Bem-vindo ao

All Blue

É com muito prazer que lhes damos os comprimentos ao nosso RPG. All Blue se trata de um RPG narrativo com o ambiente principal centrado em One Piece, obra de Eiichiro Oda.
Se divirta nessa nova aventura e se torne o novo rei pirata... Se puder!

2° - De Dawn a Shells - Uma viagem para conhecimento.

Página 7 de 8 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8  Seguinte
Sasha
Imagem :
Berserker
Créditos :
58
Localização :
Rota 6 - 4ª Ilha Vedde
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t340-sasha-sparks#1002 https://www.allbluerpg.com/
Sasha
Rank B
Relembrando a primeira mensagem :

2° - De Dawn a Shells - Uma viagem para conhecimento.

Aqui ocorrerá a aventura dos(as) Civis Diego Kaminari , Chloe Kaminari , Kuro Tempest  e SIlver D Saru. A qual não possui narrador definido.

_________________



2° - De Dawn a Shells - Uma viagem para conhecimento. - Página 7 9g2joTh


Chloe Kaminari
Imagem :
Chloe Kaminari
Créditos :
19
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t374-chloe-kaminari#1140 https://www.allbluerpg.com/t1362-2-de-dawn-a-shells-uma-viagem-para-conhecimento#14003
Chloe Kaminari
Estagiário
Um pequeno surto de insanidade
Vou fazer todos gritarem
Tiros, gritos, espadas se chocando… aquela bela orquestra pouco a pouco tomava um rumo diferente, e mesmo que desejasse o melhor para tais instrumentos, ainda era algo que completamente fugia a meu controle.  As pequenas balas atingiam seus alvos, mesmo de forma incontrolada, sabia que pouco a pouco os ratos iam sendo eliminados, mas a infestação ainda era muito grande para ser controlada. Mas seria em algum momento.

Um joelho estourado, uma virilha destroçada, um olho perfurado, o perfume do sangue e tripas começava a dar lugar a fumaça e maresia, mas quem poderia aproveitar em um momento onde apenas o som de pequenos pedaços de carne e ossos poderiam ser ouvidos mesmo ao longe "Acho que alguma mulher vai ficar bem chateada comigo… pelo menos não vão haver mais vermes no mundo como esse." o pensamento fez o sorriso brotar, foi o impulso suficiente para o derradeiro golpe a ser testado, mas mesmo as intenções mais benéficas, tem uma pequena falha. E a minha se mostrou mais falha do que imaginava.

O mundo a minha volta parecia perder a cor pouco a pouco, o som da batalha e madeira se quebrando era abafado por apenas um suspiro "I…Irmão!?" o pensamento se misturou a tontura e vertigem que a galope se aproximavam de mim — DIEGO! — o grito preocupado acabou por se soltar ainda mais rápido, as mãos trêmulas quase largaram a arma que outrora usava para me defender e defender aquele que amava — não….não…não era pra ser assim… — havia urgência e desespero enquanto sentia as pernas fraquejando e a visão pouco focada. A voz dele ajudava a voltar minha atenção para onde verdadeiramente importava, mas a visão do líquido carmesim que escorria por seu braço esquerdo fizera algo em mim acordar… algo que a muito não sentia.

2° - De Dawn a Shells - Uma viagem para conhecimento. - Página 7 Tumblr_mdeo9v2vRG1rl15vbo1_500

Desculpa meu amor… — pronunciei antes de tentar atirar em um outro inimigo, mesmo debilitada não iria pestanejar em ajudar a soltar meus aliados. — Suas baratas miseráveis! — o grito saiu como a libertação do monstro em meu armário pessoal

2° - De Dawn a Shells - Uma viagem para conhecimento. - Página 7 TLAH

Como ousam sair da frente de minhas balas, usar meu amado capitão de escudo para proteger suas vidas tão medíocres — a visão trazia de volta toda a dor que outrora senti ao me separar de Diego em nossa infância, a sensação da perda da morte advinda das chamas e do sangue de inocentes que mancharam o orfanato, que agora muito se misturava a visão do convés em que estávamos — Vocês acham que vão realmente nos derrubar? Nem mesmo a marinha fez isso em nossa infância! — não havia razão, apenas o ódio e a loucura de alguém que a muito era apegada à única família que tinha.

A feição doce se transformava em um misto de dor, angústia e o mais puro e simples sadismo, porém com novas presenças, apenas o sadismo reinou naquele momento em meio às palavras ásperas que saiam por lábios tão pútridos  — Ora, o que o macaco trouxe não é mesmo? — em meio a tontura um sorriso sínico se mostraria ser transformado em uma risada baixa junto a Fala de Diego — Eu sinto pena de você garota — falava tentando achar um lugar para me recostar enquanto esperava a visão focar nas duas…ou três…ou quatro figuras ali presentes — Foi você que ele pagou pra comer depois de eu ter rejeitado esse lixo? — colocaria as mãos sobre os lábios tentando esconder o riso, mas deixaria o mesmo escapar de forma proposital

2° - De Dawn a Shells - Uma viagem para conhecimento. - Página 7 F0i4UFq

hihihi…hahahaha. Desculpa, eu não consigo entender o que você fala, seus chifres estão atrapalhando a audição, hahahahahahahahaha!


Caso conseguisse ter alguma visão do combate de Diego, tentaria ao máximo dar cobertura ao mesmo. Podia não estar com a plena visão, mas acertar o chão não poderia ser tão difícil naquele momento. Caso Theodore ou a loira aguada decidissem se unir e atacar Diego ao mesmo tempo, iria tentar mirar o chão, o mais preciso possível, para não acertar meu amado e ainda sim assustar o segundo combatente.

Se no meio disso tudo as balas do pente acabassem, iria buscar cobertura da forma mais veloz possível para recarregar e voltar ao plano anterior, ao menos até que pudesse entrar em combate.  Caso nada desse certo, iria tentar pular no buraco feito por Saru até que pudesse me recuperar do golpe anterior, mas sempre atenta de forma que pudesse ter como subir e voltar para o embate.


legendas:

Objetivos:

Ficha Resumida:

Histórico:

Tag: Somewhere + Words: ... + Outfit: here

_________________

2° - De Dawn a Shells - Uma viagem para conhecimento. - Página 7 Bc5w0lykuse71

Saru
Imagem :
2° - De Dawn a Shells - Uma viagem para conhecimento. - Página 7 350x120
Créditos :
16
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t396-silver-d-saru#1193 https://www.allbluerpg.com/


O pau quebrando e cantando no conves, um monte de marinheiros voando com as porradas do Diego com a espada, e corpos caindo com os tiros da Chloe, que inclusive eu vi um dos tiros acertar o Diego.
-Uuhhh essa deve ter doido, que sentido literal de relaçao forjada por fogo e ferro .

O caos tava instalado no conves e parecia que diego não tava conseguindo fazer o que queria, por ter tomado tiro, mas na mesma hora que ele teria falado eu teria agido, feito um certo buraco no chao e travessava ele caindo no buraco, e parecia que dois deles caiam junto, eu via eles a cair na verdade eu senti eles a cair porque no ar eu tomava uns encontroes.

  …..

Eu ouvia 2 vozes, falando entre si, eu sentia um pequeno peso em cima de mim, e algo me cutucando como se eu fosse uma almofada, estaria ainda abrindo os olhos debaixo daquilo tudo, assim que sentia um cutucar como se achassem que eu fosse uma almofada, apesar de escuro eu conseguia sentir eles em cima de mim, entao não teria problema.

Esticava meu braço e segurava um deles pela gola e puxava ele contra o chao, e bem rapido aproveitando eles perto, sem mesmo largar o outro eu já pegaria o outro pelo braço e usava o outro da gola como se eu fosse bater com seu amigo, e batia um no outro.

Me levantaria, segurando os dois, e eu podia ouvir duas vozes novas no conves que ecoavam pelo buraco.
“-Parece que eu subestimei esses macacos…” este parecia ser o theodore “Fique tranquilo, sempai! Até reles animais podem causar problemas se se sentirem ameaçados…Parapapapapa!! Vamos ensinar pra esses pombinhos a distância entre nossas habilidades.” E esta não sabia quem era mas parecia conhecida dele pela forma que falava, sendo sincero as palavras que ecoavam eram meio falhas devido os barulhos de briga e tudo mais ,mas o que Theodore teria falado, me fazia segurar os malucos um pouco mais de força e nesse momento, olhava para cima vendo a abertura do buraco e já jogava os dois para cima, para que eles la em cima pudessem ver o que esses macacos podem fazer.


Naquela buraco eu so conseguia ver a pequena claridade da abertura do buraco e chuva, de resto via nada, mas eu fazia questao de ecoar a minha voz pelo buraco falando
-Uhhh, seu maldito, eu irei soletrar a merda de “macaco” para ti na porrada..

Não perdia tempo aqui estaria escuro de mais para eu procurar algo, olhando pelo buraco dava para notar que eu passei uns niveis a mais “Puts foi mal, espero que ele não note os buraco” pensaria para mim mesmo, não teria muito que fazer, iria contar com eles la em cima, enquanto eu dou um jeito ca em baixo, feito isso eu pularia pelo buraco para subir um andar, andes de eu subir eu espreitaria para ver se tinha gente, se tivesse gente eu já subia rapidamente e atacando seja la quem estivesse naquela andar, pegando arremesando eles e chutando. Se não tivesse ninguem eu subia tranquilo, e tentaria analisar bem o andar que estava para saber se deveria subir mais ou se dava para explorar o navio por dentro por ali, se possivel tentar procurar Jacob e Terra e so depois tentar arrumar um jeito de acabar com os disparos caso eles continuem.






Histórico:
Ficha Resumida:
Objetivos:


Última edição por Saru em Dom Ago 14, 2022 9:44 pm, editado 1 vez(es)

_________________

Subaé
Imagem :
2° - De Dawn a Shells - Uma viagem para conhecimento. - Página 7 Cantinho_foto
Créditos :
27
Localização :
Nos bares de então
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t354-subae?highlight=subaé https://www.allbluerpg.com/t2151-cabras-da-peste-vol-5-a-face-da-desordem
Subaé
Criador de Conteúdo



Uma viagem para conhecimento - 23

Soudtrack:

Tumulto

2° - De Dawn a Shells - Uma viagem para conhecimento. - Página 7 Animesher.com_rain-gif-rainy-gif-sky-rain-897041

PLOW PLOW PLOW

Os tiros de canhões continuavam a ecoar junto das gotas da chuva fraca que limpavam o sangue das tábuas do convés da Grilhoneira. Molhava também a dupla de irmãos que acabara de vencer um confronto contra mais de dez marujos, assim como molhava Theodore e Cammy.

Diante toda essa situação, Chloe estava deveras tonta e preocupada com seu irmão por conta dos ferimentos que lhe causou, mas Diego estava conseguindo lidar tranquilamente com aquela dor. Sabemos que a dor era imensa, e provavelmente a bala ainda está alojada em sua carne, mas talvez para não preocupar a sua amada irmã ele estava resistindo de uma maneira incrível.

As palavras da dupla de militares ecoaram pelo navio instigando a fúria dos nossos heróis que ouviam tudo com muito desdém.

Diego respondeu Cammy, dizendo-lhe que iria mostrar o que um macaco pode fazer, mas logo depois deu pra trás.

-Parapapapa… Que rapaz interessante - ela falou ao sorrir sensualmente - o que foi, ficou com medo de não dar conta de uma mulher de verdade? - Nessa ultima frase Cammy olhou para Chloe, desdenhando da jovem que estava recostada no mastro para tentar manter sua postura.

Chloe entretanto mal conseguia diferenciar a verdadeira Cammy dos borrões criados por sua mente temporariamente tonta.

Nesse instante o corpo de dois marujos saiu voando pelo buraco onde Saru estava. Os corpos foram bem pro alto e então caíram entre as duplas. Logo em seguida uma voz que vinha lá de baixo se fez audível. “Uhhh, seu maldito, eu irei soletrar a merda de “macaco” para ti na porrada..”

-O que foi isso? - Theodore se perguntou ao ver tal cena - O que é que está acontecen…!!... CUIDADO CAMMY!!

Enfurecido, o capitão de cabelos brancos avançou contra Theodore, passou pelos marujos caídos, e assim que alcançou a dupla inimiga concentrou sua força em um golpe giratório. Cammy pulou para trás de Theodore, já o homem puxou a sua tonfa/porrete e ergueu-a de maneira defensiva. E então, por fim, o golpe de Diego foi executado.

2° - De Dawn a Shells - Uma viagem para conhecimento. - Página 7 73a0bca279f6d8ebacac86b981221ca91ab34ac0_hq

O corte giratório foi perfeito, mas Theodore conseguiu defender boa parte do dano. Sua tonfa protegeu o seu tórax e seus órgãos vitais. Recebeu apenas um corte horizontal em cada um de seus braços. Os cortes eram fundos e em pouco tempo seus braços já estariam totalmente ensanguentados, mas o homem ainda conseguia movê-los. Já Cammy, que estava atrás do homem, não recebeu nenhum dano.

Em seguida, Theodore girou o seu corpo e levandou a perna direita a fim de desferir um poderoso chute no rosto de Diego, mas o Kaminari foi rápido o siuficiente para pular no chão e esquivar do golpe com um rolamento para longe.  

PLOW!

O disparo de Chloe QUASE acertou o tornozelo esquerdo do militar, mas apenas acertou o chão… e chamou a atenção daquele homem repugnante.

-Oh, você ainda está ai mulher? Hehehe Parece que eu tirei a sorte grande! - O homem falava enquanto lambia os próprios lábios - Cammy, cuide desse moleque enquanto eu me divirto um pouquinho.

-Parapapapa!! Não precisa nem pedir duas vezes.

E então Theodore foi caminhando tranquilamente na direção de Chloe. Pegou a mesma pelo pescoço e a ergueu. Sua outra palma passou pela barriga da mulher, acariciando-a corpo acima, até chegar nos seus “poneis”. Os quais ele apertou, como o devido lixo que ele é.

-Tá com tudo em cima, ein! - A expressão de deleite era perceptível - Eu te dei a chance de estar no meu lado com luxo e liberdade…Mas parece que uma macaquinha como você só gosta de ser tratada assim como um animal… então tome isso!!

A costa da mão do militar chocou-se contra o rosto de Chloe. O tapa fez um alto barulho e Chloe poderia sentir sua boca encher-se de sangue. Depois ele deu mais um tapa no outro lado do rosto.

Sabemos muito bem que Diego nunca deixaria algo assim acontecer, mas então onde é que esse homem está? Pois bem, enquanto Theodore avançava na direção de Chloe, Cammy pulou em cima de Diego e sentou em cima de seu peito (ele estava deitado no chão, finalizando sua esquiva de rolamento). As pernas da mulher estavam abertas e cada um de seus pés estava em cima de um dos ombros de Diego. Não era uma imobilização muito efetiva, mas vale salientar que o jovem capitão estava com uma ótima visão da “pata de camelo” da mulher, a apenas alguns centímetros de sua face. Era plenamente possivel sentir os cheiros de seus hormônios em êxtase. Mas não era só essa maravilhosa visão.

A mulher inclinou-se para frente e colocou as mãos no peitoral de Diego, esfregou o corpo do jovem com suas delicadas mãos e então segurou graciosamente o seu pescoço. cheirou o seu cabelo, lambeu a sua bochecha, e por fim falou bem baixinho em seu ouvido.

-Gyah… você é tão sexy… Seja meu escravo sexual ... por favorzinho…


Impermanência

Voltando alguns instantes no tempo… Vamos agora falar sobre o que aconteceu no deck inferior.
Saru estava caído no meio da escuridão. Era totalmente possível sentir os marujos que estavam sentados em suas costas. Sendo assim, no momento que ouviu a frase desdenhosa de seus inimigos acima, Saru pegou os marujos e bateu um contra o outro. Aquele dano não era o suficiente para matá-los, mas serviu para desacordá-los por tempo o suficiente para que fossem arremessados para o convés de cima.

Agora a sua mensagem estava entregue. Os macacos de Dawn não são pouca coisa!

Após analisar rapidamente o ambiente em que estava, Saru decidiu passar pelo buraco mais uma vez e retornar para o andar de cima. Afinal, lá ele poderia ajudar os seus companheiros e também seria possível começar a busca de um lugar mais iluminado.

Sendo assim, pulou em direcção ao buraco mais acima, porém, antes de alcançar o mesmo Saru pode sentir algo lhe acertar as costelas. Era algo duro e muito resistente, inclusive, o que lhe acertou tinha algumas pontas que rasgaram um pouco de sua pele e suas vestes.

O impacto foi tão forte que Saru voou de volta ao chão.

-RAWR…Você não vai sair daqui, moleque… - Por algum motivo a voz era muito fofa (tipo a do chopper) mas era notável que quem estava falando fazia muito esforço para a voz parecer mais imponente.

De dentro das sombras surgiu uma silhueta estranha. Não era possivel enxergar quem ou o que era aquilo, mas era notável que o que quer que fosse estava bem embaixo do buraco, impedindo que o jovem arqueólogo seguisse o seu caminho.

2° - De Dawn a Shells - Uma viagem para conhecimento. - Página 7 Felp

-Você não deve estar enxergando nada, mas aqui eu vejo tudo!! E eu não vou deixar você escapar!!

Se Saru quiser sair daquele quarto escuro vai precisar dar um jeito nesse novo oponente.

Mapa:

Historico:



_________________

2° - De Dawn a Shells - Uma viagem para conhecimento. - Página 7 Unknown

Tabela de preços:
Diego Kaminari
Imagem :
2° - De Dawn a Shells - Uma viagem para conhecimento. - Página 7 U512dzI
Créditos :
05
Localização :
Rio de Janeiro
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t332-diego-kaminari https://www.allbluerpg.com/t399-1-caminhos-entrelacados-o-alvorecer-da-aventura#1216
Diego Kaminari
Estagiário




Condições Mais Adequadas






As provocações da mulher para com minha irmã, mas soavam para mim como o abastecimento de pólvora que logo serviria como combustível para uma explosão que Cammy não saberia lidar. Meu corte não teve o efeito que gostaria, mas ao menos tirou sangue daquele crápula que momentos depois sentenciou-se a carregar essa nomenclatura pelo resto de sua miserável vida, mas que se dependesse de mim... Não duraria muito.


- Desgraçado! – Minha feição de ódio era clara e qualquer um que pudesse ver poderia abandonar qualquer hipótese de que aquilo ficaria passado como um assunto de pouca importância. Theodore assediou minha irmã, minha esposa… Aquele ser desprezível ousou tirar sangue e humilhar minha amada. No entanto, eu precisava de fato ir atrás dele? Não me julgue errado, eu queria muito ir e lacerar cada parte dele, mas Chloe está bem longe do tipo: “Princesa em apuros que precisa de resgate”. Theodore estava lidando com uma pirata muito capaz de revidar, uma pirata que tinha um lado sanguinário que logo iria conhecer, ela era a imediata de meu bando e eu confiava que ela saberia lidar muito bem com esse tipo de verme.


- Chloe... Você é minha imediata! Mostre a ele nossa liberdade, ensine a ele como se deve tratar uma mulher! – Gritava para ela enquanto, preso, lidava com meus próprios problemas.


Por falar nisso... Tá de sacanagem, né? A porra da mulher podia até estar mal acompanhada, mas a filha da puta até que era bonita, de início pensei que seria um desperdício... Mas digamos que ter sua... Ahmm... “Pata de Camelo” tão perto da minha face pode ter grande poder em minha troca de opinião. – Até aqui tu pensas nisso? Na moralzinha? Você está em crise de ódio pelo cara estar assediando tua mulher logo ali e você aqui pensando em fazer o mesmo com a mulher dele?


- Claro que sim! Ele não merece isso... Eu não sou um pau no cu como ele! – Disse em voz alta, então percebendo que Cammy poderia ouvir tudo. – Ah, desculpe gracinha não é com você, to falando com minha consciência. Recentemente descobri que possuo uma, mas é chata... Não recomendo. – Falei bem expressivamente, já que não poderia gesticular para ela. – Sobre sua proposta... Devo declinar da mesma, no entanto, tenho uma proposta melhor.


Rapidamente ia usar minhas pernas com auxílio de meu tronco para tentar girar a mulher e retirá-la de meus braços, entre tudo, o movimento faria com que ela ficasse de bruços para o chão com meu corpo sobre o dela. – A proposito eu posso bem mais produtivo com meus braços livres. – Diria em seu ouvido enquanto puxava seus cabelos com firmeza, não para machucar, mas para passar a mensagem de que eu dominaria a situação. Por fim me levantaria para dar espaço para a mesma se levantar.


- Cammy, minha proposta é que você implore para ser minha escrava sexual, proponho que diante deste crápula, se vire contra o mesmo e peça pela oportunidade de pelo menos me seguir em busca de uma satisfação que so eu poderei te dar. – Até que estudar discurso foi uma boa, pois aqui estaria usando tudo que aprendi sobre o assunto. – Sabe porque você fará isso Cammy? Porque eu sei como dominar nas oportunidades certas e, ao mesmo tempo que sei, como tratar e valorizar as mesmas em outros momentos. Você acredita que manda em algo? Aqui você é apenas um objeto para suprir a necessidade de atenção daquele velho brocha e inseguro logo ali... Se quiser me enfrentar, venha. Todavia, te darei apenas duas chances de aceitar minha proposta, na terceira eu infelizmente te matarei, o que será uma pena... Pois poderia estar gastando este tempo te mostrando outras coisas.


Porque eu queria isso? Eu tinha interesse romântico em Cammy? Para falar a verdade, por mais que ela fosse atraente, meu coração sempre foi e será de Chloe! – Tu falas isso agora... – Cala a boca, porra... To explicando pro pessoal aqui meus objetivos. Continuando, o que eu quero mesmo é ver que a pessoa que ele tanto acreditou estar do lado dele, acabou por preferir a mim, por implorar a me servir, logo Theodore teria toda sua vida, autoestima, tudo que ele achava ser, destruído antes que sua vida fosse ceifada. Sofria uma dor psicológica até se destruir e pôr fim a física até sucumbir e livrar o mundo de sua existência. – E você ganhar uma seguidora gostosa louca para ir para cama com você não contribui em nada pro seu plano? – Claro que não, acha mesmo que sou homem desse tipo? – Sim! - AHHHH... Chloe é tudo para mim e ninguém nem mesmo minha consciência pode contestar isso! Mesmo com meus erros e costumes que não consigo largar, qualquer uma que passe cinco minutos conosco, saberia o quando ela importa para mim, agora por favor... Isso era para ser dramático e tu está dificultando meu trabalho aqui. – Desculpa, não está mais aqui quem perguntou.


Se a mulher viesse em um movimento direto, iria usar do impulso da mesma para girar no eixo de seu corpo ao tempo que preparo minha espada para pôr a lâmina em seu pescoço, mas apenas forte o suficiente para dar um leve corte e provar que eu conseguiria matá-la, então daria um beijo no mesmo e uma apalpada em sua nádega de maneira firme e usando o máximo da sensualidade, logo após desferiria um golpe em sua nuca com o cabo da espada.


Se a mulher viesse com um salto, eu iria esperar o momento exato para fazer um rolamento de maneira que eu ficaria pelas costas de minha adversária e desferiria um golpe que não a cortasse profundamente. Entre tudo, se a mesma viesse pela lateral, independente do lado, eu iria tentar me abaixar ao tempo que girava meu corpo, e com espada, lhe tirar o equilíbrio e se desse certo, pisaria em seu corpo colocando a ponta da espada em seu pescoço, forte o suficiente para fazer um ferimento que não fosse letal, simultaneamente iria usar o pé que estava sobre a mesma para acariciar seus “Pôneis”.


Se ela viesse por trás, colocaria minha espada protegendo minhas costas e saltaria em um mortal de maneira que pudesse repetir os movimentos finais da hipótese que ele viesse de frente. Se por acaso ela usasse algo que longa distância iria desviar e tentar me aproximar da mulher para então tentar desarmá-la e nivela as coisas. Em todo caso, se algumas de minhas investidas desse certo, eu iria falar para a garota. – Essa foi a primeira tentativa... Vai se ajoelhar agora? Ser um brinquedo descartável e sem valor na mão de uma pessoa prepotente e miserável é realmente o que você quer? Pensa bem, você so tem mais uma chance.


Qualquer outra coisa que saísse de meus planos iria tentar me defender da melhor forma dando preferencia sempre pro movimento que me permitisse um melhor contra-ataque, caso não fosse possível, aí, sim, iria me afastar alguns passos e repensar em outros movimentos. Se fosse acertado iria tentar reduzir os danos evitando que o golpe pegasse em alguma parte vital ou mesmo me afastando em direção oposta ao ataque para reduzir o impacto ou corte.



Histórico:



Resumo da Ficha:




Objetivos
● Proeficiencia Escultura (x)

● Proeficiencia Marcenaria (x)

● Preficiencia Discurdo (X)

● Tornar oficialmente um pirata (  )







_________________


2° - De Dawn a Shells - Uma viagem para conhecimento. - Página 7 Z0gvBYZ
Chloe Kaminari
Imagem :
Chloe Kaminari
Créditos :
19
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t374-chloe-kaminari#1140 https://www.allbluerpg.com/t1362-2-de-dawn-a-shells-uma-viagem-para-conhecimento#14003
Chloe Kaminari
Estagiário
Um pequeno surto de insanidade
Vou fazer todos gritarem
Os pingos pesados caiam rápidos, o corpo se arrepiava com o contraste da adrenalina e do frio da chuva; chuva ta que parecia ser agora a única que iria observar afinco o embate entre nós. Com a vingadora em mãos, apertando de forma forte seu cabo, sentia pouco a pouco as forças voltando "A bala pode ter sido minha culpa. Mas essa será a única vez que irei errar e acertar um aliado dessa forma." o pensamento se fazia presente enquanto toda a cena se desenrolava em uma primeira instância.Precisava pensar rápido, levantava os olhos e via o pequeno estrago de Diego no merdinha que se dizia homem "Pena que não acertou a mesma junto." o pensamento acabava por tirar um sorriso, as imagens pouco a pouco ficavam focadas novamente e com a pequena chance, consegui ajudar meu amado com um único tiro "Maldita tontura… podia ter estourado o pé daquele filha da puta."

A imagem pouco a pouco voltava a seu foco completo. Theodore dava ordens a loira aguada que parecia prontamente acatar elas, Sentir o ar faltar os pulmões com o enforcamento, meus pés se moveram levemente, parte de mim já queria chutar o mesmo, mas precisava me adaptar e esperar um pouco mais para pensar bem no que faria, começaria a mover os lábios para protestar, sentindo o corpo se mover novamente — TIRE SUAS MÃOS DE MIM, SEU IMUNDO! — gritei sentindo um tapa antes que pudesse protestar ainda mais. Um segundo foi o suficiente para encher um pouco mais a boca com o precioso líquido vital do corpo humano.

Agora você deve estar pensando, que filha da puta, chuta logo ele! Bem, eu preciso primeiro pensar em algumas variáveis, uma delas foi a ordem expressa de Diego, aquilo foi a gasolina que eu precisava para literalmente chutar o pau da barraca naquele embate. Sorriria de forma sádica, talvez deixando um pouco de sangue sair dos lábios. Meus olhos queimavam de ódio, talvez Diego entendesse a mensagem.


"Quero ver seu corpo queimar, filha da puta." Em um impulso rápido usaria o líquido vermelho e o cuspiria com toda a força e saliva que conseguisse para tentar cegar o “revolucionário” forçando um afastamento temporário. Se a primeira parte desse certo, iria aproveitar a cegueira como um ponto de partida para ataques, o primeiro iria ser direcionado para a rótula, a fim de estourar ou até mesmo causar um sangramento ainda maior. Se não desse certo de primeira, um segundo tiro iria ser dado, com prioridade na virilha de Theodore, gostaria da cena? Sim, até porque o mundo não merece mais vermes como ele. Mas o real motivo seria aumentar muito mais os pontos de saída de sangue, isso somado a adrenalina do embate que se seguia e talvez da "fornicação" antes do embate seria um estrago grande o suficiente para que o mesmo fosse derrubado ou até mesmo entrasse em estado de coma.


Se por algum motivo a parte um ou dois do primeiro plano não desse certo, iria chutar a virilha de Theodore para forçar uma separação, se o mesmo protegesse, iria usar a mão destra para que, somado a coronha da pistola que estava em minhas mãos, conseguisse acertar a têmpora  para diminuir a percepção do mesmo ou até mesmo, caso desse sorte, fazer com que o mesmo desmaiasse. O que poderia ser impossível. Se por algum motivo um terceiro tapa ocorresse, ou até mesmo um soco , moveria a cabeça para o lado contrário do golpe a fim de diminuir a potência ou até mesmo desviar do golpe, e no momento certo tentaria atirar em qualquer parte dos membros inferiores de Theodore. Com isso tornaria a usar o sangue ou até mesmo saliva para que o mesmo se afastasse de mim.

Se houvesse espaço, olharia profundamente nos olhos de Theodore com todo o desdém reunido em meu corpo ao ponto de quase mudar a forma que falava — Você acha que uma mulher se trata dessa forma torpe que você gosta? — o tom verde se tornava escuro como as nuvens que anunciavam uma tempestade — Eu não sinto pena de você, eu sinto NOJO E DESPREZO POR VOCÊ THEODORE! — a voz se tornaria ainda mais alta — Por todos os deuses do mar e com a força dos irmãos do esquadrão que cairam, eu vou mostrar a você como se realmente se trata um ser humano, uma dama e principalmente A PORRA DE UMA PIRATA A QUAL VOCÊ NUNCA DEVERIA TER ENTRADO NO CAMINHO!


Se alguma parte do plano começasse a dar certo, iria aproveitar o curto tempo para descarregar as balas restantes e recarregar o mais rápido possível. Ok, não é inteligente fazer isso, mas é minha única arma e eu não sei lutar de outras formas ainda. Continuando, caso alguma parte desse certo e conseguisse recarregar, voltaria a disparar contra o crápula visando pontos menos letais, como mãos, ombros , me aproveitando dos cortes que ele já tinha nos braços, pernas, sempre a fim de manter a distância para ter uma vantagem maior do que ele. Mas além disso existe um outro fato importante, ou outros fatores…

Ainda poderiam haver marujos prontos para atrapalhar o embate. Se por algum motivo, eles ou Theodore conseguissem se aproximar, iria correr para longe, buscaria pontos onde pudesse correr ou até mesmo usar os mastros e outros objetos do navio como obstáculo para que eles não conseguissem se aproximar de forma alguma. Se ainda sim isso não ocorresse e um golpe aéreo viesse, ou uma famosa voadora, iria rolar por baixo do atacante dando um tiro em direção do mesmo apenas para incapacitar de forma momentânea; casos espadas fossem usadas, tentaria usar o navio a meu favor, ou até mesmo a velocidade das pernas para pular ou apenas desviar paras as laterais caso os golpes viessem na direção das pernas ou até mesmo dos braços e troncos.



legendas:

Objetivos:

Ficha Resumida:

Histórico:

Tag: Somewhere + Words: ... + Outfit: here

_________________

2° - De Dawn a Shells - Uma viagem para conhecimento. - Página 7 Bc5w0lykuse71

Saru
Imagem :
2° - De Dawn a Shells - Uma viagem para conhecimento. - Página 7 350x120
Créditos :
16
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t396-silver-d-saru#1193 https://www.allbluerpg.com/


O plano era bom pular pelo buraco para subir seria mais rapido para dar a volta e ajudar e parar os disparos, mas assim que pulo eu senti algo bater em mim forte sentia algo raspando na pele dava por mim sendo jogado de volta no chao.

-Aaaiiiiii, que porraa foi isto, alguem me bateu?, espero que não tenha sido um chute senao alguem precisa de ir a manicure, carai me arranhou.

Dizia passando a mao onde tinha sido atingido, e logo ouvia uma voz, parecia de um animalzinho, mas ao mesmo tempo parecia que tava engrossando a voz.

-Moleque?, tens quantos anos 100, para me chamares de moleque, o que raios fazes aqui no escuro, ta deprimido ou de castigo ou algo do tipo?.

Parecia uma silhueta debaixo do buraco, mas não se seria da silhueta ou da falta de luz mas parecia pequena.
-Você não deve estar enxergando nada, mas aqui eu vejo-
Ouvia essa parte da frase e eu coçava a minha cabeça -É talvez, mas se tu ve podes me dizer onde é a porta?. Dizia fazendo piada, não se ele gostaria ou não, mas uma coisa eu sei ele queria lutar, e eu teria que lidar com ele aqui, entao pensaria em algo enquanto isso falaria com ele.

-Ok..ok, deixa me adivinhar, tu queres lutar comigo aqui porque claramente tu terias a vantagem aqui porque tu vez certo, não e mau pensado, mas devo avisar sobre essa pequena confiança, se confiares muito nela podes ter uma supresa, porque tu estarias a me substimar, e ai meu pequeno gafanhoto, sera teu maior erro. Dizia dando um leve sorriso

Punha a mao na minha cabeça e eu baixaria minha bandana de dormir e colocava elas nos meus olhos, respirava fundo e depois libertava o ar e me colocaria em posiçao de defesa com os braços cruzados em frente ao coro e com as maos viradas para a frente tambem, e esperaria o movimento dele.

-Que foi? eu sei o que podes estar a pensar “Ele tapou os olhos e pensar me enfrentar usando a audiçao, isso não vai ajudar em muito” sera algo desse tipo, bom talvez sim pense usar so meus ouvidos talvez não, talvez eu te de uma pequena supresa e uma pequena liçao, vamos la começar?.

Eu saberia que estaria confiante no seu suposto conforto entao era logico que ele atacaria sem precauçao, porque para ele não teria como eu ripostar, entao eu mantinha na defesa e caso ele ataca-se assim que sentiria a pancada eu usava minha força para aguentar e rapidamente tentaria pegar ele, sempre que ele ataca eu tentaria pegar ele mesmo que ele me acertase e eu não conseguisse defender essa seria estrategia inicial, se em alguma hipotese ele me jogase de novo para o chao, eu ia rir um pouco -Boa boa, sabes lutar, o que significa que vais conseguir me aquecer para quando acabar contigo e te lançar pelo buraco igual os outros





Histórico:
Ficha Resumida:
Objetivos:

_________________

Subaé
Imagem :
2° - De Dawn a Shells - Uma viagem para conhecimento. - Página 7 Cantinho_foto
Créditos :
27
Localização :
Nos bares de então
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t354-subae?highlight=subaé https://www.allbluerpg.com/t2151-cabras-da-peste-vol-5-a-face-da-desordem
Subaé
Criador de Conteúdo


Uma viagem para conhecimento - 24

Era possível ouvir as balas de cachão afundarem no mar toda vez que erravam a pequena embarcação. Quase todos os disparos passava direto, mas às vezes também dilaceraram a lateral  ou o convés do mesmo. Se os marujos continuassem disparando naquele ritmo iriam afundar a embarcação dos Kaminaris, mesmo errando um monte de vezes seguidas.

Ensinando como se trata uma dama

Chloe estava erguida, nas mãos do homem que aproveitava cada segundo daquela intragável situação. - O que foi, docinho? Já cansou de lutar contra a natureza? - perguntou ao erguer o queixo da jovem com o seu polegar. O cuspe grosso e nojento acertou os olhos de Theodore obrigando-o a fechar os olhos e usar a mão livre para limpar seu rosto.

Sem perder tempo Chloe levou a mão à Vingadora e ao engatilhar-la, disparou duas vezes na área inferior do homem visando acertar seu joelho e sua virília.

Click Click

A porra da municão acabou!!! Aquela era uma oportunidade de ouro para finalizar o combate de uma vez por todas, mas parece que o destino não estava sendo mais tão favorável para os piratas.

-sua vagabun…- A perna de Chloe subiu rapidamente, esmagando os ovos de Theodore com um chute preciso e muito dolorido - WHOAAAAAAAAAAAAAAAA!!!!!!!!!!! MINHAS BOLAS!!!! - O homem levou a mão livre à virilha, mas antes mesmo de poder acariciar seus ovinhos rachados, levou uma forte coronhada no pé do ouvido. Theodore por fim caiu no chão e derrubou Chloe junto.

Enquanto Theodore gemia de dor, deitado no chão. Chloe se levantou lentamente, e, enquanto carregava a sua vingadora, jurou diante do milico que iria ensiná-lo de uma vez por todas como se deve tratar uma dama dos mares.

Armadilha

A situação era totalmente desfavorável para Silver D Saru. Estava em um ambiente quase que totalmente  escuro (penumbra) e a única saída fácil estava sendo protegida por um pequeno oponente misterioso de voz fofa.

-Eu sou o guardião das chaves do navio! Nem o capitão conhece esse barco como eu… Sabe porque? Por que eu consigo entrar em todos os lugares desse barco. Meus olhos são bons e eu enxergo tudo, Não tem nenhuma forma de eu perder para um invasor aqui.

Então Saru coçou a cabeça e perguntou onde era a porta.

-Ah, é isso que você quer saber é? SEU IDIOTA! Eu nunca vou te falar que a porta fica bem aí atrás de você ... - Saru viu as mãozinhas da silhueta irem imediatamente para a boca - AI MEU DEUS, EU FALEI DEMAIS!!

Sem dar importância para a porta, Saru abaixou os óculos de dormir e se preparou para o combate às escuras.

-Que maneiro… quer dizer…IDIOTA!! EU VOU TE MOSTRAR O MEU PODER!!!

Então os bracinhos da silhueta começaram a balançar como o pêndulo de um relógio. Três vezes para a direita, três vezes para a esquerda. E denovo, e denovo.

-Koneko… janpu janpu!!!

O que aconteceu a seguir foi quase indescritível. Em segundos a figura escura sumiu e Saru pôde ouvir diversos barulhos de madeira sendo arranhada ou rachada por todo o quarto.Não havia uma só direção, era como se aquele oponente estivesse em todos os lugares?

E de repente sentiu alguma coisa lhe rasgar o peitoral. eram quatro cortes paralelos (como se fossem feitos pelas garras de algum animal). A mão de Saru foi diretamente na direção do corte, mas quando fechou a mesma não agarrou nada.

O barulho se repetiu do lado direito, depois atrás…. e então sentiu mais um corte, só que dessa vez foi no antebraço esquerdo.

Os cortes eram limpos. Não empurravam Saru para nenhum lado, apenas cortavam suas roupas e sua pele.

Então o barulho se repetiu no lado direito, em cima, no lado esquerdo, na frente…. e ai Saru pôde sentir as duas patas do oponente acertarem o seu peito. as unhas do mesmo cravaram em sua carne e ambos voaram na mesma direção (Saru bateu com as costas na porta fechada). Acontece que as mãos do jovem arqueólogo foram rápidas o suficiente para agarrar o pequeno oponente peludo que começou a se debater de uma maneira quase ridícula.

-Nya!! Me solta seu idiota!!! Isso que você fez não vale!!! NYAAAAAN!!

Ensinando como se trata um homem

A face de Cammy entortou tentando entender o que Diego estava falando, ou melhor, com quem. - Uhh. Uma proposta melhor, é? Me diga então. - dizia enquanto enrolava seu dedo em uma das mechas de cabelo do rapaz.

Diego girou o corpo, invertendo a posição de ambos. Vale ressaltar que a mulher não fez resistência nenhuma, apenas deixou o seu corpo girar junto do do homem. - Se é mais útil com as mãos livres, por que nunca solta essa espada? - terminou a frase abraçando o abdômen do rapaz com as suas pernas. E quando ele se levantou, ela veio junto igual um macaquinho que fica preso na sua mãe. Presa ao jovem ela ouviu toda a proposta do mesmo, riu, desceu de seu colo e enfiou a mão em suas calças. - Vocês homens são todos iguais… Gostam de me usar… - Diego podia sentir o toque frio e delicado que acariciava suavemente seus “gongos de ouro” - Gosta de uma mulher submissa né?- a voz de Cammy era ofegante e sensual - Aposto que sua amiguinha é uma submissa… Você quer me usar igual o Theo me usou? Então me deixe te falar algo... - E ai ela apertou os ovos de Diego com tanta força que ele não teria coragem de dar um passinho para trás - ...ele não me usa, eu que uso ele! Sociedade falocêntrica do caralho! Por que é que você acha que eu sou a submissa aqui, ein? Por que ele é homem, ou por que ele é o capitão? - e aí ela apertou mais forte!!! Diego, eu não queria ser você nesse momento…- Vocês homens são uma estirpe que só pensam com o pau e não sabem o próprio lugar… Até parece que uma mulher como eu iria me submeter a alguém como vocês.- Então ela apertou uma última vez, beijou a bochecha de Diego e então, após soltar os seus bagos, chutou o seu estômago, fazendo-o cair de bunda no chão - Vou te ensinar como as mulheres de Tequila Wolf tratam os homens.

Então Cammy saltou e girou o corpo verticalmente, se preparando para um chute potente e eficaz. quando a sua perna desceu na direção de Diego, o capitão rolou para o lado e conseguiu se esquivar  do chute que rachou o convés. Usou a parte não cortante da espada para desequilibrar a mulher, que caiu no chão feito uma manga madura. Diego então encostou a ponta de sua espada em seu pescoço e acariciou o seu seio com o pé.

Em resposta a mulher girou as pernas, chutou a espada e o peitoral de Diego, criando uma brecha para que pudesse voltar a ficar de pé. Ela avançou visando chutar o capitão Kaminari mais uma vez, Mas o reflexo do rapaz foi eficaz. Ele girou o corpo e se esquivou. Finalizando o movimento com a sua espada junto ao pescoço da mulher. Beijou então o seu rosto e lhe deu um tapa na bunda.

-Desgraçado, isso não é uma brincadeira! - falou quando foi-lhe questionado sua escolha - Se quiser vencer me mate quando tiver chance… ou então depois não chore quando ver seus companheiros serem vendidos como mobília.



Mapa:


Historico:



_________________

2° - De Dawn a Shells - Uma viagem para conhecimento. - Página 7 Unknown

Tabela de preços:
Diego Kaminari
Imagem :
2° - De Dawn a Shells - Uma viagem para conhecimento. - Página 7 U512dzI
Créditos :
05
Localização :
Rio de Janeiro
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t332-diego-kaminari https://www.allbluerpg.com/t399-1-caminhos-entrelacados-o-alvorecer-da-aventura#1216
Diego Kaminari
Estagiário




Menos Que Nada






Minha proposta não foi bem aceita como eu esperava, pelo contrário, o que encontrei foi uma dor excruciante. A cada fala da mulher, mais eu queria arrancar cada fio de cabelo dela... Sério que apertar meu saco é o melhor que a “grandiosa” combatente teria a oferecer? Quer saber, porque diabos eu to me sujeitando a isso? Eu tenho a mulher mais incrível do mundo e essa femista nojenta não representa toda a classe de guerreiras que eu tanto admiro, se isso não fosse o suficiente ela ainda veio falar de Chloe?


- Meu amor... Finalize este merda aí, mas preste atenção! Você pode assistir, pode até comentar, mas não interrompa esta luta. – Disse para minha imediata que por ser envolvida e pessoalmente atacada pela minha adversária, possuía grandes chances de a mesma querer impor seus ensinamentos a loira. Como poderia ter a chance de Saru aparecer no convés superior novamente, teria que informa-lo, logo no caso de o mesmo aparecer antes que ambos os adversários estivessem finalizados eu iria falar. – Saru, estes aqui são nossos... Não se evolva, é uma ordem!


Após minhas palavras virei a atenção para a então inimiga dos homens. - Você não tem moral alguma para falar o que minha irmã e esposa é ou deixa de ser, entre tudo, seu discurso me fez algo que devo até parabeniza-la! Você me fez ficar com nojo de você, com asco, ranço... Você entende? Tipo o que sentimos por uma refeição azeda que nem mesmo damos a vira latas de rua? Um chorume intenso encontrado em lixo velho molhado e fedido? Creio que me fiz entender Cammy. Diferente do que pensa, meu “falo” não está no centro do mundo, da mesma forma que você nem nenhuma “parte” sua também não está! – Minha feição não era mais risonha ou piadista, eu estava sério e realmente sentido o que falava. – Eu nunca vi nenhuma mulher como um objeto, eu sempre as dei liberdade de serem tratadas como desejam, nunca as forcei a tomarem atitudes somente para provarem para si mesma, o valor que tem... Minha mulher não é submissa, minha mulher é feliz. Coisa que você nunca foi e nunca será, você não representa luta nenhuma, você é uma vergonha para todas as mulheres que sofreram nas mãos de babacas como Theodore, você é um regresso de qualquer conquista, pois para que se sinta bem você se torna a agressora daquilo que sua própria causa luta contra. E pessoas como você, privam a liberdade de amar, privam a liberdade das mulheres serem e agirem da maneira que as faz felizes, uma pessoa... Note que eu não disse mulher, pois isso você não é! Uma pessoa nojenta como você... Eu não quero nem para limpar o vazo que cago, pois você não vale o que tem dentro dele. – Dali eu entro em posição de combate, infelizmente eu teria que acabar com aquilo ali da maneira que eu menos queria, mas fazer o quê? Algumas causas não têm solução. – Infelizmente, Cammy, você não tem solução, tente ser alguém melhor...


A mulher poderia estar bem nervosa, mas eu não estava para trás, novamente iria me preparar para qualquer movimento dela. Se a mulher me atacasse pelos lados, eu iria tentar me esquivar com um giro em meia lua usando do peso da espada para me impulsionar e desferir um golpe na horizontal no sentido oposto ao movimento da garota. Mas se a imprudência fosse grande e ela viesse de frente, iria então mudar minha tática de esquiva, pois no momento certo fincaria minha espada no chão do convés para ter suporte e bloquear com mais facilidade o golpe dela. Ela poderia ser rápida, todavia pelo que eu pode entender ela pensa que vai finalizar seus combates sempre usando apenas um golpe. Se desse certo o bloqueio, aproveitaria o lapso que ela teria para recuperar a força e desferiria uma cabeçada em seu nariz e por fim, retirando minha arma, que usaria para atacar a mulher com um golpe forte. Não queria mais usar ataques leves, não me importava mais se ela se machucaria gravemente ou não.


Na hipótese de a mulher vir de cima, voltaria a ação de desviar, no entanto, dessa vez tentaria pegar o membro que a mesma usou de maneira que eu pudesse aproveitar de sua própria força e impulso para arremessa-la mais forte ainda de cara no chão. Se a mesma viesse por trás iria saltar com mortal backflip, finalizando o movimento com um golpe na vertical.


A femista de merda, poderia querer entrar em desespero e me arremessar coisas ou mesmo utilizar de armas de fogo. Nesse caso iria então pegar uma taboa dos destroços feitos por Saru, caso encontrasse, para juntamente a lâmina de minha espada servir de escudo. Todavia, se fosse inviável tal bloqueio iria saltar com rolamentos, para me esquivar em direção agressora, por fim saltaria e arremessaria minha espada. Esse movimento nem era para causar dano de fato, mas para confundir a mulher e cessar seu ataque e, em simultâneo, cravar a espada atrás dela, uma vez no chão, tentaria então escorregar por entre suas pernas ou pela lateral de seu corpo, somente para poder reaver minha espada e atacar a mesma pelas costas.


Se a mulher resolvesse usar algo explosivo, eu iria usar da mesma estratégia que usei anteriormente, no entanto, se a explosão abrangesse a ela mesma, eu então apenas me afastaria tentando arremessar minha espada em seu peito para que ela não se matasse.


Por fim, agora era minha vez de atacar. – Eu te dei a oportunidade de ser diferente Cammy. – Começaria correndo em sua direção. – Mas as duas chances que eu te dei acabaram e tudo que recebi de você foi decepção. – Iria tentar desviar de qualquer intervenção da mesma, no entanto, tentando não perder o impulso. – Como havia dito, tente ser alguém melhor... Na próxima vida. – Terminaria falando quando estivesse na distância adequada para então lançar minha técnica. - Katto denryū!


Eu antes me preocupava e tinha esperança de libertar a mulher de si mesma, mas agora eu não me importo mais... Se ela for cortada ao meio por meu golpe, tudo bem. Se ela apenas receber um golpe que a marcará pelo resto da vida, tudo bem também. Afinal, ela viverá o resto de sua vergonhosa vida com uma marca que a lembrará que foi um homem que ela tanto despreza, que a poupou, que a julgou como algo tão sem valor que não valia o sangue em suas mãos. Qualquer um desses finais seriam adequados para alguém como ela.


Se após isso, Cammy estivesse morta ou desacordada e Theodore ainda estivesse vivo... Eu teria planos para ele. – Chloe prenda esse merda e Saru... – Diria olhando então para meu companheiro caso o mesmo estivesse perto de mim. – Apague ele, mas não o mate... Tenho outro fim mais adequado para este babaca. – Caso o garoto não estivesse próximo, pediria o mesmo para Chloe.



Katto denryū:



Histórico:



Resumo da Ficha:




Objetivos
● Proeficiencia Escultura (x)

● Proeficiencia Marcenaria (x)

● Preficiencia Discurdo (X)

● Tornar oficialmente um pirata (  )







_________________


2° - De Dawn a Shells - Uma viagem para conhecimento. - Página 7 Z0gvBYZ
Saru
Imagem :
2° - De Dawn a Shells - Uma viagem para conhecimento. - Página 7 350x120
Créditos :
16
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t396-silver-d-saru#1193 https://www.allbluerpg.com/


Aparentemente ele se dizia ser o guardião das chaves do navio, mas para que, devia ser um saco toda hora que quizesse ir em algum lugar do barco ter que pedir chaves ou para ele abrir para alguém, me perguntava se sera que teve a invasão ele teve que abrir a porta pros caras subirem.

Apos ter perguntado pela porta o mesmo me xingava mas me contava onde era a porta ao mesmo tempo eu ficava meio supreso.
-Ohh é mesmo, vlw bom saber.

Assim que teria colocado minha bandana de dormir nos olhos, o mesmo me chamava idiota e que ia me mostrar o poder dele.
-É impossivel eu supostamente não consigo ver lembra. Dizia rebatendo ele.


Ouvia ele a falar Koneko qualquer coisa, e depois começaria a ouvir varios barulhos de madeira, virava minha cara para a esquerda depois para a direita, parecia vir de todo lado “Ele parece rapido” pensaria para mim mesmo, ate que de repente eu sentia um golpe no peito mas não era um golpe de pancada parecia mais de corte, rapidamente tentava pegar mas não pegava nada.
“Droga ia jurar que tinha sentido pego algo, mas deve ter sido so vento.” Os cortes não pareciam tao fundo pelo menos era a percepçao que teria de monento mas ardia um pouco.

Logo em seguida ouvia o barulho de novo, direita, esquerda, atras, vinha de varios sentidos e mais uma vez sentia outro corte no meu antebraço, nessa mesma hora teria tentado um golpe mas mais uma vez acertava em nada.

“Tch que cara chato”

Mantinha minha guarda levantada de novo, e me concentrava um pouco, ai logo de imediato eu sentia as duas patas me acertando no peito, sentindo suas unhas fincando na minha pele e carne, me jogando para trás ate bater com as costas na madeira atras de mim, isso tudo doía era obvio mas esse golpe e movimento foi um movimento de descuido porque no momento que eu senti o impacto eu já teria pego a perna dele bem forte para não largar.


Apos ter batido com as costas na madeira eu caia de joelhos por um momento, e sorria -Parece que nem precisei de elaborar muito a minha verdadeira ideia.
Dizia puxando ele, deixando de cabeça para baixo e sorria
-Te peguei. Eu levantava minha bandana e eu conseguia ver um pouco melhor.

-Minha verdadeira intenção nunca foi lutar contigo pelo som, mas sim habituar e adaptar os meus olhos ao escuro, sabias que tu podes ver um pouco no escuro se seus olhos se adaptarem ao escuro, tudo que precisas é tempo em ficar no escuro que de inicio é um saco, mas ao usar minha bandana eu posso habituar meus olhos mais rapido, não e bem uma visao noturna ou apurada mas é um conceito interessante de se usar, embora talvez ninguem pensa se nisso. Dizia rindo.


Fechava meu punho e dava um socao nele so pra ficar esperto.

Olhava para a tras de mim e me dirigia ao que parecia ser uma porta -Hmm deixa adivinhar, ela ta fechada e tu vai me dizer que tu não abriria ela por nada ai eu vou tentar te convencer e vamos perder muito tempo discutindo, então vou ser educado e vou bater a porta primeiro, se segura.

Ao dizer se segura já pensava que ele ia perguntar segurar porque, logo em seguida eu já pegava e batia a porta com ele, enquanto segurava a perna dele batia 3 vezes.
-Hm sera que ouviram, oii tas ouvir? Sacudia um pouco.

Olhava para a porta e dava de ombros e logo dava um pezao nela para abrir, assim que abrisse eu entraria, se visse os canhões e os atiradores logo falaria -Ok pessoal ta na hora de parar de disparar e começar a apanhar. Dizia já correndo e ainda segurando no pequeno pela perna, pulava e usava o pequeno como arma para bater no primeiro atirador, logo em seguida eu pegava nesse atirador e jogava contra os outros que visto que estavam em linha era facil jogar e acertar em todos, se algum tivesse desviado e dava uma porrada com o pequeno nele, assim que todos tivessem apagados e arrumados, eu olharia de novo para o pequeno.
-Oh ate que tu foi util, viu bateu no carinha e tudo, agora so precisanos voltar para cima. Dizia rindo.

Olhava para os carinhas e poderia notar que talvez não daria para pegar todos na mão
-Muito bem, não podemos deixar eles aqui podem acordar depois.

Pensava e pensava ate que surgia a ideia de pegar no meu casaco a cintura e atar o pequeno as minhas costas de maneira que ele não se solta-se mesmo que tentasse se necessário dava mais uma porradinha na cara se ele tivesse plenamente acordado -So fica quieto senão da proxima te chuto. Sendo assim teria as maos livres pegava dois caras pelas roupas em cada mão e arrastava eles ate debaixo do buraco se tivesse sobrado mais algum eu voltaria para pegar também, olharia do buraco de novo.

-Será que as coisas tao indo bem la em cima, bom aqui vai um, e outro e outro e mais outro.
Dizia isso enquanto atirava eles pelo buraco ate não sobrar mais nenhum. -Ufa acho que estao todos, espero que theodore ou seja quem for a outra, levem com um em cima, já que estou atirando o lixo deles fora.
Faltava so o pequeno tirava ele das costas -Agora tu, vamos falar um pouco, eu preciso de subir para ajudar eles caso precisem e eu posso te atirar pelo buraco igual uma bola facinho, ou podemos subir tranquilamente pelo caminho normal enquanto procuro duas pessoas que foram raptadas pelo Theodore, podes tentar algo e lutarmos.. podes mas se fizeres eu não garanto que saias tao bem assim, os vossos homens se foram e so resta theodore, tu e seja quem a outra for,  sao 3 para 3 e te garanto nenhuma das situaçoes voces vao sair bem, eu posso garantir tua segurança mas ai depende do quanto tu colaboras e me ajudarias, pensa nisso so deepende de ti
Apos falar com ele, eu seguraria ele pela roupa dele e pendurava ele as costas igual uma mala de viagem, e seguia andando pelos próximos cómodos do barco, procurando Jacob e Terra se tivesse como subir ate ao topo do barco eu seguia subindo enquanto olharia o resto dos cómodos.
Se o pequeno decidisse me ajudar achar Jacob e Terra eu ouviria se alguma porta tivesse trancada eu dizia para ele abrir se ele recusa-se ameaçava bater com ele de novo na porta ate abrir, se por fim eu acha-se eles eu e eles tivessem trancados de algum modo pedia para o carinha abrir com suas chaves se não tentaria pensar em algum jeito de fazer ele abrir.



Histórico:
Ficha Resumida:
Objetivos:

_________________

Chloe Kaminari
Imagem :
Chloe Kaminari
Créditos :
19
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t374-chloe-kaminari#1140 https://www.allbluerpg.com/t1362-2-de-dawn-a-shells-uma-viagem-para-conhecimento#14003
Chloe Kaminari
Estagiário
Vamos fazer uma omelete
Usar ovos podres e dar aos urubus
 Ok, ok, nem todo o plano foi 100% assertivo, mas eu estava livre daquele crápula e aquilo já era um alívio suficientemente grande para continuar a ensinar ao invés de aprender. Tentaria levantar seguindo o movimento do bater das ondas enquanto olhava o crápula agonizar no chão — Que foi, o gato comeu sua língua? Ou melhor, a gata chutou suas bolas? — em meio a espera da resposta ouviria a ordem de diego com um enorme sorriso no rosto — Não precisa dizer duas vezes meu amor. — em seguida gritava para que o outro ouvisse — Saru eu digo o mesmo do capitão, se você interromper minha luta, vai se arrepender — enquanto falava me certificaria de que a pistola estaria completamente carregado antes de voltar a andar em direção a Theodore, porém mantendo uma distância segura.

O que estourar primeiro? As mãos… os pés … joelhos… ou melhor ainda, suas bolas? — um suave sorriso veio. Ficaria atenta a tudo a meu redor a ponto de fechar momentaneamente os olhos a fim de aguçar ainda mais a audição sensível. Se por algum motivo Theodore se movesse, iria focar em pisar na mão que estivesse no chão, se por algum motivo não houvesse mão, iria pisar , usando o salto das botas, nos joelhos ou até mesmo na coxa caso as pernas estivessem esticadas. Caso contrário iria pisar nos pés do mesmo para que não se movesse dali. — Vamos começar a brincar, apenas nós dois, e eu espero que nenhum dos seus macaquinhos interrompa a gente — favaria baixo deixando claro o sadismo e a posição onde ele estava naquele momento.  

Vamos ao plano inicial, com a vingadora em mãos iria dar uma três tiros em Theodore, um em cada ombro e um na perna. Porque três apenas? Eu não queria fazer com que ele morresse muito rápido, desejava que ele sofresse tudo o que fez cada mulher, cada homem e cada criança sofrer. Se antes ou depois dos tiros, theodore se movesse, iria acertar novamente suas bolas para deixar que ele continuasse deitado no chão, entretanto se alguém interferisse com um ataque, iria desviar movendo o corpo para o lado contrário do golpe, usando sempre minha Audição como sentido primordial para aquele momento. Se um de meus aliados interferisse na luta, iria dar um primeiro tiro de aviso, apenas para manter longe.

Continuaria a chutar Theodore, um chute nas costelas, para lhe tirar o ar, um outro no rosto para que ele ficasse desnorteado e perdesse sangue como eu perdi, caso o mesmo impedisse ou defendesse o golpe iria atirar em suas partes moles ( coxas, braços, nádegas, etc) para que a dor continuasse — Você acha mesmo que eu escolheria um merda como você? — continuaria a chutar e esquivar caso fosse preciso — você SEQUER é um homem, então morra como o merda que  você é. E livre o mundo de uma existência deplorável quanto a sua — com o fim da frase, realizaria uma saraivada de tiros a fim de descarregar o pente da arma no crápula.

Se ele rolasse para um dos lados ou até mesmo para frente e trás, iria tomar cuidado apenas para não atingir Diego, mas continuaria a atirar no meu alvo. Caso viesse para cima, iria recuar rapidamente a fim de manter a distância enorme entre nos dois.







legendas:

Objetivos:

Ficha Resumida:

Histórico:

Tag: Somewhere + Words: ... + Outfit: here

_________________

2° - De Dawn a Shells - Uma viagem para conhecimento. - Página 7 Bc5w0lykuse71

Subaé
Imagem :
2° - De Dawn a Shells - Uma viagem para conhecimento. - Página 7 Cantinho_foto
Créditos :
27
Localização :
Nos bares de então
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t354-subae?highlight=subaé https://www.allbluerpg.com/t2151-cabras-da-peste-vol-5-a-face-da-desordem
Subaé
Criador de Conteúdo


Uma viagem para conhecimento - 25

Com tudo em mãos

O pequeno oponente estava preso na mão de Saru. -Nyaaaa!! Seu otário! ME SOLTA!! - Seu membro peludo tremia cada vez que ele fazia esforço para se soltar daquele agarrão indesejado. Entretanto, ao contrário do que Saru pensava, o “membro” era maleável demais para ser uma perna.

Ao levantar a bandana, Saru pôde ver a silhueta. Ainda era muito complicado visualizar o cenário, mas seus olhos se adaptaram ao escuro o suficiente para ver a pequena silhueta com mais destaque. O seu oponente estava pendurado de cabeça para baixo, com as pernas dobradas no ar e os braços balançando incansavelmente tentando acertar mais um golpe. Mas o que Saru estava segurando era um… rabo?

-Tá falando um monte de idiotices! - o pequeno respondeu a explicação da estratégia de Saru - Olha só o esforço que você precisa fazer para simular uma fração de minhas capacida…d’ough!! - O soco certeiro do rapaz interrompeu a frase. - SEU MISERÁVEL! SEJA MAIS EDUCADO!! NÃO SE INTERROMPE A FALA DAS PESSOAS DESSA FORMA!!

Em seguida Saru foi até a porta e explicou para o bichano o que é que iria acontecer.

-Espera ai… eu abro! EU ABROOOOO!!!

BRUM! BRUM! BRUM!

A face do ser peludo foi golpeada três vezes contra a porta. -Nyuu… Isso doeu…- Nesse instante os tiros de canhão cessaram, e foi possível ouvir o barulho de alguma coisa sendo arrastada do outro lado da porta.

BRUM!

Por fim, depois de perguntar se alguém o havia ouvido, Saru chutou a porta, que se abriu.
A luz do outro cômodo (que estava muito bem iluminado, por sinal) ofuscou momentaneamente a visão do rapaz.

2° - De Dawn a Shells - Uma viagem para conhecimento. - Página 7 Unknown

-Ouvi você sim, cuzão!

Pouco a pouco a visão se acostumou com a nova iluminação. Era um largo corredor onde havia um enorme canhão manuseado por um homem gordo e alto de pelos loiros. O homem sorria enquanto penteava o bigode com seus dedos, mas o que mais chamou a atenção de Saru foi o pavio do canhão que estava acesso.

PLOW!

O disparo foi certeiro. A enorme bala de ferro acertou o braço esquerdo do rapaz que foi arremessado com tudo para o aposento anterior. (só que agora o aposento estava iluminado). E então ficou caído lá nos escombros de madeira. Por sorte Saru ainda estava vivo, mas o seu braço esquerdo estava em situação crítica; queimado e quebrado, totalmente impossibilitado. Fora isso, Saru poderia sentir uma dor insuportável em seu tórax toda vez que se movesse.

2° - De Dawn a Shells - Uma viagem para conhecimento. - Página 7 Unknown

-RUFUS, SEU FILHO DA PUTA OBESSO! VOCÊ QUASE ME ACERTOU! - o pequeno oponente felino já não estava mais engrossando a voz, e agora era possível perceber que a sua voz era realmente rouca e fina…MUITO FOFA!!

-Se você fizesse bem o seu trabalho não teria corrido esse risco. Né não gatinho?

-Ai meu Deus! O que é que está acontecendo ai?? - Falou uma terceira voz. Aquela era uma voz conhecida.

A visão de saru ainda estava um pouco ofuscada por conta da dor e da fumaça do tiro, mas ainda assim conseguiu avistar que bem no fundo do corredor, atrás de Rufus e do mink, havia uma grande jaula com duas pessoas presas dentro. Suas cabeças estavam cobertas por um saco de linho, mas pelas vestes era pertinente julgar que se tratava de um homem e uma mulher.


Descuido

Satisfeita por estar livre das mãos daquele crápula asqueroso, Chloe riu ao pisar na mão de Theodore, e, após proferir o que tinha para dizer, atirou três vezes contra o homem.

Theodore, entretanto, foi veloz e estendeu sua mão direita com a palma aberta a dim de se proteger dos disparos. A velocidade do homem musculoso foi eficiente ao ponto de conseguir bloquear todos os três tiros, mas em compensação a sua mão direita agora estava em pedaços, com três dedos pendurados, um faltando, e, apenas o indicador que estava no lugar.

O sangue jorrava por todo o convés, mas Theodore ainda não estava derrotado.

Antes de Chloe desferir o próximo chute, o militar se impulsionou contra a dama e acertou-lhe uma pancada forte no rosto com sua tonfa. O sangue escorria pelo nariz de Chloe. Em seguida, Theodore socou-lhe a barriga e finalizou o combo ao chutá-la para longe.

Chloe foi arremessada contra o mastro, onde bateu as costas e a parte de trás da cabeça.


Retaliação

Enquanto Diego fazia seu discurso, Cammy se levantou e após lamber a própria mão, riu em tom de deboche. - Parapapapa! Eu nunca ouvi tanta idiotice de uma só vez! Acha que eu tenho causa? O que você pensa que eu sou? Uma babaca revolucionária? Parapapapa! Os últimos que cruzaram o meu caminho viraram escravos, Nem mesmo aquele gigante barbudo e gordo foi páreo para a força dos militares de Tequila Wolf!!

Então Cammy avançou em um salto e já foi acertando uma joelhada na lateral da longa espada do capitão Kaminari.

-Muito lento…

Uma cambalhota foi o suficiente para ela passar por debaixo das pernas de Diego e se posicionar bem atrás dele. Depois, desferiu mais quatro palmadas em sequência na caixa dos peitos do jovem, e finalizou o seu combo ao socar o seu estômago com ambas as mãos. O ataque foi potente o suficiente para afastar os dois adversários, além de ter feito Diego cair de cara e cuspir sangue.

-Perceba o seu lugar, na sarjeta. Com o mar e a chuva testemunhando sua derrota.

Assim que terminou sua sentença, Cammy avançou na direção de Diego e desferiu um forte soco que foi defendido por Diego com maestria ao cravar sua espada no convés. O breve instante que sucedeu foi a deixa para o capitão cabecear com força o rosto da mulher desavisada. Cammy deu dois passos para trás ao sentir o sangue escorrer por seu nariz. Nesse instante Diego brandiu sua espada a fim de retalhar a adversária. A lâmina rasgou diagonalmente o busto da mulher, mas Cammy foi rápida o suficiente para conseguir se afastar antes daquele corte acertar algum órgão vital.

-Filho da puta… - Reclamou ao torcer o nariz com os dedos de uma mão. A outra mão segurava o corte no peito, como se fizesse parar de sangrar. - …Essa foi por pouco…urgh!

Mas agora já era tarde. Diego estava determinado a terminar aquele combate de uma vez por todas. Desembainhou sua espada e correu na direção da mulher atordoada, desferindo um golpe na diagonal. Cammy até tentou se esquivar, mas a dor era tanta que as suas pernas não responderam a tempo.

….

-CAMMY!!! CUIDADO!!!


Theodore correu ao auxílio de sua companheira e então tudo aconteceu em instantes.


2° - De Dawn a Shells - Uma viagem para conhecimento. - Página 7 7770396c549d30d36e2ed211123634e84554121b

Diego Brandiu sua lâmina sem piedade.


2° - De Dawn a Shells - Uma viagem para conhecimento. - Página 7 2cc95c1bb955e2cb86709465afb86d0e

Cammy fechou os olhos e aceitou a morte iminente…


E então uma chuva de sangue respingou por todo lado.

2° - De Dawn a Shells - Uma viagem para conhecimento. - Página 7 Animesher.com_drifters-gif-1730345

- Katto denryū! -



Cammy foi empurrada pela mão direita de Theodore no exato momento que o corte iria ceifar sua vida. Seu corpo caiu no chão, ainda viva. Mas o braço direito do militar já não estava mais preso no corpo. A mão de Theodore rodopiou algumas vezes no ar antes de cair dura no chão.

-Senhor… - Cammy falou abalada.

-Não se preocupe, mulher! Um cortezinho como esse não vai me derrubar… Além do mais, essa mão já não prestava mais.- Todos os presentes poderiam notar que no rosto de Theodore não existia nenhuma feição de dor ou desespero, apenas um sorriso sádico e debochado. - Vou mostrar pra vocês o poder que derrotou toda uma brigada revolucionária…

-Não é possível que você vai mostrar pra eles…

E ai, meus amigos, o que aconteceu foi simplesmente inacreditável. Do cotoco decepado começaram a surgir alguns dedinhos que pouco a pouco faziam força para sair. Em poucos instantes uma mão inteira já havia saído, até que por fim o braço estava completamente recuperado.

2° - De Dawn a Shells - Uma viagem para conhecimento. - Página 7 Piccolo-regeneration

-Veja! Esse é o poder de uma Fruta do Diabo…

A pele de Theodore começou a escurecer, dando lugar a um tom esverdeado. Sob o couro, cresceram escamas grossas. Uma cauda longa surgiu e sua face se tornou igual à de um réptil com dentes pontiagudos e olhos amarelos.

2° - De Dawn a Shells - Uma viagem para conhecimento. - Página 7 Unknown

-Esse poder é o meu maior trunfo! - falou convencido - Eu comi a Geko Geko no mi e desde então sou um homem lagartixa. Não importa quantas vezes você me corte, eu irei me recuperar. LÂMINAS SÃO INÚTEIS CONTRA MIM!!

Mapa:


Historico:



_________________

2° - De Dawn a Shells - Uma viagem para conhecimento. - Página 7 Unknown

Tabela de preços:
Diego Kaminari
Imagem :
2° - De Dawn a Shells - Uma viagem para conhecimento. - Página 7 U512dzI
Créditos :
05
Localização :
Rio de Janeiro
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t332-diego-kaminari https://www.allbluerpg.com/t399-1-caminhos-entrelacados-o-alvorecer-da-aventura#1216
Diego Kaminari
Estagiário




Lagarto Nojento






A luta estava frenética para ambos os lados, minha irmã dava seu jeito diante do crápula e eu, bem, eu tinha que lidar com a cadelinha dele. Meus golpes a acertavam, no entanto, os dela acabaram por ser mostrar bem doloridos de igual forma, sentia a dor em meu estômago e por alguns pequenos momentos, não consegui manter minha respiração devido ao impacto dos mesmos, entre tudo, não demorei para voltar ao normal e continuar aquele embate. Estava tudo indo muito bem, o final era inevitável como o amanhecer após uma longa noite. Meu golpe foi desferido e refletido nas últimas lagrimas daquela mulher que tanto falou, mas que no final mostrou ter medo como qualquer um. A lâmina transpassou algo decepando o mesmo, todavia não era a cabeça de Cammy, nem qualquer parte de seu corpo, pois no último momento Theodore entrou na frente e sacrificou seu braço para salva-la... Nossa que dejavu, parece que já vi isso em algum lugar.


Por um momento eu sorri por ver aquele braço molestador saindo voando pelos ares, no entanto, logo me interrompi uma vez que a expressão do homem se mostrou serena. O que veio depois quase me fez vomitar, o braço decepado simplesmente cresceu novamente! MAS QUE PORRA É ESSA? Minha pergunta foi logo respondida quando o mesmo falou sobre ter comido algo chamado fruta do diabo, e diante de mim ele se transforma em uma lagartixa humanoide... Tá é interessante, mas meio quebra de expectativa, eu esperava pelo menos um jacaré, ele me vem com uma lagartixa?!


– Carai Lagartixinha... Realmente a fruta faz jus ao nome, porque você está feio igual a um demônio. – Disse rindo com deboche da cara do homem lagartixa. – Eu conheço a capacidade desses bichinhos, mas nunca vi nenhum deles se regenerar após ter perdido a cabeça! – Falei preparando minha espada.


Eu estava numa situação complicada, afinal ambos os inimigos estavam diante de mim naquele momento e não sabia o que Chloe iria fazer, bem... Eu suspeitava porque no fim das contas era minha irmã e sabendo como ela é, tenho certeza que isso não a intimidaria ou a faria desistir de seu alvo.


Se por acaso Theodore me atacasse de maneira direta e pela frente eu iria então me defender com um giro em meu próprio eixo desferindo um contra-ataque em seu pescoço, sim, a partir dali qualquer dano direcionado a ele por minha espada seria mirando em seu pescoço com intuito de lhe decepar. E ele viesse pelos lados iria bloquear com minha espada e tão rápido o mesmo se aproximou iria desferir um chute em suas genitálias e como sequência de movimento iria tentar cortar seu pescoço que estaria provavelmente inclinado. Mas se ele viesse pelas costas, apoiaria minhas espadas na mesma e assim que bloqueasse me viraria tentando fazer o homem perder o equilíbrio, uma vez que seu peso estaria apoiando em minha arma, para então lhe desferir um chute no saco, e mirar um novo golpe em seu pescoço. – Toque em minha esposa novamente e vou testar de outra parte sua cresce novamente após ser decepada.


No entanto, se Chloe se encarregasse e meu foco voltasse a mulher. – Você escapou uma vez, não garanto que terá uma segunda. Se a mulher me atasse frontalmente iria fazer diferente, tentaria me esquivar para alguns dos lados e desferir um contra-ataque com a chapa da espada em seu nariz, a pancada poderia desnorteá-la, assim me dando tempo para lhe cortar com toda força na diagonal. Caso viesse pelos lados, iria me abaixar para então desferir um golpe com o cabo das espadas na boca do estômago, minha ideia era deixar Cammy sem ar e enfim tentar finalizar a mesma com um golpe que tentaria certamente arrancar alguma parte. Se ela viesse por trás, iria tentar bloquear com minha espada para então girar e agarrar seu pescoço somente para afundar sua cara no chão e por fim, usando a espada, empalar minha adversaria.


No entanto, teria a possibilidades de ambos me atacarem juntos, nesse caso iria usar de saltos e bloqueios para me defender e se possível contra-atacar seja para que Chloe finalize ou para que eu mesmo possa dar um fim a eles, nessa possibilidade eu iria igualmente usar o ambiente a meu favor usando cordas e mastros para atrapalhar meus adversários. Se essa linha acontecer, iria chamar o apoio de Chloe. – Meu amor, vamos juntos!


Se a qualquer momento os golpes se tornarem a longa distância iria procurar cobertura e usaria minha espada e taboas de madeira para me defender, se minha amada ordenasse iria me abaixar ou sair de sua linha de tiro.






Histórico:



Resumo da Ficha:




Objetivos
● Proeficiencia Escultura (x)

● Proeficiencia Marcenaria (x)

● Preficiencia Discurdo (X)

● Tornar oficialmente um pirata (  )







_________________


2° - De Dawn a Shells - Uma viagem para conhecimento. - Página 7 Z0gvBYZ
Chloe Kaminari
Imagem :
Chloe Kaminari
Créditos :
19
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t374-chloe-kaminari#1140 https://www.allbluerpg.com/t1362-2-de-dawn-a-shells-uma-viagem-para-conhecimento#14003
Chloe Kaminari
Estagiário
Combustível para uma explosão
as palavras são as melhores armas
 Eu fui descuidada… senti tanto o ego inflar que esqueci das coisas mais básicas, pensar nas minhas próprias defesas.O sangue escorria novamente, a cabeça e a coluna latejavam de uma forma que não poderia mensurar em palavras naquele derradeiro momento, mas o que deixou tudo pior não foi o fato de ter apanhado novamente… não esse foi o menor dos meus problemas durante aquele embate.  

Sabia que Diego poderia calmamente vencer a megera da loira aguada e sem cérebro, mas não me planejar adequadamente foi o que acarretou em todos os danos que havia levado, quem sabe tivesse quebrado uma costela ou duas, alguns outros ossos do corpo, mas nada que não pudesse remendar depois. Tinha acertado em cheio a mão do crápula,  porém a eminente morte de sua aliada foi um estopim para que algo estranho se revelasse — MAS QUE MERDA NOJENTA É ESSA? — minha cabeça não estava ligando os fatos,  Theodore do nada havia recebido um belíssimo corte no braço,entretanto no segundo seguinte seu braço havia regenerado — Mas que coisa nojenta! VOCÊ TEM CERTEZA QUE QUER TREPAR COM ISSO CAMMY? — Deixava todo o nojo evidente enquanto falava — Mesmo odiando a ideia, até mesmo dar pro Diego e melhor do que para… isso aí

Nosso embate teria um reinício, mas aparentemente a outra dupla estava em uma pequena vantagem, pois, se ele tinha uma coisa escondida, quem  me garante que ela não tem? Acabara por lembrar das palavras que a garota havia desferido antes e apenas agora havia me dado conta — Gigante de Tequila Wolf… — O ranger dos dentes foi inevitável — O que fizeram com ele ? PRA ONDE LEVARAM O NORME!! — Estava preenchida apenas de raiva e ódio pela loira e seu acompanhante, mas meu foco era especialmente ele. — Vocês vão se arrepender de ter tocado na minha família. Duas vezes...

Se por algum momento fosse solicitada minha ajuda, iria de longe atirar para impedir que Theodore protegesse principalmente Cammy. Mesmo ele sendo veloz, usaria minha audição a meu favor a fim de tentar antecipar qualquer movimento do homem para que o mesmo não entrasse na frente de Diego. Se mesmo assim não fosse capaz de antecipar seus movimentos, iria mirar sempre em pontos vitais do miliciano para que conseguisse incapacitar o mesmo ou até matar de vez.

Caso o Theodore viesse para cima em um ataque combinado com Cammie, iria usar os obstáculos do navio (cordas, barris, mastros e até mesmo corpos de marinheiros mortos) para atrasar a aproximação, manter a distância e ter uma melhor visão de todo o ambiente a minha volta, caso conseguisse iria atirar na direção de theodore de forma displicente e se fosse preciso iria recarregar novamente a arma, mantendo sempre a distância como fator principal para não ser pega desprevenida novamente por aquelas mãos completamente nojentas.

Se mesmo em meio a minhas tentativas de defesa eu fosse cercada, tentaria dar uma saraivada de tiros para baixo, próximo aos pés de ambos os inimigos para manter a distância a meu favor, caso contrário, caso cercada completamente e tivesse pouquíssimo espaço para me mover, iria usar da velocidade para esquivar dos golpes sempre indo em direção contrária. Se o golpe viesse em direção a barriga ou cabeça, iria desviar da do passos para trás ou apenas me abaixando, se o golpe viesse de cima para baixo, iria saltar para trás o mais rápido que pudesse para sair da linha do golpe.

Se nao fosse solicitada minha ajuda, iria manter a luta um a um — O que foi Theodore? Não era o fodão antes? Agora tá se escondendo atrás de uma barra de saia? — a frase era verdadeira para a lagartixa ambulante, mas a ideia era chamar novamente ele para cima de mim, usar sua própria fraqueza anunciada contra ele mesmo. Se a distância se tornasse curta demais, tentaria acertar o joelho do mesmo seguido de um tiro a fim de diminuir sua mobilidade e dificultar um chute. Se ele fosse mais rápido e conseguisse se aproximar ou até mesmo me chutar, iria desviar do chute me abaixando, caso fosse um chute alto, e pulando, caso um chute baixo e me aproveitaria disso para atirar no meio da coxa do homem várias vezes em vários pontos, a fim de aumentar a quantidade de sangue expelido por seu corpo.

Se por algum motivo não conseguisse me manter no ataque e contra ataque, desviando dos ataques de Theodore e atirando em seu corpo, teria em mente os movimentos de defesa para manter a distância previamente pensados a fim de conseguir pensar em uma melhor forma de atacar.


Se fosse interrompida por cammie ou qualquer outro marujo,  manteria os movimentos defensivos, eles não eram meus alvos primários e nem teriam a minha atenção naquele momento oportuno.




legendas:

Objetivos:

Ficha Resumida:

Histórico:

Tag: Somewhere + Words: ... + Outfit: here

_________________

2° - De Dawn a Shells - Uma viagem para conhecimento. - Página 7 Bc5w0lykuse71

Saru
Imagem :
2° - De Dawn a Shells - Uma viagem para conhecimento. - Página 7 350x120
Créditos :
16
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t396-silver-d-saru#1193 https://www.allbluerpg.com/



O pequeno reclamava por ter batido e interrompido dele falar.
-Opa foi mal estavas a falar ainda, culpa minha. Dizia para ele.

Quase nem tinha reparado so notei apos ter batido nele e ver ele a balançar, inclusive as pernas dele.
-Pera isto é um rabo, ihh olha so uma cauda que legal bem me parecia que era muito maleavel a perna. Notava melhor e ele parecia um gato pelo menos a silhueta parecia de um felino.

Chegando na porta assim que ele se oferecia para abrir a porta eu já teria me movido para bater na porta -Ops, foi mal de novo, achei que tu não ia querer abrir. Dizia supreso e e ao mesmo tempo um poquinho mal por ter usado para bater na porta visto que ele se ofereceu para abrir, normalmente não iriam abrir.

Passava a mao na cabeça dele -Pronto, pronto tadinho, melhor agora? Depois chutava a porta.
A luz do outro comodo me ofuscava um pouco eu via uma silhueta grande, e quando minha visao se recuperou eu via um largo corredor e um gordao alto. -Carai mano como tu passou pela porta. Eu fazia a piada mas naquele momento eu notava o pavio do canhao acesso e apontado para mim.
-Ahh isso não é bom. “PLOW” naquele momento do disparao eu tentaria usar meu braço livre para bater na bola de canhao, porque senao o pequeno seria ferido mais do que so bater na porta.

É ..eu saia voando para tras ate ao comodo de onde eu teria vindo, e ficava debaixo de uns escombros de madeira enquanto estaria la debaixo eu pensaria “Ok devia ter previsto isto, mas serio disparar um canhao dentro do barco, ahh gordao maldito, como raios vou levar ele para cima agora, aff que saco”.

Me levantaria dos escombros de madeira, meu braço tava ruim e não era so isso que doia, meu torax doia um pouco ao me movimentar.
Ouvia as vozes do pequeno e do gordao eles pareciam a brigar um com o outro, mas ao mesmo tempo ouvia uma terceira voz de fundo.

“Terra?” pensaria no momento que ouvia a voz.
A meio a dor e fumaça eu falaria -Isso foi uma burrice muito grande, ainda maior do que tu. Ao mesmo tempo falaria para o pequeno.
-Eii pequeno, espero que estejas bem, como irei brincar de pega pega se tu tiver magoado, embora eu estou magoado graças a esse idiota, me diz qual o problema dele, ele é burro ou idiota?

Começaria a caminhar ate voltar a porta de novo pelo caminho usava o meu casaco da cintura para atar meu braço ao peito.
Olhava para o grandao. -Que foi, nunca viste ninguem com um braço ao peito, ohh pera deves pensar já sei “ eu sou idiota e como eu irei lidar contigo com um braço ao peito e magoado” é isso talvez seja uma pequena vantagem para ti, ou talvez não.

Eu caminhava devagar para me aproximar um pouco ao ponto de passar da porta e entrar no outro comodo -Usar o canhao dentro do barco é tao estupido, espero que não penses usar de novo ate porque alguem do teu tamanho precisar de um canhao para enfrentar uma única pessoa e que já esta magoada.

Ele teria que carregar o canhão se quisesse usar e ainda acender, ele não teria tempo para isso e sendo sincero não seria possível fazer a mesma burrice duas vezes.
-Eii pequeno, liberta os meus amigos ai enquanto eu dou um trato no gordao, e antes que penses ajudar o gordao, ele ta nem ai para ti, so lembra ai que se não tivesse me atingido no braço, quem iria tomar bala eras tu, entao não creio que seja o lado correto de lutares, entao fica quieto ai prefiro discutir contigo depois.

Andava um pouco para mais pro meio do corredor se possivel pelo menos ate ficar mais perto do grandao para o encarar.
-Ok grandao se me consideras um alvo fácil por estar magoado, deixa me te dizer um animal ferido é ainda mais perigoso do que quando não esta ferido. Dava um sorriso e um olhar afiado.

Se ele tivesse um pouco perto de mim para me encarar também, eu ficava a olhar para cima porque ele poderia ser mais alto que eu, se ele tenta-se me atacar primeiro assim de frente, independente do braço que ele fosse usar para me atacar, com um soco talvez, eu desviava dando uns passos para trás e rodava para o lado cego do braço que ele me fosse atacar, eu precisava de trazer ele um pouco mais a baixo entao logo em seguida eu dava um chute na perna dele de lado para acertar entre o lado e atras, na verdade seria mais especificamente no joelho para trazer ele a baixo e a intençao  se pudesse tambem seria meio que quebrar ou danificar a perna dele deixar ela magoada para ele nao ficar tao livre em se movimentar ,mas mesmo se não conseguisse quebrar ele iria pelo menos se desequilibrar e iria cair de joelho, ainda por mais alguém do tamanho dele.
Mas caso ele nao caise e tentase algo, eu me desviaria me movimentando para tras mantendo uma distancia segura e me movimentando sempre para tras dele, porque ia ser dificil para ele me pegar tao rapido e se tivesse oportunidade chutaria no mesmo lugar, ate porque possivelmente em teoria eu seria mais rapido mesmo magoado.

Se a perna quebra-se minha reação seria. -Um braço por uma perna que tal?.

Agora se ele caisse de facto eu tiraria proveito de ele estar mais em baixo eu ja seguia tentar dar um chute na parte de trás da cabeça e empurrava a cabeça dele para a frente para ele cair completo, mas se ele tenta se me atacar apos tropeça eu rapidamente me afastaria dele para trás para evitar que ele pudesse me atacar, e me manteria atras dele pelo menos porque assim evitaria de ele me alcançar, e mesmo que ele tentasse se levantar daria me tempo de fazer algo que no caso seria pegar no cabelo dele para tras com força que já daria um impacto supressa impedindo dele se levantar e no mesmo instante dava um chute dele nas costas, para o jogar para a frente possivelmente para o comodo escuro rebolando.

Caso o pequeno tentasse me atacar antes de eu fazer algo mais contra o gordo, eu me moveria para me desviar e como agora já vejo direito se pudesse tentava pegar ele enquanto me desviava se eu conseguise pegar ele e falaria -Te peguei de novo, agora fica quieto no canto e liberta os meus amigos ou se não da próxima te jogo na agua para tomares um banho, não quero ter que lidar contigo agora. Dizia jogando ele para junto da jaula e me focaria no grandão, se não conseguisse pegar o pequeno eu falaria a mesma coisa para ele mas seu o “te peguei”, já bastaria as dores e ser um grandão, quanto mais ter que lidar com o pequeno.




Histórico:
Ficha Resumida:
Objetivos:

_________________

Subaé
Imagem :
2° - De Dawn a Shells - Uma viagem para conhecimento. - Página 7 Cantinho_foto
Créditos :
27
Localização :
Nos bares de então
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t354-subae?highlight=subaé https://www.allbluerpg.com/t2151-cabras-da-peste-vol-5-a-face-da-desordem
Subaé
Criador de Conteúdo


Uma viagem para conhecimento - 26


Pingue-Pongue

Caído debaixo dos escombros de madeira, Saru se questionava sobre a insensatez do marujo que disparou contra o próprio navio. Sim, aquela era uma atitude imprudente, mas pior seria se Rufus deixasse o jovem libertar os prisioneiros.

-O que? esse imbecil ainda está vivo? - Rufus falou ao ouvir a voz de Saru.

-É… Parece que você não tem mesmo uma mira boa - respondeu o mink.

Ambos conversavam entre si e pareciam ignorar o que Saru dizia.

Sem perder tempo, Saru usou o casaco para improvisar uma tipoia e lentamente caminhou em direção ao cômodo onde seus oponentes estavam.

-Filho da égua…-Rufus falou - …vamos ver se você sobrevive à um segundo tiro….- Enquanto falava, o homem gordo pegou uma segunda bala de canhão e ergueu a boca do mesmo para carregar mais um disparo - Não tenho interesse nenhum em lutar com você, tudo o que eu quero é te matar, seu merdinha!

Enquanto isso, o mink ouvia o pedido de Saru sem entender muito bem o que estava acontecendo.

-Libertar os seus amigos? - pensou em voz alta - Por que é que eu faria algo assim? Apenas desista de lutar e continue vivo, seu idiota!! não tem como alguém magrinho como você vencer o Rufus, muito menos o capitão Theodore!! - O gato olhava para Saru incrédulo. Não conseguia entender por que uma pessoa se colocava em um risco tão grande por conta de outras pessoas.

Rufus riu ao ouvir a fala do gato.

- Você ouviu o bichano, desista e se entregue de uma vez.

Por fim, Saru encarou Rufus e advertiu-o do perigo em lhe subestimar.

-Um animal ferido é um animal morto… só isso!

Rufus ainda estava com a bala de canhão em mãos, sendo assim preparou-se para golpeá-la na cabeça de Saru com força; Ergueu a mão esquerda e desferiu um forte golpe contra o mesmo. De cima para baixo, a fim de amassar o jovem. Com um salto para trás, Saru se desvencilhou do ataque, e, após girar seu corpo para a lateral do corpo do homem gordo, chutou o seu joelho. O joelho de Rufus entortou ,e, consequentemente o homem caiu de joelhos.
Quando Saru chutou a sua nuca, Rufus rolou e bateu na parede, mas ao invés de se chocar com força contra a mesma, ele quicou por causa da sua gordura e quando voltou rolando, passou por cima de Saru, o que causou muita dor.

Em seguida ele se levantou rindo - tudo o que vai volta… - então ele olhou para o gato - E você ai, seu animal, não fique parado! Vai pro convés ver se o capitão e a Cammy precisam de você - seus dedos estralaram ao aperdar as mãos - eu cuido desse idiota magricela.

O gato não respondeu nada, apenas olhou uma ultima vez para Saru, olhou para os prisioneiros, e por fim foi correndo para a Sala escura e pulou pelo buraco.


2 vs 2

-Feio é você!! - Theodore respondeu irritado ao comentário de Diego - Olhe como minhas escamas brilham diante a luz das velas - Não era mentira, seu couro reptiliano era realmente bonito.

Já Cammy apenas torceu a cara diante do comentário de Chloe.

No mesmo instante, ambos avançaram na direção de Diego. Enquanto Theodore brandia seu cacetete, Cammy desferiu inúmeros chutes rasteiros com a intenção de derrubar o espadachim. Diego se esquivou saltando para trás enquanto Chloe atirava na direção dos oponentes a fim de atrapalhar suas investidas.

Nenhum golpe ou tiro foi acertado naquele momento, apenas aconteceu uma trocação franca de golpes. muito bonita por sinal.

- Não fique em meu caminho, Cammy - Theodore falou - derrube aquela vadia enquanto eu cuido desse moleque.

-Sim senhor!

Chloe até tentou atirar em Theodore mas Cammy chutou o pulso de Chloe e desviou o tiro para cima. Depois respondeu sorridente.

-Norme… realmente! Era esse o nome dele!! Parapapapa!!! Foi tão engraçado ver ele chorando enquanto implorava pela vida daqueles revolucionários idiotas!! Parapapapapa!! você devia ter visto. - E ai ela começou a encenar a situação - “por favor, deixem eles em paz!! não machuque minha garotinha!!” - Cammy abriu a sua pochete e pegou alguns comprimidos coloridos. colocou todos na boca de uma só vez, e, assim que engoliu os seus músculos pulsaram, aumentando de tamanho - agora ele é um escravo e você vai ter o mesmo destino!!

Enquanto isso, Diego e Theodore envolviam-se em mais uma trocação franca de golpes. O militar avançou com sua tonfa e quase iria derrubar Diego com um porradão na cabeça se não fosse o reflexo rápido do capitão que se defendeu ao girar sua lâmina ofensivamente. A espada avançou na direção do pescoço da lagartixa, mas o mesmo usou a caula para dar um último impulso para cima e por isso conseguiu se esquivar…. bem, a sua perna esquerda foi cortada quando pulou, mas isso não lhe incomodou. Theodore girou no ar em uma cambalhota enquanto o seu pé crescia, e, por fim, chicoteou a sua cauda nas costas de Diego, e ao final do movimento Theodore já estava com os dois pés novamente.

Os militares trocaram de oponentes. Agora Cammy estava contra Chloe e Theodore contra Diego. E foi nesse cenário que a chuva começou a ficar mais fraca. Se olhassem para cima, poderiam ver que as nuvens cinzas e densas estavam começando a se desmanchar, dando espaço para que a lua e as estrelas pudessem brilhar mais uma vez.


Ponto sem nó

Enquanto todos lutavam, uma pequena figura saiu de dentro do buraco e foi correndo para trás de uma caixa, onde ficou escondido assistindo o combate. Aquele era o gatinho guardião das chaves que estava lutando com saru a alguns posts atrás.

-Esses aí são os amigos do idiota lá em baixo? - falou sozinho - Por que é que eles insistem tanto em lutar por outras pessoas?

Ele observou todos os quatro combatentes, mas não tomou nenhuma atitude.


Mapa:


Historico:




_________________

2° - De Dawn a Shells - Uma viagem para conhecimento. - Página 7 Unknown

Tabela de preços: