Tópicos Recentes
Destaques
Klaus
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Últimos assuntos
 :: Oceanos :: Blues :: North Blue :: Stevelty
Página 10 de 11 Página 10 de 11 Anterior  1, 2, 3 ... , 9, 10, 11  Seguinte
Kenshin
Ver perfil do usuário
Imagem : Here Comes The Sun - Página 10 XqxMi0y
Créditos : 30
KenshinDesenvolvedor
https://www.allbluerpg.com/t360-agatha-harkness https://www.allbluerpg.com/t386-prologo-frenesi-da-raposa#1165
Here Comes The Sun Sex Maio 14, 2021 3:55 am
Relembrando a primeira mensagem :

Here Comes The Sun

Aqui ocorrerá a aventura dos(as) Civis Leonheart Valentine, Kimberly Deshayes, Matteo Martini e Myriam Leuchten. A qual não possui narrador definido.

_________________

Here Comes The Sun - Página 10 J09J2lK

Hoyu
Ver perfil do usuário
Imagem : Here Comes The Sun - Página 10 GX67lHH
Créditos : 3
HoyuEstagiário
https://www.allbluerpg.com/t378-leonheart-valentine https://www.allbluerpg.com/t419-here-comes-the-sun
Re: Here Comes The Sun Qua Nov 17, 2021 10:59 pm
Leonheart Valentine


Após finalmente chegarmos na vila dos minks, ficava feliz ao ver que Anais estava se divertindo com eles, brincando e ganhando guloseimas, apesar de ter pedido para ela fazer isso para melhorar minha moral com Astra. Por mais interesseiro que eu pudesse ser, sabia aproveitar a felicidade alheia, quando Anais fazia brincadeiras e arrancava risada das crianças. A saudade dos meus velhos amigos trazia um sorriso nostálgico ao meu rosto, mesmo após todos esses anos, e os sermões de Sophie voltavam a ser tão claros em minha memória quanto foram em minha infância. Aquele lugar era aconchegante, apesar de serem pessoas diferentes de nós, mas como a ilha de onde eu havia vindo era tão diversa, me sentia totalmente a vontade, sem nem me dar conta que eram de uma raça diferente. Na minha visão, eram apenas outras pessoas, diferentes apenas por viverem no meio da floresta.

Sentamos todos ao redor da fogueira, mas logo o sentimento de aconchego foi substituído por pânico absoluto quando percebi os vagalumes que haviam surgido, ameaçando a segurança de todos os presentes. Por reflexo, pulei repentinamente no solo da pessoa mais próxima para que me protegesse, por acaso sendo Asta. Em situações normais, teria aproveitado a ocasião para sentir o peitoral dele ou até arriscar uma mão boba, mas o desespero falava mais alto, e apenas me preocupava em me proteger atrás dele, enquanto o mink cutucava a fogueira para espantar os insetos, salvando o dia. - Valeu, garotão, mas esse lugar tá mais perigoso do que eu achava. - Os vagalumes haviam sumido, mas não me sentia muito confortável ali ainda até ter certeza que não voltariam, então logo fui falar com Rosy e recebi as direções para encontrar alguém entre eles que me instruísse em como ensinar truques para Anais. Não foi uma tarefa fácil, mas após um bom trabalho duro, logo fui voltando para a vilazinha, tomando o cuidado de olhar ao redor para ver se os vagalumes ainda estavam por ali. Não sabia ao certo quanto tempo demorei naquilo, mas imagino que haviam sido algumas horas, então não havia sido rápido, e por um instante fiquei com medo de terem decidido partirem sem mim, o que significaria a perda da minha chance de conhecer o tal Toth, mas tive grande alivio ao voltar e ver os outros ainda presentes.

Ao que tudo indicava, aparentemente também haviam tirado um tempo para fazer algo, talvez até buscado aprender uma coisa nova assim como eu, e só agora discutiam sobre os detalhes da operação. Podia notar também, para minha imensa felicidade, que o vagalumes haviam sumido de vez, arrancando-me um suspiro de alivio enquanto me aproximava da fogueira para sentar junto aos outros como nada tivesse acontecido. - Que beleza, todo mundo presente. A gente podia tirar uma foto. - infelizmente não possuía nenhuma câmera, nem muito menos sabia como as usar, do contrário já teria tirado uma foto de surpresa. Quando o assunto do labirinto veio à tona, finalmente vi minha chance de brilhar, anunciando minha grande ideia. Sabia que isso significaria menos material para costurar depois, mas se conseguisse aquele dinheiro, poderia comprar muito mais. Era como um investimento para que pudesse fazer muitas roupas bonitas no futuro, já que atualmente estava sem dinheiro e com bem pouco material. Asta e Kim parecia gostar da sugestão, o que inflava meu ego, estufando o peito enquanto olhava para todos como se fosse a pessoa mais importante de toda operação. - Bom, podemos deixar Balto na entrada de guarda, não é? Assim não corremos o risco de alguém vir e cortar o fio.

Outro assunto importante era sobre o momento do ataque, e logo Kim dava sua opinião sobre aquilo, o que me deixou confuso por um instante, até entender onde ela queria chegar. - Ah, já entendi tudo. Você tá com medo do Sulong, né? - Não conseguia deixar de fazer graça com ela. Como haviam pessoas de todas as raças em Momoiro, tinha uma noção relativamente boa sobre a relação dos minks com a lua, e era exatamente esse poder que queria enfrentar, pois parecia muito emocionante. - Não vejo motivo para não atacarmos logo. Se ele não soubesse controlar a transformação, ai talvez eu achasse melhor atacar de dia para não correr o risco dele perder o controle e ficar sem graça, mas se ele sabe usar, deixa tudo mais emocionante. Atacar alguém que não tem chance de reagir não tem graça. - Na minha cabeça tudo aquilo era extremamente lógico, afinal queria me tornar caçador pela emoção, e não pelo dinheiro. - Mas se está tão receosa, é só esperar o sulong acabar e ele se cansar. - Não via graça nessa situação, mas a esverdeada parecia ser realmente medrosa. - Você precisa de mais emoção, garota. Se quiser planejar tudo sempre, vai acabar tendo uma vida chata e sem graça. Pula de cabeça na aventura, aproveita o momento e lide com o que vier com um sorriso no rosto, essa é a melhor maneira de viver. Por mim a gente levanta a bunda aqui e agora e vai atacar eles de uma vez, sem tempo a perder. - Dito isso, me levantaria, olhando ao redor procurando Anais, que já deveria ter tirado uma boa soneca. - Nana! Bora, se prepara! - Não dava ouvido aos outros, tudo que queria era que fossemos logo realizar aquele ataque. A noite era uma criança, e tinhamos um bom tempo ainda para nos divertir.



Histórico:
Nome: Leonheart Valentine
Posts: 19
Dinheiro: ฿S 25.000

Qualidades: Atraente | Carismático | Exibido | Mestre em Haki
Defeitos: Extravagante | Devasso | Impulsivo | Fobia (Insetos) | Obcecado (moda)

Ganhos:
- Cartaz de procurada
- Perícia Adestramento

Perdas:
- N/A


Objetivos:
• Virar Caçador de Recompensas
• Me juntar aos meus três amiguinhos
• Aprender a proficiência Adestramento
• Ganhar bastante dinheiro

Ravenborn
Ver perfil do usuário
Imagem : Here Comes The Sun - Página 10 GeK6WP3
Créditos : 05
Localização : Stevelty
Re: Here Comes The Sun Sex Nov 19, 2021 3:22 pm

Here Comes the Sun



Depois de dar uma boa suada na sessão de treinamento com a Rosy, nós finalizamos e sentamos pra sentar e conversar um pouco perto de uma das fogueiras. Foi nessa hora que ela contou um pouco mais sobre essa tal habilidade que os minks tinham, electro. Meus olhos brilharam ao ver as faíscas de eletricidade azul percorrerem os dedos da loba, e eu quase que instintivamente fiz menção de segurá-la pra olhar mais de perto...mas eu me segurei. Mordi o lábio, afastando o olhar pra não sucumbir à tentação. Eu queria perguntar como aquilo funcionava. Se todos eles nasciam sabendo fazer aquilo, ou se era alguma técnica de família secreta passada pelas tribos dos homens-fera. Queria entender o que fazia de verdade, e imaginava se não poderia construir algum aparelho pra fazer algo parecido, como uma luva de choque. Mas mesmo assim, eu me segurei. - "Ela claramente não tá afim de falar muito mais a respeito, pelo menos por enquanto. Vamos com calma, Matteo. Depois que a gente chutar a bunda desse Toth eu vou ter tempo de perguntar o que eu quiser à vontade." - me resolvi.

Nós seguimos conversando, dessa vez com a chegada de Kim, e depois do restante do grupo: Myr, Leon e até mesmo o Asta. E quando tocamos no assunto do labirinto, o lanceiro cor-de-rosa deu uma sugestão interessante pra ajudar a gente a não se perder lá dentro, deixando uma de suas linhas de costura pelo caminho pra marcar por onde estivéssemos indo. Isso me fez lembrar de algo que eu devia ter lido em um livro ou ouvido em alguma história quando era mais novo, apesar de não saber dizer bem onde. - E aquela história de que se colocar uma das mãos na parede do labirinto e seguir caminhando sem tirar ela de lá, você eventualmente acha a saída, é verdade? Talvez a gente pudesse usar pra ir embora quando terminássemos, ou quem sabe sirva pra encontrar eles lá dentro também. - eu levantaria a mão e diria, dando mais uma ideia do que um plano de fato. De todo jeito, era sempre bom ter mais opções.

Dito isso, ainda tinha uma outra coisinha importante antes de podermos partir pra ação: quando e como exatamente atacaríamos. Kim parecia ter escutado a conversa sobre a tal "maldição da lua", e agora parecia preocupada com a ideia de invadir o labirinto à noite. Eu entendia querer evitar lutar contra um homem-lobo ainda mais forte que o normal, mas ao mesmo tempo, parte de mim também queria ver como realmente era esse tal poder - ainda mais depois que eu me segurei de matar a curiosidade com a Rosy. - O nome é Sulong? Parece legal. - eu sorri, ao ouvir Leon explicando. Não fazia ideia de como ele sabia disso, mas acho que era bom ter mais alguém no grupo que entendia daquilo? - Mas é, eu tô com o Leon nessa. Além do mais, a gente tem mais chance de pegar eles de surpresa à noite. Claro que um ou outro deve ficar de guarda, mas se dermos sorte, dá pra pegar a maioria deles dormindo. - eu obviamente deixaria de fora o fato de que queria muito ver esse tal de Sulong em ação.

- Mas ei, eu entendo a vontade de querer tomar precauções. Também não posso arriscar botar tudo a perder aqui. Então se você acha que é melhor esperar, eu não vejo problema em irmos de madrugada também. Eu só não sei se nosso amiguinho ali... - diria, apontando com a cabeça pra Leon que provavelmente já estava se aprontando pra ir a essa altura - ...vai querer ficar esperando. E aí, como vai ser? - sorriria, esperando pra ver qual seria a decisão da nossa estrategista de cabelos verdes. Se ela era alguém que gostava de fazer as coisas de um jeito calculado e minimizando os riscos...Leon era sem dúvida alguma seu inimigo natural.


Histórico:
Posts: 19
Nome: Matteo Martini
Dinheiro: 25.000 ฿S

Qualidades: Adaptável | Prodígio | Criativo | Prontidão | Atraente
Defeitos: Obcecado (Tecnologia) | Dívidas | Compulsivo (Chocolate)
Compulsão: 9/10

Ganhos: Pistola Gasta | Trufas de Chocolate (1/6 Usos)
Perdas: 225.000 ฿S

NPCs: -
Extras: -

Objetivos:
- Comprar ou (de preferência) Forjar uma arma.
- Arrumar uns chocolates pra dar conta da Compulsão.
- Virar CR.
- Encontrar o restante da galera.
- Aprender a Proficiência Briga.
- Aprender a Proficiência Explosivos ou Química (a que for mais fácil de encaixar).
- Receber os 5kk da Vakinha ingame, de alguma forma.
- Conseguir ingame a recompensa do evento em grupo lá (Link).

_________________

Malka
Ver perfil do usuário
Imagem : Here Comes The Sun - Página 10 7584b85bc7c6addc6f8fb37a030d048bd70ad00a
Créditos : 07
Localização : Stevelty, North Blue
MalkaCriador de Conteúdo
https://www.allbluerpg.com/t295-myriam-leuchten#858 https://www.allbluerpg.com/t419-here-comes-the-sun
Re: Here Comes The Sun Dom Nov 21, 2021 11:03 am

Myriam Leuchten
adv 1

Stevelty - North Blue
POST 17






O descanso, como esperado, estava fadado a durar pouco. Vendo os caçadores e homens-lobo se reunindo, faria-me desperta o mais rápido que posso para acompanhar o resto do pessoal no planejamento, ou ao menos ouvir bem o que tinham a dizer. Seria sábio deixar essa parte com eles, já que experiência não era meu maior atributo, e mesmo não sabendo muito sobre os outros era de se esperar que tivessem ao menos mais do que eu nesse quesito. — Raspar as armas? Assim como nas árvores da floresta, hoje mais cedo? — me poria pensativa, organizando em minha mente algum padrão que permitisse com que notassemos com mais facilidade tanto que já passamos por ali, como o caminho que iríamos seguir, sem deixar muito na cara para possíveis perseguidores.

Naquele clima incomum de união e preparo, estava tão envolvida que só percebo o quão bela seria aquela imagem quando Leon a menciona. "Bom, sinto que não preciso disso, eu ao menos. Esse momento... Esse lugar, é tudo tão especial que eu tenho certeza que ficará gravado na minha memória" riria baixo, olhando para o chão para que não percebessem tanto — Mas uma câmera não parece má idéia, mesmo que acabe não sendo muito barato eu estaria disposta a comprar uma. Qualquer coisa voltamos aqui todos juntos, e eternizamos o momento — claro que isso era um plano de momento, uma idéia vaga que veio repentina em minha cabeça e que não tinha nada a ver com nosso sucesso com a caça ou sequer garantia nossa sobrevivência de algum modo, mas ter isso em mente me seria uma motivação a mais para fazer com que todo mundo volte são e salvo. "Essa será uma caçada limpa, e mesmo os conhecendo pouco eu ainda os valorizo, logo serei o escudo robusto que se interpõe na frente deles. A gente vai fazer uma festa nesse inferno verde".

— Mas calma lá, o que diabos é Sulong? É esse lance de choquinho que cês fazem? Kim tem fraqueza a eletricidade? — deitaria a bochecha na minha mão, olhando para ela e vendo se tinha algo na roupa que trouxesse algum risco "ela parece humana, então tem que ser na vestimenta eu acho. Eu poderia sugerir que ela fosse sem as roupas, mas... Ela tá com a mão no chicote, não quero ter uma história tão boba pra uma cicatriz no rosto". No fim compactuava de certa forma com Leonheart, o que me surpreende, eu também via aquilo como uma oportunidade de me banhar no calor da glória, e a pulsação que estoura em meu peito quando aperto a empunhadura da espada é de um estase sem igual, mas as ações seguintes da outra rosada eram tão inconsequentes que me faziam pensar se eu também não estava sendo excessivamente infantil — Olha, eu entendo mas, na moral, tu é boba ou o quê?! A gente tem que ir junto, e não vamos atrás de você num momento desvantajoso. O pior que pode acontecer é você deixar eles em alerta e revelar o plano todo. Não consegue levar na boa e esperar algumas horas? — clamaria me aproximando de Leon, tentando ser o mais razoável possível. Ver Matteo a apoiando também sem pensar muito chega a me dar um tique nervoso, confesso que não era o que eu esperava "parece que ainda somos dois grupos distintos, que droga".

— Tá, façam o que quiserem. — diria jogando os braços para o alto, como se largando o assunto para os outros envolvidos, e pondo as mãos novamente em minha espada que havia deixado deitada na árvore — A noite, na madrugada, manhã, meio dia e meio, eu não me importo. Eu estou sempre pronta pra esfregar a cara de lobo fedido no chão até não aguentar mais, então vocês dizem quando, eu saio e resolvo. — diria isso forçando um sorriso de olhos fechados, mas quando os abrisse para dar de cara com as dezenas de minks a minha frente arregalaria os olhos, esfregando a nuca com as bochechas rosadas e uma postura claramente mais tímida — Kirihihihi, tô falando de alguém em específico, cês sabem né? Amo vocês, desculpa.


•••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••:
Ficha:

Dinheiro: 4.825.000 ฿S
Proficiências: Arquitetura | Escultura | Carpintaria | Marcenaria | Escudista
Qualidades: Ambidestro | Atraente | Destemido | Saúde de Ferro | Hipoalgia | Prodígio
Defeitos: Doença Degenerativa | Extravagante | Infame | Altruísta | Ambição

Histórico:

Posts: 17
Doença Degenerativa: 7/10
Ganhos: Remédios (1/5 Usos); Contrato de Mercenário.
Perdas: - 300.000 Berries (Remédios)
Relações: Kim: Companheira caçadora, confiante e perspicaz mas igualmente prepotente e implicante. É uma parceira eficiente, o que já é muito melhor que nada.

Mercenário: Mercenário estranhamente metódico e com vestes igualmente estranhas. Nos ofereceu um contrato suspeito, mas no fim seus motivos não pareceram ruins.

Louca da lança: doida chamativa que parece estar nos perseguindo. Não imagino que tenha más intenções, principalmente depois de lutarmos juntas, mas não é como se eu tivesse desistido da minha caça para dar a ela.

Loirinho: Pistolinha pew pew. É certamente um cara sagaz.

Extras: -

Atributos:

Força: 20 (+40) (+60) (+20) = 140 (Regular)
Destreza: 0 (Incompetente)
Acerto: 80 (+40) = 120 (Regular)
Reflexo: 240 (+80) (+60) = 420 (Hábil)
Constituição: 20 (Regular)

Agilidade: 270
Oportunidade de Ataque: 3
Redução de Dano: 0
•••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••:

FALA | PENSAMENTO


Objetivos:

• Comprar remédios •
• Se juntar com o grupinho •
• Desenvolver a proficiência Condução •
• Conseguir uma câmera
• Criar nosso barquinho v1 e vazar da ilha •

_________________

Here Comes The Sun - Página 10 LGMRHWx
Milabbh
Ver perfil do usuário
Imagem : Here Comes The Sun - Página 10 Ezgif.com-resize
Créditos : 05
Localização : Flevance - North Blue
MilabbhAvaliador
https://www.allbluerpg.com/t311-haru-kaplyanova?highlight https://www.allbluerpg.com/t301-os-monarcas-i-efeito-borboleta#980
Re: Here Comes The Sun Dom Nov 21, 2021 1:09 pm
Narração - Here Comes The Sun
Localização: Stevelty
Período do dia: Noite


~Todos~



O planejamento na fogueira seguia durante alguns minutos, e ali decidiam que a ideia de Leon seria utilizada, por mais absurdo que isso pudesse parecer, mas com algumas precauções, parecia a mais viável. Nesse meio tempo, Myr e Kim conversavam sobre sua saída da ilha, mas nada era decidido e, por fim, o assunto do horário de ataque era abordado.

Nesse momento as coisas se complicavam um pouco mais, uma vez que só Matt e Leon pareciam chegar em um acordo, enquanto Myr balançava entre as opções e Kim definitivamente não queria enfrentar Toth em seu pico de força, o que poderia ser sensato, mas quem liga para sensatez, não é?

Com o rosado se levantando abruptamente e já juntando seus pertences e chamando Anais, os outros não tinham muita escolha a não ser seguí-lo, mesmo a contragosto. Rosy e Asta se entreolhavam, como se ponderassem o quão cheio de falhas aquele plano estava, mas ainda assim, com um aceno firme de cabeça, eles se pronunciavam.

- Pois bem, partiremos agora. Lembrem-se, os caminhos do labirinto enganam até as mentes mais sagazes, e apesar de sermos aliados, a maldição da lua é traiçoeira. - Asta falava especificamente para o grupo de caçadores. - Matilha! A lua só será usada esta noite para atacar o traidor Toth, portanto, até que o encontremos, a forma bestial se torna proibida... Fui claro?

O alfa encarava os minks ao redor, esperando suas confirmações, e Rosy aproveitava para continuar. - Eu irei com vocês, não se preocupem, não deixarei nada de ruim acontecer, e o Balto também não, né grandão? - Ela se voltava para o enorme mink lupino, que acenava freneticamente com a cabeça.

- Nos encontraremos no centro do labirinto, onde Toth e suas capangas estão. Se algo der errado, usem seus uivos para avisar. - Respirando fundo, o mink fnalizava. - Este é o momento pelo qual esperamos durante os últimos anos. Toth pagará por sua traição, e nosso lar ficará seguro. À BATALHA! AUUUUUUUU.

De repente, todos os minks fechavam seus olhos e inclinavam as cabeças para os céus, uivando em uníssono com o alfa. Ao acabarem, começavam a marchar sem mais uma palavra. Rosy olhava para o grupo de caçadores que deveria proteger e fazia um movimento com a cabeça, chamando-os para o combate.

E assim seguiam pela floresta novamente. A escuridão tornava tudo mais precário, uma vez que não conseguiam ver direito onde estavam pisando, apenas quando as árvores se tornavam mais espaçadas era que os raios da lua penetravam no caminho, permitindo um rápido vislumbre do piso em que seus pés andavam.  

Caminharam pelo o que parecia ser uma eternidade, e a noite não passava. Os minks mantinham suas cabeças baixas e orelhas atentas, enquanto guiavam o ataque e era assim que finalmente alcançavam uma construção decrépita e de aparência secular.

- Chegamos. Asta já deve estar do outro lado preparando a distração. - Rosy se virava para os companheiros, e encarava um por um. - É aqui que tudo começa, só precisamos esperar o sinal de Asta e... - Antes que terminasse sua frase, um uivo grave irrompia a calada da noite, era o sinal.

ControlePosts: 19

*Kim
Ferimentos:
Ganhos:
- Perícia Cartografia
Perdas:

*Matteo
Ferimentos:
Ganhos:
- Pistola Gasta
- Trufas de Chocolate (1/6 usos)
- Perícia Briga
Perdas:
- 225.000 Berries

*Leonheart
Ferimentos:
Ganhos:
- Cartaz de Procurado
- Perícia Adestramento
Perdas:  

*Myriam
Doença: 6/10
Ferimentos:
Ganhos:
- Remédios (1/5 Usos)
- Contrato Mercenário
- Perícia Condução
Perdas:  
- 300.000 Berries (Remédios)


Considerações
Asta
Here Comes The Sun - Página 10 2c9e6f9eb77771f96577483c26f34939


Rosy
Here Comes The Sun - Página 10 68747470733a2f2f73332e616d617a6f6e6177732e636f6d2f776174747061642d6d656469612d736572766963652f53746f7279496d6167652f7266314e507a786e784d483330413d3d2d3735363431373831392e313562303065636439326662353035613134323633303037343231352e6a7067?s=fit&w=720&h=720


Bigodudo
Here Comes The Sun - Página 10 C1TTQCE


Klaus
Here Comes The Sun - Página 10 Wolf-Furry-furries-40996429-1500-1125


Fox
Here Comes The Sun - Página 10 EecYGVpWsAAj2lI



emme



_________________

Here Comes The Sun - Página 10 QeMkXKw
Here Comes The Sun - Página 10 The_Moon
Ceji
Ver perfil do usuário
Imagem : Here Comes The Sun - Página 10 Hwlv4xh
Créditos : 00
Re: Here Comes The Sun Seg Nov 22, 2021 9:28 pm
No Escuro da Noite – Parte I

Não, não, não, eu simplesmente não conseguia compactuar com aquele maldito verme de cabelos rosas. Ele parecia não ter um pingo de preocupação ou valor a vida de qualquer um ali, e parecia o tipo que pularia em qualquer perigo arrastando todos consigo. Me abster da decisão após dar a opção havia sido um teste, e ele havia falhado completa e absolutamente. Ver ele saltitando feliz enquanto íamos em direção às ruinas ainda sob a luz da lua era tão asqueroso que me dava vontade de simplesmente o atacar ali mesmo para o amarrar até a luz do sol brilhar novamente, mas ter que me segurar por causa da aliança com os minks só deixava tudo pior. Que maldição era ter que aguentar aquilo tudo, ter que aguentar ele fazendo o que queria, e pior, ainda agindo como se a forma dele de lidar com os problemas era a correta?! ”Pro inferno com sua “graça” e “aventura”! Tomara que pule de cabeça no perigo e morra, desgraçado!” Ele não sabia de nada, não conhecia nada, não conhecia o mundo, e ainda assim agia como se soubesse, e era isso que me deixava mais irritada. Eu podia apostar que ele nunca viu o fundo do poço, nunca encarou o desespero face a face, e por isso agia como se não houvesse risco nenhuma sua vida, como se algum complexo o fizesse achar que sempre conseguiria superar todos os desafios. Esse é o tipo que mais morre no mar, e, vendo ele daquela forma, eu quase gostaria de ver aquele sorriso enfim se quebrando e ele sucumbindo ao desespero quando a vida finalmente pagasse a conta, e, ah, ela pagaria.

Infelizmente não havia mais o que fazer agora que estávamos já indo em direção às cavernas, a não ser torcer pra dar tudo certo. O fato de Matteo ter concordado com o traste havia posto o ultimo prego no caixão, mesmo que fosse por um motivo não tão ruim, e agora a responsabilidade por qualquer desastre que rolasse seria inteiramente deles. E com certeza eu faria questão de garantir que eles tomassem responsabilidade por isso. Assim, ainda no caminho, me aproximava deles, mas principalmente do lixo de cabelos rosados, após respirar fundo para não me deixar levar e acabar ofendendo-o - Vocês é quem quiseram vir à noite, espero que estejam preparados para tomar responsabilidade se algo ruim acontecer pelo tal “Sulong”. E você - Olhava diretamente para o rosado - Se gosta tanto de pular de cabeça, faça o favor de pular em cima do Toth e nos poupar o trabalho - Terminaria, me afastando novamente, sempre atrás do grupo. Eu não estava com cabeça para ficar de papo, nem mesmo com Myriam, e por isso decidia concentrar toda a minha sanidade mental para nossa missão, especialmente agora que ela podia ficar excepcionalmente mais difícil. Por um lado bom, se o coiso realmente pulasse em Toth e fosse morto, seria uma garantia de que ele não acabaria vindo comigo e com Myriam, embora agora estivesse tendo minhas dúvidas quanto a Matteo também. Querendo ou não ele foi influenciado do miserável de rosa e quis vir à noite também, mas preferia ainda dar o benefício da dúvida, já que ao menos pareceu estar preocupado em os atacar durante o sono.

A entrada nas cavernas das ruinas se erguendo em minha frente, porém, acabou sendo o sinal para eu deixar aqueles pensamentos de lado. Eu não me sentia nem um pouco confortável dentro daquelas malditas cavernas, elas me lembravam de tempos tenebrosos, e precisaria de foco para não me deixar ser afetada pela atmosfera do lugar. Além disso, eu me recusava a deixar o nervosismo me deixar menos confiável que o traste rosado, e por isso sabia que dessa vez conseguiria lidar com o obstáculo na força da raiva. Logo que o uivo ressoava, todos nós sabíamos que era hora de iniciar nossa operação, e por isso esperava o costureiro puxar seu suas linhas, e extenderia minha mão a ele - Me dá isso - Diria, com um som serio - Ou você se garante de não sair correndo e por tudo a perder se algo aparecer no meio do caminho? - Questionaria com o olhar cerrado e cortante, como se lesse o comportamento dele. E, é claro, se ele questionasse o que poderia acarretar isso, eu teria o prazer de declarar seu gatilho - Talvez insetos? - ” Ou seu tão adorado Toth em Sulong” Deixaria a última parte em pensamentos, para não causar mais discussão. O ponto era que aquela caverna escura, úmida e encardida podia ser lar de insetos, como baratas, e eu sinceramente não queria correr o risco de ele sair correndo igual quando viu os vaga-lumes.

Tendo a linha em mãos ou não, logo eu entraria dentro da caverna labiríntica, fazendo os passos que Leonheart dissesse para preparar a linha caso ele cedesse e me desse. Finalmente pisando dentro do local, se percebesse que estava escuro ou não tivéssemos forma de iluminar o ambiente, logo me viraria para Rosy - Vocês disseram que tinham bons olfatos, mas, por acaso, teriam boa visão no escuro tembém? - Questionaria pela possibilidade dela poder nos guiar, ou ao menos saber como preparar uma tocha. Assim, seguiria pelo local um pouco mais atrás do grupo como sempre, para não ser atrapalhada por alguém ao deixar o rastro de linha caso Leonheart houvesse me dado. Senão, ficaria bem a lado dele, com uma mão no chicote e outra preparada para o segurar rapidamente se ele fizesse menção de correr em qualquer momento. Se isso ocorresse, porem, e eu não tivesse tempo de o segurar com a mão, sacaria o chicote e o projetaria em direção a seu pé para o agarrar e derrubar, para que não afetasse a linha. Isso, é claro, se ele corresse com a linha em mãos, já que eu não me importava com ele se a deixasse no chão ou desse para outra pessoa. Independente dos casos, eu tentaria lembrar Myriam a cada alguns intervalos de deixar uma marca com sua espada na parede da caverna, se tivéssemos iluminação o bastante para os ver, ao menos, e manteria os ouvidos atentos para um aviso de qualquer um sobre os inimigos, quando aproveitaria a mão no chicote para o puxar e me preparar para o combate.
Histórico:
Nome da Personagem: Kimberly Deshayes
Nº de Posts: 20

Qualidades: Ambidestria | Atraente | Destemida | Impassível | Voz Melodiosa | Liderança

Defeitos: Vaidosa | Traumatizada

Ganhos:

Perdas:

NPCs:
-Gerbil (Ruínas de Stevelty): Mink roedor que parecia governar uma tribo de Minks ratos, derrotados por mim e os outros aspirantes a caçadores.
-Astra (Ruínas de Stevelty): Líder da alcateia autoproclamada guardiã da floresta. Parece, ter um problema com a tal Caçada ocorrendo na floresta.
-Rosy (Ruínas de Stevelty): Aparente vice-lider da alcateia de minks lobos, que veio nos ajudar a capturar o mink traidor.
-Balto (Ruínas de Stevelty): Guerreiro abobalhado mais poderoso da alcateia de minks, que veio nos ajudar a capturar o mink traidor.
-Fox (Aldeia dos Minks): Mink raposa com ótimos conhecimentos cartográficos.

Extras:

Objetivos:

-Virar Caçadora de Recompensas
-Aprender a Proficiência Cartografia
-Conseguir um barco pra sair se Stevelty


Última edição por Ceji em Qui Dez 02, 2021 3:02 pm, editado 1 vez(es)
Hoyu
Ver perfil do usuário
Imagem : Here Comes The Sun - Página 10 GX67lHH
Créditos : 3
HoyuEstagiário
https://www.allbluerpg.com/t378-leonheart-valentine https://www.allbluerpg.com/t419-here-comes-the-sun
Re: Here Comes The Sun Ter Nov 23, 2021 10:53 pm
Leonheart Valentine


Assim que me levantava e chamava Anais, os outros começavam a se arrumar logo em seguida, preparando-se para me acompanhar. Estava imaginando que iria lá sozinho, mas não conseguia tirar um sorriso travesso do rosto ao ver que a grande operação ocorreria agora mesmo, não depois de amanhecer, afinal isso aumentaria minhas chances de ver o sulong em ação. Myriam parecia querer contestar minha decisão repentina, enquanto a esverdeada apenas me encarava, e retribuía com um sorriso bobo com a mão na nuca. - Ah, eu não aguento ficar esperando. - Para mim aquilo parecia justificativa mais do que o suficiente, e sorria mais ainda quando Matt e Myr decidiam vir de uma vez, o que significava que a chata da Kim não teria opção. - Então está decidido! Ao ataque! - Com o braço ao redor do ombro de Matt, faria uma dancinha com a lança apontada para cima, como se chamando todos para a batalha. Não conhecia Kim para saber ao certo, mas não era normal uma pessoa ser tão amargurada, precisava fazer algo urgentemente pra ela deixar de parecer uma senhora ranzinza de 80 anos com medo de tropeçar e quebrar a perna. - É assim que se fala, Myr! Paulada no gos... Digo, desgraçado!

Com tudo decidido, Asta vinha falar conosco, mais um pedido para termos cuidado do que qualquer outra coisa. - Não se preocupa. Eu posso querer ver o sulong em ação, mas sei diferenciar amigos de inimigos. Não iria querer entrar no caminho de vocês. - Omitia a parte sobre “ter cuidado”, pois não era uma coisa que podia prometer, afinal possuía um certo talento pra arrumar confusão e entrar em enrascada. Dava então um ultimato para sua matilha, seguido de um discurso de motivação para todos, seguindo de um grande uivo em uníssono. Aquela visão era incrível, com todos de olhos fechados uivando para a lua, e não podia deixar de participar junto pela emoção do “trabalho em equipe”. - AAUUUUUUUU! - Olhando para os meus companheiros de canto de olho, tentava chamar eles a participar. - Bora, todo mundo! AUUUUUUU! - Com o fim do longo uivo de batalha, todos seguíamos então em grupo até o labirinto.

Infelizmente, ao nos afastarmos da clareira, que era iluminada pela fogueira e pela luz da luz, tudo ficava o mais completo breu, sem que eu conseguisse ver um palmo à frente. Naquela situação, precisávamos confiar nos sentidos aprimorados dos minks para nos guiar, enquanto ia tropeçando em raízes e elevações no chão da floresta. - Ai. Ui. Droga, acho que quebrei a unha. Desisto, vem cá, Nana. - Sem querer sofrer uma queda no chão acidentado, simplesmente subiria nas costas de minha fiel companheira para que ela me carregasse no resto do trajeto. Em certo ponto, sendo surpreendido pela aproximação de Kim, parecendo querer meio acusatório sobre a decisão geral, apenas responderia com meu usual bom humor. - Não vai acontecer nada de ruim, tá tudo certo. E pode deixar que assim que eu ver esse cara, vou pular sem pensar duas vezes!

Aproveitando o trajeto e a demora para chegar em nosso destino, iria até Matt puxar assunto. - Obrigadinha por ficar do meu lado lá atrás, querido. Você foi um amor. - Complementaria mandando um beijinho, que ele provavelmente não conseguiria ver pela escuridão, mas ao menos ouviria o som dos meus lábios beijando o ar. - E você vai ver, o sulong é incrível. Na ilha de onde venho tem um punhado de minks, e é muito bonito quando se transformam. Ficam todos brancos e peludos, uma beleza. - Após um tempo, finalmente chegávamos no que, pela reação de Rosy, parecia ser a entrada do labirinto em meio às ruinas, restando apenas esperar o sinal de Asta, que havia ido na frente para chamar atenção. Não demorou muito para o sinal vir, anunciando a hora de avançarmos labirinto a dentro, mas antes que pudéssemos ir em frente, Kim me interrompia, pedindo algo. ficava por alguns instantes sem compreender o que estava pedindo, até lembrar repentinamente. - Ah! A linha! Rijajajaja! Já ia me esquecendo. - Sem questionar, pegaria as linhas do meu material de costura e ia dando para ela, mas pararia na metade do caminho. - Espera, por que é você que vai lidar com isso? - Me sentia possessiva de repente, sem querer me afastar do meu material de costura, afinal quem sabe o que poderiam fazer com ele. Só não espetava a patada por parte de Kim, e desistindo, entregaria as linhas pra ela. No final, poderia comprar mais depois, mas era até bom tirar essa responsabilidade da minha mão, já que não queria ficar preso a ela se algo acontecesse. - Certo, certo, você venceu. Toma. Só amarra em algum lugar.

Após ver que o fio era amarrado cuidadosamente em algum lugar para poder marcar nosso trajeto, entraria junto dos outros labirinto adentro. Caso fosse tudo escuro lá dentro, tentaria me ajustar àquele ambiente deixando um dos olhos fechados por um tempinho para conseguir reconhecer as formas na escuridão, depois trocaria o olho, repetindo isso em intervalos até não estar completamente às cegas. Aproveitando alguma oportunidade, e sem Asta por perto, guiaria Anais para se aproximar e ficar bem ao lado de Rosy, independendo dos outros estarem perto, para indagar sobre minhas chances com Asta. - Ei, Rosy. Então... De 0 a 10, quais são as minhas chances de conseguir mamar o Asta? - Diria aquilo com a maior naturalidade do mundo e minha expressão alegre usual, independente de olhares surpresos. Caso fosse perguntado o motivo da pergunta, daria de ombros. - Ele é bonito, deve ter pelo fofinho e faz tempo que eu não provo um mink. - Era motivo mais do que o suficiente pra mim, e esperava que aceitasse essa resposta. Se fosse uma boa chance, daria uma risada alegre em comemoração, mas se fosse baixa, ficaria com cara emburrada. - Poxa, me da uma dica ai. Do que ele gosta? Como posso impressionar ele? - Tentaria extrair qualquer informação útil da conversa, mas se visse qualquer lugar que parecesse interessante, como uma sala em meio ao labirinto, correria até lá para da uma olhada, já com a lança em mãos caso encontrasse algum inimigo, pronto para derrotar qualquer um que encontrasse e fuçar o lugar até minha curiosidade ser sanada.



Histórico:
Nome: Leonheart Valentine
Posts: 20
Dinheiro: ฿S 25.000

Qualidades: Atraente | Carismático | Exibido | Mestre em Haki
Defeitos: Extravagante | Devasso | Impulsivo | Fobia (Insetos) | Obcecado (moda)

Ganhos:
- Cartaz de procurada
- Perícia Adestramento

Perdas:
- N/A


Objetivos:
• Virar Caçador de Recompensas
• Me juntar aos meus três amiguinhos
• Aprender a proficiência Adestramento
• Ganhar bastante dinheiro

Ravenborn
Ver perfil do usuário
Imagem : Here Comes The Sun - Página 10 GeK6WP3
Créditos : 05
Localização : Stevelty
Re: Here Comes The Sun Seg Nov 29, 2021 10:09 pm

Here Comes the Sun



Com todo o grupo reunido, nós entramos numa breve discussão para decidir como faríamos em relação ao ataque agora que sabíamos do tal poder especial que os Minks possuíam - que acabou sendo decidida pelo simples fato de Leon se recusar a esperar mais um segundo sequer. Tudo certo por mim: eu já estava curioso e meio quanto a esse Sulong, e por mais perigoso que pudesse ser, atacar à noite também nos dava a vantagem. Kim, por outro lado, não parecia ter ficado lá muito contente com a ideia. Já tinha dado pra notar muito bem o quão cuidadosa ela era, o que fazia eu me perguntar se ela não teria um motivo importante pra precisar do dinheiro também, como eu. - "Tá, agora eu me sinto meio mal por não ter apoiado o plano dela..." - eu suspirei. Não queria ficar me sentindo culpado depois se as coisas dessem errado, então o mínimo que podia fazer era fazer de tudo pra garantir que elas não iam.

- "Se eu colocar uma bala no meio da testa desse Toth antes dele arrancar meu pescoço fora, tá tudo resolvido." - eu sorri, num misto de preocupação e animação, conferindo a pistola pra ter certeza de que ela estava pronta e carregada. Depois, peguei uma das trufas de chocolate que tinha comprado mais cedo, levando-a à boca e aproveitando bem antes de engolir, deixando o gosto do chocolate tomar conta. Ahhh, aquelas eram realmente muito boas. Realmente, não havia nada como chocolate pra deixar as coisas melhores. - Hm, isso me dá uma boa ideia. - pensei em alto, levando a mão até o queixo. E assim, eu passei o resto do caminho até o labirinto sem dizer nada, como que pensando profundamente em alguma coisa.

Depois de um tempo, então, nós finalmente chegamos. Ver aquele tipo de construção, assim como tinha sido com as ruínas mais cedo, me fazia imaginar que tipo de lugar Stevelty devia ter sido antes de se tornar a ilha que era hoje. Arqueologia não era lá o meu forte, mas esse tipo de coisa é sempre interessante se você tem um pouquinho de espírito aventureiro. Também não demorou muito para o uivo do grupo de Asta - o nosso sinal - se fazer ouvir pela floresta, o que significava que dali pra frente, era tudo ou nada. Antes de entrarmos, porém, eu resolvi colocar a minha ideia de antes em ação. - Ei, Kim. - diria sem levantar muito a voz, já que tecnicamente era pra estarmos escondidos. Quando ela se virasse, eu usaria o polegar pra atirar uma das trufas num arco, bem em direção à sua boca, mas devagar o suficiente pra que ela pudesse pegá-la no ar se quisesse. Parte de mim não queria dividir, pra ser sincero, já que eu não tinha muitas...mas chocolate era perfeito pra animar alguém, e ela com certeza estava precisando. - Um presentinho. Aproveita que essa é das boas. - diria, sorrindo.

- Eu acho que já disse isso duas vezes, mas não custa nada dizer de novo: não se preocupa, porque eu também não posso me dar o luxo de falhar aqui. Pode ser Sulong, Shenlog ou a merda que for, a gente vai entrar lá, dar um jeito nesses caras, e sair de lá com os bolsos cheios. - meus olhos brilhariam, e eu faria um sinal pra representar dinheiro com uma das mãos - Eu sei que você não adorou a ideia de vir agora, mas come esse chocolate e se anima. Chocolate sempre deixa as coisas melhores, pelo menos pra mim. - dessa vez, daria um sorriso um pouco mais apologético, como que pedindo desculpas pela confusão que meu companheiro cor-de-rosa estava causando, e torcia pra que ela entendesse.

Resolvido isso, então, era hora de começar a parte séria. Por hora, eu não tinha muito o que fazer fora seguir com o resto do grupo, deixando que me guiassem pelo labirinto. Porém, a minha mão esquerda iria tocando distraidamente a parede ao meu lado, na esperança de que servisse de alguma coisa caso acabássemos nos perdendo por ali, e na minha direita a pistola estaria armada e pronta pra atirar quando chegasse a hora. Se tinha algo em que eu tinha confiança fora a minha habilidade de criar coisas, era aquilo. - "Vou ficar de olho no Leon também, por via das dúvidas. Se aparecer alguma coisa e ele começar a dar chilique, vai estragar o nosso elemento surpresa." - eu pensaria em meio a um leve suspiro, pronto pra levar a mão até a boca do lanceiro se ele sequer fizesse menção de que ia dar um grito ou algo do tipo. E quanto a mim, eu ficaria atento pra não disparar por instinto se alguém aparecesse. O som do tiro podia acabar alertando outros inimigos, afinal, e a gente definitivamente não queria isso, então eu manteria a calma e pensaria antes de tomar uma decisão.


Histórico:
Posts: 20
Nome: Matteo Martini
Dinheiro: 25.000 ฿S

Qualidades: Adaptável | Prodígio | Criativo | Prontidão | Atraente
Defeitos: Obcecado (Tecnologia) | Dívidas | Compulsivo (Chocolate)
Compulsão: 0/10

Ganhos: Pistola Gasta | Trufas de Chocolate (3/6 Usos) | Perícia Briga
Perdas: 225.000 ฿S

NPCs: -
Extras: -

Objetivos:
- Comprar ou (de preferência) Forjar uma arma.
- Arrumar uns chocolates pra dar conta da Compulsão.
- Virar CR.
- Encontrar o restante da galera.
- Aprender a Proficiência Briga.
- Aprender a Proficiência Explosivos ou Química (a que for mais fácil de encaixar).
- Receber os 5kk da Vakinha ingame, de alguma forma.
- Conseguir ingame a recompensa do evento em grupo lá (Link).

_________________

Malka
Ver perfil do usuário
Imagem : Here Comes The Sun - Página 10 7584b85bc7c6addc6f8fb37a030d048bd70ad00a
Créditos : 07
Localização : Stevelty, North Blue
MalkaCriador de Conteúdo
https://www.allbluerpg.com/t295-myriam-leuchten#858 https://www.allbluerpg.com/t419-here-comes-the-sun
Re: Here Comes The Sun Ter Nov 30, 2021 2:31 pm

Myriam Leuchten
adv 1

Stevelty - North Blue
POST 18






Finalmente desperta, mesmo ainda querendo aproveitar um pouco mais do cochilo na árvore à beira da fogueira junto dos outros até o começo da manhã, seguiria Rosy atenta, já com a minha arma no ombro para fazer as marcas. Antes de sair, chamaria a todos e levaria alguns segundos explicando-as, torcendo para que Leon ou ao menos um de seus companheiros ouvisse. Faria marcações grandes na terra para que o guia visual fique mais claro.
Here Comes The Sun - Página 10 UOcUY5E

— Tá, começando pelo começo. Isso vai ser relevante principalmente se formos nos separar por alguma razão. Quando entrarmos em algum lugar em que haja uma divisão de caminhos, um de nós responsável por isso vai marcar o primeiro símbolo numa parede ou outro lugar visível. Então o grupo marca uma seta ao lado indicando aonde foram, feita imaginando uma vista de cima do campo, e perto da seta um símbolo de grupo. Pode ser uma inicial de seu nome, um número, um desenho simples, o que preferirem, só pra saber que aquele grupo já foi naquela direção. Caso o grupo repetir o caminho, ele marca um risco em sua anotação para que saibamos que andaram em círculos. — suspiraria de falta de folego, depois da explicação extenuante — Não são todos que precisam entender, só pelo menos um de cada grupo. Acha que conseguem? — se a maioria concordasse, passaria um pouco mais de nosso tempo explicando para quem tivesse dúvidas e organizando os símbolos. Caso fosse muito complicado, simplesmente avisaria para cada um marcar um risco diferente nas paredes de tempos em tempos, que deveria servir.

Era estranho ver Asta agindo daquela maneira. Incomum, ao menos. Até agora sua postura e decisões eram indubitavelmente de um líder sábio e gentil, como um governador benevolente, mas ele soava tão tribal e poderoso naquele chamado que até a mim inspirava, arrepiando-me dos pés à cabeça — AUUUU! Hoje é dia de caçada, companheiros! — bateria a ponta da espada no chão de terra, com os olhos focados para além dos caçadores e minks, na direção do labirinto.

Com o tempo a caminhada vai ficando mais exaustiva, e já começo a fazer minha primeiras marcas com a ponta da lâmina preocupada em me perder ainda tão perto da vila. Seguindo ao calar da noite, ao ouvir o sinal, apressaria um pouco o passo, tentando não chamar ainda tanta atenção para nós. Naquele momento, estava talvez mais pra mink do que pra caçadora, seguindo o chamado e com foco no objetivo da matilha, nem sequer notava meu nariz escorrendo algumas gotas de sangue na noite profunda. Kim fazia questão, mas eu não precisava ser lembrada de deixar nossos caminhos marcados nas árvores. Eu era puro foco, até ouvir sem querer a pérola de sujeira que sai da boca de Leon — OI?! — cuspiria o ar como se tivesse algum líquido lotando minha boca "T-tá, ela é... Decidida? Nossa, calma..." poria a mão na testa enquanto ando um pouco mais devagar para me recuperar, segurando a risada, mas logo voltaria a seguir na situação a tratando com a devida gravidade. Se aparecesse alguém estranho ou um som que alertasse isso, tentaria primeiro me esconder, e se não desse certo seria, se possível, a primeira ou uma das primeiras a sair e chamar sua atenção para mim, abrindo oportunidade para os outros o pegarem por trás ou de surpresa de outra forma "devia ter ido com o Asta ser a distração, não sou boa nisso de ir de fininho!.


•••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••:
Ficha:

Dinheiro: 4.825.000 ฿S
Proficiências: Arquitetura | Escultura | Carpintaria | Marcenaria | Escudista
Qualidades: Ambidestro | Atraente | Destemido | Saúde de Ferro | Hipoalgia | Prodígio
Defeitos: Doença Degenerativa | Extravagante | Infame | Altruísta | Ambição

Histórico:

Posts: 18
Doença Degenerativa: 8/10
Ganhos: Remédios (1/5 Usos); Contrato de Mercenário.
Perdas: - 300.000 Berries (Remédios)
Relações: Kim: Companheira caçadora, confiante e perspicaz mas igualmente prepotente e implicante. É uma parceira eficiente, o que já é muito melhor que nada.

Mercenário: Mercenário estranhamente metódico e com vestes igualmente estranhas. Nos ofereceu um contrato suspeito, mas no fim seus motivos não pareceram ruins.

Louca da lança: doida chamativa que parece estar nos perseguindo. Não imagino que tenha más intenções, principalmente depois de lutarmos juntas, mas não é como se eu tivesse desistido da minha caça para dar a ela.

Loirinho: Pistolinha pew pew. É certamente um cara sagaz.

Extras: -

Atributos:

Força: 20 (+40) (+60) (+20) = 140 (Regular)
Destreza: 0 (Incompetente)
Acerto: 80 (+40) = 120 (Regular)
Reflexo: 240 (+80) (+60) = 420 (Hábil)
Constituição: 20 (Regular)

Agilidade: 270
Oportunidade de Ataque: 3
Redução de Dano: 0
•••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••:

FALA | PENSAMENTO


Objetivos:

• Comprar remédios •
• Se juntar com o grupinho •
• Desenvolver a proficiência Condução •
• Conseguir uma câmera
• Criar nosso barquinho v1 e vazar da ilha •

_________________

Here Comes The Sun - Página 10 LGMRHWx
Milabbh
Ver perfil do usuário
Imagem : Here Comes The Sun - Página 10 Ezgif.com-resize
Créditos : 05
Localização : Flevance - North Blue
MilabbhAvaliador
https://www.allbluerpg.com/t311-haru-kaplyanova?highlight https://www.allbluerpg.com/t301-os-monarcas-i-efeito-borboleta#980
Re: Here Comes The Sun Ter Nov 30, 2021 4:18 pm
Narração - Here Comes The Sun
Localização: Stevelty
Período do dia: Noite


~Todos~


O grupo alcançava as ruínas e com o sinal do grupo de Asta, aproveitavam para avançar. Era possível ver o centro do labirinto, que parecia ser feito de pedra amarelada, coberta de fungo e musgo por toda a sua extensão. Seu tamanho era enorme, impossibilitando que alguém tentasse pular para enxergar o caminho. Só tinham uma opção, continuar seguindo.

Antes de entrarem, porém, Rosy distribuía cópias do esquema que Myr havia feito no acampamento. Pequenos papeis eram entregues a cada um, para que se guiassem caso acabassem se separando durante o trajeto.

O breu da noite não ajudava em nada, fazendo com que a visão de todos fosse reduzida. A pergunta de Kim fazia Rosy sorrir. - Olha, melhor que a visão de vocês pelo menos... Mas nada como os felinos. - Ela apertava o olhar e continuava o caminho, deixando a esverdeada e o rosado batendo boca.

Kim resolvia se separar do resto do grupo e pegar a linha com Leon. Ela então ia mais para trás e começava o rastro que tinham combinado. Matteo, por sua vez, aproveitava o momento para falar com ela e oferecer uma trégua, usando uma moeda de troca muito gostosa: Chocolate.

Após alguns segundos de caminhada dentro do labirinto, os caçadores se separavam. Apenas Leon conversava com Rosy, enquanto o resto ficava em silêncio. Contudo, o que ele falava pegava até a mink de surpresa.

- Ma-ma-ma-mamar?! - Rosy arregalava os olhos, encarando o rosado ao seu lado. Myr também parecia chocada, e deixava isso aparente ao expressar com uma fala. Ainda assim, a mink respondia. - B-Bom... Ele é solteiro e sempre teve uma quedinha por humanos, mas não sei muito sobre.

Se não estivesse tão escuro, seria possível ver suas orelhas caídas de vergonha. Mas era necessário concentração, e por isso continuavam o caminho. Matt ia passando a mão nas paredes e todos pareciam focados em Leon, que a qualquer momento podia surtar com um inseto.

Mas o que aconteceu a seguir foi muito mais grave e confuso. Era tudo tão rápido e de uma vez que mal dava para acompanhar. Matt pressionava uma espécie de botão escondido, que virava uma parede, dando acesso à uma escadaria subterrêanea.

Leon via em sua frente um enorme escaravelho que corria em sua direção e ele se preparava para correr e gritar. Kim era mais rápida, contudo, e o agarrava pelos pés com seu chicote. Antes que o rosado caísse, no entanto, Matt o segurava, tampando sua boca.

Enquanto isso, Myr enxergava uma fumaça avermalhada tomando conta de seus pés e subindo por seu corpo e em sua frente surgia uma figura tão escarlate quanto a fumaça. - Se não é a portadora de minha doença. - Aquilo que parecia um diabo sorria para ela de forma maliciosa, preparando-se para agarrar o pescoço da moça.

O mais estranho, porém, é que para todos os outros ali presentes, Leon queria fugir e gritar por nada e Myr se debatia sem motivo algum. O cômodo recém descoberto chamava a atenção de Rosy. - O que diabos tá acontecendo?! - A mink esbravejava em tom baixo, se virando para trás. - Cuidem desses dois malucos aí, vou deixar Balto com vocês enquanto checo esse quarto. Façam silêncio! - Ela então colocava o dedo indicador em frente a boca, completando o pedido e depois desaparecia no breu subterrâneo.

ControlePosts: 20

*Kim
Ferimentos:
Ganhos:
- Perícia Cartografia
Perdas:

*Matteo
Ferimentos:
Ganhos:
- Pistola Gasta
- Trufas de Chocolate (3/6 usos)
- Perícia Briga
Perdas:
- 225.000 Berries

*Leonheart
Ferimentos:
Ganhos:
- Cartaz de Procurado
- Perícia Adestramento
Perdas:  

*Myriam
Doença: 7/10
Ferimentos:
Ganhos:
- Remédios (1/5 Usos)
- Contrato Mercenário
- Perícia Condução
Perdas:  
- 300.000 Berries (Remédios)


Considerações
Asta
Here Comes The Sun - Página 10 2c9e6f9eb77771f96577483c26f34939


Rosy
Here Comes The Sun - Página 10 68747470733a2f2f73332e616d617a6f6e6177732e636f6d2f776174747061642d6d656469612d736572766963652f53746f7279496d6167652f7266314e507a786e784d483330413d3d2d3735363431373831392e313562303065636439326662353035613134323633303037343231352e6a7067?s=fit&w=720&h=720


Bigodudo
Here Comes The Sun - Página 10 C1TTQCE


Klaus
Here Comes The Sun - Página 10 Wolf-Furry-furries-40996429-1500-1125


Fox
Here Comes The Sun - Página 10 EecYGVpWsAAj2lI


emme



_________________

Here Comes The Sun - Página 10 QeMkXKw
Here Comes The Sun - Página 10 The_Moon
Ceji
Ver perfil do usuário
Imagem : Here Comes The Sun - Página 10 Hwlv4xh
Créditos : 00
Re: Here Comes The Sun Ter Nov 30, 2021 10:24 pm
No Escuro da Noite – Parte II

Eu já esperava que o ar noturno fosse tomado pelos ruivos dos minks, afinal, era assim que eles se comunicavam a grandes distâncias. O que eu não esperava era ter que tampar os ouvidos por tentativas de uivos de Myriam e Leonheart, igual dois paspalhos que queriam ir na onda dos lobos. Aquilo era necessário? Não. Aquilo nos ajudava? Também não. Havia algum motivo para fazerem? Se existia, era um mistério para mim, e isso era o que me deixava mais decepcionada com aquele tipo de reação. Parecia o tipo de comportamento de alguém que não se preocupava com nada, o que era até compreensível para Leonheart, que era um imbecil assumido, mas eu esperava mais de Myriam. Não sei se era coisa da doença fazer ela querer aproveitar esses momentos ou se o cérebro dela havia entrado em pane por contato prolongado com Leonheart, mas ela antes havia me passado um ar minimamente mais preocupado, especialmente depois de esconder de mim sobre a tal doença do diabo e evitando falar com outras pessoas para evitar problemas ”Ai, ai, sinto que essa vai ser uma looonga noite...”

Feliz ou infelizmente, algo voava em direção ao meu rosto, me impedindo de gastar neurônios demais me preocupando com a dupla de paspalhos, embora interceptar projeteis não seja exatamente meu passatempo preferido. Dado o aviso de Matteo, apenas ergui minha mão e agarrei o objeto no ar, que, com uma inspeção mais minuciosa, parecia um... Chocolate? Eu já havia visto ele comer um daqueles antes, então ele parecia os carregar consigo, mas me dar um de presente parecia um tanto repentino. Uma parte de mim duvidava do gesto, como se o doce pudesse estar envenenado ou com alguma droga, quem sabe para poder coletar a recompensa toda sozinho depois, mas eu tinha meus motivos para não ouvir a diabinha no meu ombro. Se ele quisesse fazer algo assim, ele teria dado comida para todos, e depois de lidarmos com o inimigo; mas, principalmente, Matteo não parecia o tipo de cara que recorreria a esse tipo de método. Nós podíamos ter nos conhecido a pouco tempo, mas, naquele momento, eu sentia uma sinceridade em sua voz, uma que não sentia antes com Myriam ou Leonheart. Se olhar distante e sua voz firme pareciam a de alguém que abria o coração para falar, não para mim, mas para memorias preciosas que transbordavam em suas palavras, e eu infelizmente entendia bem esse sentimento. Quem sabe o que o passado dele reservava em seu coração; eu não questionaria, assim como não gostaria de ser questionada sobre o meu. Apenas esperava que, diferente de mim, as coisas que ele considerava preciosas não fossem mais um sonho distante, e seu passado fosse mais do que dolorosas correntes e nostalgia quebrada de tempos que nunca retornariam.

Olhando por um instante para a trufa, a irritação e descontentamento, especialmente com Leonheart, logo se dissipavam. Eu sabia que era algo pequeno, que provavelmente era para conter qualquer confusão ou discussão, mas eu não podia deixar de esboçar um sorriso. Mais do que o chocolate, aquele gesto era algo que eu não experienciava a muito, muito tempo - ...Obrigada. Mas, tenho uma ideia melhor - Diria, guardando com cuidado a trufa de chocolate de forma que não amassasse ou sujasse naquele local ou em um possível combate - Vou guardar para nossa comemoração de vitória depois de acabarmos com esse Toth. Quem sabe assim nós dois não ficamos motivados? - Finalizava, voltando a olhar para frente, e rapidamente retornando à minha expressão séria. Nós ainda tínhamos um trabalho a fazer, mas, com aquilo, ao menos eu sentia que entendia melhor o rapaz, nem que só um pouquinho. De alguma forma, não sabia ao certo o porque, mas ele me lembrava um pouco Fynn, da época da caravana. Eu tentava evitar, mas a memoria de nós dois correndo pelo convés do navio logo me tomava, dele me convencendo a o seguir em suas loucuras, com aquele olhar corajoso, como se não houvessem muros altos demais para escalar. Me perguntava onde ele estaria nesse momento, depois de ter fugido também do destino trágico que nos esperava... Eu não sabia, e talvez nunca fosse saber, mas, se os olhos de Matteo fossem realmente semelhantes aos dele como naquele momento, talvez não fosse ser tão ruim viajar com ele, afinal.

Infelizmente, quanto mais adentrávamos naquele maldito labirinto, menos espaço para memorias felizes restava. Vez ou outra, calafrios percorriam minha espinha, mas me contia para manter um aperto firme nos fios e continuar fazendo a trilha para podermos voltar depois. Eu não podia falhar naquela tarefa, e por isso também não podia me dar ao luxo de relaxar naquele lugar, ou sequer de ser levada pelo desconforto. O tempo passava e passava, enquanto meu foco não me deixava ouvir muito mais do que fragmentos dos sussurros dos outros, identificáveis apenas pelas palavras vulgares pronunciadas por Leonheart, além, é claro, da escuridão afetando negativamente minha percepção do ambiente, ocultando tudo que não fosse meus aliados e as iminentes curvas das paredes do labirinto. Aquele lugar tinha uma aura tenebrosa, como uma passagem ao submundo onde nunca poderíamos voltar, e quanto mais adentrávamos ali, maior esse sentimento ficava. Se não fosse o fio que marcava o caminho, a essa altura eu já estaria sentindo como se fosse ficar presa ali pelo resto da minha vida, a curta vida até que a fome e sede ceifassem minha vida e deixasse apenas os restos mortais para trás, como um aviso a quem mais ousasse se aventurar por entre aqueles corredores intermináveis... Eu não sabia como aqueles piratas conseguiam manter sua base ali, talvez no coração do labirinto, mas eu sabia que eu não teria essa coragem sem uma forma fácil de entrar e sair. Aquele podia não ser o lugar mais desesperançoso e assustador que eu já estive, mas definitivamente_...!

”AHH!” Meus pensamentos eram interrompidos por um grito de susto que se entalava na minha garganta, onde felizmente uma breve paralisia me impediu de passar mico me assustando com a passagem secreta que se abria ao lado. Concentração e dispersão infelizmente eram dois lados da mesma moeda, e eu tinha que lembrar que ambas me deixavam propensas a deixar de perceber direito meus arredores. Felizmente, com o pequeno susto fazendo meus sentidos retornarem ao normal, pude ragir rapidamente com meu chicote quando Leon começou a agir estranho - Mas que diabos esta ocorrendo?! - Fazia a pergunta retorica, enquanto Myriam também surtava, mas felizmente Matteo e os minks estavam lucidos comigo nessa - Cuida do Leonheart, eu vou ajudar a Myriam! - Requisitava à Matteo, e logo desenrolava meu chicote e avançava em direção a ela, segurando-a - Myriam! Calma! Não tem nada aqui! - Repetia à garota, com um sussurro alto, esperando que ela conseguisse me ouvir e se acalmar, mas se isso não fosse o bastante ou ela não me ouvisse, decidiria momentaneamente abandonar a elegância, e, erguendo minha mão, lhe daria um sonoro e forte tapa na bochecha - Acorde! - Ordenaria ainda em um tom mais baixo, chacoalhando de leve seu braço até que alguma reação ocorresse. Se mesmo assim não desse certo, me viraria para Matt, tentando ver se ele havia tido sucesso, e, se sim, tentar copiar o que fez.

Com ambos finalmente despertando, daria um rápido suspiro de alivio, esperando um instante para que eles pudessem retomar o folego depois do que parecia ser algum tipo de alucinação. Ou, ao menos, eu imaginava que fosse, uma vez que o maluco do Leonheart não havia sido o único a surtar por nada - Eu não sei o que foi isso, mas duvido que vocês consigam nos dar muita explicação também. Mais do que isso, a Rosy foi sozinha nessa passagem dar uma olhada, não podemos nos separar - Dizia, prestes a tomar a frente para ir atras da mink, mas, parando. De repente, me lembrava onde estávamos, via o corredor descendente e escuro, e percebia que aquele local podia estar, bom, sujo. Segurando a barra do meu vestido com a mão livre da linha, para o manter próximo ao meu corpo, como se finalmente me tocando de que podia acabar sujando-o, ali, me virava aos outros - E então, quem vai na frente? - Questionaria, esperando o primeiro voluntario para ir na frente e desbravar o caminho e levar todas as teias de aranha na cara, quando então seguiria atrás, sempre preparada para largar a barra da saia para rapidamente puxar meu chicote e me preparar para o combate.
Histórico:
Nome da Personagem: Kimberly Deshayes
Nº de Posts: 21

Qualidades: Ambidestria | Atraente | Destemida | Impassível | Voz Melodiosa | Liderança

Defeitos: Vaidosa | Traumatizada

Ganhos:
-Trufa de chocolate (1)

Perdas:

NPCs:
-Gerbil (Ruínas de Stevelty): Mink roedor que parecia governar uma tribo de Minks ratos, derrotados por mim e os outros aspirantes a caçadores.
-Astra (Ruínas de Stevelty): Líder da alcateia autoproclamada guardiã da floresta. Parece, ter um problema com a tal Caçada ocorrendo na floresta.
-Rosy (Ruínas de Stevelty): Aparente vice-lider da alcateia de minks lobos, que veio nos ajudar a capturar o mink traidor.
-Balto (Ruínas de Stevelty): Guerreiro abobalhado mais poderoso da alcateia de minks, que veio nos ajudar a capturar o mink traidor.
-Fox (Aldeia dos Minks): Mink raposa com ótimos conhecimentos cartográficos.

Extras:

Objetivos:

-Virar Caçadora de Recompensas
-Aprender a Proficiência Cartografia
-Conseguir um barco pra sair se Stevelty


Última edição por Ceji em Qui Dez 02, 2021 3:02 pm, editado 4 vez(es)