Bem-vindo ao

All Blue

É com muito prazer que lhes damos os comprimentos ao nosso RPG. All Blue se trata de um RPG narrativo com o ambiente principal centrado em One Piece, obra de Eiichiro Oda.
Se divirta nessa nova aventura e se torne o novo rei pirata... Se puder!

Últimos assuntos
Ato II — Tiro, Porrada e ÁguaHoje à(s) 12:46 amporFormigaCap 3 - Uma gloriosa evoluçãoOntem à(s) 11:40 pmporRexCidade do Pecado, 罪市Ontem à(s) 11:15 pmporKoji2 - Fat Bottomed GirlsOntem à(s) 11:05 pmporMakaShen IkimuraOntem à(s) 10:59 pmporFormigaCrie sua Forma ZoanOntem à(s) 10:30 pmporSashaTeste seu TemplateOntem à(s) 10:16 pmporSadakiyoCriação de AventurasOntem à(s) 9:38 pmporSadakiyoKit mestre JOntem à(s) 9:22 pmpormestrejCapitulo 1 - O homem do terminal cinza!Ontem à(s) 9:06 pmporBarnabasBenks

Cabras da Peste, vol 1- Amanhecer do Sul

Página 3 de 7 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte
Kenshin
Imagem :
Cabras da Peste, vol 1- Amanhecer do Sul - Página 3 Ahri
Créditos :
41
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t360-agatha-harkness https://www.allbluerpg.com/t1972-capitulo-iii-solsticio#21373
Kenshin
Desenvolvedor
Cabras da Peste, vol 1- Amanhecer do Sul Qua Maio 12, 2021 12:21 am
Relembrando a primeira mensagem :

Cabras da Peste, vol 1- Amanhecer do Sul

Aqui ocorrerá a aventura do(a) Civil Deep Scaleback. A qual não possui narrador definido.

_________________

Cabras da Peste, vol 1- Amanhecer do Sul - Página 3 J09J2lK

"Ah, mas eu não quero ter dois caminhos ou ah, mas eu não quero ter caminho nenhum. Ué, você já pode porra, a única coisa que te impede de fazer isso é ser zé metinha e querer ficar comparando o tamanho do pau com o coleguinha pra compensar o ego frustrado." - Luquinhas, 2022

Subaé
Imagem :
Cabras da Peste, vol 1- Amanhecer do Sul - Página 3 Cantinho_foto
Créditos :
22
Localização :
Nos bares de então
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t354-subae?highlight=subaé https://www.allbluerpg.com/t348-cabras-da-peste-vol-1-amanhecer-do-sul#1033
Subaé
Criador de Conteúdo

Amanhecer do sul, Post 6


O vendedor que eu quebrei a cara mais cedo apareceu para buscar o companheiro ferido e arremessou para mim um frasco com mais remédios. Talvez ele ofereceu os remédios como uma trégua, mas agora é tarde demais.

-Valeu ai mermão!

Peguei o frasco e guardei, não misturaria os comprimidos novos com o que peguei mais cedo. Já sou bode velho, e estou cansado de conhecer malandros covardes que tentam envenenar pessoas fodonas como eu. Esses três comprimidos aqui eu só vou tomar depois que alguém me certifique que é seguro.

Como se fosse um passe de mágica, de uma hora para a outra a situação simplesmente virou. Do nada apareceu um bando de gente estranha para me ajudar no que se tornou uma baderna generalizada.

Não digo “gente estranha” por serem desconhecidos, não me entenda mal. Digo que são estranhos pois realmente são indivíduos bem peculiares.

Naquela bagunça, reconheci Blade e sua companheira Lua, e pra ser sincero, lembro que aquele baiacu obeso me chamou de capitão, então só poderia ser o ... Deep …
O tempo realmente muda as pessoas.

E ainda por cima tem essa mulher que mais parece uma tiete do Mikau.
Bom, pelo menos vou ganhar umas cervejas por contar umas histórias, e olha que nem sou um artista.

-As minhas costas estão pedindo arrego - Falei, mas eu sou cabra arretado e num vou arregar, mesmo que a dor esteja realmente insuportável.

Levei a mão  direita no corte das costas, senti o sangue que escorria e a dor pulsante que não parava, mas eu também não podia parar aquela briga. Se eu parasse, o que seria do meu nome?

-Ei cara de tábua, quer ver uma coisa massa?

Não leia se estiver comendo. Eu avisei:

Correria a toda velocidade na direção de Baron, saltando na hora certa para desferir uma voadora com os dois pés na testa de Baron. Talvez eu mancasse ou sentisse uma fisgada de dor nas costas, ainda assim daria o meu melhor.
No momento do impacto, curvaria meu corpo para trás, a fim de já cair no chão plantando bananeira. Naquele momento eu usaria a técnica “Zabumbada Estóica”.

Cabras da Peste, vol 1- Amanhecer do Sul - Página 3 Zabumb11

Se em algum momento eu fosse atacado por alguém, jogaria o meu corpo para trás( ou para o lado, caso alguém atire em mim) e recuaria para evitar de ser ferido. Assim que eu tivesse abertura, usaria a técnica “Zabumbada Estóica” focando prioritariamente em Baron e os homens que o carregam.

-O momento de você se intimidar pra evitar briga já passou, cara de tábua. Agora você vai sofrer a retaliação do cangaço.




Histórico:

Zabumbada Estóica:

Proficiências:
- Acrobacia
-Ameaça
-Atletismo
-Briga
-Lábia

Qualidades:
-Carismático
-Prodígio
-Talentoso
-Destemido
-Electro
-Idioma silvestre
-Chifres curvos
-Cabeça dura

Defeitos:
-Doença degenerativa
-Sadista
-Cabeça quente
-Dependente (15 posts)
-Extravagante
-Apegado (ao chapéu)
-Feio
-Preconceito
-Atípico
-Sensível ao calor
-Forma sulong.
-Roubar remédios da farmácia
-Encontrar o bonde
-saciar vício
-Aprender proficiências investigação e Criptografia
-Prender o anão perneta dentro de uma garrafa. (NPC companheiro)
-começar a desenvolver liderança
240/240100/1005/1010/15

_________________

Cabras da Peste, vol 1- Amanhecer do Sul - Página 3 Unknown

Tabela de preços:
Deep
Imagem :
Cabras da Peste, vol 1- Amanhecer do Sul - Página 3 Tfig50k
Créditos :
05
Localização :
Sirarossa - West Blue
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1116-deep-cutt#10446 https://www.allbluerpg.com/t1386-cap-2-ascendendo-as-profundezas#14266
Deep
Novato

Meu punho acariciava o rosto do homem que incapaz de desviar em pleno ar, não tinha muitas opções a não ser ter seu encontro com meu punho, encontro este que deve ter dado errado, pois ele se separou rápido e para longe ao ser arremessado como um pedaço de merda.
Falando sobre arremessar pedaços de merda, eu caminharia em direção a meu grupo um tanto enojado pela ação do meu capitão de enfiar as mãos nas calças, o que o tornava mais uma vez hoje o motivo de eu perder meu apetite. Apenas me aproximaria do homem que derrubei, pegaria todos seus itens de valor, arma e sairia o arrastando pelo pé até Subaé, ignorando a moça que desconheço e a chegada de Blade, pura e simplesmente por que o caprino cagando na mão era algo desconcertante demais para se digerir após tanto tempo.
Esperaria Subaé fazer seu arremesso e diria:

-Cara eu sou um merdeiro de primeira, mas CA-RA-LHO, você levou isso a outro nível, capetão.

Que saudades dessa piadoca de dez anos atrás, capitão cabra com chifres, capetão, chamem seus tios e preparem os pavês, piadocas do Deep, voltando a ativa. Arremessaria meu ex oponente nos caras e diria em alto e bom som:

-Se é pra tacar bosta, toma essa ai…

A partir daí se alguém tentasse atacar a mim ou meus colegas, tentaria socar este na barriga com um gancho da mão do lado que a pessoa está de mim, de forma a tentar tirar este do chão e com um giro do punho e ombro mudaria a posição destes para poder jogar a pessoa para a frente, mirando ela contra outros oponentes.

Se tentassem fugir, pegaria a barraca mais próxima e arremessaria o que tivesse de mais pesado nela que eu conseguisse jogar, miraria na direção do fujão… No entanto eu tinha noção que minha força superava minha mira e muito, então viraria pra Blade enquanto fazia o arremesso e diria:

-Eu vou errar, ele vai assustar, soltar um “caralho” e aí tu acerta, prepara o tiro…

Se ele acertasse o tiro, diria:

-KUKUKU… Eles sempre fazem a mesma coisa… ai ai… Mas me fala… Sarna melhora a mira? Ou seriam as pulgas?


Histórico:


_________________

Legenda:

-Fala do Deep

-Voz da entidade

Cabras da Peste, vol 1- Amanhecer do Sul - Página 3 TbTEfdK
Jupges
Imagem :
Cabras da Peste, vol 1- Amanhecer do Sul - Página 3 Https%3A%2F%2Fpictures.betaseries.com%2Fbanners%2Fepisodes%2F81841%2F1069791
Créditos :
00
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1419-nero-vil-gax https://www.allbluerpg.com/t1652p30-curiosidades-em-serie-novos-horizontes-act-ii#20786
Jupges
Pirata
Blade
Lobão
Blade mandou Lua embora apontando pra longe, não estava bravo com ela apenas preocupado, depois se certificaria de ensina-la a como ser um cão de guarda

Blade pegava a adaga do cadáver em que estava em cima, e se virava pra trás, ouvindo o que a garota tinha a dizer. Blade então com um olhar demoníaco, e bufando ar com força pra fora de sua boca, lambia os beiços limpando o sangue fresco que restava, e ao se aproximar da garota olhando ela de cima para baixo, e calmamente diria, -Aqui não é lugar para garotinhas como você... Vá embora.

O lobo deveria estar no mínimo nervoso, ainda não gostava de se meter em brigas e matou um cara sem necessidade, mesmo que este estivesse ameaçando a ele e a sua fiel companheira, talvez o instinto estivesse tomando lugar na luta.

Ao terminar a frase Blade sentiria dois cheiros, o primeiro muito familiar, um cheiro que ele não sentia a muito tempo mas que estava guardado em sua lembrança, olhava para o lado, a origem do cheiro e percebia Mikazuki, o gurizinho de antes havia crescido bastante, e Blade diria, -O que está fazendo parado aí? VÁ AJUDAR SEU CAPITÃO DROGA!, depois de terminar a frase daria um empurrãozinho nele em direção a luta.

E sentindo um segundo cheiro desta vez, CHEIRO DE MERDA? Se perguntava o lobo enquanto olhava para a origem do cheiro, e via seu capitão cagando na mão e tacando no Baron, da distância que Blade estava dos demais, não havia um real perigo de ser atacado, então aproveitava a oportunidade, recarregava sua arma e enquanto Baron estivesse ainda distraído, daria dois tiros mirando as suas pernas. Sem muito tempo para respirar, via Deep chamando ele para outra oportunidade UMA BARRACA INTEIRA sendo jogada em direção aos homens, entenderia o antigo chamado, e daria tiros na barriga dos homens surpresos, mirando mais especificamente o estômago dos mesmos, um tiro no estômago e você não aguenta a dor, dois e você está no chão se contorcendo, e três o inimigo apenas te finaliza.

Se durante os meus tiros algum inimigo se aproximasse, eu puxaria a adaga que roubei, ainda com minha arma na mão, me abaixaria e defenderia meu corpo com este braço. A adaga virada em direção ao homem, quando o mesmo viesse me atacar, enfiaria a adaga no peito do cidadão, torceria a adaga, e daria um tiro a queima roupa no cidadão, esperando ele cair gelado no chão, puxando a adaga de volta e continuando o ataque.

Depois de ver a sequência de ataques do meu capitão, já saberia muito bem o que fazer, colocaria o cabo da adaga na minha boca para segurar a adaga, e correria em quatro patas para ganhar mais velocidade, mirando o Baron, pularia quando chegasse perto e pegaria a adaga de minha boca, aterrissando em cima do homem esfaqueando ele, quando o mesmo estivesse no chão, eu esfaquearia ele de novo, e de NOVO, e DE NOVO, E DE NOVO.

O lobo estava visivelmente com raiva, de maneira até um pouco assustadora, enquanto esfaqueava o homem, se fingia de distraído esperando um ataque inimigo, e já no chão o lobo passaria uma rasteira no primeiro que viesse ataca-lo, se levantando e atirando no infeliz que tentasse atacar o mink, que nesse exato momento, nem mirava mais em um lugar específico, apenas atiraria até ficar sem munição






objetivos:

Atributos, qualidades e perícias:

Histórico:


Última edição por Jupges em Qua Jun 02, 2021 11:18 am, editado 1 vez(es)

_________________

Cabras da Peste, vol 1- Amanhecer do Sul - Página 3 JOLLY_PNG
Moonchild
Imagem :
Cabras da Peste, vol 1- Amanhecer do Sul - Página 3 350x120
Créditos :
07
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t460-kawazakana-mikazuki https://www.allbluerpg.com/t348p20-cabras-da-peste-vol-1-amanhecer-do-sul
I will take the dive
This small bathtub feels deep today
Singing na na na na na
I’m thinking of you
Then I’m diving

I wanna know you
From your surface
To the other side of the ocean, oh I

Take the dive
I’m dreaming with my eyes open
Breathing in your air
Amanhecer do Sul"Eu o sepultei nas profundezas do mar. Enterrei todos vocês no mesmo túmulo naquele dia."
— O Mink cabra se chama Subaé? — perguntei de forma retorica, como se não tivesse ouvido direito, mas ouvi muito bem, sim. Não vou dizer que acreditei logo de primeira, quero dizer, nós vimos aquele cara morrer... ou ao menos eu tinha a lembrança de tê-lo feito. Se ele não tivesse mesmo morrido naquela ocasião, o bando não teria se separado, então certamente não faz sentido ele estar ali brigando no meio da rua. "Um impostor?", pensei, tentando achar um motivo lógico, mas não éramos tão famosos assim no passado ao ponto de ter um copycat do capitão perambulando por aí.

Então ele realmente sobreviveu?

Eu não soube o que fazer com aquela informação em um primeiro momento. Eu devia sentir felicidade por ele estar vivo? Raiva por ter deixado o bando se separar sem ter feito nada? Gratidão por mesmo vivo não ter retornado e isso ter colaborado para eu ter saído em busca da minha mãe? Enquanto eu me mantive estático refletindo no que tinha acabado de ouvir, as coisas não pararam de acontecer ao meu redor. Ouvi a voz de Eve ao longe, mesmo que ela estivesse logo ali apoiada no meu ombro, e foi isso que me tirou do meu transe. Bom, isso e a aproximação de Blade. Parando para pensar, o fato do Lobo estar ali mais que confirmava que se tratava mesmo do Subaé, mas quando ele me empurrou para frente cobrando ajuda, dentre todas as opções de reações que eu tinha, a que eu escolhi foi simplesmente...

— Meu capitão está morto.

... negar. Quando Blade me empurrar para frente, eu viraria o corpo em um giro quase como se dançasse. Minha mão esquerda desceria rapidamente até a minha cintura, onde minha Rapieira estava devidamente acomodada em sua bainha. Com a mão direita nas costas, eu daria um leve impulso para trás com o pé esquerdo, tomando distância o suficiente para apontar a minha arma em direção ao pescoço de Blade sem necessariamente encostar nele. Meu olhar estava sério, já que não gosto que uma pessoa qualquer me diga o que fazer. Apesar de minha postura completamente ofensiva, minha intenção não era machucar meu antigo companheiro; eu apenas reagi como tive que o fazer pelos últimos anos. Sendo assim, não o impediria de sair da minha frente e voltar para aquela luta que parecia completamente sem sentido.

Mantendo a postura ereta, eu viraria o corpo novamente em direção à toda aquela bagunça. Apesar de não querer me envolver naquilo mais (muito por birra por ter Blade praticamente me mandando o fazer) e ter a chance de simplesmente me livrar daquilo tudo já que todos estavam ocupados demais vendo Subaé literalmente jogar merda nos seus inimigos (confirmando mais uma vez que aquele era mesmo o falecido não tão falecido), algo parecia continuar me empurrando para frente. Olhei para trás, mesmo sabendo que ninguém estava encostando em mim. Olharia para Eve, que parecia conhecer bem a cidade e poderia ser útil.

— Vou resolver isso. Me espere aqui. — pediria, virando o olhar novamente para a batalha. Josuk já parecia ter se rendido, mas Subaé não parecia disposto a parar. Eu lembrava de sua teimosia, mas quase tinha esquecido o quanto ele conseguia ser estúpido. Não só ele não parou, com também os outros que pareciam estar lutando ao seu lado. Você deve pensar que no meio disso tudo eu ficaria do lado do meu antigo bando, certo? Mas não é assim que essa banda toca. Meu objetivo ali é simplesmente cessar aquela matança desnecessária. Para mim, estava claro qual dos lados que não conseguia simplesmente parar. São eles que precisam ser detidos.

Minha intenção era me meter entre Subaé e seu alvo antes que o Mink conseguisse completar o seu movimento. Usando da Rapieira, eu miraria em suas pernas (o que parecia ser o mais exposto, já que seu movimento as coloca para cima e fica mais fácil de cortar). Não para machucá-lo pesadamente ou algo do tipo, mas talvez lhe dar um susto e impedir que continue com o plano. Senão um susto, pelo um corte leve que pelo menos o deixe alerta sobre a minha presença. À frente do grupo que estava sendo derrotado, eu manteria a pose de esgrima com a rapieira apontada para Subaé. Eu sabia que provavelmente não daria conta de toda aquela gente sozinho, mas se ele ainda tinha um mínimo de consideração pelo o nome que todos carregaram há dez anos, talvez me ouvisse.

— Já chega. — falaria, sentindo o sol arder sobre a minha cabeça. Aquilo seria o suficiente para fazer o brilho dourado característico do meu cabelo entregar quem sou. Blade já parecia ter me reconhecido, então talvez Subaé também conseguisse o fazer — Eles já desistiram. O que está tentando provar?
ATRIBUTOS
PdV: 140
STA: 100

Força: 0 (Incompetente)
Destreza: 9 (+4) (+3) (+2) = 18 (Regular)
Acerto: 5 (+2) (+3) = 10 (Regular)
Reflexo: 5 (+2) = 7 (Regular)
Constituição: 1 (Regular)

Agilidade: 8
Oportunidade de Ataque: 3
Redução de Dano: 0

QUALIDADES
Nadador Nato (Racial)
Você é capaz de respirar debaixo d’água e ganha 10% de agilidade ao se locomover dentro d’água.

Cuspe Potente (Racial)
Você possui a capacidade de ingerir líquidos e, enquanto armazená-los em sua boca, será capaz de cuspi-los com grande força e velocidade, fazendo com que causem impactos similares aos causados por munições de pistolas.

Senso de Direção (1)
Você nunca se perde e sempre é capaz de se orientar, as vezes até parece que você tem uma bússola dentro da cabeça.

Prontidão (2)
Você está sempre pronto para agir ou reagir, alcançando o ápice da sua velocidade ou força em questão de poucos instantes. Mecanicamente, reduz a condição lento em uma categoria, se a condição aplicada for categoria III ou inferior.

Mestre em Haki (4)
Assim que você desbloquear a especialização do Haki da Observação ou do Haki do Armamento, você pode escolher seguir dois caminhos de especialização simultaneamente. Nesse caso, os efeitos narrativos se acumulam, mas os bônus de atributo concedidos não. Nessa hipótese, o melhor atributo entre os dois será considerado sempre.

DEFEITOS
Atípico (Racial)
Devido ao fato dos Meio Homens-Peixe não serem tão comuns e não se tratarem de uma raça tão populosa quanto os humanos, eles têm um alto preço no mercado de escravos, o que sempre pode vir a ser um problema.

Segregação (Racial)
Pelo fato de ser um meio homem-peixe, você é proibido de ingressar na Marinha ou no Governo Mundial (contudo ainda pode fazer a vida como um Caçador de Recompensas).

Compulsivo (1)
Você tem uma mania, hábito ou ritual simples que precisa executar ao menos uma vez a cada duas páginas, como, por exemplo, roer as unhas.
Compulsão: enrolar o cabelo em algum dedo

Perfeccionista (1)
Você não pode ver nada fora de seu devido lugar, qualquer coisa que pareça afetar a harmonia ou a ordem lhe causam um profundo incômodo.

Vaidoso (2)
Você sente a necessidade de estar sempre limpo e bem arrumado, não suportando ficar sujo ou desgrenhado.

Improdutivo (3)
Você tem problemas de inspiração e criativade ao planejar qualquer obra, além disso, libera um espaço para projetar criações apenas em níveis impares.

PROFICIÊNCIAS
Cartografia: Você pode ler, criar e reproduzir mapas com precisão.

Condução: Você sabe conduzir, pilotar, manobrar e manejar veículos com apenas um pouco de treino. Para navegar, é necessário que alguém com condução assuma o timão do navio.

Geografia: Você é capaz de compreender as características geográficas de um lugar, paisagem, território ou região, sabendo identificar coisas como o tipo de solo e bioma.

Navegação: Você sabe se localizar e que direção deve seguir para chegar no ponto que almeja, além disso, sabe ler e interpretar mapas. Sabe coordenar o manejo de um navio, dizendo quando subir ou baixar velas e quando ficar a favor ou contra o vento.

Atletismo: Você tem um corpo atlético e conhece bem os seus próprios limites, consegue correr, saltar e escalar com as mãos nuas, desde que os feitos sejam coerentes com seus atributos físicos.
[ ] Me reunir com a tripulação
[ ] Aprender Acrobacia (Proficiência)
[ ] Conseguir uma máscara
Nome: Mikazuki
Posts: 3
Ganhos: Nada por enquanto
Perdas: Nada por enquanto
Players Conhecidos: Ninguém por enquanto
NPC's: Ninguém por enquanto
Extras: Nada por enquanto

_________________


Formiga
Imagem :
Cabras da Peste, vol 1- Amanhecer do Sul - Página 3 26613303cf
Créditos :
5
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1843-nymeria-nymph
Formiga
Desenvolvedor




Cabras da Peste

Vol 01 - Amanhecer do Sul


Dia 01 || Arosa - Petra Yuni || Clima: Quente || Início de Tarde
N° de Postagens do Narrador: 06


Todos, exceto a Bella

Blade reencontrou seu antigo companheiro de bando, dando um incentivo para que o mesmo auxiliasse na batalha, coisa que aos olhos de Mikazuki tinha sido algo totalmente desagradável que o fez por instinto sacar sua arma, como forma de mostrar seu descontentamento pela rude ação. Eve ao ver os movimentos graciosos do rapaz, realizava uma expressão de surpresa e dava literalmente um joinha ao ouvir as palavras de Mika.

Agora que começa a merda! Subaé em uma ação um tanto quanto inusitada, nojenta e extremamente fedorenta. Cara, eu preciso descrever melhor isso! O caprino por si só já não cheirava bem e dava ânsia de vômito aqueles ao seu redor, mas o montante de fezes que ele externou tinha um odor que posso definir como um "spoiler" de como é o inferno, algumas crianças que assistiam começaram a vomitar, outros curiosos sentiam como se seus órgãos fossem sair pela boca - ELE JOGOU COCÔ? - Disse uma criança que ria descaradamente ao ver aquele ser lançando seus dejetos em direção a Josuk e Boron.

Cabras da Peste, vol 1- Amanhecer do Sul - Página 3 Tenor

O pacote acertava em cheio o rosto de ambos e nesse momento ele escutava sons de disparos, Blade tinha com êxito acertado dois tiros na coxa direita do homem que já estava praticamente fora de batalha - QUE MERDA É ESSA? PORRA! PORRA! PORRA! - Gritava Josuk limpando a merda que escorria pela sua face. O homem via que a situação não estava nada boa para ele, o tritão balofo jogava um de seus homens que mal respirava, olhando ao redor percebeu a presença de um Mink? Ou aquilo era simplesmente um cachorro? Ele corria em sua direção com uma adaga na boca e com medo, o homem jogou seu corpo para trás caindo de bunda no chão. Quando olhou para frente ele viu Subaé indo em sua direção, parecia sentir uma certa dor em seu corpo mas aquilo não o impedia - ME AJUDEM! - Gritou olhando ao redor, mas não encontrou os poucos homens que estavam ali segundos atrás, muito menos algum dos curiosos tomaram as dores do homem que outrora causava pânico naquele quarteirão.

Entretanto, antes que Subaé pudesse concluir sua ação ele era impedido por um homem de cabelos castanhos escuros que, por causa do sol, refletia em um tom dourado que se assemelha a escamas. O mesmo estava com sua rapieira apontada para o homem que forçava bruscamente parar sua investida, aquele era Mikazuki. O meio homem peixe estava de costas para Boron, por isso não conseguia ver o início do ataque brutal de Blade, este último caia por cima do homem que estava de joelhos devido aos tiros recebidos, o sangue escorria pelos seus ferimentos, contudo, aquilo não parecia ter nenhuma relevância perante as ações do Canino, que de maneira brutal esfaqueada repetidas vezes o corpo do homem, notando a fagulha de vida que restava-lhe se esvaindo pouco a pouco.

Josuk simplesmente corria de maneira desesperada - EU VOU MATAR VOCÊS, VOCÊS ESTÃO MORTOS! - Vociferava o homem sumindo em meio a curiosos. Infelizmente para Deep nada de útil para ser lançado estava por perto, restou-lhe apenas o chicote do seu oponente e um anel de prata - que não cabia em seu dedo. O público começava a se dispersar após a finalização da batalha, algumas pessoas passavam perto de Subaé colocando ambas as mãos no nariz, uma tentativa de se protegerem do odor fétido exalado pelo mesmo. Blade ainda estava em cima do corpo sem vida de Boron, a velha Adaga que estava em sua mão - se ele observasse - poderia notar uma extensa rachadura em sua lâmina, era visível que não duraria por mais uma batalha.

Por fim todos ficavam ali, parecia que as pessoas já estavam acostumadas com brigas ocorrendo naquela região, claro, as ações exóticas do caprino seriam contadas a terceiros e provavelmente marcaria a história daquela rua por algum tempo - Olha o cagão! - Gritava uma criança correndo sem rumo.


LegendasTulin  ~ Aparência
Zahir ~ Aparência
Sem nome
Josuk
Boron
Yagger
NPC's
Chadd ~ Aparência
Lua
Nome (??)
Josuk
Eve




Histórico Geral:

FICHAS - NPC:

Log de combate:
Deep
Imagem :
Cabras da Peste, vol 1- Amanhecer do Sul - Página 3 Tfig50k
Créditos :
05
Localização :
Sirarossa - West Blue
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1116-deep-cutt#10446 https://www.allbluerpg.com/t1386-cap-2-ascendendo-as-profundezas#14266
Deep
Novato

A situação se resolvia até que rápido e apesar de eu estar com o estômago revirado pela ação escatológica de Subaé, também sabia de duas coisas, a primeira é que estamos em Petra Yuni então vai ter muito mais merda do que essa em breve… Não o mesmo tipo de merda mas a referência persiste. E a segunda é que a marinha poderia aparecer, afinal creio que a gente matou uma galera, então podem vir a querer encher nosso saco.
Com a ação eu também reparava na presença de dois rostos desconhecidos e de Blade.

-Vocês estavam juntos? Ou isso é uma coincidência das boas? E quem são os rostos novos? Melhor, tem um lugar aqui perto que dá pra gente comer, beber e botar o papo em dia.

Acenando pra me seguirem, adentraria o restaurante de antes e diria pro cara de antes:

-Por mais que lutar contigo seja um prazer, agora to aqui como um cliente… Consigo uma rodada por isso aqui?

No fim de minha fala mostraria o anel de prata pego do cara, de forma a ofertar ele como pagamento.

-Alguém mais aí tem um troco pro cara cozinhar também? To com fome e quero falar com vocês, não encher o cara de porrada e ir pra cozinha.

Diria em voz alta, cutucando Subaé com o cotovelo sem me importar do cara do local ouvir minha fala.

-Aproveita e vai lavar as mãos capetão… E se tiver dinheiro já completa o pagamento ali…

Se conseguisse pagar o cara iria me sentar no chão ao lado de alguma mesa, com meu tamanho provavelmente ficaria no mesmo nível dos pequeninos do resto do grupo e sem correr risco de quebrar uma cadeira… Afinal agora eu quero entender o que está ocorrendo, comer e beber, não brigar.


Histórico:


_________________

Legenda:

-Fala do Deep

-Voz da entidade

Cabras da Peste, vol 1- Amanhecer do Sul - Página 3 TbTEfdK
Subaé
Imagem :
Cabras da Peste, vol 1- Amanhecer do Sul - Página 3 Cantinho_foto
Créditos :
22
Localização :
Nos bares de então
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t354-subae?highlight=subaé https://www.allbluerpg.com/t348-cabras-da-peste-vol-1-amanhecer-do-sul#1033
Subaé
Criador de Conteúdo

Amanhecer do sul, Post 7


Cabras da Peste, vol 1- Amanhecer do Sul - Página 3 Post_610

Antes que eu pudesse chutar a cara de Josuk e seus companheiros, um rapaz loiro com uma rapieira ficou entre eu e meus inimigos…
Isso foi um pouco frustrante, mas pelo menos o tolete voador fez com que esses malas sem alça me deixem em paz.
Essa técnica sempre funciona.

Encararia Mikazuki com um pouco de raiva por ter parado meu ataque, mas as suas palavras me fizeram ficar pensativo.

-O que eu quero provar?.. - Levei a mão ao queixo em uma expressão pensativa -Boa pergunta, acho que eu só queria encher eles de sopapo mesmo.

-ZEBEBEBEBE! - Enquanto limpava a mão cagada nas calças, dei uma boa gargalhada ao perceber todo o caos que um simples cocozinho causou naquela rua. A pessoas gritavam e vomitavam, alguns até mudavam o caminho para passar bem longe de mim, mas quem merece o meu respeito é o garotinho que ficou a rir diante de tanta merda, Quanto ao garoto, eu acenaria para ele e faria uma pequena reverencia com os dedos para cumprimenta-lo.

Deep perguntou se estávamos juntos.

-Juntos? Que nada! Na verdade eu achei que VOCÊS estavam juntos…- Se nenhum de nós estavamos juntos por dez anos e nos reencontramos dessa forma incomum, isso só pode significar que... -Pelo visto os mares anseiam o nosso reencontro ZEBEBEBEBE EI VAMOS BEBER!!!

Caso Mikazuki se apresentasse para mim (ou se Blade identificasse o meio tritão) eu afagaria os seus cabelos e diria com um grande sorriso banguelo estampado no rosto:
-Vejo que cresceu bastante ein bacuri! Vem beber com a gente!!!

Seguiria Deep até o estabelecimento, mas não sem puxar a mulher espadachim comigo.
Ela prometeu me pagar uma bebida, sendo assim vou cobrar.

Enquanto caminhassemos pela rua, olharia para cada um de meus companheiros a tanto tempo não vistos sem conseguir conter um sorriso genuíno.

No estabelecimento, iria perceber que Deep já conhece o dono do local e por isso iria deixar que ele se encarregasse de pedir a bebida. Apenas entreguei duas notas de 100.000 ฿ (200.000 ฿ ao total) para que o tritão pudesse comprar o que fosse necessário.

-Galera, vou lá no banheiro lavar as mãos. Peçam o que quiserem só não deixem de pedir uma garrafa de cachaça só pra mim… e quem sabe, chamem algum médico...

Iria a passos lentos ao banheiro e lavaria as mãos com a água corrente mas sem sabão.
Odeio passar sabão nos meus pêlos, ficam muito ressecados.
Agora que meu sangue esfriou a dor nas costas estava ficando cada vez pior, o sangue continuava a escorrer mas o que eu poderia fazer quanto a isso?? Pelo menos a bebida vai me ajudar a ignorar essa maldita dor.

Na volta, iria direto até a mesa onde meus companheiros estiverem, sentaria na cadeira mais próxima e apoiaria minha testa e o peitoral na mesa apoiando-me sobre meus braços cruzados.

Tudo para não encostar as costas na cadeira, essa merda tá doendo demais -EI GORDÃO DO BAR, MANDA ALGUÉM VIR COSTURAR ESSA FERIDA NAS MINHAS COSTAS, NA MORAL!

Caso os nossos pedidos já estivessem na mesa, abriria a minha garrafa de cachaça e daria uns quatro goles direto no gargalo. Degustar não seria a minha intenção, a situação de mais cedo me deixou de cara, a dor do corte das costas não deixava de me incomodar e agora eu só queria ficar o mais bebum que eu pudesse.

-Sabem, dez anos atrás em Baterilla eu pensei que ia morrer. Caminhei pelo corredor da morte e tive uma corda amarrada em meu pescoço - Levantaria a minha barba para mostrar a todos a cicatriz no pescoço que a corda deixou - Mas para a minha surpresa a morte me rejeitou mais uma vez. Seria algo a se festejar, mas quando busquei por vocês não encontrei ninguém. E tenho buscado desde então, bom, pelo menos quando não estava bêbado por alguma viela...

-Mas vou ser sincero, eu não vim aqui procurar nenhum de vocês - Tirei o retrato falado do “duende” feito por mim mesmo do bolso e mostrei para todos os presentes na mesa - Eu estou atrás deste duende, as lendas o chamam de Peri Erê e dizem que seu sangue tem propriedades curativas.Vocês não viram ele por aí?



Histórico:


Proficiências:
- Acrobacia
-Ameaça
-Atletismo
-Briga
-Lábia

Qualidades:
-Carismático
-Prodígio
-Talentoso
-Destemido
-Electro
-Idioma silvestre
-Chifres curvos
-Cabeça dura

Defeitos:
-Doença degenerativa
-Sadista
-Cabeça quente
-Dependente (15 posts)
-Extravagante
-Apegado (ao chapéu)
-Feio
-Preconceito
-Atípico
-Sensível ao calor
-Forma sulong.
-Roubar remédios da farmácia
-Encontrar o bonde
-saciar vício
-Aprender proficiências investigação e Criptografia
-Prender o anão perneta dentro de uma garrafa. (NPC companheiro)
-começar a desenvolver liderança
240/240100/1004/109/15

_________________

Cabras da Peste, vol 1- Amanhecer do Sul - Página 3 Unknown

Tabela de preços:
Jupges
Imagem :
Cabras da Peste, vol 1- Amanhecer do Sul - Página 3 Https%3A%2F%2Fpictures.betaseries.com%2Fbanners%2Fepisodes%2F81841%2F1069791
Créditos :
00
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1419-nero-vil-gax https://www.allbluerpg.com/t1652p30-curiosidades-em-serie-novos-horizontes-act-ii#20786
Jupges
Pirata
Blade
Lobão
Blade estava encharcado de sangue, o que deve ter ajudado ele a esquecer o cheiro de merda, não que o cheiro de sangue seja melhor, mas a adrenalina do lobo estava extremamente alta.

Então quando o mesmo se virou e viu Mikazuki questionar a própria lealdade ao capitão, o lobo ficou enfurecido retraiu suas garras para não machucar o garoto, mas ainda assim Mikazuki pode ver uma figura vermelha atrás dele, encharcada de sangue, apertando seu ombro com força e dizendo com uma voz assustadora, -É assim que você retribui o capitão Mikazuki? ELE TE DEU COMIDA E CASA QUANDO AINDA ERA UM MULEQUE, E VOCÊ LEVANTA SUA ARMA EM FORMA DE AGRADECIMENTO?!, Blade parecia indignado com a situação, talvez não fosse nem ao menos ele falando ali, talvez foi uma combinação de adrenalina, matança e rebeldia por parte do Mikazuki que estivesse falando ali, -Larga a arma Mikazuki!

Blade diria essas palavras esperançoso, que o garoto superasse a teimosia e abaixasse a arma, caso acontecesse isso Blade soltaria o ombro do garoto, chamaria pela Lua e diria, -Eu já vou pro bar, mas preciso terminar um negócio antes disso, o lobo aproveitaria e iria até a barraca de Josuk, PEGAR TUDO, Blade não deixaria um berry sequer no caixa, muito menos remédios úteis a mostra, principalmente o remédio de gripe da filha do Chadd, ou alguns analgésicos para seus amigos, afinal Blade não havia saído da luta com um arranhão, talvez com uns poucos hematomas, se Blade tivesse o conhecimento, tentaria achar um analgésico que não corta o efeito com bebidas.

Se Mikazuki não tivesse largado a arma, Blade seria obrigado a fazer o que ele não queria, no primeiro movimento hostil de Mikazuki, Blade fecharia os braços em torno do muleque, ''abraçando'' ele por trás, e se jogando com todo o seu peso em cima dele, afinal Blade sabia que Mikazuki não iria ter forças para levantar, ou talvez teria mas aí seria uma surpresa desagradável. Com Mikazuki embaixo de Blade, o lobo diria, -Peça desculpas ao capitão por ter levantado a arma a ele, a esperança do lobo é que com a situação do calor de Petra Yuni, misturado com sangue e uma camada grossa de pelos, ainda por cima com 260 kg em cima do Mikazuki, o mesmo desistisse e pedisse desculpas ao capitão, se isso acontecesse, Blade seguiria o que estava fazendo, se não acontecesse Blade ficaria lá parado em cima dele até ele pedir desculpas.

Quando tivesse terminado de roubar a loja do Josuk, Blade iria até o bar, colocaria os analgésicos na mesa e diria -Olha eu não sei o que há com vocês, mas parece que desaprenderam a lutar, eu matei dois e saí novo como uma bela árvore depois de uma chuva, já vocês, estão todos fodidos, e vocês não tem noção da saudade que eu estava disso Khak Khak Khak KAAAA!, Blade gargalhava de felicidade por estar junto de sua tripulação bebendo de novo.

Ouvia o que Deep falava sobre um troco para cozinhar, e caso Blade tivesse achado algo na barraca do Josuk ele daria pro seu velho amigo, já sobre o que Subaé tinha a falar Blade comentava, -Olha, eu sinceramente não quero saber como você está vivo, apenas estou feliz de você não estar morto, agora sobre esse tal de Peri Erê, ATENÇÃO TODOS NO BAR ALGUÉM CONHECE UM DUENDEZINHO DE UMA PERNA SÓ?, e Blade havia feito o melhor que podia para achar o duende, na verdade não, se Blade realmente quisesse achar o maldito duende ele ia perguntar pra fulano, que ia falar de ciclano, que ia falar de beltrano até chegar no duende.

E agora se esquivando do que Subaé havia dito, Blade tratava de um assunto próprio com a tripulação, -Ei é um pouco fora de contexto, mas eu preciso ir até o Palácio de Sal, e eu gostaria que fossemos assim que eu saíssemos do restaurante, o sangue que começava a secar em Blade e começava a fazer seus pelos coçarem, então o mesmo se via obrigado a ir até o banheiro se lavar, logo depois de falar era o que o lobo faria.






objetivos:

Atributos, qualidades e perícias:

Histórico:

_________________

Cabras da Peste, vol 1- Amanhecer do Sul - Página 3 JOLLY_PNG
Moonchild
Imagem :
Cabras da Peste, vol 1- Amanhecer do Sul - Página 3 350x120
Créditos :
07
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t460-kawazakana-mikazuki https://www.allbluerpg.com/t348p20-cabras-da-peste-vol-1-amanhecer-do-sul
I will take the dive
This small bathtub feels deep today
Singing na na na na na
I’m thinking of you
Then I’m diving

I wanna know you
From your surface
To the other side of the ocean, oh I

Take the dive
I’m dreaming with my eyes open
Breathing in your air
Amanhecer do Sul"Eu o sepultei nas profundezas do mar. Enterrei todos vocês no mesmo túmulo naquele dia."
A reação de Subaé de certa forma me desarmou. Eu estava que ele respondesse algo que fosse mais condizente com o que um pirata diria, algo com retaliação por ter sido machucado ou até mesmo por conta de orgulho ferido, mas o fato do Mink ter assumido que nem ele sabia mais o motivo de estar insistindo naquilo eu quase dei uma risada. Digo quase porque a reação de Blade me impediu de me sentir mais confortável com aquele reencontro. Eu já tinha embainhado a rapieira quando o Lobo chegou por trás sujando a minha roupa com aquela sua mão coberta de sangue. Olhei por cima do ombro o vermelho manchando o tecido do meu casaco e então senti aquele calor subir pela garganta. Por mim, eu viraria naquele instante e lhe cortaria a garganta, mas não seria eu a dar início a outro caos generalizado.

— E justamente por ser agradecido a ele que eu apenas levantei a arma. — responderia Blade momentos antes de mover meu ombro para frente para me desvencilhar de sua mão. Meu tom de voz era calmo e baixo, já que certamente não é do meu feitio sair tentando resolver minhas desavenças na base do grito. Percebi que minhas memórias com aqueles caras há muito pareciam somente borrões, como se fossem sonhos. Depois de dez anos era de se imaginar que eu não conseguiria lembrar de tudo com detalhes, no fim das contas. Muita coisa aconteceu desde então e fiz memórias melhores que essas daquela época. Não que eu tenha conscientemente tentado esquecer, mas eu tinha coisas mais importantes para me preocupar. Tipo, BEM mais importantes — Não se aproxime de mim. — falaria, antes de caminhar na direção de Subaé.

O que eu pensei assim que fiquei cara a cara com ele? Primeiro, que o cheiro dele conseguiu não mudar mesmo depois de dez anos. Para ser sincero, a mistura do seu cheiro natural com aquele odor de merda que ainda exalava de suas mãos porcamente limpadas em sua roupa não me agradavam. Se fosse outra pessoa, eu já teria me afastado para tomar um banho de perfume, mas sendo quem ele era, eu apenas me mantive ali e resisti à repulsa que aquilo me causava. Quando ele levantasse a mão para bagunçar meu cabelo, eu apenas desviaria de forma sutil. Apenas passar as mãos na roupa não era o suficiente para limpá-las de verdade, pensei, e a última coisa que eu gostaria era ficar sujo de merda também.

— Foi um prazer revê-lo.... capitão. — comentaria, já me afastando um pouco. A relutância ao chamá-lo de capitão era óbvia. Fazia muito tempo desde que eu não usava aquela palavra. De alguma forma, ela tinha bastante peso para mim. Sim, eu tinha um novo "capitão" na forma de Ryujin, mas eu nunca o chamei dessa forma, me limitando a referir ao Tritão apenas como chefe. Talvez um gesto que Blade não considerasse lealdade o suficiente, mas algo no fundo da minha mente se recusava a usar tal termo para se referir a qualquer outro que não fosse Subaé. E mesmo com tudo isso, vendo ele bem ali na minha frente, usar tal termo de novo não me pareceu certo. Era como se aquilo não se encaixasse mais na minha vida. E sinceramente? Eu sabia que não servia mais para aquilo. Não era o tipo de fama que eu gostaria de ter.

Sem falar com os demais, apenas me viraria na direção de Eve e segurando-a pelo braço (entrelaçando eles, meio casalzinho) a guiaria para longe dali. Se ela quisesse perguntar alguma coisa, eu esperaria estarmos afastados o suficiente para respondê-la, mantendo um silêncio talvez até incômodo pelos primeiros segundos de caminhada. Com uma mão massageando no início do nariz, eu me encostaria em uma parede e então soltaria um longo suspiro. Eu tinha um trabalho para cumprir e aquilo tinha sido uma grande distração. Perdi tempo me metendo naquela briga e agora essa sensação de estar traindo o Mikazuki de oito anos não parecia querer sair de mim. Para resolver isso, minha mente e meu corpo precisariam ficar ocupados.

— Preciso me distrair. — comentaria com Eve — Sabe algum lugar que posso treinar? Alguma academia, ou algo desse tipo. — olharia para a mancha de sangue no meu ombro e então continuaria — Talvez um lugar onde posso lavar minha roupa, também.
ATRIBUTOS
PdV: 140
STA: 100

Força: 0 (Incompetente)
Destreza: 9 (+4) (+3) (+2) = 18 (Regular)
Acerto: 5 (+2) (+3) = 10 (Regular)
Reflexo: 5 (+2) = 7 (Regular)
Constituição: 1 (Regular)

Agilidade: 8
Oportunidade de Ataque: 3
Redução de Dano: 0

QUALIDADES
Nadador Nato (Racial)
Você é capaz de respirar debaixo d’água e ganha 10% de agilidade ao se locomover dentro d’água.

Cuspe Potente (Racial)
Você possui a capacidade de ingerir líquidos e, enquanto armazená-los em sua boca, será capaz de cuspi-los com grande força e velocidade, fazendo com que causem impactos similares aos causados por munições de pistolas.

Senso de Direção (1)
Você nunca se perde e sempre é capaz de se orientar, as vezes até parece que você tem uma bússola dentro da cabeça.

Prontidão (2)
Você está sempre pronto para agir ou reagir, alcançando o ápice da sua velocidade ou força em questão de poucos instantes. Mecanicamente, reduz a condição lento em uma categoria, se a condição aplicada for categoria III ou inferior.

Mestre em Haki (4)
Assim que você desbloquear a especialização do Haki da Observação ou do Haki do Armamento, você pode escolher seguir dois caminhos de especialização simultaneamente. Nesse caso, os efeitos narrativos se acumulam, mas os bônus de atributo concedidos não. Nessa hipótese, o melhor atributo entre os dois será considerado sempre.

DEFEITOS
Atípico (Racial)
Devido ao fato dos Meio Homens-Peixe não serem tão comuns e não se tratarem de uma raça tão populosa quanto os humanos, eles têm um alto preço no mercado de escravos, o que sempre pode vir a ser um problema.

Segregação (Racial)
Pelo fato de ser um meio homem-peixe, você é proibido de ingressar na Marinha ou no Governo Mundial (contudo ainda pode fazer a vida como um Caçador de Recompensas).

Compulsivo (1)
Você tem uma mania, hábito ou ritual simples que precisa executar ao menos uma vez a cada duas páginas, como, por exemplo, roer as unhas.
Compulsão: enrolar o cabelo em algum dedo

Perfeccionista (1)
Você não pode ver nada fora de seu devido lugar, qualquer coisa que pareça afetar a harmonia ou a ordem lhe causam um profundo incômodo.

Vaidoso (2)
Você sente a necessidade de estar sempre limpo e bem arrumado, não suportando ficar sujo ou desgrenhado.

Improdutivo (3)
Você tem problemas de inspiração e criativade ao planejar qualquer obra, além disso, libera um espaço para projetar criações apenas em níveis impares.

PROFICIÊNCIAS
Cartografia: Você pode ler, criar e reproduzir mapas com precisão.

Condução: Você sabe conduzir, pilotar, manobrar e manejar veículos com apenas um pouco de treino. Para navegar, é necessário que alguém com condução assuma o timão do navio.

Geografia: Você é capaz de compreender as características geográficas de um lugar, paisagem, território ou região, sabendo identificar coisas como o tipo de solo e bioma.

Navegação: Você sabe se localizar e que direção deve seguir para chegar no ponto que almeja, além disso, sabe ler e interpretar mapas. Sabe coordenar o manejo de um navio, dizendo quando subir ou baixar velas e quando ficar a favor ou contra o vento.

Atletismo: Você tem um corpo atlético e conhece bem os seus próprios limites, consegue correr, saltar e escalar com as mãos nuas, desde que os feitos sejam coerentes com seus atributos físicos.
[ ] Me reunir com a tripulação (objetivo cancelado)
[ ] Aprender Acrobacia (Proficiência)
[ ] Conseguir uma máscara
Nome: Mikazuki
Posts: 4
Ganhos: Nada por enquanto
Perdas: Nada por enquanto
Players Conhecidos: Ninguém por enquanto
NPC's: Ninguém por enquanto
Extras: Nada por enquanto

_________________


Formiga
Imagem :
Cabras da Peste, vol 1- Amanhecer do Sul - Página 3 26613303cf
Créditos :
5
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1843-nymeria-nymph
Formiga
Desenvolvedor




Cabras da Peste

Vol 01 - Amanhecer do Sul


Dia 01 || Arosa - Petra Yuni || Clima: Quente || Início de Tarde
N° de Postagens do Narrador: 07


Deep - Subaé - Blade

Algumas pessoas nascem com um dom ou uma única missão de fazer o bem aqueles que necessitam, em contrapartida, existem aqueles que vêm ao mundo simplesmente para causar caos e desordem, e esse último era a definição do bando comandado por Subaé. Em poucos momentos em Pietra o bode já havia se envolvido em uma série de eventos catastróficos, por mais que fosse comum na cidade em que estavam haver disputa entre pequenas gangues de criminosos, a carnificina causada por eles com certeza chamariam atenção, principalmente Blade, o lunático. Entretanto, mesmo aqueles que vem aí mundo unicamente para espalhar a crueldade por onde quer que passem tem seus momentos de tranquilidade e até mesmo conseguem entre si, manter um vínculo que se mantém firme, mesmo com o passar dos anos, alguns acabam mudando seus objetivos e unidos a novas experiências vivenciadas acaba tendo outra visão do mundo, esse é o peso carregado por Mikazuki, que ainda muito novo experimentou uma vida à margem da lei, contudo, parecia agora não estar na mesma página daqueles que um dia foram seus companheiros, na verdade, o respeito ainda continua, mas optou por seguir um caminho diferente e do mesmo modo que apareceu em meio aquele combate, saiu após externar alguns dos seus pensamentos.

O arauto da guerra, ou sendo mais claro, o Deep parecia ter se acalmado após o breve embate que ocorreu com o piruleta, mesmo sem ter experimentado a real sensação de batalha, um ar de tranquilidade pairava sobre o ser aquático. O mesmo guiou seu capitão e os outros dois até o bar que anteriormente trocou carícias com o dono, os dois homens que chegaram momentos antes do mesmo sair, já não estavam mais ali, apenas o robusto ruivo se encontrava encostado no balcão, tossia de maneira intensa e o grupo notava a presença de uma cor carmesim manchando o branco do tecido – Não liguem, infelizmente o destino não foi bom comigo. – Bradou limpando a pequena gota que escorria pelo canto da sua boca, enquanto observava os homens que ali estavam e ouvia as palavras do tritão com relação ao anel de prata, pego dos episódios inimigos – Não muito, mas consigo abater, no final lhe informo o valor, pode ser? – Em seguida tossiu novamente manchando o chão com seu sangue – Nossa luta não me fez muito bem, ainda preciso me acostumar em não fazer esforço. – Riu tentando tirar o clima pesado que se formava em volta de si.

O ruivo ouviu as palavras do capitão respirou fundo – O banheiro fica por ali. – Apontou para o lado da escada que dava pro primeiro andar, Subaé caminhava por um pequeno e estreito corredor, as paredes tinham uma tonalidade amarelada como se já fizesse alguns anos desde que o lugar passou por uma reforma, porém, ao chegar no banheiro percebia uma certa “graciosidade”, um espelho de tamanho médio onde era possível o homem ver seu tronco, era pequeno, mas aconchegante. O Mink realizava sua higiene não tem higiênica e sentia a dor se intensificar ainda mais por sorte o ferimento causado não havia sido fundo o bastante para tirar o bode de jogada, ao retornar ele tinha uma ampla visão do local. As cadeiras estavam organizadas ao redor das mesas, o balcão feito de madeira era extenso o bastante para caber dez pessoas sentadas e atrás dele, prateleiras com as mais variadas bebidas, algo que provavelmente chamaria sua atenção – Ok! Por sorte tenho um médico que está cuidando de mim aqui, ele já vai te ver. – Bradou o homem enquanto vinha trazendo comida, arroz, carne, frango, salada e outros alimentos iam chegando à mesa do grupo, seguido pela bebida que logo era aberta e ingerida pelo bode.

Blade estava de volta e tinha em mãos um monte de nada! O que restou dos homens de Josuk havia recolhido todos os medicamentos que haviam ido ao chão após o ataque de Subaé e ele viu isso acontecendo, mas em um momento de relapso tentou achar algo. Sua voz ecoava pelo salão vazio do bar, ele parecia um rolo bravejando aos ventos – Cala boca retardado! – Uma voz um tanto quanto velha tomava conta do lugar momentos depois de a fala de todos terem sido feitas, provavelmente o único que sabia quem era, seria o tritão outrora atacado pelo pequeno homem – Você tá procurando por mim? As únicas propriedades curativas que tenho é o meu conhecimento, tá viajando véi? – O pequeno de pele escuro e gorro pulava na mesa próximo ao Bode, dando literalmente um soco em seu braço, o que causava certa dor – E se eu não falo nada você ia fazer o quê? Beber meu sangue? Tá maluco? – Berrou olhando com uma cara enfezada para o Mink que sentia for – Vamo vê logo esse ferimento aí, já aviso que vai doer e vai arder, não tenho muito material, vou usar essa cachaça aí mesmo. – Proferiu – Na verdade, já volto. – Concluiu.

O grupo via o pequeno homem saltando em uma única perna de maneira célere cortando a extensão do salão, após alguns saltos acrobáticos ele alcançava a prateleira mais alta, pegando uma pequena garrafa de uma bebida de cor azul, voltando para mesa em seguida – Na minha época a gente fazia sem álcool, era só um prego e linha, hoje em dia tem tanta coisa que me sinto velho. Vai doer, viu? – Falou sobre a dor que causaria com um pouco mais de intensidade, subindo no encosto da cadeira e observando por alguns momentos o ferimento do caprino – Que lapiada foi essa em meu querido? Se quem fez colocasse mais força, suas vértebras cervicais e torácicas iam embora, ia dar sorte de ficar vivo ainda. – Olhou para o tritão – Sem ressentimentos, certo? Se ele se mexer demais, segura ele se não posso deixá-lo aleijado. – Riu em seguida e despejou o líquido na ferida e Subaé podia sentir ardendo MUITO – Seguea as estribeiras Bodão! – Gritou enquanto continuava a despejar, começando logo em seguida o tratamento necessário para fechar aquela ferida, o pequeno tinha habilidade e dava alguns pontos, fechando alguns pontos onde vazavam o sangue e por fim costurando todo o ferimento do Mink – Sem esforço por um tempo pra não arreganhar tudo de novo, da próxima vez vou cobrar. Aliás, como você sabe meu verdadeiro nome? – Falou pulando novamente na mesa, procurando por algo para pôr na boca – Seu nome não é Zahir? – Falava o robusto homem um pouco atrás dele, em pé – Mentiu pra mim seu desgraçado? – Parecia um pouco irritado, mas a tosse novamente voltava o impedindo de continuar suas falácias – Calma lá homem! Não se apegue aos detalhes. – Respondeu Peri.

O pequeno grupo continuava ali entre papos e uma dúvida parecia surgir na mente de Tulin – Vocês vieram pra Petra devido ao leilão? Essa semana vários forasteiros apareceram por aqui. - Bradou com a voz um pouco rouca, a tosse forçava sua garganta – E mais uma coisa, cuidado ao andarem pelas ruas de Pietra. Josuk pode ter parecido um bobo, mas seus homens não estavam em sua totalidade o acompanhando... Fora que vocês provavelmente chamaram a atenção dos caçadores, vocês não são piratas caçados, não é? Se forem, recomendo darem o fora o mais rápido possível, não é sábio mexer com aqueles homens. – Finalizou ingerindo um pouco de leite.


Mika

Mikazuki havia saído levando Eve pelos braços, a menina ficava corada com aquela cena e no momento não dizia nada além de um simples “sim”. A jovem guiava o rapaz pelas ruas quentes da cidade – só não procura briga com ninguém tá? Essa área já é comandada pelo grupo dos Baderneiros Vorazes da Sentinela Escaldante Raio Laser. Nome grande né? São loucos da cabeça, mas, gente boa com aqueles que não mexem com eles. – Suas palavras passavam uma sensação de confiança, como se Mika pudesse seguir seus “comandos” sem muita preocupação. A arquitetura rústica ainda de mantinha nós vários estabelecimentos a sua volta, a rua estava movimentada e a tranquilidade parecia reinar naquele ambiente, exceto pela hostilidade que alguns homens vestidos com roupas de couro preta com detalhes na cor amarelo, sem uma forma exata, apenas rabiscos – Esses são os soldados do grupo, podem parecer meio brigões, mas não vão mexer com quem tá quieto, não precisa ter medo viu? – Eve dizia ao direcionar um olhar carinhoso ao híbrido – Chegamos. – Falou garota após alguns minutos de caminhada.

Mikazuki percebia que agora estava um pouco mais próximo de uma imensa estrutura branca e dourada – Lá em cima tem uma vista privilegiada do palácio de Sal, já conhece? – Indagou a pequena de cabelos escuros enquanto caminhava em direção a um prédio com cerca de quatro andares. Ao adentrar era perceptível a falta de cuidado e higiene, algumas coisas estavam espalhadas pelo interior, tais como camisinhas, roupas velhas e os mais variados lixos que podia se imaginar, não preciso dizer que não tinha um odor agradável, não é? – Venha logo, essa parte aqui é horrível! – Falou Eve subindo as escadas, no primeiro andar podia Mika via um extenso corredor, algumas pessoas estavam na porta dos seus apartamento e outras jogadas pelo chão – Bêbados, que nojo. – Externou seus pensamentos – Aqui é meio horrível, mas, melhor que lá embaixo. – Concluiu Eve. No segundo andar as coisas pareciam estar melhorando, paredes pintadas e o extenso corredor de certa forma arrumado, as coisas melhoraram ainda mais no terceiro e quarto andar, onde parecia ser literalmente outro ambiente, até mesmo a luminosidade parecia mais vivida naqueles dois andares – Espera aqui. – Falou Eve enquanto parecia se preparar para fazer algo e então ela tomou impulso e correu na direção da escada que ligava o quarto andar ao terraço, bem, na verdade, não existia uma escada ali, apenas resquícios do que um dia foi uma – Teve uma briga intensa aqui e acabaram com a escada! – Gritou no meio do percurso a menina, a mesma realizava uma série de acrobacias e saltos, chegando até o topo, próximo à porta que dava aí terraço. A jovem passou pela mesma e em seguida apareceu novamente na porta carregando uma corda grossa e de cor marrom – Amarra aí que eu te puxo. – Falou mostrando seu bíceps contraído, em uma forma de demonstrar sua força.



LegendasTulin  ~ Aparência
Peri Erê ~ Aparência
Sem nome
Josuk
Boron
Yagger
NPC's
Chadd ~ Aparência
Lua
Nome (??)
Josuk
Eve




Histórico Geral:

FICHAS - NPC:

Log de combate:
Subaé
Imagem :
Cabras da Peste, vol 1- Amanhecer do Sul - Página 3 Cantinho_foto
Créditos :
22
Localização :
Nos bares de então
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t354-subae?highlight=subaé https://www.allbluerpg.com/t348-cabras-da-peste-vol-1-amanhecer-do-sul#1033
Subaé
Criador de Conteúdo

Amanhecer do sul, Post 8


Estar em uma mesa farta com meus companheiros era bom demais pra ser verdade, só me entristeci um pouco quando percebi que o Mikazuki não estava lá. Talvez ele tenha se perdido.

Blade falou sobre precisar ir ao palácio de sal e isso me interessou. Dizem que o palácio de Petra Yuni é um tanto quanto singular. -Nos diga mais sobre esse palácio amigão - Responderia.

Olharia para Blade e Deep  e perguntaria - O que vocês estão fazendo nessa ilha? Como passaram os últimos dez anos?

Eu estava enchendo o meu prato com tudo que não fosse carne (eu peguei o meu pedaço de carne e dei para Lua), quando um ser pequenininho veio até minha mesa.

Eu não conseguia acreditar no que os meus olhos estavam vendo.Ele era tão pequenininho e ainda por cima é perneta, e usa um gorrinho vermelho! Sim, ele estava ali na minha mesa. Mas dizia não ter poderes curativos.

-Você tá só tentando me confundir né, duendezinho discarado?

O discarado me deu um soco no braço e me intimou sobre eu beber o seu sangue.

-Eca, tá achando que eu sou um homem morcego, é? Tu tá confundindo os bichos - Olharia para ele dando um sorriso guloso - Eu pensei em te comer com farofa e vinagrete - Caso ele se assustasse eu apenas daria risada e desconversaria, afinal ele vai tratar meus ferimentos -ZEBEBEBE! To só zuando tampinha.

Por falar em tratamento, o homenzinho trouxe uma garrafa com uma bebida azul que usou para desinfetar o corte de minhas costas. Eu sei que consegui manter a pose ate agora, mas quando aquele homenzinho começou o tratamento eu não aguentei segurar os gritos.

-AAAAAAAHHH!!!!!

Meus olhos se encheram de lágrimas e quando dei por mim eu já estava a ponto de fazer um escândalo no meio do restaurante. Dei mais uns goles na minha bebida a fim de acalmar os ânimos.

EU continuaria a soltar gemidos de dor, gritos e até mesmo daria tapas na mesa durante o resto do procedimento médico.

Ao final do tratamento, o pequenininho me ordenou aquietar o facho por algum tempo até que a ferida cure e assim eu pretendo fazer. Então ele me perguntou como eu conhecia o verdadeiro nome dele.

-A alguns anos atrás eu conheci um bêbado moribundo que contava histórias sobre você, o nome dele era Mont Rolbatto. Desde então pesquisei os contos e canções com seu nome e tenho te procurado por todo o South blue.

De repente o dono do restaurante se meteu na conversa e começou a discutir com Peri. Achei a situação um tanto quanto engraçada, aproveitaria o momento em silêncio para comer a minha refeição. Encheria um copo de água e tomaria o primeiro comprimido canábico que consegui roubar de Josuk mais cedo.

Comi uns Três pratos e fiquei empanturrado, me sentia tão cheio que qualquer coisinha que eu comesse me provocaria um refluxo e por isso apenas me jogaria na mesa e ficaria esparramado ali regozijado naquela boa sensação. Foi quando Tulin comentou sobre um tal leilão.

-Um leilão nesta ilhazinha? ZEBEBEBE!! Vão vender o que? Aposto que deve ser algum item mágico, como por exemplo uma Lâmpada ou um Tapete. Acertei?

Caso Deep e Blade terminem as suas refeições e decidam ir para o palácio de sal eu pegaria a minha garrafa de bebida que eu pedi e guardaria/ carregaria comigo.

-Eita que rango bom!! Agora vamos pro palácio né? - Neste momento eu olharia para Peri bem de perto, tentando ao máximo olhar bem nos seus olhinhos - Por sinal eu quero trocar umas idéias com você e esclarecer umas coisas, bora no palácio de sal com a gente, vai ser rapidinho.

Mesmo que ele recusasse eu continuaria a insistir. tentando vencê-lo pela chatice caso fosse preciso.

Antes que pudéssemos sair do restaurante, Tulin nos advertiu sobre a periculosidade de Josuk e dos Caça-Recompensas - Josuk, o come merda deve realmente estar “pistolito” comigo. O que me propõe, taverneiro?Você não teria algumas fantasias aí para nos emprestar?




Histórico::


Proficiências:
- Acrobacia
-Ameaça
-Atletismo
-Briga
-Lábia

Qualidades:
-Carismático
-Prodígio
-Talentoso
-Destemido
-Electro
-Idioma silvestre
-Chifres curvos
-Cabeça dura

Defeitos:
-Doença degenerativa
-Sadista
-Cabeça quente
-Dependente (15 posts)
-Extravagante
-Apegado (ao chapéu)
-Feio
-Preconceito
-Atípico
-Sensível ao calor
-Forma sulong.
-Roubar remédios da farmácia
-Encontrar o bonde
-saciar vício
-Aprender proficiências investigação e Criptografia
-Prender o anão perneta dentro de uma garrafa. (NPC companheiro)
-começar a desenvolver liderança
240/240100/1003/1015/15

_________________

Cabras da Peste, vol 1- Amanhecer do Sul - Página 3 Unknown

Tabela de preços:
Deep
Imagem :
Cabras da Peste, vol 1- Amanhecer do Sul - Página 3 Tfig50k
Créditos :
05
Localização :
Sirarossa - West Blue
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1116-deep-cutt#10446 https://www.allbluerpg.com/t1386-cap-2-ascendendo-as-profundezas#14266
Deep
Novato

Negociamos a comida e nos sentamos, enquanto nos era apresentado um anãozinho perneta, agora entendo de onde diabos veio aquela pimenta, tava tão puto na hora que nem notei a existência do pequenino. Comida era trazida para nossa mesa enquanto o médico costurava Subaé, o qual gritava como uma criancinha.

-Ta fraco hein? É só uma costuradinha pô… Se controle…

Colocaria uma mão sobre as costas de Subaé, soltando peso suficiente para segurar ele no lugar, sem impedir que respirasse, enquanto isso pegaria um pernil assado da mesa e começaria a comer ele com generosas mordidas.

-Ta boa a comida cheff… Mas falltou um pouco de pimenta para ter um gosto top mesmo… Hein… Tem alguma pimentinha ai pra eu por na minha carne? Gosto da minha comida bem quente… Inclusive se essa comida fosse mais picante seria melhor, experimenta depois injetar a carne com uma mistura de manteiga e pimenta, trás aquele toque picante e amacia a carne…

Ouviria então a história de Blade e então diria a minha:

-Pô eu comi e briguei em bares por dez anos para poder ficar mais forte para não perder nenhum companheiro bundão em combate… Né, capetão bundão…

Pegava então algumas pimentas de enfeite nos pratos, enchia um caneco de cerveja preta e começava a comer as pimentas como biscoitos usando a cerveja preta como se fosse leite, cerveja corta o efeito de picância exagerada de pimenta, então o sabor de uma cerveja forte com uma pimenta forte era delicioso e equilibrado. Após umas cinco pimentinhas, pegava outro pernil e uma pratada de arroz, picava umas pimentas no arroz e comia tudo com o resto da garrafa de cerveja preta.

Ouvia então nos perguntarem sobre o por que estou na ilha e respondi:

-Me falaram que em Petra Yuni tinha uns bares bem maneiros, então vim aqui em busca de uma boa briga e bebida… A melhor luta até o momento foi com o cozinheiro aqui né… KUKUKU… A profissão de cozinheiro deve chamar os caras mais durões hein KUKUKUKU…

Após ouvir sobre o leilão, assim como a fala do capetão, diria:

-Sabia de nada não… E Subaé, você tem uma tara estranha em coisas mágicas né não? Fora que o pequeno ali falo pra você pegar leve e tu nem tá comendo direito pra melhorar rápido, ou você acha que eu não to vendo você dar sua carne pra cadela do Blade?

Após a fala sobre Josuk, diria:

-Josuk é o merdinha que correu? O cara nem me encarou ainda, manda ele trazer todo mundo que eu vou ensinar uma coisinha ou outra pra ele… Fora que… Fantasia capetão? Somos um tritão de quatro metros de altura e mais de quatrocentos quilos, um lobo de três metros e um capetão cabrito… Vai enfiar a gente num vestido porra? Não tem como se camuflar com esse grupo capetão… Como eu disse, deixa ele vim, eu viro ele do avesso e fica tudo de boa.

Se em algum momento entrasse alguém que fosse nos atacar ou ameaçar, viraria meia garrafa de vodka na minha mão direita, usando a pele entre meus dedos para segurar o líquido na mão, depois atacaria me jogando em direção a pessoa e movimentaria a mão direita horizontalmente, moldando o líquido como uma lâmina contra o pescoço do alvo, em seguida aproveitando a distração de meu ataque, encaixaria um gancho de esquerda visando erguer o alvo do chão, girar ele sobre mim acompanhando meu punho e o jogar no chão atrás do meu corpo.

Histórico:


_________________

Legenda:

-Fala do Deep

-Voz da entidade

Cabras da Peste, vol 1- Amanhecer do Sul - Página 3 TbTEfdK
Jupges
Imagem :
Cabras da Peste, vol 1- Amanhecer do Sul - Página 3 Https%3A%2F%2Fpictures.betaseries.com%2Fbanners%2Fepisodes%2F81841%2F1069791
Créditos :
00
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1419-nero-vil-gax https://www.allbluerpg.com/t1652p30-curiosidades-em-serie-novos-horizontes-act-ii#20786
Jupges
Pirata
Blade
Lobão
-Sobre o Palácio de Sal, bem eu tinha assuntos a tratar com o Josuk, agora que somos inimigos não vai adiantar muito conversar, mas eu ainda devo esclarecimento pro cara que me deu o serviço. Só não acho que ele vai ficar contente já que era sobre a filha dele.

Blade falava um pouco sobre o Palácio de Sal para seu capitão, enquanto observava o duende na mesa, meio hipnotizado. Deep respondia ele falando que brigou nos bares, e Blade olhou para o cozinheiro com uma expressão irônica, dando tapinhas nas costas do tritão.

O lobo observava Subaé dando carne para Lua, e olhava Deep contestando enquanto se pronunciava, -Ah deixe ele dar comida pra ela, se não fosse por ela eu teria perdido um dedo ou dois ali. Sobre a pergunta do porque Blade veio pra Petra o lobo respondia, -Eu estava dormindo em outra ilha, aí eu tive um pesadelo e acordei em Petra não me pergunte como, só sei que quando acordei e vim para a cidade, por sorte um conhecido meu estava lá e me deu abrigo. Sabe ainda penso no porque de ter acordado em Petra, as vezes sou sonâmbulo e nem sei.

Sobre o leilão Blade escutava quieto enquanto enfiava comida na boca, meio sem vontade de comer, pois depois da luta havia perdido o apetite. Olhou pro duende e falou, -Vem cá? Tu consegue fazer redemoinhos ou coisa assim? Fiquei curioso

Sobre as fantasias de Subaé, Blade apenas respondia, -Tu tá de sacanagem né? Olha nessa eu me vejo obrigado a ir com o Deep, ah não ser q tu tenha uma fantasia de grávida, aí o Deep vira a mamãe, eu fico dentro da barriga dele e tu se finge de papai. Blade falava com o tom mais irônico o possível, enquanto se preparava para ir para o Palácio de Sal pensando em alguma desculpa.






objetivos:

Atributos, qualidades e perícias:

Histórico:

_________________

Cabras da Peste, vol 1- Amanhecer do Sul - Página 3 JOLLY_PNG
Moonchild
Imagem :
Cabras da Peste, vol 1- Amanhecer do Sul - Página 3 350x120
Créditos :
07
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t460-kawazakana-mikazuki https://www.allbluerpg.com/t348p20-cabras-da-peste-vol-1-amanhecer-do-sul
I will take the dive
This small bathtub feels deep today
Singing na na na na na
I’m thinking of you
Then I’m diving

I wanna know you
From your surface
To the other side of the ocean, oh I

Take the dive
I’m dreaming with my eyes open
Breathing in your air
Amanhecer do Sul"Eu o sepultei nas profundezas do mar. Enterrei todos vocês no mesmo túmulo naquele dia."
Apesar de Eve falar demais e eu estar mais estressado que o normal por causa do encontro repentino de antes, eu não a impedi de continuar tagarelando sobre o lugar; quanto mais ela falasse, mais informado eu ficava e consequentemente mais fácil seria para cumprir o meu objetivo naquela cidade. O nome gigantesco do grupo que comandava o lugar entrou por um ouvido e saiu pelo o outro (só consegui registrar mentalmente o raio laser, que achei engraçado), mas entendi que não seria qualquer novato pelas redondezas que faria o que quisesse pelo lugar. Subaé e seu bandinho pareciam ter tido sorte de terem se metido com alguém aparentemente influente, porém sem muito poder bruto. Um grupo organizado e de respeito jamais seria humilhado de tal maneira por causa de um doente, um baiacu gordo e um lobo com complexo de cachorrinho obediente e...

"O que eu estou pensando?" — me questionei mentalmente ao perceber que estava descendo a ofensa àqueles caras do nada. Não era completamente de graça ao ponto de me fazer sentir algum tipo de culpa, afinal de contas eles mostraram claramente que ainda eram completamente alinhados ao caos e eu não concordo com isso, mas talvez eu estivesse me deixando levar demais por aquilo tudo. Não fui até ali para ficar deixando influências do passado ofuscarem o meu foco no que realmente importa.

Eve parecia interessada em me mostrar uma vista privilegiada do Palácio de Sal. Eu sabia que existia esse lugar na cidade, algo como um ponto turístico, mas não tinha me planejado para conhecê-lo nem nada do tipo. Eu a acompanhei pelas escadarias quase como um zumbi. Ainda estava pensando em como eu poderia agir sem chamar a atenção de mais ninguém, principalmente dos Cabras da Peste que pareciam ainda ter assuntos para resolver na cidade. Só quando chegamos bem alto e eu percebi não ter mais escadas que eu realmente voltei para a realidade. Pensei que aquele era o mais alto que chegaríamos, mas Eve parecia ir além. Com a mão direita apoiada na cintura, observei a garota se jogar pelo vazio no chão e manobrar de forma astuta até chegar no próximo pavimento. Sorri de canto de boca em puro nervosismo pensando que talvez ela esperasse que eu fizesse aquele mesmo trajeto a imitando.

Não iria acontecer. Apesar de preferir agilidade sobre a força, eu sou melhor fazendo isso com os dois pés no chão manobrando sentindo a firmeza sob meus pés. Aquelas acrobacias já iam um pouco além do meu treinamento, embora eu tivesse um óbvio interesse em aprimorar meu corpo para fazer aquilo. Quando a corda veio em minha direção, eu não questionei muito. Eve parecia magrela e apesar de eu não ser tão pesado assim... bem, fiquei desconfiado se ela conseguiria mesmo me suspender. Para ela estar oferecendo, imaginei que tivesse confiança o suficiente naquilo, então apenas amarrei a corda na cintura e me preparei para ajudá-la como fosse necessário: seja escalando em alguns pontos que eu considerasse mais firmes ou até evitando me mexer demais. Poderia até parecer uma cena cômica para quem vê de fora, mas não liguei muito. Sendo sincero, estava até que me divertido com aquilo; foi o suficiente para eu esquecer o incidente de antes, então meu humor clareou rapidamente.

— Da próxima vez eu vou ter aprendido a como escalar isso. — comentaria com um sorriso no rosto — Não vou dar mais tanto trabalho. — concluí. Esperaria então que ela me mostrasse em que direção olhar. Vi algumas construções altas, mas não sabia qual exatamente era o dito Palácio. Curioso, eu pretendia observar bem a cidade daquele ponto claramente privilegiado.
ATRIBUTOS
PdV: 140
STA: 100

Força: 0 (Incompetente)
Destreza: 9 (+4) (+3) (+2) = 18 (Regular)
Acerto: 5 (+2) (+3) = 10 (Regular)
Reflexo: 5 (+2) = 7 (Regular)
Constituição: 1 (Regular)

Agilidade: 8
Oportunidade de Ataque: 3
Redução de Dano: 0

QUALIDADES
Nadador Nato (Racial)
Você é capaz de respirar debaixo d’água e ganha 10% de agilidade ao se locomover dentro d’água.

Cuspe Potente (Racial)
Você possui a capacidade de ingerir líquidos e, enquanto armazená-los em sua boca, será capaz de cuspi-los com grande força e velocidade, fazendo com que causem impactos similares aos causados por munições de pistolas.

Senso de Direção (1)
Você nunca se perde e sempre é capaz de se orientar, as vezes até parece que você tem uma bússola dentro da cabeça.

Prontidão (2)
Você está sempre pronto para agir ou reagir, alcançando o ápice da sua velocidade ou força em questão de poucos instantes. Mecanicamente, reduz a condição lento em uma categoria, se a condição aplicada for categoria III ou inferior.

Mestre em Haki (4)
Assim que você desbloquear a especialização do Haki da Observação ou do Haki do Armamento, você pode escolher seguir dois caminhos de especialização simultaneamente. Nesse caso, os efeitos narrativos se acumulam, mas os bônus de atributo concedidos não. Nessa hipótese, o melhor atributo entre os dois será considerado sempre.

DEFEITOS
Atípico (Racial)
Devido ao fato dos Meio Homens-Peixe não serem tão comuns e não se tratarem de uma raça tão populosa quanto os humanos, eles têm um alto preço no mercado de escravos, o que sempre pode vir a ser um problema.

Segregação (Racial)
Pelo fato de ser um meio homem-peixe, você é proibido de ingressar na Marinha ou no Governo Mundial (contudo ainda pode fazer a vida como um Caçador de Recompensas).

Compulsivo (1)
Você tem uma mania, hábito ou ritual simples que precisa executar ao menos uma vez a cada duas páginas, como, por exemplo, roer as unhas.
Compulsão: enrolar o cabelo em algum dedo

Perfeccionista (1)
Você não pode ver nada fora de seu devido lugar, qualquer coisa que pareça afetar a harmonia ou a ordem lhe causam um profundo incômodo.

Vaidoso (2)
Você sente a necessidade de estar sempre limpo e bem arrumado, não suportando ficar sujo ou desgrenhado.

Improdutivo (3)
Você tem problemas de inspiração e criativade ao planejar qualquer obra, além disso, libera um espaço para projetar criações apenas em níveis impares.

PROFICIÊNCIAS
Cartografia: Você pode ler, criar e reproduzir mapas com precisão.

Condução: Você sabe conduzir, pilotar, manobrar e manejar veículos com apenas um pouco de treino. Para navegar, é necessário que alguém com condução assuma o timão do navio.

Geografia: Você é capaz de compreender as características geográficas de um lugar, paisagem, território ou região, sabendo identificar coisas como o tipo de solo e bioma.

Navegação: Você sabe se localizar e que direção deve seguir para chegar no ponto que almeja, além disso, sabe ler e interpretar mapas. Sabe coordenar o manejo de um navio, dizendo quando subir ou baixar velas e quando ficar a favor ou contra o vento.

Atletismo: Você tem um corpo atlético e conhece bem os seus próprios limites, consegue correr, saltar e escalar com as mãos nuas, desde que os feitos sejam coerentes com seus atributos físicos.
[ ] Me reunir com a tripulação (objetivo cancelado)
[ ] Aprender Acrobacia (Proficiência)
[ ] Conseguir uma máscara
Nome: Mikazuki
Posts: 5
Ganhos: Nada por enquanto
Perdas: Nada por enquanto
Players Conhecidos: Ninguém por enquanto
NPC's: Ninguém por enquanto
Extras: Nada por enquanto

_________________


Formiga
Imagem :
Cabras da Peste, vol 1- Amanhecer do Sul - Página 3 26613303cf
Créditos :
5
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1843-nymeria-nymph
Formiga
Desenvolvedor




Cabras da Peste

Vol 01 - Amanhecer do Sul


Dia 01 || Arosa - Petra Yuni || Clima: Quente || Início de Tarde
N° de Postagens do Narrador: 08


Deep - Subaé - Blade

O reencontro do famigerado grupo continuava de maneira tranquila, todos pareciam famintos e se "empanturravam" de comida – Au-AuAuAuAu (Ei! Me dá mais comida, lutei por você.) – Latiu Lua enquanto encarava seu dono, a cachorra parecia bem e pronta para mais uma batalha, se fosse necessário é claro – Os cozinheiros são sempre os mais fortes. – Tulin ria enquanto mostrava seu bíceps definido, claro, embaixo da capa de gordura que revestia o braço do homem – O Leilão será feito pela família Vrunc, na verdade, não é bem uma família... Eles são estranhos, mas, se tratam como família. – Pausou por um momento dando outro gole em sua caneca com leite – O último foi a dois anos atrás, eles ofereceram de tudo. Joias, ingredientes exóticos, barcos, serviços e principalmente... – Parou fitando a dupla de minks com um olhar sério – Escravos. – Concluiu carregando seu rosto com uma expressão pesada, um misto de descontentamento, raiva e tristeza – Suas “iguarias” como chamaram, são Minks das mais variadas espécies, foi lá que recebi um ferimento que tirou quase  minha vida, infelizmente não fui capaz de proteger minha família. – Com os olhos tomados por água o homem levantou sua camisa, mostrando uma cicatriz que tinha cerca de trinta centímetros, começando próximo à auréola do peito e descendo pelo abdômen – Quase perdi meu coração, na verdade eu perdi um pedaço pelo que fiquei sabendo. Não sei como fiquei vivo, mas aqueles desgraçados tiraram tudo o que eu tinha de mais precioso. – Fechou seus punhos e então era notável a presença da ceia inchada em sua testa, parecia que a fúria percorria seus vasos sanguíneos e extravasaram pela boca, com uma tosse – Eles vão me pagar, não sei quando, mas vão. – Limpou com sua camisa.

Peri subia no ombro do tritão – Aqueles desgraçados da desgraça tentaram me pegar, se não fosse o Tulin eu estava fudido. Eles vão se fude ou eu não me chamo Zahir. – Bufava demonstrando toda sua raiva – Você não se chama Zahir, imbecil. – Falou o ruivo, ambos riram. Mais algumas palavras eram trocadas e um clima harmonioso e confortável tomava conta do lado cal após as palavras de Blade e Deep, com relação à ideia do Subaé de se disfarçar – Eu tenho que concordar com o lobo, a notícia já deve ter se espalhado que o Josuk foi temporariamente derrubado por um grupo nada convencional. – Tulin levantou ajeitando suas vestes – Vocês precisam tomar cuidado com ele, talvez ele esteja nesse exato momento falando com os caçadores para pegar vocês ou está tramando algum plano, mas com certeza ele não é um homem que vai baixar a cabeça dessa maneira, ele é espero. – Começou a recolher as panelas e tigelas vazias – E com os Vrunc também, vocês têm apenas duas opções: entrar no leilão como compradores ou como mercadoria, cuidado com a segunda opção. – Concluiu indo em direção a cozinha, o som dos itens sendo colocados em cima de uma espécie de mesa ou plataforma foram audíveis ao quarteto que estava no salão, seguido pelo som de água – Palácio de Sal? Também vou lá. – Disse Peri animadamente – Tenho um caloteiro para cobrar, ele só vive lá aquele fudido. Vai me ajudar, bodão? – Reclamou.

Aparentemente tudo estava tranquilo, nenhum som estranho vinha do exterior da taberna. Apenas era perceptível que a movimentação de pessoas havia aumentado consideravelmente - Se for levar a garrafa precisa pagar mais 150mil berries, dou um desconto na bebida para você. - Bradou Tulin voltando com um pano jogado no ombro esquerdo, a garrafa na mão de Subaé ainda tinha cachaça suficiente para mais 8 usos.


Mika

Mika talvez se surpreendesse com a facilidade que Eve teve para puxar seu corpo – Não esperava não é? Eu sei, todos ficam surpresos. – Se vangloriava a garota de cabelos pretos enquanto dava a mão ao rapaz, o puxando de vez para o terraço – Seja bem-vindo ao meu doce lar. – Bradou de maneira tranquila. O homem via um terraço grande, organizado e tendo metade dele coberto com uma pequena cobertura de telha na cor vermelha – Eu mesma que fiz! Bom, não tudo. – Falou com um sorriso no rosto enquanto andava até o muro que rodeava toda parte descoberta – Ali, aquele é o palácio de Sal, bonito? – Questionou apontando para a imensa estrutura branca e dourada – Vejo ele diariamente já tem alguns anos e mesmo assim não perde o encanto. – Seus olhos brilhavam observando o ponto turístico de Petra – Você não quer aprender logo não? – Falou segurando o homem pelas mãos e puxando para o meio do terraço – Olha! – Apontou – A maioria das casas aqui na cidade tem ‘pontos’ acessíveis apenas com acrobacias, não sei quem inventou, entretanto, principalmente nesse bairro isso é bem comum. – Mikazuki via algumas pessoas vestidas de maneira estranha, porém, dava para ver que faziam parte do grupo dos baderneiros – Alguns grupos têm seus vigias, já outras pessoas com certos traumas, preferem viver em locais como esse, acaba sendo um pouco mais seguro. – Pisou de maneira sutil e o chão afundava – Ainda mais com essa belezinha aqui. – Estacas de metal surgiam nos muros e elas pareciam eletrificadas – Ninguém invade meu domínio! – Gargalhou com ambas as mãos na cintura.


Cabras da Peste, vol 1- Amanhecer do Sul - Página 3 09d453fdea8349671b36c06746afd080


Pressionou o gatilho no chão novamente e as estacas voltaram para dentro dos muros – Veja, a acrobacia é fácil. Você só precisa de três coisas! – Deixou o dedo indicador esticado centímetros a frente do seu rosto – Flexibilidade. – Esticou o dedo do meio – Domínio do corpo. – Esticou por fim o anelar – Coragem. – Após a última palavra deu um salto seguido por uma cambalhota, caindo com seus joelhos flexionados. Olhou para o muro e partiu correndo, pulou (tomando impulso no muro) e saltou em direção ao prédio vizinho, caindo rolando no chão e rapidamente ficando de pé – Pule para cá, mas antes olhe meus próximos passos. – Gritou correndo novamente tomando o impulso necessário para escalar uma pequena parede que existia no terraço, tendo o apoio de um pé na mesma lançou seu corpo para cima e com o auxílio das mãos, subiu na pequena laje – Tcharãmmmm! – Abriu os braços – Aqui a vista é até melhor, olhe, da para ver a casa dos Vrunc. – Gritou novamente esperando que Mika a seguisse.



LegendasTulin  ~ Aparência
Peri Erê ~ Aparência
Sem nome
Josuk
Boron
Yagger
NPC's
Chadd ~ Aparência
Lua
Nome (??)
Josuk
Eve




Histórico Geral:

FICHAS - NPC:

Log de combate: