All Blue RPG

Um RPG narrativo baseado no universo de One Piece, obra criada por Eiichiro Oda.
 
InícioCalendárioFAQProcurarMembrosGruposRegistarEntrar
Últimos assuntos
» [Narrada/Fechada] 1 - Vozes
World Legacy Scars - Página 3 Emptypor Ryanletony Sáb Abr 20, 2024 11:15 pm

» [Narrada/Fechada] Força x Magnética
World Legacy Scars - Página 3 Emptypor Shiro Sáb Abr 20, 2024 12:33 pm

» [Narrada/Fechada] Sigam as Borboletas
World Legacy Scars - Página 3 Emptypor Wesker Sex Abr 19, 2024 7:42 pm

» Zulkras
World Legacy Scars - Página 3 Emptypor Takamoto Lisandro Ter Abr 16, 2024 1:40 pm

» [TUTORIAL] - MAURICE
World Legacy Scars - Página 3 Emptypor Maurice Seg Abr 15, 2024 12:06 am

» [Narrada/Aberta] Lia, a Guerreira do Mar
World Legacy Scars - Página 3 Emptypor mestrej Sáb Abr 13, 2024 6:07 pm

» Cap 1 ~ Piratas Indomáveis em Sabaody
World Legacy Scars - Página 3 Emptypor Blind1 Ter Abr 09, 2024 7:00 pm

» [TUTORIAL] - Erj Euclid
World Legacy Scars - Página 3 Emptypor Erj Euclid Ter Abr 09, 2024 3:28 pm

» [Autonarrada/Fechada] - A Duke's Return and a Queen's Will.
World Legacy Scars - Página 3 Emptypor Kenshin Sex Abr 05, 2024 11:58 pm

» RP Player - Ficha Yang (Douglas)
World Legacy Scars - Página 3 Emptypor Takamoto Lisandro Sex Abr 05, 2024 8:44 pm

» Crie sua Forma Zoan
World Legacy Scars - Página 3 Emptypor Jonas Hatake 007 Sex Abr 05, 2024 7:38 am

» [FICHA] - Kuro Dragunov
World Legacy Scars - Página 3 Emptypor OverLord Qua Abr 03, 2024 9:08 pm

» Mr.Joy
World Legacy Scars - Página 3 Emptypor gmasterX Qua Abr 03, 2024 2:46 pm

» [Ficha NPC Companheiro] Meghan Strongbody
World Legacy Scars - Página 3 Emptypor Tanaka Qua Abr 03, 2024 12:10 pm

» Registro de Photoplayer
World Legacy Scars - Página 3 Emptypor Mizzu Qua Abr 03, 2024 11:50 am

» [FICHA] Meera
World Legacy Scars - Página 3 Emptypor Mizzu Qua Abr 03, 2024 11:45 am

» Meera
World Legacy Scars - Página 3 Emptypor Mizzu Qua Abr 03, 2024 11:45 am

» [FP] - Ajaw "Jack" K'iin
World Legacy Scars - Página 3 Emptypor Mizzu Qua Abr 03, 2024 11:12 am

» [Narrada/Aberta] Mei Homi, Mei Fera. Revo Total
World Legacy Scars - Página 3 Emptypor Sagashi Ter Abr 02, 2024 9:51 pm

» Claire Allim Rac
World Legacy Scars - Página 3 Emptypor King Ter Abr 02, 2024 6:21 pm


------------
- NOSSO BANNER-

------------


 

 World Legacy Scars

Ir para baixo 
3 participantes
Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Seguinte
AutorMensagem
Kenshin
Desenvolvedor
Kenshin


Imagem : World Legacy Scars - Página 3 VB1QKO4
Créditos : 75

World Legacy Scars - Página 3 Empty
MensagemAssunto: World Legacy Scars   World Legacy Scars - Página 3 EmptySeg Out 11, 2021 12:23 am

Relembrando a primeira mensagem :

World Legacy Scars

Aqui ocorrerá a aventura do(a) Marinheiro Kain Belmont. A qual não possui narrador definido.

_________________

World Legacy Scars - Página 3 J09J2lK
Ir para o topo Ir para baixo
https://www.allbluerpg.com/t360-agatha-harkness https://www.allbluerpg.com/t2343-capitulo-i-poesia-com-uma-espada

AutorMensagem
Pepe
Avaliador
Pepe


Imagem : World Legacy Scars - Página 3 IpwxvrX
Créditos : 28
Localização : Masquerade – 4ª rota

World Legacy Scars - Página 3 Empty
MensagemAssunto: Re: World Legacy Scars   World Legacy Scars - Página 3 EmptySeg Nov 22, 2021 3:49 am



Narração

Kain
Localização: Swallow - North Blue
Período do dia: Almoço

Com uma nova informação sobre um possível açougue diferente do primeiro, Kain simplesmente não mostrava muita preocupação com aquilo no momento e perguntava para a menina se ela já havia visto o menino da foto. A criança estranhava um pouco a foto. — Tanaka-kun? Ele parece assustado na foto — falava ela. — Conheci ele ontem — completava a garotinha. A médica perguntou um simples por quê? E então a menina falou. — O pai dele ia beber no bar ao lado e perguntou se ele podia ficar aqui brincando enquanto isso — respondia ela. — Meu pai geralmente não aceitaria, mas depois de conversar com o homem por um tempo ele aceitou — fofocava a garotinha. — Mas Takana-kun era meio chato... não reagia muito quando eu falava algo ou fazia.

Com aquilo em mente, antes de saírem, a médica fazia outra pergunta para a pequena. — Onde que é o açougue dos seus pais? — E após a pergunta de Shima, ouviram a menina falando. — É alguns quarteirões daqui, na direção do quartel de vocês — e com aquilo via que a legista sorria, imaginando onde poderia ser.

Saíam da casa e iam para o bar logo ao lado. Com mais informações e uma que era realmente estranha em relação a noite anterior. Kain batia a porta do bar e perguntava se podia entrar, onde só ouvia o dono do lado de dentro falando para ele entrar e só ter cuidado com o chão, pois poderia escorregar.

Ao entrar, a mesma cena de antes, o dono ajoelhado esfregando o chão. — Espero que não tenha problema em não encarar vocês de frente, quero terminar de limpar isso aqui o quanto antes — falava Hideki concentrado no chão enquanto Kain e Shima iam entrando. Percebia que o chão estava realmente coberto de sabão e água, boa parte do sangue já havia sido limpo.

Legenda:

Histórico:

Icons made by Freepik from www.flaticon.com

Ir para o topo Ir para baixo
https://www.allbluerpg.com/t321-aiko-saito#935 https://www.allbluerpg.com/t1723-operacao-p-a-r-a-d-i-s-e
Tidus

Tidus


Imagem : World Legacy Scars - Página 3 Fsc2GdZ
Créditos : 12

World Legacy Scars - Página 3 Empty
MensagemAssunto: Re: World Legacy Scars   World Legacy Scars - Página 3 EmptyTer Nov 23, 2021 9:06 pm




World Legacy Scars

- Kain Belmont -


Ж

Ao ouvir que a garota conhecia o menino da foto e não apenas o conhecia como seus pais tinham aceitado acolhê-lo enquanto as vítimas bebiam no bar, não pude deixar de me surpreender.  ~ Ein? ~ Intrigado levei uma das mãos até o queixo. ~ Essa é outra inconsistência do depoimento, segundo o que o dono do bar disse a criança chegou junto com um dos grupos de vitimas. ~ Conforme descobrimos mais sobre o caso, mais a história de Hideke soava como uma invenção. ~ Mas o casal ter aceito tomar conta de uma criança de estranhos também é esquisito, e como ela foi parar na cena do crime se estava aqui? ~ Antes de partir olhei para a menina uma ultima vez. - Entendo, e você viu quando Takana saiu? Ele saiu sozinho? - Essa era provavelmente a informação mais importante, o menino de alguma forma tinha parado na cena do crime, a questão era: como? Os pais da menina o deixaram sair sozinho? Ele fugiu? Ou... O levaram até lá?

De qualquer forma, despedindo-me da criança finalmente alcancei a cena do crime pela segunda vez, o cenário estava bem menos assustador e desagradável, resultado do trabalho árduo de seu proprietário. - Não se preocupe, continue o que está fazendo. - Ergui uma das mãos a balancei em negação. - Não tivemos a chance de conversar mais cedo, eu sou o soldado Kain e essa é a doutora Shima. - Comentei em um tom ameno. - Agora que a poeira baixou eu gostaria de lhe fazer algumas perguntas se não se importar. - Não que a resposta do sujeito fosse fazer diferença nessa situação.

- Na noite anterior você se lembra do horário que as vítimas chegaram ao bar? Existiam outros clientes no momento do atentado? - Começaria com perguntas simples apenas para verificar se a história seria a mesma. - Você disse que a criança chegou junto a um dos grupos, certo? E não muito tempo depois ela começou a arrancar os membros das vítimas, sabe me dizer como exatamente ela fez isso? Usou algum tipo de arma? Como não encontramos a arma do crime não conseguimos analisar corretamente. - Deixaria que o sujeito respondesse como bem entendesse, nesse meio tempo permaneceria observando a extensão do estabelecimento, recordando de como o sangue estava espalhado de forma anormal anteriormente.

- Agora mudando um pouco de assunto. - Me posicionaria um pouco mais a frente da legista caso o sujeito tentasse alguma coisa. - O que você pode me dizer dos seus vizinhos? Aquele casal com a menininha. - Apontaria com a cabeça na direção da casa. - Você os viu no dia doa tentado? Parece que vocês não se dão muito bem, ouvi que você tenta comprar a casa deles a algum tempo e se recusa a fazer negócios com o açougue deles, existe algum motivo para esse desentendimento? - Permaneceria próximo a porta mantendo-me um pouco a frente da legista mas sem demonstrar intenções hostis, antes de partir para uma abordagem mais incisiva e confrontá-lo com as inconsistências em seu discurso queria ouvir de sua boca o que ele tinha a dizer.



Histórico:

_________________

World Legacy Scars - Página 3 9IL4Man
Ir para o topo Ir para baixo
https://www.allbluerpg.com/t1205-kenma-shirou-hasegawa https://www.allbluerpg.com/t1441-2-caneco-double-trouble
Pepe
Avaliador
Pepe


Imagem : World Legacy Scars - Página 3 IpwxvrX
Créditos : 28
Localização : Masquerade – 4ª rota

World Legacy Scars - Página 3 Empty
MensagemAssunto: Re: World Legacy Scars   World Legacy Scars - Página 3 EmptyQua Dez 01, 2021 4:46 am



Narração

Kain
Localização: Swallow - North Blue
Período do dia: Almoço

Antes de sair, surpreso com a informação de que o menino havia passado ali antes, Kain acabou perguntando quando a criança, que finalmente descobrira o nome, saíra da casa. — Meu pai falou que ia levar ele quando eu fosse dormir — falou a menina, que parecia ter se esquecido que os marinheiros a sua frente simplesmente não sabiam que hora seria essa. A médica dava esse pequeno lembrete mental e ela rindo falou. — Eu sempre vou dormir às dez, como toda criança de acordo com a mamãe — completou a menina.

Já no bar, apesar de fazer gestos, o dono não viu, concentrado no chão. — Eu ouvi sua voz mais cedo — falava o homem que ainda não olhara para os marinheiros. — Pode perguntar o que quiser, quanto mais cedo acabarmos com essa confusão melhor — falava ele pela primeira vez olhando para os dois. A exaustão era clara no rosto dele.

Enquanto Kain perguntava, o homem voltava a limpar o lugar. — Eles chegaram cedo — ouvia o Hideki falando. — Não lembro se sete ou oito, mas já estava escuro — comentava. — E na hora da loucura só as vítimas mesmo — falava o dono. — A maioria vai embora até meia noite, precisam trabalhar e se ficarem muito tempo vai ser problemático.

Nesse momento Belmont começava a falar da cena do crime, perguntando se havia uma arma do crime, mas aquilo fez o homem balançar a cabeça negativamente enquanto respondia. — Olha eu sei que é um absurdo, mas ele arrancou — falava o homem com força. — Sabe? Arrancar? Não teve arma. Ele puxava os membros das pessoas até a carne e os ossos partirem — falava o homem e Kain percebia que parecia um pouco amedrontado com a ideia. — Que arma faria aquilo? Se fosse algo cortante eu falaria cortado, ele arrancou é diferente — falava tentando voltar ao pleno juízo, como se tentasse domar o próprio medo.

Para a felicidade do dono, Kain mudava o assunto. — Não vi o bastardo ontem não — falava Hideki e o tom de raiva tomava fácil a conversa. — Eu não compro no açougue deles só porque se recusaram a me vender a casa deles. Queria expandir o negócio e mesclar com a minha casa que fica logo depois — o tom agressivo continuava ali. — Mas é só esse desentendimento, se ele aceitasse me vender essa bendita casa eu compraria com felicidade a carne deles porque ela é bem melhor que a do outro cara — completava Hideki.

A médica, que esteve calada até então se aproximava do dono, o homem notando a aproximação parava a limpeza e a olhava. Ela se agachava um pouco e olhando para ele de frente começava a falar, num tom baixo de novo. — Você está exausto, você trabalha aqui sozinho? — e quando a pergunta vinha, o rosto do homem virava uma mistura estranha de raiva e frustração. — Eu tenho outros funcionários é claro.... digo, tinha — falava ele que se forçou a parar de olhar para a médica e voltou a limpar. — Liberei eles ontem quando só sobraram os poucos clientes e eles se demitiram ao saber do atentado, falaram que aqui ficou perigoso demais para eles.

Legenda:

Histórico:

Icons made by Freepik from www.flaticon.com

Ir para o topo Ir para baixo
https://www.allbluerpg.com/t321-aiko-saito#935 https://www.allbluerpg.com/t1723-operacao-p-a-r-a-d-i-s-e
Tidus

Tidus


Imagem : World Legacy Scars - Página 3 Fsc2GdZ
Créditos : 12

World Legacy Scars - Página 3 Empty
MensagemAssunto: Re: World Legacy Scars   World Legacy Scars - Página 3 EmptyQua Dez 01, 2021 8:16 pm




World Legacy Scars

- Kain Belmont -


Ж

As novas informações só tornavam a situação ainda mais complexa, foi o vizinho que levou a criança de volta para o bar, mas por quê? Por que ele tinha aceitado tomar conta dela para mais tarde levá-la até lá? ~ Parece que nossa lista de suspeitos acabou de aumentar. ~ Refleti comigo mesmo. A conversa com Hideki também não ajudou muito, seu discurso era parecido mas ele fazia questão de ressaltar que os membros tinham sido arrancados e que as vítimas eram os únicos presentes no momento do massacre.

Por fim, a legista fazia um questionamento curioso que teve uma resposta ainda mais, já que o atentado tinha feito com que o estabelecimento perdesse seus poucos funcionários no processo. ~ Acho que isso faria sentido se alguém estivesse tentando fazer ele fechar as portas. ~ Quanto mais investigamos mais o caminho mudava, primeiro tivemos uma criança sendo incriminada, agora tínhamos o dono do bar que também poderia estar sendo uma vítima de um golpe, talvez o vizinho fosse o culpado? Era difícil dizer sem conhecer o outro lado da história.

Deixei um suspiro escapar e uma expressão mais séria tomou conta do meu rosto, Hideki podia até ser uma vítima, mas no momento ele também era um suspeito. - Entendo. Então é só isso que você se lembra? - Mantive o olhar fixo no sujeito. - Acontece que temos algumas informações que contradizem seu depoimento. - Daria alguns passos com cuidado pelo salão e me sentaria em uma cadeira se existisse alguma disponível. - As vítimas do massacre não tiveram seus membros arrancados como você disse, após uma análise descobrimos que seus membros foram cortados por uma lâmina, cortes certeiros e precisos que nem mesmo essa katana em minha cintura seria capaz de reproduzir. - Faria uma pequena pausa apenas para observar sua reação, mas antes que ele pudesse prosseguir ergueria uma das mãos com a palma aberta.

- Isso não é tudo. Também descobrimos que as vítimas não foram mortas por conta dos cortes, os membros foram cortados depois de já estarem mortos e a verdadeira causa da morte foi envenenamento. - Manteria um olhar afiado na direção do sujeito. - E ouvimos por ai que o bar estava fechado pelo lado de dentro pela manhã, então o culpado ficou do lado de dentro ou saiu por outra saída. Logo, você consegue entender o que isso significa, certo? Pessoas morreram envenenadas enquanto frequentavam o seu bar e comiam sua comida - Faria uma pequena pausa e alternaria o olhar entre Hideki e a legista. - Mas… - Pronunciaria pouco tempo depois. -  O garoto também poderia ter sido considerado culpado e o caso dado como encerrado, contudo sinto que não chegamos ao fundo dessa história ainda, ainda não consigo entender o motivo. Por que você ou aquele garoto matariam essas pessoas? Eles eram viajantes, ninguém sabia quem eram, não existia valor nisso e você apenas prejudicaria seu próprio negócio, e seguindo por essa linha: quem se beneficiaria se seu negócio fosse arruinado? Algum nome lhe vem à mente? E de onde veio a comida de ontem, quem a preparou? Como aquelas pessoas foram envenenadas no seu estabelecimento?

Se percebesse excitação ou confusão por parte de Hideki tentaria pressioná-lo. - Eu preciso que você mantenha o foco, Hideki, me ajude a encontrar o verdadeiro culpado ou a culpa cairá sobre você e aquela criança, afinal de contas vocês ainda são suspeitos e podem ser realmente os culpados. Então pense, o que você consegue se lembrar daquele dia? Qualquer detalhe que ainda não tenha nos contado, quem poderia ter feito isso? E por quê? - Um nome me vinha em mente no momento, mas será que era o mesmo no qual ele estava pensando? Se sim, por qual motivo? A briga com o vizinho era mais séria do que ele tinha nos contado? Afinal de contas, estamos falando de um crime bem sério ali. Em todo caso se o sujeito tentasse fugir ou avançasse de forma hostil, não hesitaria em puxar a katana em minha cintura e atira-la em sua direção visando acertar sua perna de apoio.



Histórico:

_________________

World Legacy Scars - Página 3 9IL4Man
Ir para o topo Ir para baixo
https://www.allbluerpg.com/t1205-kenma-shirou-hasegawa https://www.allbluerpg.com/t1441-2-caneco-double-trouble
Pepe
Avaliador
Pepe


Imagem : World Legacy Scars - Página 3 IpwxvrX
Créditos : 28
Localização : Masquerade – 4ª rota

World Legacy Scars - Página 3 Empty
MensagemAssunto: Re: World Legacy Scars   World Legacy Scars - Página 3 EmptySex Dez 03, 2021 2:33 am



Narração

Kain
Localização: Swallow - North Blue
Período do dia: Almoço

A história não batia novamente com a realidade. Porém, desta vez Kain não queria esperar. O marinheiro começou a falar e a jogar toda a verdade na direção do exausto dono daquele bar. A confusão em seu rosto era clara e por isso a pressão aumentava ainda mais. No entanto, Hideki não fugiu, na verdade parecia longe de sequer cogitar a ideia. Ele se levantava com dificuldades do chão. Colocava a mão na testa como se sua cabeça tivesse começado a doer e com dificuldades sentava-se em uma das cadeiras do bar. — Não faz sentido — falava meio perdido. — Eu vi aquilo, eu sei que vi — continuava falando confuso.

Parava de falar e olhava para Kain e o jovem percebia que o adulto a sua frente estava tão indefeso e perdido quanto a criança naquele interrogatório, que parecia tão distante da forma que a menina havia descrito anteriormente. — Ninguém me vem à mente – falava ele até triste com a própria incapacidade. Começava então a falar sozinho por um tempo, citando casos idiotas de pessoas que poderia odiar ele por qualquer besteira, de um simples pisar no pé, até finalmente surgir algo “maior”. — Quem se beneficiaria no máximo seria o bar logo em frente — falava ele. — Apesar de termos uma boa relação, ele poderia ganhar muito mais se o meu parasse de existir — completava. — O povo quer mais beber que usar o alucinógeno lá, então não é difícil imaginar o que aconteceria se eu tivesse que fechar — quando terminava de falar disso parecia querer falar mais algo, mas tinha esquecido a pergunta.

Nesse momento Kain ouvia a médica falando. — Alguma peça ainda está faltando nessa confusão toda, porque você fechou o bar mesmo? — perguntou ela, só que sem toda a pressão e todas as outras falas de Belmont, deixando o barman pensar e responder. Hideki olhava para ela e começava a falar ainda perdido e com medo. — Eu só lembro de ter fechado o bar quando esperava a marinha, para ninguém tocar em nada — falava, parecia imaginar o que aconteceria com ele após a ameaça de que a culpa decairia nele e na criança, afinal, sabendo agora que a morte não era o que ele falara, realmente percebia que parecia culpado. Parava e engolia um pouco o próprio choro para então continuar. — Como eu falei, eu vi a cena, tropecei e bati a cabeça, quando eu acordei chamei a marinha e aí sim tranquei a porta para que ninguém fizesse nada — falava diretamente para responder isso.

E engolir o choro ajudava mais, ele parava novamente por um tempo e respirava fundo de olhos fechados para relaxar. Quando terminava olhava para Kain de novo. — A gente prepara a comida aqui mesmo. Cada ingrediente vem de um lugar obviamente. A carne vem de um açougue ou dos pescadores, enquanto os mais diversos vegetais vêm das feiras — comentava ele. — Nenhum prato vem de um único lugar, fica difícil identificar o que envenenou eles — falava ele tentando imaginar. — E se fosse o caso, não teria grandes chances de eu e meus funcionários estarmos envenenados também já que mexemos com a comida? — perguntava para os dois sem saber a resposta.

A pergunta seria mais adequada para a médica, que na verdade acabava ignorando a pergunta do dono e falava para Kain. — Se a comida estivesse realmente envenenada, não seria mais normal a criança ter morrido também? Ou a gente está contando com a “sorte” dela ter ficado simplesmente sem comer mesmo após ter chegado no bar? O pai ao mesmo tempo que se preocupa com ver a criança num bar, não se preocupa em deixa-la com desconhecidos... será que deixaria a criança sem comer nada? — comentava a moça.

Aquela fala acabava ligando uma luz na mente de Hideki que perguntava logo em seguida. — Como assim chegado ao bar? O menino entrou aqui com todos os outros desde o primeiro instante, comeu com eles e... — falava o homem e ele parava por um tempo quando parecia olhar para a frente meio perdido e então ele falava algo que deixava os marinheiros confusos. — E usou com eles... — a mão apertava um pouco a própria cabeça como se doesse mais. — Eu lembro deles usando Olho de Rapina... mas eu não tenho isso, e eu sempre indico o bar da frente até para não termos competição e deixarmos tudo na maior paz... por que eu aceitaria que usassem isso aqui? — perguntava apertando sua cabeça ainda mais tentando lembrar.

Olhando a cena, a médica virava para Kain e comentava também. — Eles não necessariamente foram envenenados aqui, podem ter sido envenenados antes e o efeito foi acontecendo com o passar do tempo, não deu tempo e não sei nem se temos os meios de descobrir qual veneno exato que matou eles, existem várias variantes para o tempo de efeito — falava ela tentando quebrar um pouco algo que poderia estar “fixo” na mente do marinheiro.

Legenda:

Histórico:

Icons made by Freepik from www.flaticon.com

Ir para o topo Ir para baixo
https://www.allbluerpg.com/t321-aiko-saito#935 https://www.allbluerpg.com/t1723-operacao-p-a-r-a-d-i-s-e
Tidus

Tidus


Imagem : World Legacy Scars - Página 3 Fsc2GdZ
Créditos : 12

World Legacy Scars - Página 3 Empty
MensagemAssunto: Re: World Legacy Scars   World Legacy Scars - Página 3 EmptySáb Dez 04, 2021 1:47 am




World Legacy Scars

- Kain Belmont -


Ж

Como já devia esperar o dono do estabelecimento não parecia saber muito e assim como o garoto estava perdido com os acontecimentos. ~ No fim ele não suspeita de ninguém, pensei que alguém na situação dele estaria mais desesperado e apontando dedos. ~ Cocei a testa com a ponta dos dedos da mão direita, o comportamento humano ainda me era curioso, principalmente as pessoas fora de Lito Garden, todos eram tão individualistas e falsos, aquele sujeito estava provavelmente sendo enganado por algum conhecido próximo, alguém que foi capaz de incriminar até mesmo uma criança e mesmo assim ele não faz ideia de quem pode ter sido. ~ E esse tipo de gente ainda nos chamaria de bárbaros. ~

Conforme a conversa avançava mais percebia que estávamos andando em círculo, isso até o sujeito comentar sobre o menino. - O garoto o que? - Olhei um pouco confuso, como assim o menino estava com eles? A garota tinha comentado sobre a criança ter ficado em sua casa até pelo menos as dez da noite, então era impossível que ele tivesse entrado no bar junto dos seus pais por volta das oito. - Céus, que confusão enorme isso está se tornando. - Levei uma das mãos até o rosto. ~ Acho que devia ter escolhido a praia. ~ Um suspiro desanimado escapou. - Certo, vamos recapitular. - Respirei fundo e juntei as mãos próximas ao rosto.

- O grupo chegou a esse bar por volta das sete ou oito da noite, segundo Hideki o garoto já estava junto, o grupo também estava consumindo Olho de Rapina que ele não os forneceu, então onde eles conseguiram? Voltando ao menino, antes de vir até aqui descobrimos que seus pais passaram na casa ao lado e deixaram seu filho lá até pelo menos às dez da noite. - Meus olhos correram entre a legista e o comerciante. - Também sabemos que a causa da morte foi envenenamento, mas ainda não sabemos como ou quando eles foram envenenados, descobrimos que pelo menos Hideki e o garoto tiveram uma alucinação similar, algo extremamente raro que não aconteceria de forma natural, além disso também ouvimos que não houve gritaria na noite passada, então isso apenas reforça que não houve confronto algum. - O quebra-cabeça ainda estava incompleto, motivações, ainda não tinhamos pistas alguma sobre esse tópico.

- No momento acredito que precisamos descobrir porque o vizinho aceitou ficar com o mínimo e para onde ele o levou após as dez da noite. Além disso, o grande problema aqui parece ser o Olho de Rapina, precisamos descobrir onde eles conseguiram e questionar um especialista no assunto sobre alguns tópicos. - Olharia na direção de Hideki. - O seu sócio dono do bar especialista no uso do Olho de Rapina, sabe onde podemos encontrá-lo agora? Além disso, sabe se ele tem algum contato com o dono de um açougue? Ele é próximo ao seu vizinho? - Daria espaço para o sujeito pensar e aproveitaria para me levantar já me preparando para partir.

Antes de sair do estabelecimento pararia próximo a porta. - Escute, eu acredito que você e o garoto foram usados e é por isso que não vou te levar sob custódia, continue aqui agindo normalmente, se algo estranho acontecer ou se lembrar de mais algum detalhe não existe em reportar a marinha. Dito isso… - Olharia pra trás por cima dos ombros com meus olhos dourados afiados. - Isso é um voto de confiança, se você tentar fugir e quebrar essa confiança descobrirá que sou um caçador muito melhor do que um investigador. - Sem dizer mais nada sairia do bar ignorando qualquer reação que o sujeito pudesse ter.

Agora existiam dois objetivos em mente que me levariam a respostas para perguntas distintas. - Você sabe onde o açougue dos pais daquela garotinha fica? Talvez eles nos ajudem a encontrar uma pista de onde as vítimas estavam antes de irem ao bar. - No momento talvez fosse melhor começar por aquelas pessoas das quais já tinha em mente o que lhes perguntar, o sócio do nosso suspeito podia ficar por último já que ele poderia ser a peça mais importante desse quebra-cabeça. Tendo obtido uma resposta de minha companheira ou não, sairia em busca do tal açougue, pois ao menos já sabia que sua localização era na direção do quartel e provavelmente não deveria ser tão difícil de encontrar.



Histórico:

_________________

World Legacy Scars - Página 3 9IL4Man
Ir para o topo Ir para baixo
https://www.allbluerpg.com/t1205-kenma-shirou-hasegawa https://www.allbluerpg.com/t1441-2-caneco-double-trouble
Pepe
Avaliador
Pepe


Imagem : World Legacy Scars - Página 3 IpwxvrX
Créditos : 28
Localização : Masquerade – 4ª rota

World Legacy Scars - Página 3 Empty
MensagemAssunto: Re: World Legacy Scars   World Legacy Scars - Página 3 EmptyQua Dez 08, 2021 3:28 am



Narração

Kain
Localização: Swallow - North Blue
Período do dia: Almoço

Dor de cabeça definia o momento, não só do pobre Hideki, mas do marinheiro que tentava entender aquela confusão. Nada mais fazia sentido, como que o dono do bar e a menina davam testemunhos diferentes de forma tão discrepantes? Assim, Kain acabou decidindo fazer a decisão simples de fazer uma recapitulação de tudo que havia acontecido.

Só que mal começava e Belmont era parado pela médica. — Lembrando que antes de virem aqui eles tentaram se entregar para a marinha — falava ela encaixando o fato antes da linha do tempo que Kain criava. E após um tempo, quando continuava falando e citava a flor a médica o interrompia de novo. — Pensei que você estava só tentando tirar informação dele... eles não tinham traços de Olho de Rapina no sangue, lembra? Te falei isso — falava a legista olhando para o marinheiro.

Independente disso, como um dos suspeitos era o próprio dono do bar ao lado, Hideki passava o endereço para os marinheiros e respondia a outra pergunta após pensar por um tempo. — Nós três somos amigos de longa data, só que o açougueiro entendia que era mais fácil a logística para comprarmos a carne do meu vizinho — falava ele e começava a ficar vermelho de vergonha. — No momento o açougueiro está com raiva de mim porque ferrei com uma festa dele, mas sim... o “sócio” como você está falando se dá bem com o fornecedor de nós dois, e como todos somos amigos de longa data, virou comum que a gente não se dê bem com o meu vizinho — falava Hideki.

Saindo do bar dava um voto de confiança a Hideki. Do lado de fora quase se esbarrava com ninguém mais ninguém menos que Holnet que estava chegando e graças aos céus com guarda-chuvas. — Ótimo, achei vocês mais fácil do que imaginava — falava ele passando um guarda-chuva para cada um. — Acabei de fazer a investigação com a foto pelo quartel — falava ele. — Como havia adiantado para Shima... — começava ele, mas então comentava. — Por que não vamos andando para onde vocês iam enquanto vou falando? — falava indicando para começarem a andar. A legista balançava com a cabeça em concordância e começava a dirigi-los para o açougue.

— Todos eles se entregaram para a marinha ontem, o menino falava que os pais precisavam ser presos igual eles mesmos falavam... então não levaram como se o menino houvesse pedido socorro... só se ele pediu em outra ilha — começava ele a falar enquanto andavam, graças a chuva era difícil imaginar que alguém ouvisse a conversa, afinal até para eles era difícil escutar o que Holnet estava falando. — Os marinheiros chegaram a tirar fotos e começaram a procurar por qualquer prova de que eles eram os criminosos em vários cartazes de procurados, mas não tem nenhum registro de que são criminosos — comentava o marinheiro.

— Como seria um gasto desnecessário prender alguém sem saber que é mal, acabaram liberando todos eles como alucinados por Olho de Rapina, mas os soldados me contaram que não eram alucinados comuns... eles descreveram que pareciam bem comportados, pessoas normais se entregando sem razão, até mesmo sem graça — terminava. — Só colocaram isso no relatório para facilitar logo a soltura, podiam ser mendigos só querendo comida... o que era mais fácil só pedir por comida — falava ele. E Kain percebia que haviam chegado ao açougue do pai da menina, onde Holnet comentava uma última coisa. — Estou com as fotos aqui — falava ele. — Se for importante para alguma coisa.

Legenda:

Histórico:

Icons made by Freepik from www.flaticon.com
Ir para o topo Ir para baixo
https://www.allbluerpg.com/t321-aiko-saito#935 https://www.allbluerpg.com/t1723-operacao-p-a-r-a-d-i-s-e
Tidus

Tidus


Imagem : World Legacy Scars - Página 3 Fsc2GdZ
Créditos : 12

World Legacy Scars - Página 3 Empty
MensagemAssunto: Re: World Legacy Scars   World Legacy Scars - Página 3 EmptyQui Dez 09, 2021 1:22 am




World Legacy Scars

- Kain Belmont -


Ж

Organizar as peças daquele quebra-cabeças estava se tornando uma tarefa cada vez mais complicada chegando ao ponto de me esquecer de algumas peças, por sorte a médica legista estava comigo e se lembrava de algumas. - Isso, você está certa. - Apontei com o indicador da mãos com cerca surpresa para a mulher, demonstrando que realmente tinha esquecido daqueles detalhes. - Mas se não foi olho de rapina o que causou as alucinações? - Ao mesmo tempo que aquele lembrete esclarecia uma dúvida, criava-se outra como de praxe.

Sem mais nada para fazer no bar fui em direção ao meu próximo destino, contudo no caminho Holnet me abordou trazendo consigo mais algumas informações e um guarda-chuva. - Bem na hora. - Comentei em meio a um sorriso zombeteiro e coloquei uma das mãos para fora da cobertura, ele só estava um pouquinho atrasado se queria nos proteger da chuva, mas era como aquele ditado que aprendi a pouco diz: antes tarde do que nunca - ou algo assim.

Durante a caminhada o outro soldado foi nos passando as informações que tinha conseguido no quartel e algumas delas eram bem peculiares. - Então quando o garoto disse que os marinheiros não o ouviam se referia a esse momento, ele estava junto pedindo para que aquelas pessoas fossem presas. - Levei uma das mãos até o queixo. - Estavam se comportando de forma estranha? - Arqueei uma das sobrancelhas. - Será que eles já estavam sob o efeito da alucinação ou quem sabe algum tipo de hipnose? Se sim, onde e quando isso começou? - Suspirei profundamente e fiquei apenas parado olhando para o chão. - Essas pessoas não tinham ficha criminal, tentaram se entregar com uma abordagem suspeita e um tempo depois foram mortas de uma forma misteriosa, quem eles são afinal de contas? Por que eles? Foram apenas azarados de estarem no lugar errado e na hora errada? - Perguntas sem respostas que realizava por capricho, não era como se estivesse espernado uma resposta de alguém.

De frente para o açougue estiquei uma das mãos para Holnet. -Me empreste as fotos um pouco, acho que elas podem ajudar. - Aguardaria até que ele me entregasse. - Obrigado, vamos ver se descobrimos alguma coisa sobre esse pessoal sem história. - Dito isso adentraria o estabelecimento. Tentaria não criar alarde com minha chegada e caminharia até o canto do balcão onde levantaria uma das mãos tentando chamar a atenção de um funcionário. - Olá, eu sou o soldado Kain Belmont. - Daria espaço para que os demais se apresentassem se assim desejassem. - Eu gostaria de fazer algumas perguntas para o dono do estabelecimento, ele se encontra? - Esperaria pela chegada do homem para prosseguir.

Quando finalmente estivesse de frente para o famigerado vizinho de Hideki puxaria as fotografias entregues por Holnet. - Eu gostaria de te fazer algumas perguntas se não for incomodo, é importante. - Uma pergunta retórica, pois não tardaria em lhe mostrar as fotografias ele concordando ou não. - Você por acaso conhece essas pessoas ou os viu no dia anterior? - Daria tempo para que ele analisasse as fotografias e prestaria atenção em suas expressões. - Por volta de que horas você os encontrou pela primeira vez? - Questionaria caso ele não escondesse o fato de ter lhes encontrado. - Você percebeu algum comportamento fora do comum por parte dessas pessoas? Elas pareciam ameaçadoras, acuadas ou algum detalhe lhe chamou a atenção? Eles estavam carregando alguma coisa peculiar? - Novamente aguardaria uma resposta e prestaria bastante atenção em seu comportamento.

Após essas perguntas se o sujeito se mostrasse evasivo - ou até mesmo se fosse prestativo, apresentaria uma nova informação. - Eu estive na sua casa mais cedo e conheci a sua filha, uma graça de criança diga-se de passagem. - Comentaria com um leve sorriso no rosto. - E ela me disse algo curioso, que você aceitou tomar conta de uma criança que estava com eles, esse aqui. - Mostraria a foto do menino. - Por quê você aceitou tomar conta dessa criança? O que os adultos falaram sobre ele?  - Uma resposta na qual prestaria bastante atenção. - Enquanto estava com ele, o garoto disse alguma coisa sobre seus pais? Apresentava algum comportamento que demonstrasse que poderia estar sofrendo algum tipo de abuso? - Talvez isso me ajudasse a entender melhor o motivo do menino ter dito aquilo de seus pais durante o interrogatório. - Sua filha também mencionou que você levou o garoto embora por volta das dez da noite, por quê? E para onde você o levou? Notou alguma coisa estranha quando saiu na rua aquela hora da noite? - Aquele momento do dia ainda era nebuloso, a localização do menino era um mistério já que o dono do bar tinha tido que ele entrou com os demais, mas essa informação não batia com o que a menina tinha me dito mais cedo.

Por fim, se o sujeito não comentasse nada sobre Hideki até o fim eu lhe perguntaria sobre o mesmo. - E o que você pode me dizer do dono do bar ao lado, Hideki? Ele é alguém de confiança? Soube que vocês tem algum tipo de desentendimento porque ele quer comprar a sua casa e você recusou suas propostas, existe algum motivo em particular para isso? Acho que alguém na posição dele deve estar disposto a pagar uma boa quantia para expandir seus negócios. - O fato do vizinho não querer vender sua casa parecia ter criado um clima estranho entre os dois, eu podia entender os motivos de Hideki em querer a residência, mas por que o dono da casa se recusava? Era um negócio desfavorável ou existia um motivo a mais? Perguntas e mais perguntas, algumas talvez de pouca relevância para o caso mas esperava conseguir algumas respostas dessa vez.



Histórico:

_________________

World Legacy Scars - Página 3 9IL4Man
Ir para o topo Ir para baixo
https://www.allbluerpg.com/t1205-kenma-shirou-hasegawa https://www.allbluerpg.com/t1441-2-caneco-double-trouble
Pepe
Avaliador
Pepe


Imagem : World Legacy Scars - Página 3 IpwxvrX
Créditos : 28
Localização : Masquerade – 4ª rota

World Legacy Scars - Página 3 Empty
MensagemAssunto: Re: World Legacy Scars   World Legacy Scars - Página 3 EmptySeg Dez 13, 2021 1:53 am



Narração

Kain
Localização: Swallow - North Blue
Período do dia: Almoço

Perguntando o que causou as alucinações, a resposta da médica era bem simples. — Mas são alucinações? — ouvia em tom normal antes de sair. Porém, sem outros comentários acabava saindo e esbarrando com o marinheiro Holnet que lhe contava tudo.

Com essas informações Kain criava sua teoria, mas Holnet comentava por cima. — Ou como falei, que ele pedia socorro em outras ilhas — falava e depois lembrava de comentar. — Cheguei a enviar a imagem dele para os quartéis mais próximos de outras ilhas para ver se alguém já o viu, mas deve demorar para termos uma resposta — ao fim do comentário batia em seu bolso e comentava. — Estou com um mini den den mushi aqui, vão me informar se algum quartel nos informar — e assim, voltava a ouvir Belmont em suas próprias viagens.

— Hipnose é uma boa tentativa — comentava a médica baixinho agora. — Explica porque alguém se entregaria de livre e espontânea vontade a marinha, porque o menino e o dono do bar viram a mesma coisa sendo que esta coisa não ocorreu... — comentava ela lembrando os pontos. — Só não sabemos quem fez a hipnose, por que teria feito e quando — completava a médica.

Entravam no açougue e ele estava bem cheio, mostrando porque a mãe da menina ainda não havia voltado para casa, só que não estava cheio porque muitos pediam carne, pareciam simplesmente se aproveitar do teto para aquela chuva. Quando os marinheiros entraram, todos os olharam e vários sacaram o que iria ocorrer ali, deixaram eles passarem e ele podia ir tranquilamente até o balcão.

Kain pedia para falar com o dono e o próprio homem do outro lado se identificava como sendo este homem, vários começavam a sair do local, mesmo na chuva, não queriam atrapalhar a investigação. Outros pareciam que iam ficar, curiosidade é uma força incrível, mas Holnet os expulsou daquele lugar, afinal, ninguém comprava qualquer coisa. Com o começo da conversa e a passagem de fotos, o açougueiro olhava foto a foto e após um bom tempo, até mesmo passando as fotos para a esposa ao lado, e após ambos olharem para todas as fotos só via a negativa com a cabeça, mas o homem fez questão de falar. — Desculpe, mas não reconheci ninguém dessas fotos — após falar isso, Belmont precisou mudar um pouco sua abordagem.

O marinheiro começou falando que visitou a casa dele e que havia conhecido sua filha, até aí o homem não parecia preocupado, mencionou a criança e na verdade o açougueiro continuou tranquilo. — Ele eu reconheço — falava o homem tranquilo pegando a foto. — Tanaka, e você falou adultos? Eu só conheci o pai dele que me pediu para cuidar dele enquanto aproveitava o bar por um tempo... — o homem dava uma pausa. — Sinceramente não sei por que aceitei cuidar da criança, o pai dele é um homem bem persuasivo — falava o açougueiro parecendo confuso pela primeira vez desde que começavam a conversar. — Abuso? Bem, ele era estranhamente quieto, mas só pensei que fosse tímido ou que gostara da minha filha, afinal ela é uma gracinha — falava sorrindo orgulhoso. — Mas não imaginaria que fosse algum tipo de abuso — falava o homem, e a mulher dele comentava. — Eu falei que era estranho o homem deixar o filho com desconhecidos — falava ela. — E meu marido estava meio aéreo depois de conhecer o pai do menino — comentava ela invadindo o testemunho do marido.

Mudando um pouco, Kain perguntava para onde o açougueiro havia levado a criança. — Para o bar ao lado, o próprio pai falou que não queria beber muito, então que dando a hora da minha criança dormir podia deixar Tanaka com ele, que iriam partir — comentava o homem mais seguro do que se lembrava. — Só que não cheguei a entrar, até porque Hideki não gosta muito que eu entre lá, de qualquer forma, o pai dele estava do lado de fora, parecia bem feliz inclusive — falava o homem lembrando da situação.

Com o esvaziamento das pessoas, aos poucos o cheiro de chuva do lado de fora ia se misturando com o cheiro que vinha do açougue do lado de dentro, tanto da carne quanto do sangue dos animais.

Tendo o nome de Hideki comentado, Belmont perguntava mais e mais sobre ele. — Nossa casa é uma herança de família antiga, veio do meu bisavô — falava com firmeza o homem. — A única forma de aceitar vender algo tão precioso seria no dia que minha família estivesse passando fome, além disso, é simplesmente impensável que eu o faça — terminava falando o açougueiro.

Antes que Kain pudesse falar mais sobre isso, Holnet se intrometia. —Esse pai do Tanaka, você acha que conseguiria identifica-lo se o achasse? — mal terminava de falar e o açougueiro já o respondia. — Acho que sim, até bem fácil, ele era bem excêntrico — comentava o açougueiro. — Ele tem um cabelo branco bem longo e uma cicatriz no rosto — explicava apontando o dedo para o próprio rosto e indicando que a cicatriz ia de cima de um dos olhos e passava por ele, passando pelo nariz e chegando na bochecha do outro lado. — Acho que tinha uma no pescoço também, mas pode ser só um colar que não consegui ver por causa da roupa — comentava.

Quando ele terminava de falar, ouviam outra voz, mas bem baixa e com dificuldades de entender por causa da chuva. — Senhor — começava a médica. — Se houvesse sangue no bar... você acha que teria sentido o cheiro? — a pergunta era direta e bem autoexplicativa, o açougueiro a olhou até surpreso. — Infelizmente diria que não, eu sou muito acostumado com o cheiro de sangue — falava ele apontando para os diversos pedaços de carne que havia a mostra no refrigerador logo abaixo do balcão. — Me acostumei com o cheiro tem anos — falava.

Legenda:

Histórico:

Icons made by Freepik from www.flaticon.com
Ir para o topo Ir para baixo
https://www.allbluerpg.com/t321-aiko-saito#935 https://www.allbluerpg.com/t1723-operacao-p-a-r-a-d-i-s-e
Tidus

Tidus


Imagem : World Legacy Scars - Página 3 Fsc2GdZ
Créditos : 12

World Legacy Scars - Página 3 Empty
MensagemAssunto: Re: World Legacy Scars   World Legacy Scars - Página 3 EmptySeg Dez 13, 2021 11:26 pm




World Legacy Scars

- Kain Belmont -


Ж

Após uma breve conversa com meus companheiros de investigação iniciei o interrogatório improvisado, um que já começou com uma resposta estranha. ~ Ele não reconhece nenhum deles? ~ Arqueei uma das sobrancelhas, o suposto pai da criança não estava entre eles? Antes de tirar qualquer conclusão, o sujeito prosseguiu com novas informações até sua esposa intervir. - Estava meio aéreo? - Olhei na direção de Holnet e Shima, isso não era estranhamente familiar?

Mas a maior surpresa foi que o suposto pai de Tanaka não estava entre as fotografias e nem entre as vítimas, logo ele não estava nas duas ocasiões onde as pessoas alucinando estavam, quer dizer, ele poderia estar próximo mas não diretamente nelas. - Hum? - Levei uma das mãos até o queixo e arregalei os olhos quase como se tivesse levado um choque. - Merda… - Era isso, eu estive olhando para o lado errado todo esse tempo! Estive considerando que os pais do menino estavam entre as vítimas, mas não era o caso! - Acho que temos um problema bem maior do que imaginava. - Meus olhos se focaram em um ponto qualquer enquanto tentava ligar os pontos.

Após ouvir toda explicação e pensar um pouco a respeito, me aproximei de Holnet. - Você sabe se temos alguém no quartel que poderia fazer um retrato falado desse sujeito? Temos que encontrá-lo o quanto antes, podemos ter alguém perigoso caminhando livremente por ai. - Olharia discretamente para os lados e começaria a falar um pouco mais baixo, apenas para meus companheiros de investigação. - O depoimento sobre aquelas pessoas tentando se entregar parecem bater com o desse homem, todos pareciam estar agindo de forma estranha. Durante minha conversa com o funcionário do bar do olho de rapina ele comentou algo sobre a possibilidade de hipnotismo já que esse efeito poderia ter sido induzido por um terceiro elemento. - Alternaria o olhar para a legista. - Como não existiam traços de olho de rapina no sangue daquelas pessoas, então o depoimento desse homem reforça a ideia da alucinação não ser resultado de drogas, já que dificilmente ele teria sido drogado na frente da sua família. Mas então qual seria o gatilho?

Um novo suspeito tinha surgido, um bem problemático. - Se essa pessoa realmente consegue hipnotizar outros ele deve ter algum gatilho bem específico, já que o dono do bar comentou que Tanaka já tinha entrado no bar com as vítimas, o que sabemos que não foi o caso, então ele foi hipnotizado instantaneamente ou suas memórias ainda estão confusas? - Hipnose e alucinações eram um tópico estranho pra mim, não fazia ideia de como isso era desencadeado e suas limitações, porém tínhamos de pensar em todas opções para montar uma estratégia de contenção. - E o garoto disse que queria não ter conhecido seus pais, que eles estariam melhores mortos… Mas a pergunta que fica disso é: quem eram os pais desse menino dentro desse grupo? O sujeito de cabelo branco ou alguma das vítimas?

As respostas geraram novas dúvidas como de costume, mas agora tínhamos um novo foco pelo menos. Quando estava prestes a voltar até os pais da garotinha uma ideia me veio em mente. - Os sujeitos tentaram se entregar, não conseguiram e depois o menino foi preso… - Um pensamento que escapou entre os lábios e saiu mais alto do que planejava. - E se o objetivo do criminoso desde o inicio foi tentar enviar uma das suas pessoas hipnotizadas até o quartel? Não existia motivo para ele incriminar a criança, e se ele conseguir ativar um gatilho através de terceiros?  - Sem entender bem como essa possível hipnose funcionava essa foi uma possibilidade que me passou pela cabeça, ainda sem saber os motivos do culpado, uma tentativa de ataque ao quartel era uma possibilidade alarmante, principalmente na ausência do tenente.

- Temos que voltar para o quartel e avisar o sargento sobre o que descobrimos, e o garoto pode saber mais sobre esse seu suposto pai. - Voltaria até o casal de açougueiros. - Vamos enviar alguém para tentar fazer um retrato falado do sujeito que foi a sua casa ontem, e se porventura o virem novamente ou lembrarem de algo que possa nos ajudar a localizá-lo avisem a marinha imediatamente, ele pode ser alguém perigoso. - Após dizer algo dessa natureza esbocei um leve sorriso em uma tentativa de tranquiliza-los. - Mas não se preocupe, se ele realmente for perigoso vamos pegá-lo, eu lhes garanto. - Assenti com a cabeça e logo depois sairia do estabelecimento, dessa vez retornando ao quartel general pela primeira vez em algum tempo já que nosso superior precisava ser informado a respeito desse incidente, principalmente se o quartel general fosse realmente o alvo. ~ Não vou permitir que outra criança sofra pelos erros de outro. ~ Por instinto a ponta dos meus dedos tocaram a máscara presa na minha cintura, quase que como um espasmo acionados por memórias do passado.



Histórico:

_________________

World Legacy Scars - Página 3 9IL4Man
Ir para o topo Ir para baixo
https://www.allbluerpg.com/t1205-kenma-shirou-hasegawa https://www.allbluerpg.com/t1441-2-caneco-double-trouble
Pepe
Avaliador
Pepe


Imagem : World Legacy Scars - Página 3 IpwxvrX
Créditos : 28
Localização : Masquerade – 4ª rota

World Legacy Scars - Página 3 Empty
MensagemAssunto: Re: World Legacy Scars   World Legacy Scars - Página 3 EmptyTer Dez 14, 2021 3:31 pm



Narração

Kain
Localização: Swallow - North Blue
Período do dia: Almoço

Nada como uma boa virada nos acontecimentos para deixar o marinheiro perdidinho. Começava a teorizar o que poderia significar aquilo tudo, mas começava a pensar em outras pendências primeiro. — Com certeza — falava o soldado sem hesitar, afinal, mesmo que nenhum dos três ali conhecesse, com certeza haveria alguém no quartel general que conseguiria fazer isso.

Preocupado com o que uma nova pessoa poderia significar ao caso, Kain começava a falar sem parar, imaginando diversas hipóteses do que estaria realmente acontecendo. Perguntava algo para a legista, mas ela não tinha como responder. E quando foi para o garoto criando uma teoria perturbadora, viu Holnet comentando algo interessante. — Sabe... tem algo que eu perdi nessa história toda — começava a falar ele colocando a mão em seu queixo. — Isso tudo ocorreu no começo do dia, Hideki desmaiou, o que a criança ficou fazendo até ele acordar e os marinheiros chegarem? — se Belmont já não estava preocupado o suficiente, aquilo poderia aumentar ainda mais a preocupação.

Dando recados rápidos para os dois açougueiros partiam. A chuva continuava forte enquanto andavam na direção do quartel general. — Acho que o menino ficou com eles lá, parado simplesmente — falava a médica pensando no que Holnet havia falado, o tom mais normalizado pensando. — Talvez fazendo aquela cena toda? Você não falou que o sangue havia sido colocado lá? — perguntava olhando para o próprio Kain.

E depois olhando para frente ela voltava a falar. — E a criança não falou pais? Se estava no plural, não teria como só o homem ser o pai, ou teria outra pessoa que desconhecemos perdida por aí. Ou eles estão entre as vítimas... esse homem de cabelo branco seria outra pessoa — falava ela. — Só tinha uma mulher entre os sete — comentava ela não lembro de ter especificado o sexo de todos os cadáveres.

Ao chegarem no quartel general, não parecia ter qualquer tipo de comoção por ali, Holnet falou que iria procurar por alguém para fazer o retrato falado, enquanto Belmont e Shima precisavam procurar pelo sargento para reportarem a missão até então.

Lincoln estava na ala médica, tendo seu braço enfaixado por um enfermeiro.

Legenda:

Histórico:

Icons made by Freepik from www.flaticon.com
Ir para o topo Ir para baixo
https://www.allbluerpg.com/t321-aiko-saito#935 https://www.allbluerpg.com/t1723-operacao-p-a-r-a-d-i-s-e
Tidus

Tidus


Imagem : World Legacy Scars - Página 3 Fsc2GdZ
Créditos : 12

World Legacy Scars - Página 3 Empty
MensagemAssunto: Re: World Legacy Scars   World Legacy Scars - Página 3 EmptyQui Dez 16, 2021 7:43 pm




World Legacy Scars

- Kain Belmont -


Ж

Após compartilhar minhas conclusões com meus companheiros de investigação, Holnet levantou uma problemática e Shima tentou encontrar uma solução de imediato. - Faz sentido. - Alternei o olhar entre os dois. - Não vi o estado da criança quando ela foi encontrada, mas é possível que ela tenha ficado espalhando o sangue, isso explica porque parecia tão artificial. - Ergui o dedo indicador de uma das mãos. - E ainda tem outra questão, sabemos que as vítimas foram mortas por envenenamento, mas os membros ainda foram cortados por alguém, será que foi obra do garoto ou do nosso amigo da cicatriz? - Por mais que tivéssemos um novo suspeito, ainda existiam algumas perguntas sem respostas.

Já sobre seus pais a legista tinha um ponto importante, se uma das vítimas era uma mulher então talvez… - É isso, o garoto comentou que seus pais deveriam ser presos, se eles estavam tentando se entregar e o sujeito de cabelo branco não estava junto, então provavelmente seus pais realmente foram mortos na taverna. - Levei uma das mãos até a testa e deixei um suspiro escapar, se isso estava certo então quem era o sujeito de cabelo branco? Qual era sua relação com o grupo que foi massacrado? ~ Aaaarg, não adianta pensar nisso agora, precisamos encontrá-lo e depois pensar nos seus motivos.” ~

De qualquer forma, em pouco tempo chegamos ao quartel e sem delongas fui em busca do sargento enquanto Holnet ia a procura de alguém para fazer o retrato. - Sargento Lincoln. - Pronunciava junto a uma continência. - Voltamos para reportar o que descobrimos na investigação a respeito do massacre no Swallow Paradise. - Permanecia em postura até que me fosse dada a permissão para prosseguir. - Depois de nos separarmos eu conduzi uma investigação nos estabelecimentos da região a procura de testemunhas, a maioria não passava de fofoca e suposições, mas tudo mudou quando encontramos com Hideki e a família do seu vizinho.

- Com a ajuda da médica legista Shima. - Indiquei a direção da mulher com a cabeça. - Descobrimos que as vítimas na verdade foram mortas por envenenamento, mas ainda não sabemos quando ou como eles foram envenenados. Além disso, as pessoas que foram mortas no bar vieram até o quartel general mais cedo naquele dia, os outros soldados que os abordaram disseram que eles estavam agindo de forma estranha e tentaram se entregar, mas foram liberados já que não existia nada contra, provavelmente foi por isso que o garoto disse no seu depoimento que a marinha não o ouviu. - Recordava do que o garoto tinha dito em seu depoimento.

- O mais estranho é que quando fomos confrontar Hideki sobre o caso ele parecia confuso e nos contou a mesma versão, onde o menino chegou com as vítimas e eventualmente começou a arrancar os membros de todos, porém nós descobrimos que naquela noite o menino ficou na casa do vizinho até às dez da noite, logo era impossível que ele estivesse entrado no bar com seus supostos pais. - Cocei o queixo com uma das mãos. - E o garoto estava acompanhado de um sujeito que não constava entre os retratos das pessoas que vieram até o quartel, ele tinha cabelos brancos cumpridos e algumas cicatrizes pelo rosto. - Assim como a testemunha tinha feito eu realizei alguns gestos em frente ao rosto simbolizando as cicatrizes. - Aparentemente ele se passou pelo pai do menino e abordou o vizinho para deixar a criança lá, a esposa do vizinho comentou que seu marido começou a agir de forma estranha quando encontrou esse sujeito e aceitou seu pedido absurdo de cuidar daquela criança sem questionar, por que alguém cuidaria do filho de um desconhecido sem questionar? - Olhei para o sargento um pouco confuso e dei um tempo antes de prosseguir.

- Por fim o vizinho do bar comentou que levou a criança para seu suposto pai por volta das dez da noite que estava parado na frente do bar sozinho, infelizmente não sabemos se o atentado já tinha acontecido a essa hora, mas a pergunta que fica é: quem ele era e pra onde foi? O menino foi encontrado na cena do crime, mas esse sujeito desapareceu sem deixar pistas. - Dava um tempo para o sargento assimilar e fazer perguntas, assim como Shima também poderia tentar complementar.

- E por fim suspeitamos que esse homem possa estar utilizando de algum artifício de hipnose, já que tivemos indícios de pessoas agindo de forma incomum em algumas situações. As pessoas tentando se entregar no quartel, o vizinho aceitando cuidar do filho de um estranho, o menino e o dono do bar dando um depoimento falso do qual possuem total convicção. E todos quando são confrontados sobre isso parecem agir de forma estranha, como se suas memórias estivessem embaralhadas. - Cocei a lateral da cabeça com o indicador. - Mas infelizmente não fazemos ideia de onde esse cara possa estar agora, Holnet foi tentar encontrar alguém para fazer um retrato falado, mas fora isso não temos pistas de seu paradeiro. Talvez a criança possa nos ajudar e descobrir quem era esse cara?



Histórico:

_________________

World Legacy Scars - Página 3 9IL4Man
Ir para o topo Ir para baixo
https://www.allbluerpg.com/t1205-kenma-shirou-hasegawa https://www.allbluerpg.com/t1441-2-caneco-double-trouble
Pepe
Avaliador
Pepe


Imagem : World Legacy Scars - Página 3 IpwxvrX
Créditos : 28
Localização : Masquerade – 4ª rota

World Legacy Scars - Página 3 Empty
MensagemAssunto: Re: World Legacy Scars   World Legacy Scars - Página 3 EmptyQua Dez 22, 2021 3:35 am



Narração

Kain
Localização: Swallow - North Blue
Período do dia: Almoço

Mais hipóteses eram levantadas na mente de Kain Belmont enquanto este conversava com seus colegas na direção do quartel general da marinha. Já no local, não era difícil localizar o sargento e prontamente podia começar a dar seu vasto relatório.

Quando finalmente acabara, Lincoln pela primeira vez ria. — Quem diria que este caso seria tão complexo — falou se levantando já que obviamente o enfermeiro havia terminado de enfaixar seu braço havia tempo naquele imenso relatório. — Provavelmente vou tomar uma bronca do tenente por deixar novatos cuidarem tanto de um caso tão complexo — falava ainda mais bem humorado com a situação, lutar parecia ter o animado. — Pelo menos parece tudo bem claro agora, vamos para o salão dos cartazes, lá com certeza terá alguém que consegue fazer o retrato falado — falava enquanto começava a andar numa direção que tanto a médica quanto o soldado conheciam.

Estavam se dirigindo para um mural onde ficavam diversos cartazes de procurados, marinheiros e caçadores de recompensas costumavam passar por lá quando queriam procurar alguém específico ou só saber o que ocorria nos Blues em geral. No entanto, não chegavam a entrar no local, pois Holnet aparecia com um cartaz em mãos.

World Legacy Scars - Página 3 PxQYYjS

— Esse homem aqui não bate com a descrição!? — perguntava enquanto quase esfregava o papel na cara dos três que estavam chegando. — Com certeza bate com as informações — falava o sargento enquanto pegava o cartaz. Era costumeiro que os marinheiros ali colocassem as informações relevantes no verso, para saberem com quem estavam lidando. — Urota Suta, o hipnotizador — comentava enquanto lia. — Aparentemente ele hipnotizou diversos marinheiros a falarem que ele merecia alguns milhões de berries de recompensa. Com sua cabeça a prêmio, uma mulher o entregou para a marinha enquanto estava hipnotizada por ele — continuava resumindo as informações. — Ele conseguiu fugir, com a ajuda da própria mulher hipnotizada e a matou ficando com o dinheiro da própria recompensa. Agora a aumentaram para os doze milhões por causa disso — o sargento parecia até mesmo impressionado. — Provavelmente é o responsável por esse caso — comentava por fim.

Lincoln parava por um tempo olhando para o cartaz. — Shima, acho que o seu trabalho aqui acabou, já que você não luta — falava o sargento dispensando a médica. Ela fazia uma referência, se despedia dos outros dois falando baixinho e partia. O sargento passava o cartaz para Kain. — Procurem pelo cabo Loso e falem que vocês três estão com a missão de procurar por este procurado na ilha — informava. — A investigação está suspensa por enquanto até que vocês realizem esta outra missão — falava ele. — Se for realmente ele o culpado, registrarei que vocês realizaram ambas as missões, se não... bem... teremos que voltar para a investigação — falava o sargento não gostando muito dessa ideia.

Legenda:

Histórico:

Icons made by Freepik from www.flaticon.com
Ir para o topo Ir para baixo
https://www.allbluerpg.com/t321-aiko-saito#935 https://www.allbluerpg.com/t1723-operacao-p-a-r-a-d-i-s-e
Tidus

Tidus


Imagem : World Legacy Scars - Página 3 Fsc2GdZ
Créditos : 12

World Legacy Scars - Página 3 Empty
MensagemAssunto: Re: World Legacy Scars   World Legacy Scars - Página 3 EmptySex Dez 24, 2021 8:56 pm




World Legacy Scars

- Kain Belmont -


Ж

O relatório tomou mais tempo do que imaginei e foi só então que pude perceber a magnitude da investigação, era a primeira vez que tive de lidar com uma situação como aquela e provavelmente passos desnecessários foram realizados no processo, mas acredito que a maioria das dúvidas foram sanadas, as restantes seriam quando encontrassemos o sujeito de cabelos brancos.

Junto ao sargento fomos até a sala onde poderíamos encontrar alguém para fazer o retrato falado do nosso suspeito, contudo para nossa surpresa isso não foi necessário já que Holnet estava de volta com um cartaz de procurado. - Um cartaz? - Arqueei uma das sobrancelhas, então no fim das contas estávamos atrás de um procurado com uma recompensa, e uma bem chamativa. - O hipnotizador. - Repeti comigo mesmo depois de ouvir a breve história por trás de seus crimes. - Você está certo, tanto a aparência quanto seus crimes antecedentes batem com quem estamos procurando. - Meus olhos dourados fintaram o cartaz com intensidade, aquele sujeito era o responsável por todo esse caos… Por fazer uma criança assumir o assassinato de seus próprios pais.

Enquanto me perdia momentaneamente em meus devaneios, o sargento dispensou a legista que nos acompanhou, mas antes de partir me despedi apropriadamente. - Dr. Shima, obrigado. - Baixei levemente a cabeça em respeito. - Eu não teria chegado tão longe sem sua ajuda na investigação, espero que possamos trabalhar juntos novamente. - Esbocei um leve sorriso amigável e me virei, partindo em busca do cabo Loso que nos acompanharia na busca pelo criminoso.

Durante a caminhada puxaria papo com Holnet, pois mesmo sabendo quem era o alvo ainda existia um grande problema. - Pode ser complicado lidar com esse tal Urota, pelo relato das vítimas sua hipnose deve ser forte e ainda não sabemos como ele faz isso, o dono do bar parecia ter caído nisso antes mesmo de se encontrar com ele, ou talvez ele apenas estivesse confuso. - Cocei o queixo com a ponta do polegar. - Se cairmos no seu truque o jogo acaba, precisamos descobrir como ele faz isso. - A verdade é que estávamos indo para uma caçada que poderia terminar bem antes de começar, pois se caíssemos em seu truque sequer conseguiríamos nos lembrar do que estávamos fazendo.

Assim que encontrasse o Cabo me apresentaria de forma respeitosa batendo continência. - Soldado Kain Belmont se apresentando, senhor. - Aguardaria seu comando para relaxar e prosseguir. - Sargento Lincoln nos encarregou de uma missão de procura para esse sujeito. - Lhe entregaria o cartaz do procurado. - Pelo que descobrimos ele é um especialista em hipnose e é o suspeito pelo massacre que aconteceu na madrugada de hoje no bar Swallow Paradise. - A essa altura talvez mais pessoas do quartel já estivessem sabendo dessa caso, então não entraria muito em detalhes se não fosse pedido. - Ainda não sabemos como ele usa sua hipnose, se eu puder dar uma sugestão acho que deveríamos tentar descobrir mais sobre isso, se o encontrarmos podemos observá-lo de longe para tentar entender como ele faz o truque.



Histórico:

_________________

World Legacy Scars - Página 3 9IL4Man
Ir para o topo Ir para baixo
https://www.allbluerpg.com/t1205-kenma-shirou-hasegawa https://www.allbluerpg.com/t1441-2-caneco-double-trouble
Pepe
Avaliador
Pepe


Imagem : World Legacy Scars - Página 3 IpwxvrX
Créditos : 28
Localização : Masquerade – 4ª rota

World Legacy Scars - Página 3 Empty
MensagemAssunto: Re: World Legacy Scars   World Legacy Scars - Página 3 EmptyQui Dez 30, 2021 4:37 am



Narração

Kain
Localização: Swallow - North Blue
Período do dia: Meio da Tarde

A situação pós relatório ocorreu bem, até demais, acabaram encontrando um cartaz do principal suspeito. Tudo casava basicamente de forma perfeita. Precisava meramente prender o meliante e confirmar as suspeitas. Para isso, o primeiro passo era se despedir da médica. Que acabava fazendo uma piada mórbida. — Torcerei para vocês não serem os próximos que darei uma olhada — falava ela se despedindo, seria aquele tipo de piada uma amostra de que ela finalmente estava mais à vontade com eles?

Vai saber, independente disso, precisava, junto de Holnet, conversar com seu outro superior e partir para a captura de Urota. — Não dá para saber exatamente se foi “antes mesmo de encontrar com ele”, não é? — perguntava o soldado ao seu lado após ouvir a explicação de Kain. — Se as memórias foram todas moldadas pelo tal hipnotizador para ele ver a criança fazendo os crimes, ele pode muito bem ter visto muitas coisas e o hipnotizador mudou tudo depois, pode ter falado com o cara, interagido com as vítimas, tem várias coisas que podem ter acontecido, nada do que ele falou serve muito como base já que estamos partindo do pressuposto que as memórias dele foram alteradas — após terminar que comentava outro ponto. — Não é justamente por isso que estamos no guiando mais pelo palpite do açougueiro? Que aparentemente não teve sua memória alterada?

Com aquele questionamento no ar, acabavam achando o Cabo Loso, um homem bem comum, que chamava a atenção pela arma em suas costas que era claramente falsa quando vista de perto, totalmente de plástico. Kain explicava para ele a situação. — Não vamos perder nosso tempo pensando nisso, se o encontrarmos temos que atirar na hora — falava o homem. — Sempre ouvi que uma pessoa hipnotizada não faria algo que não aceitaria fazer, então estamos seguros de qualquer forma — complementava o cabo sem se importar em averiguar se esse tipo de informação teria qualquer base de sustentação ou não. — Onde vocês indicam que procuremos primeiro? — perguntava Loso curioso.

Legenda:

Histórico:

Icons made by Freepik from www.flaticon.com
Ir para o topo Ir para baixo
https://www.allbluerpg.com/t321-aiko-saito#935 https://www.allbluerpg.com/t1723-operacao-p-a-r-a-d-i-s-e
 
World Legacy Scars
Ir para o topo 
Página 3 de 5Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Seguinte

Permissões neste sub-fórumNão podes responder a tópicos
All Blue RPG :: Oceanos :: Blues :: North Blue :: Swallow-
Ir para: