Bem-vindo ao

All Blue

É com muito prazer que lhes damos os comprimentos ao nosso RPG. All Blue se trata de um RPG narrativo com o ambiente principal centrado em One Piece, obra de Eiichiro Oda.
Se divirta nessa nova aventura e se torne o novo rei pirata... Se puder!

Últimos assuntos
[Ficha] Dimitri RomanovOntem à(s) 11:31 pmporRedPandaÚltimo Baile Antes da GuerraOntem à(s) 11:06 pmporMendoncaBad KarmaOntem à(s) 11:06 pmporMendoncaIII - RagnarökOntem à(s) 10:45 pmporJean FragaNoturno ArtificialOntem à(s) 10:38 pmporShioriAkane NanamiOntem à(s) 10:28 pmporNoskire3 - Don't Stop Me NowOntem à(s) 10:28 pmporNoskireGrupo 6 - Akane, Agni e Aika Ontem à(s) 10:05 pmporNarrador De EventosCabras da Peste, Vol 5 - A face da desordemOntem à(s) 9:57 pmporSubaéZayn & suas gostosas!Ontem à(s) 8:37 pmporAki

Prologo: Frenesi da Raposa

Página 2 de 5 Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Seguinte
Ryoma
Imagem :
a
Créditos :
63
Localização :
Masquerade
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t308-hany-g-drezat https://www.allbluerpg.com/t2343-capitulo-i-poesia-com-uma-espada
Ryoma
Administrador
Prologo: Frenesi da Raposa Qui Maio 13, 2021 1:24 am
Relembrando a primeira mensagem :

Prologo: Frenesi da Raposa

Aqui ocorrerá a aventura do(a) Agente Agatha Harkness. A qual não possui narrador definido.

Prologo: Frenesi da Raposa - Página 2 F90786410B6145DE3E5C3E8E1705820EC5576836

Kenshin
Imagem :
Prologo: Frenesi da Raposa - Página 2 Ahri
Créditos :
00
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t360-agatha-harkness https://www.allbluerpg.com/t2343-capitulo-i-poesia-com-uma-espada
Kenshin
Desenvolvedor
Re: Prologo: Frenesi da Raposa Dom Jun 06, 2021 1:47 am





Prologo: Frenesi da Raposa

Com bastante maestria conseguia bloquear o golpe do mascarado, e de fato o homem tinha uma força bem maior do que o comum, que fazia eu trincar um pouco dos dentes, mas algo estranho acontecia a técnica utilizada pelo mesmo era de fato muito forte, mesmo bloqueando o golpe, sentia uma pequena dor em meu pescoço.

“Interessante, ele utiliza golpes provenientes de ar?” Muitas coisas passavam pela minha cabeça, se isso era de fato um possível corte utilizando o ar, o sadomasoquista era alguém que definitivamente não pertencia aquele lugar, quem era ele.

- Técnica realmente interessante, parece que o velho gastou uma boa grana com esse michê! Falava dando um pequeno sorriso antes de continuar a batalha. Uma coisa começava a me incomodar, ver o velho festejando como se fosse ele a efetuar os golpes da batalha estava de fato me dando um certo nojo, virava meu rosto na direção do mesmo e com um olhar severo e sádico começaria a falar. - Parece divertido gozar com o pau dos outros, acho que não vai precisar do seu, isso é se você tem um! Falava levando meu olhar para baixo mais especificamente a cintura do homem.

O segundo golpe que executava, acertava em cheio o rapaz, mesmo ele tentando se esquivar, conseguia rasgar bem a pele do mascarado fazendo jorrar seu lindo sangue carmesim, aquela cena era um verdadeiro deleite. Principalmente ao ver que o velho tinha ficado preocupado, ou melhor dizendo com medo. - Infelizmente não adianta mais me pagar...! Falava lambendo os lábios inclinava minha cabeça na direção do velho. - Depois que eu estripar seu prostituto, enfiarei a minha lâmina em seu cu e assim aprender a não dever mais ao governo. Hahahahaha Mama Mama! Gargalhava no final de minha fala.

Já o michê não ficava muito satisfeito com a forma com que o velho estava o tratando, talvez pelo fato de ter sido ferido ao ponto de ter que tirar um pouco de sua máscara, seu rosto era cheio de feridas. “Com um rosto desses eu também usaria uma máscara.” Pensava com um rosto de nojo bastante evidente em meu rosto.

O homem então começava a fazer um movimento mais característico com suas espadas, naquele momento voltava minha atenção totalmente ao homem, com a mão direita apertava o cabo da minha foice me preparando para o primeiro movimento do mesmo. Ele se posicionava me deixando um pouco aflita, utilizando da minha audição e do meu olfato aguçado, tentaria sentir o momento em que o mesmo começasse a se locomover, o cheiro do sangue era característico quando em movimento ao contato do ar, e qualquer som de movimentação poderia me indicar oque poderia me dar indícios de sua movimentação.

Assim que o mesmo estivesse se movimentando em minha direção daria um salto alto suficiente para poder me esquivar e baixo o suficiente para que não batesse a cabeça no teto da casa. Conseguindo efetuar esse movimento, imbuiria minha perna direita com o electro e assim caindo em direção ao homem tentaria desferir uma pontada com a perna com tudo em seu corpo para que assim pudesse desferir o tal golpe. Conseguindo assim usaria o corpo do mesmo como apoio para assim dar uma cambalhota girando e caindo no chão com os três apoios, utilizando esses movimentos como atordoamento aproveitaria o momento para assim com o máximo de velocidade correr em direção ao homem.

E com a foice na mão direita, visando acertar as pernas do prostituto, tentaria acertar um golpe na horizontal da direita para esquerda, assim arrancando a perna do homem. Assim que terminasse o movimento, tentaria dar um grande salto para trás assim tomando distância do corpo do homem, ficaria atenta aos golpes que poderiam ser provenientes do velho, tentaria saltar pelo local usando os moveis de base para assim poder me reposicionar e voltar a batalha.

Assim que estivesse em uma distância me levantaria ficando devidamente ereta, começaria a girar a foice novamente com a ponta da lâmina virada para frente, tentaria botar o máximo de força que tivesse nesse próximo golpe, assim usando dos meus sentidos, procuraria uma brecha para que pudesse atacar, seja pelo olfato e pela audição, assim que sentisse a brecha eu começaria uma grande corria em direção ao homem, assim que estivesse bem perto do mesmo daria um salto em sua direção e com a lâmina girando em minha mão direita, daria um golpe da vertical de cima para baixo tentando acertar o centro do corpo do mesmo assim da cabeça ao fim tentando dividir o corpo do mesmo em dois. Caso sentisse movimentos ofensivos em meio a minha investida, tentaria saltar para o lado contrário do golpe usando a foice como obstáculo para o golpe que estivesse vindo em minha direção, assim tentaria me reposicionar no local mais próximo e tentar efetuar o golpe.



Histórico:


_________________

Prologo: Frenesi da Raposa - Página 2 J09J2lK

"Ah, mas eu não quero ter dois caminhos ou ah, mas eu não quero ter caminho nenhum. Ué, você já pode porra, a única coisa que te impede de fazer isso é ser zé metinha e querer ficar comparando o tamanho do pau com o coleguinha pra compensar o ego frustrado." - Luquinhas, 2022
Mephisto
Imagem :
Prologo: Frenesi da Raposa - Página 2 350x120
Créditos :
26
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t353-anne-redgrave https://www.allbluerpg.com/t383-i-nao-existe-sombra-sem-luz#1323
Mephisto
Avaliador
Re: Prologo: Frenesi da Raposa Ter Jun 08, 2021 2:35 pm
Missão 1


O cenário era de fato algo cansativo afinal, nesse ponto a confiança dele já tinha diminuido, e as ameaças começavam a deixar realmente ele preocupado, mas a luta ainda estava acontecendo, então ele apenas retrucou alguns xingamentos.-VOCÊ QUEM VAI SE CONTORCER NO CHÃO, COM AS TRIPAS DE FORA SUA DESGRAÇADA!!- Ele não tinha tanta confiança mas ainda sabia gritar. Nesse ponto a luta continuou. O homem avançou com corte rápido a técnica especial que ele estava preparando anteriormente.

Suas espadas miravam o centro do corpo da garota, mas dessa vez ela não tentou bloquear, afinal aquele golpe era misterioso. E assim saltou para o alto, fazendo o inimigo passar direto. E logo desceu com um chute, com sua perna eletrificada, aquilo fez o velho arregalar os olhos, ele estava entendendo o perigo daquilo, por que era um fim de luta? Talvez.

O chute vinha com tudo e o cara subiu as duas espadas cruzadas elas sobre o corpo, então tentando se defender, mas o golpe acertava bem nos dedos dele, mesmo com um quase bloqueio, o choque se estendeu por todo o corpo dele, fazendo ele por um breve momento sentindo o choque perder a concentração.

Aquilo foi suficiente. Agatha usando o corpo dele de apoio pulou para trás e avançou novamente, com velocidade, aplicou um ataque na perna do inimigo, ele esquivou mas não foi o suficiente, ela conseguiu cortar a base do joelho, indo profundamente na carne e acertando o osso, a esquiva dele serviu apenas pra não ter o membro decepado.

Ele tentou atacar depois de receber o golpe mas foi ineficaz, onde a raposa usou a mesa que estava ali como um meio para rapidamente se posicionar, desferindo um ataque de cima pra baixo, que rasgou o corpo dele reto do ombro até a coxa, ele saiu da frente mas tomou o golpe inteiro nesse lado do corpo, sentindo uma dor profunda.

O som era alto, era de metal contando carne e ossos, o sangue esguichou na raposa, enquanto o homem foi finalmente ao chão batendo a cara no assoalho. O velho entrou em desespero e toda a pompa que ele tinha até agora se desfez. Ele com um olhar perdido, completamente assustado olhou pra ela.

Ele tremeu se ajoelhando ali e começando a pedir por clemência.-Ei, eu… Eu… Vou pagar tudo!! Sabe nada que disse foi sério, era só piada sabe… Era ironia… Você é uma mulher muito bonita!! Eu posso pagar tudo direitinho, vem comigo eu te entrego o dinheiro.- ele viu que uma fuga era quase impossível pela velocidade e capacidade que seu capanga demonstrou, sendo mesmo assim superado pela mulher, que foi mais rápida, mais precisa usando o terreno de forma impecável, era adiar o inevitável. Estava contando com a clemência dela.





Ferimentos:




_________________

Prologo: Frenesi da Raposa - Página 2 2sfsWNF
Kenshin
Imagem :
Prologo: Frenesi da Raposa - Página 2 Ahri
Créditos :
00
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t360-agatha-harkness https://www.allbluerpg.com/t2343-capitulo-i-poesia-com-uma-espada
Kenshin
Desenvolvedor
Re: Prologo: Frenesi da Raposa Ter Jun 08, 2021 3:47 pm





Prologo: Frenesi da Raposa

O rumo que a batalha contra o mascarado, parecia mudar, era como se o cheio que estava no local ficava mais doce, apesar de que o mesmo estava prestes a desferir um golpe bastante curioso. “Esse é o momento!” Sabia que a luta entraria em seu estado um pouco mais selvagem, já tinha sentido algo parecido antes, e isso fazia com que meu corpo se arrepiasse de excitação.

O rapaz vinha em minha direção, e com puro instinto conseguia me desviar do golpe do sadomasoquista, e graças aquela esquiva me deu a oportunidade exata para começar a efetuar minha sequencia de golpes. - Bingo! Soltava indo de encontro com a minha perna imbuída em meu electro.

O primeiro chute desencadeou uma sequência de golpes sangrentos, tendo a oportunidade de restringir a movimentação do michê, assim desferia um golpe em sua perna, o mesmo tentava se esquivar, mas era tarde demais, sentia minha lâmina penetrando em sua carne, era delicioso o sangue escorrendo fazia com que minha boca salivasse assim lamberia meus lábios.

A tentativa de contra ataque do rapaz era em vão minha agilidade no local se mostrava superior à do mesmo, e a tentativa frustrada do mesmo só me dava mais uma oportunidade linda de executá-lo, e assim dito, com minha foice em mãos desferia o golpe mais delicioso desde que tinha saído do novo mundo, sentir a lâmina rasgar o corpo do homem me dava um estase tremendo, sentir os respingos do seu sangue em minha pelugem, rapidamente um grande sorriso em meu rosto podia ser visto.

- Purificado por ter entrado na frente do governo! Falava vendo o corpo do mesmo cair no chão, levava minha mão esquerda até minha boca espalhando o sangue do homem pelos meus lábios como se fosse batom.

O desespero do velho era música para meus ouvidos, me virava para ele com um sorriso sedento de sangue... literalmente, girava minha foice dando alguns passos na direção do mesmo, enquanto ele se desculpava e falava que pagaria oque devia. - Isso ai é um fato que nunca tive dúvidas, você vai pagar! Falava mostrando minhas presas em quanto o mesmo continuava com as desculpas.

Me posicionando na frente do mesmo via uma figura nojenta quase como um verme implorando por sua vida, meu sorriso rapidamente se desfazia, e podia se ver o nojo em meu rosto. Posicionando a lâmina da minha foice próxima da cabeça do velho começaria a falar. - Me leve até o dinheiro e talvez você permaneça com a cabeça! Assim faria sinal para que o mesmo se levantasse. - Mas te adianto que se eu sentir que vai tentar alguma coisa, vou te fatiar tanto que ninguém nunca vai te reconhecer! Assim seguiria o mesmo até onde estaria o dinheiro com a foice bem próxima dele para que na primeira tentativa eu o cortasse.

Assim que ele me entregasse o dinheiro, rapidamente com um movimento rápido com a foice tentaria desferir um golpe em sua mão esquerda com o intuito de decepar a mesma. - Bom disse que poderia manter a cabeça, mas não se preocupe deixei a mão direita para você se divertir! Ha Ha Ha Ha Mama Mama. Assim iria averiguar que o dinheiro estava todo ali, caso não estivesse olharia para o velho falando. - Acho que sou burra, se quer manter o restante do seu corpo acho melhor entregar o restante do dinheiro. Mas caso tudo estivesse ali afastaria a foice falando. - A próxima vez que dever o governo pague, ou não haverá uma próxima vez! Assim sairia do local deixando o velho agonizando e assim voltaria para o Quartel da marinha.

Finalmente a primeira missão oficial tinha sido concluída, bom faltava entregar todo o dinheiro para o Alex, mas creio que não iria ter nenhum problema até lá. Caminharia calmamente juntando todos os meus nove rabos como se fosse uma única e volumosa calda, não queria chamar mais atenção do que já chamava por ser uma mink cheia de sangue. “Essa cidade até que é bem tranquila!” Pensava olhando ao meu redor, ainda que tinha algumas pessoas interessantes, tinha quase certeza que aquele mascarado não pertencia aquele lugar.

Assim que chegasse no QG, iria direto até Alex. - Aqui está o dinheiro e as anotações daqueles que não estavam em casa! Entregava tudo ao mesmo. - Ah o velho não foi tão difícil assim, nada que um bom dialogo não resolveu! Falava com um sorriso bem sádico para o mesmo.

Dando alguns toques com o dedo indicador no cabo da minha foice, observaria a reação do homem, e prestaria atenção nas próximas falas do mesmo. - Bom como pode ver preciso de um bom banho para poder encontrar com o chefe… Aliás, ele já chegou? Estou ansiosa para uma missão de verdade! Dava um pequeno sorriso balançando minhas caldas uniformemente como um cachorro animado. - Bom, onde posso me limpar? Assim seguiria as instruções para o lugar onde pudesse tirar o sangue só mascarado.



Histórico:


_________________

Prologo: Frenesi da Raposa - Página 2 J09J2lK

"Ah, mas eu não quero ter dois caminhos ou ah, mas eu não quero ter caminho nenhum. Ué, você já pode porra, a única coisa que te impede de fazer isso é ser zé metinha e querer ficar comparando o tamanho do pau com o coleguinha pra compensar o ego frustrado." - Luquinhas, 2022
Mephisto
Imagem :
Prologo: Frenesi da Raposa - Página 2 350x120
Créditos :
26
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t353-anne-redgrave https://www.allbluerpg.com/t383-i-nao-existe-sombra-sem-luz#1323
Mephisto
Avaliador
Re: Prologo: Frenesi da Raposa Ter Jun 08, 2021 4:11 pm
Missão 1



A violência inegável era algo que colocava o velho pra tremer realmente, ela ria diante da morte, estava feliz com a desgraça de seu inimigo, não sentia nada pelo sangue, na verdade parecia gostar daquilo, era tudo que aquele homem não queria.

Ele levantou indo em silêncio até o quarto, onde abriu um cofre pegando o dinheiro, ele contou metade e entregou a ela falando.-É… Está aqui… É eu pago a outra metade amanhã!!- disse engolindo a saliva no seco, quando viu a lâmina…

A foice desceu com tudo, ele tentou evitar, mas a mulher podia sentir o osso sendo fatiado como manteiga e a mão dele caindo no chão, o braço decepado o fez gritar algo, um urro de dor enorme, ele segurou a zona cortada tentando parar o sangue, e vendo que não tinha escolha que não entregar tudo o mais rápido.

Pegou o resto do saco e entregou um bolo de dinheiro, quando ela contasse veria que tem agora sim toda a divida.-Por que fez isso comigo?- disse com lágrimas nos olhos. E a resposta dela era apenas algo que demonstrava que ela dava zero importância pra ele, afinal, ele ainda tinha uma mão para fazer o que quisesse.

Ela seguiu para o QG tentando deixar suas caudas parecendo apenas uma cauda, ela tinha razão de fazer isso, afinal, coberta de sangue a atenção já seria demais. Porem tudo deu certo, chegando no local, Alex a vendo naquele estado deu uma risadinha dizendo.-KAHAHA Então ele resistiu em? Mas pagou?- Comentou apenas pegando o suficiente pra pagar ela pela missão.

Ele recebeu então as coletas de impostos, entregando a grana dela por ter cumprido o dever dizendo.-Pode ir pra os vestiários, eles ficam no corredor da esquerda logo ao final, você vai achar uma porta com o nome indicando, inclusive qual é masculino e qual feminino.- disse apontando o caminho, afinal era simples chegar lá, não devia dar qualquer problema.

E por fim, comentou sobre o superior.-O chefe não deve chegar tão cedo, mas ele ligou e já me deixou com uma missão, você vai me auxiliar, temos um peixe maior pra ir atrás. Aliás, vai ter outra pessoa conosco, que está pra chegar. Da tempo de tomar um banho completo se quiser- e assim ela podia se banhar sem mais problemas, afinal não dava pra saber bem o que iria acontecer, e a próxima missão podia levar muito mais tempo.





Ferimentos:


_________________

Prologo: Frenesi da Raposa - Página 2 2sfsWNF
Kenshin
Imagem :
Prologo: Frenesi da Raposa - Página 2 Ahri
Créditos :
00
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t360-agatha-harkness https://www.allbluerpg.com/t2343-capitulo-i-poesia-com-uma-espada
Kenshin
Desenvolvedor
Re: Prologo: Frenesi da Raposa Ter Jun 08, 2021 11:03 pm





Prologo: Frenesi da Raposa

Até que aquele trabalho que tinha julgado ser entediante serviu para matar meu tédio, de fato o velho estava preparado para seus cobradores, mas ele não contava que eu seria a pessoa que iria cobrar do mesmo. “Talvez se fosse outro agente, o resultado poderia ser diferente!” Lembrava da habilidade do mascarado, mesmo bloqueando o golpe dele conseguiu me ferir, uma técnica notável com lâminas.

- Claro que a técnica dele não chegava nem perto do pessoal da Grand Line, mas era promissor! Soltava um pensamento alto enquanto caminhava de volta para o QG.

Já do lado de dentro, encontrava com Alex para assim oficializar o término da missão, o rapaz dava uma grande risada ao ver minha aparência, julgando que o velho tinha resistido a cobrança. - Não posso dizer que foi uma resistência, tá mais para um massacre! Falava me aproximando. - Pelo tanto de agentes que ele espantou, esperava mais, acho melhor treinar seus homens! Falava balançando o dedo indicador da mão direita com desapontamento.

O rapaz então pegava os impostos que tinham sido coletados por mim, em seguida retirava uma quantidade de dinheiro me entregando, e dizia que era o equivalente da missão bem-sucedida. “A primeira missão concluída, bom não era a que imaginei mas está de bom agrado!” Pensava guardando o dinheiro, mas algo que ainda me incomodava era o fator de não saber oque a senhorita Valentina quer comigo nessa ilha.

Alex dava as instruções de onde eu poderia me lavar e me preparar para a próxima missão, e antes que eu seguisse para o local o mesmo me respondia sobre o chefe, o mesmo não havia chegado ainda, levava minha mão direita ao queixo enquanto balançava a calda pensativa. “Quero o conhecer logo!” O fato era, ainda não sabia quem eram os lideres daquela CP principalmente o diretor e os seus agentes Seniores.

Em seguida o rapaz falava que eu iria o acompanhar em uma missão, mas que não seria a única, aquilo fazia eu franzir as sobrancelhas, não era muito fã de trabalhos em grupos, na maioria das vezes sempre me atrasavam quando eu precisava fazer algo. “Nas missões de treinamento sempre odiei parceiros!” Pensava soltando um suspiro. - Sou melhor trabalhando sozinha! Dava alguns passos indo em direção ao corredor apontado pelo rapaz.

- Bom ainda não conheço a pessoa para dizer se a mesma vai ser um fardo ou não, mas aviso que fardos para mim serão deixados para trás em nome do governo! Olhava para o rapaz com o canto do meu olho tentando passar um ar superior ao mesmo, e com um balançar da minha calda seguia para o vestiário do quartel.

Chegando no vestuário retiraria minhas roupas sem me importar com quem pudesse estar lá dentro, deixando minha foice do lado da mesma, em seguida já iria direto para o chuveiro, onde ligaria a água lentamente deixando a água escorrer pelo meu corpo. “Um peixe maior!” Pensava lembrando das falas do agente quando se referia a próxima missão, seria interessante lutar com alguém bem mais forte, fazer valer meu treinamento.

Levantando minha cabeça na direção de onde saia a água deixando escorrer o sangue do mascarado que estava em meu rosto. - Vamos para a próxima! Soltava fechando a água, a verdade era que não tinha muito oque pensar, e gastar meu tempo, tudo ainda estava nebuloso com minha presença naquela ilha. - Espero que tudo isso valha a pena, ou a senhorita Valentina vai me dever uma! Soltava indo em direção as minhas roupas, elas não seriam mais usáveis, ainda mais para representar a grandiosidade que era o governo. - Preciso de roupas novas! Soltava dobrando as que eu tinha usado na última missão as colocando em um cesto de roupa suja.

Em seguida ia até algum armário procurando algum conjunto de terno que poderia me servir, caso achasse vestiria me preparando para a próxima missão, mas caso não conseguisse, não teria muito oque fazer do que pegar minhas antigas roupas de volta e as vestir. - Depois compro algumas roupas novas! Soltava independente de qual roupa estivesse usando.

Caminhando calmamente até onde Alex estava da última vez que tinha o visto, esperava encontrar ele e a pessoa que iria nos acompanhar na próxima missão. - Estou pronta, onde está o peso… Quer dizer a outra pessoa!? Um sorriso confiante podia ser visto em meu rosto.

Assim estaria ali escutando qual seria a próxima missão, analisando cada palavra que o homem iria soltar e assim bolar formas interessantes de agir dependendo da missão.



Histórico:


_________________

Prologo: Frenesi da Raposa - Página 2 J09J2lK

"Ah, mas eu não quero ter dois caminhos ou ah, mas eu não quero ter caminho nenhum. Ué, você já pode porra, a única coisa que te impede de fazer isso é ser zé metinha e querer ficar comparando o tamanho do pau com o coleguinha pra compensar o ego frustrado." - Luquinhas, 2022
Mephisto
Imagem :
Prologo: Frenesi da Raposa - Página 2 350x120
Créditos :
26
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t353-anne-redgrave https://www.allbluerpg.com/t383-i-nao-existe-sombra-sem-luz#1323
Mephisto
Avaliador
Re: Prologo: Frenesi da Raposa Qua Jun 09, 2021 1:40 pm
Missão 1


A mulher como sempre era debochada, criticando o local, e falando sobre os agentes que falharam em cobrar o dinheiro ali, no entanto Alex tinha uma reação que mostrava o quanto ele ligava pra a zombaria, que era simplesmente dar uma risadinha respondendo.-Eu não tenho nada haver com isso, meu trabalho aqui é outro. Eu me comprometo a cumprir o que me mandam, e isso é o que deve fazer, garanta ter sucesso, se não lhe deixarei pra trás como também faria com qualquer um que falhar. A missão é prioridade e o mínimo que espero é comprometimento.- ele respondeu ela saindo dali logo em seguida, e indo tomar seu cafezinho.

Enquanto ela seguiu pelo corredor pro banho, ela deixou a foice perto dela depois de se despir, tomando uma boa ducha, era um vestiário simples com vários chuveiros divididos por paredes e uma cortininha que abria e fechava, lembrava bastante vestiários de clubes de natação. Ela então depois do banho se vestiu, pegando um terno comum, que estava nos armarios, voltando para falar com o chefe da missão que era o Alex, falando sobre o que seria, já que deveriam partir logo.

O homem então lhe apresentou a parceria que iria andar com ela. Era uma ruiva que estava sentada no canto da sala, vestia-se com roupas características de Kano, o que devia indicar sua procedência, carregando consigo uma katana embainhada na lateral. Deixava sua roupa caída para baixo o que exibia faixas enroladas onde ficavam seus seios e uma tatuagem de dragão no braço direito que cobria parte de seu bíceps e ombro..

Prologo: Frenesi da Raposa - Página 2 1edff8d7dd2e6b402e99d9c76bdfb22e

Sua aparência era desleixada, seu jeito parecia tranquilo e calmo, como se não ligasse pra absolutamente nada. Ela viu a mink entrar na sala, mas não esboçou emoção. Alex levantou e começou as apresentações e a explicar o objetivo da missão.-Essa será sua parceira para a missão, ela se chama Akagi, veio de Kano. Espero que sejam cooperativas. Pois é de importância que não se deixem ser pegas. Se forem, não será resgatadas, em visão de comprometer a missão.- comentou deixando claro a periculosidade do que estava acontecendo.

A partir daqui, eram os detalhes que começaram a ser passados, afinal precisavam saber o que fazer.-Eu vou precisar de vocês infiltradas numa festa, irei lhes entregar algum dinheiro para que arrumem roupas para a ocasião. Eu consegui dois convites, vocês estão na lista. A razão que ambas vem de fora da ilha, e assim não são conhecidas pelo local, é perigoso por que apesar de isso ser uma vantagem, também trás problemas já que ambas vão chamar atenção.-Ele então pegou alguns papéis, dois formulários que tinham informações com endereço, tipo de festa, nomes de alguns figurões que poderiam estar lá seguido de suas fotos.

Com o formulário entregue ele passou novamente a repassar informações importantes.-A festa é um baile de máscaras, e nesse baile vai ter um homem chamado Veroni, sim, Camaleon Veroni, não sabemos se esse é o nome real dele ou seu codinome, mas esse cara aparentemente está tentando instalar uma célula revolucionária na ilha.-completou ele agora trazendo uma fotografia do tal Veroni, era um cara loiro, com um rosto meio envelhecido, devia ter em torno de uns 35 anos, usava um cavanhaque e brincos, parecia ter um certo ar de nobreza.

Prologo: Frenesi da Raposa - Página 2 47ae06d3549de8208211db330b18867a

Além da foto mais algumas informações era imprescindiveis.-Ele tem um metro e noventa e oito centímetros, seu corpo é bem definido, não se enganem pelo ar de nobreza, ele é um combatente eficaz. Além disso, tem sempre capangas, 4 ou 5 com ele por aí. A missão de vocês vai ser coletar informações na festa, não só com ele, mas com quem conseguirem, do modo mais natural possível, fiquem sempre de olho nele.- então ele pegou dois den den mushi bebê, entregou um para a raposa e outro pra ruiva, já que eles seriam importantes para a comunicação.

E nesse ponto continuou a explicar.-Quando ele sair da festa, tentem levar ele para um lugar isolado, ou sigam ele até acharem seguro agir sem muitas testemunhas, quero que o capturem vivo!! Para que possamos interrogar ele, esses Den Den, são pra manter contato comigo, irei estar resolvendo outra questão logística da missão. Entendido? Tem mais duvidas?- No fim ele pegaria 500.000 para que elas comprassem roupas para a missão. Deixando o dinheiro com elas para esperar que elas retornassem para pegar as máscaras e mais informações.




Ferimentos:


_________________

Prologo: Frenesi da Raposa - Página 2 2sfsWNF
Kenshin
Imagem :
Prologo: Frenesi da Raposa - Página 2 Ahri
Créditos :
00
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t360-agatha-harkness https://www.allbluerpg.com/t2343-capitulo-i-poesia-com-uma-espada
Kenshin
Desenvolvedor
Re: Prologo: Frenesi da Raposa Qua Jun 09, 2021 5:27 pm





Prologo: Frenesi da Raposa

As falas do homem em resposta ao que falava sobre os agentes me fazia dar um breve sorriso de canto de rosto, não esperava menos, o governo em primeiro lugar sempre, seja qual for a missão, se a pessoa não for boa o suficiente ficará para trás sem pensar duas vezes. “Talvez o tenha julgado errado!” Ter a primeira impressão sobre uma pessoa de fato gerava vários questionamentos, principalmente da forma que elas poderiam vir a agir em nome do governo.

A grande questão era que não éramos marinheiros, cãezinhos adestrados pensando no que seria melhor a se fazer para nossos companheiros, éramos as verdadeiras engrenagens que mantêm a grande máquina que é o governo mundial rodando e se uma dessas peças vim a falhar obviamente deverá ser largada para trás e substituída para manter o bom funcionamento.

Com esses pensamentos seguia para meu banho, e me aprontar para a próxima missão, oque não demorava muito, vestindo um terno solitário que estava ali no vestiário, logo então estando pronta para a próxima missão. - Quem vamos fatiar agora!? Falava pegando em minha foice e girando ela em sentido horário.

Caminhando de volta para onde podia encontrar Alex, balançava minha calda tranquilamente, estava animada para começar a próxima missão. - Vamos começar com isso! Falava em um tom bem descontraído olhando as unhas da minha mão esquerda, Alex então apresentava a pessoa que iria nos acompanhar na próxima missão.

Olhando para minhas unhas, levantava a visão lentamente, vendo uma garota com vestes um tanto atípicas da região, me lembrando até alguns visitantes daquela vez na mansão da senhorita Valentina. “Vestida assim é uma agente do governo!?” Arqueava minha sobrancelha esquerda, meu ar de descontentamento era evidente para qualquer um que pudesse ver, mas se eram ordens de um superior oque tinha era de trabalhar com ela e esperar que a mesma não atrapalhe o andamento da missão.

- Espero termos um bom aproveitamento! Soltava seco e direto voltando a me virar para Alex.

Logo mais a missão começava a ser explicada, uma missão simples e direta de infiltração, algo que a Condessa de Fontaine tinha me treinado muito bem. O alvo, um possível inimigo do governo querendo instalar uma célula bem de baixo do nosso nariz. - Então a missão é para eliminar esse sujeito? Soltava em meio a explicação analisando a foto que era mostrado para nós, se era uma festa certamente não iriamos poder levar armas para o mesmo, porque seria uma situação no qual eu dependeria apenas da minha astucia, minha foice ou espada não entrariam certamente.

A pergunta então era respondida, uma missão de reconhecimento, levava minha mão esquerda para perto do rosto dando alguns toques com o dedo indicador, pensando nas possibilidades que poderia ser feitas em tal missão. - Apesar de uma missão que não envolve combate direto temos de presumir os vários riscos que isso pode acarretar seguindo para um locais desarmadas, principalmente pelos meus estilos de luta lidarem com lâminas um tanto avantajadas se assim posso dizer! Soltava olhando na direção de Alex.

- Creio que o uso de toxinas nesse caso seriam viáveis, eu não tenho conhecimento sobre isso poderia aprender com alguém, assim quando formos as compras eu compraria algumas que poderiam nos auxiliar em missão oque acha? Ter outros artifícios além das armas e o próprio corpo seria útil para poder lidar com essa missão, aprendendo sobre as toxinas poderíamos encontrar uma que pudesse desacordar o homem sem ferir assim deixando ele saudável para o interrogatório.

Como não conhecia a cidade pegaria o dinheiro e esperaria que o mesmo indicasse os lugares que poderíamos estar comprando ou aprendendo sobre toxicologia para assim podermos dar inicio aos preparativos da festa, assim seguiria todas s instruções.



Histórico:


_________________

Prologo: Frenesi da Raposa - Página 2 J09J2lK

"Ah, mas eu não quero ter dois caminhos ou ah, mas eu não quero ter caminho nenhum. Ué, você já pode porra, a única coisa que te impede de fazer isso é ser zé metinha e querer ficar comparando o tamanho do pau com o coleguinha pra compensar o ego frustrado." - Luquinhas, 2022
Mephisto
Imagem :
Prologo: Frenesi da Raposa - Página 2 350x120
Créditos :
26
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t353-anne-redgrave https://www.allbluerpg.com/t383-i-nao-existe-sombra-sem-luz#1323
Mephisto
Avaliador
Re: Prologo: Frenesi da Raposa Qui Jun 10, 2021 7:33 pm
Missão 1


Aos poucos suas perguntas foram respondidas, enquanto a ruiva apenas prestou atenção em tudo, enquanto Agatha tinha suas dúvidas sobre quanto a sua parceira ou estorvo… As roupas de fato eram estranhas para a posição que ela ocupava, e por fim, queria saber sobre como portar suas armas na festa ou se todo o trabalho envolvia mais infiltração.

Alex então confirmou primeiro com a cabeça fazendo um sinal de positivo, e então começando a falar.-Sim, você ta certa. Eles não vão deixar vocês entrar com armas, e a abordagem com venenos é uma boa pegada. Você pode falar com o Shinso, vou te apresentar a ele. Ele pode ensinar você sobre bons venenos e criação deles. Ele é um Cientista excelente apesar de ser meio maluco.- Comentou coçando a parte de trás da cabeça.

Parecia que o homem que ele falava realmente tinha um grau de excentricidade um tanto elevado e então ele prosseguiu falando sobre mais alguns dados, explicando onde o tal homem que ele falou ficava no processo.-Vou te levar primeiro pro labioratotio, venham comigo. Há e quando forem comprar as roupas lembrem que a festa tem um certo ar de nobreza, escolham boas roupas pra combinar, e não acabarem destoando dos demais.- e assim ele foi levando ela até a tal sala onde ele abriu a porta já vendo uma explosão de fumaça, aquele grande BOOOM!!! Enquan to podiam ver a fumaça subindo de um frasco de erlenmeyer.

Lá dentro podia já ver um cara jovem, por volta de uns 18 ou 19 anos, tinha um cabelo branco todo arrepiada que descia até os ombros, usava um óculos de proteção e parecia bem sorridente e entusiasmado, naquele momento tinha o jaleco com uma mancha da solução que tava explodindo no vidro.-Não se preocupem, não se preocupem, eu to trabalhando em produzir bombas de fumaça mais eficazes cof cof cof então é só fumaça, o barulho é um extra, mas vão ficar boas depois…- Alex já dava uma gargalhada naquele momento por já conhecer ele.

Alex logo começou a falar também, explicando quem era a moça ali com ele.-Essa é Agatha, agente nova aqui na cidade.- E disso deixava que ela mesma se virasse sobre o que tinha vontade de aprender, ou conversar com o cara, sua presença ali era meramente para demonstrar que ela tinha aval pra ser tutorada pelo cara, além disso ele tinha ido ver o velho amigo.




Ferimentos:




_________________

Prologo: Frenesi da Raposa - Página 2 2sfsWNF
Kenshin
Imagem :
Prologo: Frenesi da Raposa - Página 2 Ahri
Créditos :
00
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t360-agatha-harkness https://www.allbluerpg.com/t2343-capitulo-i-poesia-com-uma-espada
Kenshin
Desenvolvedor
Re: Prologo: Frenesi da Raposa Sab Jun 12, 2021 9:40 pm





Prologo: Frenesi da Raposa

Com as instruções da próxima missão dadas, tínhamos que fazer os preparativos, minha linha de raciocínio sobre oque deveria ser feito entrava em concordância com a linha de Alex, agora bastava aprender sobre venenos e compostos tóxicos o suficiente para poder derrubar o nosso alvo. “Excêntrico?” Pensava enquanto o agente dava a descrição do homem que nos ajudaria nessa questão.

- Não me importo muito com a personalidade deles, desde que o mesmo seja um bom no assunto, não ligo se ele chama urubu de meu louro! Um sorriso de canto de rosto podia ser visto em meu rosto.

Alex então terminava de dar as últimas instruções sobre que tipo de roupa deveríamos comprar, em seguida pedia para que a gente seguisse o mesmo, então assim eu o fazia, caminhado a passos tranquilos, balançava meus rabos tranquilamente, estava pronta para aprender mais. “Lembro de algumas substâncias que a senhorita Valentina usava em suas armas, com alguns cortes a pessoa ficava paralisada!” Pensava lembrando de algumas missões que acompanhei a mesma como uma observadora, a mulher era extremamente habilidosa.

Logo mais chegávamos até o local onde iriamos encontrar o cientista em questão, mas assim que chegávamos lá conseguia escutar com minha boa audição um conjunto de barulhos estranhos, e antes que pudesse falar algo presenciava uma grande explosão. - Mas que desgraça! Soltava levando as mãos aos ouvidos, a grande quantidade de fumaça que saia de um dos recipientes do laboratório.

- Se esse é o tal cara que vai nos ensinar, começo a ficar em dúvida sobre a qualidade! Falava arqueando uma das sobrancelhas, posso não ser a maior entendedora de química, ou seja lá oque ele estava fazendo, mas explosões assim em sala fechada não era algo muito usual.

Era um garoto jovem, deveria ter minha idade ou algo bem próximo, o mesmo vinha com o jaleco sujo e dando as devidas explicações. - Percebi o quanto é barulhento! Respondia retirando as mãos das orelhas, em seguida levando os dois dedos indicadores até as laterais da minha cabeça massageando as mesmas por causa do zumbido da explosão.

Alex então nos apresentava, com um aceno positivo com a cabeça me aproximava do cientista, e sem saber ao certo que estava em seu corpo limitava o cumprimento apenas com a cabeça. - Bom preciso aprender tudo que você sabe sobre toxicologia, creio que essa seja a área que precisamos, temos um alvo e ele precisa ser desacordado! Soltava me aproximando das bancadas que estivessem pelo local observando cada vidraria que estivesse por ali.

Aprendizado Proficiência: Toxicologia.

Assim com as devidas instruções dadas ao cientista, ficaria ali o tempo necessário para poder aprender Toxicologia, prestaria a atenção em toda a teoria passada pelo rapaz, e em seguida faria todas as praticas que o mesmo mandasse, assim tentando dar o meu máximo para poder saber quais compostos encontrar para conseguir ter um resultado proveitoso em minha missão.

Assim que terminasse de aprender com o homem daria um grande suspiro falando. - Bom, onde que posso comprar os compostos para minha missão? Daria uma pausa para escutar oque o rapaz tinha a dizer. - Também preciso de instruções para poder ir as melhores lojas comprar algumas roupas! Assim que o mesmo desse as instruções juntaria minhas nove caldas. - Obrigado por tudo! Falava assim saindo do laboratório e seguindo para os lugares indicados.



Histórico:


_________________

Prologo: Frenesi da Raposa - Página 2 J09J2lK

"Ah, mas eu não quero ter dois caminhos ou ah, mas eu não quero ter caminho nenhum. Ué, você já pode porra, a única coisa que te impede de fazer isso é ser zé metinha e querer ficar comparando o tamanho do pau com o coleguinha pra compensar o ego frustrado." - Luquinhas, 2022
Mephisto
Imagem :
Prologo: Frenesi da Raposa - Página 2 350x120
Créditos :
26
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t353-anne-redgrave https://www.allbluerpg.com/t383-i-nao-existe-sombra-sem-luz#1323
Mephisto
Avaliador
Re: Prologo: Frenesi da Raposa Dom Jun 13, 2021 1:32 am
Missão 1


A raposa não se preocupava muito com o seu professor, na verdade pouco valia de algo saber seu nome, desde que ele lhe pudesse ensinar, e assim foi, ele olhou para ela um tanto quanto curioso sobre quem ela era, mas naquele momento apenas existia uma hora para aprendizado.

Ele então respirou profundamente começando a explicar para a raposa.-[color:ba43=spring green]Certo, certo, vamos pra a aula, é uma moça bem direta ela né Alex? Sem arrodeios.- falou coçando a nuca meio que preocupado, com uma gota de suor descendo do rosto.

Então naquele ponto começou a explicar recebendo apenas uma risadinha de Alex como resposta.-Bem, venenos em geral são substâncias nocivas ao corpo, a razão disso é que elas afetam alguma parte de nosso sistema, algumas vão direto no sistema nervoso, outras trabalham com destruição e proteínas e corroem a região, mas claro diferente do ácido viajam pelo sangue também.- Ele pegou uma prancheta onde mostrou pra a garota uma tabela, exemplificando tipos de veneno.

Explicou a diferença entre venenos neurotóxicos para proteolíticos, e o funcionamento de substâncias no corpo, e como melhor inocular cada tipo de veneno, repassando em principal seu uso para desacordar, ou deixar tonto, e similares, já que era o que procurava, a ruiva que estava lá aproveitou participando da aula, e levaram 3 horas ali dentro estudando, até que finalmente completaram o que era necessário.

Com o aprendizado concluído ela ia até Alex saber onde comprar suas roupas, afinal precisava realmente de todo um bom trabalho.-Os venenos, nós temos aqui, você pode entrar lá no laboratório e dar uma procurada, escolher qual parecer mais adequado, sem gastos extras pra missão. Mas se não achar o que procura lá, tem uma loja de compostos logo no centro da rua, a dois quarteirões daqui.- ele então pegou um mapa simples da ilha, com poucos detalhes e mostrou pra ela, circulando três pontos com um ciclo vermelho.

Eram lojas de roupas.-Essas são as lojas que tem ligação com o Governo, todas elas vão te dar uma ajudinha de leve, se você disser que está comprando pra missão. Digamos que tenho alguém dentro de cada uma. Então você pode ir nelas e aproveitar, todas são de alta qualidade.- desse ponto ela sabia o que queria, no laboratório do QG caso ela fosse procurar, iria encontrar algumas opções de venenos bons para desmaiar alguém ou coisa do gênero.

Lá ela encontraria as seguintes substancias que poderia usar para seu confronto com o desconhecido, escolher alguma que parecesse melhor para a ocasião, ou ir atrás de outras se preferisse, eram elas: Escopolamina, Cetamina, Flunitrazepam, Clorofórmio, Benzodiazepina.

Já quando fosse as lojas de roupas, encontraria lojas realmente robustas, uma delas, que era a mais próxima do QG parecia até um castelo, se chamava: “Sonho de princesa” e tinha um slogan bem interessante: “Seja você mesmo a protagonista do seu conto de fadas”. Ela tinha duas pequenas torres com uma entrada com adornos dourados, toda pintada de branco, um tapete vermelho que ia da entrada até o balcão. Lá dentro, tinham centenas de provadores, roupas de todos os tipos.

Vestidos, ternos, sapatos, luvas, lenços, calças, camisetas, tudo a disposição, alguns em manequins, outros pendurados em cabides que enchiam toda a loja, além de claro as grandes prateleiras de calçados que ficavam mais próximas da porta, uma a direita e outra esquerda, nas paredes laterais ou seja indo da porta até a ponta.

O balcão tinha diversas atendentes, que estavam todas em prontidão para receber as moças que saíssem dos provadores, e algumas outras andando pela loja e atendendo outras clientes, que inclusive eram várias, haviam muitas pessoas na loja, todas mulheres parecia realmente ser o tipo de lugar atrativo para garotas.




Ferimentos:




_________________

Prologo: Frenesi da Raposa - Página 2 2sfsWNF
Kenshin
Imagem :
Prologo: Frenesi da Raposa - Página 2 Ahri
Créditos :
00
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t360-agatha-harkness https://www.allbluerpg.com/t2343-capitulo-i-poesia-com-uma-espada
Kenshin
Desenvolvedor
Re: Prologo: Frenesi da Raposa Seg Jun 21, 2021 11:38 pm





Prologo: Frenesi da Raposa

O aprendizado de toxicologia seguia de forma clara e direta, de fato venenos eram armas interessantes, que poderiam somar as minhas habilidades com lâminas. “Utilizar as minhas lâminas banhadas em toxinas pode ser algo interessante, mas creio que não somente isso, poder isolar certos efeitos colaterais pode me dar uns estimulantes e tanto!” Pensava analisando cada informação que o cientista estava me dando, poder produzir medicamentos com esses compostos ou simplesmente criar armas de destruição em massa.

- Estou gostando de tudo que estou escutando aqui! Falava com uma voz seduzente balançando minhas caldas lentamente,

Assim o tempo voava, e agora tínhamos o conhecimento necessário para a missão, um sorriso de canto de rosto poderia ser visto. - Obrigada pelas lições! Soltava me levantando e alongando meu corpo, bom gastando um tempo aprendendo sobre compostos tóxicos, provavelmente não haveria tanto tempo sobrando para poder se distrair, agora precisava conseguir o disfarce para que assim se aproximar do alvo e no fim o capturar sem levantar grandes suspeitas.

Alex então informava onde poderia encontrar o composto para a missão, creio que o governo já teria o suficiente sem gerar novos custos na missão. - Perfeito antes de sair as compras, vou pegar o composto! Falava batendo com o dedo indicador da mão direita na coxa. - Bom vejo você mais tarde! Assim me virava e seguia em direção ao laboratório que o mesmo tinha indicado.

Chegando em tal local, não era difícil de identificar os compostos que poderiam me ajudar na missão, claro que isso graças a aula que o cientista maluco tinha me dado. “Para uma ilha em meio aos mares mais fracos do mundo até que são bem equipados!” Pensava analisando cada frasco que estava rotulado, a maioria ali poderia servir bem para o meu propósito, mas precisava de algo com uma eficácia bem certeira, e potencializada com o álcool já que estávamos indo para uma festa.

- Benzodiazepina vai servir bem esse propósito, uma pequena esmagada em um copo de cidra e a mágica acontece! Falava ao pegar o frasco e guardar em meus pertences.

Agora que tinha um dos itens da missão precisava agora arrumar uma roupa digna para um evento com alguns mauricinhos, procurar pelas lojas indicadas por Alex seria algo bem proveitoso, mas acho que falar abertamente que precisava das roupas para a missão seria algo um tanto precipitado. “Não vou confiar tanto assim!” Pensava, enquanto caminhava pelos corredores do quartel. A verdade era que se estávamos lidando com uma possível ameaça de insurgência. - Mesmo se for um pouco mais caro vai dar tudo certo! Falava assim saindo do Quartel general.

Caminhado em direção as lojas que tinham sido indicadas por Alex, prestaria bem atenção em todos a minha volta, manteria minhas caldas unidas para assim não chamar a atenção, estava indo me preparar para uma missão de infiltração, ser reconhecida pela cidade não seria algo proveitoso. Uma das lojas logo podia ser vista, arqueava uma das minhas sobrancelhas assim que reparava cada detalhe da construção.

- Que brega! Soltava com uma cara um pouco de nojo, adentrava conseguia ver uma loja bastante chique, certamente era frequentado pelos nobres da cidade, oque explicaria boa parte da breguice do lugar.

- Olá vim comprar um vestido, hoje tenho uma festa e tanto! O disfarce tinha de começar a partir dali mesmo, não precisava de ajuda de uma vendedora, já tinha algo em mente, precisaria de um vestido chamativo mas ao mesmo tempo com cores simples para não ser identificada pelos aliados do alvo.

“Vou precisar usar as minhas caldas como plumas!” Pensava enquanto vestia alguns dos vestidos do lugar, plumas era algo bem certeiro de se usar para disfarçar minhas nove caldas, principalmente se tratando de uma ilha com a temperatura mais fria, seria algo bem comum dentre as convidadas eu presumia.

Assim passaria um breve tempo ali, escolhendo a roupa, os adornos e o sapato, até encontrar uma com as cores um pouco mias apagadas, assim que encontrasse, me direcionaria ao caixa, claramente utilizaria o dinheiro dado por Alex para poder pagar a compra, mas caso não fosse o suficiente, já que não queria usar a carteirada de agente para não levantar suspeitas de pessoas que não deveriam saber o pra que servia as roupas. “Posso usar do meu dinheiro!” Pensava inteirando oque faltasse para poder pagar as roupas.

Assim com as devidas compras feitas, voltaria para o quartel da marinha, tentaria observar se estivesse sendo seguida, caso tivesse procuraria me misturar na multidão, ou tentar achar rotas mais alternativas para assim voltar ao Quartel. Caso tivesse tranquilo apenas andaria de volta para o local e iria direto ao vestiário, onde me aprontaria devidamente para a missão colocando todos os adereços e assim utilizando minhas caldas como plumas em volta dos meus braços assim estando completamente pronta para a missão. - Está na hora de encontrar nossa futura bela adormecida! Falava terminando de passar o batom e escondendo a Benzodiazepina em meio as minhas vestes.

Em seguida iria de encontro a Alex com passos medidos e sensuais, um sorriso podia ser visto em meu rosto, estava na hora de seduzir algumas pessoas, e fazer alguns corações serem quebrados, bom se conseguisse ser literal nessa parte, a noite seria muito mais divertida. - Estou pronta! Falava me posicionando na frente do homem colocando minha mão direita em minha cintura e arqueando uma das minhas sobrancelhas.



Histórico:

Vestido:

_________________

Prologo: Frenesi da Raposa - Página 2 J09J2lK

"Ah, mas eu não quero ter dois caminhos ou ah, mas eu não quero ter caminho nenhum. Ué, você já pode porra, a única coisa que te impede de fazer isso é ser zé metinha e querer ficar comparando o tamanho do pau com o coleguinha pra compensar o ego frustrado." - Luquinhas, 2022
Mephisto
Imagem :
Prologo: Frenesi da Raposa - Página 2 350x120
Créditos :
26
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t353-anne-redgrave https://www.allbluerpg.com/t383-i-nao-existe-sombra-sem-luz#1323
Mephisto
Avaliador
Re: Prologo: Frenesi da Raposa Sab Jun 26, 2021 1:11 am
Missão 1


Depois do aprendizado a moça agradeceu pelas lições que tinha recebido, afinal foram de utilidade ímpar para o que ela desejava fazer, o que fez o rapaz apenas lhe responder de maneira simples enquanto ela saia de lá, dizendo.-Disponha. Se precisar de mais algo relacionado a isso, é só voltar aqui.- Depois disso, a moça pegou benzodiazepina para então realizar seu propósito que era dar um apagão no cara.

Disso ela foi até a loja em busca de um vestido perfeito, onde ela queria manter o máximo de descrição possível, até mesmo preferindo evitar a carteirada que tinha à disposição, ela procurou algo que pudesse lhe ser mais interessante possível. Ela escolheu um vestido que tivesse cor mais apagada, algo que pudesse chamar menos atenção, e logo que achou o que desejava foi falar com a mulher.

Ela se aproximou do balcão onde a moça rapidamente respondeu, dizendo o preço que era exatamente o quanto ela tinha ali consigo.-São 500.000 por tudo.- e a partir desse ponto voltou até o quartel pronta para resolver o problema onde se dirigiu a Alex que já estava ali acompanhado da ruiva também, que vestia-se agora com uma vestido preto longo de abertura lateral, desarmada igualmente.

Alex dava um sorrisinho, olhando pra ela e então caminhava até o lado de fora, guiando elas até uma carruagem, ela era bem luxuosa, toda em madeira envernizada, com tons de preto e azul. Os cavalos eram claramente de raça pura, dava pra ver pela musculatura, que provavelmente foram selecionados por sua genética

E assim ele ia falando enquanto apresentava a carruagem.-Muito bem moças, agora a missão vai começar, tenham em mente seus alvos, e se preparem para o pior. Lhes desejo sorte. Há e quase esqueci, lembrem que pode ser difícil encontrar, muitos vão estar de máscara.aliás se desejarem usar mascaras, deixei uma caixa com algumas no solo da carruagem.- comentou completando tudo que tinha pra repassar as moças, esperando que elas adentrassem e seguissem viagem.

Logo quando tudo estivesse pronto e elas entrassem o cocheiro daria partida guiando elas por um longo caminho até a festa. O dia já tinha deixado o palco, dando espaço para que a noite brilhasse. Que aliás era lua cheia naquele dia. Ela começava a surgir no horizonte lentamente deixando tudo um tanto mais intrigante. Quando chegassem no local a primeira visão era de uma mansão enorme.

Era um portão dourado, com um grande jardim à frente, com grama cortada, mas alta, preenchendo um espaço que mais parecia um labirinto. Enquanto apenas no centro até aporta havia uma estrada que a carruagem cruzava. Quando se aproximasse da mansão, poderia notar os grandes portões de madeira, que estavam fechados, eram rústicos, e tinham detalhes entalhados que lembravam vinhas, ou raízes, se prestasse atenção de forma mais ferrenha, iria perceber melhor, erma como raízes embaixo se ramificando em vinhas por toda ela.

Assim um homem usando terno, um caraca aparentemente meio mal encarado, olhos negros, olhar fixo, dizia.-Bem, vindas. Convites por favor.- e assim ele estendia a mão, esperando que elas entregassem, ambas podiam apenas colocar nas mãos dele, e  a ruiva logo o fez, esperando que a raposa também fizesse. Assim, a porta iria se abrir.

Lá poderiam ver o hall. Era um grande salão, que tinha algo em torno de 200x200 a sala, repleta de mesas, com pessoas sentadas, a maioria conversando e bebendo. As mesas ocupavam a maior parte do lugar, exceto por o centro, onde dava pra caminha livremente, era por onde os garçons passavam. Mais livremente, depois tendo de entrar nos espaços entre as mesas.

Logo mais à direita ficava a mesa de petiscos, onde haviam comidas variadas, salgados, bolo, queijo, sushi. E do lado dela, outra com diversas bebidas, ponche, vinho, champanhes fechados, e diversos mais. Dali dava pra ver a entrada pra pista de dança, ou no caso uma zona mais vaga da mansão sem mesas, era uma parte aberta que também estava cheia de pessoas dançando uma musica lenta que dava pra ouvir mas meio longe. isso da porta claro.. O lugar poderia parecer um pouco claustrofóbico, já que estava lotado.de pessoas desconhecidas conversando coisas desconexas.




Ferimentos:


_________________

Prologo: Frenesi da Raposa - Página 2 2sfsWNF
Kenshin
Imagem :
Prologo: Frenesi da Raposa - Página 2 Ahri
Créditos :
00
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t360-agatha-harkness https://www.allbluerpg.com/t2343-capitulo-i-poesia-com-uma-espada
Kenshin
Desenvolvedor
Re: Prologo: Frenesi da Raposa Seg Jul 12, 2021 1:06 pm





Prologo: Frenesi da Raposa

O preparo para a missão tinha sido concluído com sucesso, estava linda e pronta para seguir com o planejado, a escória revolucionaria não espera oque tem por vir. “Sorte dele que precisamos do mesmo vivo!” Pensava terminando de aplicar a maquiagem, e assim fechando o batom que estava em minha mão.

Olhando no espelho do local arqueava uma das minhas sobrancelhas e em seguida dando um pequeno sorriso, fazia muito tempo que não fazia um trabalho de infiltração. “O treinamento tinha sido bem divertido!” Lembrava da primeira tarefa de infiltração que tive em minha vida, claro que era uma das minhas últimas tarefas a serem feitas enquanto treinava, e aqueles piratas não estavam prontos para aquela linda noite de lua cheia.

“Um fator diferente, trazer alguém com vida, mas ao menos posso ver uma bela festa quem sabe!” Pensava saindo do quarto e indo de encontro com os demais membros da missão, meus passos eram medidos como uma verdadeira dama, toda a classe que conseguiria passar com aquele disfarce. Logo mais me encontrava com a dupla, Alex não demorava e nos guiava a té uma luxuosa carruagem, todos os elementos para poder fazer com que o disfarce fosse a mais convincente possível.

- Não pouparam esforços para essa missão! Soltava dando um breve sorriso, a real era que dinheiro não era problema para o governo mundial, principalmente em investimento para lidar com aquela infecção que chamavam de exército revolucionário.

Assim que adentrava na carruagem me lembrava de toda a pomposidade da vida de nobre, a época que morava com a condessa certamente o disfarce cairia muito bem e a missão seguiria tranquilamente. - Espero que essa festa tenha um bom espumante! Falava me sentando em uma das poltronas da carruagem e em seguida cruzando minhas pernas com a perna direita em cima da esquerda, e com a mão direita sobre o joelho e batendo comas as unhas em cima da mesma de forma que não me machucasse.

Enquanto a carruagem se movimentava em direção ao local da festa, tinha que bolar uma forma de conseguir reconhecer o homem já que provavelmente o mesmo estaria caracterizado com os demais da festa utilizando mascara, mas outro fator também era não revelar nossas identidades precisava usar algo não muito chamativo. “Utilizar uma máscara mais apagada seria o ideal!” Com isso olhava para a caixa que Alex tinha nos informado, procuraria uma máscara lisa branca nada chamativo para que assim não alarmasse alguém caso o alvo desaparecesse e procurassem por possíveis culpados.

Logo mais chegávamos no local que aconteceria a festa, de fato um lugar bem pomposo, portões ornamentados, toda aquela riqueza naquele lugar certamente a moradia de um nobre de grande importância, oque me fazia questionar o porque de que alguém que estaria ligado ao governo nos trairia deixando os revolucionários adentrarem naquele lugar. “Se eu fosse a chefe dessa CP a essa altura esse nobre já estaria morto!” A carruagem ia parando e logo dávamos de cara ao que aprecia ser um dos guardas do local, o mesmo já pedia nossos convites.

Colocava minha máscara antes de descer da carruagem, assim que descia entregava o convite ao homem, me posicionando a sua frente e assim esperando que o mesmo nos liberasse logo. “Um segurança um tanto brusco!” Pensava analisando o rapaz, tinha de ficar atenta, poderia ser um dos homens de Veroni, não ficaria surpresa se o mesmo colocasse eles misturados nos seguranças da própria mansão.

Assim que adentrávamos no lugar, víamos o lugar já cheio, precisávamos nos misturar e colher informações, por minha sorte era boa de ouvido, então precisava rodar por ai e ficar próxima daqueles que estavam para dar com a língua nos dentes. - Vamos nos dividir! Falava indo para a direita na direção da mesa de bebidas, assim que chegasse lá sem olhar muito na direção das pessoas, tentaria prestar atenção no que elas estavam falando principalmente se estivesse citando o Veroni. “Vamos lá deem alguma coisa para a mamãe!” Pensava pegando uma taça de espumante.

Assim que tivesse com a taça na mão começaria a andar pelo salão, sempre com as orelhas a tentas para captar qualquer conversa que julgaria ser pertinente para a missão, sempre rondando para não parecesse suspeita assim que escutasse alguma coisa prestaria bastante atenção. Caso fosse parada por alguém e questionada sobre quem eu era eu me posicionaria colocando a mão esquerda na minha cintura enquanto segurava a taça com a direita e começaria a falar. - Eu sou a Condessa Nati Natini Natili Lohana Savic de Albuquerque Pampic de La Tustuane de Bolda, mais conhecida como Danusa Deise Medly Leona Meiry Cibele de Bolda de Gasparri. A mulher jamais falada. A menina jamais igualada! Gesticularia enquanto falava todo aquele nome para o disfarce, o tamanho do nome era grande propositalmente para que assim ficassem confusos e não soubessem quem eu era de verdade. - Sou conhecidíssima como a noite de loguetown. Poderosíssima como a espada de uma samurai! Assim sairia continuando a sondagem por informações.



Histórico:


_________________

Prologo: Frenesi da Raposa - Página 2 J09J2lK

"Ah, mas eu não quero ter dois caminhos ou ah, mas eu não quero ter caminho nenhum. Ué, você já pode porra, a única coisa que te impede de fazer isso é ser zé metinha e querer ficar comparando o tamanho do pau com o coleguinha pra compensar o ego frustrado." - Luquinhas, 2022
Mephisto
Imagem :
Prologo: Frenesi da Raposa - Página 2 350x120
Créditos :
26
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t353-anne-redgrave https://www.allbluerpg.com/t383-i-nao-existe-sombra-sem-luz#1323
Mephisto
Avaliador
Re: Prologo: Frenesi da Raposa Qui Jul 15, 2021 7:16 pm
Missão 1


A festa estava a mil, era possível notar que ela se posicionava bem, entrando naquele ambiente, podia facilmente se misturar, a máscara, e até mesmo o modo como inteligentemente camuflava suas caudas fazia com que não fosse realmente tão difícil assim conseguir passar despercebida. Ela pegou um copo de bebida e com suas atentas orelhas, começou a escutar.

A principio, ela notou que tinham alguns incovenientes, a maioria dos nobres falava sobre suas conquistas, eram claramente mentirosos, afinal, se vangloriavam de coisas que provavelmente nunca fizeram, talvez jamais viram, em especial um homem que usava uma máscara de Tengu, ele parecia ser o entretenimento, tinham diversas jovens moças em volta dele.

Eram em torno de 7 mulheres jovens, provavelmente ali entre seus 18 a 25 anos, tinham bastante atenção em suas palavras, e até mesmo, uns rapazes que estavam sentados num sofá atrás dele, que pareciam esperar suas vezes de contar suas tramoias, sendo um deles, com máscara de urso, e outro com máscara de águia.

As palavras do homem da máscara de tengu, eram as senguintes.-Quando nosso navegador errou a rota que tínhamos estabelecido, entramos no calm belt, um rei dos mares, veio contra nós e naquele momento… TRATATATA ele quebrou parte de nossa embarcação. Então ele nos atacou por cima, desembainhei minha espada Eeeeeeeee… SWITCH, fatiei ele.- e as moças demonstravam espanto por tal história de bravura. Ele era carismático e todas estavam admiradas, sorridentes, e ao mesmo tempo extasiadas, poderia não ser alguém forte, mas com certeza era divertido pra elas.

Isso provavelmente se devia ao fato de todas elas serem da nobreza e terem pouca ou nenhuma forma de contestar a historia, tanto por pouco conhecimento quanto baixa idade, e assim ele prosseguia.-E foi aí que me enganei, pois achei que tudo estava certo. Achei, mas outros 5 reis dos mares apareceram, e foi então que Veroni, me ajudou, nós dois começamos a lutar contra eles, mas eles destruiram nosso barco, os vencemos na agua, fatiando 200, eu derrubei 110 e o Veroni 90, eu sou claramente a lamina mais rapida HAHAHAHAHAHA- e naquele ponto, era onde poderia de fato interessar a moça, das muitas caudas, Afinal ele conhecia seu alvo.

Mas ela nem precisou ir até ele, o homem notou que a mulher estava um tanto mais afastada, ela chamava atenção por justamente não estar como as outras, o que o levou a perguntar seu nome logo em seguida.-E você, o que a trás a tal festa, não lembro de ninguém parecida nas últimas grandes reuniões. Amiga recente?- e assim, a raposa se apresentava, falando um nome e caracteristicas que ele jamais tinha ouvido na vida, parecia algo muito importante.

Para o destino aquela era uma cartada bem poderosa, afinal ela pareceu ser interessante, pois diferente das jovens tolas nobres ali, ela parecia uma mulher mais vivida, pelo que disse, parecia muito mais viva.-Quem nunca ouviu falar de você não é mesmo? Só um idiota não conheceria esse grande nome dos cinco mares. Mas me diga então, como chegou a Sirarossa. Conte pra nós, suas aventuras.- disse com claro tom de animação, fazendo com que o círculo que antes o observava fosse em torno dela, até os dois no sofá se levantaram e agora pareciam muito mais interessados.




Ferimentos:


_________________

Prologo: Frenesi da Raposa - Página 2 2sfsWNF
Kenshin
Imagem :
Prologo: Frenesi da Raposa - Página 2 Ahri
Créditos :
00
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t360-agatha-harkness https://www.allbluerpg.com/t2343-capitulo-i-poesia-com-uma-espada
Kenshin
Desenvolvedor
Re: Prologo: Frenesi da Raposa Sab Set 04, 2021 4:18 am





Prologo: Frenesi da Raposa

Por algum momento em meio a festa, minha mente dava um pequeno estalo, juraria que poderia ser escutado por qualquer pessoa se possível. “Mas…” Um conjunto de várias memórias adentravam a minha mente, uma reunião e tanto em meio a uma montanha gelada. “Parece que o tempo parou enquanto estive lá!" Pensava olhando as pessoas a minha volta, a festa no qual deveríamos nos infiltrar ainda estava rolando.

“Minha irmã está viva…” Ainda estava processando todas aquelas informações que tive na festa, mas definitivamente aquele não era o lugar para ficar pensando no que tinha acontecido naquela montanha gelada, as pessoas que conheci. - Depois penso nisso! Falava em um tom bem baixo olhando para a taça que estava na minha mão.

Seguia focada em minha missão andando pelo salão de festas encontrando um nobre exibido contando para as mulheres oque parecia ser um grande conjunto de mentiras. “Santa paciência!” Pensava escutando toda aquela asneira, a única coisa produtiva de estar escutando tudo aquilo era que o mesmo de alguma forma conhecia o alvo, mas eu não sabia se sentia pena dele ou das garotas em volta dele que provavelmente estavam acreditando em toda aquela asneira.

O rapaz notava minha presença e logo vinha em minha direção, enquanto o mesmo se aproximava levava a taça até minha boca dando alguns goles na minha bebida. O rapaz perguntava quem eu era e porque não me reconhecer de suas outras reuniões, com um raciocínio rápido respondia o rapaz com um nome bem elaborado, que já arrematava a possibilidade dele me expulsar da festa.

-Uma viagem tranquila nada demais, vim visitar alguns parentes e acabei sendo convidada para essa belíssima festa! Falava estendendo o braço, claro massageando o ego daquele rapaz. - Mas é claro que conhece os Albuquerques né? Pessoas finíssimas! Falava com convicção e um grande sorriso no rosto, o segredo de uma boa mentira era fazer ela ser bastante realista.

- AH sobre minhas viagens? Sou uma aventureira de fato, mas não igual a você, fico impressionada com tantos feitos, aposto que conseguiria derrotar algum dos imperadores com facilidade! Me aproximaria do mesmo apalpando um dos seus bíceps. - Nossa que grande! Dava um sorriso malicioso para o mesmo. - Mas pelo visto suas aventuras nunca são solos, onde está o outro rapaz das suas histórias? Conhecer dois aventureiros desse calibre seria uma honra para essa humilde garota! Passava a minha mão pelo ombro do mesmo, esperava que o mesmo me contasse mais sobre Veroni, ou melhor me apontasse onde pudesse encontrar tal homem.

Prestaria bastante atenção nas palavras do rapaz, mesmo que elas fossem boa parte mentira, precisava da localização do homem para enfim seguir para os próximos passos do plano, ainda sim me manteria em alerta estava no meio do campo inimigo e não estava nem um pouco afim de surpresas.



Histórico:


_________________

Prologo: Frenesi da Raposa - Página 2 J09J2lK

"Ah, mas eu não quero ter dois caminhos ou ah, mas eu não quero ter caminho nenhum. Ué, você já pode porra, a única coisa que te impede de fazer isso é ser zé metinha e querer ficar comparando o tamanho do pau com o coleguinha pra compensar o ego frustrado." - Luquinhas, 2022