Tópicos Recentes
Destaques
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Últimos assuntos
I - A Selvagem e o SonhadorHoje à(s) 10:25 pmpor  DioColorsHoje à(s) 8:42 pmpor  Shiori1º Chapter - Wild HuntHoje à(s) 8:24 pmpor  ÀsCabras da Peste, vol 1- Amanhecer do SulHoje à(s) 6:02 pmpor  DeepDesventura na Terra dos Sonhos - Grupo 8Hoje à(s) 5:29 pmpor  Narrador De EventosP.D.N. Homem Ciclista vai atropelar Hoje à(s) 5:28 pmpor  Admin1v9 Kirinha Adventures - 1° EpisódioHoje à(s) 5:18 pmpor  Kira[Pedido de Instrutor] AnakinHoje à(s) 4:15 pmpor  Anakin[TUTORIAL] - IonukyHoje à(s) 4:11 pmpor  Joker[TUTORIAL] - DennisHoje à(s) 4:09 pmpor  Joker
Página 1 de 1
Skÿller
Ver perfil do usuário
Imagem : ALOU TESTANDO O TESTE TESTADOR DE TESTES TESTADOS
Créditos : 15
SkÿllerSoldado
https://www.allbluerpg.com/t272-annabelle-petit-barozzi https://www.allbluerpg.com/t303-voice-of-the-soul#875
Letcher Galle Colins Qua Maio 12, 2021 11:28 pm



Letcher G. Colins








Sobre o Personagem


Nome: Letcher Galle Colins.
Idade: 25.
Género: Masculino.
Mão Predominante: Destra.
Altura: 1,83.  
Peso: 74 Kg.
Raça: Humano.
Origem: Las Camp.
Localização: West Blue - Las Camp.
Grupo: Civil.

Complementos



Aparência:

Uma feição séria, fixa porém ao mesmo tempo complexa veste o rosto de Letcher, a revolta estampada em seu rosto talvez denunciasse o motivo, porém só o conhecendo para saber a real origem de seus demônios. Longos cabelos de cor castanho-escuro são seu atributo mais chamativo para os desconhecidos, talvez os 12 piercings metálicos em seu rosto fossem a segunda mais chamativa, pulando para seu porte, Letcher se considera de altura mediana, seu porte é atlético e até um pouco robusto.

Suas vestes são simples, botas e luvas de cor preta com detalhes metálicos, junto a uma calça cor areia que aparenta ser confortável, uma regata preta se esconde atrás de sua capa rasgada ao final, acessórios auxiliam na composição de sua imagem como pirata, uma bandana vermelha com detalhes brancos em sua testa, assim como uma ombreira espetada de cor verde-musgo.

Personalidade:

De forma rasa Letcher aparenta ser uma fortaleza sem brechas, sua feição casualmente se encontra concentrada e fixa em algo ou alguém,  sua forma de se comunicar pode variar de fria e direta para inspiradora e acolhedora em questão de segundos, devido a sua oratória excepcional ensinada diretamente por Tatcher alguns anos atrás. Normalmente as palavras que saem de sua boca reafirmam confiança e objetividade, algo necessário quando o foco é derrubar o braço direito do governo mundial.

Ao se aprofundar na relação com o mesmo, se percebe diversas pequenas brechas na tal indestrutível e impenetrável fortaleza, alguns traumas simples como o ato de dormir em uma cama de palha o relembra os tempos na vila. Algumas manias vindas de criança como o incômodo de se observar uma colher suja de sopa apoiada na mesa, questões simples como essa que lhe atingiram de certa forma quando pequeno.

O maior buraco da fortaleza se encontra justamente em seu peito, a dor do ódio misturado com a culpa o faz evitar ao máximo relembrar aquela noite, relembrar de Lilian.. Porém essa dor é necessária, todo dia em que acorda é ela que o move para avançar e dar de cara com um inimigo tão intimidador. Alguns momentos de distração salvam a mente de Letcher da loucura completa, para que assim ele não se torne uma máquina de matar sem consciência e razão, não dizendo que o mesmo é 100% sadio da mente, afinal quem seria nesse mundo não é mesmo?

O real problema se manifesta na hora de matar, a feição concentrada e fixa no objetivo se transmuta em sadismo e alívio, todo o ódio que acumulou pode ter uma válvula de escape, mesmo que pequena para a quantidade que precisa sair. O cheiro férrico de sangue de seus inimigos no ar lhe causa um certo prazer e tranquilidade, pois em sua cabeça, está mais próximo do perdão e da paz.

História:


Ilha de Las Camp, esse é o nome do lugar que durante 25 anos deveria ter me abrigado e acolhido como uma mãe acolhe um filho, visto de fora a cidade é muito atraente e chamativa, diversos bares, lojas e ruas iluminadas chamam atenção de investidores e pessoas de grande poder ao redor do West Blue. Eu, um garoto de 10 anos na época deveria se orgulhar de morar em um lugar tão visado pelos ignorantes, porém é nas profundezas que o verdadeiro rosto do abismo rodeado por riquezas, luxúria e gula dos mais diversos tipos é revelado.

Morador de uma vila dedicada a agricultura, comandada por um senhor e seus seguranças contratados da marinha, esse foi a condição que fui criado, uma família tradicional formada por um pai, uma mãe e dois filhos, uma menina de 6 e eu com meus 10 anos. Nossa condição financeira não se diferenciava muito das demais famílias da vila, um pequeno terreno que foi concedido ao meu pai, dando-lhe a capacidade de plantar para subsistência em troca das diversas horas de dedicação e lealdade completa ao senhor dono das terras Galand V. Tertes. Como foi dito anteriormente, visto de fora aparenta ser uma troca justa, a face do abismo só é revelada aos que se arriscam adentrar nas profundezas, eu sou um desses, e é aqui que o inferno em busca da verdade começa.

A vida durante as estações sempre corriam bem, colheitas capazes de suprir nossas necessidades durante alguns meses, mas nunca o suficiente para a troca de estações, durante os períodos de necessidade meu pai comprava com Galand o complemento alimentício para nossa sobrevivência, o real problema aparecia sempre no outono, uma dita gangue de bandidos vindos da área mais inabitada da ilha aparecia e de forma suspeita destruía nossas plantações, nos obrigando a adquirir alimentos com juros altíssimos do senhor das terras. A cega lealdade dos demais não permitia observarem a real situação.


Em uma noite de transição das estações Outono e Inverno, voltando da cidade que ficava a alguns quilômetros de casa com Lilian, minha irmãzinha, um grupo de encapuzados equipados com tochas e sacos se dirigia para um acampamento próximo a minha vila, suas risadas e comentários denunciavam seus atos cometidos a 20 minutos de acordo com um dos mesmos, "- Mais três plantações pra conta viu Hubert! Ano passado tu queimou duas só hahahaha, parece que vou ganhar um aumento do Senhor Tertes ." Aquele nome ecoou em minha cabeça, o tal senhor justo e amável não passava de um mercenário ganancioso.
Em meio ao arbusto que nos escondia surge uma presença na retaguarda, um homem agarrando nossas roupas se aproxima do resto do grupo exclamando nossa presença, "- hahahaha! Ora ora, dois ratinhos metendo o nariz onde não devem." Exclamo por perdão ao perceber a movimentação dos homens com feição sádica. - Por favor! Eu que trouxe minha irmã, ela só tem 6 anos!

Os homens de forma cruel nos atira ao chão de terra batida e é ai que meu inferno se inicia, com um pé em meu rosto me obrigando a ver minha irmã sendo espancada o homem recita a frase que ainda ecoa em minha mente: "- Lembre-se desse momento criança, se não fosse por sua curiosidade sua irmã ainda estaria entre nós" Os atos perturbadores foram interrompidos pelo corpo de um bandido caindo ao chão com uma flecha em seu crânio, o restante da noite só se passa por curtos flashes em minha mente, em um deles, todos os bandidos caídos mortos ao redor, o símbolo da marinha atribuído a roupa de alguns, um senhor de porte forte vestindo uma bandana carregando-me no ombro.


Desperto em uma cabana de madeira bem rústica e humilde, iluminada apenas por uma vela, o homem sentado em uma cadeira afiando sua faca com o auxilio de uma pedra me atinge com seu olhar seco e afiado antes de explicar o ocorrido. "- Você está em meus aposentos jovem, os marinheiros contratados por Tertes estão mortos, infelizmente sua sede por vingança já foi saciada pelo fio da lâmina de meus companheiros, não... Sua irmã não foi capaz de sobreviver aos golpes, sinto muito filho... George irá te levar a sua casa seja lá onde for."

O caminho de volta em cima da carroça que transportava o corpo de minha irmã dentro de um saco branco durou uma vida inteira, o loiro que deveria ter uns 20 anos conduzindo os cavalos tenta quebrar o silêncio para me consolar enquanto saímos da floresta densa e entramos na planície: "- Então... Olha, eu já passei por uns mal bocados também garoto, o mundo fora dessa bolha que é essa ilha é isso que você acabou de presenciar, eu sinto muito pelo que aconteceu, de coração, se tiver algum problema com certeza o homem que conversou, meu chefe Tatcher vai te acolher." Por mais distraído que estivesse, absorvi a ultima parte da mensagem que o loiro queria passar.


O homem me deixa na entrada da fazenda com o corpo de minha irmã, sendo assim sou obrigado a caminhar até a vila, uns 100 metros da entrada, o sol raiando em meio as ruas decorava minha volta, a feição assustada dos moradores denunciava a cena que estavam presenciando, meus pais chorando de forma desesperada me auxiliam a entrar em casa. O enterro no dia seguinte foi melancólico, nenhuma palavra tinha saído de minha boca até o momento do sepultamento: "- Eu vou mata-los, eu prometo Lilian, primeiro o Tertes, depois a marinha." Meus pais de forma rápida repreendem minhas palavras com medo de serem punidos. Três dias após o enterro, toda a situação foi explicada para meus pais, porém nenhuma medida foi tomada, sendo assim em uma noite agarro alguns pertences e um cavalo do vizinho, somente uma carta para meus pais foi deixada para trás, com um pedido de não me procurar e um beijo de despedida.


Assim como foi prometido, Tatcher me acolheu como um pai, me ensinando tudo sobre o submundo e o mundo real fora da bolha, levávamos a vida como ladrões, porém nosso código de honra era sempre mantido, 2 anos atrás acompanhei a operação contra o verme do Tertes, o resultado que adquirimos foi positivo, uma de minhas promessas para com Lilian foi cumprida com Tertes esquartejado de forma violenta e sanguinária, em seu "trono" apenas o cajado que carregava consigo quebrado ao meio junto a cabeça que se apoiava no topo da cadeira refinada, atrás na parede uma escrita com sangue declarava guerra aos mais poderosos: "A bolha será estourada, e todos saberão a verdade, essa é minha promessa!".  Após o acontecimento me separei do grupo devido a grandeza de minha missão, Tatcher me presenteia com sua bandana vermelha com detalhes brancos, simbolizando a confiança que tinham em mim, o próximo passo é claro, destruir os que mantêm a bolha da ignorância em pé.

Características


https://www.allbluerpg.com/t25-qualidades-e-defeitos

Qualidades:
• Versátil (Raça)
• Afinidade com Haki (3 Pontos)
• Talentoso (2 Pontos)
• Liderança (2 Pontos)
• Ambidestro (1 Ponto)
• Impassível (1 Ponto)

Defeitos:
• Obediente (2 Pontos)
• Incapaz (3 Pontos)
• Sadista (2 Pontos)
• Mal-humorado (1 Ponto)
• Perfeccionista (1 Ponto)


Atributos


Nível: 1
Experiência: 20

PdV: 180
STA: 100

Atributos provenientes da raça devem ser colocados em verde [#99cc00], os provenientes de estilos de combate devem ser colocados em laranja [#ff6600], os provenientes de armas devem ser colocados em amarelo [#ffcc00], as bonificações de outros atributos em azul [#34B1EB] e as bonificações de Akumas no Mi em roxo [#cc00cc]

Força: 5 [Regular]
Destreza: 4 + (+4) + (+2 EDC) = 10 [Regular]
Acerto: 4 + (+2) + (+2 EDC) = 8 [Regular]
Reflexo: 4 +(+2) + (+2 EDC) = 8 [Regular]
Constituição: 3 [Regular]

Agilidade: 8
Oportunidade de Ataque: 3
Redução de Dano:

Conhecimentos



Proficiências:

• Ameaça.
• Acrobacia.
• Lábia.
• Furtividade.
• Furto.

Ladrão:
Ladrão: Os ladrões acreditam que a única coisa melhor que dinheiro é dinheiro fácil. Sem se importar com os meios utilizados, estão sempre em busca de conseguir mais ouro e aumentar sua riqueza. Seus métodos podem divergir muito, desde utilizar o intelecto e a astúcia para enganar os outros até fazer uso de pura força bruta e coerção.

Mascote


Nome do Mascote
Animal: Raça e especificações de seu mascote.
Altura: Altura de seu mascote.
Peso: Peso de seu mascote.
Porte: Porte do seu mascote.
Raridade: Raridade do seu mascote.
Aparência: Aparência do seu mascote.
Personalidade: Personalidade do seu mascote.
Atributos: Foco de atributo de seus personagens.

Comandos:
Lista de Comando complexos que foram ensinados ao seu mascote

Estilos de Combate



Ceifador:
Ceifador: Ceifadores são especialistas em combates de curta e média distância, utilizam armas como Foice, Gadanha, Kama e similares.

Técnicas


Nenhuma por enquanto.

Haki da Observação


Não despertado.

Haki do Armamento


Não despertado.

Haki do Rei


Não despertado.

Berries: 125.000 ฿S

https://www.allbluerpg.com/t33-mercado-comum#79

Itens


Tratam-se dos itens equipados em seu personagem

Cabeça:
- X -

Pescoço:
- X -

Tronco:
- X -

Braços:
- X -

Mãos:
- X -

Pernas:
- X -

Pés:
- X -

Armas:
-
Letcher Galle Colins 4a1a9b86c5ebbb34af2b613fda702898

Arma: Foice
Descrição: Uma simples lâmina negra, pouco curvada. O cabo é simples, uniforme e de cor escura também, com uma protuberância acentuada da direção oposta da lâmina em sí, e uma ponta ao final do cabo, podendo ser utilizados em combate.
Tipo da Arma: Acuidade
Qualidade: Gasta
Durabilidade: Baixa
Dano: +1 em destreza por nível.

Estado: Novo

Inventário


Trata-se dos itens carregados pelo que não estão equipados em seu corpo.

10 U

Nome do Item:
Espaço:
Descrição:

Embarcações


Nenhuma por enquanto.

Menções no Jornal


Nenhuma por enquanto.

Photoplayer



Photoplayer:
Letcher Galle Colins 203536305470cc9a52205a698facc43b

Relações



Players:
[url=Link da Ficha do Player]Nome do Personagem[/url] - Relação com o Player

NPCs:
[url=Link com a Aparencia se existir]Nome do NPC[/url] - Relação com o NPC

NPCs Importantes:
[url=Link com a Aparencia se existir]Nome do NPC[/url] - Relação com o NPC


_________________

Letcher Galle Colins O0yljIK

Letcher Galle Colins WhdRXxk

Fala Annabelle
Pensamento Annabelle
Fala Lilith