Tópicos Recentes
Destaques
Klaus
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Akira
Sasha
Ás
Shiori
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Últimos assuntos
四 - Morte e SangueHoje à(s) 1:21 ampor  Koji6º Capítulo: Gigantes versus Dragões!Ontem à(s) 11:23 pmpor  Sashaficha Aika KinOntem à(s) 10:50 pmpor  mestrej2° - De Dawn a Shells - Uma viagem para conhecimento.Ontem à(s) 10:39 pmpor  SaruNo Maidens?Ontem à(s) 9:38 pmpor  IzumiCap. 2 - Ascendendo às profundezasOntem à(s) 9:23 pmpor  VanKaoru KageyamaOntem à(s) 9:09 pmpor  Kaoru[Pedido de instrutor] - TaliyahOntem à(s) 9:00 pmpor  nothawaiian[TUTORIAL] - TaliyahOntem à(s) 8:56 pmpor  nothawaiianPorradaria e Fuga: Grand Line Drift. [3]Ontem à(s) 8:46 pmpor  Van
 :: Oceanos :: Blues :: East Blue :: Dawn
Página 1 de 1
Achiles
Ver perfil do usuário
Imagem : 01. Alívio Aecfe07ef5c7ca842816fd453e897a56
Créditos : 13
Localização : Lvneel - North Blue
AchilesAvaliador
https://www.allbluerpg.com/t1735-caitlyn-g#18385 https://www.allbluerpg.com/t1725-iii-death-or-paradise#18382
01. Alívio Sab Abr 16, 2022 9:39 pm
01. Alívio

Aqui ocorrerá a aventura do(a) Civil Dom Kin-Ho. A qual não possui narrador definido.
Dom Kin-Ho
Ver perfil do usuário
Imagem : 01. Alívio E913dc9f1a4f97fef5e9b62fbe33e330
Créditos : 05
Localização : East Blue - Dawn Island
Re: 01. Alívio Dom Abr 17, 2022 1:02 am


Alívio.



O cheirinho doce de bolo acalmou o ar. Eu não queria mais saber de briga.


Se ‘fuder, Nitt! Me larga, seu corno! Quero é comer bolo! — A briguinha parou na hora e a gente saiu disparado: — Capitães!! A ordem agora é acabar com o bolo da Bagi! NYAHAHA! — Correndo tropeçávamos e nos batíamos no meio da rua, competindo quem entrava primeiro no armazém da velha. Eu ganhei, como sempre, sentei na mesa e fiz carinha de anjo: — ‘Bora, tia!  Quero um pedação! Nyahahha! — A velhinha cortou um pedaço bem grande para mim e colocou num prato, mas antes de chegar até a mesa tudo ficou preto.

Pulei da cadeira, assustado. Quando a luz voltou, já não tinha mais ninguém no lugar. A senhorinha pequena de cabelos brancos havia se transformando num pirata grande, gordo e peludo (com pelo menos três dentes faltando): — Oxi!! Que ‘porra é essa?! — Comecei a recuar assustado. O pirata diz: — Quer bolo pirralho?! HAHHAEAHUE! É só me dizer onde a Hedra está!

Hedra? Onde está Hedra?


...

Abri os olhos num susto, soquei a parede como se tivesse socando a cara do pirata. Depois da euforia do acordar de um sonho ruim, entendi: outro pesadelo. Não sei por que diabo essa menina continua me assombrando sendo que ela sumiu faz uns 8... 10... sei lá quantos anos. Levantei e alonguei as costas doloridas: — Também, eu queria o quê? Dormindo nesse chão duro. Animal. — Não posso ficar me culpando, mas as vezes não tomo decisões muito inteligentes. Acabei dormindo nesse beco aqui por que arranjei briga ontem e a Bagi não me deixou entrar para dormir no armazém. Eu prometi a ela que não ia ficar brigando na rua, mas foi impossível não amassar a cara daquele vagabundo.


Vou ter que me desculpar. — Concluí, pelo menos eu não era besta.

Mas e a Hedra, hein? Quanto tempo será que vou continuar lembrando disso. Só queria esquecer para ter um pouco mais de tranquilidade, mas agora não é hora de pensar nisso. Preciso deixar esses problemas lá onde eles vieram, 10 anos atrás.

Fui para saída do beco, evitei me envolver em mais problemas para poder resolver o principal: me desculpar com Bagi. Normalmente eu comia por lá, mas hoje eu não tinha coragem de aparecer. Depois de ontem, vou ter que arranjar alguma coisa para levar para ela.


'Véia chata. — Dei um sorrisinho falando de Bagi. Era como uma mãe, sabe? Eu perturbava e ela puxava minha orelha. Minha intenção agora era ver como estava o subúrbio: queria ver como estava o clima, como as coisas estavam funcionando. Passava meus olhos em tudo. Interessado em procurar alguma coisa bonita para levar para Bagi, podia ser qualquer tapeação: um perfume, um vestido bonito ou flores. Essas besteiras que mulher velha gosta.

Ajeitei o cachecol no pescoço e comecei a andar. Eu estava com uma expressão enfezada, mesmo sem perceber. Dessa vez nem era para botar medo em ninguém, era só a dor na coluna mesmo: — 'Carai de chão duro da porra.  



HISTÓRICO & STATUS:
OBJETIVOS & CONSIDERAÇÕES:

Akuma Nikaido
Ver perfil do usuário
Imagem : 01. Alívio C7LTNQc
Créditos : 27
Re: 01. Alívio Ter Abr 19, 2022 1:29 pm


"And I feel like everything I saw
Is being swept away
When I refuse to let you go"

Hedra; esse nome assombrava até hoje os sonhos e pensamentos de Dominique. Carregava culpa por não ter conseguido salvá-la dos piratas? Um luto, talvez, por não saber se a garota ainda estava viva? Poderia, inclusive, haver alguma inveja por sair de Dawn e viver uma nova vida de aventuras? Era difícil dizer. Com o corpo meio dolorido após dormir no chão, o homem andava a esmo, pensando no que poderia presentear Bagi para que ela o desculpasse.


Para sua sorte, sexta era dia de feira e o movimento encontrava-se bastante animado na região suburbana de Doa. Vários feirantes expunham seus produtos, que variavam desde diferentes tipos de comida a flores, perfumes e até mesmo algumas armas. Talvez fosse o Sol forte batendo no local, talvez fosse a tendência a brigas que Kin-Ho possuía, mas um par de grevas chamava sua atenção, quase como se brilhassem singularmente.


Mesmo que de relance, conseguia observar um homem de cabelos cinzentos olhando as mercadorias daquele mercador de armas. Não conseguira ver o rosto, mas a postura lhe era familiar, assim como o prateado na cabeça. Havia brigado justamente com esse homem na noite anterior. Seguiria na rua da feira e procuraria por seu presente? Confrontaria novamente sua vítima? Ou deixaria de lado e buscaria outro local?


Observação:

Histórico:
Kin-Ho:


Dom Kin-Ho
Ver perfil do usuário
Imagem : 01. Alívio E913dc9f1a4f97fef5e9b62fbe33e330
Créditos : 05
Localização : East Blue - Dawn Island
Re: 01. Alívio Ter Abr 19, 2022 6:03 pm


Alívio.



Andando por aí vi que as ruas estavam as mesmas: cheias de vida. As vezes eu fico me perguntando como que os canalhas lá da Cidade Alta nos olham e chamam de escória. Desgraçados, não veem a beleza que tem aqui nessas ruas? Tudo bem que de vez em quando tem alguém sendo espancado em algum beco, mas essas coisas acontecem... Esses engomadinhos atrás de suas cadeiras caras com seu narizinho empinado não sabem nada da vida.  

Hmmm! Solzão! — Olhei pro céu admirando o clima. Para mim estava perfeito, não que eu fosse amante de um sol forte rachando a cabeça, mas gosto da revigorada que ele dá. Me inspira. Respirei fundo e continuei andando – mas antes uma paradinha pra ajeitar a coluna de novo. — oioioiioiiii — Conferi se ninguém estava olhando. “Que dorzinha chata”, pensei. Preciso tomar vergonha na cara e passar a próxima noite num lugar digno. “Uma massagenzinha ia cair bem...”

Voltando a atenção para o que eu tenho a fazer agora, as ruas estavam movimentadíssimas. Era meu dia de sorte, afinal era dia de feira – quase que me esqueci, mas o acaso estava ali pra me lembrar. Tentei andar por meio da bagunça procurando saber o que dava para levar para Bagi, perguntando seu preço logo em seguida. Me aproximei de onde flores e perfumes estavam amostra e fiz uma pergunta direta, com um sorrisão na cara: — Bom dia! Tô querendo saber o que você me recomenda pra presentear uma velhinha de uns 150 anos, Nyahhaha!

Após pesquisar os preços, ia começar a pensar na decisão.

Enquanto eu estaria resolvendo o que levar para Bagi, algo me chamou a atenção. Ao longe, aparentemente sendo iluminada pelo sol justamente para chamar minha atenção, vi um par de placas de ferro, ou pelo menos presumi que eram. Meus olhos brilharam junto com a peça e automaticamente comecei a andar em direção a ela, como se estivesse me chamando.  — Calma que papai tá indo. — Eu estava com um sorrisão, mas logo minha expressão mudou.

No mesmo mercador qual eu estava ao encontro; vejo o desgraçado que briguei na noite passada, ou no mínimo parecia muito com ele. —  Aí é foda. — Cochichei pra mim mesmo. — Porra... Bagi que me espere um pouco, mas não posso deixar aquilo passar não. — Dei uma ajeitadinha no cachecol e voltei a caminhar. Pensei: “se ele apanhou ontem, vai apanhar de novo.”

Sem muito cuidado, apenas mantendo os olhos firmes para o movimento do homem de cabelo cinza, formaria, caso houvesse como, uma espécie de “fila”, esperando o homem terminar de ser atendido para saudar com muita empolgação o mercador, mas ainda mantendo os olhos atentos para as ações do homem que me desentendi na noite passada. — Bom dia coroa! Tem o que pra mim aí? Queria saber os preços de tudo, luvas, soqueiras! Tudo que dê pra eu usar pra socar ou chutar a cara de gente gaiata. Nyahaha!! Mas principalmente... —  Apontaria o indicador para as grevas. — O preço dessa belezinha aí.




HISTÓRICO & STATUS:
OBJETIVOS & CONSIDERAÇÕES:

Akuma Nikaido
Ver perfil do usuário
Imagem : 01. Alívio C7LTNQc
Créditos : 27
Re: 01. Alívio Qua Abr 20, 2022 12:12 pm


"Oh, think twice, 'cause it's another day for you and me in paradise
Oh, think twice, it's just another day for you
You and me in paradise"

Dominique encontrava-se bem disposto e feliz com todo aquele movimento e dia claro, embora ainda sentisse suas costas doerem levemente. Ao chegar na feira, logo perguntava o preço de algumas flores, perfumes e chocolates. A atenciosa vendedora formava um kit com uma cesta contendo diversos bombons, um conjunto de perfume e sais de banho e um buquê de begônias. Oferecia a ele, em promoção, por 125 mil berries. Caso quisesse, no entanto, levar apenas alguma das opções, sairia por 50 mil berries cada.


Enquanto decidia e pensava bem, acabava tendo a atenção chamada pelo mercador de armas ali perto. Esperava até que o homem à sua frente fosse embora e então perguntava ao vendedor sobre as armas. — Ah, vejo que tem bom gosto, senhor! Essas grevas são o meu xodó! Material super resistente, de primeira qualidade! Geralmente eu peço 2 milhões por ela, mas estou feliz que você tenha reconhecido um excelente trabalho, então te darei 40% de desconto, que tal? 1,2 milhões e ela é sua!


Aguardando a resposta de Kin-Ho, se notasse negativa, o garoto veria o semblante do vendedor se fechando, enquanto complementava: — Ah, nesse caso tenho aqui essas manoplas e essas botas. São de qualidade inferior, mas pelo jeito é o que você consegue gastar, né? 125.000 por qualquer um desses, só escolher. Dizia, logo voltando a mexer em seus materiais e falando com outros clientes que se aproximavam.



Histórico:
Kin-Ho:


Dom Kin-Ho
Ver perfil do usuário
Imagem : 01. Alívio E913dc9f1a4f97fef5e9b62fbe33e330
Créditos : 05
Localização : East Blue - Dawn Island
Re: 01. Alívio Qua Abr 20, 2022 7:09 pm


Alívio.



Hmmm, que bonito, tia! Vou querer a cesta toda! —  Tirei do bolso os 125 mil berries, deixei no balcão e peguei cuidadosamente a cesta com as duas mãos. Agradeci com um sorriso grande e exagerado.

“Porra, foi metade do dinheiro...” pensei, mas valeria a pena. Ver o sorriso na cara de Bagi ia refrescar meu dia que nem esse solzão. Continuei andando com atenção para não derrubar a cesta, indo em direção ao mercador de armas.

Conversa vai e conversa vem, me vi espantado quando ele revelou o valor das grevas. Meus olhos esbugalharam e não consegui conter o grito. — Carai, tudo isso?! Porra!!! — Botei a mão no queixo, estava querendo demonstrar que entendia de alguma coisa ali. — Hmm, mas realmente ela vale isso tudo. É, vai ficar pra próxima. Inclusive, tio, tô precisando de uma graninha. Se o senhor souber de algum lugar que eu consiga um dinheiro por aqui, tô a disposição. Tô encarando quase qualquer coisa.

Mesmo tendo sido nascido e criado pelos subúrbios, tendo me envolvido até mesmo em partes na criminalidade, nunca tinha sido apresentado ao trabalho formal, então não conhecia muito por onde conseguir dinheiro honesto. A tentação até bate na porta, mas prometi pra Bagi que não iria me meter nessas coisas de novo. E sigo não me metendo.

Mas coisa digna, sabe? — Enfatizei. Não sabia da natureza do tiozinho, então quis deixar claro que estava procurando algo digno. Logo depois ele mostrou outras duas opções para compra, fiquei um pouco na dúvida, mas optei pelas manoplas. — Vou querer essas manoplas aí, meu velho. Os 125 mil tenho como pagar. — A grana ia acabar, mas as brigas iam ficar mais interessantes.

Se o mercador me contasse onde arrumar trabalho honesto para ganhar uma graninha rápida, iria guardar bem a informação na mente, para quando fosse a hora aproveitar disso. Mas enquanto a hora não chegasse, iria em direção ao armazém da velha Bagi para poder me desculpar. Andaria em passos rápidos, porém tomando muito cuidado para não derrubar a cesta. Se ocorresse tudo bem, não iria pela porta da frente, que serviria de despache para a clientela – e sim entraria pela porta do fundo, local que eu já teria acesso. Assim que a encontrasse, daria um sorriso caloroso e um abraço. — Oi, meu amor! Olha o que eu trouxe pra você. — Ajoelharia, satirizando um pedido de casamento. — Me desculpe meu bebezinho!





HISTÓRICO & STATUS:
OBJETIVOS & CONSIDERAÇÕES:

Akuma Nikaido
Ver perfil do usuário
Imagem : 01. Alívio C7LTNQc
Créditos : 27
Re: 01. Alívio Sex Abr 22, 2022 4:49 am


"Good lookin' women backwoods and moonshine

Learned more about life on the streets than in school

Sweet Mama didn't raise no fool (No she didn't)"

Após suas compras, Dominique partia para encontrar Bagi enquanto tinha as palavras do mercador em sua mente. Descobrira que haveria um comboio de transporte de mercadorias no dia seguinte e estavam recrutando pessoas para serem guarda-costas e para caçarem piratas que poderiam estar por perto. Talvez um dos dois empregos o interessasse.


Já quase chegando em casa, observava o galpão mencionado pelo recrutador. Parecia abandonado à primeira vista, mas um olhar mais atento mostraria sinais de que pessoas estavam se encontrando ali nos últimos dias. Infelizmente para Kin-ho, ele não possuía habilidades para encontrar tais dicas. Chegando ao armazém, entrava pelos fundos e aproximava-se de onde Bagi estava, acabando por ouvir: — Fique de olho, de toda forma. Esses patifes estão muito entusiasmados ultimamente! Ao sair, o garoto percebia de relance tratar-se de um marinheiro, devido a seu uniforme.


Quando o garoto entregava o presente para Bagi, ela sorria para ele e o abraçava, dizendo: — Você sabe que não precisa dessas bobagens! Só quero que você crie um pouco de juízo, garoto. Última coisa que precisamos é que você se envolva em mais problemas, está certo? Terminava dando uma bronca, mas já abrindo um chocolate e dividindo com ele.



Histórico:
Kin-Ho:


Dom Kin-Ho
Ver perfil do usuário
Imagem : 01. Alívio E913dc9f1a4f97fef5e9b62fbe33e330
Créditos : 05
Localização : East Blue - Dawn Island
Re: 01. Alívio Dom Abr 24, 2022 9:09 pm


Alívio.



Agradeci com um olhar firme e com sorriso convicto de que tinha perguntado a pessoa certa. O mercador me alertou sobre duas oportunidades: servir de guarda-costas num comboio de transporte de mercadorias e aparentemente caçar alguns piratas. O que mais me interessou foi o primeiro, achei que eu seria mais útil. E ademais, não iria caçar ninguém por causa de dinheiro, fez mais sentido pra mim evitar de que algo ruim acontecesse a outros trabalhadores. —  Beleza, coroa, tamo junto. —  Agradeci enquanto me afastei, comemorando que adquiri as novas manoplas, dando soquinhos no ar. —  Nyhahaehe! Essas daqui vão servir direitinho.

Pouco antes de chegar no meu destino, ouvi uma movimentação estranha; alguém disse algo sobre ficar de olho em outra pessoa. Aquelas palavras ecoaram na minha cabeça, chamando minha atenção. O ar de curiosidade me pegou e eu comecei a pensar sobre o que estava acontecendo ali. Dei uma olhada e aquele vislumbre rápido me fez perceber que se tratava de um marinheiro. Esse povo não me agradava muito, a maioria eram hipócritas que zelavam por uma justiça e segurança que não refletia na realidade, e isso era o suficiente para que eu não confiasse neles. Não dei muita atenção aquilo já que não tinha percebido muita coisa, a situação apenas atiçou minha curiosidade natural e comecei a ficar mais atento sobre o que acontecia próximo ao armazém.

Falando no armazém; entrei e entreguei o presente a Bagi. Ela agiu da forma que imaginei: me deu uma branca e logo depois estávamos rindo e comendo chocolate. Em algum ponto da conversa, resolvi contar: —  Bagi, tenho uma novidade. Eu estava precisando de uma graninha, né... Falei com um tio hoje na feira e ele me disse que tava rolando uma oportunidade de ajudar no transporte de umas mercadorias aí. Parece de boa, vou chegar nisso. Não precisa se preocupar. É dinheiro limpo! —  Tentei tranquilizar a velha, mesmo achando que não seria fácil.

Senti necessidade de contar a Bagi o que me vinha na cabeça nos últimos dias: o desparecimento - ou melhor, o sequestro de Hedra. Esse tipo de pesadelo estava me atormentando, imaginei que se talvez eu conversasse com alguém, poderia tirar isso da minha cabeça. Não pude conter a expressão séria enquanto comecei o diálogo. — Bagi, lembra de quando eu era pivetinho? Quando eu ficava subindo e descendo por aí com aquele grupinho meu? – Levantei, um pouco nervoso, coçando a cabeça por ter que lembrar de algo difícil que só me trazia saudade pela leveza da época. — Véia, tu lembra da Hedra? A que foi sequestrada? Tô tendo pesadelos sempre com ela. Ela em si não me assusta, mas tem sido frequente. Não sei o que fazer. Tudo começa conosco brincando e depois ela some. Tô ficando doido já! A senhora sabe de alguma coisa que eu não lembre? Alguma coisa que me tranquilizasse, éramos muito moleques, e eu nem vejo mais os caras. Não sei onde andam, o que fazem... Acho que isso tá me fazendo mal.

Após dar uma desabafada, esperaria a resposta de Bagi. Quando concluíssemos, me despediria e seguiria até o local que o mercador avisou sobre o recrutamento de guarda-costas para acompanhar o transporte de mercadorias. Ao chegar no local, procuraria alguém que eu julgasse ser responsável pelo recrutamento, e caso não encontrasse de primeira, tentaria me informar com quem estivesse por ali. Ao encontrar, me candidataria calorosamente, com minha expressão séria e confiante: —  É aqui que tão precisando de um braço forte? Soube do trabalho de guarda-costas e tô disponível, só precisa dar as ordens!  






HISTÓRICO & STATUS:
OBJETIVOS:

Akuma Nikaido
Ver perfil do usuário
Imagem : 01. Alívio C7LTNQc
Créditos : 27
Re: 01. Alívio Seg Abr 25, 2022 6:56 pm


"Can't wake up in sweat, 'cause it ain't over yet
Still dancin' with your demons (victim of your own creation)"

Com tudo pronto, Dom partia para o armazém, não parando nem mesmo após ouvir algumas palavras sobre baderneiros. Tinha uma conversa importante com Bagi, falando a respeito de seus sonhos. A senhora sentava-se e olhava para ele, com um semblante triste no rosto. — Sonhos recorrentes possuem significado, Dom-chan. Talvez ela esteja te pedindo ajuda? Ou pode ser que você ainda se culpe pelo que aconteceu? Seu grupo nunca mais foi o mesmo depois daquilo...


Pegando mais um chocolate, sua avó continuava o discurso: — Não sei se você vai lembrar, mas seu grupo era muito comportado, apesar de toda a correria e gritaria. Depois daquilo vocês começaram a ficar mais rebeldes, como se procurassem se punir... Uma lágrima escorria de seu rosto, como que se estivesse perdida em lembranças. — Eu não gosto da ideia de você ficar rememorando esses tempos, mas talvez seja melhor do que ficar sonhando com eles... Por que não tenta procurar por seus antigos amigos? Talvez isso te ajude, de alguma forma.


Despedindo-se de Bagi, ia até o local citado pelo mercador e encontrava algumas carroças sendo carregadas com suprimentos e uma pessoa com um colete de couro curtido dando instruções. Após apresentar-se, ouvia a resposta:  — Já estamos com muitos contratados, garoto! Mas se quiser arriscar, pode vir conosco. Se precisarmos de sua proteção te pagamos ao final, do contrário, não receberá nada. Aceita? A proposta havia sido dada. Caberia agora a Dom aceitar ou não o trabalho.



Histórico:
Kin-Ho:


Dom Kin-Ho
Ver perfil do usuário
Imagem : 01. Alívio E913dc9f1a4f97fef5e9b62fbe33e330
Créditos : 05
Localização : East Blue - Dawn Island
Re: 01. Alívio Qua Abr 27, 2022 6:17 pm


Alívio.



Certo, Bagi. Vou seguir seu conselho. Vou atrás deles. — Foi como se a velhinha só tivesse expressado minhas vontades. Fazia tempo que eu queria me reencontrar com meus velhos amigos, talvez a insegurança tenha me impedido de fazer isso antes. Dei um beijo na velha, peguei minhas coisas e saí. — Tchau, véia, logo mais eu volto.

Enquanto estava no meu caminho, me decidi: iria atrás dos Capitães do Porto. Nitt, Arthy, Deko... Todos eles já eram homens que nem eu. Comecei a ficar curioso em como eles estariam agora, mas pretendia reencontrá-los com a mesma alegria de sempre. Tentei esquecer isso tudo, pelo menos por agora, devido ao novo desafio que era ganhar dinheiro.

Ao chegar no local de recrutamento encontrei um homem que pareceu estar dando  instruções. Me aproximei animado e falei aquilo que havia sido informado pelo coroa mercador da feira. Ouvi a resposta do recrutador e não contive a insatisfação no olhar. Não curti muito a ideia de ter a chance de perder meu tempo, mas tentei negociar. — Cara, eu garanto que protejo a mercadoria. Eu posso até ir na condição que você quer, mas porra, eu teria que ter pelo menos a garantia de que ganharia um saco de comida. Tenho que levar algum retorno pra véia em casa.

Soquei o punho contra o palmo, forçando os músculos, tentando passar confiança. Olhei dentro dos olhos do homem e afirmei. — E se alguma coisa quebrar ou for roubada, eu pago.

01. Alívio 2EP8rhc

Caso a estratégia colasse e o cara me contratasse garantindo pelo menos um saco de alimento, seguiria as instruções do recrutador. Caso contrário, daria as costas com um semblante estressado e procuraria ouvir pela cidade alguma outra oportunidade de emprego.




HISTÓRICO & STATUS:
OBJETIVOS:

Akuma Nikaido
Ver perfil do usuário
Imagem : 01. Alívio C7LTNQc
Créditos : 27
Re: 01. Alívio Sex Abr 29, 2022 6:49 am


"Fear, and panic in the air
I want to be free
From desolation and despair"

Dom decidia seguir os conselhos de Bagi e já pensava em seus antigos amigos. A prioridade no momento, entretanto, era ganhar uns trocados, e assim procurava primeiramente pelo empregador. Apesar do tom de negativa na voz do homem, nosso protagonista ainda assim tentava dobrá-lo, solicitando ao menos por comida. — Isso está incluso enquanto estiver viajando com a gente. A comida é para todos, relaxe.


Dizia, sem sequer dar-se ao trabalho de levantar o rosto para tal. Continuava a gritar ordens e terminar de arrumar a ordenação dos homens. Ao todo eram dez guardas contratados, formando um grupo bastante diverso. Haviam homens e mulheres, altos e baixos, atacantes de curta distância, de média e de longa, e até mesmo dois homens claramente acima do peso. Eram distribuídos em torno de dois comboios de pano negro, cada um com aproximadamente três metros de altura, cinco de largura e dez de comprimento.


O capitão começava suas explicações, enfim. — Nós estamos saindo daqui e vamos até Foosha, do outro lado da ilha. Queremos estar lá até amanhã pela manhã, então praticamente não pararemos. Intervalos de 10 minutos a cada 2 horas, e um intervalo de 1 hora ao longo do dia para uma refeição quente. Os dois homens rechonchudos, segurando uma clava cada um, soltavam um suspiro de descontentamento, mas nada mais diziam. — Kagomi e eu lideraremos o comboio, comigo sendo responsável pelo da frente e ela pelo de trás, então responderão a nós por qualquer eventual erro, entendido?


Era aí que Dominique via talvez a pessoa mais linda que já vira em sua vida. Aproximadamente 1,80m bem divididos em um corpo esguio, com um longo cabelo verde-musgo amarrado em rabo de cavalo. Olhos tão verdes que pareciam esmeraldas completavam a aparência de Kagomi, que segurava em suas mãos um arco recurvo longo. Utilizava um quimono branco e três aljavas ficavam dependuradas, uma em cada lado de sua cintura e outra em suas costas, garantindo 72 flechas prontas para serem disparadas.


Apesar da bela aparência, seu corpo torneado demonstrava a disciplina de alguém que treinava bastante e que não deveria ser encarada de forma leviana por ser mulher. Logo todos tomavam os seus postos, sobrando para Dom a posição de retaguarda à esquerda, ficando apenas cerca de três metros à frente de Kagomi, que observava tudo. A um comando duplo, finalmente o comboio começava a andar. Logo mais sairiam do reino de Goa.
Histórico:
Kin-Ho:


Dom Kin-Ho
Ver perfil do usuário
Imagem : 01. Alívio E913dc9f1a4f97fef5e9b62fbe33e330
Créditos : 05
Localização : East Blue - Dawn Island
Re: 01. Alívio Seg Maio 02, 2022 10:16 am


Alívio.




"Acho que esse sacana não me ouviu". Pensei, cocei o queixo e falei: — Quer saber? Vamo nessa. Dá as ordens aí, coroa! — Não escondi a empolgação, estava animado com a ideia. Me apoiei na borda de qualquer coisa que me aguentasse e comecei a ouvir a explicação enquanto observava meus colegas. Ri baixinho algumas vezes - tinha uma figuras engraçadas ali.

Passei o olho para entender a equipe, que era bem diversa. Achei isso curioso, como eu estava acostumado a sair por aí sozinho, uma oportunidade dessa poderia ser bom  para conhecer alguém diferente. Tinha gente de tudo quanto era tipo por lá. Continuei ouvindo a explicação para entender corretamente onde eu ficaria na formação do comboio, ouvindo com atenção as informações passadas pelo capitão. — Xii muita coisa, vou lembrar de nada. — Reclamei baixinho. Mas pelo menos iria me esforçar para lembrar de tudo o que me foi passado.

No meio de tanta gente feia, uma mulher muito bonita me chamou atenção. Kagomi era alta e tinha muita presença, seria difícil eu não ficar nervoso vendo aquela mulher. — Carai...essa daí parece ser braba. — Ri sozinho novamente. Normalmente eu não ria baixinho, mas eu estava tentando passar um pouco de seriedade ali. Apesar daquela beleza toda, parecia ser muito forte. Além de tudo, ela estava no comando também. Pouco tempo depois o comboio partiu. Abri um sorriso grande e novamente demonstrei empolgação. Poucas vezes havia saído de Goa, para mim aquele momento seria especial também.

Vamo! Nyaghaha!



HISTÓRICO & STATUS:
OBJETIVOS:



Última edição por Dom Kin-Ho em Qui Maio 12, 2022 11:50 pm, editado 1 vez(es)
Akuma Nikaido
Ver perfil do usuário
Imagem : 01. Alívio C7LTNQc
Créditos : 27
Re: 01. Alívio Qui Maio 05, 2022 8:50 am


"Maybe your mind is playing tricks
You sense and suddenly eyes fix
On dancing shadows from behind"

Dom não parecia muito satisfeito, mas levava as instruções numa boa, talvez até demais. — Vocês têm alguma dúvida? Perguntava o capitão. Se o garoto ainda quisesse perguntar algo, agora era a hora. Após tudo sanado, finalmente começavam a andar.


As horas passavam-se até que rapidamente, com o comboio avançando sem maiores problemas. De vez em quando tinham alguns problemas com animais selvagens, mas Kagomi resolvia rapidamente com algumas boas flechadas. Os rechonchudos aproveitavam para levar os animais abatidos, fazendo um ótimo cozido, inclusive, durante o horário do almoço.


O comboio avançava ao longo do dia e, finalmente, a noite chegava. Com a luz baixando, Kagomi alertava seus comandados, Dom, incluso: — Sinto que tem alguém nas sombras ao nosso redor, mas não consigo localizá-lo. Fiquem alertas!


Encontravam-se, nesse momento, próximos a uma clareira em uma densa floresta próxima a estrada que virava para Foosha. Não havia muito como se ver o que estava ao redor, pois era noite de lua nova e a claridade não era das melhores. O vento, por outro lado, bastante ruidoso, fazia com que as árvores farfalhassem e batessem galhos, criando uma atmosfera sinistra e dificultando até de se guiar pela audição. O que Dom faria?



Histórico:
Kin-Ho:


Dom Kin-Ho
Ver perfil do usuário
Imagem : 01. Alívio E913dc9f1a4f97fef5e9b62fbe33e330
Créditos : 05
Localização : East Blue - Dawn Island
Re: 01. Alívio Qui Maio 12, 2022 11:55 pm


Alívio.




Mais uma vez me vi impaciente. Era um blá blá blá do caramba e eu querendo que a ação começasse logo. O capitão falando isso e aquilo e eu sentado com a mão no queixo respondendo com os mais desatenciosos “ahams”. Em algum momento das explicações, demonstrei mais uma vez a impaciência para sair com aquele comboio em direção a Foosha. Para mim, não parecia muito complexo. Era simples até demais: vamos andando numa formaçãozinha e bater em quem tentar roubar a carga. Talvez bater em alguns bichos também.

Beleza coroa, tá certo! Vamo ‘simbora. — Um tom de voz alto e direto, quase suplicando que ele terminasse logo aquele falatório.

Até que começamos a andar.

Não estava ligando muito pro tempo pois estava tentando aproveitar o caminho. Observava tudo com os olhos arregalados pela curiosidade, querendo saber de tudo pela estrada. Poucos problemas até então, só alguns animais que apareciam de vez em quando que aquela tal de Kagomi resolvia cravando algumas flechas.

Você é boa, viu! — Não fazia questão de esconder elogios. Os animais abatidos acabaram virando um rango legal na mão dos gordinhos. — Caralho! Ficou gostoso hein. Hhehe, espero que vocês lutem tão bem quanto cozinham. Nyaghaha — Tentava socializar um pouquinho.

Em algum ponto começou a entardecer – rápido demais para que eu percebesse. — Vixe, já? Porra. Tomar cuidado agora. — Mudei um pouco a postura, começando a tratar a situação com um pouco mais de seriedade. Estávamos passando por uma mata fechada e um pouquinho assustadora, os galhos batendo com os ventos me deixavam um pouco arrepiado. — Deus é mais.

Estávamos próximos a uma clareira até ouvir a ordem de Kagomi. Comecei a me alertar também, observando ao redor tentando encontrar qualquer rastro ou som especifico que pudesse ser uma ameaça em potencial. Como estava muito escuro e a visibilidade estava baixa, não pude ter certeza do que estava vendo, mas qualquer sinal seria o suficiente para ficar de prontidão para alertar e proteger o comboio. Tentei usar também da minha boa intuição para conseguir ter alguma ideia do que possa estar nos cercando – caso algo estiver. Com as manoplas em punho, ficava em posição de briga.

Quem tá ai? — Inocente, talvez. Mas vai que a escuridão me responde.




HISTÓRICO & STATUS:
OBJETIVOS:

Akuma Nikaido
Ver perfil do usuário
Imagem : 01. Alívio C7LTNQc
Créditos : 27
Re: 01. Alívio Ter Maio 17, 2022 12:15 pm


"And I know you hear their voices
(Calling from above)
And I know they may seem real
(These signals of love)
But our life's made up from choices
(Some without appeal)"

Dom aproveitava sua missão quase como um garoto em uma excursão escolar. Para quem nunca havia saído dos arredores de onde crescera, aquela era uma excelente oportunidade para descobrir mais do mundo a seu redor. E as habilidades que cada um de seus colegas e superiores mostravam ao longo do caminho fascinavam o menino.


O avançar da noite trazia consigo sons e iluminações que faziam Dom arrepiar cada fio de cabelo de seu corpo. Um tanto quanto nervoso, perguntava quem encontrava-se naquele local, mas o que ouvia fazia com que fosse melhor ter ficado quieto. —MWHAHAHAHAHA!!


Risadas guturais vinham de todos os lados, como se fantasmas houvessem cercado o comboio. Como se em um surto coletivo, pernas começavam a tremer, caras de horror eram feitas e um a um os guardas pareciam embarcar nessa histeria coletiva, aumentando o pânico da situação. Até que, de repente, um barulho de flecha cortando o ar era ouvido. — AGHHHHH! Kagomi sorria, satisfeita, enquanto já alimentava seu arco com a próxima flecha. — Fantasmas não sentem dor. Recomponham-se!


Era daí que, repentinamente, quase trinta figuras saíam da mata ao redor, cercando o comboio e correndo na direção dos guardas. Apesar da pouca claridade vigente, Dom conseguia enxergar ao menos os quatro que chegavam próximo dele. Todos eram homens e jovens, possuíam corpos esbeltos, mas passavam um ar que não condizia com quem atacava um esquadrão de guarda: pareciam desesperados. E mais, cada um deles portava uma arma que remetia mais ao campesinato do que a um lutador; o primeiro segurava uma foice curta; o segundo, um serrote; o terceiro possuía um ancinho; e o último, este sim armado, carregava dois facões.



Histórico:
Kin-Ho: