Tópicos Recentes
Destaques
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Últimos assuntos
II - Sombras em SteveltyHoje à(s) 5:45 ampor  KerigusVoice of the SoulHoje à(s) 1:38 ampor  YamiOperação T.N.C.T.O.N.I.Hoje à(s) 12:17 ampor  VincentMary Van TasselOntem à(s) 11:57 pmpor  KerigusSharp Teeth and Hard Fists.Ontem à(s) 11:25 pmpor  ÀsManae LiebeOntem à(s) 8:42 pmpor  RyomaCatherine Petit Barozzi Nero BellarosaOntem à(s) 8:36 pmpor  RyomaHizumy Mizushiro MayanOntem à(s) 8:35 pmpor  RyomaPedidos de CargosOntem à(s) 7:56 pmpor  Arthur LancasterAs Crônicas dos Scavenger: A Leoa, o Louco, e o MudoOntem à(s) 7:45 pmpor  Arthur Lancaster
 :: Oceanos :: Blues :: North Blue :: Flevance
Página 16 de 17 Página 16 de 17 Anterior  1 ... 9 ... 15, 16, 17  Seguinte
Kenshin
Ver perfil do usuário
Imagem : Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 16 XqxMi0y
Créditos : 20
KenshinDesenvolvedor
https://www.allbluerpg.com/t360-agatha-harkness https://www.allbluerpg.com/t386-prologo-frenesi-da-raposa#1165
Os Monarcas - I Efeito Borboleta Seg Maio 10, 2021 10:03 pm
Relembrando a primeira mensagem :

Os Monarcas - I Efeito Borboleta

Aqui ocorrerá a aventura dos(as) Civil Daisuke Ito, Saori Ito e Alexander Lancaster Cavendish III. A qual não possui narrador definido.

_________________

Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 16 J09J2lK

Milabbh
Ver perfil do usuário
Imagem : Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 16 Ezgif.com-resize
Créditos : 05
Localização : Flevance - North Blue
MilabbhAvaliador
https://www.allbluerpg.com/t311-haru-kaplyanova?highlight https://www.allbluerpg.com/t301-os-monarcas-i-efeito-borboleta#980
Re: Os Monarcas - I Efeito Borboleta Ter Set 07, 2021 12:23 am
Efeito Borboleta
Décimo Quinto Pulo
O tempo era curto e precisávamos nos apressar, tanto para que não fôssemos pegos, quanto pelo fato de haver feridos entre nós. Shinto era levado por Balto, e claramente precisaria ser minha preocupação imediata ao chegarmos no esconderijo.

Enquanto isso, Maximus jazia desacordado no ombro enorme de John. Olhava seu rosto inerte e, por alguns breves instantes, me encontrava em outro lugar, e memórias que nunca tinha vivido com ele começavam brotavam em minha mente.

Com os olhos arregalados, continuava encarando-o, sem entender bem o que havia acontecido naquele simples piscar de pálpebras. De qualquer forma, descobriria mais sobre tal devaneio psicótico em outra oportunidade. No momento, o que importava era correr... Muito.

Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 16 636aaac0044732a9bea7d0d2777aba102c500c55r1-1448-2048v2_uhq

E assim o fazíamos. Abrindo caminhos pela multidão, e tendo como plano de fundo uma casa em chamas e um exército irado em nosso encalço, seguíamos as instruções de Maria até a casa. Assim que colocava o pé para dentro, tratava de identificar qualquer cama, colchão, mesa ou mesmo um canto mais afastado.

Prontamente cobria o local com algum pano mais limpo, mesmo que alguma peça de roupa, e olharia diretamente para Badar. - Coloque Shinto aqui, por favor. - Enquanto o rapaz e seu lobo executavam o pedido, sondava o cômodo em busca do ex escravo. - John, preciso que me consiga velas para que eu possa trabalhar. Largue o desgraçado em qualquer lugar, até na lareira se quiser. - Olhava com uma expressão de verdadeiro asco para o mafioso. - Checarei sua amiga em breve.

Com ou sem velas, uma vez que Shinto estivesse em minha frente, daria uma olhada em suas feridas. Higienizando minhas mãos com álcool, tateava cada local afetado pelo combate, procurando hemorragias, luxações ou fraturas.

Em caso de feridas abertas, limparia com álcool primeiro, e suturaria com delicadeza e velocidade. As luxações e fraturas seriam abordadas de forma diferente. Colocaria o osso em seu devido lugar primeiro e só então imobilizaria com uma tala improvizada, feita de madeira e retalhos de pano.

Enquanto cuidava das feridas do padre, ele me olhava e soltava uma indagação que, assim como um projétil, me aturdia. Meu rosto, antes pálido e concentrado, agora era tomado por rubor. - N-Não posso dizer que era apenas isso, padre.

Nos conhecíamos há muitos anos, então sentia certa intimidade para abordar tais assuntos com ele. Além disso, não ousaria mentir para um homem de fé. - Mas podemos falar sobre isso quando não houver risco de contaminação, certo? - Com um sorriso sem graça, voltava ao trabalho.

- Bom... Isso deve bastar. Espero não ter lhe causado muita dor... - Limpava as mãos, provavelmente sujas de sangue, em minhas vestes, enquanto ostentava um sorriso de conforto para o padre. - Por nada, vossa senhoria. Devo ir agora, mas se precisar, não hesite em chamar.

Com isso, me erguia e olhava de relance para Maximus, verificando, mesmo que de longe, sua condição. Mas não pararia nele, ao invés disso, seguiria para Alexander, sussurrando em seu ouvido. - Sente-se e beba água. Se ficar tonto, deite-se imediatamente. Não precisamos de dois herdeiros em coma agora. - Meu tom ríspido era raramente usado, afinal, respeitava tanto o rei quanto o amigo de infância que habitavam no monarca em minha frente, mas era inevitável nutrir certa preocupação.

Antes que pudesse pensar em meu próximo paciente, via a bela moça de cabelos prateados se aproximando. Parecia querer algo e demonstrava certo... Receio? - Sim, Haru, senhorita Shiranai. - Ela me entregava discretamente um pacotinho, que eu olhava com curiosidade antes de guardar em meu bolso, onde, coincidentemente, também sentia as balas que havia ganhado. - Pois bem, pesquisarei os componentes... E lhe devolvo caso não sejam tóxicos.

Talvez por ser uma médica, ou mesmo ter uma feição mais fria, as pessoas assumiam que eu julgaria suas escolhas. No entanto, eu entendia a curiosidade da moça, bem como compartilhava dela em certos momentos da vida. - Ahh, e Shira? Não precisamos falar sobre isso para ninguém ainda. - Com um aceno de cabeça, tentava deixá-la um pouco mais confortável com a situação em que ela mesma havia se inserido.

Por fim, iria até a amiga de John, e procuraria com cautela qualquer ferimento em seu corpo, tratando-o em seguida. No fim, respirava fundo e ia me sentar ao lado de Maximus, verificando seus sinais vitais. - Pois bem, qual o plano agora? - Encarava o rei e esperava sua resposta.

DetalhesFalas
*Histórico:
Ganhos:
- Receita de remédio
- Livro sobre Medicina Tradicional
- Kit Médico (Bandagens {1/30 usos}; Talas {0/10 Usos}; 1 bisturi; Agulhas Esterelizadas {0/10 usos}; Estetoscópio; Morfina {1/5 usos}; Álcool 70% {1/20 usos}
- Botas Profissionais de Durabilidade Média (+60 em Força)
- Katana Clássica de Durabilidade baixa (+40 em Força)
Perdas:
- 400.000 Berries (Botas Profissionais) + 850.000 Berries (Kit Médico)
Ferimentos: N/A

*Objetivos:
- Comprar uma arminha tops
- Comprar suprimentos médicos
- Sair em uma aventura
- Aprender Farmácia
- Aprender Herbologia
- Me divertir <3


Para o avaliadorNesse post Haru voltou do evento (enfim, o surto de lokura)


@mm


Última edição por Milabbh em Qua Set 15, 2021 9:24 pm, editado 2 vez(es)

_________________

Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 16 QeMkXKw
Falta de Humildade:

Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 16 ABC
DarkWoodsKeeper
Ver perfil do usuário
Imagem : Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 16 Ezgif.com-gif-maker_1
Créditos : 00
Re: Os Monarcas - I Efeito Borboleta Ter Set 07, 2021 1:06 am
Badar Alluartie
Efeito Borboleta





Ainda na casa, antes de sair para verificar o local apontado por Maria, eu vi Haru e Alexander com Genji. O chute da coelha, o sangue escorrendo do rosto de Genji...


Desviei o olhar. Foquei em Balto e tentei lembrar que aquelas pessoas tinham ferido Shinto. "Isso é necessário... Certo?"


Depois de sair para procurar o abrigo e  voltar para a casa, vi que ela estava em chamas. Mas nem sinal de Genji ao redor. Senti um frio percorrer minha espinha, mas segui com minha missão.



Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 16 857e3ef2255ebd8c623f17f3b65480f8


Balto carregou Shinto (mesmo tendo feito um pequeno drama para isso) e eu guiei o grupo para a casa abandonada que havíamos verificado.


Lá, eu esperaria pela resposta de Shira sobre a minha proposta de lhe dar os sapatos com Lâminas ocultas que eu havia pegado. Eu e Balto então seguiríamos as orientações de Haru sobre onde deixar Shinto.


- Obrigado, amigão. Eu sabia que eu podia contar com você. - diria para o lobo em um monotom suave. - Não se preocupe, Shinto. Haru vai consertar você.- eu falaria para o padre com o mesmo tom de voz.


Enquanto a coelha examinhava a pena do padre, eu não conseguria evitar que as palavras saíssem da minha boca...


- Haru... sobre o Genji... Vocês deixaram... O fogo... - eu rapidamente chacoalharia a cabeça e voltaria a falar - Quer saber, desculpa, eu não deveria estar falando sobre isso... Você está ocupada. - eu engoliria em seco e me afastaria rapidamente.



Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 16 160bd371aa6c5cec850c9cc23066ed64



Balto viria para um canto mais afastado comigo, como de costume, e eu deitaria em suas costas, tentando esvaziar minha mente. Nesse momento eu teria uma experiência impressionante em um lugar paradisíaco com todos do bando e com pessoas novas. Eu joguei vôlei, comi bastante e fiz novos amigos. Até ganhei um presente incrível! Eu então abri os olhos evi que estava de voclta no abrigo, mas agora com uma máscara que me encarava de volta com seus olhos vazios enquanto ficava apoiada em meus joelhos dobrados. Meu presente...



Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 16 VRW5we4



Eu logo me lembraria que não havia entregado o presente de Kaplya naquele lugar. Mas por sorte, ele havia voltado em minha posse! Eu guardaria minha máscar e, me levantando de supetão, iria até o pequeno mink e diria:


- Ei, Kaplya! Eu queria te entregar isso! São feitas sobre medida para você e elas conseguem mudar de cor quando você quiser! Eu lembro que você disse que queria uma roupa para espionagem... Bom, aqui está! Espero que goste! - eu então entregaria a roupa tática e a máscara para ele.


De longe, escutaria Haru perguntar para Alexander qual seria nosso próximo passo. Me atentei para a conversa enquanto entregava o presente de Kaplya, mas não me aproximei. Queria ouvir qual seria nossa próxima ação.


Depois de presentear o mink e enquanto eu escutava a conversa ali no abrigo, eu procuraria no abrigo por alguma estante de livros ou escrivaninha. Eu passaria meus dedos pelos livros que ali estivessem tirando a poeira de cada volume sem procurar nada em específico. Caso eu encontrasse algo sobre pescaria ou zoologia, pórem, eu pegaria o livro para mim. Se eu achasse algo sobre Herbologia, pegaria o livro para a mink coelha, que provavelmente acharia interessante.


Informações

  • Falas
  • Pensamentos

  • Posts: 15

  • Ganhos: Masuku Kitsune (presente do evento)
  • Perdas:




Objetivos

  • Aprender pesca
  • Aprender zoologia
  • Ensinar um comando de caça a Balto
  • Encontrar o resto do bando
  • Adquirir uma arma principal (Lâminas da lua crescente) e facas (adagas) de arremesso
  • Adquirir uma flauta (ou ocarina ou outro instrumento de sopro)
  • Fazer uma performance (e tentar ganhar uns trocados hehehe)



"Só as feras estão além da mentira"     -Rexxar

▲ Thanks, Frankie @ Graphic Dreams ▲

_________________

Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 16 3lcCq0g
Jean Fraga
Ver perfil do usuário
Imagem : Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 16 UdcmuNR
Créditos : 01
Jean FragaEstagiário
https://www.allbluerpg.com/t581-maximus-cavendish-ito-iv https://www.allbluerpg.com/t301-os-monarcas-i-efeito-borboleta
Re: Os Monarcas - I Efeito Borboleta Sex Set 10, 2021 12:37 am


Efeito Borboleta


- Despertar  -

Barco, Ilha, anfitrião, felicidade, diversão, praia, areia, caranguejo, bebida, saúde, brinde, neve, flocos de neve, cabana, banheiro, verdades, banho, janta, vontades, cama… tudo isso viajava minha cabeça rapidamente, eram muitas lembranças para poucos segundos.

— Ssghnn – Respirava puxando o ar profundamente conforme arregalava os olhos e levantando meu tronco, apoiando uma mão aberta atrás de mim para não cair, botava a outra sobre a testa.

Uma forte dor emanava naquela região, — Argh! Por quanto tempo fiquei desacordado?! - Olhava a minha volta, buscando entender onde agora estava, quem ali estava e o que havia acontecido.

Notava pela baixa iluminação vinda das velas, que estávamos em um ambiente abandonado, a casa de Catherine não era, porém recordava-me de ter visto Haru e os demais.

Aos poucos, as lembranças que havia tido de forma rápida, voltavam, mas de forma lenta, aproveitando cada uma delas, sentindo-as, com os olhos fechados, vivia tudo aquilo.

Abrindo-os lentamente, notava Haru ao meu lado, — Assim como prometido… você está aqui! - Puxando-a com a mão que antes estava em minha cabeça, abraçava ela, apoiando meu rosto sobre seu ombro.

— De uma cabana tão aconchegante como aquela, para uma espelunca dessa… fiquei até com fome lembrando do sushi que fiz para nós… - Afastando-me beijava sua bochecha.

Notando John perto, diria ao gigante, — Acredito que dentre todos, foi você quem me carregou… obrigado companheiro! Estou agora te devendo uma!

Levantava por completo, botando as mãos sobre os joelhos e aos poucos ficando ereto, erguia minha mão à frente, esperando que Haru aceitasse a ajuda.

— O que exatamente aconteceu? Lembro-me de chegar na casa, ver vocês e logo tudo ficou preto, após um tempo, recobri certas lembranças de ótimos momentos com você, Alex, Arthur, Badar… - aproximando-se de sua orelha, dizia - Principalmente com você…

Afastava-me e dava uma pequena gargalhada, não queria preocupar Haru, não em um momento caótico como este, olhando a volta, buscava encontrar Shinto, Catherine e Alexander, que antes estavam comigo naquele bar e em toda fuga.

Notando que Shinto parecia já estar sendo tratado, diria a Haru, — Pois bem coelhinha, por hora me sinto bem, acredito que a ansiedade juntamente da minha condição fez com que isso acontecesse… pera, você é a médica! E eu o cozinheiro, quem deve diagnosticar é você! - Botava o dedo indicador sobre sua testa.

— Por favor, cuide de Shinto, caso precise de algo, estarei à disposição para ajudar… irei agora ver como estão os outros.

Dito isto, seguiria em busca de encontrar os outros, caso avistasse Catherine, iria até ela e sem dizer nada, a abraçaria, após um breve momento, diria, — Que bom que você está viva… Desculpa ter criado este caos na sua vida…, mas você logo estará livre destas correntes! Eu prometo! - Manter-ia-me com Cathy, até que ela estivesse mais calma, — Vou falar com Alex… - soltando-me, iria até ele.

— Irmão! Como você está? Precisa de algo? Por sorte sai da situação que estava…, por sinal, onde está Saori?! - Desde o meu despertar, tentava me manter calmo, não queria piorar tudo.


HistóricoInfo
Nº de Posts: 10
Ferimentos

  • N/A

Ganhos:

  • ฿S 2.000.000 - Roubado em jogo de apostas

Perdas

  • N/A



Para o avaliadorNesse post Maximus voltou do evento, juntamente do despertar do coma, (foi apenas uma rodada, porém off game foram 43 dias que tive que me ausentar.)



AoYume
Ver perfil do usuário
Imagem : Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 16 Unknow19
Créditos : 00
Localização : Flevance - North Blue
Re: Os Monarcas - I Efeito Borboleta Seg Set 13, 2021 1:59 pm
Queen
Blessed by the King
Muita coisa acontecia em um tempo bastante breve. O jovem garoto me pedia para segurar o que antes estava no pé daquele bandido, entregando com tal naturalidade, que, para mim era apenas natural negar em primeiro momento. - Não, se você pegou... Porém, quando entendeu que tratava-se apenas de guardar consigo desarmou-se um pouco, abaixando os ombros, e, em um afago na cabeça da criança que lhe apetecia mais que o lobo como uma espécie de mascote, pegava o item. - Certo, então irei protegê-las como pediu.

Aquilo teve algum efeito em mim, uma amenização da revolta que ocorria em meio a toda correria e situações descontentes pelas quais passei brevemente. Kaplya, o garoto e outros do grupo iam aos poucos revelando um pouco mais de si, e, ainda que não seja suficiente para desarmar-me da defensiva, pelo menos era para amenizá-la. Quando chegamos, porém, no lugar que era demonstrado por uma mulher pequena que eu desconhecia, a conversa contrária não me fazia tão feliz. Não ficava irritada, mas, melancólica com certeza. Ele aparentemente queria me dar o item, falando algo sobre gostar de andar descalço. Transpareci algum interesse? Me pegunto com certa angústia fitando os olhos tão sinceros do garoto.

Eu queria recusar, para falar a verdade, não merecia aquilo que, não fiz por onde. Fui derrotada, para não dizer humilhada por aquele que as portava. Ranjo os dentes um momento pensando sobre como deveria prosseguir. - Bem, eu não as mereço. Mas, enquanto preferir andar assim, cuidarei delas um pouco por ti. Mas não hesite em pedi-las novamente pois elas são suas. Digo com um sorriso novamente fazendo um afago na criança. - Além disto. Falo em um tom animado enquanto removo uma das adagas de seu suporte, entregando-a na mão do garoto após abri-la puxando a palma de sua mão. - O que acha de ter uma agora? Uma prova do nosso acordo, você me devolve quando pegar o que é seu de volta. Me levanto, colocando a mão na cintura. - Além disso, agora temos adagas combinando, como um time. Somos um time, certo?

Uma outra resposta que postergava, e, antes não foi dada também não podia mais ser tão adiada. Apesar do meu silêncio ser uma resposta de certa forma para Kaplya, visto que antes minha mente estava tão ocupada que mal consegui respondê-lo, que dirá entregar, ali, chegava o momento. Caminhava até a coelha que, naquele momento devia ter finalizado os cuidados com o padre com as drogas em mão. - Haru, certo? Eu consegui estas coisas, eles as vendem, não sei quanto mal fazem, os efeitos, ou, sei lá, quão lucrativo é, mas se conseguir dar uma olhada eu agradeceria. Dependendo do que for se puder devolver também... As últimas falas saíam mais sussurradas, um pouco envergonhada que, eu tinha mais de um interesse naquilo apesar de tudo. Curiosidade.

Os outros iam começando a pensar em um plano, e, neste ponto apenas me apoiaria em algum lugar me sentando, possivelmente próxima a John. Apoiada ali olharia o grandão de lado e tentaria falar com ele calmamente. - Pode... Me falar um pouco do que aconteceu? A pessoa nova parece ser sua amiga e você estava na casa, estou um pouco perdida aqui. Me manteria completamente atenta, ainda não confiando na garota ou na posição completamente. Com meu ouvido se acontecesse alguma coisa a volta talvez eu escutasse, o que me faria alertar aos demais de imediato se acontecesse.

PdV: 3600/3600 Sta 100(?)/100

by emme



Info:
Histórico:
Posts: 15

Ganhos: 3 adagas clássicas - durabilidade: baixa (+40 em força ou destreza por nível), 1 metro de couro (*Cordas vendidas por metro), 1 óculos, 1 caneta, 1 mapa do local produzido, 2 Smiles(droga), 1 par de bota com lâminas.

Perdas: 1 adaga clássica

Objetivos:
> Conseguir Hidden Blades
> Conseguir Manto de malha
> Conseguir águia/coruja
> Tatuar as asas de Leyka e Gremona(símbolo de sua religião de adoração a justiça)
> Aprender furtividade(?)
> Aprender Arrombamento
> Aprender Briga
> Conseguir Ambidestria

_________________


don't be afraid...
...of Leyka's Justice Monarch.


f
Madrinck
Ver perfil do usuário
Imagem : Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 16 NYcylhF
Créditos : 06
MadrinckEstagiário
https://www.allbluerpg.com/t323-john-doe https://www.allbluerpg.com/
Re: Os Monarcas - I Efeito Borboleta Seg Set 13, 2021 9:15 pm
John Doe o Escravo
Ascensão de um novo grupo



Nós finalmente abandonamos aquela casa, eu naquele momento carregava bastante pessoas além de minha espada, era complicado e ao mesmo tempo pesava bastante sobre mim, mas era meu dever como escravo obedecer as ordens dadas mesmo que significasse sofrer e me ferir por elas, eu pensava ainda sobre oque Maria tinha falado anteriormente, as palavras delas tinham me tocado de uma maneira estranha a qual eu não conseguia entender, e eu não queria entender tal sensação que tocava o fundo de minha consciência, essa sensação me lembrava de minha outra faceta, e se me lembrava isso então era por ser prejudicial ao meu trabalho como escravo disciplinado.

A Casa podia ser abandonada, mas era muito mais adequada para ficar do que um porão que um escravo normalmente vive, e era claro que a nossa chegada significava se agrupar e organizar, e seguindo as ordens da Senhorita coelha eu jogava o mafioso sem delicadeza contra uma parede, enquanto botava gentilmente Maximus num local adequado para que ele se recuperasse já que estava acordando a poucos instantes - Você não precisa me dever nada senhor, é o meu trabalho garantir que vocês todos estejam bem, te carregar só foi um exemplo disso- depois de trocar poucas palavras com o homem, eu encostava minha espada numa parede, enquanto com delicadeza botava Maria num local que não estivesse tão precário e que fosse confortável - Sobre oque você disse, acredito que é o certo nós dois nós protegemos, de um escravo para uma ex-escrava, certo?- eu novamente soltava um falso sorriso, a deixando ali enquanto voltava a minha postura ereta, minha mente estava se alinhando e eu obedecia com precisão tudo.

- Okay Senhora, irei procurar suas velas- eu falava começando a casa, se os moradores eram senhores de idade e se quase ninguém visitava, eles deviam ter velas guardadas, eu procurava primeiramente por locais mais óbvios, como cozinha e coisas do gênero, seguido por locais não tão covenientes. Dependendo do resultado da busca, eu entregava as velas para a Coelha, e se meu objetivo fosse falho eu apenas diria me desculpando - Me desculpe senhora, fui incapaz de encontrar uma vela para a senhorita- depois de fazer uma reverencia de perdão, abaixando minha cabeça como sinal de submissão e perdido de perdão, eu me afastaria. Indo até um local qualquer e me sentando no chão.

E para a minha surpresa eu era abordado novamente, agora pela senhorita acompanhante do meu Mestre, eu abria um falso sorriso para demonstrar carisma enquanto ela falava comigo, a respondendo de modo calmo e explicativo - Sobre a casa, depois que vocês saíram eu, Coelha, Moça dos cabelos rosas e o pequeno Badar esperamos vocês retornarem, nesse meio tempo Maria e o Mafioso já bem conhecido chegaram para entregar um pacote para a amiga do Ruivo. Ao perceber que a dona da casa não estava lá Maria entrou sem considerar os riscos e foi pega como refém e apelo emocional, tudo para instigar a rendição do mafioso, oque se mostrou ineficaz quando ele não demonstrou nenhum interesse pelo risco da vida de minha amiga Maria, tivemos um confronto e com isso capturamos ambos inimigos- eu parava um pouco pensando sobre como falar de Maria, suspirando e continuando meu dialogo.

-Sobre Maria, ela é uma amiga de muito tempo atrás, nós dois eramos escravos do mesmo mestre, ela era uma criança inocente na época, eu me senti no dever como um escravo mais experiente a protege-la de punições desnecessárias e a ensina-la a como sobreviver num ambiente que para ela era novo. Resumindo tudo, nós dois nós separamos quando ela fugiu da casa do meu antigo Mestre, depois disso nunca soube mais dela... Até hoje. Desculpe falar mais do que o necessário, acho que você só queria saber se ela era a minha amiga não é?- e com isso eu voltava a ficar calado, esperando ordens ou mais perguntas da moça.
Thanks, Lollipop @ Sugaravatars


Historico:
Numero de posts:15
Ganhos: Espada Classica
Perdas:250 mil (Espada)

_________________

Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 16 UvhbRwr
Shinto
Ver perfil do usuário
Imagem : Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 16 H9peUe6
Créditos : 00
Re: Os Monarcas - I Efeito Borboleta Seg Set 13, 2021 9:20 pm

Efeito Borboleta

Ascenção



Sentiria o vento de uma corrida refrescar a minha face. O meu cabelo, o pelo de Balto, dançavam… abanavam… sentiria a pressão de cada passo que nos impulsiona, cada pequeno solavanco… sorria, agarrado ao majestoso pelo do meu portador, o acarinhava, levemente… sorria… ao sabor do vento sorria, imaginava, pensava, de olhos fechados nos pequenos prazeres da vida, do mundo que os meus pais nos deixaram.

Erguiria a cabeça, abriria os olhos… sentiria o latejar de uma perna estragada, olharia ao meu redor, entre as orelhas de Balto o meu sorriso dissipava, a família sofria… Max, meu pobre Maximus jazia no ombro de John, um rei que cambaleava, sofria… e Haru, oh como a senhorita se preocupava com todos nós, no entanto, os seus olhos apenas se focaram numa só pessoa, que ligação, que destino estara traçado para aqueles dois.

Teriamos chegado ao nosso destino, a uma casa. Seria posto num local mais adequado a um tratatamento. - Obrigado Balto, a sua ajuda não será esquecida. Meu irmão, pequeno Badar, as suas palavras são uma benção.

A senhorita Haru iniciaria os tratamentos rapidamente. - Senhorita, reparei em como olhava para o nosso Maximus, estarei a precipitar-me em indagar, mas… a sua atenção era apenas medica? - expirava, tentaria relaxar um pouco o meu corpo e minha mente. -  Já sabe que aceito toda a dor que pode me causar Haru. Agora não hesite por favor, bem sabemos que tem muitos para cuidar. Muito obrigado, senhorita.  




Local do Narrador <3:

Histórico
Post: 14
 Shinto Fala

Objetivos
Receber o meu belo $$$ da qualidade abastado <3 (por favor adicione nos ganhos)
Por favor adicione os ferimentos nas considerações <3
Comprar uma Lança de Acuidade/arremessável.
Comprar um Katana de Acuidade.
Encontrar o pequeno Babar <3
Encontrar algum "infiel" ou "humano ruim" para poder "purificar". AKA Pintar um belo quadro.
Iniciar a tão esperada purga acompanhado por Maximus <3

@tag pseudo

_________________

Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 16 EU4ZS77
O Taverneiro
Ver perfil do usuário
Imagem : Não me incomode...
Créditos : 09
Localização : Fleavance - North Blue
O TaverneiroEstagiário
https://www.allbluerpg.com/t304-kaplya-sveta#877 https://www.allbluerpg.com/t301-os-monarcas-i-efeito-borboleta
Re: Os Monarcas - I Efeito Borboleta Qua Set 15, 2021 3:15 pm
Os caminhos do rei

Decisões tomadas precisávamos realmente do homem, talvez fosse interessante a sua presença com a gente.
Melhor seria se ele não estivesse presente, se a negociação tivesse funcionado etc. E também sei que há algumas coisas que explodem…

Quando estávamos caminhando eu verifico como estavam Haru e os outros. O irmão do rei parecia que estava de volta, sorte não ter sido nada mais grave. Isso me deixa muito feliz, afinal de contas apesar dele ser estranho ele às vezes é legal. E parece que Haru é um pouco interessada nele.

”Meus netos serão lindões”

Após algum tempo e algumas discussões e um belo chute na cara, deixamos a casa para trás, mais uma vez o fogo era uma marca. Talvez eu fosse o Mink Fogo, vai saber…

Enquanto aguardava o retorno do grupo, eles nos encaminharam a uma nova casa, uma nova base. Fugir do sinal da máfia era o mais correto a se fazer, o número de homens atrás de nós não era favorável, ainda mais com as condições atuais da tripulação.

Chegando até o local indicado via Jhon atirar o mafioso contra a parede e deixo um sorriso escapar no meu semblante.

- Bauhaubauhaubauhau Ele parecia um saco de bosta caindo.

Durante as conversas, Jhon conta o que havia acontecido dentro da casa. Prestando atenção eu coço o queixo e presto atenção. Esse era um contato no mínimo diferente que alguém poderia esperar. E agora tem uma pessoa da máfia que é amiga de Jhon, e uma pessoa que é amiga da amiga de Max que é da máfia também. Mas que mundo mais mafiosamente pequeno, não?

Ali enquanto começava a buscar um lugar para descansar e estudar, Balto surge e me dá um presente. Pelo visto o churrascão havia sido real. Lembro-me de ter dado um lobo com coisas de alguma ferramenta para alguém… Estranho, não me lembro direito para quem. Recebo o presente de Balto e dou um forte abraço nele.

- Oh! Muito obrigado Balto! Vou provar, espera!!!

Vou até um local mais escondido, tiro as roupas e coloco as novas vestes. Ficando praticamente invisível devido à tecnologia da roupa. Fico de costas para a parede, me viro. Vou brincando com a roupa até chegar perto de Balto novamente.

- Eu adorei! Vai ser muiiiito útil!!

Abaixo a máscara, ficando com a cabeça livre, procuro um local para sentar e começar a ler um pouco…

TREINO INVESTIGAÇÃO:

Abria o livro e admirava sua contracapa sentado no chão da casa. Acomodo-me em minha mochila e começo a ler.


“A investigação compreende vários elementos e etapas, tais como: colher depoimentos, encontrar provas, fazer a análise de documentos, elaborar relatórios policiais, examinar o local do crime, fazer a revista de suspeitos e colher sus impressões digitais, entre outros.”

”Interessante…”

“Também chamada de pesquisa, é um processo que incorpora conhecimentos de uma determinada ciência ou disciplina. A investigação pode ser realizada pela área pública ou privada, embora no segundo caso, os esforços sejam uma forma para aumentar uma posição em um determinado mercado. A pesquisa é importante no desenvolvimento das nações e tem um grande peso no aumento da produtividade na área econômica. É por isso, que os países desenvolvidos não medem esforços em aumentar a pesquisa e promover recursos para essa atividade, sabendo que esses esforços serão recompensados futuramente.”

”Claro, faz todo sentido. Afinal de contas é uma arte que pode ser usada em diversas colocações.”

“A pesquisa explica novas teorias e informações que confirmam as teorias do passado ou as anula. Este conhecimento serve para explicar novas formas de solucionar problemas que no passado era um enorme peso para o homem. De fato, muitas das soluções que hoje em dia parecem certas, é apenas processo de um longo período de um ciclo de pesquisa. Quando o acúmulo de conhecimentos se torna contínuo e explica novas formas de atingir positivamente a experiência humana, podemos dizer que esse país alcançou um grau de desenvolvimento sustentável.”

”Aqui é meio confuso, mas acho que peguei o conceito..”

Continuava lendo e fazendo algumas anotações no canto do livro enquanto puxo um cigarro coloco-o no canto da boca e acendo.

Vejo algo sobre os passos da investigação e uma descrição de seus passos:

“Observar.
Faça uma pergunta.
Construa uma hipótese.
Teste a tese.
Realize uma análise de dados e estabeleça uma conclusão.
Comunique os resultados.”

”Certo, acho que consegui entender.”

Continuo lendo sobre técnicas e fórmulas, a indicação de que é necessário alguns outros conceitos e dicas de livros que por sorte tinha alguns dos assuntos citados. Pelo visto investigação é algo bem interessante mesmo.

FIM DO TREINO DE INVESTIGAÇÃO

Eu me ajeito e organizo novamente minhas coisas. Chegando perto do rei digo:

- Próximos passos, rei Alexander?


DetalhesFalas Kaplya
"Pensamento Kaplya" - Lukas
- Falas Lukas
*Histórico: POST 15 (9/10 - LUKAS)+(6/6 - KAPLYA)
Ganhos:2 espadas profissionais - durabilidade: média (+60 em força ou destreza por nível)+ 2 Rifles + 1 Espada, Roupa maneira, Máscara maneira - Presentes do Amigo Secreto
Perdas: 800.000 + (arma da Haru) 250.000 = 1.050.000 ฿S + Livros ( Investigação, Cartografia, Criptografia, Psicologia, artes de interrogatório, artes da lábia, artes da sedução e Falsificação) 1.000.000 - trocado pelos rifles = Total de gastos 1.050.000 ฿S
3 usos de fumo / Fósforo
Ferimentos: To benzão
*Objetivos:
- Comprar uma Espadinha
- Livros: Cartografia e Investigação
- Aprender as perícias Investigação e Cartografia
- Sair em uma aventura
- Me divertir


Lukas Sveta
Nenhum caminho me assusta, nenhum desafio me impede.








_________________

Kaplya / Lukas Sveta
Alexander III
Ver perfil do usuário
Imagem : Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 16 9d66b7fdb3617e5cd4c1be07206f0805
Créditos : 07
Alexander IIIEstagiário
https://www.allbluerpg.com/t294-alexander-lancaster-caven https://www.allbluerpg.com/t301-os-monarcas-i-efeito-borboleta#910
Re: Os Monarcas - I Efeito Borboleta Qua Set 15, 2021 8:49 pm

GODS BLESS THE KING


Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 16 QRqQSkL


Piscava por um segundo e novamente já estava em Flevance novamente, já não estava naquela ilha paradisíaca curtindo o momento e relaxando um pouco de todo esse caos, ao menos descobri que Arthur também é meu irmão, ter dois irmãos reais é algo que deixa meu coração feliz, mas agora eu tinha de voltar a realidade.

Mais uma vez a amiga de Max se provava muito útil e determinada, com a casa queimando e soltando fumaça enegrecida aos céus por mais que eu quisesse discursar na frente de todos não poderia agora, o tempo era apertado demais.

A garota que estava amarrada e parecia ser amiga de John já que falava com ele diretamente supostamente tinha um local para nós podermos nos abrigar de tudo por enquanto, mas era de fato seguro? Bom eu não tinha tempo para me preocupar com o se.

Balto e Badar vão na frente desbravando o caminho e vendo se a informação da garota era verídica, todos nós íamos logo atrás e enquanto eu andava pensava em tudo, Shira já parecia estar pouco a pouco descobrindo da verdade, e cada vez que eu mentia eu a afastava, mas eu poderia contar a verdade? Ela não iria me abandonar caso soubesse que já sou praticamente um homem morto?

Olhava para trás com raiva de tudo, as coisas estavam complicadas, as chamas lembravam a minha mãe perto da lareira mais uma vez como a algum tempo atrás, o que me doía um pouco, o caminho que eu acabei de escolher não poderá ser desfeito.



Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 16 2f898815cbf35663d085753131037ebb

Finalmente chegávamos em uma casa abandonada, encontraria um local para sentar e descansar por alguns instantes recobrando meu folego, estava preocupado com tudo, mas agora eu tinha que pensar no que fazer.

Ficava em silencio apenas dentro de minha cabeça e nem reparava as coisas acontecendo ao meu redor...



Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 16 A3c56b57e127c3521866b2812631b407

Depois de um tempo para a minha surpresa Max estava acordado, bem que eu já imaginava que ele iria ficar bem depois de vê-lo naquela bela ilha paradisíaca, mas ter certeza com certeza era reconfortante.

— Max meu irmão! É ótimo te ver de pé e bem novamente! Fico feliz que você não ficou muito tempo desacordado, já irei explicar tudo só um momento.

Subiria em um local um pouco mais alto e começaria a bater palmas como se quisesse chamar atenção de todos e os chamava para minha frente.

— Tenho que admitir que não foi fácil toda a situação que estamos vivendo agora, tive que tomar decisões complicadas que nos levaram a caminhos que não eram para ser esses, mas tudo aconteceu e agora é meu dever como rei decidir o que faremos.

Acendia um cigarro enquanto falava com todos, precisava da nicotina para me acalmar um pouco, mesmo que odiasse o odor que me faria ficar tendo depois.



Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 16 635d36aaeb277eee1d35859b82d162ff

— A verdade é que poderíamos apenas sair da ilha e continuar nosso caminho, mas sinceramente eu sou um homem rancoroso e não poderia deixar as coisas como estão agora, precisamos destruir essa máfia que trouxe dor para nossos amigos e até nós mesmos.

— Saori e Ryuu como podem ver não estão mais entre nós, a verdade é que eles voltaram para Ravenwatch, Ryuu recebeu uma carta de seu pai, ele provavelmente estava doente e ele não teve escolha a não ser retornar, e eu ordenei Saori ir para casa também, a verdade é que pelas escolhas que eu terei de tomar daqui para frente ela jamais iria ficar feliz ou mesmo aguentar essa vida, se alguém não gostou de minha decisão sinto muito, mas eu tive que fazer algo sobre isso.

Puxava forte toda aquela fumaça e olhava para cima por um momento, eu estava pronto para tudo aquilo? Provavelmente não, mas de alguma forma eu iria sobrepor tudo.

— Por mais que eu odeie a ideia, nós iremos nos separar em grupos e vamos reunir pessoas que são amarguradas com a máfia para lutar ao nosso lado, quanto mais pessoas melhor, a senhorita amarrada eu espero que tu possa nos ajudar junto com Catherine a saber quem poderiam ser essas pessoas, claro que Genji também vai cooperar ele querendo ou não.

— Vamos de dois em dois, Eu e Shiranai, Max e Haru, Badar e Shinto, Kaplya e John iremos ser rápidos, e combinaremos que todos devem nos encontrar aqui neste local à meia noite, será o momento de nosso ataque contra eles.

Coçava a cabeça meio pensativo.

— Sinceramente não sei se apenas o rancor ou esperança será o suficiente para trazer muitas pessoas ao nosso lado, mas conto com a ajuda de todos, usem lábia, promessas o que for para montarmos nosso exército, e se perguntarem por quem eles lutam vocês podem responder: Os Monarcas.

Descia do local que estava e então olharia com uma feição seria a todos.

— Não morram, não sejam pegos e principalmente.... Não me decepcionem.



Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 16 5fb47a347c3eff211171f8b944339c5f

Me afastava um pouco e sussurrava na orelha de Shiranai:

— Preciso conversar contigo tem um instante?

Se a resposta fosse positiva e caso ninguém estivesse perto olharia para baixo como se estivesse arrependido de algo.

— Tu tens razão Shira... Eu tenho mentido para ti, a verdade é que.... É que.... Eu não consigo lhe falar a verdade, pelo menos não ainda, eu tenho medo, medo de que me abandone, de que perca sua fé em mim, me perdoe por não ter sido sincero com tu... Mas eu também sei que tu tens escondido coisas de mim não estou certo? Eu sou um homem muito perceptivo, de toda forma não precisa me responder agora, irei pegar a informação para onde temos de ir e teremos tempo de conversar, mas tinha de lhe dizer isso.

Se ela não me falasse nada agora apenas a deixaria sozinha por um instante e então juntaria os três que trabalhavam na máfia, Genji estava desacordado e então tentaria o acordar.

— Bom podem nos fornecer a informação que eu pedi? Onde cada um de nos teria que ir para encontrar pessoas que como nos querem destruir a máfia?

Explicaria tudo para o mafioso espancado já que provavelmente ele ainda estava inconsciente durante meu discurso. Caso conseguíssemos todas as informações daria cada grupo um local e então partiria com minha dupla.

— Lembre-se, depois que terminarem tudo voltamos para cá, e a meia noite começaremos o ataque com quem estiver aqui.

Andaria do lado de Shira e deixaria ela falar caso ela desejasse.



Histórico :
Posts: 15

Ganhos: Espada
cigarros (8 unidades) e 1 isqueiros

Perdas: 2.355.000

Objetivos:
♕ Conhecer mais de Shiranai
♕ Aprender acrobacia e hipnose
♕ Me aproximar de todos
♕ Trabalhar a cabeça de meus súditos

_________________

Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 16 KMdYuOB
Hoyu
Ver perfil do usuário
Imagem : Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 16 GX67lHH
Créditos : 14
HoyuEstagiário
https://www.allbluerpg.com/t378-leonheart-valentine https://www.allbluerpg.com/t419-here-comes-the-sun
Re: Os Monarcas - I Efeito Borboleta Dom Set 19, 2021 11:38 pm

OS MONARCAS – I EFEITO BORBOLETA



Chegando no novo esconderijo, uma casa abandonada que antes servia de moradia para dois velhinhos, se via agora entregue as traças, mas ainda mobiliada, então serviria como base temporaria adequada para os monarcas. Logo que chegaram, John jogava o mafioso desacordado de qualquer jeito, arrancando boas risadas de Kaplya, antes de colocar gentilmente Maximus e Shinto nos locais pedidos por Haru, que iniciou o tratamento médico como podia, começando pelo padre, que até mesmo aproveitou a oportunidade para fazer perguntas pessoais, que foram deixadas de lado por enquanto. John, após falar rapidamente com sua amiga amarrada, que apenas abaixou a cabeça pensativa, mas sem responder, foi até a cozinha e trouxe várias velas que encontrou em armários lá para iluminar o ambiente. Felizmente, com a iluminação, logo a mink conseguiu tratar os ferimentos do religioso, melhorando um bocado sua movimentação, apesar de andar sentir a dor dos ferimentos.

Ao mesmo tempo, Badar tentava convencer Shiranai a ficar com os calçados, apesar do claro desconforto da mulher, que ofereceu uma troca dos calçados por uma adaga até que ele as quisesse novamente. Os dois se separavam em seguida, com a mulher indo entregar uma estranha droga para Haru analisar, e Badar procurando nas estantes da casa por algo interessante, usando uma vela para iluminar e ler melhor os títulos, podendo constatar que eram em sua maioria livros de história e costura, provavelmente as profissões dos antigos moradores, mas por sorte acabou encontrando um livro sobre pesca, que provavelmente era hobby de algum deles, pegando-o para si. Haru seguia então para tratar Maria, após verificar a situação de Max, e assim que conseguiu finalizar os ferimentos dela também, todos puderam ver Max despertando. Não durou muito, mais aquele coma foi o suficiente para deixar todos preocupados, em especial Haru, que foi até ele, que queria falar com a mink.

Todos aliviados, Shiranai e Kaplaya se aproximaram de John para que ele os narrasse o que havia ocorrido enquanto estavam fora, ficando enfim por dentro dos detalhes, e o mink seguiu em seguida para um local mais afastado, juntando algumas velas para iluminar o suficiente para que pudesse ler um livro que se mostrava interessado, pois poderia adquirir conhecimentos novos. Max, por outro lado, após falar com Haru, levantou-se com dificuldade e foi falar com Catherine, que também parecia aliviada com seu despertar, e exibia um sorriso no rosto. - Não precisa se desculpar, vocês foram o estopim para isso, mas teria acontecido de um jeito ou de outro. É até melhor ter acontecido agora, quando posso ter aliados.

Todos tiveram um pequeno período de paz e sossego naquele casebre escuro iluminado à luz de velas, alguns lendo, outros conversando, descansando ou tratando os outros, e Catherine até mesmo encontrou algumas poucas latas de comida enlatada, principalmente feijão e um pouco de salsicha, que puderam dividir entre si para encher a barriga, até que finalmente Alexander se levantou e tomou a palavra. Após explicar o motivo de terem se separado de Saori e Ryuu, seguiu então para a parte importante: seu plano, e o que precisavam fazer a partir daquele ponto. Pedindo a ajuda de Catherine e Maria, a antiga amiga de John pareceu finalmente ceder após um longo suspiro. - Vocês não vão desistir disso, né. Ta legal, eu ajudo vocês, mas me solta logo, senão não vou poder fazer muita coisa. E espero que se responsabilizem por isso e garantam minha segurança, porque aquele pessoal é barra pesada.

Com tudo decidido, o rei foi até Shiranai fazer um rápido desabafo, dizendo que teriam tempo de conversar quando fossem buscar mais pessoas para sua causa, e partiu em seguida para onde estavam Maria, Catherine e o mafioso desmaiado atrás de informações que pudessem ser úteis para o plano atual deles, infelizmente Genji ainda estava desmaiado, e não parecia que ia acordar, mas as outras duas estavam dispostas a ajudar. - Bom, eu lembro de ter ouvido um boato de que vários trabalhadores das minas estavam tendo problemas com algumas cobranças que estavam fazendo. O bar Búfalo Branco pode ser um bom ponto. - Catherine, por outro lado, olhava o rei com severidade. - Só tome cuidado para não se iludir, Alexander. Você não encontrará ninguém que queira destruir a máfia. Insatisfeitos, com certeza, mas não haverá ninguém já pronto para arriscar a vida. Isso tudo vai depender de o quanto conseguirem inflamar o senso de revolta dos habitantes dessa ilha.

Depois de deixar a situação clara, ela suspirou e prosseguiu. - Mas eu sei que tem um senhor rico na ilha, chamado Theodore Lemont, que tem se visto insatisfeito com eles por causa da taxa que cobram para a importação dos seus produtos. Pode ser que ele esteja disposto a oferecer mão armada para vocês. Fora isso... Creio que possam encontrar pessoas insatisfeitas na praça central, mas não é tão certa. - Ela olha para Maria, querendo checar se também já havia dito tudo que sabia, e a garota confirmou. - Vamos ficar por aqui, de olho na base e nesse cara. - Tinham então 3 possíveis caminhos para juntar pessoas à sua causa, e restava apenas se dividirem e aumentarem seus números.

Dupla Personalidade escreveu:Personalidade dominante:
Quantidade aleatória (1,6) : 1

Quantidade de Posts:
Quantidade aleatória (1,6) : 6

Histórico:
Nome: Alexander Lancaster Cavendish III
Posts: 15

Ganhos:
-Espada
-Cigarros (10 unidades)  
-1 isqueiros

Perdas:
-B$ 2.355.000
-1 unidade cigarro
-1 uso isqueiro

Histórico:
Nome: Maximus Cavendish Ito IV
Posts: 10

Ganhos:
-B$2.000.000 - Roubado em jogo de apostas
Perdas:

Histórico:
Nome: Haru Kaplyanova
Posts: 15

Ganhos:
-Receita de remédio
-Livro sobre Medicina Tradicional
-Kit Médico (Bandagens {1/30 usos}; Talas {0/10 Usos}; 1 bisturi; Agulhas Esterelizadas {0/10 usos}; Estetoscópio; Morfina {1/5 usos}; Álcool 70% {1/20 usos}
-Botas Profissionais de Durabilidade Média (+60 em Força)
-Katana Clássica de Durabilidade baixa (+40 em Força)
-2 Smiles(droga)

Perdas:
-B$ 400.000 Berries (Botas Profissionais)  
-B$ 850.000 Berries (Kit Médico)

Histórico:
Nome: Shiranai
Posts: 15

Ganhos:
-2 adagas clássicas - durabilidade: baixa (+40 em força ou destreza por nível)  
-1 metro de couro (*Cordas vendidas por metro)
-1 óculos
-1 caneta
-1 mapa do local produzido
-2 calçados com lâminas

Perdas:

Histórico:
Nome: Kaplaya Sveta
Posts: 15

Ganhos:
-2 espadas profissionais - durabilidade: média (+60 em força ou destreza por nível)
-2 Rifles  
-1 Espada
-Livros ( Investigação, Cartografia, Criptografia, Psicologia, artes de interrogatório, artes da lábia, artes da sedução e Falsificação)
-Pericia investigação

Perdas:
-B$ 800.000  
-B$ 250.000 (arma da Haru)  
-2 usos de fumo / Fósforo


Histórico:
Nome: Badar Alluartie
Posts: 15

Ganhos:
-Flauta transversal (instrumento musical)  
-B$ 2.000  
-Duas Lâminas da lua crescente
-2 adagas clássicas - durabilidade: baixa (+40 em força ou destreza por nível)
-Livro pesca

Perdas:
-B$ 250.000


Histórico:
Nome: John Doe
Posts: 15

Ganhos:
-Espada Clássica

Perdas:
-B$ 250.000

Histórico:
Nome: Shinto
Posts: 14

Ganhos:
-Katana Clássica- durabilidade: baixa (+40 em força ou destreza por nível)  
-Lança clássica -durabilidade: baixa (+40 em força ou destreza por nível)  
-฿S 1.500.000 (abastado)

Perdas:
-B$ 500.000


Última edição por Hoyu em Seg Set 20, 2021 4:09 pm, editado 1 vez(es)
Alexander III
Ver perfil do usuário
Imagem : Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 16 9d66b7fdb3617e5cd4c1be07206f0805
Créditos : 07
Alexander IIIEstagiário
https://www.allbluerpg.com/t294-alexander-lancaster-caven https://www.allbluerpg.com/t301-os-monarcas-i-efeito-borboleta#910
Re: Os Monarcas - I Efeito Borboleta Seg Set 20, 2021 11:31 am

GODS BLESS THE KING


Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 16 QRqQSkL


Shiranai me respondia antes que eu fosse conversar com as garotas algumas coisas que me faziam ficar pensativo.

— Senhor é? Hmhmhmhmhm, para ti é Alex ou Alexander Shira, ou apelidos carinhosos, não permito que me chame de senhor ou rei, isso é muito distante.

— Tu não tens que me pedir desculpas... A verdade é que a culpa é minha por não ter sido honesto contigo e feito tu recorrer a esses meios para tentar não se sentir insegura, afinal não é algo bonito mentir para pessoas que estão ao nosso lado certo?

— O que eu quero saber? Hmhmhmhmhm só um segundo Shira...

As garotas me davam informações bem uteis para repensar em meu plano, pelo menos alguns pontos que deveriam ser revistos.

— John solte logo a coitada, se ela decidiu nos ajudar ela é minha amiga, e eu não gosto de ver meus amigos em situações assim.

Ficava pensativo depois de ouvir os três possíveis locais onde poderia arrumar as pessoas que precisava para a missão grande de esmagar a máfia como insetos, com a mão no meu queixo retomava do meu pensamento e então dizia a todos.

— Obrigado pela informação as duas, foi de fato muito útil, será simples mas vamos nos dividir dessa forma: Kaplya, John e Maximus vão para o bar e tentar convencer as pessoas de lá, talvez vocês tenham que usar a dureza nas palavras então confio em vocês. Já na praça central preciso de pessoas que saibam brincar com as palavras e com as emoções das pessoas então Badar e Shinto, acredito que sua música pode atrair as pessoas que precisamos pequeno, bom e Shinto acho que não preciso explicar o motivo correto meu padre? E por último, mas não menos importante, os que irão falar com o nobre e precisam de muita educação e etiqueta para não o ofendermos, eu Shiranai e Haru vamos até lá.

Olhava o rosto e expressão de todos ali presentes para ver se concordavam com minha ideia, e caso não tivesse de fato nenhuma reclamação iria prosseguir de fato dessa vez.

— Acredito que não tenha necessidade de eu repetir porem lembre-se, depois de resolvermos tudo o que temos para resolver voltamos para cá, falhar não é uma opção façam o que deve ser feito, não decepcionem seu rei!

Me virava e chamava Haru e Shiranai para irmos comigo em direção a grande mansão, casa ou o que fosse onde ele estivesse.

— Talvez Shiranai converse comigo sobre algumas coisas estranhas comigo Haru então peço para que não ligue certo?

— Realeza espere nós não.... Deixe para lá.

Falava em seu ouvido com um sorriso no rosto porem esqueço que a audição de Shiranai é uma de suas partes mais fortes de seu corpo sendo sensíveis a ponto de escutar o bater de asas de borboletas.

— Acho que não posso esconder nada de ti então hm?

Andaria um pouco mais para frente e então ficaria ao seu lado, feliz e animado.

— Você não é apenas uma serviçal para mim Shira, não tem que ser sempre tão submissa a mim... De toda forma lhe respondendo...

Mesmo que não tivesse necessidade de sussurrar, queria fazer isso para ficar mais próximo dela.

— Tu fizeste a pergunta errada, a pergunta correta seria: O que eu não quero saber de ti. Quero saber tudo, seu passado, o que tu gostas, o que não gostas o que pensas de mim, quero entender cada pensamento que se passa por sua cabeça...



Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 16 B738f2debcc1f3578a5785d720a27348

Provavelmente até eu estaria corado, mas senti que era o correto falar com ela dessa maneira, Shira tendia a se martirizar demais por coisas que nem mesmo eu sei ainda, o que me faz ficar inseguro as vezes.

— Max Don Juan hm? Hmhmhmhmhmhmhmhmhm entendo, acredito que meu irmão possa de fato ser bem excêntrico as vezes, mas não acho que ele vai sair da linha agora com alguém tão mandona ao seu lado...

Uma pergunta que ela talvez teria tempo de responder? Não tinha nada simples mas queria saber algo que talvez a deixasse desconfortável.

— Shira tu tens medo de mim? Quando eu a toco, sinto como se lhe queimasse ou te doesse de alguma forma, não precisa responder caso isso a machuque...

Estava inseguro desde o dia em que percebi isso, então queria saber.

Olhava para trás encarando Haru com um sorriso de canto de boca

Quando finalmente chegássemos olharia as duas e diria:

— Não acho que precise de fato ensinar algo para vocês, porem precisamos ser cordiais e não desrespeita-lo de forma alguma, ele provavelmente será uma das nossas melhores ajudas nessa situação, confio em vocês.

Eu bateria na porta ou tocaria a campainha e então me apresentaria de fato e esperava que as duas que estavam comigo fizessem o mesmo ato logo após.

Mesmo que não estivesse talvez sendo visto ainda sempre manteria um sorriso no rosto e um ar animado porem nada exaltado em minha postura, queria demonstrar confiança apesar de toda a situação que estávamos, afinal ninguém iria apostar suas moedas em um lado que achasse que fosse perder.

Me curvava levemente com meu pé esquerdo logo atrás de meu corpo, colocava minha mão direita esticada na frente de meu estomago e com a esquerda e esticava e dizia:

— Meu nome é Alexander Lancaster Cavendish III eu sou o rei de Ravenwatch um reino deste mesmo Blues, é uma grande honra conhecer o senhor Theodore Lemont, peço desculpas por já saber seu nome mas era a única forma de eu me encontrar com o senhor era sabendo mais sobre tua pessoa.

— Essas duas estão comigo, ambas são minhas súditas e irão me assistir em toda a minha empreitada.

Olhava para as duas para que se apresentassem de forma cordial, após elas terminarem, respirava fundo e ainda com um grande sorriso e confiança continuava.



Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 16 2b1ed8b9599f4263f0c67b11c6bff0c5

— Tenho negócios e um bom acordo para lidar com sua pessoa, se puder aceitar esse humilde pedido ficarei deveras grato, acredito que para ti será uma coisa que terá ainda mais lucros do que para mim.

Olhava para sua feição caso estivéssemos cara a cara e começaria a analisa-lo para tentar entender o que se passava em sua mente, estava na hora de usar a minha profissão que por muitos anos tive que aprender a polir nas reuniões e acordos com outros reis.



Histórico :
Posts: 16

Ganhos: Espada
cigarros (8 unidades) e 1 isqueiros
Objetivos:
♕ Conhecer mais de Shiranai
♕ Aprender acrobacia e hipnose
♕ Me aproximar de todos
♕ Trabalhar a cabeça de meus súditos


Última edição por Alexander III em Seg Set 20, 2021 4:02 pm, editado 4 vez(es)

_________________

Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 16 KMdYuOB