Bem-vindo ao

All Blue

É com muito prazer que lhes damos os comprimentos ao nosso RPG. All Blue se trata de um RPG narrativo com o ambiente principal centrado em One Piece, obra de Eiichiro Oda.
Se divirta nessa nova aventura e se torne o novo rei pirata... Se puder!

Últimos assuntos
Criação de AventurasOntem à(s) 11:33 pmporShioriII - Procura-se um BobôOntem à(s) 11:32 pmporShioriBad KarmaOntem à(s) 6:56 pmporMendoncaÚltimo Baile Antes da GuerraOntem à(s) 6:00 pmporMendoncaLolo BanditoOntem à(s) 4:41 pmporVrowkÉmile SixthornnOntem à(s) 12:13 pmporGrenyAlvorecerOntem à(s) 10:21 amporAuroraCaitlyn G.Ontem à(s) 7:49 amporAchilesCap. 6 - TerritorialOntem à(s) 12:30 amporDeepCausamortis I - Damnatio.Sab Fev 04, 2023 9:52 pmporShiori

Causamortis I - Damnatio.

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte
Shiori
Imagem :
Causamortis I - Damnatio. EEEWL0c
Créditos :
24
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t363-shiori-miyamoto#1109 https://www.allbluerpg.com/
Causamortis I - Damnatio. Sex Ago 19, 2022 3:50 pm


Causamortis I - Damnatio.


Valentine Décès [Civil]

não possui narrador definido.
Fechada

_________________

Causamortis I - Damnatio. YHVeK1M

Causamortis I - Damnatio. VYrwji0
Masques
Imagem :
Causamortis I - Damnatio. 4qsz
Créditos :
23
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t2087-valentine-deces#22482
Masques
Civil
Re: Causamortis I - Damnatio. Seg Ago 22, 2022 12:22 am

ACT 01


CAUSAMORTIS I - DAMNATIO.




Eu esfegava os olhos enquanto ainda deitada na cama, sabia que tinha que levantar mas naquele particular momento a minha cama parecia simplesmente muito boa. De qualquer forma, após mais um pouco de tempo me levantaria, indo em direção ao banheiro para tomar banho e fazer as devidas atividades de higiene diárias. Após isso faria toda a cerimônia de vestir meu kimono, meia, sandálias e acessórios. Fazia um leve café da manhã se tivesse os ingredientes, após isso então eu sairia de casa para aproveitar então o dia.

- Bom dia, Rubeck. - Eu falava calmamente com a cidade, olhando para o céu. Prezava a minha liberdade, por mais simples que fossem minhas condições de vida em relação de minha vida anterior, pelo ou menos eu era livre para procurar quaisquer pessoas para ajudar, além disso, quem sabe assim eu não finalmente encontrava um objetivo pra eu mesma. Eu sabia que tinha que conseguir uma espada nova depois que a ultima quebrou na sessão de treinamento, talvez eu também devesse pegar mais leve agora que estou sozinha.

Após pensar comigo mesma, eu começava a fazer meu caminho até a loja de armas mais próxima observando, de forma atenta, as pessoas da cidade, afinal de conta era a parte mais viva e mais interessante de Rubeck, algo novo que sempre me surpreendia desde que cheguei. - Ah sim, também tenho que comprar alguns suprimentos médicos. - Eu falava suavemente comigo mesma novamente. Eu então verificava quanto dinheiro tinha comigo, - Talvez não seja o suficiente para reabastecer o estoque, mas dá para uma espada até razoável... - Eu afirmava em voz alta.

Continuava meu caminho, observando as pessoas. Pensando em pegar algum serviço, para ganhar dinheiro e poder reabastecer meu estoque. Durante todo meu caminho retribuiria todos os sorrisos, acenaria de volta e os eventuais "bons dias".

Dados:

Objetivos:






Última edição por Masques em Qui Ago 25, 2022 1:32 am, editado 1 vez(es)
mestrej
Imagem :
Causamortis I - Damnatio. 8bc098acf9cd103b55ca4613938621d2
Créditos :
7
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1839-aika-kin#19539 https://www.allbluerpg.com/t2065-aventura-dois-trabalhando-ate-desmaiar#22198
mestrej
Marinheiro
Re: Causamortis I - Damnatio. Seg Ago 22, 2022 11:33 pm


Quando a espadachim deu bom dia para a cidade ela escutou uma resposta inesperada.


-Bom dia, por que? Vai trabalhar vagabunda! - gritou um velho ranzinza no meio da rua puxando um carrinho vendendo carvão e resmungando tanto que parecia que as rodas da carroça dele gemiam de desgosto com a vida, mas na verdade era ele amaldiçoando o mundo.



A garota tomou seu café da manhã tranquilamente e de maneira prazerosa, tudo parecia bom no mundo nesse momento, mas acabou o que era doce, literalmente, por que ela percebeu que acabou o açúcar.



Então ela passou pela região mais movimentada da cidade em busca de ir nas lojas comprar suprimentos médicos e uma espada. O centro era lindo, tanta gente! Lojas cheias de coisas legais para comprar, o lugar todo tão bem construido, as familias passeando, parecia um paraiso, mas onde tem gente tem barulho, especialmente em um lugar de comercio se a Valentine demorasse muito lá teria facil uma dor de cabeça.



Primeiro ela passou na loja de armas de propriedade de uma mulher gorda que estava desinteressada em tudo, estava lá mastigando um chiclete e folheando uma revista. Se Valentine tentasse pedir uma espada a mulher apenas apontaria para alguns barris. Em um estavam as espadas gastas e velhas que custavam 125.000, olhar para elas fez a menina se perguntar se elas eram mais perigosas por causa do tétano que ela dariam do que o corte que elas podiam oferecer, no outro barril tinha espadas em bom estado, mas que não pareciam ser nem uma obra prima nem dos estudantes de ferreiro, porém iriam durar um pouco mais e tinham um corte melhor, porém custavam 250.000!



escolha a arma:



Depois Valentine poderia ir para a loja de suprimentos médicos apenas para sua tristeza, afinal os suprimentos médicos eram o olho da cara, claro ali tinha tudo, mas era impossível comprar todos os suprimentos que ela queria, ela teria que escolher com cuidado, principalmente se tivesse comprado alguma das armas.



suprimentos médicos:



Independente da escolha da garota um pouco antes dela sair da loja ela veria uma das atendentes colar um cartaz na janela:


Vaga para assistente de enfermagem




Histórico:

_________________

-fala
-pensamento


Causamortis I - Damnatio. XlBHzYe
Masques
Imagem :
Causamortis I - Damnatio. 4qsz
Créditos :
23
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t2087-valentine-deces#22482
Masques
Civil
Re: Causamortis I - Damnatio. Qui Ago 25, 2022 1:27 am

ACT 02


CAUSAMORTIS I - DAMNATIO.




Rubeck como sempre charmosa, um xingamento logo cedo para me deixar esperta, não pude deixar de dar um sorriso ao ouvir a voz do velho que escrachava para mim, para Deus e para o mundo. Após a amostra de charme do velho, fui até a loja onde queria ir, ainda não sabia o que fazer com meu dinheiro, afinal não tinha muito restante e tinha algumas necessidades. Passei o caminho ponderando comigo mesma o que deveria comprar e acabei me decidindo por gastar o dinheiro com uma espada, afinal nunca se sabe quando se pode cortar algo ou alguém em seu caminho, não?

Ao chegar na loja, para minha decepção as armas e os suprimentos médicos eram demasiadamente caros para meu orçamento, até uma arma comum era bem caro, eu até repensava a compra mas tudo ali estava aparentemente padronizado em caro. Eu suspirava enquanto aceitava o fato de que iria gastar minhas economias. - Bom dia, eu gostaria de uma katana comum por favor, se possível com o cabo vermelho. - Eu afirmava o meu interesse ao vendedor da loja, e quando o produto fosse trazido até mim eu então entregaria o dinheiro da compra a ele, agradecendo o seu serviço - Obrigada. -. Eu então passava a katana recém comprada na faixa presente na cintura do kimono, por dentro do sobretudo, depois de efetuar a compra, enquanto  rumava em direção à saída da loja pensando no que faria para recuperar o dinheiro eu então via um cartaz ser colado na loja.

Eu parei e li o cartaz, que dizia procurarem um auxiliar de enfermagem. E simplesmente as coisas se encaixavam como um grande quebra-cabeça, eu poderia ajudar e conhecer pessoas, assim como ganhar dinheiro... aparentemente a resposta de meus problemas haviam sido colados em uma janela. Eu então iria atrás da atendente para perguntar sobre a vaga. - Bom dia, meu nome é Valentine Décès e eu gostaria de me candidatar a vaga de assistente de enfermagem. Com quem eu falo? - Eu me apresentava e perguntava honestamente.

Caso ela me levasse até outra pessoa, eu então faria o mesmo processo de apresentação com a outra pessoa, caso fosse indagada sobre alguma experiência que eu precisasse eu então afirmaria - Eu trabalhei com as enfermeiras do orfanato, foi assim que aprendi tudo que sei sobre medicina, por anos ali cuidei da gente que precisava de atenção médica, eu não era a responsável mas ajudava bastante. - Afirmaria com um sorriso calmo no rosto.


Dados:

Objetivos:




mestrej
Imagem :
Causamortis I - Damnatio. 8bc098acf9cd103b55ca4613938621d2
Créditos :
7
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1839-aika-kin#19539 https://www.allbluerpg.com/t2065-aventura-dois-trabalhando-ate-desmaiar#22198
mestrej
Marinheiro
Re: Causamortis I - Damnatio. Sex Ago 26, 2022 9:23 pm


A celestial comprou sua arma de cabo vermelho e já estava percebendo que as coisas poderiam ser complicadas para ela quando o mundo jogou um salva vidas, ou melhor, mais difícil de conseguir, mais difícil de manter e mais fácil de perder: uma vaga de emprego! Ela imediatamente foi para dentro e falou com a atendente que a recebeu com um sorriso, viu a katana, se assustou um pouco, mas logo se acalmou pela atitude da espadachim e respondeu.


-A dona da clínica vai estar aqui em cerca de meia hora para fazer a entrevista, você pode se sentar lá no fundo da recepção junto com a outra candidata e aguardar.


Se a celestial assim o fizesse iria se depara com uma jovem garota lendo um livro grosso de medicina. Se Valentine tentasse falar com a concorrente seria respondida apenas com um pedido educado, mas seco, sério e não amigável para não conversar com ela para não quebrar a concentração da mesma; alguém realmente estava levando isso muito a sério, talvez até demais.


concorrente Catarina Cato:


Trinta minutos depois chegou a dona da clínica, uma loira alta e de postura dominante e intimidante muito bem vestida e com algumas jóias.


Dra.Evangeline:


-Bom dia garotas, eu sou a Dra.Evangeline, sou a dona dessa clínica. Estamos com uma vaga de serviço para uma funcionária dedicada e trabalhadora com habilidade. Essa clínica está no ramo a 5 anos de muito sucesso. Por favor, me acompanhem.


As duas candidatas foram guiadas para a sala da administração no andar de cima onde a Dra. Se sentou atrás de uma mesa.


- Então, me digam garotas, por favor se apresentem e me digam: por que eu deveria contratar uma de vocês?


-Doutora, me chamo Catarina Cato, eu sou estudante de enfermagem, estou no meio do curso e não tenho experiência, mas tenho feito meus estudos nos últimos anos e estou pronta para realizar todo o serviço médico. Trabalhar para a senhora vai me dar uma grande experiência.


-hmm, a falta de experiência é boa, eu posso te treinar, na verdade eu costumo ensinar todas as funcionárias uma longa série de funções, claro isso também quer dizer que eu espero que você faça mais do que sua função. As pessoas com experiência tem hábitos que são bastante difíceis de mudar.


Então a loira alta voltou seu olhar para a celestial e fez uma cara ruim, afinal a garota não estava vestida para uma entrevista de emprego e estava carregando uma katana.


- Eu trabalhei com as enfermeiras do orfanato, foi assim que aprendi tudo que sei sobre medicina, por anos ali cuidei da gente que precisava de atenção médica, eu não era a responsável mas ajudava bastante.


-então você tem experiência, o que na verdade pode não ser bom e nem um treinamento formal. Além disso, está com uma katana em uma entrevista de emprego. Que tal você tentar me convencer a te contratar.




Histórico:

_________________

-fala
-pensamento


Causamortis I - Damnatio. XlBHzYe
Masques
Imagem :
Causamortis I - Damnatio. 4qsz
Créditos :
23
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t2087-valentine-deces#22482
Masques
Civil
Re: Causamortis I - Damnatio. Ter Ago 30, 2022 1:03 am

ACT 03


CAUSAMORTIS I - DAMNATIO.





Após perguntar sobre o cartaz sobre o emprego de auxiliar de enfermagem, me foi explicado que eu ainda havia de aguardar a chegada da doutora para então fazer a entrevista. Me dirigi então à área apontada onde podia ver algumas cadeiras, estando uma ocupada pelo que podia imaginar ser uma concorrente à vaga de emprego, ela parecia ser uma garota estudiosa ao julgar pelo grosso livro que estava lendo. Eu a observava calmamente, sem quebrar o silêncio, afinal de contas a sua concentração no livro parecia ser de suma importância para ela naquele momento e francamente eu não precisava saber o seu nome ou sua história, apenas o fato de que ela estava ali naquele momento era suficientemente interessante.

A figura imponente, dominante da doutora então chegava. Seus cabelos loiros e joias definitivamente desenhavam outra figura interessante naquele dia, a observei atentamente até que então o silêncio era quebrado. A mulher alta e loira se apresentava como Dra. Evangeline, aproveitava também para apresentar brevemente a clínica onde estávamos, fomos então seguindo a Dra. até uma sala de administração da clínica, onde ela se sentava atrás de uma mesa e pedia para que então começássemos com as nossas apresentações.

Minha concorrente começou a falar antes mesmo que eu pudesse bolar de fato uma apresentação, apresentou seu nome que era Cato, além de informar também dos seus estudos e de sua falta de experiência. Uma garota bem interessante de fato, talvez ela mereça a vaga mas eu deveria tentar já que estou sem dinheiro e eu acho que precisaria de mais um pouco para continuar sobrevivendo. Após a apresentação de Cato, a estudante de enfermagem, Evangeline me fitava, com uma cara não muito boa, mas tudo bem as vezes eu causo esse tipo de impressão nas pessoas.

Após a minha breve apresentação e resumo, a Dra então expressava seu descontentamento com as minhas experiências não muito ortodoxas, o que também era entendível. Como se fosse algum tipo de desafio ela então me dizia para convencê-la a me contratar, a qual eu pronta e calmamente responderia - Se a Dra. realmente quiser iniciar a carreira dessa bela jovem na medicina tudo bem, não vejo problema algum. Entretanto... - Eu daria uma leve pausa fechando meus olhos, ainda com um rosto calmo - Peço que se lembre do começo do seu processo de aprendizado, todos os erros de diagnose, erros em momentos críticos e até em pequenas cirurgias. Afinal estamos falando de vidas aqui, há pequeno senão nenhum espaços para erros. - Eu voltava a abrir meus olhos e olhar para a doutora.

- Eu ainda sugiro dar um cargo, nem que seja de aprendiz para essa jovem, tenho certeza de que crescerá para se tornar uma bela profissional. - Eu sorriria levemente ainda relembrando-a que se o cargo fosse meu ou da jovem não me importava muito, havia outros métodos de fazer dinheiro, além disso não é como se eu fosse ficar toda a minha vida aqui como enfermeira. Procurar um bico era mais complicado do que eu lembrava, mas tudo bem, assim como dizem isso faz parte da vida, eu então esperaria a resposta da doutora para que pudesse então decidir meu próximo passo.

Caso a vaga fosse minha, eu então diria - Muito bem, eu darei o meu melhor... Por uma semana, tudo bem com você? - Eu expressaria então não só a minha vontade de trabalhar assim como o prazo que ficaria ali e caso ainda houvesse espaço para fala eu diria - Assim eu posso ajudar não só com a clínica mas com o treinamento da srta. Cato para quando eu me for, deixando assim a clínica com uma substituta mais madura. - Eu terminava minha fala expondo minha ideia e me parecia uma ideia ótima.

Se por sua vez Evangeline desse a vaga para Srta. Cato, eu então batia palmas leves e rápidas esboçando um genuíno sorriso em meu rosto; - Muito bem Srta. Cato, você conseguiu! Eu te desejo muita boa sorte em sua jornada. - Eu então me curvaria lentamente em respeito as duas mulheres presentes na sala e e sairia do escritório rumo a alguma loja que estivesse por ali, ou até avistar algum quadro de avisos que me informasse de outros possíveis bicos para conseguir um pouco mais de dinheiro, talvez até poderia caçar alguém por dinheiro?

Dados:

Objetivos:

OFFzinho dos cria:




mestrej
Imagem :
Causamortis I - Damnatio. 8bc098acf9cd103b55ca4613938621d2
Créditos :
7
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1839-aika-kin#19539 https://www.allbluerpg.com/t2065-aventura-dois-trabalhando-ate-desmaiar#22198
mestrej
Marinheiro
Re: Causamortis I - Damnatio. Qua Ago 31, 2022 11:46 am


A dra. Evangeline escutou os argumentos da celestial com um rosto que demarcava que seus argumentos não eram muito convincentes, porem ela ficou uns bons minutos tensos olhando para as duas em uma consideração silenciosa agravada pela imponência que a mulher mais velha tinha.


-Você é bastante simpática senhorita Valentine, a capacidade comunicativa é de extrema importância para o sucesso de uma clínica, tanto se não mais do que a capacidade medica propriamente dita. Afinal aqui não estamos tratando urgência e emergência, os pacientes nos tratam como tratam lojas comuns e temos vários concorrentes. Ser capaz de convencer o cliente a comprar nossos serviços ao invés de ir a outra clinica define se uma clínica irá continuar aberta ou não. Então, está contratada. Pode começar amanhã. – Respondeu a Dra. Evangeline apertando a mão da Celestial enquanto Catarina parecia derrotada.


- Muito bem, eu darei o meu melhor... Por uma semana, tudo bem com você?- Isso fez tanto a Dra. Quanto Cato olharem com os olhos arregalados para a espadachim - Assim eu posso ajudar não só com a clínica mas com o treinamento da srta. Cato para quando eu me for, deixando assim a clínica com uma substituta mais madura.


-Nos não fazemos bicos por aqui, mas... bem, se você só vai ficar uma semana, então, eu vou contratar as duas. Apareçam aqui amanhã 7 horas da manhã.


Isso deixou a menina com aparência felina de boca aberta e bastante agradecida agradecendo profusamente tanto a Dra. Evangeline quanto a Valentine.



Off: no próximo post vc vai narrar o que aconteceu nessa semana de trabalho, como foi o treinamento de trabalho que a Dra. Evangeline te deu, o que vc ensinou para a Catarina, como foi a rotina de trabalho. No próximo post vc tem controle total e dependendo da qualidade do que vc fizer eu irei te recompensar, pode até ganhar algum item, além disso eu vou deixar também vc já fazer o treino de proficiência que quiser com a Dra. Evangeline, mas tem que ser algo que uma medica ou uma empresaria de sucesso poderia saber, nada de aprender acrobacias por exemplo, em caso de dúvida se vc pode ou não aprender algo com ela me pergunta no discord. Quanto a qualidades a dra. Pode dar inicio a um treino de Liderança, mas só isso e treinos de qualidades tem um sistema próprio.
Só pra vc saber eu sou dono de uma clínica medica, então eu vou saber se vc narrar errado.
Histórico:

_________________

-fala
-pensamento


Causamortis I - Damnatio. XlBHzYe
Masques
Imagem :
Causamortis I - Damnatio. 4qsz
Créditos :
23
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t2087-valentine-deces#22482
Masques
Civil
Re: Causamortis I - Damnatio. Seg Set 19, 2022 1:36 pm

ACT 04


CAUSAMORTIS I - DAMNATIO.





Aparentemente depois de certa estranheza, a Dra havia concordado em me deixar trabalhar na clínica por 1 semana, onde eu deveria fazer meus deveres como assistente e também ensinar a Senhorita Cato certa experiência de campo. Conforme indicado pela doutora, eu deveria estar ali no dia seguinte as 7 da manhã, para começar a trabalhar, o que não havia problemas pra mim. Pelo momento então voltaria pra casa onde então descansaria e dormiria cedo para acordar no outro dia no horário combinado.

- COMEÇO DA SEMANA DE TRABALHO


1º Dia: No primeiro dia, me foi mostrado juntamente da Senhorita Cato o estabelecimento, onde estavam os remédios, ervas, onde os pacientes eram tratados e uma sala para procedimentos médicos de maior complexidade, também foram explicadas normas de segurança principalmente voltada a limpeza e esterilidade dos praticantes da medicina e dos enfermeiros. Em determinado momento a Dra. Evangeline voltou conosco a sala onde havia feito a entrevista e nos deixou claro as funções que iríamos estar fazendo, o que estava dentro de minhas expectativas.

Então fomos a um espaço separado para que a equipe possa então trocar de roupas, e colocamos as devidas roupas para trabalharmos na clínica. Não houve muito movimento nesse dia, exceto por alguns senhores que foram enviados diretamente do bar por estarem alcoolizados demais, então eles foram colocados em algumas cadeiras. Os remédios administrados foram 300 mg de Tiamina conforme orientado pela Dra. Evangeline, a injeção deveria ser intramuscular, o primeiro paciente eu tratei já no segundo ajudei a Srta Cato a tratar o paciente, indicando a a como realizar todo o procedimento e também ao costume de colocar um balde do lado do paciente nesses casos. Após certo tempo de observação, os homens foram liberados, então eu e a Senhorita Cato fomos realizar a limpeza dos instrumentos e o seu devido descarte.

Na madrugada do segundo dia a emergência já era mais corrida, dois garotos entraram correndo um havia um corte feio na mão um pouco acima de seu polegar e o segundo tinha alguns ralados nos joelhos, provavelmente provenientes de alguma queda. Então, fui ao atendimento dos garotos, primeiro de tudo perguntei o que havia acontecido, e me foi informado que ambos os garotos haviam caído e um deles se cortou com uma garrafa que segurava. Orientei a Senhorita Cato a analisar o segundo garoto, anotar em seu prontuário quaisquer ferimentos que ele tivesse e que ela chamasse então a Dra. para que ela pudesse vir e dar o devido atendimento aos garotos.

Uma vez que Dra. Evangeline chegou junta de Srta.Cato foi realizado o tratamento do garoto com o corte além de determinar qual remédio seria utilizado nos ferimentos do outro garoto. Prontamente fui até os remédios para pegá-los enquanto Cato havia ficado encarregada de pegar as gazes e ataduras para realizar os curativos, retornando, aos garotos então realizamos os curativos e a aplicação dos remédios indicados.

Nesse dia também foi dada uma aula de farmácia da própria Dra. para que eu e a Srta.Cato conseguíssemos fazer unguentos e remédios, nessa aula não foi só ensinado a receita de tais unguentos mas o que cada componente fazia, como por exemplo o gel de uma planta chamada babosa, cujo cataplasma age como hidratante e calmante para a pele, além de ajudar dando certo alívio para as dores, assim como o mel que possui propriedades anti-inflamatórias e antibacterianas. Foi também ensinado a como colher tais ingredientes e como administrá-los em ferimentos, isto é: quantas vezes ao dia e como limpar.

Foi ensinado na segunda parte da aula em outro momento, que certos componentes químicos e suas propriedades assim como elas reagem ao corpo humano, como exemplo foi utilizado o remédio que foi utilizado nos senhores que chegaram em um estado de quase coma alcóolico, a Tiamina se trata de uma vitamina cuja deficiência pode causar cansaço e letargia e no caso precisavam ter o quadro oposto, logo o remédio foi administrado para que então tivessem a energia suficiente para que seu organismo pudesse voltar a trabalhar em filtrar ou expulsar o álcool de seus corpos. Ensinado também sobre lidocaína e suas ações como anestesia local, entre outros componentes que poderiam ser utilizados em diferentes casos.

Os outros dias foram mais do mesmo, até tive a chance de realizar primeiros socorros básicos em alguns pacientes e passava maior parte do tempo treinando e ensinando Srta. Cato a tratar dos pacientes, transferindo meu conhecimento para ela para que quando eu fosse embora ela pudesse então ficar e conseguir sobreviver nesse ambiente. O ultimo dia entretanto, foi deveras caótico, onde várias pessoas foram mandadas a clínica e alguns precisavam de procedimentos básicos e outros com outros com ferimentos mais severos e internos precisavam de procedimentos mais complexos. Como havia passado meus conhecimentos de primeiros socorros para Srta. Cato, Dra. Evangeline a fez cuidar dos ferimentos mais leves na emergência e quanto a mim eu estaria auxiliando-a na sala de procedimentos.

Durante os procedimentos a Dra. pedia que eu saísse e verificasse a situação da emergência e pude ver que a Srta. Cato estava conseguindo lidar com os ferimentos leves de maneira adequada, dando uma vazão na massa de pessoas que haviam chegado. Quando perguntava se ela precisava de ajuda ela só indicava que eu podia voltar para a sala da Dra. e avisá-la que estava tudo bem. Enfim, eu então voltava e auxiliava a Dra em seus procedimentos até que os pacientes necessitados acabassem.

- FIM DA SEMANA DE TRABALHO


No final do sétimo dia então, eu iria a sala da Dra. Evangeline para lidar com o que deveria ser lidado para que se encerrasse a minha semana de trabalho. Eu então bateria na porta esperando a minha indicação para que eu pudesse entrar, após qualquer indicação então eu entraria e com um sorriso no rosto eu diria - Boa noite, Dra. Evangeline, creio que hoje se encerram minhas atividades, gostaria de agradecê-la pela oportunidade. - Eu então me curvava levemente em respeito a Dra, esperando sua resposta.

Dados:

Objetivos:

OFFzinho dos cria:




mestrej
Imagem :
Causamortis I - Damnatio. 8bc098acf9cd103b55ca4613938621d2
Créditos :
7
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t1839-aika-kin#19539 https://www.allbluerpg.com/t2065-aventura-dois-trabalhando-ate-desmaiar#22198
mestrej
Marinheiro
Re: Causamortis I - Damnatio. Qua Set 21, 2022 12:50 pm


A Dra. Evangeline estava cuidando de alguns documentos quando ela deixou a anja entrar com um simples resmungo, era o final do dia e quase noite nesse ponto e a Dra. Estava ocupada com assuntos administrativos da clinica, o que incluía o pagamento dos salários.


-Ah, sim, senhorita Valentine, deixe-me dizer que você fez um ótimo trabalho nessa semana, sua experiência previa veio bem a calhar e seu ensino da profissão Srta. Cato foi ótimo. É uma pena que não queira permanecer aqui, mas suponho que os jovens de hoje estejam todos querendo correr pro mar para se meter em problemas, mas em fim, aqui esta, o salario de uma semana e mais uma coisinha por treinar sua substituta.


A Dra. Entrega a ela uma caixa de papelão branca bonita, no interior da mesma estava um simples, padrão, mas elegante e novinho estetoscópio e uma quantia equivalente a 10 vezes o valor que Valentine gastou na sua espada e coloca na mesa estendendo para a garota com um gesto para que a mesma pegasse.


-Então me diga, o que pretende fazer em seguida? Eu posso sempre lhe fazer uma indicação, talvez uma carta de recomendação.


A Dra. Evangeline se reclinou na cadeira esperando uma resposta, talvez ela tivesse mais trabalho para a celestial.



Off: Ok, teve uma fuga do tema aqui, eu falei q era uma clínica medica, não um hospital, até mencionei que não atendia urgência e emergência, dito isso foi um bom urgência e emergência, então a recompensa foi escolhida rolando 1d10.

Histórico:

_________________

-fala
-pensamento


Causamortis I - Damnatio. XlBHzYe
Masques
Imagem :
Causamortis I - Damnatio. 4qsz
Créditos :
23
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t2087-valentine-deces#22482
Masques
Civil
Re: Causamortis I - Damnatio. Qui Dez 01, 2022 11:52 pm

ACT 05


CAUSAMORTIS I - DAMNATIO.





Com um sorriso brando, eu agradecia os elogios realizados pela Dra. Evangeline; - Muito obrigado pela oportunidade, doutora. Foi um prazer trabalhar aqui essa semana. - Esperaria certo momento, querendo ser educada e não voltada 100% ao que ela havia me dado. Eu então coletava o que ela havia me dado, abrindo o presente ali, vendo o estetoscópio que me fora dado. Com uma cara de surpresa, eu olhava várias vezes, para o estetoscópio e para a Dra. sem saber o que dizer ao certo, eu abraçava o pacote com carinho fazendo uma reverência como fui educada em minha família como forma de agradecimento pelo presente; - Ah! Muito obrigado Dra, é uma ferramenta linda, eu farei com toda certeza um bom uso dela. -

Quanto às perguntas da doutora, eu parava as inúmeras reverências que eu fazia com uma expressão genuína de profunda reflexão; - Bom, agora, eu não tenho nada planejado ao certo. O que eu realmente pretendo é encontrar alguém interessante e com um desejo de viajar pelos mares. - Eu dava de ombros voltando a expressar um sorriso calmo - Tenho certeza que uma hora ou outra encontrarei alguém do tipo por aí. - Novamente eu faria outra reverência, me despedindo da Dra e seguindo meu caminho para fora da clínica com uma breve despedida - Novamente, obrigado por tudo Dra. te desejo tudo de bom. - Eu saía, indo em direção a algum lugar que tivesse algum serviço que me alimentasse, fazia um tempo que não comia.

Eu observaria quem ia e vinha, praticando meu hobby favorito de observar pessoas e seus devidos trejeitos curiosos, nada demais apenas gostaria de observar para caso meu destino de fato cruzasse com o de alguém naquele momento. Não que eu soubesse apenas de olhar, mas não consigo me privar de tanta informação absorvida pelos meus olhos, eu pensava enquanto ria baixinho para eu mesma. De qualquer forma talvez eu precisava procurar algum caminho para seguir, porém primeiro, restaurante e comida.



Dados:

Objetivos:

OFFzinho dos cria:




gmasterX
Imagem :
Causamortis I - Damnatio. 350x120
Créditos :
12
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t2370-ryohei-wakatsuki https://www.allbluerpg.com/
Re: Causamortis I - Damnatio. Sex Dez 02, 2022 1:15 am
A vida imita a arte

Diário diário, hoje estarei dando o meu primeiro passo em direção ao fim de minha jornada. Depois de toda furdunço antes de minha partida e após viajar praticamente de graça, eu consegui escapar de minha ilha natal.  A princípio, eu achei que seria mais bacana, sabe? Do jeito que meu avô contava sobre como ele se virava no dia-dia e essas coisas, eu pensei que minha primeira viagem fosse ser algo mais espetacular... Algo além de lavar pratos e limpar o convés teria sido ótimo... Pelo menos eu consegui ouvir umas histórias e uns trocados por ter trabalhado tão bem lá, e quem sabe alguns contatos para sair da ilha mais tarde.

Por enquanto, vamos deixar todo esse lenga-lenga de lado e partir para o que importa: Por onde eu começo? Quero dizer, a resposta mais óbvia e arranjar abrigo e comida, depois disso, preciso de um emprego, pois claramente não tenho fundos, daí a gente pensa sobre a arte, apesar de me doer muito deixar as minhas pinturas em segundo plano... Se ne sobrar tempo, a gente pode explorar a ilha...? Bom, já é algo, considerando o quão vago são os itens da bendita lista do meu avô! Claro que eu saberia reconhecer um castor felpudo gigante se eu visse um, mas como eu acho o “rosto de alguém que acabou de reencontrar a alegria”?!?!? Eu acredito que isso não seja impossível, pois apesar de ter um senso de humor esquisito, meu avô nunca mentiria sobre esse tipo de assunto. Fora que, de acordo com as descrições detalhas que ele me deu, eu posso presumir com duzentos por cento de certeza que ele viu essas coisas.

Bom, chega de ficar enrolando aqui no porto e vamos botar as mãos na massa. Agora que chegamos nessa ilha, nós vamos sair daqui e... Levei minha mão ao queixo e olhei a minha volta. Achar alguém que esteja contratando, eu acho. Não importa o tipo de estabelecimento, mas acredito que deveria dar prioridades para bares e tavernas. Trabalhando nesse tipo de estabelecimento, eu posso ter uma pista sobre um possível item da lista aqui na ilha. Primeiro, buscaria um distrito comercial ou algo assim. Geralmente esses locais possuem um fluxo grande de pessoas, então não deve ser impossível de se achar. Já no centro comercial, eu buscaria letreiros e placas oferecendo uma vaga. Segundo o meu avô, deveria ser simples assim achar um emprego num lugar novo, porém, pode haver um cenário onde eu não encontre o que eu busco, por isso, eu preciso criar a oportunidade. Se não encontrasse nenhum anuncio de vagas, eu entraria no primeiro estabelecimento que visse, e sem dizer uma palavra, eu abria espaço na loja, me sentaria e tentaria girar minhas pernas e a parte inferior do meu corpo, me apoiando sobre apenas uma mão, tentando executar o movimento de break dance conhecido como “Flare”. Em seguida, eu apoiaria meu ombro e minhas costas no chão, fazendo uma transição pro movimento “Windmill”. Por fim, eu passaria para o “Shoulder spin”, interrompendo o giro em direção ao lojista. - Eu preciso de um emprego... Essas são minhas habilidades. - Não tem como isso dar errado, não é?

Agora, tudo que me resta é colher os frutos do meu plano.
Histórico:

Objetivos:
Shiori
Imagem :
Causamortis I - Damnatio. EEEWL0c
Créditos :
24
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t363-shiori-miyamoto#1109 https://www.allbluerpg.com/
Re: Causamortis I - Damnatio. Qua Dez 07, 2022 11:52 pm



Valentine Décès

Depois de receber sua semana de salário e ainda seu estetoscópio, ela educadamente agradeceu. Dizendo o que iria fazer, e repetiu seu agradecimento novamente ao final, a mulher que havia lhe empregado sorriu e disse.-Ir para o mar é uma boa escolha realmente. Acho que você tem futuro, fez um ótimo trabalho aqui, então deve crescer muito na carreira logo logo.-E foi acompanhando a garota até a porta enquanto falava.

No fim ainda desejou uma boa sorte para ela, uma que deveria acompanhar pelo resto de sua jornada, ou assim esperava a empregadora que definitivamente gostou dela.-Boa sorte em sua viagem moça, espero que a estrada venha sempre até você, e que o vento esteja sempre a seu favor, que as boas novas te alcancem. Espero que nos vejamos de novo.- e foi acenando enquanto via ela indo embora para finalmente sua próxima busca, olhar os civis, enquanto procurava algum local de comer.

Ela observava os civis pelos arredores, percebendo as mais variadas pessoas, desde velhinhos passeando pelas ruas, crianças que vez ou outra passavam correndo por ali. Vendedores ambulantes empurrando suas barraquinhas, afinal era um lugar bastante urbanizado, com uma densidade populacional alta.

Ryohei Wakatsuki

Ryohei pensava sobre seu passado, as dez coisas que ele queria pintar, afinal o que diabos seu Avô quis dizer? Ele devia ter pensado nisso, antes de aceitar, se ele tivesse pensado nisso, nada disso teria acontecido. Ele até mesmo se questionava de suas possibilidades e como isso poderia afetar sua possibilidade, afinal como ele ia reconhecer alguem que acaba de recuperar sua felicidade? Existem coisas dificeis, mas certamente isso era algo que ele factualmente descobriria um dia.

Mas isso tudo derivava de seu passado, seu presente era mais sombrio ele chegava para um mercado, que acreditava ali que seria o ponto, olhando para um homem mais jovem que se vestia bem, e parecia no minimo ser o gerente ele começou a exibir suas habilidades de dança, algo que algumas pessoas pararam para olhar.

Todos

Enquanto isso do ponto de vista de Décês que acabara de avistar um restaurante poucos metros a frente, também tinha um maluco fazendo uns passos muito lokos na frente de um mercado, ele levantava e então dizia que procurava emprego. O homem de terno, cabelo curto, bem simples, olhou a situação, pensou e disse.-Ah, não me entenda mal eu gostei do que vi, mas não contrato showman, entretanto, ali a frente, no restaurante eles contratam pessoas para shows, e estão precisando de alguém, acho que tenho folheto espera aí.-  ele vasculhou os bolsos de seu paletó, a procura dessa resposta, então ele finalmente entregou o bilhete.

Era um simples, eles procuravam dançarinos ou musicos para show durante a tarde daquele dia, pagamento a combinar. De toda forma era logo ali na frente o mesmo restaurante para o qual Décês parecia estar indo até então. Coincidencia? Eu acho que não… Se algum deles fosse ou ambos, veriam que tratava-se de um lugar bonito, cheio de mesas de madeira bem polida, um palco todo em madeira, com grande tapete vermelho onde deveriam ocorrer os show. Na lateral esquerda a porta  para entrada e saída dos funcionários, onde ficava a cozinha, dava para saber pois alguns vinham com pratos para entregar nas mesas.

Ao lado da porta o balcão com 3 pessoas responsáveis pelo atendimento, certamente era ali que poderiam se envolver com o que quer que fosse nesse meio tempo. A direita era uma moça jovem de cabelo preto, com vestes comuns de garçon, com as mesmas vestes ao centro, um homem já mais velho provavelmente na casa dos trinta, cabelo lambido castanho, e a esquerda uma loira de uns 25 anos mais ou menos cabelos longos que quase tocavam o solo, vestida como os dois, mas seu uniforme não parecia sere tão adequado, seu busto era tão grande que os botões pareciam que iam saltar a qualquer hora e causar um acidente.

off:

Histórico Valentine:

Histórico Valentine:

_________________

Causamortis I - Damnatio. YHVeK1M

Causamortis I - Damnatio. VYrwji0
Masques
Imagem :
Causamortis I - Damnatio. 4qsz
Créditos :
23
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t2087-valentine-deces#22482
Masques
Civil
Re: Causamortis I - Damnatio. Sex Dez 09, 2022 10:17 pm

ACT 06


CAUSAMORTIS I - DAMNATIO.





Observando os civis que andavam por ali, bom pensando bem eu também era uma civil andando por Rubeck mas bem, enquanto andava, pude ver então finalmente alguém minimamente interassante, algo que se destacava entre a multidão. Um jovem alto, bem pálido quase quanto uma daquelas lápides clássicas fazia passos de danças bem chamativos para um homem que era francamente desinteressante no mínimo. De qualquer forma, permaneceria a uma certa distância dos homens enquanto eles conversavam, no momento não me interessava na conversa e também não sabia se estava completamente investida naquela figura que possuía um c... CABELO DE DUAS CORES?! Como não havia percebido isso antes? Bom de qualquer forma ficaria ainda afastada observando as figuras com certa cara de paisagem.

Eu ficaria observando a figura enquanto ela prosseguia com seus planos, eu não evitaria ser notada apenas manteria minha distância enquanto a figura dançante continuava com seu dia. Caso ela entrasse, em qualquer recinto eu entraria também para acompanhá-lo e ver em quais improváveis aventuras ela conseguiria entrar. Novamente, estava em uma zona de conforto, em Rubeck não era todo dia que se encontrava alguém para se observar ou algo para se fazer.

Apenas interviria caso ele estivesse em algum perigo, aonde então eu me aproximaria e caso ele estivesse em uma discussão com alguém eu me aproximaria calmamente, eventualmente interrompendo a conversa com um calmo - Perdoe-me a interrupção, você está atrapalhando um grande homem no caminho de seu sonho e eu acho isso horrível da sua parte. - Permanecendo a todo momento com uma expressão e tom de voz calmo.

Me manteria à distância também caso ele se metesse, por algum motivo em alguma confusão física, até que o primeiro golpe direto fosse atingido, nesse caso eu iria em direção ao combate tentando apenas interromper as duas partes, ao invés de tentar retribuir a agressão ou qualquer coisa que tenha acontecido naquela confusão. Mas a primeira instância a idéia era manter minha distância e ver no que iria dar o futuro imediato do homem dançante.


Dados:

Objetivos:




gmasterX
Imagem :
Causamortis I - Damnatio. 350x120
Créditos :
12
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t2370-ryohei-wakatsuki https://www.allbluerpg.com/
Re: Causamortis I - Damnatio. Sab Dez 10, 2022 11:20 pm
A vida imita a arte

Diário diário... Lembra daquela tentativa de arranjar um emprego que eu comentei a umas páginas atrás? Bem, não deu tão certo assim... Parece que eles não precisam de dançarinos num mercado, apesar de eu aceitar qualquer tipo de vaga. Isso deixou bem claro que meu plano infalível era na verdade bem falível. Até porque, break dance não está no conjunto de habilidades requeridas para varrer ou estocar. Tudo isso por causa da minha velha mania de me precipitar...  São esses momentos que me fazem lembrar dos sermões e puxões de orelha de meu pai. Sei que isso é bem clichê de minha parte, mas agora vejo como aquelas lições no campo de batalha são importantes no dia-dia.

Bom, apesar disso tudo, minha primeira investida e interação na ilha não foi de todo mal. Pelo o que meu avô me contou, geralmente é nessa altura que eu já teria levado um tiro, ou teria sido esfaqueado por ser um “bundão”. Fora que mesmo rejeitado, recebi uma indicação, o que significa que esse cavalheiro aprovou minhas habilidades como dançarino. Por ele não ter me mandado embora e ainda ter o trabalho de me direcionar com um folheto, posso acreditar que ele é alguém com quem eu posso contar no futuro. Hmmmm... Num ponto de vista tático, isso é mais uma vitória do que uma derrota, pra falar a verdade.

Analise a parte, estou certo de que não tenho mais nada para fazer por aqui, já que não tenho o emprego e nem o poder aquisitivo para me tornar um cliente. Antes de qualquer coisa, eu me prostraria perante o homem, para deixar bem claro o quão grato eu estava. - Muito obrigado pelo seu tempo e sua ajuda. Assim que possível, eu retribuirei esse favor. Até lá, você pode contar comigo para qualquer coisa. - Eu diria, me virando e seguindo o caminho indicado até o restaurante.

Na verdade, pera aí. Tem uma outra coisa que a gente precisa abordar, Diário. Tenho quase certeza que tem uma senhorita me observando e isso está me dando arrepios. Se eu fosse alguém comum, talvez não tivesse notado, mas minha visão periférica é muito boa por causa de meu terceiro olho. E-Eu não faço ideia sobre onde e como eu posso alertar as autoridades da ilha, por isso eu acho melhor ficar de olho bem aberto e não entrar num beco escuro ou algo do tipo. Só que, parando pra pensar, isso não é nada solido, então não passa de uma suspeita. O que quer dizer que talvez seja só coisa da minha cabeça. De qualquer modo, eu estarei bem enquanto houver essa multidão a minha volta, eu acho...

Em ritmo acelerado, fui em direção ao tal restaurante. Não sabia exatamente o que esperar, pois a arquitetura e a cultura daquela ilha eram bem destoantes de minha terra natal, mas a visão a minha frente não era nada menos que surpreendente. Era um local simples, em comparação ao palácio que fora minha morada. Tinha um charme próprio, sabe? Um lugar um pouco aconchegante, eu diria.  

Logo na entrada, havia três figuras que pareciam prontas para atender, mas o que me chamou a atenção mesmo foi a moça de cabelo loiro.  Suas roupas justas ressaltavam seu busto que era bem avantajado, mas o que me saltava os olhos eram os guerreiros de fronte que seguravam a roupa dela. Não me entenda errado, eu não sou esse tipo de homem, mas por ter um olho extra, a probabilidade de um daqueles botões voar e me cegar é bem alta. Durante a minha estadia ali, eu me concentraria ao máximo para não levar os meus dois olhos principais para qualquer lugar abaixo da linha dos ombros dela.

- Olá, eu vim pois me disseram que precisavam de um dançarino. Pretendo preencher essa vaga, mas se já tiverem um candidato eu posso fazer outra coisa. Eu sou novo na ilha e preciso do dinheiro. - Eu diria, me prostrando. - Ah! Perdão, eu não me apresentei direito. Me chamo Ryohei. Sou um pintor em ascensão, mas também sei esculpir, dançar e redigir textos. Fora isso, também sei fazer todo tipo de trabalho braçal necessário.

Se fosse aceito assim, logo de cara, eu logo diria: - Quanto ao pagamento, eu só preciso do suficiente para ter onde ficar. - Após isso, eu me informaria sobre os detalhes da minha tarefa ali.

Se me fosse negado a vaga, o que era um pouco improvável, tudo que me restava a fazer era voltar para as ruas, mas passaria um tempo, escutando buscando qualquer cochicho que possivelmente incluísse algum item da lista.
Histórico:

Objetivos:
Shiori
Imagem :
Causamortis I - Damnatio. EEEWL0c
Créditos :
24
Ver perfil do usuário https://www.allbluerpg.com/t363-shiori-miyamoto#1109 https://www.allbluerpg.com/
Re: Causamortis I - Damnatio. Dom Dez 11, 2022 10:09 pm



Todos

A mulher tinha encontrado alguem pra seguir, e nosso cabelinho de cuia, tinha encontrado um destino, claramente isso aconteceu como um sucesso, apesar de ele achar que tinha falhado estava vivo e não com 14 balas enfiadas no peito, era um bom começo numa ilha por sinal, terminar vivo… Mas bem, eles dois seguiram “Juntos”, já que ela não o conhecia, e para Ryohei ela poderia ser uma psicopata esperando ele ficar sozinho, afinal ela apesar de bonita, era sinistra também, então é bom ter todo um cuidado.

Se ficar sozinho ele poderia ser devorado, ela pode ser uma senhora canibal ou algo assim, isso parece ta na moda hoje em dia. De toda maneira, chegando lá dentro ele falou o que veio fazer, ele já foi falando do cache, que por sinal… Ele só queria um lugar pra ficar? O cara era definitivamente humilde.

Mas o rapaz que estava ali não era bem o dono do estabelecimento, então, ele particularmente não queria explorar ninguém.-É bem verdade, estamos precisando de alguém pro show, mas calma lá, o chefe tá oferecendo 2.500.000 para fazer dois shows de uma hora cada. Mas você precisaria subir no palco, em 5 minutos, consegue?, tem uma banda aqui também, você pode pedir uma música pra eles, e acompanhar fazendo sua parte.- ele dizia pra ele, vendo que que o rapaz ia fazer.

Enquanto isso o garçom chegou para a perseguidora, que observava tudo, dizendo.-Bom dia moça, você gostaria de algo para comer?- e colocava o cardápio, tinha de um tudo nele, parecia ser um restaurante muito bom, já que ia de Sushi, pra baião de dois. Sucos bem variados, refrigerantes e bebidas alcoólicas também estavam estabelecidas ali.

Então já tinha mais um pouco para ela poder se saciar, afinal ela também estava antes na busca por algum tipo de restaurante, comer já não seria agora um dos seus problemas, poderia ser uma stalker de barriga bem cheia.

Se nosso garoto fosse até a banda, veria que tinha um cara com um tambor grande, daqueles que se toca com a mão, e do lado do tambor um carron, ele devia variar entre os dois, tinha a garota da biwa também, um cara com violão, e um maluco com contra baixo, cara com cabelão que batia no chão cobrindo a cara. Além disso tinha um pandeiro, e um triângulo, era definitivamente uma galera meio variada.

Histórico Valentine:

Histórico Ryohei:




_________________

Causamortis I - Damnatio. YHVeK1M

Causamortis I - Damnatio. VYrwji0