Tópicos Recentes
Destaques
Klaus
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Akira
Sasha
Ás
Shiori
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Vago
Últimos assuntos
Perpétuos I - Malfeito FeitoHoje à(s) 9:02 ampor  MakaRegistro de PhotoplayerHoje à(s) 5:40 ampor  RyomaRenHoje à(s) 5:30 ampor  Ryoma[Criações] - RenHoje à(s) 5:29 ampor  RyomaZaynHoje à(s) 5:26 ampor  RyomaAgatha HarknessHoje à(s) 5:20 ampor  RyomaAnnabelle Petit BarozziHoje à(s) 5:17 ampor  Ryoma''Sir'' Douglas WhitefangHoje à(s) 5:04 ampor  Ryoma[Criações] - ''Sir'' Douglas WhitefangHoje à(s) 5:04 ampor  RyomaJoe SinsHoje à(s) 5:01 ampor  Ryoma
Página 3 de 7 Página 3 de 7 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte
Sasha
Ver perfil do usuário
Imagem : Preâmbulo do Infinito - Página 3 Giphy
Créditos : 17
Localização : Rota 6 - Piutôv
SashaRank B
https://www.allbluerpg.com/t340-sasha-sparks#1002 https://www.allbluerpg.com/
Preâmbulo do Infinito Seg Mar 07, 2022 2:30 am
Relembrando a primeira mensagem :

Preâmbulo do Infinito

Aqui ocorrerá a aventura dos Civis Arthur Lancaster & Maka Jabami. A qual não possui narrador definido.

_________________



Preâmbulo do Infinito - Página 3 WN4Utd7


Formiga
Ver perfil do usuário
Imagem : Preâmbulo do Infinito - Página 3 OFj4cNo
Créditos : 45
FormigaDesenvolvedor
https://www.allbluerpg.com/t1194-aizawa-mikagi#11079 https://www.allbluerpg.com/t768-capitulo-i-o-espetacular-takeshi-isamune
Re: Preâmbulo do Infinito Sex Mar 18, 2022 1:47 pm










O treino tinha dado uma pequena pausa apenas para respirar, mas já estava pronto para continuar com o aprendizado do Tekkai, algo que se mostrou de muito valor, visando uma técnica defensiva - “Talvez possa usar de forma ofensiva também? Como sei que existem especializações, talvez tenha algo útil para usar juntamente com minha Akuma ou quem sabe algo que possa potencializar minha defesa…” - O pensamento não estava muito claro, ainda existia uma certa nuvem no que diz respeito ao uso do Rokushiki, porém, sabia que algo de bom sairia dali.

Aprendizado do Rokushiki: Tekkai

Ouvi atentamente as palavras de Roy sobre o Tekkai e ele tinha razão! A maioria dos treinos acabam fadigando bastante o corpo inicialmente, contudo, ao passar do tempo o corpo acaba se acostumando com a nova rotina ou adaptando o corpo ao uso de novas habilidades - Certo! - Falei me preparando para voltar ao aprendizado. Inicialmente iria seguir a dica de Roy, respirar e deixar os músculos verdadeiramente relaxados não parecia ser uma tarefa difícil, mas eu estava errado, já que deixar eles tão relaxados assim não foi tão fácil. Tentava manter um ritmo mais lento em minha respiração, tentando puxar o máximo de oxigênio para os pulmões e também relaxando o restante do corpo. Não estava com pressa, tentava gradativamente libertar o corpo daquela tensão, já que era necessário enrijecê-lo completamente e instantaneamente para fazer o tekkai.

Quando sentisse a musculatura relaxada, seria o momento de adicionar o outro fator de suma importância: deixá-los rígidos. Sim, em um único movimento tentava enrijecer todos os músculos do meu corpo, tentando me tornar cada vez mais uma verdadeira peça de metal. A repetição era minha melhor companheira e não pouparia esforços nessas ações, repetindo uma, duas, três ou quantas vezes fossem necessárias, para cada vez me aproximar do objetivo final. Sentir o corpo exausto era algo que certamente viria com as repetições, já que também era necessário dosar a força utilizada para enrijecer os músculos, não podia fazer algo além do que precisava, pois acabava sendo um gasto de energia que era totalmente inviável.

Não parava em nenhum momento, enxugando o suor que escorria pelo meu rosto e tentando por mais vezes - ”Se eu tivesse sozinho, poderia usar os poderes da minha fruta para extinguir esse cansaço, mas não posso me dar ao luxo de alguém ver.” - Realmente seria mais fácil, talvez em outro momento e em outro lugar, possa treinar um pouco mais sem me importar com a exaustão que a rotina de treinamentos acompanhava. Enfim, continuava nas tentativas, tornando cada vez mais simples o uso do Tekkai, até que ele estivesse completamente dominado.

Fim do Aprendizado

- Ótimo! Acho que consegui dominar essa técnica, sinto como se meus músculos fossem rasgar a qualquer momento. - Falei em direção ao careca enquanto procurava um lugar próximo para sentar - Acho que por hoje já deu, não quero e nem posso levar meu corpo ao extremo de maneira descuidada, isso pode acabar me atrapalhando ao invés de ajudar. - Comentava o lógico, mas estava afim de papear - E então… como andam as coisas por aqui? Algo muito ruim está acontecendo na Ilha? - Aquela podia parecer uma pergunta despreocupada, mas estava sondando meus próximos passos naquele exato momento. Continuaria por ali aguardando uma possível resposta, logo em seguida, tomaria rumo na direção do meu quarto, já que precisava definir alguns outros passos.








Formika D. Smilinguida - Histórico/Objetivos:


Maka
Ver perfil do usuário
Imagem : Preâmbulo do Infinito - Página 3 LtBcCyp
Créditos : 43
Localização : Felinolandia
MakaNarrador
https://www.allbluerpg.com/t298-maka-jabami https://www.allbluerpg.com/t625-as-cronicas-dos-scavenger-a-leoa-o-louco-e-o-mudo
Re: Preâmbulo do Infinito Sex Mar 18, 2022 3:37 pm


Preâmbulo do Infinito

- Mais velha do que eu? Qual é! Você ainda é uma garotinha! - Dizia medindo seu tamanho com a minha mão. - Mas veja meu martelo, por favor! - Apesar de não termos um início tão amigável assim, Maria ainda se propôs a analisar a arma que eu mesma havia feito.

Seus elogios me deixaram aliviada, porém, os pontos fracos ressaltados por ela já me era esperado, já que meu conhecimento era de certa forma um tanto quanto básico, e não seria o suficiente para reforçar a Skadi, ou até mesmo criar armas ainda melhores.

- Tudo bem então, “zóiuda”. Eu te pago pelo cursinho. - Dizia em tom de deboche, mas no fim não era apegada ao dinheiro, então não via problema em pagar para que ela me ensinasse. - Tome! Já te pago adiantado. - Entregaria o valor que ela estipulasse, e em seguida guardaria Skadi comigo. - Bora!? Garotinha... Quer dizer, Maria! Puffhahaha! -

Maria havido falado sobre três tipos de ensinamentos, então eu sugeriria que começássemos pelos minérios. - O que você acha de a gente começar pelos minérios? Sempre tive curiosidade, puffhahaha! - Se a garota topasse, seguiria com ela até o local que ela achasse melhor para começar a me ensinar.

Aprendizado - Mineração

De início, Maria me apresentava alguns minérios em seus estados de origem, sem qualquer alteração, além de me entregar um livro que continha figuras desses minérios e textos com explicações sobre as pedras e o tipo de uso para cada uma delas. Passei um bom tempo ali lendo e analisando cada um dos minérios enquanto a garotinha fazia outras coisas nesse meio tempo.

Após ter esse conhecimento mais teórico sobre o assunto, a Ferreira começou a me apresentar equipamentos que ela utilizava para trabalhar em cima desses minérios e assim extrair o material desejado de cada um deles para o uso deles. E claro, me mostrou na prática como usá-los e assim eu mesma pude sozinha fazer um trabalho de extração do material.

Depois desse processo de extração, Maria me mostrou como preparar o material extraído para que ele se tornasse no resultado final que era o mais comum conhecido, como um pedaço de ferro, de cobre, de níquel, ouro, prata entre outros mais. Maria me passou vários macetes e técnicas que me ajudavam a utilizar toda aquela substância em um material de qualidade, o que me permitiria a criação de armas com qualidade e duração ainda maiores.  

Fim Aprendizado

- Ufa! Não imaginei que tivesse tanto material assim pra se criar! Um processo bem trabalhoso pra se chegar em algo que muitas vezes é tão pequeno, puffhahaha! - Falava comigo mesma enquanto analisava um dos pedaços de um material que havia feito durante o processo

- Existe algum tipo de minério muito diferente e raro que você gostaria de ter, mas nunca pôs as mãos? Puffhahaha! - Indagaria para a garota apenas com a intenção de puxar conversa durante aquela pequena pausa. Escutaria Maria com atenção caso ela realmente quisesse falar. - E agora? O que você sugere que eu aprenda? Mecânica? Mecatrônica? - Aguardaria os próximos passos da garotinha.   


Legendas:

Ponto-Situação do Personagem:


_________________

Preâmbulo do Infinito - Página 3 94sfShl
Sasha
Ver perfil do usuário
Imagem : Preâmbulo do Infinito - Página 3 Giphy
Créditos : 17
Localização : Rota 6 - Piutôv
SashaRank B
https://www.allbluerpg.com/t340-sasha-sparks#1002 https://www.allbluerpg.com/
Re: Preâmbulo do Infinito Sex Mar 18, 2022 6:39 pm


      Narração

Maka


- Suponho que não tenha passado dos 20 certo? Se for mais velha que isso você tá conservada, se não tiver passado a garotinha aqui é você hum!- Respondeu a ferreira quase que rangendo os dentes e com o que ela teria dito era possível a ver segurando com muita força o balcão do ponto que havia a marca de seus dedos ao vê-la apertá-los no local com tanta força para segurar a própria raiva, com o pagamento em vista não havia porque ela não fazer sua parte.

Apesar de seu pavio curto, quando chegou na hora do aprendizado ela teria se mostrado extremamente paciente e competente parecia até mesmo outra pessoa, passaram-se boas horas de modo que logo mais viria o sol novamente e com isso ela esfregava os olhos enquanto Maka falava.

- O famoso pó de fada, é algo que eu nunca tive contato mas sempre quis estudar, um material que evolui é extremamente ineficiente do ponto de vista de um ferreiro mas, isso só se aplica quando aquele que segura é fraco.- Ela comentou então deixando escapar - Mas eu já vi um rapaz que portava uma arma que usava esse metal… Era uma lança linda. ela até suspirou com a lembrança.

- Acho que ir de mecânica é melhor, você já tem alguma base, vai ser menos trabalhoso até mesmo de te ensinar mecatronica se você já souber mecânica. Ela comentou sendo direta.

Formiga


Após o treino que Aizawa tinha, o cansaço e a exaustão eram apenas naturais, Roy? Provavelmente ele tinha algum problema pois estava tranquilaço, apesar de ser difícil de ver isso pela sua expressão de peixe morto presente na maior parte das situações em que contemplava os próprios pensamentos.

Quando sentou-se pra conversar com Roy ele teria lhe respondido - Eu ouvi algumas coisas que aconteceram, parece que cometeram algo cruel contra a família de um senhor que era muito conhecido pela região, eu não ouvi tanto assim da história mas, pareceu que foi algo bem deprimente.- Ele comentava de maneira mais básica o que ouviu, só se alongaria caso mias detalhes lhe fossem pedidos.

No entanto a decisão de ir pro quarto provavelmente cessaria a conversa em algum ponto.


Arthur

O titã em meio a praia, poderia ver que a maré estava subindo, sempre eum ritmo constante, a noite estava bem gostosa e com isso em meio ao seu treinamento teria a paz para que nada o distraisse, pelo horário não haviam muitas pessoas na região, na verdade era um ou outro casalzinho que passava ao longe de sua vista mas, nada especialmente chamativo.

A tranquilidade resumiu aquela noite e madrugada.

Histórico:


_________________



Preâmbulo do Infinito - Página 3 WN4Utd7

Maka
Ver perfil do usuário
Imagem : Preâmbulo do Infinito - Página 3 LtBcCyp
Créditos : 43
Localização : Felinolandia
MakaNarrador
https://www.allbluerpg.com/t298-maka-jabami https://www.allbluerpg.com/t625-as-cronicas-dos-scavenger-a-leoa-o-louco-e-o-mudo
Re: Preâmbulo do Infinito Sab Mar 19, 2022 7:44 pm


Preâmbulo do Infinito

Conversar com Maria era divertido, e aprender com ela também, a forma com que ficava irritada fazia eu me sentir bem, algo difícil de explicar, mas esse jeito dela de fato eu gostava e muito, - acho fofo, Puffhahaha!

O tempo havia voado e eu se quer percebera que já era dia, só notei quando Maria esfregou seus olhos de sono enquanto se prontificou a me responder. - Pó de fada? Parece algo que veio dos contos de fada, PUFFHAHAHA! -

Só de olhar para ela era nítido o quanto esse pó seria encantador. - Bom, se algum dia eu tiver a sorte de ter contato com esse tal pó de fada, farei uma belíssima manopla desse pó, e vou batizar com o seu nome. Puffhahaha! - Abriria um largo sorriso bobo para Maria deixando até escapar meus dentes caninos que eram um pouco maiores que o normal. - Se você não se importar, é claro! -

Aprendizado - Mecânica

Conversar com Maria era algo muito prazeroso, e aprender com ela era tão bom quanto, e assim como ela havia indicado, seguiríamos com os seus ensinamentos sobre mecânica, já que ela havia citado que seria um caminho ótimo para aprender mecatrônica mais tarde.

A ideia de Maria era que eu executasse um projeto simples de montagem de engrenagens, e assim iniciamos com um conhecimento básico de peças que pudessem ser utilizadas em qualquer tipo de montagem, como engrenagens, roldanas, alavancas, acoplamentos, correias, cabos de aço, eixos, rolamentos e muitas outras coisas que possibilitassem transmissão de potência, torque e rotação.

Depois de conhecer cada uma dessas peças, Maria me mostrou de que maneira cada uma delas pudessem ser utilizadas, criando encaixes que de início não eram tão complexos, e muitas vezes até simples, mas que quando estavam juntos e funcionando, criavam novas alternativas de funcionamento que me faziam entender porque certas máquinas funcionavam, mesmo que de forma básica.

E enfim, com todo esse conhecimento adquirido, botei a mão na massa e fiquei um certo tempo durante aquele início de dia reproduzindo o projeto de engrenagens que Maria havia me passado, e esse serviria como indicação de que eu finalmente havia aprendido sobre mecânica.

Fim Aprendizado

- Nossa! Agora eu entendo mesmo que pouco como certas máquinas funcionam. Nunca imagineis que essas coisinhas poderiam fazer essas coisas, Puffhahaha! Que legal! - Estava impressionada com aquele conhecimento que de cara me trazia algumas ideias que eu com certeza gostaria de tentar mais tarde.

- O que você já vez de interessante com esse tipo de conhecimento, Maria? Me mostra alguma arma ou qualquer outra coisa que você já tenha feito, vai! Mesmo uma garotinha, você é muito habilidosa, tenho certeza que você fez algo incrível! - Estava curiosa para saber o que Maria tinha de criação nessa loja, talvez até me servisse de inspiração em algum momento, ou eu simplesmente queria passar mais tempo conversando com ela antes de continuar com o aprendizado.

Ficaria ali escutando ela e analisando o que ela me apresentasse até que enfim Maria me indicasse que deveríamos seguir com o próximo estudo que finalmente seria mecatrônica.


Legendas:

Ponto-Situação do Personagem:


_________________

Preâmbulo do Infinito - Página 3 94sfShl
Formiga
Ver perfil do usuário
Imagem : Preâmbulo do Infinito - Página 3 OFj4cNo
Créditos : 45
FormigaDesenvolvedor
https://www.allbluerpg.com/t1194-aizawa-mikagi#11079 https://www.allbluerpg.com/t768-capitulo-i-o-espetacular-takeshi-isamune
Re: Preâmbulo do Infinito Sab Mar 19, 2022 11:49 pm









A princípio as palavras de Roy não me levaram a pensar em nada específico, apenas no motivo por trás de termos sido enviados até Cactus, no entanto, após breves segundos uma pequena chavinha virava em minha mente – “Será que isso está conectado de alguma forma com Sora?” – Aquela era uma opção existente, já que as queimaduras do garoto aparentavam serem algo recente, no momento que o encontrei enquanto acontecia o aprendizado sobre Geografia, alguns dias atrás – “Não... ele falou algo sobre a irmã dele, não citou uma figura paterna.” – Provavelmente não tinha nenhuma ligação, mas aquilo ainda martelou por mais alguns segundos.

Continuei com a ideia original de sair dali e voltar pro quarto, dando um “tchauzinho” em direção a Roy e caminhando em passos lentos em direção a saída do lugar, enquanto continuava pensativo sobre tudo aquilo – “Não custa nada ter certeza... já estou aqui mesmo.” – Foi o pensamento que me motivou a não dar um mísero passo sequer para fora daquele ambiente, voltando na direção do careca em passos largos e ligeiramente mais rápidos – Roy, pode me falar um pouco mais sobre isso? Se não souber mais detalhes vou ficar pensando e tentando descobrir o que pode ter rolado, vai acabar me atrapalhando. – Fui sucinto em minhas palavras, deixando claro a motivação que por sinal, não era uma mentira.

De qualquer forma, aguardaria mais informações do homem por ali, estando atento a qualquer palavra que saísse da sua boca e tentando ligar os pontos enquanto ouvia tudo. Será que aquilo tinha ligação com Sora? Talvez pudessem ser apenas uma fatalidade natural ou algo maior por trás de tudo aquilo. Não queria abrir a Roy caso existisse uma possível ligação com o garoto, afinal, não sabia o que tinha realmente acontecido e entrar em um problema que não era meu, era algo que não estava nos meus planos. Claro que não deixaria de ajudá-lo se fosse possível, ainda tenho minha carta na manga.






Formika D. Smilinguida - Histórico/Objetivos:



Arthur Lancaster
Ver perfil do usuário
Imagem : Preâmbulo do Infinito - Página 3 E5ZkmN6
Créditos : 02
Localização : Sirarossa
Re: Preâmbulo do Infinito Dom Mar 20, 2022 12:02 pm
Preâmbulo do Infinito

Após realizar aquela longa rotina de treino, estaria satisfeito o suficiente para aproveitar algumas horas para repousar um pouco a cabeça e pôr o sono em dia. Então sem mais delongas caminhava pela praia até o barco, chegando lá me jogaria em uma das camas no quarto e descansaria um pouco.

Uma vez que acordasse novamente, iria até um local dentro do barco onde pudesse fazer minha higiene e necessidades, tomando um bom banho se tivesse a oportunidade. - Bom dia. - Exclamaria se visse alguém nesse meio tempo.

Com tudo pronto, saltaria da embarcação e voltaria até o centro da cidade, por onde o velhinho havia me indicado, queria encontrar o Quartel da Marinha para obter mais informações sobre o tal criminoso. Caso não encontrasse tão facilmente como ele havia me dito, abordaria as pessoas de forma educada. - Olá Tudo bem? Sabe me dizer onde posso encontrar o quartel da marinha? - Independente da resposta agradeceria inclinando a cabeça e seguindo o caminho.

Entraria com calma quando chegasse ao local, e então examinaria com cautela o ambiente, além daquela recompensa quem sabe poderia surgir mais negócios por ali. - Bom dia(Boa tarde caso o sol já estivesse avançado) preciso conversar com alguém de alta patente, estou atrás de um criminoso que sem dúvidas interessa a vocês.

Conseguindo atenção de algum marinheiro mais ciente da situação, mostraria o cartaz de procurado, e então lhe pediria. - Sabe me dizer mais sobre esse homem? Gostaria de fazer justiça pela pobre família de seu provável companheiro.

HistóricoNome: Arthur Lancaster
Posts: 09
Vicio: 02/15
Ganhos:
- N/A

Perdas:
- N/A

Cor da fala: - Fala


Objetivos• Conseguir uma boa recompensa



_________________

Ficha

Preâmbulo do Infinito - Página 3 D53b08482d797eb7a0e39d5577863c78b1b4d947

Bim sala bim

Sasha
Ver perfil do usuário
Imagem : Preâmbulo do Infinito - Página 3 Giphy
Créditos : 17
Localização : Rota 6 - Piutôv
SashaRank B
https://www.allbluerpg.com/t340-sasha-sparks#1002 https://www.allbluerpg.com/
Re: Preâmbulo do Infinito Dom Mar 20, 2022 4:06 pm


      Narração

Maka
A observação da garota fazia um bom sentido afinal, a própria origem de um objeto alienigena capaz de agir de maneira simbiótica era algo muito doido mesmo para aquele mundo para muita gente. Com meu nome? Mas porque? Vai bater em ruivas malucas por ai? - Ela teria dito em tom de brincadeira mas, havia um fundinho de verdade naquilo quando se viu que seu comportamento agressivo também agia como um modo de esconder a própria vulnerabilidade, coisa que podia ser notada por um breve rubor a colorir as bochechas da ferreira enquanto ela diria - Até que seria maneiro…- E logo voltaram ao foco do aprendizado.

Ao fim do aprendizado era possível ver que o corpo de ambas dava uma cobrada em relação ao sono, levando a alguns bocejos enquanto conversavam de ambas as partes - Eu só não te pego na porrada porque você tá me pegando 200 Mil por aula e porque tou com sono, mas vem cá que ue te mostro. - Ela teria a levado para ver uma das encomendas que recebeu que estava guardada em um bau de ferro. - Essa foi a minha ultima encomenda, trata-se de uma lança normal a priemira vista mas, se eu aperto aqui, olha ela teria mostrado a arma Separar-se em 3 com elos de corrente a ligando.

- Se eu encaixo, ela volta a ser firme como uma lança normal, há também esse botão que se eu apertar, uma pequena engrenagem gira, voltando ao formato de lança original. O rapaz que encomendou disse ter ideias de como usar isso para encaixar golpes surpresa ou algo assim. E com o que ela explicou, mostravase que dava pra ir bem longe nas possibilidades de armas que ela poderia aprender quando soubesse de tudo.

Maka no momento apresenta o status sonolento I, eu vou escalando ele até você ir dormir~~

Formiga


Roy se prontificou a contar o que ele sabia da história - Bom, pelo que eu ouvi alguns arruaceiros com a intenção de aumentar o preço pelas próprias cabeças estavam causando confusão pela ilha… Inclusive parece que eles ainda não foram pegos. Dentre eles havia um homem que se destacava em força, usuário de akuma no mi aparentemente, Ele queria fazer algo que ferisse não a cidade mas o coração da população.-

Roy puxou uma caixinha e então sentou - Aparentemente, esse marinheiro quando era vivo doava quase que completamente seus salários para ajudar a população, fosse pra comprar comida, ou mesmo em coisas mais triviais, foi um homem realmente muito bom e eu peço desculpas por não lembrar o nome dele mesmo sendo um cara meio famoso… Se eu entendi direito ele tinha dois netos, diferente do senhor, o seu filho seguiu um caminho rebelde e teve um fim trágico, deixando as crianças com ele… - Ele parou e pausou mais uma vez como se estivesse pensando pra lembrar do resto.

- Aparentemente ele não viveu muito, ele já era bem idoso e aparentemente a menina mais velha foi a que ficou responsável de cuidar do irmão ou irmã mais novo, ouvir história pela metade é difícil… E esse cara ai atacou esta casa, disseram que o cenário tava digno de história de terror, tinha bastante sangue espalhado pela casa e… Isso é o que eu sei, eles iam começar a falar dos detalhes e eu não quis ouvir não, eu sou meio sensível pra essas coisas, não ia dormir nem direito. Ai é isso que tem rondado de história, eu não sei se esses netos estão vivos ou algo assim, se tiverem devem estar sobre cuidados da marinha provavelmente, já que o avô fazia parte. - Roy mostrava que sabai na verdade muitwa coisa da história e ficava na conversa muito claro o motivo de ele simplesmente não seguir muito no campo de batalha, suas habilidades dedutivas, diferentes de sua força eram piores que de uma criança ao investigar e ligar aos pontos e pareceu que seu estomago fraco era o seu ponto fraco.



No entanto a decisão de ir pro quarto provavelmente cessaria a conversa em algum ponto.


Arthur

Arthur parou depois de um tempo para descansar afinal, varar a noite e seguir adiante só o tornariam mais fraco, quando despertou, ele poderia ver um bilhetinho de Kitara próximo a porta que dizia:



Eu fui comprar algum remédio pro estomago, vou aproveitar e dar uma volta pra fazer reconhecimento do local, talvez até fazer um mapa, até mais tarde, deixei o bilhetinho pra você não pensar que algo aconteceu, tá tudo certo eu não fugi não hahaha



E com isso, dirigindo-se ao centro da cidade havia uma certa dificuldade para que ele pudesse encontrar o QG, apesar de parecer fácil parte das instruções já não pareciam ser tão claras no momento, quem havia parado para lhe responder seria uma Linda moça de cabelos azuis que respondeu - Siga por essa rua aqui que você deve encontrar. - e isso o possibilitou a seguir direto pro local.

Quem or ecepcionou, logo na porta inclusive, parando sua passagem era uma Moça bonita mas, claramente bem estressada - Bom dia senhor.- Ela teria o olhado e apesar da moça ser bem pequena, sua presença diria o contrário enquanto ela olhava pra cima, ouvindo o resto do que ele tinha a dizer.

- Senhor, todos os criminosos interessam para nós, eu não vou chamar um superior só por causa disso. Além do mais, nem mesmo sei quem é você, é novo pela ilha? - A primeira barreira por ali teria sido a própria marinheira, diferente de um civil que adentrava procurando por ajuda ou alguém que claramente tinha ar de novato querendo se alistar a postura de Arthur era única e como tal, chamava a atenção de forma que em um lugar onde muitos estavam mais a flor da pele, isso soaria como suspeito.


Histórico:

[/quote]

_________________



Preâmbulo do Infinito - Página 3 WN4Utd7

Formiga
Ver perfil do usuário
Imagem : Preâmbulo do Infinito - Página 3 OFj4cNo
Créditos : 45
FormigaDesenvolvedor
https://www.allbluerpg.com/t1194-aizawa-mikagi#11079 https://www.allbluerpg.com/t768-capitulo-i-o-espetacular-takeshi-isamune
Re: Preâmbulo do Infinito Dom Mar 20, 2022 5:59 pm









As palavras de Roy deixaram as coisas mais claras, pelo jeito aquele assunto tinha realmente ligação com Sora, mesmo ele não tendo falado muito sobre seus outros familiares – Isso foi a muito tempo? – Indaguei tentando ter um pouco mais de certeza, já que as queimaduras do garoto não pareciam ter sido feitas há muito tempo – Entendo... obrigado pelas informações, agora preciso ver se tem alguma missão para fazer, não consigo ficar parada. – Falei dando um “tchauzinho” bem simples para Roy, claro, depois que escutasse possíveis respostas que viessem do homem. Agora tinha muitas coisas em minha mente e precisava acalmar meu interior antes de tomar qualquer decisão, com isso, caminhei em passos largos e tranquilos na direção do quarto em que estava alojada no Quartel – “Por mais que queira ajudar Sora, preciso fazer isso como uma Agente, não posso dar brecha para ligação entre Formika e minha outra identidade... mas para isso ainda preciso estudar um pouco mais os poderes da minha Fruta, acredito que seja possível mudar outras características do meu corpo.” – Era necessário um preparo maior.

Ao chegar no quarto não perderia tempo e logo iria tomar um banho, deixando a exaustão ser levada pela água enquanto tentava relaxar o máximo – “Não posso ser descuidado, preciso de toda uma segunda identidade bem planejada... aquele estalo que tive na área de treinamento provavelmente dê frutos, preciso pensar um pouco mais no que é possível ser lançado e ou chutado, consigo criar um estilo de combate de curta, média e longa distância com isso.” - A segunda vida como tinha que ser bem estruturada como supracitado – “Não posso dar uma mínima brecha para ligações, tenho que dar um jeito de esconder essa cauda e também aprender um outro estilo de combate corpo a corpo, é onde tenho maior potencial, não posso desperdiçar meus dotes físicos.” – Continuava a pensar enquanto tomava banho ou faria qualquer outra coisa no quarto, como permanecer deitado por algum tempo imerso em minha própria mente – “Caçador é a opção monetariamente mais interessante, mas não sei se é isso que preciso. Para voltar a minha ilha natal e destruir tudo preciso de algo que ainda não tenho, preciso ser alguém que todos temem só de ouvir o nome... não, não preciso ser cruel, mas ser imponente... talvez um pirata? Acho que esse é o melhor caminho, mas não posso ser cruel como esses existentes por aí, espalhar o caos de maneira exacerbada e em direção a inocentes não faz parte do meu objetivo.” – Sim, não podia deixar que outros Soras fossem criados por aí, por mais que não me agradasse completamente ser um criminoso, era o caminho mais fácil para levar o medo no coração daqueles que irei me vingar.

Tomaria o tempo necessário para descansar e também me vestir novamente, não queria perder mais tempo e precisava buscar algumas informações sobre o que ocorreu com Sora e também algumas coisas que pudessem ser interessantes para usar – “Acho que posso usar meu conhecimento em herbalismo para algo útil, lembro que existem algumas plantas interessantes e que encaixam na minha ideia de disparar a média e longa distância... mas não faço a mínima ideia de onde encontrar esses itens.” – Já sabia onde tinha que ir, novamente imergir em uma coisa que passou de necessidade para um hobby interessante: os livros. Com tudo pronto sairia do quarto em passos tranquilos, observando o quartel enquanto caminhava ainda pensativo em alguns pontos, indo até a recepção do quartel, o lugar mais prático para conseguir algumas informações.

Ao chegar lá aguardaria o momento oportuno para que pudesse interagir com o atendente local, caso ele estivesse por lá – Olá, sou a Agente Formika e gostaria de algumas informações. – Falava de maneira tranquila – Você sabe onde posso encontrar uma biblioteca aqui na Ilha? Ou talvez pelo quartel. – Precisava de dinheiro e não podia esquecer desse detalhe – “Era para ter perguntado a Roy onde posso ir para encontrar uma missão.” – O lamento não me levaria a lugar nenhum, iria aproveitar para saber ali mesmo - Aliás, com quem posso falar para pegar uma missão? Vim há algum tempo de Masquerade e até agora fiquei parada, não consigo ficar mais tempo assim. – Dava um pequeno sorriso enquanto coçava a parte de trás da cabeça – Algum bandido? Se bem que bandido não é bem nossa área... talvez alguma coisa para arrumar? Minha única missão até então foi tratar de arrumar algumas coisas... bem, não tenho preferência. – Era sincero, não dava para escolher muita coisa e precisava também conhecer um pouco mais do quartel e subir na hierarquia da organização se quisesse conseguir mais informações da minha Ilha natal. Fingir ser a Formika tinha se tornado algo natural ao longo dos anos, a personalidade mais tranquila e receptiva abria portas.







Formika D. Smilinguida - Histórico/Objetivos:



Arthur Lancaster
Ver perfil do usuário
Imagem : Preâmbulo do Infinito - Página 3 E5ZkmN6
Créditos : 02
Localização : Sirarossa
Re: Preâmbulo do Infinito Seg Mar 21, 2022 1:11 pm
Preâmbulo do Infinito

Chegando no quartel da marinha me deparava com uma pequenina mal humorada. - Tsc! Marinheiros malditos. - Pensava sem manifestar nenhuma afeição a principio. - Apesar que ela é bem bonitinha. - Meu lado devasso dava as caras ao apreciar seus belos traços, mas continuava sem manifestar nada.

- Estou de passagem, mas antes irei resolver alguns problemas para prosseguir para próxima ilha. - Olhava bem no fundo dos olhos dela. - Baixinha, a pouco tempo atrás um certo pirata matou a família de um companheiro seu, só gostaria de obter mais informações.

Pegava o cartaz e mostrava-lhe o rosto do tal criminoso. - E então? Pode me ajudar por gentileza ou vai continuar fazendo ceninha? - Era passivo mas ao mesmo tempo lhe devolvia o próprio amargor.

Caso ela resolvesse se acalmar um pouco, afinal não havia realizado nada que pudesse lhe estressar, prosseguiria até um superior ou até mesmo ela caso soubesse alguma informação. - Pois bem, mediante a esse homem, sabe me dizer algo útil em minha caçada?  

Do contrário, simplesmente a ignorava totalmente como se ela não estivesse ali e abordaria outra pessoa com o clássico uniforme da marinha, esperando caso não houvesse outro presente aparecer. - Bom dia marinheiro(a) poderia compartilhar comigo as informações sobre esse sujeito? Creio que as pobres vítimas irão ser profundamente gratas.

HistóricoNome: Arthur Lancaster
Posts: 10
Vicio: 03/15
Ganhos:
- N/A

Perdas:
- N/A

Cor da fala: - Fala


Objetivos• Conseguir uma boa recompensa



_________________

Ficha

Preâmbulo do Infinito - Página 3 D53b08482d797eb7a0e39d5577863c78b1b4d947

Bim sala bim

Maka
Ver perfil do usuário
Imagem : Preâmbulo do Infinito - Página 3 LtBcCyp
Créditos : 43
Localização : Felinolandia
MakaNarrador
https://www.allbluerpg.com/t298-maka-jabami https://www.allbluerpg.com/t625-as-cronicas-dos-scavenger-a-leoa-o-louco-e-o-mudo
Re: Preâmbulo do Infinito Seg Mar 21, 2022 4:12 pm


Preâmbulo do Infinito

O aprendizado havia sido bem tranquilo, contudo, o cansaço batia ainda mais forte pelo fato de termos virado aquela noite, e a privação do sono trazia um desgaste que aos poucos eu já começava a sentir, mesmo que ainda continuássemos com a conversa após aquele período de estudo.

- Puffhah... uooaaah... me pegar? Pode me pegar, mas na porrada que não vai ser... aaaah que sono... - Espreguiçava meus braços enquanto a leseira batia. De forma atenciosa, Maria começava a me mostrar seu último trabalho, e vou te dizer, que trabalho sensacional. - Nossa! Que arma bizarra. Nunca pensei em algo do tipo... que inteligente! - Dizia com ênfase totalmente encantada com o mecanismo daquela lança.

- Se o cara disse isso, então ele deve ser mortal! Não tem como não ser pego de surpresa contra essa coisa, puffhahaha... bizarro! - Eu já havia sido surpreendida com todo o conhecimento que a Maria tinha, mas ver algo que ela mesma havia feito, era notável o quanto aquela garotinha era incrível como ferreira.

Em meio aquela demonstração super interessante dela, procuraria um lugar para me sentar que tivesse algum encosto, mostrando o quão cansada e apática eu estava. - Sabe Maria, mesmo você sendo uma garotinha... você ainda consegue ser incrível, puffhahah... - Repousaria meu corpo sobre o encosto e fecharia meus olhos bem lentamente. Eu não queria dormir, queria apenas fechá-los um pouquinho, então apenas continuaria a falar. - Faz tempo que você... hum... vive aqui nessa... ilha?... - Me ajeitaria procurando uma posição confortável para descansar. - Me... desculpe, Maria... hum... - E apenas tentaria dormir, caso é claro, Maria não se incomodasse com a situação e ainda se juntasse a mim, - até porque ela também estava precisando.  


Legendas:

Ponto-Situação do Personagem:


_________________

Preâmbulo do Infinito - Página 3 94sfShl
Koji
Ver perfil do usuário
Imagem : Preâmbulo do Infinito - Página 3 88XyQrB
Créditos : 12
Localização : Sirarossa
KojiAvaliador
https://www.allbluerpg.com/t764-harvey-abgnalle#6176 https://www.allbluerpg.com/t1500-perpetuos-i-malfeito-feito#17594
Re: Preâmbulo do Infinito Seg Mar 21, 2022 11:16 pm






Capítulo 2
Preâmbulo do Infinito



"Como diabos vim parar aqui?" me perguntava mesmo sabendo a resposta para isso. A viagem até o local definitivamente não fora fácil. Por um momento eu achei que ia morrer e pensei na morte mais que deveria - até mesmo fiz uma piada sobre morrer e não ser pelas mãos do meu assassino interno. "Eu acho que isso é um bom sinal." Passar tanto tempo apenas vegentando, deliberadamente preso em um cubículo certamente não fora bom, mas os meses que passei fora daquela prisão de concreto certamente foram os melhores para mim.

Agora, imerso nessa ilha que eu falho em saber o nome, me resta apenas... começar uma nova vida? De certa forma meu objetivo principal havia sido concluído. A Grand Line. Eu finalmente estava nela. Aqui eu esperava encontrar a resposta para tudo. Minha condição, talvez meus amigos e minha organização. Para tudo, no fim das contas, precisava do motor universal: dinheiro. "Aposto que as coisas aqui são caras" o pensamento era inevitável em uma terra distante e desconhecida. Para que isso se resolvesse, então, procuraria caminhar um pouco pelas redondezas.

Procuraria buscar inicialmente as ruas mais movimentadas, analisando seus comércios, transeuntes e principalmente seus preços. Em especial manteria os olhos atentos para uma ferrarria. Em meio a tudo isso, procuraria também por anomalias que apenas alguém do meu ramo fosse capaz de detectar: figuras suspeitas, edifícios de fachada e perseguidores por aí. Os distritos não eram coisa para se brincar; um pequeno deslize e você nem mesmo percebia sua própria morte. Sabendo que esse tipo de atividade era mais comum para os locais menos amontoados, procuria por lá também, escondendo bem minha identidade e a todo momento segurando minha adaga dentro dos bolsos.

Após uma varredura inicial, obtendo um resultado positivo ou não, entraria em qualquer restaurante que acabara de notar durante minha caminhada. A fome era muita, e nem ao menos noção do tempo eu possuía naquele momento. "O mar certamente é cruel." pensava, relembrando meus momentos inoportunos durante aquele barco que quase virou o meu mausoléu. De qualquer forma, estando apto para pedir, chamaria o garçom ou faria o pedido pessoalmente, como funcionasse pelo lugar. Buscaria pagar assim que pudesse o valor necessário. — Quero um prato à moda da casa, por favor. — enquanto comia, analisaria o ambiente e seus clientes, de forma furtiva e sorrateira. Queria buscar um objetivo nessa ilha onde Judas perdeu suas botas.


Histórico:

Legenda:

Considerações:

 Code by Arthur Lancaster

   
 

_________________

Preâmbulo do Infinito - Página 3 EE4OUIx


"Assume the position to get back on your knees"



Curso narrador All Blue, turma de Janeiro 2021:
Liebe
Ver perfil do usuário
Imagem : Preâmbulo do Infinito - Página 3 UqAcZBh
Créditos : 19
LiebeAgente
https://www.allbluerpg.com/t1598-morgan-morozova#17144 https://www.allbluerpg.com/t1602-a-voz-dos-silenciados#17206
Re: Preâmbulo do Infinito Ter Mar 22, 2022 7:50 pm
Ele se esticou por completo, as palmas das mãos cruzadas despontando para o céu, e alongou todo o corpo demoradamente. Em seus olhos aquilinos brilhava uma curiosidade desmedida, cuja fonte de interesse era a própria Cactus Island, a ilha tão desejosamente alcançada após cruzar as rotas de Paradise em um percurso horizontal.

Myaah! Partiu explorar. – Diria para si mesmo, explodindo de animação. Garfield havia passado meses de reclusão intermináveis em alto mar, e raras foram as oportunidades que detivera para se aventurar. Maxuell, o agente responsável por lhe delegar missões até então, lhe havia proibido de perambular pelas ilhas que visitara ao longo do percurso, uma vez que se fazia impreterível a chegada do tal container em Cactus o mais ligeiro possível.

Não obstante, finalmente havia chegado a hora de esticar as pernas por terras desconhecidas, e Garfield prontamente aceitou os dias de descanso que lhe foram concedidos; dias esses que seriam inteiramente aproveitados com expedições pelas montanhas espinhosas e andanças pelas vielas desconhecidas das cidades que por ventura encontrasse.

Dessa forma, enquanto estivesse vagabundeando pela ilha sem rumo aparente, Gar aproveitaria para conhecer as atrações locais e as comidas típicas da região, mantendo seus sentidos atentos a cada pormenor que cruzasse seu caminho. Desvencilhar-se-ia do colete e da gravata, elementos comuns à sua vestimenta, e abriria alguns botões da camisa com o objetivo de informalizar a sua presença. Não sabendo que tipo de gente poderia encontrar pelas redondezas, ele optaria por ser o mais discreto que a sua personalidade afetada julgasse possível.

「 C O N S I D E R A Ç Õ E S 」
nada a declarar.

「 H I S T Ó R I C O 」
post: 01.
nome: garfield wampus.
aparência atual aqui.
capital: ฿ 13.225.000.

ganhos:
  1. a/a.

perdas:
  1. n/a.

ferimentos:
  1. n/a.

「 O B J E T I V O S 」
realizar 1 missão;
treinar qualidade precisão temporal;
adquirir proficiência disfarce;
confeccionar uma fantasia;
encontrar o bando.
PREÂMBULO DO INFINITO: O SILÊNCIO QUE ANTECEDE O CONCÍLIO
cactus

_________________

Morgan
Sasha
Ver perfil do usuário
Imagem : Preâmbulo do Infinito - Página 3 Giphy
Créditos : 17
Localização : Rota 6 - Piutôv
SashaRank B
https://www.allbluerpg.com/t340-sasha-sparks#1002 https://www.allbluerpg.com/
Re: Preâmbulo do Infinito Ter Mar 22, 2022 11:56 pm


      Narração

Liebe

O Felino havia chegado na ilha e estava finalmente pronto para caminhar pelo calçadão em busca de explorar e conhecer o lugar, ele tranquilamente caminhava pelo porto em direção a cidade, ele via diversas pequenas casas na região e em especial, para o que ele buscava, estava ali, algumas barraquinhas de comida, algumas delas vendiam crepes, havia uma especializada em curry, outra delas vendia churros recheados com chocolate e doce de leite.

O cheiro do ambiente era inebriante, o cheiro picante da pimenta era o primeiro que vinha ao nariz do gato, seguido por o cheiro doce do chocolate, e também acompanhado pelo do doce de leite, mas a melhor mistura era a massa frita que com toda certeza saltava aos olhos, era bonito, grande, grosso e bem recheado, era assim que se pareciam aqueles churros.

Além disso, ele podia ver um restaurante fechado ali, chamado Fluor de la Cremm. Aparentemente era um restaurante focado em massas, já que tinha uma pizza no topo do lugar, e representa bem isso, como a porta de vidro estava fechada, nenhum odor vinha dali, mas ele podia ver a pessoa comendo uma pizza quatro queijos. E na outra bancada uma pizza doce.

O clima desta ilha era bem mais tranquilo do que as duas outras ilhas que ele tinha ficado algum tempo antes, o que já devia mostrar ao felino maior qualidade de vida naquele ponto. Era bom poder finalmente não estar numa ilha que o queimasse até os ossos. Quanto às pessoas na rua, não eram tantas nessa região, alguns poucos transeuntes passavam pra lá e pra cá.

Koji

Bico de pato, rabo de castor? Como se não fosse o suficiente, ele simplesmente spawnou na ilha, sim ele nem sabia por que estava ali, talvez um ato dos deuses da sorte? Mas fosse sorte ou azar, ele parecia ainda confiante, caminhou por entre as vielas e adentrou no primeiro restaurante que viu.

Era um simples restaurante de massas. A atendente se aproximava dele e ouvia sua colocação sobre um prato à moda. Logo ela trazia uma pizza de calabresa com queijo, a aparência era bonita, o queijo derretido cheirava muito bem, e a textura parecia perfeita, era mesmo uma pizza interessante.

Ela então falava para ele do que se tratava aquilo.-A pizza custa 100.000 berries, é a nossa principal da casa.- quanto a atendente era uma moça loira de uniforme amarelo, com alguns detalhes vermelhos com o nome do restaurante escrito no uniforme. Se chamava Fluor de la Cremm. Ali ele poderia aproveitar sua boa refeição.

Ele ia comendo e podia sentir o sabor do queijo derretido sobre sua língua lentamente, ressaltado pela calabresa e a textura deliciosa da massa. Quanto aos clientes, nada de anormal, eram três mesas ocupadas e o resto vazio por enquanto, duas mulheres em uma, quatro homens em outra, um casal se beijando na terceira.

Maka

A garota estava impressionada com o trabalho de pequenina, mas o cansaço falava mais alto ela ia sentando e conversando falando sobre como ela achava a garota excepcional mesmo para seu tamanho.-Há obrigada, isso tudo não é nada demais. É algo que basta algum tempo de prática e pode aprender. Mas é incrível mesmo, o que conhecimento faz. e nesse tempo ela já ia vendo a Maria sumindo sumindo e puff adormeceu.

Ali ela sentia seu sono prevalecer pois afinal o corpo humano tem seus limites quanto ao cansaço, dormir é essencial para aproveitar o que se pode do dia. Então ela conseguia dormir por algumas horas ali, acordaria já bem tarde enrolada em uma fofa manta rosa de ursinhos que a Maria usou para cobrir ela. A sua companheira de aprendizado ainda estava ali, naquele momento sentada numa cadeira terminando de ler um livro.

Arthur

O rapaz parecia não entender sua posição, afinal ele estava agora na grande Linha, sem muita reputação, sem feitos para contar, era normal que ele não tivesse acesso a muitas coisas, ainda mais com um postura um tanto estranha no meio de uma tragédia, era difícil levar muito pra frente esse tipo de coisas. Afinal não se chega na casa dos outros tentando sentar na janelinha e comer o caviar sem ser convidado.

De qualquer forma a mulher alí a frente era bem paciente em não ficar de saco cheio, afinal civis petulantes são ossos do Oficio.-Sinto muito ter de lhe explicar, mas a marinha não é a casa da mãe joana. Eu preciso de seus dados para que possa entrar aqui, não estou duvidando de sua palavra, mas comecemos pelo básico, qual seu nome?-Questionou ela, agora de certo modo não era protocolo, mas ela tinha decidido que iria fazer perguntas, afinal novamente ele agiu como dono da bola.

Em seguida ela explicaria sobre a situação da qual ele quer informações.-Certo, pra informações sobre procurados, você vai falar com pessoas de patente baixa mesmo, capitães, tenentes, não cuidam de passar dados assim pra caçadores, você vai falar com um atendente lá dentro, que fica no balcão, ela quem vai te repassar esse tipo de informação. ela falou olhando seriamente pra ele, e então novamente começando a se preparar pra falar de novo mas ainda sem abrir a porta.

Então tendo ele dito coisas que necessariamente mexiam com ela, afinal o rapaz que morreu, era alguém muito próximo dela, em normalidade ela nem mesmo teria barrado ele ali, mas a maneira de agir dele, era realmente estranha.-Lembre de sempre tratar as pessoas com respeito quando estiver em um quartel. As pessoas aqui estão apenas fazendo o trabalho delas.- então depois de dizer todas essas coisas, ela simplesmente olhou novamente o cartaz e repassou o que ia ser dito através de si mesma, sem deixar que ele adentrasse, por conta da postura que ele exibiu.

As palavras dela eram simples.-Ele sempre anda em bando, então se for procurar tenha cuidado. A segunda coisa é que ele foi avistado pela última vez ao norte da ilha, as informações todas levam a crer que ele está lá. Aconselho que esteja preparado, leve boas armas e use os recursos que tiver a disposição- explicou a moça sobre o que ele queria saber, era realmente a informação que ele precisava. Claro, sua postura com certeza mudaria quando ele trouxesse a cabeça do inimigo, mas por hora as coisas tinham caminhado meio errado. A moça não desgostava dele, nem o tratava mal, mas certamente por conta dos hediondos crimes o QG estava muito alerta, em especial.

Formiga
A pergunta era respondida rapidamente-Os acontecimentos foram bem recentes, tiveram um impacto grande por aqui.- explicou ele sobre esses dados aos quais era questionado. Então o pensamento da agente era sobre sua identidade, ela pensava internamente sobre o que desejava, até que pondo queria e poderia ir.

Então, no fim, não conseguindo ficar parada, ela caminhou por ali indo até a atendente que logo a recebeu com tranquilidade, ele logo perguntava sobre uma biblioteca que poderia estar ali na região.-Temos uma biblioteca aqui no Quartel. Virando a direita naquele corredor ali na frente, a penúltima sala.- então depois disso seu questionamento era sobre missões, e o que poderia fazer ali.

Então a moça logo pegava um arquivo e um papel grande dentro de uma pasta amarelada e entregava para Formika. -Certo, temos essa aqui, é pra conseguir informações sobre o bando do Gato Negro. A Missão é para conseguir mais informações, e uma segunda atrelada a ela que se for possível neutralizar seu líder. Caso não seja, buscar maiores reforços pra essa realização.- Explicou ela com os arquivos que passavam todos os dados que a Marinha tinha até então sobre esse ocorrido, e alguns a mais exclusivos do governo.


Histórico:

[/quote]
[/quote]

_________________



Preâmbulo do Infinito - Página 3 WN4Utd7

Formiga
Ver perfil do usuário
Imagem : Preâmbulo do Infinito - Página 3 OFj4cNo
Créditos : 45
FormigaDesenvolvedor
https://www.allbluerpg.com/t1194-aizawa-mikagi#11079 https://www.allbluerpg.com/t768-capitulo-i-o-espetacular-takeshi-isamune
Re: Preâmbulo do Infinito Qua Mar 23, 2022 1:27 am









A resposta de Roy era a peça que faltava no quebra cabeça, pelo jeito toda a situação contada pelo careca estava mesmo ligada a Sora e sua família. Aquelas informações me davam um norte para conseguir entender tudo o que tinha ocorrido com o menino e pelo menos trazer um conforto a ele, principalmente se fosse possível encontrar o item que Sora tanto desejava. De qualquer forma, caminhar pelo quartel foi algo bem simples e tranquilo de ser feito, não demorando para que chegasse até a atendente que se mostrou bem receptiva - Ótimo, vou gastar meu tempo dando uma estudada. - Comentei de maneira desleixada.

A mulher então continuou e dessa vez me trouxe respostas sobre as missões, me dando um arquivo - Gato Negro? Algo novo por aqui ou já caminham pelos mares da criminalidade há algum tempo? - Indaguei enquanto lia todo o arquivo com atenção, buscando obter o máximo de informação possível aquele bando - Deixe comigo, irei dar um jeito de encontrar essas informações. - Falava sem tirar os olhos do arquivo, buscando agora encontrar algum último paradeiro conhecido ou pessoas que pudessem estar ligadas ao grupo - Todas as informações estão aqui? - Indagava mantendo a tranquilidade - Sabe de um último paradeiro ou algo assim? Não conheço muito bem a ilha ainda, um norte seria interessante. - Essas perguntas só seriam feitas se não existisse nenhuma informação prévia no arquivo entregue por ela - Obrigada, logo ire começar a juntar informações sobre esse bando. - Tinha uma missão interligada que era voltada à captura, mas para isso era necessário fazer uma boa coleta de informação.

De qualquer forma, após ter todas as respostas – se fossem necessárias -, tomaria rumo em direção a biblioteca do lugar, seguindo o direcionamento dado pela mulher. Chegando no lugar observava se precisava realizar alguma espécie de registro, fazendo-o sem muita demora e logo caminhando pelo novo ambiente, observando se existia a presença de sinalização sobre as categorias dos livros e afins. Caso conseguisse me mover sozinho lá dentro, procuraria o setor relacionado às plantas, era um conhecimento adquirido enquanto estudava geografia e sabia que podia ser útil, ainda mais unido aos meus conhecimentos e também ao poder do fruto. No entanto, caso não fosse possível achar o que queria sozinho, procuraria alguém que trabalhasse naquela área para pedir um auxílio - Sabe onde posso encontrar livros sobre plantas e animais? - Repetiria o processo se fosse necessário.

Ao achar o lugar, pegaria alguns livros que julgasse interessante, principalmente aqueles que me fornecessem conhecimento sobre plantas venenosas, carnívoras e outras espécies estranhas
, inclusive de animais também - ”Talvez seja interessante fazer um teste da Akuma, procurar informações sobre o gato negro estando no sexo masculino... é uma boa forma de se acostumar também com a mudança.” - O pensamento cortava minha mente enquanto pegava os livros, em seguida procurando uma mesa ou balcão vago para que pudesse iniciar a leitura - ”Mas isso me trás ao mesmo ponto, não posso simplesmente mudar de sexo. Preciso pensar em uma forma de também mudar as características do meu corpo, como cor de cabelo e cor dos olhos... isso vai dificultar e me dar mais veracidade em minha vida dupla, isso vai deixar tudo mais tranquilo também.” - Aquilo claramente era possível usando os poderes do meu fruto, no entanto, restava saber como podia fazer a transformação com tantos detalhes assim.

Enfim, quando estivesse com todos os livros em mão e em um lugar vago, começaria a leitura buscando me munir de todas as informações possíveis sobre as mais variadas espécies de plantas, assim como seus benefícios e malefícios que estivessem listados. Não pouparia esforços nem tempo para que pudesse encontrar tudo, enquanto tentava pegar algumas informações também sobre animais - ”Um disfarce precisa ser criado em sua totalidade, preciso dar uma cara... um tema para essa nova faceta que estou criando. Algo que possa ser imponente, mas que não carregue perversidade... algo que possa estar ligado a natureza, como um animal? Talvez isso seja interessante.” - Eu estava decidido a fazer aquilo, criar uma nova identidade não era algo que seria feito de um dia para o outro, já vinha a um tempo trabalhando em algumas coisas e agora estava me aprofundando nisso – ”Um novo estilo de combate... não, dos estilos! Sempre quis aprender como usar espadas, acho que agora é o momento para isso.” - Um desejo antigo e há muito tempo esquecido, mas que agora se mostrava útil.

Continuaria por ali perdido na leitura e em pensamentos, buscando entender e formar algo em minha mente que usaria daqui por diante.







Formika D. Smilinguida - Histórico/Objetivos:



Maka
Ver perfil do usuário
Imagem : Preâmbulo do Infinito - Página 3 LtBcCyp
Créditos : 43
Localização : Felinolandia
MakaNarrador
https://www.allbluerpg.com/t298-maka-jabami https://www.allbluerpg.com/t625-as-cronicas-dos-scavenger-a-leoa-o-louco-e-o-mudo
Re: Preâmbulo do Infinito Qua Mar 23, 2022 12:04 pm


Preâmbulo do Infinito

Aquela sensação gostosa de um sono bem aproveitado aos poucos se afastava, de fato eu havia capotado de sono no mesmo lugar em que eu estava, e nem se quer lembrava qual foi a última coisa que eu e Maria havíamos conversado, só me lembrava de pedir desculpa.

Meus olhos finalmente se abriam e pude notar que já era bem tarde, talvez a noite estaria próxima? Não tinha total certeza ainda, pois meu corpo recobrava a consciência aos poucos. Ainda estava lá, na mesma loja junto de Maria, sentada e apoiada sobre o encosto, coberta por uma manta rosa da qual eu com certeza não usaria, puffhahaha! Mas, Maria havia feito aquilo, e isso me deixava levemente corada em ver que ela não se importou de eu acabar pegando no sono, e ainda por cima cuidou de mim.

Essa garotinha era mesmo uma pessoa maravilhosa e encantadora. Me levantaria com calma sem fazer alarde me espreguiçando daquele descanso e em seguida caminharia até Maria que ainda estava ali lendo um livro provavelmente me esperando despertar.  

Quando estivesse atrás dela eu puxaria o seu cabelo com cuidado. - Obrigado! - E então eu lhe daria um singelo beijo em sua bochecha agradecendo pelo cuidado dela comigo. - Desculpa ter dormido desse jeito, puffhah... Onde posso deixar a manta? - Escutaria com atenção e levaria até o local indicado, dobraria a manta e deixaria lá.

Puxaria uma cadeira para próximo de Maria curiosa para saber o que ela estaria lendo. - O que você tá fazendo, garotinha? - Sorriria para ela tentando ser delicada e afetuosa, algo que eu não sabia ser, mas que ainda estava me esforçando para conseguir. - E agora, o que a gente tem pra fazer? - Diria assim que ela respondesse o que havia feito enquanto eu dormia.  


Legendas:

Ponto-Situação do Personagem:


_________________

Preâmbulo do Infinito - Página 3 94sfShl