Bem-vindo ao

All Blue

É com muito prazer que lhes damos os comprimentos ao nosso RPG. All Blue se trata de um RPG narrativo com o ambiente principal centrado em One Piece, obra de Eiichiro Oda.
Se divirta nessa nova aventura e se torne o novo rei pirata... Se puder!

Últimos assuntos
Criação de AventurasHoje à(s) 5:11 pmporDADOVROWK II - Deuses Entre NósHoje à(s) 5:08 pmporJean FragaIV - You'll never see me cryHoje à(s) 4:38 pmporShiori[FP] Nino QueijadinhaHoje à(s) 4:19 pmporYamiNino Queijadinha *Hoje à(s) 4:19 pmporYami[FP] Gauss LedgermaineHoje à(s) 4:13 pmporYamiGauss Ledgermaine *Hoje à(s) 4:12 pmporYamiNoites em HoxterHoje à(s) 4:03 pmporTerry[FP] MilarepaHoje à(s) 3:58 pmporYamiCap 3 - Uma gloriosa evoluçãoHoje à(s) 3:47 pmporRex

Esse é meu jeito ninjaaaaa!

Achiles
Imagem :
Esse é meu jeito ninjaaaaa! Bf3w3iH
Créditos :
20
Localização :
Lvneel - North Blue
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1735-caitlyn-g#18385 https://www.allbluerpg.com/t1725-iii-death-or-paradise#18382
Achiles
Pirata
Esse é meu jeito ninjaaaaa! Seg Jun 27, 2022 7:40 pm


Esse é meu jeito ninjaaaaa!


[Civil] Yuuma D. Yukinaga

não possui narrador definido.
Aberta

_________________

Esse é meu jeito ninjaaaaa! BhECXT7
Dreamstain
Imagem :
Esse é meu jeito ninjaaaaa! Playli11
Créditos :
05
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1881-yuuma-d-yukinaga#19833 https://www.allbluerpg.com/t1947-esse-e-meu-jeito-ninjaaaaa
Re: Esse é meu jeito ninjaaaaa! Seg Jul 04, 2022 4:33 pm
Esse é meu jeito ninjaaaaa!

Bem-vindo a sua nova vida  
‘’ Seja livre!’’ foram as palavras daquele revolucionário que me salvou da escravidão, de fato eu precisava voltar a entender o que era ser livre. Sentir aquele sol novamente na minha pele e poder caminhar para onde me desse vontade ainda era algo estranho mas o importante era que me sentia muito bem, embaixo da máscara que escondia metade do meu rosto tem um grande sorriso.

Antes de partirem me entregaram novas roupas e um pouco de dinheiro para poder recomeçar porem o que era exatamente aqui? Parece bastante divertido conhecer esse novo lugar sozinho - Ninshishishi Ninshishishi. Acabei rindo de empolgação, tenho que tentar me conter mais antes que alguém venha me encher o saco. Tudo é bem diferente aqui... as pessoas se vestem de forma esquisita, as casas são esquisitas e o que posso falar desse céu esquisito? Aonde aqueles revolucionários malucos me deixaram? Não sei se eles moram por essas bandas ou acharam engraçado me deixar aqui, que lugar aonde tudo é diferente mas é ao mesmo tempo empolgante, esse pequeno arrepio na minha nuca não me deixaria mentir sobre o que sinto – É O MELHOR DIA DA MINHA VIDA! Caralho! Deixei escapulir minha empolgação de novo.

Andando por um bom tempo, aprendi algumas coisas observando o que as pessoas fazem e bisbilhotando suas conversas, agora sei que tem algumas fabricas nessa ilha e com isso acabei com minha dúvida do porque o céu era tão esquisito. Quando estava encostado na parede de um estabelecimento ouvi duas moças conversando sobre compras que iriam fazer em um mercado – Um mercado! Aonde fica? Elas pareciam um pouco assustadas com minha pergunta repentina mas mesmo assim me indicaram a direção ao qual deveria ir, a ideia de poder conhecer novas comidas e coisas exóticas era bastante interessante, na realidade já pretendia achar mais rápido possível um mercado para pode me reabastecer de material e tentar comprar algumas armas. Após elas me orientarem fui saindo de fininho, não costumo ser assim e reconheço que dessa vez a empolgação pelo desconhecido superou meus treinamentos de controle emocional, tenho que admitir que ser assim está me fazendo um pouco bem, acho que não faz mal ser só por hoje.

Faz um bom tempo que não treino e ir a esse mercado adquirir armas se tornou algo essencial para voltar a colocar meu corpo em movimento, já sei que com essa grana não vou conseguir comprar tudo que quero mas nesse momento até apenas uma adaga me deixaria feliz novamente. Em um estado normal compraria armas e suprimentos para poder fazer minhas ferramentas ninjas, nesse estado financeiro devo achar alguma arma usada e quem sabe um baiacu inteiro... sei lá porque a primeira coisa que veio na minha cabeça foi a merda de um peixe, eu preciso de um potinho de veneno se não vou continuar me sentindo nu e talvez associei que seria fácil achar algum pescador que houvesse pegado um baiacu. Quanto será que custa a pólvora? Eles tem pólvora? Tenho que comprar óleo para poder fazer um bom fixador de veneno, se parar para pensar quantas coisas preciso comprar vou acabar pobre, TUDO VAI DAR CERTO! Não posso abaixar minha cabeça agora. – Ninshishishi Ninshishishishi. Não me lembrava como é gostoso poder rir a vontade.

Quando chegar no mercado vou tentar adquirir uma adaga não muito surrada, infelizmente agora não posso me dar a o luxo de ir atrás de um produto de alta qualidade, minha preocupação é com meu bolso. – Olá você realmente parece uma pessoa muito legal, um velho amigo me falou que aqui é o melhor local para conseguir uma boa adaga.   Eu sei que a estratégia de elogiar e tentar dizer que conhece um cliente do vendedor é idiota, claro que vou dizer qualquer nome caso ele pergunte qual cliente ... não custa nada tentar essa estratégia o objetivo aqui é conseguir uma boa arma pelo preço máximo de uns ฿S 170.000. Vou ficar de olho e tentar achar um chicote por um preço bom, esquece... tenho que tentar me conter e comprar só uma adaga!

Depois de fazer umas compras vou ir até o norte treinar na floresta, provavelmente lá não devo ser incomodado, a noite irei atrás de uma estalagem. Espero que tudo dê certo para pelo menos ter esse dia calmo curtindo a minha volta, já que pretendo fazer um dia extremamente mais movimentado amanhã... não vou conseguir viver muito aqui sem fazer grana. Por agora devo me preocupar em ir ao tal mercado, sempre de olho nos meus bolsos para não gastar muito e também para não ser roubado no caminho.

thanks, ♛ and ▲


Histórico:
Blind1
Imagem :
Esse é meu jeito ninjaaaaa! 350x120
Créditos :
16
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1545-silver-khan#16471 https://www.allbluerpg.com/t1550-i-re-cobrando-os-sentidos#16527
Blind1
Civil
Re: Esse é meu jeito ninjaaaaa! Ter Jul 05, 2022 10:51 pm


 
Narração
12:49


[Prólogo]

Moshi Moshi...

Um Den Den Mushi era acionado no bolso de um homem na proa de um navio. Ao seu pé, um, dois, três corpos desfalecidos.

Moshi Moshi...

O homem parecia querer ignorar a ligação, talvez pelo alto estresse enfrentado momentos antes, que culminou em um combate violento e alguns vários corpos espalhados pelo convés, entre inimigos e aliados.

— O que foi, droga? — No final, ele acabou cedendo e atendendo a ligação.
— Droga?! É assim que fala com seus superiores? — Respondia descontente a voz por trás daquele aparelho.
— P-pois n-não, perdão! — O homem baixou sua guarda e se desculpou, visto que a outra figura exercia alguma liderança sobre ele.
— O status do alvo, ao menos momentaneamente, foi alterado de vivo ou morto para apenas vivo. Acreditamos que morto ele possa ser visto como um mártir, o que não seria vantajoso para os nossos planos, e que sim deve ser trazido de volta e feito de exemplo em nossas próprias terras. — Alertava a voz misteriosa.
— Entendido. — Copiava, com algum sinal de frustração em sua voz.

Após aquele breve discurso, o sinal era interrompido e o homem no navio saia de sua posição, ziguezagueando entre os corpos até chegar ao mastro principal. Do seu campo de visão, uma ilha ia ficando cada vez mais próxima.

— Reino de Illusia, espere por nós. — Indagava.

[Centro Comercial]

Fazia muito frio no Reino de Illusia, o ideal para que pessoas desocupadas permanecessem o dia inteiro no conforto de suas casas, aquecendo-se com um velho e bom chocolate quente ao pé de uma lareira coberto por uma manta quente, mas esse não era o caso do nosso protagonista e o seu jeito ninja de ser.

O sempre vigilante - para não dizer bisbilhoteiro - Yukinaga havia descoberto pela conversa que ocorrera entre duas moças, que a região sul do ilharejo de Illusia funcionava como um forte centro comercial e para lá o nosso protagonista se dirigiu a fim de adquirir uma adaga. Do seu ponto de origem, desde o momento em que ouvira a conversa, ele não estava muito longe do seu próximo destino e cinco minutos de caminhada o levaram até lá.  

Ao chegar lá, Yuuma poderia notar que o centro comercial estava lotado de pessoas andando pra lá e pra cá, o que fazia com que a temperatura de 12º parecesse dez vezes mais quente do que realmente estava. Os vendedores gritavam o nome dos produtos e seus respectivos preços e anunciavam promoções, entre diferentes estratégias, foi quando um deles, provavelmente fisgado pela máscara no rosto de Yukinaga, viu uma oportunidade de concretizar mais uma venda.

— Com licença, meu nobre! — Ele acenava para o aspirante a ninja. — Eu sou Uyehara, o melhor e mais completo vendedor que você irá encontrar por essas bandas. — Apresentava-se.

O homem tinha uma série de itens e acessórios expostos em uma mesa horizontal como kunais, shurikens, bandanas, entre outros, sobre um pano branco, e logo atrás dele, uma loja física podia ser encontrada com o nome "Toda espécie de item de todos os guerreiros diferentes você só encontra aqui".

— Um ninja de verdade deve possuir uma bandana, ao menos que você queira ter histórias para contar. — Ele continuava, fazendo uma espécie de selo com ambas as mãos unidas de modo que o polegar de sua mão direita ficasse acima do da mão esquerda, e os dedos indicador e médio voltados verticalmente. — Nós também temos shurikens e bombas de fumaça, claro, itens essenciais na mão de um ninja. — Acrescentava, tentando aumentar seus ganhos.

Após ouvir o pedido de Yuuma por uma adaga, ele se voltou para o seu assistente e quase que ao pé do ouvido, disse: — Pois bem, traga para o nosso amigo a nossa melhor adaga, aquela que esta sendo mantida a sete chaves dentro de um baú. — Ainda que tivesse seu funcionário ao pé do ouvido, o homem falava extremamente alto para que Yuuma pudesse testemunhar a "grandiosidade" por trás dos itens que ali eram ofertados, o que colocava em dúvida o seu movimento.

— Você não irá se arrepender, ela é a sua cara! — Disse o vendedor enquanto aguardava pelo seu assistente que se dirigiu até a loja física logo atrás.

O seu assistente retornou após cinco minutos de espera e com suas mãos abanando, o que deixou Uyehara visivelmente consternado. — Chefe, eu juro que olhei por todas as prateleiras, mas sequer temos um baú. — O vendedor, com um sorriso amarelo no rosto, respondeu: — HAHAHA! Esse meu funcionário é ótimo, um piadista nato. — Ele então o pegou pelo colarinho e disse seriamente fitando seus olhos. — Fique aqui com nosso cliente que eu pessoalmente vou lá buscá-lo. — Ordenou.

Uyehara então retornou rapidamente com uma adaga embrulhada em um pano e apresentou para o seu cliente. — Eu estive esperando a pessoa certa para vender esse item e acredito fortemente que o tenha encontrado. Faça bom uso dessa ferramenta. — Encerrava. — Obrigado pelo seu apoio ao meu comércio. Recomende a nossa loja para os seus amigos também. — Agradecia o homem após Yuuma ter pago a quantia de 125.000 ฿S pelo item.

[Campo de Treinamento]
 
Com sua mais nova aquisição em mãos, Yuuma se dirigiu ao norte do vilarejo onde pôde se deparar com uma região mais arbórea do que aquela vista anteriormente. Logo em sua chegada, conforme o campo foi ficando cada vez mais esverdeado, porém ainda com resquícios de neve, foi recebido por uma variedade de ruídos selvagens, a maioria dos quais eram rebanhos de animais maiores ecoando pelo ar em harmonia com a barragem de ruído vindo de uma cachoeira à distância.

Seguindo o barulho da cachoeira, Yuuma pôde encontrar um local mais reservado e silencioso onde trabalhou os ataques rápidos e movimentos curtos com sua adaga até o final daquela tarde, intercalando entre descansos e o desfrutar daquela magnífica vista. Por sorte, nenhum animal o ameaçou nesse tempo.

[Estalagem]

Após terminar de se exercitar, provavelmente se sentindo mais vivo e confiante do que antes, bem como mais exausto, Yuuma poderia notar o cair da temperatura e a necessidade de se abrigar, visto que seria um alvo fácil para os animais de grande porte ali existentes. Pegando o acesso por trás daquela cachoeira e caminho aparentemente mais acessível Yuuma dava de cara com uma estrada, que por sua vez o levou até uma propriedade simples.

Tratava-se de uma casa construída com pedras marrons e decorações de madeira, um telhado alto, triangular e em camadas coberto com palha de trigo, com ainda duas chaminés pequenas cobertas por neve no centro do telhado. A casa compartilhava o espaço com uma ordenha que ficava no canto de um pátio, o que significava que o proprietário produzia, para uso pessoal ou profissional, leite. Inclusive se procurasse não demoraria a encontrar um recipiente com leite para saciar a sede. Mas ainda mais do interesse de nosso protagonista, um pequeno galpão com todos os tipos de pequenos projetos e invenções estavam cobertos em um canto sobre uma mesa.

Todavia, os barulhos de ursos pela vizinhança ficavam cada vez mais alto e próximo, o que indicava a pressa para encontrar um abrigo. Ao dar uma analisada pela propriedade, Yuuma poderia confirmar que a mesma estava inóspita, com todas as suas janelas e porta trancadas pelo lado de dentro e havia ficado claro que o dono estava fora. Como iria proceder o aspirante a ninja?






Historico:

_________________

Esse é meu jeito ninjaaaaa! 8vJQCMp
Dreamstain
Imagem :
Esse é meu jeito ninjaaaaa! Playli11
Créditos :
05
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1881-yuuma-d-yukinaga#19833 https://www.allbluerpg.com/t1947-esse-e-meu-jeito-ninjaaaaa
Re: Esse é meu jeito ninjaaaaa! Qui Jul 07, 2022 8:02 pm
Esse é meu jeito ninjaaaaa!

Irmão Urso
Me parece bastante divertido!!! Ninshishishi Ninshishishi Esse tipo de situação faz meu sangue ferver e me diz o porquê de ainda estar vivo. Iria amar ter um combate com um urso e até imagino que teria bastante a ganhar com isso, que vai muito além de carne pra vender e pele para me proteger do frio mas sim experiência de combate. Nunca tive a oportunidade de lutar com uma criatura semelhante.

Em horas como essa que começo a imaginar que posso ter caído em uma mina de ouro ou num covil de lobos... digo ursos Ninshishishi Ninshishishi Provavelmente encontrei o que poderia me salvar e bancar a compra de várias coisas naquele tal de Uyehara mas por outro lado seria mais fácil enfrentar a dentadas esses bichos ao invés de utilizar essa adaga degastada. Será que devo arriscar ter essa experiência maravilhosa que pode me custar metade da minha cara? Acho que estou ficando muito emocionado, calma ... se lembre do treinamento ... respire... coloque a razão sobre a emoção, agora pense em um possíveis cenários.Levando em consideração toda minha situação tenho em mãos apenas uma adaga, que já me garante uma chance de sobrevivência, e do outro lado uma bela casa... infelizmente não aprendi como arrombar portas e é bem improvável que vou aprender isso agora, para minha sorte nessa ilha eles também constroem casas com telhados de palha.

Normalmente as pessoas não imaginam que a ameaça pode vim de cima, na realidade elas mau olham pra cima no dia-a-dia, esse tipo de falha de segurança vai me cair muito bem Ninshishishi Ninshishishi irei tentar encontrar uma forma de escalar essa casa até o telhado, fazer isso com meu treinamento aparentemente seria fácil mas caso tivesse auxilio de algo como uma pilha de madeiras, caixas ou na melhor da hipótese possível uma escada provavelmente se tornaria muito mais fácil, tem que acreditar!!! Ninshishishi Ninshishishishishi Caso eu consiga subir no telhado vou tentar tomar o maior cuidado possível pra pisar de levinho e remover uma quantidade de camadas de palha que me possibilite entrar na casa, não quero fazer um buraco muito grande no telhado... apenas tentar um que eu consiga passar, ai o resto é fácil ... é só olhar pra baixo e tentar vê um bom local pra aterrissar na hora de adentrar na residência. Espero que eles não tenham um segundo telhado escondido embaixo do de palha, isso só deixaria essa ilha mais esquisita para mim Ninshishishi Ninshishishi

Mesmo que eu queira muito essa luta devo reconhecer que possuo algumas desvantagens contra esse bichão, até essas desvantagens estão tornando esse encontro mais tentador... Em um cenário que não consiga escalar é logico sobrar o conflito, na realidade são dois cenários possíveis de combate mais pensarei neles de forma separada. Indo pela lógica aqui em campo aberto qualquer animal estaria em vantagem afinal esse é o território deles, são bichos muito resistentes e fortes, entrar em disputa de força é algo totalmente idiota e fora de cogitação. Enfrentar um animal tem suas diferenças de enfrentar um humano, é um combate mais agressivo com ataques mais despreparados... digamos selvagens Ninshishishi Ninshishishi Eu posso tentar usar isso como vantagem e de quebra aproveitar e treinar um pouco, confio muito na minha agilidade e reflexos logo posso tentar manter uma postura de esquivar dos golpes da fera deixando ele se movimentar até cansar, durante o embate sempre me colocando com uma posição de corpo mais abaixado e preparando meus joelhos para me impulsionar a uma direção que se aproxime das costas do animal em uma movimentação mais anti-horário utilizando saltos quando não houvesse mais alternativas de uma boa esquiva, estar no ar pode te transformar em alvo fácil.

Nunca cortei um ursão e aposto essa adaga que a mesma não consegue cortar, irei tentar sacar a adaga no início do embate, como fui esquecer disso?! Tendo meu próprio corpo de referência imagino que deva ser mais fácil cortar as partes pouco musculosas ou sem músculos como orelhas, focinho, olhos, as bolas e ... aquela parte um pouco acima calcanhar também é mole ... acho que se chama tendão. Vou focar em tentar fazer golpes precisos nessas partes do corpo mais mole durante uma esquiva e outra quando o momento for oportuno, começando de baixo para cima do corpo dele, eu sei que isso não vai matar o urso mais provavelmente vai estragar de alguma forma seu desempenho no combate e também vai deixar ele muito puto , provavelmente vai gastar mais energia assim Ninshishishi Ninshishishi Ele pode ser grande mais eu sou mau Ninshishishi Ninshishishi Quando notar que a fera enfraqueceu irei tentar com auxílio da mesma estratégia de movimentação que estabeleci no início me aproximar, escalar suas costas para alcançar seu belíssimo pescoço e tentar acabar com seu sofrimento com um corte na vertical na sua garganta de uma ponta a outra, acredito que isso deve bastar Ninshishishi Ninshishishi

Esse é um dos cenários e o outro é um pouquinho mais caótico, logo mais divertido. Se não fosse um urso e sim dois ou quem sabe numa sorte muito louca três, uma família de ursinhos, ai minha estratégia e chance de sobrevivência já me parecia mais complicado. Não tenho ferramentas e nada mais comigo mas sei aonde provavelmente tem algo que me parece útil, já planejava ir lar de qualquer maneira mas nessa situação teria que torcer para ser minha salvação... estou falando do pequeno galpão. Torcendo para ter facas para arremessar ou até mesmo pregos para espalhar pelo caminho e torcer para um dos filhos da puta pisar e facilitar minha vida, qualquer coisa que eu pudesse encontrar seria visto como uma salvação. A estratégia de postura de combate e movimentação se torna a mesma para um adversário sendo que agora a única diferencia estratégica seria tentar manter um urso afastado do outro para não ter que esquivar de duas patadas ao mesmo tempo, olha eu sendo estratégico Ninshishishi Ninshishishi            

Vou fazer de conta que todo esse combate magnifico nunca venha a acontecer e eu consegui entrar na casa pelo telhado retirando as palhas, irei tentar achar algo para acender uma das lareiras ou fogão e me manter aquecido até as coisas parecerem mais calmas lá fora. Se a barriga começar a reclamar vou em busca de comida dentro da casa, poxa... essa casa deve ter dono e essa pessoa vai voltar em algum momento, já vou pensar uma boa desculpa e me preparar para sair daqui correndo caso ele não seja muito amistoso – Eu já esperava que você chegasse, desculpa pelo telhado. – Tentar fazer uma voz mais triste e pausada que eu conseguir, continuaria – Eu vim atrás de conhecer a região, me empolguei, quando menos esperava adentrei no mato e acabei perdido – Pausa dramática -  Fui perseguido por alguns ursos e sua magnifica casa me salvou de ser devorado – Terminaria com essa última frase tentando passar uma entonação mais leve e feliz, quero que a pessoa perceba que estou agradecido.

Não curto prejudicar alguém as custas de nada, caso essa mesma pessoa aceite minha ajuda para arrumar o telhado e pagar ela pela comida ou lenha queimada de alguma forma farei de bom grado, claro que não faria algo absurdo como pagamento... não parece mais tenho um limite e dependendo pode ser negociável Ninshishishi Ninshishishi Se a pessoa em questão permitisse minha presença e aceitasse minha ajuda no tempo de ‘’estadia’’ tentaria lhe fazer perguntas com o objetivo de coletar o máximo de informações sobre o mesmo, mesmo que as vezes essas perguntas parecessem  desnecessárias para a mesma. Afinal para mim qualquer informação ganha poderia ser bastante útil, vai que ela também é um ninja Ninshishishi Ninshishishi  

thanks, ♛ and ▲


Histórico:


Última edição por Dreamstain em Qua Jul 13, 2022 10:42 pm, editado 5 vez(es)
Blind1
Imagem :
Esse é meu jeito ninjaaaaa! 350x120
Créditos :
16
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1545-silver-khan#16471 https://www.allbluerpg.com/t1550-i-re-cobrando-os-sentidos#16527
Blind1
Civil
Re: Esse é meu jeito ninjaaaaa! Seg Jul 11, 2022 2:56 pm


 
Narração
07:12 AM

Após conseguir acessar o telhado com a ajuda de uma pilha de três caixotes encontrados no galpão ao lado somado ao seu próprio esforço, Yuuma logo de cara viu que estaria suscetível a um escorregão se não tomasse o devido cuidado. Ele então buscou ser ágil com a retirada das palhas, mas sua estratégia em nada resultou, pois pelo que ele pôde apurar é que embaixo daquelas palhas haviam telhas brancas. No entanto, a chaminé que antes podia ser vista como pequena lá de baixo, talvez pelo golpe de visão, agora se apresentava como uma solução.

Yuuma era conhecido por ser um homem alto, porém magro e atlético, com ainda capacidade acrobáticas. Ele notou que retirando a cobertura da chaminé, seu corpo poderia caber ali perfeitamente com alguns cuidados básicos tomados. Ele então apoiou primeiramente o seu pé direito, logo após o esquerdo e iniciou sua descida, com as mãos na horizontal cadenciando o movimento e rapidamente ele estava em pé sobre um depósito de cinzas que não poderiam ter sido apagadas há muito tempo. Passando pela garganta da chaminé, ele finalmente estava no interior daquela casa.

A casa era equipada com uma cozinha à moda antiga, com direito a fogão a lenha, um armário, uma mesa, uma cama e um grande tapete no centro da casa naquilo que deveria ser o lugar de um sofá. Sobre a mesa, estranhamente, uma garrafa de habushu recém-aberto ao lado de um copo vazio e um prato sobre um prato com uma refeição completa com arroz, carnes e manga, o que pelo intenso treino realizado anteriormente, serviu para despertar a sua fome. Antes de se esbaldar, no entanto, ele inteligentemente acendeu a lareira com a ajuda de uma pederneira ali improvisada o que garantiu que permaneceria aquecido.  

Após terminar de jantar, o cansaço obviamente bateu e Yuuma encontrou ali mesmo, sob a mesa, um meio para repousar enquanto o dono da casa não chegava. Suas pálpebras ficavam cada vez mais pesadas, mas ele insistia em permanecer acordado, afinal de contas com o frio intenso que fazia do lado de fora o dono não deveria se estender muito e logo voltaria, certo? Certo, mas não foi o que aconteceu.

Seus olhos piscaram pesados uma, duas, quatro vezes, e então mais uma vez e ele pôde ver o que seriam cinco silhuetas na sua frente. Aquilo poderia ser apenas um sonho, então ele piscou uma segunda e terceira vez até começar a abrir os olhos por completo e confirmar que se tratavam de cinco bandidos da montanha, todos trajados igualmente, com uma camiseta branca de botões e mangas longas, mas que eram usadas na altura do antebraço, junto com uma calça longa na cor azul e um lenço marrom decorativo na altura de suas cinturas, exceto um deles, que exibia um longo casaco preto com uma camisa branca e calças pretas, que deveria ser o mais graduado entre eles. Yuuma sofreria, agora, ao menos até despertar por completo, com os raios solares do inicio do dia que invadiam a porta e janelas, agora destrancadas.

Nesse instante, confirmaria que sua arma adquirida recentemente havia sido tomada pelos criminosos e um deles apontava uma arma de fogo em direção da sua cabeça, enquanto o outro tinha o fio de sua lâmina também apontada para o nariz de Yuuma, que poderia notar que seus pulsos haviam sido amarrados com uma corda enquanto caíra no sono, apresentando o que seria um cenário bastante pessimista.

— Então é você o ninja conhecido como Rapidflow e que tem levado prejuízo aos nossos negócios... — Dizia o homem de casaco, o que claramente só podia ser um engano. Mas chamava a atenção o fato do verdadeiro alvo ser reconhecido também como um ninja, título que Yuuma tanto perseguia. — Pois eu tenho uma péssima noticia para você, Rapidflow. De fato, você conseguiu chamar nossa atenção e agora a nossa chefe quer porque quer te conhecer. Heheheh! — Yuuma poderia até tentar explicar o mal-entendido, mas logo perceberia que os bandidos não estavam muito dispostos a ouvi-lo. Um copo de água seria colocado a sua disposição - a ironia, ou estratégia do grupo, é que ele estava com suas mãos amarradas para trás - por um dos bandidos, onde uma espécie de interrogatório iniciaria até a chegada da líder.

— Diga, Rapidflow, quando foi que isso teve inicio? Há boatos que você foi um pirata no passado, então o que significa isso? Está tentando conseguir alívio pelo sofrimento que causou às pessoas, tirando dos ricos para dar para os pobres? — Começou. — Acho que nós só deveríamos matá-lo mesmo. Afinal de contas ele não só derrotou nosso irmão Kantaro como envergonhou a nossa família. — Sugeriu aquele com a arma de fogo, chegando até mesmo a engatilhar a arma. — Calma, irmão, vamos aguardar pela chefe! Talvez possamos vendê-lo como um escravo e fazê-lo pagar o prejuízo causado. — Amenizou o outro.

Para quem estava louco por uma bagunça, Yuuma havia entrado em uma grande fria, e agora, como faria para provar aquele terrível engano?




Historico:

_________________

Esse é meu jeito ninjaaaaa! 8vJQCMp
Dreamstain
Imagem :
Esse é meu jeito ninjaaaaa! Playli11
Créditos :
05
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1881-yuuma-d-yukinaga#19833 https://www.allbluerpg.com/t1947-esse-e-meu-jeito-ninjaaaaa
Re: Esse é meu jeito ninjaaaaa! Seg Jul 11, 2022 10:54 pm
Esse é meu jeito ninjaaaaa!

UM OUTRO NINJA ?!
– Ninshishishishishishi Ninshishishishishishishishishishishi Ninshishihishishi Ninshishishi – Certeza que isso deve ser uma brincadeira – Ninshishishishishishi Ninshishishishi Rapidflow ... Ninshishisihshishishi Ninshishishishishi – Não sei o que foi mais inesperado, o segundo telhado ou essa agora.

- Pode ficar com essa adaga, ela está mais pra faca de pão Ninshishishishishi Ninshishishishi – Eu sei que devia tomar a situação de forma seria mas isso está mais divertido do que eu esperava, vou me ajeitar calmamente e achar uma posição mais confortável para minhas costas porque algo me diz que isso vai demorar um bom tempo... Pelo menos reconhecerei que os rapazes foram eficientes em seu trabalho de me capturar na maciota, o que indica que aqui tenho um bom material de treino e entretenimento, falaria calmamente direcionado para aquele que se vestia de casaco – Eu sou o Rapidflow... vocês capturaram o lendário ninja Rapidflow, aquele que achou o One Piece...  Ninshishishishi Ninshishishi Brincadeirinha! – Tentaria manter a postura calma e descontraída independente da reação desse bando de arrombados e após alguns poucos segundo me deliciando com a reação deles voltaria a falar – Vocês deram a melhor sorte do mundo, conseguiram capturar um outro ninja que só estava de passagem nessa ilha, deveriam se orgulhar... estão de parabéns. – Sorrindo encararia todos presentes no recinto, irei ser justo ...

- Infelizmente não tenho informação alguma sobre esse tal ninja, pra ser sincero eu até que queria saber mais sobre esse desgraçado também – Percebendo a sacanagem do copo de água, achado até fofo mas não me arriscaria a comer ou beber o que fosse ofertado, continuava – Carinha que tem uma pinta dentro do olho esquerdo ali tem uma garrafa de habushu, me consegue um gole, aonde eu parei mesmo minha lógica de raciocínio? Lembrei... o que vocês sabem sobre o Rapidflow e quem é ‘’ irmão Kantaro’’? – Vou continuar mostrando que estou totalmente confortável com aquela situação aparentemente desfavorável, talvez isso irrite eles ou deixem esses malditos mais relaxados... na realidade eu só queria mais um fragmento de informação sobre o tal ninja, qualquer pequeno pedaço já me serviria de algo. Eu agora sabia que ele havia sido um pirata e estava agindo como uma espécie de herói para os pobres, talvez esse cara seja tudo aquilo que vim buscar fora de Wano... alguém que viveu inúmeras experiências e aventuras, provavelmente deve ter desenvolvido conhecimentos e habilidades que seriam uteis para a Aoi Kumo. Encontrar esse ninja agora seria meu novo objetivo, isso se ele ainda estiver nessa ilha.

Por enquanto devo novamente me focar no momento e me concentrar em uma forma de me aproveitar de tudo isso, sei que eles não vão mudar de opinião tão rápido mas posso fazer a construção de algo na cabeça deles para se usar a meu favor. – Acho bastante difícil vocês acharem alguém com esse penteado magnifico, claramente estão enganados mas não foi de uma total perca de tempo Ninshishishi. – Ignorando sei lá quais mais ameaças ou coisas que estiverem sendo apontadas para minha cara diria com um tom de voz contente – Nas minhas terras a um ditado ‘’ Nada melhor que um ninja para pegar outro ninja’’, lembra que falei mais cedo que vocês eram sortudos... então vocês tem um ninja bem aqui na sua frente – Me posicionaria com o corpo levemente para frente encarando o filho da puta que estava de casaco, de forma firme falaria com ele – Estou disposto a me juntar a vocês na procura desse ninja, conheço os métodos de locomoção e técnicas que um ninja utiliza. A única coisa que peço como pagamento é a chance de um bom combate – Com um sorriso largo terminava, não menti em nenhuma momento até agora e tentei passar o máximo de confiança para eles, de fato faria tudo que falei... só não disse com quem seria esse combate que almejava Ninshishishishi Nishishishishi                  

Enquanto esperava uma reação daqueles ‘’ cara de cu’’ tinha algo apertando minha mente, algo que poderia ser uma outra mina de ouro e talvez minha ruina ... como será essa chefa deles? Será que é uma boazuda super musculosa com uma habilidade fantástica de combate com uma arma exótica, afinal ela é chefe de bandidos da montanha ou será que ela é uma mulher super influente e mestra num estilo de combate antigo... deve ter um olhar poderoso e imponente!!! Vou me controlar, vai que acabo me decepcionando, deixa eu achar uma outra coisa pra ocupar minha mente.

- Carinha ... me conta ai porque o uniforme é assim. Deve ter algum significado foda.  


thanks, ♛ and ▲


Histórico:
BUILD:
Blind1
Imagem :
Esse é meu jeito ninjaaaaa! 350x120
Créditos :
16
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1545-silver-khan#16471 https://www.allbluerpg.com/t1550-i-re-cobrando-os-sentidos#16527
Blind1
Civil
Re: Esse é meu jeito ninjaaaaa! Qua Jul 13, 2022 2:36 pm


 
Narração
07:42 AM

Como impassível que era Yuuma acertadamente não apresentava nenhum sinal de desespero, o que poderia acabar agindo contra ele próprio. — Heheheh! Nós não esperávamos mesmo que fosse fácil arrancar as informações de você, Rapidflow. — Esboçou um dos bandidos. — Ei, chefe, ele parece bastante convincente para mim, será que ele não pode estar falando a verdade? — Foi na contramão o outro. — Deixe de besteira. — Resistiu o líder. — É obvio que ele iria resistir, mas eu tenho as ferramentas necessárias para extrair as informações dele. — Nesse instante, ele retirou de um bolso existente no interior do seu casaco uma espécie de estojo com vários itens como diferentes tamanhos de bisturi, tesoura, alicate, entre outros. Ele fazia questão de expor os itens sobre a mesa, bem diante dos olhos de Yuuma. — Vamos ver até quando ele vai sustentar essa sua po... — Foram as suas últimas palavras.

Nesse instante, Yuuma poderia sentir, na altura dos seus olhos e nariz, o gélido do sangue e sua visão ofuscada por um mar vermelho. Na sequência, sofreria com um zumbido irritante em seus ouvidos, o que provocaria uma surdez momentânea. Sua visão também havia sido debilitada por breves, e ao mesmo tempo eternos, 5 segundos, por um clarão que assolou todo aquele ambiente.

A partir daquele ponto, como um mero telespectador introspectivo, Yuuma poderia enxergar pelo que a sua visão permitia, um vulto amarelo e os seus inimigos caindo à sua esquerda e a sua direita. Ainda com alguma dificuldade, Yuuma se depararia com o homem de casaco ensanguentado na altura do peito deitado rente a parede e um homem de cabelos amarelos parcialmente ajoelhado, eles pareciam conversar brevemente antes que o homem de cabelos amarelos desse o golpe de misericórdia pressionando o ferimento.

Em um pesadelo para Yuuma, o homem se aproximava dele. Hora ele parecia estar a quilômetros de distâncias, outra ele parecia cada vez mais perto, sinais de sua visão debilitada. Ele então se sentou à mesa, com suas pernas cruzadas, ficando de frente para Yuuma que apesar de ter um vislumbre através dos seus lábios que ele estava falando, nada conseguia ouvir.

[Inicio do Flashback]

Mas enquanto nosso protagonista não recupera totalmente os seus sentidos, deixe-me recapitular como chegamos até aqui.

Enquanto o homem do casaco se preparava para extrair as informações de Yuuma, como ficou claro que seria algo feito na base da tortura, o verdadeiro Rapidflow que assistia tudo a distância, sobre a mira do seu arco e flecha, fez o disparo contra o peito do homem, em um ferimento não letal intencionalmente.

Com o buraco aberto no peito do inimigo, o mesmo jorrou uma enorme quantidade de sangue que atingiu partes do rosto de Yuuma citadas anteriormente. Ao mesmo tempo, a flecha trouxe em seu "nock" uma Hikaridama que explodiu cegando e ensurdecendo todos ali presentes.

Após isso, o verdadeiro ninja entrou em sua casa desferindo golpes a curta distância com o seu próprio arco, neutralizando com facilidade todos os bandidos das montanhas. Por fim, só restou ter uma conversa ao pé da letra com o homem de casaco, que não se mostrou muito frutífera, uma vez que ele veio a falecer não muito depois.

[Fim do Flashback]

Agora Yuuma já devia ter recuperado todos os seus sentidos, senão, estava quase lá. — Que confusão que você se meteu, hein! — O ninja de cabelos amarelos parecia encarar a sua porta e janelas e ambas não tinham sinais de arrombamento. — Se você não entrou pela porta e nem pela janela, por onde é que você entrou? — Procurando entender os passos de Yuuma, ele se dirigiu até a lareira e olhou através das cinzas as pegadas que havia deixado anteriormente. — Bem pensado. — Ele então teve um estalo e, com algum atraso se lembrou de desamarrar os pulsos de Yuuma com uma kunai. — Ah, claro! Desculpe por isso. — O Wanonin agora estava livre novamente e poderia recuperar a sua adaga se vasculhasse pelo chão da casa.

— hmmmm! Eu jurei que tinha deixado um prato de comida e uma garrafa de habushu aqui por cima... Por um acaso você não viu o que esses criminosos fizeram com eles? — O homem chutava um dos bandidos caídos no chão, aparentemente furioso. — Mas deixemos de papo, homem, pois as coisas tendem a ficar feias por aqui. Consiga chegar com vida até a cachoeira, você pode levar o revólver para fazer barulho e afugentar os animais e então siga para o sul sem olhar para trás. — Dizia o ninja, dando o tempo necessário fora da casa para que Yuuma pegasse seus pertences e fosse embora, se assim preferisse.




Historico:

_________________

Esse é meu jeito ninjaaaaa! 8vJQCMp
Dreamstain
Imagem :
Esse é meu jeito ninjaaaaa! Playli11
Créditos :
05
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1881-yuuma-d-yukinaga#19833 https://www.allbluerpg.com/t1947-esse-e-meu-jeito-ninjaaaaa
Re: Esse é meu jeito ninjaaaaa! Qua Jul 13, 2022 9:17 pm
Esse é meu jeito ninjaaaaa!

Um ninja chamado Rapidflow(podcast)
Assistindo aquele belíssimo espetáculo que deixaria qualquer teatro kabuki no chinelo a única coisa que fiz foi falar bem baixinho apenas para mim mesmo – Legal... – Então eu senti a luz apagando de pouco a pouco, como uma cortina no teatro Ninshishishi Ninshishishi

Mesmo com minha visão um pouco tremula ainda pude ouvir o que ele estava falando e é muito bom ter alguém se surpreendendo com as minhas habilidades Ninshishishi Ninshishishi Sem falar uma única palavra apenas fiquei a observar o que aquele ninja faria logo em seguida até que ele se desculpou e me soltou das cordas, foi um ato gentil... talvez dessa vez achei algum ninja que não queira minha cabeça, pelo menos até o momento. Se aqueles bandidos da montanha estiverem realmente certos em seus boatos esse tal de Rapidflow deve ser um cara legal e eu não quero parecer um péssimo ninja para esse ‘’ cara legal’’.

Massageie meus pulsos na tentativa de me livrar do desconforto gerado pelas cordas e logo em seguida me abaixei e rasguei um pedaço de camiseta de algum daqueles bandidos da montanha para com esse pedaço limpar o sangue do meu rosto e corpo – Acho que agora devo estar um pouco mais apresentável, me chamo Yukinaga – Continuei abaixado revistando o corpo daquele mesmo bandido que anteriormente eu havia rasgado a camiseta, na expectativa de achar algo interessante em seus bolsos – Não sou um profanador de cadáver mas acho que no momento eu preciso disso mais que ele – Tentaria continuar olhando bolsos e corpos dos demais bandidos até achar algo interessante ou de valor, espero que ‘’senhor bom ninja’’ não se incomode com isso. Vou até o corpo daquele que aparentava ser o líder,irei tentar o despir de seu casaco para poder ter uma melhor visão do que mais carregava consigo além da pasta de antes e também irei tentar ver se aquela peça de roupa cabia em meu corpo, precisava de uma proteção melhor para o frio e também de bolsos extras.

Toda essa bagunça e esse cara preocupado com uma garrafa de habushu Ninshishishishi Caso eu termine a revista dos corpos iria tentar fechar seus olhos, mesmo sendo bandidos ainda são pessoas que utilizaram sua liberdade com péssimas escolhas assim como fiz um dia, mesmo observando o Rapidflow chutando um dos corpos eu respeito sua liberdade de se expressar como bem entender e naquele momento esperava ser respeitado nas minhas escolhas também. – Quando acordei já estava amarrado, nesse período de tempo eles devem ter acabado com seu estoque de comida e bebida – Tentaria me levantar e pegar aquela flecha com uma hikaridama, até agora estava muito surpreso com toda essa ação que presenciei e isso meio que estava suprindo minha animação de antes mas só de observar aquela flecha era como se algo explodisse na minha cabeça e minha empolgação voltava mil vezes mais forte, logico que não a deixaria contida – Isso é uma Hikaridama !!! Isso foi tão legal !!! Uma Hikaridama numa flecha, parabéns, você é uma cara muito interessante – Tentaria arrancar a hikaridama da flecha e perguntaria a ele ainda empolgado – Será que consigo colocar uma dessa numa faca de arremesso ou em uma kunai? – Vou olhar detalhe por detalhe na busca de saber quais as diferenças dessa bomba para as minhas.

- Cara ... eu estava buscando algo mais ou menos assim quando sai de Wano – Pegaria o revolver no chão como ele falou, também pegava minha adaga e as demais armas que estavam ali – Sai do meu país em busca de aventuras e experiências para montar meu próprio clã, e tive sorte de ficar de frente com um ninja que já viveu aventuras como pirata e ajuda pessoas, tirei sorte grande! – Me aproximaria de Rapidflow e continuaria meu discursinho na tentativa de convencer ele – Acho que não vou poder fugir agora enquanto não te ajudar a acabar com todos os bandidos da montanha, você ainda vai me ser muito útil e deve me ensinar uma ou duas coisas novas – Colocaria as armas sobre a mesa para tentar ver uma forma de levar elas comigo, talvez as amarrar com umas faixas que estavam na cintura dos bandidos ou procurar uma corrente no galpão, continuava pensando numa forma enquanto finalizava o discurso – Mesmo que sua resposta seja não vou continuar te procurando e incomodando de alguma forma, como um carrapato Ninshishishi  Ninshishishi Você pode fugir mas uma hora vou te encontrar, talvez eu vença no cansaço Ninshishishi Ninshishishishishi –

- Sem falar que enfrentar uma missão como essa deve me ajudar bastante em evoluir minhas habilidades, se você não for comigo vou sozinho e dizer que sou o Rapidflow, eles já me confundiram contigo antes Ninshishishi Ninshishishi Brincadeira. – Espero que não se irrite com minha brincadeira - Agora seria uma boa oportunidade para derrotar aqueles arrombados das montanhas, pegar todos eles despreparados seria magnifico, a surpresa é a maior arma do ninja. Surpresa e preparo Ninshishishi Ninshishishishi - Vou esperar a resposta dele, enquanto isso vou preparando as armas para serem levadas comigo e vou ir até o galpão, ignorando mesmo que aquela casa seja o refúgio do Rapidflow, estou curioso sobre aquele galpão dês da hora que cheguei, imagino que deve ter muita coisa útil lá tanto como arma como para auxilio. Se o Rapidflow aceite ou não vou acompanhar ele Ninshishishishi  

Quase ia esquecendo... para todos efeitos de futuros questionamentos do mesmo sou apenas um ninja de Wano, não irei revelar nenhum detalhe sobre meu passado ou tentarei deixar esses detalhes menos claros.          

thanks, ♛ and ▲


Histórico:
BUILD:
Blind1
Imagem :
Esse é meu jeito ninjaaaaa! 350x120
Créditos :
16
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1545-silver-khan#16471 https://www.allbluerpg.com/t1550-i-re-cobrando-os-sentidos#16527
Blind1
Civil
Re: Esse é meu jeito ninjaaaaa! Seg Jul 18, 2022 8:26 pm


 
Narração
07:42 AM

— Talvez se você falasse um pouco menos... — Sussurrava o loiro, quase que em um tom inaudível. A quantidade de palavras que saiam da boca de Yuuma, em um curto período de tempo, haviam sido o suficiente para cansar o incansável Rapidflow, uma proeza que poucos conseguiam. — Você tem energia, garoto, e eu aprecio isso em alguém, de verdade. — O homem fazia uma breve pausa. — Mas mais do que falar e falar, você deve ser antes um bom ouvinte e eu digo que você não está preparado para enfrentar o que eu tenho para enfrentar. Esse é um fardo que só eu posso carregar. — Dispensava o mesmo.  

Com Yuuma o acompanhando para fora, ele poderia confirmar que Rapidflow não era a única novidade a estar ali, mas também uma vaca aparentemente muito bem cuidada, saudável e forte com um lenço amarelo em ambas as orelhas, o que conferia a ela um toque especial. Ela comia o pasto da vizinhança para matar o tempo. — MUUUUUUU! — Assim que a vaca notou o ambicioso Yuuma, ela corou na altura do rosto e pareceu não gostar nem um pouco de compartilhar sua propriedade com o forasteiro. — Essa é Lucile, a minha vaca leiteira e, melhor do que a garrafa de Habushu que aqueles criminosos violaram, só o leite dela. Hehehehe! — Gargalhava o ninja. — Ela está comigo desde que eu a salvei, ainda como um bezerro, de um incidente que resultou no abate dos seus pais. — Yuuma poderia notar que Rapidflow estava chorando copiosamente ao se lembrar do episódio, com ambas as mãos na altura dos olhos como se quisesse impedir alguém de vê-lo naquele estado, o que não tinha nenhum efeito.

— Quer ir comigo em uma aventura, garoto? Acha que tem o que é necessário? — Após se recompor e fazer de conta que nada tinha acontecido, o ninja de cabelos amarelos pegou uma cadeira da varanda de sua casa e se sentou com a barriga voltada para o seu encosto. — Lucile, senta. — Acenou o homem, com a vaca o ignorando por completo.  — Às vezes ela tende a ficar rebelde. — Disse, visivelmente sem graça. — Lucile, não vai sentar? Não seja uma má menina na frente de um convidado. — Voltou a repetir e dessa vez foi atendido, ainda que o olhar penetrante da vaca dissesse que ela estava fazendo meio que a contragosto. — Se conseguir fazer Lucile ficar em pé e, quem sabe, extrair o leite dela, então podemos pensar em conversar. — Propôs o ninja.

— Montar o próprio clã, hein? Esse é um objetivo e tanto. — O ninja relembraria a fala anterior de Yuuma enquanto se preparava para ver o jovem entrar em ação. — Provavelmente se eu lhe der um livro, açúcar branco e nitrato de potássio, você me entregue uma bomba de fumaça. Ou então, com uma gravata e um fio de nylon, você crie um mecanismo de assassinato silencioso. O que eu quero dizer, garoto, é que... — Ele então recuou antes de concluir o seu raciocínio. — Bem, se você não for capaz de entender a mensagem por trás disso, então você não deveria estar perdendo seu tempo aqui comigo. — Finalizou.

O ninja de cabelos amarelos parecia se divertir com a atividade que estava propondo. Por outro lado, o nosso protagonista não tinha demonstrado ainda nenhuma habilidade com animais, sequer podia ser considerado um domador, ele desistiria assim facilmente ou mostraria o porquê de ser considerado um prodígio?




Historico:

_________________

Esse é meu jeito ninjaaaaa! 8vJQCMp
Dreamstain
Imagem :
Esse é meu jeito ninjaaaaa! Playli11
Créditos :
05
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1881-yuuma-d-yukinaga#19833 https://www.allbluerpg.com/t1947-esse-e-meu-jeito-ninjaaaaa
Re: Esse é meu jeito ninjaaaaa! Ter Jul 19, 2022 6:56 pm
Esse é meu jeito ninjaaaaa!

Assalto ao bovino
Eu fiz de novo... falar é mais forte que eu, mesmo assim ele parece me entender. Pobre Rapidflow ele ainda não notou que posso ser bastante útil em chutar bundas de bandidinhos das montanhas, se o desafio for esse e a condição for ser um bom ouvinte assim serei. A partir de agora assumo meu método totalmente focado. Mas nada me preparou para o que estava por vir.

Quando eu era apenas um pequeno aprendiz um dos velhos da caverna me disse que uma das armas principais dos ninjas é a surpresa, sempre levei isso como uma espécie de regra para quaisquer uma das minhas áreas de atuação, como diria o tio da barraca de lamen ‘’ O melhor tempero se esconde nos detalhes’’. O treino pelo qual passei sempre nos reservava testes inesperados e absurdos, alguns deles tinham como objetivos nos fazer pensar acima daquilo que estávamos presenciando, ter aquele animal na minha frente me encarando de forma desconfortável me dizia algo porem eu ainda não sei o que isso significava.

Eu podia ser totalmente idiota e simplesmente levar esse teste ao mais alto absurdo, se o objetivo era simplesmente fazer esse animal levantar era só gerar um incomodo em alguma parte do seu corpo que assim a faria se manifestar, não é difícil alcançar isso. Posso colocar dedos nos seus olhos, tapar suas narinas com meus dedos ou num mais alto nível de filha da putagem enfiar um dedo no seu cu, tudo isso feito com simplesmente dedos como ferramenta... o objetivo aqui poderia demonstrar alcançar a meta da forma mais rápida e simples, sem se preocupar com métodos. Mas o Rapidflow demonstrou bastante carinho com esse animal, também eu jamais machucaria essa criatura pacifica por custo de nada, teoria descartada...  

O que você quer me dizer vaquinha? O que você esconde? Vou dar uma volta ao redor do animal e tentar medir com passos o seu tamanho, também irei tentar medir a distância em passos de onde Lucile estava até aonde Rapidflow havia colocado sua cadeira, me mantendo em silencio apenas observando os detalhes... em passos tiro a mediada do próprio Rapidflow, não que isso ajude muito mas deve de alguma forma puxar a atenção dos mesmos por alguns segundos. Esse maldito só falou o que eu deveria fazer mas não estipulou regras ou tempo, o que me deixa preso apenas a minhas próprias regras morais... esse teste é bastante complexo se parar para analisar com mais calma, qual a mensagem aqui? Fazer amizade com esse animal... não! Aposto que nem ela está disposta a fazer amizade comigo e não faço a mínima noção de por onde começar algo assim, além do que levaria bastante tempo.

Eu juro que não queria optar por esse caminho, essa vaca parece tão legal... Voltei novamente a tentativa de medir em passos o tamanho da Lucile e distância até o RapidFlow, com calma vou fazendo de conta que estou a resmungar algo baixinho comigo mesmo, nesse percurso vou tentando caminhar como se houvesse algo na minha sandália do pé esquerdo. Após esse pequeno percurso volto a fazer aquela medida de passos no próprio Rapidflow... só que dessa vez vou caminhar de forma a me posicionar nas costas dele e então me abaixar para fazer de conta que estava a mexer na minha sandália, é nesse momento que minha jogada acontece, vou pegar o revolver que havia coletado. Nunca utilizei armas de longa distância antes mas sei muito bem de onde sai o disparo, vou apontar o cano da arma para o chão e tentar acionar a mesma, só preciso de um tiro... na realidade apenas que ela faça barulho...

Nessa distancia provavelmente devo ser também afetado pelo barulho, se o Rapidflow não tiver notado o que estou fazendo talvez ele também se afete, para tentar de alguma forma acelerar minha reação já vou preparando minhas pernas para ficarem flexionadas de forma a me garantir ficar de pé rápido após o disparo, tento acreditar que meus reflexos iram de alguma forma me ajudar nisso. A ideia é tentar ser rápido, assim que me levantar levarei uma mão para o ombro do Rapidflow e a arma para sua cabeça, então com a maior tentativa de parece ameaçador falarei com o bovino – Aí sua cachorra! Digo Vaca! Se não me deixar ordenhar vou matar esse otario! – Acho que é agora que essa vaca vai me odiar de verdade, levo o dedo mindinho da minha mão esquerda para minha boca e molho meu dedo com o máximo de saliva que conseguir para que então ... levar esse mesmo dedo para o ouvido do Rapidflow em uma das torturas... digo na verdade... brincadeira conhecida como cotonete, que nesse frio provavelmente deve ter um resultado mais infernal, estava na expectativa de que o ninja fizesse algum barulho ou demonstrasse algum incomodo , na realidade novamente qualquer som seria útil. Após isso com minha interpretação de vilão falaria – Eu não estou de brincadeira sua gorda !!! –

Lamento mas não havia outra forma ... cheguei a conclusão que esse teste provavelmente quer ver se consigo me virar com o que tenho a disposição e nesse momento só possuo como ferramentas os sentimentos. Eu sei que o Rapidflow ama esse animal e espero que os sentimentos de Lucile seja reciproco, principalmente por ele a ter salvado.  Como cheguei a essa conclusão? Fiquei ouvindo caladinho ele falar em fazer um mecanismo de assassinato silencioso com uma gravata e um fio de nylon, algo mortal com coisas relativamente de simples acesso, tomei isso como exemplo... utilizar o que tem à disposição, como uma gravata, e a fazer ser letal.      

Só me sinto um pouco incomodado em enganar essa vaquinha, isso se ela não notar minha falta de habilidade em atuação, acho que é a primeira vez que faço um assalto a uma vaca. Meus amigos de Wano ficariam orgulhosos com isso.      

thanks, ♛ and ▲


Histórico:
BUILD:
Blind1
Imagem :
Esse é meu jeito ninjaaaaa! 350x120
Créditos :
16
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1545-silver-khan#16471 https://www.allbluerpg.com/t1550-i-re-cobrando-os-sentidos#16527
Blind1
Civil
Re: Esse é meu jeito ninjaaaaa! Sex Jul 22, 2022 12:39 am


 
Narração
07:42 AM

Yuuma lograva êxito em sua estratégia ao ameaçar fazer mal para o ninja e companheiro daquele animal desde que ela era ainda um bezerro, fazendo com que a vaca respondesse imediatamente e ficasse de quatro novamente. — MUUUU! — Ela esboçou uma investida. — HAHAHAHAHAHA!! — Mas foi interrompida pela exaltação de Rapidflow. — Eu pensei que fosse ser mais difícil. — Mostrou-se frustrado pelo teste proposto ter sido resolvido tão facilmente.

— Ainda bem que você não tentou tirar leite dela. — Indagou o ninja de cabelos amarelos, levantando-se de sua cadeira e indo até a ordenha dentro do pátio, onde buscou entre os recipientes, aquele com leite a fim de saciar a sua sede, tomando o recipiente em seus braços fortes e implacáveis e virando totalmente sem modos. Ele consumiu verdadeiramente muito pouco do leite, uma vez que o restante escorreu pela sua boca e pela camisa. — Ah! Estava com saudade disso. — Concluiu após secar o recipiente. Nesse tempo, Lucile se aproximou dele e lambeu a quantidade que havia sido derramada pelo chão, evitando assim o desperdício de um produto tão essencial.

— Você pode esquecer essa besteira de Rapidflow, eu gostaria de ser chamado pelo meu verdadeiro nome, Narisawa Keisuke. — O ninja se aproximou de Yuuma e estendeu sua destra como um sinal de boa fé. — Eu não faço à menor ideia de como você veio parar aqui em um momento de ofensivas. Fato é que eu estou em guerra. — Anunciou subitamente. — Há uma pequena vila por aqui, conhecida como o Jardim de Kledo, que já foi lar de relíquias do passado descobertas e recuperadas por arqueólogos de todo o mundo. Essa vila está sob constante assédio de um grupo chamado "O Manto Dourado", sob a liderança de "Alexia, a Trapaceira". — O ninja se virou por um instante para acariciar seu animal, verdadeiramente ele não queria que o seu convidado o visse vulneravelmente.

— Os moradores dessa vila estão tendo que trabalhar e muitas vezes têm o seu próprio sustento saqueado junto com seus salários e muitos deles são impotentes para fazer qualquer coisa para detê-los. — Narisawa trancava a mandíbula e fechava os punhos em sinal de raiva. Ele dava uma última passada de olhos pela propriedade que serviu como sua moradia por um bom tempo, mas que agora estava condenada perigosamente. Em um dos seus últimos esforços, Narisawa se dirigiu até o galpão e tomou o cuidado de pegar os seus projetos descritos em uma espécie de pergaminhos, dobrando-o e os guardando em seus bolsos na altura do peito.

Das invenções ali iniciadas, apenas uma havia sido terminada, uma besta eficientemente construída de aço, com sua corda tendo sido feita com o couro de um urso, o maior que Narisawa havia enfrentado e derrotado por aquelas regiões. A besta ainda tinha decoração de ossos de animais e terminava em pontos longos ornamentados com detalhes dourados. O estoque, onde eram armazenadas as flechas, estava enrolado em pano com fios brilhantes. — Se aqueles bandidos estivessem certos, a chefe deles deve estar chegando aqui em questão de horas. Nós precisamos nos aproveitar que estarão em menor número e fazer uma visita ao vilarejo. O que acha de conhecer aquelas terras comigo? — Ofereceria o ninja a oportunidade que Yuuma tanto estava aguardando.

[...]

Caso o nosso protagonista concordasse em ajudar Narisawa Keisuke em sua jornada, o trio caminharia por o equivalente a três horas, até que chegassem a uma estrada que os levassem até a vila de Kledo. Uma vez um vilarejo simples e pacato, agora estava completamente saqueado por aqueles bandidos, que tomavam os recursos oferecidos pelo Reino para si e depositam em outros negócios, chegando a enviar até mesmo para fora da ilha de Illusia. O vento nas árvores e o ranger de madeira eram os novos sons dominantes em uma comunidade outrora animada, rica em sons de alegria e prazeres simples. A piscina pública ainda estava cheia de água da chuva, pois não era abastecida há muito tempo.

Mostrando que conhecia o trecho, Rapidflow adotou um caminho aparentemente secreto que os levou até o fundo de um hotel decrépito e com sinais de que estava começando a desmoronar pouco a pouco, que serviria como o Quartel General dos rebeldes. Enquanto Lucile ficou do lado de fora, a dupla entrou e foram recebidos por um senhor de idade, com o seu cabelo branco perfeitamente arrumado sobre um rosto sofrido. Dava pra ver que o homem trabalhou arduamente durante toda a sua vida e agora mal conseguia se sustentar sobre uma bengala.

— Vejo que trouxe reforço, Narisawa-san. Sinal de que nossa causa está ganhando cada vez mais força. — Ele acenou para o ninja com a cabeça, indicando uma sala vazia ao lado, precisavam de privacidade. — Com licença. — Solicitou o ninja de cabelos amarelos, deixando o jovem sozinho por um instante. — Clac! Clac! — Tempo suficiente para começar a surgir os primeiros golpes contra o nosso protagonista com uma espada de madeira toda remendada na altura do seu joelho direito. — Sguish! Sguish! — Yuuma então poderia sentir uma quantidade de água escorrendo pela sua costa, estava sangrando? Alguém havia atirado nele com uma pistola de brinquedo. — Parem com isso, crianças. — Ordenou uma voz feminina, com o casal de crianças se dispersando prontamente.

Tratava-se de uma mulher, não muito mais velha do que o próprio Yuuma, de cabelo azul e curto. Ela tinha suas duas mãos voltadas trançadas em suas costas, como um sinal de cordialidade. — Eles te machucaram? Você quer que eu dê uma olhada? — Como se sairia Yuuma em meio aquele ambiente?





Historico:

_________________

Esse é meu jeito ninjaaaaa! 8vJQCMp
Dreamstain
Imagem :
Esse é meu jeito ninjaaaaa! Playli11
Créditos :
05
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1881-yuuma-d-yukinaga#19833 https://www.allbluerpg.com/t1947-esse-e-meu-jeito-ninjaaaaa
Re: Esse é meu jeito ninjaaaaa! Sab Jul 23, 2022 1:59 am
Esse é meu jeito ninjaaaaa!

Dois ninjas numa moto
Tem certos momentos da vida que as coisas simplesmente viram de pé pro alto, tipo aquela vez que fui roubar uma loja de ervas e encontrei um ninja fazendo a segurança do local, a partir desse momento louco e inesperado eu mudei de visão sobre o mundo. Daquele momento em diante apenas passei a presenciar humildemente o bizarro ou inesperado e dizer para mim mesmo ‘’ está tudo bem’’ ...

Que dizer que passei ?! O que era realmente esse teste? Não vou contestar muito, apenas aceite Yuuma... se eu tentasse ordenhar o que aconteceria? – Não me diga que ela é uma vaca ninja ?! – Pra ser sincero comigo mesmo adoraria saber o que realmente está acontecendo aqui, mas vou tentar manter a calma e ouvir caladinho o que ele tem a dizer. Sei lá quais mais segredos esse tal de Rapidflow esconde nesse ‘’ refúgio fazendinha’’ dele ...  espera um pouco... ele está bebendo leite direto do galão ?!Depois dele falar com tanto carinho sobre essa bebida eu me questiono se isso é só leite normal mesmo ou se deve se uma espécie de ‘’super remédio fortalecedor ninja’’ ... espera mais um momento de novo ... vaca bebe o próprio leite ?

Depois desse show o Rapidflow começou a deixar mais claro para mim o que estava acontecendo e quais seus motivos de estar ali... digo Narisawa Keisuke, só o nome dele me pareceu alguma surpresa já o resto da história me parecia ser tudo aquilo que eu esperava. Filhos da puta com um pouco de poder esmagando aqueles que tem um pouco menos de poder, já era motivo o bastante para descer a porrada em alguns opressores arrombados pelo menos para mim. Só que durante esse monologo algo me saltou a mente ‘’ relíquias do passado’’, esse local deve ter algo que ainda valha uma pouco de grana ou ele está falando sobre bandidos muito burros que saqueiam sempre o mesmo local, uma hora a fonte seca ... tem algo nessa história que não funciona... será que eles querem expulsar os moradores para tentar peneirar algo que sobrou naquelas terras? Vou manter esse pensamento para mim, talvez eu ache algo interessante lá primeiro que eles Ninshishishi Ninshishishishishishi

Mas olhar pra esse cara preocupado com essas pessoas me enche de determinação, quero realmente acreditar que esse tal de Keisuke não tenha intenções ocultas para ferrar com essa gente, imagino que ele deve ter muita coisa escondida... afinal o Rapidflow também é um ninja assim como eu, por esse motivo não vale apena ainda revelar para o mesmo meu passado. Como você chegou aqui meu amigo de cabelos loiros? Quero muito acreditar que você não está envolvido de alguma forma com aqueles arrombados da Kin'iro no Sen mas ao mesmo tempo sei que esse mundo é gigantesco e não se resume apenas a Wano, não lembro de alguém me contar que existia outros clãs ninjas fora de Wano. Por favor não me decepcione...

- Belo brinquedo você tem aí! Me parece que seus pergaminhos devem ter mais projetos incríveis? – Essa besta é muito legal isso me lembra ... não tive um combate com um Urso ! Perdi uma oportunidade de ouro, ainda bem que tenho um ninja com mais experiência aqui Ninshishishi  - Senhor Keisuke deve ter sido muito legal ter enfrentado um urso. Me conta como é a luta e é realmente empolgante como eu imagino? – Não posso perder a oportunidade de aprender o máximo de coisas com esse cara – Como é que se corta ursos com todos aqueles músculos e couro? Tem algum ponto que é mais fácil de passar a lamina? – Será que esse é o momento para eu contar que tive que entrar pela chaminé e perdi a chance magnifica de derrubar ou ser derrubado por um urso? Essa não é uma boa ideia Ninshishishi Ninshishishishi

- Claro que aceito ir lá contigo, você acha que aceitei fazer sua vaca gorda levantar por qual motivo? Ninshishishi Ninshishishishi No caminho vai me contando como é essa Alexia, ela é forte ? Musculosa, que tipo de mulher ela é? – Algo me diz que essa aventura vai me render boas experiências.
                                                                               
[...]

Vou fazer de conta que essa caminhada contabiliza como parte da minha rotina de exercícios e fazer mais de conta ainda que os rapazes da Alexia estão saqueando uma vila acabada simplesmente por nada, não imaginava que a situação estava tão mal assim ... ‘’Alexia sua danadinha’’ o que você está enxergando aqui que eu ainda não notei ? Será que é tão cômodo assim saquear cachorro morto? E agora RapidFlow saiu e me deixou aqui encarando esse senhorzinho, preciso quebrar o gelo ... falar algo – Hoje tá um clima ótimo, ontem foi mais frio. - mal consegui desenvolver fui atacado, será que nessa ilha todo mundo é treinado nas artes de pegar ninjas desprevenidos? Logo assim tão jovens? Até que enfim uma voz feminina, acho que o dia está melhorando!

- Pode deixar, eles precisam de momentos assim mais que eu, é bom para eles extravasarem um pouco. – Daria um leve sorriso para moça, tentando ser bastante amigável diria para ela – Você deveria testar algo assim qualquer dia desses Ninshishishi  - O pestinha me molhou, molhou logo minha roupa nesse frio... está tudo bem, com certeza eu faria isso também com algum desavisado. Esse é um ótimo momento de me aproximar de alguém da vila e entender o que realmente é Jardim do Kledo e também entender seus moradores, essa moça sendo tão cordial e essas crianças me parecem um bom início.  – Acho que não quebrei nada apesar das habilidades fantásticas dessas crianças, só acho que não quebrei... espera um pouco ... – Vou com as minhas mãos pressionando rapidamente partes do meu corpo até levar minhas mãos para o joelho e ...  – Aaaaaahhh... aaaaaahhh... Meu joelho! Ele tá normal, graças aos Tengus ! Eles me deram um joelho de borracha... - Me afastaria alguns passos, uma distancia segura, com toda calma do mundo faria um lendário mortal de costas para depois falar sorrindo – É brincadeirinha Ninshishishi ! Mas não me incomodo se ainda quiser fazer um exame no meu corpo – Continuava dando algumas risadas bem baixinhas – Me chamo Yuuma, apenas um ninja a seus serviços princesa, ficaria muito feliz em saber seu nome –

Esse é meu jeito ninjaaaaa! Mark-plier-back-flip

Que merda! Vou ter que esperar o Rapidflow aqui, queria tanto explorar agora essa vila por conta própria e coletar mais informações, tentar fazer amizade com uma moradora já deve aliviar esse meu incomodo. Vou tentar me aproximar dela, apenas com perguntas bobinhas e casuais, não quero chegar do nada perguntando sua tragédia de vida... não sou tão estranho assim ... Quando perceber que ela está mais confortável vou levemente perguntando sobre a situação da vila e sobre a maluca da Alexia caso eu perceba que o assunto anterior não incomoda. Por enquanto as perguntas são tão casuais quanto a que fiz ao senhorzinho anteriormente, tentando ser o máximo amigável possível – É a primeira vez que venho numa ilha com um clima assim – Sempre sorrindo e tentando passar essa mesma boa energia para ela.

Eu me questiono se ela sabe mais sobre o passado da vila, na real não custa nada perguntar caso eu consiga a atenção da mesma. É reconfortante saber que pelo menos as crianças ainda estão felizes mesmo nessa situação de merda, elas devem ajudar a acender uma chama de esperança em algumas pessoas da vila, mais tarde vou tentar fazer uma brincadeira junto com elas. Quem sabe alguma coisa de Wano ou um esconde-esconde com um ninja, acho que nessa exagerei Ninshishishishi Ninshishishi

- Deixa eu adivinhar, a princesa é uma medica! Sua preocupação com minha saúde grita isso, se eu estiver errado algo me diz no ouvido que você seria uma ótima medica – Me mantinha no mesmo local aguardando o Keisuke.



thanks, ♛ and ▲


Histórico:
BUILD:
Blind1
Imagem :
Esse é meu jeito ninjaaaaa! 350x120
Créditos :
16
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1545-silver-khan#16471 https://www.allbluerpg.com/t1550-i-re-cobrando-os-sentidos#16527
Blind1
Civil
Re: Esse é meu jeito ninjaaaaa! Qua Jul 27, 2022 8:01 pm


 
Narração
11:49 AM

Como talentoso que é Yuuma costuma ter uma imaginação muito fértil, talvez venha daí a sua criatividade para suas criações. Ele demonstrava interesse nas criações existentes nos pergaminhos com o ninja, que por sua vez fez mistério em relação a isso e até mesmo em como ele havia se portado em um confronto contra um animal de grande porte como um Urso, mas como Keisuke não era nem um pouco vaidoso, ele nunca havia parado para pensar sobre isso ou sobre o que quer que tenha sido o seu diferencial.

— É uma boa pergunta, garoto, quem sabe depois de superado os nossos desafios eu não saia caçar com você para descobrirmos isso por conta própria. Eu, sinceramente, nunca parei para pensar sobre. — Respondera o ninja. — Mas eu me lembro de ter sido um confronto não muito demorado, muito provavelmente eu tenha lutado contra uma mãe e isso tenha prejudicado o seu desempenho. — Ele fez um esforço para relembrar, mas não conseguiu ir muito além.

— Em relação à Alexia, como posso dizer, é uma mulher brilhante ou não teria conquistado o seu posto atual. Seu biótipo é comum, a sua maior força está no seu intelecto avançado. — Respondia ante o interesse de Yuuma. — Eu tive um breve confronto com ela em uma emboscada que fizeram e infelizmente isso resultou em uma baixa. — Chateava-se ao lembrar.

[...]

Já a mulher de cabelos azuis se divertiu com a reação de Yuuma com aqueles garotos, ao ter levado a brincadeira na esportiva e achou que foi ainda mais incrível o mortal realizado pelo mesmo. As crianças que circulavam pelo pátio, inclusive esboçaram repetir o movimento, mas não tiveram a confiança necessária para continuar. — Você é divertido. — Atestou sorridentemente, com a palma direita na altura da boca a fim de esconder a vergonha por ter soltado aquelas palavras para um estranho. — Não sou necessariamente uma médica, mas temos aqui itens de primeiros socorros que poderiam ajudá-lo, caso fosse necessário. Com os confrontos sendo cada vez mais comum entre os lados, todos somos treinados na arte dos primeiros socorros, tem até padeiro que hoje em dia, se você perguntar, vai se dizer médico. — Explicou.

Da conversa entre Keisuke e o ancião, eles poderiam ouvir acidentalmente alguns trechos mesmo que não pudessem compreender claramente a mensagem.

— Mr. Keisuke, [...] estamos o desobrigando de qualquer compromisso que o senhor sinta que tenha conosco. [...] como tiver que seguir. — Dizia o velhote.
— [...] acredito que já tenham assimilado o suficiente de mim, [...], eu vou confrontá-los [...]. — Respondeu o ninja.

Como se eles não devessem ter ouvido aquela conversa, a jovem de cabelos azuis tomou Yuuma pelos braços, como dois namorados fazem em um passeio ao ar livre e somado com o interesse do próprio ninja, teve a ideia de sair em um reconhecimento pela vila. — Agora é um bom momento pra conhecer o vilarejo. — Disse animada, não dando muitas opções para Yuuma. — Meu nome é Thulia e eu vou levá-lo para um passeio. — Apresentou-se. — Em um tempo ideal, eu o levaria para conhecer primeiramente o museu, mas é o lugar mais visado pelos bandidos hoje. E a piscina publica você já deve ter visto o estado deplorável em que ela está. — Ela pensou para onde poderia levá-lo, mas sem nada em mente, tomou o centro do vilarejo sem um rumo definido.

— Kledo é uma vila jovem, com pouco mais de uma década. Já tivemos cerca de 60 famílias morando conosco, hoje somos em 15 famílias. Os seus primeiros colonizadores começaram a limpar a floresta e construir os primeiros assentamentos, depois levantaram um grande templo para unir os moradores, o cemitério para receber os mortos dos trabalhadores que vinham a morrer durante os processos de construção, fazendas para tentar aquecer uma economia, entre outros. — Começou a contar um pouco da história do vilarejo, que era comum existir naquela região de Illusia.

Yuuma poderia observar que os modelos construtivos de arquitetura ali existentes eram todos iguais, com o estilo rústico predominante desde as telhas das coberturas duas águas até as pedras das paredes. A estrada de terra divida o espaço com os campos de grama e as muitas árvores, a maioria pinheiros, ao redor daquela pequena vila. Um urso mastigava o que de grama ele via pela frente, mas parecia ignorar totalmente a presença da dupla, não seria agora que Yuuma lutaria contra um deles.

— Muitos desses colonizadores morreram pelas feras que espreitavam a floresta ao redor e outros simplesmente desapareceram ou abandonaram essa vida. A promessa de riquezas, possivelmente ligadas ao império, o que eu particularmente sou cética, ultrapassou quaisquer preocupações de segurança, fazendo com que investidores e piratas se reunissem na chance de reivindicar um pouco de fortuna e mais recentemente "O Manto Dourado". — Continuava.

O vilarejo estava inóspito, os moradores só tinham forças suficientes para sair para trabalharem, em cinco minutos de caminhada encontraram um único morador, coberto dos pés a cabeça com uma espécie de panos que o protegeria do sol e andando de forma bastante abatida, carregando um punhado de madeira nas costas que deveriam ser usados para acender uma fogueira.

— Parados aí. — Apresentou-se uma voz há não mais do que dez metros de distância. — Seu novo amigo Thulia-san? Eu não reconheço esse rosto. — Tratava-se de um homem mal encarado, com um moicano loiro, uma grande testa e uma cicatriz em formato de X um pouco acima do olho direito e uma espécie de proteção de chuva amarela nas costas sendo algumas de suas principais características. Ele estava armado com uma lança e fazia questão de ameaçar a dupla com ela. — Você está armado? Para o seu próprio bem, não faça nada de errado, apenas entregue as armas e qualquer item que tiver ou eu serei obrigado a agir. — Ordenava.

Por outro lado, Thulia parecia estar bastante tranquila e familiarizada com aquilo. — Me desculpe por isso, vamos precisar cancelar o passeio. — Dizia confiantemente. — Eu vou acabar com isso rapidinho. — Sussurrou possível apenas para que Yuuma ouvisse. Nosso protagonista se observasse bem na altura do peito daquele bandido, das montanhas, rente a sua camiseta xadrez e o corte V do seu macacão azul, ele exibia uma bandana preta com o símbolo do clã Kin'iro e uma parte crucial da história de Yuuma.





Historico:

_________________

Esse é meu jeito ninjaaaaa! 8vJQCMp
Dreamstain
Imagem :
Esse é meu jeito ninjaaaaa! Playli11
Créditos :
05
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1881-yuuma-d-yukinaga#19833 https://www.allbluerpg.com/t1947-esse-e-meu-jeito-ninjaaaaa
Re: Esse é meu jeito ninjaaaaa! Sex Jul 29, 2022 5:04 pm
Esse é meu jeito ninjaaaaa!

A volta dos que não foram
Meu plano de conquistar a confiança deles está cada vez mais próximo, ainda bem que não escorreguei e acabei com a cara no chão Ninshishishi Ninshishishishi Continue me achando divertido senhorita e quando menos esperar vai se tornar minha melhor informante dentro dessa vila... espera um momento... já fui recompensado com minha primeira informação logo após essa acrobacia ?! Nunca foi tão fácil...

Esse é meu jeito ninjaaaaa! Tumblr_pco4pdtQaU1tx45yjo1_500

Logo após receber essa primeira informação vinda da moça de cabelos azuis uma outra era trazida pelo vento até meus belíssimos ouvidos e pelo que consegui decifrar aparentemente não vai nada bem para o Rapid... digo Keisuke, uma oportunidade de diamante para bisbilhotar e saciar mais um pouco minha fome por informação, acho que se me esforçar mais um pouquinho consigo ouvir toda essa conversa. Se eles estão dando um pé na bunda do Senhor Keisuke é sinal que as táticas dele não estão sendo de muita ajuda, não preciso me esforçar muito pra lembrar... pelo que ele me falou antes tiveram uma baixa e agora a pouco a moça de cabelos azuis me disse que o uso de primeiros socorros é constante. Será que ele esqueceu que essas pessoas não são guerreiros ou ninjas como a gente?

Mal consegui planejar como seria a melhor forma para bisbilhotar fui arrebatado pela moça de cabelos azuis, nunca neguei uma companhia feminina. Talvez ela notou minhas intenções, provavelmente devo ter feito alguma expressão esquisita... espero que não ... talvez ela só tenha medo de ser acusada de bisbilhotar junto comigo mesmo não tomando atitude nenhuma, como falei antes... não nego a companhia de uma bela moça. Principalmente quando essa moça me enche de várias belíssimas informações sobre esse local e só reafirma uma das coisas que já havia pensado, essa vila está muito Fudida! Já havia imaginado que poderíamos achar bandidos em todo e qualquer lugar dessa vila mas não que teriam outros sanguessugas presos como ‘’ investidores’’ e piratas, a situação se torna pior, o que caralhos é ‘’ O Manto Dourado’’? Imagino que algum grupo mafioso com um nome cafona, falta estilo nesses caras... algo aqui não me cheira bem e aposto que não é a vaca.

Um Urso pastando... até podia parar e fazer dezenas de perguntas, incluindo saber sobre a porra de um urso pastando... melhor não... já me contentei com a vaca ninja por hoje. Meu objetivo aqui é me aproximar Thulia e pela minha experiência sei que liberar as correntes da minha curiosidade pode se tornar um pouco irritante. Na falta de um museu para me apresentar a história da Vila a Senhorita Thulia já resolveu esse problema, vou poupar ela das minhas perguntas e apenas ser um bom ouvinte e observador. Como observador pude notar como a vila estava decrepita e como minha teorias ganhavam mais força ao observar aquele único morador caminhando, também fui contestado... essas pessoas são guerreiros batalhando pelas suas sobrevivências e bem estar dos seus, aquelas crianças felizes de antes é uma prova, vejo que eu estava errado.

Esse é meu jeito ninjaaaaa! R

Minha determinação para ajudá-los só cresce mas não sei se apenas encher os merdinhas dos bandidos da montanhas de porrada apenas vai ajudar a resolver esse problema, já que temos outros sanguessugas. É como se eu estivesse resolvendo um problema mas tivesse mais dez ou vinte ainda agarrados a esse povo, ‘’ não entregue o peixe mas sim ensine a pescar’’ é algo que algum sábio ou bêbado de Wano diria e nesse exato momento eu devo estar muito maluco Ninshishishi Ninshihsishihshi E se eu ensinasse essa galera toda um ou dois truques ninjas ?! Ninshishishishishishi Na minha cabeça é uma possibilidade, não é mandar alguém com foices, ancinhos e machados para linha de frente e sim fazer ela ter preparo para saber como lhe dar com o combate de forma mais inteligente e efetiva, preparo é a chave para a vitória Ninshishishishishi Ninshishishishi Talvez eles até consigam lucrar alguma grana atraindo gente interessada a aprender técnicas ou simplesmente ver um bom show de habilidades, até imagino esse hotel lotado, as crianças amam ninjas Ninshishishishishishishishi Não enxergo como uma espécie de ridicularizar a tradição ninja e sim utilizar o conhecimento ninja como fator de mudança da melhor forma que você quiser, com liberdade... seria esse o primeiro passo da Aoi Kumo ?! Talvez...

Já estava foda conciliar meus pensamentos com ouvir o que a Thulia falava e agora vem um arrombado. Cicatriz esquisita, penteado tosco e roupa exótica, temos aqui um belo exemplo de bandido sem noção de estilo!! Espera um momento... ele conhece a senhorita Thulia, será que esses caras já sacaneiam tanto os moradores ao ponto de saber o nome de todos? Esse vai apanhar para compensar todos os combates interrompidos que eu poderia ter tido nesses últimos dias e também vai apanhar por toda merda que ele vem fazendo com esse povo – Princesa Thulia, vou lhe mostrar na pratica como eu extravaso, sentando a porrada em filho da puta! – Quando parei para analisar melhor meu adversário antes de fazer o meu primeiro movimento notei mais um pequeno detalhe, ele é da Kin’iro no Sen ? Não ... ele não é, se não me reconheceria... que dizer que aqueles malditos também estão envolvidos nisso? Vou ter que quebrar esse sujeito mas deixar ele conseguindo falar Ninshishishishishi Depois desse combate penso melhor no que fazer.



Adversário com uma lança e eu com uma adaga, ele está na vantagem do alcance então tenho que quebrar essa vantagem de alguma forma. Devo tentar me aproximar da área de efeito da lança, a ponta dela vai me causar um belo estrago, levo minha mão para o cabo da adaga esperando um possível primeiro movimento do filho da puta... – Princesa... resolveu extravasar um pouco também? Mas o primeiro golpe é meu! – Avançava em direção ao bandido antes do possível primeiro movimento da Thulia, com minha mão de domínio sobre o cabo da adaga vou tentar me aproximar o máximo possível ao ponto de conseguir estar bastante colado com o corpo do meu adversário. Com uma possível estocada dele devo esquivar na direção das suas costas com um movimento de salto e em casos de um corte vou tentar uma esquiva acrobática, todos os movimentos focados em encurtar minha distancia de forma mais rápida. Na minha cabeça tento imaginar que a ponta dessa lança é feita de fogo e sua haste pode me ser útil como uma barra para possíveis auxílios nos meus movimentos.

Esse é meu jeito ninjaaaaa! 07429dd9b6c4c556be1844bd7da1c10783b9beeb_hq

Não executarei nenhum golpe até alcançar uma distância entre dois ou no máximo três passos do meu alvo, até o momento vou tentar esquivar como posso, nessa altura acredito que os golpes desse filho da puta devem se resumir a socos, chutes e tentativas de me acertar com a haste da arma e isso é muito bom... com o cabo da minha adaga vou tentar golpear aonde dói, aqui o objetivo não é matar esse arrombado... pelo menos não por agora ... com o cabo da minha adaga vou acertando partes do seu corpo que são mais sensíveis, na altura da lateral do seu peitoral ou pernas, golpes que lembram socos rápidos com meu braço indo rapidamente até um ponto especifico e recuando na mesma velocidade como estocadas. Escolhi acertar ele com o cabo da minha arma por dois motivos... o primeiro é deixar esse filho da puta o máximo dolorido e a segunda é evitar que eu perca a mão e despache ele direto para o inferno, preciso saber o porquê dele carregar essa bandana.

Em um cenário mais chato de lhe dar vou ter que optar por terminar o combate rápido, Rapidflow deve ter alguma explicação... espero não estar levando muita fé atoa nele. Continuarei com minha estratégia de saltos e esquivas só que dessa vez não vou acertar com o cabo da adaga mais sim com estocadas com a lamina, até queria utilizar algum fator surpresa como chutar areia na direção desse otario como uma forma de atrapalhar sua visão e gerar uma finta, se eu achar um local com areia fofa devo pensar se encaixa na possibilidade. Se a senhorita Thulia se envolver no combate vou tentar observar como ela agira, porem a manter segura, qual tipo de mulher a senhorita é? Ninshishishishishishishi Desacordado ou morto preciso levar esse cara para o Rapidflow e o questionar sobre o envolvimento desses clã de arrombados, porém ainda não me sinto seguro a contar meu passado.

Será que eles estariam dispostos a ouvir minha opinião de solução para seu problema? Não custa nada passar minha visão sobre a coisa toda, mesmo ela parecendo um pouco louca.


thanks, ♛ and ▲


Histórico:
BUILD: