Tópicos Recentes
Destaques
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Últimos assuntos
Registro de PhotoplayerHoje à(s) 12:58 pmpor  FormigaOperação T.N.C.T.O.N.I.Hoje à(s) 5:25 ampor  PepeTerra em TranseHoje à(s) 5:10 ampor  AchilesAnjo CaídoHoje à(s) 4:25 ampor  KojiRelações Beni : )Hoje à(s) 4:19 ampor  BenisuzumeOs Monarcas - I Efeito BorboletaHoje à(s) 3:34 ampor  O TaverneiroSolomonHoje à(s) 2:43 ampor  RangiAs Crônicas dos Scavenger: A Leoa, o Louco, e o MudoHoje à(s) 2:42 ampor  KojiSharp Teeth and Hard Fists.Hoje à(s) 2:15 ampor  KiraBenisuzume L. FlurioteHoje à(s) 2:03 ampor  Benisuzume
 :: Oceanos :: Blues :: South Blue :: Petra Yuni
Página 1 de 1
Admin
Ver perfil do usuário
Imagem : Petra Yuni GRh51xf
Créditos : 25
Localização : Sirarossa
AdminAdministrador
https://www.allbluerpg.com/t270-bjarke-hallet-flamesguard https://www.allbluerpg.com/t299-i-juros-simples#870
Petra Yuni Dom Maio 02, 2021 4:57 pm


Petra Yuni




INFORMAÇÕES

Nome: Petra Yuni.
Sistema de Governo: Oligarquia.
Regente: Surwi Ahi.
Densidade Populacional: Média.
Religião: Nenhuma predominante.
Clima: O verão é longo, escaldante e árido; o inverno é ameno e seco. Durante o ano inteiro, o tempo é de céu quase sem nuvens. Em geral, a temperatura varia de 9°C a 43°C e raramente é inferior a 5°C ou superior a 45°C. Por outro lado, especificamente no Salar de Luliwa, a temperatura média anual é de 6°C; no inverno as médias estão em torno de -8°C e, no verão, de 15°C.
Temperatura Média: Entre 16ºC e 20ºC
Geografia: O solo da ilha é majoritariamente infértil, com exceção das terras que margeiam o Grande Rio Alhaya, cuja extensão inicia ao sul da ilha, próxima de Arosa, e deságua ao leste. O norte da ilha é coberto pelo famoso Salar de Luliwa, o maior deserto de sal conhecido, deixando uma paisagem desértica com sal branco e claro, formações rochosas verticais e pequenos oásis em que se pode encontrar água doce. Há poucos animais, predominando condores, águias, flamingos, lagartos de médio e grande porte e outros animais e aves típicos desse ecossistema.



HISTÓRIA

Petra Yuni é uma das ilhas mais antigas e tradicionais do South Blue. Por conta de sua localização atípica e bastante afastada, seu clima é quente e desértico, incomum para os Blues, sendo fadada a ser uma rocha sem vida no oceano. Entretanto, foi desbravada há muito tempo por viajantes e exploradores que buscavam extrair riqueza de terras longínquas, conta-se que os primeiros habitantes foram nômades que ficaram presos e tiveram que se adaptar rapidamente para sobreviver.

Pouco convidativa, a ilha nunca foi um destino muito almejado. No entanto, Petra Yuni pode oferecer uma cultura rica e milenar, uma culinária única - visto por muitos como exótica - dado a predileção por répteis e aves de carne densa, diversos temperos e pimentas com alto nível de picância. O mercado principal da cidade é bastante requisitado principalmente por caçadores de iguarias, já que o sal da região tem menos sódio e de alguma forma é mais nutritivo.

A ilha enriqueceu devido ao famoso Salar de Luliwa, também chamado de “Oceano Perolado”, mesmo depois de séculos de exploração ele oferece centenas de quilômetros de puro sal disponível, extraído a partir de um complexo sistema desenvolvido por seus habitantes e engenheiros. É o sal mais exportado de todo o oceano, alcançando até mesmo a Grand Line. O sal é um símbolo nacional bastante forte e presente, portanto é muito comum que os mais nobres se vistam de branco, ornamentados com muitas jóias, assim como a armadura da Guarda Nacional ser quase que completamente branca, apenas com alguns detalhes dourados, representando a riqueza do país junto com seu maior tesouro.

Por conta da economia ser baseada no comércio, são os comerciantes que possuem maior prestígio, e consequentemente os que controlam a política. Anteriormente, a ilha era regida por teocratas que perderam sua força devido a descrença da população, e eventualmente uma rebelião financiada pelos homens mais ricos derrubou os tiranos. Durante um período, o poder foi assumido pela aliança dos clãs mais poderosos, formada por um conselho de cinco homens, cada um deles representando um dos clãs milenares que já tinham o controle econômico. Após sucedidas reformas e acordos, apenas um homem compõe a regência, que, apesar disso, ainda mantém a oligarquia patriarcal dos comerciantes que possuem grande influência política por trás dele. A rotatividade administrativa é realizada a cada cinco anos, através de uma votação interna.

O atual regente é Surwi Ahi, e assim como a maioria dos oligarcas, desaprova a presença da Marinha e prefere optar pela guarda nacional para controlar seu povo, portanto é bastante raro encontrar marinheiros e agentes, mesmo que ela seja uma ilha filiada ao governo. Isso torna a ilha atrativa para criminosos fugitivos, bandos de pirata e revolucionários, isso também a tornou um polo para caçadores de recompensas e mercenários que muitas vezes são pagos para agir junto da guarda nacional.


LOCAIS IMPORTANTES

Arosa

A cidade portuária de Petra Yuni, localizada ao sul da ilha  e na margem direita do Grande Rio Alhaya. É a maior cidade, portanto concentrando a maior parte da população. A primeira vista parece monocromática e sem vida, mas basta adentrar suas ruas para se deparar com a riqueza cultural que a Arosa oferece.

Por conta da escassez de recursos, concentrados entre os clãs mais ricos, a ilha enfrenta problemas de criminalidade, sendo o palco de famosas gangues de ladrões, mercenários e caçadores de tesouros e recompensa. Os saqueadores estão por todas as partes, portanto é comum que forasteiros estejam sempre caindo em golpes, furtos ou até mesmo investidas perigosas. Comerciantes estrangeiros preferem realizar suas negociações no porto, escoltados por homens fortemente armados e preparados, normalmente os próprios mercenários e caçadores de Arosa que oferecem esse tipo de serviço de proteção.

Mercado de Arosa: Ele é o principal ponto comercial da ilha, que se estende por dezenas de quarteirões no centro da cidade e funciona durante quase 16 horas por dia. É possível encontrar diversas carnes, temperos, grãos, roupas, tecidos e o famoso sal de Petra Yuni, que pode ser comprado e revendido por até 5 vezes o seu valor em outras ilhas. Por conta das escavações no salar, o mercado também conta com muitos especialistas de artefatos, relíquias, jóias e similares, que podem pagar um bom valor por artefatos encontrados na região. É um prato muito bom para arqueólogos.

Palácio de Sal: O Palácio de Sal é uma grande estalagem branca e dourada localizada entre o Salar de Luliwa e Arosa. Começou como um posto avançado feito pelos próprios mineradores, porém foi adquirido por um comerciante e se transformou em uma taverna de três andares com algumas dezenas de quartos. No térreo funciona uma taverna que serve comida aos trabalhadores da região, mas principalmente as famosas bebidas típicas da ilha, desde o café com especiarias locais, o drink de damasco e tâmaras, até as mais tradicionais bebidas alcóolicas. O mais impressionante é que a construção é feita quase que inteiramente de sal, o que atrai muitos turistas, e a estrutura se mantém devido a proximidade do Salar, cuja temperatura é mais amena do que no centro da cidade de Arosa. Por conta de sua localização estratégica, é um lugar extremamente movimentado e fortemente protegido por guardas, para evitar possíveis saques.

Centro da Guarda Nacional: Uma grande caserna militar que fica próxima ao Palácio de Sal, ela é como uma mansão gigante que abriga todos os membros da guarda diariamente já que muito a usam como pousada de descanso. Sua estrutura é firme e tem uma coloração amarronzada, que faz parecer a cor de areia, ela fica situada de maneira verticalizada, em um tipo de “morro” mais alto, provavelmente para receber certa vantagem estratégica caso seja atacada. É normal ver recrutas sendo treinados nos arredores.

Bar Sarcófago Vermelho: O bar favorito dos caçadores de recompensa e mercenários locais. Um lugar que vende os mais variados tipos de bebidas, e possui um segundo andar com quartos disponíveis para estadia por preços amigáveis ao dia. É um lugar diferente quando comparado a maior parte das casas da região, em geral as casas são de cor única sem muitos detalhes, mas aqui o lugar é vermelho vivo com real intuito de chamar atenção. Além disso, realmente lembra um sarcófago visto de cima.

Porém sua fama não se dá apenas pela cor chamativa, pois isso não permitiria que ele competisse com o Palácio de Sal, mas pelo fato de sua dona angariar espetáculos de dança dentro do lugar, sua parte interna tem um pequeno palco, onde algumas das moças mais lindas da cidade apresentam a dança do véu noturno. Uma dança difícil que envolve acrobacias complexas, elas usam faixas para se agarrar em estruturas no teto em algumas partes, além do próprio contorcionismo, porém ele só abre a noite e por ficar quase do outro lado da cidade, o palácio branco ainda é o mais frequentado.

Bandoleiros do Sal: Uma guilda de mercenários especializada em missões de proteção e assassinato. Eles em geral topam quase qualquer coisa, desde que pague bem e não acabe com sua reputação. A sede da guilda fica afastada da cidade, ficando num recanto quase esquecido que praticamente adentra no Salar, a escolha do lugar é pela temperatura fria ser a preferência da líder. Eles são uma casa simples e pequena, com janelas especiais que tem espaço para colocar a ponta da arma.  Na entrada um cartaz que diz “Traga o dinheiro e faremos o seu trabalho” é comum que se veja pela porta quando aberta um balcão. O portão é de aço e é duplo, sendo duas portas que se fecham ao centro.

Cidade Siwe

Uma cidade pequena ao leste de Arosa, grudada no rio Alhaya, bem próxima inclusive do seu ponto de deságue. Ela até pouco tempo era considerada um distrito, mas conseguiu sua independência da cidade principal. Sua maior fonte de renda é a pesca, eles começaram a caçar um truta especial que, por se alimentar de minerais estranhos de Petra Yuni, se tornou maior que o normal e de alguma forma a bexiga natatória desses peixes tem dentro dela um óleo especial extremamente inflamável. A cidade é bem humilde e não tem um governante determinado, é mais um acordo entre os comerciantes dali.

Casa de Pesca Yaw: É onde os pescadores e comerciantes da vila se reúnem, eles fazem a remoção do óleo especial da truta e colocam em pequenos potes para venda, eles também possuem alguns outros produtos comercializáveis, como pomadas feitas com fígados de peixes específicos para queimaduras. O local é uma casa simples colada no rio com madeiras suspensas e uma canoa que fica amarrada ali, que provavelmente eles usam para navegar.

Feira de Siwe: É um evento que toma todo um quarteirão da cidade, com diversas barracas espalhadas. Lá eles vendem bijuterias fabricadas por cidadãos da cidade e várias lembrancinhas para aqueles que visitaram o lugar. Alguns vendem armas em barracas um pouco mais bem feitas que escondem a mercadoria mais pro fundo, isso se dá por que eles tentam evitar que as pessoas os olhem estranho, mesmo que a venda de armas não seja proibida os habitantes de Siwe não gostam muito de ver elas expostas.

Tenda do Futuro: Ela é como poderia dizer… Um lugar misterioso, é uma pequena casinha, que possui um teto circular branco, com algumas linhas roxas que parecem escorrer de seu topo. Apenas uma entrada e uma saída visível, apesar de haver uma saída secreta desconhecida por todos. Lá habita uma mulher milagrosa, chamada por muitos de Dona Destino. Ela lê o futuro das pessoas e dá conselhos para suas vidas, além disso, vende diversos remédios para doenças diversas, faz sessões de massagens e curas milagrosas. É um ambiente estranho, mas que muitas pessoas vão para atestar a veracidade das lendas que envolvem essa mulher.

Salar de Luliwa

Um extenso deserto de sal que cobre quase metade da ilha, localizando-se no norte de Petra Yuni. A principal fonte de renda comercial, possui diversas formações salinas e formas de extrair esse recurso, desde estranhas colunas verticais ou até mesmo a extração direta do solo. O Salar está sempre repleto de mineradores, que são capazes de garantir seu sustento. As companhias e clãs responsáveis pela extração mantém seus trabalhadores bem protegidos, para evitar ataques de ladrões nesta região.

Devido ao seu tamanho, é muito comum que as formações rochosas sirvam de base e abrigo para bandidos, ou pessoas buscando se distanciar da sociedade, portanto é muito perigoso desbravar o Oceano Perolado desprotegido e desacompanhado. Apesar disso, as paisagens são deslumbrantes, pois o sol reflete no sal de uma maneira única e cria a ilusão de que as pessoas estão de fato andando sobre o oceano.

O deserto é palco de inúmeras lendas e histórias, com algum fundo de verdade, incentivando a caça de tesouros entre os moradores mais ousados ou os mais gananciosos, que desejam revender os artefatos históricos ou simplesmente viver uma aventura

Minas de Sal: Um pequeno conglomerado de construções feitas dentro do Salar para que a extração de sal possa ser mais segura e confortável, geralmente contendo comida e água em um depósito para que os moradores possam se manter bem. Lá é comum ver-se uma grande quantidade de pessoas trabalhando. Coletores pra lá e pra cá com carrinhos lotados de sal bruto, vários guardas sempre por ali rondando a região. E claro aquele belíssimo mar de sal que reflete o sol.

NPC's IMPORTANTES

Surwi Ahi
Descrição: Oligarca que representa o Clã Ahi, atual detentor de aproximadamente 75% da extração, produção e exportação de sal. Por conta de seu poder e sua riqueza, Surwi é altamente respeitado pelos cidadãos e pelos demais comerciantes, muitas vezes sendo responsável por lidar diretamente com negociantes. Ele é um homem extremamente organizado e não suporta que as coisas assumam um rumo caótico, ele planeja meticulosamente todas as suas ações, e estabelece planos de comercio perfeitos.

Além disso, sua natureza ordeira se estende a seus hábitos, algo que pode ser perigoso pois sua rota é quase sempre exata. Ele come no mesmo restaurante todos os dias, sempre no mesmo horário, e igualmente visita o comércio logo após isso, volta para a sua casa e faz todo o trabalho de planejamento e vai para o bar sarcófago vermelho a noite, seguindo uma rotina muito padronizada. Tirando isso sua personalidade é a de um homem sério, centrado, quase sempre irredutível em suas opiniões e pontos de vista.
Nível: 03
Estilo de Combate: Espadachim.

Núbia Ibrahim
Descrição: A dona do Sarcófago Vermelho, uma mulher poderosa que carrega consigo uma presença encantadora, quase sempre se veste de vermelho, com roupas chamativas, carrega consigo um leque e um prendedor que usa para deixar seus longos cabelos negros escondidos. Ela em geral é uma negociante e apresenta já de cara um carisma notório, usa palavras finas para se comunicar e tem um grau muito bom de percepção. Ela nota rapidamente pequenos incômodos e pequenas felicidades das pessoas com as quais conversa, o que faz com que ela, em grande parte das conversas, consiga garantir interações agradáveis e favoráveis para ela.

Os líderes dos clãs da cidade, incluindo o atual oligarca, adoram ela e fazem praticamente tudo para ajudar ela a manter seu bar e seu show vivo, inclusive fornecendo mais guarnição nas noites de apresentação da dança do véu noturno. Ela tem uma risada característica por ser bem suave e diferente, um simples “KuKuKuKu” que fica marcado na mente daqueles que bebem com ela, o que não é algo muito difícil, já que é quase um ritual oferecerem bebida e trocarem uma conversa agradável com ela em seu estabelecimento.
Nível: 02
Estilo de Combate: Taekwondo

Néftis Ahmad
Descrição: A mulher dos palcos que lidera o grupo de dançarinas do Sarcófago Vermelho, ela é a única mulher mais famosa que a própria Núbia, sendo ela sua amiga pessoal e confidente. Ela se apresenta sempre com um sorriso no rosto, pronta para o show. Ela cativa a todos com seus movimentos suaves e impressionantes, sendo assim uma acrobata muito competente além de uma dançarina exemplar.

Ela está sempre em busca de novos talentos e tende a oferecer oportunidades para pessoas que queiram demonstrar um bom show, ensinando suas técnicas e buscando sempre novos talentos, se uma pessoa cair em suas graças, pode até mesmo receber um bom cachê se apresentando ao lado delas no estabelecimento, porém ela só aceita mulheres em seu grupo.
Nível: 02
Estilo de Combate: Não Luta.

Isis Rashidi
Descrição: Muitos apenas ouvem a risada dela como o último som antes de perder sua vida, um estridente “KISHISHISHI” que pode marcar a felicidade ou a tristeza de alguém, dependendo de que lado está. Ela é a líder da guilda de mercenários Bandoleiros do Sal. Ela é uma mulher extremamente gananciosa que pega os contratos mais difíceis da ilha, eliminando todos os tipos de alvos que passarem por seu caminho, sempre armada com seus revólveres, chamados de Marte e Vênus. Além disso, carrega seu rifle de precisão nas costas, de nome Júpiter.

Além de tudo ela é sempre receptiva a novos membros na sua guilda, desde que estes aceitem a regra principal, os lucros não são divididos, apenas aquele que derrotou o inimigo, fica com a recompensa. O que torna eles um pouco desorganizados às vezes e gera alguns conflitos com o chefe da guarda nacional, mas mesmo o chefe considera Isis um mal necessário.
Nível: 04
Estilo de Combate: Atiradora.

Chefe da Guarda Horus
Descrição: Horus é um homem extremamente gentil e cuidadoso, ele gosta de ajudar os mais necessitados e é comum que faça extensas doações aos abrigos e orfanatos da ilha. Sendo conhecido como o “Gentil Corte Esmeralda” isso se dá pelo fato de que ele sempre luta com uma feição calma e serena no rosto. Os ataques de sua espada parecem tão rápidos e leves que deixam um brilho verde quando passam no ar, provavelmente fruto de suas luvas esverdeadas.

Ele sempre termina suas lutas tentando evitar matar seus oponentes, o faz apenas quando realmente é obrigado, isso faz com que muitos homens da guarda não o achem adequado para o posto de líder, mas nenhum foi capaz de vencer ele em um duelo para provar seu ponto. A questão é que Horus nunca foi derrotado em combate antes, já foi ferido diversas vezes, mas sempre voltou com a vitória e por isso o velho Chefe da Guarda o nomeou antes de se aposentar. Apesar de toda sua gentileza e calma, ele não é bobo, na verdade é um homem experiente e estratégico, liderando perfeitamente suas tropas quando necessário. Na verdade, o que lhe permite lutar de modo não letal é além de sua força, justamente essa avantajada capacidade estratégica.
Nível: 04
Estilo de Combate: Espadachim.

Zayn Youssef
Descrição: O comerciante que adquiriu o Palácio de Sal, sendo um dos mais poderosos de todo o lugar, ele deseja ascender a líder da ilha, ficando no lugar do já velho Surwi. Ele atualmente está quase sempre no palácio, lidando diretamente com clientes, fato que o faz ter grande visibilidade.

Ele é um rapaz muito querido na ilha e tem recebido bastante visitas de pessoas importantes, já que seu pai faleceu recentemente deixando todo o clã Youssef para ele. A maioria dessas pessoas acha que ele é um líder fraco, mas a verdade é que ele é muito mais obstinado que seu pai e busca a grandeza acima de qualquer coisa.

Ele está sempre contratando mercenários, sempre manejando algumas mortes, mas, claro, ninguém sabe o porque exatamente e nem o que ele quer fazer. Sua risada também tem um destaque, algo que soa como “Shurorororo”. Ele também está sempre contratando cozinheiros, em especial que tenham bom conhecimento sobre Drinks.
Nível: 03
Estilo de Combate: Pugilista.

Altair Youssef
Descrição: O meio irmão de Zayn, filho da segunda esposa de seu pai, o que faz dele um meio homem-peixe, porém ele nasceu com algumas deficiências, sendo elas dois olhos a mais que não enxergam, mas que se movem junto do olho direito dele, e 2 braços em cada lado do corpo.

Seu pai gostava muito dele, até mais do que do próprio Zayn, no entanto o temperamento esquentado do garoto fez com que ele se envolvesse em muitas brigas, se rebelando e fazendo com que o clima do lugar não fosse dos melhores quando a coisa esquentava. Depois de muita tristeza, o falecido pai deles, como um tipo de punição, jogou o meio tritão para as minas.

Porém ele não se tornou um minerador qualquer, ele é chefe de mineração e comanda os contratos para aqueles que desejam minerar sal. Ou seja, todo o trabalho com sal passa por ele. Seu estilo meio punk é algo que quase todos os moradores estranham, já que ele é louco por uma banda de rock de Toroa, que ele ouvia quando pequeno.

Ele chefia os mineradores com bastante tranquilidade e quase todos gostam dele, exceto pelo fato de que, às vezes, ele explode sem um motivo justo, ofendendo todos ao seu redor e quebrando algumas coisas no processo. Apesar disso, se sente orgulhoso por não ter batido em ninguém nos últimos dois anos, sem contar os criminosos é claro, já que gosta de lutar e às vezes auxilia os guardas quando é necessário.
Nível: 03
Estilo de Combate: Karatê dos Homem-Peixe.


Aisha Noury
Descrição: Aisha era uma médica e psicóloga que originalmente se especializou em hipnose para prática de retrocesso. Acontece que depois de perder seu marido e filho nas minas de sal, ela acabou enlouquecendo, começou com pequenas superstições, e de algum modo ela verdadeiramente acredita que consegue prever o futuro, ler as mãos e compreender o que acontece com as pessoas.

Isso fez ela fundar a Tenda do Futuro e, por conta dos seus remédios e tratamentos realmente serem eficazes, as pessoas passaram a acreditar no seu trabalho como cartomante, principalmente por que ela faz diversos retrocessos com hipnose que ajudam muito a tratar alguns desarranjos psicológicos. Assim, ela foi adquirindo a simpatia popular, se tornando realmente a curandeira principal de Siwe.

Tirando suas crenças supersticiosas e trabalhos de tarot, ela é uma curandeira muito competente e uma pessoa carismática, boa de se conversar, tendo uma lábia que faz mesmo as pessoas mais céticas acreditarem nela, pois ela não está contando lorotas, ela acredita piamente em tudo que diz.
Nível: 02
Estilo de Combate: Não Luta.


_________________

Petra Yuni WcCcIuX