Bem-vindo ao

All Blue

É com muito prazer que lhes damos os comprimentos ao nosso RPG. All Blue se trata de um RPG narrativo com o ambiente principal centrado em One Piece, obra de Eiichiro Oda.
Se divirta nessa nova aventura e se torne o novo rei pirata... Se puder!

Últimos assuntos
Crie sua Forma ZoanHoje à(s) 2:10 amporKira[FP] Valentine DécèsHoje à(s) 2:03 amporMasquesAto II — Tiro, Porrada e ÁguaHoje à(s) 12:46 amporFormigaCap 3 - Uma gloriosa evoluçãoOntem à(s) 11:40 pmporRexCidade do Pecado, 罪市Ontem à(s) 11:15 pmporKoji2 - Fat Bottomed GirlsOntem à(s) 11:05 pmporMakaShen IkimuraOntem à(s) 10:59 pmporFormigaTeste seu TemplateOntem à(s) 10:16 pmporSadakiyoCriação de AventurasOntem à(s) 9:38 pmporSadakiyoKit mestre JOntem à(s) 9:22 pmpormestrej

Cap 1 Confusão Ambulante

Kenshin
Imagem :
Cap 1 Confusão Ambulante Ahri
Créditos :
41
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t360-agatha-harkness https://www.allbluerpg.com/t1972-capitulo-iii-solsticio#21373
Kenshin
Desenvolvedor
Cap 1 Confusão Ambulante Sex Dez 10, 2021 11:53 pm
Cap 1 Confusão Ambulante

Aqui ocorrerá a aventura do(a) Civil Michael Ken Searchfoot. A qual não possui narrador definido.

_________________

Cap 1 Confusão Ambulante J09J2lK

"Ah, mas eu não quero ter dois caminhos ou ah, mas eu não quero ter caminho nenhum. Ué, você já pode porra, a única coisa que te impede de fazer isso é ser zé metinha e querer ficar comparando o tamanho do pau com o coleguinha pra compensar o ego frustrado." - Luquinhas, 2022
Mikey
Imagem :
Cap 1 Confusão Ambulante 350x120
Créditos :
05
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/
Mikey
Civil
Re: Cap 1 Confusão Ambulante Sab Dez 11, 2021 6:31 am



Post 1
Para Longe de Casa


Mikey recém havia acordado estava na sala de espera da família, os olhos vidrados no rosto de seu pai, o homem tinha uma expressão séria, o mesmo erguerá a mão até o topo de sua cabeça e com um movimento circular atingiu o rosto do Mike, as bochechas do mesmo ficaram vermelhas no mesmo instante, o jovem encheu os olhos de lágrima, fechou as mãos feridas com raiva, havia se metido em outra briga pela cidade, o garoto tinha chamado seu pai de bebâdo. -Pai eu só fiz isso por que disseram que o senhor era um bêbado, você abandonou os costumes de nossa família e o Mingo já foi embora e o senhor não lhe desejou nem sucesso, você se tornou um monstro com a morte da mamãe.- Não conseguia por um segundo parar de chorar e apertas os punhos com força, o homem se ergue da mesa que fez com que sua cadeira caísse para trás. -Não abra sua boca para falar da Layla, você não tem esse direito, você é só um adotado ela te amava, eu apenas aceitei você aqui dentro moleque, pode pegar suas coisas e ir embora desta casa como seu irmão miserável fez, ninguém aqui dentro será mais feliz do que eu, finalmente paz.-

Cap 1 Confusão Ambulante Shinjuro-252x300

Mike cairá de joelhos com a mão sobre o rosto não conseguia segurar as lágrimas. -Eu vou embora, mas eu vou ser muito mais forte do que o senhor, você é a nossa vergonha, Mingo é o orgulho desta casa, ele não deixará o sonho morrer, seu lixo! Você é um lixo RENGOKU, Layla não merecia ter você como marido, seu verme, não ama nem os próprios filhos.- Mike foi para seu quarto com os olhos vermelhos de tanto chorar, arrumava suas coisas para finalmente partir, não tinha o que levar, sairia apenas com a roupa do corpo e sua soqueira, a posicionou na mão de preferência...

Do lado de fora da casa após seu pai bater ela na sua cara, o mesmo se escorou na porta erguendo a cabeça para o céu e caindo em lágrimas. -Mamãe Layla, eu te amo tanto, me perdoa, mas não consegui salvar o papai da solidão, Mingo vai salva-lo, eu desisti, te amo... Eu queria que o pai me amasse também.-Antes de se recompor ouvia o choro de seu pai do outro lado da porta, um aperto no coração, aquela era a despedida de casa, O ETERNO ADEUS.

Cap 1 Confusão Ambulante Mikey-crying-mikey

O INICIO DA JORNADA

O garoto se pôs de pé enxugando as lágrimas, estava na hora de partir e deixar essa vida para trás, com passos lentos iria para o bar da cidade, precisava de informações, por morar muitos anos em Briss sabia exatamente o caminho até o local de sua escolha, no caminho se alguém atrapalhasse seu trajeto fecharia as mãos em punhos com raiva, pois não era um bom dia, era um dia triste para o garoto. -O que você quer? Não enche meu saco ou eu vou quebrar essa tua cara acabada, ta entendendo?- Após responder assim quem o interrompesse daria as costas para o mesmo e voltaria seu rumo até o bar.

Se conseguisse chegar no bar iria até o balcão conversar com o atendente, perguntaria ao mesmo coisas importantes que precisava saber, qualquer outra pessoa que ouvisse poderia responder. -Ei cara, sabe me dizer onde eu vejo os cartazes de procurados e se eu voltar com alguns aqui tu pode me dizer se tem alguém que pode estar em briss?- Mike iria procurar fazer dinheiro, pois partiu sem dinheiro algum, sua primeira tentativa era fazendo oque faz de melhor, bater nos outros, iria procurar algum criminoso para enfiar nele a porrada até o mesmo saciar a raiva que Mike estava sentindo.


Ganhos - Nada
Perdas - Nada
Ferimentos - Nada
Objetivos:
Explicação: meu personagem tem como foco apenas ganhar fama pela sua força, ou seja, briga é o ponto chave dele, o que vier é apenas bônus narrativo, vou desenvolver os objetivos dele conforme vou postando.



emme


Última edição por Mikey em Sex Dez 17, 2021 9:03 am, editado 1 vez(es)
Takamoto Lisandro
Imagem :
Cap 1 Confusão Ambulante XN7Hddl
Créditos :
04
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t355-takamoto-lisandro#1064 https://www.allbluerpg.com/t385-marinesagiotas-nao-sao-o-mesmo#1162
Re: Cap 1 Confusão Ambulante Sex Dez 17, 2021 12:53 am



Confusão Ambulante

- Inicio -


Ж

Bixo, tu é um menino. - Falou o barman com um sotaque puxado sendo nada caracteristico do Reino de Briss. - Tu tem quantos anos? Quartoze? Doze? - Ele limpava o copo de cristal recentemente limpo depois de uma boa tragada de rum, olhava os arredores identificando sua clientela, homens e mulheres de bem, gente animada beirando a inquietação, a ilha nunca foi tão prospera. Diferente do clima, o garoto tinha um gosto amargo na boca, tinha deixado seu pai para trás e uma raiva consumia seu peito, queria uma maneira de adquirir seu sustento, a primeira ideia que tinha tido era ir atrás dos criminosos famosos, alguns com recompensas por suas cabeças.

Eu te conheço muleque, só bate em piranguelo safado. Os homens que ganham cartazes são bem diferentes da laia que tu arrebenta na porrada. - Ele coçava seu queixo em desdém, a má fama do garoto era conhecida na ilha, porém não era isto que o faria ser temido por verdadeiros criminosos. - São piratas ou terroristas, é esse tipo de gente que tu vai querer enfrentar? Vai é passar mal ou até mesmo morrer. Graças a marinha não tem criminosos de peso, só uns zé trombadinha por ai que não merecem nem 10 berries pela cabeça.

O barman chamado Louis dava uma pequena lição no delinquente das redondezas. - Deixe a tarefa de capturar esse tipo de gente para o Bread. Ele sim é desenrrolado. - Apontava para o caçador de recompensas loiro com barba mal feita, sentava de pernas abertas em uma mesa redonda com diversas cadeiras, mas nenhuma ocupada. Bebia e sua cara se amargava na cerveja. - Que negócio ruim da preura! - Relatou bem alto, deu duas olhadas para o lado e continuou a beber.



_________________


Cap 1 Confusão Ambulante Lot8c27
Mikey
Imagem :
Cap 1 Confusão Ambulante 350x120
Créditos :
05
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/
Mikey
Civil
Re: Cap 1 Confusão Ambulante Sex Dez 17, 2021 10:05 am



Post 2
Quem é o Tio Bread?


-Sim, sou a porcaria de um menino.- Mikey não entendeu está frase sobre ser um menino, olhou o barman da cintura para cima prestando atenção em suas vestes. -Sim, eu sou bem novo, tenho a idade suficiente para me virar sozinho, sou um homem formado.- A cabeça de Mikey estava doendo de tanto chorar naquele mesmo dia, os olhos poderiam ainda estar avermelhados das lágrimas então evitou encarar o homem nos olhos, apenas mantendo o olhar a baixo do pescoço, olhando para o copo que estava sendo esfregado com um pano. -Você me conhece, talvez sejam os boatos que espalham de mim, fique sabendo que eu só bato em quem merece, são todos uns vacilões de merda, acredite em mim.- Enquanto pronunciava as palavras fechava a mão direita em punho e socava a mão esquerda lembrando-se dos socos que dava nos outros e os motivos de suas brigas. -Não se preocupa comigo, eu vou descer a porrada neles também, pode confiar ta entendendo, eu vou arrebentar a cara deles e conseguir dinheiro.- O homem parecia zombar do pequeno Searchfoot, este por sua vez não parecia se importar com as palavras, afinal era normal que duvidassem de um garoto de quatorze anos e de um tamanho peculiarmente nanico, que força um garoto assim teria, Mikey bateu a mão no balcão, rangeu os dentes e alertou o barman. -Você ta tirando com a minha cara? Eu já te disse que eu não ligo ta entendendo, eu vou arrebentar todos na porrada tio, ta moscando é, fica vendo.- O garoto não queria ser mal educado era apenas o seu jeito de lidar com as pessoas. -Ai tio, me desculpa falar assim, é que eu nunca sei como tratar as pessoas, elas parecem me provocar o tempo inteirinho.- Passado alguns segundos o barman informava para deixar a tarefa de caçar esse tipo de pessoas para Bread, apontando para um homem sentado em uma das mesas, estava sozinho, mas sua mesa tinha cadeiras disponíveis ao seu redor, Mikey pôs as duas mãos na cabeça entrelaçou os dedos e observou bem o visual do homem em especial, o mesmo estava fazendo uma careta que para Mikey parecia de nojo, as suas palavras deu a entender que a bebida era ruim. -Você vende coisa podre aqui neste bar tio? Que criminoso vendendo bebida ruim na cidade.- O jovem zombava da bebida em troca de ter sido desmerecido pelo dono do bar, era uma moeda de troca equivalente. -Tio, me desculpa por incomodar viu, se eu tivesse dinheiro eu pagava pelas informações, na verdade você não me deu informação nenhuma, mas me mostrou alguém importante, tchau tchau tio.- Mikey virou as costas para o homem, o menino estava empolgado, acenou para o barman e seguiu caminho até a mesa do caçador de recompensas. No caminho de aproximação desviaria das pessoas que estivessem em seu caminho, ou as empurraria de leve com a mão esquerda para que saíssem de seu caminho. -Saiam da minha frente fazendo a desgraça do favor.- Ao se aproximar da mesa o menino sem medir suas ações educativas puxaria uma das cadeiras sentaria na cadeira bem na frente do caçador de piratas, lhe estenderia a mão de imediato e se apresentaria. -Eu sou o Michael, mas me chama de Mike pelo amor de deus.- Se o homem mandasse se retirar apenas seria ignorado, Mike era o tipo de pessoa que irritava os mais velhos com suas atitudes desrespeitosas, caso as coisas esquentassem e fosse rolar violência o menino seria ágil nas palavras. -Para né cara, sabe nem se comportar, vamos manter a calma e me escuta por favor.- Diria isto pondo os pés na borda da mesa e empurrando a mesa em direção do caçador para impedir que o mesmo se levantasse e partisse ao ataque, se não houvessem nenhuma situação ofensiva ou se conseguisse segurar o homem na mesa e mante o mesmo sentado o diálogo iria se seguir conforme o andar da carruagem. -Muito bem, eu quero formar uma dupla com o senhor para pegarmos os bandidão, ou apenas uma ajuda, é que eu preciso muito chegar no West Blue, e eu tenho que ter algo a oferecer para os navios de viagem, não posso chegar com as mãos abanando pedindo carona, que dizer, eu acho que eu não possa fazer isso.- Agora analisa a situação e o visual completo do Tio Bread. -Tio, eu não quero ser um caçador de recompensas oficial, quero apenas fazer um dinheiro para vazar dessa cidade, me ajuda ai vai, te dou 10% de todo dinheiro que eu fizer, para você não é perda nenhuma me ajudar, se eu fracassar não mudará nada na sua vida e se eu obter sucesso você ganha uma parte da minha grana, que tal? Afinal você é um mercenário, não é tio?- Se o homem negasse o companheirismo Mike optaria por outra abordagem, a mesma que teve com o homem do bar. -Então me diz se tem algum procurado na cidade, ou onde posso achar os cartazes de procurados das pessoas que podem estar ou não aqui, apenas uma luz é oque te pedirei já que se nega a me ter como dupla.-

Considerações:
Não se preocupe da narrativa ficar pequena, eu fiz uma postagem ruim incial e não deu muito para ter o que interagir, e creio que a segunda também não fique tão boa

Ganhos - Nada
Perdas - Nada
Ferimentos - Nada
Objetivos:
Explicação: meu personagem tem como foco apenas ganhar fama pela sua força, ou seja, briga é o ponto chave dele, o que vier é apenas bônus narrativo, vou desenvolver os objetivos dele conforme vou postando.



emme