Bem-vindo ao

All Blue

É com muito prazer que lhes damos os comprimentos ao nosso RPG. All Blue se trata de um RPG narrativo com o ambiente principal centrado em One Piece, obra de Eiichiro Oda.
Se divirta nessa nova aventura e se torne o novo rei pirata... Se puder!

Últimos assuntos
Aventura dois: trabalhando até desmaiar.Hoje à(s) 1:18 ampormestrejCriação de TécnicasHoje à(s) 12:50 amporDiego KaminariBad KarmaHoje à(s) 12:10 amporNoskireOs Seis CaminhosHoje à(s) 12:01 amporToji3º - A Liberdade Que Atravessa a Ponte LupinaOntem à(s) 11:52 pmporSubaé[TDN] Yuuma D. YukinagaOntem à(s) 11:49 pmporDreamstainÚltimo Baile Antes da GuerraOntem à(s) 11:25 pmporNoskireCréditosOntem à(s) 11:13 pmporKenshinIII - RagnarökOntem à(s) 11:01 pmporNoskire[PEDIDO DE INSTRUTOR] UhtredOntem à(s) 9:28 pmporUhtred

II - Fool me Twice

Página 5 de 7 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte
Sasha
Imagem :
Berserker
Créditos :
76
Localização :
Rota 6 - 4ª Ilha Vedde
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t340-sasha-sparks#1002 https://www.allbluerpg.com/
Sasha
Rank B
II - Fool me Twice Seg Mar 14, 2022 1:51 pm
Relembrando a primeira mensagem :

 II - Fool me Twice

Aqui ocorrerá a aventura  do Pirata Lyosha Bulgakov  e da  Caçadora de recompensas Jyundee Kujoh. A qual não possui narrador definido.

_________________



 II - Fool me Twice - Página 5 HGWnxh1

Shiori
Imagem :
 II - Fool me Twice - Página 5 EEEWL0c
Créditos :
67
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t363-shiori-miyamoto#1109 https://www.allbluerpg.com/
Re: II - Fool me Twice Ter Abr 12, 2022 3:09 am
I - Fool Me Twice



Jyundee Kujoh

Jyu mantinha sua estratégia defensiva, sua postura se ajustava onde ela começava a se preparar para os movimentos, adotando uma postura mais baixa, ela ia esquivando dos elementos lançados pelo inimigo, algumas vezes mesmo sendo seu ultimo caso, ela era sim obrigada a bloquear, pois a cadencia permitia ao atirador disparar bastante vezes.

Ela se movia de forma consistente, evitando a maioria dos Chakrans, e ia quando tinha oportunidade pegando para si aquelas armas, algo que ela poderia usar para eventualmente levar seu oponente à queda. Aproveitando de sua furtividade, com alguma vantagem aos poucos, as coisas iam dando certo.

O inimigo não tentou nenhum recurso especial, e Jyu aproveitando o momento em que ele realizava disparos, tentava ser furtiva, e foi eficiente, ele demorou a ver ela sumindo dali, e quando percebeu que ela já não estava, ele notou que aquilo poderia ser desvantajoso, nesse momento seu oponente ao invez de continuar a luta, decidiu se retirar dali.

Sim, isso mesmo, ela não tinha visto seu rosto, nem tinha muitas provas sobre nada, apenas coisas circunstanciais, e nesse ponto ele começou a fugir, ele ia saltando de casa em casa e se afastando, nessa hora ele apenas dizia.-Dançaremos em outro momento bela moça, te vejo em alguns dias, você uma hora irá cair.- não ficou claro exatamente a razão, mas era certo que ele estava bem determinado.

Ele começava a correr na direção oposta, de modo que aos poucos ele ia tentando se ocultar, ainda era visível, mas logo ele ia chegar na parte das casas mais altas que tinham naquela direção. Aquilo também explicava porque Furu nunca realmente chegou a encontrar a rota traçada, ela sempre terminava nos arredores, era que ele subia nas casas e conseguia saltar entre elas.

Acrobatas são realmente chatos, ainda mais com capacidade de longa distância eficiente Apesar de tudo aquela luta aina não tinha terminado, uma perseguição era possível, já que ele ainda era visivel aos olhos por mais algum tempo, agora a espadachim tinha de escolher, lutar contra ele nesse momento ou deixar que ele fosse embora e talvez, trouxesse coisas piores, ou até mesmo fizesse outras vítimas.

O maior perigo estava no fato de que daquele ponto ele já havia visto o poder da espadachim, e com isso talvez ele fosse fazer preparações bem mais difíceis no próximo ato. Ao mesmo tempo que Furu começou a acordar naquela hora, ele abria os olhos ainda lento e abria a boca, mas caia no sono novamente, ele precisava dormir algumas horinhas, mas era bem aliviante ver que ele não tinha nenhum dano, e parecia bem nos braços da moça, o gás realmente era só pra dormir.

Entretanto agora eles tinham mais pistas, o catiorro tinha os dados, ele tinha ficado muito perto e agora era certo que ele chegaria a um cheiro além da roupa do inimigo, o que facilitaria ele a achar mais traços do cheiro pela rua, afinal alguma hora ele teria de descer e eles tinham uma direção.

Lyosha Bulgakov

A situação era feia, ele via que sua invisibilidade estava ameaçada, mas aquilo também era uma benção pois aqueles tiros roubavam a atenção das pessoas, com isso rapidamente o furtivo homem começou a se afastar dali, indo sorrateiramente até a sala que ele havia aberto, um local que por conta do incêndio se fazia ao relento, já que perder toda a estrutura para o fogo era bem pior que alguns milhões.

A luta tinha sido realmente grande, mas a vitória se aproximava ali dentro, ele conseguiu chegar sem grande problema dessa vez, tendo se feito tranquilo entrar sem deixar o barulho atrapalhar, já que tiros do lado de fora cantavam, era notável que eles ainda estavam o caçando naquela região. Ali dentro era uma sala bem guarnecida, com uma janela alta, mas que pelo lado de dentro ele poderia alcançar subindo no armário ou na mesa.

Ela certamente não era muito acessível pelo lado de fora, então era feita de vidro, bastante bonita por sinal, tinha tons de verde e roxo, que se espalharam pelo vidro que tinha um aspecto ondulado, provavelmente feito pensando na beleza, mas não tanto na proteção. Ali tinha dois grandes balcões e algumas cadeiras dispostas embaixo deles. Um armário e um cofre que ficava dentro do mesmo.

O cofre era de pequeno porte, feito para guardar uma quantidade média de grana, mas arrombar ele não seria fácil, estava completamente trancado, mas podia ser carregado, abrir era um problema para o Lyosha do futuro. Ele pesava algo em torno de uns 10 quilos apenas e dava pra ser carregado debaixo do braço, suas dimensões externas eram: 35,05 cm x 33,02 cm x 50,04 cm., provavelmente carregando 51l de volume dentro, parte ocupado por aço reforçado é claro, isso que deveria dar o peso.

Então agora a situação era favorável, onde ele podia usar a janela como seu ponto de fuga, e talvez finalmente poder deixar o lugar com seu dinheiro misterioso dentro do cofre, claro que o valor ele iria descobrir em breve, depois que conseguisse furar a barreira e deixar o lugar. Lá do lado de fora, os tiros começaram a diminuir, os inimigos começaram a perceber que ele não estava ali.

O comandante tritão logo deu voz a uma ordem para que se espalhassem.-Espalhem-se e procurem ele, ele deve ter subido pra parte de cima, o fogo cessou, então metade embaixo e metade em cima procurem, tenham atenção, ele não pode ser visto, foquem seus outros sentido, sintam o cheiro se aproximando, ouçam, e estejam preparados.- disse ele  em voz bastante imponente, parecia que ele estava certo de achar o cara, mas não havia visto por conta propria a porta quebrada, algo que talvez percebesse no meio do processo de busca pelo local.



HistóricoPosts: 20
Nome: Lyosha Bulgakov
Dinheiro: 1.560.000 B$ (em mãos) 1.000.000 (Banco)
Ganhos:
- Aprendizado da Perícia Sedução. - POST 1
- Aprendizado da Perícia Barganha. - POST 2
- Aprendizado da Perícia Discurso - POST 6
- Livros: barganha, discurso, arrombamento, sedução e estratégia - U? - POST 1
- Navalha, uma tesoura, um creme de barbear, um pincel de barba, um pente - POST 5
- Espelho de Mão - POST 5
- Estojo - POST 5
- Isqueiro - POST 5
- Relógio de Bolso - POST 5

Perdas:
- Barco Pequeno - POST 4
- 11.500.000 - POST 5
- 900.000  - POST 5

Status:

PDV: 9.024/9.624
STA: 160/300
CONDIÇÕES: N/A
FERIMENTOS: Ferimento na mão, Marcas de dente de tubarão - (0/4) - Contagem inicia após tratamento.
CONTAGEM DE DEFEITOS: 0/10

Dano Explicado: 9624-600 (Mordida) = 9024
—------

Posts: 20
Nome: Jyundee Kujoh
Dinheiro: 2.690.000
Ganhos:
- Proficiência Doma - POST 9
Perdas:
400.000 ฿S ( Comida ) - 100.000 ฿S ( Estadia ) - 400.000 ฿S ( Cachorro ) - 100.000 ฿S ( Cachorro Food )

Status:

PDV: 8.992/8.992
STA: 300/300
CONDIÇÕES:
-Sonolento I - Passa com descanso
FERIMENTOS: N/A
CONTAGEM DE DEFEITOS: 0/10

Dano Explicado:


_________________

 II - Fool me Twice - Página 5 YHVeK1M

 II - Fool me Twice - Página 5 VYrwji0
Lyosha
Imagem :
 II - Fool me Twice - Página 5 AO7UjML
Créditos :
35
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1056-lyosha-bulgakov#10148 https://www.allbluerpg.com/t1725-iii-death-or-paradise#18228
Lyosha
Administrador
Re: II - Fool me Twice Qua Abr 13, 2022 11:22 am




The best way out is always through





Lyosha abria um largo sorriso, de orelha a orelha, ao perceber que toda aquela escaramuça podia finalmente chegar ao fim. A dama da sorte parecia, finalmente, ter lhe agraciado. Os disparos feitos pelo pistoleiro realmente tinham ajudado a acobertar os seus movimentos, de forma que tinha conseguido entrar na sala sem chamar atenção, deixando os inimigos em dúvida sobre a sua real localização.

Não tinha muita dificuldade para encontrar o cofre, que felizmente era bem menor do que ele esperava. Tinha medo de ter empreendido tanto esforço nessa tentativa de roubo para se deparar com um cofre pesado demais para carregar ou grande demais para passar pelas portas. Após conferir o seu espólio, começava a analisar o ambiente ao seu redor, pensando em como iria finalmente abandonar aquele teatro com seu prêmio em mãos.

O espadachim acreditava piamente que a beleza era uma virtude, assim sendo, ao seus olhos, tudo aquilo que era belo, consequentemente, era bom. Qualquer objeto com um visual esteticamente agradável e qualquer pessoa elegante captavam facilmente a sua atenção e o encantavam, era quase como se o jovem fosse uma mariposa e essas coisas fossem uma forte fonte de luz que o atraíam de forma inconsciente.

Não demorou muito para ter sua atenção roubada pela janela, seu padrão ondulado demonstrava refino e delicadeza enquanto sua paleta de cores ostentava uma harmonia agradável, Lyosha pensava que quem quer que tivesse confeccionado aquela peça entendia bem o seu ofício. Além de ser uma bela obra, era sem dúvidas um belo meio de fuga. Analisaria bem aquela janela, para determinar se poderia abri-la e passar por ela com o cofre, sem danificá-la, ou se teria de estraçalhar a mesma para abrir caminho, ato que faria com pesar.

Após decidir como prosseguiria, se dirigiria até a mesa para levantá-la. Encostaria a sua cintura na mesa e estenderia os dois braços para agarrar o móvel pelos lados, buscando levantar o mesmo enquanto apoiava-o em sua linha da cintura para ter mais controle. Arrastar o objeto poderia fazer barulho e atrair a atenção dos seguranças, de forma que julgava que levantar a mesa e encostá-la na parede da janela era o mais seguro a se fazer. Soltaria a mesa com cuidado e atenção e, assim que garantisse um caminho para sua fuga, agarraria o cofre.

Subiria na mesa, daí então, se pudesse, abriria a janela e jogaria o cofre para o outro lado, em sequência, passaria pela mesma abertura, tomando cuidado para pousar em segurança no lado de fora do teatro. Se, infelizmente, tivesse de destruir a janela, arremessaria o cofre contra ela, após isso, sacaria uma de suas espadas e limparia qualquer vestígio de vidro que não tivesse se desgrudado da janela, para não se cortar quando atravessasse a mesma. Assim que escutasse o cofre caindo do outro lado, rapidamente atravessaria a janela, tomando cuidado para chegar ileso no outro lado.

Assim que se separasse do cofre, faria seus movimentos com a maior velocidade possível, isso se daria por dois motivos, primeiramente não gostaria de ter tido todo aquele trabalho para alguém roubar o cofre assim que arremessasse o mesmo no outro lado, além disso, assim que jogasse o objeto pela janela, provavelmente iria atrair a atenção dos guardas pelo barulho gerado, de forma que desejaria se distanciar daquele ponto da forma mais rápida possível.

Quando estivesse do lado de fora do teatro, pegaria o cofre do chão e estenderia sua invisibilidade para ele, em seguida, começaria a correr para qualquer direção, com o único intuito de se afastar daquele local e evitar qualquer risco de ser pego. Quando julgasse que não corria mais nenhum perigo, tiraria alguns instantes para recuperar seu fôlego e, logo após isso, começaria a se dirigir até o hotel em que estava hospedado.

Chegando lá, rumaria até o seu quarto estando completamente invisível, visando passar pelos funcionários e demais hóspedes nas áreas comuns sem ser detectado, a invisibilidade com certeza era um poder útil quando se era um procurado. Chegando aos seus aposentos, assim que abrisse a porta, Lyosha tornaria tanto si mesmo quanto o cofre visíveis novamente. - Peço perdão pela demora. - Declararia, com um largo sorriso no rosto, se deleitando com seu sucesso. Colocaria o cofre sobre algum móvel do quarto e finalmente usaria as habilidades de sua fruta para tornar invisível a parte externa do cofre, revelando assim o conteúdo de seu interior.



Lyosha Bulgakov
21




Johnny Bear
Imagem :
 II - Fool me Twice - Página 5 __original_drawn_by_guweiz__sample-4986df3030866c8f857038f03766407a
Créditos :
05
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1115-jyundee-kujoh#10441 https://www.allbluerpg.com/t1725p60-iii-death-or-paradise
Re: II - Fool me Twice Qua Abr 13, 2022 1:32 pm

忠義 Chuugi




Da sua arraigada e voraz perversidade, finalmente o deleite da subversão, não podia dizer exatamente que era um prazer estar por cima e finalmente poder caçá-lo, mas desenhava-se um sorriso metódico em mim que não natural, por muito tempo na defensiva até que pude ver toda a fortaleza de seus planos ruir, era meu momento, tampouco cabia a decisão desperdiçá-lo com alguma retirada estratégica, embora meus motivos fossem muitos para fazê-lo, afagava o coração ver que Furu se dava por meramente desperto, ainda mais por saber que os efeitos do gás iriam se exaurir de meu corpo também, em breve.

Era de minha preferência seguir dali em diante à ermo, mas não sendo viável deixar o pequeno canino naquelas condições, tomei alguns segundos antes de seguir para finalmente dá-lo um descanso apropriado, iria alçá-lo em minhas costas, como uma pequena criança de colo, com a ajuda da alça da bainha e o cinto de meu kimono, um servindo de suporte para assento e o outro posto em suas costas impedindo-o de cair na hora da correria. Isto posto, rumaria então à seguindo os rastros do sujeito, dando preferência para caminhar sob a caligem - sombras projetadas pelos prédios.

Dada a vantagem de me movimentar mais rápido - ao menos fora o que percebi durante nosso combate, daquela brecha em sua guarda, não comprometendo minha posição apenas para tornar-me furtiva, refletindo diretamente em meu posicionamento, tampouco ficaria mais atrás sob o risco de perdê-lo de vista, com a ajuda de audição para determinar alguma direção a ser seguida no caso de uma perda momentânea daquele da minha visão. Em determinado momento pode ser que ele pare, desta forma, não me surpreenderia se toda aquela perseguição pudesse ter uma interrupção abrupta em determinado momento, afinal, algum poderia ser sua “casa”, mas iria, no momento, apenas seguí-lo antes de decidir o melhor jeito de emboscar.

____________________________________________________________________

Dados:

Objetivos:





Shiori
Imagem :
 II - Fool me Twice - Página 5 EEEWL0c
Créditos :
67
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t363-shiori-miyamoto#1109 https://www.allbluerpg.com/
Re: II - Fool me Twice Qui Abr 14, 2022 6:01 pm
I - Fool Me Twice



Jyundee Kujoh

A garota então pegou o catiorro, amarrou ele usando parte do cinto do quimono, pra deixar ele bem confortável, o bom sinal era que ele estava em boas condições e não parecia ter riscos então era só questão de deixar ele dormir mais um pouco e com isso teria um bom momento. Mas ao mesmo tempo tinha de começar a buscar o inimigo, ela ia atrás dele, visando não dar brechas, usava sombras de prédios, casas e similares, e ela o perseguia por quase trinta minutos, ele saltando, saltando, até que em um momento ele desceu de uma das casas em um salto fenomenal.

Era um momento onde logo ela tentou ganhar velocidade para se aproximar, mas quando virou a esquina deu de cara com um beco fechado, ele estava no chão pela primeira vez e jogou algo na direção dela, dessa vez era uma coisa diferente de tudo até agora, era um pano? Algo como um lençol, ele voou tapando a visão de Jyu completamente.

Então foi quando ele acendeu 15 flechas de uma vez com fogo, algo que ele parecia já ter preparado quando desceu e disparou, não na moça, que tinha tido sua visão ofuscada, ele disparou contra as casas em volta, o fogo começava a se espalhar, devagar, e com as chamas iniciando, ele disparava pra cima um jarro e o quebrava com uma flecha? Aquilo era óleo, sim ele derramava isso em uma das casas, pra acelerar o processo de incêndio.

Ele então apesar de a garota não poder ver, um sorriso se fez por trás da máscara enquanto ele dizia.-Ops, acho que coloquei fogo nas casas!! Foi meio sem querer… Aliás, estou bem aqui espadachim, o que vai fazer agora? Me perseguir? Sabe que se se virar irei saltar por cima dessa parede e desaparecer. Mas aquele fogo vai se espalhar bem rápido.- de fato ele estava no chão agora, ainda armado mas pela primeira vez ao alcance dela, e era uma oportunidade de finalmente atacar aquele odioso inimigo.

O fogo realmente começou a se espalhar, e estava chegando perto de atingir o óleo derramado, e ficava logo atrás dela, do outro lado da rua, uns 15 metros pra trás para falar com exatidão.-E então o que vai ser espadachim?- disse ele mantendo a besta apontada pra ela, ele realmente estava ali em prontidão para lutar se fosse preciso, ou algo do gênero. Era isso ou ele realmente tinha confiança que ela iria apagar o fogo, talvez para ele a graça fosse essa, ver uma escolha moral difícil como essa ser tomada por um inimigo.

Lyosha Bulgakov

A jornada do rapaz parecia estar finalmente chegando ao fim, sua luta tinha sido complicada, em principal pelos danos que ele havia tomado em sua mão antes mesmo do combate começar, algo que certamente lhe foi um problema, uma dor com toda certeza será lembrada. Mas naquele momento o rapaz contemplava a janela, ela era uma bela janela, uma que dava uma sensação boa, era bem feita, e aquilo fazia ele se perder por alguns instantes de seu objetivo.

Mas logo ele retornava a si, subindo na mesa ele abriu a janela , destravando ela e lançando o cofre pelo espaço, e apesar de levar algum tempinho, ele saltou para o lado de fora em seguida, conseguindo se esgueirar pelo pequeno espaço de abertura. Algo que era um pequeno sacrifício, mas preservava a janela intacta.

Então logo agarrou seus espólios daquela noite de guerra, ele pegou o cofre e avançou vendo que foi por um tris, a marinha estava vindo da outra direção de onde ele saiu, indo para as saídas do teatro. E quem ele viu ali, o marinheiro velhinho, que corria ali agora com duas grandes manoplas na mão, certamente teria problemas, se ele se juntasse ao tritão.

Lyosha havia conseguido sair dali aos 45 do segundo tempo. Mas as coisas tinham dado realmente certo, ele conseguiu se afastar dali com segurança, tomou um ar bem mais em paz agora que estava com seus espólios, e finalmente era hora de voltar para o quarto de hotel. Assim que ele chegava lá tinha cuidado para não ser visto, mantendo sempre sua invisibilidade, que estava sendo um trunfo realmente útil.

Nesse ponto, ele entrou ali, onde Alesya levantou-se assim que viu a porta abrindo, ela agora estava com roupas mais casuais do que no começo da noite, mas não deixavam de trazer uma beleza. Ela estava com uma camisa preta, bem longa que ia até mais ou menos metade da coxa, e não usava calças, ou outros adereços no momento.

A camiseta ainda destacava suas curvas, mesmo sendo levemente folgada, por ser de um tamanho maior que o dela, provavelmente era como ela planejava dormir. Mas assim que ele deixou sua invisibilidade de lado, antes de olhar para o cofre sua preocupação foi com a mão ferida, algo que seus olhos bateram de cara.-Nossa, o que aconteceu com sua mão?- dizia ela com uma face que demonstrava genuína preocupação. Mas logo a atenção se mostrava para o cofre ali também.

Onde o rapaz o posicionou sobre a mesa, e mostrava o conteúdo deixando a parte da frente invisível. Aquilo era grana… Sim, era certamente grana, o valor era algo em torno de 13 a 15 milhões, era muita grana, mesmo que ele tivesse lutado muito por aquilo, e além da grana parecia ter alguns outros papéis, talvez fosse algo importante talvez não, mas com toda certeza.-Caramba!! Isso deve ser muita grana!! Tava bem recheado isso.- falou ela tendo um choque com o que acabou de ver ali dentro, provavelmente ela achava o valor muito alto pra uma noite.

Mas logo ela se voltou novamente para a mão, como a coisa mais urgente que eles tinham para resolver ali, todo o momento tinha sido impactante.-Isso deve ter sido bem complicado de roubar. Precisamos comemorar, mas antes, precisa lavar a mão e tratar ela, acho que devemos procurar o médico antes de começar. Mas posso fazer um drink especial quando voltarmos.- disse ela dando um sorriso quando completava frase, ela estava claramente empolgada com a conquista, mas tinha se preocupado com o rapaz, que precisava tratar aquele ferimento antes que piorasse ou coisa assim.



HistóricoPosts: 21
Nome: Lyosha Bulgakov
Dinheiro: 1.560.000 B$ (em mãos) 1.000.000 (Banco)
Ganhos:
- Aprendizado da Perícia Sedução. - POST 1
- Aprendizado da Perícia Barganha. - POST 2
- Aprendizado da Perícia Discurso - POST 6
- Livros: barganha, discurso, arrombamento, sedução e estratégia - U? - POST 1
- Navalha, uma tesoura, um creme de barbear, um pincel de barba, um pente - POST 5
- Espelho de Mão - POST 5
- Estojo - POST 5
- Isqueiro - POST 5
- Relógio de Bolso - POST 5

Perdas:
- Barco Pequeno - POST 4
- 11.500.000 - POST 5
- 900.000 - POST 5

Status:

PDV: 9.024/9.624
STA: 160/300
CONDIÇÕES: N/A
FERIMENTOS: Ferimento na mão, Marcas de dente de tubarão - (0/4) - Contagem inicia após tratamento.
CONTAGEM DE DEFEITOS: 0/10

Dano Explicado: 9624-600 (Mordida) = 9024
—------

Posts: 21
Nome: Jyundee Kujoh
Dinheiro: 2.690.000
Ganhos:
- Proficiência Doma - POST 9
Perdas:
400.000 ฿S ( Comida ) - 100.000 ฿S ( Estadia ) - 400.000 ฿S ( Cachorro ) - 100.000 ฿S ( Cachorro Food )

Status:

PDV: 8.992/8.992
STA: 300/300
CONDIÇÕES:
-Sonolento I - Passa com descanso
FERIMENTOS: N/A
CONTAGEM DE DEFEITOS: 0/10

Dano Explicado:


_________________

 II - Fool me Twice - Página 5 YHVeK1M

 II - Fool me Twice - Página 5 VYrwji0
Lyosha
Imagem :
 II - Fool me Twice - Página 5 AO7UjML
Créditos :
35
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1056-lyosha-bulgakov#10148 https://www.allbluerpg.com/t1725-iii-death-or-paradise#18228
Lyosha
Administrador
Re: II - Fool me Twice Sex Abr 15, 2022 11:10 pm




Money-makers





O corpo é, sem dúvidas, algo fascinante. Enquanto lutava por sua sobrevivência dentro do teatro, a adrenalina corria pelo seu corpo e fazia com que o ferimento em sua mão parecesse apenas um incômodo, agora, quando esse hormônio começava a deixar de fazer efeito, o incômodo se transformava em dor de fato, que aumentava gradualmente.

Durante a execução de sua fuga, percebia que havia escapado no limite do tempo que tinha disponível. Mesmo sendo capaz de desaparecer em meio ao ar, achar um caminho entre agrupamentos da marinha enquanto carregava um cofre ainda era uma tarefa árdua, ainda mais se considerasse os sentidos apurados daquele velho desprezível que aparecia com manopla em mãos.

Ao adentrar em seus aposentos e ter certeza de estar seguro, não podia deixar de ostentar um longo sorriso, ainda mais por estar reunido com Alesya novamente. Lyosha gostava de coisas belas e refinadas, de elegância e sofisticação, mas até a simplicidade da cozinheira era capaz de encanta-lo. Em outras mulheres, uma camisa folgada e confortável era apenas um sinal de desleixo, mas Alesya conseguia manter um grau de sensualidade até mesmo nessa situação.

Achava a preocupação de sua parceira ao notar seu ferimento algo fofo, de forma que, mesmo sentindo dor, tentaria disfarçar para não preocupá-la ainda mais. - Ah, isso aqui? - Perguntaria enquanto levantava a mão ferida, como se fizesse pouco caso de seu estado. - Você não vai acreditar, mas um peixe me mordeu. - Declararia com um sorriso zombeteiro antes de tentar mudar de assunto. - A propósito, esse pijama lhe caiu bem. - Constataria em um tom provocativo.

Sentia alívio ao revelar o conteúdo do cofre, seria uma piada cruel se tivesse passado por todas aquelas provações para levar consigo algo sem valor. Notando a reação da mulher, abriria um sorriso de canto de boca, um tanto quanto soberbo. - É como eu lhe disse, o restaurante não vai sair do papel sozinho. Para a nossa sorte, boa arte e dinheiro sempre andam de mãos juntas. - Após a constatação, encararia Alesya e daria de ombros, agindo como se tivesse realizado apenas um feito ordinário. - Se isso lhe surpreende, amor, receio informar, mas ainda terá surpresas muitos maiores pela frente. - Finalizaria com um sorriso provocativo.

Só instantes depois percebeu o que havia feito, havia chamado Alesya de amor de forma completamente não intencional, as palavras apenas haviam saído de sua boca de forma natural. Era uma situação estranha, tentaria perceber como a mulher reagiria diante daquelas palavras, mas não ficaria nervoso, envergonhado ou constrangido, não tinha sentido nenhum se sentir abalado por palavras que já haviam sido proferidas e nunca retornariam.

Resolvia não entrar em detalhes sobre a dificuldade do roubo após a mulher externar os seus pensamentos, isso era irrelevante, mas sua mão realmente precisava ser tratada, não queria flertar com uma infeção ou algo pior. - Concordo, um médico, um drink, mas, antes disso tudo, um bom banho. - Lyosha se sentia podre, abominava sangue, suor e, acima de tudo,  baba. Tinha estourado a cota da década relativa a todos esses itens, estar sujo lhe incomodava muito mais que estar ferido.

O espadachim começaria a se despir, retirando os seus sapatos e as peças superiores de seu vestuário. - Por sorte, conhecemos um bom médico, não é mesmo? - Perguntaria de forma retórica. - Se me lembro bem, o Dr. Peste também está hospedado aqui, ficaria grato se pudesse chamá-lo é trazê-lo até aqui. Iria por mim mesmo, mas não acho uma boa ideia quando existem cartazes com o meu rosto estampado espalhados pela cidade. - Agradeceria sua companheira se ela pudesse realizar esse favor e, em sequência, iria até o banheiro.

Não se prolongaria no banho, mas levaria o corpo e os cabelos com afinco, como se tentasse desprender qualquer vestígio das lutas que tivesse ficado impregnado em seu corpo. Encerrando o banho, enxugaria bem o cabelo e o corpo, em sequência, colocaria a toalha ao redor da cintura e sairia do quarto dessa forma, esperando encontrar a cozinheira e o médico.

Não via motivo para vergonha ou formalidade, Alesya já havia lhe visto com bem menos pano cobrindo o corpo e, sobre Dr. Peste, bem, ele era um médico, lidar com o corpo humano sem se chocar era algo inerente a seu ofício. Se encontrasse o velho conhecido em seu quarto, colocaria um sorriso cordial em seu rosto. - É bom revê-lo, Doutor. - Proferiria essas palavras com uma sinceridade chocante e faria um aceno de cabeça para cumprimentar o homem. Recentemente, o desprezo que sentia pelo médico vinha se dissipando, afinal, encontrou pessoas bem mais desagradáveis e o médico sempre foi solícito ao lhe ajudar, apesar das piadas horríveis e uma aparência que não passava nem um pouco de credibilidade.

Permitiria que o homem administrasse o tratamento que julgasse ser mais apropriado, sem fazer objeções. Ao fim, perguntaria o valor daquele tratamento. - Quanto lhe devo dessa vez? - Pagaria com as reservas que lhe restavam e agradeceria o homem antes de se despedir. Com o tratamento finalizado encararia Alesya e perguntaria - Se não me engano, agora só falta um bom drink, não é? - Perguntaria com um sorriso no rosto, feliz por finalmente poder relaxar.



Lyosha Bulgakov
22




Johnny Bear
Imagem :
 II - Fool me Twice - Página 5 __original_drawn_by_guweiz__sample-4986df3030866c8f857038f03766407a
Créditos :
05
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1115-jyundee-kujoh#10441 https://www.allbluerpg.com/t1725p60-iii-death-or-paradise
Re: II - Fool me Twice Sab Abr 16, 2022 1:24 am

忠義 Chuugi




Se fez num percursos sinuoso por um longo tempo, daquele que surpreendentemente parecia não interromper o sono de ninguém, se estendeu por diante, quando ainda nos passos ligeiros a encalso deste, fiz mais alguns questionamentos pertinentes sobre o caso, embora muito tempo se fez desde que por conveniência aquela busca fora interrompida, perguntas apropriadas ainda seriam feitas para elucidar o caso, mesmo que se tratando daquele sujeito estando muito bem equipado, tampouco se sabia sobre os casos anteriores, fossem mesmo de sua autoria, talvez eu devesse tê-lo questionado logo de antemão, já que gostava tanto de falar asneiras, que deixe então escapar uma ou duas evidências e resguardar meu tempo caçando o verdadeiro facínora.

Pois como já havia visto passar por tantos lugares, tampouco alertando a dita “patrulha” que trafegava pelo local, não pude ver pedestres pelas ruas, tal vislumbre era de uma ilha fantasma, carregava uma densa angústia em saber que ele, pelo visto, conhecia bem os lugares como e quando podia passar. Esperava que fosse me levar para outra armadilha homicida, seus trejeitos me levavam a crer que, dali em diante, andar desatenta ou sem saber o que esperar um passo à frente poderia dá-lo de volta a vantagem da perseguição.

Tendo a oportunidade para uma reação rápida, iria pular para trás com o avanço do pano, do contrário, independente deste movimento desenhar-se chulo, não iria ficar somente esperando para a resolução dos fatos que viriam a seguir, sem saber muito o que esperar, contudo, aquela era uma brecha interessante para tentar acertar um de seus Chakram’s, afinal, o pano estaria cobrindo o que vinha de trás, somado com sua distração, poderia ser que isso no mínimo o atrapalhasse de alguma forma, independente disso, com a Katana empunhada, seguiria para cima dele ainda no meio de seu discurso.

Seria no seu tempo de espalhar as chamas, somado a retórica impopular que faria meu avanço, aproveitando deste instante que se fez ocupado gabando de seus feitos e balança moral, embora tivesse pouco tempo para pensar a respeito, não demoraria nem mesmo meio segundo para cravar dar o impulso que me levaria a encurtar nossa distância. 仁 (Jin) - Compaixão, enquanto o sangue de inocentes corria pelas ruelas frígidas e acinzentadas daquela ilha, por intermédio daquele patife, fazendo-me cúmplice de sua perversa e metódica façanha, não estava a proteger mais inocentes apagando incêndios, estaria a proteger seus bens materiais, assegurando o bem de estruturas materiais, a escolha sempre era bem óbvia para nós, mesmo que o pesar do coração e os sentimentos pudesse influenciar na tomada de decisão, buscamos um bem maior, tirá-lo das ruas salvaria mais pessoas do que interromper um incêndio, disto havia feito, o saque rápido ainda armava minha postura de ataque, mas diferente de outros oponentes, este eu não sabia bem como lidar, frente a sua moral completamente volátil e desonra, era completamente esperado que utilizasse mais de seus golpes baixos.

Como de costume, em meio ao rastro que se desenharia até a extremidade daquele beco sem saída - ao menos para mim, estaria atenta aos sons que me vinham pela retaguarda ou pelos lados, como sendo a conveniência de seus planos sempre um fator determinante para a execução de suas armadilhas, até mesmo poderia pensar que ele planejou tudo até ali, desde uma captura falha até uma perseguição por alguma caçadora, atrair este alvo para um lugar com armamentos planejados, mecanismos produziam sons ao serem acionados, e eu estava bem ciente de alguns fracos estalos, ainda frescos em minha mente, que poderiam denunciar algo parecido, não sabendo muito bem o que esperar, me restara pisar com cuidado pelo chão e usar da audição para tentar detectar algum barulho incomum - além da voz do criminoso e o “silêncio ensurdecedor” que parecia cobrir aquela ilha. Ainda armado com a besta e muitos outros utensílios de longo alcance, tinha de ficar atenta ao que vinha pela frente, este sendo o mais fácil de lidar do que qualquer outra coisa que poderia vir pela retaguarda, assim, mirando escapar por um ponto improvável, afinal, não era do costume daquele fazer um disparo sem tentar imaginar ou cobrir um movimento seguinte meu com outro golpe, tendo isto em mente, deixando para esquivar apenas no momento em que o projétil ou a arma estivesse bem perto de meu corpo, sendo um pouco mais arriscado de fato, mas também, poderia lidar com algo que viria posteriormente com mais facilidade, como principal ponto aumentar o intervalo entre seus movimentos.

Minha estratégia era cada vez mais encurralar o homem contra o beco, mesmo que ele pudesse ter alguma forma de escapar magicamente escalando alguma coisa, dar a este a oportunidade para fazê-lo seria minha contra medida, para lidar, iniciaria uma sequência de golpes, conectados em sequência, diagonais, horizontais e verticais, contudo, já imaginava que este não iria para um combate à curta distância sem se preparar, temendo a volta do gás, meu primeiro objetivo seria golpear seu rosto e retirar a máscara, no instante que fizesse menção de utilizá-lo, afinal, ele não poderia soltar se estivesse sem proteção, ao menos que tivesse um antídoto, mas isso não era bem uma preocupação tão grande, então iria prender a respiração para golpear, não querendo correr o risco de ser atingida novamente por aquilo.

Daria preferência para uma luta em média distância, sem estar curta demais para que pudesse ter a chance de escapar de algo à queima roupa, nem longe demais para que meus golpes fossem fáceis o bastante para esquivar, deste fato então, utilizaria meu corpo para trombar com o dele, com o intuito de empurrá-lo para trás e aumentar a distância caso ele tentasse diminuí-la, postando a lâmina entre mim e ele temendo ser atingida por alguma coisa nesse meio tempo. Os golpes diversos com a espada miravam articulações, não especificamente pontos chave, mas sim desgastá-las reduzindo ainda mais seus movimentos para que minha pressão fosse sufocante o bastante, implementando giros seguidos de outro golpe rápido sempre que abrisse sua guarda, estocadas para quando este estivesse muito na defensiva.

Como forma de lidar com o que poderia vir, sempre optando por abrir distância e me mover para locais que poderiam ter mais abertura, ainda que se tratando de um beco, não seria conveniente correr para o meio de caixas ou uma calçada com coisas que limitariam ainda mais minha movimentação, era totalmente contra-intuitivo.

____________________________________________________________________

Dados:

Objetivos:





Shiori
Imagem :
 II - Fool me Twice - Página 5 EEEWL0c
Créditos :
67
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t363-shiori-miyamoto#1109 https://www.allbluerpg.com/
Re: II - Fool me Twice Dom Abr 17, 2022 6:37 am
I - Fool Me Twice



Jyundee Kujoh

Jyu se impressionava como ele conseguia correr pelo teto das casas sem acordar ninguém, ele de fato tinha passos silenciosos, e até mesmo a audição aguçada da caçadora não pegava muita coisa, mas será que no primeiro local, eram mesmo casas de pessoas ou depósitos/escritórios, afinal eles estavam na parte mais interna do porto, algo que ela não tinha como saber é claro, já que ela não conhecia o porto. Eles só haviam chegado a zona pública agora, onde tinham saído da parte comercial, mas tinha uma possibilidade pior ainda, e se ele tivesse colocado as pessoas pra dormir? Bem, seja como for, a coisa estava esquisita.

Jyu parecia não ligar tanto assim pra as vidas que poderiam se perder no incêndio, era assim que pensava seu inimigo, aquilo colocou um sorriso no rosto dele, ver ela vindo atacar ele, algo que ele estava preparado para acontecer, então assim que via o primeiro golpe vindo em sua direção ele abilmente se movia para a lateral, onde o golpe passava pertinho de seu casaco, rasgando um pedaço dele, que caiu no chão, tinha atingido um dos buracos, mas sem ferir o inimigo.

Ele então começava a disparar mais flechas, essas eram mais flechas do tipo incendiária, ele atirou pra cima, não em sua inimiga? Sim, ele começava a atingir várias casa nos arredores, aproveitando em principal das casas de madeira, ele sequer precisava olhar pra onde estava atirando, de tão bem que ele conhecia a estrutura do local.-Então você escolheu dançar comigo? Vou comemorar com meus fogos de artifício, parece que você é a minha dama escolhida.- mas ele simplesmente não fugiu. Apenas continuava dançando com movimentos caóticos.

Os golpes da moça iam vindo, enquanto ele se movia de um lado para o outro, os golpes passavam muito perto dele, o que demonstrava que sua esquiva era alta, mas ainda estava perto do acerto, isso ou ele estava fazendo pouco dela também. De qualquer forma, as duas coisas seriam um erro do inimigo, já que ele estava propositalmente se pondo em risco. E então os golpes vinham e ele esperava a barragem de golpes passar através dele, mas quando um dos ataques vinha bem no centro ele viu que iria ser pego.

Ele então pisou numa falha no calçamento, era quase imperceptível, ele devia ter feito aquilo, um bloco de concreto subia, mais ou menos da altura do joelho da caçadora, ela quase pisava dentro do buraco, mas sua audição a salvou. Ela escutava a movimentação do concreto, e aquilo fazia ela tomar uma atitude veloz se afastando para trás, e era quando um disparo ia em direção ao chão, ele apenas sorria ao final daquilo vendo que tinha forçado ela a se afastar uma às vezes.

Onde ela em seguida ouvia um barulho vindo da flecha, seria o gás? Bem, não, aquela era uma flecha assobiadora, não tinha nada de especial exceto o barulho que solta quando se move. Então ele simplesmente ficou olhando pra ela, pegando sua adaga, era uma adaga pequena, que se prendia nos dedos, como se tivesse presa aos dedos, ele usava isso pra não precisar parar de atirar.-Vamos!! Você escolheu dançar comigo, então venha!! Ou não pode acompanhar meu ritmo? Eu ficaria triste se isso acontecesse…-Então ele nesse momento, começava a dar risada mais uma vez, ele parecia completamente animado.

Ele realmente brincava com a situação, enquanto isso, as chamas começaram a tomar conta de muitas casas, o fogo passava a iluminar, criando a cena daquele combate, as chamas subiam enquanto o barulho de tosse podia ser ouvido ao fundo, algumas pessoas tentavam abrir as portas, enquanto pedaços de algumas casas começavam a desabar, fumaça e uma luz amarela tomavam conta da região naquele momento. O embate estava chegando ao fim, mas o custo era alto. Alguns conseguiram deixar as residências, passando a tentar ajudar os vizinhos, vendo as próprias casas pegando fogo.

Lyosha Bulgakov

A resposta do rapaz para sobre com o ferimento, era o que fazia a garota ficar se perguntando ainda mais sobre a situação, afinal, caralho que porra de peixe era esse num teatro.-Quuuee? Eles criam peixes no teatro? Piranhas violentas pra cenas?- disse ela acabando por não segurar um sorriso jokoso em seu rosto, já que apesar da situação ruim, não podia deixar de notar a parte irônica da situação toda, mesmo assim, ela tinha a atenção roubada pelo elogio.-Há, obrigada, eu preciso arrumar outras roupas pra dormir, acabei comprando algumas pra sair, mas, não tinha nenhuma roupa que me agradasse pra usar pra descansar. Afinal, você não ia gostar que eu dormisse bem como vim ao mundo, não é? - disse ela em tom provocativo, passando a mão pela cintura e levantando mais um pouco a camiseta no processo, o que era quase revelador, mas não chegava a mostrar algo. No entanto a mera insinuação deixando num ponto quase!! Era talvez até mais impactante que uma nudez.

E com a suposta alocação de uma possível riqueza vindo dos futuros roubos, ela sorriu em retorno para ele, afinal era verdade, aquela habilidade poderia colocar eles dentro dos locais mais difíceis de entrar.-É verdade, não devo pensar pequeno nunca mais, podemos furtar os maiores tesouros do mundo, nos tornar ricos, tanto que podemos dominar tudo!!- ela falava aquilo como uma forma de ver a reação do rapaz, ela sabia que isso mesmo invisíveis não era um feito muito fácil, e dependendo da situação sequer possível, eles precisam tomar muitas decisões quase impossíveis, um teatro não se aproximava disso.

Ela sorriu quando falava tudo isso, observando o que ele ia falar, no final dizendo.-Tenho muitas ambições, sabia? Nosso restaurante flutuante vai ser o melhor dos mares. Vai nos dar acesso a um mundo que só podemos sonhar e ouvir falar.- disse provocando ele novamente, afinal, se eles falavam de uma grandeza maior, que mal fazia especular tão distante, claro que ela era bem mais pé no chão que isso, mas não fazia mal brincar com todas essas ideias. Ela dizia isso enquanto se aproximava dele, aproximando o rosto, segurando ele bem ali na região do colarinho e encostando seu tórax nele.

Ele podia sentir o corpo dela, e apesar de através da camisa, ele naquele momento podia ter uma certeza, não havia mais nada por baixo daquela camisa, nenhuma proteção segurava nada ali. O que tinha seu ar de provocativo, no entanto, nesse primeiro momento ainda não poderia se resolver completamente, onde as questões do médico iriam se sobressair.-Mas antes de tudo, vamos resolver essa mão.- disse pegando com bastante cuidado e erguendo a mão pra olhar o ferimento.

Então naquela hora ela se afastava depois de todo o momento de sensualidade, e grandeza, ela voltava a falar do medico.-Irei buscar ele então..- disse após ouvir o nome do DR.Peste. Ela colocou algo por baixo da camisa, um short curto, e depois disso, começou a sair do local, deixando o homem tomar seu banho, enquanto ia em busca do médico.

Não demorou até aquela figura chegar ali, o tal do Dr. Peste que via Lyosha após o banho, dava aquele enorme sorriso amarelo.-Ooh Lyosha!! Não sei por que, mas eu tinha um pressentimento que iria te ver logo logo fufufuf-, ele então pegava a mão do rapaz, e olhava, começando a limpar ela com água destilada e álcool. Ele passava um cicatrizante ao final, para facilitar o fechamento da ferida.-Parece que estamos ligados pelo destino não é mesmo? Será que fomos feitos um pro outro fufufuf- O cara realmente forçava a amizade, mas ao menos era competente no trabalho dele.

Então quando vinha a questão do pagamento, ele então dizia.-Ferimentos bem simples, então cobrarei apenas cinquenta mil berries.- disse estendendo a mão despreocupado com a situação. E receberia o dinheiro indo para fora do local, onde ele soltava a última piadinha.-Espero que nos vejamos logo fufufufu cuidado com os tigres- e assim deixou o local, quase rogando uma praga na situação, mas apenas era um dos momentos daquela noite.

Então Alesya trouxe algo para o rapaz, ela entregou um papel enrolado, que havia chegado a pouco tempo, sentando ao lado dele ali no sofá, ela se espalhava ali enquanto falava.-Deixaram na porta pra você, quando cheguei do teatro estava ali.- aquele era o jornal, que havia sido finalmente entregue a primeira vez depois da assinatura algum tempo atrás.



HistóricoPosts: 22
Nome: Lyosha Bulgakov
Dinheiro: 1.560.000 B$ (em mãos) 1.000.000 (Banco)
Ganhos:
- Aprendizado da Perícia Sedução. - POST 1
- Aprendizado da Perícia Barganha. - POST 2
- Aprendizado da Perícia Discurso - POST 6
- Livros: barganha, discurso, arrombamento, sedução e estratégia - U? - POST 1
- Navalha, uma tesoura, um creme de barbear, um pincel de barba, um pente - POST 5
- Espelho de Mão - POST 5
- Estojo - POST 5
- Isqueiro - POST 5
- Relógio de Bolso - POST 5

Perdas:
- Barco Pequeno - POST 4
- 11.500.000 - POST 5
- 900.000 - POST 5

Status:

PDV: 9.024/9.624
STA: 160/300
CONDIÇÕES: N/A
FERIMENTOS: Ferimento na mão, Marcas de dente de tubarão - (1/4) - Tratado.
CONTAGEM DE DEFEITOS: 0/10

Dano Explicado: 9624-600 (Mordida) = 9024
—------

Posts: 22
Nome: Jyundee Kujoh
Dinheiro: 2.690.000
Ganhos:
- Proficiência Doma - POST 9
Perdas:
400.000 ฿S ( Comida ) - 100.000 ฿S ( Estadia ) - 400.000 ฿S ( Cachorro ) - 100.000 ฿S ( Cachorro Food )

Status:

PDV: 8.992/8.992
STA: 300/300
CONDIÇÕES:
-Sonolento I - Passa com descanso
FERIMENTOS: N/A
CONTAGEM DE DEFEITOS: 0/10

Dano Explicado:


_________________

 II - Fool me Twice - Página 5 YHVeK1M

 II - Fool me Twice - Página 5 VYrwji0
Johnny Bear
Imagem :
 II - Fool me Twice - Página 5 __original_drawn_by_guweiz__sample-4986df3030866c8f857038f03766407a
Créditos :
05
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1115-jyundee-kujoh#10441 https://www.allbluerpg.com/t1725p60-iii-death-or-paradise
Re: II - Fool me Twice Seg Abr 18, 2022 2:00 pm

忠義 Chuugi




Mesmo com todo cuidado, me fazia ainda a espera de uma enseja, de meu mais refinado garbo desenhava os ataques, embora aparentes desconexos, existia uma ordem rítmica que me fazia não perder a postura, afinal, por mais inconsequente que aquele pudesse ser, de soberba e virtude, dar-me por refém das próprias emoções não me faria terminar aquilo mais rápido, na verdade, acredito só ter chego até tal ponto por conta das pensadas decisões, por mais que a balança emocional tenha tido suas influências, não superaram as lógicas e valores que estão em primeiro fator durante o trabalho.

礼 (Rei) - Lê-se respeito, diferente do que ele pudesse imaginar, não me tecia qualquer fúria sobre o corpo, por mais incômodo que todo o processo tenha sido, derrotá-lo tampouco me traria satisfação pessoal em manifestar crueldade, caçadores não são animais como aqueles que captura, devemos mesmo sentir o tamanho prazer ao maculá-los? Sendo assim, quais seriam nossas diferenças? De meus sentidos aos poucos a confiança se esvai, mesmo que bem a precisão fosse tamanha na hora de identificar a armadilha na ruela, coisa já esperada afinal, uma luta honesta por parte daquele seria impossível, os sons distantes aos poucos se juntavam num coro metódico difícil de aguentar.

Em calor, fossem pelas labaredas que dançavam nas casas ao redor ou simplesmente pela adrenalina que percorria meu corpo, entendi que não dava mais só para contar com a audição, aos poucos as coisas iam se embaralhando, me concentrar demais em perceber sons específicos já não era mais tão viável, com toda certeza me daria só mais trabalho. Me dada a oportunidade, tornaria a dar prioridade para os avanços, tendo agora de lidar com os disparos, seguiria como sempre a lógica de esperar o disparo para então poder esquivar, com a ideia de encurtar ainda mais nossa distância, tentaria ao máximo ficar sempre do lado oposto ao da mão usada para manejar a arma de longo alcance, afinal, ele teria de movê-la em minha direção para só então efetuar o disparo, dando alguns segundos de folga entre uma flecha e outra, dando preferência para nunca ficar frente a frente com ela, optaria por, novamente, deixar o bloqueio como último recurso, não sendo uma de minhas melhores acuidades, mas sendo sempre um reforço ao meu favor.

Conseguindo ficar próxima, estaria avançada mais do que a outra vez, para lidar com as flechas à queima roupa, iria coordenar os movimentos de seu braço juntamente ao de minha espada, com o movimento retardá-lo, cabia a mim apostar um pouco na imprevisibilidade, querendo interceptar com um golpe contundente com a lâmina da arma na direção em que este armaria para realizar um disparo, caso fosse recuar para trás de seu tronco, novamente tentaria antecipar o movimento, só que para lidar com estes recuos onde a minha lâmina não poderia alcançar como quando ele estava com o braço esticado para frente ou dobrado, tentaria efetuar um golpe horizontal mirando em sua mão, contudo, junto a um avanço de meu corpo para frente, jogando-o para cima do alvo e tentando entrelaçar minha perna entre as dele, forçando um tropeço ou descuido que o fizesse ser golpeado pela lâmina, mesmo que errando a mão, mas ainda atingindo seu tronco - algo parecido.

Novamente mantendo a distância, agora sabendo do punhar das adagas, não ficaria próxima demais do inimigo, salvo algumas oportunidades que tivesse para empurrar meu corpo por cima dele querendo desestabilizar, mas todos em momentos que sua guarda já estivesse baixa, querendo abrir um rombo em sua defesa por completo, o desarme sendo focado em realizar com a espada, empurrando o braço, ou os braços, que estavam portando as armas, para só então poder atacar, os movimentos quase sempre responsivos, embora meu desejo fosse de não deixá-lo conduzir todo o combate, era de se reconhecer que ele poderia sempre ter alguma sujeira para fazer, tão como, manter a distância mínima era importante a fim de ter alguma resposta no pior dos casos.

Quando não estivesse golpeando para acertar os braços - regiões das junções entre os membros, meu alvo seria golpear as pernas justamente nos joelhos, cada golpe era importante para diminuir ainda mais as possibilidades de fuga e saltos acrobáticos, quanto mais pudesse reduzir a cadência de movimentos e recursos, melhor seria, por isso a insistência tão grande em querer limitar as articulações, se repetindo outra vez nessa segunda onda de ataques, mas diferente da primeira, os golpes não se conectariam imediatamente, existiria um “tempo” de intervalos entre eles, muitas vezes para gerar duvida do sujeito sobre onde o golpe iria e também para me dar tempo de redireciona-lo para onde ele estava se movendo querendo esquivar.

____________________________________________________________________

Dados:

Objetivos:





Lyosha
Imagem :
 II - Fool me Twice - Página 5 AO7UjML
Créditos :
35
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1056-lyosha-bulgakov#10148 https://www.allbluerpg.com/t1725-iii-death-or-paradise#18228
Lyosha
Administrador
Re: II - Fool me Twice Ter Abr 19, 2022 4:16 pm




Your destiny grows clearer





Não conseguia conter o sorriso, de forma que acabava arqueando as extremidades de seus lábios após escutar Alesya falar sobre as piranhas. - Sim, foi algo desse tipo. - A provocação que se seguia alargava ainda mais o sorriso do espadachim e revitalizava os seus ânimos, a mulher sabia bem como prender sua atenção e elevar o seu espírito, de forma que adotaria a mesma postura instigadora. - Com toda certeza, seria uma visão aterradora. Além disso, eu sentira pena, olharia para você e pensaria: essa mulher é muito pobre, não tem nem roupas! - As palavras carregadas de ironia davam lugar ao silêncio quando a camisa da cozinheira começava a se deslocar, de forma que daria de ombros e seria um pouco mais sincero. - Bem, cá entre nós, talvez eu não sentisse tanta pena assim. - Complementaria, ainda em tom de chiste.

O crescimento súbito e descomunal das ambições de sua parceira colocavam um sorriso cauteloso e pensativo em sua face, que traiam o seu hábito de pensar com seriedade até sobre assuntos pequenos. Logo após segundos de reflexão, um sorriso terno surgiu em seu rosto. - Tomar posse dos maiores tesouros do mundo e dominar tudo que existe entre o céu e a terra talvez seja um pouco de exagero, mas, se essa for a nossa meta, me esforçarei para acreditar que somos capazes de fazer isso até esses pensamentos se transformarem em realidade. - Encararia a cozinheira com um seriedade não habitual e mudaria um pouco seu tom de voz, para deixar claro que falava sério. - Eu gosto de ter vocês por perto, farei tudo ao meu alcance para protegê-las e ajudá-las a realizar os seus objetivos, mesmo que isso signifique perseguir um sonho bobo de criança. - Nunca havia brincado quando disse a Mihaela que ajudaria-a a desbravar o mundo e viver boas aventuras, também não havia mentido sobre o restaurante móvel de Alesya. Os sonhos das pessoas são as coisas mais belas desse mundo, ajudá-los a virar realidade é uma tarefa nobre.

O complemento de sua companheira relativo às suas ambições era um declaração traiçoeira, não tinha certeza se ela estava falando sério ou se apenas desejaria provocá-lo depois a depender de sua resposta, da forma que fosse, não lhe parecia algo impossível de se realizar. - Eu também não me contento com pouco, vamos criar o nosso próprio mundo! Um lugar onde todos se sintam protegidos e possam alcançar suas ambições, um reino de fartura, onde todo homem tem ao menos três mulheres ao seu lado. - Falaria com empolgação e entusiasmo, esperando atiçar a mulher com as suas últimas palavras. A aproximação de Alesya fazia o coração de Lyosha bater mais rápido, a segurança com que ela agia era algo que o impressionava.

O corpo dela colado ao seu fazia todo o resto parecer insignificante, era um presença intoxicante, que levava seus pensamentos para outros lugares. Quando ela pegasse sua mão, inevitavelmente, deixaria um riso grosseiro escapar. - A única criatura mais cruel que o próprio Diabo é a mulher, não tenho dúvidas quanto a isso. - Afirmava com um sorriso sarcástico no rosto.

Receberia o médico com um sorriso no rosto, respondendo-o com bom humor assim que ouvisse a sua primeira declaração. - Acredito que esses encontros são sempre mais agradáveis para o senhor que para mim. - Como sempre, o Dr. Peste parecia ministrar uma tratamento ao menos decente, o que era mais do que o suficiente quando somado ao silêncio que vinha junto de seu serviço. - Lamento decepcioná-lo, Doutor, mas você não faz meu tipo. Tenho um fraco por mulheres de olhos verdes que cozinham bem. - Responderia desta forma a provocação, fitando Alesya e dando uma piscadinha para a mesma em seguida.

Na hora do pagamento, pagaria o dobro pedido pelo médico, entregando-o cem mil berries. - Você merece mais que isso, Doutor. Aceite um agrado como desculpas por ter interrompido o senhor no meio da noite, devo ter aborrecido a sua esposa. - O adicional não lhe faria falta e ajudaria a deixar a sua relação com o Doutor Peste mais sólida, o que era útil, já que não sabia quando precisaria de seus serviços novamente. Na hora da despedida, retrucaria com bom humor. - Já eu, Doutor, espero que o nosso próximo encontro demore bastante. - Acenaria com a cabeça e um sorriso caloroso enquanto o homem caminhava para fora do quarto.

Sem fazer cerimônia, Lyosha deixava Alesya se acomodar da forma que quisesse no sofá, enquanto começava a desbravar o conteúdo do jornal. O mundo lhe parecia louco como sempre, um homem que virava uma estátua de ouro aterrorizava os mares e caçadores cruéis cefavam vidas cedo demais, o mais interessante até o momento era a coluna de viagem, de forma que virava para sua parceira e perguntava. - Você já ouviu falar de Vera Cruz? - Parecia ser um lugar realmente encantador, de forma que desejava passar por lá em algum ponto. Ver seu cartaz naquela edição o assustava e o deixava desprevinido, tirava o sorriso de seu semblante, não esperava chamar tanta atenção. A tensão tomava conta de seu corpo e, com o progredir das páginas, inevitavelmente explodia em risos. - Kyahahahahaha! Maldita bruxa! - Colocaria a culpa daqueles acontecimentos em Mihaela, tudo bem que ele havia aceitado o título infantil de capitão pirata após muita insistência da mulher, mas o mundo todo não precisava saber disso tão rápido, isso só podia ser uma praga que ela tinha rogado contra ele.

Se Alesya estranhasse a sua reação, simplesmente entregaria o jornal para ela e diria. - Ignição de um novo grupo pirata, matéria da página seis. - Respiraria fundo e se tranquilizaria, agora já achando graça da situação. Observaria as reações da cozinheira e se lembraria das promessas da mulher. - Bem, acho que nós dois realmente precisamos de um bom drink agora, não é toda noite que isso acontece. - Sabia que ainda precisava garantir alguma forma de acessar o conteúdo do cofre, mas esse era um problema que poderia esperar até a manhã seguinte, apenas aproveitaria o resto da noite.



Lyosha Bulgakov
23




Shiori
Imagem :
 II - Fool me Twice - Página 5 EEEWL0c
Créditos :
67
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t363-shiori-miyamoto#1109 https://www.allbluerpg.com/
Re: II - Fool me Twice Qua Abr 20, 2022 8:48 pm
I - Fool Me Twice



Jyundee Kujoh

O combate da garota ia chegando ao final, e não havia nada de muito emocionante na verdade, a troca de golpes se iniciou, onde a garota tentava se manter mais de perto dessa vez, lidando com as flechas a queima roupa com sua espada, usando para defletir, e nesse momento o oponente começava a falar.-Você é realmente uma boa dançarina.- ele ia esquivando, e aos poucos se movimentando, girando, e escapando dos golpes, até que em um devido momento um ataque batia no seu calcanhar.

Ele recebia o dano e perdia o equilíbrio indo com tudo pra frente. Ele acabava batendo a cabeça dele ficando tonto, e nesse ponto perdia totalmente o foco, ele levantou dando alguns disparos, mas nada eficiente, enquanto tentava se recompor, os outros dois golpes da garota encaixaram, deixando ele caído no chão, parecia que a luta estava perto do fim nesse momento.

O homem tinha sido levado ao assoalho, e beijou o chão do lugar, mas logo se virou disparando contra ela mais uma vez, uma rajada, de flechas, que não a atingiam, sendo bloqueadas, então ela tinha o inimigo pela primeira vez em uma posição desvantajosa, ele começava a dizer.-Ok ok, eu me rendo, pode me levar!!- e ele largava a besta no chão, erguendo os braços. Seria isso uma rendição de verdade, ou ele estaria mais uma vez blefando?

As pessoas enquanto isso começavam a tentar apagar o fogo que subia cada vez mais pelas casas, a luz carmesim banhava todo o lugar, era complicado não pensar no assunto, e ter essa visão infernal que o porto tinha se tornado, gritos de socorro pareciam por toda a parte, era um caos generalizado causado pelo oponente, que agora tinha feito sua propria forma de acabar com a luta, se rendendo, e os danos que ele causou não eram poucos, muitas mortes deviam acontecer nesse incêndio.

Um dano colateral alto e um custo grande, o preço pago era realmente algo a se pensar, isso é, se é que aquele combate tinha mesmo terminado e não fosse mais um truque daquele ardiloso arqueiro.

Lyosha Bulgakov

A tensão e o flerte era o que dominava em um primeiro momento os dois, afinal, eles se provocavam de diversas maneiras, algo que não ia a sério, quando realmente, o assunto ia para os sonhos deles, ficava algo bem claro, é que sonhos não podem ser levados de forma leviana, algo que a garota reforçava naquele momento.-Os sonhos sempre são o que nos move, não é? Devemos ter tantas ambições quanto pudermos, afinal a vida é curta, vamos aproveitar tudo que der.- e era nesse momento que a simples sugestão, era a mais cruel possível, a garota sabia como provocar, e gera uma sensação de desejo, e era bem verdade a maneira como o rapaz respondia.

Ela não deixava de falar sobre isso, ela ficava feliz com a ideia de poder contar com alguém que ela confiava, e isso por si só lhe fazia muito bem, até por que ela era o tipo de pessoa que parecia se envolver muito nas coisas que ela acreditava.-Sabe, eu acho que podemos ir onde quisermos, e devemos, pensar em tudo que pudermos conquistar, desde que cuidamos um do outro. Podemos enfrentar o que vier, eu vou ajudar com o que eu puder pra fazer as coisas irem pra o caminho certo.- era dificil dizer exatamente o que ela queria dizer com isso, mas apesar de sua aparência singela, era ela uma mulher realmente esperta, e saberia como mover o mundo ao seu favor quando precisasse.

E era nesse momento que ela começava a realmente viajar, imaginando o próprio reino que eles poderiam fazer, um lugar seguro, livre das ameaças externas. -Sabe, isso seria muito incrivel!! Nosso proprio lugar, nossa terra, onde poderíamos fazer o que quisermos, livre das amarras externas, podíamos ser as pessoas mais livres do mundo!! Acho que é um tesouro maior que o ouro, sabe? A liberdade, poder ser o que quiser.- ela falava isso girando em torno de si mesma, onde sua camiseta levemente levantava no giro, não revelando tanto mais do que já se via, mas era certamente provocante.

O sorriso dela era certamente uma coisa belíssima de se ver naquele momento, era sincero, puro e até mesmo um pouco inocente, além de claro, seu corpo delicado, se movia durante o giro, fazendo toda aquela cena parecer em câmera lenta por alguns segundos, ela genuinamente gostava de toda a situação, de todas aquelas ideias, claro, ela tinha seu grau de ceticismo, mas que mulher nunca sonhou em ser uma rainha no seu próprio castelo não é mesmo? Fato é que aquilo lhe deixava empolgada de verdade com o futuro.

Certamente uma das criaturas mais ardilosas do mundo estava bem ali na sua frente. Seu pensamento não deixava de ser verdade, mas a garota, acabava por sorrir de volta, fazendo um comentário sobre aquela fala.-Você não quis dizer, que somos mais gentis que anjos não é? E delicadas como algodão!!- Disse em tom jocoso, antes de as coisas rumarem para o momento em que foi a entrada do Dr.

Lyosha era bastante cirúrgico na sua observação, era bem verdade que o homem a sua frente certamente se divertia mais, algo que ele foi honesto em dizer.-Mas com toda certeza, eu sempre saio com o dinheiro no final!! Fufufuf- Já quanto a segunda colocação, a resposta vinha da moça, que sorridente, falava de forma provocante, sobre o que ele havia dito.-Eu não sei não em? O sorriso do Dr.Peste é contagiante, tem certeza?- disse brincando com a situação que se encontravam, algo que o médico acabou por gargalhar.

Ele então entrava na brincadeira falando apenas algo bobo no meio das provocações entre o casal.-Vocês lembram meus tempos de juventude, flertando e brincando, mas o rapaz tem cara de bem mulherengo. Eu chutaria que o tipo dele é o que tem dois peitos e belas curvas, talvez uns quadris largos Fufufufu- disse ele sem qualquer medo do julgamento, algo que Alesya riu, e ela acreditava ser talvez levemente verdade, então ele recebeu a grana extra onde ele, agora tinha o dinheiro nas mãos, ele agradecia pela preferência-[color:9a24=royal blue]Foi bom fazer negocio com vocês, aproveitem a noite!! Obrigado pela preferência Fufufu- E foi assim que ele se retirou do local com uma boa grana em mãos.

O momento do jornal era tranquilo, a garota ia acompanhando as matérias junto com ele, e quando Vera Cruz surgia, ela também se interessou, parecia um lugar realmente legal.-Essa foi a primeira vez, mas parece um lugar bem único, parece divertido lá, podemos tentar ver um dia.- disse ela ponderando, enquanto pensava um pouco nas ilhas. Muita coisa estava acontecendo pelo mundo e certamente ela não queria pisar onde tinham os caçadores, parecia gente perigosa.

No fim, o pensamento dela se voltou para como o rapaz reagiu a uma das últimas matérias, ela apenas ficava sem entender bem até que ele explicasse.-Parece que a sua fama alcançou uma escala maior já keke. Mas veja pelo lado bom, você tem novos fãs. O ruim é que eles usam uma farda branca e azul meio cafona, o seu fã club não é tão estiloso assim.- disse ela ironizando o fato de agora ele ser procurado pela marinha, era realmente uma situação bem engraçada, não era o tipo de atenção que as pessoas buscam.

Então ela se levantou, e caminhou para a cozinha, hora de preparar o drink.-Vou fazer algo de classe, que combine com você.- E assim ela pegava um martini, junto de vermute seco, preparando uma mistura, bem feita, usando duas azeitonas que trazia um aspecto fino ao drink, esse era o famosíssimo rei dos coquetéis, um Dry Martini é um dos drinks do James Bond, Cassino Royale., aquele certamente era um drink simples, mas classudo, a sensação que a visão passava era boa, e o cheiro também.

Ela levou até ele um copo e ficou com outro não mão oferecendo um brinde.-À um futuro Glorioso!!- Depois de bater a taça ela beberia, logo em seguida colocando ele sobre a mesa de centro, e passando um dos braços sobre o pescoço de Lyosha, o beijando no processo, ela parecia bastante à vontade naquele momento, como se a presença dele no ambiente trouxesse um ar de conforto, e já fizesse parte de sua vida.



HistóricoPosts: 23
Nome: Lyosha Bulgakov
Dinheiro: 1.560.000 B$ (em mãos) 1.000.000 (Banco)
Ganhos:
- Aprendizado da Perícia Sedução. - POST 1
- Aprendizado da Perícia Barganha. - POST 2
- Aprendizado da Perícia Discurso - POST 6
- Livros: barganha, discurso, arrombamento, sedução e estratégia - U? - POST 1
- Navalha, uma tesoura, um creme de barbear, um pincel de barba, um pente - POST 5
- Espelho de Mão - POST 5
- Estojo - POST 5
- Isqueiro - POST 5
- Relógio de Bolso - POST 5

Perdas:
- Barco Pequeno - POST 4
- 11.500.000 - POST 5
- 900.000 - POST 5

Status:

PDV: 9.024/9.624
STA: 160/300
CONDIÇÕES: N/A
FERIMENTOS: Ferimento na mão, Marcas de dente de tubarão - (2/4) - Tratado.
CONTAGEM DE DEFEITOS: 0/10

Dano Explicado: 9624-600 (Mordida) = 9024
—------

Posts: 23
Nome: Jyundee Kujoh
Dinheiro: 2.690.000
Ganhos:
- Proficiência Doma - POST 9
Perdas:
400.000 ฿S ( Comida ) - 100.000 ฿S ( Estadia ) - 400.000 ฿S ( Cachorro ) - 100.000 ฿S ( Cachorro Food )

Status:

PDV: 8.992/8.992
STA: 300/300
CONDIÇÕES:
-Sonolento I - Passa com descanso
FERIMENTOS: N/A
CONTAGEM DE DEFEITOS: 0/10

Dano Explicado:


_________________

 II - Fool me Twice - Página 5 YHVeK1M

 II - Fool me Twice - Página 5 VYrwji0
Lyosha
Imagem :
 II - Fool me Twice - Página 5 AO7UjML
Créditos :
35
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1056-lyosha-bulgakov#10148 https://www.allbluerpg.com/t1725-iii-death-or-paradise#18228
Lyosha
Administrador
Re: II - Fool me Twice Qui Abr 21, 2022 12:11 pm




After the first glass





Lyosha deixava uma risada sincera escapar após ouvir sobre o seu fã clube e inevitavelmente abria um sorriso sarcástico antes de compartilhar suas preocupações sobre esse tópico. - Já ouvi dizer que os fãs são um reflexo de seu ídolo, espero que seja lá quem disse isso esteja completamente equivocado. - A situação lhe parecia um tanto quanto injusta, com certeza existiam figuras mais vilanescas que ele, as quais os marinheiros podiam gastar seu tempo perseguindo, deixando-o assim em paz. - Que mundo é esse tão cruel em que a gente vive, onde, ao andar pelas ruas, eu sou perseguido, mas o homem que fez o design desses uniformes continua solto? - Indagaria, obviamente se referindo ao uniforme da marinha e, apesar de ser uma declaração com certo tom de humor, a pergunta tinha uma pitada de verdade.

Admiraria a mulher enquanto a mesma confeccionava o drink, era sempre agradável ver alguém competente exercer o seu ofício e, apesar de não entender nada daquela alquimia, era nítido por sua confiança que Alesya sabia muito bem o que estava fazendo. A bebida tinha uma aparência elegante, de forma que a aceitava com prazer e brindava com um largo sorriso no rosto. Reproduziria os movimentos de sua companheira, tomando um bom gole da bebida, sem pressa, desfrutando de seu sabor, antes de colocá-la de lado.

Seu corpo responderia instintivamente aos movimentos de cozinheira, de forma que um de seus braços passava sobre a cintura da mulher enquanto retribuía o beijo com a mesma intensidade. O espadachim sentia-se seguro com esse romance, Alesya parecia ser o tipo de mulher que bagunçaria os seus lençóis, mas bagunçaria apenas isso, sendo uma pessoa com quem poderia contar em toda situação sem preocupar-se.

Após o beijo, Lyosha subiria o braço que estava na cintura da mulher até às suas costas, enquanto se abaixava e inclinava o corpo para fazer o outro braço alcançar a parte de trás dos joelhos da mulher. Tentaria fazer o movimento com rapidez e, assim que sentisse segurança, carregaria-a em seus braços, como costumam fazer os recém-casados. Enquanto ela estivesse em seus braços, começaria a deslocar-se em direção a cama e tentaria beijá-la novamente, dessa vez com carinho e ternura. Quando o beijo acabasse, arremessaria-a contra a cama, dessa vez, sem tanta delicadeza assim. Se escutasse alguma reclamação, responderia sem hesitar. - De onde eu vim, isso se chama vingança. É o que você merece depois de passar a noite provocando um pobre homem ferido. - Comentaria em tom de troça, fazendo uma referência ao momento em que a mulher focou toda a sua atenção no ferimento de sua mão após seduzi-lo.

Sem demorar, saltaria ele mesmo em direção à cama, de forma que ficasse ao lado de Alesya, com as costas no colchão enquanto encarava o teto. Permaneceria deitado ali, conversando e trocando carícias com a sua parceira até que o sono finalmente o alcançasse. Provavelmente acordaria depois de Alesya, não era um tipo madrugador, então, se, ao acordar, se deparasse com a mulher, cumprimentaria-a. - Bom dia! - Diria, enquanto espreguiçava-se. Logo em sequência, iria até o banheiro, pronto para realizar seu ritual matinal: tomar banho, lavar bem os cabelos, olhar-se no espelho por alguns minutos, pentear os cabelos e aparar a barba se fosse o caso. Por fim, vestiria as roupas da noite anterior, as únicas que tinha, já sabendo que precisaria comprar outras.

Sairia do banheiro muito mais vivo e animado, de forma que encararia Alesya com um largo sorriso no rosto. - Não sei se vou parecer muito ousado, mas gostaria de convidar a senhorita para mais um encontro hoje, mas já garanto que não vai ser nada refinado como na noite passada. - Percebendo que havia esquecido de algo muito importante, logo se corrigiria. - Isso é, depois do café obviamente. - Se a mulher tivesse alguma dúvida sobre o “encontro”, o espadachim responderia com mais detalhes. - Bem, presumo que aquele cofre não vai se abrir sozinho, precisamos encontrar um ferreiro que possa fazer esse serviço e, bem, persuadi-lo a nos ajudar. - Não era uma tarefa complexa, mas um mínimo de preparação não faria mal algum.

Depois de pensar por alguns instantes na situação, Lyosha voltaria a falar. - Quando estivermos prontos, você vai sair do quarto e ir até a recepção. Chegando lá, vai perguntar sobre um ferreiro e se dirigir até o local indicado. Obviamente, eu estarei atrás de você o tempo todo, carregando o cofre enquanto estou invisível, pode pensar em mim como um guarda-costas fantasma. - Faria uma pequena pausa, para rir da própria ideia. - Assim que chegarmos no local, tudo que você precisa fazer é deixar a porta aberta por tempo suficiente para eu passar com o cofre, algo que vou tentar fazer sem chamar atenção, daí então, basta trancar a porta para que possamos negociar a abertura do cofre com um pouco de privacidade, eu lido com o resto. - Estaria aberto a qualquer sugestão e, se Alesya concordasse com o plano, não existia motivo para não dar início a ele.



Lyosha Bulgakov
24






Última edição por Lyosha em Qui Abr 21, 2022 4:44 pm, editado 1 vez(es)
Johnny Bear
Imagem :
 II - Fool me Twice - Página 5 __original_drawn_by_guweiz__sample-4986df3030866c8f857038f03766407a
Créditos :
05
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1115-jyundee-kujoh#10441 https://www.allbluerpg.com/t1725p60-iii-death-or-paradise
Re: II - Fool me Twice Qui Abr 21, 2022 12:42 pm

忠義 Chuugi




Ofegava capturando num pequeno instante o pesar das escolhas, ainda era audível todo o coro distante, contudo, havia uma melancolia metafórica naquela decisão por rendição, mesmo que meus movimentos mais rápidos não pudessem ter tido conta daquele mais cedo, da dança uma gravura nada garbosa, não me tecia qualquer apreço por tal, na verdade, passara mais tempo correndo atrás de uma oportunidade para que quando enfim me vi diante daquela, tudo acabou de uma forma simples.

- A máscara, tire antes que eu o faça, Gararam Bryers, é quem procuro ou apenas um admirador secreto dele? - Não tinha qualquer intenção de dar-lhe uma oportunidade de fuga, na verdade, meu pedido singelo acobertava a pura intenção de golpeá-lo na cabeça com a espada no instante quem sua mão fosse lenta em direção a máscara, fá-lo-ia rápido aproveitando a posição, aparentemente, desvantajosa daquele. Numa tentativa de fuga ou movimento brusco, tentaria interceptar e anteceder seu movimento antes da execução, isto é, levar os braços ou corpo para alcançar algum mecanismo ou arremessar algo viabilizando sua fuga, com um corte ascendente - vindo de baixo para cima, com o intuito de aparar.

De qualquer forma, caso conseguisse a resposta ou desacordar ele, iria tirar a máscara de seu rosto, bem como a capa e outros possíveis mecanismos presos à cintura, costas e afins pelo corpo, dando prioridade para apreensão desses materiais o quanto antes, por mais que isso pudesse ser de interesse dos oficiais, também era do meu procurar entender melhor aquele tipo de produção, não deixando de tomar parte do conhecimento para mim, a menos que pagassem por eles também na hora da entrega do procurado.

No caso de outra fuga inesperada, outra vez iria contar com a ajuda dos sentidos para detectar o som de passos acelerados e sem ritmo, já que ele estava com o tornozelo dolorido, era de costume que este vagasse pelos telhados, mas é bom considerar que existiria uma rota de fuga escondida por terra ou subterrâneo também, não descartando a hipótese de verificar buracos pelas ruas ou bueiros.

Quando estivesse em posse do sujeito desacordado, seus armamentos e as informações básicas que pudessem ser descobertas verificando os itens de seus bolsos e afins, essa análise dos dados em posse iria decidir o futuro de minhas ações. Provas conclusivas deliberadamente me fariam entregá-lo de uma vez, mas ainda existiam perguntas sem respostas, elas me intrigam na verdade, mas o danos causados pelo incêndio também eram problemas que eu gostaria de lidar, dar aos homens sua própria justiça, mas entregá-lo aos moradores seria como jogar aquele homem à uma jaula de leões famintos.

____________________________________________________________________

Dados:

Objetivos:





Shiori
Imagem :
 II - Fool me Twice - Página 5 EEEWL0c
Créditos :
67
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t363-shiori-miyamoto#1109 https://www.allbluerpg.com/
Re: II - Fool me Twice Qui Abr 21, 2022 4:15 pm
I - Fool Me Twice



Jyundee Kujoh

O homem então dizia assim que lhe era cogitada a ideia de tirar a máscara, seu pensamento era direto e certeiro.-O rosto por traz dessa mascara de nada te vale, não sou Gararam Bryers, essa máscara é minha verdadeira face, me chamavam de Besteiro Encapuzado!! Recuso-me a tirar minha máscara!!- E assim, ele teve de desacordar o cara com uma simples pancada na cabeça. Ele tirou a mascara e o que ele via era o segurança do porto.

Por isso ele conhecia tão bem aquele lugar, por isso que as pistas eram estranhas, ele esteve falando com o assassino o tempo todo, assim tudo poderia ter sido mais facil, se a marinha tivesse investigado mais diretamente, ao invés de seguir falsas pistas, era mesmo um imitador, e aquela máscara talvez valesse dinheiro realmente. Ele tinha conseguido seu momento, agora investigava, o corpo.

Ali ele não conseguia muitas coisas, ele já não tinha mais flechas especiais, e provavelmente por isso ele se rendeu, os chakrams estavam espalhados pelo chão e nada disso lhe restava. Além disso, nenhum item das moças, nada que pudesse incriminar ele, além de ter atacado Jyu. Suas chaves de casa estavam por ali, talvez a garota quisesse investigar a casa do homem, precisaria no entanto esperar ele acordar e ver se ele cooperava para isso. Mas quem acordou foi Furu, que mandou dois latidos “Woof Woof” e um lambidão no pescoço da caçadora.

Ele parecia finalmente estar completamente desperto, enquanto isso, a situação do fogo, ia acalmando, mas o incêndio não estava completamente apagado a marinha chegava ali, e logo naquele ponto ajudavam a tirar as pessoas de dentro nas casas, outros ficavam em usar mangueiras para tentar apagar o fogo, disparando água, era o desenvolvimento buscando agora ajudar as pessoas e diminuir vítimas fatais, por mais que já devessem ter algumas delas naquele meio.

Lyosha Bulgakov

Então, era assim que as coisas funcionavam, será mesmo que os fãs são como os donos? Bem, de qualquer forma, o momento mais marcante ali era na verdade o coquetel, era o momento onde eles dois compactuam com toda aquela conjunção, o beijo surgia de forma lasciva, onde o homem pegava ela nos braços, para poder levar a garota até a cama, algo que ela não reclamava, afinal era uma boa sensação, apenas mantinha se presa a ele, até o momento que ele jogou ela sobre o colchão. A garota acabou por não reclamar de novo, ela havia achado que ele estava selvagem naquela hora. Então acabou por fazer um sorriso provocativo deitada o olhando.

Mas quando viu que ele deitava ali do lado, entendeu que ele não havia pensado exatamente a mesma coisa, algo que ela estava disposta a corrigir, vendo ele ali do lado, ela rolou pela cama, montando em cima dele, onde ele podia sentir a maciez de suas coxas em sua cintura, e iniciou um segundo beijo, não deixando que muita conversa fluísse, ela começava a passar a mão sobre o peitoral do rapaz. E lentamente mover os quadris o atiçando, estava realmente determinada a convencer ele de uma noite um pouco mais quente.

Ela prosseguiria com a ideia, desse tipo de momento caso ele correspondesse, até a hora que ambos fossem dormir, é claro, uma noite certamente inebriante, para ambos aconteceria, até a outra manhã, onde ela acordou primeiro, e já estava tomada banho quando o rapaz, foi para fazer isso.

Ela preparou um café da manhã simples para ele, panquecas básicas com xarope de bordo, certamente estariam deliciosas, ela esperava ele quando dizia.-Bom dia flor do dia!!- disse dando um sorriso, enquanto se sentou a mesa, e quando ouvia seu convite não deixava de aceitar essa ideia.-Mais um encontro em? Eu gosto disso, vai me deixar mal acostumada com esses eventos.- falou delicadamente cortando um pedaço da panqueca e com bastante classe apontando pra ele com o garfo que tinha esse pedaço nela.

Em seguida levando a boca e comendo o que estava ali, ambos se alimentavam bem e logo em seguida.-Com certeza, eu pensei em jogar ele do último andar, mas chamaria muita atenção, um ferreiro parece uma ideia melhor.- Ela sabia que a propria ideia tinha sido idiota, fruto de uma pressa pra ver o conteúdo todo. Mas ainda assim compartilhava rindo levemente depois de falar a bobagem que se passou em sua mente.

Então feito isso, ela logo foi ouvindo o plano, parecia consistente, afinal nada iria acontecer, mesmo que o ferreiro número um se negasse ele poderia ir ao próximo e assim por diante. Vamos nessa então, venha comigo. E com isso ela o faria, ela vestia roupas mais casuais mas ainda assim bem classudas, um blazer preto, uma camiseta social por dentro, calças justas, mas bem bonitas, deviam ser de seda ou algo desse tipo. Colocava sua gargantilha preta, e pronta para sair, nesse estilo mais social ela descia.

Esperando que ele fosse seguindo, seu questionamento na parte de baixo, era bem rapido e se resolvia com facilidade, eles caminhavam para o ferreiro indicado, e assim que chegavam no lugar, ela entrava na frente, deixando que ele passasse. Quando ele entrou, ela logo fechou a porta. -Seja bem vinda, Godo dos Godos, a loja de forja mais competente da cidade yeah!!- Quem dizia isso era um cara meio estranho, ele parecia mais fazer parte de alguma gangue estranha.

Ele tinha um penteado de delinquente, um grande topete loiro para frente, e cabeça raspada dos lados, ele era bastante musculoso, e jovem também, mas suas roupas contrastavam com tudo isso, onde ele vestia um avental e uma camisa azul folgada, e largas calças verdes com botas.



HistóricoPosts: 24
Nome: Lyosha Bulgakov
Dinheiro: 1.560.000 B$ (em mãos) 1.000.000 (Banco)
Ganhos:
- Aprendizado da Perícia Sedução. - POST 1
- Aprendizado da Perícia Barganha. - POST 2
- Aprendizado da Perícia Discurso - POST 6
- Livros: barganha, discurso, arrombamento, sedução e estratégia - U? - POST 1
- Navalha, uma tesoura, um creme de barbear, um pincel de barba, um pente - POST 5
- Espelho de Mão - POST 5
- Estojo - POST 5
- Isqueiro - POST 5
- Relógio de Bolso - POST 5

Perdas:
- Barco Pequeno - POST 4
- 11.500.000 - POST 5
- 900.000 - POST 5

Status:

PDV: 9.024/9.624
STA: 160/300
CONDIÇÕES: N/A
FERIMENTOS: Ferimento na mão, Marcas de dente de tubarão - (2/4) - Tratado.
CONTAGEM DE DEFEITOS: 0/10

Dano Explicado: 9624-600 (Mordida) = 9024
—------

Posts: 24
Nome: Jyundee Kujoh
Dinheiro: 2.690.000
Ganhos:
- Proficiência Doma - POST 9
Perdas:
400.000 ฿S ( Comida ) - 100.000 ฿S ( Estadia ) - 400.000 ฿S ( Cachorro ) - 100.000 ฿S ( Cachorro Food )

Status:

PDV: 8.992/8.992
STA: 300/300
CONDIÇÕES:
-Sonolento I - Passa com descanso
FERIMENTOS: N/A
CONTAGEM DE DEFEITOS: 0/10

Dano Explicado:


_________________

 II - Fool me Twice - Página 5 YHVeK1M

 II - Fool me Twice - Página 5 VYrwji0
Johnny Bear
Imagem :
 II - Fool me Twice - Página 5 __original_drawn_by_guweiz__sample-4986df3030866c8f857038f03766407a
Créditos :
05
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1115-jyundee-kujoh#10441 https://www.allbluerpg.com/t1725p60-iii-death-or-paradise
Re: II - Fool me Twice Qui Abr 21, 2022 6:05 pm

忠義 Chuugi




Em seus recôndidos, Paul Werneck que postara por baixo daquela faceta abismal, cuja surpresa me era relevante, mas não o bastante para me congelar naquela posição, o fato de que alguns pontos pareciam se ligar, naquele instante, como as diversas nuances em seus relatos até os instantes e incongruências emancipadas em seus relatos, decerto haveriam muitas coisas a serem investigadas mais a fundo, contudo, minha busca parecia novamente tornar à etapa zero, não me dando a liberdade para definir se naquele instante era certo ou não decretar o fim da missão como tal, uma vez que em seus pertences não havia nada de conclusivo quanto aos ataques anteriores, seu envolvimento era claro, mas recai a duvida sobre ser ele ou não o autor dos crimes ou estar encobrindo o verdadeiro.

Daqueles passos melancólicos, Furu me acordava, arqueava um sorriso em meu rosto ver que ele tinha ficado bem, mesmo o sacana tendo me abandonado no momento crucial, mas era sempre um prazer ver sua enérgica saudação, ao que se fazia toda a confusão, carregaria o corpo desacordado do homem pelo colarinha da vestimenta, seus utensílios valiosos já apreendidos por mim, livre das mãos da marinha e do criminoso, dali se fez uma ação mirando alguns oficiais locais, dos quais ajudavam a apagar as chamas, os muitos que se apressavam provavelmente não iriam se importar de me ver arrastando um corpo para fora do beco, que fosse mais uma outra vítima ou coisa parecida, mas não demoraria muito para que eu abordasse algum marinheiro por ali, visivelmente descontente.

- Esse homem não é Gararam Bryers, é o guarda Paul Werneck, tenho as chaves de seu recinto e exijo fazer uma vistoria para averiguar sua relação com os crimes contra as mulheres esquartejadas, ele pode tanto ser o criminoso quanto estar encobrindo-o, mesmo que sua participação nos crimes diretamente contra elas não garantam sua prisão, posso atestar que os incêndios provocados aqui foram de sua autoria - diria elevando as armas do crime, bestas e chakrams que eu havia pego junto ao corpo - peço que não recolha isso, preciso fazer toda a investigação na casa dele, quero que alguém me acompanhe até lá, era um guarda local vocês tem que ter algum tipo de registro ou coisa parecida, também gostaria das fichas que possuem dele, antecedentes, descrição e o que tiver de informação guardada -

Ir ao QG ou solicitar aos marinheiros por ali não me faria tanta diferença, mas caso necessário, iria me dirigir até lá para prestar os devidos esclarecimentos e fazer meus pedidos de informações para a busca, embora, por se tratar de um homem tão procurado e temido no local, imaginei que as coisas fossem ser resolvidas de forma bem rápida.


____________________________________________________________________

Dados:

Objetivos:





Lyosha
Imagem :
 II - Fool me Twice - Página 5 AO7UjML
Créditos :
35
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1056-lyosha-bulgakov#10148 https://www.allbluerpg.com/t1725-iii-death-or-paradise#18228
Lyosha
Administrador
Re: II - Fool me Twice Qui Abr 21, 2022 6:15 pm




Hammer time





Exibiria um sorriso carregado de malícia assim que a mulher montasse em cima dele, a pressão do corpo dela sobre o seu, somada aos toques que recebia, lhe davam pouca opção além de responder na mesma medida. Sentia o fogo crescer dentro de si, de forma que começaria a desbravar gentilmente o corpo da mulher com suas mãos e, após algum tempo, alteraria aquela dinâmica, girando seu corpo e, consequentemente, o de sua parceira, de forma a inverter os papéis, ficando agora por cima dela, face a face, envolvendo-a em um beijo luxurioso e deixando a noite prosseguir daquela maneira.

Na manhã seguinte, juntaria-se a Alesya no desjejum, comendo as panquecas sem pressa alguma, aproveitando tanto o sabor da refeição quanto sua companhia. Ao escutar a ideia da mulher, inevitavelmente alargaria os seus lábios em um sorriso de canto de boca, mas não zombaria da ideia, não era de seu feitio. - Se estivéssemos desesperados poderia ser até uma opção viável, mas acho que teríamos de arremessar o cofre umas quatro ou cinco vezes até quebrar, com certeza seria um processo exaustivo. - Existiam, obviamente, inúmeras outras maneiras mais agradáveis de gastar energia junto a cozinheira até chegar a exaustão, não precisa nem se esforçar muito para pensar. No fim das contas, o importante era que ela havia concordado com seu plano.

Enquanto avançava invisível pelas ruas da cidade, seguindo sua parceira, tomava cuidado para não esbarrar em nada ou ninguém. Chegando ao estabelecimento, reparava bem na aparência e nos trejeitos do homem que os recebeu, o tal Godo dos Godos. Lhe parecia que, toda vez que precisava contratar algum serviço, se deparava com criaturas bizarras e de aparência nem um pouco ortodoxa para os ofícios que exerciam, primeiro Dr. Peste e agora Godo dos Godos. Aquele ferreiro lhe parecia uma espécie de marginal, apresentando um porte físico avantajado, próprio de quem costuma se envolver em brigas e coerente com o esperado de alguém de sua linha de trabalho, além disso, lhe passava a impressão de alguém que tinha uma conceito moral, no mínimo, escuso. Após formar sua opinião com base na aparência do homem, Lyosha abria um sorriso, aquilo provavelmente ia lhe custar bem menos tempo do que pensava.

Percebendo que Alesya havia trancado a porta, avançaria sem cerimônia até o balcão, não se importando em fazer barulho, deixando o cofre cair sobre o local, causando assim um estrondo e revelando-se por completo logo em seguida. - Muito prazer, Godo dos Godos, chamo-me Lyosha. - Apresentaria-se, com um sorriso amigável no rosto. Passada a fase das introduções, iria direto ao assunto. - Gostaria de saber se a loja de forja mais competente da cidade seria capaz de me ajudar, veja bem, tenho pertences muito importantes nesse cofre, mas esqueci a combinação, a memória não é meu forte. - Mentiria descaradamente, sem se importar em fazer suas declarações soarem verdadeiras. - Queria saber se você seria capaz de abrir isso para mim, obviamente, não de graça, lhe darei dez porcento do valor que estiver aí dentro. - Observaria bem as reações do homem e, se percebesse algum medo ou indecisão, tentaria convencê-lo. - Você não estaria fazendo um mau negócio, posso lhe provar. - O ladrão encostaria sua mão no cofre, tornando o exterior invisível e revelando seu conteúdo, para dar ao ferreiro uma ideia do valor que ganharia.

Antes que godo pudesse se pronunciar sobre o assunto ou encostar no cofre, complementaria. - É óbvio que, junto de seus serviços, espero também certa discrição, que é uma via de mão dupla, não espero lhe trazer problemas. - Se não encontrasse resistência, deixaria o ferreiro executar os seus serviços, lhe pagando justamente o valor combinado e embolsando o resto do dinheiro, em sequência, voltaria sua atenção para os envelopes, desvendando e lendo seu conteúdo ali mesmo.

Pela aparência do homem, não estranharia se o mesmo recebesse de forma negativa as suas tentativas de acordo, reagindo de forma agressiva, então, ficaria atento, prestando atenção em qualquer movimento suspeito ou sorrateiro, de forma a tentar evitá-lo. Além disso, tentaria descobrir se o homem estava sozinho ou não naquele ambiente, para não ser pego desprevenido.



Lyosha Bulgakov
25