Tópicos Recentes
Destaques
Klaus
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Últimos assuntos
 :: Oceanos :: Blues :: North Blue :: Flevance
Página 21 de 22 Página 21 de 22 Anterior  1 ... 12 ... 20, 21, 22  Seguinte
Kenshin
Ver perfil do usuário
Imagem : Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 21 XqxMi0y
Créditos : 30
KenshinDesenvolvedor
https://www.allbluerpg.com/t360-agatha-harkness https://www.allbluerpg.com/t386-prologo-frenesi-da-raposa#1165
Os Monarcas - I Efeito Borboleta Seg Maio 10, 2021 10:03 pm
Relembrando a primeira mensagem :

Os Monarcas - I Efeito Borboleta

Aqui ocorrerá a aventura dos(as) Civil Daisuke Ito, Saori Ito e Alexander Lancaster Cavendish III. A qual não possui narrador definido.

_________________

Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 21 J09J2lK

Hoyu
Ver perfil do usuário
Imagem : Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 21 GX67lHH
Créditos : 3
HoyuEstagiário
https://www.allbluerpg.com/t378-leonheart-valentine https://www.allbluerpg.com/t419-here-comes-the-sun
Re: Os Monarcas - I Efeito Borboleta Sab Nov 06, 2021 12:29 am

OS MONARCAS – I EFEITO BORBOLETA



  • Alexander E Shiranarai  


Conversando em um cômodo privado da casa abandonada que estava sendo usada como base pelo grupo do rei de Ravenwatch, Alexander e Shiranai tinham uma conversa pessoal que levava o rei a conferir a sua companheira o cargo de cavaleira, mas logo quando finalizava o ritual, com uma adição de última hora, a ruína dos reis deu as caras novamente, fazendo seu corpo desabar por cima do da mulher ao perder as forças do seu corpo. A dor aguda e repentina havia mostrado a Shiranai a verdadeira faceta do rei, e Alex amaldiçoava a doença que portava por parecer tão frágil diante da mulher pela qual tinha sentimentos, mas a sequencias de eventos que se desenrolavam a partir dali o pegavam de surpresa. Com a mão firme, Shiranai começava a o estrangular, murmurando coisas que ele não compreendia, enquanto o rei, sem forças e com dor pelo corpo, tentava fazê-la voltar à sanidade. Repentinamente o brilho em seus olhos voltou, e largou apressadamente o pescoço do homem, que por não ter lutado contra temendo piorar a situação, agora possuía uma marca vermelha ao redor, onde o pescoço havia sido apertado com força, e algumas feridas das unhas da mulher, que começavam a sangrar.

Percebendo o que havia feito em seus devaneios, lembrando-se de coisas que não gostaria de lembrar, ela estava em choque, mas logo buscava o remédio do ruivo, que molhava um pedaço da camisa e inspirava com força, fazendo o gás que se formava da evaporação do líquido adentrar seu sistema respiratório. Com o fim daquele momento de tensão, Alexander lamentava sua inutilidade diante da enfermidade que o devorava por dentro, mesmo que tentasse fingir estar bem, mas a mulher apenas pensava no que quase havia feito. Sentido o que quer que o acometia, Alexander havia estado em seu estado mais frágil, em que mais precisava dela, mas em vez de o ajudar, ela quase o havia matado sem que ele pudesse revidar. A culpa a corroía, reconhecendo seus erros, e o rei decidiu ser firme naquele momento, definindo uma punição severa, que tocava na ferida de Shiranai. Não era uma punição leviana, mas o que ela havia feito estava longe de ser leviano.


  • Kaplaya e Maximus  


De frente para os mineradores, por um momento acreditavam que não fossem conseguir o apoio daqueles homens, mas assim que um deles se manifestou, os outros pareceram considerar a ideia, e Jordan fez a proposta final: eles teriam que pagar contas médicas e dar indenização aos caídos, que certamente seria retirada do montante da Yakuza, então não deveria ser um problema, significava apenas menos dinheiro. Mas na situação que estavam, conquistarem homens para a batalha era mais importante do que ser mesquinho, afinal sem eles poderiam acabar perdendo o confronto, o que seria ainda pior. Enquanto Max cuidava de toda a negociação, Kaplaya ficava apenas calado, comendo amendoim, e o aperto de mão entre Max e Jordan firmou o acordo. - São 22h17, por quê? - Não parecia ter passado muito tempo, e ainda tinham tempo de sobra antes do ataque à meia noite. - Aqui nós somos 14, mas se me der meia hora posso comunicar os outros, e se aceitarem, serão mais 32 homens. No total, seriam 46, mas não estou tão confiante que todos vão aceitar, então é melhor dizer cerca de 35. - Para o grupo que não chegava nem na casa das dezenas, era uma ajuda mais do que bem vinda.

- Certo, ficaremos por essa área. Até bom que me da tempo de falar com os que não vieram beber hoje. Nos encontramos daqui um tempo. - Antes que saíssem, entretanto, enquanto Kaplaya colocava sua roupa de camuflagem e ia para os telhados ficar de olho na surdina, Max fazia uma pergunta repentina ao líder dos mineradores. - Bom, a duas quadras daqui tem uma loja boa. O dono é amigo meu, ele faz um serviço legal. - Com isso, despedindo-se, Max foi até a loja indicada, seguido sorrateiramente por Kaplaya, e logo encontrou uma katana de ótima qualidade, a qual comprou de um homem alto, careca, cheio de cicatrizes e com uma barba que fazia trancinha. Novamente armado, começaram a retornar para a base de operações improvisada, e do alto dos telhados Kaplaya podia ver algumas patrulhas de mafiosos, mas felizmente nenhuma cruzava seus caminhos, retornando em segurança.


  • Badar, Shinto, John e Haru  


O caos estava instaurado. Após uma tentativa fracassada de convencer as pessoas a se erguerem contra a Yakuza, apenas algumas poucas pessoas se manifestavam, entre elas Elliot, que recebia uma resposta positiva do companheiro músico. - É-é claro que sei lutar! - Mas a chegada repentina de mafiosos, atraídos pela aglomeração durante a vigia em busca dos fugitivos, acabou estragando a oportunidade do grupo de tentar convencer mais pessoas a se juntarem a causa, sendo forçados a bater em retirada. Se mais reforços chegassem, estariam em uma grande enrascada. Felizmente, o pânico dos cidadãos com a chegada dos mafiosos logo após o discurso sobre lutar contra eles havia feito a praça central de Flevence se tornar um pandemônio, com pessoas correndo para todos os lados, dificultando a perseguição por parte dos homens da Yakuza. Chamando Balto, Badar pulou em suas costas e começou a correr, com os outros logo atrás ao ouvirem a ordem de Haru. Um dos recém recrutados parecia estar carregando uma pessoa desacordada, que logo identificaram como sendo Shinto.

- Esse cara tá com vocês, né? Eu vi vocês chegando junto, mas ele aparentemente tropeçou quando estava falando com alguém e caiu no chão. Pra desmaiar só com isso ele deve estar bem fodido. - John logo se apressou em carregar Shinto ele mesmo, e continuaram a correr, enquanto Badar aproveitava estar sendo carregado por seu lobo para jogar várias coisas no caminho, derrubando barraquinhas para todos os lados para facilitar sua fuga. - Meus repolhos! - Gritou um homem de barbicha, após sua barraquinha de repolhos ser violentamente derrubada pelo garoto, fazendo os repolhos rolarem pelo chão. Com a ação rápida, a confusão e as ações de Badar, logo o grupo conseguiu despistar seus perseguidores, retornando enfim para a casa abandonada, trazendo consigo 6 novas pessoas para a batalha.


  • Todos  


Shiranai e Alexander, que já haviam chegado previamente na base, após um quase assassinato do rei de Ravenwatch, puderam ouvir a porta da frente se abrindo, sinalizando que outros haviam retornado. - Bem vindos de volta. Como foram? - Enquanto Kaplaya de Maximus retornavam, Catharine os recepcionada na porta, parecendo animada com as novidades. Logo em seguida, pouco tempo depois, Haru, Badar, John e Shinto retornavam, apressados, juntos de outras 6 pessoas que os outros não reconheciam. O que mais chamava atenção, entretanto, era que Shinto estava desacordado, sendo carregado por John. - John, você ta bem? - Maria vinha correndo, preocupada, após a chegada repentina e ofegante do grupo, como se tivessem vindo correndo. - O que aconteceu com ele? - Ela perguntou, olhando para Shinto em seus ombros. Enfim, todos estavam reunidos, e as seis pessoas que acompanhavam o quarteto iam entrando no recinto, em especial Elliot, que olhava ao redor.

- Então é aqui que vocês estão se organizando? - O garoto olhava ao redor curioso, mas logo virou-se novamente para Badar e abaixou a cabeça. - Desculpe, eu... Eu menti. Eu não sei lutar, fiquei com medo que você não fosse deixar eu vir junto se eu dissesse que não sei usar armas... - Ele parecia envergonhado, olhando para o chão, e largou a case do seu violino. - É que... Eu realmente queria ajudar. Sou bom com música e em não ser percebido, mas... Não acho que vou ser de muita ajuda em combate. - Ele parecia estar tomando coragem para falar algo, até revelar algo surpreendente. - Minha... Minha mãe é esposa do Tatsu. Ele tem algumas esposas, mulheres que ele se intereçou e forçou a se casarem com ele... Não quero que continue assim, ele é violento, e machuca ela... Já invadi algumas vezes a base deles pra encontrar ela, mas não conseguiria salva-la sozinho. E ele disse que se eu desse as caras de novo... - O silencio dele parecia ser bem claro sobre o que aconteceria. - Eu quero ajudar como posso! Posso dar informações que ajudem vocês, mesmo que eu não possa lutar! Por favor!  

ROLAGEM FRAGMENTADO:
Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 21 Fragme10


Histórico:
Nome: Alexander Lancaster Cavendish III
Posts: 20

Ganhos:
-Remédio 3/5
-Espada
-Cigarros (10 unidades)  
-1 isqueiros

Perdas:
-B$ 3.555.000
-1 unidade cigarro
-1 uso isqueiro


Histórico:
Nome: Maximus Cavendish Ito IV
Posts: 15

Ganhos:
-B$2.000.000 - Roubado em jogo de apostas
-Katana Formidável

Perdas:
-B$2.000.000 - Bebidas mineradores
-B$1.200.000


Histórico:
Nome: Haru Kaplyanova
Posts: 20

Ganhos:
-Receita de remédio
-Livro sobre Medicina Tradicional
-Kit Médico (Bandagens {1/30 usos}; Talas {0/10 Usos}; 1 bisturi; Agulhas Esterelizadas {0/10 usos}; Estetoscópio; Morfina {1/5 usos}; Álcool 70% {1/20 usos}
-Botas Profissionais de Durabilidade Média (+60 em Força)
-Katana Clássica de Durabilidade baixa (+40 em Força)
-2 Smiles(droga)

Perdas:
-B$ 400.000 Berries (Botas Profissionais)  
-B$ 850.000 Berries (Kit Médico)


Histórico:
Nome: Shiranai
Posts: 20

Ganhos:
-2 adagas clássicas - durabilidade: baixa (+40 em força ou destreza por nível)  
-1 metro de couro (*Cordas vendidas por metro)
-1 óculos
-1 caneta
-1 mapa do local produzido
-2 calçados com lâminas
-Foice

Perdas:


Histórico:
Nome: Kaplaya Sveta
Posts: 20

Ganhos:
-2 espadas profissionais - durabilidade: média (+60 em força ou destreza por nível)
-2 Rifles  
-1 Espada
-Livros ( Investigação, Cartografia, Criptografia, Psicologia, artes de interrogatório, artes da lábia, artes da sedução e Falsificação)
-Roupa camuflagem amigo oculto
-Pericia investigação

Perdas:
-B$ 800.000  
-B$ 250.000 (arma da Haru)  
-B$ 5.000 (whiskey)
-4 usos de fumo / Fósforo
-B$ 100.000 (amendoim)


Histórico:
Nome: Badar Alluartie
Posts: 20

Ganhos:
-Flauta transversal (instrumento musical)  
-B$ 2.000  
-Duas Lâminas da lua crescente
-2 adagas clássicas - durabilidade: baixa (+40 em força ou destreza por nível)
-Livro pesca

Perdas:
-B$ 250.000


Histórico:
Nome: John Doe
Posts: 20

Ganhos:
-Espada Clássica

Perdas:
-B$ 250.000


Histórico:
Nome: Shinto
Posts: 16

Ganhos:
-Katana Clássica- durabilidade: baixa (+40 em força ou destreza por nível)  
-Lança clássica -durabilidade: baixa (+40 em força ou destreza por nível)  
-฿S 1.500.000 (abastado)

Perdas:
-B$ 500.000



Última edição por Hoyu em Seg Nov 08, 2021 12:09 pm, editado 2 vez(es)
Milabbh
Ver perfil do usuário
Imagem : Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 21 Ezgif.com-resize
Créditos : 05
Localização : Flevance - North Blue
MilabbhAvaliador
https://www.allbluerpg.com/t311-haru-kaplyanova?highlight https://www.allbluerpg.com/t301-os-monarcas-i-efeito-borboleta#980
Re: Os Monarcas - I Efeito Borboleta Sab Nov 06, 2021 1:58 am
Efeito Borboleta
Vigésimo Primeiro Pulo
No meio de todo o caos, Shinto havia se perdido, mas por sorte, ou intervenção divina, como ele provavelmente diria, um dos nossos novos seguidores o encontrou e o carregava. - Sim! Obrigada por trazê-lo. Não pare de correr!

Badar conseguia derrubar coisas pelo caminho, arrancando algumas expressões furiosas dos vendedores. Mas, com isso, conseguíamos enfim fugir e alcançar nosso esconderijo. Adentrando rapidamente pela porta, esperava que todos passassem e escorava na parede, ofegando.

Contudo, não havia tempo para descansar ainda. John passava por mim com Shinto em seus braços, e prontamente ia até eles. - Deite-o aqui, John. - Apontava um local propício e ajoelhava ao lado do padre. - Obrigada.

Rapidamente sondava seu corpo em busca de possíveis hemorragias internas ou externas que justificassem a síncope. Em seguida, checaria sua cabeça para concussões ou qualquer outro trauma, cuidando de qualquer ferimento que identificasse.

Ao fim do tratamento, largaria meu corpo contra a parede, sentindo a musculatura relaxar. Levava minha mão à testa, limpando o suor que possivelmente se acumulava ali. Contudo, notava uma presença até então camuflada. Era Maximus, e agora ele se sentava ao meu lado.

Encarando-o, soltava um longo suspiro, tanto de cansaço quanto de alívio, por vê-lo bem. Um sorriso sincero surgia em meu rosto. - Estou bem Max, obrigada por perguntar... Mas lembre-se, eu que deveria lhe perguntar isso, afinal, sou a médica. - Soltava uma risada contida e nem percebia que o havia chamado pelo apelido. Mesmo envergonhada, continuava. - Também pensei em ti, estava preocupada e... Lembrei de algumas coisas sobre uma ilha. - Deixava a informação pairar no ar, analisando sua feição.

No entanto, antes que pudéssemos continuar a conversa, o rapazinho músico e novo amigo de Badar se pronunciava, e no fim, era o querido enteado da máfia. Atônita, aceitava a ajuda do ruivo e marchava até o tal Elliot. - Não precisa lutar para fazer a diferença, um exército precisa da inteligência. - Com um sorriso malicioso nada característico meu, o encarava. - Nos conte o que sabe, Elliot.

Esperava ansiosa as informações do garoto, mas sabia de minhas obrigações pendentes, por isso, olhava ao redor rapidamente, buscando sinais de ferimentos ou dor de qualquer um dos integrantes do bando.

Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 21 Lhxuyxtoted71

Assim que obtivéssemos toda a informação necessária, tentaria conseguir um canto mais afastado para finalmente analisar a droga que Shira havia me confiado. Antes de iniciar o estudo, porém, fazia uma promessa em voz baixa.

- São longuinho, são longuinho, se me ajudar a descobrir mais sobre isso, dou 3 pulinhos. - Após cruzar os dedos, finalmente abria os olhos, pegando o objeto em mãos.

Então, usando meus conhecimentos de farmacologia, prestava atenção no composto, identificando qualquer informação possível sobre ele. Mas não podia deixar de prestar atenção no que era dito, e ali, sentada em meu canto, ouvia as palavras de Alexander, e uma estranha sensação de pertencimento me invadia.

A fala sobre pirataria, submissão e bandeira, acendia uma chama, que há muito acreditei ter sido extinguida. Olhando aquelas pessoas na sala, enxergava a família que me faltou e um dos principais membros dela caminhava em minha direção.

Max se aproximava de mim e eu me erguia para falar com ele. Era envolvida em seu abraço e ficava surpresa com o gesto, mas deixava escapar um sorriso, principalmente após suas falas. - Isso vale para o senhor também, príncipe. Não ouse desperdiçar meus recursos médicos, preciso de você inteiro. - Devolvendo o carinho, sentia um aperto no coração, mas sabia de nossas obrigações e, assim o soltava.

Nossa despedida era selada com um olhar profundo e um beijo lento, que devolvia prontamente, enquanto acariciava seus fios escarlate. Mais uma vez as memórias da ilha invadiam minha mente, fazendo-me ficar ainda mais aflita por ele. Olhando-o se afastar, colocava minhas mãos em figuinha e sussurrava. - Que a boa sorte lhe acompanhe.

Por fim, o comando era dado, e Alex anunciava o início da marcha até o local da batalha. Guardando novamente a droga, me dirigia até a porta, unindo-me aos meus aliados. Por sorte, não precisava de armas, e não sabia o que esperar da lua, talvez não fosse seguro arriscar ainda.

DetalhesFalas
*Histórico:
Ganhos:
- Receita de remédio
- Livro sobre Medicina Tradicional
- Kit Médico (Bandagens {2/30 usos}; Talas {0/10 Usos}; 1 bisturi; Agulhas Esterelizadas {0/10 usos}; Estetoscópio; Morfina {1/5 usos}; Álcool 70% {2/20 usos}
- Botas Profissionais de Durabilidade Média (+60 em Força)
- Katana Clássica de Durabilidade baixa (+40 em Força)
Perdas:
- 400.000 Berries (Botas Profissionais) + 850.000 Berries (Kit Médico)
Ferimentos: N/A

*Objetivos:
- Comprar uma arminha tops
- Comprar suprimentos médicos
- Sair em uma aventura
- Aprender Farmácia
- Aprender Herbologia
- Me divertir <3


@mm


Última edição por Milabbh em Ter Nov 09, 2021 1:13 am, editado 1 vez(es)

_________________

Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 21 QeMkXKw
Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 21 The_Moon
DarkWoodsKeeper
Ver perfil do usuário
Imagem : Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 21 Ezgif.com-gif-maker_1
Créditos : 00
Re: Os Monarcas - I Efeito Borboleta Sab Nov 06, 2021 10:17 pm
Badar Alluartie
Efeito Borboleta




Finalmente despitávamos os mafiosos que nos seguiam e chegávamos ao abrigo.  Ver Shinto desmaiado nos braços de John me deixou sem palavras. "Como eu perdi ele de vista?! O que aconteceu com ele?!"


Haru pedia para que ele fosse deixado em um local específico e começava a examiná-lo. Eu fiquei logo atrás, olhando o que ela fazia por cima de seu ombro. "Meu amigo  caiu e eu nem percebi..." eu pensei, me sentindo culpado.



Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 21 E48803b318f4c7618839d511bccaab4f


Ao levantar o rosto, vi que o resto do pessoal já havia chegado. Fui até Alexander e Shiranai e comecei a falar:


- O Shinto... Ele desmaiou do nada... E-eu não sei o que houve... - eu olhei novamente para eles e tentei me acalmar. Eles provavelmente perguntariam como foi o recrutamento, mas eu diria de qualquer forma -  E... nós não conseguimos recrutar muitas pessoas... Aqueles cinco homens tavam ouvindo e vieram, mas a máfia chegou e aí teve uma confusão e agora estamos aqui. - ouvindo a voz de Elliot, eu sorri e continuei a falar enqunto ele chegava - Ah! Mas eu consegui fazer um novo amigo! Esse aqui é o Elliot! - eu então respondi para ele - Sim! Estamos escondidos aqui tem um tempinho já.


O garoto então falou que não sabia lutar e Haru o respondeu. Eu sorri e completei:


- Eu acho também nunca lutei de verdade, mas sei que juntos a gente consegue! Né, Balto? - eu sorri para o lobo ao meu lado.



Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 21 0082e2fa8270fe10783c25470990e092


Elliot então começou a tomar coragem e falar algumas informações que poderiam nos ajudar. Alexander provavelmente o escutava atentamente também. Ouvir sobre sua mãe apertou meu coração de uma forma que eu não esperava, afinal, eu nunca havia conhecido a minha. No final de sua fala, eu colocaria a mão em seu ombro e diria em um tom acolhedor, mas sério.


- Nós vamos te ajudar também, Elliot. Vamos te ajudar a rever sua mãe. - terminei com um sorriso confiante.



Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 21 Aa648e4658702346ba0ae726b484223a


Informações



  • Falas
  • Pensamentos

  • Posts: 21

  • Ganhos: Masuku Kitsune (presente do evento), adaga da Shiranai, livro de pesca.
  • Perdas: Calçados com lâminas






Objetivos


  • Aprender pesca
  • Aprender zoologia
  • Ensinar um comando de caça a Balto
  • Encontrar o resto do bando
  • Adquirir uma arma principal (Lâminas da lua crescente) e facas (adagas) de arremesso
  • Adquirir uma flauta (ou ocarina ou outro instrumento de sopro)
  • Fazer uma performance (e tentar ganhar uns trocados hehehe)




"Só as feras estão além da mentira"     -Rexxar

▲ Thanks, Frankie @ Graphic Dreams ▲

_________________

Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 21 3lcCq0g
Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 21 The_Star
Jean Fraga
Ver perfil do usuário
Imagem : Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 21 I7Pk1V9
Créditos : 01
Jean FragaEstagiário
https://www.allbluerpg.com/t951-nix#8224 https://www.allbluerpg.com/t837p60-cabras-da-peste-vol-3-velozes-e-furiosos-desafio-maritimo
Re: Os Monarcas - I Efeito Borboleta Dom Nov 07, 2021 8:26 pm


Efeito Borboleta


- Os Fins Justificam Os Meios -

Com a katana presa sobre minha cintura, voltava para a base, por sorte tivemos uma missão segura e produtiva, porém antes de adentrar, pararia em frente a porta e falaria com meu parceiro.

Olhando para Kaplya, diria conforme estendia minha mão, — Parece que conseguimos nos dar bem Sveta, obrigado pela confiança antes... e, não se preocupe sobre nossa aposta, somente usei deste fator para te motivar a beber. – Cumprimentando-o, abriria a porta, sendo logo recepcionado por Catherine.

Sorria de forma misteriosa, — Posso dizer que a missão foi um sucesso... – Passando por minha amiga, logo fechava minha feição, assim caminhando até Alexander.

Estendia a mão para cumprimentá-lo, — Estamos de volta irmão e por sorte, tudo ocorreu como esperado, resumindo para você antes que os demais cheguem... – Respirava sentindo uma leve espetada em meu peito, disfarçando a dor com uma tosse, resumiria os acontecimentos.

— Jordan, o que parece liderar os demais mineradores, no começo deu para trás, calculando os riscos, porém... – Um sorriso quase que perverso surgia e sumia de forma rápida de meu rosto – Seus companheiros motivados pelas palavras tocantes e precisas as quais falei, logo deixaram a emoção falar mais alto que a razão...

— Ao fim, aceitando entrar para nosso exercito por assim dizer, contudo, com uma condição..., ao fim da batalha, nós pagaríamos as contas medicas dos feridos e em caso de óbito, uma certa indenização para família dos caídos.

— Dentro do bar haviam quatorze homens, porém Jordan disse que conseguiria mais trinta e dois, no entanto, o mesmo crê que dos quarenta e seis, trinta e cinco de fato estarão conosco no momento da batalha.

— Pois bem, designei eles como grupo Ômega e pedi que se preparassem que em algumas horas voltaria lá. – Ficaria em silencio, esperando pelo feedback de Alexander.

Quando a porta se abria rapidamente e logo o grupo de Badar entrava com presa, — O que está... – Vendo Shinto sobre os braços de John, ficava preocupado, com as palavras nada esclarecedoras de Badar, andava até Haru, ficando ao lado do padre.

Manteria o silencio pois não queria atrapalhar a medica, então ao fim, sentaria ao seu lado, — Como você está? Estive pensando em você nessas ultimas horas. – Levantando ajudaria a mink a levantar.

Um dos que haviam chegado com o grupo de Badar, abria o bico, ficava cativado com as motivações do garoto, ele tinha a pureza em suas palavras, sorria conforme ouvia seu discurso, só então ao fim, diria, — Você será mais útil do que imagina garoto, prazer em conhece-lo, sou Maximus. – Buscando ser simpático cumprimentaria o menino.

Entretanto, havia algo que me preocupava, assim, iria até meu irmão e diria cochichando em seu ouvido, — Podemos ter uma conversa em particular? Agora, antes de vossa majestade dar o próximo passo na missão... – Indo para os fundos da casa – De preferencia lá fora... – Sairia então pela porta de trás, esperando assim por meu irmão.




— Ok... Ok, será rápido, até porque, creio que já tem isso em mente..., nos já passamos por coisas como as que estão por vir, você já esteve em guerras... e eu também, a minha preocupação é... Será se todos que estão conosco estão preparados com o que está por vir?

Fechava o punho direito, apertando-o com força, — O garoto de antes, ele... tem a pureza em suas palavras, assim como vejo em Badar, da mesma forma que eu e você tínhamos quando ainda éramos novos.

— Mas a vida, fez que tanto você como eu, tivéssemos que se tornar adultos logo cedo, passar por coisas e ter responsabilidades ainda em nossa adolescência... a questão que eu levanto aqui é...

— A guerra que está por vir, com certeza não será um mar de rosas, podemos acabar passando por grandes problemas e até termos grandes perdas, estarão não só eles, mas outros do grupo, preparados para o que o futuro nos aguarda?

Botando a mão lentamente sobre o ombro de Alexander, finalizaria dizendo conforme fixava meu olhar no seu, — Pois digo por mim, custe o que custar, farei de tudo para que consigamos acabar com a Yakuza.

Ficando em silencio, prestaria atenção em Alex, assim então, voltaria com o mesmo para dentro da base, apoiar-me-ia sobre uma parede, mantendo-me atento nos próximos passos da missão.




Como esperado de um Rei, as palavras de Alexander, eram animadoras, mesmo sabendo que logo estaríamos em uma guerra, o nome, a bandeira, tudo era bem bolado, nada que tirasse expressões marcantes de meu rosto no momento sério.

Era designado para ir até os mineradores e então guia-los até o campo de batalha, assim, focar-me-ia em gravar exatamente o discurso agora dito por meu irmão.

Ao fim e com a aproximação repentina de Kaplya, agora agindo de forma diferente, respondia-o, — Annn, acredito que não seja o momento ideal para um cafuné, entretanto, sim, vamos explodir tudo!

Acenava despedindo-me de Alexander e indo rapidamente até Haru, abraçaria a mink cochichando em sua orelha, — Te vejo em breve..., não vá morrer... como vou cozinhar para você caso isso aconteça? – Sorria buscando descontrair naquele momento.

Afastando-me, olhava bem para seu rosto, nunca se sabe quando será a ultima vez, portanto, beijava-a lentamente e logo, virando de costas, seguia com meu colega.

Durante o percurso de volta para o local marcado com o grupo Ômega, sorria e soltava leves risadas conforme ouvia as falas do mink, — Não se preocupe... este será nosso segredinho....

— Claro, enquanto você faz isto, eu repasso as informações e verifico se está tudo de acordo. – Voltando ao silencio de antes, concentrava-me cada instante mais, aos poucos, o futuro que tanto aguardo está mais perto.


HistóricoInfo
Nº de Posts: 16
Ferimentos

  • N/A

Ganhos:

  • ฿S 2.000.000 - Roubado em jogo de apostas
  • Katana Formidável

Perdas

  • B$2.000.000 - Bebidas mineradores
  • B$1.200.000 - Katana Formidável





Última edição por Jean Fraga em Seg Nov 08, 2021 10:18 pm, editado 1 vez(es)

_________________

Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 21 3dtLmqd
Alexander III
Ver perfil do usuário
Imagem : Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 21 8435c86a7b1241a5c499a96b90046594
Créditos : 07
Alexander IIIEstagiário
https://www.allbluerpg.com/t294-alexander-lancaster-caven https://www.allbluerpg.com/t301-os-monarcas-i-efeito-borboleta#910
Re: Os Monarcas - I Efeito Borboleta Seg Nov 08, 2021 3:59 am

GODS BLESS THE KING ♕


Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 21 Ju8TseF


Com tudo dito eu me sentia mal por fazer ela ter de passar por tudo aquilo, talvez eu tivesse me excedido? Não... Era necessário pelo menos agora sim, antes que o clima pudesse ficar mais pesado finalmente o grupo voltava.

Os primeiros a passar pela porta eram Kaplya e meu irmão que estavam bem e a salvo, meu coração já ficava mais tranquilo, logo após eles o resto do grupo se juntavam também, mas ver Shinto apagado e sendo carregado não era reconfortante.

Ficava preocupado com meu padre e mais que isso, um amigo pessoal, porem agora eu não podia fazer nada por ele a não ser ter esperanças em sua recuperação e Haru.

Maximus se aproximava, ele parecia bem e tinha cumprido sua parte do acordo, como era de se esperar de alguém de meu sangue... O único ruim era tantos pedidos no contrato com os mineradores, mas suponho que não tinha jeito.

— Fizeram bem meu irmão, já de grande ajuda, e sobre as exigências deles não se preocupe atenderei a todas elas, afinal um acordo é um acordo.

Logo após terminar de falar brevemente com ele, Badar agora se aproximava e explicava algumas coisas para mim, até sobre Shinto ele comentava sobre a situação, mas não era diferente do que eu já imaginava infelizmente.

— Está tudo bem Badar, fizestes o seu melhor então não te preocupes com isso, eu e Max já conseguimos arranjar bastante pessoas ao nosso lado.

Abaixava enquanto fazia um pequeno cafune em sua cabeça, fazia o meu melhor para não mostrar os meus machucados em meu pescoço e demonstrar a dor e respiração ofegante por causa dela, a ruina dos reis.

O pequeno me mostrava um novo amigo, mas seria eu que julgaria se ele era de fato um aliado.... Ao menos o garoto Eliot parecia ser honesto com seus sentimentos, me aproximava dele e então dizia.

— Não te preocupes Eliot, se desejas servir a mim jamais negarei ajuda, e sobre não saber lutar por muito tempo eu também não soube.... Sabe até mesmo um peão pode derrubar um rei se usar inteligência.

Mais uma vez meu irmão parecia precisar conversar comigo, mas dessa vez parecia ser algo diferente de antes, talvez ele tenha notado meus ferimentos? Ou talvez era sobre outra coisa...

Acompanhava ele lá para fora e pedia para todos para esperarem um momento e que nos deixassem a sós. Escutava Maximus com atenção e ficava em silencio apenas absorvendo tudo.




— No momento em que eles aceitaram me seguir Maximus eles concordaram com isso, não faça pouco da determinação deles, nós sabemos o que tivemos de viver, e mais ainda sabemos o que eles terão de viver, como rei e príncipe nós temos que ficar aqui para apoiá-los quando eles forem chorar depois da batalha, este é nosso dever...

— Ah não se preocupe meu irmão, nós não teremos que “pagar” nada, eles mexeram com o rei errado e eu farei eles pagar, acho que tu já percebeste, mas eu não sou um rei benevolente!



Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 21 4b28b5e942c08a0632ca70bb61488227

Voltava lá para dentro com meu irmão, agora eu já tinha informação de tudo, me sentava por um instante e começava a planejar, como eu poderia destruir a máfia da melhor forma possível? Eu já sabia a resposta para isso.

Me levantava e ficava na frente de meu grupo, não era grande porem sabia que podia contar com as pessoas naquela sala, mesmo que hora ou outra tentassem me matar...

— Vamos esperar nosso exército chegar, mas antes disso tenho algo a dizer apenas a vocês.... Passamos por muita coisa para chegarmos aqui, cumpriram as minhas ordens com resplendor e eu fico grato por isso então obrigado, porem o perigo real está chegando agora...

— A verdade é que poderíamos apenas ido embora depois de tudo, mas eu sou um rei orgulhoso e não poderia deixar isso passar então me desculpem por ser infantil nesse quesito, mas serei mais ainda agora, esta é uma ordem direta de seu rei, vocês não estão permitidos de morrer ainda, eu ainda tenho que comandar vocês muitas vezes mais hmhmhmhmhm.

— A partir de hoje não somos um grupo qualquer, nós somos Os Monarcas! Depois de hoje viraremos foras da lei, bandidos, piratas.... Mas peço que acompanhem esse jovem rei nessa empreitada.

Procurava algum papel e caneta ou algo que eu pudesse desenhar, e então faria o melhor que eu pudesse para desenhar algo.

— Bom se vamos ser piratas precisamos de uma bandeira não?

Depois de pronto, possivelmente todo torto e feio eu mostraria aos meus colegas esticando o papel na frente de todos.



Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 21 Za_Emperor_Fundo_Neutro

Escutaria a opinião de todos e mudaria alguns detalhes caso fosse preciso, mas era isso por enquanto, mas ainda tínhamos que decidir uma coisa em nossa estratégia.

— Bom quando nossos homens chegarem iremos marchar em direção ao bar QG deles, quando chegarmos lá precisarei de um trabalho seu Kaplya, a luta vai estourar e então preciso que entre lá e exploda tudo, quero derrubar aquele local e transformar tudo em cinzas, pode fazer isso para mim?

Depois de tudo só me restava esperar, se eles chegassem logo mandaria todos se preparar ao combate e daria uma ordem a Kaplya e Maximus e passaria duas estratégias simples aos homens que já estavam aqui.

— Kaplya e Maximus, escutem a estratégia e vão buscar os homens que faltam para a nossa investida, nos encontraremos lá no QG deles, passem o que eu irei dizer a eles também por favor.

— Primeiramente agradeço a todos que vieram sejam lá quais seus motivos, hoje um fim de uma era é marcado e o início de outra começa, alguns vão morrer isso é um fato inegável porem faremos de tudo para que seja o mínimo possível!

Respirava fundo e olhava a todos, aquilo de fato estava acontecendo hm? Me lembrava nos meus dias de general lutando contra reinos vizinhos de Ravenwatch, que tempos...

— Quem tiver arma de fogo ou de longo alcance quero que um grupo fique nas laterais da linha de frente onde possam ser protegidos e atirar sem se preocupar em acertar um aliado, e o segundo grupo quero que subam em casas e prédios ao redor para nos ajudar com visão e fogo.

— Bom o resto de nós não há muito segredo certo? Iremos frente a frente com eles, quem tiver armas mais longas fica mais na frente e contém o avanço deles, e logo atrás na melhor oportunidade os que tem armas de curto alcance avançam.

— VAMOS ESMAGAR SUAS CABEÇAS E SEU ESPIRITO ANTES QUE ELES POSSAM PENSAR EM GANHAR DE NOS! MARCHEM!!


Finalmente estava acontecendo, agora eu só podia rezar para que meus amigos não se ferissem na grande luta, iriamos em direção ao grande QG da máfia, que Hemoris nos ajude e que sua sede de sangue seja saciada ao menos por hoje.



Histórico :
Posts: 21

Ganhos: Espada
Cigarros (8 unidades) e 1 isqueiros
Foice para a Shiranai
Remédio para a ruina dos reis (3 usos restantes)

Perdas: 3,555,000
 
Objetivos:
♕ Conhecer mais de Shiranai
♕ Aprender acrobacia e hipnose
♕ Me aproximar de todos
♕ Trabalhar a cabeça de meus súditos


Última edição por Alexander III em Seg Nov 08, 2021 1:03 pm, editado 1 vez(es)

_________________

Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 21 KMdYuOB

Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 21 CHaNlHs
AoYume
Ver perfil do usuário
Imagem : Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 21 840_560_1
Créditos : 00
Localização : Flevance - North Blue
Re: Os Monarcas - I Efeito Borboleta Seg Nov 08, 2021 8:18 am



POST

19


1º Capítulo
Efeito Borboleta




BLESSED BY THE KING


Meus lábios pairavam entre abertos por um breve momento, ouvindo sua punição e vendo sua feição bastante sombria. Sua fúria não era por menos, e, sua punição parecia um tanto peculiar. Deveria corrigir o possível equívoco quanto as motivações dos eventos e explicá-lo? Não, isso soaria como argumentação e covardia para escapar daquela estranha punição que, tampouco parecia tão severa quanto ele dizia ser. Ceder a minha vida? Bem, esta possivelmente também seria branda, ao pensar-se que eu já aceitei a minha morte faz muito tempo. Minha principal angústia partia dos reais traumas que me cercavam, se fosse como meu antigo capitão, isto certamente acabaria em suor, dor e vazio.

Superar meu medo... Inútil... Algumas de suas palavras ecoavam em minha mente enquanto meus olhos um pouco umedecidos focavam-se em minha mão, girando-a enquanto a nitidez oscilava pela lente aquosa oscilante diante de minha pupila. Havia sangue em minhas unhas e vermelhidão em meu punho, me levando a cogitar dedicar até um pouco mais no que devia ser a sua intenção real naquilo. Não argumentaria, ao invés disso, apenas faria de uma forma que isso realmente servisse para enfrentar os meus temores em vez de alguns toques superficiais, ou, sabotar sua proposta fazendo-o de modo mais fácil.

E então, o susto, ao menos para mim. Escondo minhas mãos de forma repentina instintivamente quando o som da porta abrindo-se paira pelo ambiente. Era como se o temor fosse apenas natural pelo sangue ali. Mas, qual temor? O de morrer? O de ser julgada? Fito o chão um instante perdendo a chance de responder qualquer coisa, até mesmo de confirmar, enquanto conhecidos e desconhecidos um grande números de pessoas ia entrando, de modo que a atenção do rei e dos demais já estavam mais em minhas preocupações. Com meu mais novo aprendizado em furtividade, vou desvencilhando-me do local em direção à minha bolsa e posteriormente ao banheiro, escutando dali por minha audição afiada os diálogos que desenrolavam-se no outro cômodo.

Lavo minhas unhas e então meus cabelos e meu rosto na pia, após remover a peruca. Me encaro um momento no reflexo arfando calmamente enquanto tiro minha roupa e os fios alvos úmidos ficam sobre estas. Não tenho muitas coisas comigo como saí as pressas, e, um dos pares ali inclusive era de uma apreensão de uma pirata mais ou menos da minha idade. Guardo os óculos e vou vestindo aquela roupa. Piratas. Era um belo discurso para isso, e, era irônico de certa forma que eu estava me vestindo à caráter involuntariamente. Secava e ia trançando o cabelo de modo que não me atrapalhasse ao lutar. Provavelmente não teria muito mais chances de falar diretamente, então, de certa forma queria algum sinal que o fizesse entender que estava de acordo com a punição e algo para me lembrar do meu erro. Com a adaga dou um ponto na calça e então vou rasgando-a deixando parte da minha perna exposta, o mesmo local da tira que tirei para limpar o sangue no seu pescoço.

Posiciono as adagas também ali e, ajeito a foice apoiada na parede nas minhas costas. Seguro firme o cabo da foice e as costas da lâmina ao ouvir sobre sua estratégia enquanto saía ainda buscando me manter mais silenciosa me misturando, dentro do possível, entre os demais até apoiar-me em um canto para aguarda a chegada dos outros e então seguir com os demais. A linha de frente parecia um bom lugar, deveria experimentar o manuseio da foice cujo domínio me parecia tão natural mesmo sem sequer lembrar onde havia sido aprendido. Hoje não sou Shiranai, tampouco Gremona, sou Leyka, e, como tal, eles encontraram a lâmina da justiça. Recito mentalmente enquanto meus dentes rangem e meu punho se fecha ainda mais firme sobre gélido metal.













Info:

>> Vestindo <<
Histórico:
Posts: 19

Ganhos: 3 adagas clássicas - durabilidade: baixa (+40 em força ou destreza por nível), 1 metro de couro (*Cordas vendidas por metro), 1 óculos, 1 caneta, 1 mapa do local produzido, 2 Smiles(droga), 1 par de bota com lâminas, 1 foice(+80 em força ou destreza por nível)

Perdas: 1 adaga clássica

Objetivos:
> Conseguir Hidden Blades
> Conseguir Manto de malha
> Conseguir águia/coruja
> Tatuar as asas de Leyka e Gremona(símbolo de sua religião de adoração a justiça)
> Aprender furtividade(v)
> Aprender Arrombamento
> Aprender Briga
> Conseguir Ambidestria

Status:
Hp: 3600
St: 100






CRÉDITOS Roevs

_________________


don't be afraid...
...of Leyka's Justice Monarch.


O Taverneiro
Ver perfil do usuário
Imagem : Não me incomode...
Créditos : 09
Localização : Fleavance - North Blue
O TaverneiroEstagiário
https://www.allbluerpg.com/t304-kaplya-sveta#877 https://www.allbluerpg.com/t301-os-monarcas-i-efeito-borboleta
Re: Os Monarcas - I Efeito Borboleta Seg Nov 08, 2021 5:37 pm
I’m out again!

Era interessante sair daquela maneira, mais uma vez para a luz. Quantas vezes já fizemos isso?


Observava do alto a movimentação de algumas patrulhas, mas nada que representasse perigo, ao chegarmos até a casa Max fala comigo estendendo sua mão.

- Claro… Eu entendi muito bem isso. E acho que a Haru ficaria feliz de ter você ao lado dela.

”Ah… ele está falando da aposta de bebida… Mas… Ele não queria nada mesmo com a Haru? Ele deve estar sob efeito da manguaça ainda.”

Ao chegar, cumprimento a todos e vou até o banheiro e lavo o rosto, tirando um pouco o fedor do bar e das babas que eu mesmo produzi.

Lavo o rosto, tiro a roupa de camuflagem, busco um livro na mochila e sento-me para aguardar a chegada dos outros assim como as ordens de vossa majestade. Apoio os pés em um banquinho enquanto monto um cigarro para mim. Acendo-o dou uma tragada longa, assopro para o alto e digo:

- Vou ler sobre artes da lábia, quem sabe aprendo uma coisa ou duas para usar…

TREINO ARTE DA LÁBIA:

Abri o livro e comecei a devorar as letras e ensinamentos que ali existiam. Os capítulos se dividiam em outros subtítulos. Uma hierarquia que mostrava que ter lábia não é simplesmente dizer coisas, e sim saber quando dizer, como e para quem.

Ali comecei a compreender que lábia não é uma mentira deslavada, é usar o que você tem como ponto forte para que o outro sinta aquilo que você deseja que ele sinta. Não é uma questão somente de palavras. A sua forma de postar-se diz muito a respeito do que você quer passar. Saber como você vai entregar isso a outra pessoa é o ponto importante.

Lógico que alguém que se mostre extremamente poderoso em uma situação pode ser levado por sua lábia. Basta saber como usar isso a seu favor. As palavras geralmente seguem a postura de quem a quer ouvir. Você não pode por exemplo chegar na mulher mais bonita do bar, no meio de outras várias mulheres e querer que ela preste atenção em você e queira sair dali com você para visitar o cais e ver as estrelas. Porém, você pode fazer com que ela te note, mostrar que se interessou por ela também e usar um momento oportuno para a aproximação.

Tal qual um pescador, é o momento certo, e o movimento certo…

As frases continuavam e cada uma me ensinava um pouco mais. Talvez com um pouco de prática eu ficasse bom naquilo também.

FIM DO TREINO.

Alex me chama e próximo a ele eu aceno com a cabeça confirmando minha missão. O sorriso brota em meu rosto, afinal de contas seria a segunda vez que teria a chance de causar uma destruição boa contra quem merecia. Estava limpando o mundo daquele mal e isso me deixava bem feliz.

Com as orelhas abaixadas e com o rabo para o alto chego perto de Max.

- RRRRRRRrrrrrrrrrrrrrr Max… Vamos explodir coisas rrrrrrrrr bauhaubauhaubauhau to tão feliz… Me faz cafuné!

Olho para Alex e para os outros me recomponho.

- Er… é… Vamos, alguém por lá pode me ajudar com algumas dúvidas.

A caminho do ponto de encontro com eles converso com Max até a chegada.

- Sobre a Haru…Você já deve ter percebido que o Kaplya não gosta muito. Não de você, mas de ter a filha dele com alguém. Eu super apoio. Deixa a menina ser feliz. Ela merece alguém tão bom quanto você. Mas não fala que eu disse isso, ele pode ficar chateado…


- Quando a gente chegar, vou pedir umas dicas de explosivos para eles. Preciso aprender a mexer com essas coisas. Assim posso fazer um estrago ainda maior. Você vai me ajudar né? Vai sim…





DetalhesFalas Kaplya
"Pensamento Kaplya" - Lukas
- Falas Lukas
*Histórico: POST 21 (11/15 - LUKAS)+(10/10 - KAPLYA)
Ganhos:

  • 2 espadas profissionais - durabilidade: média (+60 em força ou destreza por nível)
  • 2 Rifles  
  • 1 Espada
  • Livros ( Investigação, Cartografia, Criptografia, Psicologia, artes de interrogatório, artes da lábia, artes da sedução e Falsificação)
  • Roupa camuflagem amigo oculto
  • -Pericia investigação



    • Perdas:
  • B$ 800.000  
  • -B$ 250.000 (arma da Haru)  
  • -B$ 5.000 (whiskey)
  • -4 usos de fumo / Fósforo
  • -B$ 100.000 (amendoim)

Roupa maneira, Máscara maneira - Presentes do Amigo Secreto, Perícia Investigação.

*Objetivos:
- Comprar uma Espadinha
- Livros: Cartografia e Investigação
- Aprender as perícias Investigação e Cartografia
- Sair em uma aventura
- Me divertir


Lukas Sveta
Nenhum caminho me assusta, nenhum desafio me impede.





_________________

Kaplya / Lukas Sveta
Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 21 The_Death
Madrinck
Ver perfil do usuário
Imagem : Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 21 NYcylhF
Créditos : 06
MadrinckEstagiário
https://www.allbluerpg.com/t323-john-doe https://www.allbluerpg.com/
Re: Os Monarcas - I Efeito Borboleta Seg Nov 08, 2021 9:28 pm
John Doe o Confeiteiro
Ascensão de um novo grupo



Nós finalmente chegamos ao esconderijo, querendo ou não carregar duas pessoas no ombro não era tão fácil quanto eu esperava, mas tinha conseguido arcar bem com o meu objetivo. Botando o homem que eu mal conhecia no chão eu já chegava sendo abordado por Haru e Maria, claro que eu deveria dar mais prioridades para Shinto que tinha ficado inconsciente repentinamente, obedecendo Haru e botando Shinto com sutileza no local que me foi apontado, indo até Maria e falando para ela com calma enquanto me alongava, aquela corrida tinha despertado melhor meu corpo - To bem sim pequena, só foi alguns eventos inesperados, mas nenhuma briga. Aconteceu algo de interessante pra se contar Mari Mari?- eu apelidava Maria naquele momento, sabia que chamar ela de pequena por muito tempo iria acarretar num chute na canela, enquanto isso eu prestava atenção nas conversas ao arredor, estava a da inicio um evento bem serio e eu tinha que ter a seriedade necessária.

Eu ouvia oque o pequeno garoto amigo de Badar falava, preferia por ficar calado, por mim eu o abraçava e falaria algo bem bacana, mas eu tinha que manter meu papel de sério do John Doe até ele voltar, não que eu estivesse achando ruim ficar no controle por um tempo. Eu aproveitava o momento para pegar a espada de John, era melhor eu estar armado na próxima vez que a gente desse de cara com os Mafiosos, bom, não iria demorar muito para nós irmos lutar contra os antes ditos. Eu aproveitava para observar as pessoas que tínhamos recrutados na praça, o condicionamento físico dela e se elas demonstravam ter um porte bom para lutar, no fim das contas eu teria que dar o meu melhor para proteger todos ali, se era pra alguém se machucar então que eu saísse ferido daquela situação, por que no fim quando mais avassalador for a vitoria, melhor a moral que a vitoria vai ter, e as pessoas vão se lembrar como a Mafia é fraca e não terão meda de combate-la caso a mesma tente se reconstruir.

Agora pronto eu ia até Maria e ficava ao seu lado enquanto ouvia com concentração as palavras do Rei, era compreendível oque ele dizia, mas eu devia ficar calado até mandarem eu falar, como o John faria certo? Era meio estranho aquilo de não deixar nós morrer ainda, mas nada que me fizesse me preocupar com a sanidade do Rei, aproveitando em seguida para observar o Rabisco do Rei, uma bandeira pirata não é? Eu me lembro de ter sido escravo de alguns em meus lapsos de controle, eles não apreciavam minha confeitaria, mas olhando para aquele grupo acho que me daria bem como Confeiteiro do grupo, e é claro que John como o ferreiro, vou ter que comprar um caderno quando algum dinheiro cair na minha mão, se não o John vai gastar com algum metal inútil pra forjar algo, ele bem que podia forjar algumas peças de cozinha para mim, mas nãoooo, é só pros Chefes...

- Farei meu melhor para derrubar o maior numero de inimigos possíveis, meus músculos e espada irão trabalhar ao máximo para trazer apenas o melhor resultado- eu dizia ficando minha espada no chão e apoiando meu braço em seu cabo, dando um joinha para o grupo, todo mundo estava muito sério, tinha que ter algo pra deixar aquela situação mais aliviada para se conversar direitinho. No fim eu precisava me preparar para derramar algum sangue, nunca fui alguém de lutar ou ferir pessoas, mas se aquela situação estava pedindo por aquilo, eu não deixaria o grupo de lado.

Thanks, Lollipop @ Sugaravatars


Historico:
Numero de posts:21
Ganhos: Espada Classica
Perdas:250 mil (Espada)

_________________

Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 21 UvhbRwr
Hoyu
Ver perfil do usuário
Imagem : Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 21 GX67lHH
Créditos : 3
HoyuEstagiário
https://www.allbluerpg.com/t378-leonheart-valentine https://www.allbluerpg.com/t419-here-comes-the-sun
Re: Os Monarcas - I Efeito Borboleta Sex Nov 12, 2021 11:28 pm

OS MONARCAS – I EFEITO BORBOLETA



Um tempo após terem se separado, os súditos de Alex finalmente se reuniam novamente, trazendo consigo informações sobre suas respectivas operações. De todos os outros, o do monarca havia sido o que trouxe mais homens para a luta, reunindo uma quantidade considerável de combatentes, mas logo descobria uma informação surpreendente: Elliot conhecia o local, pois era filho de uma das esposas de Tatsu, e poderia lhes dar informações úteis. Logo ao lado, assim que Haru havia visto Shinto desmaiado, logo começou a examinar seus ferimentos e o tratar enquanto ouvia a conversa, e pode constatar algo bem ruim: seus ferimentos, que já estavam feios, haviam infecionado, e Shinto estava ardendo em febre, que provavelmente havia sido o motivo do seu desmaio. Fazendo o possível, a mink conseguiu amenizar um pouco a situação, mas o padre precisava de cirurgia urgente, e não era algo que eles tinham tempo ou ferramenta para realizar. Enquanto Badar e Alex encorajavam Elliot, um dos homens que haviam recrutado na praça pareceu notar a preocupação da mink enquanto tratava o padre e se aproximou. - Esse cara parece estar bem mal. Se quiser eu posso levar ele pro hospital de Flevence, eles são muito competentes por causa do... Bom, das antigas questões da ilha. Tenho certeza que ele estaria em boas mãos. - Todos podiam ouvir isso, e era claro que Shinto não estava em condições de ajudar. Se ele precisava de tratamento, era melhor que recebesse, e felizmente seu cabelo pintado o disfarçava perfeitamente, então dificilmente alguém seria capaz de o reconhecer.

A única que não estava presente era Shiranai, que havia se retirado assim que a porta se abriu pela primeira vez e ouvir tudo pelo banheiro logo ao lado. - Eu conheço as rotas de troca de guarda. Se o objetivo é atacar logo, os próximos horários vão ser 23h10, 23h40 e 00h10. Eu posso fazer um mapa, se me derem tempo. Não sei desenhar muito bem, mas deve servir. - Com as informações, Max chamava seu irmão para o lado de fora, compartilhando algumas de suas precauções enquanto os outros se preparavam: Shiranai e Kaplaya aproveitavam o momento para trocarem de roupa, se arrumando de acordo, e Haru tentava analisar a droga que havia recebido de sua companheira, mas com o pouco tempo que teve, apenas pode identificar que sem dúvidas tinha um forte efeito viciante. Kaplaya tentou ainda começar uma leitura para se preparar, mas os dois irmãos entraram novamente antes que pudesse passar da segunda página. Alexander estava determinado, compartilhando o futuro que enfrentariam pela frente com voz e expressão firmes. - É, com a confusão que vamos arrumar, duvido que a marinha deixe para lá. - Continuou com algo surpreendente: uma bandeira. Estava mal desenhada, com proporções tortas, mas dava para entender a ideia, e se alguém que soubesse desenhar a pintasse em uma vela, seria uma vista imponente.

Com o discurso inspirador do rei, restavam apenas os preparativos finais e a reunião com os soldados recrutados, mas logo uma batida peculiar na porta chamou a atenção de todos. Sem esperar uma resposta, a porta foi aberta, e Alexander, Shiranai e Haru puderam reconhecer Alfonse, o mordomo que conheceram na mansão de Theodore, sendo seguido por outros 5 homens bem fortes e carregando o que parecia ser uma mala. - Espero não estar interrompendo nada, alteza. Achamos prudente nos encontrarmos com o senhor com antecedência aos poucos para não perceberem nossa movimentação. A cada 10 minutos uma parte do grupo irá vir até o nosso encontro. Se precisarem de ajuda com algo, podem pedir. - Os maneirismos do homem eram estranhos, carregando ao mesmo tempo o brilho de uma mente sagaz e um certo tom de subserviência. Dois dos homens que seguiam o mordomo colocavam a mala no chão, abrindo-a e revelando uma grande quantidade de armas. Nenhuma delas parecia particularmente boa, mas haviam muitas, o suficiente para armar vários homens, e provavelmente mais delas seriam trazidas.

Com a chegada, Max aproveitou para ir despedir-se de Haru, roubando-lhe um beijo que logo foi retribuído pela mink, mas nesse instante, algo de muito errado aconteceu. Ao afastar seu rosto, devolvendo um sorriso para Haru e já se virando para sair, Max soltou um alto gemido de dor, que pode ser ouvido por todos, e caiu no chão. Caído, seu corpo se contorcia de forma agonizante, como se sentisse uma dor maior do que o que podia aguentar, cerrando os dentes com toda a sua força. Alexander podia imaginar o que era aquilo, mas se seu irmão havia falhado em esconder a dor, provavelmente aquilo estava muito ruim, pior do que as dores que sentia. A cena era desesperadora, e o mordomo logo pulou na direção do homem, parecendo ter conhecimento médico e pronto para tentar ajudar, mas ao levantar sua camisa para buscar por ferimentos ou lesões, todos puderam ver uma enorme mancha negra que cobria boa parte do tórax de Maximus, e que o rei conhecia muito bem. O surpreendente era como estava grande, quase duas vezes maior do que a que o rei carregava. Aquele coma repentino de antes... Provavelmente era um sinal, um sinal de que seu irmão estava sendo devorado vivo pela doença com muito mais velocidade do que ele estava. Ainda tinham cerca de 1 hora para a hora designada para o ataque, tendo tempo para se prepararem, mas antes precisavam ajudar Maximus, que se contorcia de uma dor que nenhum deles além de Alexander podia imaginar. Uma dor que podia levar aqueles que a sentiam ao suicido apenas para encerrar o sofrimento.

Histórico:
Nome: Alexander Lancaster Cavendish III
Posts: 21

Ganhos:
-Remédio 3/5
-Espada
-Cigarros (10 unidades)
-1 isqueiros

Perdas:
-B$ 3.555.000
-1 unidade cigarro
-1 uso isqueiro


Histórico:
Nome: Haru Kaplyanova
Posts: 21

Ganhos:
-Receita de remédio
-Livro sobre Medicina Tradicional
-Kit Médico (Bandagens {1/30 usos}; Talas {0/10 Usos}; 1 bisturi; Agulhas Esterelizadas {0/10 usos}; Estetoscópio; Morfina {1/5 usos}; Álcool 70% {1/20 usos}
-Botas Profissionais de Durabilidade Média (+60 em Força)
-Katana Clássica de Durabilidade baixa (+40 em Força)
-2 Smiles(droga)
-Proficiência Farmácia

Perdas:
-B$ 400.000 Berries (Botas Profissionais)
-B$ 850.000 Berries (Kit Médico)


Histórico:
Nome: Shiranai
Posts: 21

Ganhos:
-2 adagas clássicas - durabilidade: baixa (+40 em força ou destreza por nível)
-1 metro de couro (*Cordas vendidas por metro)
-1 óculos
-1 caneta
-1 mapa do local produzido
-2 calçados com lâminas
-Foice

Perdas:


Histórico:
Nome: Kaplaya Sveta
Posts: 21

Ganhos:
-2 espadas profissionais - durabilidade: média (+60 em força ou destreza por nível)
-2 Rifles
-1 Espada
-Livros ( Investigação, Cartografia, Criptografia, Psicologia, artes de interrogatório, artes da lábia, artes da sedução e Falsificação)
-Roupa camuflagem amigo oculto
-Pericia investigação

Perdas:
-B$ 800.000
-B$ 250.000 (arma da Haru)
-B$ 5.000 (whiskey)
-4 usos de fumo / Fósforo
-B$ 100.000 (amendoim)


Histórico:
Nome: Badar Alluartie
Posts: 21

Ganhos:
-Flauta transversal (instrumento musical)
-B$ 2.000
-Duas Lâminas da lua crescente
-2 adagas clássicas - durabilidade: baixa (+40 em força ou destreza por nível)
-Livro pesca

Perdas:
-B$ 250.000


Histórico:
Nome: John Doe
Posts: 21

Ganhos:
-Espada Clássica

Perdas:
-B$ 250.000


Milabbh
Ver perfil do usuário
Imagem : Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 21 Ezgif.com-resize
Créditos : 05
Localização : Flevance - North Blue
MilabbhAvaliador
https://www.allbluerpg.com/t311-haru-kaplyanova?highlight https://www.allbluerpg.com/t301-os-monarcas-i-efeito-borboleta#980
Re: Os Monarcas - I Efeito Borboleta Ter Nov 16, 2021 1:48 pm
Efeito Borboleta
Vigésimo Terceiro Pulo
Com meus pensamentos bagunçados por conta da saúde de Shinto e toda a situação em que nos encontrávamos, mal tinha tempo ou concentração para desvendar algo sobre a droga, exceto seu efeito extremamente viciante no organismo.

Ainda pensava no padre e sentia certa frustração quando ouvi uma batida na porta. Olhando na direção do som, pude vê-la abrindo, e uma figura familiar surgia. Era Alfonse, o mordomo. Em suas mãos, uma maleta repleta de armas, e atrás de si, 5 homens de aparência forte.

Não respondi, ao invés disso, me despedi de Max, e antes que pudesse vê-lo partir, algo aconteceu. Novamente ele parecia ser acometido com uma crise da doença, e sua queda comprovava isso. Em choque, ajoelhava ao seu lado, meus olhos turvos, repletos de lágrimas.

Para minha sorte, e a do ruivo, o mordomo vinha prestar socorro, parecia ter conhecimento médico. Sem força psicológica para intervir, apenas encarava a cena, deixando minha memória confundir a imagem do príncipe com a de cabelos rosados e longas orelhas felpudas.

- Não posso ajudar... - As lágrimas corriam desesperadamente por meu rosto enquanto meus olhos vidrados nem mesmo piscavam. - Sakura... Max... Eu não posso fazer nada. - Àquela altura, nem mesmo sabia onde estava, Zou ou Flevance, com Sakura ou Max. De qualquer forma, não podia ajudá-los.

Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 21 121706578_652905368748436_985890391714032806_n.jpg?_nc_cat=107&ccb=1-5&_nc_sid=a26aad&_nc_eui2=AeFJxo4vwtNC3XdLhnxcu1byJQ5h-wAYH3klDmH7ABgfeQLnnlF4EKo7tYK9L-ib2wFxPx6ciDO5plo3Dky3-aMo&_nc_ohc=JCzwdxo0IqwAX8YHpR9&_nc_ht=scontent.fbsb3-1

Sem me mover, meu corpo ainda parecia vagar, indo até minha antiga casa na terra dos minks, onde sentia a garganta arder de tanto gritar, e o rosto molhado pelas lágrimas incessantes. Quando retornava ao presente, nada dizia, nada fazia, apenas me mantinha ali, encarando o corpo inerte do príncipe enquanto meu rosto era inundado pela dor da impotência, mais uma vez.

De repente, um borrão branco que mal conseguia distinguir por entre as lágrimas. Sua voz, firme e amável ao mesmo tempo, me alcançava em minha catatonia. Erguia o rosto para encarar Shiranai, mesmo sem poder vê-la, e ouvia suas palavras reconfortantes.

Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 21 __yae_sakura_kallen_kaslana_yae_sakura_and_kallen_kaslana_honkai_and_1_more__sample-e22dbd2f25f957fce72a02a5130a23a8

As lágrimas seguiam a cair ainda que tentasse controlá-las , mas a moça parecia bem experiente com aquilo, uma vez que rapidamente alcançava meu corpo e puxava para perto de si. Afundando meu rosto em sua vestimenta macia, agarrava-me à suas costas, e ali deixava-me desmoronar. Sentia o carinho de uma mão pequena, era Papa, que apesar de não ser bom com as palavras, sempre me confortou de seu jeito.

O momento de paz era interrompido agora por um borrão avermelhado, que logo associava com Alex, afinal, Max não poderia ser. O encarava com os olhos marejados e sentia suas batidas em minhas mãos. Encarando-o, ouvia cada palavra proferida e era aí que me lembrava.

Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 21 Sample-8a18c72dc910a930757e22b1d672b2e7

Alex estava certo... Eu havia dado a ideia da expedição, eu pensei no antídoto, eu que poderia fazê-lo... Tudo em minha vida me trouxe até este momento, e não podia vacilar agora. Erguendo-me do chão, acenava firme para Alexander, como se demonstrasse que o transe havia sido quebrado. - Peço perdão majestade, irei atrás de Badar agora. - Antes de sair, porém, passava por Shira e apertava de leve seu ombro. - Muito obrigada, Shira. Não esquecerei o que fez por mim.

Antes de ir, porém, notava que John já havia saído para procurá-lo, então decidia deixar os dois a sós, depois conversaria com o pequeno. Até lá, o melhor era poder aprender algo para continuar ajudando, Alex e Shira tinham razão.

Com isso em mente, olhava ao meu redor e começava a perguntar para os recém chegados se algum deles sabia sobre herbologia e, quando finalmente achasse alguém, pediria seus ensinamentos, indo onde a pessoa quisesse para aprender.

Treino de Herbologia

- Então quer dizer que cada planta tem uma propriedade boa ou ruim? - O espanto tomava meu rosto enquanto a pessoa começava a explicação sobre os conceitos básicos da herbologia. - Na verdade, elas podem até serem boas e ruins ao mesmo tempo, tudo depende da mistura e quantidade.

- Boas e ruins ao mesmo tempo... Quantidade... Mistura. - Ia anotando tudo em um papel qualquer que tivesse achado por perto, ou mesmo em minha cabeça, concentrando-me para não esquecer nada.

Ouvia atentamente enquanto a explicação de cada planta era feita, e após muitas delas, minha cabeça já confundia tudo. Mas mantinha-me atenciosa e tentava responder os exercícios de memória propostos.

Foram inúmeras perguntas e respostas, e perdi as contas de quantas errei, mas não parava nunca de responder, até que finalmente acertei todas, uma atrás da outra. - Lembre-se, herbologia é estudo, treino e experimentação, não se deixe acomodar.

Fim do Treino de Herbologia

- Sim senhor(a)! Muito obrigada por ensinar tudo o que sabe, farei bom uso. - Minha mente vagava para Max e Sakura, e um sorriso fraco era esboçado em meu rosto. Não falharei com vocês, acharei uma cura... E assim, retornava até o grupo.

DetalhesFalas
*Histórico:
Ganhos:
- Receita de remédio
- Livro sobre Medicina Tradicional
- Kit Médico (Bandagens {2/30 usos}; Talas {0/10 Usos}; 1 bisturi; Agulhas Esterelizadas {0/10 usos}; Estetoscópio; Morfina {1/5 usos}; Álcool 70% {2/20 usos}
- Botas Profissionais de Durabilidade Média (+60 em Força)
- Katana Clássica de Durabilidade baixa (+40 em Força)
Perdas:
- 400.000 Berries (Botas Profissionais) + 850.000 Berries (Kit Médico)
Ferimentos: N/A

*Objetivos:
- Comprar uma arminha tops
- Comprar suprimentos médicos
- Sair em uma aventura
- Aprender Farmácia
- Aprender Herbologia
- Me divertir <3


@mm


Última edição por Milabbh em Seg Nov 22, 2021 12:27 pm, editado 1 vez(es)

_________________

Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 21 QeMkXKw
Os Monarcas - I Efeito Borboleta - Página 21 The_Moon