Tópicos Recentes
Destaques
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Últimos assuntos
ColorsHoje à(s) 8:42 pmpor  Shiori1º Chapter - Wild HuntHoje à(s) 8:24 pmpor  ÀsCabras da Peste, vol 1- Amanhecer do SulHoje à(s) 6:02 pmpor  DeepDesventura na Terra dos Sonhos - Grupo 8Hoje à(s) 5:29 pmpor  Narrador De EventosP.D.N. Homem Ciclista vai atropelar Hoje à(s) 5:28 pmpor  Admin1v9 Kirinha Adventures - 1° EpisódioHoje à(s) 5:18 pmpor  Kira[Pedido de Instrutor] AnakinHoje à(s) 4:15 pmpor  Anakin[TUTORIAL] - IonukyHoje à(s) 4:11 pmpor  Joker[TUTORIAL] - DennisHoje à(s) 4:09 pmpor  Joker[PEDIDO DE INSTRUTOR] - DennisHoje à(s) 4:08 pmpor  Joker
Página 1 de 1
Wander
Ver perfil do usuário
Imagem : [TUTORIAL] - Wander 120x120
Créditos : 00
[TUTORIAL] - Wander Sex Maio 28, 2021 12:05 am
Nome: Big-Big, O grandioso
Idade: 36
Raça: Humano
Gênero: Masculino
Localização: Shellstown
Estilo de Combate Básico: Pugilista
Mão Predominante: Ambidestro
Qualidade: Ambidestro
Defeito: Megalomaníaco
Photoplayer:
https://cdnb.artstation.com/p/assets/images/images/032/443/247/medium/gurjeet-singh-col4.jpg?1606449695

Descrições adicionais, caso queria levar em conta:

- Big-big terá 100 cm de altura;
- Se possível ele começará com um revolver, apesar de ser pugilista;
- Big-big terá build de tanker.
TheRealBlind1
Ver perfil do usuário
Imagem : [TUTORIAL] - Wander OKuPL6l
Créditos : 05
Re: [TUTORIAL] - Wander Qua Jun 02, 2021 12:30 am
TUTORIAL APROVADO

Bem vindo ao All Blue RPG, a partir de agora eu serei seu Instrutor, irei lhe ensinar o básico sobre o fórum. O primeiro post é seu e peço desde já que se atente a sua mini ficha para trabalhar bem suas qualidades e defeitos durante a narrativa. Qualquer dúvida que tiver pode mandar MP que irei responder o mais rápido possível. Segue abaixo algumas informações importantes:

● A ficha usada para o tutorial é exclusiva dele e não precisa ser reaproveitada na sua ficha oficial, que pode ser completamente diferente. Mas nada lhe impede de usar o mesmo personagem.

● O fórum parte da premissa de evitar ao máximo God Mode, ou seja, que o jogador, controle NPCs e cenários. Em resumo evite descrever coisas como “O sol estava forte”, “Era uma manhã fria”. Não é um problema você dizer que acordou ou que está em casa, porém evite criar coisas.

● Uma dica importante para todos é que apesar de não se poder narrar cenários, ou controlar NPCs você pode procurar coisas e interagir com elas colocando a possibilidade de encontrar tais coisas. Exemplo: “Iria levantar e ir até a geladeira da casa, procuraria dentro dela uma maçã e se encontrasse uma já metia aquela bela mordida”

● Recomendo que consulte o Guia de Narração, Guia do Novato e Guia de Combate. antes de realizar o primeiro post.

● Por fim, sempre atente-se ao post de seu Instrutor e as dicas que ele der com cuidado, elas podem ajudar muito você a se guiar no fórum.
Wander
Ver perfil do usuário
Imagem : [TUTORIAL] - Wander 120x120
Créditos : 00
Re: [TUTORIAL] - Wander Sab Jun 05, 2021 3:38 am
"Cresça quieto, escondido de todos e um dia você alcançará o sucesso." - Foi o que me disseram as pessoas que eu deveria instintivamente admirar e me espelhar. Minha vila tinha esse pensamento difundido entre seus habitantes, embora meus ancestrais tenham histórias que divergem bastante de tal ideologia. Mas é o que dizem, pessoas fortes criam tempos fáceis, tempos fáceis criam pessoas fracas, indivíduos fracos criam tempos difíceis e tempos difíceis geram pessoas fortes. Tive o azar de ter nascido no trecho errado desse ciclo... Ou seria este o momento certo? O engraçado é que mesmo que meu povo tenha a mente abalada por essa ambição fraca, o sangue que corre em suas veias ainda carrega o legado de uma história cruel marcada pela busca do poder e do aperfeiçoamento. As lendas que correm acerca de minha raça dizem até mesmo que os anões de minha vila são, na verdade, gigantes de Elbaf comprimidos em um corpo menor, gerando um corpo denso, resistente e potente.

Meus semelhantes podem até ter esquecido de nossa força ou até podem temer as consequências dos inimigos feitos pelos nossos antepassados, mas eu nunca deixei de perceber haver algo de diferente em mim que o mundo havia que temer. Afinal, eu, Big-Big, no auge de meu um milhão de micrômetros de altura, sou o anão supremo de Elbaf.

Não quero me estender contando detalhes de meu passado que me levaram a parar aqui em Shells Town, digamos apenas que eu demorei para perceber ser extraordinário e, nesse meio tempo, tive que passar pelo mesmo sofrimento causado pela fraqueza de espírito de meu povo. Fui capturado, levado ao mercado negro como criatura exótica, vendido para ser uma cobaia de experimentos que envelheceram minha aparência precocemente. Mas é claro que aquele não seria o fim de alguém como eu... Escapei e acabei escolhendo essa ilha para um recomeço.

Essa experiência serviu não apenas para abrir meus olhos, como também para acumular raiva dentro de mim. Eu estou tão puto que só o que penso quando acordo de manhã é em maneiras diferentes de quebrar os ossos de meus inimigos. Pode parecer violento, mas veja só, parece que há um jeito de fazer legalmente qualquer atrocidade que eu desejar, eu só preciso dar o pretexto que eu estava caçando um procurado. - HEHEHAHAHAHA - Me escapou uma gargalhada ao imaginar as possibilidades que isso abria. As pessoas juram que minhas rugas criam uma imagem macabra quando eu rio assim sem preocupações.

Dado esses esclarecimentos, era hora de testar se meu entendimento de mundo estava mesmo correto. Sairia pela cidade procurando algum caos para me meter onde eu pudesse amassar alguns crânios sem ter que lidar com a marinha enchendo o meu saco depois. Isso significaria que eu inicialmente iria atrás de obter uns cartazes de procurado, mas se no caminho eu notasse alguma confusão, roubo ou delito eu surgiria com um largo sorriso amarelado e uma pistola de numeração raspada já em mãos.

Se minha procura se limitasse apenas a encontrar cartazes, seguiria até algum bar para ver se lá eu me depararia com algum criminoso burro o bastante para ficar bêbado antes de encontrar o anão mais poderoso de Elbaf. Mas se nem no bar eu acabasse avistando alguma oportunidade de confusão, seguiria até o dono do estabelecimento para ver se ele tinha algum serviço. - Aê, fela da gaita. Tem algum serviço para mim? Algum ladrão que queira que fique aleijado? Algum talarico que você queira na vala? - Questionaria usando toda a educação que eu ainda me recordava de minha infância.

Na hipótese de eu avistar a oportunidade de dar a surra em um alvo criminoso ou de participar de algum linchamento público, correria sem pestanejar para perseguir o sujeito.
Histórico de Big-Big, O Grandioso:
Nome: Big-Big, O grandioso
Posts: 01
EDC: Pugilista
Arma: Revólver de numeração raspada
TheRealBlind1
Ver perfil do usuário
Imagem : [TUTORIAL] - Wander OKuPL6l
Créditos : 05
Re: [TUTORIAL] - Wander Dom Jun 06, 2021 4:35 pm


[TUTORIAL] - Wander DkI2H3
Narração

Acreditando ser o anão supremo de Elbaf, Big-Big havia se instalado em Shells Town, essa pequena ilha separatista que diferente dos seus primórdios recebe nos dias atuais viajantes de todos os lugares do mundo, em especial aqueles que tendem a ingressar na Marinha. No entanto, diferente do que se possa pensar, Big-Big não mostrava inicialmente do tamanho de sua grandiosidade o interesse em doutrinar aquele povo ou submetê-lo a sua soberania, mas encontrar brigas que pudesse o entreter.

A arquitetura de madeira das casas daquela região e a grande quantidade de arborização denunciavam que o anão de ego gigante se encontrava na baixa Shells Town, onde residiam os trabalhadores braçais e as pessoas carentes daquele lugarejo. Era por volta das quatro horas da tarde, o tempo estava fechando para a chuva e os feirantes já começavam a recolher seus produtos e barracas. Para o desgosto de Big-Big que ansiava por uma luta nenhuma confusão se instalava, a não ser que ele contasse uma briga de bêbados que exigiu a intervenção de uma dupla de marinheiros, provavelmente recrutas que assim como o nosso protagonista ansiavam por uma missão de verdade.

A porta daquele estabelecimento com detalhes de madeira e mármore em sua estrutura externa era aberta com frequência com a saída e entrada de novos clientes quando o anão interrompeu o ciclo ao segurar a porta que seria fechada na sua cara. Devido ao seu tamanho, as pessoas davam de ombro e passavam mesmo que ele tivesse a preferência, por assim dizer, ou fosse apenas falta de educação. Ao finalmente entrar pela velha porta de madeira, Big-Big era recebido pelo silêncio e descaso da demais campainha.

O único garçom disponível estava deitado em uma cadeira e não fez nada e nenhum esforço para receber o cliente. O funcionário atrás do balcão limpava um copo com a velocidade de uma tartaruga e não era de se duvidar que ele tivesse depositado seus últimos vinte minutos nessa atividade. Se seus olhos fossem estudados para aquilo poderia notar as vigas de pedra que suportavam o andar superior e os ventiladores quebrados ligados a eles. As paredes eram todas cobertas por uma camada de poeira, tornando quase impossível ver do que se tratavam as poucas pinturas.

As poucas pessoas lá dentro podiam ser locais ou simplesmente almas perdidas, mas quem quer que fossem a perspectiva era a de que Big-Big teria uma estadia em paz, ainda que não pudesse assegurar que o alimento não viria com o tempero de poeira. O cenário era em resumo um banho de água fria no autoproclamado anão mais poderoso de Elbaf que buscava uma oportunidade de mostrar a força dos seus golpes, forçando-o a se dirigir até o balcão e a falar com a pessoa mais disponível no momento.

— Oi? Quem é que está falando?! — Provocava o atendente, olhando em linha horizontal, acima da altura do anão. — Ah, ai está você. — Ele então o encarou de propósito. — Um copo de leite e biscoitos recheados? — O tratamento irônico ficava cada vez mais claro até que a sua diversão foi interrompida por um senhor de idade que acabara de despertar sobre o balcão. — Você não aprendeu que não se deve julgar o livro pela capa, Ricardo? — Tratou de lhe dar uma lição.

— Você é o que, homem, um caçador de recompensas? — Tratava-se de um homem idoso, cabeludo, barbudo e grisalho que se vestia com uma longa camisa de cor clara até os joelhos acompanhado de um cajado. — Se está assim tão confiante por uma luta, talvez eu saiba como te ajudar. — Iniciava. — Existe esse torneio chamado Coliseu, o valor da inscrição mais barato é 150.000 ฿S, mas apenas algumas pessoas possuem a capacidade de entrar. — Ele então retirava do bolso interno de sua camisa um distintivo redondo com um símbolo do dragão. — Por sorte eu sou uma dessas pessoas. — Logo tratava de apresentar a solução para o problema. — Minha sugestão é que você entre com o valor da inscrição e eu com a indicação de que você seja o meu lutador e ao término do dia dividimos o dinheiro 50-50, o que me diz? — Mas antes de selar a sua oferta ele precisava de algo mais concreto. — Porém como eu não te conheço e existe a possibilidade de você enfrentar verdadeiros monstros com duas, três vezes o seu tamanho, não posso arriscar jogar o meu nome no limbo, preciso de algo que comprove o seu valor. — Encerrava voltando sua atenção para Ricardo. — Eu vou aceitar o copo de leite e os biscoitos recheados, por favor. — Restava aguardar pela resposta do anão que carregava com ele uma quantia de 250.000 ฿S e um revólver gasto.
   

Considerações:

Perfeito.

Wander
Ver perfil do usuário
Imagem : [TUTORIAL] - Wander 120x120
Créditos : 00
Re: [TUTORIAL] - Wander Dom Jun 06, 2021 7:52 pm


Diante das palavras do atendente, meu rosto se retorcia na criação de meu sorriso horripilante. - Vejo que tem problemas de visão. - Disse olhando para cima enquanto o sujeito me procurava, com meu rosto sombreado e ornamentado pelas rugas e cicatrizes a pele carrega. Ergui os braços e contraí meus músculos de forma a fazer as veias saltarem e minhas vestes ficarem coladas no corpo. - Mas vejo também que é um bom observador. Nada inesperado de um barman... Aceito o leite e os biscoitos, vai ser uma boa refeição proteica para preservar os músculos. - Respondi, aceitando sua oferta.

Logo chegava perto o outro sujeito, tratando de me defender de um suposto pré-julgamento que eu não havia percebido. Eu apenas acompanharia suas falas em silêncio enquanto aguardava minha refeição. Assim que Ricardo trouxesse o pedido, jogaria os biscoitos no leite e os mexeria com o dedo para amassar tudo em uma mistura que eu tomaria rapidamente como um shake pré-treino. Ao fim dessa refeição, finalmente ergueria uma sobrancelha para olhar em direção ao sujeito. - Foi mal a demora, estava poupando energia antes de tomar meu segundo lanche da tarde. - Me colocaria de pé no banco enquanto arrancava uma catota e depois assoaria as narinas para desenrolar os cabelos que ali estavam emaranhados.

- "Você não aprendeu que não deve julgar um livro pela capa?" - O refutaria usando suas próprias palavras. - Sou Big-Big, O grandioso. Estou a procura de emoção e grana, então sua proposta me convém... Agora, se o que vê não é o suficiente para acreditar em minha força, devo te dar uns socos para experimentar o que sou capaz? - Isso vindo de qualquer um podia ser interpretado como arrogância e prepotência, mas eu ditaria essas palavras com extrema seriedade, tanto que eu já estaria me colocando em postura de combate, com os braços postos em minha frente para erguer minha defesa e me colocar de prontidão para lutar como um pugilista.

Na hipótese de ele hesitar e se intimidar com minha postura, lhe daria outra opção. - Eu entendo como é dificil aceitar um duelo comigo. Tenho outra opção: Caso eu perca, estarei te devendo o dobro da taxa de inscrição.


OFF:
Rapaz, roubei seu código kk Aqui no forum não funciona o [justify]
sem bugar o post :/
TheRealBlind1
Ver perfil do usuário
Imagem : [TUTORIAL] - Wander OKuPL6l
Créditos : 05
Re: [TUTORIAL] - Wander Seg Jun 07, 2021 8:30 pm


[TUTORIAL] - Wander DkI2H3
Narração

O tempo passava e nada do pedido de Big-Big ser atendido. Com a sua velocidade, talvez Ricardo estivesse na etapa da fabricação do leite e esse era o cenário mais otimista. — Por falar nisso, meu nome é Bunjiro. — O homem quebrava a monotonia da espara. — Aqui está. — Quando o pedido finalmente chegou Big-Big poderia notar uma estranheza na diferença de tamanho dos pedidos. Pra começar, seus biscoitos chegaram em um pires e pareciam ser espécies de miniaturas e o leite em um copo americano enquanto o do homem ao seu lado chegou em um prato e copo convencional, ou seja, era pelo menos duas vezes maior do que o do anão. — HAHAHAHAHAHA! — Gargalhou Bunjiro.

A contraproposta feita pelo anão de que deveria "dar uns socos" em Bunjiro para provar a sua capacidade ecoou pelos quatro cantos daquele bar e quando toda a movimentação de entrada e saída e o barulho vindo do lado exterior não tiveram o menor efeito para despertá-los essa sua fala o fez. O autodenominado anão mais poderoso de Elbaf poderia ouvir o ranger das pernas das cadeiras sendo arrastadas pelo piso e passadas sobre a superfície das mesas e em pouco tempo Bunjiro estava cercado por um trio, sem contar aqueles que se mantinham em prontidão mesmo em seus lugares.

Não mais do que um metro atrás de Big-Big, um homem colocava a lâmina de sua espada na altura do ombro direito do anão, pronto para cortá-lo com uma simples ordem e até mesmo o próprio Ricardo por de trás do balcão engatilhou sua pistola e mirou a cabeça do anão. À frente de Bunjiro duas pessoas se colocavam entre ele e o anão que acabara de ameaçá-lo. Aquele ao lado direito seguia a mesma postura do pugilista, com os punhos levantados em frente ao queixo e a mulher à esquerda usava duas kunais, uma em cada mão.

— HAHAHAHAHA! — Bunjiro levava suas duas mãos na altura de sua barriga em uma resposta automática a fim de conter o desconforto que aquelas risadas causavam. — Esse homenzinho tem muita coragem, isso é inegável. — Indagou o homem com a espada. — Eu o ofereço uma oportunidade de trabalho e é assim que você demonstra o seu valor? Cresça e apareça. — Ele dava um soco horizontal, com a parte de fora do seu punho direito, da esquerda para a direita em direção do copo e prato que havia usado recentemente os quebrando em milhares de pedaços.

Bunjiro então se colocou em pé e se dirigiu até a porta do estabelecimento, abaixando um pino na parte superior e mudando a placa de Aberto para Fechado ele se assegurou de que ninguém os interromperia. — Tudo bem. — Ele acenou com a cabeça para que não tocassem no anão. — Se você perder eu te mato e mesmo que você vença, o que eu acho difícil de acontecer, eu não posso garantir que esses homens não te matem. Uma posição difícil, não acha? — Ele retirava por debaixo de sua vestimenta o seu braço direito e com os dedos indicador e médio indicava para que o anão fosse para cima com o beneficio de realizar o primeiro movimento.
   

Considerações:

Wander
Ver perfil do usuário
Imagem : [TUTORIAL] - Wander 120x120
Créditos : 00
Re: [TUTORIAL] - Wander Seg Jun 07, 2021 11:21 pm


- Tem certeza que não quer pedir ajuda dos capangas para me avaliar? - Disse sorridente, empolgado com a batalha que estava por vir. O sujeito se mostrava confiante ao ponto de jogar no ar a possibilidade de uma luta até a morte, restando a mim acatar tal ideia. Embora eu tivesse plena convicção de que a vida que estava em jogo era a dele, teria que poupá-lo se quisesse seguir adiante com a ideia de entrar nesse torneio. Dito isso, desceria do banco com um pulo, praticamente ignorando a presença de todos para focar em meu oponente.

- Que nada, assim que é bom. - Responderia sua última constatação com os braços ainda erguidos em minha postura de combate e enquanto eu me aproximava dele a passos controlados tomando impulso com pequenos saltos, coisa comum entre boxeadores.

É hora do combate e, por isso, devo esclarecer aqui o que se passava em minha mente. Todo boxeador tem uma estratégia para se aproveitar de seus pontos fortes... Existem os lutadores ágeis, os de grande envergadura e alcance, lutadores resistentes, os de grande força e muitas outras variações de combatentes. Em que arquétipo me enquadro? Vamos deixar o suspense no ar enquanto descrevo minhas futuras ações em uma amálgama entre ataque e defesa.

Pode não parecer, mas eu já tinha uma vantagem nesse combate. Eles estavam me subestimando ao julgar que eu não era capaz de muita coisa, mas ainda tinham um resquício de dúvida que poderia desaparecer ao confirmar na prática que eu não sou nada demais. Dessa forma, minha estratégia inicial iria se aproveitar desse ponto para manipular o curso desse duelo. A primeira ação que eu tomaria nesse combate seria arrancar em uma corrida desenfreada para diminuir a distância entre nós dois, criando o cenário do inevitável combate corpo a corpo.  Uma vez engajado na briga, era hora de colocar em prática minha estratégia de combate.

Meu primeiro ataque seria simplesmente um soco frontal mirando sua perna. Enquanto isso, qual seria minha defesa contra um primeiro ataque que me alvejasse? Nenhuma. Eu simplesmente simularia uma tentativa de bloqueio e eu nem teria que me esforçar na atuação já que bloquear não é minha especialidade. Para um segundo ataque dele, eu novamente não me defenderia simplesmente o deixaria me atingir enquanto buscava contra-atacar desferindo um soco no membro utilizado pelo sujeito de forma simultânea a sua ofensiva, impossibilitando que ele atacasse e se defendesse ao mesmo tempo.

"Que diabos é isso? Você por acaso quer morrer?", é o que você deve estar se perguntando nesse momento. A resposta para isso seria... Talvez. Para explicar melhor, devo contar o conto de uma figura histórica de minha vila. Havia um Anão de Elbaf conhecido como Lionel Messi que, por mais que tentassem o derrubar com os mais variados ataques, nunca se deixava cair e permanecer no chão. Uma vez centrado em seu alvo, Messi lutava focado em atacar até sair vitorioso não importando o que se colocasse em sua frente. A estratégia que eu sigo é semelhante e vem a calhar na presente batalha, pois lembra que estão me subestimando? Se eles acreditarem que eu não estou tendo uma defesa sólida e que só ataco suas pernas por que realmente não sei lutar vão acabar abaixando a guarda. Eu só preciso desse pequeno instante de brecha em suas ações para atacar com todas as minhas forças.

Eu continuaria num ciclo de repetição dessas primeiras ações descritas anteriormente, deixando-me ser atingido e contra-atacando sua perna e depois o membro. Um, dois, um, dois, um, dois... Isso prosseguiria até que chegasse o instante que eu ansiava após tanta manipulação: A brecha. Essa abertura em sua defesa poderia surgir das mais diversas formas, seja com ele desviando a atenção para gargalhar, para zombarias e afins, ou até mesmo caso ele optasse por preparar um ataque mais elaborado que resultasse em menos foco na defesa. Nesse momento, eu brilharia. Pensa que a única vantagem de anões é serem subestimados? Então está esquecendo de um fato importante... No boxe, pugilistas canhotos tendem a ser mais bem sucedidos, pois dado sua raridade seus oponentes estão mais acostumados a lutar contra destros. Agora imagine um canhoto anão, quem diabos está acostumado a lutar contra isso!? Por conta disso, o meu ataque quando surgisse essa brecha tão aguardada consistiria em um uppercut de esquerda. Eu me agacharia para acumular força em minhas pernas e então explodiria toda essa energia em um salto, elevando meu punho cerrado em frente a minha trajetória, mirando um golpe poderoso no queixo de meu adversário.

Acertando ou não meu uppercut, não pararia por aí. Meu disfarce de anão coitado não precisaria mais ser mantido a partir desse ponto, então eu poderia ir com tudo. Prosseguiria com a estratégia básica do boxe: associar jabs com socos diretos em um ritmo desenfreado. Aproveitaria que já estava no ar devido ao meu pulo de antes para, na descida, sair distribuindo esses socos na extensão de seu corpo. Ao pousar no chão, utilizaria a força do amortecimento de minha queda de para direcionar um ganho de mão direita mirando novamente sua perna de modo a desestabilizar sua base.

Na hipótese de depois de 4 ciclos dos dois primeiros ataques ele não demonstrasse a brecha que eu estava esperando, optaria por desistir de aguardar e já colocaria em prática a estratégia do uppercut repentino descrita no parágrafo anterior.

Bom, agora que já descrevi todos os meus ataques nessa rodada vale retomar mais uma vez a questão das defesas. Como já mencionado antes, eu sou do tipo que recebe os golpes e confia em minha resistência. Porém, não é por conta disso que eu não vou refinar minha guarda: minha única preocupação seria em atenuar os danos em área mais vulneráveis como cabeça, escroto, fígado, entre outros, seja movimentando partes sensíveis do corpo para o golpe atingir outro ponto senão eles ou então contraindo os músculos para aumentar a resistência no ponto alvejado.
TheRealBlind1
Ver perfil do usuário
Imagem : [TUTORIAL] - Wander OKuPL6l
Créditos : 05
Re: [TUTORIAL] - Wander Ter Jun 08, 2021 9:20 pm


[TUTORIAL] - Wander DkI2H3
Narração

Com um estilo de luta ousado e isso diz muito sobre a grande cicatriz que ocupava praticamente o lado direito inteiro do seu rosto, passando pelo seu olho, Big-Big além de se autodenominar o anão mais poderoso de Elbaf historicamente também se mostrava ser um grande sortudo em batalhas. Sua estratégia estava definida, usaria a própria sensação de favoritismo que seus adversários pudessem assumir para pegá-los em uma posição vulnerável. Mas não foi bem isso o que aconteceu.

Com o seu cajado apanhado com as duas mãos próximas das extremidades, Bunjiro colocou o corpo do seu armamento na diagonal em direção ao soco desferido por Big-Big e ali segurou por alguns milésimos de segundos testando a força de Big. — Nada mal para um anão. — Paralelamente ele realizou um chute com a parte externa do seu pé direito em direção da cabeça de Big-Big que pontualmente colocou o seu cotovelo na altura do golpe para assim amenizar os danos recebidos em uma região tão delicada, ainda assim não resistiu e foi lançado um metro longe mostrando o porquê do bloqueio não ser o seu forte.

Mas o herdeiro dos guerreiros das terras de Elbaf não iria se dar por derrotado assim tão facilmente e voltou a carga por um novo ataque. Dessa vez, mostrando sua perícia na arte do Bõjutsu o ancião realizou uma varredura com seu cajado, da esquerda para a direita, na altura das pernas do anão com força suficiente para derrubá-lo. — Vai ficar na defensiva até quando? — Bunjiro parecia já ter entendido as intenções do anão e não aprovava.

Com o cajado em mãos, com aproximadamente seus 70 centímetros de comprimento, o experiente lutador conseguia controlar bem a distância nesses primeiros golpes, o que somado com a pouca envergadura de Big-Big colocava em xeque a estratégia inicial adotada pelo nosso protagonista e como resultado frustrante, seus punhos simplesmente não alcançavam a perna de Bunjiro.

Mas lembrando que estamos falando de Big-Big, ele não desistiria assim tão fácil e demonstrou toda a sua resiliência em sua última ação quando, acumulando força em suas pernas, explodiu sua energia em uma investida desferindo um soco na altura do queixo de Bunjiro que dessa vez não conseguiu bloquear, mas esquivou por muito pouco fazendo o soco passar de raspão. Em meio ao susto tomado, Bunjiro realizou um golpe vertical contundente, de baixo para cima com a extremidade do seu cajado que acertou ainda no ar o estômago de Big-Big que o fez ser envergado e terminar de joelhos.

— Se gabou tanto para isso? — Ironizou o espadachim.
— Não pode colocar a culpa na sustância. — Emendou Ricardo.

Observando a posição vulnerável que havia deixado o seu adversário, Bunjiro confiantemente caminhou até o bar e virou o que parecia ser uma dose de cachaça. — Desista, homenzinho, e eu darei um último voto de confiança. — Propôs. Sua palavra, no entanto, era acreditando que Big-Big tinha uma mínima chance de ganhar aquele combate, vide o soco que não recebeu por poucos.

Do lado positivo, nosso campeão pôde assimilar um padrão nos movimentos do ancião. O cajado provou ser a sua principal arma e com isso ele controlava a distância. Pela sua pouca envergadura, sua estratégia inicial não se mostrou tão inteligente como foi quando você procurou o combate corpo a corpo e trouxe perigo ao seu adversário ao ponto dele levantar a bandeira branca da paz. Talvez, encurtar a distância e confiar mais em seus socos fosse um bom caminho para virar o jogo. Como reagiria o nosso campeão?
   

Considerações:

Vamos lá amigão, segue algumas observações.

Eu não sei se foi proposital para avançar logo para o combate ou se não faz mesmo o seu perfil, mas eu senti falta nesse último post e o anterior também - ainda que tenha passado batido - uma resposta maior para o que foi apresentado anteriormente em relação ao cenário. Veja bem, você teve uma lâmina colocada sobre o seu ombro, isso não te traz nenhuma sensação de calafrio? medo? empolgação? Ou você aceita isso como um desafio? Como você recebe uma provocação dessa. O personagem encarou o tratamento que recebeu com naturalidade? Pedidos iguais chegando de maneira diferente, ele vê isso como uma injustiça ou simplesmente da de ombros? Eu acho que olhando com carinho em relação a isso tende a agregar inclusive na avaliação final de sua aventura, quando chegar o momento.

Em relação ao combate, veja bem, quando você diz que vai realizar um Uppercut, qual o braço seria usado para o soco, o direito ou o esquerdo, o outro ficaria guardando o seu queixo? Como você pretende bloquear, você colocaria o braço esquerdo em formato de L na altura do golpe inimigo ou então usaria a palma da mão direita aberta na direção contraria ao golpe? Tente usar todos os membros do seu corpo e garantir a eles uma função, acredito que tende a enriquecer ainda mais as suas ações.