Tópicos Recentes
Destaques
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Últimos assuntos
Registro de PhotoplayerHoje à(s) 9:58 ampor  FormigaOperação T.N.C.T.O.N.I.Hoje à(s) 2:25 ampor  PepeTerra em TranseHoje à(s) 2:10 ampor  AchilesAnjo CaídoHoje à(s) 1:25 ampor  KojiRelações Beni : )Hoje à(s) 1:19 ampor  BenisuzumeOs Monarcas - I Efeito BorboletaHoje à(s) 12:34 ampor  O TaverneiroSolomonOntem à(s) 11:43 pmpor  RangiAs Crônicas dos Scavenger: A Leoa, o Louco, e o MudoOntem à(s) 11:42 pmpor  KojiSharp Teeth and Hard Fists.Ontem à(s) 11:15 pmpor  KiraBenisuzume L. FlurioteOntem à(s) 11:03 pmpor  Benisuzume
 :: Oceanos :: Blues :: North Blue :: Stevelty
Página 2 de 8 Página 2 de 8 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8  Seguinte
Kenshin
Ver perfil do usuário
Imagem : I - Não existe sombra sem luz. - Página 2 XqxMi0y
Créditos : 20
KenshinDesenvolvedor
https://www.allbluerpg.com/t360-agatha-harkness https://www.allbluerpg.com/t386-prologo-frenesi-da-raposa#1165
I - Não existe sombra sem luz. Qui Maio 13, 2021 1:06 am
Relembrando a primeira mensagem :

I - Não existe sombra sem luz.

Aqui ocorrerá a aventura dos(as) Revolucionários Anne Redgrave, Lucy Von Kral e Mary Van Tassel. A qual não possui narrador definido.

_________________

I - Não existe sombra sem luz. - Página 2 J09J2lK

Mephisto
Ver perfil do usuário
Imagem : I - Não existe sombra sem luz. - Página 2 XXLblef
Créditos : 21
MephistoAvaliador
https://www.allbluerpg.com/t353-anne-redgrave https://www.allbluerpg.com/t383-i-nao-existe-sombra-sem-luz#1323
Re: I - Não existe sombra sem luz. Seg Maio 17, 2021 2:59 pm
Missão 1


Depois de tudo era só jogar o dinheiro sobre a mesa, pegar a mochila e jogar nas costas. Iria sair dali sem muitos devaneios indo até o porto, afinal já tinha o que queria e estava tranquila agora. Assim que chegasse no porto iria sentar na beirada, onde tiraria os sapatos e colocaria ao meu lado, deixando meus pés na água pra sentir ela sobre mim.

Era algo que eu sentia falta, poder nadar o dia todo livremente, quando as coisas eram mais fáceis, mas na prática, não tinha por que pensar em muito até que a baixinha chegasse por ali e aí sim iria me levantar enxugar os pés e colocar os sapatos de novo já me dirigindo a ela.-Aeee, chegou, posso, eu comprei a mochila justamente pra isso. Sem ela ia ficar ruim carregar as nossas coisas.- comentei dando um sorrisinho, e me espreguiçando. Iria com ela até a loja de conveniências mais próxima, onde esperaria ela comprar as coisas e jogaria tudo dentro da mochila.

Depois disso era hoa de sair dali e ir para nosso superior. Iria caminhar numa boa até o nosso ponto de encontro com ele, jogaria Lucy no ombro se ela quisesse ir comigo, deixando a mão rente ao chão pra ela subir, colocando ela ali. E assim era hora da gente seguir para nossa missão. Então a caminhada ia ser tranquila, onde quando finalmente chegasse no ponto de encontro diria.-Anne Redgrave e Lucy Von Kral a serviço senhor.- mas falaria isso apenas se reconhecesse o contato que tinha ficado de nos encontrar aqui na ilha.

Se não visse ele por ali apenas esperaria e diria isso pra ele quando ele chegasse, mas antes que ele chegasse puxaria papo.-Caraca, achei que ele já ia ta aqui, ele tá demorando em?- diria tentando manter o tom de voz baixo pra não chamar atenção com a voz, mais do que minha aparência já podia se destacar.




Historico:
Posts: 03
Ganhos:
- Mochila

Perdas:
- 260.000

Vantagens & Desvantagens:
Qualidades:

• Ambidestro (1 Ponto)
• Prontidão (2 Pontos)
• Duro de matar (2 Pontos)
• Carismático (2 Pontos)
• Idioma Marítimo (Raça)
• Nadador Nato (Raça)
• Cuspir Tinta (Raça)
• Seis Braços (Raça)

Defeitos:

• Atípico (Racial)
• Discriminação (Racial)
• Segregação (Racial)
• Heroico (2 Pontos)
• Ambição (2 Pontos)
• Inimigo (2 Pontos)
• Extravagante (1 Ponto)



_________________

I - Não existe sombra sem luz. - Página 2 2sfsWNF
Kerigus
Ver perfil do usuário
Imagem : I - Não existe sombra sem luz. - Página 2 ZOitdTV
Créditos : 00
Re: I - Não existe sombra sem luz. Seg Maio 17, 2021 10:28 pm
Mary Van Tassel


Depois de encontrar as luvas que queria fui conversar com a tritão, ela era realmente chamativa, 6 braços e ainda mais alta que eu, o fato de ela ser um tritão deve ter causado grandes dores de cabeça para ela. - Dupla peculiar essa, talvez seja uma boa segui elas, não é muito normal ver uma dupla diferente assim fora dos revolucionários, vai que dá certo. - O Velho tava certo talvez fosse uma boa seguir elas, até porque até agora eu não tenho plano nenhum então, e não é como se elas fossem querer me recrutar para ser prostitura como a outra vendedora tentou fazer. Puxava assunto com a tritão tentando me enturmar talvez até demais, pois ela pareceu ficar meio confusa de início. - Cheguei hoje na cidade, e já não gostei muito já que uma mulher tento me engana pra se prostituta dela, mas enfim eu vim atrás de uns amigos, eles vivem meio fora de cena, então vou ter que procurar. - Talvez fosse um passo muito grande já falar sobre revolucionários, então tentei ser um pouco mais discreta, talvez tenha falhado nisso o importante era conseguir uma forma de seguir as duas.

Chegava minha vez de ser atendida, e eu então pagava as luvas e já com um pequeno sorriso vestia elas, apertava o suficiente para elas ficarem confortáveis e presas o suficiente, luva frouxas são ótimas para causar machucados em um soco bem dado. Enquanto me ajeitava percebia que a tritão e a anã iam se encontrar nas docas, isso era a oportunidade perfeita para arranjar uma desculpa e pelo menos ir até o porto com elas, depois eu do meu jeito, sigo elas, largo a real e rezo pra alguma entidade inexistente fazer com que eu esteja certa, sei lá… alguma coisa deve funciona ou eu vou acabar batendo em alguém.

- Ouvi tu falando com a anã que vão se encontrar no porto, posso acompanhar vocês? Até pelo menos, é pra onde eu pretendo ir e não tenho muito conhecimento do local, e é sempre bom andar com uma companhia. -Tendo uma resposta negativa da tritão sairia da loja e a esperaria do lado de fora, tentaria me esconder e depois seguir ela, se o Velho acha que elas tem algo haver com a revolução elas devem realmente ter, ele nunca falha nessas coisas. Tendo uma resposta positiva da tritão seguiria com ela até o porto e lá ficaria de olho em volta, com sorte eu encontraria algum conhecido dos revolucionários, afinal se me mandaram para cá alguém deve saber que estou chegando. - Você conhece a cidade? Alguma dica onde posso encontrar meu amigos? - Perguntaria pra tritão, enquanto esperava a anã com ela.

Quando a anã chegasse diria. - Bom, agora que sua amiga chego acho vamos nos separar, eu tenho que procurar meus amigos e vocês os seus, bom conhecê-las, até mais. - Então me afastaria e as seguiria de longe, não é muito difícil notar uma tritão de 6 braços e todo esse tamanho, a anã provavelmente seria impossível notar, principalmente se as docas estiverem cheias. Caso contrário seguiria com elas seja lá onde estiverem indo.

Histórico:
Nome: Mary Van Tassel
Posts: 03
Vício: 03/10
Ganhos:
- 3 cigarros
- 5 Fósforos
- Luvas

Perdas:
- 60.000 berries (cigarros e fósforos)
-120.000 Luvas (Luvas)

Inventário:
- 3 Cigarros
- 5 Fósforos

Dinheiro: 190.000 berries

Qualidades:
- Versátil
- Ambidestro
- Impassível
- Afinidade com Haki
- Prodígio
- Atraente
- Voz melodiosa

Defeitos:
- Louca
- Dependência
- Furioso
- Improdutivo

Proficiências:
- Cirurgia
- Anatomia
- Primeiros socorros
- Toxicologia
- Diagnose

Profissão:
- Médica


_________________

I - Não existe sombra sem luz. - Página 2 34QBofs
Milabbh
Ver perfil do usuário
Imagem : I - Não existe sombra sem luz. - Página 2 Ezgif.com-resize
Créditos : 05
Localização : Flevance - North Blue
MilabbhAvaliador
https://www.allbluerpg.com/t311-haru-kaplyanova?highlight https://www.allbluerpg.com/t301-os-monarcas-i-efeito-borboleta#980
Re: I - Não existe sombra sem luz. Ter Maio 18, 2021 12:27 pm
Narração - Não Existe Sombra Sem Luz
Localização: Stevelty
Período do dia: Manhã

Após uma aula super produtiva, bem como a aquisição de suas armas, a anã estava pronta para tomar seu rumo novamente, e seu novo destino era o porto, onde havia combinado de se encontrar com Anne. A ferreira se despedia da pequena com um sorriso, após confirmar que adoraria fabricar novos projetos para ela.

Então, ao sair da forja, avistava Gigipista pousada sobre a placa de entrada do estabelecimento. O animal descia graciosamente e aceitava o carinho oferecido. As falas da anã pareciam ser compreendidas pelo pássaro, que com um chirriar, alçava voo e acompanhava o caminho da dona, olhando-a das alturas.

Enquanto isso, no porto, Anne não estava sozinha, isso porque Mary decidiu segui-la, afinal, o radar do Velho não falhava para essas coisas, e se ele dizia que a dupla era interessante para os revolucionários, então não havia motivos para dúvida.

De qualquer forma, a tritão estava sentada no cais de madeira, sentindo a água gelada bater contra suas escamas alvas. Enquanto ela aproveitava as carícias das pequenas ondas, bem como a brisa salgada que vinha do oceano, Mary se mantinha ali parada, ponderando se devia ou não trazer à tona o papo de revolução.

Envolta em seus pensamentos, porém, quase não percebia a aproximação da pequena Lucy, na verdade, mesmo que estivesse atenta talvez não percebesse. Já Anne, pelo costume, logo via sua amiga chegando e se apressava em levantar e calçar os sapatos, ouvindo o que a anã tinha a dizer.

Elas combinavam que a tritão seria o burro de carga inventário, e que era hora de comprar as coisas que seriam carregadas. Mary, ao ver a comoção, decidia se separar das duas, ao menos na teoria, já que pretendia segui-las a distância. Com isso, se afastava um pouco para se misturar à multidão, mas ainda notava a grande tritão por ali.

Agora a dupla original seguia até uma loja próxima do porto, que parecia vender vários tipos de especiarias e, dentre elas, o cobiçado café. Os preços estavam em um cartaz do lado de fora, e uma garrafa do líquido custava 200.000 Berries, e rendia até 10 copos. Se Lucy quisesse, poderia comprar rapidamente, mas era hora de encontrar o contato revolucionário.

Não era muito difícil, no entanto, notar uma figura não muito furtiva seguindo-as, isso se prestassem atenção. De qualquer forma, iam até o ponto de encontro, uma área próxima das cavernas da cidade, onde ninguém costumava ir. Quanto mais se aproximavam, portanto, menos movimento havia, até o momento em que Anne e Lucy estavam sozinhas, não fosse por Gigipista, que se empoleirava em uma árvore, além de Mary e Velho, escondidos ali por perto.

Contudo, tal situação não perdurava por muito tempo e, em meio às reclamações de Anne, uma figura emergia das sombras. - Olá senhoras... Suponho que sejam as enviadas do Exército, Sou Zev, ao seu dispor. Não foram seguidas, certo...? - A pergunta do homem soava mais como um desafio, para saber se as moças haviam percebido Mary em seu encalço, mas continuava.

- Bom, não sei se já foram informadas de algo, mas temos um problema em nossas mãos. - Ele tirava um papel do bolso e entregava para as moças. - O indivíduo aí se chama Pierre, e foi trazido como carga pelos caçadores de recompensa, contudo, o deixaram escapar... Patético. Mas a competência de tal grupo não vem ao caso. - O homem apontava para o papel e seguia. - O Jack foi preso por tráfico de pessoas, e desde que fugiu, tem operado aqui. Infelizmente, não tínhamos nenhuma informação sobre ele... Até o momento.

Procurado:

I - Não existe sombra sem luz. - Página 2 Pierre

O homem sorria desafiadoramente antes de prosseguir, e então encarava a dupla. - Essa caverna atrás de mim... Temos motivos para acreditar que está sendo usada como uma nova base do criminoso, contudo, não conseguimos entrar ainda por falta de pessoal. Bom, é ai que vocês entram: Vocês são o pessoal!... Isso inclui você também, querida. - O homem se dirigia à Mary, com um sorriso simpático no rosto. - De qualquer forma, já adianto que os caminhos ai dentro são muito confusos, e existem bichos... Diferentes, no sentido de terem se adaptado para viverem ai. Ahh, a informação mais fidedigna lista cerca de 10 escravos de variadas raças, mas podem haver mais, então cuidado com as contagens. - Ele então colocava as mãos na cintura, como se estivesse aliviado. - E então, alguma dúvida?

ControlePosts: 03

*Lucy
Ferimentos:
Ganhos:
- 2 Adagas Clássicas
- Machado Clássico
Perdas:
-500.000 Berries (2 Adagas e Machado personalizados + Aula)

*Mary
Ferimentos:
Ganhos:
- Cigarros (0/3)
- Fósforos (0/5)
- Par de Luvas Gastas
Perdas:
- 60.000 Berries (Cigarros e Fósforos)
- 120.000 Berries (Luvas)

*Anne
Ferimentos:
Ganhos:
- Mochila
Perdas:
- 260.000 Berries (Mochila)
 

Considerações
Zev
I - Não existe sombra sem luz. - Página 2 File_31e67eb893_original



emme



_________________

I - Não existe sombra sem luz. - Página 2 QeMkXKw
Falta de Humildade:

I - Não existe sombra sem luz. - Página 2 ABC
Kerigus
Ver perfil do usuário
Imagem : I - Não existe sombra sem luz. - Página 2 ZOitdTV
Créditos : 00
Re: I - Não existe sombra sem luz. Qua Maio 19, 2021 6:21 am
Mary Van Tassel


Seguir elas de forma furtiva seria uma ótima ideia, se eu fosse boa em furtividade, mas a pressa e o fato de estar em uma ilha desconhecida se mostrou um problema na minha tomada de decisões, o que resultou em algo talvez cômico pra quem olhava. - Segui elas é uma ideia até que boa, mas assim? - O Velho tava certo, mas eu não ia dar o braço a torcer mesmo sabendo a verdade. - Xiu, eu to indo muito bem não enche o saco… - E o velho sabia a verdade, por isso ele respondeu só rindo e sendo ironico. - HAHA to vendo…

Depois de um tempo seguindo as duas a verdade se revela, elas realmente eram do exército revolucionário. O homem que falava com elas era um tanto diferente, bronzeado, loiro com umas tatuagens, talvez se eu gostasse de homens isso me chamasse atenção mas como não era o caso, era só um homem que passava as ordens pelo exército revolucionário. A missão era simples, entra em uma caverna, enfrenta uns bicho no caminho e acha um procurado que os caçadores perderam no local. Até que era simples a missão que elas estavam recebendo, mas para a surpresa de ninguém o homem tinha me percebido seguindo elas e me chamou para me juntar ao grupo. - Olha só acho que visão incrível esse cara tem, como ele te percebeu. - E lá vinha o Velho com as piadinha dele de novo, hoje tava sendo um dia especial para ele. - Xiu xiu… - Eu balançava a mão como quem estivesse afastando fumaça ao meu lado.

Ao me aproximar diria. - É eu sou melhor em dar socos e chutes do que não ser percebida… mas pelo menos acertei e vocês também são do exército. - O que era totalmente verdade, afinal socos e chutes eu tinha treinamento, já não ser percebida era totalmente ao contrario.O cara que estávamos procurando tinha pelo menos 10 escravos com eles, isso poderia tornar tudo pior, o ideal era salvar todos mas com gente como esse procurado era quase certo de sempre se esperar o pior. Escravos me traziam memórias ruins que por um breve momento me fazia me perder em memórias, eles eram sempre os mais difíceis de tratar, não só pelo que era feito com eles quando eram escravos, mas os olhos de quem perdeu todas as esperanças mesmo já estando seguro, esse era a parte mais complicada na maioria das vezes. Algumas informações eram importantes saber antes de começar a missão, que seria minha primeira, então já seguia com as perguntas. - Sabem quantas pessoas além dos escravos estão com esse cara? - Era importante saber isso, mas era um informação muito específica e talvez eu não obtivesse uma resposta, outra dúvida era. - Esses escravos podem acabar ajudando ele, por medo ou algo assim? - No caso, aqui era mais uma questão de até onde eu ia com as porradas, afinal eles eram escravos não mereciam apanhar bastante que nem o homem que estamos procurando, e a última pergunta era. - A gente precisa trazer esse cara vivo? - Essa pergunta era importante, porque né, pode acontecer de sem querer eu acabar matando um traficante de pessoas, sabe como é às vezes o soco ou o chute podem escorregar e acertar num local errado.

Depois de tudo combinado e explicado a anã vinha me fazer perguntas e eram varias. - Curiosa ela... - O Velho falou exatamente o que eu pensei era muita pergunta jogada diretamente em mim mas com calma eu respondia cada uma delas. - Vamos devagar uma pergunta de cada vez, meu nome é Mary e quanto a primeira pergunta, eu pedi pro velho fica quieto, longa historia explico depois da missão se quiser saber mais... meu cabelo é ruivo natural não é assim por causa da revolução não... eu estou seguindo vocês desde o porto, tu tinha dito que tinha notado achei que sabia... Eu não sabia que eram revolucionarias, mas como eu passei um tempo em um hospital dos revolucionários cuidando de todo tipo de gente vocês me pareceram ser um deles então resolvi seguir vocês para ver se estava certa, acho que era isso... - Como tanta curiosidade cabe nesse tamanho todo era a pergunta que eu queria fazer mas preferi deixar para depois, afinal a tritão também tinha algo para falar. - Certo... o melhor mesmo eu e tu chama atenção e cobrir uma a outra enquanto a ela aproveita e fica de elemento surpresa. - Estava curiosa para ver como Anne lutava, aquele monte de braço deve ser trabalhoso de lidar em um combate corpo a corpo.

Histórico:
Nome: Mary Van Tassel
Posts: 04
Vício: 04/10
Ganhos:
- 3 cigarros
- 5 Fósforos
- Luvas

Perdas:
- 60.000 berries (cigarros e fósforos)
-120.000 Luvas (Luvas)

Inventário:
- 3 Cigarros
- 5 Fósforos

Dinheiro: 190.000 berries

Qualidades:
- Versátil
- Ambidestro
- Impassível
- Afinidade com Haki
- Prodígio
- Atraente
- Voz melodiosa

Defeitos:
- Louca
- Dependência
- Furioso
- Improdutivo

Proficiências:
- Cirurgia
- Anatomia
- Primeiros socorros
- Toxicologia
- Diagnose

Profissão:
- Médica



Última edição por Kerigus em Qui Maio 20, 2021 5:25 am, editado 1 vez(es)

_________________

I - Não existe sombra sem luz. - Página 2 34QBofs
Achiles
Ver perfil do usuário
Imagem : I - Não existe sombra sem luz. - Página 2 Da52343c7d1c5d679a3a8c0c40abf213
Créditos : 17
AchilesAvaliador
https://www.allbluerpg.com/t342-lucy-von-kral#1009 https://www.allbluerpg.com/t383-i-nao-existe-sombra-sem-luz#1160
Re: I - Não existe sombra sem luz. Qua Maio 19, 2021 6:44 pm
Lucy von Kral

A estratégia de ter alguém para carregar a minha garrafinha de café funcionava e avistávamos um local em que tinha uma plaquinha como algo digno dos deuses dando o sinal para comprá-lo logo. – Anne, ali, ó! Vou rapidão e já volto! – E rapidamente iria correndo já adentrando a loja e procurando pelos itens que precisava, pelo jeito, Redgrave queria encontrar com o líder revolucionário e isso exigia uma certa pressa que minhas compras não poderiam atrapalhar. – Bom dia, boa tarde, boa noite! Hihihi! É, vou querer uma garrafa de café e café! – Sorriria, já retirando o valor de duzentos mil berries dos bolsos para pagar e colocando os itens nas minhas costas para carregá-los. – Obrigada! Até mais! – E com eles em mãos, entregaria para Anne. – Aqui estão! Coloca na mochila? – Sorriria.

Com tudo resolvido nessa parte, seguíamos em direção a uma caverna onde encontrávamos o nosso contato, Zev, uma figura um tanto esquisita para ser bem sincera e com uma aparência que parecia ser suspeita por onde andasse, bom, as vezes o melhor disfarce é o óbvio e em seu caso isso parecia ser o correto. De imediato, ele começava a nos passar o plano do qual faríamos, basicamente adentrar uma caverna e capturar um cara que estava em seu interior da qual contém animais.

Mas, era aí que a coisa mais absurda acontecia, sim! A garota ruiva lá daquela loja de armas que eu sequer teria prestado atenção aparecia em cena, fazendo algumas perguntas para Zev em relação a missão e se mostrando que também era uma revolucionária assim como nós. – Ah, claro que sabíamos, é. Ela não é tão furtiva quanto eu. – Comentava, claramente mentindo, eu sequer tinha dado muita atenção para isso já que confiava em Anne completamente para me guiar e perceber esses passos. Cof...

Levantaria minha pequena mãozinha como se tivesse uma dúvida, algo que poderia até passar despercebida e por isso após as perguntas, faria a minha. – Vocês tem algum cordão longo ou algo parecido? Os caminhos são tortos, se tivessem um cordão, eu poderia ir na frente procurando por algum perigo e qualquer coisa eu dou um grande puxão ou só volto. – Comentaria, dando uma primeira ideia de como poderíamos começar aquela missão sem que tivéssemos tantos problemas com sermos surpreendidas.

Deixaria os outros detalhes do plano para elas e me concentraria em algo bem mais importante do que tudo, sim, ela, a razão do meu viver. – Psiu! – Diria em um tom meio baixo e esperando que ela descesse do céu em que eu iria até o seu encontro. – Gigipsta, eu vou ter que entrar ali... – Diria apontando para a entrada da caverna enquanto faria um carinho leve abaixo do seu queixo. – É um lugar apertado, então, stay. – Diria o comando do qual faria com que ela desse um leve choro comum e eu iria querer ficar ainda mais com ela. Nesse dia, devido aos locais movimentados e agora fiquei longe dela durante muito tempo o que partia meu coração. – Vou ficar mais um tempinho e depois te recompenso certinha. – Daria um abraço nela bem leve para não machucá-la e mais um carinho na cabeça e então viraria para as minhas companheiras. – Então, to pronta. – Diria, sacando minhas duas adagas e mostrando um sorriso travesso.

Porém, antes que começássemos, algumas coisas tinham me chamado a atenção em relação a aquela mulher e uma delas era ela ter dito para alguma coisa ficar quieta. – Hey, qual seu nome? – Perguntaria, me aproximando da ruiva. – Por sinal, quem tu pediu para ficar quieto agora pouco? – E começaria uma série de perguntas. – Seu ruivo é natural? É por causa da revolução que você usa o cabelo vermelho? Para combinar? – Daria uma leve pausa para respirar. – Você está nos seguindo desde quando? Você já sabia que éramos revolucinárias? – E cessaria as minhas perguntas e minha curiosidade por enquanto.

I - Não existe sombra sem luz. - Página 2 6F9DP52

Histórico:
Nome: Lucy von Kral
Posts: 04
Ganhos:
- 2 Adagas Clássicas (Post Nº 2 – Ferreiro)
- Machado Clássico (Post Nº 2 – Ferreiro)

Perdas:
- 500.000 B$ (Adagas e Machado + Aula – Post Nº 2)

Dinheiro – Bolso: 4.750.000 B$

Inventário:
-

Qualidades::
- Mestre em Haki
- Prontidão
- Ambidestro
- Furtividade Natural
- Veloz
- Diminuto

Defeitos:
- Louca
- Apegada
- Dependência
- Bisbilhoteiro
- Ajustes
- Exótico

Proficiências:
- Adestramento
- Cavalgar
- Costura
- Doma
- Furtividade

Saúde:
- Tá sussa!

Cor da fala: - Fala

Objetivos:
Comprar o meu par de adagas por um preço menor
• Comprar item de saciar dependência
• Realizar duas missões
• Aprender Forja
• Encomendar a cela para Gigipsta

Dependência (Café) – 4/10


_________________

I - Não existe sombra sem luz. - Página 2 B7iCY2j
Mephisto
Ver perfil do usuário
Imagem : I - Não existe sombra sem luz. - Página 2 XXLblef
Créditos : 21
MephistoAvaliador
https://www.allbluerpg.com/t353-anne-redgrave https://www.allbluerpg.com/t383-i-nao-existe-sombra-sem-luz#1323
Re: I - Não existe sombra sem luz. Qua Maio 19, 2021 8:04 pm
Missão 1


Tinha dado tudo certo com a garrafa de café o que era bom, assim não tinha preocupações com nada, mas o que mais me chamou atenção foi com toda certeza a situação ali diante dos meus olhos, o que o superior falou me fez cerrar os punhos imediatamente. Eu apertava os dedos com força, era horrivel só de imaginar o quanto as pessoas podem ser crueis.

Senti o sangue ferver naquele momento.-Que caras lixo, eu vou quebrar tudo.- e comecei a me mover já querendo ir pra cima deles sem qualquer preparação, admito minha paciencia foi pro caralho com essa historia de escravidão, era imperdoavel, roubar a liberdade das pessoas…

Mas antes que estragasse tudo começando a quebrar as coisas, Lucy tinha algum tipo de colocação, um plano? Ok, eu parei pra ouvir, ainda tava impaciente e achava que talvez não fosse preciso toda essa coisa de planejamento, mas é, se ela quer investigar talvez valesse a pena.-Não tenho corda não.- Olhei pra o superior esperando ele comentar se tinha algo do genero ou não.

Mas independente da resposta dele meu papo seria o mesmo.-Vou ficar atenta, se algo acontecer você me chama, e entro quebrando tudo. Se não volta e me explica as coisas que agimos com base na geografia do lugar. Eu posso ter uma base boa se você me explicar um pouco as direções.- disse pra ela com convicção, geografia é meu negocio, então mesmo que seja uma caverna tenho certa noção da ilha, então da pra pegar legal as posições. Além do mais daria pra avaliar o terreno.

Eram muitas coisas, ainda bem que ela deu essa freada na minha cabeça… Impulso as vezes pode dar ruim né? Talvez… Mas seja como for, eu estava confiando nas habilidades de ocultação dela. Olharia pra a ruiva já comentando com ela assim que a pequena saísse.-É o seguinte, pelo jeito que você falou, acho que a gente luta de forma similar, quando a gente entrar, eu cubro suas costas e você cobre as minhas, podemos estar em menor número, então vamos precisar dar um gás certo?- você poderia me chamar de simplista, mas isso já poderia salvar muita gente.

Com Lucy a estratégia era básica, era só eu puxar a atenção, e fazer o maior estardalhaço possível e ela atrapalhar meus inimigos pra fazer eles perderem o equilíbrio e serem distraídos o tempo todo, então a coisa não seria tão difícil assim. Hehe acho que vamos quebrar muitos escravistas na porrada hoje!!!




Historico:
Posts: 04
Ganhos:
- Mochila

Perdas:
- 260.000

Vantagens & Desvantagens:
Qualidades:

• Ambidestro (1 Ponto)
• Prontidão (2 Pontos)
• Duro de matar (2 Pontos)
• Carismático (2 Pontos)
• Idioma Marítimo (Raça)
• Nadador Nato (Raça)
• Cuspir Tinta (Raça)
• Seis Braços (Raça)

Defeitos:

• Atípico (Racial)
• Discriminação (Racial)
• Segregação (Racial)
• Heroico (2 Pontos)
• Ambição (2 Pontos)
• Inimigo (2 Pontos)
• Extravagante (1 Ponto)


_________________

I - Não existe sombra sem luz. - Página 2 2sfsWNF
Milabbh
Ver perfil do usuário
Imagem : I - Não existe sombra sem luz. - Página 2 Ezgif.com-resize
Créditos : 05
Localização : Flevance - North Blue
MilabbhAvaliador
https://www.allbluerpg.com/t311-haru-kaplyanova?highlight https://www.allbluerpg.com/t301-os-monarcas-i-efeito-borboleta#980
Re: I - Não existe sombra sem luz. Sex Maio 21, 2021 9:11 pm
Narração - Não Existe Sombra Sem Luz
Localização: Stevelty
Período do dia: Manhã

Após ser facilmente identificada, Mary resolvia se revelar, e enquanto saía mandando Velho calar a boca, já aproveitava para se explicar. As duas moças seguidas pareciam surpresas com a nova presença, mas o homem apenas sorria sarcasticamente ouvindo as falas.

- Espero que seja melhor em dar socos. - Ele brincava e então cruzava os braços, encarando as três e ouvindo as perguntas da ruiva. - Não, não e não... Explicando melhor: Imaginamos que no mínimo 2 capangas estejam com ele, mas não há confirmação. Os escravos parecem sofrer bastante nas mãos do patife, então qualquer perspectiva de fuga seria aproveitada, eles não se voltariam contra vocês... Provavelmente. E, por fim, façam com ele o que quiserem, até dar de comida para os peixes, não me interessa. Só queremos que resgatem as pessoas, e não o deixem fugir de novo.

Lucy, por sua vez, fingia ter percebido a presença de Mary, mas logo mudava de assunto, também dirigindo algumas perguntas para Zev. Sua mãozinha no ar era correspondida pelo indicador do homem, que apontava para ela, como se permitisse que falasse.

- Não tenho corda, mas nessa floresta ai deve ter alguma coisa. De qualquer forma, a ideia me parece boa, desde que não seja pega sozinha, ou estará em bastante desvantagem. - Ele dizia encarando Gigipista, que coçava a asa com o bico.

Falando no animal, Lucy aproveitava para chamá-la, afinal, já estavam há algum tempo separadas, e isso não era comum. Quando a coruja descia, logo ia de encontro com a dona, aproveitando o abraço. Ouvia atentamente as falas da pequena, como se a entendesse e, assim como sua dona imaginava, emanava seu leve chorinho desolado, mas obedecia a ordem e voltava a se empoleirar em um galho.

Enquanto isso, Mary parecia ser aturdida por lembranças de seu passado conturbado, e isso se manifestava em sua postura apática. Anne, por sua vez, também se lembrava de algumas coisas, mas ao contrário da ruiva, não queria ficar parada. Sua vontade era de entrar lá e matar todos com suas próprias 6 mãos, mas se continha com a fala da pequena companheira.

Respirar fundo e pensar em um plano não era lá uma coisa muito fácil, ainda mais quando se tem uma memória tão hedionda como a de Anne, mas ainda assim, ela se mantinha firme e concordava.

- É, impulsividade não adiantará agora. Lembrem-se, eles chegaram aqui primeiro, têm a vantagem do ambiente, e estão protegidos por bichos. Talvez a ideia da pequena senhorita seja a mais viável, com o auxílio de vocês duas, claro. - A voz do homem soava tranquila, tal qual o farfalhar das folhas, e seu olhar sereno conseguia acalmar até mesmo a pessoa mais nervosa.

Ao ouvirem isso, decidiam se ater ao tal plano, mas sem as cordas, a não ser que achassem algo por perto. De qualquer forma, Lucy anunciava que estava pronta, Mary respondia o interrogatório que faziam, e Anne se punha à disposição, bem como falava com a ruiva, reafirmando que deveriam se ajudar em combate.

Se iriam entrar sem a ferramenta, não era claro, mas o plano de combate já estava traçado. Lucy seria o elemento surpresa, enquanto as duas outras atrairiam a atenção. Zev olhava a cena encostado em uma pedra qualquer, sorrindo tranquilamente.

- Bom, parece que têm tudo sob controle... Deixarei que assumam daqui. Me encontrem nas ruínas com os reféns e a prova que o maldito está detido...Ou morto. - Ele se desencostava e começava a andar para longe. - Ahh, e meninas? Não morram...

ControlePosts: 04

*Lucy
Vício: 4/10
Ferimentos:
Ganhos:
- 2 Adagas Clássicas
- Machado Clássico
- Garrafa de Café (0/10 usos)
Perdas:
- 500.000 Berries (2 Adagas e Machado personalizados + Aula)
- 200.000 Berries (Garrafa de café)

*Mary
Ferimentos:
Ganhos:
- Cigarros (0/3)
- Fósforos (0/5)
- Par de Luvas Gastas
Perdas:
- 60.000 Berries (Cigarros e Fósforos)
- 120.000 Berries (Luvas)

*Anne
Ferimentos:
Ganhos:
- Mochila
Perdas:
- 260.000 Berries (Mochila)
 

Considerações
Zev
I - Não existe sombra sem luz. - Página 2 File_31e67eb893_original



emme



_________________

I - Não existe sombra sem luz. - Página 2 QeMkXKw
Falta de Humildade:

I - Não existe sombra sem luz. - Página 2 ABC
Achiles
Ver perfil do usuário
Imagem : I - Não existe sombra sem luz. - Página 2 Da52343c7d1c5d679a3a8c0c40abf213
Créditos : 17
AchilesAvaliador
https://www.allbluerpg.com/t342-lucy-von-kral#1009 https://www.allbluerpg.com/t383-i-nao-existe-sombra-sem-luz#1160
Re: I - Não existe sombra sem luz. Dom Maio 23, 2021 12:14 am
Lucy von Kral

- Ahá! Mas eu sabia! É assim que nós descobrimos informações de uma forma natural. – Claramente estava mentindo, minha feição sempre se desdobrava de uma forma. Mas a pergunta teria sido boa se fosse uma verdade, não acha? Teria feito Mary dizer o que não queria simplesmente por perguntar de forma natural. Hihihi! – Tá certo, agradeço pelas respostas sinceras, gostei do seu cabelo. – Comentava, agora tendo dado uma melhor olhada sobre ela.

“Impulsividade não adiantará agora”. Eu acho essa frase bem incorreta, é esta impulsividade que sempre me mostrou a frente de qualquer inimigo até agora e qualquer desafio que encarei, é o momento de eu mostrar que a minha furtividade pode ser utilizada bem para esse tipo de missões e creio que Anne tenha confiança em mim para tais feitos. – Infelizmente estamos sem cordas e iremos assim, se me permitem tomar a palavra. Os escravos estão lá presos e podem estar ofrendo maus tratos, por isso, quero partir de imediato. – Eu olhava para Anne sabendo que ela entenderia e provavelmente teria o mesmo ponto do qual eu tinha dito e rapidamente subia em suas costas. – Com licença, Anne, vou pegar a minha garrafa aqui, rapidinho. – Em sua mochila, abriria com cautela para pegar a minha garrafa de café tomando três goles do café quentinho e gostosinho para dar um gás em meu corpo, já aproveitando para guardar novamente. – Hehe, agora eu estou energizada.

O efeito da cafeína em um corpo pequeno era bem mais agitado e esse era um dos benefícios da cafeína, em pouco tempo, conseguiria sentir o meu coração ficando mais acelerado devido ao efeito da bebida. – Falou Zev! Nos vemos daqui algum tempinho! – E o meu foco voltava-se para Gigipsta do qual daria um rápido beijo em sua testa e começaria a dar os primeiros passos para o interior da caverna. – Let’s go! – E a cada passo aceleraria gradativamente em uma velocidade constante que me permitisse andar pela caverna com atenção e velocidade o suficiente para me distanciar um pouco em relação as garotas.

Um dos meus focos dentro da caverna seriam armadilhas, seja para animais ou para humanos, dos quais tentaria enxergar alguns pequenos fios ou metais em alguns determinados lugares. Caso avistasse uma, qualquer que fosse, tomaria todo o cuidado para não armá-lo e seria o primeiro ponto em que voltaria para avisar as minhas companheiras já que haveríamos problemas caso alguém fosse atingida. Porém! Antes de voltar! Olharia qual era o tipo de armadilha, que material que ela era feita, se estava velha ou nova, se tinha algum tipo de gatilho ou qual era o seu tipo de desastre que causaria. É. Ás vezes eu era mais curiosa do que deveria mesmo não sabendo quase nada sobre armadilhas e que normalmente elas fazem “Boom!”. – Pessoal. – Voltaria com um tom de voz baixo. – Há armadilhas logo a frente, elas são assustadoras vistas de perto, então tomem cuidado! – Comentaria. – Vou voltar a frente em minha função como batedora. – E após o aviso, uma luz subia em minha cabeça. – Olhem para o chão conforme forem andar, vou marcar as entradas com uma seta, assim, andaremos sempre pela mesma direção. – Era uma boa ideia, é, era uma boa ideia, hehe, hora de partir!

E de uma maneira agitada, rapidamente voltaria a tomar a frente da nossa expedição em direção aos escravistas, tomaria cuidado com qualquer animal que pudesse aparecer que eu não conseguisse ver de imediato, me manteria atenta aos meus sentidos para tentar detectar qualquer perigo. Em caso de alguma encruzilhada ou bifurcação, tomaria o caminho ao centro ou o da direita, porém, toda direita que eu tomasse, iria tomar a esquerda na próxima vez que surgisse alguma bifurcação. Dentre esses trajetos, utilizaria o machado para marcar o caminho com uma seta no chão ou nas paredes, o que eu achasse que ficaria mais visível, as setas teriam um comprimento aceitável para que fosse visto com um pouco de atenção.

Em questão de animal, eu pararia de imediato em qualquer situação procurando ter cautela com eles, primeiramente, não forçaria nenhum movimento brusco e começaria a me movimentar com uma furtividade ainda maior do que antes procurando não chamar a atenção do animal e recuaria aos poucos, tentaria identificar qual era o tipo de animal para poder avisar aos meus companheiros. – Tem alguns animais a frente, como quer lidar com eles? – Em qualquer ofensiva do animal, sacaria rapidamente o meu machado em que tentaria acertá-lo no seu membro de ataque, fosse suas presas ou garras.

I - Não existe sombra sem luz. - Página 2 6F9DP52

Histórico:
Nome: Lucy von Kral
Posts: 05
Ganhos:
- 2 Adagas Clássicas (Post Nº 2 – Ferreiro)
- Machado Clássico (Post Nº 2 – Ferreiro)

Perdas:
- 500.000 B$ (Adagas e Machado + Aula – Post Nº 2)

Dinheiro – Bolso: 4.750.000 B$

Inventário:
-

Qualidades::
- Mestre em Haki
- Prontidão
- Ambidestro
- Furtividade Natural
- Veloz
- Diminuto

Defeitos:
- Louca
- Apegada
- Dependência
- Bisbilhoteiro
- Ajustes
- Exótico

Proficiências:
- Adestramento
- Cavalgar
- Costura
- Doma
- Furtividade

Saúde:
- Tá sussa!

Cor da fala: - Fala

Objetivos:
Comprar o meu par de adagas por um preço menor
Comprar item de saciar dependência
• Realizar duas missões
• Aprender Forja
• Encomendar a cela para Gigipsta

Dependência (Café) – 5/10


_________________

I - Não existe sombra sem luz. - Página 2 B7iCY2j
Mephisto
Ver perfil do usuário
Imagem : I - Não existe sombra sem luz. - Página 2 XXLblef
Créditos : 21
MephistoAvaliador
https://www.allbluerpg.com/t353-anne-redgrave https://www.allbluerpg.com/t383-i-nao-existe-sombra-sem-luz#1323
Re: I - Não existe sombra sem luz. Dom Maio 23, 2021 2:03 am
Missão 1


O nosso superior era um pouco estranho, temia que ele lesse mentes… Nunca fizemos outra estratégia além da de Lucy, porem eu pensei em algumas coisas, talvez a ruiva tenha pensado também. Será que ele consegue mesmo ler minha mente e sabe o que queria fazer? Eu acho que, vontade mesmo era de perguntar em que número exatamente tô pensando.

Mas pegaria mal no meio da missão, então, é melhor aceitar que talvez ele consiga mesmo ler minha mente. De toda forma tava por nossa conta… Mas pera aí quando ele falou comida pra peixe ele tava falando de mim? Será que ele pensa que como humanos? É um começo não muito legal, deixa pra lá... Então a pequena tinha pedia licença subindo nas minhas costas.-Sem problema, pode pegar.- e por fim era hora de começar a incursão.

Iria adentrando junto a Lucy, mas sempre deixaria que ela fosse primeiro e voltasse com as informações, afinal, ela era nossa batedora. Aproveitaria pra começar analisando a geografia da caverna assim que a gente fosse andando. Sempre que ela trouxesse qualquer informação me manteria atenta aos resultados.

Se por acaso ela voltasse falando de armadilhas, iria com cuidado até o lugar pra a gente avaliar o que realmente era essa amadilha, como era ela antes de prosseguir. Também ficaria atenta a qualquer perigo, bestas, pessoas e similares, mantendo minha guarda alta durante a caminhada, cada braço posicionado de uma maneira.

O direito superior na altura da cabeça, em posição pouco mais elevada que o esquerdo superior, o braço central focado em proteger a região torácica pouco abaixo dos seios, enquanto os braços inferiores ficariam guardando a região abaixo da cintura, pelas coxas, assim conseguindo manter uma guarda completa pra boa parte de meu corpo.

Caso Lucy voltasse falando de bestas selvagens era o jeito lidar com elas da melhor forma, era complicado, nunca gostei muito de bater em animal, mas as vezes é questão de sobrevivencia.-Vamos ter prender elas ou desmaiar, eu não queria matar elas, mas em ultimo caso vai ser o jeito, não gosto de matar animais, então tentarei desmaiar eles sem ser letal.- era a forma como explicaria essa questão para a pequena.

Então já retornaria minha visão para Mary dizendo,-Vamos avançar, entramos na sala e ficamos de costas uma pra outra e protegemos nossa retaguarda. Se os números forem muito altos vamos tentar levar eles pra corredores curtos, onde assim os números deles vão ter menor impacto pela dificuldade de ação.- diria falando o mais baixo que conseguisse até para evitar chamar mais inimigos. Então adentraria na sala já ficando costas a costas com Mary, onde então começaria a luta.

A princípio assumiria um caráter mais defensivo, iria esperar as bestas virem, e quando o fizessem, meu intuito era agarrar o pescoço delas com meus braços inferiores, e tentar sufocar elas por poucos segundos no intuito de levar ao desmaio. Porem não me conteria se fosse preciso maior ação.

Caso alguma avançasse de modo que não fosse possível usar os braços para defender então aplicaria um chute direto, partindo de baixo pra cima usando o bico do pé para tentar fazer com que ele fosse lançado pra trás com o golpe. Por fim, também faria o famoso varre chão. Um chute cruzado horizontal baixo pouco acima da altura do chão.

Para inimigos saltitantes, ou que atacassem de alguma maneira por cima, usaria os braços para bloquear o ataque movendo eles de modo a colocar o antebraço fronte ao golpe batendo lateralmente em direção a ele. Tomaria cuidado com lâminas, no entanto, onde se visse como necessário, bloquear, bateria contra elas visando sua lateral e não o fio.

Durante meus movimentos consideraria a posição de Mary para não deixar ela completamente desprotegida, ficando costas a costas com ela. Teria cuidado com Lucy também, para evitar atrapalhar qualquer curso de ação dela.




Historico:
Posts: 05
Ganhos:
- Mochila

Perdas:
- 260.000

Vantagens & Desvantagens:
Qualidades:

• Ambidestro (1 Ponto)
• Prontidão (2 Pontos)
• Duro de matar (2 Pontos)
• Carismático (2 Pontos)
• Idioma Marítimo (Raça)
• Nadador Nato (Raça)
• Cuspir Tinta (Raça)
• Seis Braços (Raça)

Defeitos:

• Atípico (Racial)
• Discriminação (Racial)
• Segregação (Racial)
• Heroico (2 Pontos)
• Ambição (2 Pontos)
• Inimigo (2 Pontos)
• Extravagante (1 Ponto)





_________________

I - Não existe sombra sem luz. - Página 2 2sfsWNF
Kerigus
Ver perfil do usuário
Imagem : I - Não existe sombra sem luz. - Página 2 ZOitdTV
Créditos : 00
Re: I - Não existe sombra sem luz. Dom Maio 23, 2021 4:04 am
Mary Van Tassel


As respostas para as minhas perguntas eram as esperadas, normalmente essa gente que vende escravos sempre maltrata eles pra eles não terem como reagir. - No mínimo 2 capangas tendo vocês 3 acho que dá pra se divertir um pouco e saindo com uns machucado. - Dependendo talvez eu conseguisse acabar com todo mundo sozinha, mas o Velho era sempre cauteloso o que me salvou de grandes enrascadas no passado.

Após um gole de café da anã começamos a entrar na caverna, isso começou a me fazer pensar no meu cigarro, mas era só aquela vontade surgindo então resolvi não dar muita bola, e também porque o cheiro poderia atrair algum animal que estivesse ali dentro. Dentro da caverna tentaria me manter ao lado da tritão, sempre atenta a sons de de animais ou pessoas, provavelmente as pessoas fariam mais barulho que animais, pelo que lembro dos escravos que atendi falando, normalmente essa gente que vende escravos tende a não se conter muito quando lidando com eles. Os animais seriam o problema, se eles ouvirem um barulho provavelmente também tentarão ser furtivos, então ficaria de olhos e ouvidos abertos para tudo, desde pessoas conversando ou xingando, até animais fazendo algum barulho de raiva por nos ver ali dentro da caverna, ficaria de olho em áreas mais altas dentro da caverna como por exemplo algum local que algum felino possa subir e se deitar. Durante a caminhada andaria com cautela já preparada para qualquer surpresa que surgisse e não fosse capaz de identificar com antecedência, então manteria meu braço esquerdo levantado com o punho próximo ao rosto protegendo a região do pescoço com o antebraço, enquanto o braço direito ficaria na região do estômago logo abaixo dos seios de forma a conseguir proteger essas duas regiões, claro eu não era a tritão com 6 braços que protegiam quase todo o corpo dela mas eu conseguia me virar.

No caso da anã informar a existência de armadilhas, seguiria com cuidado o que ela guiasse, para não ser capturada ou morrer por me descuidar e ter uma estaca perfurando meu peito. Mas se necessário tentaria me esquivar saindo da frente da armadilha e levando a tritão junto caso ela não tenha percebido a armadilha vindo em nossa direção.

No caso da anã informar a presença de animais logo a frente a tritão tinha um certo receio em matar eles, mas no meu caso eu discordava, podia ser problemático deixar animais vivos principalmente porque não sabemos as condições dos escravos, e se esses animais estiverem acordados quando estivermos voltando com os escravos, será um tanto complicado proteger os escravos enquanto lutamos contra animais selvagens. - Eu entendo a tua intenção mas não acho uma boa ideia somente os desmaiarmos, talvez tenhamos que passar pelo local novamente para sair da caverna depois e se esses animais estiverem acordados será meio complicado proteger os escravos e lutar contra eles. - Diria em voz o mais baixa possível, tentando fazer o mínimo de barulho para não atrair a atenção de algum animal ou pessoa.

Após isso a tritão tem uma ideia de como iremos lutar contra os animais e eu iria a seguir, não era difícil lutar contra animais, só era chato pois eles são esguios e então sempre temos que esperar o momento certo para os golpear. - Espere eles iniciarem a investida e ataque no momento certo, é mais fácil dessa forma. - Diria para a tritão antes do combate se iniciar definitivamente. E é o que eu faria, sempre focada em atacar durante uma investida do animal, nunca iria tomar a iniciativa contra eles sempre esperando eles virem. Dando socos ou chutes dependendo da altura da cabeça do animal que estava dando a investida, sendo do meu umbigo pra cima um soco e para um chute, quando o animal estiver no alcance de um soco ou chute daria o golpe focando a lateral da cabeça do animal, ou do corpo inteiro dependendo do tamanho. No caso de um soco, daria um pequeno passo para o lado para facilitar que a força do meu golpe mude a trajetória do animal.

No caso de animais grandes como um urso por exemplo tomaria um cuidado diferente, ainda esperando o investida do animal, eu iria focar em me esquivar com movimentos longos para sair da frente do animal e contra atacar com um chute nas costelas ou soco na cabeça, o que fosse mais fácil no momento, e após o golpe me afastaria mantendo esse estilo de combate enquanto o animal estiver focado em mim. Já se o animal estiver focado na anã ou na tritão, eu tentaria me aproveitar para chegar pelo flanco do animal e dar um chute com a sola do pé aproveitando a o embalo de uma corrida ou somente um passo mais acelerado para causar o máximo de dano possível, mas assim como no caso do animal estar me focando, eu daria um golpe e sairia do alcance esperando o momento de atacar novamente.

Histórico:
Nome: Mary Van Tassel
Posts: 05
Vício: 05/10
Ganhos:
- 3 cigarros
- 5 Fósforos
- Luvas

Perdas:
- 60.000 berries (cigarros e fósforos)
-120.000 Luvas (Luvas)

Inventário:
- 3 Cigarros
- 5 Fósforos

Dinheiro: 190.000 berries

Qualidades:
- Versátil
- Ambidestro
- Impassível
- Afinidade com Haki
- Prodígio
- Atraente
- Voz melodiosa

Defeitos:
- Louca
- Dependência
- Furioso
- Improdutivo

Proficiências:
- Cirurgia
- Anatomia
- Primeiros socorros
- Toxicologia
- Diagnose

Profissão:
- Médica



_________________

I - Não existe sombra sem luz. - Página 2 34QBofs