava pronto para partir com todo o dinheiro recebido, além, é claro, dos conhecimentos sem preço. Ao lado de seu nakama, ele tinha conseguido berris o bastante para a viagem. Agora era hora de comprar os suprimentos para a viagem.

Hey, sabe onde é o principal mercado dessa ilha? Preciso comprar algumas coisas para viajar. Fazer uma excursão…

Perguntaria ao tutor ou a qualquer transeunte que estivesse perto. Sabia que Jonah, assim como ele, visitava a ilha pela primeira vez, então estavam turistando e conhecendo o ambiente. Caso alguém lhe indicasse o caminho, iria até o local indicado para gastar com o que Jones precisasse. Suprimentos para a viagem, material para conservar embarcação, comida, etc. Na hipótese de ninguém saber informar, voltaria em direção ao barco, talvez beirando o porto tivesse algum mercado emergencial para pescadores e navegadores apressados.

Boris Skalovsk:

_________________

Mais porradaria, mais confusão e mais fuga. [2] - Página 4 SV0Tlmo
Silent
Ver perfil do usuário
Imagem : Mais porradaria, mais confusão e mais fuga. [2] - Página 4 6XRDEjm
Créditos : 12
SilentPirata
https://www.allbluerpg.com/t669-viola-altamira#4474 https://www.allbluerpg.com/t1265-mais-porradaria-mais-confusao-e-mais-fuga-2


Escolhas



Toda vez que se encontrava com marinheiros, a gigante acabava pensando em quão bizarro era o conceito de “certo” e “justiça” para aquelas criaturas. ”Para eles, criminosos são aqueles que infringem as leis criadas por eles mesmo… Como se seja lá quem tivesse feito tais leis fosse alguma espécie de divindade… Realmente patético. O que consideram infração, pra mim é apenas liberdade.” Certificar-se-ia de que o rapaz estava devidamente seguro em suas mãos e iria se aproximar do companheiro. -Oy! Sins! Não posso tirar os olhos de você por dez minutos que você já tem metade da ilha atrás de você, huh? Tsk. Você lida com esse mortal ou precisa de uma intervenção divina? Questionaria ao companheiro, apesar de se considerar uma deusa, como já dito diversas vezes anteriormente, um dos aspectos que mais cativava a médica em relação aos humanos era o seu conceito de liberdade e por isso, tentava interferir quão pouco fosse possível nas dos outros, principalmente daqueles que acompanhava. Caso a resposta do companheiro fosse positiva, ajudaria ele ao desestabilizar o oponente com seus golpes, faciltando o acerto do aliado. -Mortal, pule! Gritaria na direção do companheiro, dando sequência a essa fala com uma explosão de força originada ao fixar seus pés no chão, inclinando seu corpo levemente para frente enquanto trazia seu braço direito para trás junto de seu martelo, executando um movimento de meia-lua de forma que terminasse contra o chão próximo de onde o marinheiro estava. A ideia não era acertar o homem, o papel de vencê-lo ela ainda deixaria para Sins, mas buscava com a força do golpe criar algum tipo de tremor/destroços voando que pudessem atrapalhar a esquiva do homem, facilitando assim que seu companheiro acertasse ele. Porém, caso Sins não quisesse a “interferência divina”, ela apenas daria de ombros, sentando-se a uma distância onde ainda pudesse reagir caso o homem viesse em sua direção, enquanto manteria sua audição aguçada no máximo para perceber se novos reforços viriam.

”Estranho… Na outra ilha uma hora dessa isso aqui já estaria cheio desses palermas uniformizados…”

Percebendo a demora de resposta da marinha da ilha, um breve pensamento de que talvez algo maior estivesse acontecendo por ali começava a rondar a cabeça da gigante. O tal marinheiro que reagia a sua chegada parecia diferente dos outros minions que estavam anteriormente, mas de forma alguma parecia ser uma ameaça capaz de parar duas raízes da grande árvore alada(nome do bando). Durante a luta dos dois, caso percebesse que Sins estava em desvantagem, viraria a cabeça tal qual um cachorro em dúvida, erguendo uma das sobrancelhas. -Hãn… Joe? Você está tendo problemas com esse mortal? Ainda não iria interferir em respeito ao orgulho do companheiro, continuando no aguardo de quando ele pediria por sua ajuda. Se enquanto aguardasse ou durante sua ofensiva percebesse que o marinheiro havia trocado de alvo e virado para ela, o canto de sua boca arquearia levemente, indicando um sorriso perverso bem rotineiro a mulher em situações de combate. -Hoho. Venha, mortal… Mostrarei a você a diferença entre os céus e a terra. Ajustaria sua empunhadura, invés de deixar seu martelo de forma externa como fazia normalmente, isso é, com a “cabeça” da arma na altura de seus ombros e voltado a frente, iria deixar o cabo da arma entre seus braços e o próprio corpo, como alguém que esconde uma adaga no próprio pulso. Sua ideia com isso era utilizar sua arma como uma extensão de seu próprio braço, além de maior firmeza do que teria segurando a arma de forma externa, uma vez que estava com a outra mão ocupada segurando o irmão da atendente. Seu reflexo era bem defasado, então Viola raramente se preocupava em defender-se, como um orgulho inato de gigantes misturado aos aprendizados que teve quando aprendeu a lutar feito um bárbaro… “Não é sobre se defender, é sobre devolver em pelo menos duas vezes a dor que sofrer.” E embora fosse uma boa aprendiz, esse ensinamento em específico a gigante levava bem a sério.

”Não importa o quanto eu apanhe, só preciso devolver mais dano do que recebo.”

Sendo assim, absorveria o golpe inimigo e, quando ele estivesse recuando do golpe, deixaria o peso de seu martelo cair sobre o alvo, utilizando do peso do instrumentos junto de sua monstruoso força para impulsionar uma espécie de estocada que buscava acertar o “meio” da arma, bem onde o cabo se conecta com a parte de metal, aumentando assim a área de impacto uma vez que a parte superior do martelo estaria na horizontal em relação ao inimigo, invés de usar apenas uma das extremidades da arma como normalmente as pessoas utilizam um martelo. Aproveitando-se deste ímpeto, tendo acertado ou não o golpe, ergueria seu braço ao agachar-se bruscamente, levantando de uma vez só para um salto, imitando o movimento de um sapo. A ideia deste golpe era aproveitar da força descendente do golpe anterior e, mudando bruscamente para uma ascendente, pegar de surpresa o oponente, além de, devido a força utilizado para executar o salto, possivelmente causar um estrago devidamente alto.

Caso ainda tivessem os outros marinheiros no local além do que aparentava ser o mais forte, ela diria em um tom autoritário utilizando de sua voz melodiosa, bem útil quando ela quer passar um tom específico de voz. -Vocês ai, mortais… Vou contar até 5, quem ficar irá receber uma passagem só de ida para Valhalla. E de fato ela contaria até 5 e, talvez por acharem que fosse um blefe ou algum sendo de coragem que ainda tivessem os marinheiros permanecessem ali, a deusa manteria sua palavra, avançando na direção dos oponentes. Como um bárbaro, utilizaria o que tivesse a sua disposição para aniquilar seus oponentes. De certa forma, Viola era alguém com bastante misericórdia, mas uma vez engajada em combate, era definitivamente uma motriz excitante de assistir… Caso não fosse você do lado errado da batalha, claro. Quando estivesse a uma distância ideal para um salto(com suas proporções em mente) saltaria na direção do grupo de inimigos, enquanto no ar, gritaria para seu companheiro caso ele estivesse perto dos grupo de marinheiros. -Sai de baaaaixo! Quando estivesse no máximo de altitude que conseguisse alcançar com o salto e percebesse que a gravidade começasse a fazer sua função e seu corpo ir de encontro ao chão, giraria o martelo em mãos de forma que a parte superior ficasse direcionada para baixo e o cabo ficasse virado para ela, na altura do ombro, como se fosse uma lança utilizada por povos indigenas prestes a ser arremessada e, como sempre, deixaria o peso de sua arma fazer efeito. Basicamente, ela como se ela arremessasse sua arma, mas invés de deixar o instrumento sair de sua mão, quando estivesse bem no fim do cabo seguraria firme, deixando a força do impulso que ela havia feito puxar seu corpo junto ao efeito da gravidade.

Se, por algum milagre, a confusão toda fosse resolvida por ali, suspiraria, já sem energias se quer para dar uma bronca em Sins, até porque sabia que por suas experiências anteriores, aquelas seriam apenas palavras vazias num recipiente já cheio, ou como os mortais costumam dizer… Entraria por uma orelha e sairia na outra. Prosseguiria então de volta a loja de armas, dando uma checada no irmão da moça apenas para ver se ele ainda estava respirando após a confusão toda.

Legenda
-Fala-
”Pensamento”

Histórico:

_________________

Mais porradaria, mais confusão e mais fuga. [2] - Página 4 4UyKmNX
Magma
Ver perfil do usuário
Imagem : Mais porradaria, mais confusão e mais fuga. [2] - Página 4 Q4frd31
Créditos : 07
MagmaPirata
https://www.allbluerpg.com/t622-joe-sins#3874 https://www.allbluerpg.com/
Ric Flair Drip





Hmm?! — Joe ergueria a sobrancelha direita, curioso, ele tinha achado interessante a aparição daquele homem, pessoas cuja presença chama tanta atenção geralmente são bem fortes.

Sins colocaria as mãos nos bolsos e caminharia sobre os corpos no chão, se aproximaria do homem que tivera acabado de chegar, é lógico que ele tinha notado a grandona, tiraria uma das mãos dos bolsos e acenaria em sua direção, surpreso. — Ohhh! Viola! Eu estava só resolvendo algumas coisas! — A aparição da companheira tinha melhorado e muito seu humor, fazendo-o repensar e muito se deveria ou não começar outra confusão.

Bem... — Ele manteria o leve sorriso no rosto e coçaria a cabeça, se aproximaria do homem que tivera acabado de chegar, estalaria os dedos das mãos e logo em seguida voltaria a escondê-las nos bolsos. — Você? — Franziu as sobrancelhas.

Fazia muito tempo desde que uma pessoa chamava sua atenção daquela forma, desde Boris, Viola e até mesmo Bernardes, as pessoas que tinham potencial para se tornarem protagonistas eram poucas, principalmente aos olhos de Sins, aquele ali ao menos tinha uma das características cruciais em pessoas cuja presença é arrebatadora, uma entrada triunfal! sim, era essencial que uma pessoa que almejasse o protagonismo tivesse uma entrada triunfal, de que outra forma sua presença seria tão marcante não é mesmo?

Ele entraria no alcance do marinheiro, despreocupado, pararia na sua frente e o encararia por um tempo. — Ei, você é forte! — O sorriso calmo aos poucos se transformaria em um sorriso selvagem, como se ele estivesse encarando uma presa.

Por que não entra para a minha tripulação?! — O sorriso só ficaria mais largo e ele ergueria o queixo, de maneira dominante quanto aos outros em todo o lugar, exceto pela presença divina que os agraciava, é claro.

Caso qualquer golpe entrasse em sua guarda ele o sofreria, despreocupado, até mesmo se lançaria para trás junto ao golpe, não só para abrir uma distância maior diante do seu adversário e ter tempo para se recuperar, como para causar impacto, realizaria um Kip Up com as mãos nos bolsos, e continuaria o encarando. — Como eu disse, muito forte.

Joe assentiria e balbuciaria em qualquer situação. — Parece que tenho de mudar seu pensamento, isso vai ser complicado. — Suspiraria, ele encararia diretamente seu futuro alvo. — Façamos o seguinte então.

Apontaria para si mesmo. — Se eu perder, vou pessoalmente pedir desculpas a todos esses homens.

Apontaria na direção do marinheiro. — Se eu vencer, bem, você se unirá a tripulação do futuro rei dos piratas. — Seu sorriso se abriria cada vez mais conforme falava. — A tripulação de Joe Sins!

Cruzaria a distância entre ele e o adversário, ergueria ambos os braços, chamando-o para um teste de força.

Mais porradaria, mais confusão e mais fuga. [2] - Página 4 Unknown

Caso ele aceitasse o clinch para medir as forças, Joe abusaria de toda sua aptidão física para tentar tomar a iniciativa, giraria o corpo por baixo dos braços do adversário com ligeireza, agarraria sua cintura e transformaria o corpo em uma ponte, lançaria o adversário para trás, arregaçando-o com a nuca contra o solo.

"GERMAN SUPLEX!"

Mais porradaria, mais confusão e mais fuga. [2] - Página 4 Giphy

Se conseguisse encaixar o German com maestria, rolaria por sobre o corpo do alvo e se posicionaria "atrás" dele, esperando que ele se levantasse, caso ele o fizesse, saltaria, agarraria seu pescoço e se jogaria de costas no chão, colocando toda pressão possível sobre o pescoço do adversário e puxando-o contra o chão.

"RKO OUTTANOWHERE!"

Mais porradaria, mais confusão e mais fuga. [2] - Página 4 Rko-randy-orton

Entretanto, se por acaso Joe fosse golpeado em quaisquer fase da combinação, ele recuaria um passo para trás, já que o ímpeto da investida havia sido entregue ao seu adversário, caso ele avançasse sem parar, deixaria que ele se aproximasse e abusaria da prontidão para infiltrar-se em sua guarda no ultimo segundo, agarraria suas duas pernas, o ergueria e o lançaria de costas contra o solo com toda a brutalidade que encontrasse.

"SPINEBUSTER!"

Mais porradaria, mais confusão e mais fuga. [2] - Página 4 CQptCi

Eu estava certo! — Gritaria, exibindo seu sorriso maníaco, ele ergueria ambos os braços. — Vamos lá! entre em minha tripulação!




Joe Sins
PDV:11000
STA:140

Vício:08/10
Compulsão:00/10

Posts:14
Surrados:10 - JÁ FOI UM!!!


Ganhos:
~ Hematomas no corpo (3/3 Post) (sem necessidade de tratamento)
Perdas:

OBJETIVOS:
1. Pegar um barco "emprestado" pra ralar peito.
2. Despistar a marinha de um jeito doido.
3. Ir pra Loguetown pra descer o cacete em mais gente.
4. Um npc acompanhante.
5. Uma armadura (você vai entender)
6. Um bom barco.
7. Suprimentos para a viagem.
Blindao
Ver perfil do usuário
Imagem : Mais porradaria, mais confusão e mais fuga. [2] - Página 4 OdRR37N
Créditos : 47
Localização : North Blue ~ Flevance
BlindaoSargento
https://www.allbluerpg.com/t296-thorkell-dragnar-godheim https://www.allbluerpg.com/t1057-4-capitulo-gigantorines-em-altai

Narração
Aventura


~~ Boris ~~

O laço entre Boris e seu novo companheiro, Jonas, se tornava mais forte com passar do tempo. Apesar de Skalovski não ser um humano muito sentimental, o artista marcial estava traçando um vinculo bastante forte com seu parceiro, o tritão. – Hahaha, morrer pelo sonho de um amigo parece uma morte boa para mim. Um esboço de sorriso seria expressado por ele.  – Sonho, huh... eu sempre sonhei em criar o maior e melhor navio desta Era. Mas muitos riram desse sonho, mas sinto que ao seu lado eu tenho chances de conquistar isso! Jonas era um tritão um tanto quieto e acostumado a manter uma face neutra, porém, agora manifestava um carisma e camaradagem próximo de Boris.

Dado algum tempo, o pirata haveria sido instruído pelo senhor apostador, não demorando muito para terminar sua aula em Psicologia. Havia se passado algumas horas, neste meio tempo o tritão se centrava em apenas escutar, aprender coisas novas nunca era algo ruim.

Boris estava agora determinado em ir até o mercado mais próximo, pois, era um espadachim sem uma espada. Nada mais logico que comprar uma; apesar do pirata ser um perito em arte marcial, ainda sim suas raízes se encontravam no caminho da lâmina.

Após perguntar para o senhor, ele teria respondido que era seguindo a saída do beco e passando a praça até ver um feirão, ao qual haviam barracas por todo lado. Assim que o pirata seguisse, notaria alguns marinheiros correndo para um lado, mesmo que não soubesse o que estava rolando, poderia presumir que era algum tipo de caça a piratas.

Chegando no feirão, cujo trajeto seria breve, notaria diversas pessoas vendendo todo tipo de coisa, desde comida, bebida, roupas, armaduras e armamentos de todo tipo. Poderia abordar qualquer uma das barracas, mas uma delas estava sem clientes pelo fato de ter apenas lâminas no estoque, dentre elas haviam adagas, katanas, espada de dois gumes, machados e alabardas. Talvez fosse um bom local para o pirata ir e avaliar os preços, cujo estavam destacados em cada arma.

~~ Viola e Joe ~~

A giganta conversava com seu aliado como se não houvesse ninguém lá, certamente algo que deixou bastante puto, o marinheiro Shun. Era visível a testa do marine surgir uma veia saltada. Enquanto Joe se aproximava no alcance do Sargento, a enorme mulher atacava com seu enorme martelo de guerra o marine através de um ataque terrestre. Apesar de avisar seu aliado, o mesmo parecia ignorar.

Neste meio tempo, Sins parecia interessado no oponente a sua frente. Entretanto, tudo que Shun almejava era ter um dia de folga, além de terem tirado isto dele, parecia ignorar inicialmente sua presença. – Forte? Desde quando um reles ratinho tem direito de achar algo aqui!? Ele diria expressando um rosto rancoroso e furioso.

Viola criava um pequeno terremoto junto de destroços em razão de ter atingido o chão e destroçado por meio de sua grande arma. Em razão da giganta ter atacado primeiro e seu aliado ter ignorado o ataque, tanto Sins quanto Shun eram alvejados pela onda de destroços que apesar de rápida, lançava uma boa rajada de escombros. – Tsch. Ei! Não destrua as ruas da cidade. O sargento diria, ainda de costa para a giganta.

Joe havia sido atingido por boa parte das pedras, lançando-o contra a parede do fundo. Diversos hematomas emergiriam, seguido de arranhões e cortes. Por outro lado, Shun teria evadido boa parte dos destroços e quebrado outros com seus punhos. Altamira ate haveria falado com Joe em razão de estar com dificuldade, mesmo que ela fosse a razão. – Hunf. Você parece me ignorar bastante. O marine teria dito, sumindo da vista da mulher e aparecendo atrás dela.

Shun haveria atingido um dos pés da gigante que lhe fez perder o equilíbrio e cair para trás, mas era interditada por outro ataque que atingirá sua dorsal, um ponto especifico de suas  costas que lhe infligiria enorme dor, senão fosse sua capacidade em ignorar ela. – Gigantes são bastante resistente, que inferno. O marine haveria dito, logo desferindo um duplo soco e jogando a giganta para frente.

Devido a falta de atenção, ou em razão do desequilíbrio, o humano que estava em sua mão cairia e rolaria alguns metros a frente, permanecendo desacordado. A falta de entrosamento parecia clara e o sargento, experiente e vivido, abusava de tal momento para derrubar ambos os piratas. – Are, are. Ele soltava um suspiro logo ao pegar seu comunicador. – Tragam um esquadrão de uma vez, seus bunda mole. Ele avisaria o Q.G. Tal qual seria o momento em que Boris avistaria o grupo de marines deslocando pelo feirão.

Enquanto Viola estava caída e Joe tentava se recompor com suas costas escoradas no paredão, um rapaz jovem pularia de cima de uma das casas e se aproximaria de Joe. – Aí cabeça! Eu fui com tua lata, tu parte pra cima de geral e não mostra medo, isso sim é ser homem! Kahahahahahaha! Ele sorria e fazia uma pose exaltado pela luta de antes do pirata. – Pode me chamar de Kain! O que acha de uma aposta? Quem fazer aquele merda sangrar primeiro, ganha! Ele apontava para o sargento que lhe olhava de longe expressando um rosto raivoso. – Tsch, mais outro pirata. O marine proferia ao estar com as mãos no bolso enquanto interditava a saída dos piratas caso tentassem sair.


Histórico Boris:

Histórico Viola:

Histórico Joe:

_________________

Mais porradaria, mais confusão e mais fuga. [2] - Página 4 2uAvx3T_d
Van
Ver perfil do usuário
Imagem : Mais porradaria, mais confusão e mais fuga. [2] - Página 4 Q4frd31
Créditos : 22
VanPirata
https://www.allbluerpg.com/t641-boris-skalovski#4055 https://www.allbluerpg.com/t623-porradaria-confusao-e-fuga-1#4138

Preparo

O tempo curava feridas e aliviava dores, mas também aumentava saudades e tristezas. A convivência prolongada criava laços indestrutíveis, mas também separava os fracos. Poucas coisas eram tão complexas como o tempo. Um minuto passa muito devagar quando se está segurando uma panela quente, mas uma hora passa num estalar de dedos quando se está rindo aproveitando uma boa companhia. O bando pirata recém-formado Wolhaiksong desafiou o tempo ao criar laços tão fortes em tão pouco tempo. Boris facilitava essa exceção ao ser uma pessoa agradável e altruísta. A sua personalidade era simpática o bastante para transmitir confiança e equilibrar com o jeito impulsivo e inconsequente do seu Capitão e de uma gigante que por si só já causava desconforto na maioria das pessoas. Ele era o ímã que unia todas aquelas peças e agora ele desejava acrescentar mais uma.

Hahaha, morrer pelo sonho de um amigo parece uma morte boa para mim.

É a única morte aceitável! — Completou o loiro.

Sonho, huh... eu sempre sonhei em criar o maior e melhor navio desta Era. Mas muitos riram desse sonho, mas sinto que ao seu lado eu tenho chances de conquistar isso!

O que acha disso… Eu indico a direção e você pilota nossa tripulação rumo ao topo do mundo… Tenho certeza que o homem que irá se tornar Rei dos Piratas vai amar viajar no melhor navio que esse mundo já viu! — Os olhos de Skalovski brilhavam como pedras preciosas recebendo luz solar ao idealizar o futuro do bando. É claro que ele não esqueceria de seus nakamas e agora sabia o sonho de todos, embora Viola ainda fosse um mistério em muitos níveis.

A dupla seguiu seu caminho após despedir-se do instrutor e durante o trajeto viram um grupo de marinheiros partindo para um determinado local. Instintivamente o espadachim sentiu que Sins estava por trás daquela situação, entretanto, ele ainda não tinha conseguido os suprimentos necessários para a viagem e o principal: Não havia conseguido uma espada. A ausência de uma lâmina reduzia seu potencial e se quisessem encarar os inimigos futuros, o navegador precisaria de uma urgente.

Tsc… O “capi” já arrumou confusão…. Vamos acelerar e comprar tudo rápido logo… — Se o tritão perguntasse como ele sabia disso, o espadachim responderia com uma simples palavra. — Intuição!

No mercado, compraria comida, água, cigarro, isqueiro e ferramentas de manutenção para o navio com o dinheiro ganho anteriormente. Também iria até uma loja de armas. Deixaria ser seduzido por uma Katana “formidável” e gastaria 1.200.000 para comprá-la. Sabia que com ela teria ainda mais força para proteger seus nakamas. Perguntaria ao homem peixe se ele desejava comprar algo e daria berris para ele fazer suas compras. Não economizaria. O importante era que seu companheiro estivesse satisfeito. Com as compras feitas, colocaria tudo em duas grandes bolsas.


Mais porradaria, mais confusão e mais fuga. [2] - Página 4 Maxresdefault


Jones… Está na hora de botar nossos sonhos à prova… Precisamos correr para encontrar nossos nakamas… Tenho certeza de que eles precisam da nossa ajuda!  

E assim partiria correndo com uma bolsa enorme em suas costas e sua nova arma na cintura do lado esquerdo. Correria na direção percorrida pelos marinheiros anteriormente, assim conseguiria pegá-los pela retaguarda e salvar seus amigos caso eles estivessem sendo atacados. Não economizaria energias para ir até o lugar. Durante o trajeto, pegaria o isqueiro e acenderia um cigarro de mais um maço comprado. Daria uma tragada profunda e o deixaria na boca enquanto corria. A sensação da fumaça preenchendo seus pulmões e provendo um relaxamento temporário era exatamente o que ele precisava antes de iniciar um combate.

Na hipótese de chegar e encontrar seus amigos, não hesitaria e atacaria com sua nova lâmina os oponentes por trás, retalhando-os de modo a neutralizar. Cortes diagonais ascendentes e verticais descendentes seriam executados sem muita técnica. O objetivo era derrotar o máximo de inimigos possíveis para facilitar uma possível fuga. Se encontrasse Joe e/ou Viola chamaria a atenção deles.

Oew… Como vocês fazem uma festa dessas e não me esperam?! Hahaha

O sorriso típico de Boris buscava transmitir confiança e elevar a moral do bando para lidar com aquela possível ameaça. Caso fosse atacado, usaria sua lâmina para bloquear e defletir possíveis golpes recebidos. Sua mobilidade estava comprometida por causa dos suprimentos, então abusaria de sua nova companheira para se proteger e atacar ao mesmo tempo. Tentaria avançar de modo a aproximar-se dos companheiros e fazer parte do círculo de ataque. Ficaria atento às investidas de Viola e a usaria como impulso se houvesse oportunidade para efetuar suas investidas.

Caso não encontre os nakamas ou se perca, tentaria subir no prédio, construção, árvore o que fosse mais alto e capaz de lhe dar uma boa visão da ilha. Lá no topo, tentaria enxergar focos de confusão ou gritaria. Seguiria então até o local pois conhecia Joe o bastante para saber que onde ele estivesse, haveria caos. Simples assim!

Boris Skalovsk:

_________________

Mais porradaria, mais confusão e mais fuga. [2] - Página 4 SV0Tlmo
Silent
Ver perfil do usuário
Imagem : Mais porradaria, mais confusão e mais fuga. [2] - Página 4 6XRDEjm
Créditos : 12
SilentPirata
https://www.allbluerpg.com/t669-viola-altamira#4474 https://www.allbluerpg.com/t1265-mais-porradaria-mais-confusao-e-mais-fuga-2


Some Unholy War



Enquanto encontrava-se no chão após receber poderosos golpes do marinheiro, percebendo que seu precioso alvo rolava no chão devido ao impacto, Viola primeiro ficaria de “quatro”, deixando seus joelhos tocarem o chão, assim como as palmas de suas mãos, prosseguindo para levantar-se ao erguer primeiro o tronco, depois dobrando a perna direita em frente ao corpo de forma que seu joelho esquerdo ainda permanecesse no chão, como um cavaleiro da antiguidade prestes a receber seu título de nobreza diante da espada da realeza. Muitas coisas rondavam a cabeça da mulher naquele momento, tantas que até o mesmo o infinito pareceria insuficiente para descrever, mas devido a suas limitações, apenas uma coisa podia sair por vez de sua boca, não importa quantas estivessem em sua mente. Ainda ajoelhada com o cotovelo sobre o joelho direito, pegaria sua majestosa arma com a mão esquerda, fitando o céu por um breve momento. -Sabe… Humano… Vocês dizem que estão aqui para guardar e proteger, mas acabou de derrubar um inocente de minha guarda, que já não estava em condições muito boas… Finalmente, levantar-se-ia tomando uma guarda de batalha, deixando sua perna direita um pouco a frente do corpo, enquanto o resto estaria virado um pouco de lado, com seu braço esquerdo, que segurava a arma, voltado para trás, enquanto com a outra mão ela cerraria o punho, fazendo saltar vistosas veias por todo seu braço. -*Sigh*E eu só queria um chicote… Porque é sempre tão dificil conseguir uma arma… Essa cena toda me lembrou uma música que minha mãe mortal cantava… Não é surpresa para ninguém que a gigante tinha uns parafusos a mais ou a menos na cabeça, ainda mais quando sua histeria atacava como naquele momento, fazendo suas emoções viraram um turbilhão confuso que ninguém sabia dizer ao certo o que de fato a mulher estava sentindo. Começaria a caminhar na direção do marinheiro, enquanto utilizando de sua voz melodiosa, cantava a canção que lhe vinha à cabeça e parecia propícia ao momento.


-”Se meu homem estiver lutando
Alguma guerra profana…”


Devido a sua estatura, era de se imaginar que a distância não seria tão longa assim para cobrir, logo, interrompia momentaneamente sua canção para realizar sua primeira ação. Uma curiosidade sobre o estilo bárbaro de combate era utilizar do que estivesse a sua disposição para aniquilar o inimigo, no sentido literal da palavra e Altamira não sentia nenhum tipo de empatia por aquele marinheiro no momento, em sua mente, aquele mortal não passava de uma existência que o prazo já havia passado da validade no plano terrestre. Quando estivesse a uma distância suficiente do homem, isso é, quando ele estivesse no alcance de seu ataque, adotaria a pose de combate descrita anteriormente e utilizando de seus conhecimentos em anatomia humana e psicológicos(perícia psicologia), traçava seu alvo. ”Um combatente corpo a corpo que usa de sua velocidade para atingir o ponto cego do inimigo… Patético, mas eficaz de qualquer maneira. Ele parece basear toda sua luta em velocidade e força, considerando que conseguiu me arremessar com o golpe, então, só tem um ponto para lidar… Como seu braço estaria para trás do corpo, firmaria a base do golpe ao forçar os músculos da perna esquerda que estava a frente do corpo contra o chão, criando um ponto de base sólido e giraria seu torso até o máximo que conseguisse para gerar uma maior força centrífuga, impulsionando o golpe, que começaria na altura de sua cintura, mas tomaria um arco diagonal partindo de baixo para cima, começando na altura da cintura e indo até um pouco acima do ombro, reduzindo a altura novamente para que quando estivesse no ponto máximo de velocidade e força ocasionado pela extensão e abertura do golpe, fosse o exato momento em que se chocaria contra o alvo, que seria a parte inferior do corpo do homem. ”Negar sua movimentação.” Devido ao tamanho do oponente e o tamanho de sua própria arma, não precisava mirar exatamente num ponto específico, qualquer lugar da cintura pra baixo que acertasse o homem certamente já atingiria seu objetivo que era limitar sua movimentação. Como iria caminhar normalmente antes de executar esse movimento, era de se esperar que Sins já tivesse agido, considerado o temperamento de cão raivoso do rapaz e, se fosse este o caso, aguardaria o momento exato que o marinheiro esquivar do golpe do companheiro para aproveitar essa brecha e fazer seu ataque, utilizando de todo seu acerto desta vez para atingir apenas o homem, uma vez que já havia descontado parte de sua raiva em Sins com o golpe anterior.


”Eu estaria atrás dele
Diretamente atrás dele”


Todavia, caso Sins não agisse primeiro que ela, apenas prosseguiria com a ofensa do mesmo jeito, fazendo o processo inverso do que havia planejado, ou seja, o seu ataque é que iria criar a abertura para a ofensiva do aliado. Prosseguiu com a cantoria como se nada no mundo importasse e, ainda no fulgor do golpe anterior, independente de acertar ou não, prosseguiria com levantando seu martelo com toda a força diretamente em frente ao seu rosto, de forma que a base do cabo ficasse exatamente a frente de sua cabeça e a “cabeça” do martelo de guerra ficasse acima dela, viraria a arma ao oposto, fazendo então com que a “cabeça” do martelo ficasse na altura de seus seios e o fim do cabo da arma ficasse um pouco acima de seu rosto, um claro movimento que indicava uma estocada para baixo. ”Com uma força que ele não sabia… É por você que estou lutando” Ao mesmo tempo em que executaria o ataque, finalizaria sua cantoria momentaneamente. O golpe era bem simples, quando a cabeça do martelo estivesse na altura dos seios, daria um breve salto para o alto apenas para sair do chão no mesmo lugar, esticaria as pernas em frente ao corpo, como se estivesse sentando sobre o martelo, deixando o cabo exatamente dentre suas pernas enquanto a parte superior da arma ficaria em baixo de suas coxas, caindo ao chão visando marretar o oponente como um prego ao chão utilizando de sua arma e seu próprio peso. Caso percebesse que o golpe atingiria bastante seu capitão, quando fosse executar o salto saltaria um pouco distante dele invés de no mesmo lugar, de forma que conseguisse atingir mais o oponente do que o aliado. Devido ao seu tamanho, era quase impossível não atingir o companheiro caso ele estivesse próximo, mas tentaria diminuir esse impacto o máximo que conseguisse ao se ajustar. Ele não pode perder comigo no reboque…Eu me recuso a deixá-lo iiiiir. Finalmente terminava sua cantoria, que devido a sua voz melodiosa, sairia incrivelmente bem, como se fosse uma cantora e não uma pirata.

”Hm? Acho que ouvi alguém falando algo… Chegou mais alguém?

A deusa estava tão perdida em sua própria mente que mal havia notado a chegada do tal Kain e, caso o rapaz estivesse próximo do marinheiro em qualquer um de seus golpes, ela daria zero fodas. Primeiro por nem sequer ter notado a presença do rapaz, segundo por não ser importar por um mortal qualquer com desejos suicidas de se jogar perante o ímpeto divina da grande mulher. Viola não era do tipo mais reativo em relação ao combate, seguindo fielmente a filosofia do “Pode me bater, mas aguente o contra-ataque” logo, suas opções defensivas em grande maioria apenas se tratavam de… Bem… Mais ataques. Assim sendo, se em algum momento percebesse que o marinheiro a tinha como alvo, absorveria o ataque da melhor forma que conseguisse utilizando de todo seu status de brutamontes advindo do fato de ser uma meio-gigante, firmando melhor os pés contra o chão e levando o braço a frente do corpo caso fosse frontal para tentar manter-se de pé e não ser arremessada novamente e, apesar de aceitar o golpe tentando apenas absorvê-lo melhor invés de bloquear de fato, a ideia era devolver a ofensiva, então, se durante o ataque do marinheiro ela percebesse qualquer tipo de brecha, que eram bem comuns após uma ofensiva, devolveria o golpe com uma estocada rápida ao empurrar seu martelo a frente com toda a força enquanto girava o próprio punho até onde conseguisse, tentando gerar alguma forma de força centrífuga para aumentar o impacto do golpe. Contudo, caso o golpe fosse vir através da agilidade do oponente, indo até um ponto cego da gigante como anteriormente, ela adotaria basicamente a mesma estratégia de “firmar” melhor o corpo contra o chão, inclinando levemente o corpo na direção oposta a onde fosse receber o corpo, desta forma, tentando criar um equilíbrio maior para manter-se em pé e executando um giro horizontal caso o homem estivesse nessa altura, ou diagonal caso ele estivesse mais para baixo, devolvendo o golpe ao aproveitar-se de uma possível abertura em sua guarda após a ofensiva.

”Como era mesmo o resto da música…? Tenho certeza que não acabava ai…”

Como sempre, sua cabeça estava um amontoado de coisas úteis para o combate como a anatomia humana para atingir o oponente onde dói e tentativas de lembrar uma canção que não ouvia a mais de 10 anos… Mais peculiar que a própria gigante, era apenas o que se passava em sua cabeça.


Legenda
-Fala-
”Pensamento”

Histórico:

_________________

Mais porradaria, mais confusão e mais fuga. [2] - Página 4 4UyKmNX
Magma
Ver perfil do usuário
Imagem : Mais porradaria, mais confusão e mais fuga. [2] - Página 4 Q4frd31
Créditos : 07
MagmaPirata
https://www.allbluerpg.com/t622-joe-sins#3874 https://www.allbluerpg.com/
Kingdom





ZOYAHAHAHAHAHAHAHA

Sua gargalhada reverberaria, quem estivesse próximo dele seria capaz de escutá-la, Joe empurraria os escombros sobre o próprio corpo e olharia na direção da giganta, um sorriso animalesco estampado no rosto. — Ei, Viola! Você quase me matou aqui! — Levantaria do chão e limparia a sujeira das roupas, indiferente quanto aos ferimentos que se espalhavam pelo seu corpo, suas cicatrizes de batalha não lhe traziam vergonha, pelo contrário, um orgulho sem tamanho vinha junto com elas. — Droga, ela pegou minha presa... — Ele diria, trocando olhares com o recém chegado, Kain, os olhos de Joe o avaliariam de cima a baixo, toda a estrutura física e o comportamento tinham entrado em seu radar. — Sangue?

Joe estalaria os dedos das mãos, ele caminharia calmamente na direção onde Viola e o marinheiro estavam tendo seu conflito, sem tirar os olhos do combate, ele seguiria, estalando o pescoço, era como se a presença nefasta da besta que existia dentro de Sins estivesse aos poucos sendo liberada, ele era o tipo de homem inconsequente, tinha sido criado assim, feito para lutar, o sentido da sua vida era esse, uma vida sem um combate para lutar era a coisa mais entediante que ele poderia citar.

Vou quebrar todos os ossos dele.. — Sins sorriria.

Sargento nossa aposta ainda está de pé não é?! — Procuraria pelo adversário em meio a confusão do combate, afinal, não poderia se esperar menos de um combate que envolvesse Viola Altamira. — Bem, eu espero que sim.

Sins podia não ser muito bom em ler pessoas, mas ele definitivamente era bom em ler combates, á partir do momento em que Viola lançou aquele ataque poderoso ele tinha certeza que ela estava pronta para lutar com tudo que tinha. — Kain não é?! — Joe começaria a observar os movimentos da grandona, seus olhos acompanhariam seu martelo, queria ter uma noção básica do alcance e da velocidade de seus ataques.

Logo depois focaria na movimentação do marinheiro, ele não parecia ser o tipo de pessoa que apanharia de graça, portanto, Sins imaginava que ele sempre defenderia buscando uma janela para contra atacar, portanto, ele faria o mesmo, se colocaria na posição do marinheiro, como se fosse ele o atacado, e procuraria pelo ângulo aberto no qual ele atacaria Viola durante seus golpes, tudo era uma questão de tempo de reação e timing, bons lutadores tem não só um reflexo e um poder absurdos, como uma intuição sem tamanho para a batalha.

Ele tinha certeza absoluta de que se Viola quisesse maximizar a velocidade de seus ataques ela precisava atacar em ângulos contrários, assim ela economizaria tempo ao brandir uma arma tão grande e espaçosa, um conceito semelhante ao de um jab acompanhado de um cruzado, economiza-se tempo e ganha-se potência, ele também sabia que se ele tinha tido aquela concepção, um adversário que aparentava ser tão poderoso também pensaria o mesmo, afinal, mentes brilhantes pensam igual, exceto que Joe é muito mais brilhante, ele é o brilho. — Aposta aceita...

Seu foco destoaria completamente dos seus arredores, ser atacado por outro agora era completamente irrelevante, ele queria eliminar aquele alvo, era uma presa, era a presa dele, pouco importava se Viola estava destruindo tudo e ele poderia ser pego no páreo, ele só queria conseguir o melhor ângulo possível, seu foco se cravaria completamente nos seus sentidos animais, seus olhos, tentaria encravar a visão na batalha, suas pernas se flexionariam suavemente, prontas para arrancar quando a brecha surgisse, seria basicamente uma disputa de velocidade.

Alguns dizem que, a maior brecha de todas é criada por um inimigo que já tem certeza da vitória, nesse caso, em um inimigo que tem certeza que seu golpe vai entrar. Assim que notasse a brecha, Joe avançaria como uma locomotiva, ele avaliaria a posição do alvo e o flanquearia, atento para desviar do avanço do martelo de Viola, quase que imitando o movimento do adversário ao esquivar-se também, o sorriso selvagem estampado no rosto, coberto de adrenalina, já que um golpe de Viola provavelmente iria machucar bastante.

Como um demônio, ao se aproximar do alvo, enviaria os dois pés em um "carrinho" poderoso, abusaria de toda a potência criada para retirá-lo do chão com o "chute" nas pernas, queria tirá-lo do seu centro de gravidade e afetar completamente seu equilíbrio, afinal, caso ele não fosse um acrobata por natureza, movimentar-se naquela situação seria muito difícil.

Timing, o timing seria muito importante, após levantá-lo usaria ambos os punhos, encaixando-os em suas costas e abusando de toda sua capacidade de força para lançá-lo para cima o mais alto que conseguisse, não só para mantê-lo no ar, como para ajudá-lo a desviar de um provável golpe lateral de Viola, cravaria as pontas nos pés no chão o mais rápido possível, para parar o próprio movimento, se o martelo estivesse próximo, puxaria uma lufada de ar, sua adrenalina a milhão. — Merda.. — Não era como se não tivesse passado pela sua cabeça, ele se esforçaria para desviar para a lateral, fugindo do alcance do martelo, sem se afastar muito da posição inicial.

Como sempre, timing era crucial, ele aproveitaria o recuo do martelo para observar o seu alvo, caso estivesse ainda no ar, o sorriso maníaco brotaría, completamente berserk, Joe reuniria as forças nas pernas e saltaria o mais alto que pudesse, em rota de colisão com o alvo, ele de fato queria destruir o seu adversário, caso estivesse caindo de costas na sua direção Sins levaria a mão esquerda até o estômago do alvo, a direita agarraria o seu ombro, ele respiraria fundo e cairia de costas no chão, desta forma utilizando os joelhos como se fossem lanças e arregaçando-os contra as costas do alvo, mais especificamente contra sua coluna.

"LOMBAR CHECK!"

Mais porradaria, mais confusão e mais fuga. [2] - Página 4 Cedric-alexander-lumbar-check

Caso ele caísse de frente, realizaria o mesmo movimento, entretanto, tentaria atingi-lo no estômago com ambos os joelhos, mas ainda com a mesma potência avassaladora de antes, se esforçaria para ignorar qualquer tipo de retalho, completamente berserk, apenas para conseguir finalizar seu golpe.

"GUTCHECK"

Mais porradaria, mais confusão e mais fuga. [2] - Página 4 At8jA

Caso notasse que não teria tempo de realizar ambas as técnicas citadas anteriormente, Sins adotaria uma abordagem mais simples, ele giraria o corpo no próprio eixo e enviaria seu braço na direção do pescoço do alvo, tentaria impactar o braço com total potência contra ele para desestabiliza-lo completamente e arregaça-lo para longe.

"DISCUS CLOTHESLINE"

Mais porradaria, mais confusão e mais fuga. [2] - Página 4 Ab5400545a424c5b275eaa81b9d4275f5b72d9f7_00

Após finalizar qualquer uma das sequências, se conseguisse, rolaria para o lado e tentaria sair do alcance de Viola, caso notasse a chegada de Boris, gritaria. — BOOOOOOOOOOOOOOORIS! Finalmente você chegou! consegui mais companheiros!



Joe Sins
PDV:11000
STA:140

Vício:08/10
Compulsão:00/10

Posts:15
Surrados:10 - JÁ FOI UM!!!


Ganhos:
~ Hematomas no corpo (3/3 Post) (sem necessidade de tratamento)
Perdas:

OBJETIVOS:
1. Pegar um barco "emprestado" pra ralar peito.
2. Despistar a marinha de um jeito doido.
3. Ir pra Loguetown pra descer o cacete em mais gente.
4. Um npc acompanhante.
5. Uma armadura (você vai entender)
6. Um bom barco.
7. Suprimentos para a viagem.


Última edição por Magma em Dom Abr 17, 2022 5:52 pm, editado 1 vez(es)
Blindao
Ver perfil do usuário
Imagem : Mais porradaria, mais confusão e mais fuga. [2] - Página 4 OdRR37N
Créditos : 47
Localização : North Blue ~ Flevance
BlindaoSargento
https://www.allbluerpg.com/t296-thorkell-dragnar-godheim https://www.allbluerpg.com/t1057-4-capitulo-gigantorines-em-altai

Narração
Aventura


~~ Boris ~~

A conversa com o tritão abria portas agora para Boris cuja a finalidade era gerar um vinculo tão forte quanto as correntezas destes mares, e para o pirata isso não era nenhum trabalho difícil. Afinal, ele era o elo essencial das engrenagens que giravam e formavam o bando Wolhaiksong. – Gosto de sua convicção. Jonas proferia empolgado como nunca, apesar de resguardar suas emoções em grande proporção.

Durante a ida até o comercio, a intuição de Skalovski apitava tão alto quanto o soprar de uma ventania. – Será? Não faz muito que nos separamos. O tritão diria, apesar desse tempo ser o necessário para o capitão fazer merda, e Boris sabia bem disto.

Ao longo do tempo em que o espadachim junto do tritão comprariam armas e alimentos, pagando na sequencia pelas compras, logo agilizariam os passos para ajudar seus aliados. O que certamente seria muito bem vindo a essa altura do campeonato.

Enquanto isso, apesar de ter recebido uma colisão forte, para Viola não era difícil se reerguer. Uma vez com sua arma empunho, a giganta tentava argumentar com o sargento que virá a situação e então respondia. – Desde quando um pirata tem o direito de ferir uma pessoa e ainda sequestrar? Porque qualquer macaco diria que é isso que você está fazendo, mulher burra. Ele diria extremamente irritado com a atitude dos piratas, ainda que o motivo fosse muito mais profundo que apenas isso.

Não bastante os argumentos da pirata, grande parte pareciam mais insanos que concisos. Quando a enorme mulher ergueu seu martelo e levou para trás das costas com intuito de desferir um ataque brutal contra o marinheiro, Sins já haveria avançado contra o Sargento.

Quando Shun analisou e interceptou o martelo da giganta que viria desenfreadamente, ele utilizava apenas um de seus punhos que sacava de seu bolso e usava-o para defender o ataque da mulher através de seu punho de uma forma divergente do padrão. – Iai! Zettai bōgyo!

No entanto, Joe haveria aproveitado da situação para desferir um carrinho para desequilibrar o marinheiro que estava medindo forças com a giganta. Entretanto, ao esquivar do ataque de Sins, o Sargento saltava e acabava perdendo parte de suas forças e liberava a arma da giganta que acabava atingindo uma das casas.

Quando o marine se distraio com largo balanço da giganta, Joe aproveitou do momento para saltar e agarrar seu oponente através de seus estilo de luta especializado. Quando Sins conseguiu agarrar e posicionar para colidir no chão com o Sargento, quando estivesse prestes a se chocar no chão, veria Kain correndo para atacar inesperadamente. – Smackdown! Quase que em sincronia, Kain atingirá o marinheiro e gerava um giro em pleno ar onde os três eram arremessados para os lados.

Quando Shun estava se pondo de pé, a giganta haveria saltado e medido a distância para marretar seu oponente como um prego em madeira. – Hunf! Não fiquem se achando demais, bando de formigas. Ele diria expressando um rosto extremamente irado. – Iai! Sen no bōgyo! Quando a marreta de Viola atingirá o topo da cabeça do marinheiro, perceberia que uma das mãos formaria uma palma que defenderia o ataque, mesmo que seus pés tivessem sido soterrados pela força de colisão e peso do golpe. – Iai! Hangeki! Sacando sua mão do outro bolso, o marine atingirá a arma da mulher e causaria uma vibração sobre o armamento que atingiria as mãos da mulher ao ponto de fazê-la soltar como ponto de recuou.

O Sargento estaria com suas vestes rasgadas e um pouco de sangue escorrendo pela sua cabeça. – Kahahahhaahaha! Fui eu que feri ele, parceiro! Kain diria se colocando de pé e soltando um suspiro devido a colisão de antes. – Você é louco ein, gosto de pessoas assim, Kahahahaha! O lutador proferia animado e bastante espirituoso. Seu carisma era tão forte quanto sua imprudência.

Logo um grupo de marinheiro chegaria, por volta de 10 soldados. – Tenente Shun, batalhão decimo terceiro à serviço do senhor! Eles diriam empunhando armas nas mãos esperando pelas ordens do marine. – Já falei que ainda não fui promovido, então é Sargento. Uffs, esqueça. Nesse meio tempo, Boris e Jonas também chegariam, porém, não eram reconhecidos pela marinha. Poderia ser um ponto chave na luta e proporcionar um ataque surpresa ao sargento, senão fosse por Sins berrar em direção aos seus aliados. – Tsk. Mais piratas?! O Sargento agora notaria a presença do espadachim e do tritão.

A situação era o seguinte; Viola era a mais próxima do Sargento, pois, estava pouco menos de 3 metros de distância. Sua arma estava cravada na casa ao lado, mas nada que lhe impedisse de retirar devido sua soberba força. A direita da giganta estava Kain, estava alguns metros dela, e Joe a esquerda ainda mais próximo. Boris e Jonas estavam mais longe, mas mais próximos do grupo de soldados que haveriam chegado. Eles estavam logo atrás do sargento e Boris alguns metros ao lado. Apesar dos soldados serem patente baixa e mais fracos, com certeza o Sargento Shun compensava e muito naquele momento.


Histórico Boris:

Histórico Viola:

Histórico Joe:

_________________

Mais porradaria, mais confusão e mais fuga. [2] - Página 4 2uAvx3T_d
Van
Ver perfil do usuário
Imagem : Mais porradaria, mais confusão e mais fuga. [2] - Página 4 Q4frd31
Créditos : 22
VanPirata
https://www.allbluerpg.com/t641-boris-skalovski#4055 https://www.allbluerpg.com/t623-porradaria-confusao-e-fuga-1#4138

Reforço


A relação entre Jones e Skalovski ficava cada vez mais íntima. O homem peixe gostava das palavras megalomaníacas do espadachim e sentia-se conquistado pelos sonhos “impossíveis” do rapaz. Convicção de fato era uma característica forte no loiro. Ele almejava ser o maior espadachim do mundo e não se importava em morrer pelo sonho, mas acima de tudo, com certeza mataria por isso!

A intuição do sonhador era outra qualidade importante, esta responsável pelo sucesso em suas empreitadas, mesmo quando parecem muito difíceis de serem bem sucedidas. Ele sentia agora que seus companheiros estavam em perigo, porém, confiava neles o bastante para terminar suas responsabilidades e demorar um pouco a chegar. Sendo assim, acelerou as compras para ir até o encontro deles. Não havia uma pista sequer de que aqueles marinheiros estavam caçando a Wolhaiksong, mas se Joe estivesse na ilha, havia 99% de chances dele ser o problema.

Como imaginado por Boris, assim que alcançaram os marinheiros puderam encontrar seus companheiros no meio de uma grande batalha na ilha. O espadachim estava prestes a estrear sua nova lâmina, mas antes que pudesse fazer algo, o capitão mostrou seu lado caótico e inconsequente ao revelar sua posição com um grito no meio da confusão, trazendo toda a atenção para a dupla.

BOOOOOOOOOOOOOOORIS! Finalmente você chegou! consegui mais companheiros!


Mais porradaria, mais confusão e mais fuga. [2] - Página 4 Mqdefault


Mas que m…   — O plano surpresa foi por água abaixo e embora estivesse frustrado, Boris estava com outro sentimento tomando conta de seu corpo. Uma sensação gelada em sua barriga, pelos arrepiados e boca seca. A adrenalina começava a tomar conta do seu corpo. O perigo e a imprevisibilidade. Sim, isso era a vida com Sins. Quanto mais caos, mais divertido e assim, retirando a mão direita de seu rosto, revelou um sorriso feliz. O navegador havia escolhido essa vida ao lado do wrestler e estava mais confiante em sua liderança do que nunca. — Esse é o futuro Rei dos Piratas! HAHAHA VAMOS LÁ, PORRAAAA!  

Antes de qualquer coisa, Boris puxaria um cigarro e um isqueiro recém-comprados e acenderia, tragando profundamente e segurando a fumaça por dois segundos até exalar toda a fumaça pelas narinas e boca ao mesmo tempo. Sentia a química tomar conta de seus pulmões e causar uma sensação boa de relaxamento. A dependência química era um grande problema, entretanto, ao saciá-la ele se sentia melhor do que nunca. Uma verdadeira gangorra de motivação.

Ah, bem-vindo a Wolhaiksong, Jojo…  

Diria enquanto andava de costas para a bagunça e de frente para o companheiro numa cena bem badass. Assim que terminasse de falar, viraria de frente para os inimigos já puxando a katana pela bainha enquanto segurava o punho com a mão destra no estilo iai básico dos espadachins. Muitos oponentes estavam no caminho e Boris tentaria analisar a melhor estratégia de combate para ser o mais efetivo possível. Sabia que estavam em menor número e se conseguisse reduzir essa desvantagem, facilitaria o combate para os nakamas. Havia outro fator para ser levado em conta: Viola. A gigante ocupava bastante espaço e chamava muita atenção. Suas movimentações eram problemáticas, mas se soubesse utilizar corretamente, teria uma grande vantagem. Após analisar, optou por fazer o trabalho sujo de pegar os oponentes fora do centro do combate.

Movimentar-se-ia em volta do centro, pegando os marinheiros que estivessem usando armas de fogo ou de longo alcance, acabando assim com o suporte do marinheiro de maior patente que parecia bastante poderoso. Se Sins quisesse um combate justo como o centro do furacão, o loiro precisaria ser o vento que destrói ao seu redor. Usando sua agilidade, mover-se-ia com dashs retalhandos em cortes horizontais e diagonais ascendentes os adversários fora do núcleo. O objetivo era fugir do alcance da Viola e fornecer suporte para os companheiros como um escada para um bom humorista. Não se incomodava de ser o coadjuvante daquele combate, desde que seus companheiros façam um grande espetáculo.

Na hipótese de ser interceptado, bloqueado ou ter seus golpes desviados por alguém forte, teria que mudar seus planos para enfrentar o inimigo em questão. Entretanto, seu objetivo principal seria causar o máximo de estrago na retaguarda e no suporte dos marinheiros. Abusaria de sua agilidade para efetuar bons cortes enquanto manter-se-ia desviando e esquivando com movimentos de corpo, dashs laterais e até mesmo saltos, sempre voltando a avançar com o cigarro na boca e a katana na mão direita. Se dificultasse sua locomoção, deixaria os suprimentos em algum canto para não serem afetados pelo combate.
Boris Skalovsk:

_________________

Mais porradaria, mais confusão e mais fuga. [2] - Página 4 SV0Tlmo
Silent
Ver perfil do usuário
Imagem : Mais porradaria, mais confusão e mais fuga. [2] - Página 4 6XRDEjm
Créditos : 12
SilentPirata
https://www.allbluerpg.com/t669-viola-altamira#4474 https://www.allbluerpg.com/t1265-mais-porradaria-mais-confusao-e-mais-fuga-2


Lemme be your wings



A gigante sentia a força do contra golpe do marinheiro, que de alguma forma lembrava seu próprio estilo de combate, onde focava em devolver mais dano do que recebia e não evitar o golpe com esquivas/bloqueios. O choque servia não só para trazer a mulher de volta a realidade do mundinho em que havia se enfiado instantes antes, mas para finalmente perceber as coisas ao seu redor. A seu lado, Joe e um outro qualquer não identificado pela gigante, atrás do sargento, seu companheiro e o peixinho que havia encontrado no mar. -Oh, Boris! Bom ver que está bem! N-n-não que eu estivesse preocupada ou nada do tipo… é-é-é… O Joe! Isso, o Joe tava preocupado com você, não eu, claro… uma deusa preocupada com um mortal, claro que não… absurdo… A última parte sairia num volume quase inaudível, só mais um de seus episódios tsundere em execução. De toda forma, aquela não era a hora para distrações, então chacoalhava a cabeça, voltando sua atenção ao combate. Sua primeira ação, claro, era recuperar seu trovão, seu instrumento de destruição em massa que no momento encontrava-se cravado numa casa ao lado, retiraria o item dali o puxando para cima, de forma que evitasse atingir alguém ao erguer a arma. -Burra, huh? Sabe, mortal… Viola ergueria sua arma acima da cabeça, por cima do ombro esquerdo, abaixando-a após girar a arma no ar de forma que a cabeça ficasse direcionada para o marinheiro e o cabo ficasse em seu punho, com o mesmo virado para dentro, virado para seu próprio corpo, ou seja, a parte exterior de seu punho estaria virada para “fora”, na direção do marinheiro, enquanto a palma, onde segurava o cabo da arma, estaria voltada contra si mesma. O movimento lembrava bastante alguém socando alho para fins alimentícios, onde, com a outra mão esquerda que estava livre no momento, ela usaria seu extenso braço para circundar o marinheiro, como se fosse dar um abraço no homem, ao mesmo tempo que começaria a marreta sua arma na área entre seu corpo e seu próprio braço, como se criasse uma zona de impacto especificamente para atingir o homem e qualquer outro infeliz que porventura estivesse ali, abaixando seu corpo, ficando de joelhos para que seus braços pudesse “envolver” uma área ainda maior ao redor do homem.

-O erro de vocês é achar que podem se comparar conosco, deuses.

O movimento não era por pura fúria, apesar de parecer isto em um primeiro momento, na verdade, a ideia com aquela “zona de abate” era forçar o homem a ou ter que fazer a mesma defesa anterior ao erguer os braços, o que aparentemente forçava ele a ficar parado no lugar, ou forçar uma esquiva ao pular, uma vez que o chão como um todo naquela área estaria dentro do alcance da gigante. Caso fosse o primeiro caso e o homem fizesse a mesma defesa gritando aqueles baboseiras pra se fortalecer e aguentar o golpe, invés de continuar com o movimento de “socar alho”, ela focaria em atingir o chão diretamente abaixo dos pés do homem, uma vez que ele parecia utilizar do solo para fortalecer sua base, então, sem ter onde apoiar-se, suas defesas possivelmente ficaria bem defasadas. Para esse movimento, ela invés de ir verticalmente de cima para baixo como no “socar alho”, iria na diagonal, de baixo para cima num movimento de meia-lua, como alguém utilizando uma pá para cavar algo, só que invés de cavar, Viola iria fazer este movimento de arco diretamente em baixo de onde o homem se encontrava, visando tirar uma boa parte do solo do local ao arremessar aquilo para o lado com seu martelo de combate. Todavia, caso fosse o segundo caso e o homem pulasse para desviar da enxurrada de ataques, ela aproveitaria que estava agachada e gritaria para Joe, percebendo que o sargento estava no ar, onde não poderia esquivar tão facilmente. -Joe! Eu disse que seria as asas de sua árvore, tá na hora de voar! Apontaria com o polegar para suas próprias costas, indicando um caminho para utilizar a gigante como uma ponte para atingir o homem ainda no ar, dificultando qualquer ação defensiva do mesmo.

-Vê, mortal… O mais poderoso humano não me oferece mais perigo do que o mais letal inseto. Para mim, vocês são existências igualmente insignificantes.

Terminaria sua frase anterior direcionada ao sargento, encerrando também sua ofensiva ao ficar completamente ereta, utilizando o final do cabo de sua arma para diminuir a área de impacto invés da “cabeça” de metal do instrumento, dessa forma, poderia ser mais exata sobre onde queria atingir e, acima de tudo, ficaria mais fácil de atingir apenas o oponente e não seu aliado, o golpe seria simples, mas diferente dos outros até agora que ela se preparava dando espaço para reação do oponente, dessa vez seria bem ágil, segurando seu martelo de guerra pela parte de metal e utilizando o fim do cabo para atingir o peito do inimigo, buscando tirar seu equilíbrio ou pelo menos empurrá-lo para trás, deixando a glória de finalizá-lo para seu capitão. ”Melhor assim… Os feitos humanos não são eternos como o meu, deixe ele curtir sua glória enquanto ainda está vivo.” Pensava a gigante enquanto executava o ataque, mesmo que tivesse “deixado” a finalização para seu companheiro, seu orgulho a impedia de pensar naquilo como sendo uma ação completamente dela, e não por influência de seu companheiro.

-E quem é esse mortal, Joe?

Virando o rosto levemente para o lado como um cãozinho em dúvida, Viola questionaria ao companheiro sobre a presença de Kain ali, finalmente percebendo a nova figura no local. Estava tão perdida em seu próprio mundo momentos antes que mal notava qualquer coisa além dela mesma, o sargento e Joe. Caso, durante qualquer uma de suas ofensivas, o homem fizesse um contra ataque na gigante, assim como anteriormente, postura defensiva não era seu forte, então apenas firmaria seu joelho ou mão que estivesse livre enquanto ajoelhada contra o chão para tentar absorver melhor o golpe e se percebesse que em algum momento durante este contra ataque o homem abrisse uma brecha, talvez ficando no ar por mais tempo que deveria ou abrindo demais sua guarda para um ataque, usaria a palma de sua mão para esmagar o homem contra o chão, afastando-o dela e buscando parar seu ímpeto.

Legenda
-Fala-
”Pensamento”

Histórico:

_________________

Mais porradaria, mais confusão e mais fuga. [2] - Página 4 4UyKmNX
Magma
Ver perfil do usuário
Imagem : Mais porradaria, mais confusão e mais fuga. [2] - Página 4 Q4frd31
Créditos : 07
MagmaPirata
https://www.allbluerpg.com/t622-joe-sins#3874 https://www.allbluerpg.com/
Little Poor Me





A sensação seca permeava sua boca, ele engoliu a própria saliva, quase que implorando para que seu cérebro identificasse-a como uma bela birita, sem sucesso, por alguns instantes, Sins entraria em um estado de introspecção tremendo, onde seu único propósito era tomar uma cerveja da boa, ele pensaria e gritaria na direção de Boris. — Ei Loiro! eu preciso de uma cerveja! — Ele sabia que muito em breve entraria em um estado de abstinência devido aos sintomas já conhecidos e familiares que o Wrestler sentia.

Caso Boris lhe oferecesse uma birita e lançasse-a em sua direção, ele ergueria os braços e iria aparar, com uma expressão de satisfação imensa no rosto, entretanto, se ele não tivesse ou não jogasse a bebida em sua direção, Sins apenas manteria o sorriso selvagem no rosto, se existia bebida ele daria um jeito de pegá-la, todavia se o loiro não tivesse a cerveja consigo, o Wrestler olharia pelo chão ao redor, procurando por um copo que fosse de cerveja abandonado, mesmo que de muitos dias atrás, ou então uma garrafa que poderia ter sido deixada por algum mendigo bebum.

Enquanto fazia aquilo, ele não podia deixar de gritar despreocupadamente para Kain. — Você até que briga bem Kain, mas não sabe o que é uma verdadeira arena ainda.

Ele continuaria procurando, até encontrar, entretanto, se por acaso ele não fosse capaz de achar nada que fosse capaz de ajudar, apenas aceitaria a sua situação, se ele iria cair, mesmo que para a bebida, cairia lutando, como o homem que era.

Certo... — Joe suspiraria, ele já tinha aceitado a situação, entretanto sua tripulação tinha um obstáculo e tanto a sua frente, um homem cujo poder parecia ser capaz de se equiparar ao do Wrestler e inclusive ao de Viola Altamira, a mulher que usava roupas tamanho "GG" (Gigante grandão), Sins precisaria tirar a força que restava para um ultimo e destruidor golpe, ao menos ele marcaria a mente daquele marinheiro com seu nome antes que os efeitos começassem em seu sistema.

Preste atenção, Kain, vou te mostrar minha verdadeira força... — O Wrestler flexionaria os joelhos novamente, se ele quisesse ter outra oportunidade de acertar o marinheiro, precisava esperar por uma janela, seja ela criada ou prevista.

Um suave tremor tinha começado a se espalhar por todo seu corpo, aos poucos, os efeitos da sua abstinência ficavam cada vez mais claros para si mesmo, ele precisaria urgentemente de uma oportunidade ou algo que fosse capaz de ajudá-lo.

Caso fosse surpreendido por um grito de Viola, um arrepio incondicional irromperia por todo seu corpo, seguido de uma expressão embasbacada momentânea, da ultima vez que ele tinha utilizado a giganta em sua performance ele mesmo tinha pedido por ajuda, agora, ela estava entregando-lhe aquela autorização, ele estava certo no final das contas, de fato Kain teria uma visão da sua verdadeira força, ele e a Wolhaiksong eram um só agora, a tripulação reunia-se de forma a compensar os pontos fracos uns dos outros, formando um conjunto de asas, de uma árvore, uma árvore alada que voaria até mesmo sobre a lua no futuro.

ZOYAHAHAHAHA. — uma gargalhada suave e sutil, diferente das que ele normalmente soltava, o sentimento fraternal era algo que abraçava os corações de muitas pessoas, momentaneamente lhe ajudando a esquecer dos efeitos da falta de bebida, como uma gota de gasolina lançada em um pequeno braseiro, uma chama do poder que irrompia, de dentro das suas entranhas até os seus grandiosos músculos, amizade.

"Sim, Viola, você e Boris são minhas asas."

Sins saltaria, ambos os braços erguidos, uma pose digna de um campeão, ele não podia perder o estilo, e se ele fosse cair após aquele golpe ele cairia com estilo, portanto, daria tudo de si, para dar um show, não só para aqueles que estivessem assistindo, como para seus aliados, a beleza marcial de Joe Sins.

"Mas eu também sou uma das asas de vocês!"

Ele correria sobre a coluna vertebral da grandona, abusaria de suas habilidades acrobáticas para manter o equilíbrio e seu porte atlético e habilidades físicas para atingir o pináculo de velocidade possível naquele curto espaço, seus dois pé se uniriam próximos a nuca de Viola, ele saltaria com ambos unidos e de forma que fosse capaz de transpassar o corpo do marinheiro no ar, afinal, ele havia saltado de um ponto bem mais alto que o adversário originalmente.

CONSIDERE ISSO UM TRIBUTO! E NÃO ESQUEÇA DA MINHA BEBIDA!

O sorriso selvagem era a única coisa capaz de identificar um daqueles dois homens no céu.

Mais porradaria, mais confusão e mais fuga. [2] - Página 4 Cd612cb00864943d7ec549a8476a2a40--concept-art-weather


Sunset Flip... — A voz de Joe soaria, mais baixa do que o normal, até porque o que iria acontecer ali não tinha nada de normal, mesmo para Sins.

***

Entre os wrestlers da arena existia uma estipulação de combate que era incomum, geralmente aparecendo apenas em grandes eventos, as "Deathmatchs" ou lutas até a morte, como preferirem, neste tipo de luta, uma variação de golpe muito interessante e perigosa era utilizada, geralmente quando um lutador pretendia finalizar um combate com toda a violência e brutalidade que os seres humanos buscavam ao assistir o esporte.

Joe jogaria o peso do corpo para a frente, abusaria de sua inteligência corporal e técnicas acrobáticas para saltar por sobre o marinheiro, enviaria ambos os braços para baixo em uma espécie de mergulho, tentaria, desta forma, acelerar sua queda, para ser capaz de alcançá-lo, afinal, tendo pulado mais alto, precisava ser capaz de descer mais rápido ainda para ser capaz de pegá-lo.

Ele tinha de agir rápido, seus instintos combativos eram essenciais naquele momento, ele "travaria" sua queda, utilizando ambos os pés como ganchos "prendendo-os" nos ombros do alvo, suas duas mãos agarrariam a cintura do alvo e ele puxaria seu corpo com os dois pés, ele enrijeceria os músculos e procuraria aplicar o golpe com toda a brutalidade possível.

Giraria junto com o alvo no ar, quase que como um sinal de Yin e Yang, tentaria fazê-lo ficar com a cabeça apontada para baixo e entre suas pernas.

PILEDRIVERRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRR

Mais porradaria, mais confusão e mais fuga. [2] - Página 4 Luffy-kaido

Cairia no chão, sentado, ignoraria a dor, completamente berserk, lançaria o adversário de cabeça contra o solo duro, focado em transformar seu pescoço em uma cadeira de praia, Joe tentaria mostrar para todos, naquela pequena fagulha, o quão forte era sua tripulação, se por acaso Sins não encontrasse uma brecha, ele permaneceria focado, procurando pelo seu momento de brilhar.

Mais porradaria, mais confusão e mais fuga. [2] - Página 4 200

TO BE CONTINUED




Joe Sins
PDV:11000
STA:140

Vício:09/10
Compulsão:00/10

Posts:16
Surrados:10 - JÁ FOI UM!!!


Ganhos:


Perdas:
~ Hematomas no corpo (3/3 Post) (sem necessidade de tratamento)

OBJETIVOS:
1. Pegar um barco "emprestado" pra ralar peito.
2. Despistar a marinha de um jeito doido.
3. Um npc acompanhante.
4. Uma armadura (você vai entender)
5. Um bom barco.
6. Suprimentos para a viagem.