Tópicos Recentes
Destaques
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Últimos assuntos
RaavaHoje à(s) 11:36 ampor  RemenufRegistro de PhotoplayerHoje à(s) 9:58 ampor  FormigaOperação T.N.C.T.O.N.I.Hoje à(s) 2:25 ampor  PepeTerra em TranseHoje à(s) 2:10 ampor  AchilesAnjo CaídoHoje à(s) 1:25 ampor  KojiRelações Beni : )Hoje à(s) 1:19 ampor  BenisuzumeOs Monarcas - I Efeito BorboletaHoje à(s) 12:34 ampor  O TaverneiroSolomonOntem à(s) 11:43 pmpor  RangiAs Crônicas dos Scavenger: A Leoa, o Louco, e o MudoOntem à(s) 11:42 pmpor  KojiSharp Teeth and Hard Fists.Ontem à(s) 11:15 pmpor  Kira
Página 1 de 1
Admin
Ver perfil do usuário
Imagem : Guia de Combate GRh51xf
Créditos : 25
Localização : Sirarossa
AdminAdministrador
https://www.allbluerpg.com/t270-bjarke-hallet-flamesguard https://www.allbluerpg.com/t299-i-juros-simples#870
Guia de Combate Qua Abr 07, 2021 3:00 am

Guia de Combate



Propósito

Esse guia de combate foi desenvolvido para ajudar os jogadores a entender melhor como o sistema de combate narrativo do fórum funcionará, estabelecendo maneiras e dicas para agregar ao conhecimento de como se narra o seu personagem em um combate físico.

O combate será feito de uma maneira mais livre da qual não necessitará da criação de um número enormes de casos ofensivos e defensivos, dos quais alguns gerais já devem cobrir boa parte de sua defesa e não travará o combate ou desperdiçará grande parte dele simplesmente porque não há maneira de cumprir as ações ditas em sua narração.

1º Dica: Tentar

A primeira coisa da qual se deve pensar é que você nunca executa de fato alguma coisa até o seu narrador narrar tal ação e isso deve ser levado de forma ainda mais crítica em combates. Por isso, é recomendável a utilização do prefixo “iria” para determinadas ações para soar sempre como uma tentativa e nunca uma afirmação de algum fato que realmente ocorreu.

Ao contrário de tais ações, há algumas exceções como movimentos de roleplay dos quais não interferem ou obrigam nenhum outro personagem a fazer algo que você está mandando ou agindo. Como, por exemplo, fora de combate, dizer que você acendeu o seu cigarro enquanto caminhava pela rua ou que esboçou um semblante diferente ao ver determinado tipo de pessoa.

Um exemplo para a utilização do prefixo dentro de combate:

Ao ver o meu inimigo a minha frente, me posicionaria de forma a estar de costas abertas para o campo livre, dando leves passos laterais para que nunca perdesse a atenção do meu inimigo e de suas ações.

Ou seja, não há a necessidade de repetir o prefixo dezenas de vezes contanto que esteja na mesma sentença, faça sentido e não gere interpretações errôneas.

2º Dica: Pense na defesa!

Dependendo do personagem, você rapidamente irá querer começar atacando para acabar com o combate de uma vez e é aqui que os primeiros danos ao seu personagem costumam acontecer, pois você não analisou o cenário corretamente ou tentou atacar pensando que seu personagem era mais forte que o inimigo e como você está com boa saúde, é quando o narrador costuma lhe causar mais danos por algum erro que você cometeu ou apenas um desvio.

Então, é aconselhável que você entenda bem o cenário e as distâncias que você está do inimigo, faça casos mais defensivos do que ofensivos para analisar o estilo de combate do seu inimigo. Não há necessidade de exagerar caso você faça movimentos mais gerais, como, por exemplo:

Tomaria consciência da distância entre mim e o meu inimigo e ao ver que ele estava para me atacar, me posicionaria de forma a defender os seus ataques. Primeiro, focava nos seus golpes horizontais, onde colocaria a minha espada na frente do meu corpo na vertical para aparar os seus ataques movimentando a lâmina de forma lateral e tentando levemente corrigir a direção de seu ataque. Seguidamente, daria foco aos verticais, onde inverteria a minha postura para ter espaço de movimentar a minha espada e tentar parar com movimentos horizontais, sempre tentando corrigir o seu destino final e procurando um espaço para contra-atacar.

Com uma defesa mais geral desta, é bem provável que haja maneiras de contra-atacá-lo ou maneiras de enxergar como que o inimigo ataca, desta forma, um ataque é bem mais eficiente e inteligente.

3° Dica: Use o ambiente ao seu favor

O ambiente é um grande fator a ser utilizado, não se trata apenas de objetos como uma caneca em cima de uma mesa de bar ou a famosa areia no olho e sim de coisas simples como a parede da qual você pode pegar impulso ou a água que o cara não viu e atraí-lo para ali pode fazê-lo escorregar, dentre os mais variados tipos de solos que podem atrapalhá-lo.

Um exemplo do bom uso do cenário é utilizar uma parede para contornar o seu inimigo ou surpreendê-lo em um ataque, onde você o atrai e age como se estivesse encurralado e no final consegue causar um ataque surpresa.

Visto que estávamos em um espaço mais apertado e tinha um grande muro em minhas costas, pensava em uma estratégia da qual poderia surpreendê-lo. Deixaria o meu corpo mais mole e leve como se estivesse sentindo o cansaço da batalha e começaria a recuar dando alguns passos para trás e procurando observar a reação do meu inimigo. No primeiro momento que visse o seu ataque, daria um passo ainda maior para me aproximar o máximo possível da parede e quando visse que ele estava próximo o suficiente para me impulsionar nela e conseguir atacá-lo por cima, faria um ataque vertical usando a minha lança, aproveitando também do meu maior alcance para mirar em seu torso e aproveitando do impulso para me movimentar lateralmente ou por cima dele e deixá-lo de costas na parede.

4º Dica: Não esqueça dos seus ferimentos

É bastante comum ver jogadores esquecendo que foram feridos nas pernas ou em seus braços e continuar utilizando eles como se nada tivesse acontecido ou que sequer seu personagem estava sentindo dor, o que é bastante problemático e costuma ser a causa de mais ferimentos surgirem.


Um exemplo problemático é aquele famoso ferimento na coxa do qual a princípio parece simples, mas você sente dor em cada passo que você dá. Você se sente imobilizado, mas a situação não é bem essa, a questão é contornar o ferimento para que ele não fique tão desvantajoso como parece.

Sentia aquela dor latente em minha perna e me sentia encurralado, meu inimigo ainda estava ileso a minha frente e então seria o momento de partir para um ataque do qual poderia ser considerado desesperado. Daria alguns passos à minha frente, rangendo os dentes e tentando aguentar a dor como possível e então, se percebesse que ele estava começando a avançar em minha direção, aplicaria um impulso em minha perna boa, mudando completamente o meu ritmo e tentando sequer pisar com o chão usando a perna ruim novamente, mas caso necessário, daria leves mancadas para não sentir tanta dor como sentiria com o peso em cima da minha perna.

Tendo alcance para um ataque, giraria a minha perna boa aproveitando o movimento do quadril para desferir um golpe horizontal em direção a sua costela usando a lâmina do meu machado e uma possível surpresa com os impulsos.

5º Dica: Extremamente Preciso/Técnico

Não há necessidade de você ser um expert na hora de descrever a sua ação, normalmente, suas ações pioram quando você diz que vai usar o músculo bilateral do seu antebraço esquerdo para forçar os seus músculos do braço e realizar um ataque no “six pack” do seu inimigo. Desta forma, você não precisa estar necessariamente explicando demasiadamente o que vai utilizar para atingir um ponto específico do inimigo ou explicar qual é este ponto para ter efetividade em seu ataque.

Como um ponto a se citar, é interessante você dizer qual membro utilizará para o ataque para manter a sequência mais clara e gerar menos erros de interpretações do narrador ou avaliador que estiver lendo a sua narração. Um exemplo disto, bem simples, é:

Avanço em sua direção preparando um gancho de direita em direção ao abdome para posteriormente acertar o seu pescoço com um direto de esquerda. Utilizando do impulso para dar um pequeno salto lateral e me posicionar de forma a acertá-lo usando a minha perna esquerda em um giro na direção de sua costela.

6º Dica: Técnicas

Técnicas são ferramentas importantes para deter aquele inimigo forte ou causar o máximo de dano e muitas vezes precisam de um pequeno preparo, do que pode ser categorizado como uma sequência ou algum tempo que precisa esperar. Contudo, dependendo do estilo de técnica e personagem, esse uso varia e tem que ser inteligente ao montar a estratégia para utilizá-la, já que uma técnica utilizada em uma hora ruim pode acabar com a sua ofensiva ou fazer com que você tome algum golpe e tenha ela cancelada.

Por isso, usá-la no momento mais inesperado é sempre o melhor e muitas vezes isso acontece dentro de uma sequência a custo de pequenos segundos ou em momentos cruciais para iniciar um ataque e, às vezes, utiliza-se repetidamente para criar um golpe que não depende exatamente da técnica em si.

Além disso, descrever a técnica e como a usar em sua narração é algo essencial e dá um ar vivo interessante para quem lê e não se mostra como uma simples fala, é este ponto em que se destaca o uso da técnica, como o exemplo a seguir:

Me posicionava de frente ao meu inimigo onde começava a concentrar os meus músculos inferiores e superiores como uma forma de preparação para a minha técnica Power Punch e então faria o meu avanço na maior velocidade que conseguisse atingir para tentar acertá-lo em seu torso com todas a força do meu impulso e membros.

7º Dica: Extensão da Arma

Muitos jogadores ficam travando em apenas utilizar um modo de sua arma, muitas vezes pela própria lâmina dela ou alguma ponta e esquecem de utilizar o seu cabo ou outra ponta da qual pode ser ainda mais problemática do que a simples lâmina. Um exemplo disto é a lança da qual grande parte se retém a realizar estocadas ou cortes utilizando apenas a lâmina e esquecem de utilizar o seu cabo para golpes laterais ou de usar o cabo de uma espada para dar uma coronhada, entre outros usos.