Bem-vindo ao

All Blue

É com muito prazer que lhes damos os comprimentos ao nosso RPG. All Blue se trata de um RPG narrativo com o ambiente principal centrado em One Piece, obra de Eiichiro Oda.
Se divirta nessa nova aventura e se torne o novo rei pirata... Se puder!

Últimos assuntos

Perpétuos I - Malfeito Feito

Página 3 de 3 Anterior  1, 2, 3
Sasha
Imagem :
Berserker
Créditos :
24
Localização :
Rota 6 - 4ª Ilha Vedde
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t340-sasha-sparks#1002 https://www.allbluerpg.com/
Sasha
Rank B
Perpétuos I - Malfeito Feito Qui Abr 07, 2022 12:28 am
Relembrando a primeira mensagem :

Perpétuos I - Malfeito Feito

Aqui ocorrerá a aventura dos(as) Civis Maka Jabami. A qual não possui narrador definido.

_________________



Perpétuos I - Malfeito Feito - Página 3 9g2joTh


Hoyu
Imagem :
Perpétuos I - Malfeito Feito - Página 3 350x120
Créditos :
04
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t378-leonheart-valentine https://www.allbluerpg.com/t419-here-comes-the-sun
Hoyu
Narrador
Re: Perpétuos I - Malfeito Feito Seg Maio 23, 2022 11:35 pm

PERPÉTUOS I - MALFEITO FEITO



  • Maka

Não demorou para que Maka pudesse ver os resultados daquilo que havia acabado de comer. - E-eu fiquei sabendo que o gosto era ruim, m-mas não achei que fosse tanto! - Kirata parecia meio desesperada com a reação da companheira, mas travou assim que a ruiva percebeu que estava encolhendo. Olhando para baixo, viu que suas mãos haviam se tornado patas amarelas, e as duas entraram em desespero. - Eu não sei! Eu não sei! Deve ser uma daquelas que transforma em animal! - Querendo ver como realmente estava, Maka correu de forma quadrupede até a borda do navio, querendo ver seu reflexo na água, mas assim que se viu, com seu focinho felino e com corpo amarelado com manchas pretas, o choque foi ainda maior.

Erguendo as patas da frente para as levas ao rosto, maka ainda não estava acostumada com aquele novo corpo quadrupede, e sem as patas frontais, pois havia esquecido que dependia delas, seu corpo tombou para frente, caindo em direção à água. Maka tinha certeza que daria um mergulho, vendo o espelho d'água que a refletia ficando cada vez mais próximo, até parar de repente no ar e sentir uma forte pontada em sua bunda. Kitara havia agarrado seu rabo, e a estava segurando suspensa. - Sua doida! Por que fez isso? - Com extremo esforço, foi puxando Maka de volta aos poucos, tendo nítida dificuldade em erguer seu peso naquela forma. Assim que a trouxe de volta para segurança, sentou no chão arfando. - Não faz mais isso... arf... arf... Agora que comeu uma akuma no mi, você... arf... arf... Não consegue mais nadar. Se cair no mar, vai afundar igual uma pedra. Não esquece disso.

Em meio a uma lambida involuntária em sua pata e enquanto chorava de desespero, Maka lembrou do bloco de anotações sobre animais que possuía. - Tá, pera, já vou buscar. - Apressada, em partes pra resolver a confusão que havia criado, Kitara correu para dentro do navio, voltando com o bloco de anotações. - Esse aqui? - Abrindo e folheando ele, Kitara foi procurando algo que pudesse ajudar. - Você é nitidamente um felino, mas o específico... Aqui! Parece muito com a descrição de um leopardo. - Virando para Maka, pode ler as anotações sobre leopardos, com uma descrição detalhada que parecia encaixar bem com o que viu refletido na água.

  • Harvey

Terminando de ler seu livro, Havrey percebeu que a noite estava perto de chegar, e quando isso acontecesse não mais poderia continuar lendo. como não havia escutado nada de chamativo que poderia o ajudar naquele tempo, decidiu se levantar e tomar iniciativa para conseguir algo, andando pelo porto em busca de algum marujo que pudesse saber sobre o que ocorria naquele lugar. Logo parou um homem barbado que estava trabalhando com o carregamento de um navio, fazendo-lhe a pergunta. - Uttara? Foi mal, não faço ideia. Uma troca de rota não é algo tão comum assim, ainda mais se está buscando uma ilha específica. Mas se alguém estiver sabendo de algo, é o sr. Rudson, naquela lojinha ali no final do porto. Ele que vende os mantimentos pra quem vai sair da ilha, deve ser sua melhor chance de ficar sabendo de algo. - Deixando o mink para trás, voltou então a fazer seu serviço.

Seguindo a dica que o homem lhe deu, Harvey seguiu pelo porto até chegar em uma lojinha de madeira perto do final do porto, onde encontrou um senhor de avental e barba por fazer, mas corpulento e de cabelo grisalho. - Boa tarde. Veio atrás de suprimentos também? - Fazendo a pergunta. Rudson deu uma gargalhada. - Uttara, é? Um pouco esperançoso demais, mas hoje é seu dia de sorte. Por mais improvável que seja, vieram aqui hoje comprar suprimentos para uma viagem até Uttara Mimamsa. Era um engomadinho meio apático que disse que se tudo desse certo, sairiam no final da tarde. Pelo que entendi vão se separar de um outro grupo que está em um navio chamado Sol Nascente, então se quiser encontrar eles, vai lá. É um navio sem figura de proa, com um gurupés bem grande. Sabe, aquele tipo de mastro que fica na horizontal bem na frente da embarcação. - Rudson deu mais uma gargalhada. - O sol já está se pondo, então se quiser encontrar eles antes de partirem, é melhor ir logo.

Legendas:

Histórico:


Histórico:


Maka
Imagem :
Perpétuos I - Malfeito Feito - Página 3 350x120
Créditos :
43
Localização :
Felinolandia
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t298-maka-jabami https://www.allbluerpg.com/t625-as-cronicas-dos-scavenger-a-leoa-o-louco-e-o-mudo
Maka
Narrador
Re: Perpétuos I - Malfeito Feito Qui Jun 02, 2022 10:35 am
Perpétuos l - Malfeito Feito
Treino - Transformação - Vingança
Toda aquela situação se tornava uma enxurrada de informações para mim, de repente eu andava como um quadrupede, tinha um rabo na minha bunda, estava cheia de pelos amarelados e um monte de manchas pretas espalhadas pelo meu corpo, era tudo assustador. Intuitivamente tentei ver o meu reflexo no mar para saber o que eu havia me tornado, mas, sem pensar muito, acabei em queda para água, algo que não era nada demais, porém a pontada em meu traseiro me fez ver ainda mais de perto o meu rosto para logo em seguida ser puxada para cima sem entender muito o porquê daquilo.

- Qual é, Kitara? Quer brincar de pegar no meu rabo agora? - A alva parecia bem cansada ao me puxar. - Era só não ter me agarrado daquele jeito, me deixasse cair na água, assim você não estaria nesse estado. - Contudo, o choque da informação que veio a seguir me fez gelar. - OOOOO QUÊÊÊÊ??? EU AFUNDO? COMO VOU FAZER UMA VIAGEM DESSAS NESSE ESTADO? - Repentinamente fiquei apavorada com aquilo, eu seria a responsável por navegar em lugares extremamente perigosos, e ainda tendo que evitar cair no mar? Eu estava completamente ferrada.

Em meio aquele choro desenfreado, e uma lambida nada normal para uma pessoa, Kitara finalmente voltava com o bloco de anotações em mãos que Kani havia feito para mim há dias, ou semanas, já não tinha ideia de quanto tempo havia passado desde aquele dia. - Esse mesmo. - Respondia confirmando.  

Kitara começou a comentar o que havia encontrado me indicando que eu seria nitidamente um felino e, ao ouvir isso, meu coração começou a palpitar já que eu amava felinos, mas eu precisava ter certeza. - Felino? Você tem certeza, Kitara? - Querendo confirmar a informação, a alva me mostrou as anotações feitas pelo Kani, e realmente, estava lá bem na frente a indicação de que eu seria não só um felino, mas também um Leopardo. - AAAAAAAAAAHHH! EU SOU UM FELINO!! - Meus olhos brilhavam de empolgação com aquela notícia, quem imaginaria que eu, apaixonada por essas criaturas tão fofas, lindas e ferozes, comeria uma Akuma no Mi do tipo Zoan, e que fosse justamente de um felino, o destino parecia querer me fazer feliz.

- Eu sou um felino, !!! - Dizia enquanto estufava o peito e caminhava como um quadrupede me sentindo linda e poderosa. - Roooar. - Rugia sensualmente mostrando minha pata direita em um movimento delicado. - PUFFHAHAHAHA! Que demais! Mas... KItara. Eu consigo voltar a minha forma normal, certo? Porque ficar andando por aí como uma animal eu vou acabar sendo caçada o tempo todo, e eu não quero virar objeto de caça! - De alguma forma eu precisava tentar descobrir como voltar ao meu corpo normal, já que aquilo era uma transformação em que eu teria liberdade para ir e vir nela. - Voltaaaaar... ao normal! - Dizia fechando os olhos enquanto enrijecia meu rosto, na tentativa de que aquelas palavras fossem poderosas para me fazer voltar. E se não desse certo, insistiria. - Corpo de humano!... Menina raivosa!... Desmorfar!.... SHAZAM!... - Se funcionasse de alguma forma, apenas entenderia que aquele era o jeito de me transformar, caso não conseguisse, socorreria a Kitara. - O que você sugere, Kitara? - Observaria em que momento do dia estaríamos e se John e Leonidas estivessem por perto, independente do que acontecesse, a hora de zarparmos devia estar próxima.

Histórico:
Objetivos:
Legenda:

_________________

Perpétuos I - Malfeito Feito - Página 3 94sfShl
Koji
Imagem :
Perpétuos I - Malfeito Feito - Página 3 LwWfclL
Créditos :
16
Localização :
Sirarossa
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t764-harvey-abgnalle#6176 https://www.allbluerpg.com/t1500-perpetuos-i-malfeito-feito#17594
Koji
Avaliador
Re: Perpétuos I - Malfeito Feito Sex Jun 03, 2022 12:50 am






Capítulo 3
Perpétuos I - Malfeito Feito



"Sol Nascente...?" ponderava, a fim de buscar, em minha memória, qualquer embarcação com esse nome por onde havia passado naquele porto. Desistindo alguns momentos depois, apenas retornava ao momento e agradecia ao homem. — Obrigado pela informação. — voltaria para o ar aberto logo após. Como ele havia dito, o sol estava se pondo, portanto, minha passagem fácil para Uttara Mimansa também se ofuscava. Prosseguia, então, com passos céleres e determinados; ainda mantinha, no entanto, minha tentativa de ocultar minha identidade, deixando meu sobretudo avantajado e meu rabo escondido sob seus panos pesados.

Daquela forma, me focaria naquela busca, atento para qualquer embarcação que se mantivesse dentro dos padrões descritos por Rudson: gurupés grande e sem figura na proa. Menos aciduamente, olharia para as nomeações das embarcações; não me focava pois acreditava que muitos navios não possuíam tal característica, e caso contrário, ainda teria a grande sorte de encontrar fácil aquilo que eu desejava. Buscaria nesses padrões até que encontrasse o local, e dessa forma, não hesitaria em embarcar em uma conversa com os tripulantes do navio que me viessem aos olhos.

— Vocês são a tripulação do Sol Nascente? — começava, mantendo minha etiqueta e procurando não incomodar muito, na medida do possível. — É verdade que estão indo para Uttara Mimansa? — continuaria, observando suas reações para só então continuar. — Bom, sou um simples mercador e eu tenho um Eternal Pose para lá. Vocês tem o meio, eu tenho a bússola. Por que não nos aliamos para a viagem? — finalizaria, novamente me mantendo atento quanto a suas reações. — O que me dizem? — faria o mesmo processo caso houvesse errado a embarcação, me despedindo da tripulação para manter a etiqueta. Em ambos os casos, não revelaria minha identidade nem minha profissão - não por enquanto.


Histórico:

Legenda:

Considerações:

 Code by Arthur Lancaster

   
 

_________________

Perpétuos I - Malfeito Feito - Página 3 HOpKYkQ


Curso narrador All Blue, turma de Janeiro 2021:
Hoyu
Imagem :
Perpétuos I - Malfeito Feito - Página 3 350x120
Créditos :
04
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t378-leonheart-valentine https://www.allbluerpg.com/t419-here-comes-the-sun
Hoyu
Narrador
Re: Perpétuos I - Malfeito Feito Sex Jun 03, 2022 9:29 pm
Hoyu escreveu:

PERPÉTUOS I - MALFEITO FEITO



Em desespero de frente para Kitara, Maka finalmente percebia que, ao ter comido aquela fruta e ganhado a capacidade de se transformar em um animal, não poderia nunca mais nadar, e se caísse no mar poderia ser seu fim. Tentando deixar isso de lado para não se focar apenas nos problemas, juntas buscaram que tipo de animal ela era, e ficou muito animada ao descobrir que era um leopardo, feliz por se tornar uma felina. Entretanto, ainda havia um problema: como voltaria ao normal? - E-eu não sei... Nunca conheci alguém que havia comido uma akuma no mi, muito menos uma zoan, é tão surpreendente para você quanto é para mim. - Sem poder depender da navegadora, Maka tentou então várias palavras de poder, buscando algo que que funcionasse. Não sabia qual foi o gatilho, mas enquanto fala, repentinamente se sentiu crescendo, entretanto ficou bem maior que Kitara, crescendo mais do que era seu tamanho normal, e ao olhar para suas mãos, ainda estavam cobertas de pelo amarelado, mas com garras afiadas. - Ahn... Acho que ta no caminho certo... - Mesmo dizendo isso, era claro que Kitara estava um pouquinho assustada, dando um passo para trás.

Em outro ponto do porto, tendo recebido a informação que precisava do sr. Rudson, começou a caminhar pelo porto, olhando cuidadosamente cada navio. O sol ia se ponto, e só podia ter esperança de não ter perdido tempo demais, afinal se tivesse buscado aquela informação antes, certamente tudo estaria resolvido, mas agora já havia a chance de terem partido e tenha perdido sua carona. Se isso tivesse acontecido, teria perdido tempo precioso dado pelo Açougue para cumprir sua tarefa. Olhando cada embarcação, não encontrava o Sol Nascente, e o nervosismo acabava batendo, até enfim ver o navio descrito por Rudson. Em uma onda de alívio, subiu pela rampa que levava ao convés sem rodeio, e quando chegou no topo pode ver uma mulher assustada de frente para o que parecia ser uma mink leopardo com mais de 2 metros de altura. No meio da confusão que as duas haviam arrumado, Maka e Kitara viram uma pessoa bem baixinha, com um sobretudo que cobria seu corpo inteiro, parecendo uma criança vestida de espião, no topo da rampa do navio, perguntando se iriam para Uttara Mimamsa, e anunciando que possuía um log pose. Uma figura suspeita e estranha, sem duvidas, mas com exatamente o que Maka e John precisavam para a viagem.

Legendas:

Histórico:


Histórico:


Maka
Imagem :
Perpétuos I - Malfeito Feito - Página 3 350x120
Créditos :
43
Localização :
Felinolandia
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t298-maka-jabami https://www.allbluerpg.com/t625-as-cronicas-dos-scavenger-a-leoa-o-louco-e-o-mudo
Maka
Narrador
Re: Perpétuos I - Malfeito Feito Seg Jun 20, 2022 4:38 pm
Perpétuos l - Malfeito Feito
Treino - Transformação - Vingança
Aquela experiência se tornava cada vez mais intrigante, primeiro experenciar o sabor mais nojento e grotesco da minha vida, que consequentemente me transformou em um animal. Já havia ouvido falar sobre a mística de uma akuma no mi, mas não tinha ideia de que aquilo realmente fosse real.

Algumas informações perigosas eram recebidas, como o fato de não poder mais nadar, isso com certeza faria muita diferença daqui pra frente. Mas agora minha preocupação era de como eu voltaria para a minha aparência normal, algo que nem mesmo Kitara sabia e, em uma tentativa desesperada, tentei voltar ao normal.  

De início parecia dar certo, já que eu não precisava mais andar como um quadrupede, porém, as características felinas ainda estavam lá, e diferente de antes, eu parecia um Leopardo humanoide. - Você acha mesmo que isso aqui... é o caminho certo? - Questionei Kitara ao ver a falta de confiança da garota em sua resposta. - Pelo jeito vou ter que ficar assim até que por um milagre, eu volte ao normal... Aff!.. - Para ajudar, eu estava ainda maior do que o normal.

Repentinamente, em meio aquele desastre entre mim e Kitara, uma voz surgia ao fim da rampa que dava acesso ao barco, uma criaturinha pequena toda coberta por panos que quase impediam de ver a sua aparência em um primeiro instante. Até pensei em ignorar e deixar que John ou Leonidas resolvessem, mas ao ouvir que o rapaz tinha um eternal pose para Uttara Mimamsa, fez me virar os olhos de volta para ele, onde instintivamente me aproximei para conversar.

Já que estava com aquela aparência, apenas agiria com normalidade, como se não tivesse qualquer tipo de problema. - Sim!... sou a capitã desse navio! - Dizia enquanto analisava a estranha figura para na minha frente. Com uma expressão fechada e séria, passaria um ar de intimidação, pois não sabia quais eram as intenções do minúsculo garotinho. - Então você tem um Eternal Pose para Uttara, certo? - Me agachava enquanto falava tentando ficar na mesma altura de seus olhos. - Como eu posso acreditar que está falando a verdade? - Eu tinha o barco, mas não tinha a coisa mais importante para saber o caminho até lá, e nem tinha ideia de como conseguir um, mas não poderia dar tanta liberdade para alguém que eu acabara de conhecer.

- Temos bastante espaço, e alguém do seu tamanho não vai ocupá-lo. Se de fato estiver dizendo a verdade... - Respirei fundo antes de dizer, pois já esperava que talvez John não concordasse com a decisão sem nem mesmo dar espaço para que ele falasse. - Será bem-vindo. - Encerrava esperando que de alguma forma, aquela criatura provasse que era verdade.


Histórico:
Objetivos:
Legenda:

_________________

Perpétuos I - Malfeito Feito - Página 3 94sfShl
Koji
Imagem :
Perpétuos I - Malfeito Feito - Página 3 LwWfclL
Créditos :
16
Localização :
Sirarossa
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t764-harvey-abgnalle#6176 https://www.allbluerpg.com/t1500-perpetuos-i-malfeito-feito#17594
Koji
Avaliador
Re: Perpétuos I - Malfeito Feito Seg Jun 20, 2022 9:59 pm






Capítulo 3
Perpétuos I - Malfeito Feito



Antes que o desespero tomasse conta de mim, trazendo consigo o meu algoz invisível e pessoal, acabava por encontrar, enfim, o Sol Nascente. A taquicardia que quase disparava em meu peito se aliviava conforme minha voz chamava a atenção daquele povo, e por fim, da capitã com aspecto de leopardo. "Será que ela comeu uma Akuma no Mi?" indagava mentalmente, sem deixar que minhas preocupações se transbordassem para o exterior.

Havendo a confirmação por parte da grande mulher - quando comparada comigo -, esta pedia ainda uma prova que garantisse que minhas palavras fossem verdadeiras. "Sigh... apenas o justo." um pouco incomodado, pegaria o Eternal Pose de meus bolsos internos e mostraria para ela. A outra mão manteria firma na empunhadura da adaga, pronto para cortar o dedo de qualquer um que ousasse roubar a peça de mim; embora confiava que apenas segurar a bússola firmemente bastaria para sua segurança.

— Como pode ver, minha palavra é real. Posso confiar na sua? — indagava, retrucando de maneira imponente como ela havia feito comigo. Não tinha medo dela ou de sua aparência - eu mesmo tinha aspecto primal -, mas era importante, desde aquele momento, ressaltar barreiras, mesmo que ainda tivesse de me prostrar diante da hierarquia da embarcação. Dessa forma, continuaria olhando para ela à espera de uma resposta, ansioso e um tanto quanto receoso, mas sem dúvida esperançoso. Ali meu caminho se iniciava novamente.


Histórico:

Legenda:

Considerações:

 Code by Arthur Lancaster

   
 

_________________

Perpétuos I - Malfeito Feito - Página 3 HOpKYkQ


Curso narrador All Blue, turma de Janeiro 2021:
Terry
Imagem :
https://i.imgur.com/x2frSwS.png
Créditos :
01
Localização :
Hasagt Altai - 1ª Rota
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t313-ren https://www.allbluerpg.com/t1767-capo-de-tutti-capi
Terry
Mercenário
Re: Perpétuos I - Malfeito Feito Ter Jun 21, 2022 11:03 pm


O sol já estava quase se pondo no horizonte da Ilha Cactus, com seus últimos raios de luz pintando o céu com aquela coloração típica de fim de tarde e início de noite. No porto da ilha, a bordo do Sol Nascente, a capitã Maka, ainda naquela peculiar forma bestial, e Harvey, o Ornitorrinco, negociavam uma carona para o mink em troca deles usarem o Eternal Pose para Uttara Mimamsa que ele convenientemente vinha trazendo. Um não parecia confiar tanto assim no outro, com Harvey exigindo que a garota lhe desse um motivo para confiar na sua palavra. Kitara parecia um pouco preocupada ao observar aquela situação, decidindo por não falar nada por enquanto e deixar que a Maka lide com aquilo sozinha. A navegadora sabia que talvez fosse melhor pra todo mundo se os dois cooperassem, mas será que poderiam mesmo confiar naquele mink com aparência tão suspeita? E se ele fosse algum inimigo? Era realmente bastante conveniente que um Eternal Pose justamente para Uttara fosse cair bem no colo delas naquele momento tão oportuno. Confiar no julgamento da capitã realmente parecia ser o melhor a se fazer.

Antes que Maka pudesse responder ao seu novo conhecido, Leônidas, o leão de pelúcia, vinha até o convés com uma expressão nada feliz em seu rosto. O brinquedo dava passos firmes com seus pés de algodão, que naturalmente não faziam barulho algum. - O que raios está acontecendo aqui!? - Perguntou enquanto andava, tendo tido seus sonhos de guerreiro interrompidos pelo barulho das peripécias de Maka enquanto se acostumava com sua forma animalesca. A pelúcia olhava para os lados procurando sua pupila, na intenção de aplicar-lhe a maior bronca de sua vida, mas não conseguia vê-la em lugar algum. Foi então que ele finalmente notou a figura com aparência de leopardo à sua frente, e a ficha finalmente caiu. - Maka? É você? - Perguntava, confuso.

Caso olhassem para o porto, conseguiriam ver ao longe John retornando junto do que parecia ser um grupo de meia dúzia de homens com aparência de marujos, cheios de tatuagens e vestidos com roupas listradas. O rapaz havia saído mais cedo para procurar mais pessoas interessadas em fazer a viagem com eles, e pelo visto, havia tido sucesso.




Histórico Harvey:

Histórico Maka:

_________________

"The soon-to-be Empress of the Underworld"

Perpétuos I - Malfeito Feito - Página 3 UNCo9W5
Maka
Imagem :
Perpétuos I - Malfeito Feito - Página 3 350x120
Créditos :
43
Localização :
Felinolandia
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t298-maka-jabami https://www.allbluerpg.com/t625-as-cronicas-dos-scavenger-a-leoa-o-louco-e-o-mudo
Maka
Narrador
Re: Perpétuos I - Malfeito Feito Qui Jun 23, 2022 7:18 pm
Perpétuos l - Malfeito Feito
Treino - Transformação - Vingança
As coisas se mostravam um pouco tensas e travadas durante aquela conversa, e não sabia se estava tomando a decisão certa em fazer aquilo, fora o fato de que alguém de forma tão espontânea aparecer ali justamente com aquilo que precisássemos, poderia ser no mínimo suspeito. Questioná-lo sobre a veracidade de sua informação era o mínimo que eu poderia fazer, pelo menos por enquanto.

Confiando ou não, a criatura mostrou o Eternal Pose e de fato, era real. - Humm... você fala a verdade... - Antes que eu pudesse dar uma resposta, era abruptamente interrompida por Leonidas. - M-m-mas... é óbvio que sou eu! A mesma de sempre. Bateu a cabeça, foi? Fica feito um doido sonhando como se fosse herói e bla bla bla, e do nada vem me perguntar uma coisa dessas. Larga de ser doido, eu hein! Estou muito ocupada agora, Léo! - Tentava agir de forma natural para manter a postura na frente de quem agora eu negociava a utilização daquele Eternal Pose. - E-e-e outra coisa, você ficou dormindo e ainda não conseguiu o barco que eu te pedi. Não era você e o John que tinham ficado responsáveis? - comecei a ficar um pouco confusa, apenas querendo cobrar algo do pequenino enquanto me vinha a cabeça de que não usaríamos aquele navio para seguir até Uttara.

Ao longe, notei que John voltava acompanhando de mais alguns marujos que provavelmente ele havia conseguido para nos acompanhar. “E não é que ele é bom!? Conseguiu mais gente de novo...” antes que ele pudesse chegar, me voltei a atenção para o carinha que estava na minha frente, ignorando qualquer outra conversa que Leonidas tentasse esticar comigo novamente. - Voltando... você será temporariamente muito bem-vindo nessa tripulação! - Esticaria minha pata direita para selar aquela parceria, ansiosa pela viagem, e principalmente para voltar ao normal, pois aquela situação já estava bem constrangedora para mim.

Se o acordo fosse selado, daria liberdade para que o novato pudesse conhecer o resto do pessoal se assim quisesse. - Bom, não me lembro de ter dito antes, mas qual seria o seu nome? - Indagaria e, assim que tivesse a resposta, continuaria. - Ok, me chamo Maka... Maka Jabami e sou a responsável pela viagem, fique à vontade enquanto resolvo as últimas pendências para seguirmos nosso rumo. - Sendo assim, encerraria aquela conversa por hora, e voltaria a minha atenção para Leonidas. - Léo! Venha, vamos atrás desse barco! - Ignorando qualquer questionamento da pelúcia, agarraria seu braço macio e o levaria comigo para fora do navio e, se John perguntasse sobre minha aparência - o que eu não duvidaria -, tentaria ignorá-lo enquanto caminharia pelo porto em busca de uma loja de barcos, já que o Sol Nascente ficaria com Arthur e o resto do pessoal que não viria conosco.  

Passar por aquilo me deu muita sede e vontade de tentar esquecer tudo aquilo, então apenas pegaria minha garrafa de uísque e daria um belo gole para revigorar a minha sanidade que estava indo embora, enquanto por dentro eu implorava para voltar ao normal. “Por favor, corpinho... quero ser normal de novo, pelo menos por hora!...”  


Histórico:
Objetivos:
Legenda:

_________________

Perpétuos I - Malfeito Feito - Página 3 94sfShl
Koji
Imagem :
Perpétuos I - Malfeito Feito - Página 3 LwWfclL
Créditos :
16
Localização :
Sirarossa
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t764-harvey-abgnalle#6176 https://www.allbluerpg.com/t1500-perpetuos-i-malfeito-feito#17594
Koji
Avaliador
Re: Perpétuos I - Malfeito Feito Sex Jun 24, 2022 7:49 pm






Capítulo 3
Perpétuos I - Malfeito Feito



As negociações acabavam tão rápido como haviam começado, com ela percebendo a veracidade de minhas palavras. Agora com tudo pronto, subitamente o peso da falha - ou da possibilidade dela - saía de meus ombros, me deixando muito mais leve que antes. O clima do lugar, no entanto, parecia se estranhar com a aparição de uma nova criatura, uma espécie de urso de pelúcia falante chamado Léo. "Outro que comeu uma Akuma no Mi? Só mais uma estranheza, talvez." ponderava mentalmente enquanto olhava o diálogo, ou a falta dele, entre os dois.

Aparentemente, até mesmo o bichinho de pelúcia havia estranhado a Capitã, o que era no mínimo intrigante; complementando com a súbita hesitação e nervosismo dela, ficava claro para mim que algo não estava tão certo assim. Talvez o fato de eles estarem comprando um novo barco, por si só, fosse indícios de irregularidades. De qualquer forma, cavalo dado não se olha os dentes, como os antigos diziam. Assim que ela estendia sua mão para mim, retribuía o gesto e com certa firmeza apertava seu membro, selando o acordo.

— Harvey... Specter. — dizia para ela assim que perguntava meu nome. — Obrigado pela recepção. — continuava, enquanto via a leoparda sumir na multidão de pessoas. Sem demorar muito, partia para o convés do navio e me reservava com meus pensamentos. "Foi uma boa coisa não ter revelado meu sobrenome ainda. Nunca se sabe se o Viking ainda está me caçando ou não. Nada pode dar errado nessa viagem." elaborava mentalmente, certo de minhas ações como nunca estive.

Ali, procuraria me acomodar em um local onde pudesse observar todos sem parecer um espião. Não ousaria adentrar a embarcação, sabendo que teria que me translocar para outra de qualquer forma em alguns instantes, portanto, apenas analisaria o fluxo de pessoas no barco e no próprio píer. Manteria-me atento, no entanto, na figura de John, mostrada antes liderando certos marinheiros. Ele parecia ser íntimo da capitã e ter sua aprovação talvez fosse importante para a naturalidade e leveza da viagem. Na oportunidade própria, abordaria o rapaz. — Ei, eu sou novo aqui, mas, não seria melhor nós ajudarmos ela a procurar um barco agora? — utilizando de toda etiqueta que eu tinha, assumia uma postura mais amigável enquanto tentava algum tipo de interação.


Histórico:

Legenda:

Considerações:

 Code by Arthur Lancaster

   
 

_________________

Perpétuos I - Malfeito Feito - Página 3 HOpKYkQ


Curso narrador All Blue, turma de Janeiro 2021:
Terry
Imagem :
https://i.imgur.com/x2frSwS.png
Créditos :
01
Localização :
Hasagt Altai - 1ª Rota
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t313-ren https://www.allbluerpg.com/t1767-capo-de-tutti-capi
Terry
Mercenário
Re: Perpétuos I - Malfeito Feito Dom Jun 26, 2022 5:54 am



Leo, a pelúcia, cruzava seus bracinhos após escutar as falas de sua pupila sobre ele ter ficado responsável por achar um novo barco. - Tal como um grande artesão, não se apressa o trabalho de um grande guerreiro. Eu estava apenas descansando um pouco, afinal, todo mundo sabe o quão importante é não negligenciar seu sono! - Bom mestre que era, Leônidas se aproveitou da situação para passar mais um valioso ensinamento para Maka. Kitara, vendo tudo aquilo, se aproximou do brinquedo e explicou rapidamente para ele o motivo de Maka estar naquela forma. - Bom, desde que o espírito de luta continue o mesmo, a sua aparência é de pouca importância. - Concluiu ele, encerrando o assunto.

Cauteloso como sempre, após ser aceito como membro temporário da tripulação de Maka, Harvey apresentou-se, escondendo seu sobrenome. E a garota, não querendo mais perder tempo, resolveu ir ela mesma cuidar da situação do barco, chamando também Leônidas para ir junto. Andando pelo porto, inevitavelmente ela cruzou com John e seu pequeno grupo que voltava para o antigo barco, e como era de se esperar, o rapaz logo reconheceu sua velha amiga e estranhou aquela forma felina. O garoto pensou em questioná-la sobre aquilo, mas por conhecer ela bem e perceber que aquele provavelmente não seria o melhor momento, resolveu deixar para descobrir qual era o significado daquilo em uma outra hora.

Enquanto caminhava, Maka tomou um gole de uísque, desejando que seu corpo voltasse ao normal o quanto antes, e quase como mágica, sua aparência novamente foi ficando cada vez mais humana até que a garota voltou a ser a velha Maka humana de sempre. Paralelamente a isso, Harvey se apresentava para John, dando a sugestão de irem junto da garota. - Também acho. - Respondeu o garoto de forma bem natural ao ser abordado pelo Ornitorrinco. - Por sinal, seja bem vindo. Sou John White. - Ele se apresentou, enquanto os dois e o pequeno grupo de marujos começaram a ir no encalço de Maka e Leo.

Eventualmente, o grupo todo se reuniu na busca por algum tipo de loja de barcos. Após mais alguns minutos de procura, a equipe encontrou o que precisava ainda no porto. Mesmo naquele fim de tarde, o porto estava bem movimentado e não demorou muito tempo para descobrirem a localização de seu objetivo. Era uma loja até bem modesta do lado de alguns grandes armazéns, e na frente dela havia uma placa com os dizeres: “Náutica Cactus”. Caso entrassem lá, o grupo se viria dentro um recinto todo de madeira e cheio de réplicas em miniatura dos tipos de barcos que lá estavam à venda. Além disso, logo perto da entrada havia uma pequena estante com vários catálogos detalhando os tipos de navios que estavam à venda e seus respectivos preços. Atrás de um balcão, um velhinho de óculos lia um jornal até perceber que tinha clientes. - Sejam bem vindos, como posso ajudar vocês? - Ele perguntaria, colocando o jornal de lado.




Histórico Harvey:

Histórico Maka:

_________________

"The soon-to-be Empress of the Underworld"

Perpétuos I - Malfeito Feito - Página 3 UNCo9W5
Maka
Imagem :
Perpétuos I - Malfeito Feito - Página 3 350x120
Créditos :
43
Localização :
Felinolandia
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t298-maka-jabami https://www.allbluerpg.com/t625-as-cronicas-dos-scavenger-a-leoa-o-louco-e-o-mudo
Maka
Narrador
Perpétuos l - Malfeito Feito
Treino - Transformação - Vingança
- Então seja muito bem-vindo, Harvey... Specter! - Respondia-o chamando pelo nome que agora era revelado. As coisas não estavam acontecendo muito do jeito que eu esperava, não tinha controle algum sobre a Akuma no Mi, e para piorar a noite já se aproximava e eu ainda não havia comprado um barco, o que trazia certo atraso quanto ao fato de eu ter dito que sairíamos ao fim da tarde. Mas, por sorte aquela criaturinha bem estranha havia aparecido com um item que ainda não tínhamos ideia de como conseguiríamos, o Eternal Pose para Uttara Mimamsa.

De qualquer forma, finalmente estava a caminho da estalagem para enfim adquirir um barco que seria nosso, já que o Sol Nascente deixaríamos para Arthur e, em uma súplica interna após cruzar com John e me sentir envergonhada da situação, meu corpo finalmente voltava ao normal. - AAAAAAAAH! Até que enfim estou de volta! - Ainda precisava praticar a utilização daquela Akuma, nem se quer tinha noção do que eu seria capaz quando estivesse em alguma daquelas formas, mas esse era um assunto que queria deixar para mais tarde.

Finalmente de volta aos trilhos, estávamos eu e Leonidas que parecia não ligar para a minha nova aparência, já que Kitara havia me ajudado com a explicação, e de relance notei que John tomava o mesmo caminho provavelmente vindo até a estalagem conosco, e dessa vez ele não estava sozinho, pois continuava acompanhado dos marujos de outrora, além do novato comerciante que viajaria conosco. “Fizeram amizade tão rápido assim? Devem ser farinha do mesmo saco... Puffhahaha!”

De um jeito fácil encontrávamos a loja da qual procurávamos, e sem pensar duas vezes tomei a dianteira adentrando ao local. Apesar de modesto, as miniaturas espalhadas pela loja me animavam, além de um catálogo muito bem detalhado sobre os navios. - Oh, não notei que o senhor estava por aí. - Respondi ao perceber que o dono estava por lá. - Bom, procuramos um barco que seja suficientemente capaz de nos levar para outra rota, e vejo que o senhor tem alguns bem interessantes! - Passava o olho por cada um deles e, os grandões me chamavam muito a atenção, mas os preços eram inviáveis naquele momento, fora o fato de que eu provavelmente pagaria por ele sozinha, já que o John era um pão duro, e o Leonidas... bem, era o Leonidas. - Como sou eu que vou pagar, tenho todo o direito de escolher. - Dizia enquanto olhava para o “frutinha” e a pelúcia, confirmando de quem era o direito da escolha.

- Está decidido, vou querer uma Escuna! Ela não é grande, chama menos atenção pra si, e ainda é veloz. Vai nos ajudar a ganhar tempo nessa viagem, então é essa que eu quero! - Retirava de dentro de meus seios o bolo de dinheiro que ainda me restava, separando a quantia necessária e a colocando no balcão. - Está aqui, 15 milhões de berries, pode conferir se o senhor quiser. - Assim que o velho terminasse a conferência, se assim ele quisesse, voltaria a falar. - Vamos, me mostre essa belezura. Espero que esteja em bom estado, porque se não estiver, eu te mato velhote! - Seguiria com o senhor até o local onde estaria a embarcação, e aguardaria alguma instrução ou informação importante que ele tivesse para me entregar.


Histórico:
Objetivos:
Legenda:

_________________

Perpétuos I - Malfeito Feito - Página 3 94sfShl