Tópicos Recentes
Destaques
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Últimos assuntos
 :: Oceanos :: Blues :: North Blue :: Stevelty
Página 5 de 6 Página 5 de 6 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6  Seguinte
Kenshin
Ver perfil do usuário
Imagem : Here Comes The Sun - Página 5 XqxMi0y
Créditos : 15
KenshinDesenvolvedor
https://www.allbluerpg.com/t360-agatha-harkness https://www.allbluerpg.com/t386-prologo-frenesi-da-raposa#1165
Here Comes The Sun Sex Maio 14, 2021 3:55 am
Relembrando a primeira mensagem :

Here Comes The Sun

Aqui ocorrerá a aventura dos(as) Civis Leonheart Valentine, Kimberly Deshayes, Matteo Martini e Myriam Leuchten. A qual não possui narrador definido.

_________________

Here Comes The Sun - Página 5 J09J2lK

gmasterX
Ver perfil do usuário
Imagem : Here Comes The Sun - Página 5 XNhSHch
Créditos : 04
gmasterXEstagiário
https://www.allbluerpg.com/t429-agnis-cyrielle#1403 https://www.allbluerpg.com/
Re: Here Comes The Sun Ter Ago 03, 2021 9:43 pm

Narração - The forest has many secrets to unveil


A situação estava complicada para Myriam e Kimberly. A dupla havia acabado de assistir um assassinato a sangue frio, e os perpetradores estavam bem ali, encarando com uma curiosidade incomum o esconderijo da dupla. Enquanto um dos homens fera se aproximava do local, o outro observou de longe, com toda cautela. - Cê tá vendo alguma coisa ai? - Questionou a fera mais atrás. - Cala a boca e não tira minha concentração. - Retrucou seu amigo. Eles esperavam encontrar alguém, porém, o que ambos não sabiam é que eles já haviam sido encurralados, mas… Algo estava estranho. Por mais que não soubessem se havia mesmo alguém ali, o cheiro que era forte, se divergia de repente, um barulho surgia entre as moitas, e num piscar de olhos, Kimberly lançou seu chicote de dentro do mato, em busca da perna de uma das criaturas. Instintivamente, o homem fera mais ao centro saltou para a copa das árvores, enquanto aquele que havia se aproximado para investigar, saltou para dentro de um arbusto próximo, e o silêncio se instaurou. Parecia que na primeira oportunidade que tiveram, a dupla escapou tão rápido quanto haviam surgido, mas poucos minutos depois, o silêncio e a paz se foram, e um amontoado de sons infernais surgiram de todos os lados. Tanto em cima quanto embaixo, as folhas se agitavam e passos podiam ser ouvidos. Era uma estratégia suja, mas era bem a cara dos dois. Ambos pareciam brincar com a dupla, antes de dar o golpe definitivo, até que os sons que vinham das árvores pararam. - Merda, brother! Ele voltou! - A voz era nítida, um dos minks quebrou seu ato para advertir seu companheiro de uma possível ameaça.

Sem muitas delongas, sons puderam ser ouvidos novamente, mas dessa vez, toda a agitação se afastava cada vez mais. Com a fuga da dupla, finalmente surgia aquele que eles tanto temiam. De dentro do mato, surgiu um homem de meia idade; madeixas loiras com um rabo de cavalo bem discreto; vestindo um terno preto, manchado de cabo a rabo com a clorofila; uma gravata vermelha com prendedor e um pingente de cachorrinho; uma maleta executiva cinza, com listras diagonais brancas; e óculos escuros. (Basicamente, esse cara AQUI.) O homem ficou lá, de pé em meio a floresta, de forma despreocupada. Ele encarou cada uma das garotas, como quem claramente enxergasse suas posições, mas não pode ser, né? Elas estavam tão bem escondidas, talvez fosse sorte. - Não aconselho que comprem essa briga. Se não estiverem participando dessa bagunça, por favor, saiam de seus esconderijos. - Ele requisitava, com um olhar sério. Sua presença era estranha para as duas, algo levemente amedrontador, que caso fossem outras pessoas, com certeza acabariam tremendo de medo apenas com aquela visão.

Enquanto aguardava a dupla, o homem puxou a manga de seu terno e encarou, um pouco impaciente, um trambolho pendurado em seu pulso que parecia pesar bastante.

Enquanto isso, não muito longe dali, o recém formado casal tinha seu amoroso encontro interrompido por nada mais nada menos que o animal mais conhecido da classe aracnídeo. Diferente do que muitos podem acreditar, aranhas gigantescas são inofensivas, e aquela lá não era muito diferente. Aparentemente tão assustada quanto Leon, a gigantesca aranha sumiu, deixando apenas  os dois jovens, seu belo alazão e… Uma voz? Uma voz feminina mais especificamente. Uma voz feminina que por algum motivo, Leon acreditava que pertencia a um inseto super inteligente. - Vocês precisam sair daqui! Ago - A voz avisava e logo era interrompida. Depois disso, apenas o som de gritos abafados e de um breve conflito puderam ser ouvidos vindo dali. O cenário ficou confuso, mas sem muito suspense, uma figura encapuzada saía do mato e caminhava à direita do grupo, se juntando a outras três figuras de mesmo perfil, consideravelmente distantes. Pareciam estar observando o casal a um bom tempo, talvez tivessem surgido no meio da confusão de Leon, nada era muito claro, mas estava óbvio que não queriam feri-los . Todas as quatro figuras estavam cobertas da cabeça aos pés, com nenhuma clara distinção entre eles, exceto pela figura mais ao meio, que portava uma distinta protuberância que cobria seu braço direito e suas costas.- Rendam-se, imediatamente. - Disse o mesmo, com uma voz alta, clara e máscula. - Acabaram de chegar. Não nos oferecem perigo algum. - Respondeu que a havia acabado de se juntar ao grupo, dessa vez uma voz feminina, como a que haviam ouvido mais cedo, mas ríspida e quase inaudível. - Tudo bem, se espalhem. - Disse o homem e logo em seguida, cada uma das quatro figuras seguiu em uma direção diferente, sumindo floresta adentro, com exceção da figura mais predominante, que se movia mais lentamente e tinha passos que ecoavam, mesmo que distantes.

Após poucos minutos, não se podia ouvir nada além da sinfonia da natureza. A floresta os envolvia com uma paz, uma paz que, como alegria de pobre, durou pouco. As folhas das árvores e dos arbustos ao seu redor se agitavam de forma que estava claro que não era o vento. Se a dupla tentasse observar o que era, poderiam ver duas silhuetas se movendo rapidamente ao redor de ambos. Seja lá o que fosse, não parecia muito amigável. Talvez aquilo se tratava de uma festa de boas vindas bizarra, mas de qualquer forma, é melhor que os três se preparem para o que está por vir.
ControlePosts: 08

Kim
Ferimentos:
Ganhos:
Perdas:


Matteo
Ferimentos:
Ganhos:
- Pistola Gasta
- Trufas de Chocolate (0/6 usos)
Perdas:
- 125.000 Berries (Pistola Gasta)
- 100.000 Berries (Trufas)


Leonheart
Ferimentos:
Ganhos:
Perdas:


Myriam
*Doença: 8/10
Ferimentos:
Ganhos:
- Remédios (0/5 Usos)
Perdas:
- 300.000 Berries (Remédios)

Considerações
Roubei o historicozinho da mila pra agilizar a parada. Post meio fraco pra empurrar meu plot na goela de oces. Duvidas, reclamações e etc, só chegar no discordo.

_________________

Falas de Agnis um
Falas de Agnis dois
Pensamento de Agnis um
Pensamento de Agnis dois
Here Comes The Sun - Página 5 BvMx90e
Ceji
Ver perfil do usuário
Imagem : Here Comes The Sun - Página 5 Hwlv4xh
Créditos : 00
Re: Here Comes The Sun Qua Ago 04, 2021 5:56 pm
Caçada Humana - Parte III

"Eles são quase como pessoas peludas, fora alguns sentidos mais apurados não são nada demais" Era o que eu pensava quanto a dupla da vez, os dois minks que haviam chegado de repente para matar nossa pista. Eu não realmente me não importava deles terem assassinado a dupla de antes, eu sequer conhecia eles, mas era desconcertante termos perdido as iscas que poderiam ter nos dado mais informações. Bom, se fosse só isso não seria tão ruim, até; eu e Myr não tínhamos certeza se aquela dupla tinha relação com as piratas que estávamos buscando, mas o fato de os dois minks terem sentido nosso cheiro era a gota d'água para mim "Matam nossa pista e agora querem arranjar confusão? Ah, não se preocupem, eu vou ter prazer em revidar dessa vez" Pensava, por mais que lutar na floresta não me parecesse o melhor prospecto, uma vez que querendo ou não aquele lugar era sujo e desagradável, infelizmente o local ideal para acabar me sujando. Ao menos era um problema que poderia ser mitigado deixando a movimentação e defesa com Myr, então eu podia viver com isso.

Quando pensava na terrível possibilidade de me sujar naquela maldita floresta, eu pensava em um pouco de terra, talvez algumas sementes grudadas no vestido, mas foi só com o salto reativo dos minks que eu comecei a pensar em uma terceira possibilidade: sangue. Eu tinha plenas confianças de que conseguia vencer deles com o apoio de Myr, mas aquela velocidade da dupla me fez ao menos questionar o quão rápido conseguia terminar aquilo, e se conseguiria evitar todas as retaliações. Meu coração dizia que sim, mas meu cérebro não parecia tão emocionado, e acabar manchando minha roupa de sangue, especialmente do meu, parecia mais terrível do que acabar sendo forçada a rolar pelo chão imundo da floresta "Maldita hora que pedi para Myr se separar!" Pensava, desejando que estivéssemos juntas para não acabar virando alvo de ambos, mas para nossa sorte ou azar, isso sequer foi necessário - O que?? - eu deixava escapar um sussurro baixinho de dúvida, conforme a dupla fugia, aparentemente afungentados por algo que lhes dava mais medo do que nos duas.

Algo que afungentava até aqueles dois não podia ser bom pra nós, ou ao menos era o que eu pensava, ao menos até ver o tal homem finalmente chegando ali. Sua aparência não era nada excepcional, diferente dos dois homens-animal de antes, mas sua seriedade e frieza eram quase palpáveis, o que deixavam claro para mim que se pudesse não o ter como inimigo, provavelmente seria o mais sensato a se fazer. Acima de tudo, é claro, ele estava sozinho. Todos os que vimos supostamente participando do jogo de caça humana diziam ser um jogo de duplas, com dezesseis participantes, mas se ele estava sozinho, ou tinha algum aliado nós rondado esperando para emboscar, ou também não era parte daquele pandemônio "Considerando a reação da dupla de antes, se ele já tem ideia de que estamos aqui, melhor não brincar com a sorte" Pensava ao erguer-me para fora da moita, me limpando de qualquer mínima sujeira com um olhar confiante no rosto, secretamente feliz por não precisar mais me esgueirar por entre aquelas folhas sujas - Então deixe-me adivinhar. Sozinho, dando sinais de aviso e pondo medo nos participantes dessa coisa; não vai me dizer que é algum tipo de justiceiro inescrupuloso que quer dar um fim de qualquer forma ao que quer que esteja acontecendo nessa floresta, não é? - Questionava, com leve tom de piada.

Embora não estivesse totalmente seria, seria mentira dizer que não estava esperando ansiosamente a resposta do homem a minha frente. Eu havia me pronunciado, especialmente daquela forma, para demonstrar que não era uma inimiga se ele também não quisesse que eu fosse, mas também esperava que a pergunta estimulasse ele a falar quem era, sem que eu precisasse demonstrar meu interesse ou... Minha falta de informação. Se, ainda assim, ele insistisse em perguntar quem eu era, se estava participando daquele "jogo" ou o que estava ali, responderia apenas o necessário - Não se preocupe, minha caça nessa floresta é totalmente legalizada e preferencialmente não envolve morte de ninguém - E, se ele não houvesse ainda falado muito sobre si, completaria - E você, pode dizer o mesmo? - Questionaria, tentando não adentrar demais na zona de confronto dele, mas claramente exigindo algum tipo de resposta. Ainda assim, eu sabia que era real o perigo de ele ou um aliado dele atacar, e por isso me manteria sempre atenta a tudo ao meu redor, preparada para, caso um ataque viesse em minha direção, rapidamente sacar meu chicote e interceptar a pessoa ou arma com minha própria arma.
Histórico:
Nome da Personagem: Kimberly Deshayes
Nº de Posts: 9

Qualidades: Ambidestria | Atraente | Destemida | Impassível | Voz Melodiosa | Liderança

Defeitos: Vaidosa | Traumatizada

Ganhos:

Perdas:

NPCs:

Extras:

Objetivos:

-Encontrar os outros 3 players
-Virar Caçadora de Recompensas
-Aprender a Proficiência Cartografia
-Conseguir um barco pra sair se Stevelty
Hoyu
Ver perfil do usuário
Imagem : Here Comes The Sun - Página 5 GX67lHH
Créditos : 12
HoyuEstagiário
https://www.allbluerpg.com/t378-leonheart-valentine https://www.allbluerpg.com/t419-here-comes-the-sun
Re: Here Comes The Sun Sex Ago 06, 2021 4:56 pm
Leonheart Valentine


Mesmo sentado sobre as costas de Anais, minhas pernas tremiam descontroladamente após o assustador encontro com a aranha, que parecia querer me matar do coração fingindo ser algum inseto asqueroso. Estava começando a me acalmar novamente quando uma voz surgiu do mato, o que fez meu sensor de perigo apitar novamente, temendo que finalmente tivesse encontrado meu pior pesadelo: um inseto gigante e falante. Estava pronto para sair correndo caso algo assim aparecesse, mas a voz que parecia nos avisar para sair da floresta foi calada de repente, como se tivesse sido atacada por algo que não podíamos ver, identificando apenas alguns gritos e sons de lutas antes de algumas figuras encapuzadas surgirem na nossa frente, enquanto uma outra surgiu bem ao nosso lado e se juntou aos que nos olhavam mais a distância. - Que horror, vocês não têm um mínimo senso de estética? Todos vestidos iguais, estão precisando urgentemente de uma repaginada no guarda-roupa. - Mas eles não pareciam muito preocupados conosco após a mulher que aparentemente estava nos seguindo avisar algo sobre termos chegado a pouco tempo.

Não sabia se eles estavam procurando algo ou alguém, mas o fato é que tão rápido quanto surgiram, também desapareceram, sem o menor interesse na nossa presença. - Que absurdo, uma dama linda dessas na frente deles e nenhum demonstrou interesse. Nem mesmo um assobio. - Se Anais parecesse ofendida com minha indignação, rapidamente me corrigiria. - Tem razão, duas damas. - Ficava um pouco indignado com a reação dos encapuzados, como se eu não fosse interessante, mas logo me viraria para Matt. - Você viu aquele cara com a protuberância estranha? Aposto que é por isso que ele é amargurado. - Sem mais nada para chamar nossa atenção e já mais calmo do meu surto de medo após ver pessoas normais em vez de um inseto de dois metros, estava pronto para prosseguir, até que a floresta ao nosso redor começou a se agitar, com vultos nos circulado, como se o movimento deles ao nosso redor estivesse movendo as folhas e galhos, o que não parecia um bom sinal. - Nana, sebo nas canelas. Matt, agarra na minha cintura e não larga. - Segurando a guia de Anais com força, começaria a guiá-la com agilidade pelas árvores da floresta. Nós precisávamos atravessar logo aquele lugar, no qual já tínhamos tido indícios o suficiente de que não era lá muito seguro, e não queria ficar para ver o que eram aquelas coisas que queriam nos fazer de presa. No melhor dos casos eram pessoas doidas iguais os encapuzados ou um animal qualquer da floresta, no pior os insetos assustadores haviam finalmente dado as caras.

Guiando Anais, usaria de todo meu conhecimento de equitação para atravessar agilmente pelas árvores, guiando-a agilmente enquanto passaríamos em ziguezague pelas árvores para deixar nossos perseguidores para trás e finalmente chegar em algum lugar, mas sem nunca perder a trilha de vista. Tomaria cuidado também para não arriscar demais o bem estar de Anais, preferindo seguir por áreas não muito fechadas para que ela conseguisse passar sem o risco de cair e ferir a perna. Se mesmo assim os nossos perseguidores continuassem atrás de nós, gritaria alto para Matt. - Cuida desses aí! - Alguém que consegue atacar a distância seria bem mais útil pra isso do que eu, que precisaria parar de fugir para usar minha lança. Entretanto, caso conseguissem nos alcançar e tampar nossas rotas de fuga ou se nem ao mesmo conseguíssemos sair de onde estávamos, me veria obrigado a descer de Anais e pegar minha lança.

- Bom, pelo menos vou usar vocês de aquecimento. Tanto tempo que não faço ginástica, não devo estar mais tão flexível. - Tendo tempo, começaria a me alongar, esticando os braços e pernas e vários exercícios de alongamento, mas pararia assim que fosse atacado, girando a lança com minhas mãos para bater contra o golpe e o desviar. - Que safadinhos, querem pular as preliminares? - Entretanto, se o golpe fosse a longa distância, como uma bala ou flecha, e eu percebesse que não conseguiria o bloquear, não sairia da frente, temendo que Anais fosse acertada, então tentaria fazer ele me acertar, mas de forma à não ser um ferimento muito complicado. - Se esconde, Nana. - Se não atacasse, apenas ficassem observando, terminaria meus alongamentos. - Beleza, queridinhos, podem vir. - Tendo conseguido terminar ou não meus alongamentos, apontaria minha lança para frente, segurando com a mão esquerda mais perto da lâmina, enquanto a direita seguraria mais perto do cabo, deixando a lança em uma posição diagonal apontada para baixo. Se viessem na minha direção, moveria a mão direita para realizar rápidas estocadas para frente.

Seguiria fazendo as estocadas enquanto não contra-atacassem, mas assim que percebesse que seria alvejado, recuaria a lança, segurando-a com as duas mãos de forma a colocar o cabo dela na frente do golpe, bloqueando-o, para em seguida deslizar a lança, aproveitando o espaço livre para projetar a ponta na direção do alvo e acertá-lo com a lâmina antes de recuar novamente. Entretanto, se os ataques fossem a distância, tentaria apenas saltar para fora do caminho caso Anais já tivesse se afastado. Se me visse na desvantagem, como se viessem dois em mim ou se meu adversário atacasse sem cessar, tentaria apenas ficar defendendo com a lança, girando-a para bater nos golpes e jogá-los para longe, até que Matt me ajudasse. Se conseguíssemos atacar com nossos perseguidores, assobiaria para chamar Anais e subiria nela novamente, dando dois tapinha para que ela nos levasse para fora dali.

Estocadas (cara de chapéu marrom no início):


Bloqueio e contra ataque:
 




Histórico:
Nome: Leonheart Valentine
Posts: 09
Dinheiro: ฿S 25.000  

Qualidades: Atraente | Carismático | Exibido | Mestre em Haki
Defeitos: Extravagante | Devasso | Impulsivo | Fobia (Insetos) | Obcecado (moda)

Ganhos:
- N/A

Perdas:
- N/A

Objetivos:
• Virar Caçador de Recompensas
• Me juntar aos meus três amiguinhos
• Aprender a proficiência Sedução
• Ganhar bastante dinheiro


Ravenborn
Ver perfil do usuário
Imagem : Here Comes The Sun - Página 5 GeK6WP3
Créditos : 05
Localização : Stevelty
Re: Here Comes The Sun Qua Ago 11, 2021 2:14 pm

Here Comes the Sun



Depois do perigoso encontro com uma aranha que desceu das árvores, a atenção do nosso grupo se voltou para uma voz que vinha de mais adentro da floresta. Como era uma voz feminina e a pirata que estávamos caçando era uma mulher, eu não demorei pra pegar minha pistola, preparado pra atirar se precisasse...mas depois de uma espécie de aviso, a voz simplesmente sumiu em meio a gritos abafados, como se tivesse sido atacada por alguma coisa. - Ok...isso não pareceu coisa boa. - eu engoli em seco, nervoso por não saber ao certo o que diabos estava acontecendo. Momentos depois, uma figura encapuzada saiu de dentro da folhagem, indo se juntar a um grupo de outras três pessoas vestidas do mesmo jeito, que só agora eu tinha percebido. Eu senti um frio na espinha ao me dar conta de que a dona da voz que tentou nos avisar antes tinha sido silenciada pela primeira figura...talvez até morta.

Enquanto Amor debochava de suas vestimentas, eles conversaram entre si e pareceram só resolver que não precisavam nos dar atenção, se dividindo e adentrando na floresta mais uma vez. Eu me deixei relaxar, dando um suspiro de alívio, mas a situação estava ficando cada vez mais estranha. - Você viu aquele cara com a protuberância estranha? Aposto que é por isso que ele é amargurado. - o policial da moda de cabelos rosados comentou, me arrancando uma leve risada. - Pfft...ahaha! É, eu não sei que merda é aquela, mas acho que também ficaria ranzinza se tivesse carregar algo daquele tamanho pra todo lado. - eu coloquei a pistola de volta no coldre, um pouco mais tranquilo depois dessa quebra de tensão. Ainda assim, não conseguia tirar da cabeça de que tinha algo muito fora do lugar ali. - Não era pra isso ser só uma floresta com umas ruínas abandonadas? O que diabos essa gente toda tá fazendo aqui? Duvido muito que sejam só caçadores atrás de algum pirata também... - eu levei a mão ao queixo, tentando ligar os pontos. Antes que tivesse tempo, porém, alguma coisa agitou as árvores à nossa volta, e eu pude ver duas sombras se movendo com velocidade no meio da vegetação, como se estivessem tentando nos cercar. Seriam as figuras de antes, ou...?

- Nana, sebo nas canelas. Matt, agarra na minha cintura e não larga. - Amor disse em tom de urgência, e eu imediatamente subi nas costas de Nana, logo atrás dele - acho que a essa altura, já estava até começando a pegar o jeito. Segurando firme, eu deixaria que o cavaleiro nos guiasse floresta adentro, tentando ficar de olho nas sombras de antes para ver se continuariam nos perseguindo - e se fosse o caso, ficaria bem claro que dessa vez não era um encontro lá muito amigável. - Beleza, hora de ficar sério então. - com as coisas começando a esquentar, eu pegaria uma das trufas de mais cedo com a mão livre e a levaria até a boca, deixando o doce do chocolate se espalhar e aproveitando bem antes de engolir, com um sorriso animado. Nada como um bom chocolate antes de uma boa luta.

Assim, eu me manteria seguro sobre a montaria apertando as pernas contra as laterais de Nana, e usando uma das mãos para segurar na cintura de Amor. Com a mão direita livre, eu puxaria a pistola e apontaria para a direção aproximada de onde estivesse vendo as figuras que nos perseguiam. Eles pareciam bem rápidos, mas eu não me gabava da minha mira por nada, e faria questão de dar trabalho. Se eles estivessem saltando pelos galhos das árvores, eu tentaria pegá-los enquanto estivessem no meio de um pulo, onde não teriam como mudar de direção, disparando sem me preocupar em mirar em algum lugar específico. Mas se estivessem correndo pelos arbustos em vez disso, eu tentaria um primeiro disparo descompromissado, mais para ver como eles tentariam reagir, e depois retaliaria de acordo: atirando para o lado que achasse que eles tentariam se esquivar, por exemplo.

Enquanto estivesse montado, porém, eu não podia fazer muito pra me defender que não fosse me abaixar ou inclinar o corpo pra algum dos lados se algo viesse na nossa direção. Se eventualmente fôssemos pro chão, porém, eu teria mais liberdade pra me mover por aí, apesar de ainda precisar tomar cuidado com o terreno acidentado daquela floresta, então ficaria atento a isso também. - Ô seus desgraçados, que merda é essa!? - eu gritaria quando pusesse os pés no chão, tentando encontrar as figuras com os olhos e tomando cuidado pra não ser pego de surpresa. - Virou moda atacar gente que nunca viu nessa floresta por acaso? - ainda sem saber com o que exatamente estávamos lidando, eu ficaria mais na defensiva por enquanto, me esquivando se visse algum ataque e me escondendo atrás de alguma árvore se isso ajudasse, retrucando com meus próprios disparos. Se algum deles chegasse perto demais, porém, eu fingiria preparar um disparo antes de lançar uma coronhada com o cabo da pistola, mirando bem no queixo ou no nariz de quem quer que fosse.

Histórico:
Posts: 09
Nome: Matteo Martini
Dinheiro: 25.000 ฿S

Qualidades: Adaptável | Prodígio | Criativo | Prontidão | Atraente
Defeitos: Obcecado (Tecnologia) | Dívidas | Compulsivo (Chocolate)
Compulsão: 8/10

Ganhos: Pistola Gasta | Trufas de Chocolate (0/6 Usos)
Perdas: 225.000 ฿S

NPCs: -
Extras: -

Objetivos:
- Comprar ou (de preferência) Forjar uma arma.
- Arrumar uns chocolates pra dar conta da Compulsão.
- Chegar na Guilda e virar CR.
- Encontrar o restante da galera e fazer dinheiro.
- Aprender Proficiências (ainda me resolvendo em quais, pode ser mais pra frente).
- Receber os 5kk da Vakinha ingame, de alguma forma.

OFF:
A gente tava meio sumido mas deve voltar à ativa agora, obrigado por pegar a aventura e vamos nos divertir :fsjal: Quanto ao chocolate, eu desconto a trufa e reseto a compulsão no post seguinte se tudo for conforme o planejado :y:

_________________

Malka
Ver perfil do usuário
Imagem : Here Comes The Sun - Página 5 IgqZbYc
Créditos : 07
Localização : Stevelty, North Blue
MalkaCriador de Conteúdo
https://www.allbluerpg.com/t295-myriam-leuchten#858 https://www.allbluerpg.com/t419-here-comes-the-sun
Re: Here Comes The Sun Qui Ago 12, 2021 10:33 am

Myriam Leuchten
adv 1

Stevelty - North Blue
POST 09




Ao falhar na aproximação, boa parte de minha adrenalina começava a se dissipar, pouco a pouco. Chega doíam meus olhos de tentar acompanhar os meliantes peludos, saltando pelas copas e fugindo pela mata na primeira aproximação, não pareciam muito do tipo que sabem lutar se não for em uma tentativa de assassinato. Mesmo assim, me mantinha de guarda alta com eles, tão focada que me surpreendo com o surgimento de uma terceira figura.

Só a confiança e aparentes capacidades de observação do homem já me fazem o levar como uma ameaça mais séria, mesmo que os adornos de cachorrinho quebrassem um pouco da imagem. Era claro para mim que os outros dois fugiram com medo dessa figura estranha, o que quer dizer que já se conheciam, mas ele mesmo não parecia ter uma dupla para si "talvez seja um igual. Mesmo assim, melhor não abaixar a guarda, sem se precipitar Myr..."

— Bom, acho que me esconder já não vá ser útil. — finalmente me levantaria da moita com a espada por cima do ombro, o encarando com o nariz levemente empinado... Que perdia parte dos pontos de estilo por eu provavelmente estar com a cara e cabelos manchados de terra e folhas secas. — Apresente-se primeiro! — apontaria a larga espada para a frente — Se for realmente um justiceiro ou o que quer que seja, ótimo, não temos o que resolver. Senão, vou ter que limpar o chão dessa floresta com voc- — minha fala sendo cortada por uma tosse dupla profunda, que faz respingos de sangue escorrerem do canto da minha boca até o chão — t-talvez depois de eu limpar isso... — responderia com naturalidade, apoiando a espada no chão e enfiando as mãos nos bolsos em busca do meu remédio, tais mãos que em suas costas a este ponto já estariam começando a criar pequenas bolhas de carne. Demoraria a perceber que tinha abaixado a guarda, exatamente como disse que não faria, quase me vem uma vontade de rir.

"Droga, parece que o diabo sempre surge mais cedo quando começo a me empolgar" reclamaria, instrospectiva. Decidiria, assim como imagino que Kim estava fazendo desde que começamos a conversa, que não faria sentido manter a imagem de cego em tiroteio que no fim das contas era verdade, felizmente dentre as farsas essa era uma das aparentemente fáceis de se manter. Arranharia a garganta, me recompondo um pouco — Perdão... Enfim, declare as intenções, não temos o dia todo, nosso objetivo aqui já é bem claro, então prefiro que evitemos casualidades.


••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••:
Ficha:

Dinheiro: 4.825.000 ฿S
Proficiências: Arquitetura | Escultura | Carpintaria | Marcenaria | Escudista
Qualidades: Ambidestro | Atraente | Destemido | Saúde de Ferro | Hipoalgia | Prodígio
Defeitos: Doença Degenerativa | Extravagante | Infame | Altruísta | Ambição

Histórico:

Posts: 09
Doença Degenerativa: 8/10
Ganhos: Remédios (0/5 Usos)
Perdas: - 300.000 Berries (Remédios)
Relações:
Kim: Companheira caçadora
Extras: -

Atributos:

Força: 1 (+2) (+3) (+1) = 7 (Regular)
Destreza: 0 (Incompetente)
Acerto: 4 (+2) = 6 (Regular)
Reflexo: 14 (+4) (+3) = 21 (Hábil)
Constituição: 1 (Regular)

Agilidade: 13
Oportunidade de Ataque: 3
Redução de Dano: 0
••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••:

FALA | PENSAMENTO


Objetivos:

• Comprar remédios •
• Se juntar com o grupinho •
• Pegar o broche do último evento •
• Desenvolver a proficiência Condução •
• Criar nosso barquinho v1 e vazar da ilha •

_________________

Here Comes The Sun - Página 5 Anime-zero-two
gmasterX
Ver perfil do usuário
Imagem : Here Comes The Sun - Página 5 XNhSHch
Créditos : 04
gmasterXEstagiário
https://www.allbluerpg.com/t429-agnis-cyrielle#1403 https://www.allbluerpg.com/
Re: Here Comes The Sun Seg Ago 16, 2021 10:01 pm

Narração - High Speed Steed






Com a chegada do novo personagem, a tensão aumentava, e por mais que os três que estavam ali se mantivessem relativamente calmos, Kimberly e Miryam se mantinham levemente precavidas, mas dispostas a ouvir o que o homem tinha a dizer. Aproveitando a oportunidade, Kimberly provocou a figura à sua frente, enquanto Myriam preferiu ameaçá-lo. O homem ouviu o que as duas proferiram e se manteve em silêncio, como se estivesse retrucando as provocações. Poucos segundos depois, sua face séria quebrou, revelando um sorriso, acompanhado de uma risada contida. - Vocês não tem ideia do que estão fazendo, não é? - O homem questionou. - Até abrirem a boca, estávamos em um impasse. Ambos desconhecidos. Ambos possivelmente armando algo, e com intenções desconhecidas. - Ele ajeitou a gravata, encarando Kimberly enquanto ficava completamente de costas para Myriam. - Mas sem dizer uma palavra, descobri tudo que precisava. - Seu semblante que já era extremamente sério, se tornava mais centrado, com um claro toque de agressividade. - Agora tenho certeza que não estão aqui para a caçada, e coincidentemente, estão atrás de algo ou alguém. A possibilidade de haver a segunda coincidência das duas estarem atrás da mesma coisa que eu, e se esse for o caso, não terei outra escolha senão iniciar um conflito, bem aqui, neste exato momento. - Ele encarava apenas Kimberly, mas não parecia ignorar completamente Myriam. - Mas, ao invés disso, eu tenho uma proposta. - Ele mudava de assunto prontamente, e a tensão no ar se dissipava. - O contrato que peguei se mostrou bem mais complicado do que eu esperava, e eu sigo uma política de um contrato por vez. Por isso, lhes ofereço meus serviços. Vocês me contratariam para eu lhes auxiliar, e vocês teriam acesso a todo o meu arsenal de itens, habilidades e até o meu conhecimento. - Ele abriu a sua maleta, puxando dela dois contratos grampeados de três folhas, e entregou ambos para as garotas.

Após uma rápida leitura, poderiam ver que se tratava de um contrato simples,  com linguagem fácil de entender  e bem concisa, sem letras miúdas e nem termos ambíguos, nada para passar a dupla para trás. O contrato era muito bem redigido e deixava bem claro que o homem à sua frente se tratava de um mercenário. - Por se tratar de um favor que vocês estariam me fazendo, cobrarei apenas cento e cinquenta mil berries por dia. O que, creio eu, seja bem mais que o necessário. - O preço que o mesmo cobrava era bem caro, mas ele parecia estar bem sério quanto a proposta. - Além disso, gostaria de deixar bem claro alguns detalhes. O primeiro detalhe é que esse é apenas um contrato de auxílio. Não agirei de qualquer, mesmo que seja necessário, sem a devida permissão, com a exceção de casos onde a integridade de um das duas esteja em risco. O segundo detalhe é que o meu contrato deve ser ativamente encerrado, e o encerramento deve ser acompanhado de meu pagamento. Se aceitam os termos, é só assinar logo embaixo, na linha pontilhada.

O estranho aguardava a resposta de ambas, mas tinha a sua linha de pensamento interrompida por um som bem alto, não muito longe dali. - Disparos de uma arma… - Ele murmurou, encarando a direção em que o disparo foi efetuado.

Enquanto isso, no outro lado da floresta. Após uma rude interrupção da dona aranha, e dos encapuzados. O casal era perseguido por figuras misteriosas, e Anais corria como o vento, sem muita dificuldades, e com um olhar de desespero, como quem viu algo que queria ter desvisto. Os dois seguiam em uma investida de duas frontes, onde um deles seguia pelos galhos, enquanto o outro saltava de arbusto e arbusto, além de se coordenarem para moverem intercaladamente. Poucos minutos após, se olhassem para trás durante a fuga, Matt poderia ver que os borrões descaracterizados que os perseguiam, aos poucos tomavam forma, e pouco a pouco ficava claro que ambos os perseguidores estavam perdendo o ritmo, até que finalmente era possível o casal ver as criaturas peludas que estavam atrás deles.

Aquele era o momento perfeito para efetuar um disparo, e não deu outra. Matteo disparou contra o inimigo que avançava por cima, mas a fera se contorcia no ar, desviando por um triz da bala. - EITA PORRA, ELE TÁ ARMADO! - A fera gritava, ficando para trás enquanto Nana ganhava cada vez mais distância. O som do disparo ecoava pela floresta, e logo em seguida, era possível ouvir um uivo, provavelmente de um dos perseguidores. Pouco tempo depois, Nana interrompeu seu avanço bruscamente, deixando o casal de frente para as colossais ruínas. Talvez ali fosse o melhor lugar para se esconder ou emboscar a dupla.
ControlePosts: 09

Kim
Ferimentos:
Ganhos:
Perdas:


Matteo
Ferimentos:
Ganhos:
- Pistola Gasta
- Trufas de Chocolate (1/6 usos)
Perdas:
- 125.000 Berries (Pistola Gasta)
- 100.000 Berries (Trufas)


Leonheart
Ferimentos:
Ganhos:
Perdas:


Myriam
*Doença: 9/10
Ferimentos:
Ganhos:
- Remédios (0/5 Usos)
Perdas:
- 300.000 Berries (Remédios)

Considerações
Alright boys. Não inclui no post mas a trufa e o remédio foram sim usados.


Última edição por gmasterX em Sab Ago 28, 2021 5:27 pm, editado 1 vez(es)

_________________

Falas de Agnis um
Falas de Agnis dois
Pensamento de Agnis um
Pensamento de Agnis dois
Here Comes The Sun - Página 5 BvMx90e
Ceji
Ver perfil do usuário
Imagem : Here Comes The Sun - Página 5 Hwlv4xh
Créditos : 00
Re: Here Comes The Sun Qui Ago 19, 2021 9:21 pm
Caçada Humana - Parte IV

Eu não conseguia crer na audácia do homem na minha frente, e, se não fosse a expressão neutra que mantinha na minha face, tinha certeza que ele veria o desgosto estampado no meu rosto. Eu mal conseguia me forçar a ler o contrato que ele havia apresentado sem me sentir burra, e sinceramente sentia que se aceitasse aquilo não pagaria só com dinheiro, mas com parte do meu QI também "Não é possível que ele esteja falando isso sério, não depois de ficar se fazendo de gostosão psicanalista. Esse dai é burro, hipócrita ou preguiçoso, deve ser mais pose do que qualquer outra coisa" Pensava, incapaz de conseguir correlacionar a pessoa que fez aquela proposta com alguém que pudesse dar medo nos homens-fera de antes. Ainda assim, antes de falar qualquer coisa, precisava verificar uma coisa, e isso era expressão de Myriam. Como estávamos trabalhando juntas, queria ao menos confirmar se ela estava tão indignada, ou ao menos confusa, com aquela proposta quanto eu. Eu esperava que ela não seriamente cogitasse aquela proposta absurda, porque isso significaria que teria que rever minha confiança na tomada de decisões dela.

Mais uma vez voltando minha atenção ao homem loiro, conseguia apenas deixar uma risada de descrença escapar de minha boca, assim como ele mesmo havia feito antes - Se é assim que consegue seus clientes, então deve estar bem desesperado - Respondia, sem mais um pingo de medo depois daquela demonstração risível dele - Primeiro diz que seu "contrato atual" se mostrou mais difícil do que esperava, depois propõe que lhe paguemos para nos dar uma ajuda porca; sendo que comentou que podíamos estar atrás da mesma coisa - Explicava a gafe de forma quase didática para ele, enquanto gesticulava com minha mão esquerda, e o calçado do pé direito batia com uma leve insatisfação em uma raíz no chão pela proposta estranha e repentina... Ou melhor, era isso que parecia para os outros. Disfarçada pelo semblante de uma resposta, minha mão se movia em um movimento elíptico, próxima ao meu rosto e ao centro de sua visão ao olhar para mim; mas não o bastante para incomodar sua visão, apenas para atrai-la ao movimento. Enquanto isso, as batidas do meu pé seguiam o exato mesmo ritimo das minhas palavras e movimentos de mão, em uma sincronia que tentava fazer apenas seu inconsciente reconhecer o padrão ao buscá-lo, mas sutil o bastante para ser difícil de perceber conscientemente - Se seu plano era nos fazer pagar para fazer seu trabalho por você, posso sentir apenas pena. E recomendo que use seu próprio conselho e pense antes de falar demais, seu monólogozinho revela tanto sobre você, sabe? - Prosseguia, com palavras que tentavam abrir uma vulnerabilidade em sua postura, seja por fazê-lo sentir seu espaço pessoal levemente invadido, seja por sentir alguma irritação pelas minhas palavras - Se é um favor nosso que você quer, que tal voltarmos no início? - Falaria, estalando meus dedos, como que em um sinal repentino para quebrar a dormência parcial que estava tentando gerar com meus estímulos, ao mesmo tempo que pararia os movimentos ritimicos - Do que você veio atrás?

Após finalmente fazer a pergunta assertiva, eu mentiria se dissesse que não tinha expectativas. Embora o tempo não estivesse a meu favor, isso não significava que eu não poderia criar alguns estímulos para soltar um pouco aquele homem, na tentativa de o fazer falar mais do que queria. Essa não seria a primeira vez que tentaria fazer uma hipnose simples, minhas vastas leituras sobre o tema quando mais nova me ajudaram quando tive que manter as aparências sob controle no navio clandestino, e é era exatamente por isso que também não tinha esperanças dele simplesmente cair duro. Hipnose, especialmente as mais complexas e impactantes, exige tempo, preparação e confiança mútua, e é especialmente menos efetiva contra alvos confiantes e mentalmente estáveis, mas felizmente eu não precisava de uma hipnose pesada, precisava apenas causar uma leve dormência de raciocínio ao envolvê-lo em meus estímulos, como um trabalhador mentalmente cansado após um dia de trabalho repetitivo. Tudo que eu precisava era o por em um estado de falar antes de pensar, e não achava que isso fosse especialmente difícil após ele supostamente ter tido problemas com seu trabalho e dado voltas em uma floresta. Assim, se ele acabasse soltando seu alvo sem querer, abriria um sorriso satisfeito, fosse o alvo o mesmo que o nosso ou não - Parece que não somos nós que falamos demais

Se o deslize ocorresse, eu teria uma carta na manga contra ele, mas se não ocorresse, nos teríamos um problema. Embora eu viesse falado tudo antes pensando em como deixá-lo suscetível a minha hipnose leve, eu não havia falado nenhuma mentira: a proposta dele era absurda, uma ameaça usada para nos coagir a aceitar um serviço porco que mais parecia que queria ganhar dinheiro por empurrar seu trabalho para nós, e eu não estava contente em ter que perder dinheiro para ajudar os outros. Dessa forma, se ele não caísse nos estímulos, soltaria uma sutil bufada de frustração; e tendo tido sucesso no estímulo ou não, logo prosseguiria - De qualquer forma, eu disse que não pagarei por ameaças. Se quer nos atacar por medo, que venha; já vi coisas piores que um homem armado. Mas se quiser uma colaboração pacífica e benéfica para os dois lados, vai ter que tentar mais do que forçar um contrato nos outros - Diria, me virando na direção do tiro, mas tendo certeza de manter o homem na minha visão periférica - ...Afinal, eu não recusaria um acordo com um homem que possui beleza e modos - e, com os dedos indicador e médio juntos, lançaria-lhe um beijo à distância antes de me virar por completo, mantendo apenas minha audição focada nele - Myr, vamos. Quem sabe da próxima vez nosso convidado não tenha uma proposta mais interessante - E, se ele não tivesse mais nada para falar ou fazer, começaria a ir na direção do barulho de tiro, na esperança de achar mais algo que desse uma pista sobre aquela situação, tomando sempre muito cuidado para não me aproximar demais das árvores ou lama no chão para não me sujar, e, é claro, preparada para me esquivar de qualquer ataque repentino, do homem ou de outro, com um salto para o lado.
Histórico:
Nome da Personagem: Kimberly Deshayes
Nº de Posts: 10

Qualidades: Ambidestria | Atraente | Destemida | Impassível | Voz Melodiosa | Liderança

Defeitos: Vaidosa | Traumatizada

Ganhos:

Perdas:

NPCs:

Extras:

Objetivos:

-Encontrar os outros 3 players
-Virar Caçadora de Recompensas
-Aprender a Proficiência Cartografia
-Conseguir um barco pra sair se Stevelty
Ravenborn
Ver perfil do usuário
Imagem : Here Comes The Sun - Página 5 GeK6WP3
Créditos : 05
Localização : Stevelty
Re: Here Comes The Sun Sex Ago 20, 2021 11:10 pm

Here Comes the Sun



Após uma fuga apressada do que pareciam ser dois homens-fera nos perseguindo pelas copas das árvores, o galope rápido de Nana deu conta de criar distância o bastante para que ficássemos seguros - pelo menos por enquanto - até darmos de cara com as tais ruínas de que tínhamos ouvido falar mais cedo. - Woah... - eu desci do cavalo, levando um momento pra absorver a informação. Era quase como se aquele lugar tivesse saído de dentro de um livro de história, e me fazia sentir como se tivesse viajado no tempo de repente.

Olhando pra trás, por cima de ombro, eu não via sinal nenhum de nossos perseguidores. - Acho que...nos perderam de vista? Vai ver tomaram um susto com o tiro, heh. - infelizmente, não dava pra ter certeza que eles iam desistir só com aquilo, já que a minha bala não tinha acertado nenhum dos dois. Pra começo de conversa, a gente não sabia nem sequer por que diabos aqueles caras estavam atrás da gente, mas já tinha ficado bem claro que tinha alguma coisa errada rolando naquela floresta. - Péssimo dia pra resolver virar caçador, pelo visto. O que acha que tá acontecendo por aqui, Amor? Com certeza não parece só um bando de piratas se escondendo na floresta. - eu perguntaria distraidamente, tocando as construções de pedra e observando as ruínas como um todo com curiosidade. Não era tão interessante quanto toda a maquinaria do resto da ilha, mas era divertido pensar na possibilidade de existir algum tipo de tecnologia mais antiga por ali, só esperando pra ser descoberta.

Seja como fosse, a gente precisava resolver o que ia fazer dali pra frente. Eu não era lá muito fã da ideia de me envolver no que quer que estivesse acontecendo por ali, mas não era como se simplesmente voltar pelo caminho que viemos fosse ser mais seguro com aqueles dois atrás de nós. E além do mais, eu realmente não podia me dar o luxo de falhar naquela caçada. Eu precisava daquele dinheiro, e se tivesse que atirar nuns caras peludos pra conseguir, azar o deles. - Acho que você não chegou a ver, mas as figuras vindo atrás da gente não eram exatamente...humanas. Nunca tinha visto nada parecido, mas já ouvi falar nessas pessoas meio gente, meio bicho. Devem ser tipo tritões, só que não-peixes ou algo assim. - eu dei de ombros, sem me importar demais. Não interessava se era homem, cachorro ou inseto falante, se eles não quisessem resolver aquilo na conversa, a gente só tinha uma outra opção.

- Se a gente for lutar com eles, é melhor que seja longe das árvores, pra não ficarem pulando de um lado pro outro que nem antes. Dá pra esperar e tentar pegar eles de surpresa, já que uma explicação do que tá rolando seria ótimo...ou podemos só seguir em frente e continuar procurando a moça do cartaz. Até porque foi pra isso que a gente veio. - eu deixaria que ele escolhesse, mas se ele pedisse minha opinião, eu optaria por ficarmos ali e lidarmos com aquele problema logo - a pior situação possível seria ter que lidar com aquela pirata e os dois homens-fera ao mesmo tempo. E como não deviam faltar lugares pra se esconder naquele monte de construções velhas e abandonadas, eu apontaria pra algum lugar que parecesse promissor antes de me entocar lá: o único real requisito seria que eu pudesse mirar direito de onde estivesse, ou não fazia sentido me esconder pra começo de conversa.

Assim, se fôssemos com esse plano, eu ficaria escondido e em silêncio, relaxado e encostado em alguma das paredes quebradas se o meu esconderijo tivesse algo assim - até que ouvisse algum barulho suspeito. Só aí é que eu respiraria fundo pra manter os nervos sob controle e apontaria a arma pra direção de onde o som tivesse vindo, ficando de olho pra caso algum daqueles dois aparecesse. O plano era aproveitar o elemento surpresa pra atingir algum deles nas pernas ou no torso - evitando qualquer ponto vital - só pra debilitá-los um pouco e fazer a conversa soar mais atrativa que o combate. Eu atiraria assim que visse uma boa oportunidade - ou só depois que fosse seguro, caso Leon quisesse tentar algo antes - e sairia do esconderijo quer o tiro acertasse ou não - Escutem aqui, bolas de pelos: vocês podem explicar pra gente por que diabos tão tentando nos matar, ou eu posso fazer os dois virarem peneiras. Vocês escolhem. - declararia em alto e bom som, com a arma em mãos, mas atento a uma possível resposta agressiva por parte deles. Eu realmente torcia pra que eles cooperassem, porque eu precisava de respostas, e até onde eu sei, cachorro morto não fala.

Se eles não parecessem querer resolver aquilo sem mortes, eu focaria apenas em me manter seguro por hora, observando-os direito agora que não estavam escondidos pela folhagem e saltando para longe sempre que tentassem se aproximar demais, ameaçando-os com mais um tiro de aviso, e me preparando pro combate. Agora se por acaso aparecesse alguém que não fosse peludo que nem as figuras de mais cedo, eu me revelaria sem atirar, mas ainda com a arma em mãos e apontando. - Paradinhos aí. Quem são vocês? Só pra vocês saberem, segundo uns encapuzados aí, nós "acabamos de chegar e não oferecemos perigo algum". - eu diria, me lembrando do que a figura encapuzada tinha falado mais cedo, por mais que isso provavelmente não soasse tão convincente com uma pistola na minha mão.

Histórico:
Posts: 10
Nome: Matteo Martini
Dinheiro: 25.000 ฿S

Qualidades: Adaptável | Prodígio | Criativo | Prontidão | Atraente
Defeitos: Obcecado (Tecnologia) | Dívidas | Compulsivo (Chocolate)
Compulsão: 0/10

Ganhos: Pistola Gasta | Trufas de Chocolate (1/6 Usos)
Perdas: 225.000 ฿S

NPCs: -
Extras: -

Objetivos:
- Comprar ou (de preferência) Forjar uma arma.
- Arrumar uns chocolates pra dar conta da Compulsão.
- Chegar na Guilda e virar CR.
- Encontrar o restante da galera e fazer dinheiro.
- Aprender Proficiências (ainda me resolvendo em quais, pode ser mais pra frente).
- Receber os 5kk da Vakinha ingame, de alguma forma.
- Conseguir ingame a recompensa do evento em grupo lá (Link).

_________________

Hoyu
Ver perfil do usuário
Imagem : Here Comes The Sun - Página 5 GX67lHH
Créditos : 12
HoyuEstagiário
https://www.allbluerpg.com/t378-leonheart-valentine https://www.allbluerpg.com/t419-here-comes-the-sun
Re: Here Comes The Sun Seg Ago 23, 2021 8:38 pm
Leonheart Valentine


Com aquelas duas figuras nos rodeando, me punha logo a fugir, guiando Anais por entre as árvores da floresta para me afastar das criaturas. Não sabia ao certo o que eram, já que pareciam propositalmente se esconderem nas sombras ao nosso redor para não as vermos, e algo no meu âmago me dizia que eles poderiam muito bem serem insetos gigantes, assim como a voz misteriosa que havia ouvido por entre as árvores. Claro, não podia confirmar, mas se pudesse fugir sem precisar confirmasse minha suspeita, melhor para mim. Felizmente Matt parecia pronto para me dar apoio, disparando atrás de nós enquanto eu me concentrava em avançar, e quando chegamos nas ruínas as figuras pareciam ter ficado para trás. Suspirando aliviado, desceria de Anais para adentrar as ruínas a pé. - Fora da floresta enfim! - Dizia, com um profundo alívio de ter saído daquele gigantesco ninho de insetos intacto. - Não será hoje que provarão meu delicioso sangue, insetos malditos! - Poderia estar sendo um pouco dramático, enquanto gritava para o nada apontando para a floresta de onde havíamos vindo, mas era sempre uma felicidade superar a morte iminente.

Me concentrando então nas ruínas em frente, era até surpreendente algo assim existir no meio da floresta, mas um pouco amargurado por não haver uma trilha mais segura e afastada da floresta para chegarmos ali. Ouvindo a pergunta de Matt, acabava me derretendo todo ao ser chamado mais uma vez de amor. Não esperava que o loiro fosse tão apegado e romântico, mas bonito e com a bunda roliça como a dele, não me importava nem um pouco dele ser meloso e romântico. - Não faço ideia do que aquilo foi, mas espero não descobrir. - Achava que havia deixado aquela situação assustadora para trás, já mais calmo e respirando fundo, mas o comentário do atirador sobre o que havia visto ao atacá-los fez um frio subir por minha espinha. - N-n-n-n-não eram humanas?!?? - Com desespero visível em meus olhos, agarraria o colarinho do loiro, como em uma esperança desesperada para que ele me dissesse que ouvi errado, mas no fundo eu sabia que minha audição era boa o suficiente para não ter ouvido aquilo de forma completamente errada.

Soltando-o, começaria a observar desesperado as ruinas por algum lugar que pudesse me esconder. - Insetos gigantes! Eu sabia que eram insetos gigantes! Nós vamos morrer. Eu não quero morrer. É o seguinte, eu vou me enterrar em algum canto, e você acaba com essas coisas. - Com puro desespero em meus olhos, e confiando a tarefa de me proteger, como uma princesa em apuros, correria o mais rápido possível até a ruína mais próxima para me manter escondido agarrando meus joelhos enquanto não parava de tremer. Se estávamos sendo perseguidos, aqueles insetos gigantes poderiam aparecer a qualquer momento, mas logo percebia que havia deixado Anais para trás, então tiraria apenas minha cabeça do esconderijo para olhar para fora. - Nana! Vem se esconder! - Chamaria, antes de dar um joinha para Matt com minha mão tremendo de forma exageradamente óbvia. - Confio em você, Matt!

Ficaria escondido ali com Anais, com a mão na boca dela para evitar que ela fizesse qualquer barulho que pudesse chamar a atenção dos insetões, e esperaria por um tempo. Se, após um tempo nada aparecesse, bisbilhotaria novamente o lado de fora da ruína em que estivesse escondido e sussurraria ara Matt. - E aí? Acha que é seguro sair? - Entretanto, se ouvisse o som de aproximação de alguém, deixaria o loiro cuidar de tudo, apenas fechando meus olhos com força e rezando para que Mama Ru protegesse minha pobre alma travesti. Ouvindo os sons de combate, arriscaria uma olhada rápida para o confronto aterrorizante que Matt era obrigado a enfrentar para me proteger, quase com pena dele, e se realmente visse insetos gigantes, me esconderia novamente e não arriscaria olhar de novo para não ser visto. Mas, se espiasse a batalha e visse outro tipo de figura, como minks ou tritões em vez de insetos gigantes, me sentiria profundamente traído, saindo repentinamente do meu esconderijo. - Ei! Vocês são feios, mas nem tanto assim! - Já em posição de combate, arremessaria a lança contra um deles para ajudar Matt antes de correr em direção a eles para ajudar no combate.




Histórico:
Nome: Leonheart Valentine
Posts: 10
Dinheiro: ฿S 25.000

Qualidades: Atraente | Carismático | Exibido | Mestre em Haki
Defeitos: Extravagante | Devasso | Impulsivo | Fobia (Insetos) | Obcecado (moda)

Ganhos:
- N/A

Perdas:
- N/A


Objetivos:
• Virar Caçador de Recompensas
• Me juntar aos meus três amiguinhos
• Aprender a proficiência Sedução
• Ganhar bastante dinheiro

Malka
Ver perfil do usuário
Imagem : Here Comes The Sun - Página 5 IgqZbYc
Créditos : 07
Localização : Stevelty, North Blue
MalkaCriador de Conteúdo
https://www.allbluerpg.com/t295-myriam-leuchten#858 https://www.allbluerpg.com/t419-here-comes-the-sun
Re: Here Comes The Sun Qua Ago 25, 2021 5:16 pm

Myriam Leuchten
adv 1

Stevelty - North Blue
POST 10




O choque se tornou um tanto visível em meu olhar quando o homem parece me ler com certa facilidade. — Como você sab— — calaria a boca assim que visse a burrada que estaria fazendo, entregando a confirmação daquilo de mão beijada com um questionamento tão inocente que chegava a ser infantil. A figura do mercenário não me causava medo, mas um estranhamento que me proporcionava desconforto o suficiente para gerar ansiedade: o vejo como alguém distante, sem muitas aberturas, se mostrava uma presença aterradora de fato. Iria aproveitar o tempo em que ele vira as costas para engolir a pílula que continha meu remédio, esperando que ele cuide dos sintomas.

Compartilharia a agressividade do olhar do moço — você que está sendo burro em considerar que tenhamos algo a esconder... — pegando com cuidado o contrário, analisaria página por página para me certificar de ser um documento seguro, não sabendo dizer ainda se o fato de realmente ser um era algo positivo ou não. Ficaria em silêncio, concordando com Kim mais pelo fato de não querer estender a discussão mais que o necessário, mas a proposta dele no momento realmente não parecia muito absurda. — Só não entendi um ponto, se seu contrato anterior realmente envolve os mesmos alvos que nós temos e você parece estar relacionado a pedidos privados mais do que recompensas de cartaz, é de se imaginar que você recebendo um auxílio nosso sem transação monetária já se beneficie do contrato original em sua totalidade, não? Ou só espera que a gente fuja pra não ter que ser pago pelo serviço completo da caça e tenha menos trabalho que uma captura completa, já que se limita a um dia de atividade? Isso tá bem suspeito, no fim das contas — diria, cruzando os braços insatisfeita, com a língua apertando minha bochecha. Quanto mais tempo se passava, de segundo a segundo, mais absurda aquela proposta de pagar ao menos um terço dos nossos ganhos máximos para aquele homem aleatório servir de guarda-costas hiperpassivo parecia ser.

Minha mão retorna à espada, ainda em postura relaxada pois não realmente esperava que ele fosse nos atacar naquele momento pela recusa, mas a cautela parecia necessária, ainda mais com Kim se exaltando daquele jeito com o homem. Sem notar, enquanto me focava nas palavras dela para tentar me certificar de que mesmo em sua acidez a garota não seria muito confrontacionista com a possível ameaça dormente, meus olhos começariam a pesar, e o firmamento dos pés enfraquecer levemente. Ao notar, tentaria desviar o rosto discretamente enrigecendo novamente os ombros "Que estranho, pareceu... O encanto de uma sereia? Acho que é melhor eu ficar esperta pra ela não tentar abusar de mim com uma técnica parecida, eu sinto como se quase tivesse caído e nem era comigo!" refletiria sobre a ação, já um pouco revoltada com algo que nem veio a acontecer.

Revelando ou não o alvo, sendo ou não o mesmo que o nosso, meu corpo em estado de máxima atenção reagiria primeiro ao som de tiro do que a qualquer outra coisa coisa, ignorando inclusive as aproximações aparentemente românticas de Kim como o estranho. Me virando na direção a qual imagino ele ter vindo, tomaria a espada novamente em meus punhos rígidos, rente ao chão em uma postura baixa, e rugiria na direção do estrondo — vamos. —, expressaria com mais confiança do que demonstrei para ambos todo esse tempo, finalmente uma confiança genuína — pode ter alguém em perigo que não esteja envolvido nesse showzinho, e eu não vou esperar sentada.

Com uma chama interna queimando a região de contato entre minha pele quente e o ferro, não esperaria os dois terminarem de conversar antes de começar a correr na direção do barulho, pisando duro sem me preocupar em me sujar no meio da floresta como Kim fazia mas ainda evitando folhas e galhos para não fazer tanto alarde na minha chegada. Se alguém tentasse um ataque surpresa contra nós em meio ao caminho, inclusive o mercenário, tentaria para-lo me jogando na frente com a larga espada entre mim e a ameaça, apoiando uma de minhas mãos na ponta da arma para solidificar minha postura defensiva.

Caso encontrasse alguém, a primeira ação seria correr os olhos pelo corpo da pessoa atrás de ferimentos visíveis, e ir acudir quem quer que fosse se não estivesse armado. Se portasse algum tipo de arma de fogo, minha reação logo após a revisão dos ferimentos mudaria drasticamente: puxando a espada na minha frente, bradaria — O que faz aqui? Hein?! Abaixa essa droga de arma antes de eu arrancar esse braço fora! — me esforçando para realizar um corte no vento com um movimento rápido de mudança de postura, com a intenção de fazer um som que servisse para fortificar a ameaça e intimidar o que agora via como um inimigo.


•••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••:
Ficha:

Dinheiro: 4.825.000 ฿S
Proficiências: Arquitetura | Escultura | Carpintaria | Marcenaria | Escudista
Qualidades: Ambidestro | Atraente | Destemido | Saúde de Ferro | Hipoalgia | Prodígio
Defeitos: Doença Degenerativa | Extravagante | Infame | Altruísta | Ambição

Histórico:

Posts: 10
Doença Degenerativa: 0/10
Ganhos: Remédios (1/5 Usos); Contrato de Mercenário.
Perdas: - 300.000 Berries (Remédios)
Relações:
Kim: Companheira caçadora, confiante e perspicaz mas igualmente prepotente e implicante. Mas é uma parceira eficiente, o que já é muito melhor que nada.

Mercenário: Mercenário estranhamente metódico e com vestes igualmente estranhas. Nos ofereceu um contrato suspeito.
Extras: -

Atributos:

Força: 20 (+40) (+60) (+20) = 140 (Regular)
Destreza: 0 (Incompetente)
Acerto: 80 (+40) = 120 (Regular)
Reflexo: 240 (+80) (+60) = 420 (Hábil)
Constituição: 20 (Regular)

Agilidade: 270
Oportunidade de Ataque: 3
Redução de Dano: 0
•••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••:

FALA | PENSAMENTO


Objetivos:

• Comprar remédios •
• Se juntar com o grupinho •
• Pegar o broche do último evento •
• Desenvolver a proficiência Condução •
• Criar nosso barquinho v1 e vazar da ilha •

_________________

Here Comes The Sun - Página 5 Anime-zero-two