Tópicos Recentes
Destaques
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Últimos assuntos
1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines!Hoje à(s) 11:01 ampor  Pippos[TUTORIAL] JaeggarHoje à(s) 9:31 ampor  MakaI - Desventuras em SirarossaHoje à(s) 3:18 ampor  PepeVirando a casacaHoje à(s) 2:28 ampor  Terry[P.N.D] MARINES&AGIOTAS, NÃO SÃO O MESMO?Hoje à(s) 12:38 ampor  GyathoLivro I - A CaminhadaHoje à(s) 12:37 ampor  YamiAgnis CyrielleHoje à(s) 12:06 ampor  gmasterXP.D.N. - Caçadores BacanosOntem à(s) 11:41 pmpor  KenshinChocho KimikoOntem à(s) 10:19 pmpor  RyomaMaka JabamiOntem à(s) 9:54 pmpor  Ryoma
Silent
Ver perfil do usuário
Imagem : [Tutorial] Silent Q4frd31
Créditos : 00
[Tutorial] Silent Ter Jun 22, 2021 11:43 am
Nome: Vexx
Idade: 27
Raça: Humano
Gênero: Masculino
Localização: Petra Yuni
Estilo de Combate Básico: Ladino
Mão Predominante: Esquerda
Qualidade: Memória Fotográfica
Defeito: Perfeccionista
Photoplayer:
[Tutorial] Silent D14rif10
TheRealBlind1
Ver perfil do usuário
Imagem : [Tutorial] Silent OKuPL6l
Créditos : 05
Re: [Tutorial] Silent Dom Jun 27, 2021 11:03 am
TUTORIAL APROVADO

Bem vindo ao All Blue RPG, a partir de agora eu serei seu Instrutor, irei lhe ensinar o básico sobre o fórum. O primeiro post é seu e peço desde já que se atente a sua mini ficha para trabalhar bem suas qualidades e defeitos durante a narrativa. Qualquer dúvida que tiver pode mandar MP que irei responder o mais rápido possível. Segue abaixo algumas informações importantes:

● A ficha usada para o tutorial é exclusiva dele e não precisa ser reaproveitada na sua ficha oficial, que pode ser completamente diferente. Mas nada lhe impede de usar o mesmo personagem.

● O fórum parte da premissa de evitar ao máximo God Mode, ou seja, que o jogador, controle NPCs e cenários. Em resumo evite descrever coisas como “O sol estava forte”, “Era uma manhã fria”. Não é um problema você dizer que acordou ou que está em casa, porém evite criar coisas.

● Uma dica importante para todos é que apesar de não se poder narrar cenários, ou controlar NPCs você pode procurar coisas e interagir com elas colocando a possibilidade de encontrar tais coisas. Exemplo: “Iria levantar e ir até a geladeira da casa, procuraria dentro dela uma maçã e se encontrasse uma já metia aquela bela mordida”

● Recomendo que consulte o Guia de Narração, Guia do Novato e Guia de Combate. antes de realizar o primeiro post.

● Por fim, sempre atente-se ao post de seu Instrutor e as dicas que ele der com cuidado, elas podem ajudar muito você a se guiar no fórum.
Silent
Ver perfil do usuário
Imagem : [Tutorial] Silent Q4frd31
Créditos : 00
Re: [Tutorial] Silent Dom Jun 27, 2021 9:40 pm
Apenas mais um grão de areia em meio ao deserto…


Vexx despertava após um breve descanso, sacudia suas vestimentas para se livrar de qualquer vestígio do deserto que o vento pudesse ter trago, ajeitando sua roupa de forma perfeita e checando novamente a bandana em sua cabeça, checando se as coisas ao seu redor estavam da mesma forma como estavam antes dele ter ido dormir, uma espécie de ritual que o gatuno tinha e que, somado a seu perfeccionismo e o medo constante de que os Bandoleiros de Sal finalmente haviam enviado alguém para silenciar uma potencial ameaça a seus esquemas. “Já faz quase um ano que saí daquele grupo, mas essa inquietação ainda insiste em me perseguir…” Pensava consigo mesmo enquanto continuaria a checar os seus arredores. Graças a sua memória fotográfica, confirmava que tudo estava exatamente onde deveria, fazendo com que o ladino inconscientemente soltasse um breve suspiro.

“Então não mandaram ninguém hoje também… Me pergunto se essa calmaria toda é um sinal de que a tormenta esta vindo….”

Perdido em seus próprios pensamentos, Vexx sairia de onde quer que estivesse, afinal, após deixar os Bandoleiros do Sal ele passou a viver assim, dentre cavernas e cabanas, sempre escondido à espera do dia que o grupo de assassinos mandaria alguém para silenciá-lo. Claro, ele fez um acordo e juramento dizendo que não contaria a ninguém o que acontecia lá dentro, mas isso não era suficiente para tirar as preocupações do jovem. "A partir de hoje você não tem mais nome, é apenas mais um grão de areia em meio ao deserto e deverá agir como tal, singular, mas plural. Independente, mas efetivo. Silencioso, mas mortal. Um bandoleiro de sal sempre termina o serviço, do sal viemos, ao sal voltaremos.” O juramento de seu ex-grupo ainda ecoava em sua cabeça, gerando um uma pequena curvatura com o canto da boca, quase chegando ao ponto de sorrir. -Bom, o dinheiro que juntei com os trabalhos já está acabando e preciso renovar meus mantimentos… Hora de procurar um serviço.- Com esse pensamento em mente, caminharia rumo a civilização mais próxima a procura de algum serviço que pudesse lhe render grana suficiente para pelo menos passar o mês. Caso encontrasse alguém, cobriria seu rosto com o cachecol que trazia no pescoço, deixando apenas seus olhos à mostra, uma prática bem comum da região para evitar que o deserto entrasse onde não deveria e questionaria ao indivíduo. -Ei, estou vagando no deserto a algum tempo e meus mantimentos estão acabando… Sabe onde posso conseguir um trabalho por aqui? Faço qualquer coisa, só preciso do dinheiro.- Diria em tom sério, aguardando pela resposta do alvo. Caso essa pessoa não pudesse lhe ajudar, gesticularia com a cabeça em sinal de agradecimento e prosseguiria até outra pessoa, perguntando a mesma coisa, até que alguém pudesse lhe indicar algo.

“O deserto tá calmo hoje… Odeio dias assim…”

Pensaria enquanto se encaminhava na direção indicada pela pessoa. Quando dizia que o deserto estava calmo, não buscava dizer que tinha pouco vento ou algo assim, apenas que algo dentro dele lhe trazia inquietação, talvez apenas resquícios de seu antigo trabalho que voltavam para lhe assombrar, o importante é que Vexx confia em seus instintos e seguiria mais cauteloso, prestando atenção aos rostos que via e, utilizando de sua memória aguçada e seu perfeccionismo nato, ficaria repassando o rosto das pessoas em sua cabeça, apenas para confirmar que alguém não estava o cercando, afinal, se a mesma pessoa fosse vista múltiplas vezes perto dele, ele podia deduzir que talvez não fosse apenas coincidência. Caso chegasse ao local indicado sem problemas, bateria levemente a mão em seus pertences, apenas para checar o que trazia contigo, se sua fiel adaga ainda estava ali ou se já tinha a perdido em alguma de suas peregrinações desérticas e, após confirmar seus pertences, se apresentaria a seja lá quem fosse que pudesse lhe dar trabalho. -Olá, me disseram que você está precisando de alguém para um serviço… Do que se trata e qual a recompensa?- Ríspido, sem muitas delongas, questionaria diretamente seu possível empregador.
TheRealBlind1
Ver perfil do usuário
Imagem : [Tutorial] Silent OKuPL6l
Créditos : 05
Re: [Tutorial] Silent Qua Jun 30, 2021 9:59 pm


[Tutorial] Silent DkI2H3
Narração

Vexx despertava do sono pós-almoço com as assombrações do passado o permeando, como sempre. Se investigasse o lençol de sua cama, poderia ver que ele estava encharcado de suor muito provavelmente pelas batalhas imagináveis travadas enquanto dormia. Como um ex-membro de um grupo, Vexx não carrega com ele nenhuma esperança de que um dia as pessoas interessadas nos segredos guardados com ele não lhe batam à porta para cobrá-lo de negócios inacabados e assim garantir o seu silêncio, é por isso que nesse último ano ele viveu antes de tudo muito atento e como se aquele pudesse ser o seu último.

Após garantir que sua vestimenta estaria livre das poeiras trazidas pelo deserto e muito bem passadas, afinal, a primeira imagem é a que fica, e que possuía uma reserva dos últimos trabalhos realizados no valor de 250.000 ฿S, o perfeccionista saiu de sua tenda com o objetivo de arrumar um emprego nesse dia. Vexx se apresentava como alguém disponível para qualquer tarefa, com ele não tinha tempo ruim, desde que ao término o seu bolso tivesse enchido de dinheiro.

Na ausência de nuvens, o sol era causticante promovendo sobre o deserto de Petra Yuni uma temperatura por volta dos 49º. Assim como observado pelo ladino, a maioria dos residentes que circulavam naquele horário do dia eram todos muito bem protegidos do sol, com a proteção de óculos na altura dos olhos e mangas longas. Várias eram as oportunidades de emprego naquele vilarejo, aqueles que tinham cozinheiros como profissão eram muito valorizados, graças aos pescadores que traziam uma iguaria melhor do que a outra, ai está uma segunda profissão muito exigida. Não havia limites, todos tinham espaço em Petra Yuni.

Em uma espécie de escritório improvisado, um agente de emprego sentado em um banco em frente a uma carteira de madeira gerenciava uma fila de trabalhadores e agora mais um esperava pela sua vez, esse era Vexx. — Você me parece desesperado, homem. — Brincou o agente ante a condição apresentada pelo ladino. — Seu Katabuchi está prestes a sair em uma jornada atrás de uma truta gigante, algo como a maior que ele já viu, ele fala tão apressadamente que não consegui entender muito bem. Em resumo, de pesca ele entende e muito, mas ele deixou incumbido ao meu escritório - se é que aquilo poderia ser chamado de um - de encontrar homens fortes que assegurem a sua segurança e algumas tarefas menores na embarcação. Acha que tem o necessário para essa tarefa? — Com o sinal verde, o agente então deu a localização que deveria procurar. — É só seguir ao Sul, o porto faz divisa com a nossa cidade. — Concluiu, entregando uma carta de recomendação com o seu selo.

Não mais do que quinze minutos de caminhada e Vexx finalmente havia chegado até a região portuária. Ali todo tipo de transação, ilegal ou não, acontecia à luz do dia. Era também uma região onde acostumava ocorrer muitos roubos, mas talvez pelos olhos treinados do nosso protagonista ninguém esboçou nenhuma tentativa contra ele. — Com licença, você vai trabalhar com o Katabuchi-sama?! — Um homem loiro, de avental e chapéu de cozinheiro carregando uma sacola de papelão com vários produtos interceptava Vexx. — Desculpe-me pela minha deselegância, mas você sabe como funcionam as coisas, é sempre um olho no peixe e outro no gato. O selo nessa carta que você carrega te denunciou. — Informou a fim de tentar desarmar qualquer má interpretação. — Meu nome é Mirbacha e eu sou o cozinheiro do barco, o responsável por preparar as trutas, me acompanhe, por favor. — Seguiu em direção da embarcação.

Seu nome é Serapis. — Tratava-se de uma embarcação pequena, com a vela superior laranja e a central amarelada, com um emaranhado de cordas cruzando aqui e ali. O detalhe do seu casco era branco, com detalhes azuis e laranja. O timão estava localizado ao centro e era controlado por um senhor de cabelos curtos e vermelhos com um rosto vivido. Seus olhos cinzentos brilhantes observavam cuidadosamente o marujo levado até ele. — Encontrei esse homem perdido por ai, ele carrega a carta que deixamos com Bertrams. Com ele, acredito que encerramos os preparativos e podemos dar início à viagem, correto? — Esclareceu o cozinheiro. — Você está louco, drogas? E se esse cara for um impostor? Alguém que roubou a nossa carta e ta com o plano de nos matar? Ou pior, roubar a truta? Eu tenho muitos inimigos, idiota, como você traz qualquer um assim para o barco? Não tem medo da morte? — O velho parecia espumar de raiva, mas era uma raiva divertida e uma preocupação que Vexx geralmente compartilhava. — Hey! Você é realmente quem diz ser? Não tem a intenção de nos roubar não, né? — Vendo razão na fala do seu superior, o cozinheiro se aproximou e sussurrou no ouvido de Vexx.

Como reagiria Vexx ao ser apresentado àquela nova profissão e profissionais? Era algo totalmente novo em sua vida ou ele já tem um episódio para nos contar sobre? Vamos aguardar as cenas do próximo capítulo.


Considerações:

Olá! Primeiramente quero registrar as minhas boas-vindas, espero que você desfrute do fórum e se divirta em primeiro lugar. Gostei bastante desse seu post inicial, nota 10 mesmo, mantenha o nível e vamos tirar de letra.

OBS: Sobre a demora para postar, enviei uma MP com antecedência explicando que estaria ocupado nos últimos dias, espero que tenha recebido.

Silent
Ver perfil do usuário
Imagem : [Tutorial] Silent Q4frd31
Créditos : 00
Re: [Tutorial] Silent Qui Jul 01, 2021 10:10 am
Não há descanso para os perversos


Vexx conseguia encontrar um emprego sem muitos problemas, conhecendo uma dupla bem peculiar. O capitão estava certo, em seu antigo emprego diversas vezes foi responsável por assumir um papel de alguém que dizia ser quem não é, apenas para traí-los em um momento oportuno e concluir seu trabalho. “Não há descanso para os perversos… Acho que chamam isso de ditado não é de a toa.” Com um leve riso imperceptível devido a cobertura em seu rosto, o ladino tiraria a proteção de seu rosto, como forma de demonstrar que não desejava mal a dupla. “Já estivesse tantas vezes do outro lado dessa história que vai ser divertido estar do lado que protege, pra variar. Trabalhos de proteção eram bem raros, ou o chefe só gostava de me dar as execuções mesmo, hunf.” Dava de ombro após o breve pensamento, iniciando sua fala. -Katabuchi, eu presumo? Não se preocupe, não estou aqui para roubar, o trabalho desta vez é de escolta e proteção, como dito por seu cozinheiro. Mas faço qualquer outra tarefa que aparecer no processo e tiver em meu alcance. O nome é Vexx, prazer em conhecê-lo senhor. Você também, cozinheiro. Serei a escolta de vocês por hoje.- Inclinando levemente o corpo com um dos braços a frente do corpo e outro atrás se apresentava o ladino. A cordialidade era parte de sua vida e um traço de personalidade que seu perfeccionismo trazia, tentando sempre causar a melhor impressão possível.

-Vim por indicação do Bertrams, como disse o jovem Mirbacha. Faz bem em se preocupar senhor, cuidado nunca é demais e nesta época toda e qualquer fonte de renda extra é um alvo em potencial pros desafortunados e oportunistas.

Finalizando sua apresentação, cobriria novamente seu rosto com suas vestimentas. Olharia ao redor, tentando se certificar de que alguém não havia seguido os dois até ali, afinal, o cozinheiro não era lá dos mais discretos e algum espertinho poderia ter pego a conversa pelo meio e tentar algo. Utilizando de sua excelente memória, passaria o olho rapidamente sobre a embarcação, em caso de alguma coisa der errado ele souber a que barco deve priorizar. -Senhor, disse ter muitos inimigos, alguns deles em particular que poderiam tentar algo mais… digamos… “Sujo”? E o que pode me dizer deles?- Vexx ainda estava vivo por um motivo: Era bom no que fazia. O propósito do questionamento ao seu empregador era de tentar se prevenir contra um possível inimigo, afinal, ter informações de antemão sobre o adversário é sempre um ponto positivo, que arma ele usa, quem ele conhece, quem ele normalmente contrata... Tudo isso poderia lhe ajudar caso chegasse a um confronto. Apesar deste ser o ponto primário de sua pergunta, também esperava ganhar a confiança do homem, mostrando-lhe que de fato não era uma ameaça, pelo menos não a ele. Antes que pudesse iniciar o trabalho, porém, queria se certificar de que tinha as ferramentas para fazê-lo, checando se havia pego sua antiga companheira de luta, sua adaga que tinha apelidado de “Falcão” devido a um desenho de olho que tinha em sua empunhadura. Não precisava mexer em suas roupas para isso, afinal, tinha uma memória fotográfica, bastava lembrar se havia pego ela de sua tenda ou não. Caso tivesse esquecido, direcionaria uma fala ao capitão, com certa vergonha pois se apresentava ao trabalho sem estar de fato totalmente pronto.

-Huh… Mil perdões, senhor. Creio que esqueci de minha adaga em casa, pois tive que sair as pressas. Você não teria algo parecido com uma por ai? Uma faca já serve, desde que seja grande e afiada.

Era um navio pesqueiro, então não era difícil imaginar que teria uma faca de tamanho suficiente para funcionar como uma arma, em específico, uma adaga. Caso o homem lhe entregasse o item em questão, agradeceria, se desculpando novamente pelo descuido. Se por algum motivo, talvez por desconfiança, ele não quisesse lhe entregar, insistiria. -Olha, eu tenho dinheiro, posso pagar por ela se for preciso, mas não poderei te proteger se estiver desarmado. Se a preocupação do senhor for que de alguma forma eu a use para te machucar, ou roubar… Se essa fosse a minha intenção, eu não estaria aqui desarmado, não acha? E, modéstia parte, se essa fosse minha intenção vocês provavelmente nem me veriam chegando.- Não estava tentando se achar nem nada parecido, apenas dizia a verdade, afinal, passou a vida executando pessoas sem ser descoberto e não seria um pescador e um cozinheiro que seria sua primeira falha em trabalho. Todavia, caso percebesse que a “falcão” estava com ele, não diria nada além de -Estou pronto para partir, senhor.- E se colocaria numa posição onde tivesse uma visão ampla dos dois, do capitão e do cozinheiro, além do objetivo em questão, a truta. Se não conseguisse encontrar uma, tentaria ficar a uma distância “segura” do peixe, onde pudesse defender o item em caso de ataque, mas não próximo o suficiente para despertar desconfiança no capitão. Já havia trabalho com aquele tipo de gente antes e sabia que para algumas pessoas o valor de determinado item muitas vezes era até mesmo mais alto que sua própria vida.

“A ideia de pegar esse peixe e fugir é tentador… Possivelmente conseguiria um bom dinheiro no mercado por algo assim. Mas trabalho é trabalho e desta vez o meu é o de proteger.”

Vexx era surpreendentemente fiel a seus empregadores, motivo este inclusive que resultou em seu “convite” para deixar os Bandoleiros, quando disse que não executaria seu empregador porque os bandoleiros haviam recebido uma oferta melhor em contrapartida de outra pessoa. Vexx sempre executava seus serviços por quem o tivesse contratado primeiro, não traindo de forma alguma, a não ser que o trabalho em si envolvesse traição.



Última edição por Silent em Qui Jul 01, 2021 10:14 am, editado 2 vez(es) (Motivo da edição : Esqueci de uns codes)
TheRealBlind1
Ver perfil do usuário
Imagem : [Tutorial] Silent OKuPL6l
Créditos : 05
Re: [Tutorial] Silent Sex Jul 02, 2021 7:58 pm


[Tutorial] Silent DkI2H3
Narração

Após apresentar o ladino para o capitão da embarcação, Mirbacha se dirigiu até o andar inferior com destino à cozinha para guardar os produtos recém comprados e começar a preparar o prato que alimentaria os marujos. Agora a sós com o capitão, Vexx tomava a atitude acertada de colher o máximo de informações possíveis que pudesse agregar para o desempenho de sua tarefa. — O quê? Inimigos?! HAHAHAHAHA! — Gargalhou o capitão. — Você realmente acreditou que alguém poderia ter o interesse em um velho tolo como eu e em um barco remendado como esse? Vai me dizer que você também acredita no One Piece? HAHAHAHA! — Ironizou. — Desculpe-me pela brincadeira, foi apenas uma tentativa frustrada de fazer você desistir enquanto era tempo. Estava enganado, no entanto, você demonstrou seu valor e eu aprecio isso. — Conforme falava, ele começava a virar o leme todo a estibordo e Vexx poderia ver que as cordas se mexiam, mas apenas uma silhueta poderia ser vista vagando sobre elas e as velas começando a inflar tirando a embarcação do seu lugar.

— Que bela adaga você tem ai, eu posso vê-la? — O dono da silhueta de antes desceu das cordas e revelou a sua identidade, tecendo um elogio ao armamento carregado por Vexx, sua fiel adaga de nome Falcão. Tratava-se de um homem baixo, com aproximadamente um metro e sessenta de altura, de corpo bem definido, pés descalços e sem camisa, apenas com uma calça curta que ia à altura de suas canelas peluda e uma faixa vermelha amarrada na cintura. O mesmo usava um tapa-olho no olho esquerdo, mas ao retirá-lo você poderia confirmar que era um olho saudável o que colocava em dúvida o seu uso. — Eu sou Basho, também conhecido como o manobrista dessa joça aqui, prazer. — Apresentou-se.

Investigando o interior daquela embarcação Vexx poderia ver que eram em sua maioria equipamentos voltados para o campo da pesca, realmente. Varas, carretilhas, iscas, cinco bóias, vários tipos de anzóis, de chumbo, natural ou superficial e de diferentes tamanhos, linhas e acessórios como caixas térmicas e ferramentas. No entanto, poderia chamar sua atenção, escondida atrás de um emaranhado de cordas, uma Katana embainhada com a escrita "O mensageiro do Inferno". Talvez herança de uma época dourada?  

Mas a viagem precisava prosseguir e o grupo andou, andou e andou por algumas horas e nenhuma aventura se apresentou nesse tempo. — Finalmente ficou pronto, comam por favor. — O cozinheiro saia do seu território, que era a cozinha e trazia com ele os chamados rolinhos de primavera e copos com habushu para todos. — Barriga vazia não traz alegria. — O mar estava calmo e as embarcações que eram avistadas pelo caminho não demonstravam nenhuma investida, foi quando o grupo encontrou um navio naufragando pela metade, com a parte da frente totalmente condenada. Vários corpos boiavam na vizinhança e equipamentos foram perdidos. Do topo, três homens acenavam com suas camisas na parte que ainda estava salva.

— Capitão, bate com as descrições do Mirrtle, o navio que as pessoas estavam comentando. — Disse o manobrista. No topo, com aqueles homens, um baú e recipientes de vários tamanhos eram mantidos com eles. — Precisamos ajudá-los. — Esboçou Brasho. — Que mané ajudá-los, jogamos as bóias e eles que se virem, não estamos aqui para isso. — Colaborou o cozinheiro. Mas o capitão deu de ombros, não estava interessado na palavra de um manobrista e um cozinheiro, mas sim daquele que teria um conhecimento mais aprofundado. — Diga, Vexx, você acha seguro trazê-los para dentro? — Perguntou. — Você foi contratado para assegurar a nossa segurança, então se acreditar que isso possa nos trazer algum tipo de prejuízo, por favor, diga-nos. Eu seguirei a sua recomendação. — Finalizou.

Se tivesse algum plano em mente, aquela era a oportunidade para dizer, pois o navio começava a ser engolido por completo pelas águas.  


Considerações:

Sem comentários, muitíssimo satisfeito. Na verdade, a única coisa que eu senti que não colaborou muito foi a escolha da fonte azul no fundo preto, foi uma luta para acompanhar as falas e geralmente isso pode tornar a leitura um pouco maçante, então atente-se para isso, tente harmonizar o máximo que conseguir. Do mais, vamos terminar muito em breve!

Silent
Ver perfil do usuário
Imagem : [Tutorial] Silent Q4frd31
Créditos : 00
Re: [Tutorial] Silent Sab Jul 03, 2021 11:09 am
Um aliado suspeito é pior do que qualquer inimigo...





Vexx se enturmava com a tripulação e a última adição ao grupo em particular lhe causava certa preocupação, o condutor da embarcação. “Descalço, sem as vestimentas devidas, corpo torneado… Porque eu tenho a sensação de que esse cara é mais qualificado do que o necessário pro cargo? Sua constituição deve ser relativamente alta para suportar o calor e se mover com tanta facilidade mesmo usando esse mínimo de roupa…” Esse pensamento passava rapidamente por sua mente antes de responder o rapaz. -Huh… Basho, não é? Prazer em conhecê-lo. E não me leve a mal marujo, mas vamos torcer pra que nem você nem ninguém aqui precise vê-la novamente, certo?- Diria, guardando sua adaga na cintura, ao alcance das mãos para qualquer eventualidade. Ao investigar a embarcação mais a fundo, memorizava tudo como quem vê uma foto e um item em específico lhe chamava atenção, uma velha espada japonesa devidamente ornada até com nome, revelando ser um item pessoal estimado, tal qual sua falcão.

“Hmm… Se meus instintos ainda estão afiados, o único aqui que vejo sendo capaz de usar isso é o timoneiro, o que me deixa ainda mais alerta a respeito desse sujeito… Algo sobre ele não me parece certo.”

Suas desconfianças a respeito de Basho apenas aumentavam. Após algumas horas, o cozinheiro avisava que era hora do rango e se tem uma coisa que Vexx aprendeu durante suas aventuras era que: Se puder comer, coma. Se puder se hidratar, hidrate-se. Nunca se sabe quando terá outra chance em meio a um trabalho e assim sendo, se juntaria aos outros enquanto saboreava a refeição. Infelizmente para Vexx, ele era um perfeccionista e assim sendo, toda vez antes de comer tinha praticamente um ritual onde tinha que deixar seus talheres perfeitamente alinhados antes que pudesse de fato se alimentar, além da distribuição de comida no prato ter seu jeito único de organização para que tudo estivesse devidamente balanceado e pudesse aproveitar a singularidade de cada sabor. Quando terminava seu “ritual”, finalmente pôs-se a comer, apenas para ser interrompido na metade do prato quando uma embarcação semi naufragada aparecia no mar.

“Mas que- Não, não. Agora não é hora disso, foco no trabalho Vexx, foco no trabalho…”

Ele realmente odiava ser interrompido em meio a sua refeição, mas não tinha muito o que fazer, o trabalho vinha primeiro. Sugestões vinham dos outros tripulantes, mas o capitão colocava a decisão final nas mãos do ladino, que até ouvia a pergunta do marujo, mas já estava perdido em pensamentos desde o momento que a embarcação foi avistada. “Mirrtie? Ouviram no porto? Se eles ouviram sobre esse navio ainda no porto e se de fato for o Mirrtie, algo não está certo aqui… Já tem horas que estamos no mar, o navio já teria afundado.” Pausava brevemente seu pensamento, voltando-se ao capitão. -Só um instante senhor, deixe-me pensar nisso por um breve momento.- Avisaria ao capitão, apenas para que não achasse que estava apenas paralisado ou algo do tipo, resumindo seu pensamento. “Além do mais, quem sugeriu o resgate foi Basho… Algo está definitivamente esquisito aqui. Ele é responsável pela rota que o navio traça sendo o timoneiro e é bem conveniente que damos de cara com um navio cheio de caixas suspeitas…Hmm…” Após refletir por um momento, levando sua mão ao queixo por um momento no processo sem nem mesmo perceber, daria sua opinião ao capitão, tentando frizar os pontos que julgava importante.

-Senhor, desculpe a franqueza, mas a quanto tempo você está com essa mesma tripulação? Se vocês ouviram sobre um suposto navio que a descrição bate com esse aí ainda no porto e mesmo após horas no mar, o que já teria dado tempo mais que suficiente para um navio desses afundar, convenientemente nos encontramos com ele e umas caixas que sabe-se lá o que tem dentro… Eu aconselho não jogarmos nem boia para eles, apenas sigamos nosso trajeto normal. E uma última coisa…-

Colocaria a mão na cintura, mas ainda não sacaria sua adaga, apenas manteria a mão esquerda ali para um saque rápido. -Esse condutor… A quanto tempo vocês navegam juntos?- Caso a resposta fosse “positiva”, isto é, se já se conhecessem a tempo suficiente para o capitão, que compartilhava da mesma desconfiança natural que Vexx também tinha, dissesse que confiava no rapaz, ainda se manteria alerta, mas acenaria com a cabeça em sinal positivo e concluiria sua fala com o seguinte. -Bom, todos sabem do risco que o mar trás e, vocês como marujos sabem melhor disso, mas a partir do momento que se aventura nas águas você tem que estar preparado para não voltar. É uma lástima, mas sugiro prosseguirmos e deixar o resgate para alguma outra embarcação.- Contudo, caso a resposta do capitão fosse “negativa”, isso é, se ele confirmasse a suspeita de Vexx de que o timoneiro, assim como ele, havia se juntado a tripulação apenas recentemente, sacaria sua adaga, manteria certa distância de Basho, suficiente para que pudesse avançar nele caso necessário e questionaria ao condutor. -Nesse caso… Se importaria de explicar como em mar aberto a gente coincidentemente deu de cara com uma embarcação que vocês “Aconteceram de escutar” sobre no porto? E principalmente, porque você foi o único a propor um resgate? E não me venha com “Porque é o certo a se fazer” porque não vai colar.- Normalmente, Vexx executaria o homem ali mesmo pela simples suspeita, em seu antigo ramo de trabalho a mais simples hesitação era sinal de vida ou morte. Mas como sua função ali era proteger a embarcação, precisava pensar também nos outros e, caso perdesse um possível duelo com o homem, não só sua missão de proteção como a vida de todos estariam em risco, uma falha completa que ele não estava disposto a ter em seu histórico.

Apesar de cordial, Vexx era pragmático e centrado, como o assassino que foi treinado nos bandoleiros para ser. Não se importava nem um pouco com a vida daqueles de fora de sua tarefa, portanto não sentia remorso nenhum em deixar com que os náufragos ficassem ali à deriva no mar, afinal, não eram sua responsabilidade e sua presença no barco caso fosse realizado um resgate seria apenas mais vidas para se preocupar, além da constante inquietação de que poderiam tentar trair a tripulação, uma preocupação que o perfeccionista não se daria o luxo de ter. Não daria o primeiro passe no possível embate com o timoneiro, sua ameaça também servia para testar o homem e vê como ele reagiria a uma possível revelação de seja lá que disfarce ele poderia tentar estar mantendo ali fosse revelado. Caso ele reagisse de forma brusca, isso é, tentando avançar no ladino, miraria nos tendões do condutor, ao abaixar-se e, utilizando do peso de seu próprio corpo impulsionado pela gravidade exercida no ato de se abaixar, buscaria lesionar a movimentação do homem ao atingir àquela região. Se ele reagisse de qualquer outra forma que não fosse avançar no ladino, analisaria melhor a situação antes de prosseguir com sua ofensiva e tentaria, se fosse possível sem que perdesse o foco do condutor, perceber aonde estavam os supostos naufragados, apenas para se certificar de que não receberiam um ataque surpresa vindo da água.

Todavia, caso tudo fosse resolvido sem precisar esquentar o clima já escaldante do local, procuraria novamente um local em algum canto do barco onde pudesse ter uma visão mais ampla de todos, principalmente do condutor, e tentaria terminar sua refeição que havia deixado pela metade e, caso o capitão estivesse por perto, questionaria a ele tentando não mostrar muito interesse, o famoso “Como quem não quer nada” de quem era aquela katana jogada ali. -É uma bela espada, essa "Mensageiro do Inferno"... É sua, senhor?- e esperaria pela resposta, ajeitando suas roupas no processo. Talvez toda essa situação fosse apenas um delírio de Vexx e não tinha nada demais na situação? Era possível. Mas a possibilidade de ser algo a mais o fazia ser mais cauteloso que o normal, afinal, estar bem preparado nunca lhe fez mal e era o motivo de estar vivo até ali.
O f f:
Foi mal, eu nem vi que tava ruim de ler porque normalmente vejo pelo Cel, agora acho que ficou melhor. Vamo q vamo!


Última edição por Silent em Sab Jul 03, 2021 11:12 am, editado 1 vez(es) (Motivo da edição : Esqueci de uns codes, de novo)
TheRealBlind1
Ver perfil do usuário
Imagem : [Tutorial] Silent OKuPL6l
Créditos : 05
Re: [Tutorial] Silent Seg Jul 05, 2021 7:59 pm


[Tutorial] Silent DkI2H3
Narração

— O quê? Isso é sério, seu maldito?! Cê tá dizendo que eu arquitetei algum plano para nos trazer até aqui? Aaaaah! Eu juro que vou te matar. — Visivelmente ofendido por ter tido a sua honra ferida, Basho esboçou investir contra Vexx, mas foi abraçado pelo cozinheiro que impediu seu avanço. — HAHAHAHAHAHA! — Mais uma vez o ancião do grupo apresentava a sua icônica risada ante o principio de confusão ali instaurado. — Eu não poderia estar mais satisfeito do que agora. Veja só, eu trabalho com Bertrams já há algum tempo e essa é a primeira vez que ele manda alguém competente para nos socorrer. — Iniciou. — Eu estou verdadeiramente boquiaberto com a sua postura, homem, e gostaria de convidá-lo a fazer parte da minha tripulação fixa, o que me diz? — Sugeriu. — Katabuchi-dono?! Esse idiota esteve prestes a me acusar injustamente e é assim que você o retribui? — Mostrou-se insatisfeito o manobrista. — Se acalme Basho-san, tenho certeza que ele poderia agregar muito para a nossa tripulação. — Tentou melhorar o clima. — Eu espero que você tenha a decência de recusar, homem, ou farei da sua vida um inferno aqui dentro. — Avisou Basho, dirigindo-se até o convés inferior.

[...]

Enquanto o incidente era resolvido, quatro marujos que estavam à deriva fruto do naufrágio conseguiram através de uma escalada, com o suporte de uma corda lançada na parte de dentro e cuja garateia de três pontas se fixou na borda, acessarem o interior da embarcação. — Isso é um golpe. — Anunciou um dos marujos, rendendo o capitão pelas costas e colocando uma lâmina sob o seu pescoço. — Merda. O jantar vai queimar, dessa maneira. — O mesmo sofria o cozinheiro. — Seu imbecil, você se esqueceu de avisar para eles que eu estava com eles. — Do andar de baixo, Basho era guiado até os seus colegas, na parte de cima da embarcação, ao céu aberto, com as duas mãos para cima em sinal de completa rendição, pois tinha sob sua espinha a fria lâmina de uma adaga apontada contra ele, e voltava a ironizar a teoria de Vexx.    
 
— Você ai, assuma o timão e vá resgatar os nossos amigos. — Um homem de aproximadamente setenta quilos e um metro e oitenta de altura, sem camisa, mostrando um corpo saudável e bem definido, com uma bandana vermelha prendendo o cabelo e uma espada em mãos, em pegada dupla, com a sua bainha no lado esquerdo de sua cintura, ditava o que Vexx deveria fazer a partir daquele momento. — Estamos com os seus amigos como reféns, homem, não faça nada estúpido. Assim que os resgatarmos, nós entregaremos a vocês as boias e vocês aguardarão no mar até que o próximo navio venha socorrer vocês, assim todos saímos ganhando. — Finalizava.
 


Considerações:

Adicionei a situação de combate para enfrentarmos e superarmos esse tópico, manda ver! Reafirmo a necessidade de ler o guia de combate, link anexado logo no primeiro post dessa mini-aventura.

Silent
Ver perfil do usuário
Imagem : [Tutorial] Silent Q4frd31
Créditos : 00
Re: [Tutorial] Silent Ter Jul 06, 2021 1:34 am
O caos de um suicídio coletivo...




Vexx observava a situação se desenrolar com certo desinteresse, pois havia avisado a tripulação sobre essa possibilidade e mesmo assim eles eram pegos. “E é por isso que odeio trabalhos de proteção… Manter as pessoas vivas é sempre mais difícil apenas matá-las.” Suspirava, fechando bem brevemente seus olhos no processo, quase como uma piscadela. Ao abri-los novamente, seu semblante mudaria, mesmo que os outros ali não pudessem ver tal mudança perante as vestimentas do ladino. Sua mente perfeccionista e sua memória fotográfica estavam funcionando a todo vapor, quase como um processador de um sistema operacional. “Empunhadura dupla. Bainha no lado esquerdo, sugere que seja destro, possivelmente o líder do grupo. Primeiro alvo: Timoneiro. Se o restante do grupo se unir a situação apenas pioraria. Preciso da um jeito naquela corda também…” Antes que os homens pudessem perceber que ele estava demorando demais para responder, pegaria sua adaga com a mão direita, que não era sua mão dominante, segurando-a apenas com o polegar enquanto mostrava as palmas da mão, um simples gesto de rendição.

-Ok, ok… Não vou tentar nada… Só fui contratado para escoltá-los, se sairmos daqui com vida, como você diz, meu trabalho está feito…

Diria, caminhando lentamente na direção do homem que havia sido apontado para guiar a embarcação, um caminhar que estava bem acostumado devido a sua antiga profissão, vagaroso, mas sempre constante, afinal, não queria que ele levasse o barco até onde o restante do grupo de invasores estavam. -Mas só uma coisa antes da nossa rendição… Eu também fui contratado para proteger a carga, então não posso deixar o navio com vocês.- Acelerando com o máximo de força que conseguia reunir em sua perna, contraindo seus músculos e aplicando força nos pés para ter um impulso inicial satisfatório, partiria na direção do inimigo que foi designado para guiar o navio, possivelmente o condutor do grupo de invasores e, quando estivesse no alcance do ladino, iniciaria sua ofensiva com um breve agachar do corpo, apenas para gerar mais força ao se levantar, faria então um movimento em meia-lua, da esquerda para direita visando acertar o pescoço do inimigo, porém, quando sua adaga estivesse próximo ao objetivo, mudaria a “falcão” de mão, trazendo-a para sua mão dominante, a esquerda e aplicando o mesmo movimento anterior, mas desta vez em meia-lua de forma reversa, de cima para baixo, aproveitando o impulso do movimento anterior para que seu golpe pudesse ser o mais veloz e potente possível. A finta era para enganar um possível bloqueio inimigo, mudando rapidamente a trajetória do ataque já havia se mostrado diversas vezes anteriormente uma estratégia efetiva e, a julgar pela situação atual, parecia ser uma boa ideia.

No caso do homem ainda assim bloquear ou até mesmo desviar do ataque, manteria a ofensiva ao, utilizando do movimento de agachar que já havia feito, girar seu corpo dando um pequeno salto para frente, visando transpassar o inimigo e cortar seu abdômen no processo, com um corte lateral advindo do movimento giratório. Se conseguisse e, desta forma, ficasse nas costas do homem, finalizaria o ataque com uma punhalada na direção do coração. O movimento de giro serviria tanto na ofensiva como para desviar de um possível contra-ataque adversário, moveria sua adaga buscando bloquear tal ato caso percebesse, não para absorver o ataque, apenas “atacando” seja lá o que o oponente usasse contra ele para desviar o ataque de seu corpo e desbalancear-lo ao mesmo tempo. Todavia, caso seu inimigo ainda permanecesse vivo (E apenas se ele ainda estivesse vivo) mudaria o alvo de seu ataque para seus pulsos, qualquer um dos dois que estivesse mais próximo, ao saltar e, quando seu corpo começasse a cair, fincaria sua adaga na região pretendida, empunhando com ambas as mãos sua adaga para gerar mais força, a retirando rapidamente para não ficar desprotegido, uma vez que estava no ar e poderia se tornar um alvo fácil, fazendo a mesma ação de “atacar” o ataque adversário para desviar sua trajetória, desviando de seu próprio corpo no processo, assim, mesmo que ele não morresse, não conseguiria mais guiar o barco, ou pelo menos teria dificuldade o suficiente para que Vexx ganhasse mais tempo.

“Menos um. Vamos ao resto.”

Seu foco era completamente na batalha, um traço que foi incrustado em seu corpo devido ao extenso processo de repetição de combates ao qual passou ao longo da vida. Antes que partisse na direção do próximo inimigo, daria três “pisões” no chão e abaixaria apenas seu tronco. Faria tal encenação na direção do condutor da embarcação, Basho, tentando sinalizar para o homem algo como “Pisa no pé dele e se abaixa!” afinal, sua mente estava completamente em êxtase com todas as informações contidas em sua memória e justamente por isso ele sabia que Basho era o único que poderia executar tal ação, uma vez que os outros duas tinha uma faca no pescoço e não poderia se abaixar muito facilmente, diferente do manobrista que tinha a faca nas costas. Independente do homem entender a mensagem ou não, partiria na direção dele, o que mudaria seria apenas sua abordagem. Caso o manobrista fizesse o que lhe foi dito subliminarmente, isso criaria uma brecha perfeita para Vexx, que faria um corte reto, mantendo sua amada falcão alinhada horizontalmente em relação a seu punho, como se fosse dar um soco e a adaga fosse uma extensão de sua mão, visando acertar o pescoço do oponente e finalizá-lo de uma vez com um golpe certeiro. Contudo, caso o condutor não tivesse captado a mensagem, soltaria um “Tsk!” demonstrando sua irritação perante a situação e tentaria mirar sua adaga de forma que o reflexo do sol atingisse o olho do inimigo, obstruindo sua visão por uma mínima fração de tempo e giraria em torno de si mesmo para desviar de Basho e atingir o inimigo atrás dele.

-Um problema sobre manter alguém refém é que se alguém reagir você precisa fazer uma escolha… Matar o refém ou defender-se do ataque?

Com um sorriso pertinente no rosto, o ladino buscava plantar uma breve confusão no inimigo ao instigá-lo com suas escassas opções naquela situação. O movimento de giro pararia bruscamente quando o perfeccionista estivesse bem ao lado de Basho, pois essa ofensiva não se tratava de um ataque, como ele fazia parecer, mas sim um resgate, onde puxaria Basho se jogando para trás ao mesmo tempo, buscando afastar o homem do inimigo e ter um aliado, além de desviar de um possível contra-ataque. -Disse que iria me matar, não é, manobrista? Mas para fazer isso precisamos estar ambos vivos. Pegue aquela katana e me ajude!- Falaria o mais rápido que conseguisse. Mesmo que o homem não soubesse usar a espada, o simples fato de agora serem dois invés de apenas Vexx já mudava bastante as coisas pro seu lado, afinal, se tivessem que se preocupar com mais alguém além dali isso abriria as brechas necessárias para que terminasse o serviço. “ ‘Assim todos saímos ganhando’ huh?” Essa simples frase do líder de invasores já dizia bastante sobre ele. Primeiro, que ele se preocupava o suficiente com seus companheiros para evitar um conflito mesmo em uma vantagem de 4x1. Segundo, que ele não tinha confiasse suficiente nas habilidades de seu próprio grupo, pelo mesmo motivo da vantagem numérica. Terceiro, mesmo que fosse mentira, o simples fato dele sugerir que ainda deixaria bóias para a tripulação até que outra embarcação chegasse já revela bastante sobre seu caráter, que era de alguém bondoso, bem diferente de Vexx, sendo assim, toda a situação de reféns não passava de um blefe desesperado para evitar qualquer tipo de conflito.

“Merda, pensar demais foi o que me colocou nessa situação pra inicio de conversa, e cá estou eu novamente pensando além do que deveria nas coisas… Tsk. Maldito hábito.”

Vexx foi um perfeccionista boa parte de sua vida e esse defeito aflorava ainda mais em situações caóticas como a atual. -Você ai… Parece ser o líder desse grupo de pessoas.- Direcionaria sua fala para o homem de bandana que havia lhe ordenado anteriormente. -Eu sou um Bandoleiro de Sal, você sabe o que isso quer dizer, não é? Mesmo que, por algum milagre, você consiga me vencer, todos seus companheiros vão morrer antes disso.- Enquanto falava, manteria sua adaga em posição de defesa próxima ao rosto, isso é, com o punhal na lateral da testa e a lâmina virada para a frente. -Não ligo que mate esses homens, fui contratado para escoltá-los e levar a carga de volta, mas não tenho obrigação nenhuma de morrer por eles. Para mim, isso é apenas uma missão que concluirei pela metade ao levar a carga de volta, para você é uma situação de vida ou morte…- Com um sorriso maquiavélico no rosto, abaixaria sua bandana, revelando seu rosto. -Então, qual vai ser? A vida de seus companheiros e você tenta a sorte comigo, mesmo sabendo que assim que pisar em terra vai ser caçado eternamente pelos Bandoleiros caso me mate… Ou sair daqui todos vivos e ficar com as bóias?- Vexx estava blefando, claro, mas não tinha como os invasores saberem disso, ainda mais quando no momento que embarcaram possivelmente viram ou ouviram o ladino ameaçando alguém da própria tripulação, o que contribuía para sua falácia de que não ligava nem um pouco para ninguém ali além de si mesmo e sua missão.

Apesar de ser um blefe, não estava mentindo por completo. Vexx não era mais um bandoleiro, logo, não tinha nenhuma obrigação em concluir sua missão a qualquer custo, apenas em sair dali vivo. Claro, não abandonaria seu profissionalismo e, caso o homem de bandana escolhesse o combate, parte do seu blefe se tornaria verdade, pois o ladino faria de tudo para devolver a embarcação ao porto, mesmo que ele fosse o único vivo nela no fim das contas. Todavia, caso tudo se resolvesse e os homens abandonassem o navio, prosseguiria com a missão, dizendo para o restante da tripulação para saírem logo daquele local.
TheRealBlind1
Ver perfil do usuário
Imagem : [Tutorial] Silent OKuPL6l
Créditos : 05
Re: [Tutorial] Silent Qui Jul 08, 2021 8:34 pm
TUTORIAL FINALIZADO

Considerações: Parabéns pelo seu desempenho nessa mini-aventura! Estou muito satisfeito, penso que ganhei na loteria ao assumir essa mini, foram quatro posts com muito conteúdo, criativos, jogador muito proativo e que manter você aqui por mais um ou dois posts seria só mesmo para ganhar volume ou algo do tipo, vejo que você está preparado. Bom jogo!

Agora que você completou o Tutorial você está apto a jogar, para iniciar é importante que se atente às regras leia com bastante atenção e se tiver dúvidas pergunte no discord do fórum, e os Desenvolvedores irão lhe instruir corretamente. Agora você também está liberado a criar sua ficha oficial, seguindo o Modelo de ficha que deve ser usado para a criação.

Caso esteja precisando de um norte para desenvolver melhor o seu personagem, siga para o tópico de Consideralções gerais da ficha, pois esse pode te dar um norte de como organizar melhor as informações na sua cabeça, antes de escrever. Ele também contém algumas informações importantes para criação.

Quando a sua ficha estiver pronta, você deve criar um tópico na página de Criação de Personagem e aguardar avaliação. Depois disso, prontinho, crie sua aventura, solicite um narrador e já pode começar a jogar.

Você também pode restar cinco créditos como uma premiação por ter concluído seu tutorial, preenchendo o formulário deste tópico.

OBS: Todos os nomes dos tópicos citados são links que te levarão diretamente ao local indicado.