Tópicos Recentes
Destaques
Klaus
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Akira
Sasha
Ás
Shiori
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Últimos assuntos
Perpétuos I - Malfeito FeitoHoje à(s) 9:02 ampor  MakaRegistro de PhotoplayerHoje à(s) 5:40 ampor  RyomaRenHoje à(s) 5:30 ampor  Ryoma[Criações] - RenHoje à(s) 5:29 ampor  RyomaZaynHoje à(s) 5:26 ampor  RyomaAgatha HarknessHoje à(s) 5:20 ampor  RyomaAnnabelle Petit BarozziHoje à(s) 5:17 ampor  Ryoma''Sir'' Douglas WhitefangHoje à(s) 5:04 ampor  Ryoma[Criações] - ''Sir'' Douglas WhitefangHoje à(s) 5:04 ampor  RyomaJoe SinsHoje à(s) 5:01 ampor  Ryoma
 :: Oceanos :: Blues :: North Blue :: Flevance
Página 8 de 9 Página 8 de 9 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9  Seguinte
Kenshin
Ver perfil do usuário
Imagem : 1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 XqxMi0y
Créditos : 26
KenshinDesenvolvedor
https://www.allbluerpg.com/t360-agatha-harkness https://www.allbluerpg.com/t1510-capitulo-ii-sonho-de-uma-noite-de-verao
Relembrando a primeira mensagem :

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines!

Aqui ocorrerá a aventura do(a) Marinheiro Thorkell Dragnar Godheim. A qual não possui narrador definido.

_________________

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 J09J2lK

"Ah, mas eu não quero ter dois caminhos ou ah, mas eu não quero ter caminho nenhum. Ué, você já pode porra, a única coisa que te impede de fazer isso é ser zé metinha e querer ficar comparando o tamanho do pau com o coleguinha pra compensar o ego frustrado." - Luquinhas, 2022

Blindao
Ver perfil do usuário
Imagem : 1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 OdRR37N
Créditos : 47
Localização : North Blue ~ Flevance
BlindaoSargento
https://www.allbluerpg.com/t296-thorkell-dragnar-godheim https://www.allbluerpg.com/t1057-4-capitulo-gigantorines-em-altai


Dragão Indomável


O duelo do soldado Pippos contra o marinheiro ferreiro havia terminado e só então pude descobrir que o escudo que estava portando havia sido criado pelo próprio homem do quartel. “Então foi você que criou!? Havia suspeitado do símbolo, mas realmente faz sentido agora. Thororororo!” Refletia comigo por um breve momento, até indagar ao ferreiro do quartel. ~ Huum, tu andou fazendo uns itens por fora pra ganhar uma grana, sujeito esperto. Thororororo! Proferia simpatizando com o ferreiro, uma vez que, eu também buscava por dinheiro em prol de realizar meu sonho. ~ O escudo é bom mesmo. Acrescentaria para o marine ferreiro após testar o escudo em minha posse.

Sim! Era verdade que almejava quantidades exorbitantes de dinheiro para enfim conseguir fundar minha nação. No entanto, possuía em mente que precisaria ganhar fama e status para não só facilitar a criação do meu reino, mas como também alavancar meu nome pelos mares. Isso geraria maior prestigio e facilitação para comércios entre as ilhas, governo e etc. Entretanto, do mesmo jeito que apreciava ganhar dinheiro, também apreciava gasta-lo com as futilidades que me eram convenientes. “Apesar de que devo começar a guardar os fundos monetários para o futuro. Senão... meu sonho permanecerá apenas sendo um sonho.”

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 AbKAyRY

Vitaminado parecia intrigado com escudo que portava, até mesmo havia dialogado com ferreiro sobre o tamanho do escudo. ~ Ele não é muito grande, mas em essência era isso mesmo que buscava. Carregar um escudo realmente grande seria apelar demais. Thororororo! Diria para o soldado após mostrar o armamento acoplado ao braço. ~ Facilita a movimentação para defender e atacar, além de esconder a ponta da lança para tornar alguns ataques imprevisíveis. Apesar de que optei por ele para deixar mais divertido o combate, se é que me entende. Kekekekeke! Proferia com um sorriso um tanto sádico que logo dissiparia.

Após oferecer a recompensa de Pippos, alguns barris de bebida e de repente uma noite de farra, o garoto parecia animado e ansioso para tal evento. Sem mais delongas, viria a caminhar em direção a orla, deixando Pippos ainda trovando com o ferreiro. “Mas é muita carência hein.” Prensava comigo devido fato de Pippos não parar de falar, além de sempre frisar sua presença; não que eu me importasse mais, já estava habituado no fim.

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 TnXH1Vf

~ Vambora linguarudo! Viraria a cabeça e gritaria devido já estar um pouco longe dele, até que por fim, o soldado Vitaminado viria me acompanhar. ~ Sim, sim... você acha que esse quartel tem banheiros específicos para nós? Sem chance. Eu sempre tomo banho na orla mesmo, desde que cheguei em Flevance. Responderia para o legume, apesar de que ele provavelmente já sabia disso.

Durante nossa ida, tal qual não demandaria muito tempo certamente, Pippos enfatizaria sobre a recompensa que havia dito posteriormente. ~ Hééh! Não vai me levar a falência desgraçado, eu tenho que juntar dinheiro para fundar meu reino. Falando nisso... diria expressando um rosto irritado com o garoto, mas que logo retornaria com um semblante um pouco mais sério. ~... não recebemos nosso pagamento ainda. Sem falar que, até agora não conhecemos o tenente que lidera o quartel. Será que tá rolando algo lá dentro e não sabemos?! Jogava no ar a pergunta, mesmo sabendo que o garoto estava mais perdido que uma criança órfão de guerra. Se eu não sabia, duvidava muito que Pippos estaria ciente de algo. “Ele é mais avoado que pato em lagoa.” Pensava comigo ao expressar uma face debochada. ~ THORORORO! Riria comigo mesmo, independente se Vitaminado entendesse.

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 HinT0Ln

Vitaminado continuava a falar, confesso que algumas coisas entravam num ouvido e saiam pelo outro. Porém, algumas eu chegava a prestar atenção. ~ Hãn? Criatura colossal? Thororororo! Do que adianta ser colossal e não servir pra nada! Se liga pivete... já estive em mais bordeis do que você já cagou na sua vida, virjão! Thororororo! Em resposta às provocações de Pippos, uma vez que ele queria exaltar seu ego, alfinetaria no lugar onde mais iria doer. ~ Huum, acho que não devia ter pegado tão pesado... você ainda é muito novo e inexperiente, sinto muito pirralho. Pufh. Seguraria a risada unida a face debochada, tentando criar um ar sério; falhando obviamente.

Assim que chegássemos a Orla, pisando na areia e sentindo a terra entrelaçar os dedos do pé, fincaria a lança no solo e repousaria o escudo ao lado. Retiraria a calça que vestia e ficaria apenas com o Mawashi. Colocaria as mãos na cintura e respiraria fundo o ar da maresia. ~ Fiuss, nada mal. Hoje está um dia muito bom. Comentaria para mim mesmo enquanto aproveitaria o restante da folga.

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 G5668RD

Passo-a-passo chocaria com as ondas do mar que logo começaria a submergir parte do corpo. Olharia para Vitaminado que havia ido antes de mim e acabaria caçoando-o como de costume. ~ Preste atenção, Pippos! Este corpo foi abençoado pelos primórdios! Já viu algo tão másculo e impressionante ao mesmo tempo? Certamente que não. Thorororororo! Faria uma pose máscula com os braços abertos para tencionar os músculos do corpo, enfatizando os das costas e demonstrar uma explosão muscular bastante visível. Por fim, seguiria mar a dentro.

Devido as longas viagens pelos mares, havia dominado e aperfeiçoado as capacidades em nadar. Além de conseguir prender o fôlego por mais tempo, o esforço era mínimo e a velocidade era maior que os outros. Usava menos energia para movimentar-me pela água e ainda possuía destreza em mudar as direções, mergulhando para o profundo algumas vezes. Por isso havia ido mais longe da praia, já que, seria necessário devido a estatura que possuía.

Após mergulhar até descer ao fundo do mar, se possível, tentaria vasculhar só para passar o tempo as profundezas do mar, talvez encontrasse algo. Caso nada avistasse, apenas retornaria para cima e emergiria soltando o fôlego. Boiaria e relaxaria o corpo deixando o mar carregar estes monstruosos músculos durante o tempo que revitalizaria as energias. ~ Ah, ah... calma aí rosca de polvilho. Sinta as ondas no corpo; os raios solares; o som dos pássaros. Aproveite, pois, não sabemos quando teremos essa oportunidade novamente. Falaria para Vitaminado com intuito de expressar a rara oportunidade que havíamos possuído. Sabia muito bem disso, pois, era mais experiente e vivido e momentos como esse eram extremamente raros.







  • Posts: 22
  • Ganhos: Perícia Escudista;
    Escudo;
    Lança ET;
  • Perdas: 500 mil berries;
  • Players/NPCs:
    Pippos Vitaminado;
    Bartomolew;
    Detective;
  • Ferimentos:
    - Cortes profundos no tórax [5/12 - tratado]
    - Nariz quebrado [5/14 - tratado]
    - Corte na cabeça devido à pressão e força [4/12 - tratado]
    - 2 Costelas quebradas [5/14 - tratado]

  • Localização: Flevance ~ North Blue
  • Objetivos:
    ~ Obter uma Naginata/Lança;
    ~ Conhecer Gaiden, Denki & Drake.
    ~ Concluir 3 missões;
    ~ Subir de Patente;
    ~ Treinar Ambidestria;
    ~ Ganhar boa Fama;



PdV: 7400
STA: 100

Força: 240   [+120 Raça] [+60Edc] [+20 Arma]= 440 ~ Hábil ~
Destreza: 0 ~ Incompetente ~
Acerto: 20  [+120 Raça] [+60Edc]= 200 ~ Regular ~
Reflexo: 10 ~ Regular ~
Constituição: 130 [+120 Raça]= 250 ~ Regular ~

Agilidade: 105
Oportunidade de Ataque: 3
Redução de Dano: 5%

Qualidades:

Defeitos:

BrigaCotoveladas, cabeçadas, garrafadas, mordidas e dedo no olho. Você faz os movimentos necessários para sobreviver e derrotar o inimigo, sem se importar com estilos ou movimentos rebuscados.

SobrevivênciaVocê é capaz de encontrar água, comida e abrigo em ambientes hostis, se existentes.

AnatomiaVocê conhece o funcionamento e estrutura do corpo dos humanóides, sabendo identificar órgãos, artérias, veias, músculos e todo o resto.

NadoVocê domina diversos estilos de natação e é capaz de controlar sua respiração com maestria para não perder o fôlego.

PersuasãoVocê é capaz de convencer os outros através de argumentos lógicos e racionais, ao contrário de lábia, os efeitos de persuasão são duradouros.

Profissão:
Sentinela Os sentinelas são guerreiros espirituosos que dominam o conceito de vigia, seja dentro do navio durante as viagens e fora deles, excelentes seguranças em terra firme, eles são de suma importância para missões de proteção, patrulha, escolta, rastreio e guarnição, seja de itens, pessoas e etc. São guerrilheiros por natureza, excepcionais quando se trata em defender sua tripulação incluindo eles, quando deparados com hostilidade e/ou situações desfavoráveis. Carregados com um alto vigor físico, são aptos, versáteis e incansáveis em cumprir sua função sobre diversos territórios inimigos, com objetivo em defender o navio, o navegador ou tripulação de eventuais ameaças durante combates marítimos/terrestres.

Bônus: O jogador quando estiver em serviço protegendo algum aliado, navio, carga ou item e for infligido por algum status negativo, durante esse tempo ele consegue ignorar os efeitos narrativos(não será neutralizado, os efeitos viram pós-término de sua função). Esses efeitos variam entre envenenamento, lentidão, sangramento e etc. Situações desfavoráveis que exigem ficar sem dormir, comer ou descansar, o jogador consegue permanecer o dobro do tempo.



Arma: NaginataDescrição: Medindo 7 metros total, divididos entre: 5 metros de haste unificados a 2 metros de lâmina.  Imagem da Lança.
Tipo da Arma: Lança
Qualidade: ...
Durabilidade: ...
Dano: ...
Estado: ...

DinheiroBerries: 5.250.000 ฿S

_________________

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 2uAvx3T_d
Koji
Ver perfil do usuário
Imagem : 1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 88XyQrB
Créditos : 12
Localização : Sirarossa
KojiAvaliador
https://www.allbluerpg.com/t764-harvey-abgnalle#6176 https://www.allbluerpg.com/t1500-perpetuos-i-malfeito-feito#17594


Alvorada dos Monstrorines - 22
13:53 ~ 14:25 / Flevance


 
Pippos e Thorkell enfim se reuniam, vindos cada um de uma atividade diferente. O gigante mais experiente aprendia sobre escudos, indo diretamente até o centro de Flevance para comprar um após a grandiosa aula lecionada por um mestre escudista. Ele retornava para o quartel-general não muito depois, onde encontrava Pippos, que assim como ele, havia aprendido coisas novas. Naquele dado momento, o ferreiro havia acabado de sair de uma disputa com outro mestre de forja, e aparentemente vencido. A reunião seguia com a descoberta do criador do escudo de Dragnar e um convite para se banhar nas praias de Flevance; a resposta era positiva, portanto, a dupla saía imediatamente.

A caminhada até o local não durava muito, já que estavam bem próximos das orlas. O Sol no céu ia perdendo seu brilho e calor com o passar da tarde, mas o dia continuava perfeito para um banho nas águas salgadas do mar. O tempo escorria como areia fina nas palmas da mão de alguém, enquanto os dois gigantes passavam pelas ruas chamando atenção e jogando conversa fora. Dentre os assuntos, tomava conta a zoação entre amigos, porém, acabavam entrando na questão dos salários das missões que ainda não receberam.

Deixando isso de lado momentaneamente, chegavam à praia. O som do mar era predominante no lugar, não ofuscando a conversa que ia e vinha dos diversos turistas e moradores do lugar. Na mesma orla, podia-se ver um píer um pouco distante da tranquila praia onde estavam, e nele um enorme navio da marinha era carregado. Ele era circulado por transeuntes e gaivotas, assim como o lugar em sua totalidade. A água, o elemento mais importante daquela vista, estava cristalina e refletia a luz do Astro Rei no rosto dos meio-gigantes, enquanto estes tiravam suas vestimentas e sem demoras iam se banhar.

Thorkell nadava experientemente pelas águas, devido seus anos de convivência com o vasto mar. Ele mergulhava e procurava por qualquer coisa na areia submersa, mas era apenas cumprimentado por caranguejos e estrelas-do-mar. Conchas eram visíveis sem esforço, sendo essas quebradas ou inteiras. Naquele ecossistema diverso, ainda podiam-se ver pequenos peixes nadando pela praia, rápidos como foguetes. Vendo que sua busca não lhe trazia frutos senão a riqueza do fundo do mar, ele levantava seu corpo e boiava distante dos bancos de areia. O Sol da tarde queimava em seu peito, e seus machucados ardiam levemente devido ao sal presente no lugar, mas nada o incomodava.

A distração vinha quando Pippos, que dava apenas alguns mergulhos, o chamava para voltar. Ele estava certo que poderia haver mais coisas no QG para serem feitas e ainda queria bebida paga pelo seu companheiro, que tranquilo como sempre, apenas o dizia para ter calma. A idade nessas ocasiões mostrava grande diferença, ao ver Thorkell aproveitando o momento, não sabendo quando o experienciaria novamente, e Vitaminado, na areia com suas coisas, apressado para mais uma missão.



Histórico:

Legenda / Npc's:

Considerações¹:

   Code by Arthur Lancaster

     
    

_________________

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 EE4OUIx


"Assume the position to get back on your knees"



Curso narrador All Blue, turma de Janeiro 2021:
Pippos
Ver perfil do usuário
Imagem : 1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 F9Uhwzf
Créditos : 16
Localização : Dragora
PipposSargento
https://www.allbluerpg.com/t352-pippos-vitaminado#1055 https://www.allbluerpg.com/t1057-4-capitulo-gigantorines-em-altai








1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 Shuuma10


Despedida da praia...
Quero missão!



1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines!
O descanso era bom, mas o essencial, que seria refrescar meus músculos e limpar qualquer impureza de meus sagaz corpo maravilhoso. Me lavei o suficiente, inclusive mergulhei meu rosto para refrescar ainda mais minha pele facial. Aquela água salgada seria uma maravilha para limpar todos os meus ferimentos e qualquer sujeira problemática. Ao fim do banho, não demorei para logo me retirar e voltar à beira da praia, afinal, eu cumpri o que havia planejado fazer por ali. Lógico que se banhar e ficar por ali apreciando a vista do belo céu seria ótimo, mas ainda não seria o melhor momento para eu me ater e querer relaxar, afinal, eu ainda era um mero subalterno da patente mais baixa da marinha, um pífio soldado. Aclamei a atenção do Thork, mas ele parecia apreciar a água de uma forma além do imaginado, onde parecia, inclusive, querer dormir por ali à beira da água, VITATA.

Primeiramente logo relembrei uma zoação do Thork referente a meus conhecimentos sobre mulheres e o ato de ter algo com elas, mas eu agora, fora da água, aproveitaria para responder-lhe em um alto e bom tom: – Então, cara, sobre isso de não ter experiências com mulheres, não é nada demais. Por enquanto elas não são minha prioridade agora, e, como você sabe, aqui em Flevance, eu sequer pude presenciar alguma outra mulher com um tamanho colossal assim como eu... então não posso ficar falando qualquer coisa a respeito.Cessaria o comentário, para suspirar e abrir um sorriso em minha face. Não me ative a guardar para mim as minhas intenções de crescer no meu residual grupo: – Então, como você sabe, o meu maior foco atual é crescer dentro da marinha! Ser reconhecido como a pessoa incrível que sou, VITATA. Se você quiser ficar por aí relaxando e descansando, pode ficar, não tem problemas, a gente se vê quando eu estiver numa patente acima da sua, VITATATATATA!Finalizaria, depois de já ter me vestido e pego minha bela arma. – Falando nisso, a gente realmente ainda não recebeu mesmo. Vou atrás de ver algo sobre isso também, pois ainda quero que você pague até eu ficar bêbado, VITATATA!Despedir-me-ia acenando com minha mão esquerda e logo seguiria de volta para o Quartel General.

[/b]
1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 6be78d9022d5db53ecb72b4a3c230b1e264f32b1_hq


Saindo da orla, não demoraria para alcançar ao QG em meus largos passos, mas sempre numa postura firme como nunca, peito estufado, como quem queria se amostrar para todos os civis a qual eu passasse pela frente. Ah, e caso alguns parassem para ficar analisando minha caminhada impetuosa diante de seus olhos, eu pararia alguns instantes minha caminhada, alisaria meus cabelos da testa até a nuca e logo abriria um sorriso para logo depois fechar meus olhos e começar a fazer poses enquanto contraía meus músculos, tanto do bíceps como de meu bem definido abdome. Para em seguida cumprimentar os tais civis que, provavelmente, se manteriam a me admirar, mas eu finalizaria acenando e logo seguiria rumo ao Quartel mesmo.


1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 372dda6aec9fd171043158525df698e07833ae05_hq


Em minha chegada ao Quartel General da Marinha, eu faria questão de logo checar se já havia algum rosto conhecido pela única área aberta o qual nós, seres colossais, poderíamos nos situar. Mas o primeiro ponto ainda seria voltar ao tal ferreiro, pois ele havia me prometido peças essenciais para posteriores criações minhas. – Opa! E aí, ferreiro que esqueceu de me falar seu nome quando eu perguntei. VITATA! Estou aqui. Você tem algo para mim?Aceitaria com muito bom grade todo o material que me fosse fornecido, onde, na sequência, eu guardaria bem os materiais em questão caso houvesse algum espaço, mas caso contrário, eu faria questão de solicitar um pedido ao tal ferreiro. – Olha, eu estou sem nenhuma grande sacola, mochila ou algo do gênero para guardar, então eu poderia deixar com você por enquanto? Depois eu viria buscar.Cogitaria essa possibilidade, mas se ele não aprovasse a minha ideia e mantivesse alguma raiva por mim, eu ainda assim aceitaria os materiais e os seguraria com minhas mãos.

Caso Smith já estivesse ali pelas redondezas, eu logo procuraria saber melhor se ele teria mais alguma missão para mim ou para nós, incluindo o Thork na jogada. – Sargento Smith, tudo bem, senhor? Por acaso você teria alguma missão para mim, ou para nós, os grandões? Como sabe, o que eu mais quero é mostrar empenho e dedicação para crescer dentro da marinha! No que eu puder ajudar, pode contar comigo, senho!O questionaria. Mas caso ele sequer estivesse numa posição visível para mim, eu faria questão de procurar algum daqueles soldados que eu já conhecia que demonstravam admirar bastes nós, os gigantes colossais. – Opa, e aí, camaradas, tudo tranquilo? Por acaso vocês poderiam me ajudar? Eu preciso muito da ajuda de vocês para conseguir entrar em contato, com o Smith ou alguém de patente superior, por favor.Perguntaria se poderiam me ajudar nisso, afinal, meu grande tamanho sequer permitia a minha entrada dentro desse minúsculo estabelecimento. Tá... tá, não era tão minúsculo, mas, para mim, era, afina, eu era um ser divino. E caso eu não avistasse ninguém conhecido, solicitaria ajuda a qualquer estranho que fosse, o mais importante seria eu encontrar algum superior para solicitar alguma missão.


1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 Screen21



Histórico:

Objetivos:

Personagem:





Vitaminado Pippos


Última edição por Pippos em Sab Jul 31, 2021 11:24 pm, editado 1 vez(es)

_________________

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 Zx5fIGC

Narração
Pensamento
Fala

Blindao
Ver perfil do usuário
Imagem : 1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 OdRR37N
Créditos : 47
Localização : North Blue ~ Flevance
BlindaoSargento
https://www.allbluerpg.com/t296-thorkell-dragnar-godheim https://www.allbluerpg.com/t1057-4-capitulo-gigantorines-em-altai


Dragão Indomável


Aquela mar, aquele céu e aquele calor estavam realmente acolhedores. Quase formavam uma sinfonia divina, ou talvez fosse a falta deles no dia-a-dia que me fizesse perceber a falta desses momentos. “Ai, ai... quando eu criar meu reino, haverá vários dias assim, com esse tipo de tranquilidade. Mal vejo a hora!” Refletia comigo durante o tempo que boiava e estava com os olhos fechados, expressando reflexão.

Mas a paz não perduraria muito tempo, afinal de contas, estava comigo Pippos. O garoto era bastante comunicativo, logo puxando assunto. “Ah, ah... Será que ele tem medo do silencio? Para toda hora puxar assunto. Parece uma criança com medo do escuro que precisa de uma luz acessa?! Thororororo! Não que me aborreça isso.” Uma gargalhada silenciosa estaria estampada em meu rosto.

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 DhdEyfj

~ Hãããn!? Expressaria um rosto surpreso. ~ Desde quando um leão se importa com tamanho de sua presa? Seja um cervo ou um coelho... todos são abatidos pela fome de seu caçador! THORORORORORORORO! Responderia parafraseando junto a uma bela gargalhada no final, pois, havia intuito de podar o argumento do garoto referente ao tamanho das raparigas da ilha.

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 LW4laNW

Após dar um sermão em Vitaminado sobre o momento em que nos encontrávamos, o soldados viria explicar sobre sua ambição em subir na hierarquia dentro da marinha. “Hoo! Ser jovem e ambicioso tem suas vantagens no final.” Não que eu fosse muito diferente, já que, também ansiava por Status e uma patente digna dentro da marinha. A maior diferença entre nós era que, optava por não ficar explanando para todos. ~ Admiro sua devoção, garoto-salsicha. Talvez haja certa razão em suas palavras. Comentaria ao sair daquele relaxamento; até porque Pippos já havia estragado mesmo, pois, havia incendiado meu espirito que estava adormecido até agora. Não que fosse algo ruim, aproveitar esse descanso era bom, mas abusar seria vicioso sem dúvidas. “Tsch. Esse bastardo realmente me motivou, mas que pamonha mesmo!” Apesar do pensamento ofensivo, o rosto expressava afeição e respeito pelo jovem ferreiro.

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 0ZQBXTG

~ Ei seu palerma, espere por mim! Proferia observando o soldado sair do mar, logo seguida, sairia atrás dele. Durante o tempo que emergiria de dentro do mar, gerando ondas devido ao enorme corpo atravessando pela água, passaria as mãos pelo corpo para retirar a sujeira e excesso da água salgada do mar. Estalaria o pescoço, punhos, até retornar ao local que haveria deixando meus pertences.

Após vestir as calças, empunhar escudo na mão esquerda e a lança na direita, acompanharia Pippos de volta para o quartel. “Apesar de ter sido rápido, a água do mar realmente relaxou meu corpo.” Pensava comigo enquanto sentiria o corpo mais descansado e recuperado dos ferimentos da dura batalha contra Ordin.

Logo que havíamos chegado no quartel general da marinha, Vitaminado viria a falar com ferreiro sobre alguns itens e enquanto isso, viria a procurar pelo Sargento. Caso não avistasse ele, acabaria perguntando para algum colega de serviço. ~ Saudações camarada, sabe me dizer onde está o Sargento Smith? Falaria amigavelmente com objetivo de receber uma resposta adequada. Caso fosse me indicado algum local dentro da base do Q.G. caminharia até lá e chamaria pelo marine. ~ Sargento! Soldado Thorkell se apresentando. Tentaria ser formal, mesmo não sendo meu ponto forte. “Essas formalidades são um pé no saco.” Pensava comigo enquanto esperava o homem se aproximar.

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 AKuPpps

~ Já estou recuperado como poder ver! Fecharia o punho com convicção junto a um sorriso destemido unido a uma força de vontade inabalável em minha devoção. Seguida, bateria em meu peito para mostrar vigor e tenacidade; apesar de realmente não estar sentindo nenhuma dor, o que não era novidade para mim. ~ Estou aqui para receber a próxima missão e... cravaria a lança no solo e inclinaria meu tronco para aproximar meu rosto do marine. ~... não se acanhe, pode dar uma missão Hardcore para mim, já está na hora de perceberem o potencial desses músculos! E assim ser promovido, não concordar comigo? Thorororororo! O soldado Vitaminado também é um gigante e tem grande potencial, acho justo incluir ele também. Seria amigável com o sargento como de costume, proferia de forma extrovertida mesmo sabendo que provavelmente não seria reciproco.

Smith era um marinheiro justo e determinado, um pouco ríspido e bastante focado em diretrizes. Porém, havia ganhado seu respeito com as últimas missões, o que talvez pudesse ser uma boa oportunidade para fazer-lhe notar que este velho gigante não se satisfaria permanecendo como um mero soldado. “Soldados são importantes dentro da organização, mas isso é apenas um degrau para mim! Para realmente alcançar o que almejo, preciso subir essa escada até o topo. Até lá, serei ambicioso e ganancioso para exclusivamente construir meu amado reino!”

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 OgPtb4Q

Caso avistasse Pippos, faria um sinal com a mão para chamar a atenção do ruivo. ~ Ow! Tô batendo um papo com o sargento sobre nossas próxima missão, chega mais Pimentão! Falaria para o garoto com a finalidade de expressar que eu não estava vadiando por aí, mas sim que havia apenas descansado por um momento. ~ Então Pippos, estava pedindo pro Sargento uma missão para que enfim percebessem nosso potencial e assim obter uma promoção. Permanecer como soldado é um porre. Caso avistasse algum outro soldado, complementaria. ~ Sem ofensas amigo.

Havia indagado de forma resumida para o soldado Vitaminado com intuito de mostrar que não estava pensando só em mim, mas no potencial do ruivo-gigante também. “Apesar de que falar isso fará ele se gabar por muito tempo, que merda.” Pensaria por um breve instante, até retornar minha atenção ao marine superior enquanto expressaria um rosto mais sério do que costume.






  • Posts: 23
  • Ganhos: Perícia Escudista;
    Escudo;
    Lança ET;
  • Perdas: 500 mil berries;
  • Players/NPCs:
    Pippos Vitaminado;
    Bartomolew;
    Detective;
  • Ferimentos:
    - Cortes profundos no tórax [6/12 - tratado]
    - Nariz quebrado [6/14 - tratado]
    - Corte na cabeça devido à pressão e força [6/12 - tratado]
    - 2 Costelas quebradas [6/14 - tratado]

  • Localização: Flevance ~ North Blue
  • Objetivos:
    ~ Obter uma Naginata/Lança;
    ~ Conhecer Gaiden, Denki & Drake.
    ~ Concluir 3 missões;
    ~ Subir de Patente;
    ~ Treinar Ambidestria;
    ~ Ganhar boa Fama;



PdV: 7400
STA: 100

Força: 240   [+120 Raça] [+60Edc] [+20 Arma]= 440 ~ Hábil ~
Destreza: 0 ~ Incompetente ~
Acerto: 20  [+120 Raça] [+60Edc]= 200 ~ Regular ~
Reflexo: 10 ~ Regular ~
Constituição: 130 [+120 Raça]= 250 ~ Regular ~

Agilidade: 105
Oportunidade de Ataque: 3
Redução de Dano: 5%

Qualidades:

Defeitos:

BrigaCotoveladas, cabeçadas, garrafadas, mordidas e dedo no olho. Você faz os movimentos necessários para sobreviver e derrotar o inimigo, sem se importar com estilos ou movimentos rebuscados.

SobrevivênciaVocê é capaz de encontrar água, comida e abrigo em ambientes hostis, se existentes.

AnatomiaVocê conhece o funcionamento e estrutura do corpo dos humanóides, sabendo identificar órgãos, artérias, veias, músculos e todo o resto.

NadoVocê domina diversos estilos de natação e é capaz de controlar sua respiração com maestria para não perder o fôlego.

PersuasãoVocê é capaz de convencer os outros através de argumentos lógicos e racionais, ao contrário de lábia, os efeitos de persuasão são duradouros.

Profissão:
Sentinela Os sentinelas são guerreiros espirituosos que dominam o conceito de vigia, seja dentro do navio durante as viagens e fora deles, excelentes seguranças em terra firme, eles são de suma importância para missões de proteção, patrulha, escolta, rastreio e guarnição, seja de itens, pessoas e etc. São guerrilheiros por natureza, excepcionais quando se trata em defender sua tripulação incluindo eles, quando deparados com hostilidade e/ou situações desfavoráveis. Carregados com um alto vigor físico, são aptos, versáteis e incansáveis em cumprir sua função sobre diversos territórios inimigos, com objetivo em defender o navio, o navegador ou tripulação de eventuais ameaças durante combates marítimos/terrestres.

Bônus: O jogador quando estiver em serviço protegendo algum aliado, navio, carga ou item e for infligido por algum status negativo, durante esse tempo ele consegue ignorar os efeitos narrativos(não será neutralizado, os efeitos viram pós-término de sua função). Esses efeitos variam entre envenenamento, lentidão, sangramento e etc. Situações desfavoráveis que exigem ficar sem dormir, comer ou descansar, o jogador consegue permanecer o dobro do tempo.



Arma: NaginataDescrição: Medindo 7 metros total, divididos entre: 5 metros de haste unificados a 2 metros de lâmina.  Imagem da Lança.
Tipo da Arma: Lança
Qualidade: ...
Durabilidade: ...
Dano: ...
Estado: ...

DinheiroBerries: 5.250.000 ฿S

_________________

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 2uAvx3T_d
Koji
Ver perfil do usuário
Imagem : 1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 88XyQrB
Créditos : 12
Localização : Sirarossa
KojiAvaliador
https://www.allbluerpg.com/t764-harvey-abgnalle#6176 https://www.allbluerpg.com/t1500-perpetuos-i-malfeito-feito#17594


Alvorada dos Monstrorines - 23
14:25 ~ 14:59 / Flevance


 
Os dois gigantes, ainda em período de recuperação, saíam do QG momentaneamente para aproveitarem o calor e tomarem um belo banho. A água do mar, salgada, limpava seus corpos sujos e suados, ajudando na cicatrização de seus inúmeros ferimentos. Eles aproveitavam o tempo, principalmente o mais ancião, Thorkell, que ainda discursava sobre a grandeza desses pequenos momentos da vida enquanto Pippos o contrariava. Mesmo assim, não demorava muito para que os dois, animados para uma nova missão, começassem a jornada breve voltando ao quartel-general.

A caminhada era curta, mas os dois gigantes não se acanhavam e conversavam um pouco. Pippos defendia e explicava sua falta de interesse em romance, discursando sobre sua vontade ardente de subir na maior organização do mundo. Com suas palavras, Thorkell também se animava, em um instante esquecendo o relaxamento que tivera pouco tempo atrás, não abusando da boa vida. Imponentemente, eles andavam em largos passos até o campo de treinamento, sendo observados por amantes de músculos e transeuntes animados com a presença de uma raça quase mítica.

Chegando no local de destino, os dois soldados não partiam caminhos, mas focavam em tarefas diferentes. Enquanto o ferreiro ia falar com seu anterior rival na forja, Thorkell estava a procura de Smith, pois estava animado para mais missões e tarefas. Enquanto isso, Vitaminado pedia para o outro forjador um favor, pois não havia espaço para guardar os materiais de produção.

Oh! Perdoe-me pelo descuido. Me chamo Axell, prazer. — afirmava, arqueando um pouco sua coluna como uma apresentação nobre, antes de retornar para sua fala. — Não há problema algum em deixar por aqui, mas traga uma bolsa logo, viu?! — dizia um pouco mais amargamente ao lembrar de sua derrota, mas não se deixando levar pela emoção que por pouco não entrava em erupção. Nesse exato momento, satisfazendo as necessidades da dupla de gigantes, quem entrava na conversa era o Sargento.

— Boa tarde, senhores. — cumprimentava com uma postura ereta e imponente como sempre. Seus olhos ainda possuíam aquelas olheiras, mostrando o cansaço adquirido pelo oficial. Thorkell, antes de falar qualquer coisa, o abordava com uma saudação formal, e partia para seus desejos, assim como seu colega Pippos. O homem ouvia atentamente aos dois, lentamente abrindo um largo sorriso em seu rosto ao final de cada uma das "apresentações" que eles mostravam. Seus corações em chamas falavam alto, e eram ouvidos pelo superior.

— A animação de vocês me agrada! — exclamava, gesticulando suas mãos calejadas, essas que carregavam misteriosas sacolas. — Antes de mais nada, queria começar essa conversa entregando o que é de vocês por direito. — falava, com um ar um pouco misterioso antes de colocar os ditos sacos no chão e abrir os dois. De dentro, ele retirava um grande uniforme da marinha que mesmo dobrado, possuía um tamanho acima do normal. Ele era como o de qualquer um dos outros soldados ali, e carregava o nome da organização e dos soldados no peito. Após entregar as vestimentas, retirava de lá um dois bolos de dinheiro, uma quantia de 3 milhões de berries referente às missões concluídas pelos dois.

— Vocês merecem, gastem com sabedoria. — ele dizia apenas por falar enquanto entregava a quantia para os soldados.  Antes que pudessem dizer alguma coisa, continuava para o próximo tópico. — Essa última missão me rendeu uma promoção. Em breve me tornarei Tenente. — sua expressão era mais séria, mas a voz que saía de sua boca era calma como um rio perene. Ele dava uma pausa breve para garantir total atenção e continuava. — Como resultado disso, partirei em um navio que rumará até Lyneel. — agora olhava para baixo e segurava ambas as mãos atrás de suas largas costas, antes de novamente fazer contato visual com os dois gigantes. — A próxima missão de vocês é escoltar alguns suprimentos para o navio que está ancorado nas docas; e... — novamente pausava, antes de continuar sua fala. — Gostaria que os dois fossem comigo à bordo da embarcação. — finalizava com a proposta que reconhecia a força e potencial dos dois ali presentes, enquanto abria ambos os braços e formava uma expressão carismática, esperando por uma resposta.



Histórico:

Legenda / Npc's:

Considerações:

   Code by Arthur Lancaster

     
    

_________________

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 EE4OUIx


"Assume the position to get back on your knees"



Curso narrador All Blue, turma de Janeiro 2021:
Pippos
Ver perfil do usuário
Imagem : 1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 F9Uhwzf
Créditos : 16
Localização : Dragora
PipposSargento
https://www.allbluerpg.com/t352-pippos-vitaminado#1055 https://www.allbluerpg.com/t1057-4-capitulo-gigantorines-em-altai








1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 Shuuma10


Ajuda?! Sim, to precisando...
Senão, não vão pagar o que me devem VITATATA!



1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines!
Chegando na familiar área de treinamento, já que era o único lugar que nós, os seres colossais, podíamos ficar. Sim, havíamos entrado juntos, como excelentes companheiros que eu sei que somos, mas, agora, precisaríamos nos separar para resolver algumas coisas. O Thork eu não sei, e pouco me importava o que ele tinha a fazer, mas eu, tinha de voltar ao Ferreiro para pegar o que me era de direito. Finalmente ele me disse seu nome. Axell. Se ele não me falasse, eu teria de continuar me apresentando até ele se dar conta VITATATA. – Mas saiba que se você tiver por aí alguma bolsa grande ou qualquer coisa para que eu possa armazenar o material, eu pegaria logo e você ficaria livre de mim, VITATATA!Concluiria.

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 Tumblr_mn4rxl7cyg1rltkgio1_500

Caso ele me fornecesse a supracitada bolsa ou qualquer caixote para guardar o material, eu ficaria muito grato e logo sairia de perto para seguir até o Smith, pois, apesar de tudo, conseguir uma missão era a minha meta de agora. Mas, considerando os fatos e analisando o que ele havia me falado, era bem provável que não tivesse, então ele guardaria até eu encontrar alguma bolsa para guardar o material, e, mas, independentemente dos fatos, eu almejava logo chegar até o Sargento. Ele começou a falar conosco numa forma tranquila e bem amigável, mas não demorou para logo nos entregar o tão almejado salário. – Opa! O Thork já estava querendo saber quando ia receber para poder gastar tudo em bebida para mim. VITATATATA!Brinquei. Mas continuei a ouvir bem suas palavras: – Você conseguiu uma promoção?! Meus parabéns! Quero logo saber o que falta para conseguir a minha, VITATATA!Deixei bem clara a minha meta, mas sempre continuaria a ouvir bem cada uma das palavras do Smith, e ele parecia ter algo a mais para nos oferecer. Uma missão saindo da nossa Flevance.

À medida que conversávamos, o nosso superior logo fez questão de nos entregar grandes e bem feitos uniformes da marinha. Puts, ele deve ter tido um trabalhão pra trazer para nós, mas estaríamos muito agradecidos. – Então quer dizer que nosso rumo agora será Lvneel, não é? VITATATA!Lógico que eu sabia da resposta, mas seria uma pergunta retórica justamente para intensificar a nossa saída daquele lugar. Foi uma bela cidade. Me acolheu bem por muitos anos, mas eu preciso crescer e iluminar mais o mundo com toda a minha luz.Pensava, enquanto gesticulava apontando para o radiante sol, para tentar impor a minha vontade, que era a de ser como esse belo astro acima de nós. Quando menos esperei, talvez eu já pudesse ver o Thork com a blusa vestida. – Ué?! Já vestiu? VITATATATA! Também vou fazer isso.Abri um estonteante sorriso em meu rosto, quando logo tirei a faixa branca que cobria parcialmente meu peitoral e guardei em meus acessórios, deixando à mostra meus formidáveis e bem tonificados músculos. Óbvio que muitos ficariam a me apreciar. Faria algumas poses para mostrar bem toda a minha definição, e depois logo vestiria a estonteante regata. Mais do que justo ao menos deixar meus bem trabalhados braços para fora.

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 7Q9h

Óbvio que eu parecia já estar sendo reconhecido. Não é querendo falar mal do meu companheiro, mas eu, claramente, sou superior. Um ser divino e futura criatura mais forte desses mares! Já era hora para me reconhecer... VITATATATA!Analisei rapidamente, e não demorei para logo responder: – Claro! E quando iremos sair? Agora?! VITATATA!Me animava já pronto para seguir além por esses mares. Já fazia muitos anos desde que eu não saía dessa ilha. Pra falar a verdade, eu nunca saí, desde que fugi da minha Terra Natal para uma ilha nova e parei aqui. Mas não demorei para logo me lembrar de um detalhe: – Puts, Sargento Smith, lembrei de uma coisa, senhor.Suspirei. – Para que fique tranquilo em sair daqui, gostaria de pedir uma ajuda a você, parceiro.Deixava claro que falava com o Smith. – Eu ganhei alguns bons materiais para forja do Ferreiro Axell, e preciso de alguma grande bolsa para guardar todo esse material. Você conseguiria isso para mim? Muito obrigado!Pediria, tendo em vista toda a minha dificuldade para entrar dentro do QG. Afinal, estávamos atrás de reciprocidade, pois, ajudando-o, também precisávamos ser ajudados.

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 Screen22

Caso eu conseguisse a tão almejada, mochila ou bolsa, não demoraria para seguir na direção do Axell, afinal, ele já parecia estar interessado em não me dar os materiais, então eu precisava correr para ele não me passar a perna. – Opa, e aí, maninho? Tudo tranquilo? Eu já voltei. Aqui está a bolsa para armazenar os materiais.Mostrar-lhe-ia o que havia conseguido para guardar todo o metal e chumbo que fosse merecido. Depois de guardar tudo dentro da bolsa em questão, não demoraria para falar algo, apesar de todo o jeito meio ranzinza dele. – Muito obrigado, Axell! Eu posso conseguir trabalhar bem e fazer por merecer armas impecáveis, mas, ainda quero ter sua capacidade...Suspirei. – Capacidade de conseguir companheiros de forma fácil, de ter chamar a atenção e ter afeto de todos. Espero algum dia ser como você. VITATATATA! A gente se vê por aí. Até a próxima.Terminaria, e logo me posicionaria com a tal bolsa com o peso de todos os materiais para posteriores criações.

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 3deadf08430d3df845f7d09f0b2fdb6e


Histórico:

Objetivos:

Personagem:





Vitaminado Pippos



Última edição por Pippos em Qui Ago 05, 2021 5:14 pm, editado 3 vez(es)

_________________

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 Zx5fIGC

Narração
Pensamento
Fala

Blindao
Ver perfil do usuário
Imagem : 1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 OdRR37N
Créditos : 47
Localização : North Blue ~ Flevance
BlindaoSargento
https://www.allbluerpg.com/t296-thorkell-dragnar-godheim https://www.allbluerpg.com/t1057-4-capitulo-gigantorines-em-altai


Dragão Indomável


Não demorava muito até avistar o Sargento Smith e pelo visto ele já estava procurando por nós, já que, estava para disponibilizar os uniformes gigantes adaptados junto ao pagamento de nossas missões concluídas anteriormente. ~ Good! Dinheiro sempre é bem-vindo, se honrado for. Thororororo! Indagaria brevemente logo ao apanhar os berrys e coloca-los dentro do bolso.

Durante o tempo que Smith viria responder nossas perguntas, já que percebia Vitaminado se aproximar, vestiria a camiseta sem mangas da marinha e colocaria o boné. Eram as vestimentas clássicas de um marinheiro. O sargento comentava sobre termos concluído com êxito as últimas missões ao ponto de ganhar grande destaque, permitindo ele ter sua promoção dentro do quartel. “Hoo. Ter posto um fim nas raízes podres dos Flamesworth não só finalizou a tirania deles com povo da cidade, mas também deu privilegio ao Sargento. Isso que eu chamo de: Matar dois coelhos numa cajadada.”

~ Parabéns Sargento! Ou devo dizer... Tenente?! Thororororo! Proferia com um gesto de dedo positivo para o marine. ~ Sei que tivemos relevância nas missões, mas sua participação fora tão importante quanto a nossa. Nada mais justo que sua ascensão, Thororororo! Seria amigável e simpático com o homem, afinal, ele em grande parte havia sido um aliado valoroso dentro do quartel.

Da mesma forma que via Smith um bom aliado no quartel, ele também nos via na mesma moeda. Afinal de contas, ofertava para mim e Pippos seguirmos com ele até Lvneel. Claro que ele se beneficiaria tendo a nós na missão de escolta, sabendo de nosso potencial. Entretanto, ainda sim, seu gesto em convidar formalmente seria algo que me agradava.

Era uma boa oportunidade, já que, sinceramente estava muito tempo parado em Flevance. É como o velho ditado: “terra próspera amansa a fera; terra hostil fortalece suas presas.” Continuar nessa ilha não me levaria a lugar algum, isso estava claro já algum tempo. “Huum, parece uma proposta bastante atrativa. Se almejo subir dentro da marinha e fazer meu nome pelos mares, o mais lógico é... continuar seguindo em frente!” Refletia para mim mesmo por um breve minuto.

Logo os pensamentos eruditos dissipariam, devido o comentário do soldado Vitaminado. ~ Hãn? Mas que moleque folgado. Coçaria a barba e em seguida embainhava a lança sobre as costas. ~ Mas promessa é dívida! Eu irei cumprir, agora sossega esses míseros glúteos aí! Soltaria um suspiro após responder e confirmar para o marine que iria cumprir com a noitada de farra. Coçava agora a cabeça um tanto apreensivo com a promessa feita outrora, mas um homem de verdade jamais quebra sua palavra.

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 WMAmZ4W

Pippos parecia empolgado com a viagem em alto mar, não que eu fosse diferente. Admito que esses monstruosos e fenomenais músculos rugiam em fervor pela viagem até a última ilha de North Blue. “Acho que nunca estive nessa ilha.” Refletia por alguns instantes tentando puxar na mente se lá já havia estado, mas só um branco viria por hora. ~ É, acho que nunca fui para esse reino. Comentaria para mim mesmo, apesar de já ter ouvido falar de Lvneel e que era um reino, realmente nunca havia viajado para lá. “Ora, ora... talvez seja uma boa oportunidade para avistar como o reino de lá prospera. Será uma boa expêriencia, afinal de contas... se almejo criar meu reino, nada melhor do que ver outros para assim criar o melhor de todos. Thororororo!” Os pensamentos haviam incendiado minha vontade.

Durante o nosso dialogo, Pippos teria falado sobre alguns materiais obtidos com o ferreiro do quartel e que teria que pega-los antes de sairmos. ~ O navio deve estar ancorado no porto. Você não vai demorar muito para pegar essas tranqueiras, enquanto isso, se o sargento já quiser indo para o navio, nós te esperamos lá. Olharia para o marine. ~ Assim nós já vamos carregando o navio, pode ser sargento Smith? Confirmaria com o marinheiro quanto a missão em questão. Provavelmente haveriam coisas para carregar já que a missão era de escolta.

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 OvCpnf1

Caso fosse positivo a resposta do homem, bateria no ombro de Vitaminado como de costume. ~ Eu vou indo lá com ele então, vê se não se atrasa legume. Senão eu vou te deixar pra trás em, Thorororororo! Apesar de provocar como sempre o garoto, o sorriso estava carismático e o tom de voz amistoso.

Seguiria junto de Smith, caso assim fosse dito seguir ele ou caso fosse ordenado para ir na frente, seguiria até o porto onde estaria o navio atracado. Se não me falhava memória, o porto ficava próximo da orla que havíamos estado anteriormente.

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 PHqdxAU

Estava empolgado, ansioso e determinado. Apesar de conter um pouco dessas emoções, tentaria descarregar elas caso houvesse trabalho braçal. Não me importava de fazer trabalhos manuais, desde que não viessem mandar em mim como se fosse um lacaio qualquer. Naturalmente, eu me disponibilizaria para ajudar. ~ E aí camarada... deixa que eu te ajudo! Thorororo! Caso percebesse algum marine com dificuldades de carregar alguma coisa para dentro do navio, terminaria ajudando de boa vontade. Seja caixas, sacos e etc. inclinaria o tronco para aproximar do sujeito e apanharia com a mão o objeto que ele estaria tentando carregar até direcionar para cima do ombro. Em seguida, subiria para o interior do navio.

Já havia estado em várias navios devido as viagens que percorri, apesar de não ser perito em nenhuma função como navegador, capitão ou carpinteiro, as mais padrões dentro de uma embarcação, não significava que seria inútil lá. Muito pelo contrário! Uma vez que a missão era de escolta de suprimentos e afins, ter um vigia perito como eu era fundamental e extremamente vantajoso. Mas por hora, permaneceria ajudando a carregar o navio caso ainda fosse necessário até a chegada de Pippos e o final dos preparativos para enfim, começarmos a viagem.






  • Posts: 24
  • Ganhos: Perícia Escudista;
    Escudo;
    Lança ET;
    Uniforme: boné;
    Uniforme: Camisa;
    Duas missões concluídas: 3 milhões de bellys;

  • Perdas: 500 mil berries;
  • Players/NPCs:
    Pippos Vitaminado;
    Bartomolew;
    Detective;
  • Ferimentos:
    - Cortes profundos no tórax [7/12 - tratado]
    - Nariz quebrado [7/14 - tratado]
    - Corte na cabeça devido à pressão e força [7/12 - tratado]
    - 2 Costelas quebradas [7/14 - tratado]

  • Localização: Flevance ~ North Blue
  • Objetivos:
    ~ Obter uma Naginata/Lança;
    ~ Conhecer Gaiden, Denki & Drake.
    ~ Concluir 3 missões;
    ~ Subir de Patente;
    ~ Treinar Ambidestria;
    ~ Ganhar boa Fama;



PdV: 7400
STA: 100

Força: 240   [+120 Raça] [+60Edc] [+20 Arma]= 440 ~ Hábil ~
Destreza: 0 ~ Incompetente ~
Acerto: 20  [+120 Raça] [+60Edc]= 200 ~ Regular ~
Reflexo: 10 ~ Regular ~
Constituição: 130 [+120 Raça]= 250 ~ Regular ~

Agilidade: 105
Oportunidade de Ataque: 3
Redução de Dano: 5%

Qualidades:

Defeitos:

BrigaCotoveladas, cabeçadas, garrafadas, mordidas e dedo no olho. Você faz os movimentos necessários para sobreviver e derrotar o inimigo, sem se importar com estilos ou movimentos rebuscados.

SobrevivênciaVocê é capaz de encontrar água, comida e abrigo em ambientes hostis, se existentes.

AnatomiaVocê conhece o funcionamento e estrutura do corpo dos humanóides, sabendo identificar órgãos, artérias, veias, músculos e todo o resto.

NadoVocê domina diversos estilos de natação e é capaz de controlar sua respiração com maestria para não perder o fôlego.

PersuasãoVocê é capaz de convencer os outros através de argumentos lógicos e racionais, ao contrário de lábia, os efeitos de persuasão são duradouros.

Profissão:
Sentinela Os sentinelas são guerreiros espirituosos que dominam o conceito de vigia, seja dentro do navio durante as viagens e fora deles, excelentes seguranças em terra firme, eles são de suma importância para missões de proteção, patrulha, escolta, rastreio e guarnição, seja de itens, pessoas e etc. São guerrilheiros por natureza, excepcionais quando se trata em defender sua tripulação incluindo eles, quando deparados com hostilidade e/ou situações desfavoráveis. Carregados com um alto vigor físico, são aptos, versáteis e incansáveis em cumprir sua função sobre diversos territórios inimigos, com objetivo em defender o navio, o navegador ou tripulação de eventuais ameaças durante combates marítimos/terrestres.

Bônus: O jogador quando estiver em serviço protegendo algum aliado, navio, carga ou item e for infligido por algum status negativo, durante esse tempo ele consegue ignorar os efeitos narrativos(não será neutralizado, os efeitos viram pós-término de sua função). Esses efeitos variam entre envenenamento, lentidão, sangramento e etc. Situações desfavoráveis que exigem ficar sem dormir, comer ou descansar, o jogador consegue permanecer o dobro do tempo.



Arma: NaginataDescrição: Medindo 7 metros total, divididos entre: 5 metros de haste unificados a 2 metros de lâmina.  Imagem da Lança.
Tipo da Arma: Lança
Qualidade: ...
Durabilidade: ...
Dano: ...
Estado: ...

DinheiroBerries: 5.250.000 ฿S

_________________

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 2uAvx3T_d
Koji
Ver perfil do usuário
Imagem : 1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 88XyQrB
Créditos : 12
Localização : Sirarossa
KojiAvaliador
https://www.allbluerpg.com/t764-harvey-abgnalle#6176 https://www.allbluerpg.com/t1500-perpetuos-i-malfeito-feito#17594


Alvorada dos Monstrorines - 24
14:59 ~ 15:13 / Flevance


 
Pippos e Thorkell finalmente voltavam de seus banhos e conversa vespertina. Eles rumavam para o QG conversar com Smith e pegar os materiais, mas não pensavam em ser agraciados com os créditos da missão que lhes renderam diversos machucados. Uma quantia em dinheiro foi entregue, inclusive os tão aguardados uniformes da marinha que foram feitos em especial para eles. Junto de tudo isso, um anúncio seguido por uma proposta, e uma última missão para então deixar Flevance para sempre. Tudo o que Smith falava, era aceito positivamente pelos gigantes que passavam a colocar a mão na massa.

Thorkell considerava a proposta de Smith e a aceitava sem rodeios. Para seguir seu sonho, deveria deixar a ilha branca e partir para os mares os quais viveu quase a vida toda. Estar estacionado em um lugar apenas jamais lhe traria nada, e sabendo disso, não hesitava em considerar aquela proposta. Pippos possuía o mesmo processo de pensamento, querendo crescer na marinha e se tornar superior da maior organização do mundo.

Tendo isso em mente, ambos então passavam a trabalhar pela tão esperada promoção. A última missão estava vindo, e Thorkell saía primeiro para escoltar as coisas para o navio nas docas. Ele falava com Smith, tendo em mente acompanhá-lo até o lugar e esperar Pippos, que precisava de seus materiais, no almejado cruzeiro.

— Pode ir na frente, Thorkell, preciso organizar umas coisas rápidas por aqui ainda. — ele falava serenamente ainda com as mãos atrás das costas. Ouvindo as palavras de Smith, Dragnar ia para completar a missão que faltava para a tão esperada promoção. O superior, no entanto, ficava por lá mais um tempo ouvindo o pedido de Pippos, que necessitava um recipiente para guardar as coisas. — Claro que pego, eu tenho que finalizar umas coisas por aqui de qualquer forma. — dizia, virando as costas e caminhando rapidamente até o quartel-general.

Não demorava muito até que ele voltasse com uma roupa mais requintada, preparado para ir a bordo do navio. Em sua mão esquerda uma mala com conteúdo desconhecido, e na outra um saco de batatas vazio, com um tamanho considerável. Ele entregava para Pippos e se despedia com um aceno, seguindo para o caminho que Thorkell tomava. O gigante ia para a forja em seguida, onde encontrava Axell e conversava um pouco com o homem. Enquanto as palavras de louvor saíam da boca de Vitaminado, o ferreiro ficava cada vez mais animado, até vir a pausa e a quebra de espectativa, que igualmente aniquilava sua expressão de agrado. Ele logo se recompunha e respondia ao seu rival.

Uhum... — pigarreava, resetando a face expressa em seu rosto. — Com o tempo você chega lá, grandão. Agora pegue os materiais. — ele falava, sinalizando para alguns de seus homens trazerem os metais variados e colocarem naquele saco de batatas. — Foi um prazer conhecê-lo. — dizia com sinceridade, estendendo a mão não sabendo que essa seria a última reunião dos dois.

[...]

Thorkell, enquanto seu colega pegava os materiais, partia para a escolta. Como formigas carregando alimentos para o inverno, os soldados da marinha carregavam caixas e mais caixas de comidas, mantimentos, remédios e roupas. Todos rumavam para uma mesma direção: o porto onde estava ancorado o navio. Saindo da área onde sempre estavam e andando um pouco, já se podia ver o enorme desbravador dos mares no horizonte, o mesmo que haviam visto há uma hora na praia.

O gigante, durante a caminhada, não se limitava a escoltar toda a carga, mas passava a ajudar um franzino soldado que carregava um peso maior do que podia suportar. — O-obrigado, senhor Thorkell! — gaguejava um pouco antes de mostrar sua gratidão. A caixa não era de nenhum peso para o gigante, mas ao pegar, podia sentir que era estranhamente mais massiva. Ao erguê-la, pode ouvir o barulho de garrafas de álcool no interior, junto com o líquido balançando no recipiente.

Não demorava muito daquele ponto até chegarem ao local, com Smith chegando imediatamente atrás. De perto, aquela embarcação era ainda maior do que na visão distante. Thorkell e Pippos poderiam usufruir de tudo naquele interior, cabendo tranquilamente na ponte de acesso e porta que levava ao interior do cruzador. Diversos soldados e cabos estavam no lugar, cada um ocupado com uma coisa ou outra. A variedade de pessoas também era impressionante, tendo diversas raças e etinias de ambos os sexos pelo lugar. Ali, Thorkell ficava ajudando a arrumar tudo na companhia de Smith, que também colocava a mão na massa, todos esperando para Pippos e por uma partida programada para algumas horas depois.



Histórico:

Legenda / Npc's:

Considerações:

   Code by Arthur Lancaster

     
    

_________________

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 EE4OUIx


"Assume the position to get back on your knees"



Curso narrador All Blue, turma de Janeiro 2021:
Blindao
Ver perfil do usuário
Imagem : 1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 OdRR37N
Créditos : 47
Localização : North Blue ~ Flevance
BlindaoSargento
https://www.allbluerpg.com/t296-thorkell-dragnar-godheim https://www.allbluerpg.com/t1057-4-capitulo-gigantorines-em-altai


Dragão Indomável


Apesar de ser um especialista quando se trata de segurança, por hora, parecia que meu oficio não era tão requisitado. Todavia, não era como se viesse a perder o foco da missão. Porém, permanecer sem fazer nada seria bastante improdutivo. “Talvez praticar um pouco mais com o escudo seria vantajoso.” Matutava por alguns momentos enquanto viria a buscar um local dentro do navio que permitisse manejar o escudo e a lança sem atingir nenhuma soldado.

~ Treinamento Ambidestria ~

Além de refinar a pericia que havia aprendido, aproveitaria também, para treinar a destreza de minha mão fraca; esquerda. ~ Seria bom se Greedy tivesse a mesma eficiência que Saitama. Olharia para a mão esquerda ao qual estaria com o escudo atrelado. Havia notado a falta de aptidão após o último combate. Os nomes que denominava alguns músculos era por razão, como forma de honrar, os combates mais árduos que passei. Poucos entenderiam essa peculiaridade extravagante da minha parte, mas não que me importasse de qualquer forma.

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 CKU5IrQ

Sacava a lança das costas e seguraria com a mão esquerda, sentindo confortável como sempre. No entanto, desta vez seria um tanto mais complexo devido fato de estar com escudo acoplado ao antebraço, havendo maior peso e certo esforço para o manejo da lança. Começaria a movimentar a longa arma circularmente entre os dedos, priorizando a lentidão nos movimentos para maior esforço e por fim, domínio. Movimentar em “alta agilidade” era muito diferente de movimentar em “baixa agilidade.”

Caso Pippos estivesse próximo, ou viesse a falar comigo, responderia durante o tempo que moveria o corpo em posição de combate e desferir uma lançada em pleno ar. ~ Ei tomate... por acaso já esteve no reino de Lvneel? Perguntaria para o Vitaminado puxando assunto ao mesmo tempo que continuava a balançar minha lança.

Se ele tivesse questionado o que estaria fazendo, responderia sem delongas. ~ Estes grandes e excepcionais músculos podem parecer um talento do berço, mas não se engane Pippos! Eles precisam ser lapidados constantemente. Proferia enquanto giraria o corpo e moveria a mão pela haste da lança para desferir ataques curtos e longos, revezando conforme a mão estivesse no meio ou no final da haste. ~ Afinal de contas... uma montanha deve ter sua terra banhada pela água da chuva, Thororororo! Estava parafraseando um antigo proverbio. “Apesar de que duvido que esse barriga verde entenda.”

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 Tumblr_pudhdo6EuK1rztjsno1_400

Posicionaria o corpo para frente, para os lados e recuava a posição original, sempre movimentando a lança em harmonia com a mobilidade das ações corpóreas. Uma vez que outra, arremessaria a lança para o alto e a apanharia novamente com a mão esquerda, esculpindo a destreza na canhota. Nesse momento então, notaria a falta de domínio para certas ações com ela. Entretanto, efetuaria mais ações desse tipo para refinar e memorizar no corpo a experiência destes movimentos.

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 2V8VPF8

Após treinar um pouco com a lança, jogaria ela em direção a Vitaminado, caso ele estivesse lá. ~ Pensa rápido, magricela! Expressaria um rosto risonho. Caso ele não estivesse próximo, apenas largaria ela no chão e priorizaria o manejo do escudo.

Agora com peso a menos da lança, movimentaria o escudo de forma a gerar ações defensivas, tais quais seriam voltadas para frente o escudo a frente do corpo. Utilizaria ele horizontal e verticalmente, usando a mão direta como apoio para representar um ataque poderoso por parte do adversário: esse qual era inexistente, sendo apenas minha imaginação.

~ Fim do Treino ~

Passado algum tempo treinando, uma vez que outra, pausaria para avistar os arredores do navio, aproveitando da minha altura para avistar amplamente algum navio inimigo próximo. Afinal, minha função era antecipar e avisar a possibilidade de um ataque a embarcação. Caso nada acontecesse, faria uma pausa ao sentar no chão e descansar um pouco. ~ Ah, ah... tô com fome! Comentaria devido fato de o corpo exigir nutrientes para recuperar energia perdida até então.

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 NgTc0Wl

Apesar dos ferimentos estarem melhores, pelo visto, ainda faltava tempo para cicatrizarem totalmente. ~ Uffs... Que saco. Proferia logo após soltar um suspiro, movimentando a cabeça a seguir para o lado e apoiando o punho no rosto e percebendo que não avistava mais a ilha de Flevance. “Não sentirei falta de nada lá. Bom... isso sempre acontece.” Pensava comigo devido motivo de toda ilha em que eu estivesse, nenhum até então fez-me sentir saudades. Talvez pelo fato de almejar criar um reino adequado para mim, fosse algo que jamais viria sentir. “Embora jamais posso dizer que dessa água não beberei! Thororororo!”







  • Posts: 25
  • Ganhos: Perícia Escudista;
    Escudo;
    Lança ET;
    Uniforme: boné;
    Uniforme: Camisa;
    Duas missões concluídas: 3 milhões de bellys;

  • Perdas: 500 mil berries;
  • Players/NPCs:
    Pippos Vitaminado;
    Bartomolew;
    Detective;
  • Ferimentos:
    - Cortes profundos no tórax [8/12 - tratado]
    - Nariz quebrado [8/14 - tratado]
    - Corte na cabeça devido à pressão e força [8/12 - tratado]
    - 2 Costelas quebradas [8/14 - tratado]

  • Localização: Flevance ~ North Blue
  • Objetivos:
    ~ Obter uma Naginata/Lança;
    ~ Conhecer Gaiden, Denki & Drake.
    ~ Concluir 3 missões;
    ~ Subir de Patente;
    ~ Treinar Ambidestria;
    ~ Ganhar boa Fama;



PdV: 7400
STA: 100

Força: 240   [+120 Raça] [+60Edc] [+20 Arma]= 440 ~ Hábil ~
Destreza: 0 ~ Incompetente ~
Acerto: 20  [+120 Raça] [+60Edc]= 200 ~ Regular ~
Reflexo: 10 ~ Regular ~
Constituição: 130 [+120 Raça]= 250 ~ Regular ~

Agilidade: 105
Oportunidade de Ataque: 3
Redução de Dano: 5%

Qualidades:

Defeitos:

BrigaCotoveladas, cabeçadas, garrafadas, mordidas e dedo no olho. Você faz os movimentos necessários para sobreviver e derrotar o inimigo, sem se importar com estilos ou movimentos rebuscados.

SobrevivênciaVocê é capaz de encontrar água, comida e abrigo em ambientes hostis, se existentes.

AnatomiaVocê conhece o funcionamento e estrutura do corpo dos humanóides, sabendo identificar órgãos, artérias, veias, músculos e todo o resto.

NadoVocê domina diversos estilos de natação e é capaz de controlar sua respiração com maestria para não perder o fôlego.

PersuasãoVocê é capaz de convencer os outros através de argumentos lógicos e racionais, ao contrário de lábia, os efeitos de persuasão são duradouros.

Profissão:
Sentinela Os sentinelas são guerreiros espirituosos que dominam o conceito de vigia, seja dentro do navio durante as viagens e fora deles, excelentes seguranças em terra firme, eles são de suma importância para missões de proteção, patrulha, escolta, rastreio e guarnição, seja de itens, pessoas e etc. São guerrilheiros por natureza, excepcionais quando se trata em defender sua tripulação incluindo eles, quando deparados com hostilidade e/ou situações desfavoráveis. Carregados com um alto vigor físico, são aptos, versáteis e incansáveis em cumprir sua função sobre diversos territórios inimigos, com objetivo em defender o navio, o navegador ou tripulação de eventuais ameaças durante combates marítimos/terrestres.

Bônus: O jogador quando estiver em serviço protegendo algum aliado, navio, carga ou item e for infligido por algum status negativo, durante esse tempo ele consegue ignorar os efeitos narrativos(não será neutralizado, os efeitos viram pós-término de sua função). Esses efeitos variam entre envenenamento, lentidão, sangramento e etc. Situações desfavoráveis que exigem ficar sem dormir, comer ou descansar, o jogador consegue permanecer o dobro do tempo.



Arma: NaginataDescrição: Medindo 7 metros total, divididos entre: 5 metros de haste unificados a 2 metros de lâmina.  Imagem da Lança.
Tipo da Arma: Lança
Qualidade: ...
Durabilidade: ...
Dano: ...
Estado: ...

DinheiroBerries: 5.250.000 ฿S

_________________

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 2uAvx3T_d
Pippos
Ver perfil do usuário
Imagem : 1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 F9Uhwzf
Créditos : 16
Localização : Dragora
PipposSargento
https://www.allbluerpg.com/t352-pippos-vitaminado#1055 https://www.allbluerpg.com/t1057-4-capitulo-gigantorines-em-altai








1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 Shuuma10





1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines!
Eu estava a resolver meus proprios probleminhas quanto aos materiais e, principalmente quando a tal grande bolsa para permitir o armazenamento destes. Ainda bem que tive o apoio do Smith, senão o Axell ia querer me passar a perna, VITATATA! - Analisei rapidamente. Estava claro que eu ainda não confiava nesse Zé. Mas depois de conseguir resolver meus propósitos com ele, eu precisava agradecer. - Muito obrigado, meu bom. Continue sendo esse cara daora que eu sei que você é. Tenho bons planos de seguir em frente por esses mares, e quando te ver novamente, quero que tu tenha se empenhado mais na forja pra tentar se comparar a mim… VITATATATA! - Provoquei.

Mas, falando nisso, onde que foi parar o Thork? Lógico que me questionei, afinal, nós sempre estivemos juntos por essas bandas. Então, em logo precisava cortar o papo com o Axell e seguir meus propósitos. - Enfim, meu bom, vou indo nessa. Boa sorte e boa dedicação para você. Até a próxima! - Concluí. Logo posicionando bem minha nova bolsa que deveria ter um peso considerável, tudo bem que não tão problemático, afinal, eu era o mais forte ferreiro do North Blue! De qualquer modo, depois de ter acesso à meu uniforme e vestir a parte superior dele, logo questionei o novo Tenente Smith: - E aí, Tenente, tu sabe do Thork? Ele sumiu. Acho que estava me preocupando com outras coisas aqui e não pude ver pra onde ele foi, você sabe? Falando nisso, também posso levar mais alguma coisa além dessa minha bolsa aqui, VITATA. Vamos lá! - O questionei, logo propondo uma solução, onde me organizaria para melhor levar meus materiais e até perguntar se ele precisaria de minha ajuda para também carregar algo.

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 Screen23

Não deveria demorar muito até que logo estivéssemos no porto, e frente a um impecável navio que permitisse o meu extraordinário tamanho. Eu faria questão de adentrar no navio designado sem pensar duas vezes, afinal, tinha a principal intenção de poder colocar minha bolsa no chão em um espaço mais seguro e ainda guardar alguns materiais de nossa missão, caso me fosse necessário. Possivelmente, eu logo ao entrar, no residual transporte marítimo, poderia visualizar o Thork. Ele parecia estar treinando algo, depois de guardar todos os materiais necessários, eu só não sabia ao certo o que era. - E aí, cabeça de abacaxi! Tas fazendo o quê? Treinando para ser menos fracassado? VITATA! - O perguntaria em uma brincadeira, pois sua maestria com a lança era admirável.

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 Screen24

Antes de me responder precisamente, ele me perguntou se eu, por acaso, não conhecia a ilha Lvneel, o nosso destino. - Nunca nem VITATATA! - Disse. Agora ele começou a me responder, mas de um jeito estranho. Usando palavras mais complexas e trabalhosas. - Pelo que entendi, tu deve estar treinando pra tentar desenvolver seus músculos, pois, realmente, eles aparentam ainda estar no berço. VITATATATA! - Suspirarua após minha gargalhada. - Mas eu concordo com você. Já era a hora de tentar amadurecer esses músculos e tentar deixá-los mais adultos… olha para os meus. - Falaria, logo flexionando e deixando meu visíveis os meus gloriosos bíceps para tentar impressioná-lo e mostrar o que era um músculo já maduro de verdade, VITATA.

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 4291a323c9d024779d05b83b89f5f5bbc89db769r1-450-360_hq

Mas, analisando bem tudo isso, essa viagem dar-me-ia um bom espaço para tonificar os músculos e melhor treinar meus movimentos. Tudo bem que eu era esplêndido, incomparável e divino, mas eu ainda poderia melhorar em alguns pontos, eu era destro e poderia melhorar movimentos com o desempenho de minha mão esquerda, afinal, poderia ser-me, deveras, útil em algum momento. Nunca se sabe. De qualquer modo, eu ainda teria um bom espaço para isso em todo o trajeto.


Histórico:

Objetivos:

Personagem:





Vitaminado Pippos



Última edição por Pippos em Qua Ago 11, 2021 9:13 pm, editado 1 vez(es)

_________________

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 Zx5fIGC

Narração
Pensamento
Fala

Koji
Ver perfil do usuário
Imagem : 1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 88XyQrB
Créditos : 12
Localização : Sirarossa
KojiAvaliador
https://www.allbluerpg.com/t764-harvey-abgnalle#6176 https://www.allbluerpg.com/t1500-perpetuos-i-malfeito-feito#17594


Alvorada dos Monstrorines - 25
15:13 ~ 15:29 / Flevance


 
Findada a contribuição do agora Tenente Smith naquele quartel, o homem que presava por lei e ordem levava consigo alguns soldados que julgava serem próprios para a caminhada que ele gostaria de levar. Thorkell e Pippos partiam então da famosa terra de Flevance, a ilha branca e morta, porém, um pouco mais animada após o enfraquecimento da criminalidade do local. O causador disso era nada mais nada menos que o trabalho incrível feito pelos dois gigantes, que serão lembrados por aquelas bandas. Dragnar, então, sem sentir falta daquele lugar que o abrigou durante um bom tempo, partia para o navio seguido por Smith. Vitaminado vinha um pouco depois, após conversar e se despedir de Axell, escoltando então os suprimentos e mantimentos até a grandiosa embarcação.

Enquanto o navio não zarpava, os gigantes ficavam do lado de fora, no deck daquele monstro dos mares. O lanceiro não perdia tempo no lugar, partindo para uma sessão de treinamento ali mesmo, onde não haviam tantos espectadores e burburinhos. Smith acompanhava o homem, observando não só o mar como o soldado com uma grande esperança no olhar, essa que guardava tamanha animação diante a essa viagem que mudaria suas vidas para sempre. Ele olhava e admirava a vista, apreciando o treino de ambidestria que Thorkell realizava magistralmente. A lança em suas mãos era manuseada de maneira que qualquer um podia se enganar e dizer que ele fazia isso sua vida inteira.

Massas de ar e ventos eram deslocados em turbulência a cada vez que aquela arma recém-criada rotacionava pelas suas mãos e braços. Ele praticava especialmente sua canhota, que era menos desenvolvida em vários aspectos que seu lado dominante. Alguns tropeços aqui e outros ali eram inevitáveis, mas o homem, em sua diligência, não desistia. Em um dado momento, até mesmo Pippos voltava de sua missão anterior e passava a observar a técnica do colega, antes de ir falar com ele, provocando-o em amizade e papeando.

A conversa era breve e o assunto acabava rápido, porém, o gigante mais experiente não se bastava com aquele treinamento. Jogando sua lança para o lado e dizendo para Pippos pegá-la, ação que nem mesmo tentara fazer; o metal caía no chão em um barulho alto, enquanto Vitaminado fazia sua pose familiar. De qualquer forma, Thorkell pegava seu escudo e treinava contra um oponente mental, realizando diversos movimentos para fixar o aprendizado em sua cabeça. Os seus músculos eram os maiores ganhadores dessas pequenas sessões de treino, já que como ele mesmo falava, uma montanha ainda precisa ter sua terra irrigada pela chuva - ou algo assim.

Passado algum tempo, o navio finalmente subia suas âncoras e partia para a imensidão do mar. O vento agora batia no rosto desses soldados em busca de uma nova aventura e promoção dentro da marinha. Thorkell ficava de guarda, procurando por coisas no oceano, mas acabava por ver nada, caindo em marasmo. Pippos, por outro lado, matutava sobre a viagem em si e sobre suas oportunidades de ficar mais forte.

Interrompendo o momento quieto enquanto a terra de Flevance ficava para trás, Smith aparecia e abordava seus dois colegas de profissão com a maleta em mãos. — Ótimo treino, Thorkell... se quiser ajuda algum dia, eu luto com ambas as mãos. — louvava os esforços do soldado, que em breve viraria cabo. — Isso aqui pertence a vocês, dividam como quiserem. — ele então abria a maleta, revelando duas garrafas de rum em seu interior. O total de litros era o suficiente para que os dois gigantes se satisfazessem, ou assim pensava. Ele então tentava justificar seu presente com a captura que fizeram. — Os irmãos Ordin causaram diversos problemas em Flevance, mas o gigante foi o que mais destruiu, protegendo o irmão que ficava nas sombras. A recompensa total dele era de 12 milhões, portanto isso é o mínimo que posso dar à vocês. — parecia começar uma breve história, se lembrando de alguns momentos de sua carreira na ilha e novamente os elogiando, talvez estivesse emotivo com a promoção. — Vocês o derrotaram, portanto, eu lhes dou pelo menos essa recompensa. — com um esforçado tapinha no ombro de cada um, ele deixava o recinto, consolidando a calmaria do mar.



Histórico:

Legenda / Npc's:

Considerações:

   Code by Arthur Lancaster

     
    


Última edição por Koji em Ter Ago 10, 2021 10:22 pm, editado 1 vez(es)

_________________

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 EE4OUIx


"Assume the position to get back on your knees"



Curso narrador All Blue, turma de Janeiro 2021:
Pippos
Ver perfil do usuário
Imagem : 1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 F9Uhwzf
Créditos : 16
Localização : Dragora
PipposSargento
https://www.allbluerpg.com/t352-pippos-vitaminado#1055 https://www.allbluerpg.com/t1057-4-capitulo-gigantorines-em-altai








1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 Shuuma10


Partindo de Flevance!
Vamos melhorar!
A caminho da próxima ilha...



1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines!
Oriundo em um belo mar de confiança, eu finalmente havia chegado no porto, carregando meus tão honrosos materiais ganhos de forma justa! Ainda estava maravilhado com a grandeza de poder fabricar posteriormente mais armas com aquele grandioso material: O Chumbo Branco. Sem dúvidas eu criaria armas excepcionais e com um poderio bem mais elevado. Mas posso continuar usando esse martelo do Axell para posteriores forjas minhas. Mas, pensando nisso, depois também seria interessante fabricar mais um martelo de forja, pois quando esse deixar de ter sua utilidade, o que eu usaria para posteriores criações? VITATATA!Analisei precisamente em um rápido momento. Mas parando um pouco para prestigiar todo o treinamento do Thork, estava claro que ele tinha um pleno domínio com a lança, puts, inclusive, tenho que admitir, que são belos movimentos, mas, acima de todos eles, está minha grandiosa lança, essa que combina muito bem com ele, a ET.

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 Bf47c1ec4172fb1bf2c3b780ebda15ae

Brincadeiras e provocações à parte, eu não poderia perder, talvez eu também utilizasse essa remota viagem para treinar um pouco minhas habilidades. Deu pra ver que o Thork parecia estar interessado em melhorar suas habilidades com ambas as mãos... eu sequer havia pensado nisso, mas, de fato, é uma proposta bem interessante. O Smith não demorou para nos prestigiar com o que parecia uma interessante recompens: o nosso salário. – Opa! VITATATA. E aí, Thork, ouvi falar que nesse dinheiro você ganhou, tu iria pagar a bebida, então você só tem direito à metade do salário VITATATATA!Brinquei, mas deixaria ele melhor organizar nossos ganhos financeiros, pois eu estava preocupado, agora, com outra coisa. Eu, precipitadamente, posicionaria meu belo martelo em minha mão esquerda para também dar início ao sagaz treinamento.

Treino de Ambidestria

Tudo bem que eu, desde o princípio, sabia que agora estava no interior de uma embarcação, então o cuidado seria necessário. Mas, para falar a verdade, essa embarcação cabe tanto eu quanto o meu companheiro, então não custa nada tentar. Irei averiguar se esse navio é digno de transportar um semideus grande herói da Terra como eu! Minha vontade era intensa, e meus motivos claros. Nunca se sabe quando eu terei a necessidade de usar ambos os meus braços dentro de um embate, e, falando nisso, treinar movimentos com meu braço canhoto deve ser algo muito fácil para um ser divino como eu.

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 D0204f18-11c8-4309-9da8-e586c361c250

Ao menos era o que eu imaginava, mas, um cara impecável e inabalável como eu não pestanejaria em momento algum. Com o martelo posicionado em minha mão esquerda, em um leve giro corporal, impulsionei o martelo em um rápido ataque de curto alcance contra o vento à minha frente. Mas, claro, sequer teve o mínimo de eficiência de um bárbaro infalível como eu. VITATATA... já vi que não vai ser tão fácil.Pensei rapidamente. Logo tentei aplicar mais alguns golpes à minha frente, às vezes num alcance maior, mas sempre tomando muito cuidado para não acertar nada ou ninguém, e também com calma para evitar fortes pisadas no solo do navio. Habituado a aplicar ataques com o impulso, eu tinha uma boa noção à respeito de como aplicar cada golpe, mas o que faltava era a coordenação com a mão canhota. Puts, como era algo complexo, chegava até a ser bem desgracioso. Por dentro eu ficava até com um pouco de vergonha, pois como que, eu, o inquestionável, o primoroso, estava a aplicar marteladas tão banais?!

Exatamente. Eu sabia que precisava me empenhar e dar o máximo de mim, pois não queria passar essa vergonha, até mesmo para os Deuses que me criaram que deveriam estar a me observar no exato momento. O peso de minha arma era firme e bem compacto, está claro que não irei começar a manusear movimentos impecáveis da hora para a outra, mas começando a treinar um pouco hoje já seria um excelente começo. A minha maestria era inquestionável, com minha mão direita, claro, mas bastava eu, pouco a pouco, começar a encaixar a precisa coordenação com a mão esquerda.

A cada giro de corpo, para poder aplicar toda uma impulsão no golpe, eu aproveitava de uma exímia análise física, para melhor efetuar cada um de meus ataques bárbaros impulsionados pela força peso, poderiam melhor me auxiliar a cada uma das execuções da martelada, pois quando começava a executar o ataque, já teria um leve auxílio tanto do peso da arma como de aplicação da Força Peso, envolvendo a gravidade e a impulsão para guiar de maneira mais sóbria. Sobriedade esta que talvez também fosse capaz de proporcionar um pouco o deslocamento de algumas massas de ar, afinal, o peso e conjunto com a nossa primorosa força não poderia deixar de ser considerado. Saltando em um ou dois momentos para melhor utilizar a ajuda da gravidade em cada uma das impulsões, mas, claro, eu sabia que isso era algo que eu não tinha tanta facilidade para fazer agora, pois estávamos todos dentro de uma embarcação e eu não queria afundá-la, certo? VITATA.

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 9BVQAQs

Posicionando minha mão canhota na base do martelo, continuaria a executar os movimentos em meu mais recente estilo de combate, o Pippeso. Para, justamente, ascender essa mão dentro de padrões já almejados em minha mente. Óbvio que, como previsto antecipadamente, os golpes sequer chegariam perto do que eu, verdadeiramente, almejasse ou imaginasse, tendo o passo a passo em minha cabeça. Todavia, a prática melhor me auxiliaria a me acostumar e a desenvolver a minha capacidade canhota. Não sabia ao certo quanto tempo levaria em meu viés treinamento, mas eu sabia que não poderia sair perdendo desse Thork safado, VITATATA!

Fim

Convicto do cansaço de todo o meu primordial treinamento, eu sabia que ainda se haveria muito para praticar e treinar, todavia, para tudo se tem um começo, e, eu não duvidaria que o Thork viria a falar algo comigo, visualizando todos esses movimentos pífios e de menor capacidade vindo de minha parte. Era bem provável que talvez ele tenha tentado falar comigo enquanto eu estivesse treinando, mas eu estava tão concentrado que sequer consegui dar muita atenção. – Err.. você falou o quê mesmo? VITATATA! Perdão, quando estou concentrado, palavras de mortais com habilidade inferior à minha não me atingem, VITATATATA!Brinquei. Mas eu tinha plena noção de que ele iria querer me desafiar ou algo do gênero em nossa situação atual, pois ele era meio ‘estouradinho’ e mal aguentava provocações. – Fica tranquilo, cara de abacaxi.Suspirei, tentando acalmar um pouco a situação e manter minha respiração menos ofegante e cansada. – Em qualquer hora, eu te ensino a como vencer alguém forte, VITATATATA!Provocaria mais uma vez, tentando lembrar nossa vitória contra o irmão Ordim gigante lá, por minha causa.

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 71476093c75fe63f01e082fbbc0b50d0f93ee8ba_hq

Acalmando um pouco os ares e me aproximando da lateral do navio, logo fecharia meus olhos tentando aproveitar a sonoridade e a eloquência dessa forte brisa que estivesse a nos abraçar. Abriria os olhos e fitaria bem o Thork: – E você? Conhece algo dessa ilha Lvneel? O que será que nos aguarda nesse lugar? Espero que mais pessoas para salvar, missões mais importantes e muitos fãs para se ganhar, VITATATATATA!Pausaria um pouco para ouvir o que meu companheiro tivesse a dizer sobre seus planos na próxima ilha. Caso ele ainda não tivesse pego sua lança que havia ficado no chão quando ele tentou ter minha atenção quando ela era de possíveis fãs admirando meu corpo escultural: – Tua lança ficou ali, hein.À medida que seguíamos nesses férteis mares, eu logo me lembraria d euma detalhe que precisava ser destacado: – Falando nisso, Thork, me lembrei que tu vai comprar um bar pra mim nessa ilha. VITATATATA! O álcool é tão doce...Finalizaria, enquanto minha boca começava a salivar e talvez até a escorrer um pouco de baba quando comecei a imaginar bons goles em qualquer tipo de birita. Será que Lvneel é a ilha da bebida? Ah... Não custa nada sonhar.Pensei. – Ei! Lembra de me dar meu dinheiro!Terminaria, esperando ele dar-me minha parte do nosso salário.

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 5a5b151080a5fb49021f6b2362757974


Histórico:

Objetivos:

Personagem:





Vitaminado Pippão



Última edição por Pippos em Qua Ago 11, 2021 9:06 pm, editado 1 vez(es)

_________________

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 Zx5fIGC

Narração
Pensamento
Fala

Blindao
Ver perfil do usuário
Imagem : 1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 OdRR37N
Créditos : 47
Localização : North Blue ~ Flevance
BlindaoSargento
https://www.allbluerpg.com/t296-thorkell-dragnar-godheim https://www.allbluerpg.com/t1057-4-capitulo-gigantorines-em-altai


Dragão Indomável


O treino havia sido bastante produtivo e logo com a chegada de Pippos, pedindo-o para segurar minha lança durante o segundo round de treino, o garoto preferia por fazer pose e me ignorar. “Mas que bastardo de merda.” Pensava para mim mesmo ao ver a lança cair como um saco de bosta. “Tsk, que se dane também.” Evitei falar qualquer coisa e retornei a focar no treino com escudo e aperfeiçoamento da mão não dominante.

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 D1rcGwE

Dado um tempo, notava que Smith se aproximava. O sargento dialogava sobre meus esforços e sobre sua ajuda em um combate, caso houvesse interesse de minha parte. “Héééh... um combate com Smith talvez fosse interessante!” Refleti por alguns instantes. ~ Talvez seja uma má ideia sargento... uma vez que eu entro num combate, meu foco as vezes me cega. Posso até mesmo esquecer que você é um aliado! Kekekekeke. Indagaria para o marine, não como desculpa, mas para evitar de destruirmos o navio sem necessidade. Afinal de contas, seja um combate amistoso ou não, meu objetivo era a vitória e não mediria esforços para alcançar.

O marine retornava a falar. O foco da explicação de Smith era sobre os nossos feitos em Flevance, pelo fato de termos neutralizado um dos piratas procurados; os irmãos Ordin. “Ora, ora... parece que o sargento realmente gostou de nós, para vir comentar sobre nossa vitória. Talvez seja meu carisma natural, Thorororororo!” O sorriso vinha largo, seguida de uma boa risada. ~ THORORORORORORO! Um bandido merece um bom soco na fuça, já dizia um velho sábio! Falaria relenbrando de um antigo comentário de um mercenário que havia conhecido ainda quando jovem, o que já fazia algumas décadas.

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 FnelaFO

Mas é como o velho ditado: “Noticia boa é igual uma amante: lhe dá prazer tão rápido quanto sua mão na carteira. Thororororo.” Só fora receber o valor que Pippos já viria falar sobre minha promessa. ~ Grrrr... seu arrombado! Tá, tá! Assim que chegarmos em Lvneel eu vou enfiar tanta cachaça nesse teu rabo que você vai ficar uns 10 dias bêbado! Falaria expressando um rosto sério, mas logo deixando uma gargalhada ecoar pelo navio. ~ THORORORORORORO! Provável que eu também sofra disso. Uma breja sempre cairia bem, independe da situação.

Deixando as brincadeiras de lado, apanharia um determinado valor da maleta, exatamente a metade da quantia. ~ Pronto! O resto é seu garoto. “Apesar de que ele não merecia por ter metido o nariz na minha luta, mas como eu havia entrado afundo demais na briga, esquecendo o objetivo da missão, detestava admitir, mas Vitaminado havia ajudado no fim.” Colocava o dinheiro no bolso e retornaria a encostar na borda do navio apoiando a lança na parte da frente do corpo.

Enquanto estava descansando o corpo, porém, preservando a mente afiada e atenta aos perigos dos mares uma vez que já estava habituado com saques marítimos, notava que Vitaminado começava a treinar. “Ora, ora... parece que alguém ficou inspirado nesses meus músculos, já que decidiu treinar logo após de mim.” Confesso que estava sedento para provocar o rabanete, mas em respeito a sua dedicação, optei por permanecer em silencio. Afinal, havia uma função ao qual estava designado: proteger o navio.

O oficio Sentinela era bastante simples, pelo menos em teoria, mas na pratica era totalmente inverso. O navio estava carregado de suprimentos, muitos olhos haviam notado o carregamento, se minha experiência estiver certa... provavelmente poderá haver um ataque com objetivo de roubar a carga. Não precisava ser muito velho para saber e entender que comida era tão importante quanto ouro; em alguns lugares até mesmo ainda mais importante.

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 AREnM20

Apoiava o punho no rosto enquanto permanecia encostado na borda do navio observando o soldado e intercalando para o cenário ao redor. A despreocupação de Pippos estava bem visível, até mesmo inquietante para mim. “Esses jovens de hoje em dia são bastante avoados.” Mas, por outro lado, não poderia lhe culpar. Seja minha experiência de vida, instintos ou profissão, estar atento e tenso era algo comum: apesar de raramente mostrar tais sinais. Não poderia esperar isso de todo mundo.

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 YkSSxW8

Ainda que nenhum navio fosse avistado pelo oceano, exceto o belo mar e peixes, algo inquietante martelava em meu corpo; parecido com um mosquito dentro do ouvido. ~ Ei! To com um mau pressentimento sobre essa viagem! Exclamaria para Pippos, expressando um rosto mais sério. Estava encostado na borda junto de minha lança, os braços cruzados e os olhos fixos no mar. “Odeio quando isso acontece!” Pensava comigo em razão de muitas e muitas vezes sentir essa sensação irritante.

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 VpbxKTu

Ainda que algumas vezes esse sentimento dissipasse, revelando ser nada mais que obsessão pelo além, em grande maioria algo acabava acontecendo. Exatamente por isso, confiava em meus sentidos e instintos tão fielmente quanto uma fera selvagem. Caso avistasse algo a distância, não negligenciaria o que fosse. ~ Navio AVISTA!!! Vociferaria para que todos estivessem ciente de que talvez pudesse ser um ataque. Poderia não ser o caso, mas é melhor precaver do que remediar. O sorriso já estaria cobrindo meu rosto, enquanto a mão agarrada na lança rugiria para ser brandida. Enquanto muitos poderiam estar amedrontados, acuados ou nervosos, já eu em contrapartida... estava extasiado para saber qual próximo inimigo tentaria tirar minha vida! Muitos tentaram, todos falharam.

Caso percebesse alguma tempestade, como muitas surgiam violentamente, proferia em um tom de voz elevado. ~ Pode ser que sejamos atingidos por uma tempestade!!! Apesar de não ser algo tão preocupante, ainda sim, levaria em conta antecipar a situação principalmente para o navegador, pois, era algo que dificultava o trabalho dele(a). Por fim, se fosse alguma criatura do mar, uma fera sedenta por comida, se caso conseguisse avistar ou ouvir algo próximo, avisaria Pippos em um tom de voz normal. ~ Aí... acho que tem alguém querendo fazer um lanche. Apesar de que ele só vai lamber esses teus ossos! Provocaria Vitaminado como de costume, apesar da situação, para deixa-lo ciente de que haveria um ataque, não humano, contra o navio.







  • Posts: 26
  • Ganhos: Perícia Escudista;
    Escudo;
    Lança ET;
    Uniforme: boné;
    Uniforme: Camisa;
    Duas missões concluídas: 3 milhões de Bellys;
    Cartaz de Procurado: 12 milhões de Bellys (dividido entre mim e Pippos / ฿ 6 milhoes)

  • Perdas: 500 mil berries;
  • Players/NPCs:
    Pippos Vitaminado;
    Bartomolew;
    Detective;
  • Ferimentos:
    - Cortes profundos no tórax [9/12 - tratado]
    - Nariz quebrado [9/14 - tratado]
    - Corte na cabeça devido à pressão e força [9/12 - tratado]
    - 2 Costelas quebradas [9/14 - tratado]

  • Localização: Flevance ~ North Blue
  • Objetivos:
    ~ Obter uma Naginata/Lança;
    ~ Conhecer Gaiden, Denki & Drake.
    ~ Concluir 3 missões;
    ~ Subir de Patente;
    ~ Treinar Ambidestria;
    ~ Ganhar boa Fama;



PdV: 7400
STA: 100

Força: 240   [+120 Raça] [+60Edc] [+20 Arma]= 440 ~ Hábil ~
Destreza: 0 ~ Incompetente ~
Acerto: 20  [+120 Raça] [+60Edc]= 200 ~ Regular ~
Reflexo: 10 ~ Regular ~
Constituição: 130 [+120 Raça]= 250 ~ Regular ~

Agilidade: 105
Oportunidade de Ataque: 3
Redução de Dano: 5%

Qualidades:

Defeitos:

BrigaCotoveladas, cabeçadas, garrafadas, mordidas e dedo no olho. Você faz os movimentos necessários para sobreviver e derrotar o inimigo, sem se importar com estilos ou movimentos rebuscados.

SobrevivênciaVocê é capaz de encontrar água, comida e abrigo em ambientes hostis, se existentes.

AnatomiaVocê conhece o funcionamento e estrutura do corpo dos humanóides, sabendo identificar órgãos, artérias, veias, músculos e todo o resto.

NadoVocê domina diversos estilos de natação e é capaz de controlar sua respiração com maestria para não perder o fôlego.

PersuasãoVocê é capaz de convencer os outros através de argumentos lógicos e racionais, ao contrário de lábia, os efeitos de persuasão são duradouros.

Profissão:
Sentinela Os sentinelas são guerreiros espirituosos que dominam o conceito de vigia, seja dentro do navio durante as viagens e fora deles, excelentes seguranças em terra firme, eles são de suma importância para missões de proteção, patrulha, escolta, rastreio e guarnição, seja de itens, pessoas e etc. São guerrilheiros por natureza, excepcionais quando se trata em defender sua tripulação incluindo eles, quando deparados com hostilidade e/ou situações desfavoráveis. Carregados com um alto vigor físico, são aptos, versáteis e incansáveis em cumprir sua função sobre diversos territórios inimigos, com objetivo em defender o navio, o navegador ou tripulação de eventuais ameaças durante combates marítimos/terrestres.

Bônus: O jogador quando estiver em serviço protegendo algum aliado, navio, carga ou item e for infligido por algum status negativo, durante esse tempo ele consegue ignorar os efeitos narrativos(não será neutralizado, os efeitos viram pós-término de sua função). Esses efeitos variam entre envenenamento, lentidão, sangramento e etc. Situações desfavoráveis que exigem ficar sem dormir, comer ou descansar, o jogador consegue permanecer o dobro do tempo.



Arma: NaginataDescrição: Medindo 7 metros total, divididos entre: 5 metros de haste unificados a 2 metros de lâmina.  Imagem da Lança.
Tipo da Arma: Lança
Qualidade: ...
Durabilidade: ...
Dano: ...
Estado: ...

DinheiroBerries: 5.250.000 ฿S

_________________

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 2uAvx3T_d
Koji
Ver perfil do usuário
Imagem : 1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 88XyQrB
Créditos : 12
Localização : Sirarossa
KojiAvaliador
https://www.allbluerpg.com/t764-harvey-abgnalle#6176 https://www.allbluerpg.com/t1500-perpetuos-i-malfeito-feito#17594


Alvorada dos Monstrorines - 26
15:29 ~ 18:12 / Oceano


 
A viagem enfim começava, seguida pela pequena e breve missão de escoltar os itens até o navio. A grandiosa embarcação, lotada de soldados, cabos e oficiais da marinha, partia para o infinito mar dos blues. O vento batia na cara e desajeitava o cabelo dos indivíduos ali, mas todos sabiam que no final daquela grande viagem teriam diversas oportunidades e uma aventura os esperando. O momento parecia propício para Thorkell começar a treinar, finalmente passando a lapidar seu braço e mão esquerdos, sendo até mesmo louvado por Smith, que os presenteava com algumas garrafas de rum.

Naquele espírito festivo e um tanto animado, Pippos parecia seguir o caminho de seu colega e começar seu treinamento de ambidestria. Pegava sua enorme marreta, deixando Estruturada Tiamat no chão que a deixara cair. Ele movimentava seu corpo pelo deck do navio magistralmente, mas ainda assim tentava se preocupar com o resto das pessoas daquele lugar; tinha medo que com seu imponente tamanho pudesse até mesmo afundar o navio, evento esse que estava longe de se tornar realidade. Vez ou outra, o homem dava saltos e usava a força da gravidade para ajudar em seu poderoso golpe, que comumente mexia com as massas de ar que rodeavam a embarcação.

Alguns olhos curiosos olhavam de longe, saindo de suas conversas casuais e atividades entediantes para entreolhar o gigante, que logo se pegava pensando sobre a vergonha que era ser um tipo de semi-deus e ainda usar sua marreta de forma ineficiente e errônea com a canhota. Esse tipo de pensamento logo se tornava o combustível para mais treino, não o fazendo parar até que sentisse o peso da fadiga extrema. Quando essa chegava, ele finalmente parava seus movimentos, ofegante, certo que havia muito chão ainda para andar, mas satisfeito por não estar perdendo para Thorkell.

Findada a sessão de treinamento, a primeira coisa que ocorria eram brincadeiras e descontrações da parte de Pippos. Em meio às suas zoações, ainda lembrava Thorkell de que deveria pagar para bebidas de vários tipos. Dragnar rasgava, e prometia muito mais do que provavelmente poderia oferecer, mas mesmo se conseguisse, acabaria por se beneficiar também; pensamento interno esse que o fazia levar tudo mais na brincadeira. Enquanto Pippos babava apenas pelo pensamento de ingerir álcool, o gigante mais velho se mostrava preocupado com algo, incerto do que seria.

Ser a sentinela de um navio parecia ser uma tarefa fácil, mas na realidade, era mais complicado do que aparentava. Enquanto ficava com seus braços dobrados na borda do navio, observando o vasto oceano à procura de qualquer atividade suspeita, não poderia evitar um certo marasmo. Porém, seu instinto ativava todos os seus alarmes de perigo, o fazendo imaginar a razão. Seus olhos atentos procuravam mais do que apenas peixes que ocasionalmente vinham até a superfície e um belo pôr do Sol, que agora, manchava o céu com sua tonalidade brasil e, ao mesmo tempo, suave. Gaivotas eram ouvidas no céu, retornando para seus ninhos e finalmente descansando o descanso dos merecedores.

Apesar da paz e tranquilidade que aquela visão trazia, a realidade tendia a ser muito diferente. Como se todos os seus pensamentos e preocupações estivessem corretos, no horizonte, passava a ver três navios piratas do mesmo tamanho, que juntos poderiam trazer uma tripulação igual ou superior a do navio da marinha que estavam. Seu primeiro movimento era obviamente alertar todos, fazendo com que sua grave voz ecoasse pelo navio e até mesmo pelo seu interior mais povoado. As rinhas que alguns soldados travavam eram imediatamente paradas pelo alarme que, se não fosse falso, traria uma pitada de adrenalina à viagem.

Em questão de segundos, vários soldados e superiores saíam pela grande porta que levava ao interior do barco, como um formigueiro que acabara de ser pisado. Os olhares de espanto de alguns não ofuscavam os rostos determinados de outros, que ingenuamente torciam para uma luta desse calibre. Aparentemente, o sentimento de sede por sangue e adrenalina era recíproco pelo lado dos piratas, que assim que chegavam próximos o suficiente dos marinheiros para que pudessem se enxergar, mostravam suas garras e dentes, além de armas customizadas ou mal-feitas. A luta era inevitável, e logo o sinal para preparar os canhões eram soado. Todos passavam a se preparar, pegando suas armas e vestindo seus coletes. No meio daquela zona, uma coisa era certa, uma grandiosa batalha estava para começar.



Histórico:

Legenda / Npc's:

Considerações:

   Code by Arthur Lancaster

     
    

_________________

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 EE4OUIx


"Assume the position to get back on your knees"



Curso narrador All Blue, turma de Janeiro 2021:
Pippos
Ver perfil do usuário
Imagem : 1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 F9Uhwzf
Créditos : 16
Localização : Dragora
PipposSargento
https://www.allbluerpg.com/t352-pippos-vitaminado#1055 https://www.allbluerpg.com/t1057-4-capitulo-gigantorines-em-altai








1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 Shuuma10


Que comece a nossa reação!
Quem esses malditos pensam que são?!



1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines!
Ilustre de que meu primeiro treinamento de movimentos Pippesados havia sido um sucesso deslumbrante, eu faria questão de tentar exibir bem os meus músculos aos olhos bem curiosos que o meu treinamento havia gerado. Em flexões de bíceps e tríceps, eu deixaria à mostra o quão bem definidos eram os meus músculos. Tudo bem que que eu era um pouco mais magro, mas nada demais, pois a minha massa magra era excepcional e ainda melhor de se ver a definição em cada uma das partes de meu belo corpo. Quanto mais pessoas ficassem a me admirar, mais tempo eu passaria me exibindo, VITATA.

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 Records-of-ragnarok-netflix

Depois de lembrar e provocar o Thork de sua promessa, ele ainda parecia meio revoltado comigo, mas nada que fosse difícil de se resolver, VITATA. Quando pude ouvir bem sua resposta, ele indagou que eu beberia tanto a pontod e conseguir passar dez dias embragado. – Dez dias? Isso seria um sonho! VITATATATA!Gargalhei. E ao ouvir que ele compartilharia da mesma sensação, daria continuidade à minha imponente risada: – Só presta assim! VITATATATATA!Assim que é bom, ter um companheiro que compartilhe de seus desejos, o que seria o suficiente para facilitar para ambas as partes. Pouco depois pude aceitar bem a minha porção de todo o nosso merecido salário, colocando o que me era de direito dentro de meus pertences.

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 Tumblr_lz6z0c4UcJ1r06w8u

Assim que concluí meu treinamento, eu logo chamaria a atenção de meu companheiro: – Ow, cara de abacaxi, tu sabe bem o que há de tanto valor nessa carga que estamos a escoltar? Deve ser algo de bem valioso... Tu, que levou mais coisas do que eu, não conseguiu nem sentir algo diferente? Talvez dinheiro. VITATATA!O questionaria, mas sequer havia tanta necessidade de resposta, afinal, não era nada da minha conta, mas se bem que, se ele soubesse de alguma coisa, poderia me dizer, hehe. Agora começaria a olhar bem para o mar, na lateral do navio próxima à que Thork se localizava, afinal, faria sentido ser um certo risco o transporte dessa carga misteriosa, e, por isso, o Smith precisaria de nosso auxílio. Mais meu, claro, porque eu sou o mais belo e mais forte semideus desses mares!

Do nada o meu grande parceiro exclamava em bom tom sobre estar prevendo algum problema nessa viagem. – VITATATA! Acalma o coração, pequeno gafanhoto. Se está ansioso, fique olhando bem para os meus músculos. Isso irá te acalmar.Brinquei, mas sempre com um fundo de verdade, pois logo comecei a flexionar um de meus bíceps pra deixa-lo à mostra e tentando acalmar a ansiedade desse meu amigão.

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 19b813f68f3a986394abc5eb896a9c9f70b455ad_hq

Mas nem pude acalmar meu companheiro por muito tempo, pois sequer percebi, mas um alarde se iniciou no navio, por causa de um possível ataque. Então, assim que bati os olhos no mar o qual estava a meu lado, pude presenciar três navios piratas se aproximando. Nesse instante minha feição de calma e tranquilidade mudaria completamente, agora eu mostraria um semblante sério e astuto. Mas navios piratas vindo atacar um navio da marinha... isso eu nunca vi ou ouvi falar, VITATATATA! É ousadia demais mesmo...Analisei toda a situação, deixando escapar um leve sorriso, mas mantendo a calma e já posicionando meu extraordinário martelo em minha mão direita, dando, inclusive, alguns leves giros, como aquecimento para o que eu pretendia fazer. Alguns de nossos soldados já se preparavam para o que estava a vir a acontecer. Um confronto era, minimamente, esperado. Concluindo o aquecimento em meu punho, eu sempre ficaria bem atento com a aproximação desses tão problemáticos navios.

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 Thor-anime

Caso nossos adversários se aproximassem o suficiente para tentar invadir a nossa embarcação, ou, ao menos, ficassem tangíveis à meu glorioso martelo, eu não pensaria duas vezes antes de rebater qualquer um desses pequeninos fracassados para o mar. Nosso grande navio. Caso acontecesse de algum medíocre pirata invadir a nossa grande embarcação e tentasse me atacar, eu tentaria repetir o mesmo movimento para tentar rebater seu ataque com meu grande martelo, maior até mesmo que todo o seu tamanho para tentar bloquear e revidar ao mesmo tempo. – Esse navio não tem vaga para fracassados! Saiam ou morram, seus imundos!Indagaria em um alto e bom tom, de modo a permitir que todos esses medíocres seres desistissem da ideia de vir nos atacar. Mas era claro que quem ataca um navio da marinha, não desistiria fácil assim, ou seja, eu sempre tentaria acertar qualquer um algum golpe mais visando para acertar a cabeça, pois meu imponente martelo seria mais do que o suficiente para amassar esses crânios acéfalos de gente podre.

Lógico que se eu tivesse a capacidade de nadar, ficaria bem mais tranquilo quanto a me aventurar por essas águas e tentar ataca-los por baixo, deixando de ficar preso aqui nesse navio apenas esperando a chegada de cada um. Mas isso seriam planos para mais pra frente, agora eu tinha de me preocupar com cada um desses pecadores malditos! Caso algum deles adentrassem no navio e conseguissem se localizar em alguma posição em que não seria tão fácil rebater para fora do barco, eu faria a questão de tentar eliminá-lo afundando seu crânio com minha majestosa arma em um golpe horizontal simples. – Morra, seu maldito!Exclamaria, mostrando todo o meu ímpeto facial de raiva, e, em seguida, checando na sequência se o havia, no mínimo, o desmaiado, para que, assim, pudesse me concentrar em outros que logo continuariam a tentar invadir a nossa divina embarcação.

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 69cd70e4c0e8026ebfdcccc43d7d1da6


Histórico:

Objetivos:

Personagem:





Vitaminado Pippão



Última edição por Pippos em Ter Ago 17, 2021 7:30 am, editado 2 vez(es)

_________________

1º Capítulo: Alvorada dos Monstrorines! - Página 8 Zx5fIGC

Narração
Pensamento
Fala