Tópicos Recentes
Destaques
Klaus
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Últimos assuntos
 :: Oceanos :: Blues :: North Blue :: Stevelty
Página 8 de 11 Página 8 de 11 Anterior  1, 2, 3 ... 7, 8, 9, 10, 11  Seguinte
Kenshin
Ver perfil do usuário
Imagem : Here Comes The Sun - Página 8 XqxMi0y
Créditos : 30
KenshinDesenvolvedor
https://www.allbluerpg.com/t360-agatha-harkness https://www.allbluerpg.com/t386-prologo-frenesi-da-raposa#1165
Here Comes The Sun Sex Maio 14, 2021 3:55 am
Relembrando a primeira mensagem :

Here Comes The Sun

Aqui ocorrerá a aventura dos(as) Civis Leonheart Valentine, Kimberly Deshayes, Matteo Martini e Myriam Leuchten. A qual não possui narrador definido.

_________________

Here Comes The Sun - Página 8 J09J2lK

Ceji
Ver perfil do usuário
Imagem : Here Comes The Sun - Página 8 Hwlv4xh
Créditos : 00
Re: Here Comes The Sun Sex Out 15, 2021 3:58 pm
Ainda Mais Minks... - Parte II

Sinceramente, eu nunca tive um apreço muito grande por homens-fera, ou minks como parecem preferir ser chamados. Talvez parte disso tenha sido meu primeiro contato ruim, nas profundezas de um navio mercador de escravos; não dá para descrever em palavras o quão insuportável fica seu cheiro em um ambiente sujo, úmido e a meses sem tomar banho. Ainda assim, um mau odor era provavelmente o menor dos meus problemas, e com certeza não era nem de perto tão ruim quanto o que sofri nas mãos de outros humanos, mas me cercar em meio a uma caverna? Isso era muito pior do que fedor, muito muito pior. Enquanto tentava dialogar com o tal Astra, eu sentia meu nervosismo crescendo cada vez mais. Todo gesto que eu fazia com as mãos, em todo passo que eu dava, eu sentia um peso e dor sobre meus pulsos e tornozelos, como se a escuridão e o ambiente claustrofóbico da caverna materializassem novamente sobre mim as correntes de tantos anos atras. Pela minha testa, já sentia suor frio escorrendo, mas eu tinha que manter a compostura, eu PRECISAVA manter a compostura; não podia de forma alguma demonstrar qualquer nível de fraqueza frente a um inimigo potencial, e muito menos frente a "aliados" atras de mim aos quais podia fazer ficar em dívida mais tarde. Não seria a primeira vez que havia escondido meu medo, e eu não podia deixar que fosse a última.

Felizmente, apesar de um ou outro contratempo na forma de uma loba raivosa, o diálogo se seguiu supreendentemente melhor do eu imaginava. Eu havia tentado a diplomacia primeiro mais para desencargo da consciência, para saber que havia ao menos tentado evitar a luta, mas a aproximação de Astra após minha demonstração de intenções foi definitivamente uma brisa fresca em meio aquele caos "Finalmente alguém com a cabeça no lugar nessa ilha??" Pensava, até um pouco surpresa com a cordialidade do mink. Ainda assim, não era como se eu pudesse automaticamente confiar naquela criatura que havia acabado de me encontrar apenas por discurso formoso e suspensão do confronto; eu sabia bem como palavras doces podiam muitas vezes carregar veneno, mas por hora seria melhor manter uma relação amistosa e amigável - Não, sequer tínhamos conhecimento dessa tal caçada até ouvirmos sobre de participantes aqui. Muito menos temos intenção de participar de um massacre desenfreando, digo - Dária um rápido olhar para trás para os homens-rato que massacramos - ...A não ser que nos ataquem primeiro. Neste caso é auto-defesa - Respondia ao lobo, ainda cogitando se deveria dar ou não detalhes sobre quem buscávamos na floresta.

Porém, antes de poder decidir se falava ou não, ou até mesmo de responder a pergunta da loba, que se apresentou como Rosy, senti que estava chegando no meu limite. Agora que a situação havia se acalmado e a adrenalina havia diminuído, eu sentia como se cada mínimo movimento meu fosse fazer as paredes da caverna se aproximarem ainda mais, tornando o local ainda mais apertado e claustrofóbico. Constantemente me mantinha alternando o peso entre uma perna e outra como em uma tentativa de suprir a necessidade de movimento do meu corpo sem necessariamente dar passos, temendo que se o fizesse minha perna revelaria alguns sutis tremores. Assim, respirando fundo para manter a calma na voz, me dirigia a ambos Astra e Rosy - Bom... Se importam de continuar a conversa do lado de fora da caverna? O... ambiente aqui dentro não é lá dos melhores - Pediria, tentando não revelar o real motivo do meu desconforto. Porém, se fosse questionada sobre a possibilidade de mentirmos e fugirmos, como pela Rosy que parecia mais desconfiada de nós, franziria as sobrancelhas - Considerando a gigantesca vantagem numérica de vocês e o fato de que definitivamente conhecem a floresta melhor do que nós, não vejo em que mundo isso seria viável ou efetivo. Você tem tanto medo de nós assim? - Responderia, mudando o foco da pergunta para ele/a para evitar que me fizessem mais perguntas naquela linha... Ao menos antes de sairmos da caverna.

Saindo de lá, respiraria fundo, aliviada por finalmente poder sentir o sol e o céu aberto sobre mim, com árvores acima ou não. Por mais desagradável que a floresta fosse, ela era mil vezes melhor do que aquela caverna úmida, suja e apertada. Em comparação preferia dormir ao relento e sob as estrelas da floresta do que continuar na maldita caverna. Mas felizmente seriam águas passadas, esperava eu, e nessa situação poderia finalmente voltar minha atenção a quem realmente merecia: o exército de lobos - Como está dizendo, eu sou Kim, uma viajante de passagem pela ilha - E esperaria Myriam se apresentar - Eu e ela viemos capturar criminosas que foram vistas entrando na floresta; imagino que os outros também, já que cruzei com eles antes, mas só nós reunimos aqui. Como vocês disseram que são guardiões, imagino que entendam a necessidade de levar malfeitores à justiça... - "E a necessidade do meu retorno financeiro" - ...Não é? Embora imagine que a justiça de vocês seja diferente da nossa - Explicaria, afim de tentar conseguir um pouco mais de simpatia deles. Eles pareciam querer proteger aquele lugar, e aposto que não gostavam da tal caçada; se nós vissem como aliados, e pudéssemos agir minimamente em acordo pra achar aquelas três piratas, seria perfeito - Então, se não se importam, podem falar mais sobre o que é essa caçada? Nós mal entramos e ela já foi um problema, sequer consigo imaginar para vocês.

Mesmo tomando a dianteira pra tentar dialogar com os homens-fera, eu sabia bem que não havia apenas eu e Myr ali, e eu precisava saber mais sobre os outros também. Eu tinha certeza de que a moça de rosa estava atrás das piratas também, já que a havia visto flertando com alguns homens e correndo com um dos cartazes lá na guilda, mas os outros dois eu não fazia ideia. Ou eram aliados dela querendo a recompensa também, ou ela só os encontrou ali, e se esse fosse o caso, eles poderiam muito bem ser uma dupla participando da caçada. Eu não sabia qual caso era pior, mas de uma forma eu de outra eu não estava com muita vontade de dividir meros três cartazes com recompensa mixuruca com mais alguém além de Myriam. Isso não significava, porém, que ia deixar de ser amigável naquela quase primeira interação, quem sabe eu não conseguisse descobrir mais sobre eles? Assim, se um deles viesse até mim me cumprimentar, agradecendo pela ajuda contra os roedores, responderia - Minha colega foi quem tomou a iniciativa, ela merece mais estes agradecimentos do que eu - Diria, já que, se estivesse sozinha, nunca que eu iria entrar em uma maldita caverna só para ajudar outras pessoas. Se, porém, a moça de rosa viesse me cumprimentar, lembrando de mim da guilda e elogiando minha roupa, daria um sorriso orgulhoso - É claro, eu dou muito valor à qualidade do meu vestuário; esse vestido foi feito com tecidos importados da Grand Line. Inclusive, eu também me recordo de você na guilda... - "Berrando com uma cadela no cio" - ...Olhando os cartazes. Então estão atrás das piratas também?
Histórico:
Nome da Personagem: Kimberly Deshayes
Nº de Posts: 15

Qualidades: Ambidestria | Atraente | Destemida | Impassível | Voz Melodiosa | Liderança

Defeitos: Vaidosa | Traumatizada

Ganhos:

Perdas:

NPCs:
-Gerbil (Ruínas de Stevelty): Mink roedor que parecia governar uma tribo de Minks ratos, derrotados por mim e os outros aspirantes a caçadores.
-Astra e Rosy (Ruínas de Stevelty): Auto-proclamados guardiões da floresta junto de seu grupo de Minks lobo. Parece, ter um problema com a tal Caçada ocorrendo na floresta.

Extras:

Objetivos:

-Virar Caçadora de Recompensas
-Aprender a Proficiência Cartografia
-Conseguir um barco pra sair se Stevelty
Hoyu
Ver perfil do usuário
Imagem : Here Comes The Sun - Página 8 GX67lHH
Créditos : 3
HoyuEstagiário
https://www.allbluerpg.com/t378-leonheart-valentine https://www.allbluerpg.com/t419-here-comes-the-sun
Re: Here Comes The Sun Sex Out 15, 2021 8:55 pm
Leonheart Valentine


E um movimento rápido criando uma alavanca com a lança e minha perna, conseguia enfim fazer com que soltassem minha arma ao não terem mais base para tentar tomá-la de mim, conseguindo com sucesso jogar eles uns contra os outros. - Finalmente livre. Vocês estão precisando levar uma lição por isso. - Estava aliviado, mas não tinha tempo para floreios, e logo aplicava estocadas em resposta, levando vários dos nanicos ao chão enquanto recuava apressado para onde os outros estavam. Chegando até eles, podia ver Anais revidando com um coice enquanto alguns deles tentavam avançar nela, e instantaneamente ia até o cavalo, abraçando seu pescoço e o acariciando, mas tomando cuidado para fazer isso pelo lado que não tinha os espinhos para não espetar ela. - Tá tudo bem, querida, tudo bem. Esses ratos malvados não vão te machucar. - Fazia o possível para acalmar ela, mas logo ouvia o comentário do homem do bigode estranho, aproximando-me então do ouvido de Anais para sussurrar pra ela. - Eu acho que ele tá se engraçando com você, mas não recomendo que retribua. Você consegue arrumar algo muito melhor que isso.

Infelizmente ainda estávamos em uma batalha, e não podoa me dar ao luxo de perder muito tempo naquilo, então logo me colocava em posição de combate novamente, mas surpreendentemente a garota de verde parecia estar dialogando com os minks, aparentemente tentando garantir que não teríamos que os enfrentar logo em seguida. Felizmente ela parecia estar tendo sucesso, pois por mais que uma deles parecesse exageradamente agressiva, o tal Astra se mostrava razoável. Como que por garantia de que não tínhamos interesses conflitantes, os homens-fera questionaram sobre nossas intenções ali, e enquanto a conversa se desenrolavam pareciam ter decidido que não havia mais sentido em esperar o fim do nosso conflito com os gerbils, pois começavam a acabar com eles à medida que Astra falava conosco. Não podia deixar de tirar uma careta do rosto, imaginando que aqueles palermas deviam estar decidindo se faziam o mesmo conosco. Não tinha motivos para fazer nada enquanto estavam sendo amistosos, mas não deixaria eles pensarem que poderiam acabar comigo se quisessem. - Eu ainda nem sei o que é essa tal caçada. Vim pra cá procurando o porto secreto que os piratas usam e acabei sendo atacada do nada. - Deixava meu descontentamento bem claro, mas o comentário da tal Rosy comentou sobre mim, minha expressão mudou para vergonha em um instante.


Here Comes The Sun - Página 8 3GbYAKH


- Aaahhh! Você era a encapuzada nos seguindo?? - Deixava soltar um grito de constrangimento, enquanto puxava meu grande chapéu pra abaixo com força, como em uma tentativa de me enterrar nele e evitar os olhares. - Você viu aquela cena toda, que horror! - Me sentia humilhada em encontrar a pessoa que me viu surtar por causa de uma aranha. Nem era um inseto, mas a bicha burra que eu era foi incapaz de perceber isso em meio aos gritos de desespero. - Por favor, vamos fingir que aquilo nunca aconteceu. - Como se simplesmente ignorasse o que havia acontecido até ali, mudaria rapidamente minha postura envergonhada para algo mais altivo para me apresentar a eles. Se decidissem continuar a conversa fora daquele lugar fechado, apenas acompanharia despreocupadamente para me apresentar lá fora, do contrário o faria ali mesmo. - Enfim, a maluca do cavalo tem nome. - Me posicionaria virado tanto para os homens-fera quanto para as duas mulheres que havia visto na guilda, para que os dois grupos pudessem presenciar minha apresentação. - Me chamo Leonheart Valentine, costureira, estilista e mestre em cavalgada. - Olharia de canto de olho para Astra e daria uma piscadela para ele antes de prosseguir. - Em ambos os sentidos da palavra. - Nunca havia provado um mink antes, mas se a vida me dava um limão, eu ia chupar ele todinho.

Tendo a oportunidade, me aproximaria da garota vestida de verde e da sua parceira, com um sorriso travesso no rosto. - Kim, né? Eu lembro de vocês da guilda. - Soltaria uma pequena risada, e então daria a devida atenção que sua roupa exigia. Havia visto de canto de olho na guilda, mas não havia prestado atenção por estar mais preocupado tentando chamar a atenção de um moreno, mas agora podia perceber o quão bonito aquele vestido era. - Devo dizer, estou impressionada, que roupa mais linda! - Me aproximaria mesmo sem autorização para examinar com mais cuidado a vestimenta da garota de cabelo verde, mas tomando muito cuidado, afinal eu podia ser extravagante e exagerada, mas roupas era uma coisa que eu respeitava. - Nunca pensei que um vestido tomara que caia pudesse combinar com influência do estilo gothic lolita. Os babados fizeram maravilhas para a composição geral do vestido. - Olharia então o pequeno adereço de pescoço simulando uma gravata e as luvas. - Essas luvas longas são de lycra? Hmm, realmente, a maleabilidade do elastano não deve atrapalhar os movimentos em um combate. Preciso me lembrar disso.

Balançaria a cabeça de cima para baixo, fazendo notas mentais de tudo. Só então me preocuparia em responder a garota. - Ah, é. Eu e aquele gostoso ali... - Apontaria para Matt discretamente, mas caso ele estivesse junto na conversa, seria menos discreta e apontaria para ele. - Estamos caçando uma tal de Yura, mas nem vimos ela ainda. Vocês viram essa mulher? - Tiraria o cartaz que carregava no bolso e mostraria para as duas.






Histórico:
Nome: Leonheart Valentine
Posts: 15
Dinheiro: ฿S 25.000  

Qualidades: Atraente | Carismático | Exibido | Mestre em Haki
Defeitos: Extravagante | Devasso | Impulsivo | Fobia (Insetos) | Obcecado (moda)

Ganhos:
- Cartaz de procurada

Perdas:
- N/A


Objetivos:
• Virar Caçador de Recompensas
• Me juntar aos meus três amiguinhos
• Aprender a proficiência Adestramento
• Ganhar bastante dinheiro

Ravenborn
Ver perfil do usuário
Imagem : Here Comes The Sun - Página 8 GeK6WP3
Créditos : 05
Localização : Stevelty
Re: Here Comes The Sun Qui Out 21, 2021 11:05 pm

Here Comes the Sun



Pela primeira vez desde que nós entramos naquela floresta, eu senti que podia relaxar um pouquinho, soltando um longo suspiro ao ver que o líder dos homens-lobo parecia ao menos disposto a nos ouvir. Não só isso, como eles também aproveitaram pra dar cabo do resto dos roedores, o que era uma dor de cabeça a menos, mas...minha primeira empreitada como um caçador de recompensas com certeza não estava indo como o esperado. Com o jeito que as coisas estavam indo, eu estava começando a me perguntar se a gente sequer ia conseguir encontrar a pirata do cartaz antes do final do dia. Eu duvidava que o dinheiro que tinha sobrado era o bastante pra passar a noite em algum lugar decente, e não era uma boa ideia deixar o Dante esperando mais um dia. Precisava pagar aquelas dívidas, e rápido.

Respirando fundo, porém, eu me concentrei apenas em seguir o restante do grupo pra fora da caverna por enquanto. - "Foi um desvio e tanto, mas não foi o fim do mundo. Se aquela mulher estiver em algum lugar aqui, a gente vai encontrar ela." - é, não adiantava ficar pra baixo só porque o meu dia tinha sido como andar numa montanha-russa velha, quebrada e sem freios. Eu tinha que pensar positivo! E assim, ao ouvir a moça de cabelos verdes - que pelo visto se chamava Kim - falar, eu também resolvi entrar na conversa. - Oh, vocês duas vieram atrás das piratas também? Parece que a história de que elas tão se escondendo em algum lugar por aqui é verdade mesmo. - e então me virei pra Astra - Mas é, a gente tá ouvindo falar nessa tal de caçada desde pouco depois de entrar na floresta, mas ainda não faço ideia do que diabos deveria ser. Ah, e foi mal pelos tiros mais cedo, quando estavam nos perseguindo...mas vocês que começaram. - eu sorri, dando de ombros, pra mostrar que eram águas passadas. O inimigo de ontem é o amigo de hoje, eu acho, se forem gentis o bastante pra te dar umas direções.

Aproveitando o momento, eu voltaria a me virar pras duas garotas novas, agradecendo pela ajuda: - E valeu mesmo, vocês duas salvaram as nossas bundas lá dentro. Tinham tantos deles que eu achei que ia acabar virando comida de hamster. - eu sorri. Mas aí, quando a loba Rosy fez um comentário, apontando pra "maluca do cavalo", Amor quase deu um chilique - provavelmente por se lembrar da cena nem um pouco bonita de quando encontramos aquela aranha no caminho. Só que uma parte do que ela disse me deixou meio confuso. - Pera aí, eles eram os encapuzados? Mas os lobos só vieram atrás de nós depois daquilo. Por que eles nos deixariam ir embora só pra voltar a nos perseguir depois? - eu cocei a cabeça, tentando entender. Até porque, além disso, eu não tinha visto ninguém no grupo dos lobos até agora que me lembrasse aquele encapuzado grandalhão, que parecia especialmente perigoso.

- Eram vocês naquela hora, Rosy? E qual de vocês era o que tinha um troço gigante no braço e nas costas? Aquilo foi de botar medo. - era melhor tirar a dúvida de uma vez, porque se Amor estivesse errada, então ainda havia um grupo um tanto quanto suspeito rondando por ali, e eu não acho que tinha lá muita vontade de dar de cara com eles de novo. - "Seria outra história se eles tivessem uma recompensa das boas, é claro." - pensei, me perguntando quanto valeriam se fosse o caso. Aqueles caras não pareciam um monte de bandidos qualquer, afinal. E assim a conversa foi rolando, até que a costureira de cabelos rosas resolveu se apresentar, e eu me dei conta de que não tinha dito meu nome pros outros ainda. - Ah, e eu me chamo...pera, quê?

Here Comes The Sun - Página 8 Ichigo-confused

Eu parei por um instante, visivelmente confuso, e olhei pra Amor. - Que que cê disse? - eu perguntei pra ter certeza. Ou eu tava ficando maluco de vez, ou ela tinha acabado de se apresentar como "Leonheart Valentine". Eu tinha ouvido errado, por acaso? Me virando pra Nana, eu apontei pra dona dela, como que pra perguntar se aquilo era algum tipo de pegadinha e eu era o único que tinha ficado por fora. - Calma aí, mas você não tinha dito que seu nome era Amor? Amor Damin... alguma... coisa... - eu lentamente comecei a arregalar os olhos, só agora começando a entender a situação. Mas é claro! Agora tudo fazia sentido! E com a crescente realização de que eu tinha confundido as coisas desde o começo, surgiu também uma crescente vontade de me enfiar num buraco e não sair nunca mais.

Here Comes The Sun - Página 8 A097644d50ea0ad0eec27b3382eea5a8

- Uuuu...fala sério... - a vergonha alheia era tanta que eu simplesmente cobria o rosto com as mãos, sem conseguir olhar na cara da Amor...ou melhor dizendo, Leon? Em vez disso, eu me virei pras outras duas, e abrindo um pequeno espaço entre os dedos pra conseguir olhar pra elas, eu simplesmente disse: - Matteo...eu me chamo Matteo. Mas vocês podem me chamar só de Matt mesmo. - é...a gente com certeza não tinha começado com o pé direito.


Histórico:
Posts: 15
Nome: Matteo Martini
Dinheiro: 25.000 ฿S

Qualidades: Adaptável | Prodígio | Criativo | Prontidão | Atraente
Defeitos: Obcecado (Tecnologia) | Dívidas | Compulsivo (Chocolate)
Compulsão: 5/10

Ganhos: Pistola Gasta | Trufas de Chocolate (1/6 Usos)
Perdas: 225.000 ฿S

NPCs: -
Extras: -

Objetivos:
- Comprar ou (de preferência) Forjar uma arma.
- Arrumar uns chocolates pra dar conta da Compulsão.
- Chegar na Guilda e virar CR.
- Encontrar o restante da galera e fazer dinheiro.
- Aprender Proficiências (ainda me resolvendo em quais, pode ser mais pra frente).
- Receber os 5kk da Vakinha ingame, de alguma forma.
- Conseguir ingame a recompensa do evento em grupo lá (Link).

_________________

Malka
Ver perfil do usuário
Imagem : Here Comes The Sun - Página 8 7584b85bc7c6addc6f8fb37a030d048bd70ad00a
Créditos : 07
Localização : Stevelty, North Blue
MalkaCriador de Conteúdo
https://www.allbluerpg.com/t295-myriam-leuchten#858 https://www.allbluerpg.com/t419-here-comes-the-sun
Re: Here Comes The Sun Sex Out 22, 2021 11:54 am

Myriam Leuchten
adv 1

Stevelty - North Blue
POST 14






Mesmo quando a situação começava a parecer mais controlada, não parecia um bom momento para eu deixar a guarda baixa, mas ao menos permitiria meus ombros relaxarem na parede ao lado. Vendo o massacre dos gerbils com clara dor em meus olhos, sou levada a aceitar o peso no meu coração tanto por questões diplomáticas como pela condição, seria prejudicial a quem eu defendia me por a favor das criaturinhas bárbaras, e elas com certeza tinham capacidade de fazer mais vítimas "mesmo assim, esse sangue nas patas deles é tão fresco como se estivesse nas minhas mãos... Queria que fosse mais fácil".

— Eu sou... — tremeria um pouco na hora de falar. Não por medo ou algum sentimento parecido, mas por um pouco de receio ainda guardado quanto à aliança — ... Myriam Leuchten. Artesã de navios, aprendiz de Jakin Leuchten. Também uma caçadora de recompensas. — completaria, com confiança na minha sinceridade.

Não veria razão para me ver desconfiando dos lobos a este ponto, já que mesmo não querendo eles já tinham total controle da situação. Mentir no melhor dos casos nos daria dificuldades no diálogo, e no pior dos casos deixaria eles irritados e, como deu pra observar com Rosy, não era um bom plano deixá-los irritados. Confiava talvez mais neles com sua aproximação direta do que nos três estranhos lá de trás.

Here Comes The Sun - Página 8 F82

— Err, porto secreto? — olharia eles de cima a baixo, não sabendo se escondia a risada ou o desapontamento — Isso é... Bem lá atrás, moça. Tu tava no rastro errado. — "não acredito que eu pensei que estavam na nossa frente, que patético". Continuaria segurando a vontade de dar um tapa na minha própria testa para não queimar a social com os minks. Por "sorte" Leonheart já havia queimado nosso último pequeno segredo, puxando o cartaz na frente de todo mundo — Ainda não. Se tivéssemos encontrado não estaríamos aqui ainda, né? Teríamos levado ela de volta à justiça.

O loiro, no entanto, me dava uma fagulha de esperança naquele grupo. Sorriria ao vê-lo se aproximando para agradecer — Kirihihihi! Nada, nada! A gente só fez o que qualquer um faria. E sem modéstia Kim, você podia muito bem ter ficado lá atrás esperando e escolheu ajudar. Você é uma pessoa boa, não adianta fugir disso! Kirihi... — quebraria na risada, aguda e para dentro, um pouco orgulhosa demais de algo que eu via como um gesto simples. Ser agradecida por fazer algo assim me dava um prazer enorme, principalmente num dia cheio e difícil como esse, era um alívio doce como tomar um banho morno depois de uma manhã de exercícios. Com o decorrer da conversa, poderia até rir do constrangimento de Matteo que parecia ter sido enganado, mas só conseguia o olhar nos olhos com uma expressão genuína de pena — Relaxa campeão, acontece...

Caso saíssemos daquela caverna e Kim se pusesse a falar, temeria o modo com que ela se referia a caçada na frente deles "eles se dizem guardiões. E sendo ou não, pareciam de relativo acordo com os gerbils. É muito cedo pra dizer com tanta convicção que não apoiam esse tipo de evento". Se não nós permitissem sair, em geral agiria igualmente perante aos outros mas com um ar um pouco mais salgado saindo junto de minha voz. Além disso, me manteria constantemente próxima de Kim, tentando passá-la confiança quando possível, e sussurando coisas como — força, se tá te incomodando isso não vai durar muito... — assim que visse sua frustração alcançando algum pico. Ser ajudada por outros não parecia fazer tanto o estilo dela, mas tenho certeza que ser abandonada sozinha deve ser ainda pior.


•••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••:
Ficha:

Dinheiro: 4.825.000 ฿S
Proficiências: Arquitetura | Escultura | Carpintaria | Marcenaria | Escudista
Qualidades: Ambidestro | Atraente | Destemido | Saúde de Ferro | Hipoalgia | Prodígio
Defeitos: Doença Degenerativa | Extravagante | Infame | Altruísta | Ambição

Histórico:

Posts: 14
Doença Degenerativa: 4/10
Ganhos: Remédios (1/5 Usos); Contrato de Mercenário.
Perdas: - 300.000 Berries (Remédios)
Relações: Kim: Companheira caçadora, confiante e perspicaz mas igualmente prepotente e implicante. É uma parceira eficiente, o que já é muito melhor que nada.

Mercenário: Mercenário estranhamente metódico e com vestes igualmente estranhas. Nos ofereceu um contrato suspeito, mas no fim seus motivos não pareceram ruins.

Louca da lança: doida chamativa que parece estar nos perseguindo. Não imagino que tenha más intenções, principalmente depois de lutarmos juntas, mas não é como se eu tivesse desistido da minha caça para dar a ela.

Loirinho: Pistolinha pew pew. Parece um cara sagaz.

Extras: -

Atributos:

Força: 20 (+40) (+60) (+20) = 140 (Regular)
Destreza: 0 (Incompetente)
Acerto: 80 (+40) = 120 (Regular)
Reflexo: 240 (+80) (+60) = 420 (Hábil)
Constituição: 20 (Regular)

Agilidade: 270
Oportunidade de Ataque: 3
Redução de Dano: 0
•••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••:

FALA | PENSAMENTO


Objetivos:

• Comprar remédios •
• Se juntar com o grupinho •
• Desenvolver a proficiência Condução •
• Criar nosso barquinho v1 e vazar da ilha •

_________________

Here Comes The Sun - Página 8 LGMRHWx
Milabbh
Ver perfil do usuário
Imagem : Here Comes The Sun - Página 8 Ezgif.com-resize
Créditos : 05
Localização : Flevance - North Blue
MilabbhAvaliador
https://www.allbluerpg.com/t311-haru-kaplyanova?highlight https://www.allbluerpg.com/t301-os-monarcas-i-efeito-borboleta#980
Re: Here Comes The Sun Dom Out 24, 2021 8:12 pm
Narração - Here Comes The Sun
Localização: Stevelty
Período do dia: Fim de Tarde


~Todos~


A conversa seguia surpreendentemente tranquila, exceto pelo psicológico surtado de Kim e a vergonha de Leonheart. Porém, antes que pudessem se apresentar, a esverdeada atingia seu limite e pedia para que continuassem a conversa lá fora. Como se previsse as falas de Rosy, já respondia a altura a indagação da mink sobre uma possível fuga.

- Medo de vocês? Háhá. - Ela ria, mesmo que ostentasse um semblante sério, mas Asta novamente entrava na conversa, mantendo sua cordialidade. - Vamos, Rosy. Não há necessidade para grosseria. E seria um prazer sair deste local sanguinário. - O lobo alfa tampava o fucinho e se dirigia até a saída, enquanto a fêmea cochichava para o grupo. - Esse aí é estranho, vegetariano sabe? Nunca vi um lobo que não come carne.

- Eu posso te ouvir, Rosy! - Asta dizia caminhando para luz, e era seguido por sua matilha, um estranho bando e uma égua rosa. Ao chegarem na parte externa, todos paravam em um círculo, e os lobos pareciam atentos aos sinais do alfa, prontos para atacar, se necessário. Ainda assim, o líder se mantinha impassível. - Então...?

Suas orelhas felpudas e ligeiramente longas se voltavam para as pessoas em sua frente, demonstrando que dava toda sua atenção às falas. Rosy, por sua vez, usava a garra do mindinho para palitar os dentes, e não parecia muito interessada na conversa.

De qualquer forma, as apresentações tinham início. Kim era a primeira, e já tratava de inocentar a ela mesma e sua companheira, alegando não conhecer a caçada. Miryam seguia com a fala, arrancando um pequeno sorriso de Asta. - Você disse Leuchten? Conheço sua fama, criança, assim como o talento que corre em suas veias. Acredite ou não, já velejei pelos mares, e foi com uma criação de sua família.

Rosy também parecia se interessar quando ouvia o nome, e olhava de canto de olho para a moça que acabara de falar, mas não expressava nada no momento. Após a pequena pausa, as apresentações continuavam com Matteo, que fazia piadas e tentava melhorar o clima. Rosy pausava sua limpeza dental para comentar. - Ahh, não se preocupe com isso, desviar de balas é bem tranquilo em um terreno acidentado e cheio de árvores. - Ela sorria orgulhosa.

Leon era o último a falar seu nome, e naquele momento Matteo percebia seu enorme engano e vexame. Em meio à vergonha ele falava com Nana, que relinchava e cavava o chão, como se estivesse gargalhando. O loiro falava seu nome rapidamente, ainda tentando digerir o fato de que estava chamando Leon de Amor o tempo todo.

Já o dono da égua simplesmente sacava o poster com as informações sobre a criminosa em questão e falava em alto e bom som, possibilitando que todos ouvissem. Naquele momento os 4 percebiam que estavam atrás das mesmas pessoas esse tempo todo, e talvez, apenas talvez, o destino os tivesse unido. Isso ou um monte de acontecimentos aleatórios e perigosos.

Após todas as apresentações, flertes, confusões e sinceridades, Asta parecia convencido de que tudo não passava de um grande mal entendido. Colocando a mão em frente à boca, ele pigarreava e respirava fundo. - Pois bem, permitam-me esclarecer a situação. Primeiramente, A Caçada é uma espécie de esporte dos habitantes locais. Eles decidem se matar uma vez por ano, exatamente nessa época, e vêm até a floresta para isso.

- Nossa floresta... - Rosy dizia entre rosnados, parecendo realmente brava. - Sim, Rosy, nossa floresta. De qualquer forma, eles queimam árvores, matam animais, poluem nossos rios e fazem estragos tremendos nesse período, que é sempre imprevisível. Essa barbárie dura até que reste apenas uma dupla, sendo que são 10, e parecem bem teimosos para morrerem de uma vez. - Asta suspirava antes de continuar sua explicação. - De qualquer forma, nós seguimos todos os que entram, pois, assim como vocês, alguns desavisados acabam entrando aqui sem conhecimento disso, e são mortos em nome do "esporte", nesse caso seguimos para proteger e ajudar na travessia tranquila. Já quando identificamos os participantes... Bem, aí Rosy ganha ao menos 2 refeições do dia.

A mink fêmea lambia os beiços de forma bem selvagem, como se estivesse imaginando o sabor daqueles que já havia ceifado as vidas. - No entanto, sabemos que vocês não estão envolvidos nisso. E não se preocupem com o estrume na caverna, eles ajudam silenciosamente na caçada, além de nos importunarem há anos. No entanto, se reproduzem mais rápido que os matamos, são como pragas. - Asta checava suas roupas em busca de imperfeições e continuava. - Sobre as figuras encapuzadas... Sim, éramos nós, e o maior de todos que viu era o Balto, nosso guerreiro mais forte e... Levemente mais burro.

O tal Balto estava prostrado na entrada da caverna, e acompanhava com o olhar uma borboleta azul que voava ao seu redor. - Hehehe, borboletinha fofa. Olha Rosy, ela gosta de mim! - Até mesmo ajoelhado, o mink parecia enorme, e a protuberância que Matt havia visto agora podia ser identificada. Se tratava de um enorme machado, proporcional ao seu tamanho.

- Bom, ele é inofensivo, a não ser que ordenem o contrário. Mas isso não vem ao caso agora, vi o cartaz que a amazona... - Ao dizer a última palavra, Asta ficava visivelmente envergonhado, lembrando do comentário de Leon. - Ahem... Que ela mostrou. Nós estamos em busca dessas mulheres e seu chefe. Muitos o perseguem, por isso não devem ter visto seu cartaz ainda, no entanto, ainda não o pegaram. - Asta então alcançava algo em seu bolso, um papel que ele desdobrava na frente de todos. - Este é Toth, um traidor que abandonou seu lar para ajudar as piratas a lucrarem com A Caçada. Esse inferno já nos atormenta por 3 anos, mas os desgraçados se escondem bem.

Procurado:

Here Comes The Sun - Página 8 Procurado

- Calma Asta. - Rosy dava leves batidinhas no ombro do mink, que balançava a cabeça e arrumava as vestes. - Sim, tem razão Rosy. Perdoem minha exaltação. De qualquer forma, os números não são nosso problema, como podem ver. O que nos falta é mais inteligência... Sem ofensas, pessoal. - Ele olhava para sua matilha fazendo uma pequena reverência. - Relaxa, ser como você seria bem mais ofensivo. - Rosy ria de leve, em tom brincalhão e Asta continuava. - Vocês parecem ter pistas sobre o paradeiro dos criminosos e nós temos a força bruta necessária para capturá-los. De qualquer forma, não iremos atacá-los, pois sabemos que não farão mal à floresta. Ainda assim, acredito que uma aliança seria proveitosa para ambos os lados. O que dizem?

ControlePosts: 15

*Kim
Ferimentos:
Ganhos:
Perdas:

*Matteo
Ferimentos:
Ganhos:
- Pistola Gasta
- Trufas de Chocolate (1/6 usos)
Perdas:
- 225.000 Berries

*Leonheart
Ferimentos:
Ganhos:
- Cartaz de Procurado
Perdas:  

*Myriam
Doença: 4/10
Ferimentos:
Ganhos:
- Remédios (1/5 Usos)
- Contrato Mercenário
Perdas:  
- 300.000 Berries (Remédios)


Considerações
Asta
Here Comes The Sun - Página 8 2c9e6f9eb77771f96577483c26f34939


Rosy
Here Comes The Sun - Página 8 68747470733a2f2f73332e616d617a6f6e6177732e636f6d2f776174747061642d6d656469612d736572766963652f53746f7279496d6167652f7266314e507a786e784d483330413d3d2d3735363431373831392e313562303065636439326662353035613134323633303037343231352e6a7067?s=fit&w=720&h=720


Bigodudo
Here Comes The Sun - Página 8 C1TTQCE


emme



_________________

Here Comes The Sun - Página 8 QeMkXKw
Here Comes The Sun - Página 8 The_Moon
Hoyu
Ver perfil do usuário
Imagem : Here Comes The Sun - Página 8 GX67lHH
Créditos : 3
HoyuEstagiário
https://www.allbluerpg.com/t378-leonheart-valentine https://www.allbluerpg.com/t419-here-comes-the-sun
Re: Here Comes The Sun Qua Out 27, 2021 10:11 pm
Leonheart Valentine

Finalmente saíamos daquela caverna bizarra, pois já estava ficando enjoado com os nanicos mortos ali. Por mais que não tivesse problema em matar, e eles fossem claramente nossos inimigos, a visão de tantos cadáveres espalhados era bem desconfortável, e começava a sentir um pouco de náuseas antes de irmos para o lado de fora, onde pude enfim respirar ar puro novamente. Surpreendentemente o lobo chefão parecia concordar com esse meu sentimento, por mais que fosse zombado por sua companheira, me deixando um pouco mais interessado, pois realmente parecia algo peculiar. Ou melhor, mais interessado do que já estava, após um convite mais do que claro para fazer brincadeiras de adulto. Mesmo que não houvesse agressividade clara por parte do grupo devido á postura do líder de Asta, havia uma ameaça velada por parte de todos, então logo nos apressávamos a nos apresentar e esclarecer a situação. Todos se apresentavam, permitindo que eu descobrisse o nome das outras duas, mas Matt por algum motivo parecia ter entrado em choque repentinamente, e começou a falar coisas sem sentido. - Você tá bem, querido? Não to entendendo nada do que você tá dizendo. - Me aproximaria desconfortavelmente próximo dele, com meu rosto a poucos centímetros do seu, olhando-o com cuidado.

- Bom, de qualquer forma... - Me afastaria repentinamente, mudando de assunto sem mais nem menos após perder o interesse na reação do loiro, pois tinha algo mais importante para me preocupar. - Aqueles nanicos me encheram de palitos de dente, e tá doendo. Parece um monte de espinhos, pode me ajudara a tirar, queridinho? - Já próximo de Matt, esperaria que ele me ajudasse a tirar aquilo do corpo, principalmente por não ter coragem de tirar sozinho, com medo que fosse doer. - Prazer, Myr e Kim. Olha só, Matt, já está montando seu harém. Rijajajajaja! - Soltaria uma gargalhada sem me segurar, antes de me voltar novamente para o lobão, que parecia ter enfim compreendido a situação, estando disposto a nos passar as informações que queríamos. - Quer dizer que viemos logo quando decidem fazer um battle royale selvagem? Nossa, que sorte... E essa dupla que sobra ganha o que? Ou fazem isso só pra sair matando mesmo? - Já bem descontraído, me equilibraria em uma perna só, com a perna esquerda em forma de triangulo com a sola do pé apoiada na panturrilha direita, e com a lança alinhada com os ombros, com os braços largados por cima como uma vara de equilibrista. Por mais estranha que a pose fosse, me deixava mais confortável. - Mas é, parece bem chato essa história toda. - Apesar dos meus comentários, era óbvio pela minha expressão que eu não estava ligando. Por mais que esses minks estivessem putos com tudo isso, no final parecia apenas uma simples rixa territorial, nada que chamasse atenção.

Seguindo o monólogo, Asta se dirigiu a mim, mas a forma que falou fez um sorriso travesso surgir em meu rosto. Não sabia de onde ele havia tirado a ideia de me chamar de amazona, apesar de eu realmente ser bela como uma deusa grega e bastante mortal, então não havia do que reclamar, mas a forma que ficou envergonhado quando se referiu a mim havia deixado bastante óbvio que havia sido pelo meu comentário anterior. Me deliciava com essa vergonha, e ao presenciar essa reação, confirmava mentalmente que precisava investir mais nele. Talvez realmente conseguisse algo, mas só de ver ele envergonhado mais vezes já faria tudo valer a pena. O problema disso é que, se entendessem errado meus interesses, os outros homens-fera que o seguiam poderiam acabar me atacando, o que não seria nada bonito. O que precisava era me aproximar de Rosy, ter uma conversa feminina e descobrir como conquistar o lobão. Ou será que era uma raposa?

O comentário seguinte de Astra, entretanto, dissipou completamente meus pensamentos libidinosos, comentando sobre outro homem-fera traidor com uma recompensa surpreendentemente superior à da procurada que eu caçava, me fazendo arregalar os olhos. - Opa, opa, opa. Quantos zeros. - Me via hipnotizado pelo valor da recompensa do tal Toth. - Então esse lobão aí é o chefão? Então é simples: a gente caça ele e acaba com a porra toda! - Anunciava isso como se fosse algo genial, e já estava completamente convencido a ir atrás desse Toth, já nem lembrando mais o nome da mulher do cartaz que estava carregando. Não tinha pista nenhuma sobre onde esses caras poderiam estar, mas a mulher de verde parecia ser esperta, então era só acompanhar eles e tudo estava garantido. Além do mais, teria mais chances de fazer avanços contra Asta. - Por mim tá ótimo. A gente se ajuda, acaba com esses caras, e todo mundo sai ganhando. Quer dizer... Espero que não se importem da gente ficar com as recompensas, sabe como é. Caçar procurados é um trabalho sério. - Deixaria de lado o detalhe de nunca ter caçado ninguém antes e ter começado no ramo de caçador de recompensa a menos de uma hora.

Com tudo resolvido, me aproximaria do bigodudo. - E você? Qual sua relação com isso tudo? É da floresta também e quer acabar com esses caras? - Traria Anais para perto de mim enquanto falava, fazendo carinho em sua crina. Independentemente da resposta, so precisariamos então seguir as pistas que nos levariam ao chefes da tal Caçada, e pra isso me aproximaria da garota de cabelo verde. - E então, querida. Pra onde vamos?




Histórico:
Nome: Leonheart Valentine
Posts: 16
Dinheiro: ฿S 25.000

Qualidades: Atraente | Carismático | Exibido | Mestre em Haki
Defeitos: Extravagante | Devasso | Impulsivo | Fobia (Insetos) | Obcecado (moda)

Ganhos:
- Cartaz de procurada

Perdas:
- N/A


Objetivos:
• Virar Caçador de Recompensas
• Me juntar aos meus três amiguinhos
• Aprender a proficiência Adestramento
• Ganhar bastante dinheiro



Última edição por Hoyu em Qui Out 28, 2021 6:39 pm, editado 1 vez(es)
Ceji
Ver perfil do usuário
Imagem : Here Comes The Sun - Página 8 Hwlv4xh
Créditos : 00
Re: Here Comes The Sun Qui Out 28, 2021 6:11 pm
Oasis Selvagem - Parte I

”Uma aliança?” Cogitava, levemente supressa pela proposta. Não como se eu não esperasse nenhum tipo de colaboração com eles, é claro, mas o que realmente me surpreendia era o quão rápido aquilo tinha evoluído. A poucos minutos atrás estávamos na caverna, no que parecia uma iminência de nos matarmos, que logo passou para relação amistosa e depois para ajuda mutua. Parecia simplesmente bom demais pra acreditar, e logo algumas paranoias começavam a espreitar por minha mente ”E se eles estiverem com os organizadores e quiserem nos levar para uma emboscada??” Mas é claro que meio raciocínio já me fazia entender o quão improvável, mas não impossível, essa possibilidade era. Se quisessem nos eliminar eles já teriam tido a chance, por estarem em maior número e nós enfraquecidos após a batalha com os roedores. Além disso eles não teriam dito tantas informações, ainda mais considerando que batiam com os conhecimentos prévios sobre os acontecimentos naquela floresta que fiz questão de não revelar que eu tinha. No fim, aquilo deveria ser mais desespero ou diferença cultural do que qualquer coisa, já que, convenhamos, a estranheza deles era bem chamativa, até mesmo admitindo que Rosy já havia devorado alguns humanos para um grupo de humanos, mas, bem, eu já havia trabalhado junto de pessoas bem piores do que isso, e se os desafortunados eram criminosos ou imbecis que vinham propositalmente matar e morrer, eu que não criticaria esse serviço à humanidade.

Ainda assim, não conseguia tirar da cabeça os que eles falavam sobre a tal Caçada. Supostamente 20 participantes divididos em 10 duplas se matavam até sobrar uma dupla só... E chamavam isso de esporte. Mais do que não conseguir entender, aquilo me parecia absolutamente burro. Mesmo em locais onde mortes eram usadas para entretenimento, era algo aberto ao público ver, para lucrar com as mortes; mesmo que eu não concordasse, ao menos eu entendia isso. Agora, se matar em meio a uma floreta fechada apenas para depois ser devorada pelos vermes ou animais famintos, era algo que eu mesma não conseguiria me ver fazendo parte nem dentro de um milhão de anos, independente do prêmio que fosse dado ao vencedor - Que idiotice, porque diabos alguém acha esperto participar de um jogo com 10% de chance de vitória e 90% de chance de morte?! Para mim parece mais um suicídio com alguns passos a mais e prejudicando todo o ambiente junto - Exclamaria, não apenas pra demonstrar minha indignação com aquele “esporte”, mas também para tentar me aproximar um pouco mais da tribo de Astra, ganhar alguns pontos de confiança pela opinião compartilhada - Myriam, eles disseram ser esporte daqui, mas considerando o que aconteceu até agora suponho que você nunca ouviu falar, não é? Eles devem anunciar no submundo se for o caso, o que significa muito fluxo de dinheiro. Eles não vão parar enquanto houverem pessoas dispostas a participar, então dar cabo dos organizadores deve ser o único método confiável - Diria, especialmente a Myriam, como que esperando sua opinião.

Independente do caso, era obvio o que precisávamos fazer, e a ajuda de Asta e dos outros minks seria definitivamente útil. Mas, havia um problema: os outros dois caçadores. Eu já sabia que eu e Myriam não éramos as únicas atrás das três piratas, e por isso queria correr para chegar primeiro e tomar as recompensas para nós, mas já era tarde demais para isso. Agora que havíamos nos juntado e aliado aos minks, tentar chutar os outros caçadores para monopolizar a recompensa com certeza iria sair pela culatra, já que imaginava Asta nos considerando más pessoas e ajudando os outros dois. Querendo ou não eu teria que dividir as recompensas em quatro, e o que me deixava aceitar isso calada era que ao menos a situação de agora era melhor que a de mais cedo; B$35.000 para quatro era melhor que B$15.000 para duas, afinal, mesmo que a dificuldade houvesse aumentado um pouco. Apesar disso, aquela pessoa de rosa parecia não perceber isso - Pode se acalmar, por gentileza? Isso definitivamente não é tão fácil, considerando que eles estão tentando parar esse “jogo” a três anos sem sucesso - Diria ao... Rapaz? Eu achava que aquela figura excêntrica de rosa era uma mulher pelo ocorrido da guilda, mas o nome Leonheart soava definitivamente masculino para mim. De uma forma ou de outra, teríamos que nos organizar, juntos, para resolver esse problema, por mais desconfortável que eu estivesse com aqueles dois. Leonheart era o epitome do desleixo e extravagancia, e tal Matt parecia mais razoável, mas inocente até demais; ao menos Myriam havia entendido depois do encontro com o mercenário para não sair falando pelos cotovelos, e ainda assim os dois pareciam achar que aquilo era um passeio no parque - Mesmo com a ajuda de Asta e dos minks, nós vamos ter que lidar com organizadores de um “jogo” até a morte e um criminoso com cabeça valendo 20 milhões, então espero que levem esse trabalho com seriedade - ”Porque você definitivamente não está levando, Leonheart” Reforçaria as palavras trabalho e seriedade, do próprio discurso do miserável na esperança da ficha cair.

Como não tinha muito o que resolver com eles, ao menos ainda, logo me viraria para Asta - Bom, já que vamos trabalhar juntos para por um fim nisto, espero que não se importe que eu pergunte: como foi nos dois anos passados? Eu digo, quanto a ataques de vocês e reações dos organizadores - Questionaria, e esperaria sua resposta, tentando juntar as peças pra pensar em um plano de ação - Sabe, depois de jogar xadrez por muito tempo com alguém, você percebe que os primeiros movimentos do adversário são sempre os mesmos. Serei direta, é possível que eles estejam conseguindo prosseguir a Caçada apesar da retaliação de vocês justamente por esse Toth ser um traidor. Ele possivelmente sabe como vocês fazem suas buscas, onde vão, e por isso sabe onde se esconder para vocês não os acharem. Além, claro, de que se ele tiver o mesmo olfato apurado dos dois dos seus homens que eu me encontrei antes, então imagino que fosse ser grande ajuda também - Explicaria, esperando que ele estivesse acompanhando meu raciocínio - Por isso preciso que em diga onde e como essas buscas ocorrem, e se tem algum lugar que vocês evitam o máximo possível - Perguntaria, mais uma vez esperando sua resposta antes de prosseguir - Bom, considerando a existência desse Toth, acho bem difícil que possamos trabalhar literalmente juntos; ele deve estar esperando vocês. Eu sugeriria que nós quatro e um ou dois dos seus façamos a busca. Mais cedo eu ouvi uivos que eu imagino que tenham sido vocês, conseguiriam fazer isso para chamar os outros a grande distância se achássemos Toth e as piratas? - E, após ter minha resposta, voltaria até os outros dois caçadores - Bom, se vocês tiverem visto ou ouvido algo importante sobre as piratas ou a caçada, a hora de falar é agora.

Histórico:
Nome da Personagem: Kimberly Deshayes
Nº de Posts: 16

Qualidades: Ambidestria | Atraente | Destemida | Impassível | Voz Melodiosa | Liderança

Defeitos: Vaidosa | Traumatizada

Ganhos:

Perdas:

NPCs:
-Gerbil (Ruínas de Stevelty): Mink roedor que parecia governar uma tribo de Minks ratos, derrotados por mim e os outros aspirantes a caçadores.
-Asta e Rosy (Ruínas de Stevelty): Auto-proclamados guardiões da floresta junto de seu grupo de Minks lobo. Parece, ter um problema com a tal Caçada ocorrendo na floresta.

Extras:

Objetivos:

-Virar Caçadora de Recompensas
-Aprender a Proficiência Cartografia
-Conseguir um barco pra sair se Stevelty


Última edição por Ceji em Seg Nov 22, 2021 11:21 am, editado 1 vez(es)
Ravenborn
Ver perfil do usuário
Imagem : Here Comes The Sun - Página 8 GeK6WP3
Créditos : 05
Localização : Stevelty
Re: Here Comes The Sun Sex Out 29, 2021 3:56 pm

Here Comes the Sun



Depois de uma cena que provavelmente me faria sentir vergonha alheia toda vez que lembrasse pelos próximos dias, eu consegui me apresentar ao restante do grupo. Se o Nicolò tivesse visto isso, ele provavelmente ia gargalhar e tirar sarro da minha cara por um booom tempo. - Sigh... - suspirei, ainda sentindo as orelhas queimando. Nisso, a figura cor de rosa se aproximou mais uma vez - um pouquinho demais, até - e aparentemente não tinha entendido ainda que eu estava trocando as bolas esse tempo todo. Leonheart...como diabos é que eu deveria chamar ela agora? E aliás, era ela mesmo? Quem bota um nome desses na filha?

- Ér, eu... - antes que eu pudesse responder ou ao menos afastar o rosto, ela se virou e não perdeu tempo em começar a falar de outra coisa: dessa vez, me pedindo pra tirar aqueles palitos de dente que os gerbils tinham atirado contra nós. - Geh, você ainda tá com essas coisas aí? - eu me esqueci da vergonha por um instante, me aproximando pra tentar tirar um deles com cuidado. Eu não era médico nem nada do tipo, mas ao menos aquelas coisas não pareciam ter ido muito fundo - estavam mais pra uns espinhos de um cacto. - Eu tinha perguntado naquela hora, mas você tá legal mesmo? Parece que tinha algum tipo de veneno ou droga nas armas deles... - eu removeria um por um com calma, mas sem demorar muito, arremessando os que fosse tirando em algum mato ou arbusto próximo.

Quando tivesse terminado, me afastaria de novo, olhando pra ela de cima a baixo pra ter certeza de que tinha tirado todos. - Pronto, novinha em folha. - aquilo meio que me lembrava de quando eu tinha que fazer uns curativos na Dawn quando ela se machucava brincando, e de repente, eu me peguei sentindo saudades dela e da Eve. Vinte e cinco milhões...quanto tempo eu levaria pra conseguir juntar tudo isso? Sem contar que o Dante também tinha dito que isso era só pra começar, então eu não tinha dúvidas de que o valor final ia ser ainda maior. De qualquer forma, eu voltei o meu foco pra conversa com os homens-lobo, e o Asta seguiu explicando como funcionava essa coisa toda da Caçada e quem estava por trás dela.

- Vinte...! - eu arregalei os olhos ao ver a recompensa do tal Toth, muito maior do que a da mulher que estávamos caçando. Mesmo se dividíssemos com todo mundo ali, tirando os lobos, ainda era bastante dinheiro. Uma chance de começar aquilo com o pé direito. Eu não podia deixar essa oportunidade passar de jeito nenhum. - Podem contar comigo. Eu não sou nenhum herói da justiça, mas já que vocês nos ajudaram, nada mais justo que nós ajudarmos vocês também. Além do mais, eu com certeza não reclamaria de uma recompensa dessas. - sorriria, voltando a me animar. Se tudo desse certo, eu conseguiria quitar uma boa parte da dívida bem mais rápido do que o planejado, e quanto mais cedo eu fizesse isso, mais cedo ia poder ver minhas irmãs e meu velho, e não tinha nada no mundo que eu quisesse mais.

O lado bom é que pelo visto todo mundo ali estava dentro, o que significava que nós tínhamos um time dos bons, mesmo que a missão parecesse ser bem perigosa. Kim, a de cabelos verdes, pareceu tentar dar algum tipo de sermão em Leon, acho que por conta das piadinhas dela. Ela com certeza parecia ser a mais séria de todo mundo ali, contrastando com as duas de cabelo rosa. - Relaxa, ela pode ser bem avoada, mas você mesma deve ter visto que ela sabe se virar quando a coisa fica mais séria. Bem, exceto quando o assunto são insetos. E aranhas, eu acho. - eu senti um calafrio percorrer a espinha ao me lembrar do episódio nem um pouco agradável de mais cedo, onde eu e Nana quase fomos vítimas dos ataques de Leon quando ele tentou fazer a aranha desaparecer da face da terra. - E quanto a mim...bem, vamos dizer apenas que eu não posso me dar o luxo de falhar. Pode ter certeza que eu tô tão sério quanto qualquer um aqui. - diria, com um pouquinho mais de seriedade na voz.

Dito isso, eu apenas segui ouvindo a discussão e prestando atenção no plano que Kim foi explicando. A ideia de fazermos as buscas em um grupo menor fazia bastante sentido, já que os organizadores e até mesmo os participantes provavelmente já tinham alguma noção de que tinham que evitar os lobos. Quando ela se virou pra nós pra perguntar se sabíamos de alguma coisa, porém, eu não consegui pensar em nada de muito útil. - Bom, a gente não ouviu nada de muito útil...mas o nosso amiguinho ali parecia saber um pouco mais. - eu diria, apontando com o polegar para o homem de bigode que tinha se juntado a nós mais cedo. Ele não parecia ser má pessoa, visto que tinha me protegido na luta mais cedo...mas com certeza sabia mais do que fazia parecer, e provavelmente estava escondendo alguma coisa.


Histórico:
Posts: 16
Nome: Matteo Martini
Dinheiro: 25.000 ฿S

Qualidades: Adaptável | Prodígio | Criativo | Prontidão | Atraente
Defeitos: Obcecado (Tecnologia) | Dívidas | Compulsivo (Chocolate)
Compulsão: 6/10

Ganhos: Pistola Gasta | Trufas de Chocolate (1/6 Usos)
Perdas: 225.000 ฿S

NPCs: -
Extras: -

Objetivos:
- Comprar ou (de preferência) Forjar uma arma.
- Arrumar uns chocolates pra dar conta da Compulsão.
- Chegar na Guilda e virar CR.
- Encontrar o restante da galera e fazer dinheiro.
- Aprender Proficiências (ainda me resolvendo em quais, pode ser mais pra frente).
- Receber os 5kk da Vakinha ingame, de alguma forma.
- Conseguir ingame a recompensa do evento em grupo lá (Link).

_________________

Milabbh
Ver perfil do usuário
Imagem : Here Comes The Sun - Página 8 Ezgif.com-resize
Créditos : 05
Localização : Flevance - North Blue
MilabbhAvaliador
https://www.allbluerpg.com/t311-haru-kaplyanova?highlight https://www.allbluerpg.com/t301-os-monarcas-i-efeito-borboleta#980
Re: Here Comes The Sun Dom Out 31, 2021 10:31 pm
Narração - Here Comes The Sun
Localização: Stevelty
Período do dia: Fim de Tarde


~Todos~


Após um momento vergonhoso, Matt e Leon colocavam a situação de lado para se ajudar mutuamente. E digo isso no sentido de o loiro fazer todo o trabalho ajudando a costureira, enquanto a mesma ficava aérea por alguns instantes.

Perdida em seus pensamentos não indicados para maiores de 18 anos, Leon aproveitava para perguntar a motivação da caçada. Rosy, que soltava comentários desconexos de vez em quando, finalmente se pronunciava.

- Tem uma regra oculta na Caçada, só pode participar quem tem recompensa na cabeça. A dupla vencedora leva todas as recompensas no fim, inclusive a do parceiro, se tiver coragem de matá-lo ou entregá-lo. - Suas palavras não combinavam em nada com sua postura relaxada, como se aquilo fosse completamente normal.

Kim também expressava suas opiniões, deixando claro o quão estúpido aquilo tudo parecia. Asta, ouvindo suas palavras, acenava em concordância, para só então prosseguir. - De fato, mas nunca esperei muito do povo que vive por aqui. Além do mais, suas escolhas são saírem da ilha ou serem capturados pelos inúmeros caçadores que aqui vivem. Como devem imaginar, para fugir daqui precisam de um mínimo de dinheiro. Por isso, alguns preferem se arriscar na Caçada ao se entregarem para a marinha e seus caçadores.

Asta parava para ouvir o novo comentário da esverdeada e, apesar de ser dirigido à Myriam, ele respondia, afinal, a moça parecia distraída com a situação ao seu redor, e ignorava o comentário. - Bem... Você me parece bastante perspicaz. Está certa em sua suposição. Como Rosy disse, para se inscrever é necessário ter a cabeça à prêmio, e tudo gira em torno da recompensa final. Não sei o quanto a marinha sabe sobre isso... Mas alguém tem que pagar o montante final, certo? Acredito que Toth tenha contatos internos. De qualquer forma, é abominável e precisa acabar.

Após as conversas e a definição de um novo alvo, os caçadores divergiam em opiniões. Leon e Matt se animavam bastante, enquanto Kim mantinha sua racionalidade. Asta, por sua vez, sorria contido. - Não se preocupem com a recompensa, dinheiro não nos interessa. O que realmente queremos é expurgar nossa floresta de toda essa escória que a invadiu. - Quando se calava, Kim aproveitava para perguntar sobre os planos passados.

Asta, ouvindo aquilo, levava as enormes garras até o meio de suas sobrancelhas, apertando levemente o local. - Nada bem, nossos guerreiros têm força, mas não pensam muito antes de agir. Já tentei estruturar o plano várias vezes, mas eles sempre atacam desordenadamente. - O mink agora colocava sua mão no queixo, como se estivesse pensativo com as palavras da esverdeada. - Sim... Faz perfeito sentido, ele sabe como nos movemos, mas além disso, eles usam o labirinto como base de operações, e aquele lugar é um verdadeiro inferno.  

Rosy, que estava por perto, também parecia ouvir a conversa, e rapidamente intervia. - Sim, aquele bostinha consegue sentir nosso cheiro a vários metros de distância... Nós, por outro lado, como andamos em bando, geralmente confundimos os odores, o que dificulta um pouco. - O alfa concordava e ouvia o plano de Kim. - As buscas ocorrem no labirinto e suas proximidades, o máximo que se distanciam dessa área é no porto clandestino que já conhecem, mas como A Caçada já teve início, duvido que saiam da base. De qualquer forma, seu plano de dividir e conquistar me parece bom, podemos criar uma distração, e enquanto seus olhos estiverem na alcateia, vocês poderão atacar.

Rosy sorria com a formação do plano, e com um semblante animado exclamava. - Claro que podemos nos comunicar por uivos, temos códicos modificados para que Toth não reconheça mais!  - Os dois minks se entreolhavam e acenavam firmemente as cabeças, Asta então dizia. - Caçadoras, escolham seus acompanhantes e comecem os preparativos. Hoje A Caçada ganhará outro significado!

Quando a conversa com o líder terminava, Kim perguntava para os outros quais informações eles possuiam. Matt não parecia saber muito e Leon aproveitava a deixa para descobrir mais sobre o tal bigodudo, que admirava uma Nana comendo grama.

- Ahh, eu? Me perdi na floresta e acabei encontrando com vocês, mas eu era o imediato das piratas que procuram... - Ele falava cada palavra com receio de que fossem atacá-lo. - Eu precisava de dinheiro mas sou procurado por roubo, então acabei trabalhando com elas por falta de opção. Mas não aprovava nada disso, na verdade, elas queriam me obrigar a participar, ai fugi.

O bigodudo se calava e olhava com apreensão para as caçadoras, esperando qualquer reação vinda delas. - Direi qualquer coisa que querem saber, mas não me entreguem, por favor!

ControlePosts: 16

*Kim
Ferimentos:
Ganhos:
Perdas:

*Matteo
Ferimentos:
Ganhos:
- Pistola Gasta
- Trufas de Chocolate (1/6 usos)
Perdas:
- 225.000 Berries

*Leonheart
Ferimentos:
Ganhos:
- Cartaz de Procurado
Perdas:  

*Myriam
Doença: 4/10
Ferimentos:
Ganhos:
- Remédios (1/5 Usos)
- Contrato Mercenário
Perdas:  
- 300.000 Berries (Remédios)


Considerações
Asta
Here Comes The Sun - Página 8 2c9e6f9eb77771f96577483c26f34939


Rosy
Here Comes The Sun - Página 8 68747470733a2f2f73332e616d617a6f6e6177732e636f6d2f776174747061642d6d656469612d736572766963652f53746f7279496d6167652f7266314e507a786e784d483330413d3d2d3735363431373831392e313562303065636439326662353035613134323633303037343231352e6a7067?s=fit&w=720&h=720


Bigodudo
Here Comes The Sun - Página 8 C1TTQCE


emme



_________________

Here Comes The Sun - Página 8 QeMkXKw
Here Comes The Sun - Página 8 The_Moon
Ceji
Ver perfil do usuário
Imagem : Here Comes The Sun - Página 8 Hwlv4xh
Créditos : 00
Re: Here Comes The Sun Seg Nov 01, 2021 10:22 pm
Oasis Selvagem - Parte II

Finalmente um rumo se formava na minha frente, e a coleta das recompensas daquelas três, e ainda mais piratas, não parecia tão distante. No final até que não foi uma má ideia ir ajudar aqueles três imbecis nas ruinas, por mais estressante que tenha sido quando os minks tamparam a saída. Se não tivéssemos feito isso, provavelmente estaríamos apenas eu e Myriam vagando de um lado para o outro, e, mesmo que achássemos as piratas, ainda haveria o tal Toth apernas esperando a chance de nos destroçar. Não seria impossível, mas seria difícil, e o risco de ter minha pele maculada pelas garras do lobo definitivamente não valia a recompensa. Eu não gastava minhas manhãs me arrumando tanto atoa, e só de pisar nessa floreta já parecia uma afronta ao meu trabalho. Mas agora era diferente, tínhamos o apoio dos lobos, tínhamos números, e, mais importante, sabíamos exatamente o que fazer. Era uma pena não poder ir atrás dos participantes da caçada para coletar suas recompensas também, mas, parando para pensar, eles provavelmente deviam possuir apenas recompensas baixas, já que nem cartaz tinham, e provavelmente precisavam de realmente 18 recompensas para juntar um valor decente, e ir atrás de dois ou três não valeria a pena nem de longe nesse caso. Os únicos alvos que importavam eram as três piratas de Hunter x Hunter e Toth, e, como que em uma dadiva divina em resposta a todo o mal que eu sofri no passado, a chave para eles estava na nossa frente.

- Ora ora, então temos um fujão entre nós - Lentamente me aproximava dele, com um olhar que quase parecia uma leoa sondando sua presa, mas logo parava. Um homem como aquele não deveria valer mais do que 200 mil berries, definitivamente sem valor, mas eu precisava que ele achasse que havia o perigo, pois eu podia “fermentar” seu valor de outra forma. Ao me aproximar, raspava minha unha lenta e ritmicamente no emblema preso em minha roupa, como em uma mania de uma pessoa pensativa, que fazia ecoar pequenos “clin” e “click” aos ouvidos de todos - Imediato é um cargo um tanto importante em um navio sabia? - “Clin” - E ainda assim diz que só furtou e era forçado por elas? - “Click”. Tentava o pressionar para tentar abrir uma vulnerabilidade em sua postura, em sua mente. “Clin”. Se ele realmente falasse a verdade, que possuía histórico de furtos por necessidade de dinheiro e foi arrastado pelas três piratas, eu não realmente ligaria para ele. “Click”. Eu sabia que algumas pessoas precisavam passar dos limites para sobreviver, e eu mais do que ninguém entendia essa posição. “Clin”. Eu tive que colaborar com traficantes para deixar eu mesma de ser uma mercadoria, e o que eu precisava saber mesmo era se havia mentiras em sua fala. “Click” - Você não está cansado disso? Não quer se libertar ao menos uma vez dessas amarras? – “Clin”. Eu falava, com sutis ênfases nas palavras chaves, sincronizadas com o barulho do metal que ecoava. “Click”. Eu queria que a mente dele estivesse pondo o barulho de lado em favor da minha voz, movendo o estimulo para seu subconsciente conforme as palavras chaves impregnassem junto, carregadas pelo som simultâneo. “Clin”. Cansado e libertar, sua mente já vulnerável pela possível inferioridade e ameaça que sentia possivelmente deixaria essas palavras adentrarem em seu inconsciente, alterando sua fala e pensamentos sem que sequer percebesse, ou ao menos eu esperava que sim. “Click” - Então, que tal nos dizer o que sabe? - “Clin” - Onde elas estavam - “Click” - Como lutavam - “Clin” - A verdade - “Click” - Depois, você sai e não volta mais - “Clin” - E então? - Porem, dessa vez, minha unha não mais repetia o barulho cíclico no emblema, e sim, se erguia, com um audível estalo, como se chamando sua atenção, e fazendo todas as palavras, todos os estímulos, se formarem e montarem em seu inconsciente e consciente de uma vez - O que acha? Não que tenha muita opção.

Após a hipnose básica, que esperava conseguir o fazer ter cansaço repentino para não fugir, além de menos filtro nas palavras para ter dificuldade em mentir para nós, deixaria os outros fazerem aas perguntas. Não é como se o locutor fosse mudar muito, e eu esperava que ao menos nisso os outros não fossem me decepcionar. Apenas algumas perguntas simples e diretas, e no pior dos casos alguns Atos Falhos induzidos pela fragilidade mental fariam o trabalho, e por isso seria quase um teste para eles. Enquanto isso, iria novamente até Asta, o mais conversável de todos ali, para decidirmos os toques finais - Perdão pela interrupção. De qualquer forma, imagino que seria bom vir conosco quem soubesse manter a postura e agir pelo plano. Rosy, você se importaria de vir conosco? - Questionaria-a, já que uma ajuda de má vontade só nos atrapalharia, afinal. Se nenhum dos outros desse uma sugestão, ou se alguém sugerisse o próprio Asta, completaria - Bom, você parece o mais sensato, então eu também pensei se poderia vir, mas entendo que provavelmente precisa por ordem nos outros, como lider. Se tiver uma sugestão de mais algum outro, eu adoraria ouvir - Reforçaria para ele não se sentir pressionado a vir, mas saber que a possibilidade existia. Após decidir quais viriam conosco, era hora do segundo assunto importante - Bom, e uma última coisa. Lá na caverna minha colega - Apontaria com aa cabeça para Myriam - E os outros aparentemente foram atingidos por alguns dardos dos roedores, e parecia ter algum veneno de baixa intensidade, mas que ainda os deixaram desconfortáveis. Sei que seria melhor acabarmos com a Caçada o quanto antes, mas talvez seja melhor dar um tempo para eles descansarem. Não sei se quero arriscar enfrentar Toth e as piratas sem o 100% de todos e correr o risco de perder a oportunidade - Exporia os motivos para ele, mas eu mesma também estava cansada de andar de um lado para o outro naquela floresta, e queria poder me sentar, mesmo que fosse em um tronco um pouco mais limpo - Eu estava pensando em descansarmos e nos organizarmos agora pelo dia, e iniciar a busca mais a noite. O que acha? - E, se ele concordasse, mas não comentasse muito sobre o assunto, faria uma pergunta a mais - Ah sim. Imagino que deva conhecer algum lugar que possamos descansar? – E, se sim, seguiria-o.

Se tudo desse certo, logo iriamos para algum lugar mais calmo e arejado naquela maldita floresta, e eu realmente estava esperando poder descansar em um local mais limpo. Ainda assim, mesmo que em partes estivesse pensando no local de descanso, acabaria me pegando observando os dois outros caçadores que se uniram a nos, Leonheart e Matteo. Quanto me encontrei com os dois antes, eu já havia os achado uma dupla no mínimo inusitada; Leonheart era como um chamariz ambulante, e eu não queria dizer em um bom sentido, enquanto Matteo parecia mais pé no chão e arrastado pelas doideiras do ser roseado. Mas, agora, quanto mais ouvia eles falando, mais eu sentia pena dele. Por mais que eu houvesse confundido antes o gênero daquela pessoa de caráter duvidoso, depois de ter revelado seu nome como Leonheart era obvio para mim que se tratava de um homem, a não ser que estivesse mentindo para nós, o que eu duvidava dado o comportamento direto e sem filtro que apresentava. Ainda assim, Matteo continuava a lhe chamar no feminino, como se não houvesse percebido ou apenas não quisesse pensar sobre, e isso me dava um certo desconforto pela situação. A sensação era como se houvesse algo nos observando e ninguém quisesse se virar para olhar por meto de ser atacado, embora, nesse caso, parecesse mais receio de falar pelas consequências de puxar esse assunto. Ainda assim, eu não podia simplesmente ignorar isso com as chances de Matteo ser um completo imbecil, uma vez que eu definitivamente não queria outro burro e incompetente no mesmo grupo de caça que eu; só a presença de Leonheart já ultrapassava do limite, e muito. Assim, conforme andava, me aproximaria de Matteo, e logo chamaria sua atenção - ...Você disse que seu nome era Matteo, não é? – Falava, tentando me focar para não perder a compostura pelo quão idiota EU pareceria falando aquilo em voz alta - ...Você sabe que Leonheart é nome de homem, né? - E, com essa afirmação, apenas esperaria a cena que logo se seguiria.

Caso conseguíssemos chegar no local de descanso, com certeza a primeira coisa que faria seria buscar um lugar, LIMPO, para poder me sentar e descansar os pés, após ter que cruzar aquela floresta e suas inúmeras raízes e terra molhada traiçoeiras. Desviar de obstáculos naquele lugar era um porre, e, embora não estivesse em um SPA cinco estrelas como gostaria naquele momento, esperava que desse para o gasto. Porém, é claro, eu sabia que não poderia apenas descansar aquele tempo todo. Se houvesse tempo, após Asta possivelmente repassar o plano a todos e talvez organizar grupos, eu me aproximaria dele - Com licença, Asta, vocês tem algum mapa da floreta ou algo semelhante a isso? - Questionaria, como se tentando puxar assunto. Independentemente de ter ou não, isso não mudava meu objetivo, e eu não podia deixar a oportunidade passar - Bom... Sinceramente, eu não entendo muito de mapas. Você sabe alguém daqui que entenda melhor para me ajudar com isso? - Questionaria, um pouco desconfortável por pedir ajuda, especialmente lembrando da minha época navegando na caravana mercante com minha mãe. Infelizmente eu sempre tive mais interesse pelo clima e mar do que por representações em papeis, especialmente quando criança, mas sabia que precisaria desse conhecimento se quisesse retornar à Grand Line. E, querendo ou não, pedir ajuda seria o primeiro passo.
Histórico:
Nome da Personagem: Kimberly Deshayes
Nº de Posts: 17

Qualidades: Ambidestria | Atraente | Destemida | Impassível | Voz Melodiosa | Liderança

Defeitos: Vaidosa | Traumatizada

Ganhos:

Perdas:

NPCs:
-Gerbil (Ruínas de Stevelty): Mink roedor que parecia governar uma tribo de Minks ratos, derrotados por mim e os outros aspirantes a caçadores.
-Astra e Rosy (Ruínas de Stevelty): Auto-proclamados guardiões da floresta junto de seu grupo de Minks lobo. Parece, ter um problema com a tal Caçada ocorrendo na floresta.

Extras:

Objetivos:

-Virar Caçadora de Recompensas
-Aprender a Proficiência Cartografia
-Conseguir um barco pra sair se Stevelty


Última edição por Ceji em Seg Nov 22, 2021 11:21 am, editado 1 vez(es)